sábado, 28 de novembro de 2009

AH, ESSAS CONTRADIÇÕES...

Bem que a oposição, a mídia, e os 16% que odeiam o Lula podiam sintonizar o discurso. O que ouço é muito contraditório.
Por exemplo: o Brasil tá no buraco, Lula afundou o país.
Aí a Lolinha Abismada quer saber: Mas e todos os índices mostrando a grande melhora do Brasil?
E o Pessoal Contraditório responde: Ah, tudo manipulado! Pura mentira! O país tá na miséria, é o cocô do cavalo do bandido do mundo.
Lolinha Abismada: Mas... Mas... Mas e todas as matérias em revistas e jornais internacionais dizendo como o Brasil finalmente deixou de ser o gigante adormecido, de como virou o país do futuro? (Reconheço que não sei a contra-argumentação pra isso. Me ajudem, por favor. É tudo comprado? Os jornalistas europeus e americanos são todos petralhas? Não conhecem a realidade brasileira?).

Existem algumas variações sobre o tema "o país tá no buraco": O Brasil só não está tão no fundo do poço assim porque Lula faz um governo de continuidade. Deve tudo ao FHC! (“tudo” não é muito, visto que o Brasil tá quase na UTI).
Mais variações: Ah, claro que o país tá bem! Também, o PT pegou um cenário econômico internacional fantástico!
Lolinha Abismada: Mas... Mas... Mas essa não foi a pior crise financeira desde 1929? (Ninguém da direita fala da crise ou aponta que foi uma crise do capitalismo. Desta vez não dá pra culpar os comunistas, né? Então o melhor a fazer é não dizer nada. O único momento que vimos a direita falar da crise foi pra atacar o Lula por chamá-la de marolinha! Mas pelo jeito ele tinha razão, não?).

Outra discussão: o Bolsa Família é um programa eleitoreiro, é bolsa-esmola, dá o peixe mas não ensina a pescar, faz o povo ficar preguiçoso, minha empregada doméstica largou o emprego pra viver de bolsa família, onde o país vai parar? Quem vai limpar a minha casa, pô?!
Lolinha Abismada: Então, se o PSDB vencer as eleições de 2010, vai acabar com o bolsa família?
Pessoal Contraditório: Não, claro que não! Foi o PSDB que criou o bolsa família! O Lula só copiou a ideia!

Mais uma: As universidades públicas são uma droga, cheias de professores comunas doutrinando os aluninhos, sem falar que quem dá aula em federal é porque tá fugindo da competição do mercado, competentes mesmo são aqueles que não fizeram essas frescuras acadêmicas de mestrado e doutorado! As particulares também são uma porcaria, só caça-níqueis e fábricas de diplomas, deveriam fechar todas!
Lolinha Abismada: Mas aí como os brasileiros fariam curso superior?
Pessoal Contraditório: Não fariam! Deveria haver mais cursos técnicos, isso sim. Coisas que dão emprego. Trabalho é que enobrece o homem!
Lolinha Abismada: Mas aí vocês não chamariam o cara que só fez curso técnico, e não faculdade, de analfabeto? (Não conheço a resposta, minhas discussões nunca chegam tão longe).

O discurso só é sintonizado quando a questão é cotas raciais. Aí são todos unanimemente contra. É racismo ao contrário, e desnessário, ainda por cima, porque todo mundo sabe que o Brasil não é um país racista. Além do mais, vai baixar o nível das universidades.
Lolinha Abismada: Mas e os estudos provando que aluno cotista tem desempenho superior aos dos não-cotistas, e também há menos evasão escolar?
Pessoal Contraditório, espumando: Tudo mentira! É claro que essa gente bronzeada é péssima! Não somos racistas!

Pra ilustrar, esse diálogo foi com um amigo meu outro dia.
Ele: o Brasil tá uma m****, todo mundo empobrecendo!
Eu: Cê tá falando sério? Mas os índices sociais...
Ele: Tudo mentira!
Eu: Mas o Brasil tá com maioria de classe média pela primeira vez. 52%!
Ele: Claro! É só abaixar a faixa salarial que é todo mundo classe média!
Eu: Mas as faixas salariais são as mesmas de sempre. Classe média é quem tem renda familiar mensal entre R$ 1,100 e 4,600.
Ele: Viu só? Viu só? É uma piada! Como que alguém com 1,100 reais pode ser classe média?
Eu: Ué, é como o nosso amigo pedreiro. Ele é classe média.
Ele: O quê? Nunca! Aquele um que bebe pinga porque não pode beber whisky? Classe média uma ova!
Eu: É classe C sim. E além do mais, ele tem três imóveis, mais que a gente.
Ele: Três imóveis?! Onde? Em bairro nobre que não é!
Eu: É na periferia, mais ainda assim, são três imóveis, dois dos quais ele aluga. É classe C fácil.
Ele: E quem disse que classe C é classe média?! Classe C não é nada!
Eu: Ué, se existe classe A, B, C, D e E, a classe C fica bem no meio. Totalmente classe média.
Ele: Humpf! Mas nosso amigo pinguço ganha mais que 1,100.
Eu: E certamente menos que 4,600. Logo, é classe média. Lógico que uma família que ganha 1,100 tem um padrão diferente de outra que ganha 4,600. Existem variações entre a classe média.
Ele: Classe média sou eu, que luto pra sobreviver!

Ah sim, isso das classes A e B (ou seja, a elite) jurarem que sustentam o país e que sofrem muito é um discurso padrão. Pelo menos um (dois, com o das cotas)!

26 comentários:

Priscila disse...

Putz... Né por nada não, mas tá ficando meio ridículo essa sua insistência em defender o governo. Você parece tão fanática quanto os direitistas. Que tal variar um pouco o assunto?

E é porque eu votei em Lula. E nem estou arrependida.

aiaiai disse...

ADOREI Lolinha! Como sempre, texto delicioso e engraçado, iluminou o meu sabadão de trabalho.
bjs

Leandro Monteiro disse...

Lola, adorei o seu texto! Só tem um pequeno detalhe: A própria revista The Economist, como você citou, disse que o país está bem pois o governo Lula deu continuidade às decisões econômicas tomadas no governo FHC. Vamos lá, você não pode achar que no governo FHC tudo era uma porcaria, não é? Por exemplo, embora eu faça parte dos seus ditos 16%, mesmo assim na minha opinião eu concordo que nesses 8 anos de governo Lula ocorreram muitas coisas boas (e muitas ruins também, mas faz parte).

Alessandra disse...

Achei o teu texto tao apropriado! E principalmente hoje, depois dessa estratégia equivocada da Folha de SP em divulgar a coluna do Benjamin e ficar quieta, como se nada fosse.

Grandes portais e midia televisa calada. Blogs e twitters políticos discutindo isso em peso.

Fica o link, pra quem nao viu: http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/cesar-benjamin-os-filhos-do-brasil/

Amanda disse...

Isso ai Lolinha! Fico abismada com a discrepância do discurso entre os brasileiros e os franceses sobre o Brasil. Aqui na França, Brasil é sempre sinônimo de desenvolvimento econômico, de potência mundial, de savoir-faire. O Lula entao, é idolo (eu até acho que às vezes eles exageram)! Enquanto no Brasil todo mundo dizendo que o pais esta no fundo do poço. Pombas, acordem brasileiros! Deviamos nos orgulhar um pouco menos sobre nossas belezas naturais e mais sobre nossas recentes conquistas sociais.

Má disse...

Oi Lolaa!
Longe de se igualar com as criticas contra o Lula em si, mas tb não gosto desta propaganda de metade dos brasileiros ser de classe média não.
Acho o critério salarial ruim. Não vejo que metade dos brasileiros é de classe média.POis com classe média, temos um certo imaginário de bem-estar, o que sabemos que não é o caso da maioria da chamada classe C.
Este critério, ao meu ver, mascara a realidade.
Não vejo a desigualdade de fato diminuir não, nem considero nosso país como uma nação de maioria classe média. A não ser que classe média não se refira de alguma forma ao bem-estar, acho um pouco difícil igualar a "classe C" com o estilo de vida "media class way of life" :) que é mostrado no padrão da TV etc (escola particular, empregada, carro, viagem etc..)

Não sei sabe, acho que dizer que estes são todos da mesma classe média um pouco injusto. Claro, não pelos argumentos que vc citou, mas fica parecendo que tudo está caminhando, e enfim somos quase todos da classe média..(chegando a um padrão de país de primeiro mundo?)


Bom Lola, sei que nem era sobre isto o post, sorry..
De resto, concordo com as criticas contraditórias sim :)
Tb acho que nem é o povo de "direita" que critica tudo isso apenas (há muitos de direita q acham o máximo o governo Lula, vide capital financeiro), mas parece muito uma certa "birra", no sentido de preconceito cultural com o Lula mesmo não?
Não sei qual é pior...

Beijão e bom fim de semana!

cronicasurbanas disse...

Lola,

a matéria especial feita pelo The Economist foi muito bem feita. Elogiou e deu os devidos créditos ao governo Lula, mas também ressaltou os 3 fatores principais que permitiram que o país tenha chegado até aqui (o Plano Real de 1994, o controle do câmbio e inflação nas mãos do BC em 1999 e a lei de responsabilidade fiscal) e falou bastante sobre os 'perigos' para o futuro, se este governo e o próximo não tomarem medidas que são consideradas importantes pelos economistas (a maior, segundo o jornalista, é uma atualização nas leis trabalhistas, consideradas por ele obsoletas e arcaicas). Destaca as vantagens do Brasil em relação a China (é uma democracia), Índia (vizinhança mais calma e menos problemas étnicos) e Rússia (exporta mais do que armas e trata os investidores com respeito), mas também alerta para o risco de 'hubris', ou seja, o governo - e o país - ficarem se achando o último biscoito do pacote e não tomar as medidas necessárias para que esse crescimento tenha sustentação (além da modificiação das leis trabalhistas que hoje estimulam a informalidade, ele destaca problemas na educação e infraestrutura).

Teve muita gente que só olhou pra capa da revista e achou super lindo ver o Cristo decolando, mas não se deu ao trabalho de ler a reportagem e ouvir a entrevista em áudio (que é muito boa). Ela fala o que está bem, mas boa parte do trabalho é sobre o que ainda tem que ser feito.

abraço,
Mônica

Marcos Vinicius Gomes disse...

Lolinha abismada,

O Marcão Estupefato aqui teceu algumas teorias e acha que o mais provável é que estamos vivendo uma Epidemia da Propaganda Absurda (EPA).O povo que perdeu o Toddynho que tomava há cinco séculos neste Brasilzão está tão sem noção que já não diz coisa com coisa. Grande parte deles já aderiu ao FEBEAPA (Festival de Besteiras que Assola o País) Do Stanislaw Ponte Preta. Na linha de frente do pensamento febeapaniano, temos pessoas muito qualificadas de currículo invejável do porte de Willian Bonner ("O brasileiro médio é um Hommer Simpson"), Ali Kamel ("Não somos racistas") , Lucia Hipolito ("A culpa do apagão é a redução do IPI "), Demétrio Magnoli ("A escravidão no Brasil foi democrática"). Vou parar por aqui ,senão o espaço vai ser pouco...

Má disse...

Lola, acho que este argumento da imprensa internacional que o Brasil "deixou de ser o gigante adormecido" não é justamente no que se refere aos beneficios sociais. Mas sim, em maior parte pela política econômica estável, favorável ao investimento estrangeiro, etc, ou seja, para políticas neoliberais mesmo.
A matéria da Economist acho um exemplo disso, como foi citado aqui onde as leis trabalhistas são supostamente"obsoletas" (o que discordo).
Se o Brasil seguir assim, se cada vez mais reduzirem os direitos trabalhistas (tendência mundial) por exemplo, cada vez mais a precarização do trabalho aumentará, no entanto seguramente a Economist verá isso como um "avanço" para leis supostamente obsoletas, e o Brasil ficará melhor ainda na foto para este tipo de revistas.

POr isso Lolinha, acho que quem critica o Lula desta maneira q vc citou, acho que se trata bastante tb de um preconceito cultural mesmo...

Beijão!

Luiz Eleno disse...

Só faltou você dizer que, além da classe média, a desigualdade social foi o que mais cresceu nos últimos 12 ou 13 anos (Lula+FHC), já que as classes A e B cresceram muito mais do que a classe C...

Além disso, o crescimento da classe média não quer dizer que a pobreza diminuiu. Vai dizer que você acredita que a inflação é exatamente essa anunciada mensalmente? Será que você não vai no supermercado?

Manter a faixa salarial da classe média entre 1100 e 4600 reais, muito bem... Mas e os preços? 1100 reais hoje não valem muita coisa. Valem muito menos do que valiam em, digamos, 2000 (pra não ir muito distante no tempo...)

Bom, seu blog é excelente de qualquer maneira. Aproveita pra dar uma passadinha no meu (se você não se importa em deixar aqui o endereço):

www.luiz-eleno.blogspot.com

Abraços!

olhodopombo disse...

pois É,voce bem poderia estar por aqui na semana que se comemorou
a consciencia negra do brasil,
foi tanta baixaria que deu arrepios...
os estudantes afrodescendentes daqui da UFRB querem expulsar os estudantes(ditos)
brancos desta Universidade Federal do Reconcavo da Bahia, pois alegam que a universidade foi criada so para os (ditos)negros....

Eduardo Braga disse...

Sobre as cotas raciais tenho minhas dúvidas se realmente é algo positivo! Prefiro cotas sociais que abrangeriam todos os negros pobres do Brasil mas não discriminaria os poucos, mas existentes, brancos pobres.
Os netos e filhos do Pelé, Benedita da Silva, Martinho da Vila e outros poucos negros que já ascenderam socialmente e economicamente não precisam de cotas.
Se as cotas raciais existissem no final da década de 80 e inicio dos anos 90 eu, por exemplo, que sou branco e na época era paupérrimo seria prejudicado. Teria que disputar vagas com brancos ricos formados em escolas particulares de boa qualidade mesmo tendo concluído meus estudos todo em escola pública de periferia já em decadência de qualidade! As cotas sociais me seriam de grande auxílio e não descartaria outro negro pobre que tivesse um desempenho melhor na prova do que eu.

Flávia disse...

Se vc acha ruim, não lê, Priscila.

Ah, Lola, eu não aguento mais esse mimimi da classe média! Que saco! E só exigem e reclamam do governo pensando no umbigo deles!
E atrapalham a luta de minorias.

Fora que esse povo que gosta de criticar o governo de Lula, não entende pn de política...
Se brincar, não sabe em quem votou para deputado, senador e por aí vai nas eleições passadas.

É a mesma turminha alienada do "Cansei" e do 'não vote em ninguém'.

Kenny Guilherme disse...

"O PIB no governo Lula, com 4,1% em média, cresceu menos do que nos demais países em desenvolvimento (média de 7,3% de 2003 a 2008). Essa média, como se sabe, tende a cair com os resultados de 2009 e 2010. A queda da produção industrial de setembro a dezembro de 2008, que leio no Valor que foi de 20,1%, foi a maior crise que o Brasil sofreu em 15 anos (não era só uma marolinha?), ou seja, o maior tombo desde o Plano Real. E olhe que aconteceram as da Ásia (1997), Rússia (1998), a do apagão e da Argentina (2001) e da tensão pré Lula (2002).

Kenny Guilherme disse...

O Brasil, apesar dos avanços no tocante à distribuição de renda, tem perdido para os emergentes em geral e até para os latino-americanos em particular. Segundo estudo da UFRJ divulgado pelo Globo, a renda per capita anual brasileira, hoje de US$ 10.298, aumentou 59% desde 1995; a latino-americana, 68% (a da Argentina é US$ 14.354); e a de emergentes como a Rússia (US$ 16.160), China e India, 123%. A evolução, portanto, não só não foi exclusiva do Brasil - houve derrubada da inflação e abertura econômica nas mais diversas partes do planeta - como foi inferior à média dos seus vizinhos e parceiros. É algo a se comemorar?

Kenny Guilherme disse...

Após esse monte de números (que considero uma chatice mas é necessário saber), pergunto: e a ética? O PT não era o único partido ético do país?
Após o mensalão, muitos petistas passaram a ser Lulistas (o pobrezinho não sabia de nada, foi traído. Pera lá, se uma operação da monta do mensalão foi feita nas barbas do Presidente e este não sabia de nada, não é muita incompetência?)
No mais, os petistas e/ou lulistas (não sei diferenciar ainda) passaram a se sair com a cômoda desculpa de "o PSDB também teve mensalão, eles também são corruptos". Esse argumento pode até servir contra um tucano (digo "pode até" porque um erro não justifica o outro), mas e contra quem não tem partido? Você admite a corrupção do seu partido e justifica com a do outro? Lamentável. Pensamento pequeno.
Não gosto do governo Lula (mas também não acho que estaríamos melhor com o PSDB no poder) e acho que o Brasil teve os avanços que teve na economia em grande parte pela bonança da economia mundial (até a crise do ano passado).
Sem dúvida, Lola, prefiro você fazendo suas críticas aos costumes da nossa sociedade conservadora, falando de filme ou narrando suas peripécias com o maridão.
Parabéns pelo blog, que acompanho direto mas só comento raramente.

Kenny Guilherme disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Bárbara Reis disse...

Eu acho a verdade sobre os fatos relacionados à esse assunto, muito complexa. Porque realmente não dá pra saber quem fala a verdade. Se a mídia está veiculando uma informação verdadeira ou não. Afinal a maioria das mídias é financiada pelo governo. No programa do Jô, aquele que comentei, o Reinaldo Azevedo falou assim: '-A imprensa existe para vigiar o governo.'
Eu não concordo... acho que a mídia e a imprensa se divide em Subsidiados pelo Governo x Oposição ao partido operante. É apenas um grande jogo de interesse. E por mais que não estejamos mais sob regime de ditadura, e censura... o jogo de interesse fala mais alto, e isso não seria uma forma de opressão?
Nos trens dos metros aqui em São Paulo, há umas 'televisões', que passam informações e comerciais. Eu sempre fico pensando, que todas aquelas TV's, são armas poderosas de alienação, me pergunto se um dia, se algum politico com um Exu Hitler no corpo subisse ao poder, se aquilo não seria uma forma de manipular a informação e a mente das pessoas?!

Eu não estou questionando o governo, acredito que estamos muito melhores, afinal se não fosse o governo, eu não estaria me formando no mês que vem. Tenho bolsa ProUni 100%. E sou muitissimo grata por isso. O Lula realmente fez um ótimo trabalho, e eu votaria nele. Mas em questão de numeros, de fatos, informação... eu não tenho certeza da veracidade. E eu acredio sim... que o Lula poderia ter feito mais, por ele ser o Presidente. Mas eu posso imaginar o que ele passou, só de pressão psicologica, e de poder, para conseguir fazer o que fez. E imagino que não deve ter sido nada fácil... porque há muitas pessoas que se beneficiam justamente do Brasil como está... e quanto mais distribuição do dinheiro publico, menos dinheiro eles terão para roubar, por exemplo. Não julgo o Lula por isso, ele foi humilhado tanto quanto ou mais, a menina da Uniban, e julgado sem dó por sua escolaridade, por suas deficiencia fisica, pelo modo como ele fala. Acho que é muito fácil, falar mal do governo, mas ninguem sabe o que é estar lá, e o quão dificil é lutar contra pessoas que podem te destruir, para conseguir fazer alguma coisa para ajudar as pessoas, e que no fim isso vai ser usado contra você.

É isso que eu penso sobre politica.
Me lembra muito os senados romanos... um covil de cobras, vence aquele que tiver o veneno mais forte e mais letal.

Beijão, Lolinha.

Well Bernard disse...

Dei altas risadas com o seu diálogo e o seu amigo. Lola, não importa, para de falar! A culpa é do Lula e sempre será. [/irônia]

Amodoro seu blog. E o bom é que ele não é planfetário igual uns blogs governistas que tem por aí. Só ficam no falam, falam, falam, mas não estabelecem o raciocínio.


Desculpas minhas falhas no pt-br, toh com sono agora.

Beijos.

lola aronovich disse...

Pior é que esse diálogo com meu amigo é verdadeiro, Well! Não foi inventado não. E eu fiquei chocada, porque fazia um tempinho que não falava com ele, e sabia que ele estava numa situação financeira boa. Não imaginava que ia ter que ouvir a choradeira revoltada que ouvi! Como se ele estivesse na miséria absoluta. E teve um monte de coisa racista e classista que ele falou tb. O maridão acompanhou a conversa e disse depois que ficou orgulhoso de mim porque não me descontrolei. Mas deu raiva nessa hora, viu? Ah, vc deve ter notado que o meu bloguinho é sobre um monte de coisas, não só sobre política partidária.
'

Outras e outros comentaristas deste post, muito obrigada pelas mensagens! Li todas, mas vou dormir sem responder. Ontem foi uma noite péssima pra mim. Eu mal dormi! É que eu vi o filme Atividade Paranormal e fiquei morrendo de medo, sério mesmo. Aguardem a crítica do filme pra quarta. Brrrr.

Anônimo disse...

Usar a Economist como argumento é prova que precisa estudar mais e que o governo não tá investindo muito em educação. E que a classe média não tem dinheiro para pagar um cursinho de inglês.

Classe A= milhonarios= podres de ricos
Classe B= ricos
Classe C= classe Media alta
Classe D= classe media media
Classe E= classe media baixa

Eduardo Braga disse...

Como assim??? Não entendi a classificação acima!!! Então os pobres e miseráveis não existem??? Ou estão tão em desvantagem que não merecem nem ser citados na classificação??? Ou então o anônimo esqueceu de mencionar:
F: Pobres quase classe média
G: Pobres que sobrevivem e
H: Desprovidos, podres de miséria
Hehehehehe...

L. Archilla disse...

Eduardo, somos dois. ele foi irônico, será? em qual parte? tá criticando o texto? qual é o argumento?

nada como um anônimo para testar nosso poder de interpretação.

Camila disse...

Lolinha, seus posts são uma inspiração para mim... Adoro! Já viu um blog chamado Classe Média Way of Life? Dê uma olhadinha e vê o que vc acha: http://classemediawayoflife.blogspot.com/2009/10/dica-032-colocar-culpa-no-lula.html

Leila disse...

Quem fala que Federal é uma merda não sabe a situação de Estadual de São Paulo.
A falta de professores esta tao grande que quem sabe eu não me formarei ano que vem pois não há prevista a contratação de um professor capacitado para me lecionar uma matéria obrigatória e dois estágios sendo assim não há vaga para todos os alunos.
Que feio UNESP q feio!

Jether disse...
Este comentário foi removido pelo autor.