terça-feira, 17 de novembro de 2009

ADENDO AO POST SOBRE BICHINHOS QUE (NÃO) COMEMOS

Eu, hein? Pensei que quase todos vocês ficariam indignados(as) com a ideia de comer carne de cão e gato. Mas não, vocês estão aí dizendo que dá na mesma. Alguns, porque são vegetarianos e defendem que nenhuma carne deve ser consumida. Outros, porque são carnívoros e, já que se come um animal, que comam-se todos. Acho esses dois argumentos muito estranhos.
Vamos ao menos concordar que o que comemos é um ato socialmente construído (como todos os nossos hábitos e gostos na vida)? Então vamos. Aprendemos desde pequenos que comer isso é aceitável, e aquilo é nojento. O que não quer dizer que não possamos reaprender, lógico. Pouquíssimas crianças são criadas como vegetarianas, e, no entanto, várias viram vegetarianas quando adultas. Mas ser vegetariano, assim como ser carnívoro, é outra construção social (e o exemplo do sushi é péssimo! Quer construção social maior que aprender a comer peixe cru? Na minha infância, sushi nem existia no ocidente. Foram os yuppies que o transformou peixe crue em moda a partir dos anos 80. Sushi é um prato caro, está ligado a status. Pra fazer parte de um clubinho algumas pessoas reaprendem qualquer coisa. Com todo respeito aos comedores de sushi).
Gostar de animais para companhia também é um ato socialmente construído. Nojo de insetos, idem. Talvez, se os adultos deixassem, as crianças adotariam insetos inomináveis como bichos de estimação. Graças aos bons céus, elas aprendem que cães e gatos são muito mais fofinhos, companheiros, simpáticos e limpos que insetos. E aprendem que bichos de estimação não se comem.
Eu já disse que a maior parte de nós só pode comer carne se não tiver que pensar de onde vem essa carne. Uma coisa é ver o bife embalado, ou, melhor ainda, pronto no seu prato (tem gente que detesta cheiro de carne crua); outra é ver uma pobre vaquinha ou boi, seres lindos e totalmente inofensivos, ser esquartejada. Não sei quanto a vocês, mas eu, pessoalmente, fiquei uns meses sem comer carne suína depois de ver Babe, o Porquinho Atrapalhado. E um ano sem comer frango após ver uma vizinha matando uma galinha (e notem os eufemismos que criamos pra nos distanciar da comida: a gente não come porco, come carne suína!).
O Brasil mudou radicalmente nas últimas décadas e hoje é um país urbano. A maioria de nós vive em centros urbanos, não rurais. O que isso significa? Que podemos passar anos, senão a vida inteira, sem ver um porco, galinha, ou vaca ao vivo. Vocês já chegaram bem perto de algum desses bichos a ponto de poder tocá-los? Eu não. Tenho a impressão que, se nós estivéssemos num sítio, e fossemos apresentados ao leitãozinho que em breve seria sacrificado para satisfazer o nosso paladar, não aceitaríamos comê-lo. Seria violento demais saber que aquele bichinho querido teve que ser morto pra nos render uma refeição.
Lembro de quando eu e o maridão visitamos Chinatown, em Nova York, no começo do ano passado. Ao passar por um entre inúmeros (e bons e baratos) restaurantes orientais, o maridão parou diante de uma vitrine e me fez observar uns belos peixes, coloridos e vivos, do outro lado do vidro. Ele não tinha se dado conta que o esquema do restaurante era que você escolhia o peixe, vivo, que iria comer. Eles o tiravam do aquário e o matavam e o preparavam pra você. Eu não como peixe, mas não aguentei olhar praqueles peixinhos nos seus últimos minutos ou horas ou dias de vida. Aquilo estragou o meu dia.
Se estamos acostumados a conviver com cães e gatos e amá-los, porque fomos ensinados a fazer isso, e se não precisamos ver os bichos que comemos (galinhas, porcos, vacas), não dá pra dizer de forma alguma que “tanto faz comer um cão ou gato quanto qualquer outro bicho”. Não é igual. Fomos programados pra aceitar um modo de vida e não o outro. Uma desprogramação não é nada fácil.
E quem falou que é desejável? É isso que queremos: comer todos os bichos? Fazer campanhas para que viremos vegetarianos me parece mais realista, e mais humanitário, que essas bravatas de “vamos comer cães e gatos, ueba!”. Esse tipo de conversa nem me faz bem. Meus gatos estão me olhando estranho desde o primeiro post.

217 comentários:

1 – 200 de 217   Recentes›   Mais recentes»
Natália disse...

Por outro lado, a manutenção de um cachorro é mais poluente do que a de uma SUV.

Anônimo disse...

Lola,não querendo te corrigir, mas é sashimi que vem a ser pedaço de peixe fatiado...

pedro disse...

Dois comentários:
um, acho que você nunca foi à roça. Qualquer sitiante ou caipira pega uma galinha no quintal e mata para comer, o mesmo com porco, etc. Sò não se come cachorro por uma questão cultural, e não porque estamos vendo o bichinho.

dois, esse padrão tão classe média de criticar a classe média ("foram os yuppies que fizeram moda comento sushi") não se sustenta! foram também os yuppies que divulgaram o vegetarianismo, pobre de modo geral adora carne, de todos os tipos.

Hélio Sales Jr. disse...

Que praticamente tudo o que comemos vem de um "socialmente construído" é fato. Mas acho possível ter consciência de que a carne que você está comendo era um bichinho fofinho e inocente e mesmo assim não sentir culpa. Acho que a era da inocência passou, ficou pra trás. Estamos mais sinceros e menos dispostos a manter uma máscara de bonzinhos que, bem, não somos ou fomos jamais. Ótimas reflexões!

Samantha disse...

Lola, por ser cultural, acho complicado reprimir ou dizer que não está certo. Eu não teria coragem de comer carne de cachorro, a não ser em um cenário apocalíptico em que não houvesse mais nada para comer. Mas eu, vc e tantos outros pensam assim porque é nossa identidade cultural, não comemos cachorros no Brasil.


Bom, se o cachorro fosse criado exclusivamente para alimentação, com todo controle de qualidade necessário, eu não veria problemas na venda da carne para o consumo de quem desejasse, para atender a uma pequena demanda. Veja bem, os caras de Suzano vendiam o quilo da carne de cachorro por uns 200 reais (se não me engano), ou seja, é uma iguaria. Se hoje, no Brasil, o abate de cachorros fosse regulamentado, provavelmente o mercado seria pouquíssimo, atendendo apenas a colônia coreana e os poucos curiosos. Por isso duvido que alguem investiria massivamente em uma fazenda de cachorros.

Marcos Vinicius Gomes disse...

Não comeria cães e gatos, talvez nem em situações extremas. É aquela coisa que falei, 'prosopopéica', visto que nas sociedades ocidentais os cães e gatos adquiriram 'status familiar'. O que não acontece talvez com vacas, ovelhas (apesar de soarem meigas, balindo quando a contamos para dormir), peixes (exceto os ornamentais, que parecem ter gosto ruim). Apesar de morar em São Paulo, quando vou para a escola onde leciono, sempre encontro bois e vacas pastando pela estrada (no extremo da zona sul de SP, já área rural). Sempre que vejo um boi nunca imagino tendo um como animal de estimação, o que talvez não me trautatize na hora de comer um bife ou kibe. O aspecto psicológico e afetivo é o que conta. Finalizando este comentário 'gastronômico', já vi uma modalidade de sushi onde o peixe é degustado vivo! Sim, é feito todo um ritual, a espinha é preservada para que o peixe não sinta dor(?!).Bizarro

Bárbara Reis disse...

Eu estou num dia péssimo pra falar de comida, estou com um enjoo terrivel desde a hora que eu acordei, e não, não estou grávida, acho que meu figado tá atacado... e não tem nada pra eu vomitar, porque não comi nada desde a hora que eu acordei. Logo a náusea está me matando.

Enfim... eu não gosto muito de frango, não como carne de porco, tenho alergia, apesar de gostar de bacon, é raro eu consumir, não gosto de peixe, e tenho alergia tb, mas eu adoro salmão, de qualquer jeito, até cru...

a unica carne que eu gosto e como é a vermelha, ou seja de vaca... e me sinto meio mal de comer, e as pessoas ficarem jogando na minha cara que é um animal e tal... =/

Mas comer cachorro é fora de cogitação...

Acho que deveria se pensar na cadeia alimentar tbm... somos animais onivoros, porem com poder de escolha.

:**

Má disse...

Lola, ao meu ver, parece que são três questões diferentes em debate.
1. A questão biológica da necessidade de comer carne (o que é a mais insustentável)
2. O que é socialmente condicionado (comer carne de vaca é aceitável, de cachorro não, e que muda de país p país)
3. A ética que envolve comer o animal.

Me parece que quem está falando que é tudo igual (vaca ou gato) está discutindo mais a questão da ética penso eu. Pois eticamente falando realmente dá na mesma comer gato ou vaca, pensando no ato de um ser humano, que tem o poder, que pode e de fato faz isto p sua satisfação pessoal.
Como disse, mesmo sendo vegetariana há 7 anos, claro que p mim é mais aceitável comer frango do que gato!!Mais enquanto princípio de pensar que todos são animais, dá na mesma.
Assim, socialmente falando é claro que é mais repugnante comer gato que vaca p nós brasileiros.
Isto tudo , sem mencionar a questão do meio ambiente e da indústria da carne como questão p se tornar vegetariano....
Bom, é assim que interpretei...

Beijão!

Paloma Peruna disse...

Lola, concordo contigo! Meus pais moram no interior e meu sobrinho ama bichos. Temos algumas galinhas de estimação e nunca, jamais, em tempo algum elas foram cogitadas como comida. Pensar nelas assim me parece monstruoso. No entanto, eu como frango numa boa (aliás, meu sobrinho só come se não chamamos de galinha e sim de frango). É cultural mesmo. E qto aos cachorrinhos, acho monstruoso em qq lugar. Eu heim, um bicho tão fofo e amigo!!! Sei q é possível se afeiçoar a um boi ou uma galinha e q eles podem ser bichinhos de estimação tb, mas não dá pra comparar com um cachorrinho, q já tem aquele comportamento todo fofinho e amável.

lola aronovich disse...

Ai, gente, estou sem tempo pra responder...

Natália, says who? E mesmo que um cão fosse mais poluente que um SUV (pra quem não sabe, aqueles carrões), um cão é um ser vivo, um SUV é um carro, um objeto. E uma pessoa é muito mais poluente que um cão. E daí? Deveríamos matar algumas pessoas? Um americano é muito mais poluente que um brasileiro, e por aí vai. Esse raciocínio é fraco.


Obrigada, anônimo, e pode corrigir, por favor! Mas sushi é peixe cru, né?

lola aronovich disse...

Pedro, acho que vc pulou o parágrafo em que eu falo sobre sítio. Não, eu nunca fui à roça. Isso tá no texto. Segundo, yuppie não é classe média! Yuppie é young urban professional. Eles não existem mais, foram um fenômeno dos anos 80, muito bem retratados em Psicopata Americano, por exemplo. Os yuppies eram ricos. Ganhavam muito, muito dinheiro, e não sabiam o que fazer com ele. Não foram os yuppies que inventaram o vegetarianismo, que é muito mais antigo que eles...



Hélio, eu não sei, pra mim é muito difícil não sentir culpa. E a maior parte dos meus amigos sente culpa tb. Sei que é hipocrisia, sentir culpa e mesmo assim seguir comendo carne. Ao mesmo tempo, acho que vc tem razão: não dá mais pra fingir que somos bonzinhos. O ser humano realmente já passou desse estágio de ilusão...

lola aronovich disse...

Samantha, mas quando eu digo “cultural”, eu não estou dizendo “universal”, certo? É justamente o contrário. “Cultural” se refere a nossa época e a nossa cultura. Estou falando da cultura ocidental. Não estou nem entrando na questão dos coreanos comerem carne de cão. Aliás, eles não comem qualquer cachorro. É um cão especial. E esse é um costume antigo, hoje em dia é raro. Eu já comi comida coreana diversas vezes e é excelente. Não tem cachorro não. Agora, pra vender carne de cão aqui no Brasil é complicado... É a nossa cultura. Eu seria totalmente contra. Seria pra uns riquinhos poderem comer o que gostam.


Ah, Marcos, não sei o que faria em situações extremas... Mas não dá pra se guiar pelas situações extremas, né? Bom, eu vejo bastante vaquinha pastando nas estradas. Elas são umas fofas. Eu as acho bonitas mesmo. Mas nunca cheguei perto de uma. E quanto a comer bicho vivo... Acho meio impossível o bicho não sofrer. Eu vi que em alguns lugares come-se a lagosta viva. Isso não é bem um ritual, mas uma frescura de rico. É só pra “garantir” que o bicho é fresco. Tão fresco que tá vivo!

lola aronovich disse...

Barb querida, vi seu comentário no outro post. Sou que nem vc: eu adoraria ser vegetariana, mas adoro carne e não sou muito fã de verduras. Agora, por esse comentário, constato que vc é ainda mais fresca pra comer do que eu! Eu não como nada que venha do mar. Tampouco como ovelhas ou coelhinhos. E fígado, bucho, argh, nem pensar. Mas gosto de carne de boi, porco e frango...


Má, tem razão, tem muitas questões envolvidas nessa discussão. Mas vc não acha que o que é socialmente aceito e o que é ético acaba esbarrando um no outro?
Quer escrever um guest post sobre como é ser vegetariana? Como vc fez, o que fez, o que te impulsionou, como é o convívio com os carnívoros, o que vc come etc? Acho que nunca publiquei nada do tipo por aqui, e é um assunto muito interessante pra mim.

Camila Hareide disse...

Comer cão, alguns países asiáticos o fazem. Gato, acho que vários de nós temos a grande possibilidade de ter comido enganados, rarsrs... Aquele espetinho da esquina, sabe?

Não, jamais comeria um bichano ou um totó. Sou paulistana, mas vivi quase 3 anos no meio do Pantanalzão de meu deus, e os peões e todos que crescem cercados por vacas que tem o destino escrito, enxergam os bichinhos como churrasco ambulante. Ninguém tem pena não. Só a paulistana aqui ficava com dó dos bichinhos. Como vc mesma disse, é um hábito socialmente construído por lá. Imagino que seja assim com todas as pessoas que crescem em fazendas e sítios, sabendo que aqueles bichinhos vão virar comida um dia. Quem tem pena é justamente quem não cresce no meio deles...

Comer bicho vivo é quase desumano - apesar de que as ostrinhas vivinhas (que vc tem bastante aí no seu litoral!) descem gostosinhas, vivinhas. Será que as bichas sofrem? O pior pra mim aqui no meu pedaço está sendo a introdução de bichinhos fofinhos na dieta, vide as renas do Papai Noel. Coisa mais lindinha... Mas são deliciosas... Pioo-o-o-or ainda é que aqui no Norte da Noruega come-se baleia. Maior dilema na minha cabeça. Comi uma vez enganada e quase vomitei, mais pela culpa, pelo ódio por ter sido enganada e por ter engolido, mesmo enganada, um pedaço dos meus princípios. Hoje já aceito o fato, depois daquilo comi uma vez, mas aí não gostei do gosto. E desde então continuo não comendo E condenando a caça.

Sei lá, me estendi... Perdão!

Um beijo, Lolinha!

lola aronovich disse...

Paloma, pois é, obrigada por ilustrar o que eu quis dizer! Eu já cansei de falar com pessoas que visitaram sítios (porque eu não tenho muito convívio com gente nascida em área rural), e todas dizem a mesma coisa: comer um bichinho que vc viu quando ele estava vivo, nem pensar. E é isso, a gente chama galinha de frango, porco de suíno, boi e vaca de bovino... Tudo pra afastar da nossa cabeça que estamos comendo um ser que já esteve vivo. E claro, tem esse lado do convívio do humano com cães e gatos há centenas de anos... Tudo isso conta. Por isso não dá pra dizer que “dá na mesma”. De novo tem o contexto, pô!


Camila, é, morro de medo de ter comido espetinho de gato sem querer... Mas acho que não! Sabe que o melhor espetinho de carne bovina da região se chama “Espetinhos Mimi”? Pior nome de marca EVER. Pois é, quem cresce num sítio, no meio dos animais, tem que lidar com a matança e certamente não encara os bichos da mesma forma que a gente, que é urbana. Vc come rena?! Tadinhas! Acho que já comi algo estranho nos EUA... E baleia, nem pensar. Um amigo que morou no Japão durante vários anos disse que comeu baleia, e eu fiquei super brava com ele. Além de ser um bicho ameaçado de extinção, é hiper caro, né? Aí se junta a quase extinção de um bicho com o poderio dos ricos. Duas coisas que detesto!

Patrick disse...

Sobre comida e como ela é fabricada, deixo como sugestão o livro País Fast Food, de Eric Schlosser. Mostra como o processo industrial (revolução verde) subverteu o conceito de comida e prejudicou a vida de milhões de agricultores. O filme baseado nesse livro me pareceu um pouco fraco, mas fica também a sugestão.

P.S.: o autor não é vegetariano.

pedro disse...

Lola,
me referi à classe média porque sempre vejo esse tipo de crítica às "elites" extendidas à classe média, como se todos os pecados do mundo fossem causados pela "elite" e os pobres fossem todos puros e santos. A blogosfera está cheia dessa baboseira e a sua menção aos yuppies/sushis me lembrou isto.
É claro que nem a classe média nem os yuppies inventaram o vegetarianismo (como também não inventaram o sushi). O que quis dizer, é que são responsáveis por transformar isso em moda no Brasil, e, também que aqui a classe que consome sushi é a mesma que é vegetariana (ou seja, principalmente a classe média mais informada).

loira disse...

hipócrita

Lord_Anderson disse...

Eu entendo oq vc dise Lola.

Mas ainda acredito que foi exagero do pessoal chamar o jarnalista lá de monstro.

Bárbara Reis disse...

Realmente, sou bem chata pra comer... ahahaha... mas comer cabrito, bode, buchada de bode então? Tenho ânsia de vômito só de pensar.
Não como carneiro, rã, nada disso...

A unica coisa que gosto mesmo é de carne de vaca, mas se não tiver, eu como arroz, feijão e banana, de boa...

Tbm não gosto de nada que venha do mar, além de salmão.

:X

Beijão, Lolinha...

... e chega de falar de comida, que eu já tô vendo Jesus e os Apóstulos passando de tanto enjoo.. hahaha... ainda mais depois de ter lido o texto do André. '¬¬

=draupadi= disse...

sim, socialmente construído, como tantas das coisas que nos oprimem. Como o machismo, por exemplo?
Bom, uma coisa é ser onívoro, e nesse mérito eu não entro. Outra coisa é criticar um argumento dos vegetarianos que eu pelo menos vejo como muito coerente, uma vez que isso da 'construção social' não pode nem deve ser um argumento definitivo, sobretudo quando é utilizado para defender a manutençao de un status quo que banaliza a vida e destrói o planeta.

Deborah disse...

Lola,

Não defendo (obviamente) comer carne de cachorro, mas as pessoas tem que notar porque se escandalizam com uma coisa e não outra...
O governo prende esses que abatem cães e tem orgulho de falar da pecuária....
Acho que o complicado é culpar os chineses e chamar de monstros quando meus familiares que amo tanto adoram churrascos =/

| viviana | disse...

Lola, interessante esta discussao. Eu jamais comeria cachorro ou gato, porem entendo quem nao acha absurdo. Para entender isso, temos que saber separar razao de emocao.

Emocionalmente, apesar de nao ser vegetariana, tem carnes que eu nao como. Nao como carneiro, porco, coelho, pato e vitela. Nao por nao gostar da carne, mas por ter uma relacao emocional a bichos "fofinhos". E outra: se ja matamos vacas, galinhas e peixes para serem comidos, e tais carnes ja nos satisfazem, por que matar outros bichos?

Racionalmente, porem, qual a diferenca entre matar uma vaca e um carneiro? Ou, ainda, um cachorro? Sao todos bichos, mamiferos, bonitinhos, e todos poderiam ser animais de estimacao. Novamente digo que sou contra comer carne de cachorro ou gato, mas isso e' meu coracao falando. Se olharmos bem, no fundo, nao tem muita diferenca. Encontrar diferenca nisso e' achar que um animal tem mais direito de viver do que outro -- e' botar a emocao em jogo.

Eu acho hipocrisia quem come carne de vaca e nao come carne de outros bichos, e sou a primeira a me declarar hipocrita. E' que eu penso com o coracao, sabe...

Giovanni Gouveia disse...

Lembrei de duas histórias do tempo do movimento estudantil:
Depois de beber umas a mais (e algunas cositas más), um amigo foi "convencer" um cachorro de rua (na verdade de praia) que ele era explorado, que ele tinha que tomar "consciência de classe" pra garantir sua "emancipação" da classe explooradora humana... :)))

Outro, um gaúcho meio louco, que criou um coelhinho como se fosse cachorro, que atendia chamado e tudo mais, mas a cultura gaúcha foi mais forte e um dia ele, sem carne na geladeira, chamou o coelhinho e "crau", assou-o na churrasqueira.

E não, Pedro, o vegetarianismo já era discutido em Hermann Hess (Minha fé), na primeira metade do século XX.

Lola, sushi é bolinho de arroz, geralmente tem peixe cru, mas não sempre, pode ser também de kani kama, camarão, polvo, carne de cavalo...


P.S. Lola, já assistiu "Amarelo Manga"?

Bruno Stern disse...

E as plantas tadinhas?

Ninguém se afeiçoa por elas?

Acho que devíamos nos alimentar de luz.

Deborah disse...

Faz salada de vaca Bruno, iguais não?...

Má disse...

Lolaa,,é verdade váarias questões misturadas né..:)
Bom, quanto ao guest post, devo dizer que não sou a pessoa mais recomendada p falar de vegetarianismo não.Apesar de alguns anos nessa, até hoje não tenho idéias definidas p muitas questões,não sou militante, nem tenho muito conhecimento de causa como outros.
É algo bem subjetivo mesmo, pois o lado objetivo e político são ainda indefinidos p mim..
Mas, mesmo assim se quer um post posso escrevr um pouco mais adiante. Apesar de vir no seu bloguinho um monte, vivo no pc por conta de TCC, projeto de mestrado, artigo e na maior parte passeando por blogs e coisas nada a ver com trabalho :)

Um beijão!
(Ahh,como adoro ver fotos e videos de animais na internet!!)

Eduardo Braga disse...

Gosto tanto de carne vermelha que só não como crua porque é perigoso para a saúde. Mas assada e bem temperada não resisto!!! Carne vermelha é o meu chocolate!!! Carne crua só me permito sashimi, que como pelo menos uma vez ao mês! Amo salmão e atum crú. Não teria coragem de comer meus três cachorros e nem minha gata mal-agradecida, mas os gatinhos da lolla são tão gordinhos nas fotos que talvez não hesitariam em levá-los para minha panela! Hehehehe...

aiaiai disse...

Eduardo,

vc tem que experimentar carpaccio, é carne vermelha crua e é uma delícia.
Outra boa é o steak tartar, hummm, esse papo tá me deixando com fome.

kkkkkkkk

Ana Paula disse...

Concordo com vc em tudo Lola. Tb acho que deveríamos todos sermos vegetarianos. Mas todos mesmo, até leões e outros animais carnívoros. Odeio assistir Discovery channel e ver a pobre da gazela passando o dia fugindo de um leão que vai ataca-la, ou foquinhas lindas tentando se salavarem de tubarões que saltam tào alto qto elas pra fora d'água. E o cinegrafista ali, só filmando sem interferir em nada. Se fosse eu ia salva-las com certeza.

Mas tb não consigo me imaginar não comendo carne. Eu tb não penso na vaquinha esquartejada e sim no pedaço vermelho embrulhado em celofane no mercado. Como se fosse algo fabricado. Só assim pra comer carne de qq tipo.

Eu cresci em Ctba mas tenho familia em Criciúma e a maioria mora na área rural. Então eu cresci vendo vaquinhas e galinhas (essas até tínhamos em casa, uma minha e uma do meu irmào). Uma vez fui às bodas de 50 anos dos avós dos meus primos e vi o boi que ia ser servido no churrasco. Claro que não comi um pedacinho sequer. E eu tinha só 10 anos mas me recusei e comer o bicho que eu tinha visto vivo.

O maior problema nesta história dos cachorros nào é só o absurdo de comer um animal doméstico mas tb de comer sem saber. Pq será que os tais coreanos vendiam a carne omo se fosse de cachorro ou nem mencionavam isso, e o povo comia como se fosse de boi?? Quem defende que deve-se comer gatos e cachorros só pq nos países asiáticos se como está com a meste aberta tb pra comer todos os insetos que els comem? Quem quer um espetinho de escorpião aí???

Elaine disse...

Lola,
Eu topo! Vamos fazer campanha pró-vegetarianismo?
Seria muito bom, né?

Anônimo disse...

Tornar vegetarianos os animais carnívoros. ahahahahaha É um dos maiores exemplos de estupidez que eu já vi.

Letícia disse...

"Tenho a impressão que, se nós estivéssemos num sítio, e fossemos apresentados ao leitãozinho que em breve seria sacrificado para satisfazer o nosso paladar, não aceitaríamos comê-lo"


Isso é verdade. Minha vovó cria porcos e eu não consigo comer carne suína. Quer dizer, mais ou menos não consigo. Como Tender! Acho que tem a ver com o fato de só se vender no natal e ser uma coisa mais ou menos industrializado (não faço a mínima idéia do processo para se fazer um tender Oo). Em compensação, as vaquinhas que ficam no pasto, bem longe da sede (onde fica a casa, a pocilga e o galinheiro)... Enfim, me amarro numa picanha.

Luciana disse...

Ana Paula, vamos pensar de outra forma: imagine que todos os animais devessem ser obrigados a comer carne. Quanto tempo vc acha que um coelho sobreviveria? Impor um valor humano a um animal é tão cruel quanto privá-lo de sua liberdade. É matá-lo aos poucos.
Comparar as escolhas que temos com as escolhas que os outros animais têm (ou não) não têm cabimento. Leões não escolhem se vão comer um coelho porque a carne é mais macia ou um boi porque é suculento. Tá lá, se ele não caçar pra comer e comer, morre. Quando estão satisfeitos, não matam. Podemos dizer isso de nós?

Cresci comendo carne e era muito fresca para comer verduras/legumes. Cebola? Pimentão? Nunca!
Eu deixei de comer carne há dois anos e meio (algum tempo depois de assistir aos vídeos que eu mencionei no outro comentário - Eathlings e A Carne é Fraca). Para minha surpresa meu paladar mudou muito. Hoje eu como várias coisas que antes eram impensáveis. E adoro.

O que me lembra: tem um projeto chamado “Segunda-feira sem carne” que é muito interessante. http://www.supportmfm.org/

Nefelibata disse...

Hahaha, hey, fui eu quem falou do peixe cru, mas acho que sua reação foi meio exagerada, Lola. No meu caso, contato com culinária japonesa nada teve a ver com hippies ou status (aliás, eu nasci no meio da tal década de 80, numa condição financeira que só podia comer carne moída e olhe lá). Acontece que comecei a namorar uma nikkei e passei a comer sashimi em festas da família dela. E não entendi direito porque o exemplo foi péssimo já que ele fala de uma construção cultural da mesma forma que os outros exemplos.

Mas enfim, o que eu entendo disso tudo é que você, Lola, fica muito horrorizada com a ideia de se comer gato ou cachorro - por questões culturais que pelo menos para mim não são tão fortes quanto em você (aliás, esse seu segundo post só veio porque para a maioria dos comentadores a questão era mais ou menos superada). Você mesma confessa que a desprogramação é difícil para você. Mas a partir daí acho que você usa esse seu horror para forçar um pouco a barra e sugerir que comer cãezinhos e gatinhos seja antiético. Nisso eu não posso concordar; justamente porque por mais que eu ame minha gatinha de estimação, sei que a vida dela não vale mais que a do frango do qual me serviu no almoço (aliás, eu considero que nem a minha vida como ser humano vale mais que a da gata ou a do frango). Não posso pegar e dizer “beleza, comer frango dá porque a minha comunidade faz isso”. Sem querer ofender nem nada, mas acho isso até meio hipócrita, é meio que jogar pra baixo do tapete. Para mim, uma posição íntegra que diga “é eticamente errado comer carne de cachorro” não poderá comer carne alguma.

(Quanto ao argumento dos riquinhos, desculpe, mas isso sim eu achei péssimo. Se você me dissesse que é eticamente errado que riquinhos comam o que bem querem enquanto pobres não têm nada para comer, eu estaria de pleno acordo, 100% mesmo. Agora, dizer que isso é errado só porque o costume do Brasil é diferente do da Coreia...)

Eu acho que muita gente, e talvez a Lola também (já que fala dos gatinhos dela), acaba vez ou outra imaginando seu próprio bichinho de estimação na panela quando pensa em um negócio desses. De forma que proteger os animais em geral fosse um ato de amor para o próprio bichinho de estimação. Se essa minha suposição não estiver errada, é no mínimo curioso como algumas dessas pessoas são capazes ser tão empáticas com cães e gatos e completamente indiferentes com os próprios seres humanos. Mas isso é já outro assunto, anyways. Mas o que importa aqui é que o animalzinho de estimação é um e o bicho que vai pro fogão é outro.

A Luciana contestou o que eu disse dizendo que era mito que o ser humano precisasse de carne para sobreviver. Realmente, é verdade, ele sobrevive. Mas eu, por exemplo, que pratico esportes, sempre sou desaconselhado a não comer carne. Mito também? Eu não sei, é sério. Também já vi várias vezes que crianças em fase de crescimento não devem ser privadas de carne. O que é verdade? Não sei também. Eu acho que tem muito mito nas duas defesas; a toda hora sai um estudo, uma pesquisa diferente que é utilizada de acordo com tal ou qual interesse – a convicção aqui parece contar mais que a verdade científica que a toda hora muda.

Só queria fazer um adendo também, de como essa discussão mostra como somos alienados em relação ao que comemos. Até preferimos desconhecer a origem do alimento para poder ter nossas refeições na bênção da ignorância. Mas isso é de uma ingenuidade triste. Nesse sentido, acho muito melhor o roceiro que torce o pescoço da galinha após criá-la com liberdade do que o urbanóide que come frango criado em condições cruéis. No primeiro caso não só o animal sofre menos como quem come tem consciência do que está fazendo, sabe que se alimentar não é meramente uma relação de consumo... putz, devaneei de novo, desculpe, Lola XD. E um abração.

Nefelibata disse...

Ah, e só pra constar: em nenhum momento fiz bravata de "vamos comer cães e gatos, uêba" e acho que também não vi isso por aqui...

Eduardo Braga disse...

Puxando um outro assunto paralelo! Se eu fosse convidado para um jantar na casa de vegetarianos não me incomodaria em comer só as saladas, legumes e grãos oferecidos. Caso contrario, na minha casa, teria a sensibilidade de tentar oferecer pratos alternativos a base de vegetais aos meus convidados vegetarianos. Mas pergunto: Seria anti ético e grosseiro colocar a mesa algum prato de carne que eu gostaria de consumir?

Eduardo Braga disse...

Aiaiai

Eu já experimentei carpaccio, mas no restaurante da minha cidade onde comi foi tão caro e a quantidade foi tão pouca pelo preço que eu não gostei! Hehehehe...

Masegui disse...

Eu acho esta discussão toda uma grande besteira. Tá na cara que é uma questão cultural... e "necessital" - ninguém sabe o que é capaz de comer numa situação extrema!

Mas já que todo mundo tá dando pitaco, eu vou no embalo: comer carne de gato e cachorro (e outros bichos fofinhos), em sã consciência? nem pensar!

Agora, vejam só o que como normalmente: Vaca, porco e galinha.

E o que já comi: cabrito, bode, tatu, gambá, capivara, rã, coelho (tadinho!), peru, pato, ganso, pomba... e devo ter esquecido de alguma coisa...

Peixe eu belisco, eventualmente, mas não gosto muito. Também não gosto de salmão, lagosta, camarão...

Bem, mas não posso ser tão radical e dizer "não como nada que venha do mar" porque às vezes eu vou à praia com a patroa, sacumé?...

Marcela disse...

Oi Lola,

Concordo plenamente que o que comemos e construido culturalmente, e assim acho dificil julgar quem come carnes (ou comida de uma maneira geral) que eu nao comeria.

O que eu nao tolero e qualquer animal que servira de alimento ser criado ou morto com crueldade. Pode ser gato, cachorro, vaca, e ate inseto. Eu tento me informar sobre as carnes que como e pago mais caro por marcas que criam animais soltos no campo e nao em "producao em massa".

Pessoalmente (e culturalmente ;) nao como animais que acho fofos ou que tive o prazer de conhecer.

Mas tenho que confessar: comi carne de veado/rena. Foi puro acidente. Me ofereceram uma carne defumada, provei, achei uma delicia, perguntei o que era, e descobri que tinha comido o Bambi. Me senti super culpada ate porque o Bambi estava muuuito gostoso, ai, ai, ai...

Mas quase perdi o meu sentimento de culpa depois que me mudei para os EUA e tive meu carro atacado por veados/renas algumas vezes...

E tenho que confessar tambem que adoro carpaccio e... carne de ra... (ta, ja sei, perdi varios pontos agora ;).

Beijos!

Rita disse...

Ai, Lola, desculpa, mas estou aqui me acabando de rir. Eu já estava achando o papo todo muito engraçado, mas quando cheguei ao comentário do Masegui tive de segurar o riso para não acordar as crianças... ai, ai. Bom, vamos lá pitacar que é pra isso que a gente vem aqui, right? Eu sou louca por comida japonesa, viciada mesmo. Então a sua afirmação de que as pessoas "aprendem" a comer para "pertencer" me soa engraçada porque comigo foi amor à primeira mordida. Meu, o troço é muito gostoso. Sabe como para você deve ser engraçado alguém não gostar de chocolate? Pois é, comigo é sushi. Tem certeza que você não gosta? Nem do de frutas? Com manga? Tudo bem, tudo bem, tem gente pra tudo nesse mundo. ;-) E pensando em como a coisa se integrou à nossa culinária.. não foi um fenômeno inevitável com a imigração japonesa, não? Nossa, nunca pensei que yuppies tivessem qualquer relação com o fato de que comida japonesa virou "moda". Acredito que faz mais sucesso entre aqueles que gostam de peixe assim como a comida árabe faz mais sucesso entre os que gostam de... o quê, mesmo? Bem, caro por caro, sashimi é caro, mas côngrio também é, picanha mais ainda e filé mignon também. Ai, fui longe. Voltando: acho que é tudo cultural (óóóó!) e o grande ponto, para mim, é combater a crueldade na criação dos animais. E não posso pensar muito nisso porque a morte de um peixe é algo terrível. Aceito que somos também carnívoros e não acho que aqueles que criam suas galinhas para consumo (dando nome a elas, inclusive) sejam monstros desalmados. Cultura, cultura. Alguém citou aqui o exemplo da vaca para os indianos. Pronto. É isso aí. Se eu comeria o Roque? O contrário seria mais provável.. Bjs!!

lola aronovich disse...

Putz, Patrick, esses livros sobre comida eu morro de medo de ler. Sou muito vulnerável, influenciável. Documentários, então, nem pensar... Eu já sou fresca pra comer. Se eu ler certas coisas eu paro de comer de vez. Tem a vantagem que assim eu emagreceria. Mas seria uma vantagem de curto prazo, digamos.


Pedro, ninguém está dizendo que pobre é santo ou que classe média é demoníaca. A conversa nem tem a ver com isso. Mas yuppies nunca foram considerados classe média. Se puder, assista Psicopata Americano. É um excelente filme. Mostra bem os yuppies e os anos 80.

lola aronovich disse...

Anderson, ah, isso vc tem razão. É exagero chamar o cara de monstro. Até porque é uma palavra vazia, né? Significa o que exatamente? Nada.


Barbs, argh, não como nada disso que vc citou. E bônus: nem banana! Acho horrível o cheiro de banana. E nem salmão nem nada do mar. Fique melhor, Barb. Não quero perder uma das minhas comentaristas mais frequentes e simpáticas!

lola aronovich disse...

Draupadi (agora sei que seu nome é Débora! Mas o que é isso de vc morar no Chile? É verdade?), sim, claro, machismo também é socialmente construído. Não estou criticando um argumento dos vegetarianos. Acho que dá pra “deconstruir”, “desprogramar”. Só não é fácil. O problema é que estão querendo desprogramar o tratamento diferenciado que damos aos cães e gatos. Quer dizer, ninguém tá querendo isso de fato, imagino. Acho que só estão querendo me deixar zangada mesmo.


Deborah, mas ninguém tá culpando chineses ou coreanos! Eu não me meto na cultura deles. Mas eu não aprovaria jamais que houvesse um abatedouro de cães e gatos no Brasil.

Leo. disse...

Oi Lola. Tenho visitado pouco o teu blog, mas sempre dou uma olhada pra ver o que tem de novo e sempre recomendo.
Muito interessante tua postura perante esse assunto. Sou vegetariano, mas fiz um caminho inverso. Me preocupei primeiro com a qualidade de vida, tem até um video no youtube sobre isso (http://www.youtube.com/watch?v=rNrZKDpE3LE&feature=player_embedded), e só depois me dei conta do que acontece com os animais. Na verdade eu sabia, mas ignorava.
Se quiser saber um pouquinho mais sobre a vida de quem não come carnes visite o meu blog, hehe. http://www.leonelonline.blogspot.com
Beijos.

lola aronovich disse...

Viviana, pra vc tentar argumentar racionalmente, vc está jogando fora todo o contexto. Não é que a gente acordou uma manhã e decidiu que não comemos cães e gatos. São séculos disso! Por isso que não dá pra dizer que é a mesma coisa que comer uma vaca. Mas concordo que tem um lado hipócrita muito forte nessa decisão.


Gio, o seu amigo tentou convencer um cachorro que era explorado? Não deve ter tido muito sucesso! Agora, o seu outro amigo, comendo seu coelhinho... Triste. Isso me lembra um conto do Rubem Fonseca. Vou tentar encontrá-lo depois. Amarelo Manga? Já sim. Minha crítica deve estar aí em algum lugar. Tipo, na letra A.

lola aronovich disse...

Bruno, esse argumento é sempre levantado pra atacar o vegetarianismo. Mas plantas não tem sentimentos, não sentem dor...


Má, zuzo bem, eu entendo. Se algum dia vc se sentir mais segura pra escrever um guest post sobre vegetarianismo, avisa, tá? E boa sorte com o TCC, projeto de mestrado, artigo etc etc. Daqui a pouco eu vou estar assim tb...

lola aronovich disse...

Eduardo, eu tb adoro carne vermelha. E mal passada. E pode ir tirando esse olho gordo dos meus gatinhos! A Blanche é gordinha, mas o Calvin é todo ossudo. Não daria um bom churrasco.


Aiaiai, carpaccio eu provei uma vez, e não gostei muito não. Mas nem lembro. O seu outro comentário no outro post me deixou speechless. Acho que eu teria que escrever um post pra responder. Eu adoro vc, querida, mas ô muié radical!

lola aronovich disse...

Ana, eu nem assisto mais Discovery Channel (bom, nem tenho TV a cabo), porque eu sempre choro nesses programas. Mas não sei se dá pra convencer um leão a comer cenoura. Ou talvez dê. Meu gatinho come cenoura! E acho que ele é um tigre em miniatura. Sobre essa história toda, os coreanos, que eu saiba, compravam a carne. E sabiam que era de cachorro. Não sabiam que era de cachorro de rua, imagino. Custava caríssimo, era coisa de rico mesmo.


Elaine, eu apoio todas as campanhas pró-vegetarianismo, mas não sou a pessoa indicada pra promover uma campanha dessas. Eu gosto muito de carne, e não muito de vegetais.

lola aronovich disse...

Letícia, pois é, isso que vc conta é o que eu sempre ouço: se a pessoa vê o bicho antes d'ele ser abatido, ela não vai comê-lo. Pra mim faz todo o sentido.
Ah, eu tb adoro tender. E me sinto muito mal por comer carne suína.


Luciana, então, eu tava falando pro Patrick que esses documentários seriam terríveis pra mim. E concordo muito com essas campanhas que, se não dá pra gente parar de comer carne, dá pra pelo menos diminuir muito o consumo. Obrigada por lembrar disso.

lola aronovich disse...

Nefelibata, hippies?! Hippies, Thiago querido?! YUPPIES! É basicamente o contrário de hippies (pus um link lá no post na palavra yuppies, porque pelo jeito ela traz muita confusão, e morreu nos anos 80. Vcs que são novinhos não têm como saber). Não sei como foi a influência da imigração japonesa no Brasil na culinária. Mas sushi as we know it foi incorporado nos EUA pelos yuppies nos anos 80. Sério, antes disso era raríssimo o pessoal comer peixe cru. E só depois de virar moda nos States é que foi copiado aqui.
E claro que eu fico chocada com essa sugestão de comer cães e gatos. Eu e um monte de gente que ama cães e gatos. Aliás, fico pensando nessas pessoas que trabalham recolhendo animais nas ruas e cuidando deles (pra mim, todas umas heroínas) e em como elas se sentiram ao ver que tinha um casal pegando cães nas ruas pra engordá-los e depois vender a carne por 200 reais o quilo ou algo assim. Se já dá uma dó muito grande em mim, imagine nessas pessoas que salvam bichos.
Não dá pra comparar matar uma coisa sem nome, que a gente nem chama pelo nome (chama galinha de frango, por exemplo), com um animal que vive com a gente, que tem nome, que é um membro da família. Se a galinha vivesse com a gente, eu também não a mataria jamais.
Mas quando vc diz que que a vida de um frango vale tanto quanto a nossa, vc perde a parada. Poucos vão concordar com isso.
E sim, Thiago, essa conversa de que tem gente que gosta mais dos bichos de estimação que de pessoas não tem nada a ver com a história. É aquele velho argumento de quem ouve que a pessoa tem um abrigo animal, e não uma creche pra bebês, e fica indignado. Mas quem fica indignado não tem nem abrigo animal nem creche pra bebês, entende? Só quer criticar. Geralmente por não gostar de animais. É um argumento ridículo.
Isso da gente não querer (poder!) saber o que estamos comendo, principalmente no que se refere aos animais, é pura verdade. Mas também aos agrotóxicos etc. Abração, Thiago!

lola aronovich disse...

Eduardo, eu sou a última pessoa pra falar de etiqueta, mas, como sou fresca pra comer, toda vez que sou convidada pra um jantar na casa de amigos eu aviso que não como nada que venha do mar. E dou outras dicas tb. Não é muito delicado (afinal, é um convite), mas é melhor do que eu eu chegar na casa dos amigos e não comer o que eles preparam. Porque eu não como mesmo. Pra mim não tem isso de diplomacia não. Eu agradeço, até tento inventar uma desculpa, mas não como. Bom, mas como sempre aviso antes, me livro dessa saia justa. Obviamente, se vegetarianos vierem comer em casa, eu prepararei alguma coisa sem carne. E se eu for comer na casa deles vou comer um prato vegetariano, numa boa. Não acho grosseiro vc colocar carne pra consumir na sua casa, desde que seja num prato separado. Os vegetarianos que eu conheço são super tolerantes, sabem que são minoria e não tentam impor suas ideias pra ninguém. Eu ouço muito mais agressividade dos carnívoros para manter o status quo (como se ele estivesse sendo ameaçado...) do que dos vegetarianos.


Mario, ha ha, vc é um palhaço, como sempre! Mas tá se entregando: às vezes vc vai à praia com a patroa? EM MINAS?! Ponha um pouco de vergonha nessa cara, homem de deus!

lola aronovich disse...

Marcela, bem lembrado. Realmente precisamos de uma fiscalização maior no Brasil pra garantir que os animais que comemos no mínimo tenham uma morte indolor (se isso existe). Quanto a ser criado de forma menos industrial, acho que por aqui as vacas ainda pastam livremente, o que duvido que exista nos EUA. E comer o Bambi, tadinho! Sei que é comum renas atropelarem os carros. Eu vi um veado andando livremente num parque e num zoológico nos EUA. Como eles são lindos!
Perdeu MUITOS pontos por ter declarado que comeu carne de rã! Nem os meus gatos gostam de carne de rã!


Rita, é que o Mario é muito engraçado. Não dá pra evitar rir com ele. É ótimo isso, né? A gente tá aqui, numa conversa tensa, e o cara vem falar da mulher como frutos do mar (mas não vai na dele não, Rita, que ele mora em Minas, onde não tem mar). Ah, não estou dizendo que todo mundo que gosta de sushi aprendeu a gostar pra entrar num clubinho. Mas o próprio fato do sushi ser incorporado em restaurantes já indica que houve uma construção social. E eu acho curioso esse dado de que isso foi obra dos yuppies, porque, de fato, sushi e sashimi não existiam no ocidente antes dos anos 80. E ha ha, não deixe o Roque ler esses posts que ele pode ter ideias! A gente sabe quem é mais forte na cadeia alimentar: a gente que morre de medo dos insetos inomináveis ou um pitbull? Fique longe do Roque por uns dias, é o meu conselho. Abração!

Cereja disse...

Nao acho que da' pra se afirmar que as pessoas comem carne por ela vir embalada, cortada, longe da imagem do bichinho fofinho de onde ela veio. Ajuda, sim, mas a gente sempre consumiu carne antes disso de qualquer forma, essa distancia das fazendas pras nossas casas cresceu foi nos ultimos 2 seculos...

Cresci em uma casa onde nos tinhamos patos e galinhas. Comecamos a criar animais justamente porque o meu pai os ganhava de presente e a gente nao tinha coragem de matar... Mas quando a reproducao entrou em cena e a superpopulacao bateu na porte, comecamos a comer os patos a mais, demos alguns. Foi uma coisa meio que natural. Nunca comemos o casal de patos inicial, todo mundo se apegou e eles viveram bons 15 anos.

Particularmente acredito que a gente tem acesso "demais" `a carne hoje em dia; ninguem precisa comer bife todo almoco pra viver bem. Nao acho que e' preciso virar vegetariano, mas talvez seja sim mais saudavel e muito mais viavel usar a carne com mais parcimonia... Voltando `a nossa evolucao, a humanidade meio que sempre incorporou a carne `a sua dieta, mas nunca teve `a sua disposicao essa abundancia toda que a gente encontra no supermercado, nem a esse baixo custo (por assim dizer, comparando com decadas atras).

Lembro ate' de conversar sobre isso com amigos vegetarianos, nao acho errado matar outro ser pra comer, mas acho que o nosso sistema de criacao de gado, criacao aviaria etc e' cruel de forma desnecessaria. E a nossa cultura de comer carne em quase todas as refeicoes tambem nao se justifica, existem outras formas de se conseguir proteinas... Eu nao como carne todo santo dia, e acho que poderia comer menos ainda. Mas nao abro a mao de comer de vez em quando, acho que e' ate' beneficial `a nossa saude. Nem um extremo, nem o outro.

Mas isso e' uma visao puramente pessoal, nao acho ninguem tem que concordar comigo.

olhodopombo disse...

que tipo de carne se comeria num gato?
nem imagino comendo um cachorro.. eca...

Mariana. disse...

Se eu comeria carne de cachorro?
Não, não comeria.

Por que eu não comeria?
Porque não fui habituada a isso. O normal é comer carne de vaca. Cachorro é bicho de estimação. Envolve sentimento.

Acho inaceitável alguém comer carne de cachorro?
Não. Entendo totalmente que é algo cultural e nada universal. Indianos nos acham horríveis por consumir carne de vaca. E nós achamos o hábito coerano de comer carne canina, no mínimo, bizarro.

Como eu disse no post anterior mas acho que você não viu, comer carne de cachorro, mesmo no brasil, não é crime. Os coreanos foram presos por violar normas sanitárias, por desrespeitar a dignidade do animal e também por desrespeitar os direitos do consumidor.

Agora se alguém quiser fazer um churrasquinho de cachorro, tá liberado, mas eu não vou.

Acho que nós precisamos respeitar SINCERAMENTE os hábitos alimentares de outros povos e não taxá-los como cruéis, até porque não agimos diferente com os bichos que aceitamos comer, só não nos afeiçoamos a eles.

E não, eu nem cogito a hipótese de virar vegetariana. Admito que, apesar de vacas e cães serem animais, eu os trato diferente no meu coração e no meu estômago. E não vejo problema nenhum nisso.

Patrick disse...

Lola e demais comentaristas, um dos anônimos comentou que tornar vegetarianos os animais carnívoros é a maior estupidez que ele já viu. E o contrário, será que também não é uma tolice? Porque é exatamente isso que a produção agro-industrial fez. A doença da vaca louca teve origem, justamente, no hábito de adicionar à ração do gado bovino, restos não aproveitados do abate de ovelhas. Para mais informações, como eu sugeri, vide o livro País Fast-food.

O Sakamoto, que tem um dos melhores blogues que eu acompanho (trata de meio ambiente, questões agrárias e direitos humanos), fez uma entrada sobre o assunto: o que acontece com os pintos machos nas fazendas de galinhas poedeiras? A resposta: são triturados e os restos viram ração paras as próprias galinhas. Será que propiciar o canibalismo em animais que estarão na nossa cadeia alimentar também não é uma estupidez?

L. M. de Souza disse...

eu tenho reduzido significativamente a quantidade de carne que como, mas tenho percebido que em todo lugar o prato principal é sempre carne. reuniões familiares é sempre alguma carne mais alguma salada e arroz. um seriado q eu gosto muito, mad men, o cenario principal é uma agencia de publicidade dos anos 60, uma cliente aparece para pedir que a agencia crie uma propaganda para fazer os consumidores voltarem a comprar a ração pra cachorros feita com carne de cavalo. a ração era famosa e vendia bastante até os consumidores descobrirem que seus cachorros estavam comendo carne de cavalo. filme fofo: "a menina e o porquinho" ou "charlote's webb" que é a historia de uma aranha que salva a vida de um porquinho. até aranhas podem ser criaturinhas adoráveis.

lola aronovich disse...

Cereja, eu já comi pato, e confesso que é muito bom. Mas fico com pena e evito. Que bom saber que eles viveriam 15 anos se não fosse a gente... E concordo, não é necessário comer carne todo dia, nem em toda refeição.


Mariana, li seu outro comentário (leio todos), só não tive tempo de responder. Como eu já respondi em algum outro coment., “cultural” e “universal” são praticamente opostos. Eu estou falando de comer cachorro culturalmente, ou seja, aqui no Brasil (ou no mundo ocidental, que seja), nesta época. Nem toquei no assunto de se comer cachorro na Coreia (ou o que faríamos em casos extremos, apocalípticos). Estou falando de aqui e agora. Acho que os coreanos devem ter direito de comerem o que querem na Coreia (se bem que as novas gerações não comem cachorro, e nem querem ter essa imagem), mas aqui no Brasil, não. Eu acharia horrível sim que houvesse um abatedouro de cães no Brasil. E acho lindo todo mundo ficar defendendo o direito do pessoal comer coisas culturalmente não aceitas aqui no Brasil. Defendendo o direito de gente rica (ou vcs teriam 200 reais pra pagar por um quilo de carne?) poder mais que os outros...

lola aronovich disse...

Patrick, que horror, já li bastante sobre canibalismo em granjas de galinha. Tanto que cortam os bicos delas, para impedir que isso aconteça... O nosso sistema industrial de produção de alimentos é totalmente desumano, e, como eu disse, o único meio da gente comer carne (qualquer carne) é não pensar de onde ela veio nem como veio. Muito triste.


LM, faz tempo que não vejo Mad Men, não tenho TV a cabo. É uma excelente série, sim. Mas me diga: como eles resolvem esse “problema” dos consumidores não comprarem mais ração pra cachorro feita de cavalo? Certamente eles não parar de usar cavalos, que devem ser mais baratos que vacas... Ah, eu lembro de Charlotte's Web. Acho que foi meu recordista em alagamento de cinema quando eu era criança.

Anônimo disse...

Ué, Patrick, fazer animais herbívoros comerem carne é tão estupido quanto. E cruel também, nos dois casos.
Eu gosto de carne, mas não como, por isso aí também. Não a morte do animal, mas a tortura que ele sofre.
Só abro exceção a esse "pseudo-vegetarianismo" quando vou para roça em minas. Como galinha, que meus avós criam. Elas vivem soltas e ciscam e eu consigo comer sem sentir vergonha. Disso aí. Da crueldade.

léia freitas disse...

eu fui criada na roça, no interior do RS e sempre vi animais serem abatidos e até ajudava no trabalho, depenando, limpando e quando fiquei mocinha era capaz de matar preparar, sozinha, uma galinha, mas hoje, que sou adulta e moro na cidade não tenho coragem de comer um frango que vi nascer e crescer no quintal da minha mãe, mas, em compensação, como todo tipo de carne que é vendida no mercado.
eu não tenho pena "dos animaizinhos", eu tenho pena dos animaizinhos que conheço desde pequenos e se tornaram de estimação.
eu sei, eu sou estranha.

Mariana. disse...

Lola,

não é porque eu eventualmente não teria grana pra consumir carne de cachorro (caso eu quissesse fazer isso), que eu não vou defender o direito de outras pessoas consumirem essa iguaria dignamente, oras. Com direito a abatedouro que respeite as normas santiárias, por exemplo. Sabe, não tenho nada contra gente rica.

Não é também porque a GRANDE MAIORIA não consome carne canina, que esse produto deve ser proibido. Se um quiser comer, ele deve ter esse direito resguardado.
Assim como não obrigamos vegetarianos a consumir carne e nem proibimos a manifestação religosa de algumas minorias.

Se tiver mercado, por maior que seja meu pesar, eu acho válido sim ter um abatedouro de cachorros. Mesmo que eu nunca vá me utilizar disso, nem quando eu tiver grana.

PS: Não precisa ficar imaginando que, sei lá, pessoas más vão invadir nossas casas durante a madrugada, oferecer ossos envenenados para nossos cães e sequestrá-los.

Lola Churros disse...

A primeira grande decepcao da minha vida foi qd tinha 4 anos e uma galera do mal roubou o gato da minha avó (o Xaninho 1ª, teve outros xaninhos dps)para fazer um churrasco. E pior, como meu avô a vida inteira teve bar, e nos findes rolava pagode organizado pelos "crientes", o Xaninho foi assado debaixo das nossas barbas. Lembro q fiquei chocada como alguém teria coragem de comer meu pobre Xaninho. A galera do mal ainda tirou onda espalhando pela vizinhança q o churras do gato gordo tava uma delícia. Só nos anos 80 mesmo!
No primeiro natal q passei aqui na espanha vi na estrada um caminhao lotado de cordeirinhos, fofinhos, branquinhos, fiquei em choque qd me disseram q deviam estar a caminho do abate para a ceia natalina dos espanhóis. Nunca fui capaz de comer cordeiro aqui, e nem coelho, uma ex companheira de ape tinha um de estimacao q se chamava Andy. Sério, nao tenho essa capacidade de abstracao.

aiaiai disse...

Lola,

eu te adoro também e não tenho nada contra quem quer ter animal de estimação, nem quero ofender. É o meu ponto de vista.
Eu adoro frutos do mar, vc não come de jeito nenhum...normal, cada um vê de um jeito.
Mas, pensa só: vc cogitaria colocar uma vaca dentro da sua casa? Ou um elefante no seu quintal?

Acho que não né? Não ia ser legal nem para vc nem para o animal.

Agora, pq as pessoas acham que é normal trancar cachorros e gatos dentro de apartamentos? Eu, se fosse um cachorro, ia preferir morar no interior, perambular livre pelas ruas, do que ficar dentro de um cubiculo, esperando o meu dono:
me levar para fazer minhas necessidades fisiologicas na rua, ~porque se eu fizer em casa ele me bate;
me dar comida, a mesma todo dia;
fazer carinho em mim...(aiaiai, santa carência canina)
me levar para transar (com um cachorro que ele escolheu)
me levar para tomar banho uma vez por semana (cruzes)...
e por ai vai.
Fico pensando na vida boa que o meu cachorro de infância tinha e morro de pena desses que vejo aqui no meu bairro.
Mas, faça o post. Acho que vale o debate. Eu espero ter contribuido, não radicalizado.

Mirella Nogueira disse...

Mariana, vc aceitaria comer carne de gente também? Pela simples justificativa de ser uma iguaria?

lola aronovich disse...

Léia, vc não é estranha! Tá simplesmente confirmando o que eu disse no post. A gente não come bichinhos com quem temos laços sentimentais, ué.


Mariana, vc não acha que está gastando sua energia numa causa pouco nobre? Vc faria, sei lá, uma manifestação, uma passeata, para defender o direito de ricos comerem cachorros? Sério mesmo? Faça passeata pra defender que cães e gatos não sejam abandonados pelos donos, ou que não haja crueldade no abate dos animais que já comemos. Eu tenho bastante coisa contra gente rica, sim. Não ter nada contra gente rica, como vc se define, é ser a favor da concentração de renda. É ser a favor de campos de golfe, uma das piores coisas pro meio ambiente. É, até certo ponto, ser a favor de snuff films. É ser a favor de gente que come lagosta viva, sofrendo, só pra se certificar que o animal é fresco. Tem gente rica que não sabe como gastar o dinheiro, porque é tanto dinheiro que a pessoa até fica entediada. E, por isso, testam limites. Veem o que mais o dinheiro pode comprar, sem se importar se isso é cruel ou nocivo pro mundo.
Nem sei por que estamos tendo essa discussão. Suponho que não haja gente louca querendo implantar alguns abatedouros de cães no Brasil pra satisfazer meia dúzia de coreanos ricos.
E não estou nem pensando nos meus bichinhos, se bem que, se vc não sabe, pessoas JÁ invadem casas e dão veneno pros bichos. Essa é uma das causas mais comuns de morte de animais de estimação. Não matam pra comer, só por maldade, mesmo. Só porque o bicho miou/latiu e o vizinho não gostou. Estou pensando nos cães de rua que foram recolhidos, engordados, mortos e esquartejados. Enquanto tá cheio de gente que vive fazendo milagre pra oferecer uma vida digna a esses cães abandonados...

lola aronovich disse...

Lola, que história horrível! Nem posso ler essas coisas.
E essa dos cordeirnhos... Eu penso em Silêncio dos Inocentes, sabe? Não posso comer esses bichos.


Aiaiai, desisti de fazer post sobre isso. Pra gente que tem paixão por bichos é muito difícil discutir com quem não tem. Mas sua comparação com vaca ou elefante não é muito feliz. Um dos motivos que temos cães e gatos é justamente pelo tamanho. Uma vaca ou um elefante não caberia no meu quintal. Sem falar que cães e gatos foram domesticados para fazer companhia aos humanos há centenas de anos. Elefante é um animal silvestre, e posse e contrabando de animais silvestres é proibida por lei. E essa vida dura de cachorro que vc descreve é uma que os cães de rua adorariam ter (aliás, não só os cães... Crianças de rua também, imagino). Acho que vc não tem muita noção da vida de um cão de rua, Aiaiai. Se fosse tão idílica, não haveria tanta gente vivendo pra basicamente tirá-los das ruas.


Pois é, Mirella, se a pessoa pode pagar, parece que ela tem direito a tudo.

aiaiai disse...

Nossa,

kkkkkkk
Acho que vc gosta tanto dos seus bichos que nem consegue ver os meus argumentos ou eu não fui nada clara.

O que quis dizer foi:
Elefante não cabe no quintal, assim como um cachorro não cabe em um apartamento. idem para a vaca dentro da casa...

vc mora em uma casa, é muito diferente de morar em um apartamento. No apartamento o animal não tem nenhuma opção, tem que ficar lá dentro.

Mas como vc disse, é uma visão completamente diferente.
Eu só terei cão ou gato novamente se um dia for morar em um sítio, fazenda ou coisa assim. Um lugar que permita ao meu bichinho de estimação ter alguma liberdade.

Eduardo Braga disse...

Se comer nossos bichinhos de estimação pode parecer horrível, imagine o canibalismo humano! Que decisão terrível deve ter sido para os sobreviventes do acidente aéreo nos Andes tempos atrás! Mas creio que, para minha sobrevivencia, também saborearia as tripas do meu companheiro morto do lado da poltrona do avião se fosse necessário! Perdoaria no além se morresse primeiro e minha carne fosse a única forma de garantir a salvação dos que ainda estariam vivos! Mas acho que minha carne seria indigesta e todo mundo morreria de dor de barriga...

Ana Paula disse...

Eita povo, acho que me expressei mal. Nào quis dizer transformar animais carnívoros em herbívorors. Se nem eu mesma conseguiria virar vegetariana, imagina animais selvagens. O que eu quis dizer foi que seria bom se todos nascessemos vegetarianos. Todos os animais. Que todo mundo só comesse vegetais, desde os primórdios! Só utopia galera.

Mariana. disse...

"Mariana, vc não acha que está gastando sua energia numa causa pouco nobre? Vc faria, sei lá, uma manifestação, uma passeata, para defender o direito de ricos comerem cachorros? Sério mesmo? Faça passeata pra defender que cães e gatos não sejam abandonados pelos donos, ou que não haja crueldade no abate dos animais que já comemos".

Lola,

Não preciso gastar minhas energias defendendo o direito dos ricos comerem cachorro. Nesse momento, eles estão legalmente autorizados a fazerem isso, não há nada de proibido nessa conduta, embora muitos discordem ou achem estranho (eu acho esquisito). Mas suponhamos que isso fosse legalmente vedado: eu não vou apelar para aquela frase bonita que comumente atribuímos a Voltaire (Não concordo com o que dizes, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-lo), mas ela poderia ser aplicada a essa situação perfeitamente. Eu não disse em momento algum que participaria de uma passeata em favor dos endinheirados comerem carne canina, mas não vejo problema algum em fazê-lo. E também só porque não vou num passeata protestar contra os maltratos contra animais ou contra gente que os abandona na rua, não significa que eu concorde com essas condutas.

"Eu tenho bastante coisa contra gente rica, sim. Não ter nada contra gente rica, como vc se define, é ser a favor da concentração de renda. É ser a favor de campos de golfe, uma das piores coisas pro meio ambiente. É, até certo ponto, ser a favor de snuff films. É ser a favor de gente que come lagosta viva, sofrendo, só pra se certificar que o animal é fresco. Tem gente rica que não sabe como gastar o dinheiro, porque é tanto dinheiro que a pessoa até fica entediada. E, por isso, testam limites. Veem o que mais o dinheiro pode comprar, sem se importar se isso é cruel ou nocivo pro mundo".

Em primeiro lugar: não é preciso ser rico pra comer carne de cachorro. Basta ter uma vida melhor que a média nacional e até conheço algumas pessoas que poderia fazer isso (com um sacrefício, até eu. mas eu definitivamente não estou disposta a fazer).
As pessoas que conheço não comem lagosta viva e nem jogam golfe. Todos precisam trabalhar pra se manter e sim, (por que não?) viajar final do ano, conhecer um lugar legal, pagar uma boa escola para os filhos e (de novo, por que não?) comprar uma calça jeans de marca. Era sobre elas que estavam falando. Não são ricos e quando eram crianças eram até bem pobres. O brasil, afinal, não está dividido entre pessoas que recebem bolsa família e gente rica.

Mas quanto as pessoas ricas, que jogam golfe e comem lagosta, continuo dizendo que em princípio, não tenho nada contra elas, não. Não sou do tipo que deixa de gostar de alguém só por saber que essa pessoa tem grana. Seria o primeiro passo pra não gostar de alguém só pela pessoa ser pobre. E tem mais: não são todos, mas muitos 'ricos' batalharam pra chegar onde chegaram. E sinceramente, se eu um dia chegar lá, não vou sair distrubuindo meu rico salário entre os pobres. Faria caridade? Sim, porque isso já faço mesmo não sendo rica. Mas a maior parte ficaria pra mim sim, e até sustentaria meus luxos. É horrível que a renda no brasil seja tão concentrada, mas não faria mais que isso pra mudar essa realidade. E não sejamos hipócritas, tem muita gente que faz menos ainda. Agora, um rico cruel (que come lagosta viva, por exemplo).. Eu também não seria muito simpática. Assim como não sou simpática ao pedreiro aqui de casa que espanta gatinhos a pedradas. São atitudes ridículas independente da classe social. (engraçado que você defende a lagosta - e eu também - mas você é a favor do aborto... fetos também sentem dor a partir de certo tempo).

E quanto aos campos de golfe, Lola... Acabemos com o futebol, então. São enormes e muito mais numerosos. Ou esporte de pobre não contribui pro aquecimento global?

PS: quem é rico e fica entendiado porque não tem mais com o que gastar, não sabem viver, né? vamos combinar...

Mariana. disse...

Nem sei por que estamos tendo essa discussão. Suponho que não haja gente louca querendo implantar alguns abatedouros de cães no Brasil pra satisfazer meia dúzia de coreanos ricos.

Não seriam loucos, apenas gente a fim de aproveitar um negócio que você tem todo o direito de discordar, mas não de impedir.
Mas eu espero também que ninguém esteja disposto a isso. Como eu disse, também considero o hábito estranho.

E não estou nem pensando nos meus bichinhos, se bem que, se vc não sabe, pessoas JÁ invadem casas e dão veneno pros bichos. Essa é uma das causas mais comuns de morte de animais de estimação. Não matam pra comer, só por maldade, mesmo. Só porque o bicho miou/latiu e o vizinho não gostou. Estou pensando nos cães de rua que foram recolhidos, engordados, mortos e esquartejados. Enquanto tá cheio de gente que vive fazendo milagre pra oferecer uma vida digna a esses cães abandonados...

Nunca vi essa pesquisa de que a maior causa de morte entre animais de estimação são por envenenamento de vizinhos intolerantes. Mas enfim, não vem ao caso. Quanto aos cães de rua que foram engordados e esquartejados... Eu tambem penso neles e acho isso uma crueldade indizível. Mas se os abatedouros de cães fossem regulamentados, eles seriam como os de boi, porco, etc: deveriam ser fiscalizados e respeitar normas. Comer carne de cachorro não é ilegal, mas maltratar animais é. Existem métodos de abate em que os animais nada sofrem.

Enfim, é isso. Beijo, Lola.

Mariana. disse...

A visão jurista da coisa:

cães e o seu ABATE...

A legislação brasileira no tocante ao ABATE de animais considera animais de açougue, ou seja:

Decreto Federal nº 30.691, de 29/03/1952 – RIISPOA - Regulamento Da Inspeção Industrial e Sanitária dos Produtos de Origem Animal. (ÚNICO DO GENERO NO MUNDO - e ainda em vigor!)

Art. 2º - Ficam sujeitos a inspeção e reinspeção, previstos neste Regulamento, os animais de açougue, a caça, o pescado, o leite, o ovo, o mel e a cera de abelhas e seus subprodutos derivados.

Art. 11º - A inspeção Federal será instalada em caráter permanente ou periódico.
Parágrafo único - Terão inspeção federal permanente:
1 - os estabelecimentos de carnes e derivados que abatem e industrializam as diferentes espécies de açougue e de caça;

Art. 106 - Nos estabelecimentos subordinados á Inspeção Federal é permitida a matança de bovídeos, eqüídeos, suínos, ovinos, caprinos e coelhos, bem como das diferentes aves domésticas e de caça, usadas na alimentação humana.

Art. 135. Só é permitido o sacrifício de animais de açougue por métodos humanitários, utilizando-se de prévia insensibilização baseada em princípios científicos, seguidos de imediata sangria.

Visto isso, o ABATE está bem definido, ou seja, abate clandestino somente se fosse de animais de açougue, o que o cão não é. Portanto não mais clandestino.

Quanto aos crimes ambientais:

A LEI FEDERAL Nº 9.605, DE 12 DE FEVEREIRO DE 1998, como já explicitada anteriormente, não se enquadraria aqule artigo pois não houve mutilação, etc..
Ainda na mesma Lei Federal:
Art 37. Não é crime o abate de animal, quando realizado:
I - em estado de necessidade, para saciar a fome do agente ou de sua família;
II - para proteger lavouras, pomares e rebanhos da ação predatória ou destruidora de animais, desde que legal e expressamente autorizado pela autoridade competente;
III - (VETADO)
IV - por ser nocivo o animal, desde que assim caracterizado pelo órgão competente.
Mas temos que levar em consideração que esta lei é para ANIMAIS SILVESTRES de VIDA LIVRE, ou seja animais domésticos (Cão, Gato, cavalo, boi, carneiro, etc.) não se enquadram nela, somente no artigo 32, o restante é apenas para os silvestres...

Na constituição da república:
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei;

Ou seja, devemos respeitar a cultura de cada um, sem racismo, e fazer o que está na Lei...

Mariana. disse...

Quanta confusão... então o que temos:

1- Não há legislação sobre o abate de cães e/ou gatos;
2- Não é proibido comer carne de cães e gatos;
3- Não se pode vender carne de cães e gatos, pois não são espécie de açougue;
4- É necessário se regular sobre o assunto, e estabelecer regras para tal...
5- EU NUNCA COMERIA CARNE DE CÃES, mas já comia de cobra, jacaré, boi, vaca, cavalo, aves, avestruz, galinha, etc...

O que não está proibido em lei é permitido.

Abraço a todos...

Mirella Nogueira disse...

Ai ai Mariana... mas que luta pela legalização do abate de cães e gatos hein??? Não tem coisa mais nobre para vc "lutar" não?? Seus valores estão completamente invertidos.

Outra coisa... existe sim lei que proibi o abate de animais como o cão e o gato, senão o casal não teria sido preso, querida. Aliás, eles foram alvo de investigação por meses.

A sua explicação sobre a lei 9.605 querendo justificar a atitude do casal foi ridícula, pq não se enquadraria jamais nisso, vendo que eles não mataram o animal em caso de necessidade para saciar a fome da família. Eles comercializavam essa carne. Ponto!

Outra coisa... o abate de cães e gatos é proibido sim aqui no estado de SP, pela lei Nº 12.916, DE 16 DE ABRIL DE 2008, do Deputado Feliciano Filho do PV.

E ainda outra coisa mais bizarra que vc disse: que temos que respeitar a cultura de cada povo.

Ok! Então vamos respeitar a cultura dos povos africanos de extirpar o clitóris das mulheres. Ou vamos respeitar a cultura dos indianos de humilhar e até matar "intocáveis", ou vamos respeitar a cultura de várias tribos de canibalismo, ou ainda várias partes do mundo de infanticídio, ou vamos respeitar a cultura de algumas partes árabes de pedofilia, velhos casando com crianças e estuprando-as, ou ainda respeitar a cultura do macho dominante.

Culturas são convenções e TEM A OBRIGAÇÃO de serem sempre revistas, mudadas e discutidas. Coisa mais absurda essa idéia de que cultura não se mexe e é indiscutível, impassível de qualquer mudança.

Mariana, se vc está viajando de avião com sua mãe e cai no meio de uma tribo "selvagem", onde eles tem a cultura de matar a mãe de quem aparece por lá. Vc cederia sua mamãe com a maior boa vontade, citando suas leis e dizendo que a cultura tem que ser preservada??

Areia no c* dos outros é refresco, concorda?

O ser humano é tão escroto e especista que só aceita tal fato, a defesa da cultura, se a cultura não é algo que denigra o ser humano, pq se for, o mundo cai matando em cima até mudá-la. Mas, se for pra f* animal, que mal tem né?? Não estou na pele dele mesmo!

Parabéns pelo pensamento escroto e especista!

Daniel disse...

Mariana, vc é uma pessoa bem escrotinha heim ... credo

Se vamos defender a cultura acima de tudo, então, VIVA O MACHISMO, VIVA A ESCRAVIDÃO e VIVA O RACISMO.
Ou será que as pessoas que defendem a "cultura de matar" é só contra a violência cultural com outras espécies?

Muito legal seu post Mirella

Mirella Nogueira disse...

Pois é... será que na época da escravidão negreira, a Mariana seria contra os abolicionistas que estavam indo contra a cultura do tráfico e escravidão dos negros???

Mais uma vez, PARABÉNS pelo pensamento bemmmm do mal!

Mariana. disse...

Olá, Mirela e Daniel. Não costumo responder comentários agressivos, mas vamos lá, esclarecer as coisa (estou sentido muita dificuldade em conseguir isso aqui):

"Ai ai Mariana... mas que luta pela legalização do abate de cães e gatos hein??? Não tem coisa mais nobre para vc "lutar" não?? Seus valores estão completamente invertidos".

Em primeiro lugar, e acho que todo mundo aqui concorda com isso, 'valores' não são absolutos e nem sempre universais, de modo que não faz sentido falar em 'valores invertidos'. Invertidos em relação à quê? Aos seus valores? Em segundo lugar, desde o início, vocês podem perceber que eu considero o hábito de consumir carne canina horrível e eu jamais faria. Mas como estudante de direito, senti sim necessidade de buscar informações legais sobre esse assunto que está sendo tão debatido e mostrar aqui a posição dos legisladores (não que eu concorde).


"Outra coisa... existe sim lei que proibi o abate de animais como o cão e o gato, senão o casal não teria sido preso, querida. Aliás, eles foram alvo de investigação por meses".

Então, querida.... rs. Estou em dúvida se você realmente leu meus dois últimos comentários. Veja bem o que eu escrevi depois de pesquisar sobre o assunto: que LEGALMENTE, comer carne de cão não é proibido (a lei não diz nada sobre isso e quando a lei se omite, automaticamente a conduta é permitida). Agora COMERCIALIZAR carne de cão é proibido sim, porque (novamente conforme o que eu escrevi acima), o decreto Federal nº 30.691 não lista o CÃO como um animal passível de ser abatido em frigorífico. Apenas os animais enumerado lá podem ser abatidos e vendidos para consumo humano.

E sim, eles cometeram vários crimes, como eu JÁ havia dito nesse post e no anterior (dessa vez só comprovei legalmente o que tinha falado). Mas entre os crimes que os coreanos cometeram (abate de cães para vender; maus tratos; desrespeito a normas sanitárias, desrespeito aos direitos do consumidor, etc), NÃO está o crime de comer carne de cão. Isso não é proibido.

"A sua explicação sobre a lei 9.605 querendo justificar a atitude do casal foi ridícula, pq não se enquadraria jamais nisso, vendo que eles não mataram o animal em caso de necessidade para saciar a fome da família. Eles comercializavam essa carne. Ponto!"

Eu não sei de onde você tirou que eu JUSTIFIQUEI a atitude dos coreanos de algum modo, ainda mais dizendo que eles estavam em caso de necessidade. Lei novamente o que escrevi. Eu apenas transcrevi a lei para que TODOS nós pudéssemos compartilhar essas informações. Sério, você precisa ser mais atenciosa quando lê...
CONTINUA

Mariana. disse...

"Outra coisa... o abate de cães e gatos é proibido sim aqui no estado de SP, pela lei Nº 12.916, DE 16 DE ABRIL DE 2008, do Deputado Feliciano Filho do PV".

Claro que é proibido, e por isso eles foram presos. ABATE só vale para animais previstos na lei (boi, porco, galinha, demais aves, etc). Não entendi porque você acha que discordamos nisso.

"E ainda outra coisa mais bizarra que vc disse: que temos que respeitar a cultura de cada povo".

Mirela, acho sim que devemos respeitar a cultura alheia. Desde que, claro, com a ressalva de que ela não fira nenhum direito humano ou animal. Claro que também combato o sacrifício humano ou animal em rituais religiosos, claro que também combato a mutilação feminina, claro... Também tenho repúdio a tudo isso. E os coreanos em questão muito provavelmente desrespeitaram o direito dos animais: também acredito que eles foram cruéis e devem ser punidos por isso sim.
Mas vamos SUPOR que o abate e a comercialização de cães fosse permitido. Num matadouro de boi, por exemplo, também não se pode utilizar de métodos cruéis. Há fiscais para impedir isso. No caso dos cães também haveria, eles seriam sacrificados 'humanitariamente'. Não sei como é feito na coréia o abate de cães, mas se for feito sem crueldade, devemos respeitar sim. Se for um procedimento cruel, doloroso, deve ser combatido.

Vejam o exemplo indiano: eles adoram vacas e nós paramos de consumir por isso? Eles vieram aqui protestar contra a morte das vaquinhas? Não. Acho que isso vale para a Coreia também.

E quanto a minha mãe, não entregaria. Como eu disse, respeito a cultura desde que ela não envolva rituais desumanos.
Agora eu me fiz entender? Você pode compreender que, tal como você, não gosto da idéia de consumir carne canina por motivos não só culturais (já que não fomos habituados a isso), mas também sentimentais, pois amo meu cachorro?

Mas que ao contrário de você, defendo sim o direito das pessoas não terem a mesma opinião do que eu. Não concordo, mas não impesso ninguém de consumir carne canina (consumir, não VENDER, pq vender é vedado em lei), DESDE que não maltrate os animais para conseguir esse fim (embora, claro, os coreanos certamente maltrataram)?

Entende?

PS: e ao contrário de vocês dois, acima de tudo, não ofendo quem não concorda comigo.

Mariana. disse...

e nem saio tirando conclusões precipitadas sobre questões que nem ao menos foram discutidas. Vocês precisam amadurecer o debate por aqui...

Mirella Nogueira disse...

"Num matadouro de boi, por exemplo, também não se pode utilizar de métodos cruéis. Há fiscais para impedir isso."

O que???? Tá louca???
Não se pode utilizar de métodos cruéis??? hahahahahahahahaha
Vc sabe como vivem e morrem os animais de abate??? Tenho certeza que não, senão vc não falaria tal besteira!
Sabe como vive e morre o bezerro da vitela?? Em uma baia escura, preso sem nem dar um único passo, sem contato com qualquer luz solar ou contato com outro de sua espécie. E assim ele vive alguns meses e morre de anemia para sua carne ficar bem macia.
E olha que essa forma é uma das menos invasivas... vc não imagina como é no caso do porco e da galinha.

Abate humanitário?? Vc só pode estar de brincadeira???
Isso é abate humanitário:

"Não sei como é feito na coréia o abate de cães, mas se for feito sem crueldade, devemos respeitar sim. Se for um procedimento cruel, doloroso, deve ser combatido."

Pois é, vc nem deveria falar sobre o que não sabe! Na coréia os cães são mortos a pauladas ou facadas. Da mesma forma que o casal fazia ao abatê-los aqui no Brasil. E vc tanto defende. Aliás, isso que vc está fazendo é apologia ao crime!

Na india, eles só não comem a vaca por ser um animal sagrado, mas comem o boi, a galinha, o porco, etc.
E GRAÇAS AOS BONS CÉUS que mesmo lá, MUITA GENTE discute culturas e vai contra milhões delas. O próprio Gandhi era contra a intolerancia e o racismo contra os daliths e também era a favor do vegetarianismo.

E vc então não acha certo um outro país ir protestar contra uma outra cultura né? Pois o nazismo poderia ser tido como uma cultura da Alemanha naquela época. Então quem foi contra o nazismo está errado? Ou a ONU que é contra e debate a extração dos clitoris e a pedofilia em muitos países também.

Ah, me poupe vai!

Vc diz que respeita a cultura desde que não se envolla rituais desumanos. E o abate de cães e gatos é o que?

Suas últimas palavras foram ótimas... hahahaha. Eu não gosto, mas também não impesso ninguém de consumir carne canina.
Que lindo! Seria a mesma coisa que: eu não gosto de misoginia, mas não impessaria nenhum homem de bater na mulher se achar que deve. Eu não gosto de canibalismo, mas não impessaria ninguém de comê-lo.

Vc então provavelmente é a favor do canibalismo, de se comer por exemplo, bebês humanos desde que não faça o bebezinho sofrer, ok?

Mirella Nogueira disse...

Mariana, antes de vc falar qualquer besteira, veja o documentário "A carne é fraca", vc acha ele super fácil no youtube. É um documentário brasileiro, feito pelo instituto Nina Rosa. Assista ele por favor!

Ou então, assista esse outro que é mais completo, é um documentário ótimo e está inteirinho no googlevideos. O endereço para quem quiser é este aqui: http://video.google.com/videoplay?docid=-239204330856039070#

Mariana. disse...

Aii, senhor...

Mirela, minha filha...

Eu não sou contra a intervenção da ONU em qualquer cultura cruel. Sou muito a favor, inclusive.

Preciso responder sobre o canibalismo? Sério? Preciso responder as conclusões precipitadas que novamente nem ao menos são discutidas? Preciso dizer que sou contra violência contra a mulher, MESMO trabalhando no MINISTÉRIO PÚBLICO e numa promotoria de combate a violência doméstica?

Eu sou contra tudo isso, mas não preciso provar nada pra você. Mas voltando...

Bom, se você é contra o abate de cães por isso ocorrer necessariamente através de um método cruel, então seja também contra o abate de vacas e outros animais, já que você diz que isso também envolve crueldade.

É essa sua posição? Você quer insituir o vegetarianismo no brasil a força? Ou você usa dois pesos e duas medidas?

Espero que a resposta não seja tão baixo nível quanto os comentários anteriores.

Mariana. disse...

Vou ver o vídeo, tá carregando.

PS: eu não defendo os coreanos SE eles empreendem métodos cruéis. Deixei isso claro, acho.

Anônimo disse...

Oi Mariana
Eu vi que você tentou discutir aqui, com muita paciência até.
Mas é difícil argumentar com posições autoritárias e prescritivas, é uma pena.

Anônimo disse...

Em tempo, as posições autoritárias são obviamente da dona do blog e alguns comentaristas que chamaram você de escrota para baixo.

Mariana. disse...

Pois é, Anônimo, isso porque, igualmente aos meus 'opositores', eu também sou contra maus tratos e também não comeria carne de cachorro.
Imagine se eu ousasse pensar diferente...

Mirella Nogueira disse...

Mariana, mas eu SOU CONTRA o abate de vacas e outros animais. Assim como o abate de cães e gatos.
Essa é minha posição sim!
Agora, eu ser contra o abate desses animais é instituir o vegetarianismo a força? Bem que eu queria que fosse...rs
Mas não filha, ser contra é vc tomar um posicionamento contra e lutar por isso. Não instituir a força. Eu debatendo contigo aqui sobre vegetarianismo, estou impondo o vegetarianismo em ti a força?

Outra coisa... baixo nível é fazer apologia ao crime. Baixo nível é ser a favor do abate de cães e gatos. Isso é baixo nível, querida!

Mirella Nogueira disse...

Isso! Por favor assista a esses documentários. Tanto o que eu te passei o link, quanto, se te interessar realmente, o documentário "A carne é fraca".

Vai elucidar bastante!

lola aronovich disse...

A dona do blog é tão autoritária que proíbe qualquer um de pensar diferente do que ela pensa e é por isso que vocês NÃO estão aqui tendo essa discussão. E a dona do blog, além de autoritária, também é covarde, e sempre assina “Anônimo” quando não tem coragem de dizer o que pensa.

Mirella Nogueira disse...

Isso é abate humanitário?:

http://www.youtube.com/watch?v=OXKG50H9ntk

http://www.youtube.com/watch?v=rBFfGsUFWb0

http://www.youtube.com/watch?v=3sdxU5Cp1Bk

Realmente... ninguém sofre aqui... aff

Mariana. disse...

Mirella ainda não vi seu vídeo.


Vc ser contra o abate de outros aniamis te faz um tanto mais coerente.

Mas dizer que bem que queria que assim fosse (insititucionalizar o vegetarianismo), é um tanto autoritário. (se você tivesse poder, talvez faria somente o que concordasse, sem respeitar a vontade alheia).

Assim como você diz que não está querendo impor o vegetarianismo, eu também não quero impor que você (ou eu) coma carne de cachorro.

Quer ser vegetariano? seja.
Quer comer carne de cachorro (desde que não use meios crueis para tanto)? seja também.

EU não acho que as pessoas devam ser todas iguais. Só isso...

LOLA: em nenhum momento falei sobre você. Participe mais do debate!! Gostamos de ter sua opinião.


Não

Mariana. disse...

PS: elucidar a visão jurídica e ter apreço pela liberdade de expressão e conduta é o mesmo que fazer apologia ao crime? (e ainda ressaltar que a liberdade seria suspensa caso essas condutas fossem crueis ou desumanas).

Olha a agressividade gratuita...

Mariana. disse...

Estou começando a ver o documentário:

Olha o que o cada diz: que a agropecuária é a principal fonte dos problemas para o meio ambiente.

Porque PLANTAR comida não dá nada, né?

Outra: se eles falarem de problemas à saúde, dispenso. A opçao é minha. Se eu quiser fumar eu fumo, se eu quiser beber, eu bebo, e se eu quiser comer um bife acebolado, eu como.

Agora, quanto a crueldade, (ainda não cheguei nessa parte), também concordo que isso, caso exista, deve sim ser combatido, por ser cruel...

O vídeo é meio tendencioso (o que é normal), e menos científico do que eu gostaria. mas continuemos...

Mirella Nogueira disse...

Mariana,
E quem come os outros animais e lhes infingi dor, está respeitando a vontade deles, que não querem sentir dor e nem serem mortos?

Institucionalizar o vegetarianismo estaria fazendo mais mal a quem cara pálida?? A nós humanos?

"Quer ser vegetariano? seja.
Quer comer carne de cachorro (desde que não use meios crueis para tanto)? seja também."

Ah, ok... E para quem quer ser canibal? Desde que não use métodos cruéis, tudo bem? Quem quer saborear uma suculenta carne de bebê humano?

Mirella Nogueira disse...

É apologia ao crime sim já que vc defendeu o casal DE MONSTROS que matavam e vendiam as carnes de cachorro. É apologia ao crime sim vc dizer que as pessoas que comem carne de cachorro e de gato não estão cometendo crime.

JÁ DISSE E VOU REPETIR. É crime COMER carne de cachorro ou vaca; salvo em caso de extrema necessidade para salvar vc ou sua família. Mas nesse caso, até vc comer gente (como no caso do filme verídico "Vivos"), seria impassível de punição.

O mais engraçado é vc dizer: "caso essas condutas fossem cruéis ou desumanas" hahahahahahahahaha

Outra coisa Mariana, já assistiu aos videos?

Mirella Nogueira disse...

Mariana,

Sabe pq a agropecuária é a principal fonte de destruição do meio ambiente? Pq a pecuária é que desmata florestas e é a grande responsável pelo aquecimento global, e pq a maior parte da agricultura existente NÃO É PARA MATAR A FOME DO MUNDO, É PARA ALIMENTAR OS ANIMAIS DE CORTE.

Realmente a saúde é sua, mas existem pessoas inteligentes que gostam de saber das coisas que comem e talvez optam por uma alimentação mais saudável. Mas realmente, a opção é sua, se vc quiser comer merda vc tb pode, mas com certeza terão inúmeros documentários mostrando que comer merda não é legal. Entendeu?

Tendenciosa é a sua cabeça, Mariana. É claro que qualquer coisa que irá contra o que vc pensa, será tendencioso.
Agora acho estranho um instituto que não ganhará nadinha com isso, ser considerado tendencioso. Acho mais passível de ser tendencioso, o instituto pró-carne ou a Sadia/Perdigão falarem algo contra a carne, ou algo sobre a piada do século: abate humanitário... hahahaha

O video é menos científico?? Hum... mas tá bom pra ti, vc nem ao menos sabe que os bichos sofrem mais do que um campo de concentração, nas fazendas de abate...

Mariana. disse...

Não estaria fazendo mal a ninguém no sentido físico, é verdade. Mas uma pessoa sem liberdade de escolha seria muito mais infeliz.

Comer carne é natural. Usar casaco de pele não.

E respeito a sua opção de achar um crime comer carne de qualquer bicho, mas você tem que ver que nem todos pensam assim. Não é errado pra todo mundo, é isso que venho defendendo. Pluralidade de opiniões.

Quanto ao canibalismo, vou ser bem explícita: acho errado mesmo sem dor. E não é por uma questão cultural apenas. É errado porque é um ato indigno, imoral (secularmente imoral, pra ser mais clara). É crime de desrespeito aos mortos e não respeita a dignidade humana. É raro até entre animais essa prática.

E não defendi os coreanos não. Por favor! Eu apenas disse que o crime que eles cometeram era outro (outros), e não comer cachorro. Isso, LEGALMENTE, não é crime. E defendi sim o direito de quem quer que seja comer cachorro, assim como defendo o seu de comer vegetais e o meu de comer vaca. Desde que não haja crueldade.

Enfim... vi a primeira parte de duas do vídeo... Agora não tenho como ver o resto, tenho uma prova hoje.

Mariana. disse...

eu prefiro matar uma vaca do que ver uma criança morrer de fome.

Na boa...

Bom, lamento que você só conheça métodos crueis de abate.

O ser humano não é tendencioso só quando LUCRA com isso. Eu sou tendenciosa em várias ocasiões, mesmo quando não ganho um real.

Mas não estou sendo nesse caso, pois como já disse, NÃO COMERIA CACHORRO, mas defendo o direito de quem queira fazê-lo.

Mirella Nogueira disse...

Exatamente! Vc disse TUDO! Um ser sensiente sem liberdade de escolha é muito mais infeliz! É o que acontece com os animais de abate. Além de todo o sofrimento, além da morte, ainda não tem NENHUMA liberdade de escolha.

Comer carne pode ser "natural", mas então, se vc quer as coisas ao natural, mate, com suas próprias mãos e coma a carne então. Não me venha falar de "natural" uma indústria milionária da morte, onde animais são exterminados com meses de vida e tolados de hormônios pra engorda. Não me venha falar de natural vc apreender o animal, alimentá-lo por meses e depois matá-lo para simplesmente saciar seu PALADAR.

Por acaso o leão tem fazendas de engorda e abate?

Pluralidade de opiniões quando não se maltrata ninguém sensiente. Quando não subjulga, quando não explora, quando não mutila ninguém.
Pq se for assim, nessa sua frase: "mas você tem que ver que nem todos pensam assim. Não é errado pra todo mundo, é isso que venho defendendo"...
Então para um pedófilo ele não acha errado estuprar uma criança. Para um misógino ele não acha errado espancar sua mulher. Já que não é errado pra todo mundo, então tudo bem?

Ou vc só respeita a opinião e os atos de outrem quando são para maltrar, subjugar e matar animais?

Acho estranho, bem estranho vc ser contra o canibalismo, que é algo cultural (E VEJA BEM, CULTURAL E CONSIDERADO NATURAL PARA A NOSSA ESPÉCIE) e ser super a favor da liberdade de culturas com cães e gatos mortos para satisfazer paladares de coreanos e chineses ricos.

Volto a repetir mais uma vez: COMER ANIMAIS COMO O CÃO E O GATO É CRIME SIM! Salvo, como já disse, em extrema necessidade, em caso de vida ou morte, e nesse caso, vc também poderia cometer canibalismo.
ENTÃO MAIS VC MAIS UMA VEZ FAZ APOLOGIA AO CRIME!

Mirella Nogueira disse...

"eu prefiro matar uma vaca do que ver uma criança morrer de fome."

Essa sua frase é ótima! E não apenas pelo especismo explícito nela, mas sim pela questão que vc levantou.
Sabe pq existem milhões de crianças passando fome? (e note que vc usa a palavra "criança" numa clara atitude de nivelamento de valores. Vc jamais diria: eu prefico matar uma vaca para alimentar um político, por exemplo. E isso pq? Pq vc quer passar esse nivelamento de valores.
Isso é muito comum. Qualquer protetor dos animais já ouviu a clássica saindo de várias bocas especistas: "Pq ao invés de se preocupar com animais, vc não se preocupa com as criancinhas carentes?"
Isso é batata! hahahahahaha

Ah, mas voltando... as criancinhas carentes existem os montes sabe pq? POR CAUSA DA ALIMENTAÇÃO ONÍVORA! A terra utilizada para a pecuária serviria ao cultivo de uma quantidade muito maior de proteína vegetal, para alimentar a POPULAÇÃO. Aliás, a maior parte das terras cultivadas no mundo não é para alimentar a nossa precária civilização, mas sim para alimentar animais de corte. A Amazônia está sendo varrida do mapa devido a ação da pecuária e da agricultura para alimentar essa pecuária.

Ahhh, então existem métodos de criação e abate indolores e maravilhosos? Cadê? Me mostra então, vamos lá!

Dá pra se ver que realmente vc é tendenciosa... hehehe

O que vc está defendendo aqui é APOLOGIA AO CRIME! E atos grotescos. Nada mais!

Mariana. disse...

Pq vc cortou a da minha frase sobre pluralidade de opiniões justamente a parte que eu digo 'desde que não haja violência'?

rs... Seria mt bom se pudéssemos caçar nosso alimento e dar a chance a presa... Mas isso é utópico, pelo menos na realiade que conheço.

E mais: a questão aqui é sobre cães, e não outros bichos. Mas eu já dei minha opinião, expliquei várias vezes... você não argumenta o que eu digo, só repete o que você já disse.

Eu sei o que você quer ouvir de mim: que eu sou uma adoradora de satã e que quero a morte sádica e dolorosa de todos os seres vivos; que sou a favor da escravidão e do canibalismo... Adoraria me alimentar de criancinhas indefesas. Que acho certo que o homem bata da mulher e que a ideologia nazista impere.

Francamente, se alguem disposto a trocar idéias aparecer, eu volto.
tchau. Estou farta de ser ofendida:

dei minha opinião e além de ser chingada de escrotinha, disseram também que eu apoio a crueldade, a escravidao, o fascismo... Poxa, isso é lastimável...

lola aronovich disse...

Gente, calma com os ânimos! Não concordo com quem te xingou de “escrotinha”, Mariana. Acho que realmente não precisamos partir pra ofensas pessoais e palavrões, porque isso não acrescenta nada. Esse tipo de assunto (sobre animais) exalta muito os ânimos. Quando alguém diz que pessoas devem ter o direito de comer cães e gatos, então, bichinhos que eu amo tanto, eu subo nas tamancas mesmo. Sei que minha posição é hipócrita, e que o certo seria defender TODOS os animais, como faz a Mirella. Mas não estou preparada pra virar vegetariana. Eu realmente gosto muito de carne bovina, suína e de frango, e não sou grande fã de verduras e vegetais. Se eu virasse vegetariana eu viveria apenas de massas e queijos. Porque vegana, nem pensar! Sei que o certo seria ser vegana e riscar do cardápio qualquer produto de origem animal (porque as galinhas que põe ovos e as vacas leiteiras sofrem demais também), mas eu amo queijo e chocolate, e esses produtos à base de leite de soja ainda são ruins, caros, e inacessíveis no Brasil. Sei também que é incoerente ser a favor da defesa do meio ambiente, como eu sou, e ser carnívora. O que é necessário para alimentar uma vaca realmente daria pra alimentar centenas de seres humanos, mas isso não é realista. Pra boa parte dos humanos, comer não é apenas um ato de sobrevivência, mas uma fonte de prazer. Por isso, acho impossível convencer o mundo a comer grãos. Não acho viável nem tentar convencer o mundo a deixar de comer carne. O que é viável é fazer com que as pessoas reduzam seu consumo de carne e lutar para que os animais de abate sejam tratados com alguma humanidade. A gente sabe que eles são super maltratados por um sistema industrial horroroso. Quando o PETA compara granjas e abatedouros com campos de concentração nazistas muita gente chia, mas eu concordo com o slogan: “Para um animal, todo humano é um nazista”. Porque somos mesmo. E acho horrível que nos coloquemos nessa posição de reis do universo. Como somos humanos, podemos tudo (e humanos ricos, então, podem muito mais).
Mas eu coloco aqui a minha opinião e leio comentários sobre ela. Nem todos os comentários concordam comigo; muito pelo contrário. Alguns são agressivos. Outros são educados, mas mesmo assim dizem que eu estou falando besteira. No momento em que expomos nossa opinião, temos que estar preparados a ouvir a opinião dos outros sobre a nossa opinião. É assim a democracia. Se eu acho que a opinião da pessoa sobre a minha opinião é uma grande besteira (se alguém me chamar de adoradora de satanás ou de arbitrária, por exemplo), eu ignoro. Posso responder, mas não me afeta. Também existe a chance que uma opinião contrária à minha me leve à reflexão, me faça pensar e ver a discussão por um outro ponto de vista, e isso é extremamente positivo.
Não quero que o espaço de comentários daqui vire uma arena de luta livre, mas quero que continue sendo um espaço onde pessoas possam manifestar suas opiniões livremente (por isso acho bastante ridículo que alguns comentaristas queiram se esconder atrás do anonimato. Ninguém vai perseguir vcs. Existem blogueiros que criam blogs anônimos pra falar mal de seus desafetos. Eu certamente não faço isso, nem anoto num caderninho quem discordou de mim). E muitas vezes as pessoas vão discordar da gente, e devemos aprender a lidar com isso.

Mirella Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirella Nogueira disse...

Realmente, se esconder no anonimato é o fim. Já vim aqui no blog (que por sinal, felizmente, é um local onde vc pode expressar sua opinião mesmo que seja diferente da opinião da dona), e já fui contra o Lula, mesmo sabendo que aqui a grande maioria iria contra mim, e mesmo assim dei minha cara a tapa, coloquei meu nominho inteiro ali.
Não entendo o medo de expôr a opinião e ainda ofender na surdina, pra ninguém saber que foi vc. Daí é o fim da picada!

Mirella Nogueira disse...

"Pq vc cortou a da minha frase sobre pluralidade de opiniões justamente a parte que eu digo 'desde que não haja violência'?"

Mariana,

Eu não cortei. Muito pelo contrário. Lhe disse então que vc deveria estar pronta a aceitar também o canibalismo, desde que não haja violência...rs. É estranho escutar e ler tal coisa não é? Canibalismo sem violência. É a mesma coisa do abate humanitário. Ridículo!

Se vc acha utópico caçar o seu próprio alimento, então não me venha falar em "comer carne é natural".

Mariana, não coloque palavras na minha boca. Jamais iria querer que vc dissesse que és adoradora do Satanás, até pq sou atéia... hahahaha.
E vc não quer a morte de todos os seres vivos, apenas dos animais não-humanos. Esses vc acha que vale tudo para a satisfação do paladar e a cultura.
Também acredito que vc não seja a favor do canibalismo, da escravidão, da misoginia e do nazismo. E pq vc não é a favor? Pq são com seres humanos. Mas, no alto de seu especismo, vc é a favor disso tudo (escravidão, campos de concentração, preconceito, subjugação e morte) quando se trata de animais.

Portanto PARABÉNS! Tu és uma especista!

Não te ofendi em nenhum momento aqui. E não fui eu que falei que era escrotinha. Eu apenas disse que seu pensamento era escroto por considerar correto e certo o abate e a comilança de cães e gatos e de qualquer animal que se queira. Apenas por... o que foi que vc disse lá em cima?? Apenas por se tratar de uma iguaria fina... Que beleza! Como eu disse, pensamento escroto.

E querida mais uma vez... só pra vc não ficar traumatizada... eu não disse que vc apóia a escravidão, a morte e o nazismo com ANIMAIS HUMANOS. Disse que vc apóia isso tudo com ANIMAIS NÃO-HUMANOS.

Entendeu?? Não precisa se revoltar... seu especismo ainda continuará intacto!

;)

Zizi disse...

Lola, já tem algum tempo que acompanho seu blog e, já quis comentar vários posts, mas tive preguiça. Desta vez, no entanto, o assunto tocou minhas entranhas e não resisti.
Quero partir de seu lembrete sobre a urbanização do Brasil e do princípio do "socialmente construído".
Eu tenho 43 anos, ou seja, temos quase a mesma idade. A diferença é que eu nasci em um sítio, aqui no Estado de São Paulo mesmo e, desde muito pequena me acostumei com a idéia de que bicho era para comer e matar ou matar e comer, ou às vezes, simplesmente matar. QUERO SER BEM CLARA. MINHA INTENÇÃO NÃO É CHOCAR, APENAS RELATAR O QUE VIVI e contribuir para a discussão.
Meu avô materno era um caçador. Naquela região ainda havia matas para caçar veados, pacas, tatus e uma variedade de aves. Além disso, ele era o "matador" oficial de vacas da região. Matar uma vaca exige força.
Vi inúmeras vezes meu avô, pai e tios chegando à casa com todo tipo de caça e, muitas delas eu mesma limpei (eu tinha entre 6 e 9 anos.
Além da caça, criávamos e comíamos cabritos, galinhas, patos, perus, codornas. Para nós isso era fartura. No dia em que um porco era abatido, havia trabalho para todos (+/- 20 pessoas). Os porcos eram enormes. Nós crianças o víamos ser esfaqueados, pelados (ter o pelo e a pele retiradas após serem escaldados com água quente), abertos e esquartejados. Nós tínhamos que lavar as tripas para fazer lingüiça, moer a carne e ajudar a fritar o toucinho para tirar a gordura e fazer torresmo.
Além disso, nós crianças éramos responsáveis por "eliminar" filhotes indesejáveis de cães e gatos que nasciam. Minha avó simplesmente os colocava em um saco de estopa, nos dava um pedaço de pau e dizia: - Vai para o pasto. Preciso dizer o que acontecia?
Só uma coisa era terminantemente proibida: maltratar bicho. A lição era: "Não judia da criação".
Hoje, eu odeio ver programas de TV de mostram pesca esportiva. Abomino. E os idiotas dizem que é ecológico. Quantos daqueles peixes sobrevivem aos ferimentos dos anzóis? Do mesmo modo, odeio ver pessoas lavando seus cães com sabonete perfumado, pondo fitinhas e roupinhas, ou seja, incomodando o bicho. Isso, para mim é "judiar da criação". Mas, entendo que é uma postura urbana socialmente construída.
Acho que o que sobra disso é que tudo se constrói em termos culturais e, é muito difícil “desconstruir”, embora o debate possa ajudar.
Bem, eu não comeria carne de cavalo - o bicho que todas as crianças queriam ter no sítio. Eu não comeria carne de cachorro - não suporto o cheiro desse bicho.

Mirella Nogueira disse...

Olá Zizi... Pois é, vc não queria chocar, mas acabou me chocando e muito! Eu não sei se vc teve ou tem alguma reflexão sobre tudo o que vc passou na infância, tudo o que vc viveu.
Realmente a construção social/cultural é um perigo! Nós vemos o quanto uma criança pode ser influenciada até a cometer atos grotescos e criminosos. Veja o exemplo das crianças africanas ou mesmo brasileiras que são "construídas" para serem assassinos. E eu vejo como exemplo, o que fizeram com vc também.
Pq eliminar (é assim que vc escreveu né?), pq MATAR cães ou gatos recém-nascidos a pauladas, com a justificativa de serem descartáveis, é um CRIME ABSURDO!
Pessoas que vivem as custas de animais tais como sitiantes, donos de frigoríficos etc, costumam não ter muita "delicadeza" com os animais não, muito pelo contrário. E nenhuma reflexão. Eles tem que "coisificar" a vida dos animais, justamente para poder explorá-la.
E é aí que mora o perigo, pois esse sistema é tão grotesco que qualquer sensibilidade acaba sendo destruída. Qualquer sensibilidade com a vida de um animal passa a não existir mais.
Mandar matar animais bêbes a pauladas? Pelo que vc descreve esta parecendo um comportamente psicopático coletivo clássico. A falta de sensibilidade anda de mãos dadas com psicopatas. Maltratar animais é crime, está na própria constituição.
E depois vc vem dizer que odeia e acha um absurdo pessoas que lavam seus cachorros com sabonetes perfumados... e diz que isso é judiar???
Algo está errado em seu senso ético hein??
O pior é ainda dizer que não comeria cachorro pois não suporta o cheiro dele? WTF????
Meu namorado também vem de uma família de fazendeiros que criavam animais, dentre outros para abate.
Ele me conta que também viu muitas coisas horríveis e até criminosas. Mas mesmo presenciado as coisas que presenciou, a sua experiência o deixou chocado.
Mesmo ele tendo sido criado em família de fazendeiros e pessoas que exploravam animais, ele jamais viu ou soube de cães bêbes sendo mortos nem qualquer outro animal que não fosse para alimentação. E quero deixar bem claro que não sou há favor da morte e animal algum, seja para qualquer finalidade por razões éticas. Eu costumo dizer que a ética que é dividida em classes não pode ser considerado "ética".
Não posso ter uma ética para tratar uma mulher, uma para tratar um gay, outra para tratar uma pessoa pobre e outra para tratar um ser de outra espécie. A ética tem que ser uma, senão ela se torna preconceituosa e excludente.
Não estou querendo julgar nem falar mal de sua família, mas não posso deixar de dizer que as ações deles foram ações além de uma insensibilidade extrema. Mais ediondas ainda foram envolverem crianças nesses abusos.
Espero que assim como meu namorado, vc tenha tido uma reflexão a cerca dos horrores e sofrimentos que presenciou e tenha mudado de postura. Espero que vc ensine valores melhores para seus filhos do que aqueles que vc recebeu.

Mariana. disse...

Olá Lola.

Eu não subo nas tamancas quando vejo que alguém discorda de mim, em qualquer coisa.

No outro post sobre cachorro, eu disse claramente que SIM, apesar de vacas e cães serem animais, eu os trato diferente sim. Eu como vaca e não como cachorro. E por que? Por questões puramente sentimentais e culturais.

E não vejo problema algum nisso. EU não estou fazendo nada que consideram errado. E Mirela, estou sendo tão ruim quanto a maioria aqui, que não comeria carne de cão mas também não é vegetariano. Eles também seriam a favor dae escravidão e blablabla? Nada a ver, na boa...

Efim, eu duvido que vocês não matam baratas quando elas aparecem na sua sala (eu só não o faço por puro asco), ou exterminam os mosquitos nojentos do fim da tarde... E, no entanto, eles também são animais merecedores da vida tanto qt cães e vacas.

Não gosto da idéia de usar cosméticos que foram testados em animais (e não uso), não compro bolsas, sapatos ou casacos de pele ou couro... Mas eu como vacas sim.

Eu já opinei sobre tudo isso... Sinto muito pelo modo como os animais são abatidos, mas não vou parar de comer carne por isso. Trato alguns animais diferentes de outros sim, e também não vejo problema. Respeito vegetarianos, assim como respeito não vegetarianos e também aqueles que comem carne de cão. Viva a diversidade.

Sou contra as heranças culturais violentas (sacrefícios humanos e animais, mutilações, extermínios, caça ou pesca esportiva), mas não sou contra comer carne, oras. Comer é necessário (e o foi, pra nossa evolução).

Tchau..

Mirella Nogueira disse...

Mariana,

Infelizmente vc não vê problema algum nisso. Agora entendo mais do que nunca o seu posicionamento inerte sobre as coisas que não lhe afetam diretamente. Agora enxergo mais do que nunca o seu especismo.
E não Mariana, vc não está aqui como todo mundo. Vc usou de hipocrisia e apologia ao crime, quando diz que vc não come carne de cão mas não acha que aquele casal cometeu crime matando e vendendo carne de cão e ainda achar que é super normal, aceitável ética e moralmente comer carne de cão por se tratar de uma iguaria ao qual qualquer chinês rico se puder pagar tem o DIREITO de comer. Gozado que vc não especula sobre o DIREITO do cão querer não sofrer e permanecer vivo.
E é aí que vc "cai do cavalo". Pq, vamos ver se vc entende agora o paralelo... senão terei que desenhar..rs. Pq se formos pela sua lógica, poderíamos então comer carne de bebês se alguém tiver dinheiro para tal. Essa pessoa teria então o DIREITO.

E se vc for contra isso, então minha querida, vc tem que estar pronta a aceitar que és especista (racista com relação a espécie).

Entendeu agora os paralelos??

Hahahahaha... essa questão dos insetos é a mesma fuga desesperada que tentam com relação aos vegetais... hahahahaha
Mariana, eu particularmente não mato baratas e nem mosquitos que não poriam a minha vida em risco diretamente. Mas isso é uma questão minha. Agora, querer desmerecer toda uma ideologia e uma ética com a tentativa de culpabilidade é ridículo!
Então se alguém mata um inseto, então ele pode sair matando tudo o que vê pela frente? Pq se ele for vegetariano e matar um inseto não dá??
É a mesma lógica grotesca e ESCROTA do: ah, se comemos vaca, então tudo é permitido, vamos sair comendo tudo, cão, gato pq temos esse DIREITO!
E quem lhes deu esse direito? Um sabor diferente na boca vale tudo? hã?

O seu "Viva a diversidade" é péssimo por causa da questão ética e da sensibilidade para com os animais que vc NUNCA põe em pauta.
Viva a diversidade do que, cara pálida? Bem, a diversidade de animais e de ecossistemas é que não é! Deve ser a diversidade de se poder matar o animal que for e de ter a cultura escrota (para animais, não para humanos né?) que quiser.

Parabéns pelo seu pensamento tão "social"!

Comer realmente é necessário. Comer carne é que não é! E deixar de comer carne, isso sim, o é necessário para a NOSSA EVOLUÇÃO. Nunca o contrário!

Tchau!

Mirella Nogueira disse...

Mariana,

Pra vc entender melhor o paralelo (não falei que teria que "desenhar"... hahaha), vou te passar um link do meu próprio orkut. É uma historinha em quadrinhos maravilhosa do Neil Gaiman. É só ir passando pra frente as fotos:

http://www.orkut.com.br/Main#AlbumZoom?uid=12370181880675245816&pid=1222987895753&aid=1222461588$pid=1222987895753

Mariana. disse...

Pela última vez (essa conversa não pode durar pra sempre):

- Você repete inúmeras vezes que 'é errado comer carne de cachorro' (engraçado que você não diz 'eu acho errado'. pra você, sua opinião é sinônimo de verdade, mas tudo bem), mas esquece que EU também acho errado, que eu também não comeria. O que eu venho repetindo é que, perante a lei brasileira, tal ato não é vedado. E que eu, mesmo achando essa atitude estranha, concordo que ela não deve ser proibida (assim como a ingestão de outros tipos de carne deve ser permitida). Do mesmo modo que, por exemplo, eu não faria um aborto porque não acho um ato legal (eu sei que nem quem faz acha), mas também não acho que deva ser proibido. Tem gente que não pensa como eu.

- Não acho correto o seu modo de equiparar a vida humana à vida animal. Quando você responde, por exemplo, que se eu sou a favor do consumo de carne, então eu deveria ser a favor do consumo de bebês (eu não vou considerar seu pensamento absurdo aqui, mesmo você tendo ridicularizado o meu argumento sobre insetos, ratos e outros bichos nojentos). Já adianto que não sou religiosa, sou atéia convicta como você. Mas o ser humano é o unico ser com conciência (não sentimentos, consciência). Sinceramente, acho que cada situação é uma situação. Não imagino que alguém prefira carne humana do que a carne de boi, por exemplo. Se alguém comer carne humana, é por pura necessidade, o que tiraria o caráter criminoso do ato. Mas existem doentes, piscopatas e loucos de todo gênero. Estes são EXCEÇÃO. Estes devem ser tratatos e isolados. (até porque isso ensejaria violência presumida OU desrespeito aos mortos, que tb são considerados crimes).

- Entre sua mãe e seu cachorro de estimação (se você não tiver um, imagine), se você tivesse que escolher entre um dos dois pra continuar vivo, quem escolheria?
Eu escolheria a minha mãe. E escolheria qualquer ser humano. E entre um cão e uma vaca, escolheria sempre o cão. E assim por diante. Repito, não vejo problema algum nisso que você chama de especismo. Não entendo porque você bate tanto nessa tecla...

Mirella Nogueira disse...

Mariana, eu não digo "eu acho errado". Eu digo que É ERRADO! Não temos esse direito e pronto! Nem pela legislação brasileira!
E é mentira quando vc diz que vc acha errado. Tanto é que até agora vc estava defendendo e agora, está na defensiva! Vc tanto defendeu que utilizou de um argumento bemmmm podre: disse que não achava nenhum mal e que se algum chinês de posse quisesse provar a iguaria, que mal tem isso!!! WTF!!!
O que me choca é ainda uma mulher disser isso. Pq sempre temos a idéia de que nós mulheres temos mais sensibilidade e ética.
Vc ainda fala que a ingestão de outros tipos de carne deve ser permitida????
Da onde vc veio, meu deus! hahahaha
Então é o que eu falo: vamos sair comendo gatos, golfinhos, bebês humanos. Que tal?
E é o que eu repito. Quem nos deu esse direito? Um sabor a mais na boca vale tudo? Vale toda a carnificina?

E não me venha falar em legalização do aborto pq não tem nada a ver. Não estamos falando de um ser ainda sem estímulos nervosos, estamos falando de seres que sentem, sofrem, enxergam.

Entendeu?? pare de tentar utilizar de desculpas para justificar a podridão que vc falou e ainda continua a falar.

Vc não acha correto o meu modo de equiparar a vida humana com a animal pq vc é ESPECISTA! Nada mais!
Vc não é simplesmente a favor do consumo de carne (que já existem), vc é a favor de que se coma tudo, de que se saia dragando tudo... então pq não comer bebês?

Agora aqui vc errou feio, my god!
O ser humano é o único ANIMAL (pq vc não usa a palavra animal pra humano?) com CONSCIÊNCIA??? Tá louca!!! hahahahahaha
Mariana, acho que vc não anda estudando ou lendo ultimamente. Sua cabecinha ainda está no século 19.
TODOS os animais pensam e têm consciência! TODOS!
Uma simples minhoca tem o cérebro 100 vezes mais complexo do que o computador mais complexo que nós conseguimos fazer. E isso para um animal que só come e defeca terra hein?
Todos os animais pensam e têm consciencia. Cada um com a sua gradação. A diferença conosco está em gradação, não em essência.
A única coisa que o ser humano está sozinho no mundo é pelo fato dele ser o único animal que possui o fator crueldade. Nada mais!

E mesmo que os outros animais não possuissem consciência (o que é mentira), mesmo assim isso não seria fator ALGUM de colocar o ser humano em primeiro lugar e ainda no direito de fazer o que bem entender com os animais. Pq se for assim, uma pessoa com sindrome de down ou então um mero bebê valeria menos que Hitler por exemplo, ou que qualquer outra pessoa.

ENTENDEU?? TÁ DIFICÍL HEIN??

Olha, existem inúmeros canibais que preferem SIM comer a carne humana do que a de boi. Inúmeras tribos indígenas também. Se os maias não tivessem sido dizimados talvez ainda estivessem adorando a carne humana, como ainda algumas tribos adoram.

E outra coisa, psicopatas não são loucos e muitos canibais não tem nenhuma doença mental. Por isso mesmo, quando pegos, são estudados por psiquiatras e são condenados como pessoa sã. Gozado que vc já logo taxa canibais de loucos e psicopatas, mas o casal que matava e vendia carne de cães vc acha que são santinhos e nada faziam de errado.
Olha, nunca deixaria um filho meu perto de vc! hahahaahahaha

Entre minha mãe e qualquer outro ser é lógico que eu escolheria minha mãe... aff. Vc precisa pensar mais! Qualquer pessoa escolheria pelo ser que mais ama. Mas isso não é especismo. Seria a mesma pergunta idiota que vc me disesse: Entre sua mãe e um negro quem vc escolheria, e eu escolhesse minha mãe e isso significasse que eu era racista. Isso é ridículo! Pois está implicito o caráter sentimento, que qualquer ser colocaria quem ama em primeiro lugar.
A mesma coisa entre qualquer outra pessoa que eu amasse menos que meu cachorro. Daí escolheria meu cachorro é lógico!

Mas entre um humano e um cão desconhecido, tentaria salvar qualquer um dos dois, pois pra mim são iguais.

Mirella Nogueira disse...

Só dessa sua pergunta já denota um alto especismo. Imagina eu discutindo racismo com uma pessoa racista e ela me taca uma pergunta dessa: Entre um branco e um negro quem vc escolheria? Ou, entre uma mulher e um homem, quem vc escolheria?

O especismo é exatamente isso. Não considera em pé de igualdade os outros animais. Têm-se a preocupação de sempre colocá-los nas esferas mais baixas para poder explorá-los. E, tal qual os senhores de escravos fizeram no passado, colocam os animais como seres inferiores, então legal e moralmente sujeitos a qualquer adversidade cometidas por nós. Tal qual machistas fazem desde que o mundo é mundo.

Vc se diz atéia, mas é uma das maiores religiosas que eu conheço. Pois seu discurso é totalmente católico! "Os animais foram feitos para servir ao homem".
Essa é a sua justificativa. Eu lhe perguntei qual é o direito que temos de sair matando e comendo tudo e achando tudo legal? Vc não me respondeu pq a sua resposta só se "justificaria" com base na religião.

Mirella Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirella Nogueira disse...

Volto a pedir para que assistas ao documentário, para te elucidar sobre a questão "especismo".

Pronto, se vc não consegue entender e entrar na sua cabeça com o que eu digo, com o filme vc irá entender, tenho certeza!

O filme completo está nesse link: http://video.google.com/videoplay?docid=-239204330856039070#

Assista por favor!

Mariana. disse...

Ok, pra mim já deu.

Quando eu entro num debate eu não me preocupo apenas em defender a minha opinião, mas eu também quero aprender e, pra isso, tem que ter disposição. Não dá pra chegar com uma mente fechada a idéias novas, assim como não dá pra debater com alguém assim. E pelo o que percebi, é desse modo que você tem agido, Mirella.

Parece que você lê mas não absorve nada. Lembra da primeira vez que você respondeu o meu comentário, quando eu colei a legislação? Eu só disse que a lei brasileira permite o consumo de carne canina, embora não permita a venda; e que o crime cometido pelos coreanos não é o de comer carne, e sim de vender e de maltratar os animais.

E sabe o que você disse agora - nesse ultimo post - (depois de repetir milhões de vezes a mesma coisa)? que nem a lei brasileira permite isso. Ou você não sabe se expressar, ou tem algum problema para reter informações (deve ser falta de proteína animal...). o_O. Na boa, você tem todo o direito de contestar a lei, de sugerir mudanças, de dizer que ela está errada. Não foi isso o que você fez: o que você faz é simplesmente negar que a lei permite isso tudo. O que sabemos que não é verdade, oras. (pelo menos até onde pesquisei. sinta-se a vontade para apresentar fontes que digam o contrário).

Me parece que você decora um discurso e vomita ele pra quem quiser ouvi-lo, sem nem levar em conta os contra-argumentos. Eu nao quero que você concorde comigo, pouco me importa.

Mas me espanta você, por exemplo, colocar 'animais devem servir humanos' entre aspas como se tivesse colado isso do meu discurso. Um desavisado acha que eu realmente disse isso. É um jogo muito sujo, sabe? Eu me recuso a conversar com gente assim. E ainda dizer que eu sou a maior católica que você conhece.. francamente.

Mariana. disse...

Fique, então, com sua opinião utópica e com seu tom de lunático cheio de exclamações e caps lock. E sabe por que é utopia? Por que mesmo que baixem uma lei dizendo que comer qualquer tipo de carne é punido com pena de prisão, a lei não vai pegar. E isso acontece. Costumes são muito considerados pelos nossos legisladores na hora de elaborar uma lei. (especismo e hipocrisia, aliás, é o que alguns fizeram aqui, ao admitir que comem carne e ao mesmo tempo são contra o consumo de cães. Eu, desde o início admiti que trato sim vacas e cães de modo diferente. isso é ser hipócrita, agora?)

E aí, já que o consumo de carne nunca vai ser proibido, por que vedar o consumo de carne canina nos mesmos moldes do abate de carne bovina, por exemplo? Por que é diferente do que nós costumamos ver? Por que tem gente que sobe nas tamancas quando falam algo que nós não concordamos? Eu não gosto da idéia de comer carne canina, mas o que eu tenho com a vida alheia (foi isso, fundamentalmente que você não entendeu. você insiste em dizer que, se eu sou a favor disso, devo ser a favor de comer carne de bebês. e na verdade, cada caso é um caso, e não devem ser interpretados por comparação). E afirma diversas coisas (enquanto em só opino), sem citar nenhuma fonte além dos videos amadores e tendenciosos que você posta aqui. Vi quase todos e nenhum me convenceu.

Aí você vira e fala o que? que fetos não sentem. Fetos sentem dor a partir do momento em que o sistema nervoso é formado e, pelo que sei, isso se dá a partir da sexta semana de gestação. Até essa data eu sou favorável ao aborto, depois disso, sou contra. É um período razoável para uma mulher antenta perceber que está grávida e que não quer ter filhos. Enfim, se eu fosse confiar nas suas verdades (verdades como, por exemplo, mulheres são mais sensíveis. se você dissesse o contrário seria acusada de machista, veja bem)...


Aí você me pergunta porque não praticar antropofagia? Eu respondo que, se você procurar por aí, notará que isso era praticado apenas em rituais religiosos ou em situações especiais em tribos de várias partes do mundo. Seja para adquirir a força do inimigo, seja para ofertar aos deuses ou pra qualquer outra coisa que, sabemos, não trás resultado algum. Ademais, sabemos que, caso eu decida comer carne humana, pelo menos um crime vou cometer: ou terei que ser homicída, ou terei que profanar os mortos. Ambos estão previstos no código penal. A antropofagia, então, está indiretamente proibida por nossa legislação).


Mas sabe? não vou mais perder tempo apresentando meus argumentos, não vale a pena. É isso o que eu penso, dei oportunidade de ser convencida mas você não tem competência para fazer isso, Mirella. É frustrante conversar com gente como você, que acha que suas opiniões são a verdade. Algumas vezes vejo coisas assim nesse blog, por parte de todos. Concordo com muita coisa, mas discordo principalmente do tom com que algumas são colocadas...

Mirella Nogueira disse...

Olá Mariana,
OLha, não é por nada não, mas aqui vc não quis aprender nadinha de nada! Já veio com as idéias podres pré-estabelecidas. Vc viu os videos que te passei o link? Não! Cogitou outra opinião, a de os animais merecem o mesmo respeito que vc? Não!

E não se faça de santinha... rs
Vc disse com todas as letras que é a favor de que se coma (ou seja, que se mate) tudo, todos os animais, desde que se possa pagar pela iguaria.

Nojento hein???

Aliás, vc agora só está na defensiva e no contra-ataque pois não tem mais como argumentar. Veio dizendo até que animal não tem consciência! hahahahaha

Olha só como vc está totalmente fechada! O crime cometido pelos coreanos foi o que MATAR animais, maltarar e vender a carne.
E mais uma vez: COMER CARNE DE CACHORRO É PROIBIDO SIM PELA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA, SALVO EXCESSÕES COMO A DE EXTREMA NECESSIDADE. MAS DAÍ, MESMO COMER CARNE HUMANA TAMBÉM É PERMITIDO.

ENTENDEU???? É DIFÍCIL HEIN???

Olha querida, mesmo vomitando meu texto sem proteína animal, vc não entende! rss
E que contra-argumentos, cara pálida?? Só vi besteira sendo proferida aqui e rebati. Mas vc não soube sustentar a argumentação.

Mas olha, pode deixar que não vou ficar nessa briguinha infantil viu, de "vc fez isso, vc fez aquilo"...rs

Quer ver como lhe falta estudo. Vc nem entendeu a frase entre aspas: "os animais devem servir ao homem". Eu coloquei entre aspas criatura, pq é uma frase da bíblia. Ou seja, se vc aprendeu na escola, citações colocamos ou em itálico ou entre aspas.

Entendeu ou quer que eu desenhe isso tb?

Mas realmente não precisa um desavisado achar que vc escreveu isso. É só ler todas as besteiras que vc escreveu. Pq, dizer que é a favor de que se coma todos os animais, que é a favor de que se coma cachorro se tiver dinheiro pra pagar, e dizer que é a favor que se liberem outros tipos de carne pra comer, é o que???? É os animais sendo feitos para servir ao homem.

Será que vc não consegue enxergar e aceitar que vc pensa dessa forma podrinha?

Realmente vc é a maior católica que eu conheço!

Mirella Nogueira disse...

Pode deixar que ficarei com minha opinião utópica e com meu tom lunático cheio de exclamações e caps locks! hahahahahahahaha

E vc, fique com sua cabeça católica especista! É uma pena para o mundo e para os animais.

Mas do jeito que és católica, cuidado com a frase entre aspas (pois é uma citação, entendeu?): "advogado do diabo".

Costumes são considerados não só por nossos legisladores, mas sim POR VC! Com toda a carga de machismo, especismo, racismo (que é um costume de muitos brancos).
Costumes são tão bons né? Pois é, vc os defende! PARABÉNS!

Isso é ser hipócrita sim! Na medida que vc não aceita que animais e humanos merecem o mesmo respeito, vc é hipócrita e especista! Repetindo a ladainha, seria a mesma coisa que vc não aceitar que negros tenham o mesmo respeito que brancos e que mulheres tenham o mesmo respeito que homens.

Olha como vc é podre! Vc é a favor de fazendas de abate de cães. Vc sabe como são a vida e a morte dos animais de corte? Quer isso para os cachorros também? E pqra qualquer outro animal né?
Oba, vamos fazer isso com bebês humanos tb, eles não tem como se defender. Vamos fazer com sindromes de down.
Afinal, existem canibais que gostam disso, e o que nós temos a ver com a vida alheia?? Não é mesmo? Palavras suas!
Vamos exercer todo o nosso poderio de predador dominante!

E, quando vc diz que não pode ter comparação, MAIS UMA VEZ SUA HIPOCRISIA ESPECISTA ENTRA EM JOGO!

Videos tendenciosos é ótimo! hahahahaha

Duvido que tenhas assistido ao link que passei do documentátio em inglês.
E se assistiu e pensas assim, só posso crer que sejas psicopata, nada além!

Pq essa falta de sensibilidade e de ética, de coisificar a vida alheia e o gosto pela morte de animais... Sem nenhuma sensibilidade... meu bem, está beirando a psicopata!

Reitero que não deixaria um filho meu perto de ti... hehehe

Mirella Nogueira disse...

Querida!!! Foi exatamente o que eu falei! Fetos SEM estímulos nervosos. Não quando seu sistema nervoso está formado. Acredito que quase todas as leis (ou todas) a favor do aborto levam em conta isso.
Agora, olha que gozado... vc é contra um feto sentir dor, mas é a favor da dor, do sofrimento e da matança de animais!!

Ebaaaa!!!! ESPECISMO HIPÓCRITA CHEGANDO!!! HAHAHAHA

Seria acusada de machismo pq, querida? Geralmente mulheres são mais sensíveis mesmo. Menos vc né? Quem tem atitudes psicopáticas!

Até agora não acredito que tenhas visto o documentário em inglês que te passei. SE assistiu e não sentiu NADA vendo como os animais são explorados, como eles morrem nas fazendas de abate...
Se NADA tocou seu coração... então, é melhor se afastar da sociedade.

Já lhe disse, existem inúmeros canibais que ADORAM comer carne humana.
E as tribos de outrora que adoravam comer carne humana, eram a sociedade de hoje. São pessoas como nós, nada de diferente.E adoram comer carne humana!

Mas realmente, vc teria que cometer o crime de tirar a vida de alguém sensiente, que não deseja ser morto e nem sentir dor para te satisfazer. A mesma coisa com os animais. Eles também não desejam sentir dor e serem mortos para encher a pança de ninguém.

Por favor, não perca mais seu tempo mesmo apresentando "argumentos"... hahahaha

É frustante conversar com gente como eu? Com vc eu não acho não... só me frusta vc não entender as coisas nem desenhando. Como eu disse, deve ser um caso de psicopatia, falta de sensibilidade.

Mariana. disse...

Pode ter certeza que, de você, eu me afasto com muito prazer. Assim como me afasto de qualquer um que pense que alguém é psicopata só por pensar diferente.

Mirella Nogueira disse...

Pois é, eu também me afastaria de qualquer um que pensasse que alguém é psicopata só por pensar diferente.
Ou melhor... não... Se alguém pensasse diferente no quesito VIDA e sensibilidade, daí não tem como não pensar que a pessoa é psicopata, não é mesmo?

Pois, se alguém pensa diferente do resto, achando que podemos e temos o direito de matar quem for, de inflingir sofrimento, de mutilar, maltratar e ainda por cima, NÃO SENTIR A MÍNIMA SENSIBILIDADE COM ISSO..

Daí...ahhh daí só pode ser psicopata mesmo!

E de psicopatas, quero distância!
O mundo já está cheio deles. As pessoas e os animais tem que manter distância deles, já!!!

São o cancêr do mundo!

http://www.youtube.com/watch?v=m89rYW0epTs

lola aronovich disse...

Meninas! Por favor, parem de brigar! (lembrei a fala de Dr. Fantástico: "Cavalheiros, não podem brigar aqui! Este é o War Room!"). Acabei de chegar aqui agora (como disse, estava sem internet nos últimos dias), e continuam rolando umas discussões. Nada contra um debate educado, mas o tom aqui realmente não tá legal. Dá pra ver que vcs estão chateadas uma com a outra. Mirella, acho que se a Mariana viu os vídeos e voltou aqui pra responder tantas vezes, é porque ela fez um grande esforço pra ver um outro lado. Eu senti pelo tom dos comentários dela que ela mudou um pouco de posição, ficou mais tolerante. Acho isso ótimo, muito louvável.
Eu sou especista, e, no mundo em que vivemos (que privilegia tanto o ser humano sobre todos os outros animais), é muito difícil não ser. Até a destruição dos habitats nos faz especistas. Mas já li textos de várias ongs que trabalham com proteção de animais (pra mim, todas essas pessoas são heroínas), e acho que há um exagero às vezes. Por exemplo, nisso de dizer pra não matar insetos. Eu tenho pavor de baratas. Pavor mesmo. Se aparece alguma em casa, eu tenho que tomar uma atitude. Não podemos ficar eu e ela no mesmo recinto. Geralmente eu peço pro meu marido (que também tem pavor, tadinho, mas como ele é homem, ele TEM que matar barata) matar. E mosquitos eu detesto também, mas não tenho pavor. É só que eles me picam e fazem barulhinho no nosso ouvido. E picam também os meus gatos. E ficam cheios de sangue, bem nojentos. Eu mato pernilongo. Sinceramente, até me sinto bem em matar pernilongo. Mas obviamente preferiria viver num lugar em que não existissem baratas ou pernilongos.
Os outros insetos a gente não mata. Mas minhocas são nojentas, lesmas também, e peço pro maridão colocá-las pra fora (ele as põe numa pá e as joga pra fora de casa, de volta pro jardim). Lagartixas são até benvindas, porque elas comem pernilongos. Mas também não gosto que fiquem no meu quarto (no banheiro, tudo bem). Outro dia entrou um sapo aqui, à noite. Eu fiquei morrendo de medo, e o maridão estava viajando. Tive que chamar minha mãe. Ela conseguiu espantá-lo pra fora, ufa.
Ah, e rato a gente mata. Quer dizer, eu não. Eu só me escondo e fico gritando histericamente.
Mas dá pra ver como a nossa seleção de espécies que consideramos aceitáveis e outras que consideramos asquerosas é bem arbitrária. Não tem a menor chance de eu ver uma barata com os mesmos olhos que vejo um cachorro. A maior parte das pessoas é assim. Logo, somos especistas. E fazer com que deixemos de sê-lo é um pouco utópico demais. Fazer com que o abate de animais seja mais “humanitário” (palavrinha hiper especista esta, né?), reduzir o consumo de carne, dizer que matar animais para fins estéticos é fútil e estúpido, tudo isso é possível e desejável. Quanto ao resto... não sei não.

E Zizi... Fiquei chocada com seu relato. Pedir pra crianças matarem filhotes de cães e gatos a pauladas... Horrível mesmo, seja aonde for.

Mirella Nogueira disse...

Lola, vejo que o assunto lhe interessa, que bom!

Bem, começando... eu me recuso a acreditar que ela tenha visto os videos, principalmente o Earthilings. Pois, se ela viu, e ainda continua a falar que é a favor de que se coma cães e de que ainda se aumente a variedade de animais para se matar e comer... daí só pode ser psicopata! Me desculpe!
Mas a falta de sensibilidade extrema desse jeito, de ver como aqueles animais sofrem, vivem e são mortos e ainda não sentir nada??? Pelo contrário, ainda piorar o discurso dizendo que é a favor de que todos os animais sejam mortos e comidos, só pode beirar a psicopatia!

Vc pode ter visto algum esforço de mudança da parte dela, mas eu não vi! Aliás, só vi piora!

Parabéns da sua parte admitir que és especista, realmente a grandessíssima parte da população é. Porém, a Mariana ainda tem a capacidade de nem admitir isso!
Vc pode achar utopia. Eu não acho! E graças que existem pessoas que não acham. Pois já pensou na época da escravatura, se os abolicionistas dizessem que eles acreditavam num futuro onde negros teriam como estudar com brancos em faculdades, que se vc ofendesse um negro vc iria preso, que iriam ter negros na presidencia de um enorme país como o "homem mais poderoso do mundo". Já pensou?? Iriam dizer a mesma coisa: Que utopia!
Isso vale o mesmo para as mulheres no mundo ultra-machista.

Sobre os exageros também é a mesma questão Lola.
Nós começamos a falar nos insetos pq a Mariana quis dar um ultimato dizendo que se matamos insetos, podemos matar tudo, oras!
O que eu não concordo! Foi o que questionaram vc com relação a comer cães.

Vc pode ter nojo de insetos (como muitos racistas tem nojo de negros), vc pode achá-los repugnantes (como muitos homofóbicos acham repugnantes os gays), vc pode detestar (como os nazistas destetavam judeus), mas isso não quer dizer que eles diferentes de vc! E com os mesmos direitos éticos. Vc pode não considerar uma barata igual a um cão, mas na verdade, esses dois animais nada tem de diferente de nós!
É claro que jamais virei aqui dizer assim: Ahhhh eu moraria numa casa cheia de baratas. Ou então: não mato mosquitos da dengue etc.
Apesar deles terem os mesmos direitos de vida como eu, a coisa se baseia no quesito sobrevivência.
Não mato um bicho pq o acho nojento. Eu acho besouros super nojentos, mas não vou exercer meu ódio matando um bicho que nada me faz e não me transmite nenhuma doença.
Diferente de animais sinantrópicos que, infelizmente por nossa culpa, se tornaram animais que nos transmite doenças. Se vc for pensar bem, é algo injusto pois nós somos os grandes responsáveis pela transmissão das doenças deles (como o caso da pomba, da barata, do rato) e eles pagam o pato; e, se formos pensar assim, teríamos tb que exterminar pessoas transmissíveis de doenças.
Mas tudo bem, não vamos entrar nesse mérito. Só quero dizer que, pela sua sobrevivência qualquer ser luta. Ou seja, nesse caso não é especismo.

Mas só vou te contar uma história sobre isso que eu acho bem legal e vc pode conferir em qualquer video sobre a Gorila Koko (aquela Gorila que é estudada há anos e conversa de igual pra igual na lingua dos sinais, e já sabe mais de 3 mil palavras - e olha que a Mariana ainda acha que animais não tem consciência hein.... hahaha).
Bem, a história é assim. Um dia Koko estava na sua jaula, sem nada pra fazer e viu uma aranha que tinha acabado de entrar pela jaula também. O que a Koko fez? Ela estendeu sua mão perto da aranha, ela esperou a aranha subir nas costas de sua mão, ficou olhando pra ela maravilhada como que para um animal tão pequeno, passou para a outra mão, e pôs a mão no chão do outro lado da jaula para a aranha poder sair de sua jaula e seguir a vida dela.
E é impressionante toda a docilidade e a sensibilidade de um animal que pesa meia tonelada e tem caninos (apesar de ser vegetariana) de 15 centímetros).

Mirella Nogueira disse...

E logo depois de uns dias, ela fez a mesma coisa com um passarinho que apareceu na casa onde ela fica. Ela salvou o passarinho e o colocou na janela pra ele voar e seguir sua vida.

Pra aquela Gorila, os dois animais não tiveram nenhuma diferença em seu julgamento de que merecem a sua ajuda e que merecem viver.

Eu só acho gozado uma coisa... medo de barata?? De rato?? De sapo?? Isso sim que eu acho exagero..hehehe. Olha, eu sei que pavor sem sentido é algo até descrito até na psicologia como doença ou distúrbio psicológico mesmo. Mas eu tenho medo é de estupradores, assassinos e psicopatas. Disso é que eu tenho medo!

Como eu disse, deixar de fazer as pessoas serem tão especistas é utópico demais, mas não é impossível e jamais vou me dar por vencida...rs. E não me dou por vencida pq AINDA acredito no ser humano. POis já dizia Leonardo Da Vinci: "Haverá um dia em que o homem compreenderá o íntimo de um animal, e, nesse dia, um crime contra um animal será julgado como um crime contra a humanidade".

Reduzir o consumo de carne é imprescindível e não o contrário como prega a Mariana, querendo liberar todos os animais para consumo.
Abate humanitário é ridículo. Até pq, esses animais de abate sofrem muito mais em vida do que na hora da morte. Seria a mesma coisa que pegar aqueles judeus sofrendo daquele jeito nos campos de concentração e, ao invés de utilizar camaras de gás, colocar músicas clássicas pra eles escutarem e lhes darem um tiro de pistola com ar comprimido. Rápido e indolor.

Esse negócio de abate humanitário é tão perigoso, pois se torna uma justificativa "legal, e aceita ética e moralmente" para isso. Dizendo assim: "ah, mas esses animais sofrem menos na hora da morte". Não dá né?

Seria a mesma coisa que discutir pena de morte dizendo se a pessoa será eletrocutada no anus ou no peito.

O que temos que fazer é cada vez mais parar de consumir alimentos animais. Isso sim! E não gastar energia com abate humanitário e boi escutando música clássica.

Olha, se vc olhar ao vivo um abatedouro, só a viagem deles até lá, só o local onde são mortos, os animais já começam a sofrer e a ficarem desesperados antes, prevendo a morte iminente. O cheio e pavor de sangue entranhado, já os fazem sofrer demais.

Abate humanitário é ridículo!

É a falácia das companhias frigoríficas!

Mariana. disse...

É incrível como ela distorce o que leio: eu não admiti que sou especista???
Eu admiti sim, só disse que não vejo problema algum nisso. Não mato baratas pelos mesmos motivos que a Lola e, ao mesmo tempo, dou beijo de focinhos no meu cachorro. Sou especista por ser normal.

E os vídeos (que eu vi sim, não todos, por que meu tempo não pode ser todo gasto na internet, mas vi vários), me tocaram sim, mas não vou parar de comer carne. E se você me a acha psicopata por conta disso, acha a mesma coisa de 80% da população mundial.

Mirella Nogueira disse...

Nossa... ainda piorou!!! hahahahaha
Ainda admite e não vê problemas nisso! Pelo menos a Lola vê problema, tem sensibilidade com vááários animais. Já vc não, ainda os quer comer! My gód! hahaha

Vc deve utilizar disso tb com racismo, machismo, nazismo né? Admite que os tem e tb não vê problemas? Ou é só com relação aos animais, ou é só no especismo??

Pq se for... lá vem o catolicismo novamente! "Os animais foram feitos para servir ao homem". Sua frase predileta!

Beijos de focinho no seu cachorro?? Espera ele saber que vc é a favor de coreoanos os matando e os comendo. Que é favor ainda de uma indústria de abate de cães para comer.
Olha, ele iria querer ficar bemmm longe da boca voraz! hahaha

Não querida, 80% da população mundial não viu os videos. Muuuito menos disso os viram. E é como a Lola falou, a grandessíssima maioria das pessoas come carne pq não a judiaria que há por trás disso. A Lola mesmo, ao ver o simples filme do babe já parou de comer porco por mais de um mês!
Principalmente o documentário em inglês que eu te passei mostram cenas chocantes de como nós exploramos os animais (seja pra alimentação, divertimento, indústria de vendas de cachorros e gatos, CCZs, na ciência, etc.
São cenas muuuuuuuuito mais chocantes até que cenas de tortura em campos de concentração.

E, se vc as viu, e depois disso ainda sai falando que é favor de se amplie a gama de animais para se comer, vc SÓ PODE SER PSICOPATA!

As pessoas nem associam a carne que compram em supermercado a um animal morto. E ainda preferem acreditar que eles vivem bem em fazendas, soltos e depois quando velhos são mortos de forma indolor. Bem diferente do que ocorre de fato. Pq se souberem, IRÃO SE SENSIBILIZAR e isso estragará o almoço delas.

A grandessíssima maioria das pessoas (quando não são psicopatas), ao verem UM só animal morrendo, fica chocada, SENSIBILIZADA, reflete, fica sem comer carne por semanas e até viram vegetarianas.

O filme que te passei mesmo, quem o assiste de verdade, do começo ao fim e não vira vegetariano ou ao menos se sensibiliza DE VERDADE, só pode ser PSICOPATA!

Quer vc queira ou não!

Mirella Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirella Nogueira disse...

Ahhh e outra coisa... 80% da população não é a favor de que se coma cães e de que se saia comendo todo o tipo de animais, como vc disse que é a favor.

Portanto, 80% da população não é psicopata!

Ahmadinejad disse...

Mirella Nogueira, você deve ser igual a dona desse blog, uma gorda véia e feia, meio lésbica, e rejeitada pela sociedade "patriarcal" e "racista", querendo defender causas "nobres" para parecer alguêm de importância.
Eu recomendo-lhe deixar as pessoas viverem e pensarem como bem queiram, porque não vai fazer sexo, ler um livro?

Obs: Sou vegetariano mas odeio esse papo eco-autoritário-comunista.

Mirella Nogueira disse...

hahahahahahahahahaha...

Vindo de um anônimo o que se pode dizer?
Nem se levar a sério, rir, apenas isso! hahahahahahahahaha

Deixar viver? Isso realmente eu faço! Eu vivo e deixo viver, humanos e animais! :)

Mirella Nogueira disse...

Ahhhh e com certeza que com essa cabecinha vc é vegetariano...
Ô, com certeza!

Com essa ética, com essa sensibilidade toda, com esse apreço pela vida alheia... Ô, deve ser um dos vegetarianos "Marianais" que adora defender um bifinho de cachorro e saborear carnes nobres... rs

Vai colocar uma coragem nesse corpo!

hahahahahahahahaha

Ahmadinejad disse...

Você não reconhece que alguns vegetarianos são muito agressivos?
Eu sou vegetariano sim, e justamente por já ter convivido dentro desse ambiente, ter conhecido outras pessoas vegans, militantes da causa e etc, sei bem que alguns extrapolam, ao ponto até de não considerarem amizade de pessoas "carnívoras".
O "anti-especismo" é uma baita incoerência aonde certos seres humanos pregam o fim da própria espécie em prol dos "bichinhos fofinhos", assim como as feministas querem extirpar as diferenças naturais entre os gêneros e os igualitaristas querem acabar com as diferenças entre as etnias e as culturas.

Vejo com tristeza que o movimento ecologista de hoje, tem todos os disparates convenientes da esquerda judaica, menos naturalismo e ecologia.

Mirella Nogueira disse...

Gozado que vc julga de agressivos alguns vegetarianos e diz que alguns extrapolam e chega aqui sem nenhuma coragem para mostrar a cara e cheio de preconceitos (especismo, machismo, homofobia, misoginia, etc) e muitos ismos e ainda quer fazer acreditar que és vegetariano? E ser levado a sério? hahahahahahahaha

Seu discurso está igual ao: "Não sou racista, até tenho um amigo negro".

hhahahahahahahaha

Tá bom criança, tá bom!

Vegetarianos costumam defender a VIDA. E não o contrário! E dificilmente vegetarianos são tão racistas preconceituosos.

Só me lembro de um assim: HITLER!

Serás vc Hitler, covardão sem coragem de mostrar a cara com apelido de Ahmadinejad? hahahahahahahaha

Vai colocar uma coragem nesse corpo!

Ahmadinejad disse...

Chamar seu antagônico de racista ou machista é o argumento mais desprezível que há, quer mostrar que você ganha um debate assim?

Se não notou foi esse o objetivo de usar o nick Ahmadinejad, eu poderia ter colocado Hitler, ou outro qualquer que vocês têm pesadelo de noite.

Eu não sou Politicamente correto, não gosto de lésbicas mal amadas mesmo, nem essa petralhada corrupta e etc, mas não fico me fazendo de "bom moço" como alguns de vocês.

Mas diz ai, você reconhece ou não que alguns vegetarianos são agressivos em seu tom de evangelização?
Sou lacto-vegetariano, se vc for vegan então eu não seria mesmo a linha extrema que você gostaria ahuehuae.

Mariana. disse...

Nossa, Mirella, pára com isso!

Por que você insiste em tirar conclusões sobre assuntos que não foram debatidos? "Ah, se você pensa isso, deve ser nazista e machista".
Poxa, é ridículo o que você faz, ainda mais com esse tom histérico.

E se quer saber, já passei dois anos da minha vida sem comer carne (embora comesse produtos de origem animal), mas passou! Não quero mais isso pra mim! É difícil aceitar que existem (milhões de) pessoas que pensam e agem diferentemente de você?

E se quer saber, sou feminista com muito orgulho, e atéia também. Mas acha que eu vou ficar importunando as pessoas para que elas virem atéias também, sendo que eu detesto quando alguém insiste em me converter?

E eu tenho total conciência de que os animais são extremamente mal tratados durante a vida e na hora da morte, muito antes de você me mostrar esses vídeos (típico de escola católica que mostra filmes sobre aborto, pra mostrar o quanto isso é errado. chocar nem sempre é o caminho). Será que mesmo assim, eu posso optar por continuar comendo carne sem ter que dar um print e entrar com uma ação criminal por crime de injúria, já que pedir pra você não me chamar de psicopata não adianta? Por que você pode ter certeza que a classe média inteira, e daí pra cima, sabe que os bichinhos não tem uma existencia digna, mas os churrascos no domingo continuam rolando.

Sabe, não há nada a ganhar num debate onde impera a ironia e ofensas, e você, na sua certeza absoluta de que está inteiramente correta e protegida pelo manto da verdade, é mestre em fazer isso (estragar uma discussão).

E eu vou continuar beijando meu cachorro e ele vai continuar me amando, e eu a ele, e nada do que você diga vai mudar isso. E se ele pudesse realmente me entender saberia que apesar de eu prezar a liberdade, não como carne canina.

E a história da gorila demonstra que animais tem senso de moral independente de temores como, por ex., deus. Nada mais.

Mirella Nogueira disse...

Meu bem, o "argumento" mais desprezível que há é usar de homofobia, racismo, gordofobia, machismo e misoginia. E foi o que vc usou!
Portanto, ÉS MACHISTA, RACISTA, COVARDÃO HAHAHAHAHA.

Vc é que se demonstrou assim!

Ganhar num debate? Que debate cara pálida? Vc não debateu nada! Só veio aqui e xingou hahhahahaha, utilizando machismo, racismo, homofobia e isso tudo sem mostrar sua carinha... hehehe

Além de vc não se fazer de bom moço, vc não é bom moço. Aliás, nem sabemos se é moço mesmo. Pois não tem nem a mínima coragem de colocar a carinha aí... hehehe

Querido, agressivo foi vc! E se não consegue ver isso, vc tem sérios problemas (além de todo o racismo, machismo, ESPECISMO e homofobia entranhados) psicológicos. Vai se tratar e mais uma vez colocar uma coragem nesse corpo!

Duvido muito que sejas vegetariano, e, se realmente fores, COM CERTEZA não é por ética aos animais.

Pois como bem vemos, ética é algo que vc não tem, nem por nada e nem por ninguém!

Mirella Nogueira disse...

Olá Mariana!

Parar com o que? De debater, JAMAIS darling!

Conclusões sobre assuntos que não foram debatidos? Aonde foi que fiz isso?

Fofa, vamos recapitular MAIS uma vez pra ver se algo vc entende, ok? Eu tenho bastante paciência!

Quando alguem é a favor de campos de concentração, ela é o que? NAZISTA, ok?
E o que são as fazendas de criação de animal pra corte? CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO até piores do que os campos nazistas.

Se vc é a favor disso, vc é NAZISTA! Vc pode não ser em relação ao ser humano, pois aí se trata do ESPECISMO (que é um racismo ampliado - um racismo bom base na espécie).

Capitulou?

Tom histérico eu?? hahahahaha
Querida, não estamos nem conversando ao vivo, como poderia estar com tom estérico? Sou apenas uma pessoa feliz que ri muito...rs

Ah é? Mas me diz uma coisa... pq que vc passou 2 anos da sua vida sem comer carne?
Com certeza não era ética com os animais, pq mesmo quando uma pessoa que era vegetariana pelos animais não aguenta e volta a comer carne, ela JAMAIS vai querer campos de concentração (fazendas de engorda e de matança) para TODOS os animais, inclusive cães e gatos, como vc!

É claro que eu respeito quem pensa diferente de mim, mas estou no meu DIREITO e na minha consciência de DEBATER! De ir contra e de TER A CERTEZA de que uma pessoa que não tem a mínima sensibilidade com o sofrimento alheio, só pode ser psicopata!

O que vc faz ou deixa de fazer, se vc importuna ou deixa de importnar alguém é problema seu! Não me diz respeito!
Mas realmente eu duvido que vc lute por uma causa nobre, afinal, costuma ficar em cima do muro né? Quer dizer, quando se trata de humanos, pq com animais seu pensamento é bem esclarecido: VAMOS MATAR! MATAR E SAIR COMENDO TUDO!

MENTIRA! Vc não tinha consciência alguma do sofrimento desses animais. Tanto é que vc chegou dizendo para se fazer fazendas com cães para serem mortos iguais aos bois e dizendo que eles não sofrem, e ainda morrem de forma indolor... hahahahaha

faça-me rir né!

E o pior de tudo é que agora, que vc já sabe como é e, se ainda por cima assistiu ao Earthlings, AINDA TEM A CAPACIDADE DE VIR DIZER QUE DEVEMOS AINDA AMPLIAR A GAMA DE ANIMAIS PARA COMER???
DEPOIS DE SABER O QUANTO ELES SOFREM???

E AINDA NÃO QUER SER CHAMADA DE PSICOPATA????

Querida, não tem outro meio que não seja chocar? O motivo não é chocar, é mostrar o que acontece. As pessoas que não são psicopatas se chocam pq o troço É EXTREMAMENTE CHOCANTE!

E queira quer não, vc é SUPER HIPER católica. A sua postura diz isso claramente: "os animais foram feitos para servir ao homem".

Huuuuuuu!!! Ameaça de ação criminal? hahahahahahaha
Mariana, vc pode fazer o que vc quiser! Afinal, já cometeu vários vezes o crime de apologia ao crime. Acha que vou ter medo disso e me calar? Vc tem meu nome completinho aí, vá em frente querida! rsss

Mas vou continuar CLAMANDO que, uma pessoa que não tem A MÍNIMA SENSIBILIDADE É PSICOPATA! Se vc não sabe a definição para a psicopatia é essa: Aceitar maus-tratos com animais e principalmente a falta total de empatia, sensibilidade.

Não posso te dar um diagnóstico e afirmar que eres psicopata, mas pra mim e pra psquiatria, a falta de empatia é = a psicopatia!

Entendeu?

Agora, comer sua carne vc pode. Não deveria, mas pode. Comer a carne de cachorro é que não pode.

Saber que os bichos não tem um tratamento digno é uma coisa, mas ver ao vivo (ou em filmes) todo o sofrimento e ainda continuar com apologia ao crime e ainda dizendo que deveríamos COMER TODOS OS ANIMAIS é demais!

Reitero: falta de empatia = psicopatia!

Mirella Nogueira disse...

Não te ofendi em momento algum querida. Dizer a minha opinião não é ofensa, Mariana. Pra mim e pra psiquiatria falta de empatia e sensiblidade é psicopatia!

Não te ofendi de nada. Quem ofendeu aqui foi o Ahmadinejad, coitado... hahahaha
Aliás, vc tb perdeu as estribeiras dizendo que a falta de proteína animal estava me limitando a inteligência; dizendo que sou lunática, etc. Mas pode deixar que não te ameaçarei, até pq ameaça e coação tb é crime e jamais ameaço alguém, viu.

E também não estraguei debate algum. Se vc não tem a capacidade para continuar debatendo a culpa não é minha. Rebati todas as besteiras que falou e faltou em ti contra-argumentação.

Que bom que vais continuar amando SEU cachorro, mas não a espécie canina que vc deseja ver em campos de concentração para serem alimentados por coreanos ricos. É uma pena!
Se seu cachorro pudesse realmente te entender, ele não compreenderia! Pode ter certeza!
Seria a mesma coisa que sua mãe dizer que é a favor de que se comam gente e beijasse vc na boca.

Bizarro!

Exatamente isso a história da Gorila. Mas demonstra algo mais. Demonstra que eles são capazes de sentir uma empatia com seres de outra espécie, não apenas da sua. Isso é o mais importante!

Ahmadinejad disse...

"Quando alguem é a favor de campos de concentração, ela é o que? NAZISTA, ok?
E o que são as fazendas de criação de animal pra corte? CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO até piores do que os campos nazistas."

Mirella, os animais não são anti-nazistas, é diferente!
Pelo contrário, o Leão quando caça, pela lei do mais forte, ele é um nazi! O Urso caçando peixes é magníficamente Hitlerista e demonstra a luta pela sua própria espécie.
Ética pelos animais é muito diferente de ética pelos meus inimigos, que querem me exterminar conscientemente.

Toma cuidado mirella, você vai ser processada, fez injúria contra a garota ali, não eu!

HAEUHaue

Tá, brincadeiras a parte, só estou "causando", vou seguir lendo as vossas discussões acaloradas e rindo com a Mirella. :P

Anônimo disse...

Nossa, Mirella, você é louca. De pedra.

Mirella Nogueira disse...

Leão nazista e urso hitlerista foi demais! hahahahahahahaha

Não sabia que leões tinham campos de concentração e nem que ursos tinham partidos potílicos assassinos... E nem que levantavam o braço e gritavam "Hey Hitler"

hahahahahaha

Nossa, vc tem inimigos que querem te exterminar conscientemente? Caraca! Coitado de vc, o que andou aprontando? Só destilando seu machismo, especismo, homofobia e racismo?

E pronto, vc já respondeu! Não é vegetariano por ética aos animais... eu sabia! hehehehe

Não fiz injúrias contra ninguém, mas fui injuriada por alguém sem coragem alguma... VC! hehehe

Como consegue dormir a noite sabendo que é covardão medroso? Eu não conseguiria!

Não está causando. Só está demonstrando a parte mais podre de onde um ser humano pode chegar: racismo, especismo, homofobia, machismo, misoginia.

Renato Muller disse...

cheguei aqui através de um link para essa discussao que foi posta na comunidade de vegetarianos do orkut.naum sei pq li tudo isso. naum precisava pq eu jah sabia o que iria encontrar aqui.eh logico que encontraria um bando de adolescente que naum tem coragem pra mostrar o rosto, vindo aqui como anonimo apenas para insultar uma menina que luta e com muita base e clarevidencia pra isso.
Isso eh muito podre.
Teve ate outra menina que fez a maior apologia ao crime e ainda ofendeu a outra de burra e lunatica e vem ameaçar de açao criminal. eh ridiculo. agora vcs adolecentes idiotas mostrem a cara.
naum conseguem debater pq naum tem como defender o consumo de carne.
cresçam e apareçam. vou chamar varios vegetarianos nas outras comunidades pra virem aqui tambem, pq eh muita sacanagem covarde virem agora de anonimos pra tentar desmoralizar todo o debate consciente que a vegana mirela esta tendo.

Ahmadinejad disse...

Ganhei de Nietzsche, em tantos "ismos" que eu sou! Oba! hauehuae

Que diferença de "coragem" faz eu usar um nome próprio ou me identificar numa conta de blog? daria muito bem para ser um fake, assim como Mirella Nogueira é mais comum que Silvio Santos hehehe.

Mas ja estou fora agora mirella, você que discuta com a sua amiga, eu não tenho paciência assim não ahuehaeu. A propósito, que idade vc tem?

Mirella Nogueira disse...

Vc ganhou é na comédia: leões nazistas e ursos hitleristas... hahahahahaha

A diferença é absurda! Pois, se vc não sabe nem que por esse meu link dá pra vc acessar meu blog (aliás, vai lá falar as suas besteiras lá vai, pra eu rir... leão nazista... hahahahahaha) e de lá dá pra acessar meu orkut.

Aliás, nem precisa gastar seus neurônios com isso, eu mesma já coloquei link do meu orkut aqui.

Já vc o que fez, covardão? Não colocou nadinhya para não ser identificado. Afinal de contas vc ofendeu e ainda por cima destilou seus ismos criminosos: misoginia, machismo, especismo, racismo e homofobia!

Ahhhhh já vai??? Que pena! hahahahaahahahahaha

A minha idade só interessa a mim!

By medrosinho! :)

Má disse...

Me desculpe mas,
"Crime de injúria" achei totalmente exagerado.

Daniel disse...

Poxa, cada vez perco mais a fé nos seres humanos. A Mirella foi extremamente clara em seus argumentos, foi sempre bem lógica e concisa. Só não entende quem não quer. Li aqui até pessoas que se dizem especistas e não vêem mal algum nisso. As pessoas foram e ainda são preconceituosos com negros, mulheres e homossexuais, mas nenhum preconceito é maior e mais cruel em um nível quase inimaginavél como com os animais.
As unicas vezes que seres humanos foram quaaase tratados como os animais são tratados hoje, ficaram marcados na historia como periodos negros e vergonhosos.
Preciso citar exemplos?? Acho que não.

Daniel disse...

Mariana

Me desculpe mas,
"Crime de injúria" achei TOTALMENTE exagerado. (2)

Até pq tudo que ela falou esta correticimo, tanto é que vc não teve argumento para refutar absolutamente NADA.

Luciana disse...

Aff! Pq vc não vai ameaçar de processo quem maltrata, judia e mata de animais?
Falou coisas horríveis aqui e quer ameaçar gente que luta e defende os seres mais avacalhados desse mundo?
Como vc é ridícula menina.
Vc é a favor que se comam cães e qualquer outro animal? E ainda diz que se podem pagar, pq não? fazendas de cães para abate? e isso depois de assistir Earthilings?
Aonde vamos parar no mundo com a crueldade humana? nada mais me surpreende.

Mariana. disse...

A argumentação da mirella não foi excelente pelo simples fato de ela não ter convencido ninguém. Vocês não estão realmente analisando o que ela disse (ou o que eu disse), estão só levando em conta o fato de partilhar do vegetarianismo com ela. Triste para o debate.

E você pode não acreditar mirella, mas quando eu parei de comer carne foi pelo mesmo motivo que você: compaixão aos animais. Mas depois cresci e vi que meus esforços eram inúteis, que as coisas continuavam acontecendo e aí, resolvi voltar. Veja, nesse tempo eu não tinha parado de gostar de carne, me sacrifiquei por algo que hoje sei que é inútil. É por isso que digo que seu pensamento é utópico. Não vejo, num futuro próximo, a possibilidade de nós, humanos, pararmos de comer carne. É algo irreal. E mesmo se os seres humanos decidissem ser justos e bondosos, ainda sim seria um sacrifício e tanto parar de comer, como foi pra mim. Então, se o consumo de carne vai continuar acontecendo (a gente querendo ou não), porque permitir o consumo apenas da carne que o acidente considera aceitável?

Você não foi incoerente. Mas eu também não fui: você pode achar errado, mas não incoerente. Incoerente é comer vaca e ser contra comer cão. Por que a diferença??? Eu os trato diferente, mas não posso esperar que todos vivam como eu.

Mariana. disse...

De pensar que tudo isso começou só porque eu colei algumas legislações aqui, pra elucidar o tema (porque eu estava em dúvida se era ou não proibido comer cachorro. e descobri que não é, e que os coreanos foram presos por terem cometido outros tipos de crime), e aí a mirella, no afã de atacar alguém, nem leu o que eu escrevi e me acusou de defender a conduta dos japas... Eu me ocupei de esclarecer o mal entendido imediatamente, mas aí já era tarde de mais: eu era nazista, racista, homofóbica, machista e tudo mais que há de pior no mundo.
Não fosse esses ataques, as ironias (que podem até enriquecer uma frase, mas não surtem efeito positivo num debate) e o histerismo, eu consideraria o que você disse válido, coerente. Mas antes de achar 'absurdo' o que qualquer pessoa diga (eu qualquer lugar), tente pensar como ela. É uma dica boa, não tô querendo de dar lição. Tente ver o que faz a pessoa pensar assim. Pergunte. E aí, pode começar a dizer, sem ofender, tudo o que faz você pensar diferente.

Pode ter certeza que eu não vim com preconceito algum em relação as suas idéias. Que eu estava disposta a ouvir, mas todas as coisas eu já tinha ouvido, quando decidi parar de comer carne. Isso não adianta, mirella. Sem contar que meu cachorro ia detestar se eu virasse vegetariana de novo, porque eu sempre divido meu bife com ele e, claro, adora. Mas sério: as pessoas vão continuar a comer carne, muitas delas sabem do sofrimento que os bichos passam e, nem por isso, elas são psicopatas.

Até simpatizo com o modo de vida politicamente correto. Mas o 'politicamente correto só fica aí, né? Porque não você não admite pensar diferente de você. Isso é muito ruim. Intolerância não tá com nada.

Do mesmo modo que pra você é absurdo comer carne, tem gente que acha absurdo mulher usar calça jeans e fazer aborto, tem gente que acha inaceitável nao crer em deus, tem gente que acha uma tremenda idiotice não votar no pt e o mundo tá assim por conta desse comportamento intolerante. Viva como você acha melhor, e eu vivo do modo que eu acho melhor.

E seria muito legal que vocês todos passassem a rebater idéias, e não pessoas. Como eu estou fazendo. Grata.

Mariana. disse...

AH! e pra quem disse que o crime de injuria é exagero, sugiro abrirem o código penal e verem a tipificação do crime. Claro que não vou entrar com ação alguma, mas que caberia, caberia.

Mirella Nogueira disse...

Mariana, acho que quem não
convenceu ninguém aqui foi vc! Alguém veio a favor de alguma coisa que vc disse? Ninguém! hehehe

Isso sim é triste para o debate!

Olha, não acredito MESMO que vc tenha parado de comer carne por compaixão aos animais. Vc tinha a idéia de que não sofriam em ampos de concentração (fazendas de abate), e ainda é a favor de que se façam mais fazendas de abate para todos os animais do mundo. Que compaixão é essa????? Seu senso ético está TOTALMENTE conturbado hein??? Caraca!

Outra coisa triste que vc disse, vc disse que voltou a comer carne pq viu que as coisas continuavam acontecendo? hahahahahaha.
Mão vamos falar essas coisas pertos de gente que judiou de alguém, que maltratou, de uma criança que provocou Bulling... pq já pensou ela?: "ah, pq vou parar de maltratar, judiar e provocar bulling se as coisas continuam acontecendo e não vai ser eu que vou mudar o mundo"?
AINDA BEM QUE OS ABOLICIONISTAS NÃO PENSAVAM ASSIM!

E vc ainda vem dizer que é algo inútil? Que pensamento mais pequeno Mariana!

Vou te contar uma historinha bem infantil, mas vc vai entender. Eu espero!

Numa praia bem extensa estava um pescador aproveitando a ressaca do mar do dia anterior, para pescar, já que os peixes estavam ainda atordoados pelo mar bravio do dia que passou. A areia estava repleta de estrelas-do-mar morrendo, havia milhões delas!
E o pescador notou ao longe um menino que estava a fazer todo um ritual: ele pegava com todo o cuidado uma estrela do mar, andava até a água, entrava no mar até a altura da barriga e atirava com cuidado a estrela-do-mar mais ao longe. Depois com todo esforço voltava e aí buscar outra.
O pescador, intrigado, foi ter com o menino e disse: "Menino, vc não está vendo que isso é inútil? Deixa isso e venha pescar comigo. Olhe quantas estrelas-do-mar estão morrendo na areia, há milhões delas. Vc não vai conseguir salvar nem 5%. Isso é utopia. NÃO VAI FAZER DIFERENÇA!"
O menino pegou, olhou para ele incrédulo e nada disse. Voltou a pegar uma estrela-do-mar, andar com cuidado pela areia, entrar na água e depositar a estrela-do-mar no oceano. Depois ele voltou e disse ao pescador: "Pra ela, EU FIZ A DIFERENÇA!"

Portanto Mariana, não seja tão pequena, acredite sim! Tanto acredite que cada vez as pessoas estão se tornando mais e mais vegetarianas. Os debates sobre os direitos dos animais e sobre bioética estão em vigência.
Acredite!

Num futuro próximo, se o ser humano não se extinguir, o mundo caminha para o vegetarianismo. Assim como para a extinção de outros preconceitos e intolerâncias (machismo, homofobia, racismo).

"Seja a mudança que vc quer ver no mundo!" (Mahatma Gandhi)

Sacrifício não é parar de comer carne, sacrifício é o que fazemos aos animais. Aliás, é canificina!
E mesmo se for sacrifício, eu acredito que uma pequena parte de seu corpo, a língua (responsável pelo paladar), não comanda todo seu senso ético não é mesmo? Pq se for, é uma pena!
É uma pena que um gosto diferente na boca valha tudo. Todo o sofrimento e a carnifina.
Com certeza canibais também pensam assim!

E é dessa gente que não precisamos no mundo!

Mirella Nogueira disse...

Então, se o consumo de carne vai continuar acontecendo (a gente querendo ou não), porque permitir o consumo apenas da carne que o acidente considera aceitável?

Pq o correto Mariana é a gente DIMINIUR o consumo de carne, E NÃO AUMENTAR A DEMANDA E AS ESPÉCIES ANIMAIS PARA COMERMOS.

Lembra-se na época da escravatura que o troço foi aos poucos? Primeiro libertaram os velhos, crianças e por aí foi.
Já pensou alguém falar assim lá: "Bom, já que tem escravidão mesmo, vamos escravizar e torturar mais raças". Ao invés de falar: "Vamos diminuir até cessar a escravidão".

Viu como é pensamento psicopático?

O gozado é vc se lamentar por todo o preconceito que vc como atéia sofre. Olha como é pensamento psicopático. Vc só enxerga O SEU LADO! Pq areia no C* dos outros é refresco! Vc se revolta pelo preconceito contra ateus, mas não está nem aí com o preconceito especismo, os maus-tratos a subjugação e a carnificina que BILHÕES de animais passam TODOS OS DIAS!

CADÊ SUA ÉTICA, SUA SENSILIDADE PRA ALGO QUE NÃO ESTENDA A TI? CADÊ SUA EMPATIA?

Realmente não há diferença alguma entre comer vaca ou comer cão. Dá no mesmo!
MAS MARIANA ENTENDA DE UMA VEZ: Não é pq dá no mesmo no campo ético, que então devemos estendar para a morte de cães tb! Entendeu?
A pergunta não pode ser essa: "Pq não comer cão?". E sim: "PQ COMER VACA?"

ENTENDEU?

O que vc pode, DEVE, esperar e fazer é contrinuir com o mundo e com a extinção de preconceitos e subjugação e NÃO DISSEMINAR!

PQ ISSO SÃO PARA PSICOPATAS! GENTE MUITO RUIM MESMO! SEM EMPATIA!

Mais uma vez volto a falar: COMER CACHORRO É CRIME SIM, SALVO EXCESSÃO DE EXTREMA NECESSIDADE, MAS DAÍ COMER GENTE TB ENTRARIA NESSA.

E vc defendeu a conduta dos coreanos (japas??) sim senhora! Disse ainda que se eles poderiam pagar, que mal há nisso?

Bizarrice total!

Não Mariana, eu disse que tu és especista (vc mesmo admitiu e ainda por cima disse que não via problema nisso... caraca... hahahaha).
Nazista, racista, homofóbica e machista eu acredito que tu não sejas, até pq o teu ESPECISMO não deixa. Vc só é isso tudo com relação aos animais, que vc está pouco se lichando.

Mirella Nogueira disse...

Vc jamais consideraria o que eu disse válido, Mariana, pois, mais uma vez, o teu especismo te impede!

Não teve ataque nenhum, pare de se fazer de vítima menina, quem é vítima aqui são os animais que "assistem" a essa discussão sendo degolados, fritados vivos, esquartejados. Portanto, menos de se fazer de vítima, ok? Isso tá ridículo!

Outra coisa, vc tem que saber se virar com as ironias, oras? Isso é muito comum num debate. Eu fui até xingada aqui de gorda, feia, que deveria fazer mais sexo... hahahahahaha.

Eu me importei com isso??? Claro que não! Estou aqui para debater, ir contra se eu acho que devo ir contra e dizer o que eu penso.

E histerismo foi demais hein... hahahahahahaahaha.

Vc tem que ter mais jogo de cintura!

Juro que eu tentei imaginar o que te faria pensar assim, mas só me veio a psicopatia na cabeça. Pq vc não demonstrou NENHUMA SENSIBILIDADE COM OS ANIMAIS, MARIANA. NENHUMA EMPATIA!

Vc assistiu mesmo ao Earthlings inteiro?? Jura???

Já lhe disse mas vou repetir pq vc desvirtua o que eu falo. As pessoas comerem carne não as torna psicopatas. Porém Mariana, muitas pessoas sabem que os animais sofrem nessas fazendas (campos de concentração), mas nunca viram ao vivo (ou em filmes, etc). Pq "o que os olhos não vêem, o coração não sente".
A grande maioria das pessoas, se assiste, fica muuuuuito chocada, com pesadelos até, e uma grande parcela se torna até vegetariana.

Agora vc não. Vc não consegue ver a sua total falta de empatia? Vc veio aqui dizendo que tinha assistido ao documentário em inglês e dizendo que não se importava. E que ainda era a favor de mais campos de concentração para outros animais, outras espécies.

Então o que é isso??? É TOTAL FALTA DE SENSIBILIDADE. TOTAL FALTA DE EMPATIA.

FALTA DE EMPATIA = PSICOPATIA!

Imagina alguém ver um documentário mostrando os horrores do nazismo, dos campos de concentração nazista, e depois disso a pessoa dizer que não se importa e continuar sendo a favor dos campos e ainda que se amplie e se mate mais???

Vc não teria certeza da psicopatia da pessoa?

E sabe o que parece quando vc diz: "eu tb já fui vegetariana"?

Parece carola! Tá igualzinho quando a pessoa quer falar algo totalmente racista mas quer dar alguma credibilidade e dizer que não é racista, ela diz: "eu não sou racista, tenho até um amigo negro".

Ahhhh por favor né!

Intolerância realmente não tá com nada! O que eu não admito é apologia ao crime. É apologia a maus-tratos com animais. É A INTOLERÂNCIA e os preconceitos contra negros, gays, mulheres, ANIMAIS, etc.

Isso é intolerância! Não inverta o jogo, seria muita sujeira da sua parte fazer isso.

Alguém achar absurdo mulher usar calça, fazer aborto, não crer em deus, votar no PT, apesar de ser extremamente burrice, absurdo e intolerância, não há o caráter MORTE nisso. Isso é cada um pensar como quer, e é a liberdade de expressão. BEMMMM DIFERENTE DE MAUS-TRATOS E MORTE.

Também sou a favor de "viva o modo como achar melhor", mas desde que não fira ninguém. Pq senão, temos que estar preparados a aceitar assassinos, estupradores, ladrões, pedófilos e toda a sorte de gente ruim. Eles tb estão vivendo como eles querem, mas a medida que vc entra em conflito com os interesses da outra pessoa, do outro ser, que não deseja ser mal-tratado e nem ser morto, daí não tem como utilizar do discurso "viva como achar melhor".

Entendeu???????

Vc jamais estende isso aos animais! Jamais!
E ainda quer me fazer crer que era vegetariana ainda por questões éticas e compaixão aos animais.

Tá, ok! E deus e papai-noel existem!

Mirella Nogueira disse...

Já disse que vc pode fazer o que quiser Mariana. Quer entrar com qualquer ação, entre querida! Meus dados estão todos aí! ATé disponibilizo mais se quiseres.

Agora, pare de se fazer de advogada e de vítima pq vc não é nenhuma dessas coisas!

Mariana. disse...

Então mirella, mas você está preocupada em convencer o mundo todo a virar vegetariano como você. Eu não. Não me importo de você ser vegetariana e nem quero que você mude. Eu posso conviver com essa diferença numa boa, você não.

E quanto ser ou não crime o consumo de carne canina, você repete que é crime mas não cita fonte alguma de onde tirou isso. A unica coisa que você fez foi citar uma lei do estado de são paulo. Mas leis estaduais não podem legislar sobre crime, não podem legislar sobre matéria penal. Sò quem pode faze isso é a União. Aqui não é como nos EUA, entende, que cada estado tem sua lei criminal (tanto que alguns permitem a pena de morte e outros não). No brasil o que é crime no acre é crime no paraná também. E eu, para provar a minha tese de que não é crime comer cachorro, demonstrei tudinho, você lembra.


A história da estrela do mar é linda, mesmo. Mas não tem muito a ver com o que nós estamos falando. Suponhamos eu que volte a não comer carne. Você acha que a sadia vai deixar de matar uma só vaca por isso? E se cinco pessoas pararem, a sadia vai diminuir o abate? E seu vinte mil pessoas pararem? Também não vai mudar nada p/ os cofres da sadia.

Te admiro por acreditar, mas a luta tem sido insigificante e ineficiente. Pode ser que mude? Sim, mas vai demorar, e muito! Ainda mais se for com o radicalismo dos vegans. Até preciso perguntar: porque não beber leite? Não matamos o animal para extrair o leite, oras. Qual o problema?

Eu, quando pensava parecido com você, vivia dizendo para as pessoas pararem de comer carne aos poucos, que não ia fazer falta alguma (o que é mentira, porque eu passei dois anos morrendo de vontade de ir num churrasco), mostrava a realidade dos animais... tudo. Muitos se compadeceram, mas só até o próximo churrasco de domingo. Quase ninguém esta disposto a uma mudança tão radical, sabe?

Tem gente que não só come carne, como não ve problema algum em touradas, em arremeço de coelho (que viraram praga em não sei que país aí, daí as pessoas passaram a matá-los por diversão), tem gente que não ve problema em usar animais como cobaias de cosmeticos, ou usar um casaco de pele... etc. Vc acha que essa gente liga p/ o que tá comendo??? Claro que não!

Claro que o 'certo' seria perguntar 'pq comer vaca?' mas, na realidade que vivemos, isso soa como absurdo, Mirella. E pra maioria das pessoas... Comer carne é tão normal que as pessoas nem param pra pensar. E eu, que já pensei e repensei, não estou mais disposta ao sacrifício...


Pode ser que um dia eu mude de idéia, que eu volte a ser tão amiga das vacas quanto sou dos cães (e sou mesmo, só não acho que todos devem pensar como eu), que um dia eu me sacrifique novamente... Mas por enquanto, não quero e nem conseguiria.

PS: mas em relação as baratas, sempre detestarei. Tenho horror a essa monstruosidade da natureza e acho até que deveriamos promover um dia mundial de ataque as baratas. Cada ser humano deveria exterminar uma. Mas as consequencias poderiam ser devastadoras, etnão deixa quieto.

lola aronovich disse...

Gente, por favor, vamos debater, mas sem brigar, sem ofender, sem insultos pessoais ou ameaças judiciais! E pessoas de comunidade vegetariana no orkut, sejam bem-vindos. Já falei que se alguém quiser escrever um guest post sobre o assunto, pode mandar pra mim (lolaescreva@gmail.com) que eu publico. Quer dizer, tem que ser um texto não apenas defendendo o vegetarianismo/veganismo, mas também falando de como fez essa escolha pessoal, como é viver sem carne, algo um pouco mais individual e menos panfletário; afinal, “the personal is political”. Acho essa discussão muito válida. Mas vcs precisam relevar mensagens anônimas. Ninguém está aparecendo aqui pra linchar quem quer que seja. Anônimos e gente com pseudônimos esquisitos surgem de vez em quando pra ofender (o presidente do Irã eu vou responder, mas por outro ângulo). Eu penso bastante em não permitir comentários anônimos, como fazem tantos blogs, mas o que me impede é que tenho leitoras que ainda não aprenderam a usar o Google e não têm conta. Logo, escrevem como anônimas, e põem o nome embaixo de tudo. Se eu banisse todos os anônimos, as baniria também.
Eu fico feliz que haja gente tão disposta a defender os animais. Mas acho que uma discussão um pouco mais light, sem tanta ironia, seria mais eficiente.

Mariana, o que vc falou no seu último comentário até eu, que não pertenço a nenhum movimento, sei responder. É claro que, se o consumo de carne baixasse, os abatedouros sacrificariam menos animais. Isso é óbvio, é a lei da oferta e procura. E sobre tirar leite das vacas, a gente ainda tem na nossa cabeça a ideia de vaquinhas ao pasto, sendo delicadamente ordenhadas por camponeses. Isso não existe mais. As vacas vivem em regime industrial, recebem hormônios para produzirem leite sem parar, são ordenhadas não por mãos, mas por máquinas que as deixam em carne viva, passa a sair pus, um horror. Comer ovos, mesmo sem matar as galinhas (só os pintinhos-fetos em desenvolvimento), também é cruel por causa desse sistema industrial. As galinhas precisam pôr ovos sem parar, vivem empilhadas, e existe tanto canibalismo entre elas (por causa da situação em que vivem), que é padrão que tenham os bicos arrancados. É um campo de concentração mesmo.
Por isso, o certo seria que todos fossemos veganos. Mas acho difícil chegar lá num futuro próximo. Eu mesma, apesar de saber desse sofrimento sem fim dos animais, não estou preparada pra deixar de comer carne, leite e ovos. Mas quero ao menos diminuir o consumo.

E, please, não diga "japa". Isso é preconceituoso, ainda mais quando estamos falando de coreanos.

Mas quando alguém diz que baratas são seres que merecem viver, sorry, vocês me perdem.

Mariana. disse...

Mas então Lola, é justamente isso.

Pessoas como eu e você nos sensibilizamos com o sofrimento animal, mas fazemos algo pra mudar isso? Não, como vc mesmo disse: não estamos dispostos a mudar, por mais que saibamos de todo o sofrimento. (e se eu diminuir mais o meu consumo de carne, viro vegetariana).

Então, como nós, muitas pessoas se sensibilizam mas nada fazem, de modo que a procura nunca vai diminuir (ou será insignificante, pelo menos a curto prazo), e a oferta, fomentada pela propaganda, muito menos.

Sò penso que, por hora, é uma luta ineficiente, essa dos vegetarianos.

Mirella Nogueira disse...

Não estou preocupada em CONVENCER o mundo todo a virar vegetariano, até pq o mundo já está caminhando pra isso, em passos lentos mas está! Estou preocupada é com a disseminação de mais maus-tratos, especismo e morte de animais.

Eu tb posso conviver com a sua opção de comer carne, estou me descabelando por causa disso? rs.
Mas o que não tolero é apologia a maus-tratos em animais. E luto pra acabar com isso.

Amore, a fonte de onde diz que é proibido comer carne canina, vc mesma citou. Por isso não cito. Precisa?

Mas vamos lá: Lei 9.605/98: "Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.

§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.

§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

Art. 37. Não é crime o abate de animal, quando realizado:

I - EM ESTADO DE NECESSIDADE, PARA SACIAR A FOME DO AGENTE OU DE SUA FAMÍLIA.

PRONTO?

A lei do estado de SP não só afirma e esclarece o que diz a LEI FEDERAL. Maltratar animais é CRIME!

Puts, vc não sabe como se dar bem num debate e apela? hahahahaha
A história da estrela-do-mar não tem a ver??? Como não? Vc não disse que é inútil fazer alguma coisa, que é inútil ser vegetariano já que a mairia do mundo come carne e não vai adiantar nada, não fará diferença?
Olha como vc pensa pequeno!
Quando menos pessoas comendo vaca, menos vacas e outros animais são mortos pra isso. Quanto menor a procura, MENOR A DEMANDA!

A sadia tanto vai deixar que matar que já está com uma gama bem grande de produtos SEM CARNE, só com soja, para atender vegetarianos.
Veja quantas pessoas onívoras consomem de animais por ano e veja se não adianta.

E isso estamos falando só na questão ética. Nem estamos citando o impacto ambiental.

Nesse talvez vc se importe pq esse causa devastações para o próprio ser humano. Para vc!

- 1 kg carne consome 20.000 l/água
(comparar com arroz=4.500, trigo=1.500, batata=150)
- um matadouro grande em São Paulo gasta 4.250.000 l/água/dia
- uma pessoa que consome 35kg/carne/ano (média brasileira) pode chegar a gastar 700.000 l/água/ano

Impactos na ocupação de terras

- 1/3 da produção agrícola mundial vai para o gado.
- Ocupa 75% das terras produtivas brasileiras (não adianta confinar o gado, pois o mesmo pode comer 7kg ração para produzir 1kg de carne).

Devastação da Amazônia

- Pecuária: principal causa de desmatamento
(2º é a soja – veja mais em: http://www.reporterbrasil.org.br/clipping.php?id=50 )
- Ocupa um área igual a região sul do Brasil em gado na Amazônia + uma região igual a área do Paraná em pasto abandonado)
- Pecuária contribuiu com 80% do total do trabalho escravo na região em 2004 e 62% em 2007.

Devastação do Pantanal

- Introdução de capim que tem devastado a vegetação local
- Fazendeiros e carvoarias: parcerias
- Provoca assoreamento dos rios da região.

Mirella Nogueira disse...

Aquecimento Global (aumento do efeito estufa)

- Pecuária foi declarada pior que os automóveis.
- Vegetarianos geram menos 1.485 kg/CO2/ ano.
- No Brasil: maior emissão de CO2 pelas queimadas da Amazônia, de metano (arroto de mais de 200 milhões de bovinos) e óxido nitroso (esterco).
- No mundo: maior emissão de metano e óxido nitroso também
- Rendimento de terras – veja texto abaixo

Problemas sociais:

“O raciocínio é matemático”, diz Greif. Para ele, alimentar os bois com pasto ou grãos é o meio menos eficiente de gerar calorias. A produção de grãos de uma fazenda com 100 hectares pode alimentar 1.100 pessoas comendo soja, ou 2.500 com milho. Se a produção dessa área for usada para ração bovina ou pasto, a carne produzida alimentaria o equivalente a oito pessoas. A criação de frangos e porcos também afeta as florestas. Para alimentar esses animais, é necessário derrubar árvores para plantar soja e produzir ração. Mas, na relação custo-benefício entre espaço, recursos naturais e ganho calórico, o boi é o pior. ” - cientista James Lovelock

Referências e recomendações de sites e livros: Fao, Pnuma, Embrapa, Cetesb

Mirella Nogueira disse...

Não estou preocupada em atrapalhar os cofres da Sadia. Estou preocupada com o especismo, maus-tratos e carnificina.

Jamais que a luta tem sido insignicante e ineficiente. Há 10 anos atrás quase ninguém falava emj vegetarianismo e direito dos animais. E hoje cada pessoa conhece vários pessoas que são vegetarianas e cresce ainda mais. Há documentários discutindo a questão, cientistas, o mundo todo.
Vc não enxerga isso pq vc não quer! Pq seu especismo não deixa, só pode!

É uma pena que demore muito pra vc mudar.

Há, outro golpe sujo... hahahahaha. Radicalismo dos vegans é ótimo!
Como se radicalismo fosse algo ruim. É sim algo ruim quando a questão e a luta são ruins, quando ferem algum ser. Aposto que vc tb é radical. Deve ser radicalmente contra pedofilia ou estupro, concordo? Ou até talvez contra o nazismo, ok?

Então... se a causa é nobre, radicalismo não é ruim. E todo mundo, quando não psicopata, é radicalmente contra algo que subjugue um ser.

Olha como vc não sabe de nada... nossa...
Vc já viu alguma fazenda de produção de lei? Como vivem e morrem as vacas leiteiras?

Está mais do que provado que vc não assistiu ao documentário Earthilings, pq mostra tudo isso lá.

Está mais do que provado que mentiu... hehehe

Que realidade dos animais que vc mostrava, se vc nem sabe a realidade? Para de mentir Mariana! Mentira tem perna curta!

Ahhh e se pouca gente está disposto a uma mudança radical (parar de comer carne), temos que então esquecer e fazer churrascão todo domingo?

Imagine na época da escravatura, os abolicionistas desencanando já que pouca gente se compadecia.

É claro que gente que é a favor de touradas, de arremesso de coelhos, de casacos de pele, não tendo nenhuma empatia ou sensibilidade É PSICOPATA, MARIANA!

O MUNDO ESTÁ CHEIO DELES!

ALIÁS, A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DE UM PSICOPATA, ALÉM DE NÃO SENTIR DÓ, CULPA, EMPATIA, É O GOSTAR DE VER ANIMAIS SOFRENDO. ELES DESDE CRIANÇAS JÁ MUTILAM E MATAM ANIMAIS POR PRAZER.

Absurdo é o que vc está dizendo!
Exatamente isso, as pessoas nem parar pra pensar e nem querem pensar o quão ruim e medonho é a indústria da carne. Pois realmente não querem estragar o seu almoço.

Vc não está disposta a encarar o sacrifício (de parar de comer carne); mas vc está super disposta a disseminar o sacrifício! Sacrifício de animais!

Amiga dos cães e querendo fazendas de abate de cães?? Nossa, to fora dessa amizade! hahahahaha
Caraca!

Pois é, imagine todos os animais se juntando para exterminar uma monstruosidade da natureza que para nada serve a não ser para a destruição do planeta e morte?

Quem seria esse animal? Nós!

Ahmadinejad disse...

Mirella, a Mariana deve estar querendo dizer que a estratégia do movimento vegetariano seja vaga e ineficiente.
Se você pegar que em uma cidade como São Paulo capital, vai apenas uns 50 "freaks" adolescentes num evento vegetariano, ela não teria razão?
Onde estão as pessoas ordinárias apoiando? Você já viu algum ser bem pobrinho e que rala todo dia num serviço manual com o mesmo idealismo vegan que vc?

Mirella Nogueira disse...

Lola, obrigada pela elucidação dos métodos de fazendas leiteras e granjas industriais.

Realmente eu fico feliz por saber que vc não só se interessa pelo assunto, como procurou saber, ler, etc.

Sabe, o problema não é a pessoa ainda comer carne e não ter a disposição, não conseguir, parar de comer. Meus pais e meu irmão comem carne e quase todo mês fazem churrasco e os amo do mesmo jeito! Apesar de achar super errado e sempre conversar com eles sobre isso.

O problema pior foi querer disseminar ainda mais a produção de animais de corte. Querendo que mais animais e mais espécies (aliás, todas!) passem a ser para a nossa alimentação.

Daí não tem como ficar quieta!

Aí já é demais né!

Ah, e só uma coisinha. Vc pode não aceitar, mas realmente as baratas são seres que merecem viver. Estão aqui ness mundo muito antes que nós, são inofensivas pra nós e só transmitem doenças e se proliferam tanto por culpa nossa também. Afinal fomos nós que construimos esgotos, lixões (que produzimos tanto lixo), que assoreamos rios, desmatamos, esquentamos o planeta, etc.

Portanto em merecimento elas merecem sim viver aqui nesse planeta.
Agora... eu aposto que se a Terra (Gaia) pudesse escolher um animal para ser banido, com atitutes sim repugnantes, para não ter o merecimento de existir aqui, tenho certeza de que ela não escolheria a barata... vc não acha?

Mirella Nogueira disse...

Mariana, me desculpe, mas vc nada teve a ver com a Lola.
A lola se sensibiliza com os animais, VC NÃO!

A Lola não acha que devemos promover e aumentar os campos de concentração (fazendas de abate). A lola não acha correto comermos cães. A Lola não quer que todos os animais sejam mortos e comidos.

E a Lola faz algo pra mudar sim, ela até escreve sempre a favor dos animais e do vegetarianismo, mesmo não sendo vegetariana.

Luta ineficiente é essa sua, de querer diminuir o vegetarianismo e de querer aumentar a carnificina a toda a sorte (ou azar) de animais.

Luta ineficiente e criminosa!

Mirella Nogueira disse...

Anônimo, se fosse ineficiente, nem existiriam vegetarianos. E não é o que acontece. Aliás, a cada vez o vegetarianismo cresce! O ser humano ainda tem jeito!

As pessoas estão apoiando sempre!
É claro que já vi vários pobres ou trabalhadores braçais com o mesmo ideal que o meu. Gandhi é um exemplo ótimo disso!

Eu conheço até mendigos com esse mesmo ideal. Tem até documentário aqui no Brasil sobre isso.

Vc pode não ver essa luta aqui pela internet, pq infelizmente muitas pessoas não tem dinheiro para ter acesso a internet.
Como tb existem muitas pessoas que não tem nem tempo e nem condições (pq trabalham quase 20 horas por dia para poderem comer e dar de comer aos seus filhos) para pensar sobre isso e adotarem outra forma de vida.

Mas claro... vc, com todo o seu preconceito, deve odiar pobres né? Deve achar que eles merecem morrer né? Que não são dignos de respeito e de serem levados a sério?

Quem não é digno de respeito e de ser levado a sério é vc, covardão anônimo!

Mirella Nogueira disse...

Lola, posso então mandar um guest post pra ti sobre o assunto? Pra vc analisar e ver se publica? Pq os que eu publico no meu blog vivem às moscas, ninguém comenta e acho que ninguem lê! hahahahaha

lola aronovich disse...

Pode mandar um guest post sim, Mirella. Por favor! Publicarei com todo o prazer, só tem que ter um pouquinho de paciência, porque geralmente publico os guest posts na quinta, e já tem alguns na fila (é estranho, fica um tempão se aparecer guest post, e aí aparecem vários de uma só vez! Mas eu gosto de publicar, porque é sempre uma visão diferente da minha, e rendem ótimas discussões). É só como eu te disse: não faça algo muuuuito panfletário. Faça algo acessível. Pela minha experiência, coisas mais pessoais são mais acessíveis. Se vc escrever um texto que eu posso encontrar no site da PETA, não será muito abrangente. Porque fica parecendo discurso pronto, sabe? Mas, se vc partir da sua experiência pessoal, de como e pq vc virou vegetariana, e como é (e daí partir para o vegetarianismo em geral), acho mais eficaz. E, claro, coloco um link pro seu blog, o que deve render algumas visitinhas a mais.
Mas, por favor, nada de falar de baratas! O meu especismo se radicaliza mesmo quando o assunto é barata. Sei que o que fomos ensinados a pensar de baratas (certamente pavor de baratas é uma construção social) deve ser bem parecido com as justificativas de escravizar, torturar e matar seres humanos (elas não nojentas, não são como nós, não merecem viver, são sujas, espalham doenças, se reproduzem rápido etc etc), mas acho, sinceramente, que quando vcs defendem o direito das baratas à vida (que já está garantido, a julgar pelas previsões mais alarmistas), vcs perdem uma boa parte do público. Aí já é muito radical. E meu condicionamento não deixa trégua pra gostar de baratas mais do que de humanos. Nem igual. Nem perto. Não importa que a culpa pela proliferação de baratas seja nossa. Quando vejo uma barata em casa, eu não penso em esgoto ou em lixo. Aliás, eu não penso. Eu só entro em pânico. Como todo o preconceito, não é algo racional.

Má disse...

Mariana, acho que vc não entendeu quando disse que crime de injúria era exagero.
Você que é da área do Direito certamente deve saber como a lei pode ser aplicado (ou não) neste caso.
O que queria dizer é que em um debate rico como vcs estavam travando, ameaçar uma ação judicial é empobrecedor p o debate ao meu ver.
Acaba que quem não é da área do Direito pode se sentir inibido e acaba reduzindo o debate em questões técnicas do Direito (sabemos que o conhecimento do Direiro é uma arma de poder inibidora p maior parte da população)
Mesmo o debate do vegetarianismo (ou qq outro) deve ser pensado para além da questão juridica que não necessariamente explica a realidade e o direito ou não (de tudo) ser criticado ao meu ver!
Não sei se estou sendo clara, mas direcionar p a questão legal e processo é perder o conteúdo crítico do debate.
Acho sim que vc deve contestar o fato de ser chamada de "psicopata" e com todo direito! Mas a não ser q vc ache que realmente prejudicou sua vida e processar seria o único meio válido, o que não parece o caso. Caso contrário, acho que o debate dever ser conduzido por outras vias. (a razão, sensibilidade etc...)

Sei que não tenho nada a ver com o debate, mas, de qq maneira era isto que queria dizer...

Abraços

Abraço!

Mariana. disse...

Entendi o que você quis dizer sim, Má. Falei aquilo só para a Mirella ver o quão absurdo e errado é ela me acusar de psicopata e de várias outras coisas. Mas isso não vai mais acontecer, acho que isso aqui já deu o que tinha que dar.

Mirella, com esse seu galvãobuenismo não dá pra discutir. Você é tão pretenciosa que além de ter absoluta certeza de que a sua opinião é totalmente veradeira e correta, ainda quer adivinhar o que cada um pensa aqui. Adora tirar conclusões que nada tem a ver com coisas que foram sequer expostas aqui...

Não tô dizendo que o anônimo não seja preconceituoso (também me passou essa imagem machista e tudo mais), mas do último comentário dele só vc concluiu que ele odeia pobres e que ele acha que pobres merecem morrer. Pode ser que ele ache isso, não sei, mas por esse comentário, não dá pra concluir uma coisa importante dessas. Esse comportamento é péssimo e aconteceu diversas vezes comigo aqui nesse debate. E, pra falar a verdade, tem pessoas que simplesmente não refletem sobre questões humanitárias por não terem tempo pra isso (não são todas), e nós não temos o direito de culpá-las por isso: elas tem outras coisas tão importante quanto para se ocupar (o teto e a comida de cada dia).

Enfim... Não sei se você é capaz de não ser tão rígida com as pessoas e se sensibilizar com a realidade delas.

E saio desse debate com a cabeça erguida e a conciencia tranquila de quem expos a opinião de uma maneira lúcida e sem ofender ninguém, mesmo diante de tantos ataques extremamente mal educados.

Saio, inclusive, feliz por defender algo tão importante quanto a liberdade de escolha do ser humano, coisa que você é incapaz de compreender. Saio feliz porque sei (e não preciso te convencer disso), que não joguei baixo, e que apesar de comer carne (não que eu ache isso errado, você quem acha) eu gosto de animais (não todos), mas me emociono com os que estão perto de mim, e até com as historias que ouço daqueles que estão longe. Enfim, não preciso te provar essas coisas, até porque seria impossível.

Mas eu aguardo o seu post aqui no blog sobre o vegetarianismo e, quem sabe, volto pra comentar.

Mirella Nogueira disse...

Mariana,

Absurdo dizer que alguém que não tem a mínima sensibilidade e empatia com o sofrimento alheio, é psicopata? Não é o que diz a psiquiatria!

Mariana não dá pra discutir pq vc não tem o mínimo argumento plausível. Já reparou? Nadinha do que vc disse ficou sem resposta. Vc não conseguiu acertar em nada. Sorry!

Não tirei nenhuma conclusão que nada tinham a ver com as coisas expostas aqui. Tudo o que falei era o que estava se discutindo aqui. Vc só está na defensiva e não sabe mais o que dizer. Mas ainda quer tentar sair por cima...rs

Olha como aqui é vc que está dizendo coisa sem saber. Disse isso do anônimo pois ele me mandou mensagem no meu blog e no orkut dizendo coisas absurdas. Contra pobre e ainda dizendo ser a favor de Hitler. E detalhe hein, o orkut dele tb é fake... hahahaha

Portanto Mariana, é vc que fala as coisas sem saber!

Vem cá, e eu estou culpando e julgando alguém aqui que não se preocupa pq não tem tempo, com questões humanitárias?
Não Mariana, julguei e jugo vc que teve todo o tempo do mundo de vir aqui falar besteira. De vir aqui defender campos de concentração para animais, morte de cães e de todos os animais para encher a sua barriga.

Esse que é um comportamento péssimo! Mas sua falta de senso ético não lhe permite admitir!

Eu me sensibilizo com qualquer ser que sofre, Mariana. Diferente de vc!

Ah é, sai daqui com a cabeça erguida e a consciência tranquila? Pois não parece, devido a sua atitude. E se sair mesmo assim é uma pena, pois saberei que realmente não tens sentimento algum que não seja para ti e seus semelhantes. É uma pena que não consigas enxergar as besteiras tenebrosas e medonhas que vc falou aqui. É uma pena!

E mais uma vez se fazendo de vítima... Vc atacou tanto quanto eu ataquei. Já disse querida, mesmo vc sendo católica, vc não é santinha. Pare de se fazer de vítima please!

Pois é, vc sai feliz por defender uma liberdade de escolha e uma PRISÃO SEM LIBERDADE DE ESCOLHA ALGUMA PARA OS ANIMAIS.

Olha que cabeça digamos mais... sem empatia?? psicopatia! rs

Sou realmente incapaz de compreender, Mariana! Sou incapaz de compreender como podem existir pessoas como vc, que não se sensibilizam nem assistindo o horror que é aquilo que estão defendendo. Sou incapaz de compreender como vc não consegue COMPREENDER.
É como disse o Mário Quintana: "Quem não compreende um olhar, tampouco compreenderá uma longa explicação". Vc é a prova viva disso!

Não jogou baixo?? E citar insetos dizendo que se já os matamos vamos sair matando tudo, e dizer que isso é radicalismo e ainda promover o banho de sangue com cães e qualquer outro animal é o que? Jogar limpo que não é? Isso é jogar sujo, sujo de sangue!

Ok, comente sempre, estarei a postos para defender os animais e seus direitos à vida e a ir contra quem defende a carnificina sem limites e sem sensibilidade.

Mirella Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirella Nogueira disse...

Ok Lola, então vou elaborar um guest post mais nesses moldes, pq os que eu já tenho aqui são mais panfletários mesmo.
E pode deixar que tenho paciência sim... hehehe. Pode publicar quando quiser, ou nem publicar se não quiser tb.
Ah, e prometo me comportar mais... rs

Ok, não falo de baratas tb. Eu raramente falo sobre insetos, mas é que sempre tem alguém (como a Mariana) que acha que finalmente encontrou a "carta na manga", e daí começa a questionar sobre plantas e insetos, dizendo que então temos o direito e o dever de sair matando tudo. E, se questionaram, merecem resposta, né?

Abração e parabéns pelo blog!

Ahmadinejad disse...

Mirella, como eu seria contra pobre se sou socialista? sou "working-class" além de tudo e vivo num meio de pessoas simples. Não me lembro nada contra pobre que eu falei, só mandei uma frase da filósofa Savitri Devi.
Esse "ismo' a mais que você quer acrescentar, ai já é demais! haha
Daqui a pouco vai falar que agrido pessoas por serem ciclistas, sendo eu um ciclista, ou falar que tenho pré-conceito com pessoas tatuadas tendo eu tatuagens.

Citar Gandhi como exemplo de um vegetariano pobre??? bem se vê que você não conhece muito de geografia e do ano que nós estamos. Na realidade do Brasil subúrbio de 2009, Gandhi só é um nome, talvez ele seja mais conhecido do que Lula, mas quantos seguem seu estilo de vida?
Tirando os ricos veganos de apartamento que consomem produtos veganos importados, e aqueles que possuem sítios, etc, quantas pessoas de dura realidade brasileira seguem a risca o Gandhi? mil, 10, 30 mil pessoas? Se isso for exemplo de sucesso do vegetarianismo, não está nada bom e definitivamente faz pouca diferença para a demanda dos abatedouros.

Ahmadinejad disse...

Custa dizer "O movimento vegetariano ainda tem falhas, como a falta de acessibilidade, os preços inacessíveis, etc".?
Não é tão difícil né, mas todo vegano radical que eu conheci era mirellaês.

Mirella Nogueira disse...

Não seja mentiroso anônimo. Além de todos os seus preconceitos, além de toda a sua covardia, ainda vai ser mentiroso?

É certo que o mundo não precisa de gente assim, viu!

Mas realmente não esperava mais de vc mesmo..rs

Mas, querendo vc ou não, é fato que o vegetarianismo cada vez mais cresce no mundo inteiro! Pode se descabelar!
Há 10 anos quase não existiam e quase ninguém falava sobre isso. Hoje já existem bastantes mirelaês hahahaha, preocupados com o sofrimento animal e se tornando vegetarianos.
E tenho certeza que nos próximos 10 anos terá ainda mais.

Graças a esperança que ainda não morre, as pessoas estão se conscientizando e semeando (mesmo que ainda existam "frutas podres" medrosas e preconceituosas como vc... rs, sem nem coragem para mostrar seu nome), e o mundo caminha para uma maior preocupação ambiental, com os animais e maior ética em todos os campos.

Eba!!!

Mariana. disse...

Fico impressionada com a sua prepotência, na boa.

Agora que eu fui reparar no que você escreveu sobre o que eu disse da questão legal.

Então eu colei o que você queria dizer, por isso você não trouxe a resposta? Faz-me rir...

Sério, por isso que eu digo: todo mundo devia estudar direito.

Então vc não colou a lei de SP? (totalmente fora de contexto)

E as coisas que vc citou agora, falam de maus tratos, mirella. E eu nunca disse que maltratar animais não era crime. Eu estava dizendo que COMER animais não é crime. E pedi para vc demonstrar ONDE está escrito que NÃO podemos comer cachorro. (que é proibido maltratar cachorro até uma criança de seis anos sabe).

pff...

E só pra constar: de todas as pessoas que conheço, nenhuma é vegetariana. E eu conheço muita gente...

E eu não estou na defensiva, mas é que seus argumentos são tão preconceituosos, tão ofensivos e tão estapafúrdios e tão infantis (vc é católica, eu não sou, lalalala! ¬¬ - 'estrela do mar'), que eu não sei mesmo o que responder. Eu me baseio em dados e em textos legais.

Cheguei aqui dizendo que não é proibido comer cachorro no brasil (provei isso) e disse que eu concordava com os legisladores, pq tb acho que não deve ser proibido mesmo (e disse porque).
E aí começaram os ataques dos vegetarianos radicais, cheio de discursos prontos. Na boa, eu entendi o recado, até cheguei a concordar com você em alguns pontos, fui educada até quando pretendia não ser, mas o histerismo não cai fora. Só não acho que as pessoas devam ser obrigadas a agir como vocês agem. Tem que ser algo espontâneo. No que eu to sendo diferente do seu pai, por ex? Ou ele tb não sabe dos horrores contra os bichos?
É a lei do quem pode mais, chora menos. Algumas coisas deveriam ser mudadas, mas aí vai uma dica: ao inves de ficar panfletando, vai no Ministério Público Federal da sua cidade, entra com uma reclamação e, lá, eles vao analisar se entram ou não com uma ação. A reclamação deveria ser no sentido de fiscalizar os abatedouros, de reduzir a crueldade dos métodos empregados (pq crueldade contra animais é crime). Vc vai ver, o caso vai ser notório e o resultado muito mais eficaz. E vc só estará pedido o cumprimento da lei, não estará obrigando ninguém a seguir seu estilo de vida.

Eu não estou me fazendo de santa, só não quero me rebaixar ao seu nível de comportamento.

E mais uma pergunta: vc acha aceitável, por exemplo, que alguém coma carne DESDE que, sei lá, tenha uma fazenda natural: as galinhas são criadas soltas (soltas mesmo, de modo que, quando eu quiser uma, vou ter que correr atrás, e elas sempre terá chance de fugir), com restos de fruta e milho; os porquinhos são felizes na lama durante toda a vida e, só quando estiverem velhinhos, (ou quando morrerem), vao servir de almoço; o mesmo com o boizinho... E o peixe seria pescado apenas por vara, nunca por rede. E tudo o que fosse produzido seria para consumo próprio, e não pra venda... Tudo natural... E aí, sem métodos cruéis vc acha aceitável?

E seu cachorro, come o que? (curiosidade)

Mirella Nogueira disse...

E eu fico impressionada com a sua falta de sensibilidade! E não é na boa não, é no ruim!

Como não trouxe a resposta?

Será que vc tem problemas com leituras? Não conseguiu ler direito? Querida, MATAR animais é crime, pra comer vc precisa matar. E logo mais no artigo 37 dá as especificações sobre isso, dizendo que somente não é crime o abate de animal, quando realizado:

I - EM ESTADO DE NECESSIDADE, PARA SACIAR A FOME DO AGENTE OU DE SUA FAMÍLIA.

Como eu disse sempre!!! E nesse caso, até a morte de animais em extinção ou até mesmo o canibalismo seria aceito!

Poxa, com vc tem que repetir trocentas vezes, pois vc, mesmo fazendo direito não entende nem isso!!!

É assombroso!

Vc quer que eu cole a lei de SP? Ela diz que matar animais domésticos, mesmo em CCZs só pode acontecer se o cão ou gato estiver acometido mde doenças terminais ou se apresentar um comportamento agressivo que não tenha jeito nem com reabilitação social.

Pronto darling! A lei não é apenas para maus-tratos (no próprio artigo 32 da 9.605 já fala em maus-tratos acometido de morte).

Sabemos que a lei brasileira é muito confusa em vários aspectos e passível de gerar inúmeros entendimentos.

Mas acredito que qualquer pessoa SABE que para se comer um animal é preciso MATAR! E fora os animais que estão na própria legislação brasileira como os passíveis de comer (gado, porco, galináceo, caprinos, etc), o CÃO NÃO ESTÁ!

Quer ver um exemplo? Procure sobre apreensões de carne de caça e prisão de caçadores.
A grande maioria dos caçadores são presos aqui no Brasil não em atividade, pois é difícil pegá-los assim, mas são pegos com a boca na botija, sempre comendo carne de caça (veados, capivaras, etc). E muitas vezes a única prova de crime que eles tem é a carne que estavam comendo, pq as armas geralmente eles tem licença ou nem são encontradas no local.

Procure sobre isso que vc vai ver.

Olha como vc está super errada querida! É só vc ligar uma TV ou ver um filme que vc verá MILHARES de vegetarianos. Alguns exemplos: Jude law, Paul Macartney, Rita Lee, João Gordo, Pinky, Alicia Silvestone, Natalie Imbruglia, Naomi Watts, Pamela
Anderson, Shannon Elizabeth, Anthony Kiedis, Alec Baldwin, Bryan
Adams, Michael Bolton, Moby, Dustin Hoffman, Kate Winslet, William Shatner, Avril Lavigne, Paul Newman, Shania Twain, Drew Barrymore, Clint Eastwood, Lobão, Rodrigo Santoro, Cazé...

E os que já se foram: Albert Einstein, Leonardo da Vinci, Sócrates e Pitágoras, Franz Kafka, Jean Jacques Russeau, Henry David Thoreau.

Só pra citar alguns! EXISTEM MILHARES, É SÓ VC SE INFORMAR!

E mesmo aqui na internet vc já conhecendo vários... hahahaha

E é claro que vc tb conhece vários vegetarianos ao vivo, vc só não está querendo dar o braço a torcer, quer vir aqui e ganhar alguma coisa na discussão... hahahaha

Já se despediu e voltou trocentas vezes... hahahahahahaha

É divertido!

Agora está mais na defensiva ainda, e atacando! Calma, não fica nervosa não! hahahaha

Preconceituosos os meus argumentos? Aonde? Cite um exemplo que fui preconceituosa.
Já vc nem tem mais o que falar né. Pois é uma das maiores preconceituosas com animais que eu conheço! Uma das maiores ESPECISTAS que eu já vi!

Vc se baseia em dados e textos legais? Que textos legais? E que dados vc mostrou aqui que não as leis que, como vc mesmo disse, qualquer criança de 6 anos sabe?

Ataque dos vegetarianos radicais foi ótimo! hahahahahahahahahaha.
Calma, vc vai ter uma úlcera hein... manera colega!

Ninguém é obrigada a agir de modo nenhum. Cada um age do modo como quiser mesmo.

Mirella Nogueira disse...

O que vc está sendo diferente do meu pai? Em tudo!
Meu pai, apesar de ter estudado tb direito (ele é advogado) e de comer carne, ele não se vangloria disso e nem acha correto. Ele come, pq não consegue parar. Meu pai JAMAIS iria ser a favor da morte de cães para serem comidos por coreanos ricos. Meu pai jamais assistiria ao documentário Earthlings sem sentir a mínima sensibilidade. Uma vez só dele ver fotos em uma resvista sobre abate de porcos, aquilo o chocou tanto que ele passou a não comer mais carne de porco. Meu pais JAMAIS SERIA A FAVOR DE SE AMPLIAR A GAMA DE ANIMAIS, MATANDO TODAS AS ESPÉCIES PARA COMER. MEU PAI JAMAIS TERIA ATITUDES PSICOPÁTICAS, NÃO TENDO EMPATIA OU SENTIMENTO PERANTE O SOFRIMENTO QUE ELE VÊ!

ENTENDEU?

É a lei do que pode mais?? Que beleza!! hahahahaha
Caraca, vc piora cada vez mais! Como eu digo, é assombroso!

Então vamos ser a favor do espancamentos de mulheres (é a lei do que pode mais), da pedofilia (é a lei do que pode mais), das mortes nas guerras (é a lei do que pode mais), do infanticídio (é a lei do que pode mais), do estupro (é a lei do que pode mais).

Afinal, quem comete essas atrocidades pode mais com a vítima. Então é a lei do mundo! Ebaaaaa!!! Vamos celebrar!

Afff Mariana, vc até me assusta!

Valeu pela dica, mas isso eu já faço!
E tb não obrigo ninguém a seguir meu modo de vida. Quem obrigada seres a não terem alguma liberdade não são os vegetarianos, Mariana. Vc bem sabe disso!

Se rebaixar ao meu nível de comportamento... hahahahahahahahaha
Eu acho um sarro essas explosões de fúria!
Já lhe disse Mariana, já lhje dei uma dica também, vc tem que ter mais jogo de cintura! :p

Bem, a sua pergunta: É claro que esse modo idílico de fazenda é algo bemmmmm melhor do que ocorre de fato. Porcos sendo comidos depois de mortes naturais então...rs... ótimo! E claro, seria bem mais aceitável. Porém, isso sim é algo extremamente utópico, por vários fatores. Primeiro: A grande maioria das pessoas não teria coragem de matar os animais com as próprias mãos (se bem que psicopatas teriam até prazer nisso). E, se formos pôr na questão "natural" que vc colocou, aí teria que ser com as próprias mãos mesmo e sem fazendas de cativeiro, tendo que caçar "na raça", sendo que os animais, livres, se tornariam muito mais selvagens e ariscos, e lembrando que o ser humano, em seus dotes físicos para uma caçada, é ridículo...rs. Segundo: todo mundo, que fosse onívoro, teria que morar em áreas rurais Terceiro: O mundo não comportaria. Nós somos mais de 6 bilhões de pessoas, e para termos animais para abate sendo criados soltos e livres, seriam precisos áreas imensas, desmatamento de todas as florestas, consumo de água, energia, insumos e alimentos. E fora que, mesmo os peixes sendo pescados por varas, com a quantidade de pessoas no mundo, já é algo insustentável! Mas lógico, sem comparação a pescaria com vara e aindustrial. Tanto a nível do sofrimento como o impacto ambiental.

Meus doguinhos comem de quase tudo. Adoram frutas, pães, arroz, ração Free dog, e as vezes meus pais, me contrariando, dão doces (sabe como são os avós né?)... hehehe

Mariana. disse...

Realmente, já me despedi diversas vezes, mas não resisto em voltar.

É claro que para comer um animal ele precisa estar morto (estamos falando de pratos comuns, não desses em que se come o bicho vivo). Mas vamos lá: existem aí duas condutas possíveis.

1) maltratar animais (durante a vida ou na hora de matá-lo): isso ficou comprovado que ocorre com os seus documentários, por exemplo. É, em suma, utilizar-se de métodos crueis para se atingir um fim (vendê-lo, matá-lo, ou só o prazer de maltratar um bicho).Mas não é só nessa situação Outras coisas configuram maus tratos. Exemplo: zoofilia.

2) Comer um animal: Comer um bicho não é crime. Nem comer cachorro é crime (LEIA ADIANTE ANTES DE TIRAR CONCLUSÃO E PENSAR QUE EU SOU TEIMOSA). É crime sim eu comercializar carne de cachorro (igual drogas: você pode portar machonha para consumo próprio, mas não traficá-la. entendimento majoritário). É eu agir como os coreanos, que tinham um negócio voltado para a venda de carne de cachorro. Isso é proibido. Mas eles comerem a carne, por si só, não é crime. MAS aí vc perguntaria: pra comer, eles não teriam que maltratar o animal (e como eu disse que maus tratos é crime....)? Sim. Claro que existem métodos menos cruéis (por ex: matar alguém esquartejando a pessoa viva é muito mais doloroso do que simplesmente atirar em alguém). Mas não deixa de ser maus tratos, não é? Quando mata, o bicho sente dor. O crime, portanto, ocorreu: maltratar (agrava-se por isso ter tido como consequência a morte do bicho). Por isso eu falei do Ministério Público: os abatedouros simplesmente IGNORAM a lei: eles maltratam os bichos, todo mundo sabe disso, mas nenhuma providência legal é tomada.

Ok. Aí entra eu e todas as pessoas que vão no mercado e compram carne. Nós, algum dia, maltratamos um bicho? Algum dia eu fui lá, na fazenda da sadia, dizer: 'vaí, entocha hormônio nesse frango!'. Não, claro que não. Eu apenas comi o bicho que eles mataram. Do ponto de vista legal, eu não cometi crime (do mesmo modo que não cometeria se tivesse comido carne de cachorro: a autoria do crime é de quem maltrata o bicho. no caso do cão, de quem maltrata E vende).


Do ponto de vista legal eu estou isenta, mas e do PONTO DE VISTA ÉTICO??? Nós todos, claro, estariamos sendo CONIVENTES com a tortura que ocorre contra o bicho. Não é crime, mas é errado. QUANDO ALGUÉM OPTA por comprar um pedaço de carne e comer, ela opta por ser conivente com o crime que alguém cometeu. Mas por diversos motivos, continuamos comprando: como você disse, o que o coração não vê.... E tem também a questão de NÃO CONSEGUIR (como o seu pai) parar de comer carne, tem também a questão de NÃO SE IMPORTAR (como você diz ser o meu caso)... Enfim, não importa a desculpa: o resultado prático é o mesmo. Ou seja: não importa se seu pai se sensibiliza com os bichos e eu (no seu ponto de vista) não. A nossa conduta é a mesma (e o sofrimento do bicho também). Nós dois, sensibilizados ou não, comemos carne e, indiretamente, contribuimos para o que um bicho morra.

CONTINUA

Mariana. disse...

Por isso eu digo que a abordagem da maioria dos defensores do vegetarianismo está errada: vocês não devem atacar os consumidores, e sim, aqueles que maltratam o animal, láá no abatedouro. ISSO porque, por mais que a maioria das pessoas se sensibilize, muitas não vão mudar sua conduta 'por que não conseguem'. E você não vai poder fazer nada: afinal, elas não estão sendo criminosas. AGORA, o frigorífico que cria os animais em jaulas, e faz tudo mais de horrendo com eles.. essas pessoas PODEM E DEVEM ser responsabilizadas. EXISTE LEI pra coibir os maus tratos e é só a população clamar que o Ministério Público tomarará as providências.

EU não acredito que isso vai acabar com o consumo de carne, mas PELO MENOS vai contribuir para que esses abatedouros deixem de se utilizar de métodos tão chocantes, avassaladores, e traumáticos para criar e matar os animais. ISSO já seria um grande avanço. E eles teriam que se submeter a essa determinação mesmo que, sei´lá, se tornassem menos competitivos. Alguém tem que dar o exemplo (uma política de marketing que 'venda' ética pode surtir resultados. Não vê a natura???).
PS: quando eu disse que você foi preconceituosa, me referi aos momentos em que você me acusou de machismo, por exemplo (ou racismo, nazismo, etc), sem que nós tivessemos abordado tais assuntos. vc PRESUMIU, teve um PRE- conceito sobre minhas opiniões. Mas enfim...

Mirella Nogueira disse...

Bem Mariana, vc se demonstrou agora bem mais sensata.
Por isso vamos lá:

Sim, zoofilia é considerado crime.

Sabe pq a lei não vai em cima dos abatedouros? Pq há as especificações dos animais para se comer. Abatedouros ilegais sem as regras sanitárias estabelecidas fica vedado, porém abatedourous legalizados não sofrem sanções.
No meu entendimento seriam sim passíveis de sofrer sanções devido a lei 9.605. Mas, como eu falei e vc bem sabe, as leis (principalmente ambientais) no Brasil são ridículas, não são totalmente esclarecidas e dão margem a vários entendimentos e saídas pela tangente. Isso vale não só na questão dos animais para abate, vale também pra pesca, pros animais na ciência (se bem que agora modificaram e regulamentaram com a lei arouca), animais nas aulas, etc.
Mas, as especificações que tratam de animais para CONSUMO é clara quando não cita cães ou gatos.
Pode não ter uma lei específica dizendo bem bonitinho assim: "comer carne de cãozinho é crime". Como vc bem deve saber, as leis ambientais, principalmente no tangente a animais domésticos e domesticados, não são totalmente especificadas, tudo direitinho. Porém, por tudo o que eu e vc já dissemos (lei 9.605 - art.32 e art. 37, lei estadual 12916/08 e especificações e citações sobre quais são os animais de abate), cinfigura-se SIM em crime. Só não é crime, como já foi falado, em caso de extrema necessidade.
O mesmo ocorre, como já disse, nas detenções de caçadores. Quase sempre são presos somente com a prova da carne de caça que estavam comendo.

E deixa eu te perguntar uma coisa, pq eu não sei. Existe alguma lei específica que rege direitinho a questão de se comer gente?
Me diga se existe por favor pq eu gostaria de saber.

Olha, realmente quem vai no supermercado comprar carne não está maltratando diretamente não, mas está contribuindo para isso. É como se vc fosse um gangster e mandasse alguém matar uma pessoa. Se vc for ver bem, quem compra carne, na lei da oferta e procura, "manda" matar.

Aqui, PARABÉNS, foi a primeira vez que eu vi vc escrever que comer carne é errado. Deu uma evolução hein? Parabéns de verdade!
E realmente, não importando a desculpa para se comer carne, o resultado prático é sempre o mesmo: a subjugação, tortura e carnificina dos animais.

Porém, apenas com uma ressalva. A pessoa que demonstra e tem sentimento e empatia, vai sempre querer ser uma pessoa melhor, não vai aceitar tanta barbárie e nem querer que as coisas piorem. E isso foi o que vc propôs. Isso é que assusta. A não evolução.

Mirella Nogueira disse...

Eu não ataco os consumidores. É preciso que eles saibam de todo o sofrimento que carrega o ato deles e como eles colaboram com isso (igualmente é preciso que os usuários de drogas saibam o que eles estão colaborando e toda a carga ruim e a morte por trás disso). Mas ninguém ataca os consumidores. Vc já viu alguém apanhar por comer carne? rs

Mariana, eu te questionei não pelo fato de vc comer carne, pq entendo que cada pessoa tem a sua própria evolução e tempo pra isso. O mundo não virará vegetariano do dia pra noite. Demora muito para os seres humanos quebrarem conceitos e mudarem as culturas.
Eu te questioei e te questiono por sua postura diante do assunto do tópico. Por dizer que achas certo matarem e comerem cachorros e que ainda queria que isso fosse ampliado para todos os animais. Te questionei pela falta total de sensibilidade que vc demonstrou ao dizer que assistiu aos horrores mostrados no video e nem se importou e ainda acha que devemos ter mais desses horrores, promovendo mais fazendas de abate e para toda a sorte (azar) de animais?

O que é isso??? Vc por acaso se arrependeu disso que vc falou??
Pq isso é de um pensamento brutal que eu acho que vc não faz idéia!
Por isso te questionei tambem sobre o ateísmo.
Pq essa postura, Mariana, só pode ser defendida com base nas religioões, que colocam o ser humano com DIREITO sobre todos os animais, e, então, com DIREITO de fazer o que bem entenderem com eles.

É o que vc disse tb, horrivelmente, sobre a lei do mais forte.

Te indaguei também sobre vc se lamentar sobre como os ateus são alvos de preconceitos. Eu sei disso pois também sou atéia. Mas Mariana, o preconceito contra o ateísmo, apesar de ser grotesco e tem que ser banido, nem se compara ao que acontece com os animais, nem se compara ao especismo!
Não existem fazendas para mortes de ateus. Não existem casacos de pele de ateus. Não existem touradas com ateus. Não existe caça legalizada com ateus, isso para citar alguns exemplos.

Portanto eu fiquei chocada sim! Pois como vc pode se lamentar dessa forma e exigir mudança pq vc sofre, sobre o preconceito contra ateus e dizer aqui que NÃO ESTÁ NEM AÍ COM O SOFRIMENTO QUE VC VÊ E SABE QUE OS ANIMAIS SOFREM?

Isso é de um egoísmo tremendo. É a velha história bem feia: areia no c* dos outros é refresco.

E eu posso sim fazer algo, e já faço! Só de vc promover o vegetarianismo já é fazer algo pelo mundo, pelos animais e por vc mesmo, pq o vegetarianismo carrega melhorias ambientais, sociais e economicas.

Já existem muitas pessoas dando o exemplo, Mariana, cada qual com seu foco pontual ou global. E as leis bem-estaristas (apesar de eu ser contra) estão entrando em vigência.

Eu não te acusei de racismo, machismo, nazismo, etc. Eu disse que, se vc é a favor disso tudo com animais, então vc tem que estar pronta para ser a favor disso com humanos também. Pq senão, isso denotaria o que vc é: Especista! Pois só é a favor de campos de concentração e racismo ampliado, com animais.

Será que agora vc entendeu a comparação?

Daniel disse...

Como já falei antes, paralelos criados entre animais humanos e não humanos são muito bons. Já que a história nos proporcionou (infelizmente) episódios semelhantes de tortura e subjulgação com alguns grupos humanos exatamente igual ao que os animais sofrem hoje, acho muuito pertinente as comparações. Vc está de parabéns Mirella, por ser clara em seus argumentos e de uma lógica inquestionável.
E Mariana, parabéns pela mudança em seus conceitos. É legal ver que após essa discussão vc reavaliou seu comentário lá de cima e já se porta de uma maneira bem diferente daquela visão terrivelmente especista e utilitarista com relação as outras espécies que não a sua.

Mariana. disse...

SOBRE A ANTROPOFAGIA.

Então, Mirella. Quando fui pesquisar sobre o consumo de carne canina e tudo mais que postei aqui, também fiquei curiosa para saber se existe algo na lei sobre antropofagia.

Pelo que vi, DIRETAMENTE, não tem. Assim: "ingerir restos humanos: pena de tanto a tanto". Isso não tem.

MASS no art 212 do Código penal (no capítulo que fala sobre o respeito aos mortos), está escrito assim:
"Vilipendiar cadáver ou suas cinzas: detenção de 1 a 3 anos e multa".

É o que chamamos de um tipo penal aberto: por vilipendiar podemos entender 'fazer sexo com cadáver, ingerir cadáver, etc. São inúmeras condutas que poderiam ser encaixadas. Então, canibalismo, no brasil, é crime sim.

É o mesmo que nós dissemos sobre matar um animal e comer. A conduta de ingerir o bicho não é criminosa (é punida apenas quando se tratar de animal em exinção E desde que você não esteja em estado de necessidade que te obrigue a comer uma arara azul, por exemplo). Mas matar o bicho é, quando ocorre maus tratos (e, como vimos em seu documentário, isso é regra).

Quando algo não está expressamente proibido - no âmbito penal - ele está automaticamente permitido. Pergunte para seu pai. Não existe lei (que eu saiba, posso estar errada, claro) que VEDE o consumo de carne canina. Só conheço mesmo a vedação de animais em extinção. Alguém me falou que tem sim uma norma que diz que não podemos consumir animais que possuem um relacionamento próximo com o humano, bichos que não criamos para abater, criamos por amor (cachorro, gato, cavalo, etc). Mas não encontrei a lei e, pensando bem, isso é relativo, né? Por exemplo, nós gostamos de cães, mas e aquelas pessoas que criam iguana, passarinho, rã??? Claro que direito é bom senso, mas é algo pra se discutir...

SOBRE AS LEIS AMBIENTAIS.

Pertinente o que você disse sobre as leis ambientais. As vezes, parece mesmo coisa para ingles ver. Quando não são brandas, os fiscais fazem vista grossa. É uma pena. Acho que isso vai mudar quando as consequências climáticas realmente começarem a aparecer: porque as pessoas ouvem falar que as camadas de gelo estão derretendo, que a agua doce vai acabar... mas enquanto elas puderem, o banho vai continuar sendo de 40 minutos.

Mas nos abatedouros, os crimes, pelo visto, são infinitamente mais abrangentes do que só as leis ambientais. Além do visível mau trato sofrido pelos bichos, ocorrem condutas duvidosas como a 'complementação hormonal'. Isso nem ao menos é divulgado aos consumidores, pelo menos a maioria não tem acesso a esse tipo de informação! Quer dizer, quem sabe as consequências disso pra nossa saude??? Falaram tanto das plantas trangênicas, mas poucos falam disso aí. É uma pena. MAS mudar esse tratamento traumático eu NÃO acho utópico (como acho de um mundo vegan): As leis estão do lado dos animais, precisamos fazer com que elas sejam cumpridas e há meios eficazes pra isso. Não acho difícil imaginar um abatedouro ou uma fazenda de gado se adequando à normas menos agressivas.

Mariana. disse...

E mirella, depois respondo a todas as suas perguntas do último comentário. Tô um pouquinho sem tempo agora.

Mirella Nogueira disse...

Obrigada Daniel!

ju k disse...

Mariana: Apesar de discordar de diversas opiniões suas, entendi todas suas colocações, e gostaria de lhe parabenizar pela civilidade e tolerância. Lhe agradeço também pela contribuição legal, pois desconhecia tais leis.


Mirella: Apesar de concordar com diversas opiniões suas, gostaria de lhe pedir para repensar algumas palavras que, se não forem ofensivas, são pelo menos antipáticas. Repense sobre chamar uma pessoa de 'psicopata', e sobre usar a palavra 'católico' como uma ofensa. A liberdade de religião é garantida na Constituição, e usar a palavra 'católico' para rebaixar alguém seria o mesmo que usar 'judeu' para rebaixar alguém. Os nazistas fizeram isso, e nós que somos do bem não devemos fazer o mesmo. Assim como é injusto atacar os ateus, é injusto atacar aqueles que têm crenças religiosas. Gostaria também de lhe agradecer pelos dados sobre as vantagens do vegetarianismo.

Abçs

lola aronovich disse...

Ah Mirella e Mariana, que bom ver vcs trocando ideias pacificamente, sem brigar! Fico muito feliz com isso. Ainda mais porque é raríssimo ver gente que passou dezenas de comentários se insultando e se ofendendo continuar dialogando, e mudar o tom do diálogo. Parabéns às duas, de verdade.
Então, a única coisa que vi sobre leis foi isso, bem supérfluo, que saiu nas notícias sobre o caso: “Segundo a lei estadual 11.977, os 'animais domésticos, aqueles de convívio do ser humano, dele dependentes, e que não repelem o jugo humano' não podem ser criados para o consumo”. Logo, não poderiam ser abatidos, certo?
Mas queria fazer uma provocação aos militantes vegans. Na realidade nem é uma provocação, é mais uma dúvida mesmo. Todos concordamos que a criação de bois e vacas é péssima pro meio ambiente, porque devasta florestas, consome água demais, grãos demais (já li que todo ecologista deveria ser vegan, e faz sentido). E este é um dos motivos que vcs defendem pra que se deixe de comer carne. Mas, se vacas deixassem de ser criadas para o abate, vocês não acham que elas se tornariam extintas, como tantos outros mamíferos de grande porte? O ser humano não permitiria que uma vaca, que consome tanto espaço, água e comida, compartilhasse o seu espaço. E aí eu fico pensando o que é pior pra uma vaca: viver um pouquinho, mesmo que em condições miseráveis, só pra ser abatida, ou ter toda a sua espécie extinta?

Mirella Nogueira disse...

Mariana, viu como vc caiu do cavalo aqui?
Se vc diz que a antropofagia é crime, comer cães também é!

Vilvipendiar significa maltratar, avitar, etc

Não existe na legislação brasileira uma lei que especifique direitinho que COMER carne de gente seja proibido. Vc diz que a mesma coisa acontece com relação aos cães (apesar de vc ignorar as especificações sobre os animais de abate, onde todos os animais de abate - para consumo - são citados, e, é lógico que o cão NÃO é citado), e então, por sua lógica não é crime também comer carne de gente.

Vc diz que inúmeras condutas poderiam ser encaixadas sobre a palavra vilvipendiar (maltratar) cadáveres, e por isso, poderia ser entendido que comer carne de gente é proibido. MAS É A MESMA COISA QUE ACONTECE COM RELAÇÃO AOS CÃES!

E mais: alguém então poderia sair pela tangente, se o pegassem comendo carne de gente, alegando que o mesmo (cadáver) que nem pode ser mais sujeito capaz de sentir o aviltamento, a ofensa física, a profanação, o maus-trato (ate pq, maus-tratos e aviltamento carregam em sua definição o ato de sentir dor).

Olha o que eu achei sobre antropofagia no livro: Manual do Direito Penal Brasileiro:
"Antropofagia, por si só, não constitui crime, mas sim a conduta que a precede como a de homícidio ou a lesão corporal. O tema do estado de necessidade tem variado de tratamento conforme as diferentes legislações que exclui a ilicitude do fato típico, ora exclui a culpabilidade pela força da inexigibilidade de comportamento adequado ao direito."

Portanto Mariana, se vc entende que comer carne de cachorro não é proibido (eu não entendo assim), então comer carne de gente também não é! Como vc disse, quando algo não está expressamente proibido - no âmbito penal - ele está automaticamente permitido.

Portanto, poderíamos comer gente numa boa! No seu entendimento...

Agora... vc disse de iguana e passarinho... tem gente que come iguana e passarinho??

As consequencias climáticas já estão acontecendo há tempos. Não reparou que cada ano fica muito mais quente, mesmo aqui no Brasil? E agora estamos tendo tufões e ciclones. No resto do mundo então, a coisa está pior.
E o maior causador disso sabe qual é? A PECUÁRIA!

E água doce já está um caos, aliás, é o mal do século. Nós aqui Brasil, privilegiados (nem todos, há muitas pessoas carentes no alto sertão nordestino que carecem DEMAIS de água), ainda não sentimos isso. Mas vai lá pra Europa por exemplo... se lá vc pegar uma mangueira e ir lavar o carro com a mangueira ligada ou ficar lavando calçada os vizinhos chamam a polícia e vc vai preso!
Pq a água já está escassa!

Realmente é certo o que vc disse sobre os abatedouros. Não entendo também a blindagem em torno deles (será que é pq são "poderosos" e com muita bufunfa?). Eu acredito que eles saem pela tangente devido às normas e especificações que existem regendo sobre fazendas de abate legalizados.

Sobre os hormônios essas empresas alimentícias sempre agem assim. Nunca informam o consumidor. Alguém aqui sabe por exemplo que o glutumato monossódico (realçador de sabor encontrado em inúmeros alimentos) é um grande responsável pela obesidade mundial? E por até doenças degenerativas e incuráveis como a esclerose multipla? Ninguém sabe!

Mirella Nogueira disse...

Sabe pq mudar esse tratamento traumático é muito utópico? Pq é como eu te falei Mariana. Nun mundo de quase 7 BILHÕES de pessoas, consumindo centenas de animais por ano, isso é impossível! Se esses animais não ficassem confinados ao extremo como eles ficam (com tanta depressão e despero que cometem canibalismo, auto-mutilação e comportamentos esteriotipados), se eles ficassem mais livres, com mais espaço, seria preciso mais áreas para isso. E, se a pecuária como é, já é a responsável pelas desvastações ambientais, imagine então como seria? As matas desapareceriam de vez!
E outra coisa... os hormônios são para provocar o crescimento (tanto do indivíduo como para partes do mesmo. um exemplo no caso do peito de frango que tem que ficar gigantesco para vender um peito de frango do tamanho de um frango inteiro sem hormônio. Se fossemos melhorar a vida deles, sem os hormônios, teriam que dar-lhes mais tempo de vida (ao invés de matarem eles com meses de vida como ocorre hoje) para ele crescer, e isso significaria ANOS. Numa população de mais de 6 bilhões de pessoas, a demanda não consegue esperar um único animal ficar pronto para consumo dali anos de vida.
É o que ocorre com as granjas. Se eles ao menos não ficassem com a luz sobre os pintinhos 24 horas (que é para elas pensarem que é dia e não pararem de comer) e engordarem para serem mortas com pouquíssimos meses de vida, eles só alcançariam o tamanho para abate dalí muito mais tempo.
E como ficariam os frangos do natal? As empadas de frango? O frango a passarinho? O peito de frango? Os nuggets? As coxinhas? O frango assado? Os espetinhos de frango? As canjas de galinha? Para toda essa população que nem se importa com o que acarreta o ato deles comerem carne?

Então agora me fale Mariana, já que vc diz que não é nada utópico. Me fale como poderia um abatedouro e fazendas de abate, realizarem normas menos agressivas e que sejam sustentáveis. Me diga.

Vc não vê que a única forma de melhorar a vida desses animais é a população parando de os consumir?

Somento com uma alimentação mais vegetal, menos procura, é que não seria preciso (devido à menor quantidade de gados, porcos, galinhas, peixes, etc) práticas sofríveis e degradantes à eles, como o confinamento, o transporte medonho até os abatedouros (que são em gaiolas hiper-ultra apertadas - nem nos instantes que precedem sua morte eles tem paz, é sempre uma brutalidade indizível) já que não daria para ser diferente e levá-los nos caminhões com mais espaço pq, se a procura é muita, só se eles fizessem várias vezes o mesmo trajeto com os caminhões e daí seria mais poluição e degradação ambiental, a extinção em massa, a ingestão de hormônios para seus corpos crescerem em pouco tempo e o abate poder ser feito com meses de vida.

Por isso as leis bem-estaristas são ridículas e até perigosas, pois a discussão não fica mais no âmbito do cessamento do sofrimento animal, fica só no debate da mitigação e regulamentação de seu sofrimento e carnificina.

Mirella Nogueira disse...

Ju, respeito sua opinião mas tudo o que falei sempre foi repensado inúmeras vezes e por isso disse o que eu falei. Chamei e chamo de psicopata qualquer pessoa que não tenha sentimento, empatia com um ser que sofre e é humilhado, subjugado e assassinado.

Não estou interessada aqui em ser simpática. Apenas em debater.
Ju, o caráter como ofensa a religião foi vc quem deu, não eu. Não usei a palavra católico no intuito de rebaixar e sim classificar mesmo. Pq o discurso do: "os animais foram feitos para servir ao homem", é um discurso da religião católica, está na bíblia e sempre foi encarado assim. Aliás, entendo como o especismo chegou a essas vias de fato POR CAUSA PRINCIPALMENTE da religião católica.

E isso não é ofender, é falar a verdade apenas.

E não ataco pessoas que tem crenças religiosas, mas discuto sim sobre esses dogmas especistas!

Abraços a ti também!

Mirella Nogueira disse...

Pois é Lola, vc viu? Evoluímos eu e a Mariana! hehehe

Então. Já me perguntaram isso diversas vezes.
Bom, vamos falar assim: primeiro que, sabemos, o vegetarianismo não vai ser instalado no mundo de um dia para o outro. Portanto, o mundo não soltaria os animais de abate assim de uma hora pra outra causando um caos no mundo. A coisa seriam bem devagar e os animais para abate seriam diminuidos.
Segundo: não acredito que as vacas seriam extintas. Nós temos milhares de animais de grande porte selvagens, a vaca seriam apenas mais uma. A vaca só consome isso tudo de água, insumos, energia e comida em cativeiro. A fazenda de criação é que gera isso tudo para manter e confinar esses animais. Uma vaca sozinha não sai consumindo todos os bens renováveis, não vai acabando com as matas (se assim fosse, as áreas de mata da Ìndia estavam perdidas..rs).
E terceiro: Mesmo que as vacas fossem extintas pq não mais as comemos, tenho certeza que é bem pior vacas existindo e sendo totalmente torturadas, mutiladas exploradas e assassinadas, do que elas não mais existindo como espécie.
Seria a mesma coisa a gente pensar assim: Imagine que os maias ainda existissem e fossem como as vacas são pra nós. Se eles só existissem para serem mortos, confinados, subjugados, em campos de concentração. Vc iria preferir o que? É lógico que vc preferiria a liberdade deles. Mas, e se não fosse feita essa escolha, como vc deu, de eles só poderem ter um futuro: que eles passassem toda a sua existência sendo explorados e assassinados nos campos de concentração, ou que se libertassem mas não mais passassem a existir como "raça"?
Podemos pôr nesse mesmo ambito os judeus. Vc preferiria que eles ficassem para sempre em campos de concentração ou que fossem extintos?

Acho que a resposta aqui não é a preocupação da perpetuação da espécie, e sim, da perpetuação do sofrimento extremo e sem fim. Da exploração sem limites. Do especismo grotesco...

Luciana disse...

Gente, a discussão não é para ser em torno de leis se podem comer cachorro ou não, humano ou não. A discussão deve ser sobre a ética e a exploração que inflingimos a todos os animais.
Mariana é mesmo muito triste e revoltante ler alguém escrever as coisas que vc esreveu. Também me passou pela minha cabeça algo como psicopata, mas não quero colocar mais lenha na fogueira agora que vc está melhor com a Mirella. Mas convenhamos o que vc disse foi muito brutal e quase inacreditável. Não consigo não me revoltar ao saber que vc ainda tem cachorro e era a favor de fazendas de criação para abate de cães.
Vc ainda é a favor disso? Espero que não.
E pare de ficar se apegando se está na lei especificado ou não que não se pode comer cachorro.
Gaste mais a sua energia e a sua disposição com algo que acrescente ao mundo e a vc.
É uma dica!

Mirella, só posso dizer parabéns por tudo o que vc falou. Vou começar a ler mais este blog, achei-o como uma referencia no orkut. Vc soube responder tudo pontualmente e com claridade, ética e abolicionismo.
Ainda não sou vegetariana mas pretendo ser logo. E vc me ajudou na escolha de que estou no caminho certo.

Abrç

Daniel disse...

Ju k

A Mirella em momento algum foi ofensiva com relação aos católicos, simplesmente relatou um dogma preconceituoso e especista dos que seguem essa religião. Eles acham que os animais não passam de "criaturas de deus", sem alma alguma, colocadas no mundo para servir a humanidade. Aliás, não só a igreja católica como quase TODAS as religiões são altamente especistas. As que menos tratam animais como coisas consideram os animais criaturas com alma, mas na escalada rumo a perfeição e evolução estão muuuito atrás dos "belos" e "sábios humanos". Tanto é que a unica maneira de vc vir em outra vida sendo um animal é cometendo um grave "pecado", assim, eles lhe mandam para uma próxima vida sendo um réles animal.
Mas a Mirella está certicima quando diz que o catolicismo é uma das grande divulgadoras e incentivadoras da exploração animal, sem culpa alguma e com o aval de deus.

Bia disse...

Eu acho que quando a Mariana disse aquilo que acredito que todos aqui também acharam absurdo e cruel, ela não sabia de fato o que acontece nos meios de produção animal. Porque senão ela não falaria tal obscenidade. Visto que, como mais um apêndice, a garota tem e diz que ama um cachorro; tornando-se impossível acreditar que ela pudesse olhar em seus olhos e ainda ser a favor de fazendas de criação de abate para cães. Seria impossível ela não se sensibilizar e imaginar o seu próprio cãozinho lá, sendo aprisionado em cativeiro a lá solitária, sendo morto e esquartejado. E ainda ser a favor.
Não, eu custo a acreditar.
Ainda bem a grande maioria não pensa assim e não deseja que todos os animais sejam comidos.

Tenho certeza que a Mariana mudou de idéia e agora virou uma pessoa melhor.

Mariana. disse...

Quantos comentários.

Antes de tudo, LOLA, foi procurar a lei 11.977 que você citou. Infelizmente não vou poder colocar o link aqui, mas se vocês digitarem '11977' do google, cliquem no segundo link que aparecer, um doc. Tem até comentário da lei.

É uma lei do Estado de São Paulo. Como eu disse acima, leis estaduais não tem competência para falar 'isso é crime'. Isso é só com a União. Tanto que, nessa lei, as punições se restringem ao âmbito civil. Por exemplo: perder a guarda do animal, pagar uma multa (que se você não pagar, não acontece nada de mais: dívida por multa não pode ser punida com prisão). MAS indepentente disso, eu não vi na lei o que você colocou entre aspas. Eu li a parte que fala sobre os animais domésticos e os animais para abate. Leiam lá, vocês podem tirar a prova. E pra falar a verdade eu acho isso bem estranho, porque a parte que a Lola citou é justamente o que eu procurei e não achei em lugar algum (lembram que eu disse que 'ouvi dizer' de uma lei que proibia o consumo de animais domésticos?).

Agora, Mirella, vamos lá:

Abate (dicionário aurélio): ato ou efeito de abater animais para consumo (próprio ou alheio).

Lá em cima, eu postei a Lei 30.691/52, que enumera os animais que PODEM ser abatidos. São eles: bovídeos, eqüídeos, suínos, ovinos, caprinos e coelhos, bem como das diferentes aves domésticas e de caça.

Então, cachorro não pode ser ABATIDO. Concordamos nisso, né?

Ok. Isso significa que alguém que goste de carne de cachorro, NUNCA poderá chegar num açougue e pedir um filé de cão. Nunca. Porque esse tipo de carne NÃO pode ser abatido e comercializado. Não podemos nem falar algo como 'abatedouro clandestino de cães', pois NEM existe a FIGURA do abate de cães. Entende?

Agora lembra daquilo que eu disse sobre várias condutas diferentes (vender é uma coisa, comer é outra)? Então. O açougue estaria cometendo crime, a pessoa que chega lá pra comprar cachorro, não (é por isso que os coreanos foram presos, mas seus clientes não). EU SEI, a lei tem brechas e isso às vezes pode ser revoltante. Pelo menos, proibir a comercialização já dificulta bastante, já que poucas pessoas estariam dispostas a matar um cachorro com as próprias mãos.

Agora, digamos que, ao legislar sobre a ANTROPOFAGIA, o legislador foi mais cuidadoso. Como eu disse, o artigo que fala em 'vilipendiar' cadáveres é uma norma aberta. O legislador, receiando esquecer de algo e abrir brecha na lei, preferiu usar uma palavra genérica como essa ao invés de elencar cada conduta que seria considerada ofensiva (antropofagia, necrofilia, e inúmeras outra que nós não precisamos nos dar ao trabalho de citar), por vai que ele esquecia alguma? A pessoa que realizou uma conduta inimaginável ficaria impune e nada (nada mesmo) poderia ser feito. Então, canibalismo humano é crime sim, e isso independe do quão explícita a norma é. Só um adendo: Ninguém poderia sair pela tangente alegando o que você alegou (não houve maus tratos porque o cadáver não pode mais sentir dor). E eu explico porquê: nesse caso, o bem jurídico protegido (aquilo que a lei visa amparar) não é a dor física ou mental do cadáver, e sim o sentimento de respeito aos mortos, especialmente da família do morto. Entende? eles é que se sentem ofendidos. Poucas pessoas, a final, ficariam contentes se soubessem que o túmulo de um ente querido foi violado e seu cadáver foi profanado, não é?

CONTINUA

Mariana. disse...

Aí você, que de modo algum é especista, diria que esse artigo do 'vilipendiar' deveria ser aplicado a todos os animais, principalmente aos cães, e que assim, ninguém poderia comer carne de cachorro e passar impune.

Mas, infelizmente, não é assim que funciona a cabeça dos nossos legisladores. A maioria dos diplomas jurídicos (exceto os específicos como leis ambientais, etc), e principalmente as normas penais, tutelam a vida humana, não de outros animais. Se alguém atirar em seu cachorro com a intenção de matá-lo, você não vai poder acusá-lo de homícídio doloso.

CONTINUA

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 217   Recentes› Mais recentes»