segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

A ÚLTIMA, ÚLTIMA MESMO DO JOÃO - FINAL SURPRESA

Como alguns de vocês estão perguntando por onde andará João Neto, o Troll, e como é meu costume compartilhar tudo com minhas leitoras(es), tenho que colocar aqui o email (editado - e, antes que ele me acuse de, hum, editar suas palavras, vou colocar a versão integral, com os erros que ele não comete, nos comentários) que ele me enviou após o terceiro e último post que “dediquei” a ele.

"Foi-me muito proveitoso comentar no seu blog já que estudo a influência dos blogs, blogueiros e seus comentaristas, no pensamento das pessoas comuns como nós. Desculpe-me a provocação extrema, mas só assim eu poderia conseguir o supra-sumo da reação. Não foi falso, mas hiperbólico. Apesar de você ter me xingado, com razão, vai perceber que eu tive o cuidado de não xingar você, nem nenhum dos seus comentaristas. Falar que a Andrea era feia foi pura provocação; afinal, ela é realmente bonita.
Pude apurar duas coisas de imediato.
1) Graças à grande lealdade de seus comentaristas para com você, eu descobri que é muito fácil ser o Diogo Mainardi! Basta contrariar, atacar, discordar, tergiversar, insultar e assim por diante. 2) Infelizmente, é muito fácil manipular os debates nos blogs; assim sendo, muito do que se lê não representa o que se pensa, mas, geralmente, são idéias preconceituosas, ou induzidas pelo elogio, pela raiva, ou pela empatia.
Lamento que o resultado dos debates, para mim, não seja satisfatório em nenhum blog que se visite, tanto nesse simpático blog da Lola Aronovich, quanto nos blogs dos exacerbados direitistas Diogo Mainadi, Reinaldo Azevedo, assim como em outros como os da Barbara Gancia, do Gerald Thomas, do Rafael Galvão, etc. Nos debates, cada lado expõe suas idéias já pré-concebidas e nelas permanecem. Ou seja, tudo fica como antes, com os dois lados permanecendo com sua opinião, batendo boca sem que o debate produza algo positivo. Desculpem os possíveis excessos. Grande abraço a todos e muito obrigado a você pela cordialidade e paciência."

Ainda não respondi a ele, vou fazê-lo aqui. Não tenho nem certeza da minha reação ao receber este email. Sinto-me uma otária, talvez? Não me arrependo dos três posts que dediquei não ao João, mas às asneiras do João. Eles renderam bons debates entre as(os) comentaristas. E como eu já disse, não é só o João que pensa dessa forma extremamente preconceituosa que mulher instiga os ataques por não ter vergonha na cara, ou que mulher adora ouvir grosserias referentes ao seu corpo. Se fosse apenas o João que pensasse assim, nossa vida seria bem mais fácil. Todas aquelas respostas (minhas e suas) serviram pra rebater não ao João especificamente, mas a esse tipo de pensamento tão retrógrado quanto atual (ainda!).
Mas, obviamente, eu gostaria de ter sido avisada. Não sei bem avisada do quê, já que não duvido nem por um segundo que o João pense exatamente do jeito que se manifestou (ele mandou outro email em seguida dizendo que, agora que uma única leitora havia se manifestado que gosta de cantadas na rua, o debate estava mais interessante. Agora! Os outros 190 comentários foram devidamente ignorados). Talvez eu gostaria de ter sido avisada que tratava-se de um estudo? Nem isso ficou claro, se é um estudo pessoal, assim como “eu estudo a influência de um quilo de chocolate no meu organismo”, ou se é um estudo acadêmico, sério, que envolva toda uma metodologia. Mas se eu (e vocês) fui cobaia, queria ter sido avisada. Só os animais ditos irracionais são cobaias sem terem escolha. Bípedes como nós geralmente somos até pagos. Lá em Detroit havia vários anúncios pedindo cobaias humanas. Dava-se “recompensação financeira”. Eu tava louca pra mandar o maridão pra um desses testes, pra que ele me contasse tudo. Mas ele não encaixava em nenhum dos perfis exigidos (muitas vezes tinha que ser ex-usuário de heroína). Opa, me desviei do tema.
É chocante pra mim que o João insista que não, não insultou ninguém. Ele chamou uma leitora minha de feia, mas isso não conta, porque ela é bonita. Hã? Ele nem acha que chamar todas as mulheres de sem-vergonha, depravadas e culpadas pelos estupros que sofrem é uma ofensa e tanto. Esse tipo de pensamento - de desprezar o que montes de mulheres revoltadas dizem, porque são umas histéricas, que sequer merecem sentirem-se ultrajadas - faz parte do privilégio masculino. Privilégio masculino é também não ter a menor idéia de como as minorias têm amplos motivos pra se sentirem ofendidas.
Não entendi as comparações com o Diogo Mainardi ou Reinaldo Azevedo, porque o que eles fazem nos seus blogs e artigos não passa nem perto de um debate. Eles não crêem em democracia. Debate precisa ter mais de um lado. Eu publiquei o lado do João. A Veja publica algum ataque aos seus colunistas? Nos blogs deles não existem “petralhas”, apenas seguidores atacando petralhas imaginários.
E o resultado dos debates não foi satisfatório pro João? O que ele queria, que a gente abaixasse a cabeça e dissesse: “Puxa, o João tá certo, a mãe dele é que foi uma mulher maravilhosa, porque ela criou uma obra-prima como ele, tão sem preconceitos, e as mulheres que trabalham fora são umas frustradas mesmo”? Ou: “O João tá coberto de razão quando diz que 'ser do lar pode, e na maioria das vezes é, tudo o que uma mulher quer'”? Ou: “É mesmo, como não tínhamos pensado nisso?! Todas aquelas histórias de horror que contamos foram causadas pelas roupas que vestimos! Se bem que cada uma vestia uma roupa diferente, mas se o João falou, e o João é homem, ele deve ter razão!”? Ou: “Uau, é verdade! A gente fica tão deprê quando passa em frente à uma construção e os operários não mexem conosco!”. Não imagino o tipo de resultado que o João esperava, se os argumentos dele não saíram do nível do “você é bobona, chata e feia”. Como o Cebolinha pra Mônica. Certas coisas se respondem com coelhadas. Mas a gente respondeu com educação.
Debates não servem necessariamente pra fazer alguém mudar de posição. Servem pra refletir, pra trocar idéias, pra apresentar contra-argumentações. As argumentações do João se limitavam a chamar uma leitora de feia, todas as outras de hipócritas e mentirosas, e eu de não ser humanitária por ser atéia. Como que alguém que se comporta como um troll fica perplexo porque não fez amigos e influenciou pessoas?!

68 comentários:

Anônimo disse...

Este é o email que recebi do João, na íntegra, sem correções:

"Muito obrigado!
Você me obsequiou com três posts, sendo que dois destes são os recordistas de comentários do seu blog. Como já te disse no blog, prometo não incomodar mais, nem a você, nem aos seus dedicados comentaristas.
Foi-me muito proveitoso comentar no seu blog já que estudo a influencia dos blogs, blogueiros e seus comentaristas, no pensamento das pessoas comuns como nós, uma vez que, finalmente, as pessoas comuns têm o direito de se expressar através de um veiculo de mídia de grande alcance, sem a necessidade de ser proprietário de um veiculo de imprensa tradicional tal como: um jornal, uma estação de rádio, uma emissora de televisão etc., coisa impossível a bem a pouco tempo atrás. Há muitas correntes dizendo que o blog já acabou, que é o refugio do jornalista incompetente, ou do que não pode trabalhar na grande imprensa. Eu acho o contrario. O blog está apenas começando e pode vir a ser o maior, e o mais interativo, veiculo de imprensa do mundo.
Desculpe-me a provocação extrema, mas só assim eu poderia conseguir o supra-sumo da reação. Não foi falso, mas hiperbólico.
Você pode observar apesar de você ter me xingado, com razão, você vai perceber que eu tive o cuidado de não xingar você, nem nenhum dos seus comentaristas. Falar que a Andrea era feia foi pura provocação com os comentaristas e com você, afinal, ela é realmente bonita.
Andrea, eu acredito que, como disse a Lola, você seja uma das moças mais bonitas da UFSC.
Pude apurar duas coisas de imediato.
1-Sempre que eu lia a Revista Veja, ficava impressionado como o Diogo Mainardi era o campeão de cartas todas as semanas. Pois bem: graças a grande lealdade de seus comentaristas para com você, eu descobri que é muito fácil ser o Diogo Mainardi!
Basta contrariar, atacar, contrariar, atacar, discordar e atacar, tergiversar, insultar e assim por diante.
2) Infelizmente, é muito fácil manipular os debates nos blogs; coisa que o Diogo Mainardi e o Reinaldo Azevedo também fazem nas revistas e nos seus blogs e assim sendo, muito do que se lê não representa o que se pensa, mas, geralmente, são idéias preconceituosas, ou induzidas pelo elogio, pela raiva, ou pela empatia.
Lamento que o resultado dos debates, para mim, não seja satisfatório em nenhum blog que se visite, tanto nesse simpático blog da Lola Aronovich, quanto nos blogs dos exacerbados direitistas Diogo Mainadi, Reinaldo Azevedo, assim como em outros como os da Barbara Gancia, do Gerald Thomas, do Rafael Galvão, etc. Nos debates, cada lado expõe suas idéias já pré-concebidas e nelas permanecem. Ou seja, tudo fica como antes, com os dois lados permanecendo com sua opinião, batendo boca sem que o dabate produza algo positivo. Eu sei que você pode não concordar com isso, mas é só minha opnião.
Obrigado a todos! Desculpem os possíveis excessos.
Grande abraço e, mais uma vez, muito obrigado a você pela cordialidade e paciência.
João Neto.
PS. 1 Eu não sou o Santiago, o troll, como você acha, mas confesso que a sua disputa com ele, algum tempo atrás, me inspirou."

Andrea Cristina disse...

Aff Lola, lá está você de novo perdendo tempo com este troll.

E se o que ele fez foi estudo sério ou não, não importa. Que tipo de pessoa conduz um estudo baseado em não respeitar o pensamento de outras pessoas? Quem perde seu precioso tempo com isso?

Andrea Cristina disse...

E que tipo de pessoa diz estar conduzindo um estudo e não se apresenta. Algo do tipo, estou pesquisando da universidade tal, ou com fomento de tal agência, sei lá. Pra que esconder um "estudo" atrás das cortinas? Pra que se esconder atrás das cortinas?

Lila disse...

Ai, Lolinha. Você é mesmo novata na web. Isso é tão típico, já perdi a conta de qtas vezes um troll faz isso e depois alega que tava fazendo um estudo. Quase comentei com vc, mas resolvi esperar pra ver. Sugestão, se ainda não fez isso: bloqueie o IP do troll pq esse anônimo deve ser ele. Se não bloquear daqui a pouco ele volta com outro nome p/atazanar de novo.
Esse email dele parece mto com essa piada idiota: http://recantodasletras.uol.com.br/humor/476788

Anônimo disse...

Pfff. Estudo. Aham. Para onde? Com que metodologia? A metodologia do "vou chamar todo mundo de feio e bobo se eles não concordarem comigo e ver se eles ficam ofendidos ou não"? Uau, héin, te cuida que daí sai Nobel.

E, péra aí, antes sr. João disse que dava aulas de português, por isso não errava NUNCA (como se professores fossem infalíveis...). Agora, está fazendo um estudo sociológico? Ah, conta outra, vai. Vou ter de dar uma de Sarah Palin e dizer: "não passa de um moleque, usando o computador escondido na casa da mamãe".

E eu tenho desprezo por qualquer um que queira ser o Diogo Mainardi. É meio óbvio que muita gente vai ficar puta quando um zé mané, sem embasamento nenhum, começa a falar asneiras ofensivas. Não precisa de estudo nenhum para saber disso.

Joãozito, vai fazer a lição de casa e deixa a gente debater em paz.

La Mamacita disse...

Lolô,
Eu suspeitei, sim, várias vezes, acerca das verdadeiras intenções do João ao provocar e ofender tanto: vai ver que ele está fazendo um estudo, uma estatística, sei lá. Até donde chegar pra ofender. Você sabe, eu sou nova no mundo blog, nem conheço outro alem do teu e o da Lolla. Mas achei muito estranho ser tão mal educado. Casca grossa mesmo. Agora, me chama a atenção te colocar ante o Mainardi, o Azevedo, o Gerald Thomas, a Bárbara Gancia, todos iguais contra um? Não pode ser um estúdio sério, assim tão limitado de fontes. Acho que ele inventou mais essa pra chamar a atenção. Quer mais holofotes.
De qualquer jeito, agora me sinto bem à vontade pra dizer que o João, além de burro, é um idiota. Nem entender pra que que serve um debate ele consegue. E não aceito esse “grande abraço a todos”, pode guardar, João. Nelly

Anônimo disse...

Lola se há algo que não dá para perdoar é alguem que age anonimamente. Pra mim anônimo só se for para telefonar e entregar assassinos à polícia , só se for para distribuir dinheiro aos pobres. Os demais anônimos são dispensáveis, certamente.Fatima.

Serge Renine disse...

Aronovich:

Você assistiu ao último Batman?

Saiu agora em DVD e eu queria ler uma crônica/crítica sua a respeito.

Débora disse...

Rá. Ele tentou foi sair pela tangente.
O absurdo foi o foco nas reações e comentários. O conteúdo foi inútil, ele não "leu" uma linha sequer.
Ganharia mais se fosse num bar polemizar sobre futebol.
Já pensou chegar num boteco cheio de corintiano e falar mal do Corinthias só para estudar as reações?
Ah, mas ai corria o risco de apanhar, melhor ficar na segurança do anonimato atacando mulheres inofensivas e histéricas.

Chris disse...

Póf...
eu ainda me pergunto se o João é de verdade e, se sim, POR QUE DIABOS não cria um blog para expor suas idéias, teses e agora, da-rãããm o resultado de seu estudo!

Lola, acho que você já perdeu muito do seu tempo com ele. Deixa quieto! rss

Beijos

Luah disse...

Joao é um inventor canadense e seu estudo serve para criar coisas assim, por exemplo:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/12/081215_roboaikorw.shtml

Cereja disse...

Chris,

Simples: porque eles esta' pegando carona na audiencia dos outros... formar audiencia propria da' trabalho, nao e' pra quaquer um. Preguica mesmo.

Cereja disse...

*ele

* Eu sei que fui boazinha de chamar isso de preguica, mas nao da' pra dizer que o cara nao tem competencia pra chamar a atencao ja' que ainda estamos falando dele... mas dai' a formar uma audiencia cativa para um blog proprio tem uma grande diferenca.

lola aronovich disse...

Oi, Andrea! Tô tão chateada que a gente se desencontrou semana passada! Eu teria adorado ir almoçar na sua casa. Mas, como expliquei, o orkut deixou de me avisar por email quando alguém deixa mensagens lá. (e eu não desativei nada. Alguém sabe como reativar?).
Sobre o estudo do João, realmente, Andrea, a gente que faz pesquisa sabe que estudo é outra coisa...


Lila, eu sou mesmo novata. E ingênua tb. Acredito em tudo que me dizem! Quer dizer que isso de troll alegar que estava “estudando” o comportamento humano é o maior clichê? Como bloquear o IP de alguém? Aliás, como descobrir o IP de alguém? Desculpem a ignorância!

lola aronovich disse...

Marj, há há, ri alto com o seu “Te cuida que daí sai Nobel”! E sobre o Diogo Mainardi... Bom, eu só tenho um enorme desprezo por ele. Como se fosse alguém especial!


Mãe, eu confio nas minhas leitoras, mais gabaritadas que a gente nisso de trolls. Não é estudo nada. Mas ele foi embora, é isso que importa. Se bem que já já ele volta com um outro apelido... Acho que a Lila tem razão e eu preciso bloquear o IP dele, seja lá o que for isso.

lola aronovich disse...

Fá, é bem covarde se esconder através do anonimato. Mas é justamente isso que faz a festa dos trolls.


Serge, o Cavaleiro das Trevas? Claro que sim, tá aqui a crítica.
Eu até tava com vontade de ver de novo, agora em dvd... Baita filme!

lola aronovich disse...

Débora, eu acho que ele leu tudo, deve estar nos lendo agora, mas percebeu que ninguém o aguenta mais. Ele nunca tentou argumentar, só ofender mesmo. Mas eu tenho esperança que tantos argumentos mudaram a cabecinha dele um pouco. Um pouquinho só, será que não? Nada mesmo?


Chris, tem razão, perdi muito tempo mesmo. É, eu ficaria muito curiosa pra ver o resultado do estudo do João! Queria ver ele tentar postar UM comentário contra a corrente nos blogs do Mainardi ou do Reinaldo Azevedo...

lola aronovich disse...

Luah, é verdade! Essas invenções me fazem pensar que existem muitos homens solitários por aí. Eu sinto pena.


Cereja, é, não é fácil formar uma audiência cativa num blog próprio. Mas também não sei até que ponto é tão difícil. Se ele colocar essas idéias retrógradas que expôs aqui num blog, certamente terá seguidores. Tem louco pra tudo. O Mídia sem Máscara tem uma pá de leitores, não tem? Deve ser tudo da TFP - Tradição, Família e Propriedade...

Lila disse...

Lola, é assim: IP é um protocolo de internet, é o que identifica cada usuário na web. Cada PC tem um IP próprio, da máquina mesmo. Se vc bloquear o IP dele, ele não vai mais poder comentar no seu blog.
Qto a saber como bloquear no blogspot, não sei não. No wordpres, tem um aplicativo que envia o comentarista p/ a caixa de spam e ele não comenta mais.
Sugiro que vc entre em contato com aquela leitora que se ofereceu p/ implantar pra vc o sistema de comentários Halos Scan, acho que pelo Halos tb dá pra bloquear o IP.

Fraser disse...

Hi Lola!

I think I've seen you on Nate's site as well -- I love that guy, he's so incredibly deadpan. But what are you doing reading web sites? Go and work on your thesis! :-)

I'm glad you enjoy the blog -- it all started because I wanted somewhere to record my time with Pippa so that I could look back in a few years and wonder how I ever managed such a wild cat. I know I sound a bit mean, but I do adore her and I know she'll get used to me eventually.

I was born in New Zealand, grew up in Australia, lived in the US and for the past seven years I've been living in Holland. I think I've finally managed to settle somewhere.

And don't worry about the prepositions, I know from learning Dutch that they are the most random and illogical parts of any language. I wish I spoke Portuguese so I could read your site -- it's funny, I read Latin so a lot of the individual words are meaningful, but it's hard to put sentences together.

cheers,
Fraser.

Luma disse...

Lola, conheci seu blog recentemente e adorei! Depois vou dar uma lida nos posts mais antigos e comentar =]

Lila, na verdade IP não é de cada máquina. Há computadores que possuem um IP fixo, mas também há muitos com IP dinâmico. Aqui em casa o IP é dinêmico, então cada vez que eu conecto na Velox eu pego um IP novo.

Anônimo disse...

Lola, eu acho que o João só quer chamar a sua atenção!


Compra uma melancia, João, e coloque no pescoço e dá uma volta no quarteirão que dá mais resultado e você acaba com essa sua frustração.

Chamar isso que ele fez de "estudo" é desmerecer quem realmente faz estudos sociológicos. João, tem que primeiro colher as entrevistas aplicando os questionários, jogar tudo no SSPS, tabular os dados, tirar a margem de erro e apresentar os resultados.....bobinho!

Mari Biddle

Lila disse...

Luma, tudo que sei de informática aprendi estudando para concursos. Tive um professor que disse que há dois IPs: um fixo da máquina e esse dinâmico que muda a cada vez que conectamos. Inclusive acho que é assim que a polícia identifica pedófilos, pelo IP da máquina.
Mas enfim, são só pitacos de uma quase leiga.

Gi disse...

Ahahah! Essa é boa mesmo... Enfim, eu sempre disse o que penso, seja em blogs, pra amigos, familiares, seja quem for! Especialmente namorados; acho que por isso nunca me casei. ;-)))

Lola, acho que você tem razão sobre "ser consultada" e sobre responder ao João.

Já fiz muito o que ele faz hoje, e era até exagerada, algo como "querer atenção", mas nunca ofendi ninguém, muito pelo contrário, fui ofendida várias vezes e no meu blog antigo, tanto até que criei uma expressão "síndrome do ofendidinho". Penso até em registrá-la. ;-))))

Lob disse...

Pô, no wordpress eh automatico, ele sempre mostra o IP de quem comenta e dá pra bloquear o IP de quem tá comentando... N sei como fazer isso no blogger.
=\

Juliana Bittencourt disse...

E se foi estudo acadêmico, que eu saiba ele não pode usar nada do que foi dito aqui sem o consentimento de cada um de nós que passou nesse debate. Que gente bizarra...
Sendo essa a realidade ou não, ele não foi menos troll, nossos comentários não foram menos sinceros e as manifestações se fizeram necessárias. Concordo totalmente com vc quando vc diz que existem muitas cabeças doentes como as representadas pelos comentários do João, infelizmente.

Liris Tribuzzi disse...

Eita pessoa problemática que é esse João!
Ele deve ser algum megalomaniaco frustrado que não conseguiu fazer uma tese sociológica por aí a fora e decidiu fazer uma por conta própria.
E tá vendo como eu deixo comentários em posts não googlescos?! Tô na correria ainda, apesar de ter 1/2 férias, preciso colocar minha vida em dia, e isso leva tempo...

Masegui disse...

"Mary had a little lamb..."

Ana disse...

Dolores, Dolores... (acho seu nome lindo)...

Vou te contar uma história que talvez explique essa Polonaise Paraguaia:

X pega coisas de um blog que não tem seu nome, nem de ninguém que conheça. X afirma que o autor é Y - embora não tenha nome nenhum - e que Y está escrevendo sobre sua pessoa, difamando e injuriando. Depois X pega coisas do Orkut de Y - que está sendo assediado há anos por trolls - e diz que são pra si, pra difamar, pobre de mim, etc. X "põe na justiça", pede indenização de mais de 10 mil reais, além de processo criminal.

Na hora da audiência, X percebe que as coisas não são bem assim e diz que quer continuar com o processo pq na verdade, queria "parar Y" (de escrever??) e não é tão isso, mas que na verdade mesmo, quer saber quem está escrevendo no nome de Y (sendo que não tem nome de Y em lugar nenhum) e que na verdade, quer proteger Y.

Entendeu, moça? A criatura perde a linha, caga no maiô e aí inventa uma desculpa.

beijos

Giovanni Gouveia disse...

Josef Mengele também fazia "estudos" sem o consentimento de seus "objetos"...

Cris disse...

João = patético

Gi disse...

Gente, vocês exageram! Não há nada de doença e sim de um pouco patético talvez. Mas quem nunca foi levante o dedo. Quanto à "pesquisa acadêmica" não existe nenhuma lei que diga queuma pessoa precise dizer que "está fazendo uma pesquisa" quando entra num blog e comenta. Please!

lola aronovich disse...

Lila, obrigada pela explicação. Eu perguntei pra outro expert em informática, o Lob, mas ele também não soube explicar. Vou ver...


Fraser, thank you for your message. I answered you in your blog. And death to prepositions! In any language, but especially in English.

lola aronovich disse...

Luma, que legal, seja bem-vinda! E espero que vc consiga ler os 1,100 posts antigos. Ah, se quiser comentar sobre algum deles, recomendo que vc recomende no post “do dia”, ou seja, sempre o atual. Não importa que não tenha nada a ver com o assunto. É que tem posts antigos que eu nem tenho como saber se há novos comentários.


Mari Biddle, tem razão, é até desrespeitoso o João chamar o que fez de estudo. Apareça sempre!

lola aronovich disse...

Gi, acho que quem tá carente de atenção tem é que fazer um blog próprio, não ficar querendo chamar a atenção nos blogs alheios. Quer dizer, tem muito comentarista que chama a atenção - mas pela inteligência, pela relevância dos comentários... Não era o caso do João!


Lob, obrigada por responder. Vou continuar procurando!

lola aronovich disse...

Ju, mas tá na cara que de acadêmico o estudo do João não tem nada. Mas, se foi, o João foi um troll acadêmico. Existem vários por aí.


Li, concordo que o João é problemático. Mas o que vc anda fazendo da vida? Tá prestando vestibular ou cursando alguma coisa já?

lola aronovich disse...

Mario Sergio, não entendi...


Ana, não acredito que alguém pôs o seu blog na justiça por difamação! Impressionante essa história. Tem muita gente doente por aí... E acho o cúmulo isso de poder calar alguém. Parece fácil demais!

lola aronovich disse...

Gio, pois é, o João não chegou a tanto, mas give him time...


Cris, concordo.

lola aronovich disse...

Gi, o João foi um troll, insistiu em chamar a atenção, e isso parece um pouco doente, sim. Eu posso levantar o dedo, e acho que minhas comentaristas tb, porque nunca fiz isso de ficar atazanando o blog de alguém. Discordar educadamente, com argumentos, lógico. Quanto à pesquisa acadêmica, não se trata de uma lei, mas de ética. Eu sou pesquisadora, várias leitoras aqui tb, e não tem como “pesquisar” sem avisar antes. Tem que haver consentimento. Mas está bastante claro que o João não estava fazendo pesquisa nenhuma. E Gi, ninguém disse que pra comentar aqui ou em qualquer outro blog é preciso dizer que se está fazendo uma pesquisa. A menos que... a pessoa esteja de fato fazendo uma pesquisa, e vai usar os comentários como parte do seu estudo. Ai, ai, Gi... Daqui a pouco o João aparece aqui pra dizer que vc é a única que o entende. Além de, claro, ser a única não-hipócrita, segundo ele.

Liris Tribuzzi disse...

Lola, terminei agora o primeiro semestre de logística aeroportuária (o.O) e cursinho. Ainda quero passar em editoração, mais duas provas em janeiro e espero estar dentro. Agora que tô com um tempinho a mais, tenho que me atualizar por aqui, colocar Dr. House em dia (tô no fim da segunda temporada...), ver meus amigos e meu namô, comprar presentes de natal e estudar! Depois do dia 5 de janeiro estarei realmente de férias!!!!!

Gi disse...

Nada, nada.. aparece não. Ou.. hehe quem sabe eu esteja errada. Lola, sobre ética: observo que muita gente confunde ética com moral. A primeira é da ordem do "ethos/caráter/matar pra não morrer/dez mandamentos", essas coisas. Moral é "morale", "namoro", conduta e cada um tem a sua. Não há nada de antiético em comentar num blog a título de pesquisa, não dizer a que veio, perturbar meio mundo (sem crimes, ameças, porque aí que a porca torce o rabo) e sair como se nada tivesse acontecido e ainda mandar e-mail para o dono do respectivo blog. `Se você perguntar pra qualquer filósofo (não vale prof. de Ética), ele vai te confirmar isso.

Ética é uma coisa, moral é outra. Se ele te xingasse, te ameaçasse, fizesse algo realmente inaceitável, aí sim seria uma questão de ética. Mas o que ele fez foi no máximo uma "pegadinha" e acontece todos os dias, ainda mais na internet!

Gi disse...

Esse negócio de "troll" é tão ridículo. Acho tão tolinha essa "nomenclatura". O que acho ruimé alguém ser um "anônimo", mas todos nós somos "meio anônimos". Ninguém sabe da vida de ninguém e blogs não são casas. Mas as pessoas não sabem dividir isso; a linha é tênue mas existe. Já vi tanta gente por aqui se expor horrores e depois "não compreender" as consequências dessa atitude e depois se fazer de "vítima do cosmos". Acho legal que seus leitores sejam fiéis a você. Eu sou uma leitora livre. Ora concordo, ora discordo. Não quero estar presa. O que me assusta são as "claques". Apenas isso.

João Neto disse...

Obrigado Gi!

Ana disse...

Te mando as cópias do processo se quiser. Pegou um blog onde nem meu nome tinha, não tinha o nome de ninguém e resolveu que ia me pedir dezesseis mil e seiscentos reais por dano moral, fora o processo criminal. Não é segredo pra ninguém, pode dar até busca no site do TJ. Daí o nome desse blog que tenho agora ser Lide Temerária... Perdi leitores, tanto que agora estou ralando pra conseguir divulgação. Pra piorar, continuam trolls indo comentar, mas como é moderado, simplesmente apago.

Legal, né?

Bjos

Gi disse...

hihi Ele apareceu, Lola! ;-))

Valeu, João! Olá! Não tinha falado contigo antes; que falta de educação a minha... Fiquei com medo porque dizem que "trolls" são altamente perigosos. ;-))) Mas olha, não vale ofensas, hein?! Todos estamos muito sensíveis; o mundo está muito down. Mais paz e amor!

Lila disse...

Discordo da Gi. Seguindo esse raciocínio teríamos tb que suportar spams em nossos emails, por os spamers teriam direito de nos atazanar. Acho que blogs e emails são como uma extensão de nossas casas, de nossas identidades.
Assim como ninguém tem que suportar invasão de domicílio, tb não tem que aguentar visitantes indesejados em seu blog.
E ofender as pessoas, seja em qual meio for: internet, jornal, revista, etc, é crime. E ninguém está anônimo na internet não, como disse antes dá pra identificar as pessoas pelo IP. A web não é terra de ninguém.
Ninguém tem direito adquirido de comentar em um blog, é uma liberdade que só se mantém com respeito pelas pessoas e pela opinião alheia.
Deletar um coment ou bloquear um comentarista não é, a meu ver, censura nem cerceamento de liberdade de expressão. Ele continua podendo comentar em milhões de blogs por aí, continua com o direito de criar seu próprio blog. Tem uma máxima muito simples e antiga que vale pra tudo: "seu direito termina onde começa o direito do outro".

lola aronovich disse...

Oi, Li. Logística aeroportuária, hein? Deve estar craque agora! Tomara que vc passe em editoração. Tá, estude, compre os presentes, veja seu namô bonitão, mas não deixe de vir aqui. Nem de comentar!


Gi, nesse caso não é muito importante uma discussão filosófica entre ética e moral. Eu só estou dizendo que, no mundo acadêmico, realizar um estudo sem avisar os participantes é considerado anti-ético.
E considero “pegadinhas” anti-éticas tb.
Não vejo por que a palavra troll é ridícula. A gente precisa de palavras pra identificar as coisas. Antes de ter meu blog e de ler blogs alheios, nunca tinha ouvido essa palavra. Não existia necessidade pra ela da minha parte. Acho que meus leitores só são fiéis a mim na frequência com que aparecem (e com que deixam comentários). Mas tem muita gente que discorda de mim, e essas pessoas têm todo o direito de discordar. Veja a minha crítica a Vicky Cristina Barcelona, por exemplo. Ou mesmo o que escrevi sobre a PETA. Eu acho que quase todo post cria um fórum de debates, com muitas opiniões sendo colocadas. A diferença é que as pessoas debatem com educação. E não ficam atiçando com provocações estúpidas, como foi o caso do João, que se comportou como um troll.


Ei-lo...

lola aronovich disse...

Ana, incrível isso que vc narra! Não dá pra contra-atacar e abrir um processo em cima dele, por ter acabado com o seu blog? E ainda por cima os trolls te perseguem? Que droga! Espero que 2009 seja um ano ótimo pra vc, sem esses problemas todos.


Gi, não sei se vc percebeu que o João só foi gentil com vc, porque vc foi a única a concordar com ele. Ah, e com alguns leitores homens tb, o que deixa transparecer o que ele pensa das opiniões das mulheres...

lola aronovich disse...

Lila, eu não sei, ainda não estou pronta pra moderar comentários no meu blog. Eu vejo isso como censura sim. Mas, por outro lado, se tiver que fazer, eu faço, ué. O que me incomoda, sinceramente, não são ofensas contra mim. Tô me lixando pra isso. Mas não posso deixar que insultem as minhas leitoras(es), porque aí fica um desrespeito total. Além do mais, quero que pessoas inteligentes sigam comentando aqui, e trolls não são pessoas inteligentes ou racionais, e se trolls insultam minhas leitoras, muitas podem parar de aparecer - afinal, pra quê ser ofendida assim, de graça? Vc mesma disse que pararia de vir aqui se o João continuasse, e eu entendo como vc se sente. Imagina que coisa terrível uma moça contar que acabou de ser estuprada por um conhecido, mas está aterrorizada demais pra denunciá-lo ou fazer alguma coisa, e aparece um troll nos comentários dizendo “Se vc não denunciar, vc é uma idiota! Tomara que seja estuprada de novo pra aprender!”. Eu vi isso outro dia num blog.
O João não chegou a esse ponto de barbárie, mas chamou todas as leitoras (menos a Gi) de hipócritas e mentirosas. E decidiu atacar uma leitora minha em particular, a Andrea, assim, sem mais nem nada. Fico revoltada com isso.

Gi disse...

Vixe, será mesmo? Só foi gentil porque eu concordei ou porque não joguei-lhe pedras? Olha, tenho até uma tendência a ser mártir com meu "Marte em Peixes", mas tu Lola, deve ter Mercúrio em Gêmeos, sendo geminiana e precisa de "tudo explicadinho", dando nome a tudo. Eu não acho que "troll" precise ser chamado de "troll". Acho ridículo porque acho impossível separar um comentador "não-troll" de outro "troll". Dizem que seria a frequência com que ele "insiste em discordar", "ser do contra"; dizem que é porque ele/ela é anônimo.. Dizem, dizem... Quem faz essas "leis" já foi troll, pode vir a ser troll e é humano. Quem cria "nomes para as coisas" são os humanos, portanto, cheios de defeitos. Então por isso acho patéticas essas nomenclaturas de internet. Posso chegar e não usar e isso ou mudar a qualquer hora, colocando a "síndrome do ofendidinho" inventada por mim. Tudo é uma questão de hábito. As pessoas aceitam isso e começam a usar. Eu não uso o que acho que não faz o mínimo sentido.

Ana disse...

É pq vc não leu o processo...Dá pra processar de volta, claro, pq me acusaram sem provas. Mas eu acho tudo isso um saco - apud Raul Seixas.

Bjos

Taia disse...

Oiiii Lola! Se vc achou que tinha se livrado de mim, se enganou, hehe. Só estou com pouco tempo pra entra na net ou comentar, mas prometo entrar mais depois do natal. Teu blog continua ótimo, ler o que vc escreve é quase como uma dose diária de vitamina anti-mesmice ou anti-machismo.

Concordo com a Gi que chamar o João de Troll é meio bobo (mas que ele é um troll, ele é...). Tadinho dele... mandou um email tão "meigo". E concordo contigo sobre todo o mais em relação ao João. Nos outros comentários dele sempre tive a impressão de estar lidando com alguém de mais de 70 anos. Mas com este email que ele te mandou me parece que ele é bem mais jovem do que me parecia... Sei que não é a idade que define a quantidade de preconceitos de uma pessoa, mas me parece assutador quando são os mais jovens que demonstram os maiores machismos, pois os jovens não tem nem a desculpa de que foram educados em "outra época", onde machismo era "normal".

Um dia vc escreveu que vai no cinema as sextas, mas não disse em qual dos cinemas de Jvll, hehe. Hj é sexta e eu vou no cinema, mas só pra resgatar a minha filha que foi ver várias sessões de Crepúsculo com uma amiga. Já pensou se eu te vejo lá? Melhor evitar esse encontro... vai que eu me comporto como uma fã e faço vc pagar mico, hehe.
Bjsss
Taia

Gi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gi disse...

Li, seguindo o seu raciocínio é que a internet vira "casa", "lar", alterando completamente o signficado real de algo puramente virtual. Que os dois acabam se integrando, não tenho dúvidas, mas dizer a palavra "extensão", me parece um pouco perigoso até. "Extensão" nós podemos utilizar assim nesse sentido: um diretor que dá uma de roteirista; um pintor que vira poeta ou como Pasolini afirmava: "o corpo é extenção da arte e vice-versa" Agora dizer que internet é extensão do que eu faço entre quatro paredes?! Não, não posso aceitar isso, ao menos, pra mim como ser humano. Afirmar isso é não ver que a internet é um meio de comunicação que reúne outros meios de comunicação. Por isso mesmo que tenho medo dessas relações de amizade e amorosas que tem como "pano de fundo" e início a internet. Evidentemente, não me furtarei a conhecer fulano e sicrano como já fiz, mas jamais para namoros, relacionamentos íntimos porque é preciso o "fazer a corte', o "olhar", o contato físico, as expressões corporais e o erotismo.

E-mail não é telefone; as pessoas insistem em confundir isso. Impressionante. E-mail é "endereço eletrônico". Eu mando um e-mail para alguém porque me foi dado esse direito pelo site que hospeda esse e-mail e este alguém (o receptor), por sua vez tem todo direito de não querer ler e para isso site dá opções de excluir e bloquear e-mails indesejados. As pessoas têm uma enorme dificuldade em estabelecer essas diferenças que, ao meu ver, são extremamente básicas. E não é preciso ser pleno conhecedor de web. É preciso ter bom-senso. O que observo (e isso faz quqase 10 anos) é que as pessoas ficam se estresssando com tudo e ameçando de processo por qualquer coisinha. Isso tem cheiro de ganância, querer ganhar dinheiro sem trabalhar, isso sim. E é o que ando vendo por aí. Então, impedir alguém de enviar, me desculpe, mas isso sim é crime, pois é opressão. E isso sim está no código civil.

Spam não tem nada a ver com alguém comentar num blog! Existem filtros em cada site. Se você não quiser receber algum tipo de e-mail, coloque na "caixa de spam". Isso é quimera, utopia querer impedir o livre curso de spams, de vírus, de arquivos exe que acionam vírus. So-nho. E quem é responsável é o site, não quem envia o spam, até porque até você perceber que "focinho de porco não é tomada", lá se vão alguns anos e dores de cabeça. Caçar meio mundo pode ser um problema. Nossa, a vida é curta e o dia só tem 24 horas para eu querer perseguir alguém que escreve ironias na caixa de comentários que disponibilizo n eu blog. Sim, eu sei que é um direito fornecido ao dono do blog e eles poderiam tirar isso, e aí? Como ficaria se o esses sites que hospedam blogs decidissem por eles mesmos que seríaamos obrigados a deixar que todos comentassem? Ué, eles já fazem tanta coisa por aí.

Nunca afirmei que "internet é terra de ninguém", nunca. Leis na internet não têm absolutamente nada a ver com isso que falei nos outros comentários, até porque fiz questão de explicar a diferença entre ética e moral.

Ofensas PODEM vir a ser "objetos" de processo judicial, mas para que isso aconteça e dê resultado é preciso que algumas leis na internet sejam mais claras, podendo dar margem a alguma condenação, porque do jeito que está, me desculpe, é muito complicado diferenciar crime de simples opinião. E outra: que sejam condenados estupradores, pedófilos, assassinos, ladrões e não comentaristas de blog! Per fevore! É preciso estabelecer graduação, meu Deus. As pessoas não filtram mais nada em suas vidas e no fim adoram colocar a culpa nos outros pela exposição excessiva delas na web. Não estou dizendo que é o caso específico de uma pessoa aqui ou acolá.

Saber ver e pesquisar a origem de IP eu sei, o fulano sabe e até meu namorado que é quase um paleolítico em computadores e afins daqui a pouco vai saber. Conheço essa baboseira e uma vez vi algo ridículo acontecer. Uma fulana casada com estrangeiro colocou a foto de seu bebê recém-nascido e outra criança (o que já acho um horror, mas cada um é cada um; tem gente que não desconfia de nada), aí apareceu alguém que fez um comentário irônico. Numa frase disse: "ué, uma é branca e outra é preta?" Simplesmente, a energúmena dona do blog PUBLICOU (!!!) o IP com endereço, tudo no blog. Me desculpe, mas quem é a criminosa aí? Outra vez, foi uma ex-amiga minha que me xingou num e-mail enviando resposta pra todos e disse que ela me processaria. Ué, quem xingou quem? Eu enviei um e-mail pra ela, uma pessoa que não via há séculos, com crônicas minhas, a muié surtou (não conhece o ícone "delete" ou "bloquear e-mail") dizendo que "era e-mail de trabalho", num tom altamente pedante e sofrível, "vraiment pénible". Ela incorreu em crime, não eu! E no fim a idiota aqui ainda quis conversar com ela pelo telefone porque sou do tipo "conversando é que a gente s eentende", mas tem tanto ignorante por aí que às vezes nem vale a pena querer ensinar nada.

Nunca disse que se uma pessoa apaga um comentário num blog ela está fazendo algo errado, mas que está impedindo o outro de se expressar, de dar uma resposta, ah está. Se for ofensa, aí essa pessoa que cometeu a ofensa realmente perde a raxzão e ninguém está negando isso. O blog é pessoal e ela "faz o que quiser", não é mesmo? Mas na medida em que abre a caixa de comentários, vai ouvir o que não deseja. Exclua, não dê ouvidos e se receber ofensas que não fique calado; se mexa e procure seus direitos, porque ficar ameaçando em poss (como já vi uma cacetada de vezes) é que é, além de insano, horrível porque volta contra a própria pessoa. Ela perde essa "santa inocência" e vira ela mesma a algoz. E de si mesma!

Tem uma frase que vale pra tudo na vida; "vampiro só entra se for convidado". ;-) Inté!

Lila disse...

Gi. Olha só, sou bacharel em Direito, digo isso não p/ me impor a vc, mas p/ q veja que tenho embasamento no que argumento.
Ok, se vc não aceita o conceito de casa, fiquemos com o conceito de propriedade privada. Desde que alguém crie um blog, tem o direito de fazer o quiser com ele, inclusive bloquear comentarista. Não que todo dono de blog deve bloquear todos que discordem dele, muito pelo contrário, tb sou totalmente a favor da liberdade de expressão. Mas o que o trolls fazem é completamente diferente. É perturbar mesmo, e todos temos direito de consciência, descuple, mas não dá pra um cara vir em um blog todo dia, se achar o dono da verdade, ofender sua dona e seus leitores e dizer que é sua liberdade de expressão, não é. É ato ilícito, cabe indenização. Tb nunca falei que vc disse "internet é terra de ninguém". Mas os trolls e os spamers acham que é. "Vampiro só entra se for convidado", isso não vale p/ blogs abertos, basta uma busca no google e qq um pode parar no seu blog, seus donos estão espostos a todo tipo de gente, e aí cabe a cada um escolher como lidar com isso. Minha intenção dar subsídios p/ a Lola, se quiser bloquear um troll, saber que tem todo o direito a fazer isso.
E outra, é só minha opinião, não messsmo necessidade de convencer ninguém que estou certa.

Lila disse...

Ah, eu acho esse http://www.interney.net/blogs/lll/2008/04/26/direitos_do_blogueiro_aamp_direitos_do_l/>post muito interessante.

Lila disse...

Leia-se: não tenho messsmo necessidade de convencer ninguém que estou certa.

Gi disse...

Nem eu quero convencer ninguém de nada, Lila. É válido você dizer que é bacharel em Direito para dizer que conhece leis. Não acho que seja "se impor a mim", apenas acho desnecessário. É só contra-argumentar. Mas já que é assim, eu sou jornalista/Comunicadora Social e conheço as linguagens sobre as quais falo aqui. Estudei Ética, Psicologia e estudei Legislação da Comunicação durante a faculdade. Estamos quites; podemos até fazer uma dupla. ;-) Aliás, tenho vários amigos advogados.

Acontece o seguinte: leis não conseguem ultrapassar algumas esferas da comunicação virtual, apesar dos "donos da verdade" assim desejarem. Graças a Deus até, senão nenhum jornalista escreveria nada por aqui. Nem em jornais, revistas, etc. Existe uma liberdade que deve ser respeitada e não se pode confundir as coisas. E claro que isso vale para o dono do blog: exclui, comunica ao site, faz o que pode fazer para não ser importunado. Correto. Louvável.

"Troll" é uma nomenclatura inventada por outro ser humano e totalmente sem fundamento jurídico, sem embasamento ético e teórico/científico (por favor, que ninguém leia o "científico" como Ciência National Geographic! ;-) Enfim, é subjetivo. O cara/mulher foi lá e escreveu o que acha e pronto. Tascou um "troll', nomezinho em inglês e todo mundo diz "amém" e faz disso lei. Acho hilário. Ofensa sim que é ruim, mas até nisso é preciso estabelecer filtros, porque muitas vezes as pessoas confundem "ironia" com "ofensa". Vejo isso direto em blogs. E as pessoas são emocionais, emotivas demais e levam muito para o lado pessoal. De repente, essa pessoa que vem aqui nesse blog já ofendeu a autora e eu não vi. Não cabe a mim julgá-la.

No mais, o que acho que deve existir é senso crítico. Caso contrário, ninguém vai mais poder escrever e dar sua opinião em nenhum blog, site, enfim.. E corre o risco de todos virarem "vaquinhas de presépio" ou todos virarem "trolls", o que seria engraçadíssimo. ;-)))

Blog não é da ordem do "privado". O que é privado é o computador, o provedor, a casa de onde a pessoa se conecta. Nem o Ip é privado! Se ela fizer um domínio e pagar por ele, ainda assim estará num contexto de comunicação, portanto, público e sujeita a vários acontecimentos. As pessoas precisam perceber isso, senão vão se frustrar cada vez mais por aqui, pois o Direito não conseguirá nunca limitar alguns atalhos da internet, porque existe uma coisa chamada "privacidade" e essa sim só é "violada" quando há crimes e barbáries: pedofilia, por exemplo. E sou totalmente a favor: se alguém corre perigo ou foi ferido, ludibriado gravemente, é preciso se quebrar o sigilo. No entanto, o que vemos é o dinheiro comandando tudo. Basta ver os "sites de buscas" famosos e suas conexões. Eles conseguem tudo e com a b}enção da lei. Vê se a Cicarelli conseguiu aquilo que pretendia do You Tube? Claro que isso nunca iria longe! é uma pessoa insana pedindo algo insano que ela mesma criou.

Se alguém se sente ofendido por um comentário, repito, deve tomar as providências devidas e aguardar o resultado. O problema é que ocorrem injustiças. Não estou afirmando que é o caso específico tratado aqui.

Gi disse...

A propósito, eu conheço bem o LLL e concordo com tudo que ele escreveu. Apenas penso por mim mesma e não quero postar links de nenhum tipo. Do jeito que ele pensa lá, o outro pensa acolá, eu aqui e todos nós. Todos temos direito de pensar e escrever sobre isso, mas o que eu penso não é lei, ora bolas. Seria a mesma coisa que eu chegar lá a na Biblioteca Nacional e começar a dizer "ah, registre aí essa idéia minha".

Lila disse...

Ok, vc conhece o LLL, mas será que a Lola conhece? Será que todos que lerem este post conhecem?
E eu disse que o LLL é lei? só disse que achei o artigo interessante.
O que acho que as pessoas não percebem é que: posto que ofender é ato ilícito, ninguém tem direito de fazê-lo. As pessoas só tem direito de fazer o que é não proibido por leis. Por isso, acho que mais fácil excluir, bloquear o visitante que se comporta como troll, antes que chegue a esse ponto.
Bem, vc como jornalista o valor da linguagem, nã sei pq tanta implicânca com a palavra troll. Se já te chamaram de troll, na minha opinião vc não é.
Um visitante do meu blog "exigiu", baseado unicamente no nome do blog que eu e meu namorado fossémos ao psiquiatra, isso significa que somos loucos? Claro que não.
Não excluí o coment dele nem o bloqueiei e mto menos vou propor uma ação judicial contra ele. Só reafirmo que os donos dos blogs têm direito de fazer isso, ainda mais qdo comportamentos como esse se repetem em um nível insuportável. E cada pessoa sabe qual o seu limite.

Lila disse...

Leia-se vc como jornalista sabe melhor do eu o valor da linguagem...

canis sine dentibus disse...

oi Lola,
li o post sobre a "pesquisa" do rapaizinho. Balela toda a história de que ele exagerou para ver até onde ia conseguir chegar, só como provocação. Conheço uma dúzia de pessoas que nunca conseguiriam criar tais provocações por um simples fato: elas não pensam dessa maneira, então, tais idéias nem passam pelas cabeças delas. O tal João pensa as mesmas coisas que ele disse ter usado só como provocação. Ele é um ogro tosco. Eu acho que você deu muita trela para ele, pessoas que pensam assim não podem ter espaço para se expressarem, dar ouvidos a idéias como as dele é o mesmo que escutar discursos nazistas racistas, essas pessoas não podem ser escutadas por que o quê elas dizem é nefasto e desnecessário. Dar ouvidos a esse tipo de pensamento não é ser democrático.

lola aronovich disse...

Vixe, vcs ainda estão aqui? E cada comentário loooooongo, né, Dona Gi? Seria pedir demais pra vc escrever um pouquinho menos? Uns comentários só um tiquinho mais sucintos? Tá, olha quem fala, eu sei. Mas devo confessar que, pelo menos na minha visão, vc não escreve claramente. Eu preciso ler seus comentários duas ou três vezes pra começar a entender o que vc quis dizer. E aí geralmente vc responde: “Vc não entendeu nada que eu quis dizer!”. Então eu acho que nós duas temos alguns problemas de comunicação. Não estou dizendo pra vc parar de comentar ou nada disso, só estou expondo o que sinto ao ler seus coments. E, se já não tenho tempo pra ler, reler, reler de novo, e responder comentários de dez linhas, de dez parágrafos fica difícil.
Agora, troll é uma palavra inventada por humanos como TODAS as palavras que usamos. Ou vc conhece alguma palavra que usamos que não tenha sido inventada por humanos? Toda a nossa linguagem foi criada pra dar nome às coisas que precisamos de nome. Coisas que precisamos chamar pelo nome. Em vários países do mundo não existe palavra pra, sei lá, jiló e açaí, porque nesses países não existem essas coisas. Eles não precisam de nomes pro que não precisam chamar. Assim como em países de língua inglesa não existe nome em inglês pra golpe de estado (eles usam o termo francês, coup d'etat). Como aqui no Brasil a gente não tem exatamente um nome pra chipmunk, porque não temos essa espécie de esquilo por aqui. E por aí vai. Então, por que a palavra troll foi inventada, ou melhor, adaptada pra ser usada nesse contexto da internet? Porque foi necessário. Porque vários leitores começaram a aparecer nos blogs pra xingar o blogueiro, os leitores etc. Troll não é quem discorda do que está sendo escrito. Mas é quem faça isso constantemente e sem o mínimo de educação. Só pra chamar a atenção. Eu costumo comentar bastante em outros blogs, e muitas vezes discordo do que foi escrito. Eu acho que sou educada. Agora, se noto que o blogueiro/a não sente-se bem com o que tenho a dizer, se a interação fica agressiva, eu saio numa boa. Já aconteceu algumas vezes. Eu paro de ir naquele blog, porque não faz sentido, pra mim, insistir em algo que o blogueiro/a ou os outros leitores não querem ouvir. Sinto muito, mas num blog em que a autora ou alguma leitora relata um estupro que sofreu, e vem leitor comentar: “Duvido que vc tenha sido estuprada, sua vadia!”, “Que sorte que vc teve que algum homem quis transar com vc”, ou “Espero que ele tenha te passado Aids” - pra mim isso é troll. São rapazes covardes que são bullies na escola, ou sempre sonharam ser, e na internet conseguem se valer do anonimato pra falarem as besteiras que quiserem. Merecem ter um nome pra designá-los.
Essas frases eu peguei de um blog americano que vi, um caso real. A blogueira, corajosa, decidiu deixar todos os comentários de trolls ali. Não deletou nada. Claro que ela tinha esse direito de deletar. Sua opção por deixar lá os comentários idiotas, nojentos, covardes, é válida. Assim, a gente fica sabendo o quanto a misoginia está presente nas nossas vidas. Eu, ingênua, antes da internet não podia imaginar que algum carinha iria dizer pra uma mulher que não conhece pessoalmente e que fora estuprada “Vc mereceu, sua escrota!”. Eu imaginava que haveria solidariedade.
Se eu relatasse um caso assim (felizmente não tenho o que relatar) e os trolls invadissem meu bloguinho pra me xingar, eu acho que não deletaria os coments. Como, em quase um ano de blog, não sei se vc notou, Gi, até agora não deletei um só comentário. Porque eu sou a favor da liberdade de expressão. Agora, uma coisa é ME ofender. Outra, bem diferente, é ofender as minhas leitoras. Quando a Taia relatou o seu estupro, os sei lá quantos comentários (50? 60?) foram todos solidários. Não apareceu nenhum troll aqui pra dizer coisas horríveis pra ela. Se tivesse aparecido, eu deletaria? SIM. A menos que ela dissesse “Pode deixar”.
Então não tem nada de “Síndrome de coitadinho”, um nome que vc parece tão orgulhosa em ter criado. A maior parte dos leitores aqui é mulher, e discutimos mil e uma coisas relacionadas a nossa condição de mulher. Boa parte das leitoras parece ser feminista, ou está cansada das opressões que sofremos. Aí surge alguém como o João que, a cada blog, sem oferecer argumento algum, insulta todas as leitoras. Chama-nos de mentirosas e hipócritas. Destaca uma leitora pra chamá-la de feia. Ignora TODOS os comentários, e só dá atenção à única leitora que concorda com ele. Isso é coisa de troll, no meu livro.
Bom, isso aqui deu uma página inteira no Word. Ridículo! Eu não tenho tempo!

lola aronovich disse...

Taia, tudo bem, sumida?! Acabei de te mencionar aí em cima. Nem tinha lido o seu coment. Eu não sei, acho que ele tem mesmo seus 50 anos. Imagino. Mas não tenho mais interesse em falar sobre ele, sinceramente. Todas as leitoras que me criticaram por dar palco de mais a ele têm razão.
Pois é, vou ao cinema às sextas! Quase sempre. Geralmente lá pelas 7 da noite, na penúltima sessão. Me manda um email quando vc for, na sexta, e aí, quem sabe, a gente marca de se encontrar no cinema, pra se conhecer. Imagina se vc vai pagar mico... Aí vc conhece o maridão tb. Já conheci vários leitores(as) daqui de Joinville desse jeito. Todos uns fofos, muito queridos.

lola aronovich disse...

Obrigada, Lila, por querer me dar base legal pra bloquear um troll se eu quiser fazer isso. Mas eu sei que tenho total direito a deletar quem eu quiser. O blog é meu, ué. Eu não deleto pq não quero. Obrigada também pelo post do LLL, muito bom. Concordo totalmente. Pessoalmente, não vejo graça em blog que não deixe lugar pra comentários. Acho que a graça toda é esse diálogo que se forma. Mas repito: até agora tive MUITA sorte com os trolls. Acho que foram apenas 2 ou 3 num ano inteiro. Tem blog com muito menos visitas que o meu que é infestado de troll. Mas aí é uma invasão coordenada mesmo. É encher a caixa de comentários com ofensas. Se acontecesse algo assim por aqui, obviamente que eu tentaria encontrar o IP da pessoa e bloquearia. Ou passaria a moderar os coments. Felizmente, até agora, não tive necessidade pra isso. E espero não vir a ter.
Mas também quero manter distância de todo esse papo legal de indenizações e processos. Pelamordedeus, eu faço este blog sem ganhar um centavo, gasto um tempão da minha vida, faço pra me divertir, porque adoro escrever e me comunicar com pessoas! Sou CONTRA qualquer tipo de processo por difamação. Pra mim, isso é coibir a liberdade de expressão. Claro, só porque EU sou contra não quer dizer que a lei mude. Acho, espero, que as coisas se resolvam informalmente. Alguém me ofendeu? Eu respondo. Se me ofendeu constantemente, eu bloqueio. Alguém ofende as minhas leitoras? Eu deleto. Alguém se sentiu ofendido por mim? Fale comigo, eu vejo se a pessoa tem razão. Se tiver, peço desculpas. Se o João disser que se sentiu ofendido, eu o mando passear. É muito simples. A pessoa pode parar de frequentar o blog, ou pode parar de comentar, ou pode criar um outro blog só pra expor suas opiniões e me xingar. Por mim...

lola aronovich disse...

Gi, vc continua sem ver nuances. Divide os comentaristas de blogs entre “vaquinhas de presépio”, “claque”, e os que discordam e são injustamente, segundo vc, chamados de trolls. Tem montes de coisas no meio. Há muitos comentaristas frequentes por aqui que discordam de mim. Vc discorda o tempo todo e eu não te considero uma troll. O João, como ele mesmo admitiu, veio aqui só pra provocar, só pra “estudar” o comportamento humano (não o dele, só o dos outros). Ninguém aqui está dizendo que quem discorda da opinião da blogueira é um troll. Mas existem várias formas de se discordar, e, sinceramente? Acho que vc sabe muito bem disso.
E isso de “tomar as providências devidas” eu acho uma besteira sem fim. Vc tá falando legalmente? Quem vai tomar as providências nesse caso do João? Eu? Minhas leitoras? Ele? O assunto já morreu, felizmente. Eu nem sei o nome do João. Ele sabe o meu, inteirinho. Mas a gente tá na internet, onde a maior parte tem apelidos (Gi) ou o primeiro nome, ou inventa um nome, ou é anônimo mesmo. Espero que o sistema legal mantenha-se bem longe dos blogs.

lola aronovich disse...

Canis, concordo contigo: sim, dei muita trela pra ele. QUATRO posts, é ridículo! Mas renderam algumas boas discussões, e espero que possam ter influenciado gente que pensa como ele. Porque ele não é o único... Mas eu sou a favor da liberdade de expressão, e acho que até nazistas e racistas têm direito de se expressarem. Aliás, o meu lado Pollyanna diz que tais manifestações podem até ser positivas, porque mobilizam as pessoas CONTRA o nazismo e o racismo. Por exemplo: eu, como hétero, não seria super a favor dos direitos gays se a homofobia não existisse. Porque eu mal pensaria nos gays, entende? Mas saber que os gays não têm direitos iguais me mobiliza. Claro, seria uma maravilha viver num mundo em que não existisse o preconceito. Mas existe. Então a mobilização contra ele é importante. E muitas vezes essa mobilização só ocorre em forma de reação.

Gi disse...

Lila, nunca disse que o dono do blog não pode deletar um comentário; seria muita burrice afirmar isso. Todos nós temos direitos aqui. Que bom!

Lola, pode até ser que às vezes eu não me faça clara, mas muitas vezes percebo que você é turrona e só consegue entender o que está previamente "confirmado" no seu raciocínio. E não falei que aqui não podemos discordar, muito pelo contrário. Mas também não acho que exista esse "jeito tão tranquilo e amigo" como vários comentaristas demonstram em vários blogs. Quemt em olhos, vê. Freud já dizia: "contra elogios somos impotentes". Você está sendo injusta quando diz que só discordo de você e quando diz que não percebo "nuances"; você que enxerga tudo amis ou menos "preto e branco". Sobre "providências legais/', comentei no geral, Lola. E sinceramente, eu não vejo a razão pela qual deveria dizer meu nome todo, sendo que você não me conhece e não sabe que já usei meu nome e sobrenome em vários artigos que já escrevi em sites muito antes de você pensar em ter este blog. ;-)) Bon Noël!

ps: serei hiperobjetiva da próxima vez. A propósito> não sou a única que escreve muito aqui.hihihi Falo dos comentaristas, pois a dona faz o que bem entende, né?