segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

A ÚLTIMA DO JOÃO

Tem um trocadilho no título. Quero dizer que o chato do João Neto (que só pode ser meu antigo troll, Santiago - não deve haver duas pessoas assim no mundo! Deus não permitiria!) aprontou mais uma, contou sua mais recente piada (só ele não vê graça nas besteiras que diz), mas também que esta será a última vez que darei destaque ao energúmerno. Desculpe, pessoal, transformar em post mais uma besteira preconceituosa dele. Mas é que acho que ele merece ser refutado à altura. Além do mais, tais insultos nos mobilizam, nos unem, eu acho, dão um sentido de comunidade ao blog. E, óbvio, existem muitas pessoas por aí, homens e mulheres, que pensam como o João. E a gente se comprometeu a não mais se calar, certo? Então, vamos responder. Eu começo.
Antes, deixem-me explicar o que aconteceu, pra que ninguém fique boiando. Naquele outro post em que jogamos tomates podres no João por ele achar que mulheres deveriam tomar vergonha na cara, num dos últimos comentários, quando tudo de sério já havia sido dito, eu brinquei com uma amiga minha, a Andrea (sinto te expor assim, querida), que faz mestrado em Floripa. Eu disse que, bonita como ela é, ela é um atentado aos homens, uma arma de sedução, e nem deveria sair de casa, pra não provocá-los (ela ser linda não foi ironia; o resto, logicamente, foi). A Andrea respondeu:
"Quanto a ser um atentado para os homens, é exagero seu, Lola! Please! Não viaje na maionese! Agora, o que me irrita é quando tenho que ir para a aula de acrobacia em tecido (como uma aula de ginástica), e visto roupa de lycra para a aula. Como o local é bem pertinho, eu vou a pé. Mas é de porre que aguento comentários imbecis pelo caminho. Mas é f*** ter que ir vestindo uma roupa e chegar lá e ter de trocar. Fora que suja uma roupa atrás da outra. A gente não tem liberdade pra vestir a roupa que quer não? Só porque você veste uma roupa colada, uma minissaia ou uma blusa que mostra o umbigo, os homens pensam que podem 'se achar no direito'? Um horror isso! Pra dizer o mínimo!"
Suponho que a maior parte das mulheres compartilhe da revolta da Andrea. É um cerceamento a nossa liberdade não poder sair quando quiser e do jeito que quiser. Até o Serge, que vinha insistindo um pouco demais nisso de “mulher tem que se preservar”, se rendeu ao absurdo. Ele disse:
“Você tem toda razão. A Andrea, a bela, está proibida de sair de casa. Ainda mais de roupa de ginástica. Menina abusada”.
Eu ainda respondi a ele: “Serge, o pior é que a Andrea deve ter que ouvir baixaria mesmo quando não sai de casa com roupa de ginástica. E, pior ainda: nem precisa ser deslumbrantemente linda como a Andrea pra ouvir baixarias. Basta ser mulher”.
E pronto. Só que o João não se deu por vencido, e decidiu deixar um outro comentário (em outro post, que não tinha nada a ver com o assunto). Em itálico está o pensamento retrógrado deste senhor. Eu respondo em letra normal.
"Eu quero, pra encerrar o assunto, falar duas coisas."
Adoro como é ele quem manda no meu blog. É ele que encerra o assunto. Não sei se isso é síndrome de gente de direita que tem saudade da ditadura, ou se é síndrome de macho mesmo. Sabe, como o Sean Connery falou, de dar um tapa na mulher se ela não aceitar a última palavra, que sempre deve ser a do homem.
"Esse negócio de mulher falar que não gosta que mexam com ela na rua é mentira. Como essa tal de Andrea que disse que vai de roupa de ginástica, porque suja muita roupa. Mentira! Mulher sai com roupas provocantes para chamar a atenção e se os homens não a notarem, ela fica acabada e vai fazer regime, plástica, psicanalista etc. Mulher feia adoraria chamar a atenção dos homens como as bonitas."
Entendeu bem, pessoal? A Andrea é uma mentirosa! Ela disse que odeia que os homens mexam com ela, mas, no fundo, não tem nada que ela goste mais na vida. Só assim, quando notam o seu corpo, é que ela pode sentir que tem valor como pessoa. Não importa que ela faça mestrado, seja inteligentíssima, comunicativa, viajada, fluente em outras línguas - tudo isso antes dos 25 anos! Se vários homens não disserem “Quero te descascar e te chupar todinha!” assim que ela pisar na calçada, ela entrará em depressão profunda.
E eu, que estou fora do padrão único de beleza (jovem, magra) e por isso sou feia, também vivo deprimida. Estou até pensando em frequentar uma academia só pra poder vestir roupa justa de lycra e ver se algum homem se digna a me passar a mão. E só estou escrevendo essas tortas linhas porque sou muito frustrada e porque faz tempo que um macho não me diz “Você é tão quente que derrete o plástico da minha cueca”. Ah, como sinto falta desses poemas!
"Os homens, por mais bonitos que sejam, não têm o mesmo apelo sexual das mulheres, mas também adorariam que os ficassem chamando de lindos, gostosos, etc. nas ruas."
“Apelo sexual”, como se sabe, é algo natural, não uma construção da sociedade. A gente já nasce achando tal coisa bonita e apelativa sexualmente, e desprezando outras. Sei! A gente aprende até a comer, João! Nossa sociedade ocidental nos ensina que é nojento colocar um gafanhoto na boca. Em outros lugares, gafanhoto é uma iguaria. Por que a sociedade não nos ditaria o que devemos achar sexualmente atraente? Só que a sociedade também ensina que mulheres devem reprimir seu desejo. Sexo com prazer e tomar a iniciativa são coisas reservadas para os homens (ainda são!). A gente encontra muito homem bonito na rua (bem... quer dizer... eu vejo tanto homem feio!), mas não sai por aí apalpando ou dizendo “Você é o genro que meu pai pediu a Deus”, porque isso pode ser um convite a um estupro. E aceite a nossa palavra - a gente realmente não gosta de ser estuprada. Se você ou algum homem disser que sim, adoraria ser estuprado, talvez mudemos de idéia quanto aos estupros que sofremos. Por enquanto, a gente odeia ser estuprada muito, muito mais que odeia ser assaltada. E ser assaltada já é bastante traumático.
"Então, Andrea, pare com essa conversa, de 'aí, eu ponho uma roupinha coladinha, para ir fazer fazer aula de dança aqui pertinho e todos os homens ficam mexendo comigo, e eu odeio!' Odeia nada! Adora, senão, simplesmente colocaria uma calça de tactel por cima. Vai assim na rua porque adora chamar a atenção e se não chamar entra em depressão. As feias ficam com inveja e ficam falando que odeiam isso, mas também adorariam passar por uma construção e ter os operários as chamando de gostosas, e como homem é que nem cachorro, alguns destes mexem até com as feias e essas vão delirando pra casa. Vaidade pura e hipocrisia demais."
Isso está um tanto repetitivo. É piada entre nós, mulheres, que quando estamos odiando demais nossos corpos (porque aprendemos a odiá-los), devemos passar em frente a uma construção para ouvir besteira e levantar nosso ego. Acho até que existam mulheres bem narcisistas que gostem disso, mas é lamentável que você, João, ache que sejam TODAS as mulheres, ou o tempo todo. Depende do elogio, também. Se um homem me diz na rua, “Que belos olhos!”, eu não me sinto ofendida. Às vezes até agradeço. É bem diferente da minha reação ao ouvir “Quero mamar chantilly nesses peitos!”, porque é o fim ter meu corpo avaliado por estranhos toda vez que saio de casa. Meu corpo não é uma exposição permanente. Eu existo independentemente do que alguém acha ou deixa de achar do meu corpo. Não existo em função dos homens. Dá pra entender ou preciso desenhar?
Mas enfim, fora o seu óbvio preconceito de classe - apenas operários são animais e mexem com as mulheres, né? -, é revoltante que você ignore que essas obscenidades começam quando a mulher nem é mulher ainda, mas criança. Começam quando as meninas têm nove, dez anos, e essa agressividade masculina influi na sexualidade delas, oprime e assusta. Não é divertido. Às vezes começa com algumas palavras de baixo calão e o homem já passa a seguir a garota. Às vezes começa com cantadas e termina com a menina arrastada, estuprada, e encontrada morta numa mala na rodoviária. Por isso - porque toda mulher sabe, por experiência própria, que palavras podem ser preliminares para uma violência sexual -, que essas idiotices que temos que ouvir na rua nos provocam repúdio, não prazer. Pra mulheres que sobreviveram a um estupro ou a um abuso sexual (e são muitas mulheres), essas idiotices engatilham traumas. Traumas que elas lutam pra superar todo santo dia. Traumas que você, seu bundão, por não ter empatia e por ser homem, não tem nem idéia.
"PS. Garanto que 95% das mulheres que lêem seu blog concordam, no íntimo, que as mulheres poderiam ter mais auto respeito, mas para não te contrariar aqui em público fingem concordar com você para parecerem mais liberais."
Ah bom, João, se você garante, como posso discordar? As suas palavras são como mandamentos, ainda mais depois de você provar sua inteligência ao proferir pensamentos tão sábios. E sim, as mulheres que lêem o meu blog são umas mulas, sem opinião própria, que estão aqui só pra me agradar (e olha que eu nem sou homem!). Inclusive, nem sei por que elas se dão ao trabalho de ler o meu blog, já que deveriam estar ocupadas desfilando na rua ou se submetendo a cirurgias plásticas. Vai entender.
Agora desobstrua a calçada, deite no acostamento e morra, João.

200 comentários:

Anônimo disse...

O pior que esse tipo pressupõe que mulher não tem direito a escolha também. Você as vezes quer sair bonita sim, quer seduzir, mas para agradar quem você escolheu, alguém específico, não qualquer idiota na rua. Agora imaginar que você tem direito a escoha, ah, isso é muito para joão. Quem disse que mulher tem direito a escolher algo, né. Só aquelas idiotas sufragistas que a gente deveria abominar. Agora tem uma coisa que eu percebi Eu recebia muito mais cantadas agressivas com 13 anos qeu hoje com 29. E coisas extremamente agressivas mesmo, do tipo me perseguirem na rua com carro. ou pasarem a mão. eu tinha pavor de sair na rua. Me vestia como um menino. vivam em pânico. Agora hoje, adulta, eu já nã sou tão frágil como aos 13, né. Então não recebo agressõs na rua também. O que pra mim comprova: o palhaço que passa cantadas a rua é um covarde.

Giovanni Gouveia disse...

O pensamento (?????) é mais ou menos assim: "Bem, há pessoas que gostam de sado-masô, logo, todas as pessoas gostam de sado-masô; há pessoas que não gostam de jiló, logo, todas as pessoas não gostam de jiló..."
O pior, aponta dados (95%) sem nenhuma base empírica que demonstre isso...
Lembrei da paróquia que eu fui criado, e recentemente duas irmãs, bem parecidas, tocavam e, antes da missa uma senhora começou a comentar:
"As gêmeas são muito parecidas", uma senhora na frente disse: "não são gêmeas", a outra retrucou: "São sim, gêmeas, eu as conheço", e a da frente: "São minhas filhas...". No afã de comprovar o achismo, começa-se a provar por bases falsas, indo ao extremo de querer saber mais que as mulheres, se elas gostam disso ou daquilo, por isso não resisti, e afirmei que deveria saber/conhecer, a intensidade da cólica menstrual, ou da dor do parto; ou como, certa vez na TV, Clodovil quis convencer uma mulher que sexo (não estvam falando de violência sexual) era doloroso para as mulheres...


P.S> Lola, preciso freqüentar a ALA (Asociação dos Lolômanos Anônimos), tô dependente químico do blog, a prova foi esta noite (após dois dias de abstinência, pois não acesso a rede nos finais de semana) que tive pesadelos que o blog não mais existia...

marjorierodrigues disse...

Hahaha, adoooro como o João tem bola de cristal e adivinha os sentimentos dos outros! Ele tem certeza de que a mãe dona-de-casa é muito mais feliz que você, tem certeza de as mulheres gostam de ouvir cantada na rua...

Enfim, piadas à parte, ontem, apressada e morrendo de fome, fui àquele antro de gororoba que é o MacDonalds. Aí o papel sobre a bandeja tinha vários desenhos com as legendas "amo muito (insira atividade retratada no desenho)". Um deles era "Amo muito receber elogios" e o desenho era... Uma mulher toda contente porque recebeu um "fiu-fiu". Ora, tinha N situações, precisava retratar esta? Não podia pôr, sei lá, um chefe elogiando o trabalho do empregado? Um pai elogiando um filho? Enfim.

Isso me lembrou a fala do João. Aí eu vi que essa idéia esdrúxula dele pode estar mais enraizada na cultura popular do que eu imaginava.

Então, bóra explicar. Caro João, eu, particularmente, não gosto de ouvir cantadas na rua por 2 motivos:

1 - Não gosto de estranhos invadindo o meu espaço sem pedir licença. Tem gente que me chama de anti-social mas, bem, eu sou assim. Quando peço informações para alguém na rua, por exemplo, acho que o mínimo que se tem de fazer é dizer: "com licença, por favor, o sr. pode me dizer onde fica a rua tal?". Acho meio invasivo quando chegam pessoas perguntando na lata: "Onde fica não sei o quê?". Ora, não te conheço nem tenho a obrigação de lhe dar a informação, logo peça licença para adentrar o MEU espaço.

2 - Isto posto, há certas coisas que requerem intimidade. Se meu namorado me chama de gostosa, é claro que eu gosto e me sinto elogiada. Se minha amiga diz "nossa, héin, tá gostosa nesse vestido", eu dou risada. Mas essas pessoas têm liberdade para isso. Nós construímos uma relação que permite esse tipo de comportamento.

Logo, o cara que diz "gostosa" na rua é mal educado duas vezes. Primeiro, porque se dirige a uma estranha sem lhe pedir licença e, segundo, porque lhe diz uma coisa extramente ÍNTIMA. Para me achar gostosa, ele precisa ter reparado, de forma sexual, em partes do meu corpo que são íntimas.

É claro que a gente não pode evitar cruzar com gente bonita na rua e sentir atraído por elas. Mas não precisa dizer. Já vi N rapazes bonitos por aí, mas guardei a informação pra mim. Pela boa educação e pelo respeito, não chamei o cara de gostoso. Não o conheço!

O problema é que tem gente que não pára no "gostosa". Tem gente que diz "vou te chupar todinha".

E isso é assustador. Pela própria anatomia do nosso sexo e pela fragilidade física se comparadas aos homens, as mulheres correm o risco de serem estupradas. Então, isso tem um tom de ameaça. Veja bem: Um completo ESTRANHO, cuja índole vc não conhece, vira e diz: "vou te chupar". Ele não está dizendo "posso te chupar?". Está dizendo "VOU te chupar". Percebe?


E você ainda acha que a gente gosta disso? Por favor.

Bel disse...

Lolita, meu bem... vamos colocar seus comentários via Haloscan, e aí você pode não somente moderar como conhecer o IP de quem fez tal comentário absurdo, e bloqueá-lo???
Eu me ofereço para fazer o "serviço sujo" de criar sua conta lá, arrumar tudo bonitinho e entregar o pacote pronto, absolutamente free.
E você ainda vai poder responder em cada comentário, com destaque para a resposta... Vai ficar show... e seguro! Com o bônus de termos o babaca (e outros tantos) excluídos do rol de comentaristas.

Que acha? Responde lá no meu blog!

Bjooo

Bel disse...

* "outros tantos" = babacas iguais a ele que só comentariam UMA vez, e então seriam delicadamentes impedidos de comentar.

Paula disse...

Com certeza, João. Tudo que uma mulher quer da vida é ser elogiada na rua, se não a vida não faz sentido, né? Ser pensante está em segundo plano, o que importa é ter uma bunda que chame atenção. Olha, conheço um bocado de outras mulheres que não gostam de serem tratadas como carne em açougue, e não é só para agradar uma blogueira. Entre as minhas amigas nenhuma entra nos teus 95%, a ponto de preferirem atravessar a rua a passar na frente de uma construção (e a ponto de não sairem de casas sozinhas tarde da noite, mesmo que seja pra caminhar duas quadras, pq é um mundo de homens que sabe ser cruel).
Lola, afora os comentários desse energumeno, tem como tu falar mais daquela história d privilégio masculino?

Serge Renine disse...

Prezada Aronovich:

Respondendo ao seu post de sábado, eu não me apresentei para defender a Andrea somente por ela ser bela, mas por ela ser nossa amiga.

marjorierodrigues disse...

Continuando:

...mas sabe o que acontece? É que esses caras acham que nós somos propriedade pública. Não somos um ser humano, com espaço próprio, que tem de ser respeitado. Se estamos sozinhas, sem homem por perto, somos propriedade pública. Afinal, você não vê um cara chamar uma mulher acompanhada do marido de gostosa, vê? Ou uma mulher com filhos no colo.

Outra coisa: na balada. Pq os caras já chegam pegando na cintura da gente, antes mesmo de falar oi? Até minha amiga Mabi, que é um poço de paciência, um dia se irritou, empurrou o cara e falou: "escuta, minha cintura não é pública!". E tem MUITOS, muitos caras que fazem isso. É um inferno. Ou seja: eles aprendem, não sei aonde, que a gente gosta disso.

Pois bem, rapazes, a cintura É NOSSA. O que vcs iam achar se a gente já chegasse pegando no pinto de vcs?

E isso não tem nada a ver com a roupa que a mulher usa. Outro dia eu estava no supermercado, com um vestido NO JOELHO. Minha mãe falou: "vem pra cá, aquele cara nojento tá olhando pras suas pernas de uma forma meio estranha". Eram só as batatas da perna!

Roberta Bravin disse...

haha Boa Lola!!

Posso falar? Sinto um ÓDIO muito grande quando um cara mexe comigo na rua. Mas ódio mesmo. vontade de chorar que raiva! Sempre respondo. Mando tomar no cu, mesmo sabendo que um dia posso apanhar! Quando estou mais calma eu falo: "vc gostaria que fizessem isso com sua mãe? Não né? Então não faça com os outros". Precisa ver a cara de espanto dos caras! Acho que nenhuma mulher responde, pq eles ficam atordoados.
Gostaria que esse João ficasse um dia na minha pele, para ver a raiva que eu sinto quando isso acontece.
Adorei o que a Marjorie escreveu sobre invasão de espaço! Sou intolerante até com elogio aos olhos. Estou na rua, indo do ponto A ao ponto B. Não quero nesse meio tempo nenhum estranho fale pra mim o que acha do meus olhos. Perguntei alguma coisa por acaso? Aff, sim, pode ser radical mas estou há muito tempo sem paciência.

Elyana disse...

Lembro-me da frase de que Deus é um cara cruel pq deu limites para a inteligência mas não para a burrice.

Elyana disse...

E sou da turma da Roberta que responde e não deixa quieto. Não tenho nem medo de apanhar, se o cara me bater no meio da rua, vem mais uns 30 em cima dele.
Ah, e uma coisa importante a ser lembrada: cantada na rua não é elogio é ofensa. O João tb deve acreditar que só mulheres bonitas são estupradas, afinal ele não deve conseguir achar um elogio maior que esse para se fazer a uma mulher.
Se mata João, vc tá inutilizando muito oxigênio nessa terra.

Túlio disse...

Tenho uma prima de 13 anos que foi cantada por um cara bem mais velho, num carro, quando voltava da escola. Será que esse tal de João realmente acha que ela gostou de um tarado quase idoso falar umas palavras obscenas pra ela?
Pq, pelo que ela me disse, sentiu nojo e medo.

E ela estava de uniforme, não com essas roupas que fazem esses homens estilo João perderem o controle, feito animais irracionais...

Babs disse...

Lola, ótima resposta. Mas olha só, o João está muito repetitivo. O melhor mesmo é mandá-lo para a geladeira dos que lêem o blog mas não podem comentar.Nem divertido é mais, já virou tédio. O triste é pensar que muitas mulheres, justo a parte prejudicada, compartilham esses valores.
A propósito, e o "imperial cake"? Rolou ou não rolou?
Bjs

Babs disse...

O que o anônimo disse é bem verdade. Uma mulher de treze recebe bem mais cantada que uma de vinte de seis. Não apenas o apelo erótico da mídia cada vez mais beira a pedofilia, como também uma mulher mais velha e segura de si não transparece (ou transparece menos) a fragilidade que homem abusivo gosta.
Aliás, essa questão da idade é interessante. Ser modelo é um trabalho para mulheres extremamente jovens. Basta abrir uma "Marie Claire" para perceber que as modelos lá dentro não refletem em nada o seu público. Só reforçando, como sempre, que a mulher ideal é a muito jovem, o que significa ser frágil, indefesa e inexperiente sexualmente. Será que viajei muito?
Bjs

Cris disse...

Lolinha, gostei muito das suas respostas.
Mas nem vou falar nada do comentário do preconceituoso, arrogante, etc, porque tudo já foi dito.
Geladeira nele!
Beijos!

Andrea Cristina disse...

O melhor: "Agora desobstrua a calçada, deite no acostamento e morra, João".

Obrigada Lola, pelas palavras de apoio e por todo o linxamento em praça publica desse senhorzinho aí.

Agora, com licença, que vou vestir minha burca porque preciso ir ali.

=***

cavaca disse...

João, seus amigos e sua familia concordam contigo em todas essas suas opiniões?

babsiix disse...

Realmente João, vc me pegou. Na verdade é isso mesmo. E eu q pensei q conseguia esconder tão bem por sempre proclamar tudo o contrário disso.
O supra sumo do prazer para uma mulher é um Homem, pedreiro ou playboy, bonito ou feio, velho ou novo, querer transar com ela. Só assim ela poderá se sentir realizada e feliz. Nem ser mãe pode ser tão realizador..

Só malhamos, vestimos roupas curtas/apertadas, usamos salto e cabelo longo porque a chance de um Homem querer "nos chupar todinhas" fica maior. Afinal, sabemos q só nos sentimos completas e só somos úteis como fonte de prazer sexual. Nem precisamos ser bem humoradas, ler livros ou escrever teses.

Aliás, n termos voz tb parece uma boa, já corta uma forma de revidar, facilita para vcs. Se bem q assim n poderiamos gemer ou gritar, para incentivar mais, quando chegasse a nossa hr d ser útil

Tina Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
h e r i c k y × disse...

alguém pode me dize onde é a fila pra bombardear bosta de vaca na cara desse cara? porque eu me vejo em cima de uma vaca direcionando a parte traseira dela, e disparando! e não parece um desenho animado. ou seria um daqueles "acerte o alvo e faça João cair na piscina"? eu não sei, sou novo por aki. -_-

agora, Lola. quanto a você.
eu não posso deixar de louvar toda a tua linha de pensamento exposta continuamente nesse blog. o número de links entre um post e outro - o número de exposições ligando os pensamentos, mostra que tu não tá aqui insistindo que as garotas são gêmeas. o que tu tem dito e contado é uma linha contínua, é tudo parte de uma verdade - não que fosse necessária toda uma rede de posts brilhantes sobre o assunto pra nos dizer que tu tá certa. o IBGE diz isso. a psicologia explica isso. até a imprensa não pára de falar - isso ACONTECE.

pra provar isso eu posso abrir o jornal da minha cidade desse final-de-semana, e posso citar o caso da garota que foi agredida pelo pai, um (ex-)reitor de universidade envolvido em algumas falcatruas que foram denunciadas no ano passado envolvendo DETRAN-RS e o governo do Estado... bom, o ponto é: ele chutou a garota, bateu nela, arrancou o piercing da sobrancelha dela na unha. e não, João, a garota não tem 12 anos e tava se comportando mau e merecia umas palmadas e ele "se excedeu pensando no bem dela". ela tem 23 e eles discutiam por problemas de família quando... como eu disse.
isso foi parar na TV, mas se eu abrir o jornal de hoje, eu duvido muito que não encontre em letra miúda outro caso. e se eu pudesse ver através das janelas das casas, e conhecer os casos que não são registrados por causa de medo e ameaças? quantos eu ia ver todo dia?

essa é a diferença claríssima entre a linha de pensamento de Lola e de João. uma linha é obsoleta, constantemente batida, e cai em contradições. a outra saiu direto do cotidiano, do que tá acontecendo agora e nesse minuto pelo mundo todo, e é uma reflexão nos fatos. eu não acho que o Sean Connery tenha solução nem razão, mais porque ele foi educado crendo no que ele crê... e sim, as mulheres gostam de elogios, e gostam de se sentir bonitas, e muitas fazem como a Lola não faria e se trancam em academias pra definir a barriguinha. às vezes eu acho isso digno, às vezes não.. cada uma tem seu motivo, e tantas têm motivos tortos. eu não sei bem o que pensar vendo tudo isso, sabe, Lola?

mas enquanto eu vou observando, vou continuar aqui, acompanhando a tua exposição do problema e, criticamente, raciocinando sobre o que é preciso pra cortar o pescoço de João (risca) pra mudar o pensamento pelo menos dos mais jovens, e evitar que mais homens e mulheres cresçam com imagens erradas dos seus papéis na vida. eu tenho 17, a minha geração já tá meio perdida nisso... =|
mas quem sabe meu irmão mais novo passa longe de dizer a cantada que ficou famosa pelo rádio por aqui:
"Se beleza fosse bosta, garota.. tu tava toda cagada."

Tina Lopes disse...

Lola, vc anunciou que ia fazer esse post de resposta quando, na sexta? Imagina que o João Santiago Troller da Silva Neto deve ter atualizado o blog umas 3 mil vezes, dá até dó, imagina a agonia, ai, vou ser estrela do blog. Hahahahaah. Ele me lembra o Beavis e o Butthead, personagens que eu gostava, aliás, que passavam o dia vendo a programação da MTV e malhando com aquela risadinha obscena - e que não tinham mais nada na vida. Mas eles eram adolescentes e o seu troller de estimação já deve ter passado dessa fase. Enfim. Sabe o que acontece quando vc encara um idiota desses que fala bobagem na rua? Ele faz de conta que não é com ele. Sai correndo, disfarçando. Eu sei, porque nunca levo desaforo pra casa também. E teve uma vez que ameacei um mais tarado, que me seguia, com o cigarro aceso - te enfio o cigarro no olho, filhodaputa. São patéticos, os idiotas que nos provocam na rua e o troller que nos provoca aqui. Boicote djá.

Anônimo disse...

O primeiro comentário assinado por ANÔNIMO não é meu, mas até poderia ser, porque de certa forma, sempre escondi pernas e colo para, DELIBERADAMENTE, NÃO ATRAIR O OLHAR
DE VEROSSÍMEIS FERAS PREDADORAS, até porque modéstia à parte eu era mesmo PE DA ÇU DAAAAAAAAAAA! Dos meus 12 aos 30 fui sim, perturbadora, sem nenhuma intenção de sê-lo. PORÉM sempre desconfiei dessas criaturas a que damos o nome de MACHOS. Garanto que era um
receio atávico. Atualmente sou uma velhota (muito assumida inclusive).
Na verdade nada é mais maravilhoso
para uma mulher quando um homem desconhecido nos olha nos olhos e sem dizer nenhuma palavra demonstra que está "ABALADOOOO" ou seja, encantado! Hhahahaha coisa mais querida homem assim né? Daí a gente passa quieta e FELIZZZZZZZZZZ porque homem classudo é coisa rara mas é
BOM D + !!!
Pena que não lembro o nome do filme mas sei que acontecia num treinamento de guerra e uma mulher que era militar no meio de homens, foi estuprada por um superior dela.
A justificativa? Fazia parte do treinamento. Com isto eu queria dizer que a força física, e ou hierárquica (circunstancial) dos homens, lhes dá "RAZÕES que a própria razão desconhece" porque no caso a mulher militar do filme, usava farda, coturnos, boné... Daí eu pergunto:
E agora José? ou melhor, João.
Gente vamos aproveitar o Natal para pensar que os conceitos precisam ser revistos. NÓS SOMOS VIOLENTOS E PRECISAMOS VIRAR ESTE DISCO!!! Fatima.

Serge Renine disse...

Aronivch:

O pensamento "joanista" é tão subjetivo que não se tem como responder.

Agora; como você sabe, eu tenho três filhas com 16,15, e 7 anos. Várias vezes eu me pego, e minha mulher também, falando a seguinte frase: "menina: isso é roupa de sair na rua, volte e ponha uma calça, ou, tire esse short que está muito curto, ou cubra essa barriga de fora", mesmo quando elas estão indo ao nosso clube, que tem piscina, que fica a duas quadras da nossa casa.

Você já deve estar imaginando o porquê fazemos isso. Fazemos isso, justamente, por tudo que já foi debatido aqui nestes últimos dias. Popularmente dizendo: não queremos dar sopa ao azar.

O que o João fala, ainda mais do jeito que ele coloca, é horrível, pois achar que toda mulher gosta de ser assediada é adivinhar muito. Eu acho que muitas mulheres se vestem para ser admiradas por homens e até mais vezes, por outras mulheres, afinal eu sou perito nisso, tenho quatro mulheres em casa, mas não do jeito que o João colocou.

Daniel Olivetto disse...

ai, quanta honra ter sua visita na casa do Chico Linguiça!

Adoro teu blog!

E essa coisa de padrões culturais de beleuza me enervam!

Tô louco pra que cheguem logo minhas férias pra eu poder fazer meu ritual político de verão:

ir na Praia Mole (a praia do povo que malha horrores, e paga fortunas - em 15 parcelas no cartào de crédito - numa sunga)... No meio de toda aquela badalação eu adoro exibir meu corpo alternativo, ahahaha... sento com meu chapéu de goiaba, abro minha Mafalda, fumo a tarde inteira e me acho o máximo, ahahaha...

é uma maluquice isso tudo, porque a gente vai introjetando tanto esses padrões que quando vê nem sabe porque que está achando isso ou aquilo bonito... inferno de pós-modernidade...

beijo beijo
[quando teremos novos poemas da menina Lola?]

Ollie McGee disse...

Nem vou perder tempo com o João...
Ainda se fosse com o 'gato à milanesa' que você colocou para ilustrar o post, eu até poderia pensar no assunto, mas de "machões tupiniquins" da Escola Jesse Valadão para moçoilos de tradicional família, eu passo.
Já tive minha quota do tipo e foi suficiente para uma vida. ☺
bjos,

Ciça Donner disse...

Menina, e eu achei que era ironica... nota 10 pra vc e para seus textos! Quando crescer quero ser igual a ti

Ju R. disse...

começo a achar que o joão tem ou 12 anos ou 95. sério! nunca li tanta merda vinda de uma pessoa só.

ahh....e eu realmente baseio a minha vida no desejo que os homens podem ter por mim. é meu objetivo de vida. tenho ensino superior completo e falo outro idioma....mas tudo o que eu quero na vida é que homens idiotas olhem pra mim. oh, boy...quanta pretensão.

João Neto disse...

Lola:

Por mais razão que você ache ter, ou você publica meu comentário ipsis litteris, ou não o publica.

Publica-lo como post, editado é profundamente desonesto.

Ju R. disse...

joão, vc nasceu idiota ou foi se "aperfeiçoando" ao longo de sua vida?

chegou a essas constatações por mérito próprio? é muita genialidade para uma pessoa só. não deveria desperdiçar tanta diarréia, ops!...inteligência num comentário só, hein?

Daniel Olivetto disse...

ah... tenho um outro blog no qual escrevo com um amigo:

http://miguefilmes.blogspot.com/

beijo

Chris disse...

Ah, meu Deus...
será que esse cerumano comeu criançinha quando era cocô???

Pombas, não me considero bela nem estou dentro do padrão brasileiro de beleza (macérrima) e ODEIO quando mexem comigo na rua. Ô saco...

Enfim, esse tal de João não existe. Não é possível... acho que é um robô tipo Hall9000 que deixa recados escalafobéticos por aqui, só pode.

Beijos

Chris disse...

Serge,
eu tenho uma filha, de 2 anos e pouco, e morro de medo do mundo que ela vai 'herdar' desta geração de bosta que está aí, salvo raríssimas exceções, como o Hericky aí de cima, meus sobrinhos...

Acho que você está numa situação mais imediatista, e sem ter muita saída, né? Deve ser foda ter que tolher suas filhas, para preserva-las de uma sociedade tão f*cked-up quanto a nossa...

Abraços,
Chris

Giovanni Gouveia disse...

Sábias palavras, belo comentário...

http://caderno.josesaramago.org/2008/11/28/educacao-sexual/

Anônimo disse...

Nelly que história linda a da
coruja Sofrôncia! E ela curtia Maria Callas? Que coisa mais amada.
Sofrôncia compreendia todo o sentimento daquela deusa canora e queria fazer o background
eheheheh e María Callas, cuyo verdadero nombre era Cecilia Sophia Anna Maria Kalogeropoulou, nació en la ciudad de Nueva York el 2 de Diciembre de 1923 como hija de unos emigrantes griegos.
besito da Fatima

Juliana B disse...

não tenho mais a menor paciência pra ficar dando combate pra tanta estupidez humana, mas recém tinha lido esse post e acabei de ver uma cena num filme (Chasing Liberty) que tive que vir colar aqui. Um homem e uma mulher conversando, o trecho começa por uma fala da mulher, se referindo ao emprego dos dois:

- I just do what I'm told.
- Oh, yeah? Strip naked.
- Oh, gosh. Let me ask you something, Weiss. Do you actually get women like this? I was really curious if there were actually women out there in the world who walk by the construction lunch break, which is your very personality, and say: "Oh, yeah, please. Baby, give it to me. Give me some of that hard hat, right here, right now." There are actually women like that?

Anônimo disse...

OOOPS desculpa Lola! Comentei no post errado, putz! Fatima.
P.S.: Vou lá no outro responder à
tua Mamacita.

Masegui disse...

Valeu a pena esperar, o postão tá muito bom, com ótimos comentários.

Pérolas que merecem ser repetidas: "seu bundão", "entrar na fila pra jogar bosta" e "aperfeiçoando a idiotice". Realmente hilários!

Já que sou meio estúpido e defendo a linha olho por olho (jogo no time do meio-xará Renine), vou contar umazinha pra servir de exemplo: Em Gov. Valadares tinha uma padaria, ponto de encontro dos fazendeirôes que se encontravam de manhã pra tomar café e negociar... passou uma moça linda e um idiota soltou um "ai que tesão". A moça deu uma meia paradinha e disse séria "enfia o dedo no c... que passa!". Nunca vou esquecer a cara do babaca... he he he.

Juliana B disse...

ah, e sei que tô te devendo mais comentários e um banner (aaaaaaahh). Faz um favor? Me cobra esse banner depois do dia 15 de dezembro? Pq aí eu não vou ter nada pra fazer e tenho que terminar aquele pra vc, questão de honra.

Andrea Cristina disse...

Tadinho do João, agora vem ele aqui todo injustiçado culpar a Lola por ter editado o comentário dele.

Lola, como vc é má!!! Editou o comentário dele e o tornou um troll, um monstro, um machista!

Faz favor Lola, manere mais qdo as pessoas escreverem besteiras por aqui! Não coloque elas na forca ou na fogueira. Afinal, ele nao merece ser crucificado por seus comentários misóginos!

João, vá vestir uma burca e ver como é quente lá em baixo, vá!

Andrea Cristina disse...

PS - e ele continua achando que manda no seu blog: "ou você publica meu comentário ipsis litteris, ou não o publica". uahauhuahua

Tenho uma alternativa melhor. João, não venha mais ao blog, nao poste besteira, e nos poupe de suas idiotices. Assim poderemos tratar de assuntos importantes de uma forma adulta e respeitosa.

Anônimo disse...

kkkk, agora a culpa é da edição do comentário.

Joãozito, EU VI. E um monte de gente viu tb o seu comentário, antes da Lola apagar. E era isso mesmo.

O menino tá com vergonha da opinião que ele mesmo soltou... Olha o recalque aí gente!

Cereja disse...

Realmente, foi a edicao que matou o comentario do Joao...

Mas enfim, levantaram o ponto de como quando a gente e' nova (10 anos de idade aos 15 + -) e' que os "elogios" sao piores e mais agressivos. Lembro de sair na rua muito mais insegura nessa epoca, escutar coisas horriveis de homens com idade pra ser o meu pai. Um dos casos que eu sempre lembro e' o de um sujeito de meia idade, roupa de medico que me cantou na esquina de casam - nem da' pra dizer que e' falta de acesso a educacao, a coisa e' assim em todos os niveis da nossa cara sociedade.

A sensacao que a gente tem e' de NOJO ao escutar essas coisas, de medo, medo do sujeito seguir a gente ate' em casa (como ja' me aconteceu e acontece com muita gente). Ja' tive que mudar o meu caminho de volta pra casa mais de uma vez pra evitar alguns malucos costumeiros. Isso usando roupas normais, nao precisa sair de short e top minusculo pra ouvir besteira nao.

Desconfio que nem saindo de casa vestida de freira deve adiantar, ser mulher e' o unico requerimento para passar por isso mesmo.

Simone disse...

Lola, confesso que um tempo atrás, alguns anos, passou alguma coisa assim pela minha cabeça: Ah, mas não se dão ao respeito, se vestindo assim, depois são violentadas e não sabem por que (UI!) Eu era bem novinha, felizmente, logo me toquei da bobagem enorme que é pensar assim e, que se um homem não resiste aos seus instintos primitivos vendo uma mulher bonita, insinuante, intencionalmente ou não, bom, então esse sujeito poderia morar numa jaula, não é?

João Neto disse...

A quem interessar possa:

Eu não disse que o comentário editado atrapalhou o que eu quis dizer. Do jeito que a lola colocou está perfeito. Eu disse que ela não colocou o comentário inteiro e isso é verdade.

João Neto disse...

Simone:

Obrigado por você ter sido honesta.

Débora disse...

Mas por que raios ele não cria um blog só para ele?
Nesse blog ele poderia publicar todo o tipo de opinião machista e misógina que quiser e ainda atrair amiguinhos inteligentes, cultos e educados como ele.
Talvez até tenha seu próprio troll!

Porque discutir com alguém que tenha idéias e opiniões contrárias é super bacana, mas se os argumentos forem do tipo feio-bobão é tão desanimador que dá preguiça.

Anônimo disse...

Pois é, Débora, veja só... o João nem tem argumentos para se defender. até pq nem tem como mesmo... Ele naum tem argumento lógico! ele fica imaginando q as mulheres pensam do que jeito q ele quer e aí inventa uma estatística da cabeca dele: 95% das mulheres blabláblá

Como ele naum gosta de ficar calado, só apontou o óbvio que é a Lola ter cortado uma parte do comentário, pro texto naum ficar mto grande. Acho que ele tá dodóizinho pq queria que o blog da Lola virasse um monólogo dele. e como naum tem mais argumento, ele se contenta soh se a gente reconhecer que ela cortou o comentario dele. kkkkk mania de querer ta certo sempre!

Su.

lola aronovich disse...

Infelizmente estou sem tempo nenhum pra responder os ÓTIMOS comentários agora. Vou tentar depois. Mas continuem escrevendo, gente, vcs são demais!
Quanto ao João dizer que eu editei seu comentário, não tenho mais o original, se não o colocaria aqui nos comentários pra vcs poderem comparar. Mas, como algumas leitoras já observaram, várias pessoas leram o coment. original na sexta e se indignaram de qualquer jeito. Só o que eu fiz foi corrigir alguns errinhos de português, pontuação e digitação, e eliminar uma parte que não tinha absolutamente nada a ver com a discussão (dizendo que eu era uma vergonha para Santa Catarina porque deveria estar escrevendo posts sobre campanhas pra ajudar os desabrigados da enchente). O resto eu deixei, inclusive uma parte pra lá de repetitiva.
E claro que eu intercalei com as minhas respostas. É um direito meu.
João, é muito infantil vc insinuar que o seu comentário foi manipulado. Por que vc não se atém aos argumentos discutidos aqui?
Mas vc nunca rebateu argumentos nos outros dois posts que dediquei a vc. Por que rebateria agora, no último?

Serge Renine disse...

Viva Aronovich!

A Hilary Clinton acaba de ser confirmada como Secretária de Estado do governo Obama.

João Neto disse...

Eu não rebati os outros dois porque eles estavam na integra Lola.

A propósito, meus comentários podem ter erros de inglês, mas de português e ortografia não. Eu dou aula disso.

Gabriela Martins disse...

Lola, reforço o coro do pessoal e acho que vc tá gastando vela boa com defunto ruim. Bloqueia o cara, ou ignora, que isso tá com cheiro forte de trolagem. Até as estatísticas aleatórias me lembram bastante um mané que postava numa comuna do orkut q eu participava.

Acertou na mosca sobre a piada de "hoje estou com a auto-estima lá no pé, opa, bora passar em frente uma obra pra ouvir elogio e ficar feliz", piada essa que parei de contar porque sempre tem um pra achar que eu tô falando sério.

Na mosca também quem disse sobre as meninas mais novas ouvirem comentários mais grosseiros. E geralmente o mesmo cretino que faz iso fica indignado quando vê notícia de caso de pedófilo... Ainda acrescento mais: acho que quanto mais "inacessível" o cara considerar a mulher, pior é o que ele vai falar, porque a vontade de humilhar e botar pra baixo é maior.

E quando alguém reclama de assédio assim e sempre tem um babaca pra dizer "se fosse o Gianechinni vc não estaria reclamando, né?!". Pois é, né, se ele diz isso...

Qual vai ser a próxima pérola do João? Já sei, quando alguém reclamar que odeia ser encoxada no ônibus ele vai dizer que é mentira e que 95% das mulheres adoooooram sentir um pauzão duro relando na bunda...

João Neto disse...

Alias, falando sobre a tragédia de Santa Catarina, um blog tão importante como o seu não poderia ajudar?

Estão recolhendo doações de todos os lugares mais distantes e mais pobres e você, no meio da tragédia, não pode ajudar? Se pode, porque não ajuda? Afinal essa tragédia está repercutindo mundialmente, como a de New Orleans.

João Neto disse...

Gabriela:

Que bom você tocar no assunto. Houve um caso que foi julgado na semana passada em que um sujeito tentou beijar uma mulher a força e ele foi inocentado. Adivinha o que ajudou a inocentá-lo? A declaração de vítima que disse ao juiz: “ainda se fosse o Gianechinni não teria problema”.

Está nos jornais de sexta feira se acha que estou inventando.

Bel disse...

Lola, tô esperando... vc quer os comentários no haloscan???

Chris, mãe da Cecília disse...

Meu Deus,
os comments viraram canal de diálogo com o João... "ô disgaça", como diz a Ciça.

Lola, acho que vc está dando mais espaço para ele, do que ele jamais sonhou em ter... Just drop it!

Aliás, por que ele não cria um espaço só para sí?

João Neto disse...

Cavaca:

Nem minha família nem meus amigos precisam concordar comigo; as coisas são o que são.

Só os idiotas precisam de maioria.

Maioria é coisa de esquerda, que quer agradar.

Ju R. disse...

joão,
se está cobrando da lola uma ajuda às vítimas da enchente, é porque tb está ajudando, né?!

pare de escrever tanta asneira e vá doar roupa, comida e fazer trabalho voluntário em SC! que coisa!

Ju R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ju R. disse...

"Só os idiotas precisam de maioria.

Maioria é coisa de esquerda, que quer agradar."

é sério que você baseia a sua vida apenas na questão "esquerda e direita"? limitadinho vc, meu caro.

Andrea Cristina disse...

Eu entendi bem? Então ele nao achou ruim a edição, mas achou ruim TODAS as suas bem colocadas palavras, escritas com tanto amor e carinho nao terem aparecido. Aff!!!

Lolinha, seja mais carinhosa, faça guest post para todos os comentarios do João! Ele precisa de mais espaço, atençao e carinho!!!

Andrea Cristina disse...

Aff! Além de reclamar da edição, e depois desreclamar. Agora quer mandar no seu blog ditando o assunto a ser comentado?

João, por favor, nao mude de assunto. Vamos comentar aqui sobre seu ponto de vista misógino.

Rebata alguns comentários das feministas que tanto te adoram.

Mei disse...

Esse João é que precisa de um terapia e de camisa de força!!

Tá louco...que cara chato!

Lila disse...

Só pra confirmar o que todas as outras já disseram. DETESTO que mexam comigo na rua.
Sou mais uma das leitoras a dizer que não tenho mais a menor paciência pra este indivíduo.
João, vc acha que sabe o caminho da verdade absoluta, o segredo da vida, do universo e tudo mais, tenho umas sugestões pra vc: crie um blog, crie uma seita, invente um partido político, faça qualquer coisa, mas nos deixe em paz, ok?

Srta.T disse...

Só eu acho que o João é corno? Ou que só tomou "toco" das mulheres de quem tentou se aproximar?

Agora, sério: essa "mulherofobia" ou é trauma, ou simplesmente ele tá carente de atenção. Com tanto blog de machão por aí, ele vem abrir a torneirinha de asneira justo aqui... não quer ser mais um na multidão, tadinho.

João, mais fácil: pendura uma melancia no pescoço e escreve "azeitona".

Camila disse...

Só para aumentar o coro e talvez fazer o João refletir um pouco sobre suas premissas: DETESTO QUE MEXAM COMIGO NA RUA. Detesto que os homens se sintam a vontade para invadirem minha liberdade, para se sentirem donos de mim e para me desrespeitarem.

João, nunca comentei nesse blog, apesar de lê-lo todo santo dia, apesar da Lola representar fielmente o que penso sobre muitos assuntos. Mas fiz questão de escrever hoje, pois me senti ofendida com seu comentário, com a sua pretensão em saber mais das mulheres do que nós mesmas e me obriguei a vir aqui para te dizer: CALA A BOCA.

Camila disse...

E NOS RESPEITE

Alana D. disse...

Esse tipo de coisa não acontece só com mulheres que usam roupas que as valorizam e que são bonitas, João.
Eu tenho doze anos e já me chamaram de MUITAS coisas extremamente indecentes. E não, eu não estava de vestido curto ou calça de lycra (e mesmo que eu estivesse, eu tenho o direito de usar o que eu quiser pra ouvir besteira), eu estava de uniforme do colégio. Blusa branca larga e moletom azul-escuro. Oh, muito provocante.
A minha irmã, de dez anos, já foi alvo desses insultos (porque eu não acho que "senta em mim, gostosa" seja um elogio, você acha?).
Não interessa a faixa etária ou o tipo de roupa. É só ser do sexo feminino.

Lila disse...

Qto à frase da mulher agredida; "se fosse o Giannechini seria diferente" significa que se fosse um homem que a atraísse, ela poderia corresponder, só isso. Mas quem acha que nós mulheres somos seres passivos que estamos neste mundo pra atender os desejos de TODO e QUALQUER HOMEM nunca vai entender que temos direito de escolha.

Luiz disse...

Lola, que mala sem alça esse "troll" (só hoje fui saber o que é isso...)!!! A coisa do elástico da cueca kkkk derretendo... kkk cara!!! nunca tinha ouvido falar nisso, até por que um homem que se preze, e que também preze uma mulher, vai ter o cuidado de usar uma cueca de algodão, por conta da possibilidade de as infecções nas mulheres, e na gente mesmo, ocorrerem... Mas estou falando de um nível de homem que lava a sua própria cueca, o que parece que não acontece com o João, deve ser a mãe, a mulher, a namorada, a empregada doméstica... Sociedade machista é assim, são os homens que fazem as merdas, e são elas que limpam. Parabéns, Lola.

alana disse...

Bem, como várias pessoas já demonstraram aqui total repúdio ao sujeito em questão. Sinto a necessidade de comentar o post somente no intuido de demostrar o meu profundo agradecimento a todos, inclusive à lola. Sempre que leio este blog sinto-me um pouquinho mais digna ao compartilhar das idéias expostas aqui.

João Neto disse...

Furiosa Andrea:

Vamos supor que essa foto que você colocou para ilustrar o seu perfil seja sua. Pode não ser! Se a foto a for sua, você está longe de ser essa maravilha que a Lola fala. Não venha dar uma de ofendida. Fique sossegada que, no meu comentário, você não está entre as bonitas, muito pelo contrário.

Andrea Cristina disse...

Sim, a foto do meu perfil é minha. Pelo menos três pessoas deste blog me conhecem pessoalmente e sabem que quem eu sou aqui é quem eu realmente sou. Aqui eu mostro a minha cara, as minhas opiniões e tenho orgulho disto.

E se vc, sr João, não me acha bonita, isso é problema seu. Desde quando eu preciso que alguem como vc me inclua no grupo das bonitas?

Como já disse anteriormente em outros comentarios em outro post, assim como qq mulher com hormonios. Tenho dias que me acho linda e gostosa, sim pq eu me achar gostosa, ou mesmo o meu namorado me achar gostosa, é permitido! E também há aqueles dias que odeio meu cabelo, minhas espinhas, mas entendo que isso é natural, e encaro numa boa. Por que eu, como mulher, sou BEM RESOLVIDA!

E nao se preocupem que nao estou furiosa. Me mato de rir aqui a cada idiotice que o troll fala.

Lola, super obrigada pelo post de hoje. A-M-E-I de paixão toda a sua ironia. Não se acanhe por me colocado nesta ao me chamar de bela. Gostei da tua brincadeira naquele comentario, assim como adoro todas as tuas respostas e brincadeiras.

E para finalizar meu comment, quero dizer que adorei ironizar as idiotices do João. Por que rir das besteiras deste mundo nos faz ser pessoas mais felizes, e isso pra mim é muitooo importante!

lola aronovich disse...

AH NÃO, João! Vc tá de sacanagem comigo! Tá querendo testar meus limites, é? Assim eu realmente vou ter que proibir e deletar seus comentários. Eu não queria fazer isso, gosto de democracia, mas quando vc entra aqui pra ofender uma leitora minha (que vc já havia ofendido antes), não me resta outra alternativa. É isso mesmo que vc quer? Vc está querendo dizer que um homem adulto não pode se comportar civilizadamente? Tem que vir aqui ofender os outros? Vai pastar! Com esse seu último comentário, parabéns! Vc adotou status de TROLL oficialmente.

Lila disse...

Lola, democracia não dá o direito de dizer tudo o que se quer, pelo menos na democracia brasileira. Aqui respeitamos a liberdade de expressão, mas também a honra, a imagem, a intimidade e a privacidade. E sério, vc tem paciência de Jó, Lolinha.
Só p/ rebater o João no nível de maturidade dele: João, se a Andrea é feia, vc é feio, bobo, chato e tem cara de mamão. Pronto, assim ficamos no nível de "argumentação" das crianças da 2ª série.

Andrea Cristina disse...

Lila, adorei sua argumentação ao estilo 2a série. Rendeu ótimas risadas!

Lola, sem estresse! Por aqui não consigo desligar do blog pq as risadas são muitas. Sei que é clichê, e uma fala bestinha, mas sabe aquele: "o que vem de baixo nao me atinge"? Pois serve nesta ocasião. Vc bem sabe que eu nao sou tola o suficiente para aceitar uma ofensa de alguem tão desprezível.

Eu por aqui só me divirto.

Srta.T disse...

Para criança que faz birra: palmada.


Para excesso de testosterona: masturbação.

Juliana B disse...

Bem, eu não tenho uma foto minha no meu perfil, mas não por ter algo a esconder, simplesmente porque preferi assim, mas sou uma das pessoas que conhece tanto a Lola quanto a Andréa pessoalmente e posso te garantir que a foto da Andréa é dela mesmo. Agora, João, se você particularmente não acha ela bonita, isso não invalida o fato de outras pessoas acharem. Há muito tempo que sabemos que gosto não se discute, e tenho certeza que a Andréa não vai dormir deprimida essa noite porque uma pessoa com uma mente tão pequena quanto a sua não a considere bonita. Aliás, porque você não pára de querer irritar os outros e vai fazer algo mais útil da sua vida?! Ou então mostre a sua cara, coloque um link para quem você é no seu perfil.

E arrogância de "eu dou aula disso, por isso sou perfeito e não posso errar" é uma infantilidade que às vezes passa quando a gente cresce. Tomara que você amadureça...

João Neto disse...

Lola:

Eu não sou troll.

E expressei minha opinião. Quem ama a democracia, como você diz que ama, deve se acostumar com isso Eu sei que é quase impossível para petistas, mas com prática se consegue. Você começa o post me dando um tapa no rosto (de foram figurada, é verdade, mas é violência) o que pra uma pessoa que prega a paz é muito ruim.
Você me chama de energúmeno (eu nem sei o que é, mas pela sonoridade deve ser uma coisa muito ruim) e termina o post desejando minha morte. Isso sim é de uma violência atroz.

Srta.T disse...

O agressor que, confrontado com sua própria falta de razão, se vitimiza.

Já vi filmes melhores.

cavaca disse...

João, as próprias mulheres estão te dizendo as coisas da maneira como elas são. Eu não sou mulher e nem você, por tanto elas devem ter razão. Se eu estivesse no lugar delas pensaria da mesma maneira. Se quisesse vestir uma minissaia sem ser importunada. Na inglaterra elas fazem isso mesmo a zero graus e ninguém as acha umas depravadas. Não é uma questão de direito ou esquerda ou maioria ou minoria, é uma questão de respeito a individualidade das pessoas. Coisa que a direita acha que não deve existir. Jõao, vc pode ter os seus argumentos e posições, errados ou não, nós podemos discordar. Mas as mulheres podem discordar ainda mais, e se elas se revoltam com as suas opiniões acha que elas estão erradas?

João Neto disse...

Não Cavaca. Você tem razão. Eu acho que elas estão certas. Você tem jeito bem bacana de colocar as coisas. Viver distante é difícil, mas da essa vantagem.

Marjorie disse...

Eu DUVIDEODÓ que o sr. João dê aula de alguma coisa. Porque não deve ter idade pra isso ainda. Pelo nível de argumentação e ranhetice do sujeito, ele deve ter uns 13 anos.

Digo e repito: ele não está aqui pra debater. Está aqui pra irritar, igual criança quando fica "lalalalala, não tô ouvindooooo".

E é tudo inveja da Lola, tenho dito. Ele já falou umas 20 vezes que o blog dela é "importante" e que ela deveria estar "salvando o mundo" com ele.

Querido, quer chamar a atenção? Cria um blog só seu. Qualquer um pode abrir uma conta no blogger, no wordpress ou onde for.

Mas é que ele sabe que o blog dele ninguém ia ler. Aí tem que vir causar nos comentários dos outros.

Tenho é dó desse sujeito.

Agora, vamos discutir outra coisa? A gente tá dando atenção demais pra ele e ele tá amando. Qualquer coisa vale, de futebol à evolução das borboletas.

Juliana B disse...

"A gente tá dando atenção demais pra ele e ele tá amando."

Exato! Por isso que eu disse que não tenho mais paciência pra dar combate.

lola aronovich disse...

Anônimo, concordo totalmente. A gente quer ser bonita e quer ser elogiada pelos homens que importam pra gente, não pros estranhos e tarados. Vc aponta muito bem: o que dói a esses machistas é pressupor que mulher pode escolher. Não pode! E muito interessante isso que vc diz de receber mais cantadas aos 13 que aos 29. Pessoalmente, não me lembro das cantadas que recebia em nenhuma dessas idades. CLARO que eu era cantada - que mulher não é? - mas eu me lembro de ser bem mais tolerante que a minha irmã, por exemplo. Minha irmã era tudo “vá tomar no **”, mas eu muitas vezes ouvia “que olhos lindos” e achava que não era questão de responder assim. Mas hoje estou dando razão a minha irmã...


Gio, explicou bem o pensamento. É isso mesmo. Eu pensei até em incluir no post o negócio de gostar de ser encoxada no ônibus. Afinal, a gente viu aquele filme, A Dama do Lotação, em que a Sonia Braga ADORA isso. De onde se deduz que... todas as mulheres adoram ser encoxadas no ônibus.
Ótimo exemplo que vc deu das gêmeas.
Ai, que fofo! Fico muito feliz que vc esteja viciado, Gio! E também sinto saudades suas no fim de semana. Cris, não fique com ciúmes!
Ah, Gio, não precisa mandar fotos da ditadura nem nada. Ontem montei seus dois guest posts. Estão prontinhos (ficaram em dois). Uma pra esta quinta, outro pra próxima.

lola aronovich disse...

Marjorie, mas é isso mesmo que o Gio disse: o João sabe mais sobre a gente que nós mesmas. Puxa, coincidência isso do McDonald's! Lindo, né? Eles acham que o único jeito de uma mulher ser “elogiada” é ouvindo fiu fiu na rua! Eles nem desconfiam que isso não é elogio? Quanto vc quer apostar que quem bolou essa peça da campanha foi um homem?
Adorei suas explicações, Mar. Acho que vc tem total razão, e nem tinha pensado nisso. Não é só pelas grosserias, mas tb porque esses homens que falam essas asneiras estão invadindo o nosso espaço, sendo grosseiros em dois níveis. E perfeita tb a sua análise do perigo que é ouvir um “VOU te chupar” ao invés de um “Por obséquio, será que a senhorita permitiria que eu?...”.


Belzinha querida, agradeço MUITO a boa vontade (aliás, recebi seu orkut tb). Por enquanto não quero acionar isso. Eu quero que meu blog siga sendo democrático. E tb quero permitir comentários anônimos. Mas, sinceramente, se o João continuar nesse nível, insultando minhas leitoras, vou ter que pedir a sua ajuda, sim. E até agora dei muita sorte com trolls. O João é o segundo (se não for o mesmo, o babacão do Santiago. Eu acho que é).

lola aronovich disse...

Paula, claro, vou falar do privilégio masculino sim. Já tenho um post quase pronto. Só preciso terminar uns capítulos da minha tese antes. Mas preciso falar nisso sim, obrigada por lembrar.


Serge, ah, legal. Então defenda a Andrea da última trollada do João. Ele a chamou de feia! Mesmo que a Andrea fosse feia, isso seria um insulto de baixo nível. Mas pior é que minha revelação vai deixar o João com pinta de maior otário ainda: a Andrea realmente é linda. Uma das moças mais bonitas que eu já vi em toda a UFSC. E olha que a UFSC tem muito moça bonita. E que eu nem costumo achar muita mulher bonita, pra falar a verdade.

lola aronovich disse...

Marj, é bem isso de propriedade pública, de querer marcar território. Acho que tantos problemas do mundo estão ligados a essa obsessão masculina de marcar território... O que mais é uma guerra se não um grande joguinho de pega-bandeira? De ir mijar no canto do outro pra marcar território com seu cheiro, como fazem os cães (só os machos)? Isso de ser agarrada na cintura eu não saberia, porque faz DÉCADAS que não vou numa balada. Mas acredito piamente em vc!


Roberta, que legal! Acho que isso de falar com calma realmente é pouco comum, e IMAGINO que possa dar resultado, mas não sei. Seria muito legal se esses preconceituosos como o João se colocassem literalmente no nosso lugar, nem que fosse por poucas horas. Lembra daquele episódio em Twilight Zone, o Filme? Aquele em que um preconceituoso viaja no tempo e pára na Alemanha nazista (e ele é judeu, sendo perseguido pelos nazistas), e no sul americano sendo perseguido pela Ku Klux Klan (e ele é negro)? Bem assim!

lola aronovich disse...

Elyana, ótima frase, querida.
Tomara mesmo que venham uns 30 pra cima dele em caso de violência. Mas não sei. Mais de uma leitora já comentou casos de que ninguém fez nada (não com apanhar, mas de ser agarrada). Isso de achar que só as mulheres lindas são estupradas ou ouvem cantadas na rua é típico. É querer dizer “ela provocou, a culpa é dela”. A culpa pela expulsão do paraíso não foi da Eva?


Túlio, esse argumento não funciona com o João, porque ele acha que, se a menina recebeu uma cantada, ou foi estuprada, é porque a culpa é dela. E tanto faz que ela tenha 8 ou 28 anos. Se tem 8 é porque é uma menina precoce, atiçando os homens com esse fetiche que é um uniforme escolar... O João deve crer piamente que sua mulher e suas filhas nunca foram cantadas na rua, porque elas sim são direitas.

lola aronovich disse...

Babs, o que eu quero saber é: minha resposta vai valer mais alguns bombons extras na minha caixinha? Ah, minha mãe fez o bolo. Ficou ótimo. Agora tá quase no finzinho. Amanhã acaba, chuif.
Isso da pedofilia é verdadeiro. E é muito nojento. REPITO meu apelo às minhas queridas leitoras advogadas: como é a lei pra isso? Um homem adulto pode falar obscenidades pra uma menina menor de idade? Não é uma contravenção? Não é atentado ao pudor?
Não viajou não, Babinha. É bem doentio existirem top models de 13 anos.


Cris, obrigada. Ele é bem asqueroso mesmo!

lola aronovich disse...

Andrea, que bom que vc gostou. Primeiro eu incluí uma outra frase no caminho. Ficou: “Agora desobstrua a calçada, saia do nosso caminho, deite no acostamento e morra, João”. Mas achei que ficava longa demais e perdia o impacto. Anyway, eu gostei muito desse post que escrevi, tenho que dizer. Isso, vista a sua burca direitinho.


Cavaca, perguntar isso ao João é inútil. Ele se ilude. Assim como ele acha que 95% das minhas leitoras está mentindo só pra me agradar, ele deve achar que todas pessoas próximas dele concordam com ele.

lola aronovich disse...

Babsiix, é bem isso que eles querem mesmo. Seria ótimo se a gente tivesse um botãozinho de liga/desliga. Nossos gemidos são importantes; nossas vozes são descartáveis.


Hericky, que legal ouvir um comentário tão maduro de um menino de 17 anos! Vc me dá um pouquinho de esperança na sua geração. Que horror isso dessa menina ser espancada pelo pai! Espero que ele tenha sido preso! E tudo bem, gostei muito da sua confissão que vc não sabe “o que pensar vendo tudo isso”, porque a gente não sabe o que pensar sempre! A gente vai pensando, tomando partido, inclusive mudando de opinião às vezes. Só não fala que sua geração já tá meia perdida! Será que não dá pra consertar ainda? Mas espero mesmo que seu irmão mais novo tenha melhor sorte. Abração e venha sempre!

lola aronovich disse...

Tininha, é verdade, ele deve ter aumentado muito o meu número de visitas. Ha ha, AMEI a sua fala pro tarado que tava te saguindo. É isso aí. Eles são uns covardes, a maior parte deve sair correndo mesmo. Só fico com medo dos que querem revidar...


Fátima, minha querida pedaçuda! Pois é, vc falou muito bem. Troca de olhares, paquera, isso é normal e é bonito, e óbvio que a gente gosta disso. Mas gosta quando participa, não quando é vista como pedaço de carne! Gosta quando é sujeito dessa história, não objeto. É tão simples de entender, né? E quando um homem fala uma bobagem, ele automaticamente nos reduz a objetos. E disso ninguém gosta. Até parece que homem gostaria de ser tratado como objeto sexual... Nunca! Puxa, que filme horrível esse. Nem sei qual é. Precisamos virar esse disco sim!

lola aronovich disse...

Serge, entendo a preocupação sua e da sua mulher com as suas filhas. Mas só dizer “isso é roupa de sair na rua” não resolve. Espero que vcs também conversem bastante com elas e expliquem que elas não têm culpa de nada (porque, independente da roupa, elas vão ouvir obscenidades), e como elas devem reagir. Com quem falar em cada caso e tal. Imaginar cenários e respostas pra cada cenário. E mostrar que vcs estão sempre lá pra elas, que elas podem confiar plenamente em vcs pra dar todo o apoio. Putz, quem sou eu pra falar alguma coisa? Nem tenho filhos! Mas, se tivesse, daria a eles a educação que eu tive.


Daniel, imagina, a honra é minha. Ha ha, adorei o seu roteiro pra Praia Mole. Mas que corpo alternativo é esse? Ah, vc quer mais poemas? Não sei, tenho várias fotos pra colocar da Lolinha Precoce, e alguns textos tb. Mas falta tempo! Amanhã (hoje, terça) tem um post bem legalzinho unindo a Lolinha Precoce com os Google searches. Tomara que vcs gostem!

lola aronovich disse...

Ah, o gato a milanesa é bonitão , né, Ollie? Escola Jesse Valadão é muito boa, querida!


Ciça, que bom que vc gostou! É, eu gostei da minha ironia nesse meu texto, tenho que admitir.

lola aronovich disse...

Ju R, deixa ver, o Santiago dizia ter uns 50, então o João deve ter essa idade tb. Mas a cabeça dele já está feita há décadas!


Chris, querida, adorei o “recados escalafobéticos”! Nem vem que eu já vi fotos suas e vc é lindona!
Tomara que, quando a Ciça tenha a idade da filha mais velha do Serge, a sociedade já esteja melhor. Mas, se estiver, definitivamente não será por causa de pessoas como o João (e tantas outras).

lola aronovich disse...

Gio, obrigada. Que bom que o Lula disse isso!


Ju, Chasing Liberty? Esse nome me soa tão familiar, e esse diálogo tb! Mas é isso mesmo: os homens que acham que esse tipo de papo funciona realmente tem QI muito baixo...

lola aronovich disse...

Mario Sergio, legal vc ter gostado. Eu gostei tb! Ha ha, muito boa a resposta da moça. Seria legal a gente ter um roteirozinho: resposta pra cada tipo de cantada!


Ju, tá devendo MESMO! Mas e aí, o que a senhorita conta? O que anda fazendo? Vai pra Detroit no final do ano?

lola aronovich disse...

Andrea, é, esse pessoal que prega burca pras mulheres nem imagina o calor que deve ser. Ai, nem consigo responder seus comentários antigos, sabendo que ele te insulto DE NOVO. É um idiota completo, mesmo!


Anônimo, como ele não vai rebater nenhum dos argumentos, põe a culpa na “edição” do comentário... Não houve edição quase nenhuma!

lola aronovich disse...

Cereja, dá nojo mesmo. E é terrível ter de escutar essas barbaridades de homens com a idade pra serem nossos pais e, às vezes, até avôs. É realmente f***ed up. Infelizmente, não tem como evitar. Só nascendo homem na próxima encarnação mesmo.


Simone, vc não está sozinha! Muitas mulheres (e homens) pensam assim. Que maravilha que vc pôde evoluir, pensar, refletir, e mudar de opinião. Bem que o João podia seguir o seu exemplo. Ha, ele tá insinuando que só vc é honesta aqui. Mas note que ele nem menciona a parte em que vc diz que mudou de opinião. Eu já disse várias vezes, e repito: mesmo sendo feminista desde criancinha, eu caí direitinho em várias armadilhas machistas. Uma delas foi ter achado que o Mike Tyson não estuprou a moça. Eu achei ridículo que uma moça que subiu até seu quarto de hotel de madrugada não soubesse o que iria acontecer. Repeti o mesmo coro dos machistas, fiz piadinhas... Até que vi um documentário vendo o depoimento dela. Aí vi como eu estava sendo estúpida. Ela foi estuprada SIM. Eu posso perfeitamente ir ao quarto de hotel de um cara no meio da noite e ainda assim não querer transar com ele.

lola aronovich disse...

Débora, por que ele não cria um blog só pra ele? Eu sei porquê: é porque ele não tem opiniões de fato. Ele não é a favor de nada, só CONTRA. Contra a esquerda, contra as feministas, contra qualquer coisa mais humanistas. Deve ser uma existência muito vazia essa.


Su, é isso. O cara é um mala total.

lola aronovich disse...

Serge, maravilha, né? Viva a Hillary!


João, ai ai. Seus comentários tinham erros sim. E sabe por que? Porque todo mundo erra. Num post a gente tenta não errar, relê, mas nos comentários, em geral, não. Mas isso é com gente comum. Vc, claro, nunca erra.

lola aronovich disse...

Gabriela, é, eu sei. Realmente vou ter que bloquear. Pensava só em ignorar, mas agora vi que ele só vai ficar esperneando, xingando a galera, e não posso tolerar isso. É mesmo, muita gente leva algumas piadas (como essa da construção) a sério. Melhor parar mesmo. A próxima pérola do João é chamar cada leitora do blog de feia e mal-amada e, os leitores, de gays, imagino (como se fosse insulto...).


João, eu me sinto mal por não falar da tragédia de SC. Mas não saberia o que colocar num post, fora “colabore com a conta tal”. Porque eu não vivi pessoalmente nada que vi na TV, nem conheço ninguém. Claro, pessoalmente estou colaborando, mas não quero ter obrigação de colocar seja o que for no meu blog. Eu tento falar de coisas que me afetam diretamente de alguma forma.
E sobre o caso do cara que tentou beijar uma mulher à força, já escrevi um post sobre isso. Vai ao ar na sexta.

lola aronovich disse...

Chris, pois é, o carinha é muito chato. Não sabe que não tá agradando. Não sei o que ele quer: convencer todo mundo que a gente é que tá errada?


Andrea, Mei, ele não tem como rebater nada. Ele é um disco arranhado, somente. Uma fraude. Ah, vcs estudam juntas?

lola aronovich disse...

Lila, pois é, João, siga o conselho da Lila e comece um blog. Não é difícil. Vc terá alguns seguidores. Aliás, sério: conhece um tal de Aluizio Amorim? Acho que é esse o nome dele. Digite “petralhas e botocudos” no google que ele te leva lá. Vai lá que o cara é um catarinense de extrema direita que só sabe falar mal do Lula. Vc vai se sentir em casa!


Srta. T, é, ele tem várias opções de blogs de gente que concorda com ele, mas quer ser diferente. Quer ter palco. Não quer ser apenas mais um. Pô, João, fique com o Reinaldo Azevedo, com o Diogo Mainardi, com o Olavo de Carvalho. O que vc ganha de satisfação pessoal vindo aqui ser apedrejado?

lola aronovich disse...

Camila, ah, se o João fez vc comentar aqui pela primeira vez, então valeu! Agora que já comentou uma vez, comente sempre, viu?


Alana, que legal saber que vc já escreve tão bem aos 12 anos! Ótimo mesmo. Eu acho o fim que qualquer mulher tenha que ouvir essas grosserias, mas meninas de 10 e 12 anos, olha, eu acho que os agressores deviam ser presos, mesmo. Pra aprender.

lola aronovich disse...

Lila, obrigada por explicar. Voltamos ao conceito de escolha da mulher. Um conceito totalmente abstrato pra gente como o João.


Luiz, tudo bem, eu só soube o que é troll há alguns meses. Essa cantada da cueca é péssima, né? Eu penso: o cara realmente acha que conquista mulher dessa forma? Mas o objetivo não é conquistar. É só intimidar, dizer “tô de olho em vc, gostosona”.

lola aronovich disse...

Puxa, Alana, obrigada mesmo. E comente sempre que quiser, viu?


Ai, Andrea, que raiva que me deu o comentário do João! Fico feliz que vc consiga levar na esportiva. Também, bom, deve ter sido a primeira vez na vida que vc ouve que “não é linda, muito pelo contrário”. Assim até eu.

lola aronovich disse...

Lila, é, eu sei. Mas minha paciência de Jó tá se esgotando. É isso que o João quer, testar meus limites. Ofensas a minha pessoa eu aguento, mas as minhas leitoras e leitores? Assim não é possível. E é bem isso, os argumentos do João são desse nível do “vc é feio, bobo, chato”.


Andrea, eu sei que uma ofensa assim não te ofende mesmo, até porque vc é completamente segura de si. Mas é que esse é apenas um começo. Como eu disse que seria a última vez que responderia ao João, ele vai ficar esperneando, xingando minhas leitoras, pra me fazer reagir. É um doente.

lola aronovich disse...

Srta. T, palmada ou exclusão do blog, é o jeito.


Ju B, tem jeito não, esse cara não vai tomar jeito. Mas gostei muito da sua resposta. Inclusive, já tá na hora de vc e da Andrea serem grandes amigas. Porque são duas pessoas que eu gosto pacas, tá?

lola aronovich disse...

João, há divergências entre as minhas leitoras se vc já é troll faz tempo. Mas este último recado pra Andrea mostrou sim, a que vc veio. É coisa típica de troll. E não me venha falar de democracia. Vc tem saudades da ditadura militar. Os blogs de direita excluem qualquer comentário de quem não pense igualzinho a eles. Vc realmente nao pode dizer que meu blog não é democrático. Eu já dediquei TRÊS posts a vc, João. O que mais vc quer? Sinceramente? É na sua insistência, na sua vontade de aparecer, que vc se torna um troll. O tapa na cara e o desejo pela sua morte são coisas figuradas. Chama-se ironia. Não quero bater em vc, João. Abomino a violência física. Não quero que vc morra. Pelo contário: quero que vc tenha uma vida longa e feliz. Mas dá pra ser longe deste blog? Vc não tem nada a ver com as idéias expressas aqui, já se desentendeu com TODO mundo. Tire umas férias, João. Frequente blogs com os quais vc pode concordar. Eu te peço encarecidamente: vá embora. E só volte quando se comportar melhor, pode ser?

lola aronovich disse...

Srta. T, pois é, não há dúvida: o João é a vítima dessa história!


Cavaca, obrigada pelo seu comentário, sempre muito lúcido. Mas vc se engana: a direita acredita na individualidade das pessoas. Só que também acredita que as pessoas são ruins. É aí que entra o “cada um por si”. E taí, o João até concordou contigo! Pra tudo é uma primeira vez, Cavaca. Vc conseguiu.

lola aronovich disse...

Não, Marj, acho que ele é mais velho que eu. O que é pior que ter 13 anos. Porque ter essa mentalidade aos 13 anos ainda dá a esperança que ele possa mudar. Com, sei lá, 40, 50 anos, fica bem mais difícil. Não, chega, não vamos mais dar ouvidos pra ele. Acho que ele vai se retirar.


Entendo a sua falta de paciência, Ju B. Eu também tô cansada. Aliás, vou dormir, porque já é 1:30 da manhã. E nem respondi os outros comentários dos outros posts, ó vida.

Babs disse...

O João é o tipo de homem que encerra a discussão chamando a mulher de feia ou gorda. A internet devia ter um bloqueio para idade mental menor de 6 anos.

Lola, me chamar de "Babinha" não vai colocar mais bombons na sua caixa...
Bj

Alana D. disse...

Além do mais, nem indivíduos com treze anos de idade são tão estúpidos feito o João.

Uma coisa que me incomoda é a generalização dos adolescentes. Alguns são mesmo enfadonhos, mas quando adultos pressupõem que TODOS eles o são, fazem os que tem o mínimo de bom-senso perderem o ânimo.

Cris disse...

Lolinha!

Ri muito com os comentários do seu bobo da corte.
Porque agora não tem mais conversa, né, é só para a gente rir, eu me recuso a trocar palavras com essa criatura.
Destaque para o fato de ele, que se diz professor de português, não saber o significado da palavra energúmeno.E, lógico, para o fato de não conseguir escrever nada sem dizer "isso é coisa de esquerda".
E falar que as leitoras não são bonitas, ushuhaihaiahiahia...parece um molequinho de seis anos mesmo, sem argumentos, só faltou mostrar a língua.
Esse homem tem problemas, realmente.
Tanta raiva do sexo feminino só pode ser resultado de falta total de sucesso com a mulherada ou
levou um chifre bem grande e revoltou.
Ou sei lá, tem gente que nasce idiota mesmo.

Geladeira nele!

beijão!

Andrea Cristina disse...

Lola,
Pelo visto essa noite não ganhei nenhum fio de cabelo branco, não acrescentei uma ruga sequer de preocupação na cara, e sim, dormi muito bem, obrigada. Aliás, também não tive pesadelo, não acordei com os barulhos dos vizinhos e de “bom dia” ganhei um beijo do meu namorado antes dele sair pra trabalhar. Quer coisa melhor do que isso?

Querida Lola, te agradeço de novo pelo post, e por não só demonstrar apoio a mim (e me render tantos elogios, eu já te disse “menos Lola, menos”) mas por demonstrar apoio e atenção a todos que vem aqui com tanto carinho ler seus post e compartilhar das suas idéias. Sinto-me muito privilegiada por recebermos essa dedicação diária com posts todos os dias atualizados, interessantíssimos e variados; e portanto fazendo parte essencial do nosso dia-a-dia como tomar café e escovar os dentes. E também amo de paixão suas respostas aos comentários (persigo todas, hehe), e o fato de que você poderia estar dormindo ou gastando este tempo contigo, mas está aqui dando atenção aos seus leitores. É muito admirável da sua parte. =)

E voltando lá para a parte em que falei sobre os seus post serem variados. Deu desse assunto, por favor? E olha que não estou querendo mandar na temática do seu blog. Mas é que uma vez que não há debates, nem ouvimos uma opinião madura do autor do guest post, não há motivos para alongarmos a discussão. Ok?

Um grande abraço, Andrea

PS 1 – Obrigada Ju B por confirmar que “eu sou eu mesma”. É muito importante para mim saber que apesar de tudo respeitamos as nossas diferenças. =)

PS 2 – Sim, eu e a Meire estudamos juntas. E foi um prazer conhecê-la esse ano. Uma amiga super doce e muito muito muito artística (Amo as fotos dela, assim como o teu blog).

PS 3 – Sendo assim, as três pessoas que me conhecem pessoalmente neste blog são estas (Lola, Ju B, e Meire). Mas aqui me sinto muito à vontade com todos, não só por poder concordar e discordar mas por ouvir histórias alheias que me ensinam muito. Valeu pessoal, vocês são demais!

Samantha disse...

Ai meu g-zuis. Agora a gente sai na rua pra chamar a atencao dos homens. Claro, na cabe'ca pequena desse energumeno nos somos todas `mulheres frutas` doidas para sair na playboy.

Ah, fa'ca o favor, viu. Eu tenho uma raiva desses seres que acham que tudo gira em torno do falo. Sabe porque sao assim? Porque talvez eles (homens como o Joao) so conhecam as mulheres das revistas masculinas, ainda nao tiveram contato com mulheres de carne e osso. Porque eles sao tao superficiais que acham que tudo gira em torno da aparencia e talvez nunca se aprofundaram em qualquer relacionamento.

João Neto disse...

Lola:

Bem formada como você é deve saber que quem inventou a solidariedade foi o cristianismo através de Paulo. Você diz que não sabe como ajudar seus irmãos da tragédia de Santa Catarina e fica perdendo seu tempo com esse João Neto aqui.

Eu não te culpo. Como você pode ser solidaria se você é uma atéia confessa?
Se você não acredita em Deus, como vai acreditar em Jesus Cristo e conseqüentemente, em seus seguidores e suas filosofias de vida?

O engraçado que você acredita no Lula!!!? e não acredita em Deus. Você acredita na, essa é de doer, Dilma Roussef e não acredita em Deus?

Como você poder falar de moral, se moral é uma coisa da religião?

O Serge Renine, que é uma das pessoas mais sensatas que comentam no seu blog, disse, respondendo a uma pergunta sua se ele era ateu, e ele respondeu, inteligentemente, que “é um ateu graças a Deus"' e você respondeu com ironia dizendo que ele estava perdido, mas que você tinha certeza: Deus não existe.

Realmente não tem como você ser solidaria com seus conterrâneos.

Val disse...

Esse cara é uma piadaaaaa! Parabéns Lola por mostrar que tipo de pessoas temos por perto!

june carter disse...

afff, nao tenho paciencia alguma pra esse joao...

numa boa, joao, vai procurar energumeno no dicionario e depois proveita pra sugerir a editora que, na proxima edicao do dicionario ilustrado, a sua foto apreça ao lado da descricao.

Lila disse...

Aiai. Eu não aguento. João Neto, na Constituição brasileira temos uma "coisa" chamada liberdade de consciência e de crença.
A Lola e todos nós aqui temos direito de seguir quais ideologias e religiões quisermos e até mesmo direito de sermos ateus. Por mais que vocês cristãos reacionários achem o contrário o Brasil é um país laico, não temos religião oficial. E eu nem sou atéia, só pra constar.
Já li a Bíblia inteira e estudo o "cristianismo" e posso dizer que Jesus NÃO CRIOU religião alguma, inclusive ele era judeu. A solidariedade desde a época de Moisés está na Bíblia, desde os 10 mandamentos: "amai ao próximo como a ti mesmo." E o apóstolo Sr. Paulo de Tarso, na minha opinião, era um machista de primeira.
E se vc está tão preocupado com os desabrigados de SC, vai ajudar vc mesmo e nos deixe em paz neste blog, como a Lola e todas as leitoras já pediram.

João Neto disse...

June e outros que estão pensando igual:

Não saber o que é energúmeno foi ironia! Se até você, parece, que sabe, como eu não iria saber?

Lilla:

Você leu a bíblia inteira e não entendeu. Isso é muito normal.

Lila disse...

João, eu entendi perfeitamente para sacar que ela está cheia de mitos, lendas e parábolas. E pare de chamar todo mundo que não concorda com você de burros.

Samantha disse...

Gente, moral tem a ver com religiao? Fala isso para um advogado e ele te mata...rs.
Moral = conjunto de regras para boa convivencia.
Talvez seja por isso q vc nao entenda, Joao. Uma pessoa que chama aquelas q nao concordam com elas de burras, realmente nao pode fazer a minima ideia do que se trata moral.

Bel disse...

Pelamordedeus!!! Agora já deu, né???
Lola, o Haloscan permite comentários anônimos, não cerceia nada. Só dá a liberdade de você ignorar alguém indesejado. A oferta continua!
Beijos!

Cereja disse...

Olha, se alguem aqui leu a Biblia e se sente capaz de dizer que entendeu ela inteira, meus parabens. Resolveu um dos maiores misterios e polemicas da humanidade.

Cada um tem direito a ter a sua opiniao, se o Joao acha que quem discorda com ele e' burro, deixa ele, e que ele nos deixe tambem. Achei a frase da Lola otima, deixa o assunto deitar no acostamento que o resto acontece naturalmente.

Anônimo disse...

se pra ser solidário é necessário ser cristão, como fica a parábola do bom samaritano?

Ju R. disse...

sou atéia e me senti um monstro. nem vou dormir. ai ai...

sério, acho que a bíblia (alcorão, etc.) deveria vir com aviso na capa dizendo: "obra de ficção de conteúdo explícito, passagens de incesto, genocídio, violação de direitos humanos. seu uso prolongado pode causar demência, fanatismo, alucinações, etc. também serve como peso de porta".

por que tem que meter deus em tudo que é buraco? que saco, viu?

marjorierodrigues disse...

hahaha Claaaaro, João, A Lilla não entendeu nada. Afinal, a bíblia é um negócio super objetivo, escrito em linguagem referencial e não dá margem a múltiplas interpretações. Logo, ou você "entendeu" ou "não entendeu".

Ai, eu me divirto.

É tudo falta de deus na vida da gente, pessoal. Nós (que nos tratamos com respeito e não insinuamos que os outros são burros, feios ou estão pedindo para ser agredidos ou estuprados) é que somos uns desumanos, sem amor ao próximo, afinal não acreditamos em deus. Aham. Tá.

Esse cara tem os conceitos todos tortos.

cavaca disse...

João Neto freak-me out!!

Anne disse...

Vou dizer uma coisa pra "encerrar" esse assunto, tá?! Viu Lola, a última palavra agora é minha: Esse João não fala sério, gente. Na verdade é um humorista.
Beijos Lola,
=^.^=

Analy disse...

Lola, esse é apenas meu segundo comentário no seu blog, e eu me propus a jamais comentar em qquer post dirigido a este Sr Joao Neto (pq nao bato palma pra louco dancar MESMO), mas te peco: Aceite logo a oferta da Bel e de uma cerceada sim no tipo de comentário q vc aceita. Democracia é bom demais, mas falta de respeito e arrogancia nao cabem em lugar nenhum.

Como crista eu tenho q dizer q o Sr Joao Neto faz um desfavor imenso a todos os cristaos q levam a sério os ensinamentos de Jesus. Sao tipos como este senhor q fazem do cristianismo algo distorcido, cruel, mais um dos inúmeros joguetes político pra mover as massas, mais uma arma politica e social pra justificar o absurdo.

Acreditem-me, nem todo cristao é tacanho e limitado dessa maneira.

Abraco Lola, adoro seu blog.

lola aronovich disse...

Ô, Babs, o Babinha não rendeu nem um bombonzinho a mais? Tanto esforço pra nada! Chuif.


Alana, não são não, vc tem razão. Eu mesma conheço vários adolescentes inteligentes, gente fina. É chato generalizar, e muitas vezes eu faço isso, eu sei.

lola aronovich disse...

Cris, é, ele adota muitas atitudes infantis, com todo o respeito às crianças. Mas isso de xingar quem discorde dele de feia, chata e burra realmente parece do jardim de infância. Note como as únicas pessoas “sensatas” no meu blog, segundo ele, são dois homens, Serge e Cavaca. É problema com mulher sim, com não se adaptar às mudanças dos papéis da mulher no mundo.


Andrea, puxa, vc dormiu bem? Que bom! Confesso que dormi muito mal esta noite. Não por causa do João, mas porque minha barriga tava super inchada. Demorei um tempão pra pegar no sono, o que é incomum pra mim. E concordo, claro, deu deste assunto chamado João. Cansamos todas.
Ahá, vou conhecer a Meire pessoalmente semana que vem! Que emoção! E ela ainda vai fazer torta de espinafre e tirar fotos!

lola aronovich disse...

Samantha, sem dúvida o João divide as mulheres do mundo em mulheres “direitas” (sua mãe, mulher e filhas) e... o resto. Nós somos o resto. Não somos dignas de respeito.


João, fala sério: vc achou que o assunto tava perdendo o gás e decidiu introduzir mais lenha na fogueira, né? Agora vem tem a cara de pau de me dizer que eu não sou solidária, não tenho humanidade nem moral, e tudo isso porque eu sou atéia?! Respeito as religiões, e tenho o direito de não ter a minha. A gente está numa democracia. É absurdo supor que pessoas sem religião e atéias são imorais e/ou amorais. Temos nossos valores, só que não são os religiosos. E sinto-lhe dizer que vc, com a sua falta de respeito e empatia, faz péssima propaganda da moral passada pela religião.
Ah, e vc tem enorme dificuldade pra entender ironia, se é isso que vc achou que eu disse ao Serge.

lola aronovich disse...

Val, é até perigoso saber , não é?


June, gostei da sua sugestão pro dicionário ilustrado. Mas não fale assim ou ele vai te chamar de bobona e feia.

lola aronovich disse...

Lila, não adianta discutir com o energúmeno. No meu último comentário pra ele, ontem, tentei ser bem educada, mas não funciona. Ele está sempre 100% certo, e todas nós 100% erradas. É só isso que precisamos saber. Não há motivo pra se discutir com um cara desses.


Samantha, a única moral que o João conhece é daquela das saudosas aulas de Eduacação Moral e Cívica.

lola aronovich disse...

Bel, ai ai, vou pensar no assunto com carinho, juro. Porque tá dando nos nervos sim, admito.


Cereja, anônimo, Ju R, Marj, talvez devessem lançar uma edição especial da bíblia, o Evangelho segundo João Neto, ou algo assim. Já que a única interpretação possível é a dele.


Cavaca, yeah, me too.

lola aronovich disse...

Anne, só pode ser um humorista. Ele não pode estar falando sério!


Pois é, Analy, acho que terei mesmo que moderar comentários. Concordo com tudo que vc diz. Mas ó, tá cheio de post por aqui que não tem nada a ver com o louco dançando. Comente nesses outros tb, tá?

Wilson disse...

Boaaaa!!!
HUahauahuahau

abraço, você escreve muito bem!

Mei disse...

só pra constar....eu adoro fotografar a Andréa porque ela sai linda em todas as fotos, até nas que ficam ruins!!!!
^_^

Mei disse...

ah, e vou fazer fotos de Lola também na próxima semana.... ^_^

e quem quiser me contratar é só dizer, só não faço fotos do João por questões de princípio!! hahahaha

lola aronovich disse...

Que bom que vc gostou, Wilson!


Mei, pois é, vc vai fazer as minhas fotos semana que vem. Não pense que terá a mesma moleza que tem ao fotografar a Andrea, tá? No meu caso, vc vai ter que suar muito pra mostrar seu talento!

Mei disse...

nem esquenta...bota um Avon na cara e deixa comigo!

Chris disse...

Zênti... isso aqui não tem fim!

João, eu confesso que me prometi não gastar meus dois neurônios com você - óbvio, por ser mulher, ficar ofendida com comentários toscos e defender a liberdade de expressão, só devo ter dois neurônios, mas, cara, não dá!

O que religião tem a ver com tudo isso aqui? E, caraleo, a única maneira de ajudar os desabrigados é colocando um post num blog? Por bem mais frequentado que seja, não é a melhor ferramenta, convenhamos. O que também não vem ao caso, convenhamos.

Cara, por favor, deixe este blog e seus leitores em paz. Ou melhor ainda, crie teu próprio blog e nos mande o endereço para que possamos enriquecê-lo com nossos comentários de 'esquerda-direita', farô?

Lola, beijos, também rezo muito para que o mundo dê uma mudadinha só, até a Ciça crescer.

Serge Renine disse...

JuR.

Eu gosto muito da foto da pimenta do seu perfil.

Gostei do que disse abaixo também. É muito inteligente e corajoso.

"sério, acho que a bíblia (alcorão, etc.) deveria vir com aviso na capa dizendo": "obra de ficção de conteúdo explícito, passagens de incesto, genocídio, violação de direitos humanos. seu uso prolongado pode causar demência, fanatismo, alucinações, etc. também serve como peso de porta".

Lila disse...

Nossa Serge, vc elogiando assim a Ju R vai deixar de ser o ídolo do João ;)

Serge Renine disse...

O João não existe Lila.

Lila disse...

Se ele é assim de verdade ou se é só um personagem p/ encher o saco dos outros e chamar atenção, eu não sei. Mas bem que ele podia tomar um chá de sumiço sim.

iaeeee disse...

Que cara mais ridículo, o pior que volta e meia aparece um mané desses para falar besteira,e eles nos fazem pensar que o mundo não tem jeito, e que todas as pessoas são podres por dentro. Não devemos nunca baixar nossa cabeça. Louvável sua atitude.

cavaca disse...

O PESSOAL E LOLA, vamos voltar para a realidade. Deixem o João pra lá, ele já teve seus quinze minutos de fama. Me desculpe Lola, mas chegamos no ponto, nada se pode acrescentar daqui para a frente...a não ser palavras ao vento.
Como algumas comentaristas aqui já disseram, não falo mais nada que tenha a ver com o João. Mulheres, nem todos nós homens somos assim, vcs sabem disso, eu até pensei que o João tava aqui insistindo para buscar uma certa compreensão, mas quando meteu a religião no meio percebi que eles está brincando conosco.

Suzana Elvas disse...

Serge;

O Alcorão é um dos mais belos livros que se pode ler. Mais do que a Bíblia, tem passagens belíssimas sobre amor, compreensão, amizade, família. Jesus e Maria são citados nele, assim com alguns anjos.

Na Idade Média, cristãos e judeus eram protegidos nos domínios do Islã, como na Espanha. Os dois povos eram conhecidos como "povos do Livro" - porque são citados no Alcorão ao professarem a fé no mesmo Deus (o Deus das três religiões é o mesmo).

O Alcorão nos ensina os Sete Pilares do Islamismo:

Confissão de fé:
"Não há Deus além de Allah, e Maomé é seu profeta."

Ritual de oração:
Observado cinco vezes ao dia; ora-se voltado para Meca (a quinta oração, se não me falha a memória, é dedicada a Jesus).

Caridade:
A Zakat ou taxa de purificação (aproximadamente 2,5% dos bens de alguém) para os pobres.

Jejum:
Observado durante o mês do Ramadã.

Peregrinação:
Todo muçulmano, homem e mulher, caso tenha condição, deve fazer ao menos uma peregrinação, ou hajj, a Meca durante a sua vida.

Todo mundo deveria ler o Alcorão - garanto que a surpresa ia ser imensa.

Andrea Cristina disse...

"Ahá, vou conhecer a Meire pessoalmente semana que vem! Que emoção! E ela ainda vai fazer torta de espinafre e tirar fotos!"

Olá Lola,

Vc vem para Floripa semana que vem?
Quer fazer uma visita para sua stalker aqui?

Abs, Andrea

Serge Renine disse...

SUZANA:

EU JÁ LI A BIBLIA, MAS NÃO LI O ALCORÃO. CONFESSO QUE COM O POUCO QUE JA VI NÃO GOSTO DA FILOSOFIA DELE. SABE, O MÁRMORE DO INFERNO, O PARAISO COM AS VIRGENS, ETC. DESCULPE, POR IGNORÂNCIA ESTOU PARAFRASEANDO E POSSO ESTAR FALANDO UMA IDIOTICE.

lola aronovich disse...

Chris, acho que o João só está me criticando por não falar dos desabrigados nas enchentes catarinenses porque ele sabe que tá tocando na ferida. É que eu comentei no blog do Alexnadre, o Pense Nisso, de eu me sentir mal por não escrever um post sobre isso. Mas é o seguinte: fora eu colocar o número de algumas contas pra contribuir, eu não teria mais o que dizer. E não quero fazer posts assim. Os posts têm que ter alguma conexão comigo, de alguma forma. Eu moro em SC, mas Joinville não sofreu tanto quanto Blumenau e Itajaí. Quer dizer, alguns bairros ficaram alagados aqui, mas a verdade é que são sempre os mesmos. O jornal A Noticia pegou uma tese de mestrado e fez um levantamento das enchentes em Joinville, de 1890 pra cá. TODO ANO teve enchente, sem exceção! O que prova que é preciso fazer algo urgente, tirar as pessoas desses bairros, porque senão é só esperar pra próxima tragédia no ano que vem. Claro que Blumenau teve sua pior tragédia desde 83, e Itajaí, em toda a sua história. E eu me solidarizo com o pessoal dessas cidades e estou fazendo o que posso, individualmente. Mas eu sei tanto sobre o que houve lá quanto qualquer outra pessoa. Tenho amigos em Blumenau, mas eles tiveram a sorte de não serem atingidos. Se algum leitor(a) tivesse me enviado um guest post sobre a situação (que foi o gancho que o Alexandre encontrou pra falar sobre o assunto), eu publicaria com o maior prazer na mesma hora. Mas não veio nada.
E, sei lá, eu não considero este blog exatamente um blog de atualidades. Eu não gosto nem de falar em “datas especiais”, por exemplo. Agora, dizer que só porque eu não falei em tal assunto significa que eu não sou solidária ou humanitária (por ser atéia) é muita ignorância. E preconceito.

lola aronovich disse...

Mei, Avon... Avon... Eu já ouvi falar. Hmm, estou sem batom nenhum. Só uso protetor pros lábios, manteiga de cacau, essas coisas. Serve?


Serge, gostei do aviso da Ju também.

lola aronovich disse...

Lila, e vc tome cuidado tb, ou senão será a próxima chamada de feia, chata e bobona.



Serge, como assim, não existe? Quem é essa pessoa, então? O Santiago? Algum troll existe.

lola aronovich disse...

Tomara que ele suma, Lila. Mas acho que ele só vai voltar com outro nome.


Iaeee, mas sabe, por enquanto, aqui no blog, eu tenho dado muita sorte. Não tem aparecido muitos trolls, só o Santiago e o João, que a gente acredita ser a mesma pessoa mesmo.

lola aronovich disse...

Cavaca, concordo que a gente deve deixar o João pra lá. Só não acho que ele queria compreensão. Ele queria só provocar mesmo. E quando ele citou religião deu mais um exemplo de que “vale tudo” pra revoltar a gente.


Su, mas o que a Ju R quis dizer, e o Serge concordou, e eu concordo tb, é que seria bom pra todo o planeta se esses livros religiosos fossem vistos como obras de ficção, não como a palavra de Deus. Livros que permitem inúmeras interpretações - como todos os livros. Livros que não possuem a Verdade Absoluta. Como não é assim, a sugestão de advertência da Ju faz sentido. E o Alcorão tem sido tão mal interpretado, ou interpretado para o mal, como a Bíblia. E eu cansei de escrever esses livros com letra maiúscula.

Lila disse...

Eu nunca li o Alcorão. Tenho que dizer que o Tao é líndissimo. Intepretar a Cabala é muito interessante. Gostei do pouco que li do Bhagavad Gita e o Budismo é mais uma filosofia de vida que uma religião.
Concordo com a Lola, o problema não é bem os "livros sagrados"* e sim o que fanáticos e opressores fazem da religião que derivam deles.
* Exceto grande parte do Velho Testamento que acho um horror, mesmo com todo o contexto histórico.

Suzana Elvas disse...

Lola, o problema não é esses livros serem vistos como palavra de Deus. O problema é você IMPOR ao seu vizinho que ele também leia, aceite e jamais questione.

Se minha vizinha acredita que beber xixi faz bem pra saúde - que bom pra ela. Mas se ela sequer pensar em empurrar isso aos filhos... então eu chamo a assistente social.

O problema é que as pessoas não sabem mais o que é LIVRE-ARBÍTRIO. Quando minhas filhas me perguntam se podem-alguma-coisa (do tipo, "Mas mãe, eu posso pegar uma pera no mercado e comer sem pagar?") eu respondo sempre que a gente pode tudo. Eu posso sair de casa com aquele facão de churrasco e, quando saltar do táxi, enfiar o dito no pescoço do motorista. Posso, né? Quem vai me impedir? Eu não DEVO, porque tudo o que fazemos tem conseqüências, e a conseqüência de matar uma pessoa é ser preso e passar o resto da vida sem ver quem eu amo.

Você pode acreditar piamente que ao morrer vai para o céu com 79 virgens. Contanto que não obrigue seu vizinho judeu ortodoxo a acreditar na mesma coisa - nem o despreze porque ele diz que católicos são ignorantes ao achar que Jesus foi mais um profeta, e não o Filho de Deus.

Suzana Elvas disse...

Um dos livros mais interessantes que eu li na vida chama-se "Deus - Uma biografia", de Jack Miles, da Companhia das Letras. Ali você vê como a Bíblia diverge quanto à figura de Deus - ora ele é amoroso, ora vingativo, ora comporta-se como mulher traída, ora como menino birrento, ora sabiamente, ora como chefe de Estado.
Recomendo.

lola aronovich disse...

Andrea, claro, vamos nos encontrar sim! Ainda estou meio perdida sobre que dia vou praí, mas já já te aviso, ok?


Serge, é, pra te falar bem a verdade, não tenho vontade nenhuma de ler o alcorão. Ou de reler a bíblia.

lola aronovich disse...

Lila, é, eu definitivamente não tenho um lado espiritual. Não acredito em nada. Nem horóscopo. Mas eu ainda acredito que a maior parte das pessoas é boa (ao contrário do pessoal de direita, que acredita que todo mundo é ruim e que o mundo é uma selva).


Su, ahn, o exemplo do xixi tudo bem, eu concordo, é livre arbítrio. Nesse caso a pessoa só está se machucando a si mesma. Mas a de matar o motorista de táxi... Aí não, né? Porque aí vc está interferindo no livre-arbítrio dele. Não é só pelo temor das consequências que a gente deve respeitar os demais, certo? E quanto a acreditar piamente que um livro é a palavra de deus, isso fomenta demais a intolerância. É aquele negócio de “se deus está comigo, quem vai estar contra mim?”.
E Su, esse livro parece interessante, mas que deus varia demais dependendo do pedaço da bíblia (e da interpretação de quem lê cada pedaço), bom, isso é bastante conhecido, né?

Gi disse...

Olha, ontem eu saí à rua com uma saia de tecido leve de cor preta comprimento até o joelho. Top/blusa laranja. Vivo no Rio e isso não é suficiente. Às vezes, seria melhor andar nua ou de sarongue. Acontece que o primeiro é proibido e o segundo é feinho pacas. Daí, passou um desses "cinquentões" e disse "aquelas coisas". Eu gosto. Na hora fico até "meio assim", mas eu adoro.

Não sou João, nem Joana, nem troll (todo mundo é ou já foi um dia), mas discordo da mulherada. E sensualidade é uma coisa engraçadíssima; impressionante como não tem a ver com roupa. Muitas vezes me visto como evangélica e nem assim me livro dos comentários.

Acho essas falas superhipersexuais, apenas isso. Nada demais. Estupradores de plantão não falam "tesãosinho", ai bo...

Sobre ser esquerda e direita, nem sei se tenho grupos hoje em dia.

Quanto ao moço polêmico: acho que você deu crédito demais e fez justamente o que ele queria: que você desse inúmeras justificativas. Só faltava mostrar o contra-cheque. Lola, deixa pra lá e responda sem comentários pessoais, ainda que ele tente desqualificar seus títulos, seu trabalho.

Para o "moço polêmico": eu o-deio trabalhar. Viva as "do lar"! Nunca trabalhei muito e se meu pai não tivesse me deixado metade de um apartamento e se não fosse essa pessoa precavida que sou, estaria ferrada. Caço um marido rico, isso sim! Mas me apaixono.. é fogo.. ai ai.. ;-)) Bjs

Gi disse...

Acho hilário esse lance de "lado espiritual" que tem no Orkut. Dá vontade de saber: e o outro, é oco? hehe

Lolita, horóscopo não é Astrologia eAstrologia não tem nada a ver com o estudo da espiritualidade. ;-) Gostar ou não gostar aí são outros quinhentos.

Gi disse...

Falaram sobre Alcorão aí: recebi de presente um traduzido em português (meu ex-namorado-que-ainda-me-caça-depois-de-ter-me-ferrado é muçulmano) e confesso que é bonito sim, mas sacal. A Bíblia é mais interessante. Acabei guardando a dedicatória mas o dito cuoj foi doado - pra quem tiver paciência!

Gi disse...

Cantada bonitinha de "derreter plástico de cueca" é puro eufemismo e coisa pra quem tá a fim de ser cortejada, quem tá carente e não faz questão de uma boa tr... ops, tem crianças ,assistindo! ;-) Olha, essa sou eu. Cada qual com seu cada qual. Esses negócios de "poderia me dar uma informação? qual o caminho para o seu coração" ou "não sabia que boneca andava e falava" servem pra arrancar sorrisos, coisas românticas. Como dizia Margueritte Duras "a ternura supõe a exclusão do desejo".

"Se não se passou pela obrigação absoluta de obedecer ao desejo do corpo, isto é,
se não se passou pela paixão, nada se pode fazer na vida."
(Marguerite Duras)

Giovanni Gouveia disse...

Gi, diz a um mulçumano (mais) ortodoxo que leu um "corão traduzido" que ele vai dizer, "então você não leu o corão"...

Giovanni Gouveia disse...

à citação de Duras, Gi, some-se a de Vinicius de Moraes:

"Quem já passou por esta vida, e não viveu,
pode ser mais, mas sabe menos do que eu,
POrque a vida só se dá pra quem viveu,
Pra quem amou, pra quem chorou pra quem sofreu."

João Neto disse...

Lola;

A Gi, depois de mais de 160 (que recorde; esse vai ser dificil quebrar) comentários redimui numa tacada tods os hipócirtas.

Parabéns Gi!

João Neto disse...

Correção: foi a pressa e a emoção!

redimiu numa tacada todos os hipócritas.

Lila disse...

Puts, será que não dá pra entender que o fato de UMA mulher gostar, não significa que todas gostem? Aff

lola aronovich disse...

Gi, que bom que vc gosta de receber cantadas na rua, e que vc vive num mundo em que esse tipo de comportamento nunca está em falta. A maior parte das mulheres não gosta. Seria ótimo se os caras tivessem um radar pra detectar quem gosta, e só direcionar essas baixarias pra elas. Como não têm, direcionam pra todas, agredindo a maioria (porque, pra quem não gosta, é uma agressão). E eu não sei bem o que um estuprador diz pra uma vítima em potencial.
E esse seu trecho aqui tá bem confuso: “Cantada bonitinha de 'derreter plástico de cueca' é puro eufemismo e coisa pra quem tá a fim de ser cortejada, quem tá carente”. Quem tá fazendo a cantada é quem tá a fim de ser cortejado e quem tá carente? Como ele sabe o que uma mulher estranha quer ouvir? E se ele notar que a mulher não quer ouvir, ele não fala?
Gi, vc constantemente diz coisas das quais eu discordo. As mais recentes foram que feminista de verdade não deveria ter um homem pra amar e que relações sexuais que a mulher topa sem estar com vontade são estupros. E em quase todos seus comentários sua inclinação política fica clara. Mas tudo bem, aqui há amplo espaço pra gente que discorda da maioria dos comentaristas (e de mim), e vc não é uma troll, e nem acho esses seus últimos comentários aqui errados (embora a gente saiba que farão o João eufórico). Tampouco acho que todos nós já fomos trolls. Há diferenças em como discordamos das pessoas, e o grau de insistência com que discordamos. É essa repetição do João (e do Santiago antes dele), essa obsessão, e, lógico, essa falta de educação, que faz dele um troll.


João, eu sabia que vc ia vibrar com o comentário da Gi. Porque, pra vc, tudo bem ignorar todos os outros 170 comentários e concentrar-se apenas no que te interessa. O coment da Gi não prova nada. Há mulheres que gostam de cantadas - isso tá no post. O que é totalmente diferente de dizer que porque algumas gostam, todas adoram. Mas vc sabe disso muito bem. Ninguém pode ser tão burro. Mais uma vez, seu coment foi coisa de troll, porque vc insinua que todas as leitoras que escreveram dizendo como odeiam cantadas são hipócritas e mentirosas. Só a que gosta está sendo honesta. Isso é altamente ofensivo com todo mundo que comentou.
E não entendo por que vc fica tão orgulhoso do número de coments. Vc deve ter notado que todos são contra vc, se bem que, na sua lógica torpe, como todos mentem, no fundo estão te aplaudindo, é isso? E por que eu ainda gasto meu tempo respondendo as asneiras que vc diz?

Lila disse...

Lola, isso de chamar as pessoas de hipócritas e mentirosas não só é ofensivo como é crime. E são dois crimes: injúria e difamação. E mais: além do processo criminal, cabe também indenização contra as ofensas proferidas.

Sarah Franco disse...

apoiada Lola!!!

em Portugal felizmente houve mudanças nas leis e este comportamento passou a ser considerado crime.

o problema é ter testemunhas. ainda outro dia isto me aconteceu, mas não havia mais ninguém por perto, mas se houvesse teria chamado a polícia!

João Neto disse...

Lola:

Por favor, me permita registrar uma correção. Eu não chamei todas as outras 160 pessoas que comentaram neste blog de hipócritas. Eu fui bem claro "depois de mais de 160 comentários redimiu numa tacada todos os hipócritas", fica óbvio que estou falando dos hipócritas, de quem comentou de uma forma e pensa de outra. Eu sei que muitas pessoas que comentaram aqui pensa exatamente o que declararam e não estão apenas querendo agradar.

Faca sossegada que não vou mais te incomodar.

João Neto disse...

Lola; desculpe, mas esqueci.

Os mais de 170 comentário são contra mim, mas são a seu favor e isso é o que importa.

Gi disse...

Com certeza, Giovanni. Por isso eu disse, ANTES DE TUDO, que li o raio do livro traduzido. Mas que é chato é... E olha que sou uma tremenda defensora quando o mundo ataca os muçulmanos. ;-) Sobre Vinícius, adoro ele e sua volubilidade tremendamente mal-interpretada. Não falava de amor, Giovanni, falei de "trepar em árvores que dão conas ou mangalhos"; é bem diferente. Só que as mulheres (e alguns homens) não sabem separar e, o que é pior, não admitem ser possível que uma mulher nessa vida transe por transar, transe também por amor, paixão ou sei lá o quê. Meu mundo não é um mundo onde só um tipo de opinião, pensamento e filosofia bastam. Por isso , vivi plenamente minha vida. E se eu morrer agorinha, estarei satisfeita, apesar de não ter filhs ainda.
;-)))

Lola, vivo no Rio! ;-) Homens "praticando monsieur onan" no ônibus é bem pior do que "vou te lamber". E para o primeiro nunca vi mulher nenhuma chamar polícia, se queixar. Outro dia você fez um post muito lúcido a respeito dos perigos que enfrentamos na vida por ser mulheres. Adorei esse post, verdadeiríssimo, mas não é por causa dele que eu vou chegar aqui e fingir que não gosto lá bem no meu íntimo de ouvir uma cantada considerada chulae grotesca por 99% das mulheres. Como eu disse, cada um na sua e não quis defender ninguém e também acho que "obsessão por ser polêmico" também é chato. Eu já fui assim, mas também já recebi muita patada no meu blog e nos blogs alheios por pensar diferente da maioria. E fora que é o maior saco isso de "vou processar". Pra esses, meu sonoro "ai... ufffff meus sais!" Pessoas sem problemas cotidianos, sem perdas na vida. Vai ter tempo assim a China.

Adorei a idéia do radar, aliás isso é uma constante nas feministas: desejos impossíveis.
;-) Eu vivo no mundo real. Que é real pra mim. Respeito os outros e suas visões.

Eu também não faço a mínima idéia sobre o que o estuprador diz pra uma vítima em potencial, mas com certeza ele não sai falando "gostosa" na rua. ;-)))

Explicando: “Cantada bonitinha de 'derreter plástico de cueca' é puro eufemismo e coisa pra quem tá a fim de ser cortejada, quem tá carente”. Quem recebe a cantada, voilà.

Respondendo às 3 questões:

- ele não sabe o que uma mulher estranha quer ouvir. Apenas diz. É o instinto!

- não, ele fala. Fala e sempre. Especialmente, a classe mais baixa cuja compensasão para as frustrações do pouco poder material encontra-se sempre no domínio do outro através de casamentos, filhos toda hora e cantadas também. Quando ele diz "gostosa", ele se apropria do corpo da mulher sem tocá-la. Nenhum que me disse essas coisas se aprximou até hoje. E se bobear, se eu fosse em cima no maior estilo "Dama do Lotação" era bem capaz do cara fugir e me desacreditar na hora.

Eu digo muitas coisas as quais meu namorado discorda e ainda diz que não posso "entrar em contradição", nem "dizer tais coisas", nem posso "ser controversa", digo coisas que muita gente discorda (especialmente as mulheres) e outras tantam concordam e assim é a vida.

Minha inclinação política fica clara nos meus comentários? Não tenho inclinações políticas. Tenho vivência. Falo sobre o que já vivi e percebi do mundo. Pode ser que amanhã eu mude de idéia. Por enquanto, é isso. Se você conseguiu me definir rapidamente assim então vou começar a fazer análise por aqui. ;-))

Realmente, o troll se configura pela insistência. É vero.

Lola, longe, bem longe de mim querer provar algo. Que eu desejo chacoalhar um pouco, ah eu desejo. Não tem graça a gente comentar em blogs onde concordamos com tudo. Tenho amigos por aqui que nem escrevem sobre isso! ;-))

Acho simplesmente que deveríamos respeitar a opinião dos outros. Claro, se a pessoa faltar com respeito, merece uma resposta à altura, mas o problema da maioria dos blogs é isso. Frequento "esse mundo" faz um tempo e a maioria tem urticária quando alguém dicorda de um grupo e tenta manipular o grupo pra execrar o que pensa diferente. Não falo que você fez isso! Apenas, apesar de gostar de algumas pessoas que fazem isso, considero injustíssima tal ação, porque atrás desse comportamento existe sadismo derivado de insegurança e desejo incontrolável de ser aceito.

O mundo é feito de opiniões e diferença entre visões.

Gi disse...

Consertando: "em relação, ou contra o primeiro nunca vi mulher se queixar na rua ou entre amigos".

Gi disse...

A propósito, acho que o Freud dizia "contra elogios somos impotentes". Quando eu discordo, todo mundo vê! ;-))

Serge Renine disse...

Gi:

Você, ao contrario do João Neto, é uma pessoal real, com opnião e dentro da realidade.

Fiquei impressionado com a força da sua personalidade.

Ficar de um lado, quando todos estão do outro é pra poucos.

lola aronovich disse...

Gi, imagina, não é pra fingir que não gosta de levar cantada. É pra ser sincera mesmo. É até bom que alguém tenha se manifestado a favor.
Agora, instinto? Vc falou instinto? Homem canta mulher por instinto? Então vc acredita em todas essas teorias primitivas de por que os homens são diferentes das mulheres?
A classe mais baixa mudou, Gi. Isso de filhos a toda hora não é mais tão comum. Lembre-se que hoje a média de filhos por casal no Brasil é de apenas 1.8. Se classe baixa tivesse 6 filhos por casal, como tinha antes, a média não teria caído tanto.
Todo mundo tem inclinações políticas, Gi. Tudo que a gente diz é político, de uma forma ou de outra. A nossa vivência é política. E claro, aqui as pessoas comentam sobre o que querem, concordando e discordando. Desculpa responder correndo, mas estou morrendo de sono e sem tempo nenhum.

La Mamacita disse...

Gi,
Gostei de seu jeito meio Camille Paglia de ficar contra todos os comentários e todas as certezas. É por ai que valoro liberdade. Se for com respeito pela opinião do outro e sem ofender ninguém, cada qual é cada um. Pronto. Mas também, repara na inconseqüência da Paglia: ela vive se contradizendo, sendo sempre do contra, não importa do que. Um tanto incoerente, né? Paglia não seria meu modelo pra pensamento. Pra comportamento, talvez. Nelly

Anônimo disse...

Não sei se o termo se enquadra aqui mas tenho a impressão que a Gi
quebrou um certo maniqueísmo ao dizer que gosta de cantadas.
Gosto de discussões que explorem vários vieses do tema, e talvez aqui, venha minha admiração pelo olhar de 360 graus das corujas.
Certamente a libido de cada pessoa
desperta das mais variadas formas.
Acho um charme homens tímidos, porém, os que não tem conversa são chatos.
Acho abusados os folgados que falam
coisas chulas mas adoro os que são capazes de me fazer rir.Talvez a Gio tenha razão quando diz que homem capaz de violência não a anuncia com cantadas. O tipo estuprador é o pior que possa existir. São os mal resolvidos, covardões, piores do que feras porque além da falta dos
conceitos básicos da civilidade, não
tem nenhuma noção de fraternidade, nenhum instinto de proteção da fêmea. No mínimo o que se espera do macho é que ele queira nos proteger. Quanto à Camille Paglia (concordo com Nelly), ela é cotroversa. Há muitos anos comprei dela "Personas Sexuais". A Camille esteve no Brasil na época que o técnico de futebol Luxemburgo foi processado por uma manicure. Ele teria "avançado o sinal", digamos assim. Pois a Camille o elogiou.
Até compreendi o ponto de vista dela, Camille tem um pouco da filósofa coruja. Mas ainda penso que cada país tem seu jeito, quando se fala de desejo e trato nas relações entre homens e mulheres. É claro que nesse item: "particularidades culturais de normas do cortejamento e respeito pelo feminino" há umas coisas que não dá para aceitar como por exemplo aqueles povos que
tem como ritual de cultura, retirar parte da vulva das adolescentes. Mas, a respeito dessa barbaridade, há quem diga aqui no Brasil: respeitemos a cultura deles! Pois é, acho que o debate valeu muito e eu tinha algo a dizer lá no post da Lola sexóloga mas agora deu um branco.
Coisa do HD, talvez uma queda de energia, depois volta.
Vou ler mais um pouco de:"Mulheres que correm com lobos". Fatima.

La Mamacita disse...

Fá, ta certa. Bom debate é aquele que deixa espaço pra todas as opiniões. Tinha esquecido o passo da Camille Paglia pelo Brasil. Entre tantas abobrinhas que ela falou e que não ficam na minha memória, concordo com ela com respeito à Daniela Mercury: um arraso. Adoro. Nelly

La Mamacita disse...

Gente, eu não entendi a piada de "derreter plástico de cueca" !Quer dizer, tem cueca com plástico, como as fraldas de nenem? Please, esclarecimentos. (Tó por fora da moda em cuecas, mas antes eram de seda, ne, ou de algodão. De plástico nunca vi ) Nelly

Gi disse...

hihi Mamacita, nem eu entendi isso, mas acabei repetindo. Se disser o que imaginei... ;-)

Lola, também acho que fazemos política toda hora nas nossas vidas mas não a ponto de definir direções. Não no meu caso. Sou muito múltipla pra isso.

Não sei a que você se refere como "teorias primitivas" nem com relação somente aos homens, nem com relação somente às mulheres. No entanto, os homens, pela condição anatômica expõem com mais facilidade a sexualidade e muitas vezes a verbalizam e a cantada "chula" seria uma forma de mostrar um certo poder, uma certa masculinidade sem ferir ninguém.

Voltando às diferenças entre mulheres e homens. Considero-me um homem em várias atitudes e mulher em outras. Exemplo: adoro filmes pornôs, revistas pornôs, revistas de mulher pelada, sou "meio bissexual" (se é que há um meio), nunca vivi com um homem mais do que 7 meses na vida, não me casei, sempre fui volúvel, tenho um namorado, estamos juntos faz um ano, fui criada pelo meu pai desde os 9 anos, já tive muitos casos, ficadas, namorados, fui pra França sozinha, me virei sozinha, já viajei muito sozinha, adoraria poder ganhar muita grana somente trabalhando direitinho, adoro ser livre e sair por aí, mas...

sou gueixa pra caramba, quero ter um filho, tenho 33 anos e nunca quis casar, mas agora até que seria legal, sonho que me sustentem um pouco sem eu deixar de ter "uma atividade" mas sem ter de ficar preocupada com contas todo dia, toda hora; odeio trabalhar todo dia, no mesmo lugar e só fiz isso parcos 9 meses na vida, e sou muito feminina.

Tenho nuances consideradas de mulher e nuances consideradas de homem. O problema é que na vida real esse negócio de nuance não existe muito. Ou é ou não é. A diferença de gêneros sempre vai existir, por mais que fiquem nessa chatice de "aquarius" e por mais que se lute pra acabar isso tudo. Direitos não devem se confundidos com cotidiano, com a vida ali diária. Já cheguei a ler nos blogs post onde a autora se chocava com a separação de vagões nos trens da Central, no Rio. É triste, mas vai fazer o quê? Colocar os caras em fila e enfiar goela a dentro o respeito ao corpo do outro, ao espaço do outro?

Por mim, a diferença (aquela saudável, que não rebaixa nem o homem e nem a mulher) sempre vai existir, porque sem ela não é permitido aquele encaixe, ao menos no que concerne homens e mulheres e não vaginas com vaginas e pênis com pênis.

O que falei da classe baixa se aplica totalmente à cidade onde sempre vivi, onde nasci: Rio de Janeiro. Em Paris, por exemplo, onde morei um ano e meio não há "je veux te succ.." mas há perseguições na rua, taxistas ligados à máfia da Europa do leste, etc. Eu sentia muito medo lá. O perigo está em todo canto naquele lugar e no continente europeu, mas de uma maneira completamente oculta e reprimida. A isso deu-se o nome de civilização; correto, porque reprimir o instinto foi uma condição para que pudéssemos evoluir um pouco enquanto seres humanos dotados de polegar e cérebro avançado.

A classe baixa não tem receio em botar pra fora esse instinto. Já o mauricinho de família rica (não vale "nouveau riche")vai à boate, droga a garota e a estupra com ares de "foi suruba", acessa a internet, faz amizade pelo blog e msn, namora, chama pra churrasco, amordaça e chama 9 amigos pra estuprar uma mulher e tudo com ares de "alcova" (os próprios caras de repente se acham inocentes), passa a mão de fininho na boate, no show e ninguém viu, ninguém sabe, ninguém tá nem aí. Fora que no Rio é tudo misturado e as madama não estão longe do assédio.

Então, apesar de entender que o objetivo do post não foi comparar as ações, não posso deixar de citar esses casos e é por isso que eu não ligo pro "tesãosinho" inocente da rua.

;-)

Anônimo disse...

Nelly a Camille elogiou a Daniela Mercury, foi? Eu não sabia.Nada contra a baiana Daniela, até que é engraçadinha mas é a tal história, gosto é gosto. Pra mim ARRASO era o berro,
o violão,
a guitarra,
o TALENTO e a
detonação de Cássia Eller! Não estou elogiando uma vida pessoal que foi desregrada mas a Cássia artista...era o bicho! Tudibom!
Ai que saudade daquela
bronca que ela botava ...eheheheh.
E que lindo ouvi-la cantando em frances, em ingles, em portugues.
Um pouco de delírio é o que há em toda arte.Cássia era delirante.Seu derradeiro show foi aqui em SC.
Quem gosta de música não exclui a Cássia! Fatima

Suzana Elvas disse...

Lola, o que eu quis dizer é que a gente pode tudo na vida. Pode, mesmo. Tudo. Eu posso dar a louca e sair matando a torto e a direito. Posso pichar os muros de todas as casas da minha rua. Posso limpar minha conta no banco e jogar o dinheiro pela janela do 14 andar do prédio. Posso sair pelada na rua. Eu posso. Mas não DEVO exatamente porque o limite da minha liberdade dá bem ali no limite da liberdade do meu vizinho - e João Neto é um exemplo. Ele pode expor a opinião dele da maneira que quiser - contanto que não ofenda ningué, que foi exatamente o que ele fez. Por isso tá tomando ovo de tudo quanto é lado.

Existem regras - de educação, leis, normas religiosas etc (até mesmo as regras que fazemos para nós mesmos, como "A partir de hoje eu me proíbo de tomar café") - que regem o nosso comportamento. Nós as seguimos ou não. Mas não podemos impor nossa vontade ao vizinho. Se você não quer mais tomar café na vida, ok; mas não pode obrigar seu marido de parar de tomar café também.

Fazer de um livro o guia da sua vida não é ruim; o ruim é querer que ele seja o guia da vida de todo mundo. Nós fazemos um pouco isso com os livros que são importantes na nossa vida. Ficção ou realidade, não importa; é a verdade de uma pessoa que você acaba absorvendo e fazendo dela a sua verdade. Mas é uma escolha sua; só porque seu guia espiritual é "O Pequeno Príncipe" não quer dizer que D. Nelly tenha que tatuar na testa "Tu és responsável por aquilo que cativas."

lola aronovich disse...

Bom, Su, eu não concordo. Se eu tivesse filhos, ou se eu lecionasse crianças pequenas, jamais diria pra elas que elas podem tudo. Porque não é verdade. Não podem. Não podem interferir na liberdade dos outros, e não apenas porque serão punidas, e sim porque é errado e imoral, porque o corpo do outro não lhe pertence. Então, pra mim, não há discussão: não pode bater em outra pessoa, não pode estuprar, não pode matar, não pode torturar. Simplesmente não pode, porque você não pode ter poder sobre um corpo que não o seu. Quer se matar, se auto-mutilar? Não recomendo, mas nesse caso você pode. Não DEVE, óbvio, mas pode. As leis entendem essa diferença direitinho. Tanto que tentativa de suicídio não é crime, mas tentativa de homicídio, é. E, pra mim, não há nenhuma comparação entre jogar dinheiro de uma janela e matar alguém. Uma coisa vc talvez não deva fazer, a outra vc não pode fazer e ponto final. E ainda assim, eu não diria pra uma criança “Você pode enfiar seu dedo numa tomada”, porque ela pode não entender a sua argumentação e fazer justamente isso, só pra ver como é.
E quanto a fazer de um livro o guia de uma vida, por mim tudo bem. O o que acho perigoso nas religiões é essa idéia do povo escolhido, porque isso pressupõe uma hierarquia. E junta isso com a Verdade Absoluta escrita num livro e temos uma bela receita pra intolerância.

Suzana Elvas disse...

"[...]e não apenas porque serão punidas, e sim porque é errado e imoral, porque o corpo do outro não lhe pertence."

Exatamente, Lola. É uma escolha. É errado e imoral porque é ensinada assim. É nosso código de conduta para viver em sociedade. Na vida você pode tudo. Mas há escolhas que você tem que fazer. Uma delas é que há regras de moralidade e civilidade que devem ser seguidas. Uma delas diz que o direito do seu semelhante é inviolável.

O que eu ensino a elas é que há o livre-arbítrio, mas que ele não significa que você deve sair matando e roubando e fazendo o que quiser. Porque isso traz conseqüências. "Posso pegar uma pera e comer sem pagar?" "Sim; ladrão faz isso." "Mas ladrão vai pra cadeia." "Sim, porque ele pode fazer mas não deve, porque roubo é crime e a conseqüência é a cadeia, além de prejudicar o homem que vende as frutas para viver."

Quanto à idade, aos dois anos uma criança não entende, mas aos 7, 8 anos ela começa a expandir o conceito de causa e conseqüência, para a consciência de que, algumas vezes, você tem que decidir o que fazer quando não há clareza entre o certo e o errado. Quando há opções a escolher, e todas incomodam. Ela viu um menininho roubando a tal pera - um moleque de rua magro que nem um espeto. Ele estava com muita fome - é errado moralmente roubar quando se está faminto?

Anônimo disse...

Adorei seu texto, Lola. É mesmo incrível como esse pensamento machista insiste em durar, sendo muitas vezes passado de pai para filho. Para muitos (não todos), o importante é ser o macho, o garanhão. Triste.

Ana disse...

Eu nunca gostei de ser cantada. Não conheço nenhuma mulher que goste. Uma coisa é você receber um elogio educado (isso você até releva), mas já ouvi cada coisa obscena que não consigo nem reproduzir aqui. E o pior é que muitas dessas coisas eu ouvi quando ainda era uma criança! Ou seja, deixa de ser apenas desrespeito pra se tornar também um crime.

Sobre bloquear um usuário pelo IP, não há muito que se possa fazer, porque IP pode ser dinâmico e mesmo que não seja, pode ser mudado ou então bastaria a pessoa bloqueada usar um proxy ou outro computador pra comentar.

E o negócio do McDonald's, quem faz os papéis que ficam na bandeja é o ilustrador Hiro Kawahara. Ele tem blog (muito interessante, por sinal).

Yohana ♥ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yohana ♥ disse...

Cara não há nada mais desconfortável que receber uma cantada na rua. Não interessa a roupa que se use. Eu não uso roupas curtas. Fui educada assim, me sinto desconfortável nelas.

Já fui cantada na faculdade, correndo de um lado para o outro (Lola que já foi à UnB deve ter visto o quanto o campus é grande. Imagine ter uma aula na ala Sul, outra nos pavilhões). E qual o meu crime? Por que eu não uso roupas curtas e o dia está muito frio, eu usava um casaco imenso.
Fui cantada por ser mulher, por que mulher não pode andar no campus sozinha. Passar em frente a um bloco em construção por que você tem aula no próximo? Que grande absurdo.

E o grande macho elogioso (¬¬) ainda respondeu o meu palavrão com "você está na Universidade, deveria ser educada". Séria cômico se não fosse trágico.

Eu devo ser educada e abaixar meus olhos e aceitar que me tratem como um pedaço de carne. Por que eu sou uma mulher de classe média, estudando pra que meu marido possa exibir meu diploma as vizitas enquanto eu cozinho o jantar, não é isso?

Anônimo disse...

Eu sei que faz tempo que esse post foi feito, mas eu gostaria de adicionar uma coisa: Eu tenho trauma de homens em motos, bicicletas e carros.
O trauma de moto vem de um assalto, então não vou contar. Mas TODA vez que eu estou andando só na rua e vejo um homem vindo na direção oposta, principalmente de bicicleta, ou quando um carro para perto de mim, meu coração dispara. Sabe por que?
1- Porque eu já tive duas experiências com velhos imundos falando coisas horríveis sobre minha "boceta apertadinha" quando eu estava andando na rua. A primeira vez aconteceu quando eu estava indo pra casa depois da educação física, vestindo shorts de lycra. A segunda vez aconteceu quando eu estava indo para a escola, devidamente fardada. Em ambas as vezes eu tinha doze anos de idade. E aí, você acha que aos doze anos eu queria ouvir algo disso?
2- Porque um dia, quando eu estava voltando sozinha da escola, um homem me seguiu no carro. Eu fiquei apavorada e continuei andando, então ele abaixou a janela e me pediu informações. Enquanto eu estava falando ele começou a se sacodir e falou "ah, que punheta gostosa!". Eu tinha 15 anos e estava devidamente fardada (blusa e calça jeans, longa).
E hoje em dia, quando eu vou à academia, sempre tem pelo menos UM homem que passa por mim e fica olhando para a minha vagina. E não, eu não me sinto nem um pouco bonita quando isso acontece. Muito pelo contrário. Eu me sinto imunda, errada, tudo menos um ser humano. E por isso eu tenho e sempre tive problemas com auto-estima porque nunca ouvi um elogio de verdade. Só grosserias de homens imundos.

Anônimo disse...

eu sei bem como é isso. o curioso é que esses velhos imundos param um pouco de te olhar quando você fica adulta. quer dizer, o alvo preferencial são realmente crianças e adolescentes. minha mãe foi perseguida por um general que morava no prédio dela assim, como essa cena do carro que você descreveu. eu, e outras tantas mulheres, comecei a ouvir essas barbaridades com 9 anos de idade.

Gabi Loka disse...

Eu me identifiquei com o comentario da marjorierodrigues (que se nao me engano é o 3°). Eu tambem me incomodo com estranhos invadindo meu espaço. Eu chamo de carinhosamente de 'bolha'. Odeio quando invadem minha bolha, seja homem ou mulher. Que sentem quase em cima de mim desnecessariamente ou encostando muito. É estranho! Não gosto. Claro que se fosse um namorado ou uma amiga como exemplificou a marjorierodrigues, o clima é outro e ainda assim se incomodar eu me sinto mais a vontade pra falar alguma coisa.

Assim, vou dizer que acredito que deve ter mesmo mulher que saia pra chamar atenção desse jeito, mas tb acredito que está longe de ser maioria.

Anônimo disse...

Acho que esse JOAO está se referindo a uma conhecida minha, hahaha. A tia do meu ex, uma mulher que aos 45 anos decidiu que precisava fazer cirurgia plástica, pois percebeu um dia que os PEDREIROS não mexiam mais com ela!!!!! Aí a louca colocou silicone, bunda e fez lipo... oO

Eu realmente não entendi pq ela contava isso pras pessoas, pq na minha concepção isso é vergonhoso!!! É a mulher machista que motiva as cantadas de rua... Pq pensa que é elogio... Falta de autoestima? Só sei que é muito triste...

Eu qdo era adolescente queria sair pra todos os lados, usar roupas que me deixassem com cara de mais velha... Até que minha mãe, preocupada, e no meio de uma discussão que tivemos desabafou e me contou que aos 16 anos foi estuprada pelo irmão de um namorado, e foi assim q ela perdeu a virgindade... Sim, um cara "confiável".. E ainda teve q ouvir q ela tmb queria... Ele de família rica, ela de família que veio do sítio... E naquela época, o que ela fez? Guardou isso durante a vida toda. Vc acha que minha mãe queria casar???? Ela viu as irmãs mais velhas sofrendo abuso dos maridos, uma tia minha era espancada diariamente... Ela foi violentada com 16 anos de idade e me contou para que quem sabe assim eu tomasse mais cuidado, eu me protegesse desse tipo de homem, pois como vc mesma disse Lola, estão em qualquer lugar, e não só nos becos escuros por aí.
Então pra esse IDIOTA que fica comentando aí, só pensa que esse tipo de situação nunca é desejada por uma mulher!