sexta-feira, 20 de julho de 2018

O ESCÂNDALO NO BASQUETE FEMININO PARAOLÍMPICO E AS FEMINISTAS

Compartilho com vocês o questionamento interessante da ilustradora Gui Araújo, que me enviou este email no final de junho, quando eu estava viajando, de férias. Tento responder algumas coisas depois. 

No dia 13 de junho recebi via whatsapp uma mensagem comentando sobre uma notícia que me chocou absurdamente: “Atletas paralímpicas são afastadas da seleção após denúncia de abuso sexual”.
Segue trecho da matéria:
"O caso aconteceu após um treino no alojamento da equipe Gladiadoras/ Gaadin (Grupo de Ajuda dos Amigos Deficientes de Indaiatuba), baseado na cidade de Indaiatuba, no interior de São Paulo. Segundo a vítima, que prefere não se identificar neste momento, as três atletas afastadas pela CBBC -- Lia, Geisa e Denise -- usaram um pênis de borracha para abusá-la sexualmente. Ela teria sido retirada de sua cadeira de rodas contra a sua vontade e, já no chão, teve suas roupas íntimas abaixadas à força. A então coordenadora do time, Gracielle Silva, também aparece segurando a vítima no chão em fotos que circularam em grupos de Whatsapp e às quais a reportagem teve acesso. Gracielle se suicidou no último dia 29 de maio".
Até o momento, eu não sabia quem eram as mulheres citadas, não conhecia suas histórias de vida e ao ler a notícia completa não pude deixar de concordar que se trata de uma situação delicadíssima, mas não menos chocante, triste e dura de aceitar.
Fui pesquisar sobre as suspeitas. A paratleta Lia Maria Soares Martins, com uma história de superação exemplar, é uma pessoa inspiradora, sem dúvida. Ela diz sobre o episódio que ocorreu dentro do alojamento do clube: “Foi uma brincadeira de mau gosto e agora vai destruir a minha vida".
Buscando na rede a repercussão sobre o caso, não encontrei nenhum blog feminista discorrendo sobre o assunto, ainda estou fazendo minhas reflexões sobre o fato, e seja lá como for identificado, “brincadeira de mau gosto”, abuso ou estupro, uma coisa é certa, já destruiu uma vida, a de Gracielle Silva, de quem não consegui encontrar nada a respeito (apenas que, ao contrário das outras envolvidas, ela não tinha deficiência), além do envolvimento no escândalo. Gostaria de saber coisas boas sobre ela. Detestaria pensar nessa mulher como apenas uma pessoa que se envolveu num caso de abuso e merecia punição. 
Não encontrei nada relevante a respeito de Geisa e Denise. Não sei o que cada uma pensa, mas eu acho triste conhecer pessoas a partir de notícias ou casos negativos como este, sem a chance de saber um pouco mais sobre elas.
Um escândalo protagonizado por mulheres, paratletas que ninguém jamais iria supor serem capazes de algo desse nível. Talvez isso provoque ainda mais surpresa de alguns e indignação por parte de outros.
Pesquisando pela rede, não foi surpresa alguma encontrar fóruns onde homens aproveitaram para descer a lenha nas mulheres, nas feministas: "Mas e as feministas? Cadê as feministas? Todo homem é um estuprador em potencial... Péra!"
Não posso negar que este também foi um questionamento meu.
Por que no dia 20 de junho todo mundo só falava na vergonha dos torcedores brasileiros “brincalhões” na Rússia, e uma semana antes ninguém comentou sobre a “brincadeira de mau gosto” / assédio / abuso / estupro das paratletas (que causou uma morte)?
Das lutas, das vitórias e das dores de ser mulher feminista, não podemos fugir da responsabilidade que recai sobre nossos discursos diante da sociedade. 
Como mulher, como feminista, eu sinto profunda tristeza e imensa vergonha. Embora acredite num feminismo individualista, eu entendo a construção do coletivo, e o “mexeu com uma mexeu com todas” nesse caso, me afetou desta forma, eu sinto a dor pela vítima do abuso, sinto o arrependimento que as agressoras devem sentir, sinto a vergonha e aflição que foi capaz de levar Gracielle ao suicídio, sinto o peso da impotência e dos olhares que condenam feministas por acusar todo homem como potencial estuprador e se calarem diante desse escândalo, silêncio que eu procuro entender. 
Durante uma fase da minha vida eu acreditava que mulheres seriam seres mais evoluídos e que homens tendiam a ser mais agressivos, violentos e portanto capazes de maldades que nós mulheres jamais cometeríamos. Faz muito tempo isso, percebi rápido que estava equivocada. Na luta por direitos iguais, já não posso negar que algumas igualdades são reais, somos todos e todas capazes de agredir, abusar, oprimir e cometer erros injustificáveis, que destroem pessoas. Não importa quem faz mais ou quem faz pior. 
Gostaria de crer que é um fato isolado, mas eu não sei. Por outro lado, se admitimos isso, é como se escolhêssemos essas mulheres para eleger como “monstras” e sabemos que não são. São pessoas normais, assim como todos os homens normais, amáveis e queridos pela família e amigos, mas que cometem deslizes, são capazes de atos inconsequentes que fazem sofrer, que destroem vidas. 
É lógico que sei diferenciar um crime de uma atitude inconsequente, mas tanto um quanto outro, independente de ser encarado pela lei como mais grave e passível de punição, são igualmente nocivos e capazes de gerar danos às vítimas. 
Não quero amenizar a gravidade da ação destas mulheres ou justificar de alguma forma. Também não quero comparar abusos cometidos por homens e mulheres, definindo o que motiva uns e outros. Acredito que cada caso é um caso e deve ser analisado dentro de seu contexto. 
Eu queria falar sobre esse fato e ouvir outras mulheres, acho que precisamos cuidar dessa ferida (eu me senti ferida e acho que é ferida de mais gente). Precisamos enfrentar isso, assumir o que precisa ser assumido.

Meus comentários: Há vários questionamentos seus, Gui, e todos são válidos. Em primeiro lugar, a Copa do Mundo monopoliza tudo mesmo. Não dá pra ser diferente. É um evento internacional que ocorre a cada quatro anos. No "país do futebol" (masculino), no esporte em que somos os melhores do mundo, não se fala em muita outra coisa.
Este escândalo no basquete feminino paralímpico aconteceu ano passado, e só agora veio à tona. É um assunto delicado, pois envolve três jogadoras importantes, e já resultou em um suicídio. Falar disso é também falar do envolvimento de Gracielle. Antes de publicar este post, entrei em contato contigo, perguntei se havia atualizações sobre o caso. Parece que não há nada até agora. 
Acho que se falou relativamente pouco sobre o escândalo na ginástica olímpica masculina. E isso que saiu no Fantástico, um programa de TV muito popular. O técnico Fernando de Carvalho Lopes foi acusado por pelo menos 42 atletas de ter praticado abuso sexual enquanto trabalhava em São Bernardo do Campo. Lopes foi afastado da seleção em 2016. Um outro técnico, de outra cidade, sabia dos abusos e não fez nada além de piadas. 
O medalhista Petrix Barbosa teve a coragem de falar abertamente sobre os abusos de Lopes. Já o famoso campeão Diego Hypolito negou abuso, mas, depois da reportagem, falou do bullying que sofreu de companheiros de equipe mais velhos no início da carreira. Um desses episódios foi ter que, nu, pegar com o ânus uma pilha com pasta de dente em cima. Obviamente isso também é abuso!
Eu, pessoalmente, acho esses dois escândalos bastante parecidos. Infelizmente, isso é comum em muitos esportes. Eu participei durante anos dos Jogos Abertos do Interior, tanto em SP quanto em Santa Catarina, jogando xadrez. Não vi abusos no xadrez, mas a gente falava com atletas de outras modalidades, e era horrível. Era muita violência e hierarquia disfarçadas de piada. Sabe os trotes nas universidades, em que um veterano acha que pode mandar num calouro? Então: nos alojamentos esportivos, a forma mais suave de "mandar num calouro" era que ele deveria lavar seu prato após cada refeição.
Mas havia mil e uma "brincadeiras" humilhantes, inúmeras delas de cunho sexual. Se o atleta reclamasse, ele seria odiado pelo grupo. Os técnicos viam tudo e muitas vezes incentivavam. Portanto, denunciar estava fora de cogitação. E denunciar o quê? Afinal, aquilo não era visto como abuso ou bullying, só brincadeira, confraternização. Se o calouro achasse ruim, ele teria a chance de se vingar em outro calouro no ano seguinte.
Isso a gente ouvia de várias modalidades esportivas, tanto no masculino quanto no feminino (embora mais no masculino). Era corriqueiro, rotina mesmo. Só recentemente que algumas pessoas vêm vendo essas "piadas" como abuso inaceitável.
Creio que foi isso que aconteceu com as atletas paralímpicas do basquete. Elas devem ter achado divertido usar um pênis de borracha em outra atleta. Claro que isso choca, até porque são atletas de alto nível, e creio que espera-se que atletas paralímpicas comportem-se melhor, tenham mais maturidade. Mas aí é que está: elas não são diferentes. A cultura de estupro lhes ensinou que aquilo que fizeram não é estupro. 
Quanto a misóginos gritarem "Cadê as feministas?!", danem-se eles. Eles vivem nos demonizando, atacando, ridicularizando, mas quando surge algum caso que envolve mulheres ou em que o acusado é alguém de esquerda, pedem a opinião das "malditas feminazis" (aliás, pedem nada. Eles nem vão ler este texto. Só vão dizer que as feministas não se manifestaram, porque seríamos hipócritas).
Eu nunca disse que todo homem é um estuprador em potencial. Desafio que encontrem um só texto em que escrevi isso. Nunca escrevi, porque não acredito nisso. Mas aí você vê um mascu num vídeo afirmando que fui eu que inventei essa expressão! 
Outra coisa é que nunca neguei que mulheres possam ser violentas, que mulheres não podem estuprar. Existem feministas que creem que homens não podem ser feministas, e que mulheres não podem ser machistas. Eu acredito que homens podem (e devem) ser feministas e que mulheres podem ser machistas
Uma coisa é dizer que a maioria dos casos de violência e estupro são cometidos por homens. É um fato incontestável, uma realidade que precisa ser mudada. Outra coisa é dizer que só homens cometem violência. Simplesmente não é verdade, e duvido que muitas feministas digam isso. 
Espero que este caso lamentável de abuso no basquete feminino paralímpico (assim como o da ginástica olímpica masculina) sirva para acabar (ou no mínimo questionar, ou desnaturalizar) a violência nos esportes. Não é "brincadeira de mau gosto", é abuso!

48 comentários:

Anônimo disse...

Não somos mais os melhores do mundo no futebol

E mesmo q as mulheres sejam capazes de fazer algum mal, ainda é infinitamente incomparável com a capacidade dos homens

Anônimo disse...

Pra que tanto fuzuê? Ta na cara que foi só uma palhacada que fizeram com um pênis de borracha...

Se fosse um homem abusando ia ta todo mundo dizendo que é brincadeira de menino, agora só porque é mulher acham o fim do mundo

Anônimo disse...

Vcs acha q pai q não aceita filho gay é pq ñ aceita o tesão q tem no filho?

AS VEZES ACHO Q MEU PAI SENTE TESÃO EM MIM E NÃO ACEITA É O FATO DE SENTIR TESÃO EM MIM

Anônimo disse...

Não é porque com homens a maioria não acham nada demais, que se deve ignorar este caso, pois isso é desonestidade e mau caratismo. Qualquer tipo de abuso, mesmo que seja com um pênis de borracha e/ou por uma mulher, é abuso e pronto. Cuidado com esse tipo de feminismo mau caráter que ignora casos de mulheres abusivas, psicopatas etc, como fora de ''empoderamento', ''sororidade'' e corporativismo, pois isso é mais um desfavor ao feminismo.

Anônimo disse...

Sim, são poucas as mulheres que fazem mal a alguém (fisicamente) se comparando com homens, mas isso não é motivo para ignorar qualquer caso que ocorra relações abusivas entre mulheres e vir com aquela ladainha desonesta que ninguém aguenta mais de que ''não existe mulher machista/abusiva e que estas são todas vítimas passivas do machismo e que as vítimas de mulheres abusivas não são vítimas de verdade e sim mimadas, traidoras, ingratas, incompreensivas, mentirosas e egoístas sem sororidade.''.

Anônimo disse...

O comportamento machista masculino e tão nojento que consegue se reproduzir e influenciar até por quem menos se espera. Lamentável que se veja tanto isto nos esportes.

Anônimo disse...

Outro fato que merece ser ressaltado no abuso de mulheres por mulheres é o que ocorre nas prisões femininas, onde lésbicas fazem mulheres até de escravas sexuais, não vejo o movimento LGBT falando desses crimes de homossexuais

Deivison Da Costa disse...

6:53
( E mesmo q as mulheres sejam capazes de fazer algum mal, ainda é infinitamente incomparável com a capacidade dos homens)
Errado as mulheres cometem muito mais crimes do que os homens aprova disso é que tem mais mulheres nas prisões do que homens e agora o que você me diz???...

Anônimo disse...

1º q o mov. lgbt não é babá de nada e nem de ng

2º q isso não tem a ver em NADA com o mov. lgbt, bebeu?

abusos dentro de prisões (e nos esportes, e nos estúdios, e nas igrejas, etc.) é um epidemia q transcende orientação sexual

nas prisões masculinas há cem vezes mais abusos sexuais, pq vc não cobrou do mov. lgbt falar disso?

nos poupe

Anônimo disse...

Bom, eu digo que vc tem distúrbio dissociativos. Onde que tem mais mulher que homem preso?

Anônimo disse...

15:37 - primeiro, vá aprender a escrever, seu analfabeto

segundo... fumou?

ô imbecil, É totalmente o CONTRÁRIO - TOTALMENTE O CONTRÁRIO

Anônimo disse...

Não é raro ver esse tipo de babaquice em ambientes esportivos, mas não precisaria ser assim (e acho que com bons treinadores e com bom acompanhamento psicológico isso não deveria acontecer). Tem mulher babaca e tem deficiente físico babaca e se a babaquice vira crime, deve ser tratado como manda a lei. Sem dramas.

Anônimo disse...

Claro que existem mais mulheres do que homens nas prisões, mas em um planeta longínquo desconhecido onde as notícias são formuladas pelo MBL e os espectadores fumam maconha estragada. E agora o que vc me diz?

Manoela disse...

Tb acho que não devemos ignorar os abusos cometidos por mulheres em nome do feminismo, como se responsabilizar as mulheres por seus crimes fosse uma conduta machista. Abuso sexual é condenável, independente do gênero e orientação sexual do agressor.

Anônimo disse...

Masculinistas só sabem delirar e inverter totalmente a realidade, esses retardados. Esse é um dos grandes motivos deles serem tão patéticos, ridículos e uma verdadeira chacota pra qualquer pessoa que pare dois segundos pra prestar um mínimo de atenção nesses vermes kkkkkkkkk todo mascunazista não passa de uma piada, chacota ambulante, servem apenas pra se fazer deboche e desprezar (é o melhor que se faz quanto a eles).

Isso nem é nenhuma novidade...

Anônimo disse...

E o que foi usado para se cometer esta barbaridade contra esta moça? Um simulacro de pênis.
O falocentrismo e uma das ferramentas de opressão feminina mais antigas e cruéis do patriarcado.

Anônimo disse...

No patriarcado mulher é considerada pior do que homem, sempre. Em tudo. Mesmo que isso seja totalmente contraditório com a realidade. Basta você não ser extremamente submissa, altamente maternal, uma cuidadora abnegada que coloca tudo e todos na frente e acima de si mesma, que você será considerada uma megera cruel, uma bruxa terrível, uma frustrada desnaturada e insensível, uma abominação, um monstro. Inclusive não há nenhuma garantia de que você não será considerada nada disso mesmo que você se esforce sobrenaturalmente para se subordinar e se adequar o máximo possível ao papel de mulher abnegada, mãe do mundo, perfeita cuidadora e subministradora de todas as necessidades e vontades dos outros.

Anônimo disse...

O dr. Drauzio Varela em seu ultimo livro afirma que em contato com as presas notou que é justamente ao contrario. Ele verificou que a sexualidade feminina e fluida, mulheres presas que se diziam ser 100% heterossexuais em contato continuo com as presas lésbicas e sem a presença castradora masculina no ambiente se permitiam experimentar prazer com outras mulheres e afirmavam que depois da descoberta descobriram o que e satisfação sexual de verdade.
Já neste caso horrível esta reprodutoras do machismo se utilizaram de um simulacro nojento de pênis para agredir a outra moça.

Anônimo disse...

16:17 isto não foi babaquice foi estupro.

Anônimo disse...

Várias lésbicas feministas e talvez algumas até radfems, usam objetos fálicos, então se forem opressoras, isso já é com elas. E é claro que o mascu inverteu as coisas, tem muito mais homens presos e ainda comandando crimes dentro das prisões, que mulheres.

Anônimo disse...

um dos motivos pelos quais eu não quis mais saber dessa militância é a falta de empatia pela vítima e/ou a inversão de culpa que é transferida para a vítima (ou para o 'machismo') e a total falta de responsabilidade atribuída a quem comete o abuso, quando se trata de relações abusivas entre mulheres. Quando uma mulher é vítima de algum abuso vindo de outra mulher, praticamente ela não pode contar com mais ninguém no mundo a não ser com si mesma e precisa se virar sozinha, pois não encontra apoio de feministas, nem de mulheres não-feministas e obviamente que tbm não dos machistas. E quando aparentemente alguma feminista parece ter alguma empatia, ela coloca a culpa no machismo e manda a vítima ser compreensiva com a mulher quem a abusou, e isso é como se fosse um filme de terror naquela parte em que a vítima parece que encontrou algum abrigo e na verdade era mais uma armadilha. Quando se trata de mãe abusiva, prefiro nem comentar. É horrível! Mulher vítima de outra mulher abusiva deve se virar sozinha no mundo e só pode contar com a 'sorte' na selva da meritocracia.

Anônimo disse...

17:54 é sério que está usando a situação violenta do sistema prisional brasileiro para justificar abuso sexual entre mulheres? Isso deve ser trollagem!

titia disse...

Jura que teve quem ficasse surpreso que mulheres tivessem cometido esse crime? O ser humano é assim mesmo, perverso, idiota, faz coisas abomináveis porque a manada faz, e por mais que machistas gostem de negar isso, mulheres SÃO seres humanos. Então não, não fiquei surpresa. É raro mas não é impossível que mulheres cometam essas atrocidades; que sejam denunciadas e punidas como se deve.

Quanto aos mascus cobrando, eles também não falaram nada. Não protestaram, não falaram, não fizeram porra nenhuma, provavelmente disseram "bem feito" que era "brincadeira", que a vítima estava "exagerando" e todo esse mimimi, então por que ficarem caladas, moças? Mandem eles tomarem no rabo e pronto, quem não faz nem diz nada em momento nenhum não pode cobrar de quem está lá lutando pela maioria das vítimas de violência sexual - que, não vamos nos esquecer, em 90% dos casos são vítimas de HOMENS. Vão se foder seus mascus de bosta, porque se tem alguém que não pode cobrar NADA das feministas são vocês. Se matem que é o melhor que vocês fazem.

Anônimo disse...

Foi o que eu disse. Se a babaquice vira crime deve ser tratado como manda a lei. Aprende a interpretar texto.

Anônimo disse...

19:16 você já falou um zilhão de vezes os motivos pelos quais 'não quer mais saber dessa militância' aqui neste blog. Já que o feminismo está tão ruim assim pra você entre para o time dos antifeministas ou dos machistas. Eu duvido que vc já foi feminista algum dia. Não passa de um desocupado que só vem aqui pra trollar. Você já passou do ridículo com esse papo de 'um dos motivos pelo qual não quis mais saber dessa militância'.

Anônimo disse...

Violências entre humanos seguem padrões de dominância e submissão.
A violência cometida por homens contra mulheres e endêmica, porem violências contra crianças e idosos são largamente conhecidas por serem praticadas em suas maiorias por mulheres, pois estão são em grande maioria também as cuidadoras de crianças e idosos.

Anônimo disse...

Não quer mais saber da militância, mas vive batendo ponto onde tem a militância pra ficar acompanhando, urubuzando e comentando essa mesma ladainha toda vez. Sei...

Anônimo disse...

Que maravilha a mutilação genital feminina finalmente ter sido oficialmente proibida na Nigéria!

Merece um post próprio :)

Jane Doe disse...

É Anôn. 11:31. Muito obrigada por esse comentário. Eu estou dizendo isso há uma era.
Infelizmente essa relativização e justificativas estapafúrdias de crimes graves contra a mulher é algo bem corriqueiro no (esquerdo-)feminismo quando lhes é conveniente. Não raro disfarçado de algum tipo de "justiça" ou como ato de alguém "vítima" da opressão.

O fato é, como a Titia colocou, mulheres são humanos e cometem atracidades também. O fato de ser um grupo oprimido NUNCA deveria amenizar a gravidade do crime.

Que sejam severamente punidas.

Annale disse...

Mulheres nao podem ser machistas? Claro que podem e o sao!!!!!
Os homens detem o poder social, economico e fisico, mas tem muita mulher que eh carcereira, que agurda as chaves da cadeia onde estamos presas! O que mais tem eh mulher servindo de leao de chacara para a opressao masculina. Maes que escravizam as filhas, maes que endeusam seus filhos homens em detrimento das meninas, que alegremente cobram um padrao X pros filhos e outro Y pras filhas. Tem muita mulher machista SIM!

Anônimo disse...

23:55, não é só a violência de homens contra mulheres q é endêmica, a violência de homens contra qualquer um é endêmica, inclusive a entre eles mesmos

Anônimo disse...

Que feminista diz que mulher não pode ser machista? Nunca vi nenhuma... parece mais que estão querendo forçar a barra em uma tentativa patética e desesperada de colocar no mesmo saco essa inverdade junto com as afirmações verdadeiras das feministas sobre a misoginia de TODO HOMEM.

Também nunca vi nenhuma feminista dizer que mulher não pode ser violenta. Não são as feministas que querem que as mulheres sejam seres delicados incapazes de violência ou de reação adversa, criaturinhas tímidas, amedrontadas, complacentes, de pura doçura, meiguice, delicadeza, gentileza, amabilidade, fofura, toda carinho e cuidados, sempre dispostas a cuidar e confortar todo aquele que precisar ou desejar seus cuidados e confortos infinitos. Fica a dica.

Sobre a afirmação de que "todo homem é um estuprador em potencial", ela nem é só especificamente feminista, mas diz sim respeito ao alerta das mulheres, a precaução e ao comportamento preventivo em relação aos homens e estupro. Basicamente é outra forma de dizer: o perigo do estupro pode vir de qualquer homem, não coloque a mão no fogo por nenhum, que você pode acabar se queimando feio e se arrepender depois ou algo ainda pior... É uma frase usada para reafirmar que a atitude mais sensata e apropriada ao lidar com homens é sempre a desconfiança e estar atenta, precavida, preparada para o pior. Geralmente é mais aceita ser usada em relação a homens desconhecidos, que nenhuma mulher pode afirmar com certeza apenas através de um contato visual, que ele não é um estuprador, mas também se aplica - e na verdade deveria ser até mais aplicada - a homens próximos, conhecidos e familiares para as mulheres, que são de onde mais vem os perigos reais do estupro, agressão e assassinato.

Anônimo disse...

Milagres de consciência à parte, não vejo maneira de as mulheres derrotarem o patriarcado sem alcançar o poder. Ao contrário dos grupos do sexo masculino, as mulheres têm pouco poder com o qual se evitar ou cometer violência. As mulheres são tradicionalmente fracas fisicamente e politicamente impotentes em uma cultura que valoriza a força física e sua representação estendida na forma de armas e dinheiro. As mulheres, como os homens, devem ser capazes de violência ou de auto-defesa antes de sua recusa em usar a violência constituir uma escolha livre e moral, em vez de "fazer o melhor de um mau negócio." Sobrevivência é a propriedade característica do poder.

(Phyllis Chesler, Women and Madness)

Deivison Da Costa disse...

@titia
1) ( 90% dos casos são vítimas de HOMENS )
Errado 80% das denúncias de estupros são falsas então só 10% são verdadeiras

2) 90% das vítimas de estupros são homens por quê a sentença será mais leve quando o estuprador estuprá outro homem ou seja não existe essa história de cultura do estupro contra as mulheres

3) é por isso que eu não acredito em nada que uma mulher fale Principalmente quando é sobre violação sexual a menos que seja provado que a denúncia seja verdadeira e ela seja inocente

4) quem tem que se f**** aqui são vocês feministas não os masculinistas
Até porque você vive no mundo criado por homens então cala sua boca sua fêmea escrota e agradeça pela boa vida que você tem tudo graças a mascuzada aqui que põe a mão na massa

5) não gostou do que eu disse então vai reclamar com estado islâmico ok???...

lola aronovich disse...

Eu não ia aprovar o comentário do Deivison (que deixou outros 6 comentários tão cretinos e sem noção como esse), mas a verdade é que eu achei engraçado. Principalmente as noções de matemática do moço: 80% das denúncias de estupro são falsas então só 10% são verdadeiras. E as outras 10% são mais ou menos falsas. É gente que desconhece estatística (tipo essas).
O cara acha que vai vir xingar feminista num blog feminista e ser aceito...

titia disse...

HUAHAUAAHAHAHAHAHAHAHAHHAAH!!!!

Ai, ai, valeu Deivison, adorei as suas piadinhas. Conta agora aquela do mascu que foi no blog feminista tentando lacrar mas terminou chorando na sarjeta porque só falou merda e todo mundo riu dele.

Anônimo disse...

Todo homem é um estuprador em potencial porque todo homem tem o potencial para usar estupro e a ameaça de estupro, inclusive até pela mera presença dele próximo a uma mulher, como uma arma de terror sexual contra as mulheres E pior, no patriarcado todo homem pode fazer isso e sair livre, impune. Visto que a maior parte dos homens têm poder para chegar a realizar o estupro e sair sem ser punido ou no máximo recebe uma punição muito branda e desproporcional ao(s) crime(s) que ele comete.

Anônimo disse...

Ah, fala isso pra vítima!
Queria ver se fosse com você!

Anônimo disse...

Anônimo 22:45, vc é só mais uma que se diz feminista e está fazendo exatamente o que o comentário da outra disse. E é outra mesmo, pq só uma mulher pra fazer um comentário desses.
Me identifico na parte de mãe abusiva e sei bem como é, não dá pra ficar nessa ilusao de que mulheres são todas uns anjos.
Aliás pesquise sobre o assunto de mães abusivas e verá que na maioria dos casos as vítimas são as filhas.

Anônimo disse...

Aí vc tocou num ponto que acho crucial. Se nós realmente quisermos acabar com a violência temos que cortar na raiz, e se posicionar tbm contra a violência infantil.

Estela disse...

O cinismo de muitas feministas sobre violência da mulher é deprimente. Muitas negam sim, que exista mulher machista ou violenta. E outras até admitem mas ficam naquela de que é muitooooo raro, só q não.
Não está no mesmo patamar de violência masculina mas raro?? E isso falando de violência física, quanto a verbal e psicológica, acho até que está no mesmo patamar.

O fato da mulher do post ficar chocada que mulheres possam fazer uma merda dessa, já prova a crença de que todas as mulheres são anjos. E já leio seu blog a vários anos Lola, e se n me engano, em um post, você disse que ficou chocada ao descobrir que existia violência em relacionamento lésbico. Talvez n acredite agora que todas as mulheres são santas mas já acreditou.

Eu realmente n sei o que o feminismo ganha com essa cegueira toda. Basta darem uma olhada no instagram da Thais carla, pra ver o nível dos "anjos", ela é a dançarina da anitta, e é gorda. Dezenas de comentários nojentos vindo de mulheres atacando a Thais.

Anônimo disse...

Anon 01:21, não haja como um mula porque nenhuma parte do meu comentário diz que mulheres são santas ou não cometem violência. Antes de comentar aprenda a interpretar um texto Eu não preciso pesquisar nada porque já pesquisei muito sobre isso juntamente com parte das feministas que você generaliza e acusa de cegueira. Tenho certeza que fora você e outras mulas, qualquer um que leia a mula do "é por isso que deixei essa militância" e os meus comentários sabem bem que quem não é feminista aqui é ele é você. Se por mil e um motivos vc não quer ser feminista então entre no time dos antifeministas e do masculinistas. Seu lugar é lá.

Anônimo disse...

Prova a crença da escritora do post de que mulheres são anjos. Isso de forma alguma é a crença de todas as feministas como fala a mula do "é por isso que abandonei essa militância". Seus comentários perdem credibilidade quando vem com generalizações e universalizações. No caso desse troll que repete a mesma merda em todos comentários que faz já se percebe que não é feminista e além disso é muito mal-intencionado.

Anônimo disse...

Complementando meu comentário já li excelentes livros de feministas de verdade (não de mulas se fingindo de feministas) que abordaram a questão da violência cometida por mulheres sem nega-la, minimiza-la ou dizer que "eu deixei essa militância por isso..." No Brasil a academia também produz artigos sobre violência feminina escritos inclusive por feministas. Então a realidade não é bem como a mula está falando.

Anônimo disse...

E não se trata de cinismo. O feminismo tem o foco da igualdade entre homens e mulheres e o combate ao machismo e a misoginia. Não é que o feminismo ignora a violência feminina, mas que há uma discrepância bem grande entre a violencia feminina e a violência cometida pelos homens contra as mulheres. Então de forma alguma o feminismo vai ficar focando os defeitos da mulheres embora reconheça que eles existem.

Anônimo disse...

Focar em defeitos femininos, minimizar a luta feminista já é uma tarefa em os machistas e misóginos faz muito bem para que o feminismo abrace está "causa". Há coisas mais importantes para o feminismo se preocupar.

Marcos Sousa disse...

Na realidade, a maldade não têm gênero ou idade. Psicopatia, sociopatia, desonestidade e imposição de força (seja física, seja psicológica) não se restringe a nenhum nicho social.

Homens estupram mais, mulheres fazem mais Persuasão Psicológica, Gays são mais corporativistas com erros cometidos dentro de seu grupo.

Não adianta em nada, ficar impressionado ao saber que certos crimes são cometidos por certas pessoas - na Constituição de 1988 não diz que a má-impressão deva ser usada como atenuante ou aumentativo para que a Lei seja imposta nestes crimes.

Que a justiça seja feita; culpados sejam punidos, e inocentes sejam bem-tratados.

Números do IBGE, Coletivos, Pesquisas Pagas, ou "Achismos" não irão resolver o caso de quem sofreu; só irão florear o ego dos Movimentos Político-sociais, que, paradoxalmente, dão muito mais ênfase à catalisação de novos membros, que à situação de consumpção da vítima e de sua família e amigos...

Anônimo disse...

O que choca é só o fato de atletas paralímpicas cometerem um abuso. Que mulheres podem ser abusivas todo mundo já sabe bem, que o digam as filhas de mães narcisísticas... A questão é o silêncio que ao meu ver, diz o bastante.