terça-feira, 4 de abril de 2017

VITÓRIA DAS MULHERES NO CASO DO ASSÉDIO DE JOSÉ MAYER

Estou muito feliz com o desdobramento da acusação de assédio por conta da figurinista Su Tonani ao ator José Mayer. 
Pra quem imaginava, baseado em experiências anteriores, que Mayer seguiria fazendo novelas e assediando funcionárias e que a figurinista é que seria despedida, bom, as coisas correram de um jeito bem diferente.
A Globo lançou nota suspendendo o ator, que não será mais escalado para a próxima novela das nove, prevista para 2018. A nota diz também: 
"Essa é uma atitude isenta e responsável da Globo de não dar visibilidade a uma das partes envolvidas numa questão que é visceralmente contra tudo em que a Globo acredita. E não é uma atitude isolada. A atitude da Globo será sempre essa. A de defender que casos como esse devem ser apurados, ouvindo e oferecendo todo apoio às duas partes, dando possibilidade para que a verdade aflore e criando condições para que não se repitam. Foi isso que fizemos. E é isso que sempre faremos".
Além do mais, a emissora apoiou a manifestação de atrizes e funcionárias que hoje fizeram o protesto "Mexeu com uma, mexeu com todas". Elas não citaram diretamente o nome de Mayer, porque sabem muito bem que o problema de assédio sexual no trabalho não se restringe a ele. Fazendo um protesto sem um alvo específico, elas chamam atenção para a causa, que é muito mais importante que um caso individual. O protesto é lindo também por ser uma demonstração de sororidade. Não somos rivais, somos irmãs. E juntas somos mais fortes. A tag #chegadeassédio está bombando hoje no Twitter. 
José Mayer, depois da desculpa esfarrapada que deu após a denúncia (de que estariam confundindo o ator com o personagem machista), pediu perdão publicamente:
"Tristemente, sou sim fruto de uma geração que aprendeu, erradamente, que atitudes machistas, invasivas e abusivas podem ser disfarçadas de brincadeiras ou piadas. Não podem. Não são. A única coisa que posso pedir a Susllen, às minhas colegas e a toda a sociedade é o entendimento deste meu movimento de mudança. [...] Aprendi nos últimos dias o que levei 60 anos sem aprender. O mundo mudou. E isso é bom. Eu preciso e quero mudar junto com ele".
Até agora, enquanto escrevo este breve post, Su não se manifestou. 
Não é segredo pra ninguém que esses desdobramentos só estão acontecendo por causa da nossa luta. Primeiro, por causa da Su, que teve a coragem de denunciar. Segundo, pelo nosso barulho. Casos de assédio são sempre varridos pra debaixo do tapete, mas nós não deixamos. Nisso Mayer está certo: o mundo mudou.
Não se trata de parabenizar Mayer por admitir seu erro (ou seu crime, se Su ou alguma outra vítima for adiante com a denúncia, o que é seu direito). Mas, depois de errar grotescamente, ele erra menos ao assumir. Como ativista, sei bem que é raríssimo um homem se desculpar ao ser denunciado. O que eles fazem é chamar quem está denunciando (ou quem está divulgando o caso -- nós, feministas) de loucas, histéricas, oportunistas, mentirosas. Em vários casos, eles processam a vítima por calúnia e difamação. 
Num caso bastante recente, de um professor que se passava de grande feminista para assediar feministas na internet, ele não só nunca pediu desculpas ou reconheceu o erro (tipo: mandar imagens não requisitadas do seu pinto durante uma década), como também processou duas moças que o acusaram. Para não terem que perder ainda mais dinheiro, as moças assinaram um termo. Enquanto isso, o advogado do professor se vangloriava nas redes sociais, falando da "honradez" do acusado, e os amigos festejavam: "O mestre voltou!"
É quase sempre assim que os acusados agem -- por mais culpados que sejam. Por isso as palavras "Basta denunciar" soam tão cínicas para nós que denunciamos. Ontem mesmo vimos o caso absurdo de uma mulher em Balneário Camboriú que foi fazer um boletim de ocorrência e teve que ouvir da delegada que se recusou a registrar o ocorrido como tentativa de estupro, tipificando-o apenas como invasão de domicílio: "Quem mandou dormir com a porta aberta? Pensas que mora na Suíça?"
O pedido de desculpas de Mayer não remove a gravidade do que ele fez. Mas é uma confissão de culpa. Pelo menos assim um bando de babacas deixará de chamar a vítima de mentirosa ou dizer "Fiquem caladas aí, feminazis, é preciso ouvir os dois lados, cadê as testemunhas?, só porque ela falou não quer dizer que aconteceu", etc etc. Vocês conhecem o roteiro. 
De sexta pra cá, um tuiteiro aparentemente bem intencionado veio se opor ao nosso tuitaço #JoseMayerAssediador porque, segundo ele, não se pode "perseguir" antes de apurar os fatos. "Ceticismo é ótimo", ele me escreveu. Eu respondi que ceticismo é tudo que as vítimas que ousam denunciar recebem, sempre.
Outro comentarista tentou justificar seu "ceticismo" (eu me pergunto quando eles não são céticos em relação a acusações de assédio e estupro) com dois casos em que, segundo ele, a vítima foi desmentida. Olha os exemplos que ele usa: a camareira que acusou o então diretor do FMI Strauss-Khan de estupro num hotel em NY (como se o acordo que os dois fizeram, em que Strauss-Khan teve que pagar US$ 6 milhões a ela, significasse que ele tinha razão ou que ela mentiu), e a esposa grávida do cantor sertanejo Victor, que o acusou de agressão (ele foi indiciado hoje pela polícia, com base nas imagens das câmeras de segurança do prédio). 
Lógico que há mulheres que mentem (aliás, há pessoas que mentem). Mas mentir sobre casos de violência é raro. O que é comum no mundo todo é desacreditar a vítima, culpá-la pelo que sofreu, generalizar e chamar todas as mulheres de vadias e mentirosas. 
Por isso tudo que está acontecendo neste caso -- a corajosa denúncia de Su, a nossa força e união como feministas, a manifestação das atrizes e funcionárias, a suspensão da Globo a um funcionário valioso, o pedido de desculpas de Mayer -- representa uma vitória nossa. Um ponto marcado no combate à violência contra as mulheres. 
Casos de grande repercussão, como este, tem poder de impactar a sociedade. 
Que as pessoas, portanto, entendam que assédio é crime, não elogio ou brincadeira. Que mais mulheres denunciem. Que, apesar de todos os retrocessos, vale a pena lutar. Que saibam que nossas exigências de #chegadeassédio não têm nada de vitimismo. O que queremos é respeito.

Leia um update sobre o caso.

64 comentários:

Anônimo disse...

mais uma vitória das mulheres

e mais uma derrota para os machistas

lola aronovich disse...

Pessoas queridas, removi o excelente guest post da Naílle, publicado pela manhã, porque a maioria estava falando deste caso do José Mayer. Amanhã volto a postar o post da Naílle, para que ele receba a atenção que merece.
E tive que voltar à moderação dos comentários, porque tem mascu demais trollando. Aliás, pelo jeito o sujeito do "omens", "lixomens", "anomalia y", "homens são lixo" etc também é mascu, tentando se passar por feminista. De qualquer jeito, é troll.

Clara Mac disse...

Lola ainda não acho que seja vitoria, mas um bom começo. Vitória seria se ele fosse processado, julgado e pagasse por isso. Ser suspenso para "descansar a imagem" não parece grande punição. E vamos ver o que a globo fará com a figurinista...

André disse...

Sem medalhinha para o José Mayer, mas foi ótimo ele deixar um monte de imbecil com a brocha na mão. Os céticos já desceram do muro?

Anônimo disse...

Ótimo que voltou a moderação dos comentários. Esse macho nem pra fazer a lição de casa, se passando por feminista radical e enfatizando gênero de corpos celestes. Isso quando ele não banca a mãe "do filho que namora trans" mas usando todos os jargões masculinistas dos chans. Esse povo deve ir muito mal na escola porque vai ter tempo livre assim...

Anônimo disse...

lamentável a moderação ter voltado

LAMENTÁVEL

Anônimo disse...

Sobre esse caso, achei o andamento dele bastante surpreendente até agora mas não vamos esquecer que a figurinista tentou todas as instâncias antes de colocar a boca no trombone e aquele artigo ser publicado na Folha de São Paulo. Ou seja, se as "feminazis loucas e histéricas" não tivessem abraçado a causa, seria mais um daqueles dias em que uma mulher é mandada embora e um bando de macho branco rico dá risada e bebe uísque enquanto contam seus estupros uns aos outros.

Ela pode, e deve, entrar com ação criminal (visando condenação) e civil (visando indenização) contra ele e contra a Globo, que só deixou de ser omissa quando a bomba estourou e colocou a integridade física e psicológica de sabe-se lá quantas mulheres até hoje por atitudes assim.

Não me causou surpresa que atrizes que já contracenaram com o "galã" (aliás como um homem COM AQUELA CARA pode ser considerado galã, se alguém puder me responder....) tenham aderido ao protesto. Podem apostar: mais mulheres vão aparecer. Espero que todas tenham o mesmo amparo e coragem da Su e que assim, as coisas comecem a mudar de verdade, não cenograficamente.

Anônimo disse...

zé maia, "galã"

uma cacura dessas

deve ser o mesmo tipo de gente q considera francisco cuoco "sexy"

quanta forçação de barra

Anônimo disse...

Lola, amada

não precisa suprimir o debate com essa moderação

é só apagar os comentários asquerosos, como vc sempre fazia há anos

o ritmo e a qualidade dos comentários do seu blog vai voltar a ser aquele marasmo, q pena

Anônimo disse...

Viu que o cerco estava se fechando, então resolveu admitir o abuso sexual e depois ainda mandou algum assessor fazer cartinha de desculpas. Safado.

Anônimo disse...

Acho maravilhoso a repercussão. Muito bom mesmo. Não mudaria em absolutamente nada.

Porém vale registrar que Globo não me engana, querendo pagar de boa moça. E José Mayer também não. As ações devem estar minuciosamente calculadas pra minimizar o prejuízo na imagem do ator e da própria Globo. O comportamento do ator deve ocorrer há anos, na cara de todos (vide comentário da Letícia Sabatella), e não teria como esconder numa investigação... por isso resolveram assumir, pedir desculpa, punir. Aposto que a Globo tem uma penca de reclamações contra o ator e nunca fez nada.

Torço pra que Su leve adiante e denuncie o crime. O perdão ao Mayer está dado, agora que se faça Justiça.

Anônimo disse...

Fica aqui a lembrança da advogada que mudou pra Brasília para fugir do assédio do chefe e como ele continuou a assediá-la, acabou cometendo suicídio. Tenho ctz, pela forma com que o texto foi escrito, que Su é feminista a antenada. Se não fosse, talvez ela teria sido esmagada nas engrenagens do machismo.

Anônimo disse...

Sobre o cantor sertanejo indiciado:
Esposa apaga carta na qual desmentia as agressões http://extra.globo.com/.../mulher-de-victor-chaves-apaga...

Ex-esposa revela relacionamento abusivo Leia mais: http://extra.globo.com/.../ex-de-victor-claudia-swarowsky...

Aline disse...

Concordo com tudo menos com a parte de ser raro os casos de falsa violência, só vejo falarem isso direto e sem uma prova sequer, pelo q eu pesquisei tá bem longe de ser raro.
Não acredito nem um pouco nessas desculpas do Mayer.

Anônimo disse...

A esposa do cantor sertanejo foi chamada de mentirosa, louca e histérica por muita gente, inclusive ela foi desacreditada por mulheres fanáticas por esse cantor. Eu tinha certeza que ela estava sendo coagida por ele e pela família dele a desmentir as agressões. A própria mãe do cantor ao depor disse que a nora estava agindo de forma ''histérica''.

Charle Coimbra disse...

o sujeito do "omens", "lixomens", "anomalia y", "homens são lixo" etc também é mascu, tentando se passar por feminista.

Sempre me pareceu isso, Lola.

Anônimo disse...

19:10 é raro sim, pelo o q eu andei pesquisando, está longe das falsas acusações serem a regra, mas BEEEEM longe

Rodolfo Abrantes disse...

O José Mayer me decepcionou que atitude idiota, ainda mais para um homem que pode conquista uma mulher sem necessitar usar o abuso de poder e dá fama. Bom como disse no post anterior(que não sei porque foi censurado) se ele realmente fez o que ela disse deve pagar tanto no trabalho quanto na justiça.


Agora só um comentário senhora Lola não é tão raro assim uma acusação falsa de abuso ou estupro, tem um grande número de mulheres que usam desse argumento para prejudicar ou conseguir vantagens.

Anônimo disse...

Rodolfo

NENHUM homem NECESSITA usar abuso de poder e fama (ou qq outro abuso) pra estar com uma mulher. E quando o faz, isso não chama conquista...

Aline disse...

20:05

Onde você pesquisou? Porque eu achei matérias com varas de família e até delegacia da mulher dizendo que às vezes chegam a 50% de denuncias falsas, é mulher que brigou com marido querendo se vingar alegando estupro ou se vingam usando os filhos alegando q foram abusados pelo pai, adolescentes inventando abuso.

Anônimo disse...

Ingênua.

Anônimo disse...

Adoro essa gente que vem defender estuprador alegando casos de acusação falsa.

Gozado que é só com estuprador que existe essa grande aliança de proteção e acolhomento. Tem milhares de outras acusações "falsas" de inúmeros crimes por aí e pessoas inclusive já morreram por isso nas mãos dos justiceiros da via pública. Mas pra estuprador não, tadinho gente, tem que ver bem certinho isso aí porque afinal, em princípio, a culpa é da suposta vítima do sexo feminino.

Anônimo disse...

O esperneio masculino no uol está hilário e imperdível.

A macharada chiliquenta tá em peso mimizando por lá.

Anônimo disse...

Lindo de se ver, e disto o que falamos, somente entre nos mesmas e nos apoiando poderemos derrota-los.
Homens, a maquina de destruição.

Anônimo disse...

Caminho difícil

Por milhares de anos o ser humano vem tentando encontrar respostas para perguntas como 'qual o sentido da vida'? A filosofia que, ao que tudo indica, parece ter se iniciado com Tales de Mileto em meados de 700 a.C. visa encontrar vestígios de perguntas sem respostas. A pesquisa profunda pela verdade absoluta advém da filosofia, e quando falamos a respeito de caminhos fáceis ou difíceis estamos nos referindo a esse tipo de teorema.

É fácil aceitar o que desde criança te ensinaram que é errado. Difícil é, quando adulto, entender que te ensinaram errado o que desde criança você suspeitou que fosse correto. Em outras palavras, se você se enquadra em algum meio cujos estímulos lhe determinaram certo comportamento, fazendo com que estivesse à mercê de crenças já providas e bem estabelecidas em dogmas e rituais, com uma massa concentrada de pessoas nela; ou permitindo-o ficar no conformismo, aceitando o conceito de felicidade e de sentido da vida embutido pela mídia e pela sociedade, então claramente você faz parte do caminho fácil para a busca da verdade absoluta.

Acaso se enquadre na segunda opção, ou seja, aquele que suspeitava de todo conjunto de crenças que lhe foi enraizado, então este tem tudo para ser um investigador da veracidade nas coisas ao seu redor, entrando em um caminho mais complicado, no qual uma minoria se arrisca ou enfrenta com bravura.


Orahcio disse...

Como diria um amigo meu, quem está no muro só cai pra direita. Nesse caso só cairia pro lado machista.

Cão do Mato disse...

"Adoro essa gente que vem defender estuprador alegando casos de acusação falsa.

Gozado que é só com estuprador que existe essa grande aliança de proteção e acolhomento. Tem milhares de outras acusações "falsas" de inúmeros crimes por aí e pessoas inclusive já morreram por isso nas mãos dos justiceiros da via pública. Mas pra estuprador não, tadinho gente, tem que ver bem certinho isso aí porque afinal, em princípio, a culpa é da suposta vítima do sexo feminino."

Pois é... Parece vocês quando o assunto é crimes "comuns" (homicídio, latrocínio, sequestro, maioridade penal) versus abuso/assédio/estupro. Quando analisam os crimes "comuns", lançam mão de um discurso todo humanizado, focado na questão sócio-econômica,praticamente isentando o criminoso de culpa... Já quando a questão envolve violência contra a mulher, bolinador vira estuprador e a ele todo o rigor da lei (que para vocês nunca é severa o suficiente).

Anônimo disse...

cachorro disse...

"Pois é... Parece vocês quando o assunto é crimes "comuns" (homicídio, latrocínio, sequestro, maioridade penal) versus abuso/assédio/estupro. Quando analisam os crimes "comuns", lançam mão de um discurso todo humanizado, focado na questão sócio-econômica,praticamente isentando o criminoso de culpa... Já quando a questão envolve violência contra a mulher, bolinador vira estuprador e a ele todo o rigor da lei (que para vocês nunca é severa o suficiente)."


Mas quis dizer:

Pois é... Parece eu quando o assunto é abuso/assédio/estupro versus crimes "comuns" (homicídio, latrocínio, sequestro, maioridade penal). Quando analisam os abusos/assédios/estupros, lanço mão de um discurso todo humanizado em relação ao homem e desumanizado em relação à vítima feminina, focado na questão sócio-biológica, isentando completamente o criminoso de culpa e jogando toda a culpa nas vítimas femininas, porque quando um homem é vítima de abuso/assédio/estupro por outro homem, a leitura é bem diferente e a vítima é compreendida como vítima... Já quando a questão envolve crimes comuns, morador de rua vira serial-killer e a ele todo o rigor da lei (que para mim nunca é severa o suficiente).

Anônimo disse...

Uma comentarista do Correio brasiliense veio dizer que a maioria esmagadora das pessoas que desacreditaram a esposa do Vitor e a Suslem eram mulheres... Honestamente, não foi o que eu vi. O que eu vi e vejo direto é homem defendendo o outro, com o discurso do "pode ser mentira", ou "ela que não presta". Dificilmente vc acha um homem que se posiciona categoricamente contra o criminoso sexual, vide os comentários aqui. Por que defendem a vítima que foi abusada no caminho da igreja, durante o dia, vestida da cabeca aos pés, se acham muito justos, muito honrados, mas se descobrirem que essa mesma vítima tava indo pro bar... Aí vem me dizer que "not all men"... Me pergunto o que impede esses caras de evoluir, se é mais burrice ou mais má vontade, hipocrisia, comodismo. Mas as coisas mudaram, e vão seguir mudando, portanto, ou viram gente, ou fingem que viraram ou voltam pro esgoto de onde nunca deveriam ter saído.

Dan.

Anônimo disse...

No uol só homens defenderam o ator e o cantor e criticaram/desconfiaram/xingaram a figurinista e a, espero, ex-esposa.

Quando ficou demonstrado o abuso e a agressão, continuaram criticando/desconfiando/xingando as mulheres com aquele história de "pobrezinho, ele errou mas..." e aí vem uma enxurrada de generalizações, críticas e xingamentos às vítimas e às mulheres em geral.

É homem sendo homem. Nos portais progressistas, observa-se a mesma coisa. Muitos homens não comentam nesses portais pra não deixarem a máscara cair, mas os que comentam, reproduzem exatamente a mesma lógica "pobrezinho do homem, errou mas..."/"...aquela v. pediu/deu mole/mereceu".

Anônimo disse...

E quem disse que os ""fracassados" e introvertidos" não são igualmente cafajestes e violentos? Está bastante claro, pelas falas masculinas aqui postadas, que agem da mesma forma, já que jamais criticam os homens cafajestes e violentos, e ficam aqui xingando justamente as mulheres que criticam as posturas cafajestes e violentas dos homens.

Mas coerência nunca foi atributo masculino. A imposição da "lógica" masculina sempre se deu pela violência física, moral, sexual, política, religiosa.

Não há homem que consiga disfarçar sua misoginia. Assim que abre a boca, ela sempre fica explícita.

Homens demonstram misoginia até (ou principalmente) quando "elogiam" mulheres.

Anônimo disse...

é raro sim, seu merdinha

só 3% das acusações de estupro são falsas

é fato

Aline disse...

Merdinha? Kkkkkkk Haja saco! Ser feminista não me obriga a acreditar em tudo que é dito no feminismo, ainda mais sem provas.
Continuam falando que é raro e os dados que é bom, nada! Me mostre ou me diga algum site, porque sinceramente os dados que acho dizem o contrário.

E não engolir mentiras não é o mesmo que apoiar estuprador. Também sou contra o que andam pregando por aí, que já que os machistas só sabem duvidar da mulher e falar que é tudo vadia, agora a gente tem acreditar em qualquer coisa que uma mulher diga.
A mulher tem que ser tratada com respeito e esperar as investigações, sem ficar afirmando coisas sem saber de nada.

Anônimo disse...

13:36 quem não tem dados ou provas é vc

os dados que acho dizem q são raríssimos

só 3% das acusações de estupro são falsas

é fato

Anônimo disse...

você acredita e confia na "justiça" dos homens e nos métodos deles, isso já diz tudo...

Anônimo disse...

Eu acho que o Zé Mayer esta certo. Tentou comer a moça, só que não deu. Só o fato disso vir a tona faz um estrago na imagem de irresistível que ele tinha que é a maior punição que um ególatra pode receber.

Se eu fosse ele não pediria desculpas por ser homem. Por ser grosseiro e sem jeito sim; por ser homem e querer muito uma mulher não. Quem não pensa assim ou é feminista ou viado.

PS. Eu tenho várias amigas que confessam que quando o homem não as canta ou é MUITO respeitoso elas logo pensam que é gay. Elas estão certas.

Anônimo disse...

Em tempo: o Vitor, que atacou a própria mulher gravida com socos e chutes, este sim, merece que receber o corretivo que está recebendo da Globo e da mídia e seu eu fosse o pai da moça ele receberia um visita protocolar minha.

E o pior que ele continuam de dando uma de cínico/vítima no face, esse covarde.

Anônimo disse...

(Viviane)
Pois é, cão do mato, você mesmo passou uns três posts aqui perguntando sobre o caso Victor Chaves, dizendo ser uma "injustiça com o pobre cantor". E agora, José?

Anônimo disse...

Fico feliz de ver a Globo demiti-lo, mas insatisfeita que primeiro ele 'protestou inocência' e depois de ameaça de problemas mudou de ideia- e ainda veio falar que era uma 'brincadeira machista' ter colocado a mão na vagina dela- isso é estupro, não brincadeira. Enfim... Esperemos que ele não volte a fazê-lo.
Caio Blat: o serzinho imprestável hein?!

Marcos Sousa disse...

Por que a grande maioria das pessoas tratam o "Caso José Mayer" como assédio? Se fosse eu, que não tenho nem onde cair morto, mais feio que Unha Encravada, estariam me chamando de estuprador... Ele estuprou sim, e quem tem que pagar com cadeia é ele, e não sujar a maioria dos homens brasileiros como estupradores. Quem errou foi o Mayer, e eu digo pelos homens que conheço: o homem brasileiro, em seu bojo, não admite uma canalhice dessas, e nenhum outro tipo de violência contra quer quem seja. O povo brasileiro (homens, mulheres, homossexuais) é um povo bom, que não admite coisas desse tipo.

Não é só uma questão de educar o homem, mas, toda a sociedade, pois, o José Mayer era o paradigma de "Homem-macho" que a Globo desenhou para o Brasil, onde era copiado pelos homens e admirado pelas mulheres e homossexuais.

Mas, agora pra ele ser preso, será outra novela, ou vão esquecer o Caso, pois, a Globo não vai querer "perder o talento" dele e querer "se proteger" de mais uma polêmica envolvendo a Empresa...

Mais uma vez: se fosse um pobre-lascado, sem dinheiro e sem status, essa hora estaria preso na pior cadeia possível - e mereceria mesmo! Mas, como é um "Galã Global", é tratado como assédio, não como estupro...

"Va pensiero..."

¬¬

Unknown disse...

Marcos Sousa, infelizmente, as estatísticas estão contra essa crença da bondade do 'povo brasileiro'. E embora eu reconheça sim que é muito diferente o tratamento penal dado a um pobre e a um rico na justiça penal, pobreza não é desculpa para estupro, nem para assédio sexual. Se há um tipo de crime em que o recorte de classe explica pouco porquê o crime acontece, esse crime é o estupro.

Assediar, estuprar, agredir ou humilhar uma mulher não traz qualquer vantagem financeira para ninguém. O problema é que homens são socialmente incentivados a cometer tais atos para mostrar 'virilidade'.

E, em tempo: eu sei que mulheres estupram, mas a proporção não se compara: para cada 10 vítimas de estupro, o agressor é homem em 9 dos casos.
E, no Brasil, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada. Esse tipo de frequência só é comum em áreas de guerra, onde o estupro é usado como arma. Percebe o tamanho do nosso problema?

Marcia.

Unknown disse...

Em tempo: Lola, eu prefiro o blog com moderação. As respostas podem demorar, mas eu prefiro assim, não ter que ler o troll mascu disfarçado de feminista radical é ótimo. Continue.

Marcia.

Anônimo disse...

Tem é muita mulher defendendo o cantor sertanejo agressor, mas é claro que umas feministas desonestas sempre vão inventar que são sempre homens que criticam a vítima, sendo que na verdade a situação costuma ser proporcional, tem homens defendendo a vítima enquanto tem mulheres atacando até com palavras chulas e misóginas. Para essas feministas essas mulheres que atacam a vítima não são machistas não, são 'vítimas reprodutoras passivas do machismo''. Inclusive a mãe do cantor sertanejo mentiu no depoimento em favor dele. Por isso que muitas mulheres por mais que sejam contra o machismo e apoiem a esposa agredida, querem passar longe dessa militância desonesta.

Anônimo disse...

Atitudes lamentáveis pedem uma ação lamentável

Ezco Musaos disse...

Escroto das 14:42, projetando em todas as mulheres teu machismo e homofobia, não é? E o que seria "ser homem" na mente de um ser desses? Resposta: ser machista, grosseiro e assediador.

Cão do Mato disse...

Vejam que interessante...Nem Anon das 10:30, nem Viviane refutaram os meus argumentos. Pelo contrário, vestiram a carapuça e confirmaram o que eu disse...rsrsrs...

Loup~garou disse...

O ator simplesmente colocou a culpa na "geração machista", reduzindo a sua responsabilidade.

Anônimo disse...

Ja dado a opiniao,sr misogino.Vaza!

Anônimo disse...

Errado, cachorro.

Eu mostrei que você imputa aos outros o que VOCÊ pensa. Você projeta nos outros seus defeitos, seus pensamentos e suas ações.

E agora, que fica cada vez mais evidente que o tal cantor é violento e abusivo, o que tem a dizer?

Anônimo disse...

Cãozinho, esse seu trololó não cola aqui. Você não postou nenhum argumento.

Unknown disse...

Desculpe não concordo com o termo vitoria das mulheres, vitoria seria se esse véio tarado fosse mandado embora e não viesse com essa desculpa esfarrapada que á culpa de sua geração botando todos os homens de sua idade no mesmo balaio de gato de tarado que, meu pai, meus tios e muitas pessoas que conheço, acredito que muitas mulheres que aqui estão e outras que ficam despejando ódio contra os homens, tem pais e parentes e conhecidos que nunca apoiariam esta atitude covarde que ele fez e digo mais posso apostar que se ele fizesse isso em algum lugar publico, fora desse meio profissional ele levaria era uma surra, para mim o que aconteceu é aquele bom e velho ditado"Tudo posso tenho dinheiro e poder"
Espero e torço que ele se lascou, porque esta garota deva ser diferente do que ele esta acostumado a mexer, que ela seja, uma mulher de princípios e moral e não me leve a mal se você pensar de maneira diferente apenas uma feminista cheia de ideologias controversas como que a liberdade sexual da mulher significa empoderamento, que como se vestir vulgarmente e ou ter atitudes vulgares como a desse tarado é uma libertação feminina, pois ao meu ver não é isso só serve para banalizar a mulher, do mesmo jeito absurdo que o funck ou outros certos tipos de musica o fazem, eu tenho uma filha mulher e tem hora que é foda da até vergonha e criar uma menina hoje é difícil, de um lado tem as funkeiras se degradando e se menosprezado sexualmente, do outro algumas que se consideram feministas dizendo se orgulhando de ser chamadas de vadias, exibindo seu corpo e sua sexualidade como se fossem lutadoras das causas das mulheres, porque ver anita e Valesca popozuda como exemplo da causa feminista é foda.
Desculpe acho que fugi um pouco do assunto, mas por fim queria dizer que homens e mulheres sempre serão diferentes, nossas prioridades são diferentes, nossos jeitos são diferentes, nossos pensamentos e atitudes sempre serão diferentes, um exemplo disso é quando dizem que homens ganham mais do que as mulheres, muitos casos são por causa das prioridades, o homem sempre prioriza o trabalho e faz mais hora extra, acho que é errado mas creio que faça, parte de nossa natureza como se levar mais dinheiro, para casa seja trazer mais segurança e conforto para sua família, já as mulheres geralmente priorizam sua família que ao meu ver seria a atitude correta em ambos os casos, mas acho que também faz parte da natureza feminina e isso podemos observar até no meio animal a femeá sempre cuida de sua prole e macho sempre busca vigiar e proteger dando segurança e conforto e não podemos esquecer que mesmo sejamos racionais somos animais com instintos pré determinados como qualquer outro creio que sejamos assim e por mais que tentemos provar de varias maneiras que podemos viver sem um ao outro, isso nunca ira acontecer pois a continuidade da sociedade depende de todos nos e quando digo isso pode acrescentar casal gay lésbicas, não importa para continuação da humanidade sempre terá de existir o macho e a femeá independente de sua opção sexual, ou seja lá como chamam hoje em dia, estou meio confuso quanto a isso.
Espero que não me xinguem muito, fiquem em paz e obrigado pelo espaço de ideias

Anônimo disse...

Eu sugiro que as pessoas comecem a usar a força das palavras e darem o nome certo das coisas. "Assediador" é um termo muito fraco e incorreto para um cara que meteu a mão na vagina de uma mulher. Estuprador, gente.

Anônimo disse...

(Viviane)
Refutar para quê? Eu não estava respondendo, apenas chamei a atenção para sua incoerência.

Cão do Mato disse...

Viviane, você só comprovou que não é diferente...rsrsrsrsrs... Ambos somos incoerentes...rsrsrs...

Anônimo disse...

Unknow da 01:29

Ficaste até a 1:29 da madrugada pra escrever uma ode ao machismo.
Tá tentando justificar que a mulher trabalhe no fogão de casa e ganhe menos porque não trabalha direito.
Te liberta do machismo da tua cabecinha de porongo!

Anônimo disse...

08:18 não, o único incoerente é vc

Anônimo disse...

01:29 só li merda regurgitada

se interna, doente

Mila disse...

A gente percebe o quanto o homem brasileiro é conivente com o assédio e até mesmo o estupro quando esse ceticismo persiste mesmo depois do homem ter admitido que ele assediou a funcionária. É uma coisa impressionante que mesmo depois de confessar a culpa ele ainda encontre apoiadores - anônimos, mascus fakes e famosos - como se assédio fosse uma brincadeira e como se a reação fosse exagerada. Eu acho que não precisa ter mais provas de como o macho brasileiro não mede esforços para apoiar outro que agrediu uma mulher.

Anônimo disse...

A Viviane apenas apontou que agora você está tendo o que tanto queria, Cão do Mato, que é o desfecho do caso Victor.
Aliás, sua afirmação sobre crimes de estupro e crimes comuns está repleta de generalizações hein? As explicações socioeconômicas para crimes comuns (contra o patrimônio ou homicídios decorrentes da violência urbana) são uma pauta mais comum na esquerda (é errôneo dizer que toda feminista é de esquerda). São teses que buscam explicar como a pobreza e a desigualdade social podem ser fatores importantes - mas não necessariamente determinantes - para a criminalidade, entretanto, para pessoas com preguiça de pensar, isso significa "coitadizar" o bandido. Como a Márcia falou, estupro e assédio não são crimes que resultam na acumulação de bem ou valor, e, sendo presentes em todas as camadas sociais, as explicações socioeconômicas não servem para esses crimes. Ah, mais um adendo: as chances de reabilitação e incorporação na sociedade em crimes contra o patrimônio são maiores que as de um crime de assédio ou pedofilia. Por isso faz sentido entender como fenômenos diferentes.


Aline, eu também já pesquisei o número de comunicação falsa de estupro, e só cheguei a esse caso da juíza da Vara de Família que disse numa entrevista que eram 80%. Pelo modo que ela disse, nada dava a entender que se fez um levantamento de um determinado período, acredito que foi uma figura de linguagem. Ainda assim, é num contexto muito específico, não acha?

E aí a gente tem dois caminhos: são raras ou não as falsas comunicações de estupro? Eu prefiro acreditar na raridade, pois se o estupro fosse um crime com uma taxa tão alta de falsa comunicação, certamente haveria levantamentos, pois não se faz levantamentos quando o problema não é percebido de maneira tão frequente.
E mesmo se as falsas acusações fossem expressivas, de maneira nenhuma tornaria o estupro um crime menos pavoroso e menos importante. Até porque o número é altíssimo no país, sem somar os casos de subnotificação (que também são altos).
Não se engane. Quando um homem evoca essa coisa de falso estupro numa discussão sobre estupro é sempre com a tentativa de fazer feministas admitirem que existe esse falso estupro e que provavelmente é mais um caso de.

Anônimo disse...

(Viviane)
Grata pela defesa e pela paciência em responder, anon 13h26

christofer disse...

Vitimismo masculino é demais

Anônimo disse...

Na hora em que soube dessa noticia do assedio se José Mayer eu senti uma dor tão profunda, seguida de náuseas, por ter que matar alguém a quem eu queria tão bem, há quase quatro décadas. Matei! Agora só sinto náusea. Se a mulher diz NÃO. É NÃO!!!!!!
Acredito que ele tem um transtorno típico daqueles monstros, que nem ouso dizer o nome.

Unknown disse...

Digitando com os pés, pois estou.Aplaudindo com as mãos!

Mineiro Foca disse...

Ainda não acredito no que estou lendo!!!!! Ainda existe feminista coerente! Parabéns!!!! Disse tudo!