sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

SEXO NÃO É EXCLUSIVIDADE DA JUVENTUDE

Meu querido Flávio Moreira encontrou e decidiu traduzir este texto de Anne Karpf publicado recentemente no jornal The Guardian
Diz Flávio: "Não sei se é porque estou passando dos 50 ou porque o assunto nunca é ventilado com frequência nas discussões, mas pensei que o texto seria um bom argumento para um debate, porque afinal sexo afeta a vida de todos nós. Parece que há um 'apagamento' progressivo das formas de expressividade humana dos idosos, inclusive sua expressão sexual. O texto não é muito neutro -- o homem ainda recebe mais consideração do que a mulher (acho essa ressalva importante), mas a discussão geral é pertinente".

Esqueça o chocolate e o companheirismo: é bem provável que o amor para as pessoas com mais de 60 anos esteja ligado ao desejo erótico.
Uma das coisas mais emocionantes que já ouvi foi a fala de um homem no funeral de sua esposa, falecida após alguns anos de luta contra o câncer. A conexão sexual entre eles, segundo ele, foi a última coisa a acabar.
Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, recém-publicado na revista Psychology and Aging, com 5.500 pessoas entre 20 e 95 anos que são usuários do site de encontros eHarmony, descobriu que o desejo era considerado tão importante quanto o companheirismo entre aqueles com 60 anos ou mais.
Não é a primeira, nem será a última, pesquisa a descobrir que o desejo sexual não se extingue.
Mas o que é interessante é que isso tem que ser redescoberto repetidamente, como se fosse uma contradição às narrativas dominantes em torno de sexo e envelhecimento na qual não conseguimos acreditar.
Nossas ideias sobre sexo foram tão colonizadas pelo modelo ginasta -– todas aquelas contorções acrobáticas, supostamente incompatíveis com quadris artríticos e joelhos duvidosos --, que a descoberta parece ser simplesmente contra-intuitiva. O velho ditado de que a zona mais erógena é aquela entre as orelhas é obliterada quando prevalece esse discurso sobre posições.
E existe a presunção de que o desejo se desenvolve a partir da (e mesmo exige a) novidade, como se fosse uma corporação transnacional que precisa inventar produtos que mudam constantemente para nos manter interessados (daí o clichê sobre a paixão declinar inevitavelmente em relações longas). Nós subvalorizamos, talvez, o amante experiente em relação ao novato.
Obviamente, alguns estereótipos bem duvidosos estão enraizados na ideia do idoso assexual. Parece que o desejo sexual é uma emoção muito feroz para se ajustar à caricatura da idade avançada (não fique tão excitado, querido, ou você vai ter uma trombose).
Isso tudo faz parte da “pastelização” da velhice, a noção de que quando o cabelo embranquece a paleta emocional também empalidece: que a idade avançada exige uma camisola flanelada e uma caneca de chocolate quente, uma companhia (palavra que carrega um ranço de cômoda, de coisa velha), não um amante.
Corpos enrugados são frequentemente descritos como se fossem inerentemente repelentes. Enquanto as mulheres são particularmente vulneráveis a esse tipo de aversão e muitas vezes internalizam isso, o idoso sexualmente ativo também é motivo de piadas (há páginas sobre eles na internet) e repulsa, visto como um indivíduo inadequado que precisa de Viagra, ou um velho sujo.
Como homens — e mulheres — têm sido mal servidos pela visão hidráulica da sexualidade: sexo como mecânica, pressão, ângulos.
Na realidade, apesar das diferenças culturais, o desejo sexual para muitos (não para todos) é uma necessidade humana básica: não é porque algumas pessoas têm pouco interesse, por exemplo, em comida à medida que envelhecem, ou comem menos, que deveríamos então assumir que pessoas idosas em geral não sentem fome ou prazer em comer.
De fato, pessoas idosas muitas vezes relatam um desejo de tocar e serem tocados. Embora existam tantas outras maneiras não sexuais para isso, sexo é uma forma muito boa.
Entretanto, isso tem se mostrado particularmente problemático em asilos mais paternalistas, onde qualquer sinal de encontro sexual entre os residentes é mal visto.
Sem dúvida, a reação de muitas pessoas idosas a esse novo estudo vai ser de “quem dera”. É a ausência de oportunidade e não de desejo que eles lamentam.
Esse estudo é baseado em usuários de um site de encontros, e é provável que os idosos que usam esse serviço sejam um pouco mais cheios de vida do que seus colegas de idade.
Ainda assim, onde está a prova de que relações de longa duração inevitavelmente ficam menos sexuais? 
Não seria o caso de, quando um homem se torna menos impaciente sexualmente e a mulher sexualmente mais assertiva, quando um casal passa a conhecer melhor as necessidades e os corpos um do outro, o sexo — ainda que diferente — poder se tornar mais, e não menos, erótico? Ou, quando não há necessidade de contraceptivos, ou a perspectiva de filhos, o sexo seja menos ansioso?
Sabemos que a experiência de envelhecer está mudando. O atual conjunto de pessoas idosas se tornou sexualmente ativo na década de 60 — a geração da pílula, do movimento gay e assim por diante. Caitlyn Jenner, a nova mulher trans do momento, tem 66 anos. Sexualidade polimorfa não é exclusividade da juventude.
Seria uma pena se descobertas sucessivas de que o desejo não necessariamente diminui com a idade fossem usadas como mais uma prescrição — você tem que fazer — para se somar a outras normas punitivas sobre “envelhecer bem”.
Alguns homens e mulheres estão muito satisfeitos de não ter mais que lidar com a coisa toda do sexo. Mas até aí, isso se aplica a pessoas de todas as idades.

39 comentários:

Anônimo disse...

Sai dai! Velhxs falam que estao na ativa pra se sentirem incluidos. A era de todo mundo acaba um dia!

Anônimo disse...

Daqui a pouco vai umas rads dizendo que o sexo hétero é opressivo, só tenho a dizer que nossos idosos sejam felizes e curtam sua vida sexual

Anônimo disse...

Enquanto a sua nem existiu, né mascu das 13:01? Inveja mata...

Anônimo disse...


Olha Lola com todo o respeito que você merece, e eu sei que este blog e seu, e por isso você publica o que quiser aqui, massssssssssssssssssssss vamos combinar tem assunto bem melhor para se tratar num blog feminista, do que sexo na terceira idade, sexo na terceira idade atualmente algo tranquilo que e só fazer e pronto.

No lugar deste post e era bem melhor (se te deu tesão para tratar de sexo) um texto, sobre a fiscalização que ainda e forte sobre a sexualidade das mulheres.

Se eu fui grosseira desculpe, mas eu precisava desabafar.

Suellen

lola disse...

Suellen, obrigada pelo comentário respeitoso. Mas sabe, uma coisa é sugerir um tópico, outra é dizer que "tem tema mais importante pra ser tratado em blog feminista". Porque no primeiro caso vc acrescenta, no outro vc desmerece. E é óbvio ululante que sexo na terceira idade É um tema feminista! Talvez não seja pra vc. Sei que a enorme maioria do meu leitorado é jovem, gente com menos de 30 anos. Mas tem tão pouca coisa no meu blog relacionada à meia e terceira idade que eu até fico com vergonha. Daqui a pouco EU entro na menopausa, e sabe quantos posts tem no blog sobre menopausa? ZERO!
Então preciso de guest posts e traduções de bons posts sobre os mais diversos assuntos. Diversidade sempre!
Aliás, gente, eu tô precisando urgente de um guest post sobre a ocupação das escolas em SP. E outro sobre o desastre ambiental em Mariana. Se quiserem escrever sobre o impeachment, também tá valendo. São assuntos que me interessam bastante, mas que não me sinto tão inteirada a ponto de escrever sobre eles.
Eu estou super ocupada. Muitas viagens e final de ano. Um monte de relatórios e artigos pra entregar, provas pra criar e corrigir, aulas até dia 19 de dezembro, depois volta em janeiro... Não tá fácil. É por isso também que publico vários guest posts. Quem quiser mandar algum guest post pra mim (não existe na minha opinião tema mais ou menos relevante; tem 3,800 posts aqui no blog, sempre cabe mais um!), fique à vontade. Meu email é lolaescreva@gmail.com

Flavio Moreira disse...

Oi, Suellen.
Não sou a Lola e não respondo por ela, mas creio que existe um pequeno contrassenso na sua afirmação: você prefere ter um post sobre fiscalização da sexualidade feminina (que é super importante discutir, diga-se de passagem) mas para isso deslegitima a vida sexual de pessoas da terceira idade que engloba, inclusive e principalmente, mulheres?

Não sei se sexo na terceira idade é "algo tranquilo que e só fazer e pronto" principalmente porque sexo não parece ser uma coisa tranquila na nossa sociedade, pura e simplesmente. Por que desconsiderar a experiência de mulheres de terceira idade (já que estamos num blog feminista, como você frisou)? Ou quando você fala sobre fiscalização "sobre a sexualidade das mulheres" refere-se somente à das mulheres jovens?

Creio que o primeiro "comentário" (se é que merece ser chamado assim) mostra bem a extensão do problema levantado pelo post. Não é o único problema que afeta as mulheres? Certamente não. Não é o mais importante? As mulheres da terceira idade que eventualmente leem o blog podem discordar dessa opinião. Mas, como tem sido a tônica no blog da Lola, traz diversidade para as matérias abordadas aqui, numa perspectiva plural que tornam esse blog uma das leituras mais interessantes e construtivas que já vi na Internet.

Abraços.

Flavio Moreira disse...

Lola foi mais rápida que eu (rs)... e bem mais incisiva.

Anônimo disse...

Pessoal reclama de post da Lola
daí o que acontece ?
A Lola coloca um post sobre deficiencia e pouquissimos comentarios.
A Lola coloca post sobre cancer. Pouquissimos comentarios tambem.
Lola colocou post sobre mulheres presidiarias. Poucos comentarios.


to com a Lola, o blog é dela e ela coloca o que quiser.

sandramorena disse...

Lola

Esotu quase chegando aos 60,e vou ter que concordar que meia idade e terceira idade velhice ou qq outra coisa é sim um problema feminista e dos maiores.
Pq se ser mulher já é dificil, ser mulher e "velha" é muito, mas muito mais dificil.
Procure pela net, moda para senhoras, moda mesmo.... daquelas o que fica bem vestirmos, ou procure, problemas enfrentados por mulheres mais velhas como o que usar de produtos especificos para quem tem mais de 50. Alguem pode me dizer,o que interessa ao feminismo moda???
Interessa ao ponto que moda só interessa para mulheres jovens e bonitas, maquiagem, só interessa a mulheres jovens e bonitas, pq afinal, velhas, não devem estar na internet, tem que estar cuidando dos netos, ou da casa, imagine se precisa de maquiagem para fazer isso???
Imagine pensar, que velhas vão a praia, mostras pelancas....ou as como eu gorduras.
se vc é jovem e gorda, encontra moda plus size. Se é velha... um vestidinho de algodão já está ótimo.
Isso é levar as mulheres a total invisibilidade. Se mulher até os 50 tem problemas...as de mais não existem.
Desculpe o desabafo.
Adoro seu blog, e conheci no twitter, pq velhos também estão em redes sociais.

Mila disse...

Obaaa, post sobre terceira idade! Dá para falar tanta coisa sobre este assunto!
A sexualidade da mulher tem nuances características. Primeiro que a mulher idosa sofre estigmatização como assexual, de corpos feios, de "pelancas" e rugas. Rola aquele estereótipo de mãe sagrada, de vó que vai à Igreja aos domingos e faz bolinho para os netos. Confesso que tento me desvencilhar deste pensamento, mas ainda o tenho. É mais possível, principalmente depois do Viagra, aceitar homens idosos tendo vida sexual maior que as mulheres, principalmente se for com uma mulher mais jovem. O que é curioso, visto que a potência sexual é posta como algo que afeta muito mais os homens mais velhos que as mulheres.
É válido fazer o recorte de mulher idosa, que exprime em seu corpo os sinais de mulheres com essa idade. As chamadas MILF estão submetidas, assim penso, à situações e problematizações distintas.

Carol Costa disse...

Perdi o fôlego ao ler o comentário da sandramorena... Gosto muito dos seus leitores, Lola! Aprendo com você, mas às vezes acho que aprendo mais com eles!!!

Anônimo disse...

Lola eu estava navegando na net, e me deparei com algo que eu achei bem assustador.


Da uma olhada nisso

http://pedromaganem.jusbrasil.com.br/noticias/263561384/para-27-dos-universitarios-abusar-de-garota-bebada-nao-e-violencia


Luiz Prata disse...

Creio que essa repulsa e fiscalização sobre o sexo na terceira idade se somou a homofobia no caso da rejeição ao casal de mulheres da novela Babilônia. Uma pena, porque Fernandona e Timberg formaram um casal bonito, numa relação harmônica e afetuosa.

Anônimo disse...

Na boa homem velho da muito nojo.

Anônimo disse...

Digno de aplausos A temática de hj Lola ....

Aliás ... Nunca vejo tópico ruim em teu blog ... Sempre recheados de : 'muito a refletir ....' "Repensar e reinventar-se "


--------- porque não falar dessa abordagem ? Notícia da bbc Brasil ----------------- segue adiante trecho ....

Jovem diz não usar outros contraceptivos devido a efeitos colaterais

Uma britânica de 29 anos que não quer ter filhos descreveu para a BBC a luta para tentar convencer médicos do serviço público de saúde a fazer uma laqueadura.

Holly Brockwell, de Londres, contou que, quando diz às pessoas que não quer ter filhos, sempre é questionada e todos reagem mal à sua decisão.

.........

"Se eu digo que não acho que seria uma boa mãe, por exemplo, as pessoas respondem: 'todo mundo se sente assim no começo'. Se eu digo que não consigo imaginar como arrumaria tempo, energia ou dinheiro, me falam: 'encontre um jeito para conseguir'. Se digo que quero dedicar minha vida à minha carreira, as pessoas dizem que sou 'egoísta'".
..........

Holly afirma que não usa outros contraceptivos pois a pílula anticoncepcional causava efeitos colaterais que a deixou doente durante anos. Ela também ficou sabendo de efeitos colaterais terríveis entre as pessoas que usavam dispositivos intrauterinos.


Podemos escolher ficar grávidas aos 16 anos mas não podemos rejeitar a maternidade aos 29. Parece que nossas decisões apenas são levadas a sério quando elas estão de acordo com a tradição."




http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/11/151129_britanica_laqueadura_fn
------------


Anônimo disse...

.Tenho um casal de idosos amigos da família, um tem 85 e a outra 83.Um casal lindo de ser ver e ela super pra cima,ele muito respeitoso, afinal twm homem velho que é fogo. Ela diz, quando ele não ta perto, que tem vergonha, que eles têm vida sexual sim.Usa remedinho, é devagar, mas como ela diz " dá -se um jeito".Pra um casal há 60 anos juntos, acho o máximo.

Anônimo disse...

Penso o mesmo, Luiz Prata. Casais lésbicos não são exatamente novidade na TV. Duas novelas antes, o povo shipava Clara e Marina (Em Família), mulheres jovens, brancas, bem sucedidas e sensuais, sempre queriam a apelação sexual entre elas. Em 2002, Clara e Rafaela (Mulheres Apaixonadas) eram duas colegiais, brancas, jovens, sensuais. Querendo ou não, esses casais lésbicos também se amparavam no prazer masculino. Tirando o fetiche da equação, nota-se que lésbicas são "toleradas" socialmente sob circunstâncias bem específicas.

donadio disse...

"Sei que a enorme maioria do meu leitorado é jovem

Não somente é jovem, como, pelo visto, planeja morrer cedo. A ideia de que um dia terão 50, 70, 80 anos parece que não lhes passa pela cabeça.

Rafael Cherem disse...

Tema relevante,acho que o sexo melhora com a idade, e é parte importante de um relacionamento afetivo, digo que é a mais importante. Curioso que é um assunto que não se discute, não se fala, e quando se fala tratam os idosos como micos, "olha lá que bonitinho" eles também trepam.

O fato é que sexo melhora com a experiência.

Anônimo disse...

Só faltou uma foto tua com o "maridão"...

Anônimo disse...

Pois é, eu sinto exatamente como alguém acima falou: parece que as pessoas pensam que vão morrer sem envelhecer. E o pior é que eu pensava exatamente assim! Até que a menopausa chegou, e eu tomei um susto avassalador! Eu dizia para minha irmã mais velha " Mas como ninguém me avisou que isso ia acontecer?" Coisas acontecem no corpo da gente e a gente passa a não se reconhecer mais. É uma queda vertiginosa. A gente não envelhece aos poucos, a sensação é mesmo de cair em um abismo.
Mas sem entrar nesses detalhes, o mais horrível de tudo, e que tem TUDO a ver com o feminismo, é o nosso apagamento social. A gente começa a se sentir invisível. Os homens da nossa idade estão namorando moças no mínimo 10 ou 15 anos mais novas. O cabelo grisalho deles tem "charme", as pequenas rugas, até a barriguinha. Nós, mulheres, com a mesma aparência, somos umas "barangas". Olha, eu pareço no mínimo 10 anos mais jovem do que sou (graças a 2 plásticas e muita dieta, diga-se de passagem) (das quais não me orgulho, diga-se de passagem também) e assim mesmo é dureza encontrar companhia. Atualmente estou namorando uma pessoa um pouquinho mais jovem que eu, mas não sou um exemplo. A maior parte das minhas amigas da minha idade (tenho 52 anos) que se separaram, estão sozinhas ou com pessoas que não tem nada a ver com elas. Quero dizer, ou você se torna muito pouco seletiva, ou fica sozinha. Homens livres nessa faixa etária estão namorando pessoas muito mais jovens. É um fato. Eu estava lendo outro dia sobre a solidão das mulheres negras. Acho que se passa o mesmo com as mulheres acima dos 50.
Fora o desdém com que nossas questões são tratadas, veja-se o primeiro comentário do post.
Eu acho que o feminismo tem muito a fazer por mim, mas sobretudo para vocês, mulheres mais jovens quando chegarem na minha idade. Se começarem a desconstruir a imagem da mulher mais velha como vovó assexuada enquanto os homens da mesma idade continuam atuando nos cinemas, televisão, e até mesmo na literatura com moças muito mais jovens. Há um longo percurso. E há muito o que ser discutido.


Anônimo disse...

Eu lembro de um casal de idosos no posto de saúde onde trabalhava, ele tinha 85 e ela 81, chegavam de mãos dadas, pareciam namorados, quando ela ou ele iam para um exame separados se beijavam nos lábios, era tão lindo ver, estavam casados há 60 anos e antes disso namoraram 3. O problema foi minha mudança para outro estado e ainda não encontrei nenhum casal assim onde moro ou trabalho, mas eu e meu esposo estamos juntos há três anos, embora nos conhecemos desde 1992, espero ficar como este casal de idosos e fazemos de tudo para manter cumplicidade, compreensão, amor, reciprocidade e principalmente tesão.

Anônimo disse...

own, casais de velhinhos. Acho tão lindos!!
Felizes para sempre. Casados há 150 anos.
Você olha e morra de inveja e quer um casamento assim pra vc. Só que não.

https://www.youtube.com/watch?v=GOoXzBPUEQI

Anônimo disse...

Pq ser feliz com alguém todo este tempo né anom das 20h37.Coisa de gente mal amada e se eles tiverem casamento aberto? Se perdoarão? OU não são problema seu? Muutas pessoas são felizes juntas e muitas não, para isso serve o divórcio, agourar a felicidade alheia é feio e hipócrita.

Anônimo disse...

Anônimo 20:37


Eu só digo uma coisa, para toda pessoa que casada e feliz, tem outra que esta solteira e muito feliz também.


A realidade te mando lembranças.

Ass, Eduardo

Anônimo disse...

kkkkk só postei isso por brincadeira.
Claro que comigo vai ser diferente porque o amor é lindo blablabla ZZzzzzz
O meu velho encantado já está reservado pra mim!

Odara disse...

Que post e que comentários encantadores!
E que relatos fortes sandramorena e anon 18:59... a solidão da mulher velha! "Velha": esse adjetivo tem uma conotação terrível na nossa sociedade!
E comentaristas que pretendem morrer cedo como o donatio falou: acelerem porque vocês serão consideradas velhas bem antes do que imaginam....

Anônimo disse...

anon das 15:12

acho o fim dos tempos alguem propagar esse tipo de comentario

Anônimo disse...

!"a solidão da mulher velha!"

Eu acharia normal este argumento se fosse com base em amigas, companheiras, filhxs, mas como o post se refere a sexo heteronormativo(de muito mau gosto para o feminismo alias) entre pessoas da terceira idade, como assim "solidão" como se mulher precisasse de um homem ao lado para ser completa? Senso comum total, isto não e solidão e liberdade, a maioria das idosas e mulheres de mais de 40 que conheço se sentem vivas de verdade quando o opressor de vida morre ou quando se livram dos entulhos via divorcio.

Anônimo disse...

"ele tinha 85 e ela 81, chegavam de mãos dadas, pareciam namorados, quando ela ou ele iam para um exame separados se beijavam nos lábios, era tão lindo ver, estavam casados há 60 anos e antes disso namoraram 3"

Será? Eu vejo nisto uma mulher chagando ao posto com seus grilhão que a sociedade patriarcal dourou para ela com sua ferramenta favorita o mito do amor romântico hheteronormativo, pensem no tempo em que os dois se conheceram, há quase 70 anos atras? Acham que eram bons tempos para mulheres?

Anônimo disse...

eu vejo muita gente achando bonito quando tem "avos fofinhos que fazem tudo juntinhos",
e esquece de incentivar a autonomia e a independencia deles isoladamente,

daí, (em casos que já presenciei)
quando um fica viúv@ ,
temos outro deprimid@.
Porque viveu sem amigos, sem hobby, sem seus momentos de solidao, ... porque tudo era feito "juntinho e bonitinho". E a família achando bonitinho esse exemplo de validação da familia tradicional.


Odara disse...

Eu não tinha entendido essa coisa da "solidão" como "sem hómi"!
E não acho que quando se fala da "solidão da mulher negra" seja nesse sentido.
Me parece uma crítica mostrando a diminuição do valor para a sociedade, por isso achei pertinente; )

Anônimo disse...

Bem, eu não sou entendida em nada, nem em feminismo muito menos sobre o movimento negro. Falo por mim, pelo que já li e pelas minhas vivências.
Sobre a "solidão da mulher negra", o que li e o que vi narrado por elas (aqui um exemplo:
https://www.youtube.com/watch?v=WwFqeUxep44
é de que se fala, sim, do que a moça mais sabida ali acima chamou de "heteronormatividade".
A solidão da mulher velha que eu mencionei no meu comentário é a mesma de que ela fala. Por ter 52 anos, não tenho menos necessidade de sexo do que quando tinha 25. E acho difícil encontrar parceiros. Em nenhum momento falei que preciso "de homem ao lado para ser completa". Eu falo do que eu vivo, de minhas amigas e conhecidas. Na imensa maioria, não estamos interessadas em um relacionamento como os que já tivemos. Já fomos casadas, ou vivemos junto, já tivemos filhos, temos nossa independência e estamos muito bem com ela. Eu não queria nem morta dividir minha casa com outro homem novamente. Mas isso sou eu, a minha realidade, o pequeno recorte do mundo que conheço e onde vivo. E não acho que a minha experiência, os meus desejos e as minhas necessidades tenham menos valor do que os de qualquer outra pessoa.

Anônimo disse...

ops, me enganei sobre o link para o vídeo da "solidão da mulher negra"
Aqui está a primeira parte:

https://www.youtube.com/watch?v=hmvSLJOY0n0


Anônimo disse...

Odara, não é meu local de fala, mas salvo MUITO engano tanto a solidão da mulher negra como a solidão da mulher velha (como citado pela anônima das 18h59min e 09h54min) se referem ao sexo heterossexual sim, nada a ver com amigas, família ou mesmo a relacionamentos homossexuais, pelo menos os textos que tenho lido nunca falam de nada disso.

Anônimo disse...

parem de chamar a liberdade da mulher de soidão, parem de superestimar e valorizar relacionamentos abusivos com homens.

Anônimo disse...

Pare de cagar regra e querer silenciar os outros porque não seguem sua cartilha. Você não detém o monopólio da verdade, nem determina o que é válido ou não para todas as mulheres.

Anônimo disse...

nao consigo chamar 55 anos de "mulher velha"

vejo pela minha mae, tias, e as amigas delas
muitas são lindas, bem cuidadas mesmo sem recorrer a tratamentos estéticos (ok, a maioria pinta o cabelo e faz alguma atividade fisica)
estao super empolgadas com a vida,
fazendo curso (lingua, esportes, fazendo a primeira ou a segunda faculdade, algumas prestando concurso)
saindo com amigas, algumas se reencontrando com amigas que haviam de distanciado pra poder se "dedicar a familia tradicional"

nao consigo ve-las como velhas

mas se isso for ser velha, quero ser velha assim

solanger disse...

Ih...mexeu comigo. Sou leitora assídua deste blog que aliás é dos melhores.
Nunca comentei, mas hj é impossível ficar de fora. Se entendi bem, tem gente aqui excluindo as mulheres idosas? Não são mulheres? Não são feministas? Como pode? Mulher velha não pode ser feminista... Sou coroa, feminista com 67 anos. Casei sim, no auge do feminismo, no auge do movimento hippie, aproveitei tudo isso. Fui casada, feliz, criei meus filhos e depois de 23 anos divorciei. Agora casei de novo, tenho um ótimo parceiro que conheci aos 62 anos. Se na década de 70 eu queria me casar no Campo de Santana no Rio, e a família boicotou, desta vez casei no Central Park. Moro em NY. Somos dois coroas felizes. Aproveitamos a vida. Sexo, amor, carinho, paixão, ciúme, dança, teatro, cinema, viagens...tudo isso faz parte da nossa vida e nem ficamos encucados pensando que estamos velhos. A última faceta nossa foi nos fantasiarmos para o hallowen, q aliás ganhei o concurso. Hj faço teatro junto com amigos "velhinhos" estou amando. Aliás, sou vó tb. Lógico q tiro um dia da semana pra ser vovó, é o dia do português, só conversamos na nossa língua. Vovozinha fazendo crochê, bolinhos, paozinhos...não é só imaginação, eu faço também, sempre fiz, mas sou internauta igual a qq mulher jovem. Agora, aquela q reclamou sobre o assunto, com certeza pra ela pode não ter fundamento, porque não vai envelhecer, ficará eterna, novinha, bonita, sem rugas na lembrança de todos. Envelhecer é um presente que nem todos receberão, por tanto, aqueles q forem agraciados aproveitem e faça bom uso do seu tempo. Não necessariamente precisa ter um parceiro, mas termos amigos com quem podermos compartilhar bons momentos.