quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

"MULHERES, NÃO AMEM HOMEM NENHUM MAIS QUE VOCÊS MESMAS"

Dra. G deixou um depoimento emocionado, um desabafo, nos comentários do post em que um PM quase abusa sexualmente de uma menina de 14 anos, filha da sua amante.
Quem lê este blog e me conhece sabe que sou contra a pena de morte, contra punições como estupro e castração, e a favor dos direitos humanos. Mas compreendo este desabafo e esta raiva da Dra. G. 

Sou advogada, trabalho junto aos juizados de violência doméstica e familiar. Esse caso é "café pequeno", muito pequeno, perto do que vejo no cotidiano forense. Não que não seja terrível, mas nesse, as crianças se safaram. Que alívio! Mas nem sempre é assim...
É de chorar, de detonar o estômago e as vísceras de tanto se contorcer com a realidade das crianças que chegam nesses juizados. É triste, dói, muito. Destrói a sua humanidade, você começa a achar que existe inferno sim e nós estamos bem no seu epicentro, e os demônios, somos nós.
Eu desisti, foi demais pra mim. Depois de 10 anos, entreguei os pontos. Vou começar do zero. Voltei a estudar para ingressar na magistratura federal, para mudar a vida. Violência doméstica? Eu não quero mais, não posso. Não consigo.
Não tenho mais forças. Todos os dias, chegam novos casos de violência contra crianças. Casos de avôs, pais, irmãos, muitos irmãos, padastros, vizinhos, primos, amigos da família, tios que dilaceram vaginas e ânus, que quebram dedos, braços e pernas, escalpelam, que queimam com cigarros e ferros de passar roupa, que quebram dentes que mal nasceram ainda, que abrem supercílio, afundam crânios, que espancam até deixar inconsciente, arrancam unhas, deixam acorrentadas, em coma, que matam. Eu estou falando de crianças, só das crianças. As mulheres? Vocês já devem imaginar que não é muito diferente. Mas criança é indefesa. 
É muito estarrecedor enxergar que essa é a rotina da violência doméstica. Que é real, que é aqui do lado, pertinho de você.
Eu tomei a decisão com o último caso que chegou até mim e atuei... que batalhei, corri atrás, provei, prendi, mas que no final das contas de nada adiantou. Nessa segunda recebi uma notícia que me abriu um buraco no chão, que me gelou a espinha e me tirou do prumo. Eu estava em audiência, quando passo o olho no meu whatsap e vejo: Dra, a "menina" veio a óbito, não resistiu!
Chorei, muito, muito mesmo. Mesmo, meus 10 anos de advocacia e defensoria não foram capazes de me dar sustentação para aguentar o tranco. Minha experiência não adiantou nada, desabei ali mesmo, na sala de audiência. Talvez por eu ter uma filha de 8 anos... e ter tido tanta empatia por aquela menininha... Foi um baque tão grande, que a minha vontade era de sumir. 
Me senti inútil, incompetente impotente. Me veio à mente o dia da audiência, da sua oitiva, a mãe presente. Ela me disse que esse verme, demônio, teve a coragem de dizer a ela que não ia dar nada, que ele ia ficar no máximo três meses preso e talvez pagasse umas cestas básicas, mas que tinha valido a pena, pois o cabaço valia muito mais. Ela me disse isso aos prantos, me implorando ajuda. Detalhe: esse demônio imundo era o irmão. A menina estuprada e agora morta? 7 anos de idade! Os dois filhos dela! Sete anos! Morreu. Ele as odiava profundamente, a mãe e a irmã. Fato.
Ela estava em estado de fúria. Pediu à juíza que nunca mais o tirasse de lá, que queria que ele morresse, que se sentia imunda por essa merda ter saído dela. Que ela o odiava com todas as forças. Que se odiava, que ela era culpada. E quase todos concordaram. E muitos a culparam. Ela era mulher, "aposto que deixava a menina em casa pra dar pra macho", "tem cara de piriguete"... Ninguém me contou, eu vi e ouvi. 
E eu não pude salvá-la. Ela morreu.
Eu que sempre fui muito fria e determinada, sempre me mantive equilibrada, tive ânsias profundas de pegar uma arma e me dirigir até o complexo penitenciário e desferir-lhe todos os tiros possíveis do tambor da arma até desfigurar-lhe a cara. Até reduzí-lo ao verme que ele era. Mas ele merece coisa muito pior. Quem sabe no complexo não receba o que merece? Pedófilos e estupradores costumam ter "tratamento especial" por parte dos internos.
Mas nada disso adianta. O ódio venceu, ela morreu. Fim. Acabou.
Eu queria não me envolver, eu não deveria me envolver. Mas foi e se tornou impossível. Não posso mais. 
O mundo está podre. Eu tenho convicção, não tem mais jeito. NÃO TEM! Estamos perdidos.
Hoje será mais uma noite que dormirei à base de remédio. Mas não tem remédio que me faça esquecer que vivemos realmente numa sociedade doente e maldita que tem asco por suas mulheres.
Estou cansada de tanto ódio, estou exausta da realidade da misoginia pura e simples que nos cerca, só por sermos mulheres. Só!
Desculpe o desabafo. Não podia me calar.
Mulheres, não amem homem nenhum mais que vocês mesmas, por favor. Seja seu pai, seu irmão, seu avô, seu tio, seu amigo, seu namorado, seu marido... Nenhum homem merece ser idolatrado, colocado acima de qualquer suspeita, NENHUM! 
Essa é uma questão de sobrevivência. Salvem suas vidas, salvem nossas crianças.

142 comentários:

Anônimo disse...

Nenhum mesmo. E engraçado como certas "doenças" só dão em homens.

Anônimo disse...

Faço parte do patriarcado. Sou ranqueado como Almirante de terceira patente na patriarquia da quinta região patriarcal brasileira.

Essa estratégia de convencer mulheres a se odiarem foi debatida e decidida no nosso oitavo seminário de opressão aplicada.
Tudo culpa nossa, tudo na sua vida e culpa duzomi

Sacanagem vocês descobrirem nossa tática do nada assim. Emoticon unsure

Anônimo disse...

No passado as pessoas se casavam e viviam juntos por toda uma vida.Estimulava-se a virgindade como pressuposto do casamento.Estes requisitos foram combatidos por feministas nas décadas de 60 e 70.Por que sei?Porque tenho mais de 60 anos e lia revistas e jornais desta época.Hoje são blogs tipo Lola e naquela época eram jornalistas que estimulavam as mulheres a serem "libertas" dos homens fazendo sexo com todo tipo de homem alegando que os homens faziam o mesmo.Era algo como nivelar por baixo.Resultado:De lá pra cá as pessoas vai pras balsas e acordam num motel...e cada semana é um parceiro ou parceira diferentes.As consequências disto tudo são relações rápidas que deixam o saldo de um filho aqui e ali.As mulheres enchem as cabeças de fantasias sobre nos homens e terminam se juntando com homens sem princípios levando junto filhas de relações anteriores.O resultado é que o novo parceiro passa a olhar a enteada como conquista e não como uma protegida a ser cuidada e educada como filha.A TV exibe crianças namorando e beijando aí na cabeca de quem não tem cabeça passa o absurdo do estupro.Tudo é uma questão de causa e efeito.Não se deve dar direitos as mulheres destruindo as coisas boas Que nós homens criamos do contrário vamos nivelar por baixo e o mundo se tornara um caos

Anônimo disse...

Há tempos digo que a masculinidade e uma doença social, há tempos digo que o testosterona e um veneno, há tempos digo que o machismo e um câncer social.
E há tempos digo que não dá para ter sentimentos românticos para com opressores.
Vejo companheiras entorpecidas pelo mito do amor romântico negando os fatos e erotizando sim a própria opressão, e veja muitas como menina do relato cedo ou tarde se fando conta da realidade, estas tem sorte, muitas não sobrevivem para para se dar conta, outras são tão destruídas física e psicologicamente que se tornam cascas vazias...muito triste.

Anônimo disse...

O mundo é competição e concorrência.A mulher é um inimigo e adversário do homem.Deve ser combatida e destruída.A única coisa que prende o homem a mulher é o sexo e a reprodução....fora disto as mulheres querem o lugar do homem.Se cientificamente pudéssemos nos reproduzir em laboratórios sem precisarmos das mulheres com certeza nos homens tentariamos exterminar as mulheres ou elas a nós.

Anônimo disse...

O problema 12:15 e que nem uteis os homens estão mais, são um bando de encostos chorões que não agregam nada a vida de uma mulher, não dão prazer algum a mulheres(Sim seu mundo caiu, muito poucas mulheres, mas muito poucas mesmo, menos de 2% tem orgasmos com homem) cada vez mais mimados e agressivos
E você fala como se homem fosse algo muito amável, se liga o único sentimento que a maioria de vocês só causam repulsa mesmo, e se não fosse o instinto materno conhecido e romantizado como "amor de mãe" vocês não conheceriam afeto algum de uma mulher, e a culpa não e nossa nem vem, VOCÊS NÃO DESPERTAM BONS SENTIMENTOS. lide com isto

Anônimo disse...

Infelizmente em abusos de crianças ocorre muita cobertura das mães, pior quando é o padrasto o abusador e as mães culpam as próprias filhas, e muito difícil colocar esses bandidos na cadeia e nas raras vezes que são punidos essas mesmas mulheres vão visitá-los na cadeia

donadio disse...

"muito poucas mulheres, mas muito poucas mesmo, menos de 2% tem orgasmos com homem"

Olha só, temos outro Instituto de Pesquisa As Vozes Me Disseram em pleno funcionamento.

(Suponho que seja outro, por que não parece ser o mesmo dos mascus. Se bem que, sei lá, de repente esse absurdo aí é argumento para dizer que mulheres só querem o dinheiro dos homens, por que, né, se só 2% delas tem orgasmo, então as outras 98% devem estar atrás de outra coisa.)

Jonas Klein disse...

Olá Lola

quanto ao texto da Dra. G, eu só li umas 5 ou 6 linhas do que ela escreveu e vi que texto e era muito pesado se fosse igual as primeiras linhas que li e fui para o próximo comentário, eu me reservo o direito de não ler textos chocantes nem ver imagens chocantes, ler ou ver este tipo de coisa para mim não agrega nada e desagradável, então pego passo por cima(vamos dizer assim).

Agora Lola você disse algo que me chamou a tenção:

"Quem lê este blog e me conhece sabe que sou contra a pena de morte, contra punições como estupro e castração"

Isso partindo de uma feminista me provoca muita estranheza, eu ate compreendo que você seja contra pena de morte, eu sou contra isso, pois acho e pena de morte uma pena branda para crimes hediondos, na parte do estupro nem se fala, pois não se pune um crime cometendo outro igual, agora no caso da castração e o que me espantou a sua posição, pois a castração e a única coisa que garante que o estuprador não vai voltar a reincidir no crime.

Eu quando se fala em punir estupradores com castração, eu não defendo esta bobagem da castração química, castração tem que ser física e não pode haver possibilidade de recuperação do saco decepado.

Para estupro eu defendo que se faça uma lei assim, prisão perpetua ou 20 anos de cadeia com castração física, ai da para o estuprador a possibilidade de escolhes a pena que ele vai querer.

Uma lei assim se bem aplica, tenho certeza que reduziria os estupros a quase zero.


Por fim se tem uma coisa que me espanta e assusta e ver feminista fazendo papel de boazinha com estuprador.

André disse...

12:38,

Ninguém precisa fazer a caveira do homens, a gente faz isso sozinho.

André disse...

12:15,

Você parece estar procurando uma justificativa para nenhuma mulher te amar. Sinto informar que não é por falta de utilidade, é que as pessoas tendem a querer distância de quem pensa sobre elas esse tipo de coisa que você escreve.

André disse...

12:15 (o primeiro),

Você viveu mais de 60 anos e foi isso que aprendeu? Maior desperdício de oxigênio, hein?

Jonas Klein disse...

Lola eu tava dando uma lida rápida nos comentário aqui, e vou te dizer isso ta parecendo um deposito de loucos de novo.

Ate agora quem esta salvando esta caixa de comentários são os três mosqueteiros aqui, eu o donadio e o André.

Anônimo disse...

Jonas pare de defecar pela boca, a Constituição veda esse tipo de pena, temos que colocar estupradores anos a fio atrás das grades e reformar nosso sistema carcerário, que ao mesmo tempo em que é muito cordial com a bandidagem, é falido e não recupera ninguém, servindo como escola do crime e lugar para a bandidagem maior fazer dinheiro e ganhar poder, veja o presídio de pedrinhas.
Não se esqueça que s crimes sexuais são ao mesmo tempo os crimes com mais culpados soltos e também com mais inocentes presos, e essa sua mentalidade medieval de pena já está há muito tempo ultrapassada, só em países atrasados e ditatoriais, como a Arábia Saudita ou A Coreia do Norte, essas punições espetáculos tem vez, pois servem mais para impor medo e garantir poder aos tiranos do que fazer justiça

Anônimo disse...

Gente devemos agradecer ao Jonas Klein por iluminar os comentários com sua presença e seu intelecto, pois ele é um dos três mosqueteiros que salvam e que contribuem com sua magnanimidade com esse blog, sempre nos salvando de nossa própria ignorância com suas opiniões.

Anônimo disse...

André se você prefere passar a vida pedindo desculpas por ser homem problema seu, eu não vou me submeter a ser nivelado por baixo a pedófilos, estupradores apenas por ter nascido no gênero masculino, nunca me considerei superior a nenhuma mulher, a ao contrario de você nem inferior também

Anônimo disse...


Donadio por acaso você esta dizendo que 98% das mulheres e heterossexual? Você como homem que convive tanto tempo no movimento feminista deveria entender o quanto não entende nada de sexualidade feminina













Anônimo disse...

A sexualidade masculina e pura parafilia doentia não há duvidas, é uma das maiores geradoras de desgraças da historia Humana : estupros,sequetros e aprisionamentos seguidos de estupros, casamentos forçados, prostituição, pornografia, pedofilia,zoofilia, trafico sexual.

Anônimo disse...

A culpa é só e apenas dele. Repito: ele é único culpado.

Agradeço a oferta mas, como homem, não aceito a 'culpa coletiva' que esquerdistas fanáticos querem me atribuir.

Cão do Mato disse...

#mudajonas

Anônimo disse...

13:17 vocês nos devem mais que desculpas, como disse uma guerreira tempo atras, "vocês nos devem ate a alma"

André disse...

13:17,

Vou passar um bizu de grátis. O texto é o desabafo de uma pessoa que passou anos convivendo com o pior que nossa sociedade produziu, não é um projeto de lei. Se você lê um relato desses e acha que a melhor atitude é atacar quem está desabafando então você é sim parte do problema.

Anônimo disse...

Monstros....

Anônimo disse...

#mudajonas

Jonas Klein disse...

Anon se eu fiz isso pela boca você fez pelos dedos.


"a Constituição veda esse tipo de pena"

Eu sei disto, mas eu penso que esta constituição que existe hoje no brasil deve ser anulada, e feita uma nova constituição, ai sim com possibilidade de implantar as penas que citei.

"só em países atrasados e ditatoriais, como a Arábia Saudita ou A Coreia do Norte, essas punições espetáculos tem vez,"

Ta me faz rir que gosto, prisão perpetua ou que valia tem em vários países que são desenvolvidos e democráticos e os EUA são o primeiro, exemplo disso, e castração só que ai e química, se não me falia memoria já tem na Inglaterra e mais em alguns países.

Enfim se eu tivesse falado em fuzilamento em praça publica o seu argumento ainda seria valido, mas tudo feito entre paredes e com julgamento justo, as penas que sugiro são justas civilizadas...


Anon 13:08


Apesar da ironia obrigado pelo apoio.




Anônimo disse...

Os comentários estão de fazer eu querer pular da sacada. Cheio de misoginia. Lola, modera isso por favor, a autora do texto (e nós leitoras) não merecemos isso.

Anônimo disse...

Eleição difícil hein

Mila disse...

Amar e valorizar a si mesma é uma questão de confiança e auto-estima, não necessariamente ligado ao feminismo. Valorizar-se é isto: é não ser capacho de ninguém, é não deixar que nunca alguém te desmereça ou te desvalorize, é não se sujeitar a ser abusado por alguém (pelo namorado, pela parceira, pela família, isso é pra todo mundo). Antes de querer ser a mulher da vida de alguém, seja a mulher da sua vida.
Empoderamento é isso.

Anônimo disse...

Cada comentário ridículo, até as engenheiras são envolvidas...em algo que nada tem haver. As vezes penso que nos deviamos só contratar ou nos tratar apenas com mulheres só para eles sentirem a barra. Este texto é pesado demais, triste achar que no passado não aconteciam estes tipos de abuso, na realidade, existiam, e como sempre eram silenciados. Eu fui abusada na infância década de 90, minha já teve medo, por tabu, de denunciar, mas denunciou.Sabe porquê 12h15? Porque ela foi abusada pelo professor e quando contou o que havia acontecido comigo, minha avó disse que o tio dela também . Então era assim, tudo tapadl no silêncio da vergonha, da segurança que se algo fosse revelado, a culpa sempre seria vítima.Que ficaria marcada para sempre.

Anônimo disse...

letra B) Jonas Klein, o mosqueteiro que salva os comentários com sua jaqueta da copa de 70

Anônimo disse...

Já trabalhei com crianças e mulheres vítimas de violência doméstica em um local que era subsidiado pelo governo para dar assistência jurídica e psicológica à vítima.
Era meu segundo estágio na faculdade de Direito. Todas as segundas-feiras eu tinha que ir. Era impossível não me apegar e não sentir que o mundo era doente. Crianças que me abraçavam para me cumprimentar e ficavam jogando os pés para frente e para trás, sentadas em uma cadeira, como se aquilo tudo narrado pela mãe fosse tão normal que desmerecia alguma atenção maior. Suspeito que era defesa do próprio corpo.
No final da tarde, chegava em casa. Tomava banho e ficava olhando para o nada. Não me sentia merecedora de tudo o que eu tinha. A família, claro, com alguns defeitos, mas eu me sentia em um ambiente altamente propício para o meu desenvolvimento como mulher.
Quando ia dormir, pensava em como aquelas crianças estariam. Se comeram, se estão tranquilas, se conseguiram dormir em paz hoje. Eu me sentia impotente. Nada podia fazer para aliviar o sofrimento de ninguém. A justiça falha e inerte me dava embrulho na barriga. Desisti do Direito quando descobri que aquilo tudo nada mais é do que um teatro e uma guerra de egos entre promotores, advogados e juízes. Sei que existem pessoas que querem melhorar o atual quadro, como essa moça do relato, mas, para mim, ela faz parte de uma parcela ínfima. É desmotivador.

Anônimo disse...

12:15 Graças à deusa, a igualdade que nós feministas queremos não é querer repetir a atitude desprezíveis de homens. Cantar menininhas que nem menstruaram ainda, filmar por debaixo das saias, estuprar meninas bêbadas. Somos nós as responsáveis pela decadência moral quando criticamos justamente a objetificação das mulheres (ah, mas aí a gente quer castrar o coitado do homem, feminazis moralistas)? Em nome do feminismo que ocorre casamento infantil neste país e as meninas são forçadas a abandonar a escola por causa de uma gravidez na adolescência? Na cabeça de vcs variamos de putas adeptas das orgias satânicas comuno-gayzistas para feias moralistas peludas lésbicas que querem cercear o desejo do homem. O oportunismo de vcs é realmente impressionante.

Anônimo disse...

Eu nao sei se quem escreve por tras de cada anonimo é homem ou mulher,
mas vejo muita gente indignada quando casos como o desse post vem à tona,
mas esse irmão (filho) que o post fala...ele nasceu ruim ou a sociedade o corrompeu ?
como a ele foi ensinado que ele poderia tratar uma mulher (criança) da forma que tratou ?

Daí eu volto pro tópico de um ou dois dias atras,
o "cidadao de bem " recebe um whatsapp com foto de mulher em situação constrangedora,
o cidadão resolve dar uma de ingenuo (tá bom, vou fingir que acredito...dar uma de ingenuo que nao sabe se a pessoa tirou a foto por conta propria ou nao) e resolve repassar. Será que nao custa pensar um pouquinho, que além do dano que ele está fazendo aquela mulher...ele está repassando a ideia que mulher merecem esse desrespeito e humilhação ? será que ele nao pensa que isso pode atingir proporções bem maiores ...por ex, o cidadao recebe, mas ele sabe que ele seria incapaz de fazer uma maldade a uma mulher (alem do machismo machismo basico do dia a dia), mas ele sabe a indole das pessoas que porventura vao ver ? porque contribuir com isso ?
Como alguem escreveu no tal post, eu quero muito que haja punição pra quem repassa. Daí vem alguem dizer "mas vai ser dificil pegar todo mundo", nao...vai ser facil. Nai vai precisar pegar todo mundo, pegue só alguns que repassaram...ja vai estar fazendo alguma coisa.


Se tem alguem aqui que faz isso... gostaria de perguntar, qual o intuito de repassarem esse tipo de imagem por whatsapp ? Isso nao é misogino...nao está ajudando a mostrar que todas as mulheres merecem esse desrespeito, esse descaso, essa humilhação ?

Anônimo disse...

É muito triste esse relato.
Eu fico triste também, e surpresa com o tipo de comentários, com a falta de empatia por essa realidade tão chocante que não costumamos ter acesso no nosso cotidiano. No entanto, nas minhas relações bem próximas, tenho duas mulheres que foram estupradas sistematicamente por seus irmãos, uma dos 6 aos 12 anos, a outra não lembra quando começou. É muito triste, e elas tiveram suas vidas até hoje assombradas com esses horrores do passado. E apenas uma das mães ficou sabendo, e já quando eram todos os filhos adultos. É muito assustador o quanto isso é frequente e o silêncio das vítimas, que vivem atemorizadas e se culpando.
Eu não sei outra solução que não seja mudar profundamente a mentalidade dos homens. Das mulheres também, mas vamos parar de apontar dedos para as vítimas. Quem estupra, bate e mata são os homens. Precisamos mudar isso tudo, essa cultura do estupro horrorosa que nos fazem engolir diariamente pela imprensa, televisão, por cada poro isso parece entrar todos os dias. Estou muito cansada também, mas tenho uma filha. Não posso desistir da luta.
Vamos juntas, vamos unir forças, só assim seremos fortes.
Força pra todas nós.

Anônimo disse...

Jonas pousando de salvador dos comentários é fogo....
Jonas, nós também não queremos ver uma imagem tão horrível como você com essa jaqueta! !!! Mude!!!!

Rafael Cherem disse...

Relato chocante, triste.

Nos temos um problema no país que é a efetivação da justiça, temos leis, temos aparato judicial, mas na hora de dar efetividade ao que temos é que o bicho pega, a autora deve ter sentido isso,o sujeito é preso, é condenado, mas sequer cumpre a pena, fora que encontra por lá sexo, drogas, e o que mais desejar, a perda de uma vida não corresponde necessariamente na perda da liberdade de quem a tirou de forma completa. Em resumo, em termos práticos, não acontece nada. E chegamos ao cúmulo de contar com outros bandidos para a "justiça" ser feita.
O movimento feminista tem muitas pautas, mas pelo que observo de longe, peca nesse tópico, com o discurso de "eles é que tem de aprender a não estuprar" conta com um mundo que vai demorar a surgir. Na verdade, por ora, deveriam ensinar as mulheres a se defender, usar armas, e a fazer retaliações em grupo,fora que como todo o espectro esquedista, estão longe dos mais carentes.

Um abraço á autora do texto. Boa sorte no concurso.

Anônimo disse...

Anônimo de 12:38, obviamente não está preocupado com as crianças e sim com promover guerrinha de gênero para ver quem agride mais. Desista desse objetivo nefasto que feminista não passa mão em cabeça de abusador de criança.

Vamos aos dados:
1. Artigo de 2010, da Sociedade Brasileira de Pediatria. Mostra o perfil das vítimas e agressores de crianças.
Constatou-se que a maior parte das agressões partia da mãe, porém, com menos de 10% de diferença, o agressor era o pai. Ou seja, o texto não é fake como o 12:38 diz ser. Mas notem que a diferença de ocorrências entre padrastos e madrastas. Outra coisa interessante a ser notada é o percentual de famílias onde as mães são agredidas e que há violência conjugal. Reforçando vários estudos que comprovam a violência como uma espiral. Ah! Também é bom lembrar que na maioria dos casos da família violenta, os pais moram juntos, a chamada família tradicional.
http://www.scielo.br/pdf/jped/v77n1/v77n1a10

2. Levantamento de 2012 feito pelo Ministério da Saúde apontou que a violência sexual é o segundo tipo de violência sofrida por crianças de 0 a 9 anos, ficando atrás de negligência/abandono. A diferença é de 1% entre as duas. Entre 10 a 14 anos, também é a mais comum, atrás da violência física e a terceira mais comum entre 15 a 19 anos.
E o perfil do agressor? Em todos as pesquisas que procurei a maior parte dos agressores eram pais e padrastos (Em Manaus, a taxa chegou a 90%). E é claro que a maior parte das agressões ocorreram dentro de casa.

Esses dados servem para discutir uma série de coisas. Primeiro, a que a esfera privatizante delega à mulher a educação da prole no ambiente interno. Pelas pesquisas nota-se que a mãe é a responsável pelas agressões físicas e por motivos de "dar educação" e "manter a disciplina". Também é interessante notar a incidência de violência conjugal nestas famílias. Se uma das funções da mulher é dar educação aos filhos, quando ela "falha" entra a figura do pai provedor, responsável pela educação "externa" da prole.
Já em abuso sexual não encontrei nenhuma pesquisa para justificar o injustificável, nem que aponte razões para isso. Mas para quem não sabe, a lenda do boto surgiu para encobrir incestos dos pais sobre as filhas. Há até um ditado que diz: "quem planta a bananeira, deve ser o primeiro a comer o fruto". Logo, não dá para a gente ignorar que trata-se de um controle da sexualidade do pai sobre a filha.
Então, sem guerrinha de sexo para quem é mais escroto. Em matéria de agressão à criança, ela sempre é a parte vulnerável.

A.

Anônimo disse...

Mas qual a idade do agressor? De onde surgiu esse "ódio" mútuo entre mãe e filho e filha? Onde está o pai do garoto?

Óbvio que agora que está feito que apodreça na cadeia (não vai porque é adolescente, né), mas e a responsabilidade da mãe na criação dele? E a responsabilidade do pai? E a responsabilidade do Estado?

Muito fácil ficar dizendo "homens, homens, homens" e não levar em conta que esses homens foram criados por homens e mulheres em uma socialização de violência e desamparo.

fernanda melo disse...

Sempre houve estupro. Sempre houve incesto e pais/irmãos/ avôs etc que praticavam. Isso muito antes do feminismo. Seu argumento não faz sentido nenhum

Vi e Wal disse...

Poxa, é uma pena muito grande o pessoal dos comentários detonando o desabafo de uma pessoa que passou por muito stress e que obviamente foi exposta á muitos maus exemplos de homens na nossa sociedade, ao pior subproduto da nossa cultura que muitas vezes encoberta estupros e permite que estas situações não apenas ocorram, mas se mantenham, ás vezes por vários meses ou até anos até que haja a conscientização ou prisão dos envolvidos.

Óbvio que estas violências ocorrem deste o início da humanidade, pois vivemos em uma sociedade violenta e patriarcal! Mas também nunca houveram tantas discussões sobre isto, nem tantas pessoas buscando soluções como hoje. O resultado são inúmeros grupos em defesa dos direitos humanos, e no futuro (com otimisto) cada vez mais proteção. Nós devemos procurar compreender que a situação já melhorou muito, pois há alguns séculos os filhos e a mulher eram propriedade dos pais, ou seja, isto acontecia e ninguém fazia absolutamente nada.

A culpa é apenas dos homens? Não. A culpa é só das mulheres que permitem que suas famílias sejam expostas á esta violência por medo e falta de recursos? Não. Podemos culpar somente a sociedade, então? Não! Cada caso é particular, cada intervenção também.
Á pessoa que fez o post, acredito que talvez seja melhor mesmo se afastar por um tempo, recomendo buscar ajuda de um psicólogo, pois ninguém precisa suportar sozinho tanto sofrimento. A capacidade humana de falar sobre o que nos desespera e de buscar sentido em nossa dor é o primeiro passo para a recuperação, e no caso das mulheres é um ato especialmente feminista, de não se deixar perder, não desistir do potencial humano nos homens e mulheres. Se a nossa sociedade é tão absurda, a educação é o único meio de encontrar este sentido. Uma reconstrução de quem somos gera a reconstrução da sociedade ao nosso redor, onde todos prezam pelo bem estar das mulheres, dos negros, das crianças.

Desejo a esta pessoa muito amor, paz para continuar vivendo neste mundo, sabendo que há outros e outras que continuarão na eterna luta. E um grande abraço á Lola por seu blog maravilhoso e por sempre me fazer refletir.

Anônimo disse...

Concordo que sempre houve incesto e estupro Fernanda mas estamos no seculo 21 com um acumulo de experiencias dos últimos 2 mil anos e a onda de estupros atuais tem mais a ver com a falta de compromisso e amor ao próximo .Numa época em que nos preocupamos em reconhecer os direitos de cada um não se justifica esse comportamento

André disse...

16:57,

Não podemos confundir sexo sem compromisso com sexo sem consentimento. Posso não gostar do primeiro e não praticar, mas a falta de compromisso sentimental futuro não implica em falta de compromisso durante o ato. As regras de civilidade continuam valendo para o durante e o depois.

Anônimo disse...

Não sei a tua idade Andre mas se VC viver a minha idade com a experiencia que vivi e o comportamento que tive o mundo esta melhorando.Na década de oitenta me casei e me separei em 94 qdo minha ex começou a se envolver com amizades erradas e se drogar.Quando me separei passei a dar metade do meu salario para ela como pensão tirando xerox do holerit fazendo um recibo no verso e ela assinando.Como ela foi morar com viciados (12 maridos apos a separação) minha filha estava sempre em situação de risco.Entrei num acordo com ela....paguei pensão 16 anos apos ela ir a justiça imaginando que receberia mais do que a metade do meu salario e entrei num acordo com ela no qual eu cuidaria da minha filha e não cortaria a pensão.Chegou a um ponto que minha filha ficava de segunda a sexta comigo e fins de semana com ela quando ela estava bem e sem se drogar.Ela teve mais duas filhas com dois desses 12 maridos e o penúltimo teve cinco bo's e o ultimo ao se drogar com ela a levou a sete infartos por overdose.Ela ficou seis meses internada e mais seis acamada sento eh e minha filha que cuidamos dela.Ano passado ela faleceu com 45 anos e atualmente eu moro com minha filha...meu neto....e uma filha dela de doze anos que cuido como se fosse minha porque o pai dela tentou mata-la...bom....se fosse contar minha historia daria um livro mas nos oito anos que vivi com ela nunca lhe dei um tapa e ela nunca foi par a cozinha nem lavou uma roupa minha.E olha que certa vez cheguei em casa e ela saiu correndo...qdo cheguei no quarto tinha um cara embaixo a cama de cueca.Eu peguei minhas roupas e fui e embora .Olha cara tudo nesta vida é passageiro.Ninguém é de ninguém. Quando cuidei dela por seis meses a vendo atrofiada respirando por traqueo pedi a Deus para levá lá ou cura lá.Quando a vi sofrendo na minha frente tudo o que senti qdo. ela me trocou por outros ficou pequeno demais.Minha filha ia trabalhar e eu ficava em casa dando a dieta e remédios dela.e ai? VC acha que não aprendi nada?Vc tem amis experiencia que eu?E sabe por que ela tinha um comportamento assim?Aos seis a mae morreu espancada pelo pai...ela foi adotada fugiu de casa foi estuprada amarrada pelos pés de cabeca para baixo numa ponte.A conheci morando numa pensão.... Bom já falei muito de minha vida...mas foi o bastante para te dizer que vc não sabe na da vida...desculpa...as.homem com mais de 60 anos

Anônimo disse...

Quem já trabalhou muito tempo entre homens como eu, sou assistente social da prefeitura de SP, e durante muito tempo fiz expedientes em albergues, sabe bem que eles tem muito de construção social sim mas certas coisas são inerentes a especie deles, possivelmente causado pelo testosterona.
Eles tem pouca capacidade de empatia, por mulheres e crianças então muito pouca mesmo, muitos sentem pouco remorso por estupros e agressões contra mulheres, justificam dizendo que "elas pediram ou fizeram por merecer" são altamente dispostos a violência de forma geral e a predação sexual, são impulsivos, destemperados e inconsequentes.

Anônimo disse...

Feminismo e emponderamento feminino, mas para construir uma sociedade mais igualitária baseada na equidade tem que quebrar certos tabus, um deles e de saber que feminismo não faz efeito em homens, e não se muda uma sociedade sem saber o que fazer com metade da população, eles infelizmente não vão desaparecer, portanto eu acho que devemos nós ocuparmos o maior numero de cargos publicos e de gerenciamento social e começar a implantar sim politicas de contenção contra o machismo/masculinidade, mesmo que seja via medicação.

fernanda melo disse...

Isso deve ser a velha lei do mais forte. Por que testosterona nenhuma faz o homem querer encarar quem é maior que ele

Anônimo disse...

Anônima das 18 e 07

"começar a implantar sim politicas de contenção contra o machismo/masculinidade, mesmo que seja via medicação"

Eu morri de rir com o que você escreveu, o fato e que masculinidade não e doença nem problema, e machismo não se cura com medicação, agora se você fosse falar em criminalização do machismo, e endurecimento das leis penais que tratam da violência que atinge as mulheres, preparação de um ambiente favorável para punir quem comete crimes de gênero contra as mulheres, ai sim seria uma declaração inteligente a sua.

E por causa de como as que eu destaquem no seu comentário, que o feminismo muitas vezes e ate motivo de piada, deboche etc...

Suellen

Anônimo disse...

Aqui na minha cidade teve caso de pai que costurou com fio de arame a vagina da filha, 13 anos. Ela foi parar na UTI com hemorragia, o desgraçado foi preso e deve estar arregaçado agora na prisão.

Anônimo disse...

Homem de mais de 60 anos,

voce deve ser uma pessoa muito iluminada.

Se um marido ou ex marido fizesse isso comigo (nao apenas a traição, mas ter que ficar pagando pensao pra adulto...) eu viraria a cara pra ele.

No seu lugar, o tempo que voce ficou cuidando da sua ex esposa eu ficaria brincando com o neto (ou fazendo qq outra coisa... mas acho que eu iria pensar que cada minuto que eu estivesse cuidando da ex esposa, era um minuto a menos brincando com o neto).

Quanto a cuidar da filha dela como se fosse sua filha, isso eu faria também.

Em todo caso, parabens !


assinado: mulher de menos de 30

Anônimo disse...

Anonima das 18 e 04


"possivelmente causado pelo testosterona.
Eles tem pouca capacidade de empatia, por mulheres e crianças então muito pouca mesmo,"

Vou fazer uma pergunta, acho que você concorda que homem e homem em qq parte do mundo, partindo deste ponto de vista, como você explica que existem países no mundo, que numero de crimes cometidos por homens contra mulheres e muito baixo, se formos comparar com o Brasil?

E se você quiser comprovar isso e só pesquisar no Google.

A principal causa do alto índice de violência contra as mulheres, não estaria na cultura de banalização da violência e impunidade e machismo um pouco mais exacerbado, que existe no Brasil?

Suellen

Anônimo disse...

12:38,12:15,12:15² e demais mascus mimizentos:

Já que vocês não gostam de mulheres, casem com homens. É legal, agora. Is this simple bitches.

Anônimo disse...

Suellen você deve estar se referindo a países nórdicos? Sim homem e homem em qualquer lugar do mundo, eles seres biológicos mas não só, são também seres sociais, e nestes países existe há algumas gerações politicas publicas de desconstrução da masculinidade e mais impostante de contenção social sobre homens, as mulheres destes países estão na vanguarda do feminismo moderno,ocupando espaços públicos de decisão, graças a isto que la existem estes avanços. mas mesmo assim eles precisam de leis duras para mante-los sob controle social, veja na Suécia pro exemplo as leis punitivas educativas para o crime de assedio, onde uma abordagem de um desconhecido não e relativizada como "uma simples paquera"

Por aqui a cultura machista latina dificulta em muito estes avanços assim como as dimensões do país, mas não os torna impossíveis basta termos foco na luta feminista.

Anônimo disse...

E quanto a minha fala sobre medicação, como você acha que podemos conter estupradores? Você já conversou com uma adolescente que passou por isto, eu já, destruídas. E já assisti audiências dos altores destas barbaridades também, eram desconhecidos, pais, irmãos, maridos, colegas de trabalho...tudo "homem de bem" e não vi em nenhum deles um ranço de remoço pelo ato mas sim por terem sido pegos,portanto eu sou sim favoravel a castração química.

Anônimo disse...

Eu vi essa semana propaganda na Globo de uma reportagem sobre mulheres que combatem o Estado Islâmico, acho que no Iêmen. Só que não consigo lembram aonde vai passar/já passou.
Alguém viu essa propaganda?

Anônimo disse...

Homem não ama mulher alguma

Anônimo disse...

Eu não amo homens eles são puramente medíocres, nunca conheci um cavalheiro decente de verdade apenas homens em busca de sexo.

Anônimo disse...

São esse os pms que nos protegem? que estupram meninas de 14 anos...
São esses homens que amam mulheres? esses seres pornográficos e violentos? NÃO!

Anônimo disse...

Vc mulher como consegue se apaixonar por um homem que olha com desejo pra menina que tem idade de ser suas neta, como ama homens que sentem prazer na dor feminina, na violência, que não sentem empatia, que escravizam as próprias mulheres no lar, que esculhambam a própria mulher com quem se deitou.

Eu não amo homens, não tenho motivos...

Anônimo disse...

Crianças agredidas por pais, irmãos e padatros? qual a nova?
Ainda temos que aguentar esses vermes vindo dizer bobagens nos comentários!! Nojo, apenas!!!!

Anônimo disse...

Anônima das 20 e 55

Eu não me referia apenas aos países nórdicos, Canada, Austrália, Japão também são países onde tem pouca violência contra as mulheres, se formos comparar com Brasil, ate e interessante ver que mesmo variando a cultura de um pais para outro, os números da violência contra as mulheres não varia muito...


Anônima das 21 e 00

A sua resposta foi patética, eu não falei sobre estupro em especifico, agora já que você falou disso, medida de contenção para estuprador e pena de morte ou prisão perpetua, o resto e piada para gringo rir.


Suellen

fernanda melo disse...

Lola pelo amor de Deus apaga o anônimo das 21:44. Que nojento

Anônimo disse...

Acho engraçado que sempre vem a galera do "not all men" defender a classe masculina nesse tipo de post, mas aí chega um tipo feito o anônimo das 21:44 mostrando como a maioria dos homens é de verdade (se não fosse a maioria esmagadora, não teriam tantos casos de assédio/agressão/estupro por aí).

Anônimo disse...

21:44 morra com um tiro na boca e outro no cu, como no filme Doce Vingança. Melhor ainda, assine o seu nome nesse comentário pedófilo asqueroso e mostre pra sua mãe e irmãs.

Anônimo disse...

22h10, nestas horas só ouço barulhos de grilos.
Olha o nível deste doente, o cara que faz o "favor" de se casar com uma mãe solteira tem o dever de estuprar a filha dela. Meio como o caso do policial lá da PB q o povo disse q era monstro, mas esse tipo de pensamento é supercomum. Deixa esse comentário aí pra esfregar nos "not all men", "todo mundo condena pedofilia" etc.

Anônimo disse...

No fim acho que a Lola gosta de torturar a gente aqui ou então ela quer ver os comentários se amontoarem não interessa o conteúdo deles, pois não possível a Lola sabe que sem moderar os comentários antes da publicação, o blog dela vira numa privada de mascus e radmalucas, e ainda assim teima em manter este sistema de comentários aqui, não da para entender isso.

Anônimo disse...

Talvez esse tipo de comentário deva ficar aí mesmo, não ser apagado.
Só aí acho que tem gente que vai parar de chamar feminista radical de "radmaluca".

Anônimo disse...

radmaluca sim, rad fiscal de vagina

Anônimo disse...

O Japão não tem pouca violência contra mulher, muito pelo contrario e um dos países mais machistas do mundo, só que por questões culturais (O Mito da gueixa que reina por la ate hoje) as mulheres nipônicas evitam ao máximo escândalos e se calam diante dos abusos sofridos.
O japão e um dos país mais machistas e de cultura objetificante para mulher do mundo>
Canadá e Austrália tem leis feministas anti machistas fortes conquistadas a duras penas e muita luta, inclusive o Canadá e onde se deu origem o termo "marcha das vadias"
Gente o ponto e que o feminismo deve se concentrar no emponderamento feminino e na conquista de espaços públicos de decisão, as vezes irrita ver feministas gastando energia achando que pode "reeducar homem" com base na entorpecência do mito do amor romântico, eles são o que são e devem serem contidos.

Anônimo disse...

23:26, qual feminista disse que mulheres são iguais a homens?
Um feminista rebaixando mulheres desse jeito é ridículo. Quase tão ruim quanto chamar rad de "radmaluca" só porque desconstruímos as bobagens em que algumas mulheres se agarram com unhas e dentes. Quem chama rad de maluca devem ser as mesmas que falam em "igualdade" com homens.

Anônimo disse...

"você deve estar se referindo a países nórdicos? Sim homem e homem em qualquer lugar do mundo, eles seres biológicos mas não só, são também seres sociais, e nestes países existe há algumas gerações politicas publicas de desconstrução da masculinidade e mais impostante de contenção social sobre homens, as mulheres destes países estão na vanguarda do feminismo moderno,ocupando espaços públicos de decisão, graças a isto que la existem estes avanços. mas mesmo assim eles precisam de leis duras para mante-los sob controle social, veja na Suécia pro exemplo as leis punitivas educativas para o crime de assedio, onde uma abordagem de um desconhecido não e relativizada como "uma simples paquera" "

Sinto muito dizer isso, mas isso não durará muito tempo. Na Suécia e demais países nórdicos os direitos das mulheres entraram em conflito com a merda do "multiculturalismo", e agora eles só existem quando convém, ou quando não atrapalham o "respeito a diferenças culturais".

Agora se pode ser machista e misógino lá, desde que esconda esse machismo e essa misoginia atrás de um livro velho e de uma crença religiosa.

Se uma mulher reclamar da cantada ou do assédio de um imigrante islâmico, ela corre o risco de ser acusada de "racismo" ou "islamofobia". Se um marido bate na esposa, ele vai preso. Mas se for islâmico, o caso é abafado pela família e pela comunidade, e as autoridades fazem vista grossa com medo de parecerem "preconceituosas". As mulheres podem usar as roupas que quiserem, exceto em bairros de maioria islâmica onde um véu na cabeça é o mínimo necessário para uma mulher estar em segurança - mas às vezes nem isso adianta.

Pouco tempo atrás a Ministra das Relações Exteriores da Suécia, Margot Wallström, ousou dizer a verdade sobre a Arábia Saudita, um dos países mais misóginos do mundo onde as mulheres são tratadas como escravas. Resultado? O país se viu no meio de uma crise diplomática e foi praticamente obrigado a pedir desculpas.

As feministas dos países nórdicos cedo ou tarde terão que escolher de que lado estão. Não adianta desconstruir o machismo de alguns homens e de outros não, usar de dois pesos e duas medidas e fazer vista grossa à misoginia abafada com a desculpa da "diferença cultural" e da religião.

Anônimo disse...

Anônima das 23 e 35


"O Japão não tem pouca violência contra mulher, muito pelo contrario e um dos países mais machistas do mundo"

Quando eu me referia a violência contra as mulheres, eu me referia mais especificamente, assassinatos, estupros, e agressões físicas(apanha msm), e não violência de um modo mais geral, e eu não estou inventando isso tem números para provar...


Anônimo das 23 e 26

Olha acho que as delegacias para mulheres e as leis que existe especificamente para proteger as mulheres da violência, podem ser extintas, se o governo em todos o pais criar centros de aprendizado e treinamento de artes marciais gratuitos e exclusivos para mulheres, e facilitar apenas mulheres o acesso ao porte de arma...


Anônima das 06 e 55

Muito bom o seu comentário, realmente tem feminista que precisa lembrar que obrigação dela como feminista e ficar do lado das mulheres acima de qq coisa...

Suellen

Anônimo disse...

Trolls podem ser apagados depois na moderação. Mas é importante deixar alguns comentários misóginos sim, pra quem chega aqui ver o tipo de escória que infesta a internet e as casas das pessoas comuns "de bem". Pra quem chegar aqui ler isso e pensar "Not all men porra nenhuma, a segurança das meninas e mulheres vem primeiro". Pra mulherada entender como a cabeça deles funciona e mandar pro inferno o ego desses mimizentos 'Mas eu não sou assim, suas feminazis misândricas malvadas' na hora de colocar esses cretinos no seu devido lugar (o lixo).

Ah, e não esqueçamos que no caso de uma investigação com rastreamento de IP, é mais uma prova pra mandar um mascu em cana.

Rafael Cherem disse...

Não vou deixar de ler os textos, mas a caixa de comentário não entro mais, já vi aqui comentário com ameaça de morte, estupro, racismo, já vi gente respondendo essa gente como se estivesse numa "discussão",quando os caras apenas queriam causar confusão. Teve o episódio do site, pensei que os comentárias ficariam mais selecionados e moderados, ou que pelo menos quem deles participa não dessem mais bola para os haters, mas não! Universitárias, professoras, pesquisadoras, batendo boca comq gente sem qualquer qualificação, rebatendo argumentos que pela burrice deveriam ser ignorados.
E agora um nojento ai, pedofilo, com comentário publicado nesse site.
Escrevo isso para que sirva de reflexão, não vou fazer falta, mas esse espaço tem de ser melhor utilizado.

Noêmia Cristina disse...

"Universitárias, professoras, pesquisadoras, batendo boca comq gente sem qualquer qualificação, rebatendo argumentos que pela burrice deveriam ser ignorados."

Segundo Sakamoto, o preconceito não deve ficar sem resposta, pois isto faz com que ele ganhe mais espaço. Se você sair, estará dando de bandeja este espaço para eles.

Não deixe isto acontecer!

Anônimo disse...

Anônima das 08:45

"Trolls podem ser apagados depois na moderação. Mas é importante deixar alguns comentários misóginos sim,"


Discordo disso, todo mundo sabe bem como a mentalidade de muito homem por ai, portanto acho que nos precisamos conviver com comentário, misóginos, machistas e outras merdas mais, para saber como tem homem que e ruim.

Anônimo disse...

Eu tenho uma solução para acabar com os leis/centros de apoio/delegacias/tempo desigual de aposentadoria/leis e todos os outros """privilégios"""" (aspas ad infinitum) das mulheres.

É muito simples:

Não tratem as mulheres como objetos;
Entendam que mulheres são seres humanos e seres humanos não são posse de ninguém;
Aprendam a aceitar um não sem surtar - procure ajuda médica para isso, se necessário;
Paguem igualitariamente seus funcionários, independente do gênero;
Contratem trabalhadores segundo seu perfil profissional e não seu gênero e/ou aparência;
Trate as pessoas do no seu ambiente de trabalho/familiar/social com dignidade e respeito. Não assedie ou ameace seus funcionários/familiares/amigos/colegas/desconhecidos na rua, independente do gênero;
Lavem e passem sua própria roupa, cozinhem sua própria comida, lavem a louça que sujarem, façam a cama em que dormiram, limpem o chão que sujaram e criem seus filhos;
Caso não queiram criar filhos, façam sua parte na contracepção. Emborrachem o pau de vocês;
Não assediem, estuprem, espanque, torture, matem;
Respeitem os direitos reprodutivos e o corpo da mulheres;
Aceitem que o mundo não gira em torno do seus paus;
e por fim entendam que a sexualidade feminina NÃO É SOBRE VOCÊS!!!

Vejam - todos os nossos "privilégios" (aspas ad infinitum) foi a única maneira que encontramos para resolvermos os gigantescos problemas que VOCÊS HOMENS criaram para nós e PARA VOCÊS MESMOS...

Então parem de se agarrar na barra da saia da Lola e outras feministas e vão limpar a merda que vocês fizeram...

Grata.

Jane Doe

Anônimo disse...

Anônima das 08:45

"Trolls podem ser apagados depois na moderação. Mas é importante deixar alguns comentários misóginos sim,"


Discordo disso, todo mundo sabe bem como a mentalidade de muito homem por ai, portanto acho que nos precisamos conviver com comentários misóginos, machistas e outras merdas mais dentro do nosso espaço, para saber como tem homem que e ruim.

Agora ficou melhor o texto, pode apaga o das 09:15 Lola

Hanneuer disse...

oi Lola
te admiro muito
mas em relação ao texto, depois que meu pai morreu minha mae ficou algum tempo sem nenhum companheiro por medo pelos filhos e assim que arrumou um ele me fazia elogio estranhos, logo que contei a minha mae eles terminaram
mas realmente a caso que as mulheres nao acreditam nas(os) filhas(os), mas como minha mae tambem foi abusada ela sempre nos protegeu e ficou do nosso lado
estuprador e pedofilo sao uma racinha nojenta

Mila disse...

Noêmia, acho que o ponto de vista do Rafael Cherem é que não se deve dar energia aos trolls. Primeiro pq só se desconstruímos paradigmas se o outro lado está disposto a ouvir. Sinceramente, gente que entra num blog feminista para defender estupro e pedofilia não quer mudar nada em si. Quer trollar e receber atenção. Algumas opiniões chegam a ser caricatas de tão ridículas e senso comum são, pensamento de Idade Média. Essas pessoas não vão deixar de ser sexistas, racistas e homofóbicas. Sempre que confrontadas lançam as táticas de iuzomismo, not all ...; "vcs são vitimistas". Dá pena, às vezes tá rolando discussões legais e comentaristas deixam de contribuir para o debate respondendo troll (que atrás da tela dão F5 e morrem de rir com a discórdia plantada).

donadio disse...

"Donadio por acaso você esta dizendo que 98% das mulheres e heterossexual? Você como homem que convive tanto tempo no movimento feminista deveria entender o quanto não entende nada de sexualidade feminina"

Desculpa, mas não deu para entender a sua matemática. Não sei quantos por cento das mulheres é heterossexual, mas é bem mais do que 2%. Também não sei quanto por cento das mulheres tem ou não tem orgasmos em relações heterossexuais. Mas com certeza é bem maior do que 2% - tanto das mulheres heterossexuais quanto das mulheres em geral. E também não sei, mas desconfio, que a anorgasmia é menos seletiva do que o sugerido - isto é, que a maioria das mulheres que não têm orgasmo, não têm orgasmo, ponto - nem com homem, nem com mulher, nem sozinha.

Anônimo disse...

Anon 09:18


Tem razão, a gente já sabe bem como homem machista, misógino, racista, sexista e por ai vai pensa(não e só homem), logo os comentários deles num espaço feminista são totalmente desnecessários, além disso comentário de gente escrota se lê em todas as partes da internet, por isso eles só poluem este blog, sendo assim uma rigorosa nos comentário antes de publica, seria o melhor para este blog.

Anônimo disse...

Vocês viram essa palhaçada? Projeto do Aécin, engraçado que é sobre direitos trabalhistas mas foi aprovado em menos de 3 me$e$ pelo Senado conservador. Vai lá senador do PT propor projeto com mais direito trabalhista, é arquivado depois de anos.

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/senado-aprova-licenca-maior-para-mae-de-prematuro/

A "palhaçada" se refere ao seguinte: aprovar licença maior pra homem eles não querem, né? Porque cuidar de filho é coisa de mulher, não de homem, e a mulher que se foda caso perca o emprego depois de 5 meses de licença. Afinal o colega homem dela também teve filho prematuro e voltou ao trabalho em 5 dias. Mas as iludidas pelo sistema acham que vai ser bom pra elas. Discriminação por gênero na hora de contratar alguém? Imagina, isso é coisa de terceiro mundo, não de Brasil!

Palhaçada dos políticos e vacilo do movimento feminista. Ao ficarmos em silêncio sobre isso nós também contribuimos para o preconceito e discriminação contra a mulher no mercado de trabalho. Quem nunca ouviu a pergunta "tem filhos?" ou "pretende engravidar?" numa entrevista de emprego ou mestrado/doutorado? Essa é fácil, os homens!

Esse silêncio é algo que nunca vou entender no movimento.

donadio disse...

"um cara se casa com uma mae solteira ele ajuda a mulher a sustentar filhos que nao sao deles e muito menos sua obrigação.
Vocês não acham que ele tem algum direito de ter um retorno desse investimento
"

Não, não achamos. Achamos é que alguém que tem essa opinião é profundamente doente, e precisa com urgência de tratamento psiquiátrico.

Você é um perigo para você mesmo e para os outros, cara.

Anônimo disse...

Me impressiona as rads estarem pouco se fudendo pra isso, já que teoricamente se relacionariam mais com as classes trabalhadoras. E as liberais pior ainda, tão mais preocupadas com feminismo trans. Do jeito que andam as coisas, a questão da discriminação por gênero no mercado de trabalho, cuja principal (se não a maior) motivação é a questão das licenças maternidade/paternidade desiguais, isso ainda vai continuar por muitas decadas. Porque amamentar em público é importante e ser dona do próprio útero também, mas gritar que cuidar de filho não é coisa só de mulher, o feminismo não se interessa por isso e é decepcionante.

donadio disse...

"Me impressiona as rads estarem pouco se fudendo pra isso, já que teoricamente se relacionariam mais com as classes trabalhadoras."

Donde isso? É um movimento pequeno-burguês por excelência. Quem teoricamente teria um relacionamento mais forte com as trabalhadoras seriam as feministas marxistas. Mas elas não são muito comuns, não é mesmo?

Amanda disse...

donadio


"Não, não achamos. Achamos é que alguém que tem essa opinião é profundamente doente, e precisa com urgência de tratamento psiquiátrico."

E você acha que tratamento psiquiátrico vai concertar a cabeça de um doido destes? se quer acreditar nisto acredite eu não acredito.

Esse verme das 21:44 precisa e levar um tiro de fuzil na testa, pois só assim para proteger as mulheres de um maluco destes.



Anônimo disse...

"As feministas dos países nórdicos cedo ou tarde terão que escolher de que lado estão."

Pelo visto as feministas de lá já escolheram o lado (óbvio) delas - as mulheres.

A declaração da Ministra das Relações Exteriores da Suécia que você destacou prova isso.

Anônimo disse...

Sim, tratamento psiquiátrico não resolve depressão, esquizofrênia, síndrome do pânico, etc. Temos mais é que dar um tiro de fuzil nessas pessoas, porque se não tem curi mais cedo ou mais tarde vão se matar mesmo, né? Vamos ajudar a sociedade economizando água e comida dessas pessoas, já que psiquiatria não funciona.

Pili Borba disse...

Um dia de cada vez. =(

O direito pode ser falho.... mas o ódio também não supre as falhas da justiça.

Se cuida, força aí!

Anônimo disse...

Então deu um bug aqui. Porque as rads que eu conheço se dizem marxistas. Então você pode ser marxista mas não seguir um feminismo marxista? E elas sempre falam que ao contrário das liberais, são elas que representam as mulheres pobres, negras, trabalhadoras e lésbicas, enfim todas as minorias dentro do feminismo branco burguês liberal. Pra mim as rads eram todas marxistas. Então vou pesquisar mais.

Anônimo disse...

Segundo a anõnima das 18:07 do dia 09, as mulheres devem partir pra castração química dos homens ("controle de masculinidade por medicação"). Já tinha visto isso aqui nos comentários do blog uma vez, e me deu nojo ao ponto de abandonar o site por um tempo, volto e vejo a mesma coisa. Para mim radfems são tão nocivas quanto machistas

Anônimo disse...

Deixa de ser ridículo 11:37. Até parece que não tem mulher que atira.

Anônimo disse...

11:49, tá com nojinho? Sua falta não foi sentida. Posso garantir.

Amanda disse...

O Paspalho das 11:37

"E quem vai dar este tiro para vcs?"

Eu mesma do o tiro, atira para mim não e segredo.

Na parte do utilitário, ser utilitário dos outros em maior ou menor grau faz parte da vida de todos(as), aproposito se você tem emprego você não e utilitário do teu patrão? ai se e do patrão não tem problema não?

Anônimo disse...

Anon das 09:15 discordo totalmente. Eu cheguei aqui no blog lá pelos idos de 2011, 2012, e achava que pedofilia, estupro, etc etc eram coisas de poucos homens, de doentes, levava o "not all men" mais a sério que as opiniões das mulheres, me preocupava muito com ego de machista. Nem fazia ideia de que os mascus existiam. Só fiquei sabendo da existência desses lixos e de como a violência de gênero e a pedofilia eram institucionalizadas aqui no blog; e tive a exata dimensão de como isso funcionava quando esses machos anons nojentos vinham comentar suas barbaridades. Pra uma recém chegada são justamente esses comentários nojentos que confirmam as verdades do texto.

Anônimo disse...

Anônimo de 12:10,

1º - não sou o anônimo de 11:49
2º - esse tipo de coisa q acho complicado, aparece uma mulher (presumo q seja) com opinião divergente e logo já caem de pau pra desqualifica-la/diminui-la.

Anônimo disse...

11:49, qual medida você tem em mente para evitar estupros? Eduacar os homens para não estuprar? Olha, para mim educar os homens nisso é igual a treinar um cachorro para não latir ou correr: praticamente impossivel visto que possuem caracteristicas e instintos inatos. Todo homem tem o potencial de estuprar e uma certa vontade,mesmo que inconsiente, de fazer o mesmo, visto que em qualquer situação de não punição por crimes os estupros acontecem, como em Guerra, revoluções e no ambiente familiar. Nesse caso, a castração,mesmo que errado, tem muito ma is fundamento com a realidade do que simplesmente ensinar algo que nunca vai acontecer.

Anônimo disse...

12:20, não dá pra saber se é mulher ou não, também fiquei em dúvida, mas se for mulher espero que ela repense porque esse comportamento é ridículo. Deixar de ler um blog porque alguém nos comentários disse que homens devem ser medicados é demais pra minha cabeça.

Anônimo disse...

Sylvie

Anônimo 9 de dezembro de 2015 das 12:15; 9 de dezembro de 2015 das 12:22,

Já que odeiam tanto as mulheres, tem tanta repulsa, ódio e desprezo por nós e tem tanta adoração pro machos, admitam que são misóginos e viados enrustidos e casem uns com os outros e parem de encher o saco!




Anônimo 9 de dezembro de 2015 das 12:33,
Se conforme que existem mulheres cada vez mais independentes e invadindo espaços ditos como "masculinos" porque misóginos como você SEMPRE oprimiram e impediram mulheres de estudar e serem cidadãs por covardia e insegurança. Vai ter cada vez mais: engenheiras, delegadas, cientistas, matemáticas, etc, porque você NÃO É O DONO DA PORRA DA RAZÃO seu viado enrustido e misógino!! Chora mais fracassado! Engenheiras e cientistas tão cagando pra sua existência de merda, seu parasita nojento!

Anônimo 9 de dezembro das 21:44
Casar com uma mulher que tem filha NÃO lhe dá o direito de PORRA nenhuma seu lixo!!
Eu tive um namorado que tinha filho adolescente e nem por isso me achei no direito de trepar com o garoto porque era madrasta dele!
Você não é um homem, você é um LIXO, um ESGOTO MORAL.
Eu podia até mandar você procurar uma rola, procurar um sanatório ou até torcer pra você levar um tiro na cara algum dia, mas tudo isso é MUITO POUCO pra você seu pedófilo covarde!
Você foi o PIOR dos trolls misóginos que passaram neste post tão sério falando de abusos contra crianças!
Sabe que você merece? Ter o pedaço de carne nojento que tem as pernas arrancado por faca e você se esvair em sangue seu verme! Um lixo como vc quando é retirado desse Mundo, o torna um pouco melhor!


Anônimo babaca que reclamou que mulheres são ruins porque jogam crianças no lixo...
É fácil julgar quando vc larga sua namorada ou esposa grávida e desamparada. EU podia lhe explicar mais coisas pra que não tenha mais uma visão tão limitada sobre problemas femininos, ressaltando que NÃO estou defendendo mulher que abandona filho, mas, quer saber?
Prefiro que vc tá tomar no teu cu, sem mais.


AnÔNIMO CHORÃO DE 10 de dezembro de 2015 11:37
Por acaso você não sabe que tem MUITASSSSS mulheres policiais e até MUITASSS delegadas de polícia, jovens, bonitas, corajosas, e que até estão superando seus colegas homens?!!
Não precisamos de nenhum macho pra dar um tiro na cara de quem merece.
"Homem utilitário" de novo esse choro chato da porra?! KRLHO anônimo!! Estamos no século XXI, e nem toda mulher é validadora machista que se escora em homem babaca e inútil como vc pra ter dinheiro?
Sabia que as mulheres hoje em dia são independentes e profissionais bem sucedidas? Não sabe? Ownnn, coitado do teu cérebro de merda!kkkk
Baby, vai se fuder com seu machismozinho inútil ok?


Ps: sem educação pra troll escroto, babaca e misógino. Os próximos que vierem pra cá, façam o favor de se fuder! Obrigada.

Anônimo disse...

Anônima das 12:22

Eu não sou anônima das 11:49


"qual medida você tem em mente para evitar estupros?"

Eu nem devia perde o meu tempo te respondendo isso, mas me deu do a sua falta de noção então lavai.

1 - treinar mulheres para reagirem com máximo rigor (já ouviu fala de krav maga?) diante de qualquer tentativa de estupro.

2 - porte de arma de fogo facilitado para mulheres.

3 - leis severas ao máximo e boa aplicação das leis contra estupro.

"Eduacar os homens para não estuprar?"

Educar não funciona com todos, mas se não funcionasse com homem nenhum, todas as mulheres já teriam sido estupradas diversas vezes durante a vida.

donadio disse...

"Então deu um bug aqui. Porque as rads que eu conheço se dizem marxistas. Então você pode ser marxista mas não seguir um feminismo marxista? E elas sempre falam que ao contrário das liberais, são elas que representam as mulheres pobres, negras, trabalhadoras e lésbicas, enfim todas as minorias dentro do feminismo branco burguês liberal. Pra mim as rads eram todas marxistas. Então vou pesquisar mais."

Não vejo em que o movimento radfem seja "um feminismo marxista". Marxistas centram a análise na crítica do capitalismo, e enfocam a opressão das mulheres como uma funcionalidade da dominação capitalista. Radfems vêem a opressão das mulheres como inerente à sexualidade masculina - muitas vezes tendendo a posições essencialistas e biologizantes, que são inaceitáveis do ponto-de-vista marxista.

Suponho que haja alguma intersecção entre feministas marxistas e feministas ditas "radicais" (se há gente que se diz "marxista-cristão", então tudo é permitido, e de qualquer maneira há marxistas e "marxistas" dos mais variados tipos e sabores), mas os pontos de partida teóricos, e, em termos gerais, a militância prática dos dois movimentos é mutuamente exclusiva.

Você não vai ver muitas feministas marxistas defendendo absurdos como a castração química dos homens em geral, o lesbianismo político, ou a criminalização da prostituição. Para os marxistas - e para as marxistas também - essas são posições de direita.

Vicky_ disse...

Donadio, eis tão esperto, só que não. Faz isso cá: Paste onde a grama está mais alta.

Há rads marxistas, como nunca li a profundo sobre o marxismo, não posso dizer se me incluo, embora em muitas discussões online me chamassem de rad marxista após lerem meus argumentos.
Admito ser a favor da queda do capitalismo, no entanto, também não estudo comunismo/socialismo, embora admita ter certa admiração por anarquistas e anarca feministas.

É importante diferenciar [e estabelecer semelhanças entre] feminismo científico e marximo científico ao se debater tais discordâncias quanto a melhoria do meio social.

Tens razão, anon, você, em seu confortável computador, culpando mulheres, em completo anonimato, deve estar fazendo muitas mais pelas pessoas na base da econômia que as [rad]fems. Ah, lembrei, a maioria das pessoas mais pobres ds sociedade são mulheres.

fernanda melo disse...

Eu li esse comentário. De verdade eu repensei a ideia de namorar serio com alguém tipo relacionamento de levar em casa e conviver com a minha família. Pq tenho medo. Eu sei que isso é ruim pra mim mas tenho muito medo de sem saber colocar um abusador dentro de casa. Mas namorar hoje não é prioridade pra mim. Parece cliche mas nao preciso de homem pra ser feliz. Enfim... Se as coisas não fossem tão duras talvez eu me sentisse menos presa nessa questão.

fernanda melo disse...

Eu li esse comentário no dia que foi postado. Af escrever no celular é ruim

donadio disse...

"Donadio, eis tão esperto, só que não. Faz isso cá: Paste onde a grama está mais alta."

Pois é, né... argumento absolutamente irrespondível, especialmente à luz do que vem a seguir:

"Há rads marxistas, como nunca li a profundo sobre o marxismo, não posso dizer se me incluo, embora em muitas discussões online me chamassem de rad marxista após lerem meus argumentos."

Como eu disse, não duvido da existência de intersecções. Se as tais rads marxistas seriam consideradas marxistas por outros e outras marxistas, ou radfems por outras rads, é uma discussão diferente. Qualquer um pode se intitular, sei lá, "anarco-muçulmano" - mas não haveria nem muitos muçulmanos nem muitos anarquistas levando o rótulo a sério.

Também já fui chamado de muitas coisas; "trotsquista" (às vezes "trotsquista judeu" ou "anarco trotsquista") é um favorito. "Social-democrata", "liberal", "comunista de esquerda", e até mesmo "estalinista" são outros rótulos comuns que as pessoas gostam de pregar em mim. Entretanto, pasme, não sou trotsquista nem social-democrata, judeu, liberal, ou estalinista. Geralmente esses rótulos vem de pessoas que não sabem bem o que é trostquismo, anarquismo, judaísmo, social-democracia, etc.

Talvez seja o seu caso também: talvez as pessoas que te rotulam de rad marxista também não saibam muito bem o que é marxismo, ou o que é radfem, ou (ooohhh!) nenhum dos dois.

"Admito ser a favor da queda do capitalismo, no entanto, também não estudo comunismo/socialismo, embora admita ter certa admiração por anarquistas e anarca feministas."

Bom, uma coisa (e não são muitas) em que marxistas e anarquistas concordam é que você não pode ser anarquista e marxista ao mesmo tempo. O que não impede que muita gente se auto-descreva como anarco-marxista.

Marxistas não tem o monopólio de ser a favor da queda do capitalismo. Muita gente boa (e má) quer o fim desse sistema, mas não é marxista. Anarquistas sendo provavelmente o maior grupo. O que diferencia os marxistas é a análise peculiar que nós fazemos do capitalismo, como um sistema contraditório e datado, que não é partilhada pela maioria dos não-marxistas, e a ideia de que a classe operária - e só ela - pode liquidar o sistema.

"É importante diferenciar [e estabelecer semelhanças entre] feminismo científico e marximo científico ao se debater tais discordâncias quanto a melhoria do meio social."

Fica difícil estabelecer diferenças e semelhanças entre coisas que a gente não sabe bem o que são, "nunca leu a profundo", não é?

Anônimo disse...

Ninguém e amável nem demoníaco tudo é questão de escolhas.A conheceram três ondas feministas.A primeira entre o seculo XIX e inicio do XX.A segunda nas décadas de 60 e 70 que acompanhei porque tenho sessenta e um anos de idade.E a terceira da década de 90 prá cá. No seculo dezenove e inicio do vinte as mulheres queriam o direito de votar.Nas décadas de 60 e 70 feministas como Betty Friedman e Gloria Stein em combatiam a revista Play Boy e a forma que o corpo da mulher era usado.Enquanto isso as mulheres do bloco socialista não se maquiavam e faziam tudo o que os homens faziam.Hoje as mulheres querem o direito de andar nuas e serem respeitadas .Antes elas nos chamavam de porcos chauvinistas por comprarmos revistas delas sem roupa ...que contraditório né? Paises como a Suíça só em 71 deram a mulher o direito de votar mas são tidos como exemplo de primeiro mundo.Essa é a vantagem que tem em ter 60 anos ....a de dizer....já vi esse filme

Anônimo disse...

Quem te disse que não sou amado?Sinceramente o mundo está uma merda e dependesse da minha vontade eu já teria morrido mas tenho duas crianças que cuido e educou....mesmo depois de aposentado.Meu neto de 8 e a filha de minha ex de 12.Minha filha sai para trabalhar e eu cuido de tudo...lavo...faço comida ensina as lições da escola.Quando a minha filha volta do serviço e da faculdade eu vou trabalhar num hospital de madrugada...volto de manhã e começa todo de novo.Só durmo à tarde enquanto as crianças estão na escola mas amo e sou amado pelas crianças.Viver com alguem?Não quero!Não devo entrar e sair de relacionamentos como se fossem uma diversão.Tenho a responsabilidade de ajudar minha filha a criar essas criança as mas te digo não faltas mulheres para mim mas qdo. percebo não dou espaço.

Vicky_ disse...

Próximo disso, não me aprofundei [ainda] em termos econômicos, por conta disso, falei que não há como me incluir em marxismo, ao menos nesse momento.

A parte de estabelecer diferenças era para VOCÊS, para não ocorrer o erro de demonizar feministas, eu sequer adentrei ao tema propriamente dito.

E você também não possui nenhum conhecimento teórico ou prático em feminismo radical, a diferença é que eu não demonizei ou indiquei proveito no marxismo em meu comentário, visto que não me informei com os argumentos da área.

Há pior, já li "Anarco-monarquista". rsrsrs

Anônimo disse...

Moro numa favela em são Paulo onde todas as semanas tem baile funk.Meninas de menos de dez anos se drogam e fazem sexo na rua e se acham livres por isso.Vai falar pra elas sobre direitos e exploração que VC vai descobrir que tua luta feminista e o mesmo que dar murro em pontas de faca.

Carolina disse...

fernanda melo


Desculpe eu me meter num assunto que não e comigo, você diz:

" De verdade eu repensei a ideia de namorar serio com alguém tipo relacionamento de levar em casa e conviver com a minha família. Pq tenho medo."

Sabe eu sempre achei essa ideia de morar com namorado meio estranha, mas cada uma pensa de um jeito.

Quanto ao seu medo eu compreendo isso, agora você nunca penso em ter um relacionamento com um homem de baixo risco? o que eu quero dizer com isso, e um homem não tem como oferecer maiores riscos a você nem sua família, pois e portador de alguma deficiência, tipo o cara e cego, paraplégico ou alguma outra limitação física mais seria?

Eu estou te dizendo isso, pois sei que a probabilidade um cara assim chegar fazer algum mal a você (partindo ponto de vista, que você e saldável) ou alguém da sua família e muito baixa.

E olha eu só estou trocando uma ideia contigo aqui, longe de mim querer dizer aqui o que seria melhor mais certo para você.

Anônimo disse...

Você não tem mais nada pra fazer do que ficar trollando blog feminista, não vovô? Já passou da idade. A vantagem de ter mascu com a sua idade é que vocês não vão durar muito mais tempo.

Anônimo disse...

15:04, já denunciou a policia esses pedófilos estupradores ou a sua contribuição é vir em blog feminista inventar lorota?

Anônimo disse...

Vou nem entrar no mérito de "medicação preventiva de estupro" que eu sinceramente acho que femista que defende isso não é levada a sério em qualquer outro lugar que não seja o bom anonimato internet.
Donadio, pelo que entendo, feministas radicais se intitulam marxistas por acreditar que apenas a revolução da classe oprimida (no caso, mulheres) pode dar fim ao sistema opressor (no caso, machismo). E que o machismo e o capitalismo andam de mãos dadas. Mas enfim, também não sei muito do assunto. Talvez a anom A possa dar uma iluminada.

Anônimo disse...

Não pude deixar de rir da sugestão da Carolina

~homem de baixo risco~

Eu acho que o Joseph Climber é de baixo risco. Cego, surdo, não tem braço nem pernas, nem língua ele tem. Aí já perde um pouco a utilidade hahahahahahahaha

fernanda melo disse...

Nao se eu me relacionar com alguém nao vou escolher dessa forma. Nao tenho nada contra o cara ter uma deficiência mas não me relacionaria com ele apenas por isso

fernanda melo disse...

Kkkk pior eu ri também cofesso

Anônimo disse...

Se bem que os surdos devem ser bons com as mãos...
To pensando aqui em possibilidades rs

Anônimo disse...

Rafael Cherem, obrigada pelo abraço! Senti tanta sinceridade nas suas palavras que me senti abraçada.
Ah se todos os homens fossem sensíveis assim, o mundo seria bem melhor.
Obrigada aos abraços virtuais, aos desejos de paz.. a empatia. Vocês me fazem acreditar num mundo melhor. Eu recebo todos, com carinho!
E a todos os outros que duvidaram, machucaram com as palavras, esculhambaram.. só digo uma coisa. Vocês são café pequeno, não valem a pena.

Lola obrigada por compartilhar, que lindo gesto! chorei copiosamente em relembrar isso tudo, mas espero que esse relato ajude, faça pensar, refletir. Se ajudar uma mulher que seja, já terá valido a pena.

p.s- Fui aprovada na primeira fase. Faltam várias ainda... mas eu chego lá!

Feliz 2016! Com menos ódio e mais empatia por todas as mulheres.

Dr. G

donadio disse...

"Donadio, pelo que entendo, feministas radicais se intitulam marxistas por acreditar que apenas a revolução da classe oprimida (no caso, mulheres) pode dar fim ao sistema opressor (no caso, machismo)."

Pois é. Mas para um marxista, mulheres não são uma classe. Se as radfems acham que as mulheres são uma classe, então elas estão em desacordo com o pensamento marxista em um ponto fundamental. É como se achar cristão por acreditar que Maomé foi crucificado para nos libertar dos nossos pecados.

"E que o machismo e o capitalismo andam de mãos dadas."

Pode ser que as (ou algumas das) radfems achem isso, mas não vejo muito bem como seria essa intersecção. Para nós marxistas, machismo é uma coisa muito mais antiga que o capitalismo (tipo, dez mil anos de idade contra quinhentos ou trezentos, dependendo de a qual marxista você perguntar). Mas o capitalismo se apropria muito bem do machismo histórico (embora submetendo-o a muitas transformações), e a divisão sexual do trabalho é estruturante na sociedade capitalista, por que faz parte do mecanismo de reprodução da força de trabalho (como diz a Roswitha Scholz, a reprodução da força de trabalho exige ela mesmo trabalho - por a mesa, cozinhar, lavar, passar - e trabalho que não seja socialmente considerado trabalho). Não sei muito bem como as radfems analisariam o capitalismo, ou mesmo se existe uma análise que seja minimamente consensual entre elas, mas raciocinar por analogia (mulheres:machismo::classe operária:capitalismo) não é suficiente para categorizar ninguém como marxista (a não ser no discurso da direita furiosa, para quem todo mundo é comunista).

Anônimo disse...

Eu moro em comunidade também 15:04 e vejo muita luta feminista entre as minas da perifa: estética, ingresso no mercado de trabalho e a luta contra a violência doméstica. Aprende um pouco de feminismo antes.

Vicky_ disse...

Donadio, total consenso talvez não, mas no Feminismo Radical há a ideia de Patriarcado-Racismo-Capitalismo como.

O Patriarcado teria se expandindo primeiro, no neolítico(óbvio que não de maneira uniforme, mas ainda com seus métodos horrendos), da qual, iniciaria as raízes do imperialismo e semelhantes, origem do sistema opressão por cor, por fim, embora o patriarcado tenha se adaptado há quase(?) todo sistema econômico, o capitalismo é uma das suas suas maiores armas, por uma série de fatores.

Ou seja, por conta da ordem dos fatores, derrubar o sistema racista por se só não resolveria a coisa, visto que a misóginia é mais enraizada que este. Por isso a figura da mulher negra é tão emblemática.

Isso que falo é um conceito diminuto e escrito as pressas, há pdfs e materias extensas desenvolvendo o assunto, posso até ter digitado algo incorretamente.

Nunca vi Rad de direita, e parte significativa é anarquista ou semelhante, mas há também algumas marxistas declaradas.

Ativismo negro é atualmente quase inseparável [sem intersecção propriamente dita], as poucas vezes que vi uma falar algo racista, as demais corrigiam, ou seja, é mito dizer que RadFems são racistas. Eu mesma sou radical e pessoa não-branca, nunca me excluíram pela cor, há representantes negras assim como no Feminismo Liberal.

Anônimo disse...

(Viviane)
Vejam vocês! Depois de se disfarçar de Taty, o anônimo do "VC" (em maiúsculas) está de volta! Qual será o próximo alter ego dele? Façam suas apostas!

Anônimo disse...

Pois é, também acho que, mesmo que vivêssemos em uma sociedade não capitalista, machismo só mudaria de caras, assim como o foi em todo o período da história. Por isso não entendo quem acha que feminista TEM QUE SER, ahn, anti-capitalista.

lola disse...

Oi, gente! Vi algumas e alguns de vcs reclamarem da moderação de comentários, dos comentários mascus nojentos publicados. Esses dias foram corridos demais, eu dei 3 palestras em 24 horas, em Aracati, CE, e Brasília. Ontem estive na Câmara entre 14h e 20h, falei no plenário, numa mesa comemorando os 20 anos de Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara. Em seguida fomos direto pro Museu Nacional (a gente nem jantou nem nada!), pra uma outra mesa. Fui dormir a uma da manhã, quase perdi o voo de volta pra Fortaleza (era às 6:50, eu só cheguei às 6:25, porque não acordei com o celular que uma ativista me emprestou e, por algum motivo estranho, o dono do hostel não quis abrir o portão pro motorista que foi me buscar às 5:15). Mas consegui embarcar, cheguei aqui em Fortaleza, fui direto dar aula, que preparei no avião. Ou seja... Não cheguei perto de um computador desde às 13h de ontem até às 13h de hoje. Se eu só liberasse os comentários depois de moderados, isso evitaria os mascutrolls, mas os posts ficariam sem comentários durante 24 horas. Então eu acho melhor ocasionalmente aguentar alguns comentários asquerosos do que ficar sem comentários, sem debate. É só ignorar os comentários de ódio! Quando eu apareço, eu os apago.
Ufa! Fiquei cansada só de ler como foram meus últimos dias...

Anônimo disse...

Porque o Jonas comentou como anônimA às 13:17 ?

Essas ideias óbvias e a falta de uso correto dos verbos no infinitivo... Se não for o Jonas você está de parabéns, imita bem demais!

Anônimo disse...


a) Sou professora de História e é um absurdo explanar que o feminismo foi a causa do aumento dos abusos as mulheres nós feministas denunciamos todas as violências que as mulheres sofrem no trabalho em casa e nas escolas.

b) Toda esta violência já existia nós feministas passamos a denunciar e não nos calamos. Este texto e forte e triste mas nós mulheres não podemos desistir nunca.





donadio disse...

"Donadio, total consenso talvez não, mas no Feminismo Radical há a ideia de Patriarcado-Racismo-Capitalismo como.

O Patriarcado teria se expandindo primeiro, no neolítico(óbvio que não de maneira uniforme, mas ainda com seus métodos horrendos), da qual, iniciaria as raízes do imperialismo e semelhantes, origem do sistema opressão por cor, por fim, embora o patriarcado tenha se adaptado há quase(?) todo sistema econômico, o capitalismo é uma das suas suas maiores armas, por uma série de fatores.
"

Onde eu vejo diferença é aqui: "embora o patriarcado tenha se adaptado [a] quase(?) todo sistema econômico, o capitalismo é uma das suas suas maiores armas".

Em princípio, a análise marxista vai na direção oposta: embora o patriarcado seja mais antigo que o capitalismo, ele hoje é funcional para o capitalismo - e não o capitalismo funcional para o patriarcado, como você parece estar dizendo.

"Ou seja, por conta da ordem dos fatores, derrubar o sistema racista por se só não resolveria a coisa, visto que a misóginia é mais enraizada que este. Por isso a figura da mulher negra é tão emblemática."

Numa análise marxista, nem o racismo nem o patriarcado podem ser "derrubados" sem mexer no sistema de produção.

"Nunca vi Rad de direita, e parte significativa é anarquista ou semelhante, mas há também algumas marxistas declaradas."

Não disse que elas "são" de direita. Disse que algumas posições que elas comumente defendem são posições de direita.

"Ativismo negro é atualmente quase inseparável [sem intersecção propriamente dita], as poucas vezes que vi uma falar algo racista, as demais corrigiam, ou seja, é mito dizer que RadFems são racistas."

Não acho que as radfems, enquanto movimento, sejam racistas. Os problemas, a meu ver, são outros, particularmente a obsessão em controlar a sexualidade alheia - a "absexualidade" (https://www.youtube.com/watch?v=vDYz4JpQL8A). Isso leva a posições de direita, entre as quais a mais notória é o "abolicionismo" em relação à prostituição. E como há uma intersecção grande entre pobreza e raça negra, essas coisas anti-operárias acabam se refletindo numa despreocupação com a questão racial, que é problemática. Também em relação à questão do estupro e as acusações falsas, há uma vontade deliberada de ignorar o uso racista da problemática (que você pode ver aqui mesmo, nos comentários esporádicos sobre como as feministas têm obrigatoriamente de ser islamofóbicas).

Vicky_ disse...

Aff, criatura, não havia dito que queria a explicação marxista do que eu disse, somente estava respondendo algumas questões que você havia postado.

Sim, não concordo com a visão de que Patriarcado é "braço direito" do Sistema de produção, considero o contrário(com as devidas considerações), precisa que eu rexplique algo da qual eu estava tentando resumir?

Pela quinquagésima vez, eu não estava adentrado o tema que mencionou, eu, tecnicamente, estava tentando voltar a temática desse post, por isso que digo que feminista não é obrigada a explicar de cabo a rabo tudo, é cansativo.

E você sabe que me baseio (baseio) no modelo nórdico de prostituição.

donadio disse...

"Aff, criatura, não havia dito que queria a explicação marxista do que eu disse, somente estava respondendo algumas questões que você havia postado."

É cortesia, não precisa pagar.

Difícil argumentar que feministas "radicais" não são marxistas sem minimamente explicar qual é a posição marxista, e em que ela difere da posição radfem.

"E você sabe que me baseio (baseio) no modelo nórdico de prostituição."

Sei, e digo que é uma posição de direita: a solução para os problemas dos trabalhadores é... diminuir os direitos dos trabalhadores.

Aqui tem uma boa crítica dessa linha de raciocínio do ponto-de-vista marxista: http://www.permanentrevolution.net/entry/1556

Anônimo disse...

ihihi, a Vicky não aguenta a argumentação e tenta sair dizendo que não tem obrigação de explicar td :3

Anônimo disse...

Quase chorei com o texto. Aí eu leio os comentários, e o que eu encontro? Merda! Digitadas por quem? Homens!! Amigos, nos ajudem a ajudar vcs, pq tá feia a coisa. Assumir as porcarias que o seu gênero faz não te coloca automaticamente no mesmo barco q eles. Brancos são racistas e dizem/fazem merda o tempo todo, por isso não fico toda ofendida pq negros apontam isso. Se apontam é pq é verdade, e é a maioria, tem toda uma história aí comprovando, que ainda ta longe de terminar.
Acabei de ler uma reportagem sobre uma mulher que tava pelada na rua. Ela era obesa e tinha sérios problemas mentais. Decidi ler os comentários, e uma parte ficou com pena da situação dela, e a outra parte zoava o corpo dela. Advinha de quem era a segunda parte? Pois é.



Dan

Anônimo disse...

Pior ainda...um depoimento horrendo desses, eu nem dormi depois de ler e todo mundo pouco de importando, só querem discutir com os mascus, preferem dar respostas que jamais mudarão em nada o comportamento deles, brigar, ter razão.. Tudo em cima do caixão da menina e do desespero da advogada. Nesses posts tudo o que dá pra sentir é que realmente a vítima não importa

Anônimo disse...

Solidariedade, compaixão, empatia, simplesmente não existiram aqui. Parabéns, continuem alimentando esses homens,tenham bastante argumentos, saibam usar um português impecável, uma menina morta e uma mulher aos pedaços ...ahh o que significam diante de ganhar uma discussão!!! Nojo do ser humano

Anônimo disse...

A ignorância feminista no seu melhor.

Uma pessoa tem problema com homens, homens são o problema, uma pessoa é ferida por um homem, homens são monstros pedófilos estupradores mwahahahah!

Cuidado com todos os homens ao seu redor, estão só esperando a primeira oportunidade para sequestrar suas mulheres e crianças para fazer suas maldades nojentas!

E eu ainda perco tempo lendo isso. Eu devo adorar ler estupidez mesmo.

Pensem um pouquinho só: se 1/10 dos homens tivessem 1 /10 da maldade que vocês acham que eles têm, a humanidade já estaria extinta. Não ia sobrar uma mulher viva e com o hímem no lugar.

Na Justiça, pô, lá você encontra o PIOR, não é à toa que estão lá. Mas o pior não existe sem existir algo MELHOR.

Eu to na Justiça faz um tempinho, vi briga feia por migalhas, nem assim sou tão pessimista.

BLH

Anônimo disse...

Anônimo das 10:50...

Sua estupidez e arrogância são impressionantes.

Primeiro ninguém te obrigou a ler o post.

Segundo: você trabalha mesmo na Justiça?! Pois seu argumento parece de analfabeto funcional.

Terceiro: violência sexual só conta quando se trata de virgens?!! Quando a adolescente ou mulher não é virgem a violência sexual não é violência?!
Virgem ou não, violência sexual é só o estupro vaginal?! E a relação anal e oral forçados que inclusive meninos podem ser vítimas pq muitos pedófilos não abusam só de meninas. Pra vc relação oral e anal forçados não são formas de estupro?!!

Quarto, sim da violência física, psicológica e sexual cometida contra crianças e mulheres a maioria dos criminosos são HOMENS, mas não que dizer que a maioria dos HOMENS são criminosos! Sua inbecibilidade e arrogância sai impressionantes.

Antes de reclamar que estamos "exagerando" e supostamente generalizando, se trabalha mesmo na Justiça faça SUA parte em ajudar a condenar esses criminosos cruéis e covardes invés de ficar julgando quem quer denunciar e mudar essa realidade!
Enfia seu mimimi e machismo no teu rabo e vai trabalhar invés de vomitar choro,mimimi e machismo barato.

donadio disse...

Olha, o argumento do anon 10:50 é grosseiro e mal-construído.

Mas ele tem razão nisto:

"se 1/10 dos homens tivessem 1 /10 da maldade que vocês acham que eles têm, a humanidade já estaria extinta"

As percentagens são evidentemente chute, e a generalização do "vocês" é tosca. Mas eu convivo com mulheres diariamente; a grande maioria não vive no pânico permanente de ser estuprada/abusada. Que é um pânico estimulado por um tipo muito particular de "feminista": aquelas que querem controlar a sexualidade alheia. Infelizmente, esse pânico não aponta para a superação do machismo e do patriarcado; ele aponta na direção de uma sociedade como a da Arábia Saudita, onde as mulheres estão permanentemente "protegidas" do convívio social com os homens.

Monique disse...

Nenhum deles merece o amor de uma mulhe.

Ubiratam Dagostino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ubiratam Dagostino disse...

Engraçado o ponto de vista das feministas. Englobam tudo que é dor e injustiça em favor da mulher justificando uma igualdade. O choro e a violência são temas recorrentes como se o mundo só fosse ódio e os homens seres cavernosos. Feministas imaginam um mundo só delas, onde homens perfeitos são afeiçoados aos tratos de extrema finura e, até por que não, como personagens que figuram numa estante como meros bonecos de uma gentileza robótica. O homem das feministas está próximo da perfeição, fruto de um idealismo exuberante. O homem das feministas existe. Está nas estância mais doce e longínqua do sonho humano. Tentem buscá-lo

Anônimo disse...

Sou casada a 5 anos e amei meu marido mais que a mim, hj sofro as consequencias disso, me afastei de familiares, amigos pq ele falava que eles ñ faziam "bem" pra mim
Me afastei de tudos e de todos, hj tenho um filho de 2 anos que esta crescendo vendo esse "casamento" vegetativo
Ele tem a vida aquisitiva melhor do que a minha então qualquer coisa tudo joga na minha cara tipo eu ganho melhor que vc, tudo aqui é meu e tals
Vivo uma vida infeliz e só de pensar que eu tinha uma vida independente trabalhava me sustentava, morava sozinha tinha minhas coisas e minha liberdade, é aquele famoso ditado era feliz e ñ sabia.... Me ilude
Sinto culpa pq amo meu filho, mais daria tudo pra ter a minha vida de antes
Por amar mais ele me anulei, me diatanciei da "vida" ele sabe como me fazer infeliz
As vezes tenho raiva de mim mesma parece que estou esperando um "milagre" alguem vim me resgatar dessa prisão
Desculpe pelo desabafo

Anônimo disse...

Lola, o texto em questão me levou uma reflexão que já faço e muito cruel... não amaremos nenhum homem e os nossos filhos? Vejo que é muito difícil não criar um possível abusador/opressor... muito cruel culpar as mães... mas me parece paradoxal... como não amar meu filho? E amanhã ele sendo um abusador? O que fazer ?

Me sentir culpada?

Me coloquei no lugar dessa mãe...

Alan Silva disse...

Isso vem desse a antiguidade crianças eram estupradas nos bacanais pelos próprios pais, para trazer "sorte" para a família.