quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

GUEST POST: UM DIA SUAS PALAVRAS NÃO TERÃO MAIS EFEITO

Marina Kon, 22 anos, estudante de engenharia química, me enviou este texto poderoso:

Primeiro você vai destacar todas as imperfeições do meu corpo. Celulites, estrias, o excesso ou a falta de curvas, meus complexos, tudo vem à tona com uma rispidez tão cotidiana que chega a ser natural. Depois você vai atacar cada uma das minhas paixões e deixar expostas as minhas fraquezas, pisando nos calos um por um. Minha família, meus trejeitos, o modo como eu me porto ou abaixo a cabeça, tudo vira motivo de deboche.
Quando notar que suas palavras já não surtem efeito, uma hora a gente acaba se anestesiando dos insultos, você vai ficar mais agressivo. Palavrões e frases feitas, bordões que se escutam nas esquinas dos bares são ditos com tal convicção que em momentos de fraqueza a gente acaba acreditando. 
Ficarei parada no mesmo lugar de costume. Quando se planta a violência, se colhe o temor. A língua às vezes dói mais que a força das mãos e você tem consciência disso. Por esse motivo, dará continuidade à agressão moral. Vai cuspir na minha cara e dizer que a culpa é minha. Depois, jogar seu resto de cerveja no meu cabelo ruim que foi alisado à força. 
Permanecerei no mesmo lugar, paralisada pelo terror psicológico, com vergonha da minha própria carne. A covardia vai aos poucos dominar seus movimentos. Seu corpo, muito maior que o meu, vai se aproximar com peitoral estufado, preenchido com um ar de prepotência. Sem camisa mesmo, com os pelos evidentes em todo o corpo, vai coçar as regiões íntimas e começar com outra forma de agressão, dessa vez física. 
Feche essas pernas e sente igual uma moça, só eu tenho o direito de abri-las! Os olhos roxos, a posição de submissão, todos os anos de humilhação que não se justificam! Mudarei de caminho, trocarei de roupa, desviarei o olhar ao me fazer de surda aos seus “elogios”. Por um momento me sentirei diminuída, jogada num chão que me fizeram limpar com as roupas do corpo. 
Vou querer morrer ali mesmo, mas Penha e Simone me darão as mãos e me segurarão com tanto suporte que poderei levantar. Maria, passa na frente -– eu rezarei. Para que eu possa ver sua bunda -– você completará. Seu corpo é seu até onde eu quiser que seja! 
O nojo me invadirá, mas dessa vez não o internalizarei em dor. Das lágrimas surgirão ações. Largarei os mitos de que só mulher feia luta, mulher que não depila, que quem luta odeia os homens ou quer ser um deles. Lutar pelo direito de ser mulher é mais feminino do que possa parecer. 
Colocarei meu salto alto e deixarei que todos vejam o ponto preto na palma da minha mão. Às vezes a marca da crucificação também aparece em outro gênero. Você então se intimidará e se fará de vítima. Você mesmo caíra no chão e inverterá as posições. As pessoas em volta te acolherão com tanta pena, como nunca me acolheram. 
A maioria é mulher, devo dizer. Mulher chora por tudo, deve ser TPM, falta de sexo ou de chocolate. Ah, mas quando homem chora! Homem chorando tem um apelo quase publicitário, aí sim tem valor, um real motivo. Porque homem não chora sempre, nem pode chorar. Vá lavar umas louças! -- gritarão as cúmplices da sua própria condenação. Aproveita e dá um jeito nessas sobrancelhas, senão vai ficar para a tia! Homem não gosta de mulher desleixada! 
Vou sentir-me de novo invadida e lhe olharei de cima para baixo. Poderei sentir seu temor, olhos apavorados e masculinidade agora minúscula. Nesse momento você vai sentir medo da vingança, de perder todos os seus privilégios, de passar de dominador para dominado. Pedirei para que ajoelhe e sua respiração ficará ainda mais ofegante. Já esperará um tapa com as mãos postas, mas é nessa hora que vou me ajoelhar bem na sua frente. Olhos nos olhos. Ficaremos no mesmo nível, então. A igualdade já é o suficiente. 

36 comentários:

Anônimo disse...

Que texto forte e tocante... Fiquei sem fôlego e sem palavras.
Você é uma moça de muito talento, Marina Kon. Que bom que está utilizando-o em prol do feminismo.

Anônimo disse...

Bravo! Me representa!

Anônimo disse...

Igualdade não, eqüidade.

Jonas Klein disse...

O texto e provocante, agora me pareceu que a Marina Kon, quis fazer uma media com as rads aqui, talvez tenha sido só impressão minha.

Anônimo disse...

Ajoelhar pra ficar no mesmo nível do opressor? Jamais.
É essa condescendência e piedade do lado de cá que ajuda a atravancar o nosso avanço.

"Você mesmo caíra no chão e inverterá as posições. As pessoas em volta te acolherão com tanta pena, como nunca me acolheram. A maioria é mulher, devo dizer."

E você no fim se comporta como uma delas. Lamentável.

Fora esse final gostei muito do texto.

Anônimo disse...

Está na hora de abolir a palavra "igualdade" do vocabulário feminista, não?

Anônimo disse...

Ainda dizem que feminista é a escória, feminismo é o erguer da mulher, é o levantar da cabeça, toda mulher que eu conheço tem problemas com falta de auto-estima alta, algumas com quadros de depressão que nitidamente são por imposições sociais. Por não acharem o amor da vida delas, por não conseguirem agradar, não serem bonitas o suficientes nem simpáticas. E isso tudo é levado como brincadeira e questão hormonal.

Hoje mesmo vi um daqueles vídeos de pegadinhas sobre namoro e os comentários abaixo dizendo que mulher consegue qualquer homem que tudo é fácil pra mulher porém não é o que vejo, já saiu uma pesquisa que mulheres brancas se encontram em relacionamento sério muito mais que mulheres negras, que mulheres gordas dificilmente conseguem um relacionamento sério nem com um gordinho. Eu não sei aonde é fácil ser mulher...

Anônimo disse...

Mulher consegue uma foda pq homem é fácil demais. Mas um namoro não, a não ser que ela queira ser a segunda , terceira etc... namorada...

Anônimo disse...

O sofrimento é fruto do machismo, eu não ligo se eles se sentem injustiçados que lutem, mas estranho não querer lutar. Coisa que a comodidade e sadismo nunca vai deixar eles fazerem...

Anônimo disse...

*sofrimento masculino

Anônimo disse...

Hoje mesmo vi um daqueles vídeos de pegadinhas sobre namoro e os comentários abaixo dizendo que mulher consegue qualquer homem que tudo é fácil pra mulher porém não é o que vejo, já saiu uma pesquisa que mulheres brancas se encontram em relacionamento sério muito mais que mulheres negras, que mulheres gordas dificilmente conseguem um relacionamento sério nem com um gordinho. Eu não sei aonde é fácil ser mulher...

E ainda tem que dar o cu

Anônimo disse...

Homem não chora? já vi homem chorar que nem bebe por causa do time que caiu, pra mim não existe choro mais besta que por time de futebol. Ainda mais esses canastrões que fazem jogo combinado, e tem uma cambada de homem que faz até protesto por causa de futebol.

Se isso não é futilidade pelo amor... Se os cabras não choram por nada mais choram por time de futebol pra mim isso é futilidade do quem quem chora por tudo...

Anônimo disse...

Dar o cu? só se for lá com seus machos ... Esses homis que do nada falam de cu devem ter algum problema sexual mal resolvido!

Anônimo disse...

Nossa então sou E.T por que nunca dei a bunda, seria um homem mas como homem também dá a bunda acho que sou um E.T

Anônimo disse...

Homem é tão fútil ou mais que a mulher, sou mulher sei que tem muita mulher fútil mas essa de chororo masculino ser legítimo é piada. Só não choram mais pra não serem chamados de mulherzinha e eu sou mulher e nem choro tanto. Então esses estereótipos são muito aumentados e exagerados.

17:45
E eu um unicórnio nunca precisei dar a bunda pra ser mulher, essas antas enrustidas que comentam aqui só falam disso.

Anônimo disse...

MACHO DE CÚ E ROLA, SE SEU PAU FOR GRANDE APROVEITA ENFIA ELE NO SEU TOBA!

Anônimo disse...

Anonima das 17:51


"E eu um unicórnio nunca precisei dar a bunda pra ser mulher,"

E quer dizer que agora inventaram essa, se avalia quem mulher ou não, por dar ou não da a bunda?

Suellen

Anônimo disse...

foi o que 17:37 disse e ainda tem que dar a bunda, como toda tivesse que fazer isso, então eu sou um unicórnio. Achei bizarro

Anônimo disse...

off topic!
Martha superou pelé essas cambada de perna de pau ganham milhões as mulheres deveriam ser mais incentivadas a jogar e os salários tbm. Se for o sonho de muitas meninas garanto que vai ter platéia, no esporte tbm tem que ter mais meninas não só no futebol.

Unicórnio feliz disse...

Eu também sou feliz sendo unicórnio 8D
Shuashua
Adorei o texto

Anônimo disse...

Esse aí em chuva de piroca planta bananeira.

Anônimo disse...

Os unicórnios são fofinhos

Anônimo disse...

Na cabeça dos machos segurar o cu quer dizer que é homem. Não segurou o cú é tudo menos homem, pra eles todo mundo dá o cú menos eles, claro que isso é na teoria. Na Augusta tá cheio de homem casado procurando um homi pra comer eles.

Anônimo disse...

Mas voltando ao texto muito empolgante saber disso, o triste é que não vejo muitas mulheres com esse pensamento a maioria quando chega uma idade só pensa em fazer de tudo pra não ficar solteirona, por isso que tem mulher infeliz aí em relacionamento abusivo!

Odara disse...

Eu li o post e me deu uma vontade de comentar!
Aí li os comentários e a vontade passou :(

lola disse...

Ô Odara, então comenta sem ler os comentários... Sei que alguns aqui estão de lascar.
Seria bacana se o pessoal não comentasse anonimamente. IMAGINO que os comentários seriam melhores.

Anônimo disse...

Lindo texto. Só concordo que o final poderia ser diferente; ao invés de se abaixar, deixar o homem aprender a se levantar. As pessoas já fazem coisas demais pelos homens, se um despenca de cara no chão já corre um bando pra levantar o cara, botar de pé, espanar a poeira, ajeitar as roupas e assoprar os machucados. Muitos homens por aí são um bando de bebêzões que nunca foram ensinados a lidar com decepções, tombos e negações, nunca aprenderam a levantar, superar a dor e seguir em frente. 90% dos homens passa pela vida sem aguentar um pouco de dor e criar força nas pernas, sem crescer, e ninguém cresce sem enfrentamentos. É hora dos homens aprenderem o que as mulheres aprendem desde criança.

Odara disse...

Claro Lola! Foi um jeito meu de criticar os comentários ;)

O texto do post me tocou, forte e impactante! E não vi problema com a imagem do final de abaixar, acho que, além de uma certa "licença poética", havia uma polarização e o mais importante era passar a idéia de nivelamento.
Eu gosto muito quando o feminismo aparece nesses formatos, digamos, artísticos: desenhos, quadrinhos, poesia ou prosa poetica como esse.
Eu fico pensando que, às vezes, o alcance pode ser muito maior que o de um discurso inflamado militante.

Off importante:
Lola, você viu a ação da polícia federal em identificar os responsáveis por comentários virtuais racistas contra a jornalista da previsão do tempo do jornal nacional?
E a Globo, claro, deu um grande destaque!
Eu nem sabia dos comentários mas estava assistindo o JN para saber como estão passando toda essa palhaçada do Eduardo Cunha (acho importante porque são as únicas informações às quais grande parte da população tem acesso). Mas parece que as postagens racistas foram em julho e hoje teve prisões e apreensão de material...

Odara disse...

Faltou uma parte:
Quer dizer que a "terra sem lei" da internet não é bem assim...

Anônimo disse...

A Marta é foda. Espero que eu consiga vê-la jogar ano que vem nas Olimpíadas.

Anônimo disse...

Lola bem que podia apagar esse sem noção

Anônimo disse...

Não, o problema não são os comentários anônimos. O problema são as pessoas que se dispões a discutir com os asnos que vem aqui implorar atencão e de quebra, destruir TODAS as caixas de comentários da Lola. Ela deixa os comentários (assim as pessoas sabem o nível de ódio que existe). Ae vão as fulanas e ficam discutindo nível quinta-série com esses asnos., para pagar de fodona.

Anônimo disse...

Odara,
Embora a investigação só tenha ido para a frente pq é artista da Globo, há de se comemorar. Pelo menos uma vez na vida, a "Poderosa" tinha de usar sua influência pra alguma coisa boa.

Anônimo disse...

Gente quanto preconceito contra o sexo anal, vcs precisam se descobrir mais.
Sugestão de posto Lola.

Marcia Baratto disse...

Texto lindíssimo! Fiquei emocionada, não achei que a moça figurativa (ou será bem real?) se 'ajoelhou' pelo homem, ou sequer quis uma 'simples' igualdade. Para mim ela disse que podia entender todo o teatro de dor dele agora, e que de frente poderia combater o relacionamento abusivo que lhe fez tão mal. Não vi 'rebaixamento', vi alguém que decidiu lutar e enfrentar seu algoz de frente, em condição de igualdade como adversária.

Arte é fantástica por isso, o que vemos não são os outros, enxergamos a nós mesmas nas representações.

Obs: olha minha gente, sei que igualdade é um conceito torto, mas a tal equidade liberal não me cativa muito não... Estão desde a década de 1970 tentando trocar igualdade por equidade no vocabulário da política, alguns efeitos são bem desanimadores.

Ana Kairalla disse...

"Lutar pelo direito de ser mulher é mais feminino do que possa parecer."
Sensacional esta frase. E todo o texto.
Arrepiou aqui.