quinta-feira, 9 de julho de 2015

"SE EU QUISESSE SEGUIR DOGMAS PROCURAVA A IGREJA"

A A. deixou um comentário impecável no post em que uma leitora explica por que ainda torce o nariz pro feminismo:

O depoimento retrata uma exclusão sofrida pela T. dentro de um grupo específico por ela não apresentar os pré-requisitos básicos estabelecidos por esses grupos, ou seja, é a experiência dela com determinadas pessoas que quiseram diminuí-la em sua luta. Mesmo buscando informação e conhecimento nos textos da Lola, por exemplo, ela quis expor críticas e aflições individuais para superar o problema que enfrentou e seguir em frente. Qual é o problema nisso? 
Aí a gente vai lá e taca mais pedra na pessoa. Produção de ódio.
Ah! Acho que ficou bem claro que ela não é contra outros grupos marginalizados, mas sim contra uma marginalização proposta por esses grupos aos demais. Essa é uma crítica importante. E é verdadeira. Vide a querela da transfobia das "feministas contra pirocos invasores". Movimentos por busca de igualdade e direitos não podem fazer inversão de valores e se tornarem algozes de outro grupo. Isso não faz sentido. Soa algo como, por exemplo: "Sou lésbica e o homem branco me oprime, vou descontar tudo nas mulheres que se relacionam com eles. Mesmo que elas (e às vezes até eles) me abracem e me apoiem em minha luta diária." 
O que T. sente falta na vida dela é da sororidade que tantxs falam e não praticam. Ela não torce o nariz para o feminismo como pude perceber. Ela torce o nariz para essas demandas absurdas de controle e moralidade que não respeitam o tempo e o espaço de cada um. Ela torce o nariz para a falta de acolhimento. Eu também não quero esse determinado tipo específico de feminismo para seguir um dogma igualmente massacrante ao do status quo estipulado por sei lá quem. Se eu quisesse isso eu procurava a igreja.
Só mais um ponto, essa história da maquiagem e da depilação, seja lá o que for. Eu ainda não encontrei uma crítica realmente contundente contra essas práticas. As críticas muitas vezes surgem para atacar a pessoa que possui os hábitos. Pois, se você "pertence" a um grupo de esquerda e belo dia resolve passar um batom vermelho, não tem jeito, você certamente será perseguida e ridicularizada tal como faziam as beatas de 1920 com as moças de Ilhéus e dos bordéis.
É bem chato. Se você frequenta um grupo de esquerda e grupo feminista, sempre tem um monte de regrinha para se adequar. E qual é o ponto disso? É para gente ficar igual aos estudantes de ensino médio de escola americana? É tipo uma seita do Manson? Em grupos de esquerda é assim, se você consome "coisas de mulher" você é fútil e consumista. Mas, né? Nem somos machistas. Os caras acham que comprar sei lá quantos aparelhos eletrônicos, tomar cerveja e fumar, por exemplo, não é consumismo. É o auge da subversão. 
Eu não conheço nenhum que produza a própria cerveja ou fumo de próprio punho. Você tem que seguir todo o protocolo do que elas ou eles inventaram como sendo sagrado. Eu nunca li essas coisas que inventam no Manifesto Comunista, nem no Segundo Sexo, por exemplo. Pode ser que eu tenha faltado essa aula. 
Então, pelamor, sem purismos, sem regrinhas colegiais. Estamos todos aqui usando computadores feitos com trabalho escravo. E não adianta gritar que não tem computador, usamos uma porção de outras coisas, comemos, nos vestimos, etc. Somos secularizados, século XXI, não é para voltar para as cavernas. É para mudar o jeito como as coisas são estipuladas, coisas que causam sofrimento e exclusão aos grupos marginalizados. Acreditamos que dá para ser melhor, vamos focar nisso. 
Vamos focar nas estruturas e não na companheira, tudo bem?

96 comentários:

Jonas Klein disse...

Olá a todas(os).

"Se você frequenta um grupo de esquerda e grupo feminista, sempre tem um monte de regrinha para se adequar"

Depois quando eu digo que o esquerdismo só faz mal ao feminismo ainda tem quem conteste.

Esquerdismo e machismo ate um certo ponto e só uma forma errada de ver o mundo, mas depois de um certo ponto vira numa doença mental.

Eu ate já disse isso, mas na custa repetir, uma coisa que costuma gerar muitas discussões inúteis dentro do movimento feminista, e fato de movimento ficar tratando de problemas que não são ligados ao machismo estrutural da sociedade.

Anônimo disse...

Jonas Klein somente um analfabeto funcional como você acha que pode haver feminismo na direita, o feminismo e um movimento revolucionário, como dizia Marx, "A exploração do homem pelo homem, começou depois da exploração da mulher pelo homem"
Você deveria estudar antes de falar as bobagens que fala.

Anônimo disse...

O problema não e usar maquiagem,salto ou qualquer outra coisa, o problema e usar estas coisas pela atenção e aprovação masculina, sendo que o feminismo e justamente a ruptura de qualquer tipo de aceitação e necessidade de atenção para com os agentes opressores, feminismo e uma movimento revolucionário de posicionamento sim gente, feminismo Mainstream não derruba dogmas, apenas deixa na zona de conforto.
O feminismo deve combater o machismo combatendo machistas e seus padrões de privilegio.

Ana disse...

Concordo com o anon de 12:49, tudo que existe para melhorar nossa aparência é para poder agradar homens, pq sempre tem algo de errado com a gente e temos que melhora, pq a nossa função e dever é ser bonita. Quando é falado em jogos de sedução, sempre é falando da mulher, que temos que nos produzir, fazer strip e sei lá mais o que para deixar os omi excitados. Agora quantas coisas existem para os homens ficarem bonitos e nos seduzir mesmo? Nada ou quase nada.
Não acredito nem um pouco quando mulher faz certas coisas jurando que é por ela mesma, como por kg de maquiagem na cara, usar salto que ferra sua coluna e dói, depilação que dói, passar fome para ficar "saudável" e que isso n tem nada a ver com padrões de magreza.

Jonas Klein disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

"Agora quantas coisas existem para os homens ficarem bonitos e nos seduzir mesmo? Nada ou quase nada"

Homens não são seres sedutores, mas sim opressores, o status quo machista do patriarcado, cria uma especie de sindrome de Estocolmo em muitas mulheres, que acreditam que sinais de poder, virilidade e masculinidade opressor e uma forma de sedução, mas não é, são ferramentas claras de opressão patriarcal mesmo.

Jonas Klein disse...

Anon 12:43

Se tem alguém que é analfabeto funcional aqui essa pessoa só pode ser você mesma.

Aonde eu disse que o feminismo deve ou e de direita? eu não acho que pessoa de esquerda não posam ser feministas, o problema que as pessoas deixa a ideologia se sobre por ao feminismo.

E você não precisa me mandar estudar pios isso eu já faço ao natural, e quando eu estudo eu procuro estudar sobre coisas produtivas, e não sobre uma ideologia genocida como marxismo.

Quem precisa ir estudar para aprender a interpretar o que as pessoas querem dizer e você.

Leila disse...

Olha, eu até concordo com as duas acima, mas acho que isso é um processo, um caminho, e que também é de livre escolha. Claro que sabemos que nossas "escolhas" não são tão escolhas assim.
Por exemplo, eu fui jovem nos anos 80, e era facílimo não usar maquiagem, lavar o cabelo e deixar secar ao natural, vestir uns jeans, tênis e uma camiseta sem sutiã. Eu ficava linda de qualquer jeito, e ainda me achava muito revolucionária. Hoje, velha e completamente fora dos padrões, só saio de casa com corretivo e rímel, no mínimo. E meu cabelo tem progressiva. E é o que temos pra hoje. É pra agradar machos? Não, pois não tenho mais expectativas de "romances" na minha vida. Mas deve ser para agradar alguém,sem dúvida, já que em casa, fico sem nada disso. Mas por isso perco o direito a lutar por meus direitos e os de todas as mulheres? Espero sim que chegue o dia em que possamos ser "charmosas" com nossos cabelos grisalhos, assim como os homens, que possamos ser consideradas bonitas com 40,50 até 60 anos ou mais, assim como muitos homens são. Espero isso e muitas coisas, espero o fim da violência, da desigualdade, da imensa sobrecarga a que somos submetidas ao longo da vida. Então, agora por causa de um rímel e um corretivo não estou apta a lutar por meus direitos?

Anônimo disse...

Que saco. Se tem mulher que quer ser mulambenta, se vestir de qualquer jeito, arrastando chinelo, tudo bem.

Mas parem de cagar regra para os outras. Tudo é opressão, tudo é reprodução do machismo. Tá pior que igreja onde tudo é pecado.

Jonas Klein disse...

Anon 12:43

Por falar em marxismo

Aqui tem um texto que você e toda pessoa que defende o marxismo deveria ler

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1584

Agora se você quer defender uma ideologia genocida, e com você eu não vou me presto a isso.

eu coloquei isso parte pois sei que esse comentário corre serio risco de ser deletado.

Anônimo disse...

Eu me visto do jeito que eu quiser e gosto de maquiagem sim , apesar de não ser muito fã de salto alto. Não faço nada para pedir aprovação de homens, apesar de as vezes querer agradar sim e não há nada de errado nisso, desde que seja algo que não me deixe desconfortável. Até porque querer agradar as vezes é uma escolha minha tbm. Ainda mais que existe vários homens com gostos diferentes, assim como as mulheres. Da mesma forma que eu teria que deixar de fazer muita coisa que eu quero apenas para agradar as radfems que manipulam muitas mulheres de que tudo que é fora do padrão radfem é opressor e de qualquer forma as radfems pressionam as mulheres a seguir um padrão. Isso é uma forma de controlar as mulheres tbm.

Essas radfems foram monstros que feministas como a própria Lola criaram e hoje não sabem mais o que fazer com isso.

D Stoffel disse...

Existe sim coisas para homens seduzir salões de beleza estão aí e sex shops tão doidos pra vender mas a mídia que enche o saco pra mulher segurar a relação com unhas e dentes.
Nas academias por exemplo tem homem que não malha a bunda pra não ser chamado de gay aí fica o bração as pernas finas e atrás nada, sendo que bumbum grande faz sucesso com as mulheres, mas o preconceito deles é maior.
Outro exemplo é maquiagem tem maquiagem que consegue deixar o homem com traços mais masculinos e marcados mas o preconceito é tão grande que nem usar esse artifício eles querem.

Anônimo disse...

D Stoffel Homem quando quer seduzir não vai a são de beleza, mas sim a pet shop :D

Anônimo disse...

Ser natural para Libfem com sindrome de Estocolmo e seguir padrão, ta sertinhu viu

D Stoffel disse...

Homens não são seres sedutores, mas sim opressores, o status quo machista do patriarcado, cria uma especie de sindrome de Estocolmo em muitas mulheres, que acreditam que sinais de poder, virilidade e masculinidade opressor e uma forma de sedução, mas não é, são ferramentas claras de opressão patriarcal mesmo.

Pode até ser mas devemos concordar que homens com baby face também fazem sucesso com mulheres minha irmã acha aquele maurício destri da novela i♥paraisopoles lindo ele não faz o tipo viril, tem mais cara de baby, e aquele Adam Levine que é bem magrelo faz sucesso com as mulheres,
O padrão machista é mesmo o homem com traços bem masculinos mas as mulheres não são a maioria que gostam muitas gostam de cara de baby e bem magro.

Anônimo disse...

Se sexualidade fosse realmente escolha, ninguém escolheria gostar de homem.
A pergunta é, ate que ponto isto pode ser desconstruído socialmente falando?

Anônimo disse...

"Pode até ser mas devemos concordar que homens com baby face também fazem sucesso com mulheres minha irmã acha aquele maurício destri da novela i♥paraisopoles lindo ele não faz o tipo viril, tem mais cara de baby, e aquele Adam Levine que é bem magrelo faz sucesso com as mulheres,
O padrão machista é mesmo o homem com traços bem masculinos mas as mulheres não são a maioria que gostam muitas gostam de cara de baby e bem magro"
_
Tem toda razão, e isto e evidente na nova geração graças as deusas, Há mais ou menos uma geração atrás, o padrão de beleza masculino eram homens mais velhos, com peitoral largo e peludo, exalando masculinidade, hoje as meninas tem nojo de masculinidade como descrito, e preferem homens mais de aparência dócil e ate efeminada do que de trogloditas, definitivamente testosterona não faz mais sucesso entre as meninas. :)

D Stoffel disse...

D Stoffel Homem quando quer seduzir não vai a são de beleza, mas sim a pet shop :D

Alguns precisam ir mesmo no pet, uma vez tinha uma mulher dizendo na rua pra amiga que na academia os homens assediavam ela e que ela saiu de lá por isso, a que ponto chegamos.
Eles fazem isso pra intimidar mulheres mesmo não é nada pra ser gentil passar num bar e acreditar que um homem que assedia é um fofo é risivel se portam piores que cachorros no cio.

Anônimo disse...

Onde estão esses homens super interessados nas roupas que vocês vestem? O meu namorado mal repara o que eu visto.

Mulher nenhuma se veste para agradar homem, mas para si e outras mulheres.

Anônimo disse...

Anon 13:46

Eu se tivesse escolha, continuaria gostando de homem. Adoro.

D Stoffel disse...


Tem toda razão, e isto e evidente na nova geração graças as deusas, Há mais ou menos uma geração atrás, o padrão de beleza masculino eram homens mais velhos, com peitoral largo e peludo, exalando masculinidade, hoje as meninas tem nojo de masculinidade como descrito, e preferem homens mais de aparência dócil e ate efeminada do que de trogloditas, definitivamente testosterona não faz mais sucesso entre as meninas. :)

Pois é acham aquele justin bieber e mc biel bonitos essa geração tá mudando os gostos, naquela novela uga uga tinha homens nesse padrão humberto martins peitão peludo que vivia sem camisa haha, hoje as coisas já mudaram.



Aproveitando que estamos falando disso mas eu percebi também que um dos ídolos mascus é aquele Reth Butler- E O Vento Levou
bem antigo o filme mas eu vejo alguns memes dos mascus com a foto dele ele faz o tipo sedutor sacarstico o filme é incrível quem tiver oportunidade de ver não serão 3 horas perdidas.
Mas se eles soubessem que esse cara antes do filme era gigôlo e ainda transava com homens eu tenho certeza que mudariam a foto, mas ainda sim eu não vejo o Reth como macho alfa eu acho que é isso que eles querem passar.

Anônimo disse...

HOMEM MACHÃO NÃO É MAIS TÃO OVACIONADO ASSIM E HOJE A MULHERADA JÁ GOSTA ATÉ DE HOMEM DE CABELUDO

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

"Mulher nenhuma se veste para agradar homem, mas para si e outras mulheres."

Mais um efeito do patriarcado sobre nós, o incentivo a competição. tragico

Anônimo disse...

Morre Fábio, masculinista escroto

Anônimo disse...

fabio voltou? caralho
porran

Anônimo disse...

Melhor comentário.

Anônimo disse...

Cara, eu tambem concordo com esse lance de criticar depilacao, maquiagem, salto alto e coisas do tipo, criticar no sentido de entender por que fazermos (ou supostamente termos de fazer isso). Mas uma coisa eh criticar, analisar, e concluir que nao quero usar essas coisas, que nao preciso dessas coisas pra me sntir bem comigo mesma, e pra entender que nao preciso da aprovacao de homem nenhum pra eu gostar de mim mesma do jeito que sou. Ok, acho isso perfeitamente valido (inclusive eh o que eu faco 90% das vezes que saio de casa).
No entanto, outra coisa eh analisar criticamente as motivacoes por tras do uso destas coisas (maquiagem, salto, etc), e mesmo assim optar por usar, seja porque a mulher o fazia por gostar do processo de se arrumar, ou por trabalhar em alguma coisa que envolva sua imagem, a qual ela precisa cuidar pra passar uma boa impressao (o que aqui nao significa necessariamente perder rios de dinheiro e tempo tentando se encaixar no padrao de beleza europeu). Claro que a ideia do que passa uma boa impressao varia, e nao quero dizer que seja muito simples pra as mulheres, muito menos que as exigencias pra nos sao menores, o que eu quero dizer eh que acho totalmente cabivel a pessoa contestar as motivacoes por tras dos "requisitos" de beleza e mesmo assim optar por continuar a segui-los, até porque, ate onde eu sabia, uma das maximas do feminismo é a autonomia em relacao ao proprio corpo.

Talvez pensar assim seja ingenuo, mas eu acho que, se a pessoa toma consciencia das construcoes sociais de beleza em cima da mulher, e mesmo assim prefere seguir com seus rituais de beleza, so posso respeitar, ué.

Anônimo disse...

14:32
começou os trolls não sabem nem o que é nada e querem dar pitacos peguem um taco de baisebol e enfiem no cu que é mais prazeroso pra vocês do que tentar bancar o cool na net.

Anônimo disse...

isso que estraga o blog chega os porcos pra tentar sujar a caixa de comentários engolir a própria não querem.
desculpe mas tem que ser grossa mesmo esse pessoal já passou dos limites

Anônimo disse...

Pois sendo escolha ou não gostar de homem eu gostooooo muito.bem se alguém escolheu por mim eu adorei kkk que mundo é esse onde gostar de homem tornou_se uma aberração. O mundo precisa de mulher gostando de homem e vice versa tem espaço para todo mundo.

Anônimo disse...

Mas na real, to comecando a ficar meio avessa à essas que se consideram libfems mas destratam e ridicularizam as rads. Qual é, gente? Ja nao basta a gente ser dividida propositalmente pelo patriarcado, com essas bostas de "mulher se arruma pras outras" e "amiga mulher é tudo falsa", a gente chega no feminismo e ve essas divisoes tambem? O que eu vejo as rads fazendo (salvo as excecoes agressivas), sao mulheres propondo mais debate e mais desconstrucao, mas as outras levam pro lado pessoal, ficam na defensiva, eu hein. Uma coisa eh discordar de opinioes e posicionamentos, outra coisa eh achar que qualquer opiniao diferente da sua significa que ~o outro lado~ é contra, ou inimigo, ou nao deve ser levado a serio.

Anônimo disse...

Gostar de homem pode né o que não pode é gostar de aberrações como fabio mingau e os demais trolls que não tem vida e vem encher o saco dos outros.

Anônimo disse...

entendo as rads no comentário do face tinham homens dizendo que segundo a ideologia de gênero eles podiam entrar no banheiro feminino se se achassem mulheres, trollando as mulheres, eu não quero que homens façam isso usando essa desculpa homens ainda se comportam como cachorros com falaram ai em cima, as libs precisam entender que a igualdade tá muito longe primeira barreira é a intolerância.

Anônimo disse...

isso se chama - SPP SINDROME DO PAU PEQUENO
e preferia ser lesbica 10000000000 vezes que me envolver com um tipo igual a você.

Anônimo disse...

(Em tempo, sugiro simplesmente ignorarem esses trolls aí em cima. Logo logo eles cansam de falar sozinhos)

Anônimo disse...

alguém já viu aquela frase dizendo que o homem tem que ser igual he man n sei da onde eles tiram isso nunca vi falar em padrão he-man. eles tiram cada uma pra se vitimizar o he man tem ate fama de gay

http://weknowmemes.com/wp-content/uploads/2013/08/feminist-double-standard.jpg

Anônimo disse...

também odeio homem corneto em cima grande embaixo pequeno que coisa mais feia.
aqui tem varios por isso que quando tem bunda a gente ja sabe que é gay na teoria

Jonas Klein disse...

Gente os comentários estão péssimos como já e de costume, agora a mistura que tem gente aqui fazendo entre testosterona e algumas coisa e patética...

Anon 14:15

O fato de muitas mulheres se vestirem para si e as outras, não quer dizer que seja sempre por concorrência, os interesses são variados...

Fabio

"Eu não tomo mel, eu mastigo a abelha,"

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKk essa eu pago para ver, mas abelhas tem que ser ao vivo, e as abelhas precisam estar vivas.

Anon 14:27

"A que ponto chegamos confrade,"

Resolveu fazer um afago no próprio ego Fabio?

Não adianta tentar enganar cara, agente já te conhece bem.

Anônimo disse...

fabio não devia tomar mel e sim tomar num outro local mas vou parar de esculachar ele e trolls pra não ficar a caixa de comentários com brigas inuteis.

Ana disse...

Eu não falei para proibir ou criticar ninguém mas a realidade é que muita coisa que mulheres fazem em nome da beleza, se n fosse essa manipulação toda, acho que dificilmente alguma mulher faria. E eu não me tirei da história, teve uma época q me forcei a usar maquiagem, mas como n sei me maquiar, encheu o saco, e ainda tenho alergia, eu parei.
N uso salto alto nem que paguem, já usei duas vezes e meu pé quase caiu de tanta dor. N consigo gostar do meu cabelo de jeito nenhum, to pensando até em alisar.
Sejam sinceras, sobre a depilação por ex, se n fosse a cobrança e o mimimi todo de que é falta de higiene, as mulheres iriam felizes da vida sofrer na cera quente??? Ficar com alergia, pelo encravado, tudo com o maior prazer? Difícil engolir essa.
É sempre a mulher q tem que apimentar a relação, tem que fazer qualquer coisa para agradar os omi e eles n fazem porra nenhuma. É strip, ensaio sensual, comprar brinquedos em sex shop, lingerie nova... enquanto eles só ficam com cara de merda esperando serem agradados.
E essa de que mulher se arruma para outra é o patriarcado tb, nós somos inimigas, temos que competir em tudo, até para ver quem fica mais bonita e gostosa, podre.

Ana disse...

Fabio



E eu prefiro os homens fofos, andróginos, homem machão é ridículo.

Anônimo disse...

Com todo o respeito: nos últimos tempos, esse blog parece mais dedicado a combater feministas ditas radicais que o machismo. Uma pena, com tantos abusos que acontecem e que poderiam ser denunciados e discutidos nesse espaço, como aliás costumava ocorrer diversas vezes em postagens escritas por leitores.

Anônimo disse...

verdade os zomi não querem apimentar a relação sempre aquela mesma proposta de se fazer de ator porno, não dá né, eu não vou quebrar a coluna pra tentar imitar shasha grey da vida.
se tem mulher que faz isso ótimo por que eu não faço e se isso é ser fresca então eu sou fresca, mas ai vem com ele vai procurar na rua ótimo que procure as pessoas querem fazer da mulher um fantoche e coloca o medo de perde macho, medo de perder macho não tenho não, tenho medo de perder outras coisas.

Anônimo disse...


é verdade Ana cada uma que goste do que quiser homem que se faz de machão parece que quer provar que é hétro homem com cara de principe bebe androgino seja lá o que for faz sucesso e os homens que se acham tão másculos os chamam de gays.

Marc Pereira disse...

Marxismo, ideologia genocida? Onde meu filho? Quem era genocida era Stalin, que deturpou o marxismo. Eu li O CAPITAL e nada vi de estímulo ao genocídio.

E ainda vem você e indica texto do DIREITISTA Mises, mesmo afirmando não ser de direita (direitistas nunca assumem). Jonas, você ainda tem a cara de pau de mandar nós estudarmos quando é você que não estuda. Fala que 1+1=5 está correto e nós é que temos que aprender isso. Triste saber que surgem pessoas como você, saudosos de tempos medievais.

A propósito: genocida é o Capitalismo, o predatório sistema da lei do mais forte, que mata em silêncio distribuindo mal as rendas e fazendo exigências absurdas e inúteis para se entrar no mercado de trabalho. Me prove que o Capitalismo é incapaz de matar pessoas. Ou vai me dizer que quem morre em nome do Capitalismo é suicida?

Quanto a publicação do texto, excelente! Mesmo sendo homem, encontro muitas ideias legais neste blogue. Lola está de parabéns!

Anônimo disse...

Gente esse Fabio é aquele do Leite???

Anônimo disse...

Notem que o Fábio tá sendo irônico com esse texto da mulher ideal pra ele.

Anônimo disse...

Também tou achando chatinha essa provocação às rads aqui no blog. Não concordo com bastante coisas do que elas falam, acho absurdo quando uma defende "misandria como estratégia de resistência" (mas não são todas), mas os últimos textos não se propõem a fazer um debate legal com elas, só ficam nessas provocaçõezinhas. Tipo, deve ser difícil atualizar o blog todo dia e não tem como agradar a todos, acho louvável o esforço da Lola. Mas talvez diminuir a frequência de posts seja uma opção melhor.

Anônimo disse...

Pessoal! Vamos continuar ignorado o Fabio. Sei que é dificil nos mantermos quietas diante tanta aberraçao mas ate eu que sou nova aqui ja saquei que a intençao dele é prejudicar o blog. Ignorem lindamente, inclusive vc Jonas (apesar de nao concordar com algumas das suas ideias ),vc ao menos tem nível pra dialogo, n perde tempo com ele nao.

Sobre a questao de se embelezar etc...no Segundo Sexo a Simone apenas fala de modo ilustrativo como as unhas grandes e o saltos altos impossibilitam o movimento das mulheres, mas nada alem disso..nada de criticas. Esse lance de feminista nao poder prezar pela beleza estetica eé muito antigo e nem a Simone (qiue foi deste onda de feministas q ate se vestiam como homens) criticou algo de cunho tao pessoal.

Eu penso que as mulheres que se "masculinizam" para serem feministas estao se contradizendo um pouco pois, querer parecer com um homem é o contrario da nossa ideologia. Por isso gosto de ter cabelao, unhas gigantes, usar vestido e etc...sou mulher mesmo, fêmea com muito orgulho, oras! Rsrsrs
Calma gente...so expressei minhas doideras intimas que penso comigo mesma! Nao imponho essas ideias a ninguem, e nem quero. Quero que cada uma pense por si mesma pra ampliar nossa luta. Super respeito as mulheres qur decidem em nao seguir o famigerado "padrao" de beleza feminino. Ate mesmo pq somos da geracao q está revendo estes conceitos (parabens pra nós!)
Me perdoem a rima, mas a estetica n anula a ética. Podemos ter as duas!

Barbara D.

Anônimo disse...

Nem toda mulher se embeleza so pros homens. A questão é: pq vc quer isso? Pra agradar a quem? Em troca de que? Para se sentir como?
Depois de fazer estas perguntas pra si mesmas, ai pronto! Analise suas proprias respostas nesse monólogo e tire as conclusoes se vale a pena ter vaidade ou nao. Eu ja me fiz estas perguntas e pra mim ta valendo a pena cuidar da minha aparencia, mas se fosse ao contrario, ok tbm. Cada um sabe de si e ninguem pode mandar no nosso proprio corpo. Nem os machistas e nem mesmo as feministas.

Boa noite pra vcs...

Barbara D.

Ana disse...

Eu penso que as mulheres que se "masculinizam" para serem feministas estao se contradizendo um pouco pois, querer parecer com um homem é o contrario da nossa ideologia


N usar trocentas bugigangas é tentar parecer com homem??? Isso aí é tudo inventado, o que é pra mulher e o que é para homem. Eu n uso make, n uso brinco, n gosto de saia e ainda assim pareço com mulher.
Tá aí o problema, para mulher parecer mulher e ficar bonita existe trocentos cremes, tratamentos, plásticas, o nosso natural n serve. Para homem n existe quase nada, o que eu vejo é só cobrança com corte de cabelo legalzinho e n ter barba, o resto tá ótimo.
Se n fizer nada disse você é relaxada e tá parecendo homem. O homem usar nada é lindo, mulher fazer o mesmo é lixo relaxada.

Anônimo disse...

Pois eh. Isso eh injusto pq pra mim desleixada eh a pessoa q nao cuida da sua higiene. Quem n usa make etc nao eh desleixado.
Por isso mesmo q disse q nossa geracao eh q esta revendo e destruindo estes conceitos de beleza. O caminho nao vai ser facil pq somos pioneirxs nisso.

No meu caso particular gosto da beleza classica tipo Dita Von Teese e Marilyn Monroe. Acho lindo ate gays e trans com esse estilo. Mas isso eh o MEU gosto. Gosto n da pra explicar. Nao uso make todo dia e nem aliso cabelo etc...nao sou escrava da beleza mesmo sendo "vaidosa". Ja ouviu falar em feminismo lipstick? Depois pesquisa se te interessar.

Anônimo disse...

Esqueci de me identificar.

Barbara D.

Jonas Klein disse...

Marc Pereira

"E ainda vem você e indica texto do DIREITISTA Mises, mesmo afirmando não ser de direita (direitistas nunca assumem)."

Acho que você esta me confundindo com outra pessoa, eu sempre assumi abertamente que eu sou de direta.

A realidade e uma só, marxismo, socialismo, estalinismo, fascismo (o nazismo eu não vou por junto pios não sei ate que ponto este é de esquerda), são tudo mesma merda, com o objetivo apenas de tomar o poder e nele permanecer a qualquer custo, e o que se vê hoje na Venezuela prova isso.

anon A. (radfem) disse...

Sem muito saco de comentar o post, então só vou comentar essa parte que soou mais absurda:
"(...) Movimentos por busca de igualdade e direitos não podem fazer inversão de valores e se tornarem algozes de outro grupo. Isso não faz sentido. Soa algo como, por exemplo "Sou lésbica e o homem branco me oprime, vou descontar tudo nas mulheres que se relacionam com eles. Mesmo que elas (e às vezes até eles) me abracem e me apoiem em minha luta diária." (...) "
Porque héteros não oprimem homossexuais... Suponho que eles são oprimidos pela Xuxa então...
E lésbicas tem um poder estrutural e social gigante mesmo, para poder sair oprimindo os outros, só que não.

Comparação mais exdrúxula, impossível...

Além de ela ser usada no contexto de radfems 'oprimindo' pessoas trans... Hey, sabe qual grupo social que mata, nega empregos, e espanca mulheres trans? Homens. E essa comparação soa ainda mais bizarra quando grande parte das mulheres trans transiciona depois dos 40, depois de ter tido uma vida usufruindo privilégios masculinos sobre mulheres.

anon A. (radfem) disse...

Sobre radfems serem 'monstros', e esse ódio irracional as radfems:

Adivinha quem vota a favor da legalização do aborto? Em condições melhores para prostitutas? Em igualdade salarial? Contra violência doméstica? A favor de melhor condições de parto e maternidade? Quem faz campanhas contra a cultura de estupro? Quem abre abrigos para mulheres vítimas de violência doméstica? A favor de melhor representação das mulheres na mídia?

- Não são os mascus desse blog, eles estariam muitíssimos satisfeitos com o exato oposto de tudo isso.
- Também não é o movimento trans, que frequentemente trata a cultura do estupro como um 'detalhe' e está mais interessado em 'flexibilizar' esteriotipos de gênero do que combater opressão de gênero.

Radfems são a favor de tudo isso, por default. Porque somos feministas. Priorizamos mulheres. Não somos conformistas, tudo deve ser analisado e criticado, incluindo 'gostos pessoais'. Mas claramente essa crítica deixa um gosto amargo para muitos, incluindo outras feministas.

Na boa, revejam seus conceitos de 'monstros', boa parte das comentaristas desse blog se une até a machistas para combater radfems. E digo 'combater' mesmo, não criticar. Críticas não são um problema.

Guilherme disse...

Não ter barba? Tá doida amiga... oq se v hj é uma exigência insana c a barba. A barba perfeita. Cheia. Quadrada. Bem aparada. Até o gogo. Hj em dia homem sem barba tá mal no mercado sexual. Vou ao salão semanalmente só pra manter a minha de boa. Todos os meus amigos tão nessa vibe.

Anônimo disse...

Moça, da uma pesquisada ai no conceito de interseccionalidade. Talvez seja util pra ti.

Guilherme disse...

Amiga, este lance de babe face e homem másculo varia c a idade. Pela minha experiência e acompanhando os gostos das minhas irmãs, primas e colegas, oq eu vejo são adolescentes preferindo babe faces e mulheres preferindo homens c estilo mais viril. Exemplo nacional. Adolescentes preferem um bruno gagliaso e mulheres um caua reinaud.

Guilherme disse...

Na vdd todo mundo se arruma pra si próprio, pra parecer bem perante o seu sexo e pra atrair o sexo oposto, concomitantemente. Mesmo raciocínio c os homossexuais.

Guilherme disse...

Tb concordo q as rads são bem propositivas nos debates. Exceção na parte do lesbianismo travestido (rs) de feminismo.

anon A. (radfem) disse...

anon 20:43
"Moça, da uma pesquisada ai no conceito de interseccionalidade. Talvez seja util pra ti."

Vou ter que chutar que é para mim, já que fora eu os últimos que comentaram foram homens...

Conheço muito bem esse conceito, tanto que procuro (e até onde percebo, outras radfems também) ativamente dar suporte para mulher lésbicas, negras e/ou pobres (ficando nos grugos majoritários). Coisa que a maioria das libfems não faz, inclusive, vide os comentários deste mesmo blog.

Suponho então que você esteja se referindo especificamente a mulheres trans. Mulheres trans que assim o fizeram por motivo de sobrevivência social tem meu apoio. E homens trans o tem por default, por serem no sexo feminino. Agora, eu aceitar que mulher é qualquer um que se diz ser uma, ou reduzir a definição de mulher a esteriotipos? Nunca. E é esse o foco do movimento trans.

Nenhum outro grupo exige como critério de aceitação que outros grupos sejam redefinidos. Também não há nenhum outro caso em que o grupo 'interseccional' faz ou fez parte do grupo opressor, ou defende o grupo opressor. Usar 'interseccionalidade' como argumento para fazer mulheres aceitarem opiniões cegamente e sem críticas, ao mesmo tempo em que exige que as mulheres se redefinam justamente para o que causa a opressão delas (ou seja, gênero), é completamente absurdo.

E tudo que libfems tem a dizer sobre tudo isso é "Se você não for interseccional com o movimento trans você é má!". Que saco...

Anônimo disse...

Não exatamente, anon das 18:53, esse é o Fábio do Mingau. Perturbadinho, coitado... tão carente que vir aqui e ser moído pelas feministas é o maior êxtase da vida dele.

Anônimo disse...

Q bom q vc conhece este conceito. Mas bem..n acho radfem má. Nao se aplica pra mim isso nao. Mas uma palavra ja rende mil discursos d coisas obvias. uma palavra ja spa como ofensa. Quando a magoa entra no meio, nao ha dialogo q resolva.

Anônimo disse...

Soa**

anon A. (radfem) disse...

"Ja ouviu falar em feminismo lipstick? Depois pesquisa se te interessar."
Eu jurava que 'lipstick feminism' era piada interna de radfems, então esse treco existe mesmo...

@anon 21:05
Heim? Mágoa? Te joguei uma chuva de argumentos e só sabe me vir com ad hominem, sério? Não, cara, eu escrevo o que escrevo porque eu me informo, não por 'mágoa'. Já entrei em dicussões demais sobre feminismo para saber o que alguém falando em 'interseccionalidade' quer dizer. Se discorda do que eu digo, argumente, nada dessa manipulação tosca aí. E eu ficaria muitíssimo feliz e saltitante se o que eu escrevi naquele comentário realmente fosse visto como óbvio.

Anônimo disse...

Li oq vc escreveu e vi logica nos seus argumentos. So nao concordo em genero, numero e grau ok?
Falei d magoa pq eh isso q parece quando falei uma palavra e vc veio com um discurso falando como se tivesse usando isso de desculpa pra nao sei la oq vc pensa. So falei como dica pra vc pesquisar e ter mais argumento ainda. E talvez ate mudar uma ideia oi outra uma hora. Rever os conveitos eh sempre bom. Num foi vc mesma q disse? Me desculpa se soar arrogante, mas eh esse tipo de dialogo meio agressivo com as proprias mulheres q ridicularizam o radfem.

Camila D disse...

A., eu te entendo. Meu nariz tá com cãimbra de tanto torcê-lo ultimamente.

Anônimo disse...

O que falar de uma pessoa que concorda com um troll chamado fabio.
tudo farinha do mesmo saco

Anônimo disse...

não acho tem mulher mais velha que gosta de baby face sim, não conhece mulher isso que dá.

Anônimo disse...

mulher feminista representa muitas mulheres fora do Brasil mais nos países desenvolvidos, não ache que o mundo é só de machistas meu caro.

Anônimo disse...

Se eu quisesse bater boca e ficar chamando fulano ou fulana de certos adjetivos só porque discordo dele, procurava um salão de beleza e não o blog da Lola. Só o que faltava essas que nem se consideram feministas vir querer causar aqui. Sim, porque feminista tu não é, ou desde quando é feminismo tu vir aqui xingar outras mulheres? Um espaço feito para mulheres debaterem seus problemas, um espaço pra elas se sentirem livres, sem opressões pra expressarem suas angústias e opiniões. Aí tu vem aqui querer xingar essas mulheres porque vc "não vai com a cara delas" e ainda quer se considerar feminista?

Ah, desculpa, tu não não se considera feminista? Então o que tu tá fazendo aqui caralho? Só sabe reclamar duzomi que dão pitaco mas não é feminista e quer dá pitaco também, vai se fuder você.

Anônimo disse...

Eu acho que Marx oprime as mulheres porque ele é homem. Mas nesse feminismo chamado marxista a opinião que vale mais é a de um homem, o tal Marx. Aí essas mesmas pessoas que citam Marx pra fazer seus embasamentos teóricos de feminismo e esquerda, criticam o Jonas porque ele é homem e quer se meter no feminismo. Não tem lógica. Por isso deixei de seguir essa corrente, a postura da maioria das militantes é muito incoerente.

Anônimo disse...

- Se sexualidade fosse realmente escolha, ninguém escolheria gostar de homem
- Mulher nenhuma se veste para agradar homem, mas para si e outras mulheres
- Grande parte das mulheres trans transiciona depois dos 40
- As feministas são 0,0000001% das mulheres

Alguém tem o link de onde essas pesquisas foram publicadas? E foram feitas só no Brasil mesmo ou em outros países? Qual a metodologia? Vou até colocar no meu TCC

Anônimo disse...

Gente, precisa mesmo policiar o batom e a saia da outra?! Aonde vamos chegar com isso? Sério que vaidade é só para agradar ushomi? Nao é o que eu observo por aí, aliás conheco várias lésbicas que usam maquiagem (exemplo: minha irma) - ainda se encaixa na idéia que é para agradar usomi? E homem super-vaidoso (tá cheinho por aí) tb quer agradar oshomi? E o senhorzinho de pente no bolso (rebatendo o cabelo para tapar a careca)? E a senhorinha do cabelo lilás?

Acho ótimo sair gritando contra idéias deformadas (como pelo de mulher ser nojento, cabelo afro ser ruim e pessoas gordas serem feias e desleixadas) e engrosso o coro contra arriscar a saúde (física e psicológica) por um ideal Barbie de beleza e juventude eterna, mas sempre achei que um pouquinho de vaidade é saudável, sinal que a auto-estima está ativa - aliás um sintoma de depressao é o desleixo com a aparência. Para alguns estar apresentável é tomar banho, escovar os dentes, ajeitar o cabelo e limpar as unhas. Para a maioria dos homens inclui nao sair com a barba de qualquer jeito, para algumas mulheres inclui usar maquiagem para outras usar brinco e tudo bem também, cada um gasta seu tempo e dinheiro como quiser.

Outro dia vi um mendigo penteando o cabelo com um espelhinho e um pente quebrado. Achei poética a cena, senti que ele tinha esperanca porque estava cuidando da aparência.

Sério que mulher gostar de homem agora é condenável? Li realmente isso? Se essa idéia é para acabar com a homofobia, qual será a próxima idéia brilhante para melhorar o mundo? Quem sabe transformar todos os brancos em escravos para acabar com o racismo contra os negros?!

Anônimo disse...

Liga não, Jonas. Ela é a típica eleitora da Dilma: faz o coco e depois não quer limpar.

Anônimo disse...

Quando é falado em jogos de sedução, sempre é falando da mulher, que temos que nos produzir, fazer strip e sei lá mais o que para deixar os omi excitados. Agora quantas coisas existem para os homens ficarem bonitos e nos seduzir mesmo? Nada ou quase nada.

É porque o oposto também quase não existe. Mulheres, na maioria, não tomam a iniciativa nessa questão. Não "dão em cima" e nem se arriscam dando a cara a tapa para não levar um fora.

Marcia Baratto disse...

O post falava sobre sororidade e paciência para o debate, mas nos comentários acabou se discutindo beleza e o uso da maquiagem. Ok, adoro o assunto.

Maquiagem para mim sempre esteve relacionado com auto-estima e contestação. Deixa explicar, lá no fim do mundo católico conservador onde nasci, no começo dos 80, mulher direita nenhuma deveria usar maquiagem, já que ter vaidade é coisa do diabo e de mulher que não se dá ao respeito. Daí por o batom vermelho aos 15 para ir ao catequismo debater aborto era pura provação e resistência mesmo, já que não ir, nunca foi opção.

Mas o padrão de exigência sobre a imagem das mulheres mudou drásticamente entre os 90 e os anos 2000 no Brasil e as radicais estão cobertas de razão em denunciar esse padrão alienante por beleza, que parece ser (na visão da indústria) senão o única, a mais representativas das "necessidades de uma mulher". E aí a indústria vende beleza fomentando insegurança e ansiedade e isso é péssimo para todas as mulheres. Adoece gente, literalmente, tanto o corpo, como a alma.

Gosto de ver isso pelas leituras marxistas, por que para mim, é tudo muito colado com a tal sociedade de consumo. Compre 100 batons, das mais variadas cores, para usar? Claro que não, para ter, ué. Sua pele nunca será totalmente bonita, até ter camadas de creme hidratante, protetor solar (esse, eu recomendo usar memso, mas só ele tá ótimo), primer, base, pó matificante, pó iluminador, pó finalizante e nisso tudo passe na consciência o pó alienante, por que mulher que pensa muito, compra pouco. Na verdade, qualquer consumidor é um ser de impulso.

E aí se tem um círculo de mulheres inseguras que são alvo fácil de propagandas pra lá de duvidosas. A mais nova moda no brasil é dizer que buceta fede, portanto, use produtos específicos para deixar a sua 'cheirosa' e ser, ora bolas, 'confiante'. Por que a minha pepeca suada, depois de um dia de trabalho me deixaria insegura, eu não sei, mas é o que tá no subtextos de todas as propagandas de vasigil da vida...

As neuroses, o estado de ansiedade permanente, as doenças, e até o suicídio são consequencias bem drásticas de se absorver esses padrões de consumo sem questionar. E, acima de tudo, des-saber que a beleza não é o que você passa na cara, ela está na sua própria percepção subjetiva de si.

Enfim, como sempre, falei pelos cotovelos. Não acho que criticar isso, é atingir mulheres que consomem maquiagem, por que o capitalismo faz isso com qualquer coisa que você consuma, livros inclusive. Mas tem muita crueldade de você para você mesma vendida na indústria da beleza, e tem sim que demolir isso aí, urgente!

Marcia Baratto disse...

Leila, eu te entendo. To nos 30 e lá vai, e já vejo que é díficil sair sem make. Percebo que a indústria da beleza faz uma coisa cruel com amadurecimento das mulheres: ser velha é inaceitável, você precisa invisibilizar as marcas do tempo a qualquer custo, ser madura não é uma opção. Daí quanto mais velha uma mulher, mais caros são os produtos e mesmo cores vibrantes eles tem, por que você, que não é mais jovem, vai precisar ser invisível. Não pode ser você, jamais. É a mesma crueldade e preconceito que aquele bando de católicos carolas tinha com o meu batom vermelho, é a mesma exigência para desaparecer na multidão.

Precisamos questionar isso, não para de usar maquiagem, mas para usá-la só para se divertir, não se fazer invisível.

Há no interior do Paraná e em muitas cidades de São Paulo uma pixação feminista que eu adoro:

"Mulher bonita é a que luta".

Não preciso ver seu rosto, você tá na luta, para mim você é deslumbrante.

Marcia Baratto disse...

E, só mais uma coisa: como assim você com 40 para 50 e eu com 30 para 40 somos consideradas velhas???? Aff, precisamos rever isso aí também.

donadio disse...

"Onde estão esses homens super interessados nas roupas que vocês vestem? O meu namorado mal repara o que eu visto."

Ué, eles estão todos nos blogs mascus, discutindo como todas as mulheres se vestem mal (ou são desleixadas ou são putas), e explicando que esse é o motivo de eles não se relacionarem com mulheres...

donadio disse...

""Eu não tomo mel, eu mastigo a abelha"

E gosta quando o ferrão entra?

donadio disse...

"Conheço muito bem esse conceito, tanto que procuro (e até onde percebo, outras radfems também) ativamente dar suporte para mulher lésbicas, negras e/ou pobres (ficando nos grugos majoritários). Coisa que a maioria das libfems não faz, inclusive, vide os comentários deste mesmo blog."

Olha aí a falácia do terceiro excluído. Desde quando uma feminista tem que ser ou rad ou lib? Desde quando é preciso ser rad para ser crítico da interseção (bem visível, aliás) entre a transexualidade e a estereotipagem de gênero (esses dias li um que "descobriu" que "era mulher" quando colocou vestido, salto alto e peruca - como se mulheres não usassem tênis, cabelo curto e calças, ora essa). E desde quando é preciso ser lib pra ser crítico do "homossexualismo político" ou da pornofobia?

donadio disse...

"O que falar de uma pessoa que concorda com um troll chamado fabio."

Boooooooooooooooom, se o fabio disser que está chovendo e eu olhar pra janela e ver o aguaceiro caindo, não vou insistir que está fazendo sol só por que ele é um troll. Com perdão da rima.

Tem que ver concordando em quê, e em qual contexto.

Raven Deschain disse...

"fazendo sol só por que ele é um troll."


Deixa eu morrer aqui um pouquinho. Huashuahsuahsua meldels.

Mila disse...

Penso que certos hábitos são tão arraigados que são difíceis de contestar. Uma das pautas mais importantes para mim é a gordofobia, mas simplesmente ainda estou presa aos medos e pânicos que a indústria da beleza prega em nós. Acho que todo mundo está. São atos institucionalizados. Então, acho que o caminho é problematizar, pelo menos, para entender o cerne desses comportamentos
Gostaria de ver um post do feminismo radical sério sobre sororidade e sobre essa discussão entre libs e rads. Será mesmo produtivo essa rixa entre mulheres se estamos lutando com o mesmo objetivo?

Mila disse...

Penso que certos hábitos são tão arraigados que são difíceis de contestar. Uma das pautas mais importantes para mim é a gordofobia, mas simplesmente ainda estou presa aos medos e pânicos que a indústria da beleza prega em nós. Acho que todo mundo está. São atos institucionalizados. Então, acho que o caminho é problematizar, pelo menos, para entender o cerne desses comportamentos
Gostaria de ver um post do feminismo radical sério sobre sororidade e sobre essa discussão entre libs e rads. Será mesmo produtivo essa rixa entre mulheres se estamos lutando com o mesmo objetivo?

Marcia Baratto disse...

Mila, também acho que a indústria da beleza trabalha apavorando as mulheres, a gordofobia é 'o' padrão cruel.
Sobre os debates aqui, percebo que algumas radicais não vêem objetivos válidos para o feminismo fora do radicalismo, e prejulgam tudo o que for não-radical como liberal. Não significa sempre que esses objetivos não são importantes, mas sim que não deveriam ser chamados de 'feminismo'.

Eu não acho que pautas amplas e diversas enfraqueçam os vários movimentos, já que me faz sentido feminismos no plural. Como o debate é virtual, infelizmente, a gente acaba se concentrando mesmo na disputa sobre quem deve/deveria ter o tal 'protagonismo', sem discutir a fundo o protagonismo sobre o quê.

Desimportante? Não, mas incompleto. Descessário em todos os posts do blog? Certamente.

Anônimo disse...

Loira, branca, hetero e magra. Mas é feminista e milita a favor (principalmente do feminismo negro) de causas que nao necessariamente sinto na pele, sei que pra algumas pessoas isso é sem sentido mas pra mim nao é. Luto contra o elitismo, machismo, homofobia, racismo, especismo e mais qualquer outro ideia que oprima e agrida. Pra mim todo ser devia ser livre e ponto. Simples assim.

Perguntas pras rads:
Vcs ja pararam pra pensar que limitar o movimento em padrões (mais e mais padrões) diminui o numero de feministas? A intençao é esta?
Nenhuma menina vai deixar de usar saia ou namorar homens pra entrar no feminismo. Vamos ser realistas: o feminismo so terá força pra alcançar seus objetivos quando tiver mais feministas do que machistas ou "neutros", quando for maioria mesmo. O ideal seria que todos entrassem na causa: mulheres, negros, gays e ate mesmo homens heteros e brancos (os raros a pensam com empatia). Transformar o feminismo num "clube da luluzinha" reduz o proprio movimento (é isso q vcs querem d vdd?). Lutamos pra quem? Lutamos so pras lesbicas? Nao seria o certo lutar pelas mulheres casadas, pobres, ricas, bi...todas, TODAS! E ate todos tbm. Nao sou liberal do tipo que acha que o feminismo pode abrir espaço pra machista defecar pela boca, e acho alguns pontos do radicalismo validos dependendo do contexto. Mas nao sou nem rad nem lib. Apenas FEMINISTA me basta.
Por favor! Fiz essas perguntas sem ironia. Quero saber mesmo o que pensa alguem que se diz feminista radical pq quero conhecer mais sobre o assunto. Pra mim é importante saber os argumentos de vcs. Nao vejo radfem como bicho papao nao! Pelo contrario. Acho valida muita coisa. Mas tbm queria ler algo a respeito de vcs que nao viesse cheio de arrogancia, seria isso possivel ou tó querendo demais?

Barbara D.

Rê Bordosa disse...

Marcia,

"Eu não acho que pautas amplas e diversas enfraqueçam os vários movimentos, já que me faz sentido feminismos no plural. Como o debate é virtual, infelizmente, a gente acaba se concentrando mesmo na disputa sobre quem deve/deveria ter o tal 'protagonismo', sem discutir a fundo o protagonismo sobre o quê."

Concordo, até porque nessa briga pra disputar o protagonismo, acaba que no fim das contas as brigas e os barracos ficam com o foco do debate. Isso acontece aqui no blog direto.
Dá pra ter espaço pra tudo que é pauta, se cada um souber respeitar a pauta e o espaço do outro e se ninguém tentar negar a realidade do outro.

Rê Bordosa disse...

Ah! Marcia,

Também to na faixa dos 30.
Lembro bem como era o discursinho dos moralistas nos anos 80/90... Que mulher de batom/unha vermelha era puta, brinco de argola era coisa de puta, cabelo pintado, tuuuuuuudo coisa de puta.
Passou um tempo, a novela das 8 "legalizou" tudo isso... Daí até aquelas minhas tias moralistinhas que viviam me criticando, na maior cara de pau passaram a usar batom/esmalte vermelho, o brinco de argola, a tintura de cabelo.

A única coisa que não mudou foi a situação das profissionais do sexo, "putas"... Que continuaram marginalizadas e servindo de referência para todo "mal exemplo".
:(

Marcia Baratto disse...

É Rê, pelo menos as suas tias mudaram, as minhas...rsrsrsr, puta ainda é um tremendo esteriótipo, há quem queira salvá-las, há quem queira condená-las, ouvi-las tem sido raro e difícil.

E no blog é sempre aquele círculo: tem uns mascu doidos de ódio e carentes de atenção, muitas mulheres sem paciência para a história da outra, credo como a gente sofre com falta de imaginação, parece que qualquer divergência é capaz de abalar qualquer capacidade de sororidade.

Os 30 são legais, adoro minha mente nos 30, to apredendo a aceitar o corpo...

donadio disse...

" Será mesmo produtivo essa rixa entre mulheres se estamos lutando com o mesmo objetivo?"

Mas será que o objetivo é realmente o mesmo?

Anônimo disse...

Baratto? Que merda é essa? Dialeto de gente idiota? Fiz perguntas que até agora não tive respostas sérias. Talvez pq essas respostas não existam mesmo, pq talvez vcs nunca pararam pra pensar nisso. Dou uma oportunidade de vcs falarem algo que presta a respeito da propria luta de vcs e no lugar de aproveitarem isso pra se expor como seres pensantes preferem defecar mais e mais ideias agressivas e sem sentido. Continue assim mesmo, quero ver um livro de radfem rodar nas universidades e serem temas de palestras e rodas de debates intelectuais com essa postura de vcs...

Barbara d.

Anônimo disse...

Quer dizer que por eu ser loira, magra e hetero nao tenho direito de ser feminista? Onde é o meu lugar entao? La no topo oprimindo quem é diferente de mim? O que eu faço com todo o conhecimento que já adquiri? Ignoro tudo? Ignoro o sofrimento das negras, lesbicas, gordas?
Quer dizer que eu tbm não sofro por não estar nestes padrões? Sou subjulgada todos os dias por homens chamada de burra, gostosa, que serve pra ser amante e não pra pensar. Não posso ser politizada pq entorto os narizes de muita gente por ai. Não tenho o direito de ter empatia, pq pra ter empatia vc tem que passar exatamente pela mesma situaçao do outro (que genial!). Então vamos desistir do feminismo e das outras lutas por direitos igualitários, afinal, ninguem pode se colocar no lugar de um ser que não seja idêntico a si mesmo! Que pensamento brilhante!!!
Ah! Tambem sou a favor de uma ética animal, mas pra isso eu tenho que ser um animal irracional, de acordo com o viés de vcs, ne?
Vamos queimar então O Segundo Sexo, que fora escrito por uma burguesa branca e bissexual.
Mulheres sendo oprimidas por feministas radicais de bosta, que desgraça...
Vou lá voltar pra minha "Casa da Barbie" e ser oprimida só pelo Ken.

Barbara D.