segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A ÁRDUA TAREFA DE NÃO SER ESTUPRADA

Outro dia vi um reaça criticando o feminismo na base do "Se feministas realmente se importassem com as mulheres, fariam campanha para que todas andassem armadas". 
Já ouvi isso antes, várias vezes, aliás. Reaças têm fetiche por armas de fogo. Reaças pensam que armas de fogo reduzem a criminalidade (se isso fosse verdade, os EUA, o país mais armado do mundo, com impressionantes 90 de cada 100 cidadãos tendo uma arma, não seria também o país com o maior número de presos). E reaças parecem ignorar totalmente as estatísticas de que mais de 70% dos estupros são cometidos por conhecidos da vítima (namorado, parente, mui amigo, chefe etc). 
Aquele clichê do estuprador como um homem mascarado numa rua deserta à noite -- contra quem, talvez, andar armada poderia funcionar, se ele também não estivesse armado, ou se de repente ele não conseguisse tirar a sua arma e te matar) é isso mesmo, um clichê. 
Deixe-me contar uma historinha real. Ano passado, uma analista política e sobrevivente de estupro, Zerlina Maxwell, foi a um programa de direita da Fox (de Sean Hannity).
Hannity, como um bom reaça, quer que as mulheres usem armas de fogo para se proteger contra estupros. Ela rebateu: “Acho que deveríamos dizer aos homens para não estuprar. Você está falando de estupro como se fosse o ato de um criminoso sem rosto e sem nome, quando muitas vezes é de alguém que você conhece e confia. Se você treinar homens a não crescerem virando estupradores, você previne estupros”. 
Como resposta, ela recebeu o tratamento dedicado às mulheres (aquele que os caras que negam a cultura de estupro fingem não ver): um monte de ameaças de estupro. Tipo esta: “Você precisa ser estuprada por um grupo para ter alguma razão, sua vadia estúpida”. Porque, né, o que muitos caras adoram fazer ao ouvir uma mulher dizendo "Temos que ensinar os homens (que são, afinal, os responsáveis por 98% dos estupros) a não estuprar"? Dizer que ela merece ser estuprada, lógico. Faz todo o sentido.
Há poucos dias, foi divulgada uma nova invenção: um esmalte que muda de cor ao detectar as chamadas "drogas de estupro" (não custa lembra que o álcool é também uma droga de estupro, e muito eficaz). 
Já havia outro produto parecido
No início, pelo pouco que acompanhei, a recepção foi positiva. Mas rapidamente várias feministas e ativistas pelo fim do estupro se posicionaram contra. Uma delas disse: "O problema não é se uma mulher sabia que havia drogas na sua bebida, mas o fato de alguém ter posto drogas na sua bebida". 
Este site pergunta: a invenção é anti-estupro ou anti-mulher? E começa assim (minha tradução): "Estude defesa pessoal. Use calcinha anti-estupro. Não ande sozinha. Fique nas áreas iluminadas. Não vista uma saia ou vestido. Não beba. Podemos acrescentar agora 'pinte suas unhas' à lista dos conselhos recentes dados às mulheres sobre a prevenção ao estupro. A mensagem, em todos os casos, é que as mulheres são responsáveis pela sua própria segurança". 
É verdade. Imagine que você saia, vá a uma festa, alguém põe uma droga na sua bebida quando você está desatenta, e você acaba sendo estuprada. Agora quem gosta de culpar a vítima vai não apenas perguntar "Por que você saiu? Por que você bebeu? Por que você foi desatenta?", como também: "Por que você não estava usando o esmalte anti-estupro?"
Esmalte para prevenir estupro parece uma ótima ideia, mas não tenho certeza se vc vai conseguir que homens o usem 

É parecido a um dos problemas dos vagões de trem e metrô exclusivos para mulheres (pra mim, o maior problema é mesmo a segregação -- eu não quero um mundo separado entre mulheres e homens), para assim podermos escapar de "encoxadores": se uma mulher usar um vagão comum, misto, e não aquele exclusivo para mulheres, e for bolinada no transporte, alguém pode perguntar: "Por que você estava usando o vagão misto? Você estava pedindo!" 
Exigir que uma mulher use esmalte anti-estupro, ou ande em vagões exclusivos, ou porte uma arma, é fugir do problema. O problema não é a mulher que é estuprada, é quem estupra. E aí reaças partem de um pressuposto bem distante do da maior parte das feministas, porque acham que quem estupra são uns poucos monstros, e que bastaria matar todos para acabar com isso. Só que não são uns poucos homens que estupram, são muitos. E eles não são monstros, são homens comuns. Não são extraterrestres, são pessoas nascidas e criadas na mesma cultura que a gente. 
Pense: o tipo de cara que põe droga na bebida de uma garota para depois poder estuprá-la provavelmente não é o mesmo tipo de cara que sai procurando mulheres sozinhas na rua à noite. O tipo mascarado não é o mesmo cara que encoxa mulheres no transporte público. O colega que assedia e finalmente estupra não é o tipo mascarado. O mascu sancto que escreve atrocidades como esta abaixo certamente não tem qualquer vida social, e, no entanto, também pensa como um tipo de estuprador:
Há também um outro problema, de ordem ética, com a invenção -- que, deve ser dito, foi de quatro alunos homens de uma universidade americana. É ético querer lucrar com uma praga social como o estupro?
O que eu considero mais problemático de tudo é que a invenção seja vista como empoderadora pras mulheres. Ahn, empoderador mesmo seria se uma garota pudesse fazer tudo que um garoto faz (sair pra se divertir, por exemplo) sem correr o risco de ser estuprada. 
Calcinha anti-estupro
Eu pessoalmente não vejo problema se uma mulher, individualmente, fizer uso do esmalte. Assim como acho ótimo que meninas façam artes marciais e, sempre que possível, reajam (não a um assalto, mas a um estupro). Assim como já discutimos andar com armas brancas. Mas, como movimento, o feminismo deve sempre apontar que a responsabilidade em evitar estupros não é das mulheres. É de quem estupra. Spray de pimenta, esmalte que detecta drogas, calcinhas anti-estupro, apitos -- tudo isso é paliativo. Pode livrar uma mulher de um estupro, mas não acaba com a pandemia de estupros que existe no mundo. 
Que existam tantos conselhos e produtos ensinando as mulheres a não serem estupradas (como se isso funcionasse -- aprendemos tudo desde crianças, e mesmo assim, milhões de mulheres seguem sendo estupradas), é um dos indícios da cultura de estupro. O verdadeiro combate, o que realmente pode levar ao fim do estupro, é ensinar as pessoas a não estuprarem, ponto. Ensinar que não é não (não é joguinho), que o corpo de uma pessoa não é público, que não é a roupa de uma mulher que vai indicar se ela está ou não a fim, que ninguém é dono de alguém. 
A árdua tarefa de combater o estupro deve ser de toda a sociedade. 

133 comentários:

Anônimo disse...

Lola, você tem dicas de leitura para orientação de pais de filhas pequenas acerca de temas como estupro? Concordo plenamente sobre a questão de ensinar os meninos a respeitar, mas vivendo no mundo que vivemos, fico em dúvida se devo ensiná-la a saber identificar e evitar qualquer forma de abuso.

Anônimo disse...

vamos ensinar as pessoas a n estuprarem,a n roubaram,n sequestrarem,n traficarem.... afinal ninguém sabe que isso é crime e realmente há uma cultura de estupro,assalto,tráfico,sequestro...

Mirella disse...

Lola,

precisa mesmo postar como dopar uma mulher? Não dá pra editar o nome da substância e evitar que alguém, de fato, faça isso?

lola aronovich disse...

Mirella, não sei editar. Faça isso com a imagem e me mande por email, por favor, que aí eu troco.


Ai ai, anon das 15:59. Estupro é um crime bem diferente de roubo, sequestro, tráfico. Um chefe não rouba o dinheiro de um funcionário, mas um chefe pode estuprar uma funcionária. E em muitos casos o estuprador nem considera aquilo estupro, só que ele forçou um pouco. Tente aprender um pouquinho em vez de só ficar trollando.

DEATH ADDER disse...

voce tem uma visão muito otimista da humanidade, quem realmente é mais pé no chão, pessimista, vai preferir a cultura armamentista. eu deixei de sofrer bullying por uns 6 anos quando comecei a portar armas brancas/facas e ameaçar meus inimigos. antes disso eu era praticamente um saco de pancada na época da escola. os alfas passaram a ter medo de mim por volta de 2007/2008/2009/começo de 2010 etc

Victor disse...

Este papo de "cultura do estupro" é balela. Estupradores geralmente são linchados, torturado e estuprados, tanto pela população, quanto por outros presos.

Agora, que existe uma cultura de culpar a vítima, eu concordo plenamente e não só com estupro. Com outros crimes também. Por fim, este papo de "a mulher provocou" é uma babaquice sem tamanho que ignora as mulheres que usam BURCAS e são estupradas.

A respeito do armamentismo, não é porque ele não pode proteger da maioria dos casos de estupro, que ele deve ser vetado. Ele continua sendo eficaz em combater a minoria. Outra coisa importante é o número de FALSAS acusações de estupro e violência sexual.

Anônimo disse...

Só uma pergunta. E enquanto os homens não são "ensinados a não estuprar"(sic)? O que acontece com nossas irmãs, mães, filhas, etc?

Eu sou a favor de coibir desta forma o estupro, mas enquanto ele existe, deve existir formas de prevenção, como armas, detector de "boa noite", etc.

Anônimo disse...

Para essa gente que vive comparando estupro com roubo tipo "Ninguém deixa o carro aberto ou ninguém deixa a bolsa dando sopa por ai" - dando "conselhos" para mulheres comparando nossos corpos a coisas, e um crime contra a dignidade com um crime contra patrimônio fica realmente difícil entender que um estupro não é o mesmo que assassinato, sequestro, roubo..

Anônimo disse...

Outra coisa, isto de "sexo bêbado é estupro" é meio complicado. E se AMBOS estiverem bêbados? Tanto o homem quanto a mulher? Ambos não podiam julgar. Ou melhor, e se dois homens ou duas mulheres fizerem sexo embriagados. É estupro?

Danilo "aeghavitabkoik" disse...

Resposta: Uma excelente maneira de cessar o estupro contra as mulheres é uma punição pesada exemplar. Ou seja, o cara estuprou? Castração química, pronto, problema resolvido.

Roubou? Amputa os dois braços. Estuprou? Castração Química. Prática de homicídio hediondo? Prisão perpétua em regime fechado numa solitária.

Eu apoio uma sofisticação da "Lei do Talião". Aí sim, a sociedade brasileira entraria na linha. Pena de morte não é pena. É um benefício. A morte não é ruim mesmo.

vivian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aline J. disse...

Armas, meus amigos? Sério?

Caso isso fosse permitido, seria o caos.
Quando uma pessoa discordar da outra e a discussão ficar séria, um vai puxar a arma e atirar no outro. Quando alguém bater o carro em outro carro, um vai tirar a arma e disparar. Quando duas pessoas estiverem no boteco e arrumarem briga, vai ter morte, com certeza.
"Ain mas não são todos que são esquentadinhos blebleble"
Quem diz isso nunca ficou estressado. Em um único dia você é despedido, pisa na bosta do cachorro, sua mulher/marido briga feio com você e acho que deu pra entender onde eu quero chegar.

Além disso, não tem como saber quando alguém vai usar a arma "para se defender". Você consegue identificar uma pessoa esquentada?

E mais: Se o estuprador tiver armado, de nada adiantará. Ou você vai tentar puxar a sua arma com o fulano já apontando outra pra tua cara?

Bru disse...

"Só uma pergunta. E enquanto os homens não são "ensinados a não estuprar"(sic)? O que acontece com nossas irmãs, mães, filhas, etc?" Pois é!
Sou contra armamentismo, mas não acho que só paz e amor resolva! O ideal é SIM ensinar os homens a não estuprarem e tal, mas enquanto isso não acontece, vamos, como disse uma comentarista uma vez, cantar musiquinhas de paz e amor pros abusadores? Nã, nã!

André disse...

Eu concordo que deve-se ensinar que não é não (não é joguinho, e mesmo que fosse), que o corpo de uma pessoa não é público, que não é a roupa de uma mulher que vai indicar se ela está ou não a fim, que ninguém é dono de alguém. Mas não concordo em deixar de apoiar iniciativas, como o vagão exclusivo ou o esmalte, apenas porque um canalha pode usar essas iniciativas como desculpas esfarrapadas.

Thomas disse...

Não entendo esse lado do feminismo. Vocês falam que vivemos numa cultura de estupro, numa epidemia de estupro, que o número de mulheres que são violentadas é imenso, que estamos vivendo um holocausto de gênero e que estamos numa situação emergencial. Aí tudo bem, todo um setor da sociedade acredita no que vocês dizem e resolvem desenvolver medidas diretas para que,enquanto a sociedade não fique conscientizada e bonitinha, pelo menos as mulheres tenham mais poder e autonomia pra se defender, coisa que pouco tinham antes.

E aí as feministas acham ruim. Criticam. Usam uma lógica completamente absurda e nonsense pra justificar suas críticas.

A tal da educação e conscientização não só pode, como deve andar lado a lado com medidas mais diretas. Uma mulher precisa ter o direito de poder se defender, precisa ter a opção de entrar num vagão exclusivo caso se sinta mais segura nele, precisa das ferramentas pra se empoderar sozinha e se sentir mais confortável para ir e vir em sua cidade. Mas parece que vocês têm uma dificuldade de reconhecer isso e ficam boicotando medidas importantes para aumentar a segurança das mulheres.

Não sei se é ingenuidade pura da parte da Lola, com esse otimismo todo, ou sintoma de uma patologia mais profunda. Mas fato é que hoje, em pleno 2014, a humanidade basicamente sofre da maioria dos problemas que vem sofrendo desde o início da civilização. Mudanças de comportamento levam tempo, ainda mais quando estamos falando de um gênero que desde que o mundo é mundo está acostumado com sua posição de superioridade.

Educar os homens a não usar sua superioridade física pra oprimir as mulheres vai levar um bom tempo, mas é possível que nós mudemos. Mas até lá, é perfeitamente natural e coerente que medidas mais diretas sejam tomadas para empoderar as mulheres. Ou você prefere mesmo só sentar e esperar pra ver o mundo mudar, Lola? Até lá que as mulheres contem com a sorte pra não virarem estatística?

E que papo é esse de capitalismo? Você sabe em que tipo de sociedade vivemos? É um ótimo sinal que o feminismo esteja inspirando produtos que gerem demanda e gerem grana, é ótimo que a Beyoncé venda o feminismo como marca, é assim que se alcança muita gente muito rápido. A Marcha das Vadias e protestos similares não causam nem cócegas no sistema.

PS: Balela o que você falou sobre os EUA. Lá rola uma indústria que lucra com o emprisionamento dos seus cidadãos. Já ouviu falar sobre a "guerra às drogas", que prendeu e continua prendendo uma tonelada de gente por crimes leves relacionados a drogas? Não tem nada a ver com o fato do porte de arma lá ser legalizado. Dá uma googleada aí que você vai ver muitas críticas em relação ao sistema carcerário americano, que é comparado com uma nova forma de escravidão.

Anônimo disse...

"Só uma pergunta. E enquanto os homens não são "ensinados a não estuprar"(sic)? O que acontece com nossas irmãs, mães, filhas, etc?"

Bom, eu fui estuprada pelo meu irmão. Seguidas vezes. Tá respondida sua pergunta?

Todo post com esse tema atrai uns babacas sem tamanho. Estupro igual a sequestro? Que eu me lembre a ideia de sequestrar vem de conseguir dinheiro da vítima. Quantas vitimas de estupro também foram extorquidas?

~não loguei por motivos óbvios.

Anônimo disse...

Pera. Deixa eu responder sua pergunta de novo: Minha mãe foi estuprada pelo pai, minha tia pelo primo e varias amigas por outros parentes. É isso que acontece. Infeliz tapado.

Gle disse...

Na boa, acho que algumas pessoas não entendem o que a Lola escreve. Não pode ser normal tanto comentário sem pé nem cabeça.
O que ela quer dizer com "ensinar a não estuprar" não é o ato em sí, mas o ato de criar machistas! O erro já começa quando os pais dizem pro filho homem que ele não pode brincar de boneca e pra filha mulher que ela não pode brincar de carrinho. Aí na adolescência o menino TEM QUE PEGAR TODAS, pra ser O BOM! O problema é quando essas crianças não conseguem mostrar pros pais isso ou quando alguma menina/mulher diz NÃO. Homens machistas não nasceram pra ouvir NÃO. E aí surge a violência!
As crianças tem que aprender a ter RESPEITO por qualquer gênero que for. Violência não é solução, nunca foi, nem nunca será! Tem que cortar o mau pela raiz e isso só vai acontecer quando o ser humano aprender que o direito dele começa onde termina o do outro.

Lola, criei meu bloguinho. Fique à vontade para conhecê-lo.
http://meuarbitrio.wordpress.com

Mirella disse...

Lola, te mandei.

inquietar disse...

Ok, concordo que a função do movimento feminista seja apontar - sempre - que quem provoca o estupro é estuprador. Que a única forma de acabar com o estupro e garantir a autonomia feminina é ensinar os homens a não estuprarem. Concordo 100% com isso. Mas discordo veementemente de tudo que foi escrito sobre o tal esmalte que identifica drogas em bebidas.

Primeiro que ninguém está obrigando as mulheres a usarem o tal esmalte. Assim como fazer krav-magá, portar uma faca, ter um apito, só andar de carro, não sair desacompanhada trata-se de uma escolha pessoal que cada uma toma de acordo com suas possibilidades (pois nem todas as mulheres tem condições financeiras de arcar com aulas de legitima defesa ou podem se dar ao luxo de só sair acompanhada a noite).

A turma que fala que as mulheres são culpadas pelo estupro porque não se cuidaram direito continuarão falando com esmalte ou sem esmalte. Não faz a menor diferença para eles.

Por outro lado quantas "histórias de terror" poderiam ser evitadas se a invenção fosse popular? Pense em quantos casos você já recebeu de mulheres dopadas e estupradas por amigos, pessoas em quem elas confiavam? Imagina que legal você descobrir que aquele moço bonitinho e gentil na verdade é um canalha escroto que dopa mulheres antes que ele tenha a oportunidade de te dopar e estuprar? Bem menos traumático né?

Quanto ao lucro... Francamente, vamos obrigar agora os instrutores de krav-magá a darem aulas de graça, afinal de contas, não é justo lucrar com o medo das pessoas de sofrerem violência? Ou ainda, vamos obrigar os médicos a atenderem de graça e as farmácias a distribuírem remédios pois não é correto lucrar com doenças? É o tipo de argumento que não faz sentindo nenhum numa sociedade capitalista.

Aliais, normalmente reclama-se do pouco interesse da industria médica e farmacêutica quanto as questões femininas (há muito mais investimento para desenvolver remédios para problemas cardíacos - que atingem principalmente homens - do que para o câncer de mama). Então, é ótimo ver que pesquisadores se interessaram por desenvolver algo que visa minimizar um problema essencialmente feminino (na verdade homens gays também sofrem com o "boa noite cinderela". Em menor escala, homens héteros. Óbvio que eles não são estuprados "apenas" roubados).

Então, sei lá, ao invés de adotar esse tom combativo para com o esmalte os movimentos feministas não podiam dizer apenas: "Ótimo, mas continuamos na nossa luta para conscientizar as mulheres de que elas não são culpadas pela violência sofrida e para ensinar os homens a não violentarem as mulheres".

Por que diabos o desenvolvimento do esmalte precisa ser visto como um inimigo das mulheres e do feminismo? Ao contrário do vagão rosa - que cria segregação - o esmalte não cria nada. Então, qual o drama?

Mallagueta Pepper disse...

Aí quando as mulheres se armarem e começarem a matar os estupradores, os masCuzinhos virão choramingar reclamando de misandria, mimimi uzomi estão sendo oprimido, mimimi, ditadura b*cetista, mimimi, ninguém pode fazer mais nada, mimimi...

E pra quem tem dificuldades pra interpretar texto, a Lola deixou claro que não vê nada de errado em uma mulher escolher tomar atitudes pra se proteger, mas acontece que isso por si só não resolve o problema porque a maioria dos casos de estupros não vem do tarado desconhecido que ataca mulheres no meio da noite.

Será que é tão dificil assim entender algo tão simples? Qual é o problema desse pessoal? Me expliquem: como uma mulher faz pra evitar o estupro de amigo, pai, marido, namorado, chefe, etc. Como evitar ser estuprada por uma pessoa que conhecemos, confiamos e até vemos como amigo ou companheiro?

Será que agora teremos que enxergar todos os homens como estupradores em potencial, andar sempre com armas de choque e eletrocutar qualquer um que se aproxime demais? É isso que vcs querem? Depois vem reclamar que nós é quem somos misandricas.

Anônimo disse...

Desculpe mas o unico modo que eu vejo para não ser estuprada é não confiar em homem nenhum, eu não aceito nenhum tipo de assédio verbal, mando o cara se f**** e se ele estiver com camisa do trabalho ( isso acontece muitas vezes) eu falo que vou falar com o chefe dele (ja falei uma vez) e o cara se borra de medo, cretinos, se não querem ser demitidos deveriam ter mais cuidado com o que falam,agora se for estupro ou o cara tentar me agarrar, eu tenho um spray de pimenta na bolsa que não largo por motivo nenhum. E se as armas fossem legalizadas apenas para mulheres iria ter chilique dos homens até o quarta geração. Bem, acho que a unica dica minha seria não confiar em homem nenhum, porque como uma amiga minha disse "agem como cachorros".

Raven Deschain disse...

O esmalte não vai funcionar pq quando se está bebadaça a última coisa que tu vai lembrar é de enfiar o dedo na birita. :)

De nada. Vlw. Flw.

Falando sério agora: Dependendo da cor eu usaria. Mas o que EU pessoalmente fazia (porque não bebo mais, porque afinal é uma babaquice cara mesmo), era não aceitar bebida de qualquer um.

Anônimo disse...

Só falar no assunto estuprador e os caras com perfil correspondente apitam aqui nos comentários....

Anônimo disse...

Comparar estupro com crimes contra o patrimônio não faz sentido... (bom, faz sentido na cabeça da masCUzada, afinal mulher é coisa e não gente)

Eu posso esconder minha carteira/bolsa/dinheiro/tablet/computador/whatever embaixo do assento do carro, num armário, num cofre... minha vagina não!!! Eu não posso remover minha vagina/seios/bunda/coxas ou qualquer coisa que os abusados goste de enfiar a mão e deixar em casa pra poder sair na rua.

"Ainnn... mas lugar de mulher não é na rua, mas em casa cuidando dos filhos e do marido" - tá, vamos assumir (MUUUUUUUUUUUUUUITO HIPOTETICAMENTE) que isso é um argumento válido - O QUE NÃO É SOB HIPÓTESE ALGUMA - está escrito no post, e é mais do que conhecido o fato de que a maioria dos estupros é cometido por conhecidos e parentes da vítima - como faz? Nasce mulher e imediatamente se enterra num buraco e nunca, nunquinha tem contato com mais ninguém???

É TÃO DIFÍCIL ASSIM manter as mãos no bolso e pau dentro da calças????

Jane Doe

Anônimo disse...

Quando leio essas noticias sofre estupros, eu fico bem atenta sobre o que pode acontecer comigo, sou lesbica e posso dizer que não vou sofrer estupro no namoro (a maioria dos estupradores são homens e lesbicas assediadoras são muito raras), não tenho nenhum contato com o mundo masculino a não ser pelos colegas de trabalho que não sabem nada da minha vida ( e que fico sempre atenta), acabei de comprar um carro e ando com spray, e me pergunto, isso é o suficiente? e se o cara estiver armado? Mulheres armadas precisariam de um curso de tiro também, mas a minha pergunta é para os homens desse blog que tem alguma filha : antes da menina nascer, qual era a sua opinião sobre violência,estupro contra as mulheres? você ja assediou uma mulher e se arrependeu quando sua filha nasceu, ja que outros homens podem fazer o mesmo com sua filha? e você acha que o melhor seria as mulheres desconfiarem de todos os homens, inclusive sua filha de você, ja que muitos pais estupram suas filhas? sejam sinceros e quero apenas saber se são ou não todos os homens "lucram" com o medo das mulheres.

normalidaderealidade disse...

"Estupradores são linchados"

Estupradores seriais, que atacam em becos escuros, sim.

O chefe que chantageia, o namorado que força a barra, o babaca que droga a garota, o marido que agride a mulher... Nenhum deles é condenado.

Quando contei que um namorado meu já me estuprou quando eu estava doente, de cama, quase inconsciente, muita gente queria saber se ele era meu namorado mesmo, a quanto tempo eu estava com ele, como era a relação...

Quando um loser tentou me molestar num ônibus, disseram que era um "coitado" que estava "a fim de mim".

E aí, eu posso usar calcinha anti-estupro todos os dias pra me proteger de colegas e ficantes? Sou forçada a usar esmalte anti-estupro sempre que for sair? Mesmo indo numa festa eu preciso de sapatos confortáveis e esquecer a saia, pra poder correr seguramente de qualquer um? Eu preciso mesmo desconfiar a todo momento, nunca mais sair e nunca confiar em ninguém?

Anônimo disse...

Se a mulher está bêbada demais pra reagir, e o cara consegue se mover e consegue estuprar, é culpa dele sim.

E eu explico pros meus amigos que, na dúvida, se ela não pode dar consentimento, é estupro, largue mão e vá embora. Se ela não consegue nem se mexer direito, diz "sim" mas não consegue nem levantar o braço pra tocar o cara, qual o propósito de fazer sexo nessas condições, também?

Se ambos estão "felizes" e ela dá consentimento, e ele tem certeza disso (dica: ela consegue agir ativamente com você?), sem problemas.

Se ele tá bêbado, mas consegue se mexer, e consegue forçar a menina, ele devia estar sóbrio o suficiente pra saber a diferença. Se você bebe e não sai matando e espancando gente porque sabe que é errado, e aí?

Anônimo disse...

Isso raramente é discutido na escola. Parece que pensam que o estuprador é um animal que anda por aí, um chupa cabra ou algo do tipo. E quem for pego é porque sabia que o bicho andava por lá, e ele não controla seus instintos como um animal irracional.
Homens deveria se ofender quando nos culpam por estupro. Isso é uma ofensa enorme ao caráter deles, uma pessoa que não consegue segurar o pau dentro das calças perto de uma mulher estranha.

Anônimo disse...

Não adianta criar as mais mirabolantes armas anti estupro, vai sempre ter que criar algo novo porque vai ficar "ultrapassado". Sinceramente, há quantos milênios isso existe?
Os panacas não se tocam que enquanto eles estão por aí encoxando mulheres desconhecidas, outros caras também estão fazendo isso com as irmãs, mães, primas, namoradas e amigas deles. O que gera um círculo vicioso,pois eles nunca são culpados.

E não adianta fazer analogia com estupro, porque o ladrão rouba objetos que vc tem, e dependendo do que for no outro dia vc compra outro igual. Usar a pessoa para fazer sexo à força é um trauma absurdamente diferente. Não entendo como que para a pessoa "concordar" em transar com vc, precisa usar uma arma, faca ou soco e a pessoa negando. Como numa situação dessa o cara não sabe o que faz? Como?

Anônimo disse...

Não sei porquê, mas estava MORRENDO de saudades desses posts mais políticos que visam a conscientização.
Mais um golaço da Lola!

Anônimo disse...

"Por fim, este papo de "a mulher provocou" é uma babaquice sem tamanho que ignora as mulheres que usam BURCAS e são estupradas'

Victor, isso é cultura do estupro. Quando falamos em cultura do estupro falamos em culpabilização da vítima por causa das roupas ou do comportamento.
Muita gente só considera que foi estupro se a mulher é virginal, não bebe, não fuma, não tem qualquer tipo de relacionamento com o abusador.
Conheço uma moça que aceitou uma carona de um ex-namorado, uma pessoa em quem ela confiava, aí ela foi estuprada e muita gente falando que não era estupro, afinal ela entrou no carro dele, já tinha transado com ele antes, esse tipo de coisa.

Anônimo disse...

"Outra coisa importante é o número de FALSAS acusações de estupro e violência sexual."

Então prove que esse número é alto.
A mulher que faz uma acusação de estupro passa por um julgamento moral tão grande, principalmente de quem está próximo dela, que muitas nem chegam a denunciar por vergonha, porque já sabem pelo que vão passar, pra na maioria das vezes não dar em nada.
E só pra você saber, você está repetindo a mesma coisa que estupradores dizem, que as acusações são falsas, que a mulher queria e depois mudou de ideia.
Você está sendo tão nojento quanto eles ao dizer esse tipo de coisa.

Anônimo disse...

Sobrou até para os cachorros tadinhos. Essas feministas especistas, pelo menos é algo em comum entre elas e os mascus que são super especistas.

Claudio disse...

Simples, castração química para estupradores e os que tentaram estuprar.

Anônimo disse...

"Aí quando as mulheres se armarem e começarem a matar os estupradores, os masCuzinhos virão choramingar reclamando de misandria, mimimi uzomi estão sendo oprimido, mimimi, ditadura b*cetista, mimimi, ninguém pode fazer mais nada, mimimi... "

A coisa é até mais feia que vc pensa. Já li mascu falando que se a mulher tentando se defender acaba matando o estuprador, tem que ser presa, porque morte é muito pior que estupro.

Anônimo disse...

Sempre tem aquela velha história de "homens podem andar na rua à noite sozinhos, a gente não", mas na verdade o estuprador de rua é uma lenda urbana então?

Anônimo disse...

Rouba dinheiro sim. E ele tbm nao se da conta.de que é."so um roubo"

Anônimo disse...

Nao mesmo? Me mostra onde na lei nao é.

Luiz disse...

Eu não vejo problema no fato de pessoas de bem andarem armadas. O que me preocupa é bandidos andarem armados. No meu ponto de vista qualquer cidadão que fizesse um teste psicológico, sob supervisão da Polícia Federal, que o liberasse para ter uma arma poderia te-la.

Essa conversa de que se todo mundo andasse armado teria mais crimes é uma teoria bem difícil de ser provada. Vamos aos fatos. Nos EUA tem -se muito mais armas nas mãos das pessoas que no Brasil. Aqui se mata 50 mil pessoas em um ano. Lá mata-se 13 mil. Brasil tem 200 milhões de habitantes sendo que nos EUA tem 300 milhões. Nossa situação neste tema é de uma guerra civil. Porque os números dos EUA são muito melhores que os nossos? Simples. Caso você mate alguém nos EUA a justiça será implacável contigo. Um homicida nos EUA fica no mínimo uns 30 anos preso. Lá eles tem um artigo na lei dos crimes graves que que se chama "put out" que seria uma espécie de fora do jogo. Alguém que é reincidente em crime grave 3 vezes é colocado em prisão perpétua automaticamente. Essa é a razão de os EUA terem uma das maiores populações carcerárias do mundo. Nem sempre foi assim por lá. Durante as décadas de 50 a 80, o país progrediu muito social e economicamente e apesar disso os índices de criminalidade continuaram a crescer – e muito. Somente após a adoção, no início dos anos 90, de uma legislação penal mais rigorosa é que os índices de criminalidade despencaram e hoje são os menores de todos os tempos. É preciso fazer com que haja um aumento real das penas de modo a garantir que os condenados por crimes graves fiquem efetivamente segregados por longos períodos. Isso é fundamental para que seja atingida a finalidade principal da pena: a contenção dos criminosos.

O país mais armado do mundo não é os EUA. É a Suíça. Lá o Exército é baseado no modelo de guerrilha e todo cidadão suíço fica um tempo no exército para aprender a manusear armas de fogo e depois retorna para a casa com um fuzil. Na suíça mata-se bem menos que nessas terras de palmeiras, sabiás e homicídios.

Lembro-me de que certa vez viajei para a Serra da Canastra em MG com minha esposa e um casal amigo que tinha parentes lá. Para minha surpresa em toda casa que visitávamos para tentar comprar algum produto, principalmente queijo, havia na sala do indivíduo uma espingarda pendurada na sala de visitas. Isso faz uns 10 anos mas não me parece que a região da canastra seja a mais violenta do Brasil, pelo contrário, andar por lá é bem seguro.

Outra questão está ligada a violência e desigualdade social. Desconsidero isto como verdade pois se fosse assim a Índia seria o país mais violento do mundo pois é também o mais desigual. O que mantém um índice de criminalidade alto é impunidade ou punição branda. Estupros na Índia são comuns porque não existe punição para estupradores. Já para assaltantes existem punições severas e os índices são baixos. Simples assim.

PS. O feminismo no que pesa suas incoerências, não compra a idéia de medidas sócio educativas para casos de violência doméstica, atraso em pensão alimentícia e estupro. Defende é a velha e boa cadeia para os envolvidos. No que eu acho que estão certas. Para quem comete crimes a melhor educação é a punição severa e proporcional ao crime. O Renan Calheiros preferiu desviar dinheiro público para pagar pensão do que deixar de paga-la. Vai ver porque sabe que roubar dinheiro no Brasil não leva ninguém para a cadeia já deixar de pagar pensão leva. O Brasil melhorará o dia que colocarmos na cadeia os estupradores, os que atrasam pensão, os ladrões de dinheiro público, os batedores de carteira, os homicidas e um interminável eticetera. Devemos deixar de tentar criar teorias sociológicas de quinta categoria para deixar bandidos soltos.

Anônimo disse...

Poha Danilo, então porque você tá vivo ainda?

Anônimo disse...

"Pense em quantos casos você já recebeu de mulheres dopadas e estupradas por amigos, pessoas em quem elas confiavam?"

Qual a mulher que vai fazer esse teste numa bebida servida por um amigo? Acho que o esmalte é visto como útil quando se vai para baladas, bares, lugares com muita gente estranha.

Ninguém vai pensar em enfiar o dedo com esmalte num copo servido por um amigo. Ou vai se precaver passando o esmalte antes de sair para uma reunião na casa de amigos, ou na própria casa.

Anônimo disse...

Bem inútil esse esmalte. Se for de alguém de confiança, dificilmente você vai usar o truque do esmalte. Se for um estranho, bem, quem aceita bebida de estranho?

Veronica disse...

Enxerguei o esmalte como uma forma de gerar prova contra o criminoso. Se desconfio de uma bebida e provo que tem drogas nela eu chamo a polícia. Claro, é uma parcela mínima dos casos. Normalmente não se desconfia da bebida que os amigos oferecem, mas acho que é válida a iniciativa. Não é a mesma coisa que o vagão exclusivo.

Bruno disse...

Trollagem é a tal cultura do estupro.
Cultura envolve os costumes de um povo inteiro e porque alguns babacas culpam a mulher pelo abuso,a tal cultura é verdadeira e toda a sociedade é conivente com criminosos,mais trollagem que isso não dá.

Não comparamos estupro com assalto para parecer que isso não é tão grave quanto outro crime contra propriedade e sim para mostrar o óbvio,tudo isso é crime e todo mundo sabe.Então criar um movimento para ensinar homens a não estuprarem é ridículo demais.
O estuprador assim como qualquer outro criminoso sabe que o que faz está errado mas eles cagam e andam para os direitos do outro.

Engraçado que dentro da igualdade feminista,só o homem deve ser ensinado a não abusar,mulheres também estupram(geralmente crianças),acho que elas também não tem ideia do que fazem,tadinhas.

Alguém aí falou que somos ensinados a pegar todas,é verdade e isso é bem diferente de nos ensinarem a estuprar todas.
Somos cobrados para darmos em cima de qualquer uma e pegar todas que aceitarem e mesmo se o cara não estiver afim,ter que pegar a mulher que der em cima,para não ser taxado de gay,estupro não está incluído.
Claro que vocês sabem de tudo isso mas tem que deturpar as coisas para o bem do movimento,se não tiver mentiras e não chocarem os outros,não vão para frente.

Anônimo disse...

"Então prove que esse número é alto.
A mulher que faz uma acusação de estupro passa por um julgamento moral tão grande, principalmente de quem está próximo dela, que muitas nem chegam a denunciar por vergonha, (...)
Você está sendo tão nojento quanto eles ao dizer esse tipo de coisa."

De acordo com uma DELEGADA, 80% das denuncias de pedofilia são FALSAS. http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=832334

A respeito de estupro, eu não tenho dados confiáveis da realidade Brasileira. Apenas da Americana.

E veja aqui o que pode acontecer com um sujeito que é acusado falsamente : http://acritica.uol.com.br/manaus/Inocente-violentado-cadeia-contrai-Aids_0_434356611.html

Mas uma coisa que eu mesmo sendo de direita concordo com as feministas, é que "se comportar" não impede os estupros de acontecerem. Estupros acontecem em conventos, templos, etc.

As que dizem que "meu namorado forçou", eu acho que você deve escolher melhor seu namorado. Digo isto, porque vejo que muitos homens cometem o mesmo erro. Namoram uma mulher que não quer uma vida monogâmica, tenta faze-la viver ao seu "molde" e depois sai acusando TODAS as mulheres.

Apesar de eu acompanhar os fóruns "mascus", filtro muito o que aproveito. Tem uns caras que falam coisas coerentes. Mas tem outros, que são poligâmicos e não admitem que uma mulher seja hipergâmica. Eles também tratam mal todo mundo. Não só as "mulheres". Lembro que uma vez um cara postou que estava interessado em uma mulher comprometida e os caras LINCHARAM ele nos comentários. O chamando de "mangina", "frouxo", "aprende a ser homem e não um babaca apegado" entre um monte de outras coisas. Deu até a impressão, que um homem que se apega a uma "vadia", é pior que uma vadia para eles.

Anônimo disse...

olha, alguém aí comentou que a única maneira de se prevenir um estupro é não confiando em nenhum homem
é por isso mesmo que eu vejo TODOS os homens como estupradores em potencial, exceção pros meus irmãos q são mais novos, por enquanto, eu confio neles.
o resto, pode ser pai, padrasto, pai das amigas, colegas, não confio em ninguém,não tenho amigos homens, sério. ajo como se qualquer homem fosse me estuprar se tivesse oportunidade.
e alguém tb disse o seguinte:
"Muita gente só considera que foi estupro se a mulher é virginal, não bebe, não fuma, não tem qualquer tipo de relacionamento com o abusador."
é por isso que eu não faço amizade com homens, é por isso que eu só beijei duas vezes na vida com 20 anos, é por isso q não bebo nem fumo e tenho q ser bonita (pq mulher feia devia agradecer) porém sem nenhuma sensualidade (pq se não estarei pedindo)
Agora eu digo, isso é vida?
Minha vida é uma bosta pq tenho que me proteger pra não ser estuprada, e se acontecer, não ser culpada, e ainda assim sei q alguém me culparia, provavelmente minha mãe faria isso em algum momento, minha avó COM CERTEZA, mas pelo menos o minimo possivel de pessoas me culparia, é assim q eu vivo

Anônimo disse...

Eu acho que as duas coisa estão certas. Que devemos ensinar as mulheres a se defenderem com eficácia (não to falando de evitar ruas escuras ou andar com as chaves entre os dedos) e que os homens devem ser ensinados que o corpo da mulher a ela pertence e ele não possui nenhum entitlement nisso, mesmo que seja pai ou marido.

Adorei o negócio do esmalte, usaria tranquilamente. Existem outros produtos nessa linha, como batom q começa a formigar se reagir com certas substâncias comumente usadas no boa noite cinderela, canudos e copos que mudam de cor, sou a favor de tudo isso aí e da calcinha que dificulta a vida do estuprador.

Não adianta, ainda que a mulher tome TODOS os cuidados e nunca saia de casa, se ela for estuprada sempre vai ter o papo de a culpa ser dela. Então tá. Combate-se a cultura do estupro e enquanto isso vou usando de todos os recursos existentes para evitá-los, faço isso já com tanta coisa na minha vida (do contrário eu não pagaria seguro do carro, se fosse contar só com a boa educação dos motoristas p.ex.), por que não com a única coisa que verdadeiramente tenho, que é meu corpo?

Sobre as armas, sou muito a favor. Apito, gás de pimenta, correr, gritar, nada se compara com um belo três-oitão na testa do sujeito, seja ele o estranho da moitinha ou seu colega de trabalho, namorado ou marido.

Anônimo disse...

"olha, alguém aí comentou que a única maneira de se prevenir um estupro é não confiando em nenhum homem
é por isso mesmo que eu vejo TODOS os homens como estupradores em potencial, exceção pros meus irmãos q são mais novos, por enquanto, eu confio neles."

Muito dramática você.

Anônimo disse...

Achei muito bom que foi lembrado que o ÁLCOOL ainda é a droga facilitadora de estupro mais usada. E o povo abusa demais dele. Mas mesmo bebendo refrigerante, o esmalte iria cair muito bem.

Anônimo disse...

"De acordo com uma DELEGADA, 80% das denuncias de pedofilia são FALSAS. http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=832334"

deixa de ser PILANTRA

"CURITIBA

80% das denúncias sobre pedofilia nos últimos 30 dias eram falsas

Repercussão de casos de pedofilia ocorridos no Paraná nas últimas semanas causou um aumento de cerca de 40% no número de denúncias ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes

27/11/2008 | 13:29 | GAZETA DO POVO"

Lia disse...

"Muito dramática você. "

Um belo VSF no meio da sua testa, seu mascu idiota.

Vai cagar regra no seu mundinho, que aqui vc não tem vez. Aqui você é nada mais que um m$%&*.


RALA, seu mandado!


Não sei nem por que a Lola aprova comentários como o seu. Deve ser só para que nós tenhamos consciência das bobagens que ela é obrigada a conviver.

Anônimo disse...

Denúncias de pedofilia são falsas?

Acredito que possa existir pânico moral porque crianças às vezes não conseguem depôr por si próprias - vide o caso da Escola Base - e isso pode gerar confusão. Mas a maioria dos casos de pedofilia não é denunciada. Eu conheço ao menos três pessoas (homens e mulheres) que foram abusados quando crianças e ninguém acreditou nelas.

Mulheres adultas podem depôr, anon, e não estão sujeitas a influências externas a respeito disso. Elas não são crianças e não dependem de cuidados e da fala de outras pessoas.

E mais: tem muita mulher que escolhe nem mesmo denunciar porque acha que ninguém vai acreditar, ou que não foi grave o suficiente pra botar o cara atrás das grades, ou que a família não merece essa vergonha. Isso é normal com casos onde parentes e namorados são os culpados. O estigma de ser estuprada é suficiente pra uma mulher não denunciar um caso real, que dirá denunciar de mentira.

Segundo os índices dos EUA, denúncias falsas de estupro são uma fração de denúncias falsas de roubo. Até a mídia não feminista coloca essas alegações em 2%, mas outras estatísticas dizem 0,3%. Sem falar que isso não é uma vingança pertinente, né, afinal, quase nunca se denuncia, e uma fração pífia acaba em condenação. Seria mais fácil eu acusar o cara de ter roubado minha casa, ou plantar drogas na casa dele, sei lá.

Jonas Klein disse...

Olá Lola boa noite, eu fico feliz por você ter aceitado minha sugestão de pauta, como prometido eu vou participar do debate sobre o assunto do post.

Eu dividi o meu comentário em duas partes porque o texto ficou muito longo.

eu sei que o texto vai ficar bastante longo, mas não como eu dizer tudo que precisa ser dito sobre isso em poucas frases.

Eu sei que provavelmente você vai me chamar de reacionário, mas paciência.

Concordo que se deve ensinar os meninos desde a infância a respeitar as mulheres, e que não e NÃO e pronto, o problema e que isso não e com todos que funciona, e já entra um fato que o seguinte, uma pessoa em sã consciência ate pode ter um comportamento exemplar, mas uma hora o cara passa da conta no álcool ai toda a sua educação e moral podem não evita que o pior aconteça.

Eu particularmente defendo que as mulheres na medida do possível portem armas (inclusive de fogo) para se defender, porque isso aumente muito as chances da mulher ter exceto ao reagir a uma tentativa de agressão, especialmente se ela for atacada por mais de um agressor, o que não raramente acontece.

Quanto ao esmalte ante estupro ele ate e uma invenção, que tem boas intenções (não e só ganha dinheiro que o inventores querem), pois ele da a mulher a possibilidade de testa o que vai tomar antes de sequer por na boca. Mas como você mesma diz e só mais um paliativo.

Se fosse uma mulher eu acho que não usaria jamais, eu preferiria ter cuida com o que eu tomo do que usa uma coisa dessas, mas não acrítico de forma alguma quem opta por usar isso para se proteger.

Quanto a esse negocio de casinha anti-estupro eu particularmente sempre achei isso uma tremenda bobagem, isso numa situação real de ataque na grande maioria das vezes não iria adiantar nada, além de credita que isso seria desconfortável para a mulher usar mesmo que fosse só as vezes, além de ser uma coisa muito cara.

Outra coisa que eu sou conta e esse negocio de vagão exclusivo para mulher em trem, o que deve ser feito e evitar que os trens andem super lotados o que, o que acaba facilitando muito a ação dos abusadores. Isso ai e um ideia que se não for reprimida já no inicio logo vão criar ônibus, taxi entre outras coisas só para mulheres, o que em nada contribui para reduzir o numero de abusos cometidos contras mulheres , porque não combate o problema na fonte dele.

Agora sabe Lola não e que eu de alguma forma esteja tentando afirmar que cabe as vitimas sejam elas homens ou mulheres evitar que os estupros acontecem (serem vitimas), mas eu sei o tamanho da responsabilidade que eu tenho ao fazer certas afirmações aqui, porque além esta expondo meu nome e imagem publicamente o que trás a possibilidade de eu ser cobrado pessoalmente pelo que eu digo, eu sei que o que eu estou dizendo pode evitar que crimes e tragédias acontecem.

voltando ao ponto inicial, e importante que não sejamos utópicos quando o assunto e criminalidade, no caso dos estupros que são o foco da discussão aqui, e importante que se diga que entre a população masculina existe e sempre existiu, e eu acredito que lamentavelmente e sempre existira uma camada que dependendo do local da pesquisa, varia de 6 a 30% da população masculina e de fato formada por estupradores, eu com base num senário bem real que eu vejo, acredito num percentual em torno de 10% dos homens seja de fato estupradores, o que faz esse numero parecer muito maior, e entre outros fatores o fato de que um estuprador dificilmente faz só uma vitima ao longo da vida, alguns fazem dezenas de vitimas.

Jonas Klein disse...

CONTINUANDO

em função de não acreditar que não haverá como extirpa esse câncer que são os estupradores e todos aqueles que praticam qualquer tipo de crime do tecido social independente do que seja feito para se conseguir isso (isso talvez se consiga com a ajuda tecnologia num futuro muito distante ainda), por isso as pessoas especialmente as mulheres devem apelar para todas as medidas que estejam ao seu alcance para reduzir o risco de ser vitima de uma violência sexual ou não, por isso para as mulheres e necessário passar por um rigoroso treinamento de defesa pessoal (e o Krav mega e uma ótima pedida), para a prender a se defender diante de uma situação de violência física e sexual.

Isso eu digo porque se nos analisarmos os casos de violência sexual e domestica, no caso desses dois tipos de crime, eles só se consumam porque as vitimas não sabiam ou não tinha como se defender (no caso dos assassinatos a coisa já e um pouco diferente), e também e importante que as vitimas denunciem sempre, pois se a vitima não faz a sua parte que e denunciar, ai nem tendo pena de morte reduz a pratica do crime, isso porque no caso do estupro os três maiores aliados dos estupradores são:

1 - a falta de reação da parte das vitimas (eu sei que isso nem sempre e possível).

2 - o silencio das vitimas, se a vitima não denuncia a policia não tem como agir ai não tem lei dura que resolva.

3 - a impunidade, levando em conta que não tem como ré-socializar um estuprador, sem castração física e o seu banimento de forma permanente da sociedade (defendo prisão perpetua), não tem como evitar reincidência no crime, só que para isto acontecer as vitimas tem que denunciar e as alteridades tem que agir com eficiência máxima.

Ainda quando se trata de prevenir estupro e outros tipos de crime cometido quando a vitima esta na rua, e importante que aja policiamento presente nas ruas (que via de regra não tem no brasil), porque isso inibe muito a ação dos marginais.

Sem tudo o que eu citei não a como reduzir muito o numero de estupros, pois e quase (se e que não e totalmente) inútil dizer para um estuprador que ninguém merece ser vitima de estupro, se você não inibir a ação dos estuprares usando a linguagem do medo e da violência que e a única linguagem que eles intendem, o resto já esta provado que não funciona na pratica.

Por fim algumas medidas como as pessoas especialmente as mulheres evitarem, passas da conta no álcool em algumas situações, e usa o tal do esmalte antidrogas esse, ajudam a diminuir um pouco o risco de um estupro acontecer, mas são só paliativos.

Espero ter contribuído com a discussão e um abraço a todos

Anônimo disse...

Cinto de castidade nos homens desde novinhos, sob supervisão da mãe. Quando arrumarem uma namorada a mãe entrega temporariamente para ela, se se casarem, a namorada passa a ser a guardiã das chefes. Essas coisinhas devem ser mantidas enjauladas.

Jonas Klein disse...

Anônimo das 22:40

Quanto que você disse que 80% dos casos de pedofilia são falsas denuncias, lendo a mataria que você citou, pode se ver que que se trata de uma situação que não generalizada.

Além da policia cuida muito para não cometer injustiças.

Além disso e importante lembrar que uma mulher normal jamais iria inventa uma denuncia de pedofilia contra alguém sem o cara ter aprontado uma para ela, por isso e importante para as pessoas terem uma boa relação com sua parceira, e quando vê que não da mais, procura termina o relacionamento sem brigas.

Outra coisa tem crianças que mentem e acusam as pessoas de coisas que elas não fizeram, eu mesmo já fui acusado por crianças de coisas que eu não fiz, felizmente nunca me acusaram falsamente de ter cometido abuso sexual, mas de outras coisas sim, nessa situação a denunciante mãe ou quem fez a denuncia na policia, também acaba sendo vitima de uma mentira.

As crianças também precisam ser bem educadas no que se refere a isso.

lola aronovich disse...

Cara deixando comentário com links pra sites mascus (americanos): não aprovo comentários com links pra sites de ódio. Se vc quiser "provar" que tantas acusações de estupro são falsas (tipo, contrariando totalmente o que diz o FBI -- decerto uma instituição feminista), vc vai precisar linkar pra um site que não seja mascu. Boa sorte aí nessa empreitada!
Enquanto isso, vcs podem basear todas as suas estatísticas do Instituto de Pesquisa Mascu As Vozes me Disseram baseando-se na palavra de UMA delegada NUMA matéria de jornal sobre UMA cidade no período de UM mês.

Janaina disse...

Tenho uma opinião bem semelhante ao Jonas, boa parte da impunidade ocorre porque as vítimas não denunciam, e isso precisa mudar. Cito um exemplo familiar: moro em uma cidade relativamente pequena, e faz alguns meses minha irmã sofreu uma tentativa de estupro (no caso 'clássico/clichê', de um estranho na rua), e ela denunciou, mesmo contra a vontade da maior parte da familia. Foi um inquérito policial longo e desgastante, mas o cara foi preso, e surpresa,após isso descubriu-se que ele era responsavel por inumeros outros estupros e tentativas, mas as vítimas não haviam denunciado, e só começaram a aparecer depois que souberam da prisão dele. Denunciar é essencial para que a 'cifra negra' dos crimes impunes diminuam

Jonas Klein disse...

Anônimo das 08:08

no que se refere a isso.

"tem muita mulher que escolhe nem mesmo denunciar porque acha que ninguém vai acreditar,"

Quando se trata de estupro Se a vitima denunciar imediatamente a após o crime ser consumado, a vitima tem como provar incontestavelmente que aconteceu o crime, porque um estupro sempre deixa marcas no corpo da vitima, estas marcas são impressões digitais e restos de material genético do criminoso, que são coletados quando se faz exame de corpo de delito, por isso uma vitima de estupro nem deve toma banho antes de denunciar o crime para não dificulta coleta de provas na hora do exame de corpo de delito e sexológico.

Essa e uma das orientações que todas as pessoas especialmente as mulheres devem receber no que se refere ao estupro.


"ou que não foi grave o suficiente pra botar o cara atrás das grades, ou que a família não merece essa vergonha"

Balela, estupro assim como qualquer outro tipo de crime, se você foi vitima não tem porque se envergonhar disso, pois afinal de contas você foi vitima e não quem cometeu o crime.

Eu sei que complicado lida com essa situação, mas sempre e importante lembrar que não existe nada pior nem mais perigoso do que deixa um criminoso impune.

Anônimo disse...

Castração química desde novinhos.

Outra opção seria alguma espécie de educação desde a pré-escola, aulas sobre igualdade de gêneros. Ou vocês preferem castração química?

Domingos Tavares disse...

E sinceramente? Educação é importante, mas não é tudo. É importante criar os meninos para não estuprar, eu concordo. E concordo também que é importante combater a cultura do estupro.

Mas apenas isso não acho que seja suficiente. Para citar outro caso, todos são criados sabendo que é errado matar pessoas. Mas ainda assim, 55 mil pessoas morrem anualmente no Brasil, das quais 5 mil são mulheres. E, por mais que a pena para matar alguém chegue a 30 anos de cadeia, isso não impede um marido violento a atentar contra a vida dela. Ele sabe que é errado, mas sabe que não vai ser preso.

Eu penso que não adianta ter pena de morte ou castração química para estupradores se o número de estupradores punidos. Menos de 10% dos estupros são denunciados e menos de 2% devidamente punidos. Quer dizer, 98% dos estupradores saem completamente impunes.

E sim, eu concordo que tem de ter ações diretas para coibir esse crime. E eu acredito que treinar as tropas policiais para que ele seja rapidamente investigado, disponibilizar atendimento às vítimas, de forma que elas possam denunciar sem sofrer represália e aumentar o contingente policial, seu aparelhamento e sua eficiência, de forma a garantir que todos os casos de estupros efetivamente sejam julgados é muito, mas muito mais eficiente do que separar vagões exclusivos para as mulheres. E, de quebra, ainda ajuda muito combate outros crimes, como o feminicídio e a violência doméstica, por exemplo.

Elaine Telles disse...

Jonas Klein,
No discurso, parece bem tranquilo denunciar um estupro. Mas a realidade é outra. Por mais que se colha material genetico, que se tenha marcas, ainda vão duvidar. Outro dia saiu uma reportagem no estadao sobre uma menina que foi passear e foi estuprada por varios. Adivinha o rumo? Os estupradores disseram que foi consentido, que ela tava se fazendo de vítima. Estão todos soltos. Algum juiz, provavelmente com a mesma mentalidade de que a menina não e cuidou o suficiente vai isentá-los de culpa e dizer que foi ela quem deixou e se arrependeu. O Brasil está muito atrasado, o machismo impera e a mulher é sempre a culpada.

Anônimo disse...

vc vai precisar linkar pra um site que não seja mascu. Boa sorte aí nessa empreitada!



kkkkkkkk qualquer site que tiver a informação de que há vários casos de falsos estupros para as feministas é falso e não confiável.
todo mundo que afirmar que há denúncias falsas é mascu.kkkkkkk

Anônimo disse...

eu sei que vc n vai postar mas está aí um site obviamente mascu dizendo que há bastante casos de falso estupro,pelo menos na capital deles.


http://extra.globo.com/noticias/rio/nas-varas-de-familia-da-capital-falsas-denuncias-de-abuso-sexual-podem-chegar-80-dos-registros-5035713.html

Anônimo disse...

Eu não disse castração química para estupradores, mas para todos os homens. Ela não é definitiva, abaixa o nível de testosterona, deixa os homens mais dóceis e menos violentos. Mas só durante a fase de aprendizado, de educação, até eles deixarem de ser "quase bichos" e se tornarem civilizados.

Mallagueta Pepper disse...

Jonas Klein, denunciar um estupro não é tão simples e fácil quanto vc pensa. É normal que homens imaginem isso, porque dificilmente irão passar por esse tipo de situação.

Pra denunciar, a mulher terá que juntar os cacos, vencer a dor, o medo, a vergonha e só assim conseguir expor o que aconteceu. Ela terá que enfrentar condenações, muitos questionamentos sobre o que ela estava fazendo, vestindo, por que andou naquele local, se bebeu, etc.

Até sua vida sexual anterior será questionada, porque se for alguem que sai com vários caras, isso com certeza será usado contra ela. Vão dizer que ela transou com o cara espontaneamente, desistiu e resolveu mentir só pra ferrar com a vida dele.

Isso supondo que se trata de um desconhecido, porque com conhecidos a coisa fica pior ainda. Ou vc acha que é fácil uma mulher denunciar o proprio pai, primo ou irmão? Pensa que é fácil pra ela chegar perto da mãe e contar que foi violentada pelo pai? Vc sabe do impacto que isso traz na família? Todos se voltarão contra ela independente de qq coisa. São poucos o que irão dar algum apoio.

E no caso de marido e namorado, a coisa tb não é tão fácil, pois na cabeça de muita gente, estupro de companheiro não é estupro, é apenas forçar um pouquinho porque a mulher tava de frescura e não quis cumprir suas obrigações.

E quando o estuprador tem boa reputação, de homem honrado e trabalhador? "Ain, não faz isso, vc vai estragar a vida dele, tadinho!", "Esquece isso, ele sempre foi tão gente boa, que dó", "foi só um errinho de nada, um deslize, vc tem que perdoar!"

Sem falar das vitimas que ficam tão traumatizadas, tão abaladas e destruídas por dentro que não conseguem sequer pensar em denunciar. Muitas podem levar até anos só pra reunir coragem e falar sobre isso a alguém.

Claro que um homem dificilmente vai entender o quanto isso afeta uma mulher, pois na cabeça de muitos estupro não é nem grande coisa, é só frescura de feminista mal amada que odeia os homens.

Raven Deschain disse...

Castração química. :) uhum. Apoiado.

Pq estupradores não tem um pingo de criatividade, e se eles perceberem que não podem enfiar o pau em mim, nem vão lembrar de enfiar os dedos, ou a língua, ou objetos. :)

Serto.

Anônimo disse...

"não aprovo comentários com links pra sites de ódio"

O que é ódio para você? Ódio para mim é o manifesto SCUM, ou algo do tipo, que prega a aniquilação dos homens.

Curiosamente, uma das minhas ex namoradas já me acusou falsamente de estupro. Quando eu terminei o namoro. Por sorte, eu tinha PROVAS, de que não estava no local que ela "mencionou", ela disse "estuprou ontem de noite" e eu tinha como provar, que estava fazendo outra coisa, neste mesmo horário.

E curiosamente, existe quem defenda que todos sejam "culpados até que se prove o contrário", ou que utilizem da palavra da vítima como "prova", como esta juíza : http://www.compromissoeatitude.org.br/credibilidade-da-palavra-da-vitima-como-prova-de-violencia-sexual-por-kenarik-boujikian/

Anônimo disse...

Jonas, você já parou para pensar na peregrinação que estas vítimas são obrigadas a fazer?Imagina uma pessoa que foi estuprada, está com emocional em frangalhos, muitas vezes está machucada e ainda tem que ir para delegacia lotada dar queixa...Depois ela tem que ir pro IML...e também tem que ir pro hospital para tomar coquetel anti-hiv e outras profilaxias, além da pilula do dia seguinte...No mínimo terá que contar esta história 3 vezes (mas bemmmmm no mínimo mesmo, porque o normal é ter que contar bem mais).Mesmo que ela de sorte de encontrar profissionais extremamente preparados esta peregrinação já desencoraja as pessoas!

Anônimo disse...

Anon das 8:42

Você diz como se todos os homens fossem héteros. E quanto a mim que sou gay e feminista?

Anônimo disse...

"Muito dramática você. "

É sério isso?
Me proponha uma solução de vida, mascu imbecil, porque foi a medida mais efetiva que encontrei, a maioria das mulheres sofrem abuso de conhecidos, homens que a gente acha que prestam e descobrimos tarde demais.
Quando nos precavemos somos dramáticas, quando confiamos no namorado, no primo, no pai,no amigo, segundo pessoas como você, é porque não tivemos a percepção adequada de que aquele homem queria abusar. Não dá pra "confiar não confiando" e estar atenta 24hrs por dia durante uma vida.
Realmente não sair de casa é a única maneira de garantir que não vou ser encoxada, que não vão passar a mão em mim nem praticar nenhum tipo de violência sexual, isso no meu caso, pq tem mulheres que nem em casa tem essa segurança.
Incrível, pessoas como vc exigem que sejamos MÁGICAS, vamos adivinhar em todos os momentos da vida qual indivíduo do sexo masculino vai nos abusar. Muitos esperam justamente o melhor momento pra q não saibamos como reagir, seja um momento de debilidade ou distração.


E Lola, como vc aceita um comentário desses? Uma pessoa traumatizada tomar coragem pra comentar e encontrar hostilidade é desmotivador, é por isso que até na internet mts mulheres se calam. Porque sempre vai vir um imbecil pra nos fazer sentir ainda pior.

Anônimo disse...

Traduzindo o mimimi mascu: o ideal para esses cretinos é que estupro não seja mais considerado crime; que TODAS as vítimas, até mesmo as crianças, sejam desacreditadas e culpabilizadas; que todas as defesas que a mulher pode aprender sejam proibidas; que todas essas tecnologias pra ajudar a evitar estupro (taser, spray de pimenta, arma branca, esmalte que detecta droga, etc) sejam banidas; que se defender de um estuprador seja condenado por lei; trocando em miúdos, o que eles querem é um mundo onde eles sejam livres pra estuprar sem ter nenhuma preocupação. Enquanto não for assim os mascus não estarão satisfeitos e encontrarão todo tipo de desculpa pra continuar com essa pensamento asqueroso que transforma vítimas em culpadas, berrando contra tudo que ajude as mulheres a se proteger, mesmo que só um pouquinho, deles e das suas mentes doentias. Quer saber? Vão todos se jogar do alto de um penhasco. De cabeça. Façam desse mundo um lugar melhor.

Janaina disse...

Ninguem disse que denunciar um estupro é fácil ou rápido. Fiquei por horas numa delegacia junto com minha irmã e vi o quanto foi dificil e doloroso,e fiz questão de estar junto em todos os momentos, até mesmo para ajudar a refutar a 'culpabilização' que fazem pra vítima em todo os sentidos. Mas ainda concordo com o Jonas, se não houver a denúncia, não será possível a punição dos criminosos. E talvez eu tenha entendido errado, mas pelo que li em momento algum o Jonas minimizou a dor e o desgaste da denúncia, só tentou demonstrar o quanto é importante que a vítima não se cale para evitar a impunidade.

Anônimo disse...

"Um belo VSF no meio da sua testa, seu mascu idiota.

Vai cagar regra no seu mundinho, que aqui vc não tem vez. Aqui você é nada mais que um m$%&*.


RALA, seu mandado!


Não sei nem por que a Lola aprova comentários como o seu. Deve ser só para que nós tenhamos consciência das bobagens que ela é obrigada a conviver."

Mais drama. Mas tudo bem, não sou eu quem sente medo com metade da população masculina... a propósito, sou mulher, já passei por coisas desagradáveis como qualquer mulher passa e não tenho problema algum pra me relacionar com homens. Porque como não faço drama, sei que nem todo mundo é monstro.

Esse pensamento "todo homem é um estuprador" não é nada diferente do de "toda mulher é vadia". Mas só um lado que a balança pode pesar né? Só rindo mesmo kkkkkkk Bjinhos.

Jonas Klein disse...

Olá Janaina ate que enfim apareceu uma mulher nesse blog que entendeu o meu ponto de vista, eu acho que as moças acima não interpretaram direito que eu escrevi.

A questão que algumas coisas na vida por mais difíceis que seja elas precisam ser feitas, eu sei que lida com uma situação de violência sexual e difícil para qualquer um, ate para os homens que sofrem abuso sexual e muito difícil, porque eu não sei se alguém aqui sabe mas e bem complicado para um homem chega numa delegacia e dizer que foi abusado sexualmente, anda mais pelo fato do cara ter que ir numa delegacia comum, onde nem tem toda aquela estrutura especial que tem na delegacia da mulher, e é importante lembra que estimasse que cerca de 10% das vitimas de estupro são do sexo masculino.

Eu sou tão contundente assim em cobrar das vitimas de qualquer tipo de crime, mas especialmente aqueles que envolvem violência que denunciem, porque especialmente no caso do estupro, porque além das razoes que eu já citei esse crime expõem a vitima ao risco de pega uma DST, e se for mulher a o risco de ter uma gravidez em função do estupro, e para prevenir isso e necessário a denuncia imediata após o crime, pois e a única forma da vitima conseguir medicação preventiva contra a gravidez e as DSTs, de forma rápida e gratuita.

Antes que eu esqueça de dizer, denunciar o estupro e fundamental, porque caso a pílula do dia seguinte falhe e uma gravidez aconteça (o que não impossível acontecer, porque se alguém aqui não sabe, a PDS usada no brasil falha estimasse que 3% das vezes quando usada), sem a denuncia não tem como a mulher faze o aborto de forma legal (eu ate sou contra o aborto, mas em caso de estupro e a mulher que deve sim decidir se quer manter ou não a gravidez, e deve ter sua decisão respeitada).

Para finaliza o que eu to dizendo aqui, qualquer criança de dez anos já deviria saber, pois tem muito adolescente que além de não saber definir adequadamente o que estupro, não conhecem as consequências e riscos que um estupro trás.

E sempre tenham em mente que quanto mais agente, se acovarda evita lidar com um problema seja ele qual for, pior ele fica, por isso que a coragem e a inteligência são duas qualidades que um ser humano não pode deixar de ter.

Anônimo disse...

Anon 2 de setembro de 2014 12:57

Alguns sacrifícios devem ser feitos, pelo bem geral os homens gays e feministas também deveriam ser castrados quimicamente, afinal, um homem que não tem caráter nenhum a ponto de abusar de uma mulher ou de uma criança, não teria nenhum problema em se fingir de gay ou feminista.

E quem disse que gay não abusa? E quem disse que ser homem feminista é ter certificado de "bom moço"?

Castração química desde a infância, aliada a uma reeducação, vai gerar homens mais sensíveis e humanos.

Raven Deschain disse...

Castração química caralho!

Cada vez que ouço essa expressão penso como vcs devem ser ruins demais da conta de cama!!

Não é nem preciso pensar como um criminoso.

Estupro não é prazer, é demonstração de poder, portanto o cara se não puder esfregar o piruzin lá vai fazer qualquer outra coisa, porque o prazer está no abuso, porra. Que inferno! Conheço gente que foi estuprada com cabo de vassoura porque o estuprador era impotente e tenho que ler essas groselhas. Chessus!

Anônimo disse...

"Antes que eu esqueça de dizer, denunciar o estupro e fundamental, porque caso a pílula do dia seguinte falhe e uma gravidez aconteça (o que não impossível acontecer, porque se alguém aqui não sabe, a PDS usada no brasil falha estimasse que 3% das vezes quando usada), sem a denuncia não tem como a mulher faze o aborto de forma legal (eu ate sou contra o aborto, mas em caso de estupro e a mulher que deve sim decidir se quer manter ou não a gravidez, e deve ter sua decisão respeitada). "

Errado. Não é exigido nenhum tipo de denúncia formal, boletim de ocorrência etc. para se fazer aborto em caso de gravidez decorrente de estupro. Vale a palavra da mulher, que vai ser avaliada pelos médicos e psicólogos dos centros de atendimento às vítimas de violência e daí se procede o aborto. Exigir BO, alvará judicial ou qualquer outra coisa inclusive é CRIME, já que se está obrigando alguém a fazer algo que a lei não exige.

BO é notificação da autoridade policial de fato relevante, só isso. Não acusa, não julga, não faz nada. Porque partindo do princípio da presunção de inocência, que só se é criminoso quando uma sentença assim o diz, seria necessário capturar o estuprador, prender, julgar, condenar, essa sentença ser irrecorrível, transitar em julgado para daí ser considerado criminoso e a mulher ter direito ao aborto. E não é assim que se procede. Basta alegar o estupro e passar na avaliação.

Anônimo disse...

Castração química nada mais é do que injeção de anticoncepcional no cara (depo provera), vai deixando ele cada vez mais manso e menos propenso à violência. O detalhe é que ela tem que ser reaplicada, não é ir lá, dar e acabou. E não vai tratar da cabeça, só da libido e da agressividade. Eu acho que junto com outras medidas, a castração deveria ser considerada sim. Mas não sozinha, porque por si só ela não vai resolver.

Anônimo disse...

Ô Raven boazinha e defensora dos homens, a castração química preventiva não vai só deixá-los impotentes, mas reduzir o nível de testosterona, feminizá-los um pouco desde novos, deixá-los mais dóceis e sensíveis, e mais aptos a uma reeducação de gêneros.

Se isso não der certo, só enjaulando esses "quase bichos" mesmo.

Anônimo disse...

Acho beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem podre isso de "todo homem é um estuprador então vamos castrá-los preventivamente". Podre porque essa presunção de gênero é simplesmente uma das coisas q embasa a luta feminista. Mulheres não sentem prazer, mulheres têm menos desejo sexual que homens, mulheres são mais aptas a Humanas que Exatas, mulheres nascem com instinto materno, mulheres isso e aquilo, ou "toda mulher é vadia" como já disseram. Tudo presunção sem fundamento que só trouxe atrocidades para mulheres do mundo todo. Por uma simples questão de humanidade e coerência, isso de "todo homem é um estuprador" deveria ser banido também.

Anônimo disse...

Você acha realmente que uma mulher que poligâmica esta no mesmo nível de um estuprador?

"Esse pensamento "todo homem é um estuprador" não é nada diferente do de "toda mulher é vadia"."

Eu pelo menos considero que ter vários parceiros NÃO PREJUDICA NINGUÉM, salve quando ela trai e não deixa claro que esta num poliamor no começo. Se ambos concordarem com um relacionamento aberto, eu não sou a favor de usar o aparado estatal, para punir este "crime sem vítima", salve quando crianças ou algo do tipo esta envolvido.

Agora, estupros, violam a dignidade, o corpo e é um crime bem bárbaro. Depois sou "eu quem odeio as mulheres"...

A mulher é livre para ser de quantos quiserem. E se você não gostar, é livre para não se relacionar com ela e no máximo, com educação, tentar persuadi-la a mudar seu comportamento.

Minha crítica mesmo, são as "falsas certinhas", casam por interesse, traem o provedor com um cafa e depois criticam as prostitutas por ter vários parceiros e o dinheiro envolvido...

Domingos Tavares disse...

Claro, anom das 17h20. Condenar os meninos a trombose, hipertensão (séria), depressão, hipoglicemia, formação de depósitos anormais de gordura no fígado, osteoporose, impotência sexual, insônia, alteração da função hepática, entre outras coisas (sem falar da aparência de menina) só para "educá-los" vai totalmente "resolver" a questão da violência contra as mulheres. 100%.

Sem falar que direitos humanos para homens... Pra quê, não é mesmo? Os artigos I,VI e IX da DUDH. Sem falar dos artigos V (castigo cruel) e XI (não é crime nascer no "sexo opressor").

É tão difícil assim ensinar aos garotos bons valores e que estupro seja errado? Há várias mães por aí que conseguiram sucesso nisso. Será mesmo que uma educação igualitária não seria melhor do que matar os homens com hormônios femininos, transformando-os em falsas mulheres trans?

Não se esqueça que a agressividade está presente também nas mulheres. A diferença é como elas são criadas para lidar com isso e não é uma questão meramente hormonal.

Anônimo disse...


Eu aceitei a carona dele, estávamos em várias pessoas - todos alunos. Todos sabiam que eu e ele tínhamos namoradx. Eu sou muito ingênua e confio demais nas pessoas, achei que só deixar claro que tenho namorado era suficiente.
No caminho ele ficou falando sobre gostar de chupar, suas posições favoritas, e eu só esperando o momento de sair dali. Quando chegamos a frente da minha casa ele passou direto e estacionou numa rua mais escura. Fui me despedir, ele me segurou, cheirou meu cabelo e disse que queria me "dar um beijo de amigo". Eu nem me liguei na hora, só falei pra ele que nada a ver isso, saí do carro dele às pressas, bem atrapalhada e constrangida, e fui embora quase correndo. Quando cheguei em casa me liguei do que tinha acontecido.
Primeira coisa que fiz foi ligar chorando pro meu namorado e contar tudo o que aconteceu. Eu estava um caco e me sentindo um lixo por "ter me colocado naquela situação"(aceitando carona de uma pessoa que eu respeitava, em frente a todos os meus amigos, carona que ja havia aceitado de outros professores antes, inclusive de uma cidade a outra sem nenhum problema). Ele demorou uma semana pra "acreditar em mim", enquanto eu estava ajuntando meus caquinhos e decidindo o que fazer. Ele me "obrigou" a falar pra todos o que tinha acontecido, pra que ficasse claro que eu sai de carro com ele e nada aconteceu. Eu fiz. Muita gente "nem ligou", pouco se foderam se fui desrespeitada e (não gosto de pensar nisso) por pouco aconteceu algo pior. Depois contei pro coordenador de curso pois não queria mais fazer a aula com ele. Quem foi removida da sala fui eu e vou ter que ficar mais um semestre na faculdade só pra fazer a matéria dele com outra turma.
Final da historia: fiquei com medo e vergonha, e ainda tenho medo de que ele fale merda de mim por aí pros meus grupos de amigo, sendo que não fiz nada e por saber que todos iriam falar "entrou no carro dele porque quis". Quem acreditou em mim demorou e até hoje traz o assunto a tona, meus amigos pouco deram bola e quem se ferrou na faculdade fui eu, enquanto ele leciona todo lindo e formoso, me ignorando depois das mensagens bem grossas que mandei pra ele, falando pra ficar longe de mim. Isso porque não aconteceu nada.
Isso porque eu aceitei uma carona.
Se eu tivesse estuprada, tenho certeza de que diriam que foi por causa da mesma carona.
Aceitar a carona não daria motivo pra ninguém de invadir meu espaço. E ele ter sido nojento comigo não causou nenhum problema a ele, a namorada dele, ao emprego dele, enquanto eu tive que reorganizar meus horarios, convencer meu namorado que era inocente e ficar com medo de ter minha "reputação" minada por um idiota.

Imagino o que uma garota que não é só desrespeitada cmo de fato estuprada, em quem ninguem acredita, tem que passar. Porque passar por isso e ainda ter que olhar pra cara desse filho da puta é um inferno.

Anônimo disse...

Duvido que essas pessoas que ficam vomitando que a maioria das denúncias de estupro é falsa acredita que a maioria das denúncias de qualquer outro crime como roubo, assassinato, sequestro, tortura, sejam falsas. Mas quando é algo que envolve mulher...
Então é misoginia mesmo. Homens que pensam assim são doentes, deviam fazer um favor a todas as mulheres se afastando de todas. Nem cumprimentar, nem olhar, se alguma perguntar as horas é melhor fingir que não ouviu.
Ainda ficam repetindo a mesma matéria tendenciosa.
Muita denúncia de estupro ou pedofilia é arquivada por falta de provas. Muito depoimento de vítima ou mãe de vítima é distorcido pra que elas sejam desacreditadas. Não é porque o processo foi arquivado, porque a vítima voltou atrás por pressão ou porque o advogado de defesa era melhor, que quer dizer que a denúncia era falsa.
Não sei como conseguem vomitar tanto absurdo e ainda deitarem com a consciência tranquila no travesseiro.
Estão no mesmo nível de estupradores.

Anônimo disse...

Acontece que ladrões, homicidas, etc; não são torturados, linchados e estuprados no presídio. Por isto, falsas acusações de estupro tendem a ser piores que falsas acusações de outros crimes.

Embora eu concorde que muitas vezes a vítima se sente constrangida em "denunciar". E que é necessário melhor "estrutura" para a investigação.

E concorde também, que este papo de "se comportar" é balela, mulheres de burcas são estupradas aos montes. Mulheres em templos, conventos, e outros lugares, idem. Muitos podem dizer que "as roupas podem estimular o desejo", mas isto não é verdade. Muitos homens podem ter mais "desejo" por uma "comportada".

Anônimo disse...

"Duvido que essas pessoas que ficam vomitando que a maioria das denúncias de estupro é falsa acredita que a maioria das denúncias de qualquer outro crime como roubo, assassinato, sequestro, tortura, sejam falsas. Mas quando é algo que envolve mulher...
Então é misoginia mesmo."

CABOOOOO é exatamente isso, podem fechar a internet.

Aliás olha como a imprensa lida com isso:

"Fulano teve o carro roubado em tal e tal lugar"

MAS

"Mulher supostamente estuprada alega ter sofrido violência sexual"

Suposta vítima SÓ EM CASO DE ESTUPRO, em nenhum outro

Mas né, isso deve ser alucinação de feminazi serva de satanás....

Anônimo disse...

"Não sei como conseguem vomitar tanto absurdo e ainda deitarem com a consciência tranquila no travesseiro.
Estão no mesmo nível de estupradores."

Quem defende estuprador é estuprador também, simples.

Raven Deschain disse...

Não sou boazinha, anjo. Só não sou burra.

:3

Anônimo disse...

Domingos, "quase bichos" não deveriam ter direitos humanos, mas direitos de "quase bichos".

Walter Iridus disse...

Muito interessante o texto, Lola. Concordo com os argumentos apresentados, mas faço uma ressalva: As duas vias são interessantes para construirmos uma sociedade livre do estupro, tanto combater o comportamento do estuprador quanto tirar a mulher da posição de vítima. Não devemos criminalizar a prevenção, ela também é sim algo bom, primeiro por dar poder à vítima e segundo por já ser uma via de combate à cultura do estupro.

Domingos Tavares disse...

@Anom das 21:46
Lamento profundamente por você ter sido vítima de um estuprador (ele não logrou êxito na tentativa, mas isso não faz dele menos estuprador). E penso que deve ser insanamente difícil para você frequentar a faculdade, agora que todo mundo - inclusive o seu namorado - virou as costas pra você quando você foi vítima de abuso.

O que eu posso aconselhar é que você ligue para 0800-616161 e tente protocolar uma denúncia contra ele no MEC. Afinal, provavelmente você não é a primeira vítima de um canalha como ele. E nem será a última se você deixar assim.

Anônimo disse...

"Spray de pimenta, esmalte que detecta drogas, calcinhas anti-estupro, apitos -- tudo isso é paliativo. Pode livrar uma mulher de um estupro, mas não acaba com a pandemia de estupros que existe no mundo"


demais, lola, como sempre! disse tudo. eu acho iniciativas como essa do esmalte bem legais - como paliativo - porque podem sim ajudar enquanto a solução definitiva. mas a solução definitiva, pela qual a sociedade precisa lutar, é em acabar com a cultura do estupro.

Lucas Pin disse...

É sério essa pessoa que ta falando pra fazer castração química com todos os homens? Isso é misândria TOTAL! Sinceramente viu... Como se fosse tomar uma dipirona e pronto sem efeitos colaterais nem nada... Com certeza deve ser alguém só querendo ser polêmicx. Quanto ao assunto do post eu acho válidas essas soluções paliativas, mas junto a elas deve haver a conscientização desde os primeiros anos de educaçãos, mas enquanto a cultura do estupro não muda é melhor prevenir do que remediar, e se um dia tudo isso mudar mulheres poderão viver numa boa sem ter que se preocupar com esse tipo de crime horrível.

Alana Rios disse...

"Castração quimica preventiva...". Sério que xs comentaristas aqui realmente defendem isso? Acredito que deve haver sim educação e conscientização, mas junto com as medidas paliativas já existentes. Somos ensinadxs desde crianças que matar, roubar e agredir é errado, mas ainda assim diariamente esses crimes ocorrem, e não podemos ser 'polianas' ao ponto de achar que viveremos em um mundo perfeito e sem crimes. Ah sim, não sei se vem ao caso, mas já sofri um estupro, de uma pessoa próxima (um 'amigo'), e sou totalmente contra 'castração quimica', ainda mais a ' preventiva'

Anônimo disse...

Alana Rios, todos esses problemas que você citou, violência, roubo, assassinatos etc.., são praticados em sua maioria por homens. Como você mesma disse, a sociedade ensina que não fazer essas coisas é errado (embora não tanto com o estupro), mas mesmo assim continuam acontecendo.

A castração química preventiva reduziria não só os casos de estupro, mas todos esses problemas relacionados à violência masculina, à maldita testosterona.

Alana Rios disse...

Anonimo das 17:39,

Bom, seguindo seu raciocínio então devemos defender que todos os alemães sejam preventivamente presos por um ano ou dois, sabe, para o caso de algum dia eles resolverem praticar atos nazistas. Afinal, se alemães praticaram o holocausto, claro que todos os alemães podem ser nazistas, e devem responder preventivamente por isso. Percebe como essa linha de raciocinio é perigosa? Não acho que devamos submeter TODOS os homens a um processo que causa sérios danos à saúde apenas como uma 'medida preventiva'. Abrir esse precedente, além de desumano seria uma verdadeira caixa de pandora, pq logo qualquer tipo de atrocidade será defendida 'preventivamente', e não levará dois tempos até que isso se volte contra as mulheres. Ninguem, absolutamente ninguém, homem ou mulher, cis ou trans, deve ser punido pelo que é, mas apenas pelo que faz. E até onde eu tenha sido informada, o simples fato de ser homem não é crime.

Anônimo disse...

"A castração química preventiva reduziria não só os casos de estupro, mas todos esses problemas relacionados à violência masculina, à maldita testosterona."

Apresente os dados científicos que comprovem a sua afirmação. Não blogs, estudos. No aguardo.

Evidentemente que eu me antecipei e fiz minhas próprias pesquisas e absolutamente NENHUM paper sério endossou sua pseudoteoria.

Isso ta NO MESMO NÍVEL do Instituto As Vozes Me Disseram. Deve ser daí que veio a ideia, imagino.

Anônimo disse...

Esse papo aí de castração química preventiva, se é uma opinião real mesmo, não tem nada a ver com feminismo.
Feminismo não demoniza testosterona e nem hormônio nenhum. Aliás, se a solução fosse essa, uma ideologia que se pauta na cultura não precisaria existir. Se feministas não acreditassem que as coisas podem melhorar pela via da cultura e da educação, não seriam feministas.
Como Beuvoir já dizia, biologia não é destino. Esse papo de que homem é mau porque tem testosterona é muito parecido com discursos antigos que tentam inferiorizar a mulher por causa dos hormônios femininos ou da constituição física.
Determinismo não leva a nada.

Anônimo disse...

Eu sou contra esse lance de castração química, mas lendo os comentários pelo que entendi é um tipo de hormônio que é injetado no cidadão, sem efeito permanente, e tinha alguém falando dos riscos de trombose, etc etc.
Mas e os anticoncepcioanais femininos? Descobri decentemente que fumantes que usam anticoncepcional tem uma possibilidade de trombose gigante... (eu fumo e uso anticoncepcional, fiquei bem assustada). E é um hormônio que tem esses efeitos colaterais também. Porque o uso da "castração química" é tão mais absurdo que o anticoncepcional que nos desregula todas, e usamos sempre?
Só me expliquem, não estou sendo irônica.

Anônimo disse...

"Eu sou contra esse lance de castração química, mas lendo os comentários pelo que entendi é um tipo de hormônio que é injetado no cidadão, sem efeito permanente, e tinha alguém falando dos riscos de trombose, etc etc.
Mas e os anticoncepcioanais femininos? Descobri decentemente que fumantes que usam anticoncepcional tem uma possibilidade de trombose gigante... (eu fumo e uso anticoncepcional, fiquei bem assustada). E é um hormônio que tem esses efeitos colaterais também. Porque o uso da "castração química" é tão mais absurdo que o anticoncepcional que nos desregula todas, e usamos sempre?
Só me expliquem, não estou sendo irônica."

O que é injetado neles de fato um anticoncepcional, Depo Provera. O mesmo usado pelas mulheres.

O risco de trombose nas mulheres fumantes + acima dos 30 que usam contraceptivo hormonal existe e é sério mas não, não pergunta isso pro seu médico não, faça sua própria pesquisa científica na internet em sites sérios, técnicos e confira. Eu só soube que anticoncepcionais orais não funcionam em mulheres acima de determinado peso quando engravidei, mesmo tomando como se fosse uma religião. Tenho 1,89 de altura, só pra constar. E também não me informaram que antidepressivos, ansiolíticos e até uma inocente Erva de São João afetam a eficácia da pílula. Pois é, tem que ler a bula e fazer sua própria pesquisa, eles não estão nem aí.

Usar neles é "absurdo" porque são homens, e homens, diferente das mulheres, são ensinados desde pequenos a não tolerarem nada. Veja a diferença da invasividade dos exames entre os sexos. Até a dedada eles não querem levar, inventaram já vários meios de não precisarem enfiar nada em seus corpos, mas mulher, AH MULHER, mulher tem que se arreganhar desde criança e aiiiiii se achar ruim! É fresca, tá de ondinha. E dane-se se ela é abusada sexualmente na mesa do consultório, dane-se se ela pega HPV por conta de um ultrassom intravaginal DESNECESSÁRIO (ficadica: todos são, abdominal resolve), dane-se se ela é praticamente violentada numa mesa de parto, se lhe cortam a vagina. Mulher aceita tudo caladinha, senão pega mal. Homem faz escândalo. Por isso que são eles quem dominam o mundo.

Anônimo disse...

Anon 3 de setembro de 2014 22:54

Exatamente isso. A castração química não é definitiva. Ela ajudaria na reeducação dos homens, e só seria aplicada até uma certa idade, e em homens que não demonstrassem evolução no aprendizado. Os métodos químicos para auxiliar a vida comunitária são bem comuns, o que seria de nós sem os antidepressivos, e os próprios anticoncepcionais?

E você tem razão, os anticoncepcionais que tomamos também oferecem riscos de trombose etc.., não sei se vocês se lembram dos casos na França relacionados ao anticoncepcional Diane 35, muito tomado pelas travestis.

Durante o tempo em que estive grávida eu fiz isso com meu marido, com consentimento dele, e os resultados foram maravilhosos.

Anônimo disse...

Anônimo das 22:54,

É totalmente diferente, não somos obrigadas a tomar anticoncepcional, e essa ideia da 'castração quimica preventiva' é basicamente injetar hormônios em todos os homens/meninos apenas "porque sim", sem nenhuma comprovação científica da necessidade disso, causando sérios danos à saude deles. Como foi dito aí em cima, essa ideia tá no mesmo nivel do instituto " as vozes me disseram" dos mascus

Anônimo disse...

Anon 4 de setembro de 2014 08:23

Só tenho uma coisa para dizer a todos vocês defensores dos homens:

"Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas".

Alana Rios disse...

Não é absurdo "porque são homens", é absurdo porque você estaria punindo uma pessoa unicamente pelo gênero dela. Ainda que temporário, essa injeção de hormonios pode destruir a evolução física de um menino, causando danos seríssimos. Alguem aí disse que "Os métodos químicos para auxiliar a vida comunitária são bem comuns, o que seria de nós sem os antidepressivos e anticoncepcionais" Mas ninguem te obriga a esses remédios, eles são receitados por médicos, e apenas para aqueles que necessitam deles. Se estivesse sendo discutida a eventual castração química de pessoas criminalmente condenadas por estupro e /ou pedofilia eu seria a favor, mas apenas "porque é homem" me parece absurdo, tanto do ponto de vista médico quanto ético. E não se trata aqui de "poupar o lobo", mas sim de apropria-se do pior argumento machista e tornar-se tão baixos e vis quanto eles: demonizar integralmente o outro gênero apenas por ser o outro gênero.

Anônimo disse...

Alana Rios, eu sei que a idéia pode parecer cruel, mas não é. Você está confundindo "prevenção" com "punição". Não seria uma "punição", mas estaríamos inclusive protegendo os homens de si mesmos, na verdade estaríamos fazendo um bem para eles mesmos e para toda a sociedade.

Alana Rios disse...

" na verdade estaríamos fazendo um bem para eles mesmos e para toda a sociedade." Ok, praticamente toda atrocidade já praticada na história do mundo é justificada como sendo 'para o bem comum' de um grupo ou de uma coletividade, até mesmo os nazistas acreditavam estar fazendo o que era correto. E meu caro anônimo, esse tipo de 'prevenção' é em si uma punição, pelo gravíssimos riscos biológicos que traz consigo. Afinal, que espécie de prevenção é essa que parte do princípio de que TODO E QUALQUER homem é um estuprador que deve ser 'reeducado' com uma alteração biológica forçada para não se tornar criminoso? Já li coisas mais sensatas e menos assustadoras em '1984' e 'Admiravel Mundo Novo'

Domingos Tavares disse...

@Anom das 10h23
Só tenho uma coisa para dizer a todos vocês defensores dos homens:

"Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas".


"Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante."

Isso é o artigo V da declaração universal dos direitos humanos. Ao defender essa medida "preventiva", você está se apropriando do pior discurso machista para punir pessoas por terem nascido com o sexo biológico errado. Mas se esquece que existe uma diversidade enorme entre pessoas de um mesmo sexo biológico. Não são todos os homens agressores (na verdade é uma minoria) e não são todas as mulheres pacifistas por natureza.

Existem mulheres como Condoleeza Rice que são extremamente belicosas. Eu mesmo já vi mulheres que partem pra cima de qualquer um por muito pouco, pior que a maioria dos homens. E já vi também homens que sejam um doce de pessoa, que realmente não fariam mal a uma mosca. E sabe o que essas pessoas tinham de diferente: CRIAÇÃO.

A mulher belicosa que conheci foi criada para nunca levar desaforo pra casa. E é exímia lutadora de artes marciais, onde compartilha as ideias dos colegas. Ou seja, o meio também a influenciou. E é isso que a faz "sair na mão" com qualquer um. E aconteceu o mesmo com o cara doce: ele foi criado para ser assim e o meio o ajudou a manter essas características.

Talvez seja o momento de você olhar melhor as pessoas que te cercam e perceber que a personalidade delas não foi formada pelo nível hormonal. Você mesma provavelmente não é mansa, submissa, obediente e ruim em exatas por causa dos seus níveis de progesterona, muito maiores do que os existentes nos homens. Então por que pregar que esse determinismo que oprime as mulheres se aplique aos homens? Isso não faz sentido.

donadio disse...

"Porque o uso da "castração química" é tão mais absurdo que o anticoncepcional que nos desregula todas, e usamos sempre?
Só me expliquem, não estou sendo irônica.
"

Você usa anticoncepcional por uma decisão consciente sua, ou porque uma decisão judicial manda você tomar?

donadio disse...

"Até a dedada eles não querem levar"

Eles quem?

Os imbecis inseguros, que preferem morrer de câncer a fazer um exame de próstata?

Anônimo disse...

Não é generalizar, são milênios de guerras, violência, opressão, crueldade, não são algumas vilas, não são alguns países, não são alguns grupos étnicos, não são algumas culturas, são MILÊNIOS aguentando homens fazendo isso.

Será que estou generalizando que os homens governam com força bruta, violência e opressão?

Anônimo disse...

Já que vocês são contra a "castração química" porque acham que vai fazer mal aos homens, leiam isso:

http://www.opovo.com.br/app/maisnoticias/saude/2012/09/25/noticiasaude,2926045/estudo-sugere-castracao-para-prolongar-vida-dos-homens.shtml

Anônimo disse...

"A testosterona é conhecida por aumentar a incidência de doença cardíaca coronariana e por reduzir a função imunológica nos homens", afirmou. - Kyung-Jin Min, da Universidade Inha da Coreia do Sul.

Alana Rios disse...

Meu caro anônimo que citou o link desse estudo, como médica te digo que essa notícia tá bem mal explicada, com um fundamento questionável, ao ponto de citar a reprodução como elemento que diminui a expectativa de vida. Além disso, se baseia em um grupo dinástico muito específico, que provavelmente sofreu influência de inúmeros fatores genealógicos. A metodologia parece estranha demais, e não me convence.

Alana Rios disse...

Ah sim, há outros estudos que indicam não haver diferenças significativas entre a expectativa de vida de castrados ou não. Ou seja, o link que você citou está longe de ser uma verdade cientifica incontestável.

Anônimo disse...

"Defensorinha dos homens", não é uma verdade inquestionável, você está confundindo ciência com religião (onde existem as "verdades" inquestionáveis).

Mas é um estudo, e em vez de simplesmente dizer "não acredito", como médica poderia colocar um link de uma pesquisa que prove o contrário não? Ou devo acreditar em você por fé?

Castração 01 x Defensora duzomi 00

Anônimo disse...

Será que estou generalizando que os homens governam com força bruta, violência e opressão?

Sim. Está generalizando. E está generalizando as mulheres também, usando exatamente as mesmíssimas réguas machistas.

Além disso, a Margaret Tatcher governou com força bruta, violência e opressão. Assim como a própria Dilma usou isso para conter os protestos durante a copa. Roseana Sarney usou o mesmo expediente para manter o poder de sua família, assim como o seu pai.

Mulheres não governam com força bruta, violência e opressão não é porque sejam naturalmente mais pacíficas, mas sim porque não tem poder pra isso. Ao contrário dos homens, as mulheres não foram criadas para impor a sua vontade, ainda que seja à base da força. Elas não são incentivadas a serem "mulheres alfa", a serem competitivas, a serem milionárias. Elas foram educadas para se anular diante do mundo. Você sabe disso, certo?

Mas é fato que mulheres de direita tem um estilo de governo exatamente igual aos homens direitistas. Muda absolutamente nada. Ou seja, o problema não é hormonal.

Anônimo disse...

O que eu quis dizer com meu comentário do anticoncecpcional (e me assustei com as respostas, principalmente sobre peso e remédios que interferem, que absurdo! Naõ fazia a menor ideia disso e tmo anticoncepcional porque falei com a ginecologista, não a la loca!) é que não consigo deixar de pensar que se fosse algo que os ohmens tivessem que tomar, seria algo bem mais cuidadoso e menos danoso. Eu me sinto mal de tomar aquilo, e só usar camisinha (estando num relaicionamento monogâmico estável como eu)não funciona, por mais que eu tente. A culpa e a responsabilidade caem sempre em cima de mim, que tenho que tomar no horário certo, que tennho que lidar com o inchaço... Falam que eu tomo porque quero, mas se tivesse uma opção em que eu não precisasse tomar esa porcaria química eu Não tomava! Ou é isso ou é a droga da camisinha ou é viver virgem! Porque se os homens vão ter trombose, etc, etc, com castração química, já vem chorando gente em favor deles mas ninguém se importa com a nossa trombos e etc etc. Tanto que nós nem sabemos tudo o que esse anticoncepcional que "ESCOLHEMOS" ter que tomar vai fazer com a gente? :/

Anônimo disse...

Quando me apresentarem um estudo que contradiga o que eu postei, volto a responder.

Bjos.

Anônimo disse...

Vou alertar minha filha assim como meu FILHO desde a infância sobre cuidados para que evitar que ela sofra abuso, vou alertar sim, porque não sou inocente, sei sobre as verdades desse mundo cão, sei que existem pessoas doentes que abusam de crianças (meninas e MENINOS). E pode ser o pai delas, pode ser o professor, pode ser o primo, assim como um desconhecido que oferece bombom na rua. Meus filhos vão crescer aprendendo a respeitar as PESSOAS sendo elas gays, transsexuais, negros, pobres, deficientes e MULHERES porque acredito que isso sim é EDUCAÇÃO. Ao menos me eduquei assim, RESPEITANDO OS OUTROS. Bifurcar entre gêneros a sociedade só gera mais preconceito, ao menos penso assim. Sobre educar o homem a não estuprar, vou dizer desde cedo, "filho, se a mulher estiver bêbada, ajude-a a chegar em sua casa em segurança. Tome conta dela até o fim da noite".

Anônimo disse...

Não concordo que há uma cultura do estuprpo,não concordo que homens são incentivados a estuprar, estupradores são repudiados até por criminosos dos mais violentos.

Desculpe Lola, mas caí no seu blog por acaso, quando pesquisava coisas a respeito desse tema, mas como homem me sinto até diminuido quando leio algo assim.

O que acha disso Lola
/http://revistamarieclaire.globo.com/Comportamento/noticia/2014/09/ninguem-quer-saber-se-voce-foi-inocentado-diz-pai-acusado-pela-ex-de-abusar-sexualmente-da-propria-filha.html

Anônimo disse...

Quem tiver paciência para ler o texto gigante, por favor leiam rsrs
Na minha opinião devemos ensinar a meninos E meninas sobre consentimento, que ninguém deve nada a ninguém, mesmo que essa pessoa diga que gosta de você, se você não quer fazer nada com ela você tem o direito de dizer não.
Temos que ensinar meninos E meninas a não colocar todo mundo no mesmo saco e não generalizar e sim a agir com educação com qualquer pessoa; se eu por acaso tiver filhos vou tentar ao máximo não impor meus medos neles de uma maneira que os deixe preconceituosos.
Porque digo isso? Mulheres também estupram, tanto homens quanto mulheres.

Já prevejo pessoas querendo me matar haha, mas enfim...
O número de homens estuprados por mulheres não é igual ao número de mulheres estupradas por homens (é bem menor), mas por que isso deveria ser um motivo para ninguém falar sobre as vítimas masculinas ou as mulheres que abusam? Já ouviu falar que 1 em cada 4 mulheres sofrerão abuso sexual antes dos 18 e 1 em cada 6 homens sofrerão abuso sexual antes dos 18 segundo um estudo feito nos EUA?
se alguém se interessar, dê uma olhada nessa matéria
Concordo que existe sim ainda uma grande parcela da população ainda põe a culpa na vítima e isso prejudica tanto mulheres quanto homens quando são vítimas. Isso tem que ser mudado mas com as pessoas levando em conta os dois grupos. Ontem falei com minhas colegas de trabalho e fiquei feliz de saber que 2 das 3 concordaram comigo quando disse que homens também são estuprados e conhecendo as três com certeza também são contra a culpabilização das vítimas.

Quanto a ensinar homens a não estuprar, então temos que ensinar o mesmo às mulheres. Em casos onde a agressão pode ocorrer em lugar público temos sim que nos defender e nos prevenir, sinto muito, mas simplesmente chegar para uma pessoa que já tem uma má índole e dizer "não me mate" ou "não me estupre" não quer dizer que ela não vai fazer isso. Essas pessoas já sabem que o que fazem é errado. E como já disseram, muitos dos casos que ocorrem o agressor é conhecido da vítima, portanto nesses casos a mudança é em como as delegacias tratam o crime. Já vi notícias em que o(a) próprio(a) delegado(a)não quis investigam o caso por não acreditar na vítima. Isso tem que acabar, as investigações tem que acontecer para que a vítima seja ajudada e o agressor(a) seja preso; e para que ninguém seja acusado falsamente aqui e aqui

Acabei de completar 18 anos, não faço faculdade e não tenho meios de fazer eu mesma, porém sou totalmente a favor de uma pesquisa mais ampla sobre o assunto no Brasil. É difícil já que muitas vítimas ainda não querem participar, mas acho que isso está mudando.
ps:que papo doido é esse de castração preventiva? Essas soluções só aparecem quando é para o homem, igual a circuncisão

Anônimo disse...

* anon das 11:43:
no meio do texto me expressei mal, não sei se reparam. Quis dizer que as delegacias devem levar a sério e investigar todos os casos de denúncias para proteger a vítima e prender o agressor; e claro, se uma pessoa for falsamente acusada também deve ser protegida e a pessoa que mentiu deve ser punida.

Anônimo disse...

"sou homem e me sinto diminuido quando leio algo assim" sei, haha, porque você se sentiria diminuido? Os homens adoram assediar e estuprar as mulheres mas quando são denunciados ficam todos envergonhados. Você acha que cultura do estupro não existe, bem, só homem mesmo para bancar de bancar de bonzinho e dizer que isso não existe para continuar atacando.

Anônimo disse...

Há uma grande diferença entre sexo bêbado e sexo sóbrio, espero que concorde. Ninguém bebe e decide estuprar alguém, mas conheço casos de homens que "deixaram a mina mais soltinha pra conseguir arrastar" , que é a mesma coisa. Geralmente, homens têm uma resistência a álcool muito maior que as mulheres, então mantêm sua capacidade crítica, mas não diferem o sexo estupro (que é o que fazem) do sexo consentido.

Anônimo disse...

Enquanto isso a gente faz a nossa luta ideológica, espalhamos o raciocínio lógico pra, um dia, podermos andar na rua a noite sem "estar pedindo pra ser estuprada"

Anônimo disse...

Quem nunca ouviu um homem dizendo que "o que atrai os homens é a visão, somos visuais e não conseguimos controlar nossos instintos, por isso as mulheres devem se vestir com burcas". Normalmente são esses mesmos homens que ficam ofendidos quando as mulheres falam "todo homem é um estuprador em potencial". Minha principal reflexão é que, se realmente o causador dos estupros for a roupa da mulher por "ativar a sexualidade masculina", se todo homem pensa apenas em sexo e se comportam como animais (vejam, eu estou apenas repetindo o que eles proprios dizem), então realmente TODO HOMEM SERIA UM ESTUPRADOR POTENCIAL.

Anônimo disse...

Porque um homem não estupraria uma mulher? Acreditem, se em alguma ocasião eles puderem fazer isso, eles vão tentar.

Anônimo disse...

Bom, relendo o texto com mais calma, vejo que ele não é idiota. Vi que você apoia a prática das artes marciais por mulheres, e isso é muito importante. Concordo que ninguém pode culpar a mulher quando ocorre um "boa-noite Cinderela", mas todo o mundo precisa tomar precauções nas boates e demais lugares. O estupro é uma situação horripilante; aliás, a pior que pode ocorrer, e por isso a mulher deve preparar-se para se defender da melhor maneira possível dos sem-vergonhas e abusados. O ideal mesmo é que ela nunca precise reagir. No mais, retrato-me e desejo muito sucesso para você e seu blog!

Janoca Arruda disse...

Uma excelente maneira de cessar o estupro contra as mulheres é uma punição pesada exemplar. Ou seja, o cara estuprou? Castração química, pronto, problema resolvido.

Roubou? Amputa os dois braços. Estuprou? Castração Química. Prática de homicídio hediondo? Prisão perpétua em regime fechado numa solitária.

Aí sim, a sociedade brasileira entraria na linha. Pena de morte não é pena. É um benefício. A morte não é ruim mesmo.

Janoca Arruda disse...

Sério, parece que as pessoas estão cada dia mais intolerantes umas com as outras. Não vou nem considerar o fato de que a vida é de cada um e podem fazer o que quiserem.
É como se as pessoas se sentissem no direito de definir o que devemos ou não fazer. Não admitem, agridem e se descabelam.
Eu, sinceramente, vou ter que viver umas dez vidas, para entender o motivo que leva alguém a se incomodar com o relacionamento dos outros, seja ele qual for.

Janoca Arruda disse...

Estou com vc eu digo SIM a castração desses mostros. 😠😡😡