sexta-feira, 22 de agosto de 2014

PRIMEIRO POST SOBRE AS ELEIÇÕES 2014

Pessoas queridas, estou sem tempo e com um pouquinho de preguiça (mais sem tempo mesmo!) para escrever um post hoje, mas sei que estou devendo um texto sobre as eleições 2014. 
Felizmente, alguém que não conheço fez uma excelente página no Facebook chamada "Vote numa feminista", que divulga e apoia candidatas feministas para os cargos de deputada estadual e federal. Como a enorme maioria de feministas é de esquerda, seus partidos também são de esquerda. Tenho recebido alguns textos de candidatas feministas, e planejo publicá-los em breve. A gente está cansada de saber que é essencial aumentar o número de mulheres no Congresso (que hoje não chega nem a 10%). 
Eu já votei muito em homem e tem um monte de candidato homem em que eu votaria sem pestanejar. Mas não dá mais. Hoje, pra cargos legislativos, só voto em mulher. E, óbvio, mulher de esquerda, feminista. Nunca votaria em alguém só por ela ser mulher, mas é inaceitável que nossa representatividade seja tão baixa. Então, como feminista, um dos meus critérios para a escolha de candidatas é que seja mulher, de um partido de esquerda, e que tenha uma agenda feminista. 
Quando, quem sabe, um dia alcançarmos 50% das cadeiras no Congresso (será que veremos isso durante as nossas vidas?), eu posso voltar a votar em homem. Até lá, só mulher (cis e trans, claro). Um dos problemas é que muitos estados sequer tem candidata mulher pro senado...
Pra cargos executivos, eu voto no partido, não na pessoa. Porque um governador ou presidentx não vai governar só. Inclusive, terá que fazer muitas alianças (a maior parte indesejáveis). Quem não faz aliança, não governa. Aliás, nem consegue chegar ao poder. 
Teremos uma disputa presidencial dura e concorrida. Sempre acreditei que haveria segundo turno. É besteira pensar que não: se Lula que é Lula (ou seja, o político mais carismático e comunicativo que o Brasil já teve, um ícone) precisou de dois turnos pra ser eleito e reeleito, por que Dilma que é Dilma (sem carisma algum, convenhamos) conseguiria se reeleger no primeiro turno? Não conseguiria antes, quando concorria principalmente com Aécio e Eduardo Campos, e não conseguirá agora.
Marina já entrou na disputa com o dobro das intenções de voto de Campos. Tem quem ache que os 21% da primeira pesquisa são por causa da comoção com a morte do seu parceiro de chapa. Eu não acho. Acho que ela só tende a crescer. Minha intuição, que não vale grande coisa, me diz que o segundo turno será entre Marina e Dilma. Ainda acho que Dilma ganha, mas Marina será uma adversária muito mais difícil que Aécio (Lula também acha; e pros que pensam que haverá segundo turno entre Marina e Aécio, é muito wishful thinking).
Não vou ser capaz de encontrar o gráfico agora, mas nunca um candidato que esteve na faixa dos 20 a 25% em julho (quatro meses antes do pleito) conseguiu vencer no segundo turno e se eleger presidente. Ok, nunca diga nunca: aconteceu uma vez, em 93. Lula liderava as pesquisas com 38% dos votos (mesmo patamar de Dilma em julho), seguido por FHC, com 23%. E, como todos sabem, FHC levou aquela eleição. Mas o que aconteceu para que o quadro se alterasse tão drasticamente? Simples: o Plano Real. Duvido que tenhamos uma reviravolta como aquela. Se Aécio chegar ao segundo turno, ele -- que tinha 23% em julho, e tem menos ainda em agosto -- perde. 
Eduardo Campos em SC comemora
filiação de Bornhausen ao PSB
Minha opinião sobre Marina é mais ou menos a mesma que em 2010. Não a considero um Collor da vida, uma incógnita, como foi o candidato do minúsculo PRN em 89. O PSB é um partido sério (embora eu tenha descoberto recentemente, embasbacada, que os coronéis de SC, os Bornhausen, estão agora concorrendo pelo partido socialista!). 
Admiro bastante a Marina como pessoa. Mas não confio (ou não conheço) suas propostas. Concordo muito com este artigo, que diz: "Marina é mais forte eleitoralmente quanto mais difusa for. Marina é forte quando é um espectro". Quanto menos se souber de Marina, melhor pra quem vota nela.
Mas Marina não é a mesma de 2010. Hoje ela tem um eleitorado consolidado e é vista pela população como uma alternativa ao confronto bipartidário entre PT e PSDB, uma autêntica terceira via. E, pra dificultar a vida da situação, o problema é que Dilma não é a mesma de 2010. Quatro anos atrás, havia entusiasmo em eleger a primeira presidenta. Hoje...
Luciana Genro, do PSOL, é uma opção para quem quer fazer um voto de protesto, mas não é uma opção com qualquer chance de vitória. Quem vota nela precisa começar a pensar em quem vai votar no final de outubro: Dilma ou Marina (ou, cada vez mais zebra, Dilma ou Aécio)? 
Luciana publicou esta semana um texto interessante, dizendo que Marina é a segunda via do PSDB. Concordo com tudo que ela disse, exceto esta parte: "Não que a direita não aceite Dilma. Ela conviveu muito bem com Lula e com Dilma". Ahn, por mais que a direita não tenha nenhum amor por partidos de extrema esquerda, como PSTU e PSOL, não há nada que a direita odeie mais que o PT. Se a direita "aceitasse" tão bem o PT, não estaria desesperada para tirá-lo do poder. Há onze anos.

189 comentários:

L. disse...

Concordo com as possibilidades nesse post sobre o segundo turno... ninguém pode prever o que vai acontecer mas se formos pelas probabilidades sabemos que é mais ou menos por aí.
Só gostaria de lembrá-los que Marina é contra quase tudo pelo que lutamos. É contra o aborto, contra o casamento gay, contra o uso de células tronco em pesquisas entre outras coisas.
Na última eleição ela chamava a atenção devido às causas ambientais que defende, mas agora nem isso é o tema central...
Sinceramente... não tem meu voto nessa e não terá nunca.

Anônimo disse...

Seja la quem for que ganhar, não vai governar, vai administrar crises.
A gastança publica do (des)governo atual, vai cobrar seu preço em 2015.

Anônimo disse...

Lola o que você acha sobre o PT ter feito um porto em Cuba(que e uma ditadura),por 1 bilhão, enquanto nossas santas casas estão fechando?

Anônimo disse...

O Pête não e um partido politico, e um grupo criminoso, tanto que metade de seus lideres esta na cadeia.

Patrick disse...

Vou de Dilma, porque à esquerda só há acusações moralistas do PSOL e da turma de Marina, acusações estas eivadas de hipocrisia.

Luciana Genro foi quem introduziu a Gerdau no mundo das doações de campanha do PSOL e Marina vai à disputa da presidência com um vice da tropa de choque da Monsanto.

Fechando a chapa federal, aqui no Rio Grande do Norte vou de Fátima Bezerra Senadora (PT-RN) e Hugo Manso Deputado Federal (PT-RN) (as mulheres com campanhas competitivas no RN não são feministas e as pessoas que apoiam Hugo tem ligações com a Marcha Mundial das Mulheres).

Anônimo disse...

"Anônimo disse...
Lola o que você acha sobre o PT ter feito um porto em Cuba(que e uma ditadura),por 1 bilhão, enquanto nossas santas casas estão fechando?"
_
Muito bem lembrado, vale ressaltar que este investimento em Cuba, de 1 bilhão dos recursos do BNDES, de reais, para reformar o Porto de Muriel, foi feito sob regime de contrato secreto.
Oras? se fosse algo licito, porque o contrato e secreto? estão querendo esconder o que?
Cuba por ser uma ditadura, não tem controle fiscal, não presta contas a nenhum organismo republicano por la.

Anônimo disse...

Anonimo das 15:56
Dinheiro pra santa casa foi mandado, quem nao repassou foi o geraldinho, horas.
nem tudo e culpa da dilma

L. disse...

querer votar na Dilma ou na Marina só por que são mulheres achando que vão ficar do lado das feministas é uma enorme burrice, da Marina pouco se sabe e a Dilma já se vendeu pra igreja universal, alias, meio vendida, porq quando não está lambendo o saco do papa tá lambendo o do bispo Macedo, acho que ela ainda não decidiu qual saco é mais 'gostoso'.

Anônimo disse...

"Politicos e fraudas descartáveis, devem serem trocados com frequência, e pelos mesmos motivos"
Eça de Queiros.

normalidaderealidade disse...

Eu não entendo nada de pesquisa eleitoral (shame on me, já fiz uns três cursos sobre) mas eu conheço as opiniões de meia duzia de representantes da classe média de SP que acreditam muito na Marina. Muitos estão cansados da dicotomia PT/PSDB, e, por ser uma cara pouco envolvida nas notícias, dá a impressão de que ela é "mais pura" como política.

E obrigada por lembrar que a candidata mulher precisa ser feminista. Tem um monte de candidata mulher que entra na competição para, por exemplo, continuar o trabalho de um marido conservador. Isso quando não são conservadoras elas mesmas. A pergunta "mulher na política significa política para mulheres?" já foi repetida mil vezes e a resposta é... Não.

E a bibliografia sobre candidatura de mulheres deixa bem claro o quanto é complicado se candidatar em meio à jornada dupla/tripla de trabalho. Eu mesma já concluí uma pesquisa que colocava que as mulheres não tinham tanta desvantagem eleitoral assim - elas só não conseguiam se candidatar, pura e simplesmente. Então apoiem as mulheres dos seus partidos de escolha, sobretudo dos partidos de esquerda que oferecem creches para as companheiras participarem. Vejam o propósito da divisão de mulheres do seu partido favorito.

Ah sim, lembrando que tem que ficar de olho na ideologia do partido no caso das eleições proporcionais. Seu voto vai, primeiro de tudo, aumentar o número de cadeiras da legenda, e DEPOIS selecionar os melhor sucedidos. Pra evitar de eleger um reaça sem querer, prefiram partidos com ideologia sólida (daqueles que você gosta, e que acha que todos os candidatos obedecem à mesma lógica), e cuidado com os "catch all".

Me empolguei.

Claudio disse...

"Minha intuição, que não vale grande coisa, me diz que o segundo turno será entre Marina e Dilma."

O coxinha / drogadinho neves vai infartar, ele se acha por achar que sabe como ganhar do pt, qualquer um que se candidate pelo psdb em mg ou sp, ganha, não sei por quê.

Meu critério de voto é outro, pois hoje eu sei como funciona o sistema:

- Mulher mais nova possível, máximo 27 anos, bonita, depois a preferência pelo pt.

Talita disse...

Hoje assisti o horário político pela primeira vez, xs candidatxs a deputadx - em su amaioria - repetem aqueles textinhos prontos toscos...e estava pensando nisso de votar em mulher, cada vez que uma delas abria a boca pra falar "também sou mãe e dona de casa" ou pior "lutarei em defesa das famílias" eu já pensava: essa não. E infelizmente, a grande maioria dxs candidatxs que querem apelar para as eleitoras entram nessa do "pela família tradicional"...

E ainda estou pensando no meu voto pra presidente, estou tendendo mais para a Dilma, e olha que nem é por nada do que ela diz ou propõe (claro que no fim isso vai pesar mais que tudo), ela já larga super na frente só pelo que escuto contra ela, só de olhar o perfil dos críticos [e as asneiras, digo, críticas que eles dizem/ fazem]já penso: não quero estar nesse time rs

Patrick disse...

Lola o que você acha sobre o PT ter feito um porto em Cuba(que e uma ditadura),por 1 bilhão, enquanto nossas santas casas estão fechando?

O PT não fez um porto em Cuba.

O fato do Brasil, sob o governo do PT, ter boas relações com Cuba aumentou a competitividade de uma construtora brasileira na disputa pela atribuição da obra.

O BNDES entrou na questão como financiador da exportação de um serviço (a construção do porto), da mesma forma que financia exportadores brasileiros, como a Embraer, que vendem aviões no exterior, a países tão díspares como Estados Unidos ou China - sem que por isso faça sentido acusar o PT de ser cúmplice de Obama ou do Partido Comunista Chinês.

As exportações brasileiras durante o governo do PT quadruplicaram.

Com isso, a nossa economia se fortalece, aumenta a arrecadação de impostos, e a capacidade de sustentar Santas Casas.

Claro ique isso não ocorre quando governo estaduais desviam os recursos federais a elas destinados.

lola aronovich disse...

Gente, pra vcs que têm paciência (e um pouco de tempo), se puderem rebater as coisas ridículas que os reaças papagaiam (tipo: metade dos líderes do PT estão na cadeia), seria ótimo... (obrigada, Patrick).

E mascutroll não consegue deixar de ser misógino nem quando fala de política, hein?

Anônimo disse...

Tem um artigo ótimo de Andre Forastiere sobre a Marina, essa farsa. Sou mineiro e não voto no PSDB pois tenho amor a vida, então vou de Dilma.

Anônimo disse...

Não é melhor votar em ideias independente do genero de quem as tem?

Anônimo disse...

O Patrick tem razão no que disso.
Fora em relação as Santa Casas do Brasil.

Tem que ser lembrado que o dinheiro da saúde é enviado em boa parte ao governo do ESTADO, que tem o DEVER de remanejar nas santas santas casas, hospitais e etc. A saúde está assim, não só devido a Governo Federal mas um Governo Estadual Manco,Corrupto e elitista ( em sp é isso)

é muito triste ver que são paulo vai reeleger o Alckmin, sabendo de tudo o que acontece aqui.

Rebecca disse...

A direita não se conforma de não voltar a assumir o governo federal.
Aceitem que o governo do PT melhorou a vida de quem mais precisa e é por isso que a Dilma vai ser reeleita.
O governo do PT está longe de ser perfeito, mas eu prefiro assistir a um governo meio decepcionante de esquerda do que um retrocesso comandado pela direita.
O choro da reaçada é livre!

normalidaderealidade disse...

Lola, aqui, ó:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dossi%C3%AA_do_Movimento_de_Combate_%C3%A0_Corrup%C3%A7%C3%A3o_Eleitoral

Lembrando que o índice do PT - que é muito grande e muito presente em todos os lugares - está próximo de partidos muito menores, muito menos atuantes, e mais novos, o que influencia no número de processos. De forma não surpreendente, o partido mais processado é... o DEM.

Espero ter ajudado :)

Fernando disse...

Vou de Aécio, porque infelizmente Everaldo não tem chances. Mas já é algo positivo que haja um liberal concorrendo.

Vão me desculpar (ou não), mas ainda prefiro um país onde não se possa abortar a um país cuja economia esteja sempre sob ameaça de ser destruída pelo populismo.

Danilo disse...

Resposta: Apenas um "OFF". Creio que nem seja tanto um off pois tem certa relação com a matéria do post.

Em 2009 eu lembro que o meu professor de Direito Constitucional disse que tramitava no Congresso Nacional um projeto de lei proibindo mulheres feias e gordas de frequentar as praias. E ele fez uma seguinte indagação: Gordas são auto-explicativas, mas o que seria uma mulher feia?



Flavio Moreira disse...

Obrigado, Patrick, por conseguir trazer os fatos e os argumentos lúcidos de que precisamos.
Uma coisa importante que precisa ficar claro para a sociedade é o papel de cada esfera de governo.
As pessoas reclamam da segurança pública como se fosse culpa do governo federal, mas não sabem (ou fingem esquecer) que é atribuição do governo estadual; da mesma forma, a educação básica é atribuição de governos estaduais e municipais; saúde? governo estadual.
Ou seja, o governo federal repassa os recursos para os diversos programas estaduais e municipais, mas são os representantes dessas esferas os responsáveis diretos pela administração (boa ou má) desses recursos.

Thiago Fonseca disse...

Aproveito para divulgar a programação da "Noite Lilás", hoje, em Fortaleza. https://www.facebook.com/events/335282793304217/?ref=25

A Frente de Esquerda (PSOL/PCB/PSTU) apresenta várias candidaturas de companheiras feministas para deputada federal e estadual.

Felizmente, temos opção!

Carlos disse...

Lola,

leio seu blog a algum tempo, mas é a primeira vez que comento. O assunto é levemente off-topic, mas é algo que eu venho querendo perguntar a algum tempo e esse post me levou finalmente ao ponto.
Várias vezes vi você ou alguns d@s comentaristas aqui reagindo a comentários machistas chamando @s autores de "reaças" ou "coxinhas", expressões geralmente usadas pela esquerda para atacar @s partidari@s da direita. E até entendo que certos setores da direita, em especial a direita cristã, são amplamente machistas.
Por outro lado, eu e vári@s amig@s meus nos identificamos politicamente, principalmente no que se refere à política econômica, com a direita. Nem por isso, deixamos de nos considerar feministas ou aliad@s do feminismo.
Minha pergunta é: Você não consegue visualizar um feminismo de direita? Ou você acha que o conservadorismo político é imediatamente associado ao machismo?

Danilo disse...

"ue divulga e apoia candidatas feministas para os cargos de deputada estadual e federal. Como a enorme maioria de feministas é de esquerda, seus partidos também são de esquerda."

Resposta: Não acredito que exista uma feminista candidata à deputada estadual ou federal. Existem mulheres que tem um certo apego para as causas femininas mas não que seja de fato uma feminista.

Isso é apenas uma estratégia delas porque normalmente quem defende "causas das minorias" é uma ideologia que possuí grande força social.

Anônimo disse...

"O PT não fez um porto em Cuba.

O fato do Brasil, sob o governo do PT, ter boas relações com Cuba aumentou a competitividade de uma construtora brasileira na disputa pela atribuição da obra"
_
Então porque o contrato e secreto Patrick? Se e tudo licito,qual a necessidade de um contrato secreto?

Anônimo disse...

A construtora Odebrecht finância campanhas politicas visando contratos Bilionários, como o do Porto de Muriel em Cuba.

Anônimo disse...


O partido da Marina tem coronéis? Não me diga?! E o PT tem nossos "adoráveis " Sarney, Maluf, Collor e Katia Abreu a tira colo, ou seja, só a 'nata do boa política' . Então criticar um é aquele velho caso do 'sujo falando do mal lavado'. Anularei meu voto para presidente pq nenhum dos candidatos me representa,e pra governador aqui no RJ... vixi, melhor nem comentar.

Anônimo disse...

"Anonimo das 15:56
Dinheiro pra santa casa foi mandado, quem nao repassou foi o geraldinho"

O dinheiro mandado pelos SUS para cobrir as despesas da santas casas, esta defasado há anos, um eletrocardiograma por exemplo, não tem custo menor que 40 reais, o SUS repassa somente 14 pelo custo do procedimento.Por isto as santas casas estão endividadas.

Anônimo disse...

"As exportações brasileiras durante o governo do PT quadruplicaram"
_
Quadruplicaram as importações de matérias primas caro Patrck,devido ao apetite voraz do Dragão chinês,nossas industrias estão minguando, Franca no interior de SP, por exemplo, que já foi um dos maiores polos calçadistas do mundo, hoje esta as moscas.Nossos produtos industrializados, não conseguem competir com os produtos chineses, devido a alta carga tributária brasileira, que precisa sustentar um estado inchado e ineficiente.
Outro dia eu vi uma entrevista do Ministro de comercio exterior chinês, dizendo que que para eles seria conveniente que o Brasil, fosse uma mero produtor de comoditties(matérias primas) que eles supririam aqui o lugar de nossas industrias.
este o objetivo chinês, nos tronar um fazendão de matérias primas simples.
Como bem disse um professor e economia internacional que tive:
"Quando sentirem a mordida do dragão, verão que a bicada da águia era ate leve"

Anônimo disse...

Para quem não sabe o Macedão (atual guru da Dilma)é a favor do aborto, bebe cerveja e vinho, tem um filho gay adotado (Moisés), além de ter uma mulher (sua filha de sangue) como herdeira e sucessora (por mérito, porque ao lado do seu marido no tal Love School estão "arrebentando", como dizem lá). Macedo não se manifesta contra o casamento gay, para ele tudo que importa são os dízimos e o Templo que ele fundou, onde tem um mausoléum para ele, de onde vai assombrar o Templo e continuar pregando ao incorporar como um encosto nos seus fiéis.



Anônimo disse...

Negar que o PT seja uma quadrilha é sacanagem, e ainda se uniu ao Bispo Macedo e seus 40 ladrões.

O PT não leva essa eleição nunca, a não ser que consiga o apoio de Aécio no segundo turno, pois antes de serem apoiadores do Aécio, seus eleitores são anti-PT, e vão apoiar Marina se ela enfrentar Dilma, e se só com seus eleitores Marina já está em um empate técnico, imagina com o apoio de Aécio.

Finalmente uma eleição emocionante.

Patrick disse...

Então porque o contrato e secreto Patrick? Se e tudo licito,qual a necessidade de um contrato secreto?

Eu sou favorável à extinção de todos os sigilos, inclusive o fiscal e bancário.

Isto posto, as nossas empresas exportadoras (de produtos e serviços) concorrem com outros conglomerados sediados em países onde esse sigilo existe. Sendo assim, serão vítimas de concorrência desleal e perderão contratos se dados essenciais às suas atividades comerciais forem divulgados e, ao mesmo tempo, essa regra não se aplicar a seus concorrentes.

Anônimo disse...

Marina não é contra o uso de células tronco em pesquisas, ela é contra o uso de células tronco EMBRIONÁRIAS.

Patrick disse...

Quadruplicaram as importações de matérias primas caro Patrck,devido ao apetite voraz do Dragão chinês,nossas industrias estão minguando, Franca no interior de SP, por exemplo, que já foi um dos maiores polos calçadistas do mundo, hoje esta as moscas.Nossos produtos industrializados, não conseguem competir com os produtos chineses,

Não é só a indústria brasileira que tem dificuldades em competir com a chinesa, nos Estados Unidos e na Europa existe a mesma dificuldade. A política externa brasileira procurou valorizar nossa inserção comercial em países onde nossa indústria é mais competitiva e nossas exportações tem maior valor agregado, como Mercosul (crescimento de 794%!), África (383%) e Oriente Médio (378%).

devido a alta carga tributária brasileira, que precisa sustentar um estado inchado e ineficiente.

Você só esquece de contar pra gente que a carga tributária chinesa é baixa porque é um país, surpresa, COMUNISTA. Então, uma prefeitura na China pode deixar de cobrar IPTU porque ela é dona de todas as terras da cidade e a especulação imobiliária que eleva os preços dos terrenos destinados à construção civil é toda embolsada pelo Estado. É esse o seu modelo liberal de capitalismo?

Patrick disse...

Outro dia eu vi uma entrevista do Ministro de comercio exterior chinês, dizendo que que para eles seria conveniente que o Brasil, fosse uma mero produtor de comoditties(matérias primas) que eles supririam aqui o lugar de nossas industrias.
este o objetivo chinês, nos tronar um fazendão de matérias primas simples.
Como bem disse um professor e economia internacional que tive:
"Quando sentirem a mordida do dragão, verão que a bicada da águia era ate leve"


Você está acusando a China de agir de forma imperialista, como os Estados Unidos e a União Europeia? Bem vindo ao mundo dos esquerdistas :)

Anônimo disse...

Patrick, a questão e que os emprestimos via BNDES, ocorrem tendo como avalista o governo federal, ou seja um órgão de governo(BNDES) tendo com fiador de empréstimo bilionário, o próprio governo. isto e absurdo, a Odebrecht deveria arcar com o risco, não o tesouro nacional.
Sem contar que cuba não tem controle fiscal, e uma ditadura, a palavra do governo castrista, e a final, muito mais obscuro sob contratos secretos.

lola aronovich disse...

Pelamor, anon das 17:01, vc é muito desonesto, hein? Os Bornhausen se filiaram ao PSB. Isso é uma coisa escandalosa, inclusive porque eles sempre foram de extrema direita (eram do DEM), e o PSB tem socialista no nome. Segundo que todos os "adoráveis" que vc citou (Sarney, Maluf, Collor, Katia Abreu), bom, nenhum deles é do PT. Mas vc sabe disso, não? Eles pertencem a partidos que todos os petistas odeiam que tenham que fazer alianças. Fazer aliança é algo bem diferente de SER DO PARTIDO.


E sobre Dilma "se unir" a Edir Macedo, taí outra coisa ridícula. Em época de campanha, praticamente todos os candidatos buscam apoio de qualquer um. Tem foto da Dilma com pai de santo, quer? Tem foto de Dilma em sinagoga, em mesquita, em igreja católica... E pode apostar que tem foto de Aécio e Marina em todos esses lugares também. E daí? Que o PT no governo treme de medo da bancada evangélica pelo medo de perder um voto que nunca foi dele, isso é inegável. Agora, por visitar inauguração de templo, a candidata "se unir" a uma religião, é bem outra...

Anônimo disse...

Não é melhor votar em ideias independente do genero de quem as tem?

É, me apresenta um candidato homem (e hétero, Jean Wyllis não vale) que tenha propostas feministas. Se a proporção de homens e mulheres defendendo essa causa fosse no mínimo parecida, aí sim poderíamos votar apenas por ideias e não por gênero.

Patrick disse...

Patrick, a questão e que os emprestimos via BNDES, ocorrem tendo como avalista o governo federal, ou seja um órgão de governo(BNDES) tendo com fiador de empréstimo bilionário, o próprio governo.

Bem vindo ao maravilhoso mundo do comércio internacional. Recentemente a Holanda anunciou o perdão da dívida de países africanos. Que dívida era essa? Financiamento a exportadores holandeses que venderam a países africanos, tomaram calote, e o tesouro holandês, como avalista dos empréstimos, assumiu pra si o direito de cobrar do devedor que agora decidiu perdoar.

isto e absurdo, a Odebrecht deveria arcar com o risco, não o tesouro nacional.

A Odebrecht arca com risco, sim. Se não honrar o empréstimo, o BNDES será ressarcido pelo avalista, o Tesouro Nacional, mas ela estará "negativada" e não poderá contrair outros empréstimos na instituição. Para todos os fins, sua competitividade em ambiente internacional terá morto. Mas sua preocupação é meramente ideológica, pois Cuba não tem histórico de faltar ao pagamento desse tipo de financiamento.

Sem contar que cuba não tem controle fiscal, e uma ditadura, a palavra do governo castrista, e a final, muito mais obscuro sob contratos secretos.

Cuba, nesse aspecto, não difere um centímetro da China, a quem você acabou de tecer diversos elogios em recente comentário.

Anônimo disse...

O porto de Muriel em Cuba, e a refinaria de Passadena, nos EUA, são os maiores rombos da história federal deste país.
A refinaria de Passaena então, foi superfaturada em mais de 1 bilhão.

Mas esquerdista não dá a minima para corrupção, o lhes importa e a 'ideologia" se defender o que lhes convém, podem roubar a vontade.

Anônimo disse...

"Bem vindo ao maravilhoso mundo do comércio internacional. Recentemente a Holanda anunciou o perdão da dívida de países africanos. Que dívida era essa? Financiamento a exportadores holandeses que venderam a países africanos, tomaram calote, e o tesouro holandês, como avalista dos empréstimos, assumiu pra si o direito de cobrar do devedor que agora decidiu perdoar"
_
Não apenas sei disto, como acompanhei o perdão da divida que governos africanos(a maioria ditaduras corruptas e sanguinárias, que exploram o próprio povo) tinham com o Brasil.
O que você acaba de me dizer(eu já sabia), e que corremos o mesmo risco no casso do Porto de Muriel em Cuba.

Anônimo disse...

Aqui no ES vou votar para dep federal na maravilhosa Iriny Lopes (PT). Eu voto nela desde q vim morar aqui, há 15 anos, e nunca me arrependo. é ativa, combativa e sua agenda é feminista até o talo. Tanto que fui ministra da secretaria das mulheres.

para deputada estadual vou votar na Ana Rita (PT) que ascendeu ao Senado como suplente do ex-senador Casagrande (que ganhou a eleição p governador)e me surpreendeu positivamente. eu não a conhecia e acompanhei de perto o seu mandato, ela foi incrível, esteve em todas as lutas corretas e conseguiu conquistar muitos avanços. Ela foi presidente da comissão de direitos humanos do Senado e esteve a frente de investigações nessa área. Eu adoro ela! Agora, está saindo como deputada estadual e terá claro o meu voto e minha campanha.
para o senado, tem uma candidata mas eu não confio nela. a história dela não é ruim, mas tem vários pontos obscuros. Prefiro votar no João Coser (PT) que foi um excelente prefeito de Vitória e poderá aumentar o poder do PT no senado.
P governador, não sei ainda. não vou votar na única mulher, pq ela tem propostas muito absurdas e impraticáveis. não entendi pq o psol fez um programa de governo tão esquisito. Então, provavelmente, votarei no primeiro turno no candidato do PT, que não deve ganhar, mas não vai me envergonhar. provavelmente teremos segundo turno e aí não sei mesmo o q vou fazer. tá muito truncada a eleição p governador aqui.

p presidenta é claro que vou votar na DILMA. Eu nem esperava que ela fosse tão boa como foi. Tb desejaria q tivéssemos avançado mais em relação às minorias, mas isso não é prioridade para mim. Acho q dar condições de vida à população pobre brasileira é uma defesa dos direitos humanos muito mais importante do que liberar kit anti homofobia.
E tem mais, nem marina nem aécio fariam mais pelas minorias do que a Dilma fez. Ao contrário, fariam menos, muito menos.

então é isso.

Fica minha sugestão a quem está no ES
Ana Rita - 13456
http://www.anarita.com.br/

Iriny Lopes - 1333
http://iriny.com.br/

aiaiai (não to conseguindo logar como aiaiai...)

Anônimo disse...

Alguém de Brasília tem uma sugestão para deputada distrital?

Para federal penso seriamente em votar pela reeleição da Érika Kokay, do PT. Ela é uma das pessoas que lutam pelos movimentos sociais. Fora ela, não conheço qualquer pessoa que valha a pena votar.

Quanto ao senado, a única candidata é a Sandra Quezado. Ela tem um papo de transformar Brasília em uma cidade de referência em atendimento à saúde da mulher ( que é muito bom, IMHO), e tal. Mas ela tem um problema meio sério: é tucana. ¬¬

Pra governador, acho que vou ficar com o Agnelo mesmo. É o único de esquerda com alguma chance de ganhar o pleito, que é praticamente entre ele e o Arruda (aquele que saiu do cargo de governador direto para a cadeia, lembram?). Mas ele está em alta porque tem apoio do coronel (Joaquim Roriz). E esse apoio é tão decisivo por aqui que levou uma candidata desconhecida e sem qualquer preparo político para o segundo turno. Mesmo ela falando que vai "proteger toda essa corrupção"(sic). Sim, Weslian Roriz foi pro segundo turno. E quase que o Agnelo perde.

Pra presidente, só digo uma coisa: Dilma, meu voto é seu.

Anônimo disse...

Lola, sabe de nada inocente. Quem está falando de Templo?

Macedo sempre foi aliado do PT, antes do PT Macedo vivia sendo investigado e ainda era perseguido pela Globo, agora a toda-poderosa nem toca no nome dele de tanto medo.

E por coincidência, qual é a única igreja evangélica que apóia o aborto? E que não se manifesta contra causas pleiteadas pela esquerda, como casamento homossexual? Heim?

Sabe de nada inocente.

Larissa Petra disse...

Olha, eu concordo com tudo que vc falou Lola, exceto uma coisa: Eu não suporto a Marina.
Ela é uma fundamentalista, se fosse eleita-cruzes-não saberia lidar com as questões de minorias, pq eu me lembro dela defendendo o Marco Feliciano, dizendo q ele era perseguido pela religião-ah tá!
Na segunda propaganda política, o Lula disse algo q eu vivo falando, o verdadeiro partido de oposição nesse país é a rede globo, naquela entrevista (ataque) a Dilma, eles deixaram isso bem claro, agora é tipo tudo ou nada contra o PT, o bom é que o povo pode ver claramente a posição da globo e isso força mais a Dilma a fazer uma lei de mídias nesse país, temos que democratizar isso, não pode mais 4 famílias terem o monopólio da informação.
Os governos Lula e Dilma, tem muitos feitos que as pessoas nem sabem, só ficam sabendo se pesquisarem, não pode mais ser assim, isso é um absurdo!

Anônimo disse...

Primeiro, não sou o anonimo das 17:01. Lola, vc diz que o PT "odeia fazer aliança", com esses individuos/partidos mas faz assim mesmo. E tem lá grande diferença de ser ou não do PT ? Associar-se publicamente a Collor e Maluf é meio tenso. Ao associar-se a esses indivíduos, o PT está publicamente dizendo que partilha a mesma ideologia deles .

Fernando disse...

Legal é o pessoal falando de BNDES, empréstimos públicos e não sei mais o que, como se o governo de fato produzisse algo e tivesse capital próprio pra emprestar.

A continuidade da Dilma vai ser a continuidade desse populismo que agora tá cobrando seu preço: previsão de PIB simplesmente ridícula, desvalorização absurda da Petrossauro, pior taxa mensal de criação de empregos desde 1999, desindustrialização, entre outros menos cotados. E agora, com a liberação de mais 25 bilhões de crédito, o que parece uma piada de péssimo gosto pra um país com endividamento recorde, há mais uma bolha creditícia no horizonte.

Bastiat bem dizia que "o governo é a ficção em que todos tentam viver às custas de todos os outros" (e olha que o cara morreu em 1850). Deve ser por isso que a Dilma tá liderando.

Larissa Petra disse...

Aqui no Rio de Janeiro, para senador até tem uma candidata, só uma, a Liliam Sá, pelo PROS, inclusive é apoiada pelo Garotinho (candidato a governador),mas não vou votar nela mesmo, acho q vou votar no Carlos Lupi do PDT, que está sendo apoiado pela Dilma e pelo Lula, logo dentre as opções estou achando a melhor.
Para deputada federal, acho que vou votar na Benedita da Silva, para estadual ainda não sei, mas quero uma mulher.
Para governador é que está mais tenso aqui no RJ, gosto muito do Tarcísio Motta do PSOL, mas tem essa coisa do partido, o PSOL não se alia ao governo federal, fico imaginando como eles esperam ganhar ou governar sem esse apoio, oq é uma pena, já que o PSOL é um partido sério, de esquerda e acharia ótimo vê-los em cargos de destaque, mas para isso eles precisam de apoio, por isso vou votar no Lindbergh Farias do PT, que é do PT, tem o apoio do governo, mas ele não vai ganhar, pelo que parece aqui quem vai ganhar será ou o Garotinho ou o Crivella, sentiu né....Assim qualquer um dos 2 vai acabar se aliando ao governo e farão obras importantes, como foi o Sérgio Cabral aqui, apesar de eu n suportar ele, essa foi a verdade eles fizeram muitas obras, mas eles são de direita, eles ignoram as questões sociais, as minorias, as lutas, oq é de extrema importância, nesse ponto o Lindbergh Farias participou de várias lutas, ficou conhecido por liderar os caras pintadas, foi presidente da UNE aqui no RJ, acho que ele seria mais sensível nessas questões.
Queria dessa vez ver alguém de esquerda vencer as eleições para o Estado do Rio de Janeiro, os governos que tivemos aqui são digamos de centro-direita, fizeram muitas obras, mas não se ligam muito em questões sociais.

Anônimo disse...

Escândalos de corrupção acontecem em todo governo, acontecia no governo FHC e aconteceu no PT. O fato é que o país está melhor agora do que na era FHC. Então, dos males o menor.

Larissa Petra disse...

O problema da nossa esquerda é que ela é muito desunida.
Sempre quis ver o PSOL, o PSTU, apoiarem o PT, mas eles muitas vezes repetem um discurso dito pela direita, e só se afastam, eles meio que ignoram os avanços sociais do país, aí o PT tem que fazer péssimas alianças com a direita para conseguir governar.
Ambos os partidos tem ótimos políticos, já votei neles, para prefeito aqui no RJ votei no Freixo do PSOL, seria ótimo se eles se aliassem ao PT, isso deixaria o governo cada vez mais de esquerda, seria lindo ver o Lula apoiando uma candidatura de um Chico Alencar, um Marcelo Freixo, ambos super sérios, vê eles governando o Rio ao lado do PT, fico imaginando os avanços sociais que teríamos...e é aquele negócio, se eles pretendem um dia ganhar uma eleição, eles terão que ser pragmáticos, fazer alianças, então seria ótimo se fosse com o PT, fico pensando o quanto eles fariam por nós.
aiii como eu sou sonhadora..hauahuahau, mas espero um dia ver isso.

Larissa Petra disse...

E a última coisa:
DILMA VOU VOTAR EM TU !!!!!
dILMAMÃE *--* <3

HAUAHUAHAU

Relicário disse...

Lola...perfeito seu texto...concordo!

Anônimo disse...

tenho mais medo de uma governante que tem o rabo preso com lideres religiosos do que de uma que é praticante de uma religião...

Anônimo disse...

O assunto aqui tá bombando, ainda tenho muitos comentários pra ler. Mas só pra constar, o Geraldo Alckmin do PSDB também foi na inauguração do templo do Edir Macedo.

E Patrick, parabéns pela sua lucidez e conhecimento. É sempre bom ler comentários como o seu.

Relicário disse...

Que pena que não tem como curtir os comentários do Patrick, parabéns pela paciência e discernimento.

Raven Deschain disse...

Enquanto isso no PR temos Requião, Richa e Hoffmann. Aff

Anônimo disse...

Sou o anônimo das 17:01, e não, não sou desonesto, que é desonesto é o Collor e cia. "Ah, mas eles não são do partido". E daí? Se são aliados, dá no mesmo no fim das contas. E antes que alguem diga que é o "jogo político" e blablabla, não acredito nisso, quer fazer algo de bom? Comece vc mesmo, dê o exemplo, não feche alianças com esses notórios crápulas. E não estou defendendo partido nenhum, o PT é uma droga, assim como PSDB e os demais, que se renderam ao "fazer politica" do Brasil.

Anônimo disse...

Votar em candidatas só por serem mulheres?!?! Hahahahaha, essa é muito boa, sou mulher e não dou a mínima pra essa conversinha fiada,o que eu quero é empenho e resultado, aliás foi com esse papo piegas que empurraram essa senhora chamada Dilma pra presidente, e olha o estrago que deu, tenho vergonha de ter essa fulana como presidente do meu país. E com todo respeito mas entre os três aí é o candidato Aécio Neves que reúne mais capacidade e competência, não é machismo apenas fato.

PT = partido terrorista.

André disse...

Fernando,

Explica como pode um liberal ser contra a legalização das drogas e contra o casamento gay.

André disse...

Se a IURD é a favor da legalização do aborto e do casamento gay então ela é muito melhor que a ICAR.

Maria Valéria disse...

Eu morro, mas nao voto no PSDB .
E ponto final.

Marussia de Andrade Guedes disse...

Marina defende uma agenda neoliberal e conservadora .
É contra a descriminalização das drogas, do aborto e contra o casamento gay. Então, obviamente, feminista votar em Marina é um contra-senso sem tamanho .

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

vou votar na dilma
na fatima bezerra senadora
federal-ainda na indecisao mas tava pensando em alguma mulher pstu q minha ex professora amanda indica(sim,ja fui aluna dela).nao sei se pode ganhar... mas amanda aqui tem muita força.
estadual nao sei
governador -pior ainda
mas infelizmente henrique eduardo alves ganha, infelizmente

Putz disse...

Laverne Cox de Orange is the New Black tá defendendo Luis Morales, o cara que estuprou e matou Ebony Williams de 13 anos, porque agora ele se considera transgênero.

http://gendertrender.wordpress.com/2014/08/22/laverne-cox-launches-media-campaign-in-support-of-transwoman-synthia-china-blast-convicted-for-the-rape-murder-and-abuse-of-the-corpse-of-thirteen-year-old-ebony-nicole-williams/

Rene Freire disse...

A esquerda em geral tem uma lógica estranha sobre representatividade. Acham que a distribuição das etnias, gêneros e etc. da população deve se refletir de modo igual em todos os setores da vida.
É comum até neste blog vermos, por exemplo, "guest posts" de mulheres que acham que falta representatividade feminina nas áreas tecnológicas (engenharias, TI, física, e por aí vai), mas aí eu pergunto: quantas mulheres se interessam por essa área? Poucas, logo é esperada a baixa representatividade. A mesma lógica pode ser aplicada às eleições: quantas mulheres estão se candidatando? Não sei vcs, mas aqui no meu estado (RJ) a maioria esmagadora dos candidatos que vejo nas propagandas são homens, logo podem votar em mulheres a vontade que não vai mudar nada.
O mundo não é linear. Não é porque a população está dividida em 50% para homens e mulheres que isso tem que se refletir em todos os setores da vida.

Anônimo disse...

Larissa Petra, a Marina Silva NUNCA defendeu a presidência da Comissão dos Direito Humanos Marco Feliciano do Marco Feliciano, ela apontou que muitas das críticas recebidas era um tão simples "ele é evangélico". Ela disse que ele deveria ser criticado por nunca ter tido qualquer comprometimento com as causas dos Direitos Humanos, por isso não pertencia a tal comissão, lembrando que ela já havia feito parte da comissão, mesmo evangélica, e nunca foi criticada por isso, justamente por estar alinhada à várias das lutas que eram tratadas ali.

Anônimo disse...

Eu me recuso a urinar sentado, ouvi dizer que feministas tem m projeto de lei neste sentido, absurdo.
ENTENDERAM FEMINISTAS? EU ME RECUSO A MIJAR SENTADO.

Anônimo disse...

Acho melhor uma presidente como a Marina, que construiu SOZINHA o próprio cacife político e sempre tentou se desvencilhar do jogo sujo de Brasilia, do que o fantoche d'O Partido, que não consegue nem formular frases, que é a Dilma.

Anônimo disse...

Marina defende a independência do Banco Central. Para os Mises da vida, ótimo. Mas gente pretensamente de esquerda ainda achar que Marina é "o novo"... pelamordedeus! E ela diz defender o Estado laico, mas insiste em que escapou do acidente pela providência divina. Óbvio que é para comover a base eleitoral religiosa, que porá suas mangas de fora pra valer se ela ganhar... Tô foooora!!!

Isabela disse...

Lola, se tiveres tempo, dá uma olhada nessa entrevista com a Luciana Genro: http://lucianagenro.com.br/2014/08/vou-defender-o-povo-e-nao-os-interesses-do-capital-para-isso-tem-o-pt-o-psdb-e-a-marina-diz-luciana-genro-ao-estadao/. Ela enfatiza bastante a importância da presença das mulheres na participação política, bem como assuntos ligados a interesses de muitas mulheres, como legalização do aborto. É por isso e por muitas outras coisas que votarei nela para presidência.

Aqui no RS temos algumas candidatas que procuram viabilizar algumas pautas feministas. Eu

Tento não pensar no partido, mas minha tendência é sempre votar na esquerda. Não voto exclusivamente em mulheres, mas tenho preferência. Mas para o governo do estado votarei em um homem (ainda estou decidindo), pois a única mulher candidata ao governo daqui do RS apoia o Aécio Neves. Daí não dá... no mais, para cargo de deputado, temos várias representantes. Minha candidata a estadual é do PSOL!

lola aronovich disse...

Anon das 22:22 disse: "Eu me recuso a urinar sentado, ouvi dizer que feministas tem m projeto de lei neste sentido, absurdo. ENTENDERAM FEMINISTAS? EU ME RECUSO A MIJAR SENTADO."

Vc escreve um comentário baseado em algo completamente estúpido que vc "ouviu falar", ô anon das 22:22? Ha ha ha, sim, de fato, nós feministas estamos muito preocupadas com o jeito que vc mija. Vamos no seu banheiro fiscalizar se vc está fazendo xixi sentado, viu? Vamos no banheiro de todos os homens! Não vai ser fácil tamanha fiscalização, mas vamos conseguir! Afinal, se na Suécia conseguiram... (mascus adoram inventar que a Suécia passou lei proibindo homens de mijar sentados. Só mascus acreditam nisso. Vem direto do Instituto de Pesquisa Mascu As Vozes Me Disseram).

lola aronovich disse...

Isabela, eu jamais, sob hipótese nenhuma, votaria num homem OU numa mulher do PSDB, DEM, PP e outros partidos de direita. A mulher pode se dizer a maior feminista do mundo. Feminista não se filia a partidos de direita. E, mesmo que existissem feministas em partidos de direita (o que eu nunca vi), por que votar na direita, se tá cheio de feministas em partidos de esquerda?
É como eu disse no texto: pra cargos executivos complica um pouco. Porque às vezes tem uma candidata mulher à prefeita ou governadora, mas ela é de um partido de direita. Tipo Yeda Crusius, no RS, ou Angela Amin, em SC, ou Roseane Sarney, no MA. Eu não voto nessas pessoas, não voto nesses partidos. Não voto neles nem no segundo turno, se elas estiverem concorrendo com algum outro cara podre. Aí eu anulo o voto. Tô acostumada a anular o voto -- morei em SC durante 15 anos.

Sara disse...

Só voto em mulher, embora tenha muitas restrições em relação a religião dessa candidata vou na Marina, e nos cargos restantes escolherei outras mulheres, que tenham plataformas feministas mas não necessariamente de esquerda.

Larissa Petra disse...

Nossa esse debate está lindo demais, e os comentários do Patrick então...puro amor! <3 hauahua
Anon das 22:21, seria ótimo que a Marina se desvinculasse da religião dela na política sim, pq ela está sendo apontada pela mídia como uma "renovação", mas ela representa oq há de mais atrasado na política, ela é contra a pesquisa de células-tronco, ao aborto, ao casamento gay, tudo pq a "Deus não deixa", das raras ocasiões que ela não fica de blábláblá sem fundamento e se posiciona de forma clara, ela solta algo muito reacionário, inclusive sendo muito contraditória, pois ela tem uma bandeira "sustentável" mas está associada a empresas que destroem o meio-ambiente diretamente, como o ITAÚ, que é um banco, só isso, cagam e andam para qualquer coisa que não seja lucro. Não existe essa de banco que investe na natureza, O Itaú financia e é credor de milhares de empresas que destroem a natureza. Sem contar que ela é um embuste, vazia, sem projetos, é até difícil definir quem é a Marina, ela vai na campanha dela é sugar o Eduardo Campos, e apelar para o seu discursinho vazio. Sem contar que nossa mídia, mesmo antes da morte de Eduardo Campos, mostrava um certo cansaço a candidatura de Aécio Neves, e já estava começando a dar uma inflada nele, de leve mas estava, com a morte dele a globo se fez, vai usar isso para inflar a Marina, como foi em 2010, tudo para forçar um segundo turno.
Aqui está uma matéria do Carta capital, aonde ela diz que o pastor entra em um "jogo de injustiças" e pode se tornar uma vítima da "inversão de valores"

http://www.cartacapital.com.br/politica/marina-silva-defende-marco-feliciano

Larissa Petra disse...

Como assim o PSOL vai se unir ao PSDB em Alagoa ?O.o O.o O.o *mil vezes choque*
Engraçado que ao PT, que é de esquerda eles não se unem, mas se unir a pior da direita, eles fazem ? Juro que fiquei decepcionada.
Claro que eu sei que essa posição é apenas em Alagoas, não representa todo o PSOL, mas mesmo assim chocada.
http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/08/psol-e-psdb-unidos-em-alagoas.html

Anônimo disse...

Da pra honrar a esquwrda e votar em alguem que nao tem rabo preso com a iniciativa privada

Anônimo disse...

Aponta carta capital na fonte = li na veja dos reaças

Anônimo disse...

Eu não entendo. Nunca vi um governo tão criticado, nunca vi tanta gente reclamando, tanta gente c/ raiva... Mas por outro lado nunca vi tanta gente gastando, principalmente no exterior... SErá q a situação está tão ruim assim? SErá q não é melhor o tempo do apagão, do dolar a 4 reais, do desemprego absurdo, da inflação a mais de 40%, do FMI, do liberalismo q só fazia bem pros ricos, de aposentado sendo chamado de vagabundo, de compra de votos pra reeleição em q ninguem, absolutamente ninguém foi preso... Sou uma senhora de mais de 40 anos e tlvz por isso eu me lembre mais dessas dificuldades e por isso entendo os jovens q não viveram isso e acham q voltar pra essa situação é a solução. Mas me espanta gente até mais velha q eu não se lembrar disso.
Por isso eu acho q vou acabar me rendendo a opinião da minha classe social ( a classe média q acha q é elite ) e votar nesse povo. Quero ver essa gente tendo de passar as férias no litoral paulista, sem q nunca mais possam ir pra Miami comprar muamba

Anônimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=qHrW-vKd1f0&feature=youtu.be

Larissa, a opinião da Marina sobre a situação do Marco Feliciano e estado laico.

Rodrigo disse...

O PSOL sempre se alia à direita pra tentar ferrar o PT, na boa, já nem chamo eles de esquerda mais, apesar de ter alguns políticos que respeito, como Jean Willys.
No mais, meu voto é da Dilma, e também acho que vou votar em feministas pra assembléia e pra câmara. Ta tenso é pro governo de SC, onde a polarização deve se dar entre Raimundo Colombo (do PSD e apoiado pelo coroné Luís Henrique da Silveira) e o tucano Paulo Bauer.
Nem sei em quem voto no segundo turno, mas acho que Bauer talvez seja menos ruim, pois seria uma derrota do coroné...

Anônimo disse...

O governo FHC tinha o "engavetador geral da república". Prefiro um governo que expôe e julga seus corruptos que um governo que faz bonito jogando por baixo do tapete.

Anônimo disse...

Oi, Patrick, e a todos que por acaso estiverem lendo meu comentário - ficaria muito feliz!
Também sou do RN e votarei em Fátima Bezerra (PT) para senadora, por ainda associá-la ao espectro político de esquerda e em reconhecimento ao seu trabalho em defesa dos direitos das minorias.
No entanto, humildemente e sem querer subestimar sua capacidade intelectual nem interferir no seu poder de decisão, gostaria apenas de alertá-lo para a composição da chapa proporcional para deputado federal. No nosso estado, o candidato Hugo Manso (PT), de esquerda, faz parte da coligação Liderados pelo Povo I, composta por PT/PSD/PP/PCdoB/PEN/PTdoB. Esta coligação foi montada com o intuito de eleger dois deputados federais, que, segundo a "lógica formal" que nosso sistema eleitoral permite prever, serão Fábio Farias (PSD) e Betinho Rosado (PP), isto é, dois conservadores, "agronegocistas" de carteirinha, que não têm a menor identificação com o campo sequer de centro-esquerda nem com a defesa dos direitos das minorias, das mulheres e do povo em geral. Nesta coligação, infelizmente, o PT está sendo usado de modo a atrair um eleitorado de esquerda para que estes votos entrem na conta do coeficiente eleitoral das velhas hienas da política - como diria Heloísa Helena.
Penso que, para nós do RN que gostaríamos de ver uma Câmara renovada para melhor, à esquerda, seria mais interessante votarmos em candidaturas do PSOL ou PSTU, pois, embora possa haver divergências programáticas entre nós e eles, são partidos que inegavelmente estão do nosso lado; hasteiam nossas bandeiras feministas e que temos certeza de que nosso voto não irá eleger conservadores nem fundamentalistas.
É de extrema importância que estejamos cientes e entendamos este xadrez político, pois nosso votinho libertário pode estar servindo para eleger as raposas! Beijo!

E beijo, Lola, sou muito grata por ler seu blog. Parafraseando Os Mutantes, "eu ainda vou abraçar você" - posso, né?! Como estamos falando de eleição, ficaria muito feliz se todxs xs nossxs companheirxs leitorxs tivessem ciência dessa questão da composição das chapas, pois às vezes acabamos caindo nessas armadilhas do processo eleitoral.

Vivi

Anônimo disse...

O Patrick praticamente confirmou, que se tomarmos calote Cubano, referente ao emprestimo de 1,3 Bi para porto cubano(e vamos)quem vai arcar e o tesouro nacional(nossos impostos)
E estão aplaudindo, dizendo que e "puro amor"
Eu não entendo petistas, são abusados, e se apaixonam pelo abusador.
E outra, acabo de ler, que Cuba passou a administração do porto de Muriel para uma empresa Russa.
Não dá para saber se e licito ou não, POIS O CONTRATO E SECRETO.
Mas parece que nos passaram a perna.

Karla disse...

Não sei se eu agradeço por chamar o PSOL de extrema esquerda, Lola. Até gostaria de entender o que você entende por extrema esquerda, porque a maioria dos grupos do PSOL (o da Luciana, inclusive) é bastante moderada em alguns aspectos.

Não posso falar pela Luciana, mas acredito que ela fala do acúmulo do partido ao dizer que a direita aceitou Dilma e Lula muito bem. Claro, Luciana e o PSOL são socialistas, então quando nos referimos à direita, estamos falando da classe burguesa.

Acredito que é consenso que o PT no governo federal fez concessões à classe burguesa: começando pela carta-compromisso do Lula ainda na campanha de 2002, passando pela reforma da previdência, além das famigeradas alianças com Sarney e quetais. Ou temos dúvidas de que Sarney representa a classe burguesa no senado?

E já que falamos de financiamento de campanha, este link é interessante: um infográfico mostra que TODAS as quatro maiores empreiteiras do país doaram alguns milhões para o PT entre 2002 e 2012. Se isso não coloca o PT do lado da burguesia, eu não sei o que coloca... http://apublica.org/2014/06/as-quatro-irmas/

Não por coincidência, populações indígenas estão sendo massacradas porque existe enorme pressão para construir a usina de Belo Monte, milhares de pessoas foram expulsas de suas casas para darem lugar a obras destinadas aos grandes eventos - todas estas obras, pelo menos no Rio de Janeiro, foram conduzidas por estas quatro empreiteiras que doaram dinheiro à campanha do PT, que faz parte (vejam só!) do governo Eduardo Paes. Quer maior tolerância da direita (isto é, da classe burguesa) do que isso?

Aliás, já que falamos do Rio de Janeiro, cabe lembrar que o PT só saiu do governo Cabral aos 45 do segundo tempo, quando constataram que esse governo estava naufragando e que a candidatura Lindberg seria possível. Só que a coisa foi tão vergonhosa que o Cabral os expulsou do governo antes de eles pedirem pra sair... Foram sete anos de tolerância da direita do Rio de Janeiro. Tá bom ou quer mais?

(Quanto à gerdau, Luciana fez auto-crítica quando pressionada pelo partido. Quando o PT vai pressionar Dilma e Lula pelas doações recebidas pelas empreiteiras? Quando o PT vai fazer auto-crítica e mudar seu comportamento?)

Na mesma matéria, existe uma citação de um dos donos da Odebrecht chamando Lula de "meu chefe". Isso sem contar alguns elogios da figura mais notória da bancada ruralista (que de esquerda não tem nada, concorda?), a Kátia Abreu.

Ah, e o PSC do Feliciano, que só conseguiu a CDHM porque é base aliada do PT e conseguiu espernear até ganhar um carguinho? O Feliciano fez campanha pra Dilma em 2010, inclusive. Tá no Youtube pra todo mundo ver. Enquanto isso, nós do PSOL travamos uma briga absurda para barrar a candidatura de um homofóbico no Rio de Janeiro.

Talvez a direita mais caricata, a direita dos Jardins, espume contra o bolsa-família e todas as poucas melhorias que a classe trabalhadora conquistou nos governos petistas (como a PEC das domésticas, por exemplo). Sim, a classe burguesa (e a pequeno-burguesia, ou classe média, principalmente) costuma espernear quando percebe que vai perder alguma coisa. Por mais que os governos do PT tenham se esforçado para ela não perder nada, mas enfim. No final, a burguesia está mais do que feliz pelo PT ter criado um novo mercado consumidor onde só existiam miseráveis. Basta observar que outro dia desses o Aécio estava defendendo o bolsa-família.

É justamente por ser um partido da ordem que o PT se mantém onde está.

Larissa Petra: como falei, o PSOL, por coerência, não pode apoiar o PT por conta das concessões petistas à burguesia. E, como militante, confirmo que seria impossível governar sem PMDB e sem PT porque não é com eles que queremos governar. Queremos governar com a classe trabalhadora organizada e fazendo pressão nas ruas!
(Ah, essa notícia sobre aliança do PSOL com o PSDB é calúnia. Elas aparecem muito em época de eleições. Em 2012 disseram que o PSOL de Rezenda faria aliança com o PSDB... Sendo que nem tem diretório do PSOL nessa cidade!)

Anônimo disse...

Oi, Larissa Petra! Confesso que também fiquei surpresa ao ler que o PSDB "ajudaria" o PSOL em Alagoas.
No entanto, é preciso compreender o duro cenário político daquele estado: do lado direito, Fernando Collor e Renan Calheiros Filho, os maiores símbolos da malversação no Brasil; do outro, Heloísa Helena, uma mulher altamente capacitada, honesta, de esquerda, que sem dúvida teria meu voto, pois nossas divergências pontuais são solapadas diante da profunda admiração que ela merece - pela história de luta e sobrevivência num dos estados onde o processo eleitoral é dos mais viciados e desiguais, infelizmente.
Heloísa faz uma campanha sem recursos, com 25 segundos de televisão, enquanto que Collor conta com toda a estrutura do poder econômico, político e midiático local e nacional, pois é proprietário de praticamente toda a grande mídia de Alagoas.
Sei que muitxs têm ressalvas à Heloísa. Mas não admito que comparem-na a Collor ou Renan Calheiros!
Outro fator deve ser ponderado. Embora esta eleição em Alagoas seja polarizada entre Heloísa e Collor, o estado tem outras sete candidaturas ao Senado - todas de partidos nanicos (PTC, PTN, PEN, PRTB) e a maioria laranjas, forjadas para diminuir o tempo de televisão de Heloísa e irem ao horário eleitoral atacá-la com calúnias, a exemplo da campanha machista que fizeram contra ela em 2010.
Heloísa Helena é uma figura além de qualquer partido. Não vamos crucificá-la. Ao contrário, gostaria que todxs xs alagoanxs e brasileirxs de bom coração se empenhassem para elegê-la. Quantos mais apoiarem-na, melhor. E vejamos a enorme desigualdade e a importância deste processo eleitoral. O que está em jogo é a eleição de um dos maiores corruptos da história desse país, além da honra política de Alagoas, estado lindo de um povo carinhoso que não merece ser representado por Collor e Renan Filho!

Vivi

Anônimo disse...

O anonimo que esta revoltado com os casos de Passadena, e do Porto de Muriel em Cuba, saiba que isto e peixe pequeno, perto do desbunde da refinaria de Abreu Lima, em Pernambuco, que estava orçada em 2 bilhões, já saltou para 10 bilhões, e não esta pronta ainda.
Foi prometida de ser entregue ainda no (des)governo Lula, esta acabando o (des)governo Dilma e nada de entregar a obra.

Patrick disse...

Oi, Patrick, e a todos que por acaso estiverem lendo meu comentário - ficaria muito feliz!
Também sou do RN e votarei em Fátima Bezerra (PT) para senadora, por ainda associá-la ao espectro político de esquerda e em reconhecimento ao seu trabalho em defesa dos direitos das minorias.
No entanto, humildemente e sem querer subestimar sua capacidade intelectual nem interferir no seu poder de decisão, gostaria apenas de alertá-lo para a composição da chapa proporcional para deputado federal. No nosso estado, o candidato Hugo Manso (PT), de esquerda, faz parte da coligação Liderados pelo Povo I, composta por PT/PSD/PP/PCdoB/PEN/PTdoB. Esta coligação foi montada com o intuito de eleger dois deputados federais, que, segundo a "lógica formal" que nosso sistema eleitoral permite prever, serão Fábio Farias (PSD) e Betinho Rosado (PP), isto é, dois conservadores, "agronegocistas" de carteirinha, que não têm a menor identificação com o campo sequer de centro-esquerda nem com a defesa dos direitos das minorias, das mulheres e do povo em geral. Nesta coligação, infelizmente, o PT está sendo usado de modo a atrair um eleitorado de esquerda para que estes votos entrem na conta do coeficiente eleitoral das velhas hienas da política - como diria Heloísa Helena.
Penso que, para nós do RN que gostaríamos de ver uma Câmara renovada para melhor, à esquerda, seria mais interessante votarmos em candidaturas do PSOL ou PSTU, pois, embora possa haver divergências programáticas entre nós e eles, são partidos que inegavelmente estão do nosso lado; hasteiam nossas bandeiras feministas e que temos certeza de que nosso voto não irá eleger conservadores nem fundamentalistas.
É de extrema importância que estejamos cientes e entendamos este xadrez político, pois nosso votinho libertário pode estar servindo para eleger as raposas! Beijo!


Cara Vivi, obrigado por sua crítica. Mas onde você vê um limão, eu vejo uma limonada. Sem Fátima disputando a Câmara dos Deputados, Hugo Manso e o PT não teriam condições de alcançar o coeficiente eleitoral para eleger um deputado federal no RN. Agora, nessa coligação, essa possibilidade é real porque Hugo tem boas chances de ser o 3º mais votado e ser eleito na sobra do coeficiente. Então, esses votos conservadores é que ajudarão a eleger um mandato de Deputado Federal para o PT do RN - não o contrário.

Já o PSOL e o PSTU - que sequer tiveram a humildade de se unirem - montaram chapas próprias e não vão alcançar o coeficiente eleitoral. Dessa forma, seus votos não vão ser considerados na repartição do número de cadeiras por coligação. Indiretamente, votos no PSOL e PSTU do RN estarão ajudando não só Fábio Farias (PSD) e Betinho Rosado (PP) como também Felipe Maia (da extrema direita do DEM), Rogério Marinho (PSDB, admirador de Olavo de Carvalho), Antônio Jácome (PMN, pastor expulso de sua Igreja por obrigar amante a praticar aborto, embora defenda ostensivamente sua criminalização; um dos maiores homofóbicos do estado; dentre outras coisas mais pesadas que eu não posso afirmar publicamente sem provas na mão), Paulo Wagner (PV, apresentador de programa policial do tipo atire primeiro e pergunte depois, promovendo o extermínio da juventude negra), dentre outros da mesma extirpe.

Patrick disse...

Legal é o pessoal falando de BNDES, empréstimos públicos e não sei mais o que, como se o governo de fato produzisse algo e tivesse capital próprio pra emprestar.

Deixa eu te contar uma coisa - que pela sua fala parece que será uma surpresa - nenhum banco no mundo empresta capital próprio. Todos vivem do multiplicador monetário, cujas entranhas preciso de mais tempo pra explicar do que um comentário num post.

A continuidade da Dilma vai ser a continuidade desse populismo que agora tá cobrando seu preço: previsão de PIB simplesmente ridícula, desvalorização absurda da Petrossauro, pior taxa mensal de criação de empregos desde 1999, desindustrialização, entre outros menos cotados. E agora, com a liberação de mais 25 bilhões de crédito, o que parece uma piada de péssimo gosto pra um país com endividamento recorde, há mais uma bolha creditícia no horizonte.

1) A Petrobrás não está plenamente valorizada porque o preço no mercado interno da gasolina é menor que o praticado no mercado internacional. Quem "acusa" o governo de "desvalorizar" a Petrobrás sem, ao mesmo tempo, "acusá-lo" de baratear a gasolina é um demagogo.

2)"Pior taxa mensal de criação de empregos desdes 1999". Maravilha, não? Enquanto o mundo discute criação de desemprego, nós debatemos pequeno aumento no nível de emprego, sendo que é muito mais difícil criar postos de trabalho numa situação de pleno emprego como a nossa do que em economias com 20% de desempregados. No mundo inteiro, liberais são críticos da demagogia, no Brasil eles são adeptos de carteirinha :)

3) O Brasil, apesar do crescimento em anos recentes, ainda tem uma taxa baixa na relação crédito/PIB. O endividamento da nossa população é recorde porque pessoas que nunca tiveram, em toda sua vida, acesso a crédito imobiliário, estão finalmente adquirindo a casa própria. Isso é bom, não ruim.

Bastiat bem dizia que "o governo é a ficção em que todos tentam viver às custas de todos os outros" (e olha que o cara morreu em 1850). Deve ser por isso que a Dilma tá liderando.

O governo não é uma ficção maior que o sistema bancário.

Larissa Petra disse...

Para os anons que me explicaram sobre o PSOL e tal, eu conversei ontem com várias pessoas de Alagoas em um grupo no face, como eu sou do RJ não sei tudo que está acontecendo lá, finalmente eu entendi que é por política, uma coisa normal.

Maria Valéria disse...

Sobre a saude, falando com conhecimento de causa , porquue sou médica e trabalho pelo SUS

A grande maioria dos servicos do SUS é MUNICIPAL.
Tem alguns hospitais federais e estaduais, claro , mas a grande maioria dos serviços, incluindo postos de saúde (( onde trabalho ) é municipal.
São as prefeituras que tem a responsabilidade de : contratar,pagar , repor funcionarios, abrir concursos, etc etc etc- ainda que prefiram atraves de parcerias com OS' s abrir processo seletivo com vinculo CLT ( o que sou contra,por experiencia propria , trabalhei por OS e nao muda nada, fora o regime Ser CLT em vez de estatutario,os problemas sao os mesmos !)
Claro que o governo federal e estadual tem que repassar o dinheiro, mas a responsabilidade maior e das prefeituras.
Entao esse bando de gente que fica falando que o SUS ta ruim e gritando " fora Dilma " , cobrem das respectivas prefeituras de onde moram, e nao do PT ( a nao ser que a prefeitura seja PT)
Eu tenho amigos médicos que fazem isso e morro de vergonha, acho que faltaram das aulas de saude pública -:o

Fernando disse...

Explica como pode um liberal ser contra a legalização das drogas e contra o casamento gay.

Sendo conservador no tocante a costumes.

Também não concordo com esse conservadorismo dele, mas como eu disse antes, ainda prefiro um país onde não se possa abortar, queimar um ou se casar com alguém do mesmo sexo a um país de economia ameaçada pelo populismo - que é como o Brasil tá hoje.

Marina defende a independência do Banco Central. Para os Mises da vida, ótimo.

Um Banco Central independente (desvinculado das políticas populistas do governo, que sempre vai querer privilegiar o curto prazo em detrimento do longo) é uma ótima pedida pra qualquer país. Não só para os "Mises da vida" (que aliás, defendem a abolição do Banco Central, o que seria ainda melhor).

Fernando disse...

Deixa eu te contar uma coisa - que pela sua fala parece que será uma surpresa - nenhum banco no mundo empresta capital próprio. Todos vivem do multiplicador monetário, cujas entranhas preciso de mais tempo pra explicar do que um comentário num post.

Tenho plena consciência disso. O "multiplicador monetário" (eufemismo para inflação) só existe porque o governo, através do banco central, carteliza o sistema bancário e força o consumidor comum a usar apenas sua moeda. Eu sei que banco não empresta capital próprio, eles compram e vendem títulos da dívida pública, e com o dinheiro que recebem desses títulos eles piramidam tendo o compulsório como base. Mas todo esse esquema fraudulento e inflacionário só tem alguma sustentabilidade se tiver um emprestador de última instância por trás de tudo, ou seja, o Banco Central.

1) A Petrobrás não está plenamente valorizada porque o preço no mercado interno da gasolina é menor que o praticado no mercado internacional. Quem "acusa" o governo de "desvalorizar" a Petrobrás sem, ao mesmo tempo, "acusá-lo" de baratear a gasolina é um demagogo.

É uma acusação justa: eu acuso o governo de forçar a Petrossauro de praticar preços irrealistas no mercado de petróleo. Os mesmos preços irrealistas que o governo forçou as usinas de energia elétrica a praticar. A Dilma fez toda aquela fanfarra, com direito a pronunciamento, quando baixou a conta de luz na base da porrada. Será que vai ter pronunciamento quando o tarifaço vier?

PS: não duvido que, se estivéssemos em 1986, tu declamasse em prosa e verso as maravilhas do Plano Cruzado.

2)"Pior taxa mensal de criação de empregos desdes 1999". Maravilha, não? Enquanto o mundo discute criação de desemprego, nós debatemos pequeno aumento no nível de emprego, sendo que é muito mais difícil criar postos de trabalho numa situação de pleno emprego como a nossa do que em economias com 20% de desempregados. No mundo inteiro, liberais são críticos da demagogia, no Brasil eles são adeptos de carteirinha :)

Vamos considerar o seguinte:

1) As estatísticas de desemprego são cheias de distorções (por exemplo, a taxa de desemprego calculada pelo DIEESE é mais que o dobro da calculada pelo IBGE, denunciando a metodologia ridícula adotada por este último), o que torna elas pouco confiáveis e põe em dúvida até mesmo o conceito de pleno emprego;

2) Estatísticas de desemprego, por si só, não são um bom indicador de saúde financeira de um país. A Alemanha tem uma taxa de desemprego um pouco maior que o Brasil, entretanto nada de braçada em relação a nós quando o assunto é desenvolvimento;

3) Não sei se seria justo me acusar de demagogia quando os números apontam o fato que mencionei antes.

Fernando disse...

3) O Brasil, apesar do crescimento em anos recentes, ainda tem uma taxa baixa na relação crédito/PIB. O endividamento da nossa população é recorde porque pessoas que nunca tiveram, em toda sua vida, acesso a crédito imobiliário, estão finalmente adquirindo a casa própria. Isso é bom, não ruim.

Liturgia keynesiana clássica: criação de dívidas é espetacular pra economia, pois aquece o mercado interno, gerando emprego e renda. Só tem um probleminha básico: essas dívidas têm que ser pagas um dia.

A crise financeira de 2008 que se formou após estourar a bolha imobiliária americana se formou exatamente assim.

O governo não é uma ficção maior que o sistema bancário.

Quem está no comando do sistema bancário?

Maria Valéria disse...

Eu não entendo. Nunca vi um governo tão criticado, nunca vi tanta gente reclamando, tanta gente c/ raiva... Mas por outro lado nunca vi tanta gente gastando, principalmente no exterior... SErá q a situação está tão ruim assim? SErá q não é melhor o tempo do apagão, do dolar a 4 reais, do desemprego absurdo, da inflação a mais de 40%, do FMI, do liberalismo q só fazia bem pros ricos, de aposentado sendo chamado de vagabundo, de compra de votos pra reeleição em q ninguem, absolutamente ninguém foi preso... Sou uma senhora de mais de 40 anos e tlvz por isso eu me lembre mais dessas dificuldades e por isso entendo os jovens q não viveram isso e acham q voltar pra essa situação é a solução. Mas me espanta gente até mais velha q eu não se lembrar disso.
Por isso eu acho q vou acabar me rendendo a opinião da minha classe social ( a classe média q acha q é elite ) e votar nesse povo. Quero ver essa gente tendo de passar as férias no litoral paulista, sem q nunca mais possam ir pra Miami comprar muamba


Anônimo 00:21

Comentário perfeito. Faço minhas as suas palavras, inclusive porque acho de fazer 40 -:p

Maria Valéria disse...

Rolo de rir de gente que votou no Covas pro governo de SP, continua votando no PSDB ha 20 anos, e posta no Facebook:

" aqui nos states, que a bom ,nas europas que e bom, nao tem pedagio. E as estradas são um primor...fora Dilma.!!"

Como assim, Se foi Covas que fez as concessões das rodovias paulistas e se foi FHC que vendeu a Fepasa ??

Das duas uma : ou a lavagem cerebral tucana ta f*** mesmo, ou a memória ta curta e tão precisando consultar um neurologista ...

PS : em SP, nao se espante se ate as baratas que aparecerem no seu apartamento forem culpa da Dilma....aqui esse tipo de pensamento ja ta enraizado faz tempo.
-:o

Zrs disse...

Não sei se vocês estão acompanhando as pesquisas, em especial a Trecking, mas dá Marina vencendo a Dilma no segundo turno.

Com o discurso a-político ela consegue reunir todos os descontentes "com tudo que aí está"

A aliança com a banqueira do Itau (pregadora do livre mercado) e a "socialista" Erundina (cristo, o que ela fez? Era fã da Erundina), fica um quadro de "sabe-se lá o que é isso".

Infelizmente, acho que desta vez Marina leva, graças a mídia que anos a fio espancou o PT na tv.

É juntar os cacos e pensar, quiçá, em 2018.

Anônimo disse...

Se os governos estaduais e municipais são os responsáveis pelos serviços públicos, que o governo federal lhes dê autonomia ao invés de centralizar a economia em um vai e volta de impostos e repasses que só faz deixar dinheiro no caminho, tanto pela corrupção quando pelo aparato estatal empregado pra controlar essas transações desnecessárias.

Anônimo disse...

Vou votar no Pastor Everaldo, ele é o canditado que tem as idéias mais parecidas com as minhas, conservador nos costumes e liberal na economia. Paulo.

Thomas disse...

Eleições são só um circo, pra dar a ilusão pro povo de que ele tem controle sobre alguma coisa. Vocês mordem a isca direitinho, caem na ilusão do jeitinho que o sistema quer e a cada quatro anos ficam contando as migalhas que receberam dos seus candidatos eleitos para justificar o próprio voto e uma esperança inútil no futuro.

Do que adianta eleger candidatas feministas? O sistema ainda foi pensado, criado e perpetuado por homens. Tudo o que as candidatas feministas que por ventura se elegerem pensarem em fazer em favor das mulheres ainda será avaliado e aprovado (ou não) por homens.

Mas bem, no final das contas o importante é ficar com a consciência limpa, ter a sensação de dever social cumprido, né. Então votem em quem vocês quiserem, o resultado vai continuar sendo o mesmo.

Anônimo disse...

Vou votar na Marina, acredito que ela deixou um legado quando foi ministra do meio ambiente. Ela era realmente comprometida pela causa da mata atlântica, inclusive reconhecida mundialmente. Fora que conheço sua familia e ela sempre se mostrou muito humilde e honesta. Sem contar que ela lutou muito pra chegar onde está, passou pela pobreza, doença, enfim desde que li uma reportagem dela a admiro.

Quanto não votar nela, justamente por ela ser contra aborto e casamento gay. Li uma vez que ela falou que não concordava, mas que não devia interferir na decisão alheia. ( não tenho certeza da fonte, as vezes pode ter sido até em um site duvidoso.) Eu por exemplo sou cristã e sou feminista. Sou contra o ato de abortar, mas acredito que a legalização é necessária, visto que ajudaria várias mulheres. Já parou pra pensar porque só rica pode abortar? Porque a vitima de violência tem tanto obstáculo pra conseguir um aborto? Eu mesmo não imaginaria o que faria se ficasse grávida vitima de estupro. Por ultimo deixo o pensamento "Se Deus nos dá livre arbítrio, por que o Homem não pode respeitar a decisão do outro?"

Lola quero aproveitar para elogiar o Blog, que abriu muito minha mente. Percebi que o machismo fez parte da minha vida desde a infância e sou grata por não reproduzi-lo.

André disse...

Fernando,

Não te parece nem um pouquinho incoerente que uma sociedade se abstenha de ter qualquer controle do dinheiro (que pode ser usado para toda sorte de especulações afetando a vida de todo mundo) enquanto cria regras (e consequentemente terá que implementar algum tipo de fiscalização) sobre a vida sexual consensual de terceiros?

Anônimo disse...

Concordo plenamente com a colocação sobre a Luciana Genro, até conversei algo parecido com minha mãe ontem.
Mas ela (Luciana), sendo quem é, usar o termo direita e esquerda tá demais. Aqui não tem esse negócio de direita e esquerda: todos os partidos vieram do mesmo braço político o MDB, até onde sabemos não temos herança política da ARENA.

Ninguém que tenha ideais de direita por aqui, tem coragem de assumir pq não tem nada a ver com com o nosso jeito populista e assistencialista de ser... Chamar PSDB de direita faria um direitista arrancar os cabelos, rs...

Não gosto de votar em pessoas que infringem de 'leis pequenas' (como a lei seca p. ex.)a leis grandes (improbidade adm.), também não me agrada votar em crentes religiosos, fiquei com pouca ou nenhuma opção de voto.

Um adendo a história de candidato crente: eu estava conversando com a minha mãe, falando que Marina era dessas vertentes protestantes mais radicais e tal. Minha mãe solta uma pérola: Ih, será que ela depila o sovaco? Nunca ri tanto na vida. Não precisava achincalhar, né?! :p

Também faço questão de votar em mulheres quando possível.Vivo tentando.

donadio disse...

"Negar que o PT seja uma quadrilha é sacanagem"

Eu sou filiado ao PT. Você está me chamando de membro de quadrilha?

Fernando disse...

Não te parece nem um pouquinho incoerente que uma sociedade se abstenha de ter qualquer controle do dinheiro enquanto cria regras sobre a vida sexual consensual de terceiros?

Mas sem dúvida nenhuma que é incoerente. A questão é que não há melhor opção no momento.

Também gostaria de votar em candidatos liberais na economia e nos costumes, mas esses candidatos, por ora, não existem.

(que pode ser usado para toda sorte de especulações afetando a vida de todo mundo)

Todo ato que tenha como intenção se precaver ou tentar prever o futuro é um ato especulativo. Todo ato comercial, portanto, é especulativo.

Imagino que tu não queira abolir toda a prática do comércio.

(e consequentemente terá que implementar algum tipo de fiscalização)

Isso, pra mim, é o pior de se eleger um liberal-conservador. Mas não há melhores opções.

donadio disse...

"Eu me recuso a urinar sentado, ouvi dizer que feministas tem m projeto de lei neste sentido, absurdo.]

E eu "ouvi dizer" que o PSDB tem um projeto de lei que obriga à castração de gente que acredita em "ouvir dizer".

Como eu não acredito em ouvir dizer, estou tranquilo, mas no seu lugar eu ficaria com medo do Aécio Neves.

"ENTENDERAM FEMINISTAS? EU ME RECUSO A MIJAR SENTADO."

Pois mije em pé, cara, com toda tranquilidade. Como é que alguém faria cumprir uma lei imbecil dessas, mesmo que por um aborto da natureza fosse aprovada?

Cada uma que vocês inventam... e depois acreditam no que vocês mesmos inventaram.

donadio disse...

"Também não concordo com esse conservadorismo dele, mas como eu disse antes, ainda prefiro um país onde não se possa abortar, queimar um ou se casar com alguém do mesmo sexo a um país de economia ameaçada pelo populismo - que é como o Brasil tá hoje."

A Grécia é um país cuja economia não está sendo ameaçada pelo "populismo"...

Anônimo disse...

Patrick, onde você consegue essas informações?

Você tem alguns sites bons para acompanhar a situação do país? Vejo que pouquíssimos sites e blogs são imparciais, aí fica difícil.

Death disse...

Esse ano tá dificil acho que vou votar na Dilma só pra Marina não ganhar. Uma pena que não temos um candidato realmente de esquerda com representatividade nestas eleições.

Fernando disse...

A Grécia é um país cuja economia não está sendo ameaçada pelo "populismo"...

"Se você quer saber como a democracia realmente funciona, considere este exemplo. George Papandreou, o político grego socialista, ganhou as eleições em seu país em 2009, com um slogan simples: 'Há dinheiro!' Seus oponentes conservadores haviam reduzido os salários dos funcionários públicos e outras despesas públicas. Papandreou disse que isso não era necessário. 'Lefta yparchoun' era seu grito de guerra — há dinheiro. Ele ganhou as eleições sem problemas. Na realidade, não havia dinheiro nenhum, é claro — ou melhor, o dinheiro teve de ser fornecido pelos pagadores de impostos de outros países da União Europeia. Mas, na democracia, a maioria está sempre certa e, quando tal maioria descobre que pode, por meio do voto, confiscar a riqueza alheia para si própria, ela inevitavelmente fará isso. Esperar que não o faça seria ingenuidade." (Frank Karsten e Karel Beckman, em "Além da Democracia)

Acho que não preciso colocar qualquer adendo.

André disse...

Fernando,

"Todo ato comercial, portanto, é especulativo."
Creio que você entendeu o que eu quis dizer. Qualquer atividade humana comporta algum tipo de regulação. O problema é definir o que deve ser mais ou menos regulado. Não creio que precisemos de ainda mais interferência do estado em nossa vida privada. Eu prefiro ter como meta os países europeus que regulam mais o capital que a vida privada, que os países muçulmanos que fazem o contrário. Mesmo porque o mais provável é que, num improvável governo do pastor, os adversários políticos dele se tornem todos viados.

Anônimo disse...

Cristã e feminista...? Isso não tem lógica nenhuma! O Deus que os cristãos e judeus acreditam, é machista.

Grão da Noite disse...

Ia votar em Luciana Genro no 1º turno, como forma de protesto. E só votaria nela pela chance zero de ganhar. A proposta dela de revisar as dívidas do Brasil é patética. Por mais injustos sejam, certos contratos devem ser cumpridos, pois descumpri-los geraria um caos na economia. Mas enfim, com a morte de Eduardo Campos, vou votar em Dilma nos 2 turnos. Acho-a extremamente arrogante. Mas enxergo igual nível de arrogância em Marina Silva, com a agravante de que Marina Silva é evangélica. Uma frase de C.S. Lewis sintetiza o que penso sobre os evangélicos: De todas as tiranias, aquelas exercidas sinceramente para “o bem” de suas vítimas podem ser as mais opressivas. Seria melhor viver sob barões ladrões do que sob “onipotentes” metidos à moralidade. A crueldade do barão pode, por vezes, adormecer, e a sua cobiça pode em algum momento ser saciada; mas aqueles que atormentam-nos para “o nosso próprio bem” vão nos atormentar sem fim, pois fazem isso com a aprovação da própria consciência.

Anônimo disse...

As estradas de SP sob concessao de empresa sao as melhores do Brasil f. Me explica pq entao?

Caroline disse...

Meu voto é pra Dilma presidenta. A despeito da aliança com a bancada evangélica, programas como o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec, em que a maioria das beneficiadas é mulher, são uma grande contribuição para a nossa emancipação. Só isso já vale o voto de todas mulheres feministas que conheço.

Para o senado, voto em Olívio Dutra (PT). É um sujeito sério e comprometido com as pautas do partido. Defende reforma política, tributária (para desonerar os pobres) e já o vi em diversas campanhas contra a violência doméstica. Além disso, é o candidato que pode desbancar Lasier Martins, um baita de um reacionário bancado pela RBS. Não votar no Olívio é impensável nessa eleição.

Para deputado federal, tenho dúvida. Vou de Henrique Fontana, Paulo Pimenta ou Maria do Rosário, todos do PT. Ainda preciso decidir qual. Mas o fato é que todos defendem políticas para as mulheres em seus programas e na sua construção partidária.

Deputada estadual é a candidatura que mais tenho firmeza para defender. Votarei na Laura Sito, candidata jovem, 22 anos, estudante de Jornalismo, negra. Tem uma história de militância junto ao movimento negro que é de uma legitimidade tremenda, sem contar que tem a cara do setor popular que mais se beneficia com as políticas do PT: mulheres negras, que são a maioria da população em situação de vulnerabilidade neste país. Acho importante a candidatura porque estamos defendendo a descriminalização do aborto, a revisão da política de segurança, uma política de drogas antiproibicionsita, etc. Importante ressaltar também que o Rio Grande do Sul, estado onde moro, nunca teve uma deputada negra. É algo que precisa ser defendido para que todas mulheres possam ocupar os espaços de decisão na nossa sociedade.

Enfim, meus votos são esses. E sobre o artigo da Luciana Genro, concordei com tudo, menos quando ela diz que o PT serve à direita. Se servisse, os governos do PT não estariam sofrendo sucessivos ataques dos setores de direita desde que foram eleitos. Se fosse de direita, não teria a preocupação que tem com tirar as pessoas de situação de pobreza.

A direita, no geral, convive bem com a ideia de que possa existir a extrema pobreza. Na visão deles, riqueza é só questão de mérito. Pra esquerda, não. Pobreza e riqueza são questão de oportunidade. E a pobreza extrema é algo inadmissível para toda esquerda, especialmente pro PT.

Inté :)

Patrick disse...

Pra pessoa que me pediu fontes de informação:

1) Estudei um pouco de economia por conta própria. A melhor fonte foi uma apostila de um curso à distância de economia para funcionários do Banco do Brasil (onde eu trabalhava à época, 2001). Fácil de entender, ao mesmo tempo profunda nos assuntos abordados. Vou tentar encontrá-la para compartilhá-la na internet.

2) A consciência de um liberal, de Paul Krugman. Defende a tese de que num estado de bem estar social com baixa desigualdade social a economia funciona melhor. Nos Estados Unidos, liberal é quem advoga a liberdade individual da pessoa humana. Por isso são pessoas favoráveis à educação pública, previdência social, saúde pública e direitos das minorias. Se, para isso, precisarem sacrificar alguma liberdade na economia (tipo, a "liberdade" pra constituir um monopólio ou não pagar tributos) não ficarão tristes.

3) Valor Econômico. Apesar da ideologia das manchetes, é possível ver informações interessantes em algumas matérias. Aloysio Biondi, já falecido, costumava dizer que no jornalismo econômico brasileiro a verdade está sempre no último parágrafo. Várias vezes já confirmei essa máxima. Parte relevante de seu conteúdo pode ser lida de graça na resenha eletrônica.

4) Tijolaço, blog de Fernando Brito. Melhor do Brasil na cobertura da área de petróleo e Petrobrás.

5) Relações internacionais. Quem tiver interesse nessa área, mesmo como leigo, deve procurar Conversas com jovens diplomatas de Celso Amorim. Pra mim, o melhor e mais consistente ministro do governo Lula. O livro praticamente tirou todas as minhas dúvidas sobre a política externa brasileira. Incrível esse tipo de informação não ter espaço na imprensa.

Tem mais dois blogs que costumo visitar, mas onde é preciso paciência para separar o joio do trigo:

6) Luís Nassif. Tem muito Ctrl-C/Ctrl-V, deixa passar estupidezes machistas (ultimamente menos), tem vários dos defeitos da grande mídia, mas peneirando se encontra algo de útil.

7) O Cafezinho. Bom nas análises de comércio internacional - que tem feito cada vez menos - tem vários dos defeitos de Luís Nassif (inclusive machismo), com alguns de Paulo Henrique Amorim (defesa a qualquer custo do governo federal).

Sara disse...

Grão da noite, frase maravilhosa e verdadeira essa q vc lembrou...

" De todas as tiranias, aquelas exercidas sinceramente para “o bem” de suas vítimas podem ser as mais opressivas. Seria melhor viver sob barões ladrões do que sob “onipotentes” metidos à moralidade. A crueldade do barão pode, por vezes, adormecer, e a sua cobiça pode em algum momento ser saciada; mas aqueles que atormentam-nos para “o nosso próprio bem” vão nos atormentar sem fim, pois fazem isso com a aprovação da própria consciência."

Essa é minha maior objeção a Marina, mas em nome do passado dela é q terá meu voto, me recuso a votar no PT, que pra mim representa tudo o que George Orwell, escreveu em A Revolução dos Bichos.
Pra mim o PT é uma reedição dessa história de George.

Patrick disse...

me recuso a votar no PT, que pra mim representa tudo o que George Orwell, escreveu em A Revolução dos Bichos.
Pra mim o PT é uma reedição dessa história de George.


Não deixa de ser curioso que George Orwell foi filiado até o fim da vida ao Partido Trabalhista, com perfil muito parecido - historicamente - ao PT. E sua crítica da Revolução dos Bichos é dirigida aos estalinistas do Partido Comunista. Mas é comum, na confusão informacional dos dias de hoje, pensar em "petista" como sinônimo de "estalinista".

Sara disse...

Não há confusão nenhuma não Patrick, pelo menos da minha parte.
Os filiados do PT e seus apaniguados são muito mais "iguais" do q o restante do povo.

Roxy Carmichael disse...

Nao li todos os comentários, entao espero nao estar repetindo o assunto, mas pra uma pessoa sem carisma, a dilma até que inspira muita publicidde espontânea não? Mais Até que o proprio lula! A bolada é um fenomeno, tem ainda a dilma do kibe louco e o system of a dilma, mash up de discurso dela e musica do system of a down, mas com certeza tem outros exemplos. Qual marina vai assumir o risco de fazer nova politica: a neoliberal assessorada por neca setubal e musa do gianeti ou a marina que reclamou que os progessistas só pegavam no pé do feliciano por puro preconceito religioso? Dilma tá bem longe de ser perfeita, pero es lo que hay. Eu prefiro formular criticas e exigir de um candidato durante a gestão, lutar para que esse projeto volte pros trilhos, do que me iludir nesse terreno super pantanoso chamado eleição e correr riscos que podem trazer consequencias bem piores. Tenho todas as minhas criticas mas o emcimadomurismo custa carissimo! Voto orientado pelo medo da emergencia de algo mais sombrio? Nao! É movido por uma utopia de acreditar que desse mato sai coelho e pragmatismo de SABER que nao é a oposicao que vai recuperar as bandeiras abandonadas pelo pt. Tambem nao acredito em messianismo. E pra mim o problema da marina nao é nem a sua cara de pau em de definir como o novo ou tentar vender essa bandeira da eco-bobagem, mas sim, ser a grandr musa dos desencantados com a politica, apoliticos, neo cons disfarçados que prestam desserviço pra essr país.

Anônimo disse...

"Eu prefiro formular criticas e exigir de um candidato durante a gestão, lutar para que esse projeto volte pros trilhos, do que me iludir nesse terreno super pantanoso chamado eleição e correr riscos que podem trazer consequencias bem piores."

Típica ideologia petista de que se trocar o governo o mundo vai acabar em pobreza extrema, hecatombes nucleares e holocausto da miséria...

Thata disse...

Marina Silva: quando, há muito tempo, ela se aliou ao economista neoliberal Eduardo Gianetti da Fonseca, fiquei estarrecida.
Já conhecia o sujeito, pelo apoio aos governos tucanos do "Estado mínimo" (mínimo pros outros, não para os amigos deles das ongs, oscips e afins). Neoliberal ra-di-cal.
Infelizmente a nova geração, que não vivenciou os neoliberais no poder (cf. contexto internacional também), não tem noção do nível de retrocessos - reais e em proposta - daquilo. [Para quem desejar, referência (ótima mesmo) do conceito e sua história no 1° capítulo do livro Pós - neoliberalismo - as políticas sociais e o Estado democrático (org.de Emir Sader e Pablo Gentili; Ed.Paz e Terra, 1995), capítulo de título "Balanço do neoliberalismo", autoria de Perry Anderson].
Por exemplo, conquistas da Constituição de 1988, a "Constituição Cidadã", na área educacional, foram desvirtuadas, de maneiras diversas, por modificações (Emendas Constitucionais e legislação) aprovadas e implementadas na década de 1990.
Voltando, quando vi a aliança de Marina e Gianetti - especialmente após acompanhar o posicionamento/ discurso coerente dela ao deixar o MMA - percebi que havia algo no mínimo MUITO ESTRANHO ali. Não cabe aqui descrever todas as hipóteses que levantei e talz. Gianetti não mudou ideologicamente, apesar de o contexto dos anos 2000 ter sido bem diferente do contexto dos anos 1990 (debates públicos etc.), o que pode muito bem ter fornecido uma aparência disfarçada da ideologia ferrenha dele.
Entendo tal posicionamento político de Marina Silva como estrutural.
Secundariamente: sua filiação ao PSB como estratégia para adquirir mais visibilidade, até efetivar a aprovação de seu novo partido - o que foi inteiramente modificado com a morte de Eduardo Campos e as amarrações ainda mais estapafúrdias dentro do PSB (não novidade) para promovê-la candidata.
Quanto ao seu posicionamento conservador-tradicionalista, parece carma do Brasil (América Latina tb?) esquerdistas a defender ideias a la conservadorismo republicano estadunidense. A propósito, Heloísa Helena - que disse ter "descoberto" o socialismo na bíblia - chegou a chorar num Congresso do PSOL implorando para que retirassem o apoio à descriminalização do aborto do programa partidário. Perdeu e NÃO RESPEITOU o partido da qual era simplesmente uma representante (pq partidos de esquerda - não os de centro-esquerda e afins - têm isso bem claro: o representante cumpre sua função de... representar, conforme o programa apresentado PUBLICAMENTE à população).
Acho a presença desses conservadores-tradicionalistas na esquerda (apesar de, claro, haver toda uma explicação histórica para o fenômeno) um DESSERVIÇO. Lugar de religião, foro íntimo e livre escolha PESSOAL, é na igreja, não no espaço público.

donadio disse...

"Os filiados do PT e seus apaniguados são muito mais "iguais" do q o restante do povo."

Eu sou filiado ao PT desde 1985. Não sou "mais igual" do que ninguém, não tenho cargo comissionado no governo federal, não tenho apaniguados, os impostos que eu pago são iguais aos de todo mundo, meu voto conta tanto quanto o de qualquer outro, se eu dirigir mal pago multa como qualquer um, se eu cometer um crime vou para a cadeia como todo mundo. Sou funcionário público porque fiz concurso. Servi ao Estado sob os governos Sarney, Collor, Fernando Henrique, Lula e Dilma, sendo submetido às mesmas avaliações que todos os outros, recebendo o mesmo salário, sendo submetido às mesmas regras éticas e jurídicas (cada vez mais, diga-se de passagem, coibidoras da corrupção e do mau uso do dinheiro público).

Cadê esse mais igual? Em que espécie de universo alternativo você vive, em que "filiados ao PT" constituem uma casta privilegiada?

Aliás, cadê a coerência entre reclamar das alianças indiscriminadas do PT e reclamar do suposto "aparelhamento" do Estado pelo partido? A máquina pública está cheia de cargos comissionados ocupados por filiados aos partidos aliados, por pessoas sem partido, e até mesmo por pessoas filiadas a partidos de oposição, mas com competência técnica para os cargos que exercem.

Nem Terra Média nem Granja dos Animais, aqui é o Brasil, uma democracia consolidada, onde não há castas, onde a oposição diz o que pensa e o que quer (às vezes chegando às raias da calúnia, aliás), onde ninguém, dentro do razoável, é obrigado a fazer o que não quer.

Viajar por outros mundos pode ser legal quando o assunto é ficção, mas política é cotidiano, e esse Brasil maluco onde as pessoas são obrigadas a ser petistas sob pena de não sei que limitações simplesmente não existe.

Fernando disse...

Creio que você entendeu o que eu quis dizer.

Temo que não. Como eu disse, qualquer ato que vise a se precaver ou a prever condições futuras é especulação. O comerciante é um especulador: ele compra produtos por um valor x e vende por y porque espera ter lucro (que é a diferença entre x e y). A pessoa que compra desse comerciante está especulando que, no curto ou no longo prazo, o produto que ela adquiriu do comerciante vai lhe ser mais útil que o dinheiro que ela despendeu para adquiri-lo. O simples fato das pessoas não gastarem todo o salário no dia em que recebem já é especulação.

Se tu tens qualquer preconceito em relação à palavra ou a determinados players do mercado é algo que me escapa.

Qualquer atividade humana comporta algum tipo de regulação. O problema é definir o que deve ser mais ou menos regulado.

Esse "qualquer atividade humana" comporta os "atos sexuais consensuais entre pessoas adultas" a que tu te referiu em outro post, e que provavelmente tu não gostaria de ter qualquer regulamentação sobre.

Não creio que precisemos de ainda mais interferência do estado em nossa vida privada.

Nem eu.

Eu prefiro ter como meta os países europeus que regulam mais o capital que a vida privada

Agora eu te devolvo a pergunta: não te parece incoerente querer controlar o que as pessoas ganham e deixar sem qualquer regulação as vidas pessoais?

que os países muçulmanos que fazem o contrário.

Eu prefiro viver num país que assuma o pioneirismo de não regular nem uma coisa nem outra. Como isso por ora não é possível, estou elegendo prioridades.

Mesmo porque o mais provável é que, num improvável governo do pastor, os adversários políticos dele se tornem todos viados.

No atual governo quem se opõe a suas medidas é reaça-fascista-coxinha-da-elite-branca-que-tem-ódio-de-pobre, não importa os argumentos que apresente. So what?

Thata disse...

Existem cristãs e feministas sim, anon 23/8 21:42.
Mas só há coerência no posicionamento quando enfrentam posicionamentos da religião em questão, como faz o grupo "Católicas Pelo Direito De Decidir".
Os dogmas religiosos não são petrificados como parecem, também têm história, também resultam de lutas internas pelo poder.
Apesar de todas as religiões monoteístas serem patriarcais, não acredito que não se possa questionar o direcionamento ideológico que determinada religião tomou, e a consequente exclusão dos discordantes.
Se/qual questionamento abala a estrutura, transformando-a qualitativamente, num sentido não machista/misógino, não sei; só a História, no longo prazo, dirá.

Thata disse...

Maria Valéria (22/8 20:59),

"Eu morro mas não voto no PSDB.
E ponto final."

Assino embaixo 1000x!

Thata

Anônimo disse...

http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2014/02/1411372-eduardo-giannetti-igualdade-de-que.shtml

Gianetti é quase socialista.

Anônimo disse...

"Voto orientado pelo medo da emergencia de algo mais sombrio? Nao! É movido por uma utopia de acreditar que desse mato sai coelho e pragmatismo de SABER que nao é a oposicao que vai recuperar as bandeiras abandonadas pelo pt. "

Roxy, eu te amo!

falou tudinho q eu penso mas muito melhor do que eu falaria

aiaiai

Sara disse...

Donadio se vc não percebeu q os porcos estão andando em duas patas o problema é todo seu....

Roxy Carmichael disse...

Acho interessante que nos varios anos da republica do cafe com leite (duraram ate 2002) nao era assim tao cumum falar que a troca de partidos favorecia a democracia. Mas em todo caso, em parte vc tem razao: lembra da primeira eleição do lula? Era uma historia de o mercado vai fucar chatiado e etc e tal. Mas uma coisa é bem facil de perceber: dificilmente o povo vota na direita. Portanto nao duvido de mais oito anos de pt. Democracia is a bitch! E fico curiosissima pra ver como o pig vai reagir quando perceber que nao há mensalao nem naovaitercopa que derrube. Alias ja devia ter se tocado, nao?

donadio disse...

"Donadio se vc não percebeu q os porcos estão andando em duas patas o problema é todo seu...."

Reafirmo o que eu disse anteriormente: eu sou "porco" e não vejo em que eu ande sobre menos patas do que você.

Quais são os privilégios que eu deveria ter por ser militante petista? E a quem eu devo me dirigir para reivindicá-los, uma vez que evidentemente não estou desfrutando deles?

André disse...

Fernando,

Me referia a práticas como cartel, monopólio, dumping e especulações como as que foram feitas com os títulos subprime americanos. Os problemas do capitalismo selvagem não passam nem perto do lucrinho do Seo Zé da vendinha.

"Se tu tens qualquer preconceito em relação à palavra ou a determinados players do mercado é algo que me escapa."
Não é preconceito se prevenir de práticas espúrias largamente conhecidas.

"Esse "qualquer atividade humana" comporta os "atos sexuais consensuais entre pessoas adultas" a que tu te referiu em outro post, e que provavelmente tu não gostaria de ter qualquer regulamentação sobre."
Adivinhou errado, eu sou contra a pedofilia, por exemplo.

"Agora eu te devolvo a pergunta: não te parece incoerente querer controlar o que as pessoas ganham e deixar sem qualquer regulação as vidas pessoais?"
Sempre cabe regulação quando afetar terceiros. A atuação no mercado de grandes players costuma afetar mais pessoas que um analzinha esperto.

"Eu prefiro viver num país que assuma o pioneirismo de não regular nem uma coisa nem outra. Como isso por ora não é possível, estou elegendo prioridades."
Foi essa a pergunta original, porque uma atividade que tem menos potencial de dano merece mais regulação que uma atividade potencialmente mais danosa?

"No atual governo quem se opõe a suas medidas é reaça-fascista-coxinha-da-elite-branca-que-tem-ódio-de-pobre, não importa os argumentos que apresente. So what?"
Um chama o outro de coxinha, o outro chama o um de petralha. Mas o BNDES continua emprestando para todo mundo, o MCMV e o BF atende tucanos e comunistas, etc.

André disse...

Pessoal,

A imprensa que diz que o PT aparelha o estado e que faz o governo mais corrupto da história é a mesma imprensa que torna invisível os negros e as mulheres (a menos que seja para deixá-las mal para comprarem alguma coisa).

Larissa Petra disse...

Parece que Silas Malafaia, isso mesmo, apoiará Marina Silva em caso de 2º turno:
http://noticias.gospelmais.com.br/pastor-silas-malafaia-apoiara-marina-silva-segundo-turno-70538.html

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/religiao/malafaia-vai-de-marina-no-segundo-turno/ (Da veja para não dizerem que só tem Carta Capital)

Larissa Petra disse...

Textinhos legais para entender um pouco das """propostas""" da Marina Silva.
http://plantaobrasil.com.br/news.asp?nID=80907&p=2
Para sintetizar:
Ela é contra a construção de grandes obras de infra-estrutura (usinas hidrelétricas, siderúrgicas, refinarias, rodovias, ferrovias, etc), em nome de um ambientalismo xiita e retrógrado, o que irá impedir o desenvolvimento econômico e social do Brasil;

Ela não tem um partido político forte e nem movimentos sociais organizados que pudessem dar sustentação a um governo com a sua marca. Assim, Marina terá que recorrer aos partidos mais reacionários e trogloditas do especto político brasileiro (PSDB, DEM, PPS, etc) para poder governar, tornando-se uma governante totalmente submissa aos mesmos, já que todas medidas (nomeação de diretores do Banco Central, aumento do salário mínimo, criação de programas sociais, Orçamento da União, etc) precisam ser aprovadas pelo Congresso Nacional para poder vigorar.
Seus principais assessores econômicos são todos neoliberais e tucanos de carteirinha.
Marina Silva é arrogante, autoritária e criou problemas sérios por todos os partidos dos quais fez parte, tendo dificuldades gigantescas para se relacionar com lideranças que divergem de suas ideias, projetos e orientações. O fato do coordenador-geral da campanha (Carlos Siqueira) do falecido Eduardo Campos ter pedido para sair da mesma é mais um fato que comprova isso.
Marina Silva se apresenta como uma representante de uma tal de 'Nova Política', que repudiaria as práticas políticas tradicionais, de formar amplas coligações e alianças para governar. No entanto, ela entrou para o PSB, partido político tradicional e que abriga políticos extremamente conservadores, como são os casos de Heráclitos Fortes e Jorge Bornhausen, ex-membros do DEM (ex-PFL). Mais contraditório do que isso é impossível.
8) Marina Silva é contra a realização de pesquisa com célula-tronco embrionárias. Enquanto isso, o seu Vice, Beto Albuquerque (PSB), é totalmente a favor das mesmas.
Marina Silva declarou, na campanha presidencial de 2010, que é contra o 'casamento gay', afirmando ser apenas a favor da 'união civil de bens' entre homossexuais.

E isso só são alguns...leiam mais no texto.

Larissa Petra disse...

Esse outro compara Marina, Aécio e Dilma.
http://pigimprensagolpista.blogspot.com.br/2014/08/marina-podera-levar-o-brasil-ao-maior.html#.U_pokfldWSA
Veja um trechinho:
"Dilma Rousseff e Aécio Neves representam forças claras e explícitas e são personalidades racionais. (...)
Dilma defende um neo-desenvolvimentismo com uma atuação proativa do Estado e Aécio a volta ao neoliberalismo de FHC (...)
Já Marina é uma incógnita completa.
Primeiro, pelos grupos que a cercam e que querem um pedaço desse latifúndio. E ela não tem um grupo para chamar de seu, a não ser para o tema restrito do meio ambiente. (...)
Os que conviveram com Marina no governo reforçam algumas características:
1º - Dificuldade em entender economias industriais.
2º - Baixo pique operacional. Praticamente não conseguiu colocar de pé nenhuma de suas propostas à frente do Ministério do Meio Ambiente.
3º - Jogo de cintura nenhum."
por Luis Nassif

Anônimo disse...

A diferença entre o Silas Malafaia apoiar a Marina ou a Dilma é que a Marina não vai ter compromisso nenhum com o sujeito (assim como ela se recusa a assumir muitos compromissos do PSB), ao contrário do PT que troca cargos como a presidência da Comissão dos Direitos Humanos ou Meio Ambiente pra aumentar a própria base política.
Apoia ela ela quem quer e prefere seu governo, não quem tem certeza que vai receber qualquer coisa em troca.

Luiza disse...

Lola, eu gosto de você, pois parece ser alguém inteligente e sensível. Porém, politicamente, você é muito ingênua.
Defender o voto em mulheres feministas e, ao mesmo tempo, defender Dilma é um equívoco enorme. Dilma é apenas uma mulher submissa que o Lula colocou no governo para poder manter o total controle da situação. No seu extremo machismo, ele não suporta mulheres fortes e com vontade própria. Assim, escolheu como candidata uma que é totalmente submissa às suas ordens e à sua vontade.
Igualmente, certas alianças não são necessárias para governar. Como é possível explicar que Lula e sua candidata peçam votos para Collor e agridam Heloisa Helena na disputa para senador em Alagoas? Ora, independente de quaisquer desavenças, Heloisa é uma mulher honrada e Collor apenas um patife sem escrúpulos que colabora para manter o povo alagoano na extrema miséria. Só o supremo cinismo pode defender o Collor como um aliado necessário para governar o Brasil.

Anônimo disse...

Anonimo da 21:42. Deus não é machista, machista é o Homem. Dá pra ver claramente que Jesus tratava as pessoas de forma igualitária e justa, sem olhar gênero ou cor ( exemplo mulher Samaritana e Maria Madalena).
É claro que tem muito machismo na igreja, tem muito machismo no mundo também. E se um dia você ver um 'cristão' não respeitar o próximo, não respeitar a vontade do cônjuge, julgar os outros etc, saiba que isso é comum pois tem pessoas ruins em todo lugar, inclusive nas igrejas. E a pessoa que tem essas atitudes pra mim não são Cristãs. Alias não sei o que esse papo tem a ver com politica e porque você questionou no meu comentário apenas o fato de eu ser cristã e feminista. Qual o problema de ser feminista e cristã? O feminismo não prega a liberdade de escolha? A igualdade dos direitos? Se você é contra minha decisão acho que deveria rever seus conceitos.

Patrick disse...

A diferença entre o Silas Malafaia apoiar a Marina ou a Dilma é que a Marina não vai ter compromisso nenhum com o sujeito (assim como ela se recusa a assumir muitos compromissos do PSB), ao contrário do PT que troca cargos como a presidência da Comissão dos Direitos Humanos ou Meio Ambiente pra aumentar a própria base política.

Falso, o PT não assumiu a presidência da CDH porque não tinha bancada grande o suficiente para fazer a indicação. O PT tem o ônus de ser governo e a complicada tarefa de acompanhar PLs em diversas comissões. Onde estava o PSB e o PSDB que também poderiam assumir a CDH? E o PSOL? Por que continua com uma bancada minúscula, incapaz de indicar a presidência da CDH? Porque ao invés de fazer discurso de esquerda, leva o tempo a jogar pedras no PT.

Quem, no Rio Grande do Norte, aparece no horário eleitoral com uma bíblia na mão dizendo que seu programa de governo está baseado nela? Um candidato a deputado federal pelo PSOL!

E mais, em Natal-RN o PSOL tem uma bancada do mesmo tamanho da do PT. Pergunte se indicaram o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal? Mas nem como membro tiveram interesse em participar! Não existe exemplo mais bem acabado de hipocrisia.

donadio disse...

"escolheu como candidata uma que é totalmente submissa às suas ordens e à sua vontade."

Gente, vocês vivem em outro planeta, né? Onde está essa tal de "vontade" do Lula no governo da Dilma? O que foi que ele "impôs" a ela? O que ela quis fazer que não pôde por que ele não deixou? O que ela teve de fazer por que ele mandou?

Por exemplo, é público e notório que o Lula apóia o Lindemberg para o governo do Rio de Janeiro. A Dilma (equivocadamente, na minha opinião) apóia o Pezão. Cadê a subordinação dela a ele?

Fernando disse...

Me referia a práticas como cartel, monopólio, dumping e especulações como as que foram feitas com os títulos subprime americanos. Os problemas do capitalismo selvagem não passam nem perto do lucrinho do Seo Zé da vendinha.

Três dessas três práticas são ou foram possibilitadas de por uma entidade que tu nem imaginaria ser a responsável, e chega a ser absurdo reclamar da outra. Olha só:

Cartel: associação comercial com fins de prejudicar a competição. Não possui incentivos quando o mercado do setor é de livre concorrência, pois sempre há a ameaça de surgimento de novos competidores oferecendo seu produto mais barato, afora o risco dos próprios cartelistas quebrarem o acordo. Costuma durar mais quando o mercado não tem livre entrada. O exemplo clássico no Brasil é o mercado de telefonia, que possui apenas quatro competidores, dos quais foi exigida uma vasta documentação e cumprimento de uma série de regulamentações, afora que para operar no mercado eles ainda dependeram do aval da Anatel para operar. Acha que eles reclamam de ter que cumprir com tantos expedientes? Não, pois a alternativa seria competir com Vodafone, Verizon, Orange e AT&T.

Monopólio: quando uma empresa detém o controle de todo o mercado. É uma situação mais fácil de se manter se houver alguma ação governamental por trás. Exemplos no Brasil não faltam, sendo os principais o monopólio da Petrossauro até 1997 e o serviço de transporte público, que é operado por concessão no limite de um município, e mais ninguém pode prestar tal serviço naquela área.

Dumping: também conhecido como precificação predatória. Consiste em vender produtos abaixo do seu custo, com o fito de expulsar concorrentes do mercado. É uma prática que não pode ser levada adiante por muito tempo, pois é pura e simples queima de capital. Ao fim do processo, o praticante de dumping pode permanecer sozinho no mercado, mas estará bastante descapitalizado, de modo que terá que aumentar os preços, atraindo novas empresas melhor capitalizadas para o setor, sendo agora o praticante de dumping o ameaçado de ser expulso do mercado.

Ademais, não sei exatamente o que deve ser condenado numa prática de caridade como o dumping, que possibilita a pessoas de menor renda adquirir tais produtos.

O dumping pode ser também duradouro, caso no qual pode até mudar o mercado de forma permanente. Consigo me lembrar de pelo menos três casos de dumping duradouro:

- A luz e o calor do Sol, que nos são oferecidos de graça todos os dias, em detrimento das fábricas de iluminação e condicionamento do ar;

- A existência deste blog, que nos é oferecido gratuitamente, em detrimento das revistas e jornais que poderiam abrigar uma coluna da Lola;

- O fato de eu e tu estarmos discutindo aqui, pagando somente pela luz elétrica que consumimos, em detrimento do serviço postal.

Farra do subprime e consequente crise econômica: É um assunto tão especial (e particularmente complexo) que vou dedicar um comentário inteiro só pra explicá-lo.

Fernando disse...

Adivinhou errado, eu sou contra a pedofilia, por exemplo.

Pedofilia não se encaixa nesse perfil de "atos sexuais consensuais entre pessoas adultas".

Sempre cabe regulação quando afetar terceiros. A atuação no mercado de grandes players costuma afetar mais pessoas que um analzinha esperto.

Foi essa a pergunta original, porque uma atividade que tem menos potencial de dano merece mais regulação que uma atividade potencialmente mais danosa?


Se uma atividade é potencialmente mais danosa, ela também pode ser potencialmente mais benéfica. Sendo eu um liberal e uma pessoa otimista com a natureza humana, eu normalmente creio que as pessoas trabalham pelo próprio bem mas, por tabela, elas são levadas como que por uma mão invisível a fazer o bem para os outros. O advento do comércio e da divisão do trabalho surgiram exatamente assim: o homem descobriu que poderia satisfazer suas diversas necessidades vendendo seus produtos ou sua força de trabalho e adquirindo os produtos que outras pessoas comerciavam, em vez de tentar produzir tudo sozinho. Pra mim todas as distorções na atividade econômica são causadas por uma entidade externa ao mercado, sendo esse o motivo de eu querer uma diminuição dos controles sobre a economia (e, num futuro indeterminado, a abolição total desses controles).

Fernando disse...

A farra do subprime e a crise econômica

A explicação de como a crise começou a ser desenhada passa por dois fatores.

Primeiro, Fannie Mae (nome popular para Federal National Mortgage Association) e Freddie Mac (nome popular para Federal Home Loan Mortgage Corporation. Essas duas empresas eram nominalmente privadas, mas haviam sido criadas pelo Congresso americano e serviam para que o governo praticasse políticas no mercado imobiliário. Sua função era comprar determinados recebíveis (empréstimos imobiliários) dos bancos, para que esses pudessem seguir concedendo empréstimos (os bancos americanos seguem regras do Fed e do Acordo de Basileia, tendo de manter uma determinada proporção entre seus ativos recebíveis e seu patrimônio líquido; passando esses recebíveis para Freddie e Fannie eles estavam livres para conceder novos empréstimos). Para cumprir tal função a contento, elas usufruíam de uma linha de crédito de mais de US$ 2 bi do Tesouro americano. O esquema, do ponto de vista dos players do mercado imobiliário, parecia bastante sustentável, pois se ocorresse qualquer problema de insolvência em qualquer dessas empresas, o governo as socorreria. Só para se ter uma ideia de amplitude delas no mercado de hipotecas, em setembro de 2008, quando o governo americano efetivamente nacionalizou ambas as empresas, elas eram responsáveis por 50% das hipotecas antigas e 75% das hipotecas novas.

Mas só isso não serve para explicar a explosão do mercado de hipotecas subprime. O motivo do começo dessa farra se chama Community Reinvestment Act, ou decreto CRA. Esse decreto, apesar de ter surgido na década de 70, ganhou força na década de 90, quando um estudo feito pela sucursal do Fed de Boston "comprovou" que os bancos americanos discriminavam minorias (negros e hispânicos) ao conceder menos empréstimos a eles que aos brancos (o curioso é que outra minoria racial, os asiáticos, recebiam tantos ou mais empréstimos que os brancos). O decreto CRA agiu, então, como um equalizador: ao exigir um maior volume de empréstimo às minorias discriminadas (sendo que o descumprimento desse decreto proibia aos bancos abrir filiais, por exemplo), que não dispunham de qualquer histórico de crédito confiável (daí o nome subprime), ocasionou um crescimento desse mercado específico - ajudado pela constante compra desse tipo de ativo por Fannie e Freddie.

A coisa toda se intensificou na década de 2000. Após o estouro da chamada "bolha da internet", em 2000, e em especial após o 11 de Setembro, o Fed temia que a economia entrasse em recessão. Portanto, adotou a receita típica da de cartilha keynesiana: inundou a economia de dólares e baixou a taxa básica de juros (1% após os ataques). Pra se ter uma ideia, entre 2000 e 2008 o crédito imobiliário saltou de US$ 1,4 para US$ 3,8 trilhões. O crédito total passou de US$ 3,5 para US$ 7 trilhões.

(continua...)

André disse...

Fernando,

Se você acha dumping é caridade então você está apenas trollando.

O cartel se forma justamente entre as empresas que já entraram no mercado. Ele não precisa ser duradouro para causar danos. A entrada de novos competidores pode afetar, ou não o cartel mas os danos causados não serão compensados. Exemplo clássico são os postos de combustível que combinam preços. Telefonia celular é oligopólio. Um exemplo do que a falta de regulamentação pode causar foi a privatização da telefonia fixa.

Existem monopólios naturais como a distribuição de energia elétrica, você acha que esse setor não necessita de regulamentação? O setor de petróleo não é monopolista há quase vinte anos.

André disse...

Fernando,

"Pedofilia não se encaixa nesse perfil de "atos sexuais consensuais entre pessoas adultas"."
De fato, mas mesmo se os envolvidos forem adultos alguma regulação ainda é possível, como não copular em público.

"Sendo eu um liberal e uma pessoa otimista com a natureza humana, eu normalmente creio que as pessoas trabalham pelo próprio bem mas, ..."
Também acredito que a maioria das pessoas seja honesta. É por causa dos desonestos que eu tenho fechadura nas portas e creio ser necessário que atividades econômicas sejam reguladas.

Fernando disse...

(continuando)

O resultado foi uma verdadeira farra especulativa: posto que a demanda por imóveis aumentou, seus preços também aumentaram. O cidadão ia ao banco tomar um empréstimo imobiliário, recebia a casa, fazia alguns melhoramentos e a revendia alguns meses depois, por um valor bem maior. Aqueles que não revendiam valiam-se do preço artificialmente valorizado do imóvel para utilizá-lo como garantia em outros empréstimos, como empréstimos para aquisição de veículos ou outros utensílios.

O problema é que esse arranjo, para se manter, necessita preços constantemente em ascensão. Para que os preços continuem em ascensão, é necessário que a demanda por imóveis aumente a um ritmo mais rápido do que é suprida. Por conta dos preços praticados no setor, a demanda por empréstimos também precisa aumentar.

A festa especulativa durou até 2004, quando o Fed, ao constatar que a economia americana havia se recuperado da recessão de 2000/2001, passou a diminuir a emissão de dinheiro no sistema bancário, o que fez a taxa de juros subir até que, em 2006, chegou a 5,25%.

O aumento da taxa de juros arrefeceu a demanda por empréstimos imobiliários, o que fez com que os preços dos imóveis caíssem. Aqueles que haviam comprado imóveis para especular perceberam que não havia mais compradores e, dada a baixa procura, os imóveis pararam de se valorizar. O aumento nas taxas de juros dos empréstimos fez com que vários tomadores subprime se vissem em apuros: sem poder vender suas casas e com taxas de juros maiores nos seus empréstimos, não restou opção a eles a não ser abandonar seus imóveis - e dar o calote. O valor total dos calotes cresceu quase oito vezes num intervalo de quatro anos - de 2005 a 2008. Foi o que nós conhecemos como estouro da bolha imobiliária.

(continua...)

Fernando disse...

(continuando)

Entretanto, isso não explica o principal: como uma crise no setor imobiliário americano, ainda que tenha sido tão portentosa, se tornou uma crise financeira de proporções mundiais? Como ela saiu do setor imobiliário de um país e atingiu o mundo todo com tanta força?

Voltemos a Freddie e Fannie: após a compra dos recebíveis dos bancos, elas poderiam ou mantê-los consigo (mantê-los em carteira, no jargão financeiro) ou revendê-los. A coisa funcionava assim: Fannie e Freddie montavam pacotes de recebíveis (prática chamada de securitização) e vendiam-nos aos grandes bancos americanos e europeus: Lehman Brothers, Northern Rock, BNP Paribas, Credit Suisse, Merrill Lynch, entre outros. Mas tinha um problema: esses pacotes possuíam tanto ativos "bons" (prime) quanto ativos "podres" (subprime). O que não os impediu de serem adquiridos aos montes por esses bancos, embora Freddie e Fannie tenham mantido a maioria em carteira.

Aqui contemplamos a face mais bizarra desse imbróglio: por que os bancos se enfiaram nesse tipo de armadilha? A resposta está em outras empresas que se tornaram conhecidas do grande público logo após o estouro da crise: Standard & Poor's, Fitch e Moody's, as únicas agências classificadoras de risco autorizadas pela SEC (Securities and Exchange Commission, o equivalente ianque da CVM) a operar nesse mercado, num caso clássico de cartel. Antes de adquirirem tais pacotes de ativos, esses bancos pesquisavam seu risco (a possibilidade de tais empréstimos não serem pagos, o que resultaria em prejuízos para os bancos), que era calculado por essas classificadoras. O papel das classificadoras na crise foi dar nota máxima (AAA) a esses pacotes, ludibriando os compradores.

Cabe a pergunta: por que elas fizeram isso? Há duas teorias predominantes. A primeira é a de que elas teriam sido iludidas pela bolha imobiliária: dado que, durante um grande período de tempo os preços dos imóveis só subiam e as ações que eram vendidas na Bolsa pelos bancos e por Freddie e Fannie, que estavam lastreadas nessas hipotecas, estavam dando generosos retornos, com pouquíssimos calotes, as agências acabaram avaliando esses pacotes de forma superficial. A outra teoria é que houve pressões políticas de setores do governo americano que incentivavam políticas de compra de imóveis para que essas agências subestimassem o risco desses pacotes. Levando em conta essa segunda teoria, não é difícil imaginar que qualquer agência que se opusesse a essa política de otimismo econômico irracional poderia ser simplesmente enxotada do mercado pela SEC.

(continua...)

Fernando disse...

(continuando)

O que se seguiu foi a crise econômica como nós a conhecemos: esses bancos descobriram que grande parte dos ativos que compraram na verdade não tinha valor nenhum. Isso, além de comprometer seus lucros, acabou comprometendo seu patrimônio líquido e congelando o mercado de crédito, comprometendo e paralisando toda sorte de investimentos nos mais diversos setores da economia. Pela própria constituição do sistema bancário, apoiada em conceitos como reservas fracionárias (o banco só precisa manter em caixa uma parte dos saldos das contas dos clientes; todo o resto são apenas dígitos eletrônicos) e maturação descompassada (o banco se vale de obrigações de curto prazo, como os depósitos em conta corrente que ele precisa garantir a seus clientes na eventualidade de algum saque, para gerar ativos de longo prazo, como os empréstimos, ficando assim completamente exposto a qualquer "corrida bancária"), os bancos ficam absolutamente vulneráveis a qualquer prejuízo.

A serpente da crise insinuou a língua em setembro de 2007: o banco francês BNP Paribas anunciou que estava suspendendo os saques em dois de seus fundos que estavam majoritariamente lastreados em hipotecas americanas. O banco britânico Northern Rock, que tinha grandes quantidades de investimento nesses fundos, de repente viu-se insolvente. A solução foi obter um empréstimo de curto prazo de 3 bilhões de libras junto ao Banco da Inglaterra. Tudo correria bem se, no dia 13 daquele mês, um informante de dentro do banco da Inglaterra alertasse a BBC sobre a operação. O alerta foi dado: o Northern Rock estava insolvente. No dia seguinte, multidões se apinhavam na frente das agências do Northern, para sacar seu dinheiro. Não se via semelhante corrida bancária desde 1930, em plena Grande Depressão.

A esteira da insolvência levou outros bancos. Bear Stearns e Merrill Lynch foram encampados, respectivamente, pelo JP Morgan e pelo Bank of America (aquisições orquestradas pelo Fed). Fannie e Freddie foram efetivamente estatizadas. O Lehman Brothers quebrou, sem socorro. A seguradora AIG, que era requisitada pelos bancos para fornecer apólices de seguro contra calotes e também foi ludibriada, tanto pelo governo que garantiu a estabilidade nos preços dos imóveis quanto pelas classificadoras de risco, também esteve na iminência de quebrar, mas foi salva pelo Fed, que injetou 125 bilhões em troca de 80% da empresa.

(continua...)

Renata disse...

"Ela é contra a construção de grandes obras de infra-estrutura (usinas hidrelétricas, siderúrgicas, refinarias, rodovias, ferrovias, etc), em nome de um ambientalismo xiita e retrógrado, o que irá impedir o desenvolvimento econômico e social do Brasil;"

...

De novo:

"[...]em nome de um ambientalismo xiita e retrógrado, o que irá impedir o desenvolvimento econômico e social do Brasil;"

Gente..

Só rindo pra aguentar a ignorância alheia mesmo.

Fernando disse...

(continuando)

O salvamento da AIG (com o dinheiro do pagador de impostos) marcou um turning point no modus operandi do Fed: a partir dali, o Fed passou a garantir os empréstimos caloteados em posse dos bancos americanos, comprando-os e depositando as quantias no compulsório desses bancos (valor que os bancos têm de manter junto ao Fed), o que jogou a base monetária lá no alto. Com esse dinheiro, os bancos puderam sanitizar suas finanças (e pagar gordos bônus aos seus executivos), enquanto o Fed garante 0,25% de rendimento sobre essas reservas em excesso (tudo para não gerar hiperinflação e terminar de corroer o poder de compra do dólar atual, que já vale menos de 5 centavos de um dólar de 1913, quando o Fed foi criado).

Então, pra concluir, pra onde quer que se olhe no grande quadro da crise econômica de 2008-2009, lá estão as patinhas sujas do governo. Portanto nada me convence que esse rolo todo foi culpa da "especulação". A especulação nasce de incentivos, e eles estavam em toda parte, dados pelo governo americano. Portanto, o culpado é o governo americano. E nada me convence que aqui seja diferente.

Fernando disse...

Se você acha dumping é caridade então você está apenas trollando.

O problema do dumping afeta apenas e tão somente os outros empresários do setor, além do praticante. Os consumidores, em especial os de baixa renda, só se beneficiam disso.

A própria natureza do dumping já revela isso: alguém que pratica dumping é alguém que oferece um produto sem esperar ter lucro. Logo é sim uma forma de caridade.

O cartel se forma justamente entre as empresas que já entraram no mercado.

Sim, isso é óbvio. Impossível haver cartel entre empresas que ainda não existem.

(agora sim você pode me acusar de trollagem)

Ele não precisa ser duradouro para causar danos.

Defina "dano". Até hoje nunca vi nenhum exemplo de cartel que infligisse dano positivo à propriedade alheia.

Você pode fazer menção ao fato de que as pessoas não vão poder obter os produtos do cartel a um preço em conta, mas isso não é um dano. Não existe algo como "o direito a um preço x".

A entrada de novos competidores pode afetar, ou não o cartel mas os danos causados não serão compensados.

Verdade universal. Qualquer dano feito não pode ser desfeito. Não há porque particularizar isso para o caso (pouco provável) de formação de cartel num livre mercado.

Exemplo clássico são os postos de combustível que combinam preços.

A prospecção de petróleo é praticamente garantida à Petrossauro. Ela já se apossou das melhores jazidas do país apenas porque um pedaço de papel determinou tal coisa. Portanto, não importa qual a bandeira do posto, ele estará quase sempre pagando o preço que a Petrossauro determinar.

Telefonia celular é oligopólio. Um exemplo do que a falta de regulamentação pode causar foi a privatização da telefonia fixa.

Falei da Anatel na resposta anterior. Não tem problema, falo de novo.

O exemplo clássico no Brasil é o mercado de telefonia, que possui apenas quatro competidores, dos quais foi exigida uma vasta documentação e cumprimento de uma série de regulamentações, afora que para operar no mercado eles ainda dependeram do aval da Anatel para operar. Acha que eles reclamam de ter que cumprir com tantos expedientes? Não, pois a alternativa seria competir com Vodafone, Verizon, Orange e AT&T.

Existem monopólios naturais como a distribuição de energia elétrica, você acha que esse setor não necessita de regulamentação?

Acho. Aliás, "monopólio natural" é um mito por si só. Deve haver liberdade de entrada em qualquer setor que se queira participar.

O setor de petróleo não é monopolista há quase vinte anos.

Sei disso. Mas como eu disse, a concorrência no setor petroleiro é dificultada pelo fato da Patrossauro ter 44 anos de monopólio de vantagem.

Fernando disse...

De fato, mas mesmo se os envolvidos forem adultos alguma regulação ainda é possível, como não copular em público.

Quem disse? Se eu quiser colocar dois caras pra copular no meu quintal de frente pra rua, eu tenho esse direito. É minha propriedade.

As pessoas que ficarem chocadas com isso têm todo o direito de me boicotar.

Também acredito que a maioria das pessoas seja honesta. É por causa dos desonestos que eu tenho fechadura nas portas e creio ser necessário que atividades econômicas sejam reguladas.

Colocar fechadura nas portas da tua casa é dispor da tua propriedade.

Regular negócios que não são teus é colocar o aparato de repressão a serviço da tua vontade (e às minhas custas).

Não é a mesma coisa.

Anônimo disse...

Não entendi a ignorância, Renata.

Anônimo disse...

Não tinha como ser mais resumido, Fernando?

André disse...

Fernando,

Continua trollando. Sua explicação para o erro (eu diria fraude) das agências classificadoras tem um nível de condescendência que nem as próprias agências tentariam. Além disso, o governo não impede que outras agências entrem no mercado. Exitem dezenas para setores específicos, essas três se tornaram gigantes por vários motivos inclusive a chantagem.

"Portanto, não importa qual a bandeira do posto, ele estará quase sempre pagando o preço que a Petrossauro determinar."
Para quem acha que dumping é caridade, fica difícil acreditar que possa haver cartel entre postos de combustível.

"Aliás, "monopólio natural" é um mito por si só."
Claro, podemos estender quantas redes de distribuição quisermos.

"Regular negócios que não são teus..."
Não seria se praticassem o escambo, não utilizassem nenhuma infra-estrutura pública nem praticassem lobby de qualquer espécie.

Larissa Petra disse...

Renata se vc é tipo ambientalista ok para vc, mas a Marina Silva lutou muito contra a construção de Belo Monte, sendo que no Norte do Brasil a energia era uma coisa realmente problemática, mas sim a Marina é radical na questão ambiental, ela é do tipo que atrasa do crescimento de um país em pró de um ambientalismo radical, mas se vc concorda com isso, vc não está errada, é o seu ponto de vista e vc deve votar na melhor candidata para vc, a que te representa melhor, e se é a Marina vá em frente.
Ps: não precisa rir não, basta refutar com inteligencia, ou mostrar que esse ambientalismo radical é certo para vc, mesmo barrando o crescimento de um país.

Anônimo disse...

Aqui está a explicação para o post: http://g1.globo.com/politica/blog/cristiana-lobo/post/estrategia-do-pt-com-marina-no-pareo.html

Larissa Petra disse...

Sem contar que o "ambientalismo" de Marina é um tantinho contraditório, em vista que por exemplo, a coordenadora de campanha de Marina a "Neca" (Apelido de Maria Alice Setúbal) ela é acionista da holding Itausa. A Itausa controla o banco Itaú Unibanco, o banco de investimentos Itaú BBA, e as empresas Duratex (de painéis de madeira e também metais sanitários, da marca Deca), a Itautec (hardware e software) e a Elekeiroz (gás).
Neca herdou sua participação do pai, Olavo Setúbal, empresário e político. Foi prefeito de São Paulo, indicado por Paulo Maluf (PAULO MALUF), e ministro das relações exteriores do governo Sarney. Em agosto de 2013 - portanto, no governo Dilma Rousseff - a Receita Federal autuou o Itaú Unibanco. Segundo a Receita, o Itaú deve uma fortuna em impostos. Até hoje o Itausa tenta recorrer e até hoje não pagou, e considera remota a possibilidade de pagar.
A relação entre elas merece ser vista com muito cuidado, a própria Neca já disse que se a Marina vencer, não quer ter um cargo formal, mas um "informal" sendo mais flexível.
Uma presidente não tem poder na Receita Federal, logo Marina não poderia cancelar a dívida do holding Itausa, mas tem influência, Neca já tem muito poder econômico e continua exercendo ele, e se Marina vencer terá junto poder político.
Mas oq isso tem haver com ambientalismo??? Vou chegar lá!
Como Marina Silva, defende o meio-ambiente (aliás a única coisa clara em sua campanha) e se une a uma empresa que ajuda na destruição do meio ambiente?
Itaú é um banco ponto, não tem essa de banco ecologicamente correto, bancos não ligam para isso, a holding Itausa financia empresas que destroem o meio ambiente diretamente, sabe pq ? Gera lucros.
Marina realmente defende o meio ambiente, mas ela não tem escrúpulos, ela é capaz de se despir de qualquer caráter para ter oq ela quer, inclusive se juntar com gente totalmente contrária a ela, pq quem tem dinheiro e poder político pode tudo, inclusive barrar obras que ela não quer e ponto, como foi Belo Monte, ela acha que as questões econômicas e principalmente sociais estão abaixo do meio ambiente, eu defendo um crescimento sustentável, mas crescimento sustentável significa crescer gerando o mínimo de impactos, não existe crescimento isento de impactos ambientais, Marina não entende isso, é tipo "foda-se que o Norte vivia sob um risco constante de apagão, mas não quero Belo Monte e ponto), o Brasil precisa de Belo Monte, pq precisamos de energia elétrica.

Fernando disse...

Não tinha como ser mais resumido, Fernando?

Infelizmente não.

Continua trollando. Sua explicação para o erro (eu diria fraude) das agências classificadoras tem um nível de condescendência que nem as próprias agências tentariam.

Julgamentos subjetivos (trollagem, condescendência, etc.). Aliás, contemplei tanto a possibilidade de erro quanto de fraude, pode conferir.

Não custa lembrar que a maioria dos papéis que elas sobreavaliaram eram de empresas praticamente públicas (eram privadas só no nome).

Além disso, o governo não impede que outras agências entrem no mercado.Exitem dezenas para setores específicos, essas três se tornaram gigantes por vários motivos inclusive a chantagem.

Aquela informação sobre o cartel das classificadoras eu obtive de um economista de formação. Se tu tens uma informação diferente, faça o favor de compartilhar.

Para quem acha que dumping é caridade, fica difícil acreditar que possa haver cartel entre postos de combustível.

Não vejo qualquer analogia nem qualquer relação de causa e consequência entre ambos os casos.

Claro, podemos estender quantas redes de distribuição quisermos.

Havendo demanda, deve-se liberar para supri-la quem puder e quiser supri-la. O resto é problema de engenharia, não de economia.

Não seria se praticassem o escambo, não utilizassem nenhuma infra-estrutura pública nem praticassem lobby de qualquer espécie.

1) O dinheiro não é propriedade natural do governo. Não custa lembrar que até o século XIX o mundo vivia sob o padrão-ouro, sendo que a moeda atual só é usada por conta de leis de curso forçado (inclusive, as transações em ouro foram efetivamente proibidas pelo governo americano em 1933, durante a Grande Depressão).

2) A infraestrutura não é propriedade natural do governo. Não vejo como uma instituição que nada produz e vive apenas de extorsão poderia ser, jusnaturalisticamente, proprietária de algo.

3) O lobby (e a consequente corrupção) nasce de incentivos. Se eu trabalho num cargo nevrálgico numa empresa privada ganhando x, e um concorrente dessa empresa queira me corromper pra que eu sabote essa empresa, ele tem que forçosamente me oferecer mais do que x (bem mais, posto que minha perda não vai ser apenas monetária, mas também de reputação, algo que não tem preço). Eu não destruiria minha fonte de renda se isso fosse me trazer prejuízo. É óbvio que, se a empresa fosse minha e um concorrente se oferecesse para comprá-la (por um valor maior que o lucro que eu estimei, lógico), não haveria qualquer corrupção aí.

No governo é diferente: o dinheiro não é teu, tu não ganhas nada ao administrá-lo. Portanto, tu podes gerir bilhões, mas se um empresário qualquer te oferece 500 mil pra que tu o favoreças numa licitação, por exemplo, a tendência é a de que tu aceites, afinal se tu fosses justo no julgar da licitação não te caberia mais nada além do teu salário habitual. O fato de um só órgão ser tido como apto a julgar casos de corrupção e este órgão estar repleto de outras demandas da sociedade (a. k. a. justiça lenta) não ajuda em nada para a diminuição da corrupção, pelo contrário.

Fernando disse...

Será que esse pessoal do rolê ambientalista (carinhosamente chamados de "melancias" - verdes por fora e vermelhinhos por dentro) vive em cidades que só puderam surgir após a destruição da mata nativa do local?

Taí uma coisa que me deixa bolado.

André disse...

Fernando,

Você colocou apenas duas possibilidades: ou as agências erraram de boa fé ou foram forçadas ao erro pelo governo malvadão.

Algumas agências reconhecidas pela SEC:
Moody's Investors Service
Standard & Poor
Fitch
DBRS
Egan-Jones
A.M Best
Japan Credit Rating Agency, Ltd
Rating and Investment Information Inc
LACE Financial
Realpoint LLC

Fernando disse...

Você colocou apenas duas possibilidades: ou as agências erraram de boa fé ou foram forçadas ao erro pelo governo malvadão.

Como eu disse, a maioria dos pacotes de ativos que vinham para as classificadoras avaliarem eram de Fannie e Freddie, que eram braços do governo. Quem regula o setor é a SEC, braço do governo. Se as agências não superestimassem os ativos, elas estariam automaticamente se opondo a políticas creditícias bastante populares, fomentadas por braços do governo. O governo esteve por toda a parte ao redor dessas agências. É de se esperar que alguma responsabilidade ele tenha.

Algumas agências reconhecidas pela SEC:
Moody's Investors Service
Standard & Poor
Fitch
DBRS
Egan-Jones
A.M Best
Japan Credit Rating Agency, Ltd
Rating and Investment Information Inc
LACE Financial
Realpoint LLC


Muito bem, então em vez de dizer "únicas agências classificadoras de risco autorizadas pela SEC" eu vou passar a dizer "principais agências classificadoras de risco autorizadas pela SEC", o que não muda a configuração cartelista do setor regulado pelo governo.

André disse...

Uma agência de rating jamais ousaria rebaixar a nota de uma empresa remotamente ligada ao governo: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/10/15/agencia-de-risco-ameaca-rebaixar-nota-dos-eua-com-possivel-calote.htm

Fernando disse...

Uma agência de rating jamais ousaria rebaixar a nota de uma empresa remotamente ligada ao governo: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/10/15/agencia-de-risco-ameaca-rebaixar-nota-dos-eua-com-possivel-calote.htm

Um governo provavelmente não ousaria cassar a licença de uma classificadora de risco que rebaixasse sua nota. Isso soaria altamente autoritário e minaria a confiança dos investidores.

No outro caso elas ficariam mais suscetíveis a pressões porque a política do governo era popular. Uma avaliação realista naquele caso poria eles contra uma medida popular. Nesse caso não dá para se dizer que um calote na dívida pública (que motivou o rebaixamento) é algo popular.

Aliás, estamos debatendo a crise como se a ação do governo se limitasse à nociva interferência nas classificadoras. Decreto CRA, Fannie e Freddie, e principalmente as duas expansões monetárias feitas pelo Fed, uma para gerar a onda especulativa (a principal responsável para que a bolha imobiliária atingisse essa magnitude), a outra para sanear os balanços dos bancos (que, assim que jogarem esse dinheiro na economia, ocasionarão outra crise generalizada), tudo isso passou longe do debate.

André disse...

Fernando,

"principalmente as duas expansões monetárias feitas pelo Fed, uma para gerar a onda especulativa"
Achei que especulação, assim como o dumping, era uma coisa supimpa.

Fernando disse...

Achei que especulação, assim como o dumping, era uma coisa supimpa.

Não lembro de ter dito isso. O que eu falei é que a inflação (expansão monetária) orquestrada pelo Fed gerou essa onda especulativa, ou seja, fiz uma mera relação de causa e efeito. Eu estaria sendo tolo de condenar a especulação em vez de condenar a inflação.

André disse...

"O comerciante é um especulador..."

Fernando disse...

"O comerciante é um especulador..."

E é exatamente por isso que eu não condeno a especulação.

Isso é tudo que tu consegue dizer?

André disse...

Fernando,

Ué, precisa mais? Você afirma que o dumping é uma coisa boa baseado num argumento furado que talvez nem o Constantino ousaria usar. Afirma que cartel de posto de combustível, um dado da realidade, não pode existir por causa da Petrobrás. Afirma que restrições físicas reais não implicam em monopólios naturais. Afirma que o Northern Rock tinha fundos lastreados em hipotecas subprime e que o governo não permitia a operação de outras agências de rating, o que os fatos desmentem. Afirma que o governo não deixaria que as agências rebaixassem a nota de empresas ligadas ao governo, ao contrário do que a realidade permite induzir. E ainda coloca as agencias de rating como pobres vítimas do governo malvadão. Acho que já estourou a cota de bobagens.

Fernando disse...

Você afirma que o dumping é uma coisa boa baseado num argumento furado que talvez nem o Constantino ousaria usar.

Ao menos eu apresentei um argumento. Dei até exemplos de dumping permanente os quais tu provavelmente não ia querer corrigir (o dumping do Sol, por exemplo). Já as tuas reações podem ser descritas em três etapas:

1) Dumping, oh, que horror!;

2) Se tu defende o dumping tu é troll;

3) Tá falando besteira.

Só argumentos emocionais e ataques pessoais. Nada de substantivo.

Afirma que cartel de posto de combustível, um dado da realidade, não pode existir por causa da Petrobrás.

Se eu disse que a Petrossauro, por possuir mais de 40 anos de monopólio forçado de vantagem, e que quase todos postos, não importa a bandeira, pagam o preço que a Petrossauro determina, restringindo a banda de preços praticáveis, como é que eu ia negar uma coisa dessas?

Afirma que restrições físicas reais não implicam em monopólios naturais.

Restrições físicas são um problema de engenharia, não de economia.

Ademais, quão difícil é imaginar dois fios de eletricidade, de companhias elétricas diferentes, passando pelo mesmo poste?

É muita descrença na criatividade humana, que foi o que nos trouxe até aqui.

Afirma que o Northern Rock tinha fundos lastreados em hipotecas subprime

Sim, e esses fundos estavam comprometidos num fundo de investimento administrado pelo BNP Paribas que, quando suspendeu os saques a esses fundos, deixou o Northern insolvente.

Se eu estou mentindo, mostre-me onde.

e que o governo não permitia a operação de outras agências de rating, o que os fatos desmentem.

E permite? Por um acaso uma agência de rating, pra ser autorizada pela SEC a funcionar, não tem que atender a uma série de burocracias? E se descumprirem, a SEC não tem o "direito" de cassar sua licença para operar? Caso contrário, pra que a SEC existe mesmo?

Afirma que o governo não deixaria que as agências rebaixassem a nota de empresas ligadas ao governo, ao contrário do que a realidade permite induzir.

"André disse...

Uma agência de rating jamais ousaria rebaixar a nota de uma empresa remotamente ligada ao governo: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/10/15/agencia-de-risco-ameaca-rebaixar-nota-dos-eua-com-possivel-calote.htm

26 de agosto de 2014 13:27"

"Fernando disse...

Um governo provavelmente não ousaria cassar a licença de uma classificadora de risco que rebaixasse sua nota. Isso soaria altamente autoritário e minaria a confiança dos investidores."

Quem disse o quê mesmo?

E ainda coloca as agencias de rating como pobres vítimas do governo malvadão.

Questão de conjuntura. Quem controla as agências de rating, com poder de vida e morte sobre as mesmas?

André disse...

Fernando,

"Se eu estou mentindo, mostre-me onde."
Segue abaixo.

"Ao menos eu apresentei um argumento."
Viajar na maionese não é argumentar.

"Dei até exemplos de dumping permanente..."
Para evitar vergonha alheia, vamos fingir que a história do Sol não ocorreu. É evidente que não pode existir dumping permanente, pois se trata de uma prática para retirar do mercado ou impedir a entrada de concorrentes de menor fôlego financeiro. É ridículo ter que explicar isso.

"Só argumentos emocionais e ataques pessoais."
Seus "argumentos" são construções mentais sem pé na realidade. Meus argumentos são do nível de uma lista de agências de rating reconhecidas pela SEC que você afirmou que não existiam.

"Se eu disse que a Petrossauro, por possuir mais de 40 anos de monopólio forçado de vantagem, e que quase todos postos, não importa a bandeira, pagam o preço que a Petrossauro determina, restringindo a banda de preços praticáveis, como é que eu ia negar uma coisa dessas?"
Vamos lá: supondo que todos os postos comprem da mesma distribuidora por x (o que não ocorre na prática: http://www.fecombustiveis.org.br/links/companhias-distribuidoras-de-petroleo-2.html), ainda assim eles podem praticar preços diferentes conforme o nível de serviços, localização ou margem de lucro. Se um posto cobrar 1,3x outro pode cobrar 1,2x para fazer concorrência. O cartel ocorre quando todos os postos de um bairro ou cidade combinam de cobrar o mesmo preço para impedir a concorrência e maximizar o lucro, por exemplo 1,5x. Ter que explicar isso é ridículo.

"Ademais, quão difícil é imaginar dois fios de eletricidade, de companhias elétricas diferentes, passando pelo mesmo poste?"
Existem limitações físicas devido à tensão de operação das linhas primárias. Mesmo onde for possível a entrada de concorrentes, o custo de entrada é muito elevado.

"Sim, e esses fundos estavam comprometidos num fundo de investimento administrado pelo BNP Paribas que, quando suspendeu os saques a esses fundos, deixou o Northern insolvente."
Não, o problema do Northern foi não conseguir rolar suas dívidas de curto prazo o que gerou pânico e saques desenfreados.

"E permite?"
Se elas ameaçaram rebaixar a nota do próprio governo, é óbvio que poderiam rebaixar a nota das empresas. Se não o fizeram foi por incompetência (não fizeram a lição de casa), por desonestidade (ganharam algo com isso) ou por fraude (foram pressionadas a isso).

Fernando disse:

"Por um acaso uma agência de rating, pra ser autorizada pela SEC a funcionar, não tem que atender a uma série de burocracias? E se descumprirem, a SEC não tem o "direito" de cassar sua licença para operar? Caso contrário, pra que a SEC existe mesmo?"

Fernando também disse:

"Um governo provavelmente não ousaria cassar a licença de uma classificadora de risco que rebaixasse sua nota. Isso soaria altamente autoritário e minaria a confiança dos investidores."

Fernando nem fica vermelho.

"Questão de conjuntura. Quem controla as agências de rating, com poder de vida e morte sobre as mesmas?"
Aparentemente ninguém. Não é de hoje que cometem toda sorte de barbaridade e nem a SEC nem a mão invisível do mercado fazem nada.

Fernando disse...

Viajar na maionese não é argumentar.

Para evitar vergonha alheia, vamos fingir que a história do Sol não ocorreu.


Julgamentos subjetivos e ataques pessoais, nada de novo aqui.

É evidente que não pode existir dumping permanente, pois se trata de uma prática para retirar do mercado ou impedir a entrada de concorrentes de menor fôlego financeiro.

Por isso mesmo, antes de dar o exemplo do Sol, eu disse que era uma prática que não podia ser levada adiante por muito tempo, pois se trata pura e simplesmente de queima de capital. Pode conferir.

É ridículo ter que explicar isso.

Mais ridículo ainda é ter que explicar que, se algo me pertence, eu posso vender pelo preço que quiser, sem que digam que eu estou cometendo um "crime" contra conceitos tão estúpidos quanto "concorrência perfeita" e "preço justo".

Seus "argumentos" são construções mentais sem pé na realidade. Meus argumentos são do nível de uma lista de agências de rating reconhecidas pela SEC que você afirmou que não existiam.

Depois eu reconheci o erro: parei de dizer "únicas agências autorizadas pela SEC" e agora digo "principais agências autorizadas pela SEC". O que não muda a configuração cartelista do setor. Basta ver que os investidores continuam recorrendo a elas para classificar riscos.

Vamos lá: supondo que todos os postos comprem da mesma distribuidora por x (o que não ocorre na prática: http://www.fecombustiveis.org.br/links/companhias-distribuidoras-de-petroleo-2.html), ainda assim eles podem praticar preços diferentes conforme o nível de serviços, localização ou margem de lucro. Se um posto cobrar 1,3x outro pode cobrar 1,2x para fazer concorrência. O cartel ocorre quando todos os postos de um bairro ou cidade combinam de cobrar o mesmo preço para impedir a concorrência e maximizar o lucro, por exemplo 1,5x. Ter que explicar isso é ridículo.

Um detalhezinho minúsculo, quase insignificante, que eu não mencionei antes porque tava esperando que tu o mencionasse por conta própria: o mercado de postos de gasolina no Brasil não é livre. É regulamentado pela ANP.

Se há cartéis nesse setor, das duas uma: ou a própria existência da ANP fomenta o surgimento destes, ou a ANP é tão incompetente que não consegue nem debelar a existência desses cartéis.

Aliás, pra me manter coerente com a minha posição sobre o dumping, devo te perguntar: qual é exatamente o crime em acertar preços com concorrentes meus, sendo que todos nós estamos dispondo de nossas propriedades?

Lembrando que eu jamais tive a intenção de criminalizar os cartéis, apenas em demonstrar o quanto as regulamentações os fomentam e o livre mercado os dificulta.

Fernando disse...

Existem limitações físicas devido à tensão de operação das linhas primárias. Mesmo onde for possível a entrada de concorrentes, o custo de entrada é muito elevado.

Então fale em limitações físicas ou em custo elevado, e não numa ficção como o "monopólio natural".

Aliás, onde estavam essas limitações físicas na Nova York de 1887, na qual haviam seis companhias elétricas operando? Ou na Chicago de 1907, onde quarenta e cinco empresas elétricas eram habilitadas a operar?

Não, o problema do Northern foi não conseguir rolar suas dívidas de curto prazo o que gerou pânico e saques desenfreados.

Sim, porque estava com dinheiro congelado nos fundos do Paribas.

Qualquer banco que opere sob o sistema de reservas fracionárias (ou seja, qualquer banco do mundo) já é intrinsecamente insolvente.

Se elas ameaçaram rebaixar a nota do próprio governo, é óbvio que poderiam rebaixar a nota das empresas. Se não o fizeram foi por incompetência (não fizeram a lição de casa), por desonestidade (ganharam algo com isso) ou por fraude (foram pressionadas a isso).

Fernando disse:

"Por um acaso uma agência de rating, pra ser autorizada pela SEC a funcionar, não tem que atender a uma série de burocracias? E se descumprirem, a SEC não tem o "direito" de cassar sua licença para operar? Caso contrário, pra que a SEC existe mesmo?"

Fernando também disse:

"Um governo provavelmente não ousaria cassar a licença de uma classificadora de risco que rebaixasse sua nota. Isso soaria altamente autoritário e minaria a confiança dos investidores."

Fernando nem fica vermelho.


Voto na desonestidade e na fraude. Como eu disse antes, na época em que elas avaliavam pacotes de ativos de Freddie e Fannie, a farra especulativa tava na crista da onda, o que fazia essas políticas bastante populares. As classificadoras se oporem a isso seria irem contra essas políticas, o que poderia fazer a bolha ruir antes da hora, fazendo com que os políticos e burocratas do momento colhessem maus dividendos políticos. Ou seja, políticos e burocratas, em conluio com as classificadoras e Wall Street em geral, preferiram esconder a sujeira pra debaixo do tapete, fazendo uso político da SEC e jogando a responsabilidade para o futuro (choque e espanto, isso nunca aconteceu).

No caso do rebaixamento da dívida pública, não houve qualquer oposição a qualquer política popular. Foi mais fácil ser realista nesse caso.

Aparentemente ninguém. Não é de hoje que cometem toda sorte de barbaridade e nem a SEC nem a mão invisível do mercado fazem nada.

Então, se a SEC é inútil pra frear as classificadoras, pra que mantê-la?

Tu deve conhecer a definição de Einstein sobre loucura.

André disse...

Fernando,

"Então fale em limitações físicas ou em custo elevado, e não numa ficção como o "monopólio natural"."
São sinônimos.

"Aliás, onde estavam essas limitações físicas na Nova York de 1887, na qual haviam seis companhias elétricas operando? Ou na Chicago de 1907, onde quarenta e cinco empresas elétricas eram habilitadas a operar?"
Pode ter até um milhão, o fato é que elas não conseguem atuar nas mesmas ruas. Além disso, foi a fusão das muitas empresas que existiam no início da eletrificação que permitiu o ganho de escala com redução de preços e aumento da confiabilidade.

"Sim, porque estava com dinheiro congelado nos fundos do Paribas."
Não, porque o Northern fazia rolagem de curto prazo com diversos bancos, mesmo com o socorro do governo houve pânico e corrida ao banco.

"Qualquer banco que opere sob o sistema de reservas fracionárias (ou seja, qualquer banco do mundo) já é intrinsecamente insolvente."
E por que não quebram todos? Por que os clientes não sacam o dinheiro todos ao mesmo tempo.

"Voto na desonestidade e na fraude."
Agora você admite essas duas possibilidades, antes era erro de boa fé ou chantagem do governo malvadão.

"No caso do rebaixamento da dívida pública (não foi rebaixada porque o governo conseguiu aumentar o teto do endividamento), não houve qualquer oposição a qualquer política popular (a paralisação do governo foi altamente impopular). Foi mais fácil ser realista nesse caso."
Tinham medo do irmão menor (Fannie Mae e Freddie Mac) mas não tinham do irmão maior (Casa Branca)? Quem acredita nisso, acredita em qualquer coisa.

"Então, se a SEC é inútil pra frear as classificadoras, pra que mantê-la?"
Se a mão invisível do mercado é inútil pra que mantê-la?

"Tu deve conhecer a definição de Einstein sobre loucura."
Conheço, era alguma coisa sobre o Sol fazer dumping permanente.

André disse...

Opa, só agora que eu vi que tinha uma primeira parte.

"Julgamentos subjetivos e ataques pessoais, nada de novo aqui."
Você deu o exemplo do Sol, não eu.

"Por isso mesmo, antes de dar o exemplo do Sol, eu disse que era uma prática que não podia ser levada adiante por muito tempo, pois se trata pura e simplesmente de queima de capital. Pode conferir."
Sabe uma coisa que também não pode ser mantida por muito tempo? A ereção. Por isso o crime de estupro não existe?
Sabia que algumas mulheres estupradas sentem prazer? Isso transforma o estupro em sexo?
É óbvio que o dumping não pode ser mantido indefinidamente mas, como eu expliquei, para atingir os objetivos a que se destina isso não é necessário. O dumping só é caridade na sua construção mental onde a entrada de novos concorrentes pode ser feita de forma imediata e sem custos.

"Mais ridículo ainda é ter que explicar que, se algo me pertence, eu posso vender pelo preço que quiser, sem que digam que eu estou cometendo um "crime" contra conceitos tão estúpidos quanto "concorrência perfeita" e "preço justo"."
Todo país civilizado coíbe o abuso de poder econômico, justamente para continuar a ser civilizado.

"O que não muda a configuração cartelista do setor."
Agora o cartel existe? É ruim? Ou é quentinho igual o dumping solar?

"Um detalhezinho minúsculo, quase insignificante, que eu não mencionei antes porque tava esperando que tu o mencionasse por conta própria: o mercado de postos de gasolina no Brasil não é livre. É regulamentado pela ANP."
Que condena a prática do cartel e a fiscaliza. O ponto é que você afirmou que não poderia haver cartel por todos os postos comprarem da petrossauro.

"Se há cartéis nesse setor, das duas uma: ou a própria existência da ANP fomenta o surgimento destes, ou a ANP é tão incompetente que não consegue nem debelar a existência desses cartéis."
Nem uma coisa nem outra. A desonestidade faz parte do comportamento humano. Um dia você cresce e sai desse mundinho binário. Pelo menos no caso das agências de rating já passou a considerar mais que duas possibilidades.

"Aliás, pra me manter coerente com a minha posição sobre o dumping, devo te perguntar: qual é exatamente o crime em acertar preços com concorrentes meus, sendo que todos nós estamos dispondo de nossas propriedades?"
Os mesmos princípios civilizatórios que te proíbem de ter um escravo, comprar uma arma nuclear, vender seus filhos, etc.

"Lembrando que eu jamais tive a intenção de criminalizar os cartéis, apenas em demonstrar o quanto as regulamentações os fomentam e o livre mercado os dificulta."
Você criou um mundinho cor-de-rosa onde o cartel pode ser rompido com facilidade. Mesmo nesse abstração você ainda não provou que eles não acontecem, não prejudicam o consumidor, e que a regulamentação mais facilita que dificulta a formação de cartéis. A menos que a regulamentação seja tipo aquela da SEC que impedia a existência de outras agências de rating.

Fernando disse...

São sinônimos.

Consigo ver pelo menos duas diferenças entre cada um deles:

1) São conceitos de áreas diferentes. Limitações físicas é um problema do ramo da engenharia. Custo elevado é um problema contábil. Monopólio natural é um conceito econômico. Já é a terceira vez que eu falo isso, aliás.

2) Limitações físicas são contornáveis (o que a humanidade fez durante o período de expansão populacional e das cidades senão contornar limitações físicas?) e o custo pode ser reduzido com ganhos de produtividade. Já o tal do monopólio natural é uma baboseira que ignora a história da evolução material humana para poder se pretender incontornável.

Pode ter até um milhão, o fato é que elas não conseguem atuar nas mesmas ruas. Além disso, foi a fusão das muitas empresas que existiam no início da eletrificação que permitiu o ganho de escala com redução de preços e aumento da confiabilidade.

Então tu estás dizendo que foi o próprio mercado que determinou esse formato. Ótimo.

Mas, se isso é realmente verdade, qual a real utilidade da ANEEL, por exemplo? Aliás, por que não fazer esse teste (deixar o mercado aberto por alguns anos para testar essa teoria)?

Será que os players do mercado são tão estúpidos a ponto de se negarem a entrar nesse mercado mesmo quando a distribuição de energia é insatisfatória (lembra das ondas de blecaute no verão?) e tem tarifaço chegando aí?

Extrapolando essa teoria para o setor de telefonia e internet, te parece plausível que a Vodafone, a Verizon, a Orange, a AT&T, entre outras menos cotadas, não queiram operar no país que é, em média, um dos dez maiores usuários de internet no mundo?

Não, porque o Northern fazia rolagem de curto prazo com diversos bancos, mesmo com o socorro do governo houve pânico e corrida ao banco.

Nesse caso específico parece-me estarmos contemplando faces diferentes da mesma moeda.

Para o Northern ter lastro nos títulos que usaria para rolar suas dívidas, ele precisava de dinheiro que estava nos fundos do Paribas lastreados em hipotecas americanas. A denúncia do informante do Banco da Inglaterra à BBC de que o Northern Rock tinha pedido um empréstimo de curto prazo por estar insolvente causou a corrida bancária. A "solução" foi estatizar o banco.

Não sei ser mais claro do que isso.

E por que não quebram todos? Por que os clientes não sacam o dinheiro todos ao mesmo tempo.

Isso não o torna um sistema jusnaturalisticamente moral. Em última análise, expansão monetária (tanto dos bancos centrais quanto dos privados) nada mais é que falsificação legalizada.

Agora você admite essas duas possibilidades, antes era erro de boa fé ou chantagem do governo malvadão.

Ficou implícito o tempo todo. Se uma classificadora participa de um esquema escuso como esse, é porque ela também é desonesta, não?

Um comerciante do morro que paga achaque pra traficante com o fim de manter seu negócio também é desonesto, não importa o motivo de sê-lo, certo?

(não foi rebaixada porque o governo conseguiu aumentar o teto do endividamento)

Péssima notícia.

(a paralisação do governo foi altamente impopular)

Falho em ver alguma conexão.

Tinham medo do irmão menor (Fannie Mae e Freddie Mac) mas não tinham do irmão maior (Casa Branca)? Quem acredita nisso, acredita em qualquer coisa.

Tudo é uma coisa só. As FMs foram usadas para fins políticos e a Casa Branca é uma instituição política per se.

Se a mão invisível do mercado é inútil pra que mantê-la?

Ri muito alto agora. Quer dizer que o mercado é inútil?

Lembre-se disso quando estiver usando o computador pra me responder.

Conheço, era alguma coisa sobre o Sol fazer dumping permanente.

Tu ainda não me respondeu o que há de errado com preços muito baixos...

E sobre cartel também, nenhuma palavra, tô achando que te convenci.

Fernando disse...

Você deu o exemplo do Sol, não eu.

Sim, e vou mantê-lo até que tu entenda que a prática de dumping é algo normal no mercado e até necessário para o progresso.

A invenção da imprensa nada mais foi que um dumping praticado contra os monges que escreviam livros à mão. Um livro feito pelos tipos móveis de Gutenberg era mais de cem vezes mais barato que um livro feito pelo método antigo.

A descoberta do processo de separação do querosene do restante do petróleo foi um dumping providencial para que o mundo se livrasse da dependência do óleo de baleia. Aliás, a principal fornecedora de querosene do século XIX, a Standard Oil, foi bastante acusada de dumping, monopólio e outras práticas de concorrência "desleal" até ser "dissolvida" em 1911, mas quase ninguém se lembra que, durante seu período monopolista (ela controlava perto de 90% das refinarias americanas), o preço do barril de querosene passou de 30 para 6 centavos de dólar.

Um exemplo de dumping da nossa época é o advento do e-mail: hoje eu posso, pagando só pela luz elétrica que consumir, mandar uma mensagem pela via eletrônica a qualquer pessoa em qualquer ponto do globo, numa velocidade recorde. Esse tipo de dumping afetou seriamente os serviços postais da nossa época.

É óbvio que o dumping não pode ser mantido indefinidamente mas, como eu expliquei, para atingir os objetivos a que se destina isso não é necessário.

Falso. Leia os exemplos acima.

O dumping só é caridade na sua construção mental onde a entrada de novos concorrentes pode ser feita de forma imediata e sem custos.

Considere a situação abaixo:

João e Rita têm cada um uma loja que vende determinado produto. Eles compram o produto da mesma indústria, a 7 reais. João precificou-o a 10, Rita precificou-o a 5. João está tendo lucro, Rita está tendo prejuízo. Mas Rita está tendo prejuízo enquanto vende seus produtos. Ou seja, sem ganhar nada (na verdade, ela está de fato perdendo dinheiro), Rita está possibilitando que pessoas de baixo poder aquisitivo, que não poderiam comprar o produto na loja do João, possam comprar na dela.

Em que isso difere da caridade, a não ser o fato de que é cobrado um preço?

A lógica diz que, se tu condena o preço irrealisticamente baixo, tu deveria condenar, com muito mais veemência, a caridade.

Todo país civilizado coíbe o abuso de poder econômico, justamente para continuar a ser civilizado.

Concordo contigo. Queimar capital não ajuda em nada a civilização. Mas né, direitos de propriedade...

Agora o cartel existe? É ruim? Ou é quentinho igual o dumping solar?

Que condena a prática do cartel e a fiscaliza. O ponto é que você afirmou que não poderia haver cartel por todos os postos comprarem da petrossauro.


Lembro de ter afirmado que, por conta dos mais de 40 anos de monopólio garantido por lei (não dado espontaneamente pelos consumidores no mercado), a Petrossauro pôde se apossar da esmagadora maioria das jazidas do país. É de se imaginar que a Petrossauro vá cobrar preços iguais ou ao menos parecidos pelo óleo cru e pelos derivados que refinar, o que restringe a banda de preços do setor - e, juntamente com a negação da livre concorrência, facilita o surgimento de cartel.

Aliás, se tu queres mesmo saber, acho cartéis moralmente condenáveis. Entretanto isso não me dá carta branca para atacar a propriedade alheia.

(continua...)

Fernando disse...

(continuando)

Nem uma coisa nem outra. A desonestidade faz parte do comportamento humano. Um dia você cresce e sai desse mundinho binário. Pelo menos no caso das agências de rating já passou a considerar mais que duas possibilidades.

E quem está no comando da ANP (ou da ANEEL, da ANATEL, da SEC)? Aliens insubornáveis?

Você criou um mundinho cor-de-rosa onde o cartel pode ser rompido com facilidade. Mesmo nesse abstração você ainda não provou que eles não acontecem, não prejudicam o consumidor, e que a regulamentação mais facilita que dificulta a formação de cartéis. A menos que a regulamentação seja tipo aquela da SEC que impedia a existência de outras agências de rating.

Já que tu queres tanto, vou te dar um exemplo daqui mesmo da terrinha: o Conselho Interministerial de Preços (CIP), órgão bastante importante durante o Plano Cruzado. Esse conselho, juntamente com a Superintendência Nacional de Abastecimento (SUNAB), a Secretaria Especial de Abastecimento e Preços (SEAP), o Conselho Nacional de Defesa do Consumidor, a Polícia Federal e outros órgãos governamentais tinha a função de fiscalizar os empresários para que eles não vendessem bens acima dos preços determinados pelo próprio CIP. O resultado? Em vez dos empresários competirem entre si no mercado (o que é esperado em qualquer economia sadia), a maior preocupação deles era convencer o CIP de que seu produto podia ser vendido a um preço maior.

Se isso não é uma prova de que regulamentação facilita práticas antimercado, eu não sei o que é.

Sabe uma coisa que também não pode ser mantida por muito tempo? A ereção. Por isso o crime de estupro não existe?

Os mesmos princípios civilizatórios que te proíbem de ter um escravo, comprar uma arma nuclear, vender seus filhos, etc.


O crime de estupro é uma violação dos direitos da propriedade alheia (no caso, da propriedade da mulher em relação ao seu próprio corpo). O mesmo se sucede no caso da escravidão.

Armas nucleares? Sim, são violadoras dos direitos da propriedade (material e da vida) dos outros. Mas sabe quem é que tem armas nucleares geralmente? Isso mesmo, os governos.

Sabia que algumas mulheres estupradas sentem prazer? Isso transforma o estupro em sexo?

Pára de apelar, cara. Tá ficando feio pra ti.

Anônimo disse...

SOU UMA FEMINISTA CONVICTA, E NÃO CONFIO EM MARINA SILVA, ELA REPRESENTA ONGS INTERNACIONAIS E AINDA ESTÁ LIGADA A POLITICOS CONSERVADORES, E EM POLÍTICA PARA MULHERES QUESTÕES COMO O ABORTO NEM SERÃO DISCUTIDAS VOU VOTAR EM DILMA PORQUE APESAR DOS PROBLEMAS O BRASIL AVANÇOU

André disse...

Fernando,

"São conceitos de áreas diferentes."
Claro que são, as limitações físicas e/ou custos elevados é que definem o monopólio natural. Energia elétrica faz parte da engenharia, isso não impede que seja precificada e contabilizada. Ficar te explicando o óbvio é muito cansativo.

"Limitações físicas são contornáveis..."
Algumas são. E quando forem contornadas o monopólio deixará de existir. Então os governos que forem inteligentes mudarão a regulação do setor.

"Então tu estás dizendo que foi o próprio mercado que determinou esse formato. Ótimo."
Sim, ótimo. Eu não sou contra o mercado.

"Mas, se isso é realmente verdade, qual a real utilidade da ANEEL, por exemplo? Aliás, por que não fazer esse teste (deixar o mercado aberto por alguns anos para testar essa teoria)?"
Já foi tentado. O resultado foi o apagão de 2001.

"Será que os players do mercado são tão estúpidos a ponto de se negarem a entrar nesse mercado mesmo quando a distribuição de energia é insatisfatória (lembra das ondas de blecaute no verão?) e tem tarifaço chegando aí?"
Leia sobre os blecautes na Califórnia.

"Extrapolando essa teoria para o setor de telefonia e internet, te parece plausível que a Vodafone, a Verizon, a Orange, a AT&T, entre outras menos cotadas, não queiram operar no país que é, em média, um dos dez maiores usuários de internet no mundo?"
Você sabe o que é largura de banda?

"Não, porque o Northern fazia rolagem de curto prazo com diversos bancos, mesmo com o socorro do governo houve pânico e corrida ao banco."
Isso, o que quebrou o banco foi o pânico.

"Ficou implícito o tempo todo. Se uma classificadora participa de um esquema escuso como esse, é porque ela também é desonesta, não?"
Não venha com essa de que ficou implícito. Você foi claro em dizer que na sua defesa das agências de rating, até inventou um norma da SEC que proibia outras agências de operarem.

"Um comerciante do morro que paga achaque pra traficante com o fim de manter seu negócio também é desonesto, não importa o motivo de sê-lo, certo?"
Errado, ele é vítima.

"Péssima notícia."
Não entro nesse mérito, mas a decisão foi correta já que o papel delas é avaliar a capacidade do devedor em honrar a dívida.

"Falho em ver alguma conexão."
Não duvido que falhe. Tente ler de novo.

"Tudo é uma coisa só."
Não são, mas mesmo que fossem isso reforça o meu argumento, não o seu.

"Quer dizer que o mercado é inútil?"
Tão inútil quanto as agências reguladoras.

"Tu ainda não me respondeu o que há de errado com preços muito baixos..."
Nada, desde que sejam fruto de ganhos de produtividade. Não de jogadas para eliminar a concorrência e aumentar os preços posteriormente.

"E sobre cartel também, nenhuma palavra, tô achando que te convenci."
Consegui te convencer que cartel existe? Se não chegarmos nesse ponto nem adianta ir além.

André disse...

"Sim, e vou mantê-lo..."
Você está dizendo.

"A invenção da imprensa ... Falso. Leia os exemplos acima."
Você consegue entender a diferença entre dumping e redução de preços causada por ganho de produtividade devido a revoluções tecnológicas?

"João e Rita ..."
O correto é João e Maria moravam com seu pai, um lenhador muito pobre, etc. Mas já faz um tempo que a humanidade não tenta explicar a complexidade do mundo usando fábulas.

"Mas né, direitos de propriedade..."
Você sabe que o direito de propriedade são uma construção social? E que pode ser flexibilizado pela sociedade que o criou?

"Lembro de ter afirmado ..."
Lembra mal, você usou a carta da petrossauro como argumento para tentar contrariar a minha afirmação de que a formação de cartel de postos de combustível era um dado da realidade.

"Aliás, se tu queres mesmo saber, acho cartéis moralmente condenáveis."
Uau! Já aprendemos muita coisa hoje.

"E quem está no comando da ANP (ou da ANEEL, da ANATEL, da SEC)? Aliens insubornáveis?"
Não, são pessoas sujeitas a erro. Mas fazem parte de instituições sujeitas a correções e melhorias. Como qualquer instituição humana.

"Já que tu queres tanto, vou te dar um exemplo ..."
Fizeram merda. Estamos melhorando.

"Pára de apelar, cara. Tá ficando feio pra ti."
Falou o cara do dumping solar.

Fernando disse...

Algumas são. E quando forem contornadas o monopólio deixará de existir. Então os governos que forem inteligentes mudarão a regulação do setor.

Claro que são, as limitações físicas e/ou custos elevados é que definem o monopólio natural. Energia elétrica faz parte da engenharia, isso não impede que seja precificada e contabilizada. Ficar te explicando o óbvio é muito cansativo.


Então, se as limitações físicas podem ser contornadas, mas o conceito de monopólio natural não, pois sempre estará presente de uma forma ou outra, então eles não são mais sinônimos.

E eu posso garantir: mais cansativo ainda é esperar uma resposta completa, que contemple todos os pontos do debate (a questão das reservas fracionárias como falsificação legalizada de dinheiro virou fumaça), e em vez disso ter que lidar com a tua desonestidade intelectual de escolher trechinhos pra distorcer o que eu disse. Isso tudo é vontade de ganhar o debate na marra?

Sim, ótimo. Eu não sou contra o mercado.

É, mas nem parece.

Já foi tentado. O resultado foi o apagão de 2001.

Então em 2001 o setor de energia elétrica não era um "monopólio natural" pois havia a possibilidade de concorrência, que foi efetivamente praticada e levou ao apagão?

Que retrocesso material absurdo que nós tivemos nesses últimos anos... Antes conseguíamos dar conta de várias companhias elétricas, agora mal damos conta de uma.

Leia sobre os blecautes na Califórnia.

Li a respeito, não sabia disso. Mas fiquei frustrado: aquilo não passou de um festival de acusações em que os políticos bonzinhos acusaram as companhias elétricas malvadonas de ter energia suficiente para suprir a demanda, mas preferiram conspirar pra ninguém vender e valorizar o produto. Absurdo atrás de absurdo.

Um bom exemplo de como um cartel não se sustenta em um arranjo de livre mercado.

Você sabe o que é largura de banda?

Você sabe que os EUA possuem mais de seis vezes mais provedores de internet que nós?

http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_broadband_providers_in_the_United_States

Vai ver eles tem uma largura de banda maior, por causa da maior acumulação de capital que propiciou maiores investimentos privados em tecnologia...

Fernando disse...

Isso, o que quebrou o banco foi o pânico.

Essa frase é tua, não minha.

Não venha com essa de que ficou implícito. Você foi claro em dizer que na sua defesa das agências de rating, até inventou um norma da SEC que proibia outras agências de operarem.

Até agora tu não me demonstrou que a SEC permite a livre entrada no mercado de rating. Tu apenas deu exemplos de outras seis agências, o que expande o cartel de 3 para 9 participantes, mas ainda não desmentiu o fato de que, para ser habilitada a funcionar, uma agência de risco tem de cumprir uma enorme burocracia.

Errado, ele é vítima.

Sim, vítima de um poder coercivo, um poder de vida e morte que o traficante tem sobre ele e o negócio dele (exatamente como o governo tem sobre os participantes dos mercados que ele regulamenta).

Não entro nesse mérito, mas a decisão foi correta já que o papel delas é avaliar a capacidade do devedor em honrar a dívida.

O endividamento dos EUA já é maior que o PIB.

http://www.tradingeconomics.com/united-states/government-debt-to-gdp

Talvez tu tenha razão no fim das contas: as agências de rating sofreram pressão em ambos os casos.

Não duvido que falhe. Tente ler de novo.

Pra alguém que não vive sem um burocrata puxando os cabrestos, até que tu é bem condescendente.

Não são, mas mesmo que fossem isso reforça o meu argumento, não o seu.

Qual o teu argumento? Desonestidade das agências? Já respondi.

Mas no fim tu deve ter razão: em ambos os casos as agências foram pressionadas, o que é bem pior.

Tão inútil quanto as agências reguladoras.

As agências reguladoras nos deram cartel na gasolina, cartel na internet e o mito do monopólio natural.

Dá nem pra comparar.

Nada, desde que sejam fruto de ganhos de produtividade. Não de jogadas para eliminar a concorrência e aumentar os preços posteriormente.

Ou seja: se a produtividade aumenta, pode abaixar o preço. Caso contrário tu é um egoísta desgraçado que não quer cobrar o preço que eu acho melhor que tu cobre.

Consegui te convencer que cartel existe? Se não chegarmos nesse ponto nem adianta ir além.

Me convenceu. Aliás, me convenceu antes de mesmo da gente começar a falar em cartel.

Pára de te fazer de louco.

Fernando disse...

Você consegue entender a diferença entre dumping e redução de preços causada por ganho de produtividade devido a revoluções tecnológicas?

Entendo perfeitamente. O que ainda não me explicaram é como essa postura arrogante de achar que pode se intrometer na propriedade alheia quando quiser é algo tanto ética quanto jusnaturalisticamente defensável.

O correto é João e Maria moravam com seu pai, um lenhador muito pobre, etc. Mas já faz um tempo que a humanidade não tenta explicar a complexidade do mundo usando fábulas.

Criticar a forma pra não ter de refutar o conteúdo. Clássica.

Diz pra mim com franqueza, por favor: tu quer ganhar o debate a qualquer custo, não quer?

Vou me lembrar dessa frase toda vez que ver alguém falando em "ceteris paribus" ou "tudo o mais constante".

Aliás, tu não te pronunciou sobre os males da doação, que é uma prática de dumping ainda mais nociva, pois não exige nenhuma contrapartida econômica visível.

Lembra mal, você usou a carta da petrossauro como argumento para tentar contrariar a minha afirmação de que a formação de cartel de postos de combustível era um dado da realidade.

E tu usou a carta do non sequitur ("pra quem acha que dumping é caridade, fica difícil acreditar que possa haver cartel entre postos de combustível) pra distorcer tudo. Venho batendo na tecla da banda de preços até agora e tu continua se fazendo de louco.

Uau! Já aprendemos muita coisa hoje.

Infelizmente, o principal (o fato de que, se algo não configura agressão contra inocentes, nossas objeções morais têm importância apenas para nós e ninguém mais) ainda não foi aprendido.

Se isso não foi aprendido, bem, todo o resto se torna inútil.

Não, são pessoas sujeitas a erro. Mas fazem parte de instituições sujeitas a correções e melhorias. Como qualquer instituição humana.

O PCC e o Comando Vermelho são instituições humanas. Estariam eles sujeitos a essa lógica?

Fizeram merda. Estamos melhorando.

Exatamente. Hoje regulamos comparativamente menos a economia. Só quem não vê um palmo à frente do nariz é que jura que encontrou uma proporção ótima e imutável entre governo e mercado (ainda mais quando tem tarifaço chegando aí).

Falou o cara do dumping solar.

E o cara que ficou tergiversando sobre estupro respondeu.

Fernando disse...

Mas o melhor ficou pro fim.

Você sabe que o direito de propriedade são uma construção social? E que pode ser flexibilizado pela sociedade que o criou?

Quer dizer então que aquelas sociedades da África e do Oriente que mutilam órgãos sexuais de meninas são plenamente defensáveis, uma vez que elas "flexibilizaram" através dos costumes os direitos de propriedade das meninas em relação ao próprio corpo?

Rapaz... Eu tenho que admitir: tu é bastante corajoso de vir aqui expor o monstro moral que tu é.

André disse...

"Então, se as limitações físicas podem ser contornadas ..."

Vamos supor o seguinte exemplo: você cresce, encontra uma coitada e casa. Você é um homem casado. Embora homem casado seja uma palavra do português (área de humanas) e você seja um ser vivo (área de biológicas) podemos misturar as duas áreas, ok? Então homem casado te define, portanto nesse ponto em particular são sinônimos. Um dia a coitada cria juízo e te dá um pé na bunda, você deixa de ser um homem casado, isso não te define mais e nesse ponto não são mais sinônimos.

"a questão das reservas fracionárias como falsificação legalizada de dinheiro virou fumaça"
Não, só não acho relevante.

"e em vez disso ter que lidar com a tua desonestidade intelectual..."
Não é um debate quando alguém faz afirmações mentirosas como se fossem verdadeiras (agências de rating reconhecidas pela SEC), distorce conceitos clássicos (dumping) ou faz informações absurdas (dumping solar).

"Então em 2001 ... de várias companhias elétricas, agora mal damos conta de uma."
Se você, que aparentemente pretende prestar vestibular para economia, não consegue entender o conceito de dumping. Me parece impossível explicar a diferença entre geração e distribuição, ou espaço e tempo.

"Li a respeito, ..."
Leu a parte sobre deregulation?

"Vai ver eles tem uma largura de banda maior..."
Você tem dificuldade de diferenciar espaço de tempo. Pelo menos você sabe que as empresas que você citou são operadoras de telefonia?

"Até agora tu não me demonstrou ..."
A afirmação mentirosa é sua, você que tem o ônus da prova.

"exatamente como o governo tem sobre os participantes dos mercados que ele regulamenta"
Se o mercado fosse operado por negros da periferia, e regulado pela PM, eu concordaria com você. Não é o caso.

"O endividamento dos EUA já é maior que o PIB."
E daí?

"as agências de rating sofreram pressão em ambos os casos."
Mais uma afirmação sua que carece de demonstração.

"Pra alguém que não vive ..."
Você deve ser o dono da Standard and Poor´s, para ficar tão bravinho na defesa dela. Só me intriga você fazer essa defesa num blog brasileiro e não na The Economist.

"As agências reguladoras nos deram cartel na gasolina, cartel na internet e o mito do monopólio natural."
Opa, aprendemos mesmo que cartel existe.

"Ou seja: se a produtividade aumenta, pode abaixar o preço. Caso contrário tu é um egoísta desgraçado que não quer cobrar o preço que eu acho melhor que tu cobre."
Uma opinião coerente com o exemplo do dumping do Gutemberg.

"Pára de te fazer de louco."
Você trouxe o dumping solar, o dumping gutemberguiano e o João e a Rita.

André disse...


"Criticar a forma pra não ter de refutar o conteúdo. Clássica."
Então vamos ao conteúdo, mas adianto que é ridículo ter que fazer isso.
João corta lenha e fornece para duas lojas de lenha. Maria compra pequena quantidade por isso paga 40 dinheiros o carro de lenha. A Bruxa compra quantidades maiores e é mais agressiva na negociação, por isso paga 30 dinheiros. Na venda fracionada a Bruxa vende a lenha por 80 dinheiros e Maria por 90. Maria mantém sua clientela devido à sua localização, pobre não pode cruzar o vilarejo atrás de lenha. Então a Bruxa resolve tirar Maria do mercado e, aproveitando que tem uma boa reserva em ouro, passa a vender a lenha a 40 dinheiros. Maria tenta falar que sua lenha é gourmet, mas nem assim escapa da falência. Maria vende tudo que tem, paga os empregados e ficam todos desempregados. A Bruxa passa a vender a lenha a 100 dinheiros e pressiona João a baixar ainda mais o seu preço, sem ter para quem vender João corta o bônus de natal dos empregados e baixa ainda mais o seu preço. Abigail até pensa em montar uma lojinha de lenha, mas lembra o que ocorreu com Maria e desiste. O Rei Fernando Mises II apenas observa tudo impassível. Com a lenha cara, o inverno rigoroso e tanta gente na penúria, o rei do vale vizinho captura todo mundo e vende como escravo.

"Diz pra mim com franqueza, por favor: tu quer ganhar o debate a qualquer custo, não quer?"
Não é debate.

"Aliás, tu não te pronunciou sobre os males da doação, ..."
Nem vou, você não consegue nem entender a definição de dumping.

"E tu usou a carta do non sequitur ..."
Ué, se você não sabe somar 2+2, porque haveria de saber somar 3+3?

"Venho batendo na tecla da banda de preços até agora e tu continua se fazendo de louco."
Dumping solar é coisa de louco. Aliás, o que seria o aquecimento global? Inflação?

"O PCC e o Comando Vermelho são instituições humanas. Estariam eles sujeitos a essa lógica?"
Claro, ou você vai negar o aumento de eficiência e melhoria da estrutura do PCC ao longo dos anos?

"Exatamente. Hoje regulamos comparativamente menos a economia."
Que bom, nem tudo tem que ser regulado mesmo.

"Quer dizer então que aquelas sociedades da África ..."
Você consegue entender que o conceito ocidental de direitos humanos é uma evolução daquilo que existe na África? Você já ouviu falar que no passado o direito de propriedade se estendia à posse de pessoas? Não creio.

"Rapaz... Eu tenho que admitir: tu é bastante corajoso de vir aqui expor o monstro moral que tu é."
Tua moral é a supremacia da propriedade sobre todas as coisas, então você acaba de me elogiar duas vezes. Obrigado, infelizmente não tenho nenhum elogio para você.

Fernando disse...

Olha, larguei. Já nem sei mais se é desonestidade intelectual ou desconhecimento mesmo.

O cara jura que tá abafando, quando ele "só" esqueceu de mencionar a descapitalização causada pelo dumping, que eu achava que era ponto pacífico.

O sujeito tá com a cabeça tão cheia de polilogismo e juspositivismo que é incapaz de ver a raiz atemporalmente lógica da propriedade privada. Ele jura que podemos combater agressão contra inocentes agredindo inocentes.

O sujeito é tão desligado que não acha reservas fracionárias um assunto relevante. Ao que parece ficar discutindo quantos fios pode ter num poste é superimportante, mas o bem que perpassa toda a economia de um país não é. Deve ser desses que culpa o mercado pela crise de 29.

Enfim, não adianta debater com um pombo enxadrista que não deve nem saber que tá fazendo esse papel.

Fui.