terça-feira, 5 de agosto de 2014

MISOGINIA: A SÉRIE DE FEMINICÍDIOS EM GOIÂNIA

A primeira vez que ouvi falar da terrível onda de feminicídios em Goiânia foi agora, neste sábado. De lá pra cá várias mulheres, principalmente as da bela cidade (que conheci em 99, e adorei), pediram pra publicar um post sobre o tema.
Retrato falado do motoqueiro
Confesso que não gosto de falar sobre assuntos desse tipo -- de motoqueiros que atiram em mulheres, de caras que empurram mulheres no trilho do metrô, de maníacos que jogam ácido -- pra não dar ideias. Infelizmente, a misoginia reina mesmo na nossa sociedade. Quem acompanha fóruns de ódio, como eu de vez em quando, vê que não falta gente que odeia mulheres e que fantasia sobre como pode nos machucar, nos violentar, nos matar. As justificativas são as mais banais possíveis: as mulheres não me dão bola, então vou me vingar. Como resumiu bem uma leitora outro dia: aos homens, a desculpa. Às mulheres, a culpa.
A outra razão para não escrever sobre a série de mortes em Goiânia é o meu desconhecimento. Portanto, pedi para uma das leitoras escrever um guest post. Mas este será um post colaborativo. Conto com vocês: quero que vocês falem um pouco mais, deixem links, sobre essas mortes terríveis. 
Não se sabe se é o caso de um serial killer isolado, ou se é uma ação de uma dupla ou um grupo de misóginos. Sabemos (sabemos mesmo?) que por enquanto foram doze vítimas. E que a polícia está demorando demais para investigar. 
E que o modus operandi é sempre muito parecido: um motoqueiro aborda uma jovem nas ruas de Goiânia (em bairros nobres e de periferia) e atira nela, sem roubar nada, e sem que a moça reaja.
Quem assina este post é Juliana, 29 anos, atualmente cursando sua segunda graduação, no Rio. Sua mãe e irmã moram em Goiânia.

No último sábado, 2 de agosto, mais uma adolescente foi morta em Goiânia, sob as mesmas circunstâncias de pelo menos outras 11 vítimas. Ana Lídia de Souza, 14 anos, foi morta em um ponto de ônibus no Setor Cidade Jardim, região sudoeste de Goiânia, por volta das 14 horas, por um motoqueiro em uma moto preta e que usava capacete preto. A menina estaria indo para a Feira da Lua (uma feira, que acontece todos os sábados, localizada em uma praça num bairro nobre da capital, onde são comercializadas roupas, sapatos, bolsas, obras de arte, artesanato) trabalhar com a mãe. 
A tese de que seja o mesmo assassino voltou a ganhar forças depois desse episódio. Com mais esse caso, sobe para doze o número de mulheres assassinadas nas mesmas circunstâncias em Goiânia. Até agora nenhum dos homicídios teve resposta das autoridades. O medo é geral e o pânico começa a tomar conta dos, e principalmente das, goianienses (programas sensacionalistas já falam em trinta vítimas).
A polícia nega que haja um serial killer agindo em Goiânia, mas o fato é que as mortes teimam em acontecer e o assassino, ou assassinos, continuam soltos. Desde a morte de Ana Maria Victor Duarte, de 26 anos, assassinada enquanto lanchava com amigos numa sanduicheira do Setor Bueno, em Goiânia, no dia 14 de março deste ano, espalhou-se a tese de que haveria um delinquente matando mulheres na capital. De lá para cá uma série de assassinatos contra jovens, aparentemente sem motivação alguma, vem ocorrendo na cidade. 
Na madrugada de 26 de julho, um sábado, Juliana Neubia Dias foi morta dentro do carro do namorado, no semáforo da Av. D com a Av. Mutirão, no Setor Bueno em Goiânia. O assassino parou ao lado do carro onde estava a jovem e, sem dizer nada, efetuou três disparos que acertaram a vítima. Horas antes, numa lanchonete do Jardim América, outra jovem, Daiane Ferreira de Morais, 18 anos, foi baleada nas costas. Ela foi socorrida e encaminhada ao hospital. Felizmente seu quadro é estável e ela não corre risco de morrer. 
Como todos os outros homicídios, esses dois últimos casos também não possuem suspeitos e a polícia não sabe a motivação dos crimes. Todos os crimes guardam semelhanças entre si. As jovens foram baleadas sem que houvesse reação, e em nenhum dos casos foram levados pertences das vítimas. A falta de respostas por parte das autoridades goianas faz aumentar a sensação de insegurança e, por conta disso, o pânico toma conta das mulheres da grande Goiânia. 
Independente de existir um serial killer, um psicopata ou não, precisamos de respostas. Precisamos que os crimes sejam esclarecidos e que cesse esse empurra-empurra e essa tendência absurda de culpar as vítimas para justificar essa atrocidade.

144 comentários:

Patty Kirsche disse...

Nossa, que coisa horrível. Eu fico impressionada como aparecem esses tipos e ninguém fala em misoginia. Aqui em São Paulo tinha um sujeito que esfaqueava meninas no ponto de ônibus uma época. Chegava de capacete pra não ser reconhecido. O SPTV deu a notícia e não fez nenhuma observação sobre o sujeito só assassinar moças na faixa dos 16-20 e não levar nada. É óbvio que é crime de ódio. A gente nunca vê uma mulher começar a matar rapazes aleatoriamente porque isso dá tesão nela. Mas a gente fala nisso e sempre vem o pessoal do "são todos seres humanos". Não tenho paciência, na boa...

Kittsu disse...

Já cheguei a ver uma boa da polícia justificando que todas essa mortes estariam ligadas a tráfico de drogas ou teriam sido cometidas por parceiros. Eu não acredito nisso.

Anônimo disse...

A policia civil brasileira e uma piada, diante de um caso destes, a chefia da policia civil goiana, afirma que "Morre muita gente assassinada mesmo, quem morre muito homem também, e que(pasmem) não tem competência, enm estrutura local para investigar casos complexos.

E tem gente que defende uma desmilitarização das policias, o modelo seria este civil? A policia civil brasileira sofre do mesmo mau das demais instituições publicas brasileiras, PREGUIÇA BUROCRÀTICA, gente quase forma em qualquer coisa, e presta um concurso publico para qualquer coisa.
E obvio que os casos em Goiania, pelo modus operanti, não são simples casos de violência urbana cotidiana(que infelizmente no brasil, não e novidade. 54 mil casos de homicídios por ano, assassinato no brasil, já nem choca mais) E evidente que e crime de misoginia, cometidos por um ou mais indivíduos, inspirados pela onda de acontecimentos.
O dose e ver um chefe de polica civil, se dizer incapaz de investigar tais fatos, por falta de recursos e material humano qualificado. Para que serve a policia civil então? se eles só fazem carimbar papel o dia inteiro, e só resolvem caso que a policia militar joga prontinho no colo deles.

Anônimo disse...

A policia diz que são casos isolados.
Mas sendo assim, eles não resolveram, nem um, único destes homicídios. Então como podem afirmar que são casos isolados, sem não tem resultado nenhum?

Sara disse...

É dificil até descrever como me sinto, tenho muitos parentes em Goiânia, e assim q ouvi sobre esses crimes, pensei na misoginia da nossa sociedade.
Tenho muito medo de q essas monstruosidades se espalhem.

Anônimo disse...

Eu moro em Goiânia, e já são mais de 30 casos semelhantes nesses últimos 6 meses. 12 foram os que foram expostos. Acho que cheguei a receber mais de 20 imagens e notícias via whatsapp, facebook sobre mulheres que foram mortas sem motivos específicos, mas abafaram alegando que estavam ligadas a drogas. Ontem, dia 05-07 mais 3 mulheres foram assassinadas, mas as autoridades não estão mais falando sobre isso na mídia, não sei se é uma tática para o "serial killer" achar que não estão fazendo nada enquanto eles investigam o caso ou porque de fato não estão dando a mínima para os acontecimentos. Confesso que não há paz para sair de casa mais, minha mãe tá sem coragem pra ir trabalhar, minha irmã que é deficiente auditiva e cursa letras na UFG, já não quer voltar as aulas, já que ela estuda em um campus bem afastado. Enfim, acho que todas mulheres de Goiânia estão bem assustadas e aguardando uma resposta das autoridades. Hoje só disseram que houve uma reunião e que há pedido de busca e apreensão para alguns suspeitos, mas vai saber...

Andreya Seiffert disse...

que história terrível =/ espero que a polícia aja logo e prenda esse(s) maluco(s). me lembrou a história de realengo, também se deu pouco destaque ao fato que a maior parte das vítimas era meninas. nesse caso todas são mulheres, e não há dúvida de que é é crime de ódio.

Anônimo disse...

Se for um serial killer mesmo a última coisa que a polícia irá fazer e associar todos esses casos para a mídia ver, pois isso só aumentaria o "ego" e o desejo dele.

praceirxx disse...

Mulheres...

deve tomar muito cuidado com quem se envolvem, devem saber selecionar melhor aqueles que estão ao seu lado com o maior rigor possível, Triste tudo isso ai...

Anônimo disse...

Ia escrever um email pra alguns tumblrs feministas gringos pra botar a história em patamar internacional e causar alguma comoção que gerasse alguma atitude, mas meu inglês é uma bosta. Tem como alguém falar sobre isso com a comunidade mundial feminista?

Fabia Nobre disse...

Esse assassino vem nos assustando (nós, mulheres de Goiânia) desde do inicio do ano, quase não saio e o pouco que saio ando com medo de tudo. Que a justiça seja feita e que encontre este homem logo!

Julia disse...

Sério que a polícia tá com essa conversinha, Kittsu?

Anônimo disse...

realmente isso está acontecendo, eu moro em Goiânia e a menina de 14 anos que morreu foi aluna da minha professora. A situação é de pânico, quase nenhuma mulher anda na rua, todas estão desconfiadas de todos os motoqueiros que passam. Os crimes não estão ligados a tráfico de drogas, nenhuma das mulheres tem passagem pela cadeia ou algo do tipo
luto

Anônimo disse...

Vamos falar claramente, é óbvio que é crime dos guerreiros da real evidente que um punheteiro pirou e saiu atirando nas moças, esse discurso de ódio deles está levando a esse tipo de coisa.

Anônimo disse...

Em salvador também teve desses o cara pegava a mulher no ponto de onibus fingia que era namorado e levava no motel, e ainda mandou a vítima pagar o motel, as vitimas denunciaram mas ele sempre saí da cadeia.
até quando...

Anônimo disse...

Também fiquei impressionada com o caso, o mais estranho é que ninguém vê. Nem a moto nem a placa, tanto que agora é que vão investigar depois de 12 mortes.
Ninguém nunca vê nada nessa porra.

Anônimo disse...

Tem um caso também acho que é na china, um lugar desses onde dois irmãos pegavam mulheres e matavam , não contentes eles começaram a fazer canibalismo com as vítimas, mas lá eles foram presos condenados a morte.

clara disse...

E passou até no programa de sabrina sábado passado, que os homens presos recebem 85% de visitas mas as mulheres só 8%
o povo ainda tem pena desses homens.
Mas das mulheres não pelo visto.

Anônimo disse...

Feminicídio é muito comum não existe só aqui como em vários lugares, no oriente médio é comum jogar ácido no rosto das mulheres.
Mas eu também não gosto de divulgar isso não, é como dizem não é bom dar ideia.
Estão querendo fazer uma lei pra incluir feminicidio no código penal.

Anônimo disse...

Vem cá é femicidio ou feminicidio pq estou lendo aqui e dizem que é femi e não femini.
O termo femicídio não deve ser confundido com feminicídio, pois enquanto femicídio é a morte de indivíduos do sexo feminino, a segunda expressão diz respeito à morte de mulheres por motivação política.

Lucas Pin disse...

Chocado apenas :o

Anônimo disse...

Teve um crime em que o cara matou a mulher porque ela não quis fazer sexo a três com ele, e se quisesse provavelmente era puta. Igual a menina que se matou por que fez isso com o namorado e caiu na internet.
Ou seja parece que a mulher se fode de qualquer jeito.
E DEPOIS AINDA PERGUNTAM PQ TÁ SOLTEIRA, OU PQ ESCOLHEM TANTO.

NADJA CABRAL disse...

CADA DIA MAIS EU TENHO PROVA DE QUE HOMEM NÃO PRESTA EM SUA MAIORIA, NÃO SÓ POR TER ESSES CRIMES CONTRA MULHER, COMO PELAS CONVERSAS E ATITUDES DELES PARA COM O SEXO OPOSTO, SÃO SEMPRE AS MAIS NOJENTAS POSSÍVEIS. ESSA HISTÓRIA DE HOMEM BONZINHO É HISTÓRIA DE MASCU PRA QUERER TER UMA DESCULPA QUANDO LEVAR UM PÉ NA BUNDA PRA DESCONTAR NA MISOGINIA.

MAIA disse...

E ainda dizem não querem apanhar então não casem com cafajeste,
olha a prova aí que cafajeste não é só o ficante, namorado etc...

Danilo disse...

Resposta: Não é de hoje, casos de homens insanos que sequestram, torturam e matam mulheres. A imprensa os noticia constantemente.

Mas o que vocês chamam de Misoginia eu o chamo de uma paixão humana desesperadora. Todos esses casos demonstram, de forma irrefutável, o que eu venho falando há muito tempo, as paixões humanas são perigosas e explosivas. Aqueles que enaltecem a paixão, a cultivam, a incentivam e a estimulam, seja em si mesmos ou nos demais, estão dando sua contribuição direta à esta grave enfermidade coletiva, a qual avança perigosamente dia após dia.

Um cara misógino não importa com mulher alguma , mulheres são seres invisíveis para o verdadeiro misógino. O feminicíddio é algo inerente a um Machismo agressivo. O homem tenta impor sua dominância com atos violentos e ditatoriais contra as mulheres e por isto, que as matam.

O Machismo agressivo é algo completamente passional, oriunda de sentimentos de fracassos, ódio, revolta etc. Ela infecta as mentes e pode se alastrar, na proporção direta do estímulo ao apaixonamento pelos meios de comunicação e pela cultura


Obs: Verdadeiros misóginos dentro da minha concepção são: Buda, Newton,Descartes dentre outros.

Anônimo disse...

Até as maiores serial killers mulheres, tinha preferência por mulheres. como Delfina e María de Jesús González, mataram onze homens e oitenta mulheres.

Raven~ disse...

Maia, meldels Maia.

Que comentário infeliz. :(

Anônimo disse...

e depois me perguntam por quê eu, uma mulher, gosto de mulher e não de homem...

Raven~ disse...

Tou acompanhando isso peli Marcelo Rezende.

E sim, estão dizendo essas coisas de tráfico e tal e pior: Tão dizendo coisas tipo esse ser Maia aí. Que elas é que tão se envolvendo com malandro. Mas porra, caso isolado? Isolado? 12 casos isolados? Puta que pariu!

Kittsu disse...

Mulheres...

deve tomar muito cuidado com quem se envolvem, devem saber selecionar melhor aqueles que estão ao seu lado com o maior rigor possível, Triste tudo isso ai...



Sim! Obrigada pela fantástica dica de nos dizer que temos que selecionar melhor quem anda no mesmo caralho de rua que nós.

Kittsu disse...

Danilo. Estou cagando para como você chama qualquer coisa. Beijos e abracinhos.

Anônimo disse...

Aposto um doce que é um mascu black block da Real. Aposto MEEEEESMO.

Henrique M. disse...

Moro em Goiânia e aqui se fala destes assassinatos já faz uns dois ou três meses. Assim como naqueles casos dos inúmeros assassinatos de moradores de rua que aconteceram em 2012 e 2013, a Polícia insiste que esses crimes não tem relação.

As primeiras notícias que nós goianienses tivemos sobre esses assassinatos foram repassadas pelo Whatsapp. Logo, a polícia fez questão de dizer que todas as notícias sobre o serial killer eram apenas boatos.

Não dá pra saber ao certo quantos assassinatos ocorreram pois a polícia não parece divulgar todos e a todo momento surgem mentiras repassadas nas redes sociais.

Os maiores informantes sobre esses casos até pouco tempo atrás eram o delegado Waldir Soares(conhecido delegado aqui de Goiânia que vive aparecendo na mídia) e do apresentador Oloares Ferreira(que apresenta a edição goiana do Balanço Geral). Quem acompanha o facebook vive lendo as notícias que os dois postam sobre os assassinatos.

O que fica claro é que a segurança pública de Goiás é vergonhosa. Goiânia, Aparecida de Goiânia, as cidades do entorno de Brasília, estão entre as mais violentas do país.

Anônimo disse...

Pelo amor dos céus, esse monstro tem uma vitimologia específica (só mulheres de 14 a 26 anos, pelo visto), um método específico de matar (tiro), uma assinatura (sempre de moto e capacete) e não há nenhuma motivação aparente (roubo, estupro, reação a assalto), o que mais é preciso pra reconhecerem que estão lidando com um serial killer? O sujeito tem que se assumir assim? Arranjar um apelido pra ele mesmo e exigir sair na primeira página do jornal, feito serial killer de filme americano? Se fugir do roteirinho made in EUA não é serial killer de verdade? Tenha dó!

E Danilo, paixões humanas meu rabo! Isso aí é ódio mesmo, só mais um dos seus amiguinhos mascus matando gente inocente pra fazer mal. Misógino ignora mulher? Não, filho, misógino não se contenta com isso, não. Misóginos não se contentam em evitar e ignorar mulheres, eles as agridem e matam pra expressar seu ódio. E isso inclui você e seu grupinho de losers babacas, que quando não agridem mulheres fisicamente, tentam agredir verbalmente. Façam um favor à humanidade e sumam da face da Terra, todos vocês.

lola aronovich disse...

Gente! Acho que vcs estão confundindo dois casos que, pra mim, são completamente distintos. De fato, em março houve a execução horrível de quatro meninas, de 16 a 19 anos, em Goiânia. Aí vemos declarações absurdas de gente como a Maia (entre muitos outros) dizendo que as meninas mereceram, porque se envolveram com bandidos e tal. Pois é, pra misógino, mulher não precisa cometer crime algum. Basta se envolver romântico ou sexualmente com "malando", que já merece a pena de morte. Vi um monte de mascu gritando "bem feito" e "tiveram o que mereceram", pra falar desse caso.
Mas não é disso que estamos falando agora! Estamos falando de um ou mais serial killers que anda de moto e atira em jovens mulheres que ele nem conhece. Mulheres jovens e bonitas que ele vê na rua, no ponto de ônibus, no carro com o namorado, na lanchonete, aí o cara vai, de capacete, e atira na moça que nem esboça reação. Por enquanto, são 12 casos assim em Goiânia. Tem gente que já fala em 30...

Anônimo disse...

Se isso não é serial killee não sei o que é.

Bru disse...

Gente, a Maia criticou quem diz que elas é que se envolvem com malandro. Olha o comentário:

E ainda dizem não querem apanhar então não casem com cafajeste,

E ainda dizem (os machistas" "não querem apanhar, então não casem com cafajeste". Ela CRITICOU esse pensamento de culpabilização

Anônimo disse...

"e depois me perguntam por quê eu, uma mulher, gosto de mulher e não de homem..."

Eu entendo perfeitamente. Eu adoro mulher. É a coisa mais linda que existe.

Anônimo disse...

Aposto que tem dedo mascu no meiodessa historia.

Death disse...

Sempre quando há estes casos de serial killer o que mais se vê são pessoas relativizando a situação ou botando a culpa nas vítimas, isso mostra como tem psicopatas em potencial andando soltos por aí.

Anônimo disse...

O engraçado é o seguinte, adivinhem pra quem as mulheres vão pedir socorro e esperar ajuda dessa situação? Pro "homem opressor".

Ué, elas não são todas independentes? Então que descubram sozinhas esse ou esses assassinos =)

NM disse...

também tive a impressão que o comentário da Maia foi uma crítica a culpabilização...

SandStorM disse...

Eu entendi o que o Danilo quis dizer, eu acho, ele quis dizer que esses homens provavelmente queriam muito ter mulheres, namoradas, sexo, viver um românce, mas como não conseguem, nutrem então um ódio enorme e saem matando por aí.

Pode ser isso, e na verdade isso é causado sim pela paixão do homem e pelo apego, mas é uma paixão que se transformou em ódio.

Mas o verdadeiro misogino caga pra mulher, veja como Buda tratava mulheres, ele simplesmente ignorava-as, e se mantinha afastado, ele nem notava a existência delas.

Já esses misoginos que matam, são apaixonados por mulheres, iguais os que cometem crimes passionais.

MAIA disse...

Vcs entenderam errado eu falei que o povo diz que mulher que não gosta de sofrer é só não casar com cafajeste.
desculpe pelo mal entendido

Raven~ disse...

Vdd. Obrigada Bru. Desculpe Maia.

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/goias/noticia/2014/08/policia-cre-em-multiplos-autores-mas-nao-descarta-serial-killer-em-goiania.html

Danilo disse...

"E Danilo, paixões humanas meu rabo! Isso aí é ódio mesmo, só mais um dos seus amiguinhos mascus matando gente inocente pra fazer mal. Misógino ignora mulher? Não, filho, misógino não se contenta com isso, não. Misóginos não se contentam em evitar e ignorar mulheres, eles as agridem e matam pra expressar seu ódio. E isso inclui você e seu grupinho de losers babacas"


Resposta: Eu sou eu, eles são eles. No mais, eu não tenho amigos. Não ando com marmanjo do meu lado.

Uma pequena observação: Esses mascus de fórum masculinistas que vocês tanto falam e criticam nunca matou ou estuprou mulheres. Algum já cometeu atrocidade contra as mulheres? Falar todo mundo fala. Ninguém é o que é realmente no mundo virtual pro mundo lá fora.

Saem do estágio de inocência. Os mascus não são o que eles falam.



Julia disse...

Danilo, faz um favor pra nós?
Morra.

Anônimo disse...

Ela não estava falando de beleza, seu imbecil anon das 16h59.
A noticia é sobre misoginia, a conversa é sobre violência e ódio machista.

Anônimo disse...

Isso é horrível, não adianta não entra na minha cabeça...
Pra mim isso é sim crime de ódio, mas precisa acontecer com a mulher, filha, mãe de um delegado, de um cara importante na cidade para que seja tratado de forma diferente?
E sabe o que mais? Se acontecer vai ser dada atenção só para os "importantes", as vítimas anteriores serão tratadas como casos ligados a trafico de drogas e tal, exatamente como já estão sendo tratadas agora.
É desesperador, angustiante...

Anônimo disse...

Não tem como saber se é mascu. Apenas que é um doente mental, e um serial killer, de fato.

Pode ser mascu também, de fato. Apenas não dá pra saber se o cara tem contato com essas coisas.

Sara Marinho disse...

Foram 46 casos de homicídio de mulheres em Goiânia esse ano, somente 11 solucionados, daí que tem gente falando que são mais de 30 casos,inúmeros desses fora desse modus operandi, estão querendo colocar todos os homicídios de mulheres na mão de um serial killer... Se existe ou não, não posso afirmar, mas é possível que não passe de boato...Goiânia está absurdamente violenta, junho foi o mês mais violento da história da minha cidade, 80 homicídios... Há muito mais casos de homens assassinados do que de mulheres, porém a associação costumeira a tráfico de drogas é mais facilmente engolida... Aparentemente, os casos envolveram motos (houveram casos com moto vermelha e preta, e de modelos diferenciados) e armas diferentes, fora que conforme testemunhas, a polícia concluiu que os criminosos tinham estaturas diferentes. Talvez seja mais de um misógino matando mulheres, ou talvez seja somente reflexo de uma cidade perigosa. Eu tenho medo de andar na rua, eu não faço mais alguns percursos rápidos a pé que eu costumava fazer, mas não por causa de um suposto serial killer, e sim por causa da crescente insegurança pública da cidade (que eu honestamente associo a nossos governos estadual e municipal historicamente incompetentes e mal intencionados).
Pode ser uma combinação de assaltos mal sucedidos, ex-namorados vingativos,e indivíduos se aproveitando do boato para matar alguém que quisessem (ou para expelir sua misoginia impunemente).

Anônimo disse...

Então tem um sujeito matando a esmo mulheres jovens, bonitas, dentro de uma faixa etária e sem intenção de roubar nada, só vai lá e mata. Usando meus superpoderes de futurologia, vou dizer o que vai acontecer quando ele for pego:

1. provavelmente ele vai se matar na primeira oportunidade

2. no computador dele vão encontrar todo tipo de merda masculinista possível

3. a imprensa vai acusar o comportamento dele como rejeição de uma ex-namorada

Anotem e cobrem. Printem para posteridade.

Claudio disse...

O macho humano é o único em todas as espécies, que se revolta contra a fêmea, quando não escolhido / não aceito / rejeitado pela mesma.

Em qualquer outra espécie, os machos nessa situação, tentam superar os outros machos.

Não sei se digo felizmente ou infelizmente, nosso destino está nas mãos da nossa pré-disposição genética, mas existe outra forma... o dinheiro... devido a lavagem cerebral que as mulheres sofreram...

*Lola, eu estou quase terminando os gráficos que eu te enviarei por e-mail, eu espero que você não faça postagem ironizando, ou você posta seu ponto de vista, se gostar, ou apenas exclua o e-mail...

Arthur Aleks disse...

Não entendo: ninguém até agora ouviu o som do disparo, viu a moto passar, associou uma coisa à outra e anotou o num da placa em nenhum dos doze casos registrados?
Não estou querendo culpabilizar civis nem nada, mas é assustador n ter nenhuma informação a respeito da moto ou do capacete do cara, e capacete n é algo assim tão fácil de trocar. É equipamento caro.

Arthur Aleks disse...

Ah, desculpem, só vi agora, tem lá o bendito retrato falado.

Anônimo disse...

Oh! Trágico

Anônimo disse...

Cadê a carta de repúdio dos coletivos feministas à polícia de Goiás?

Náy disse...

Moro em Goiânia e aqui a situação é alarmante.Eu mesma tenho evitado até sair de dentro de casa.Daqui há poucos dias recomeçam as aulas na faculdade onde estudo e tremo só de pensar no trajeto até lá.Se vejo um motoqueiro se aproximando, tremo toda.Uma colega de classe minha era vizinha de uma das vítimas e depois do assassinato da jovem,ela desenvolveu síndrome do pânico.O meu esposo trabalha de moto e está bem constrangido, pois é só ele se aproximar que a mulherada corre mesmo, apavorada.Enquanto isso, as autoridades negam que seja um serial killer e já colocaram a resolução dos casos até ''nas mãos de Deus''!De qualquer forma, o policiamento foi reforçado.Foram trazidos 500 policiais do interior e 22 delegados para ajudarem na investigações.Vamos ver se agora conseguem pegar esse ou esses malditos!!

Raven~ disse...

Malditos mascus: Se misoginia fosse ignorar a mulher, nós seríamos felizes da vida. Imaginem um mundo onde não somos mortas por ódio, nem espancadas, nem estupradas, pois mascus, machistas e babacas afins apenas nos ignoram? Seria o paraíso. Esse "argumento" de vcs não cola.

Danilo disse...

Exatamente.

Julia disse...

Deviam matar a si mesmos esses homens "apaixonados".
Vão se apaixonar pelo capeta no quinto dos infernos.

Cão do Mato disse...

Também entendi que o Danilo quis dizer isso.

Cão do Mato disse...

É por isso que o Danilo disse que NÃO é misoginia, criatura!!

Anônimo disse...

Lola, tem como alguem esclarecer onde exatamente os assassinatos aconteceram? Isso eh importante para saber onde aconteceu o primeiro crime. Segundo especialistas do FBI, o primeiro assassinato, na maioria das vezes, indica a zona de conforto do assassino. A partir desses dados, eh possivel fazer uma triangulacao e localizar onde eh mais provavel que o proximo assassinato aconteca (nao o local exato, mas a area aproximada). A partir dai eh que se faz o trabalho de vigilancia. Alguem de goiania pode passar os endereços completos e corretos?

Anônimo disse...

Um adendo ao comentario anterior: o primeiro assassinato acontece, geralmente, perto da casa do assassino.

Anônimo disse...

Tb estou evitando ao máximo sair de casa! Morro de medo! A situação está caótica.

Anônimo disse...

Os assassinatos aconteceram em bairros distintos, tanto em áreas nobres como na periferia. Fica difícil dizer qual foi o primeiro caso, pois parece que a polícia tem escondido vários. Mas parece que o primeiro que consideram foi em um ponto de ônibus em janeiro.

Náy disse...

Anônimo das 21:15, que eu saiba o primeiro homícidio com as características citadas ocorreu no bairro Nova Suíça,mas não sei exatamente o local.Só sei que a vítima estava em um bar.Depois ocorreu no Jardim América, Vila São José, Bairro Goiá e agora no Morada Nova.

Kittsu disse...

"O engraçado é o seguinte, adivinhem pra quem as mulheres vão pedir socorro e esperar ajuda dessa situação? Pro "homem opressor".

Ué, elas não são todas independentes? Então que descubram sozinhas esse ou esses assassinos =)"

Anta. o poder publico tem pinto e bolas, ou um cromossomo y? anta galopante. vá chupar um casco de mula.

Anônimo disse...

Anon das 19:18
Depende, se encontrar no computador dele algum
Game violento ( e que por isso mesmo tem classificacao etaria) a imprensa vai botar a culpa no jogo, pedir a prisao de todos os gamers, exigir a proibicao de todos os jogos e dar o assunto por encerrado.

Anônimo disse...

Quando é assassinato em série de mulheres jovens fico com certeza que é revolta do assassino pelo desprezo que recebeu das mulheres porque as mulheres novas são mais cobiçadas.

Anônimo disse...

É por essas e outras que sou contra o desarmamento da população civil. Ass: Sandro

PAINKILLER disse...

tem mulheres que estudaram comigo na época da escola que eu tenho vontade de matar mesmo, ate porque faziam bullying comigo.

alias, pessoas pra matar tem de sobra pra mim, acontece que a prisão é uma merda, por isso que eu me isolo socialmente pra evitar a situaçaõ que eu precisaria matar alguem e ser preso.

por isso que sou 100% solitário, porque minha vontade de matar pessoas que conheci na época da escola é muito grande. então não tenho tolerancia pra conviver com as pessoas, e se essas pessoas falarem comigo na rua, no mínimo uma surra vão tomar.

Anônimo disse...

Tb moro em goiânia e o q me deixa mais perplexica é que são meninas muito jovens, a que morreu perto da minha casa tinha 13 anos, tá morrendo muitos jovens e adolescentes há cerca de 2 anos, morrem sempre de forma a "sem motivo" chega e atira, o que faz chamar a atenção pra que esses sejam apenas contra mulheres é que as vezes há outras pessoas juntas q parece q ficam invisíveis para o criminoso, tb te e pelo menos um caso q o atirador mandou a pessoa do lado correr, estranho isso. O ano passado teve tb a onda de assassinar morador de rua dormindo e algumas cameras de segurança identificaram motoqueiros atirando, as vezes penso q seja policiais "limpando" a cidade

Anônimo disse...

Em 19 de janeiro tem o caso da moça de 23 anos q cuidava dos avós e saiu pra comprar pão e passou motoqueiro e atirou, os amigos disseram q ela não usava drogas, isso foi no jardim américa mas a mídia só começou a falar mais sobre o assunto depois do caso da moça q estava lanchando e só atiraram nela enquanto os outros estavam pegando os pertences, esse local é próximo do outo, acho q deram ênfasr nesse caso pelo fato da moça ser conhecida, ela era assistente parlamentar

Anônimo disse...

O macho humano é o único em todas as espécies, que se revolta contra a fêmea, quando não escolhido / não aceito / rejeitado pela mesma.


que mentira hein! pelo visto ja está domado pelas feministas para falar uma merda dessas.
nunca viu caso de mulher matando homem por ciumes,porque foi chutada?
já vi caso até de uma mulher que agrediu o cara pq ele n quis transar com ela.

vc está vivendo no mundo fantástico das feministas onde só mulher é vítima de crime e todos os homens são uns lixos opressores.

Anônimo disse...

A situação está caótica, e não vejo resolução a curto medio prazo. Principalmente porque não irão tratar o caso por aquilo que ele provavelmente é. Não acredito ser apenas 1, mas sim um grupo de assassinos, mascus que se encontraram e decidiram sair matando mulheres desacompanhadas, que para eles, são todas p****... Um começou, falou para outro que o imitou. E por ai foi. Mas o que me parece é que simplesmente não ha pericia nessa cidade, nao ha balistica, e nenhuma camera de segurança decente para filmar uma porcaria de uma placa. Ou simplesmente nào ha boa vontade em se procurar essas coisas. Ha alguns meses uma pessoa anonimamente enviou uma msg de voz pelo whats app sobre isso, alertando as mulheres e quando viralizou a policia negou. Disse que era boato. Bom, obviamente não era, mas naquela epoca ja estavam tapando sol com a peneira.

Valéria Fernandes disse...

Eu fiquei sabendo do caso dos assassinatos de Goiânia neste fim de semana, como a Lola. Ontem foi capa do Correio Braziliense. Agora, o que mais me chocou foi o delegado responsável dizer na TV - assisti no jornal da Globo, ontem de madrugada - que "Deus está capacitando a polícia para resolver os casos". Como assim? A coisa está tão braba que Deus entrou na parada? Eu espero esse tipo de discurso de um pastor, não de uma autoridade policial em cadeia nacional.

De resto, pode ser - e só por isso não me choca mais - que a polícia esteja tentando despistar a imprensa não associando os crimes a um serial killer. Falo da imprensa, porque isso não irá controlar o pânico da população. Agora, com essa história de Deus capacitando, pode ser que seja incompetência, preguiça e falta de interesse mesmo. enquanto isso, as mulheres estão morrendo.

Marina disse...

Alguém mais percebeu que, além e jovens, todas as vitimas são morenas?
Isso tá com cara, jeito e cheiro de de mascu!

Anônimo disse...

Difícil entender que a definição particular de misoginia de vcs não nos interessa, mascus?
Ora, vão se foder.

Anônimo disse...

O que me entristece é que aqui no Brasil o crime compensa. É tanta selvageria e descaso aqui que já virou coisa normal. A coisa está saindo do controle. E pelo que eu vejo no dia a dia, o pessoal nem se revolva muito. Na hora até que se revoltam, mas depois de um dia todo mundo meio que esquece e tá rindo achando que está tudo bem quando na verdade não está.

Anônimo disse...

Estava esperando post sobre... isso...
(não sou sem noção pra ficar cobrando post em blog alheio)

1° comentário, da Patty, assino embaixo.

Conjunto de fatores causais dessa desgraça misógina:
[1] incompetência da Polícia Civil (basicão - que nunca recebeu investimento sério, logo, não tem estrutura pra investigar meia ocorrência, o que historicamente deixou a instituição à mercê das PIORES influências e infiltrações- o que também é de responsabilidade da esquerda, como escrevo abaixo);
[2] segurança pública como questão historicamente não enfrentada pela esquerda (sou de esquerda desde bebê - e até morrer - contra TODAS as tendências familiares; origem economicamente "desfavorecida", no caso, fodida. Pra esclarecer qq "coisa");
[3] misoginia reproduzida pelas autoridades PÚBLICAS, de maneiras diversas;
[4] mídia RECUSA-SE a mencionar "crime de ódio contra mulheres" - particularmente esse ponto me embrulha MAIS o estômago.
Todo mundo sabe, até os policiais (cargos mais baixos: os que sempre são responsabilizados por erros de "superiores" hierárquicos e por conjunturas históricas[!!!]) que têm de inventar desculpa pra m**** de trabalho de segurança pública que NÃO se faz no Brasil, que se trata de crime de ódio contra mulheres.

Pergunto-me: onde está o governo federal (meu voto é na Dilma 1000X, 1000X contra o psdb - só pra constar), onde estão as p***** das Secretarias ref. a gênero e Direitos Humanos? Por que a PF ainda não entrou na História? Já sabem que a PC (estadual) não tem condições (fora outros fatores) de fazer nada. Porra, tão esperando o que???

Um ponto, mínimo, positivo: a PC já aposta mais na hipótese de não se tratar de um único assassino. O que a imprensa está corretamente divulgando.

Tem de cair matando (não literalmente, claro) pra pegar esse grupinho de mascus misóginos, investigar TUDO detalhadamente.

Neste momento, 06/8/2014, a ideia mascu misógina de sair assassinando mulheres está MAIS que divulgada.
Infelizmente, a perspectiva daqui em diante, para a mídia, sensacionalista principalmente, é usar esses assassinatos chamar atenção de telespectadorxs, da pior forma possível (desculpem a redundância).

Cabe a REAÇÃO, que TEM de ser pesada, mapear, carimbar/registrar/"fichar" e punir (quando for o caso), tudo quanto é grupelho e participante que faz APOLOGIA de violência contra mulheres (CRIME, tem de lembrar né).
E divulgar as ações tomadas o máximo possível (depois, mas tb durante o processo todo, desde que não prejudique os objetivos, óbvio).
(EVIDENTE que É prática E ideia mascu - pros imbecis mais interessados em disputa de "conceito [haha] mascu" que na VIDA DAS MULHERES)
Cadê as instituições federais??????????

Os relatos das moradoras aqui são aterrorizantes.
Seria talvez possível.... uma resistência civil ... (houve -há ainda? - em alguma região da Índia; em determinado momento mulheres pernambucanas - de Recife, se não me engano - organizaram criativamente uma ação efetiva em relação à violência doméstica) demandaria um nível de organização comunitária e de movimentos sociais - se não feministas, ao menos contrários a assassinatos de mulheres como esses (necessário reconhecer que se trata de crimes de ódio) - praticamente impossível de se existir, dados os condicionantes sociais. E considerando principalmente a especificidade dos crimes.

Para o ignorante que já se adiantou a ser o primeiro babaca a jogar o rótulo "doença mental" aos assassinos: entenda que quaisquer desses homicidas - como muitos outros - podem tranquilamente não apresentar nenhuma doença psiquiátrica/ alteração do funcionamento cerebral considerado normal. Pessoas consideradas "normais" cometem atrocidades, lide com isso, ou melhor, acrescente camadas e camadas de TEOR CRÍTICO ao que você considera comportamento humano "normal" (= sem diagnóstico psiquiátrico).

Thata

Anônimo disse...

"Depende, se encontrar no computador dele algum
Game violento ( e que por isso mesmo tem classificacao etaria) a imprensa vai botar a culpa no jogo, pedir a prisao de todos os gamers, exigir a proibicao de todos os jogos e dar o assunto por encerrado."


Hahahahaha verdade, esqueci desse detalhe. No aguardo do avatar de videogame em redes sociais e o Repórter Record fazendo matéria sobre a relação entre os assassinatos e o comércio clandestino de jogos violentos (com direito a câmera oculta na lan house).

Anônimo disse...

"O dose e ver um chefe de polica civil, se dizer incapaz de investigar tais fatos, por falta de recursos e material humano qualificado. Para que serve a policia civil então? se eles só fazem carimbar papel o dia inteiro, e só resolvem caso que a policia militar joga prontinho no colo deles."

Ou já levou um por fora pra não investigar, vai saber se o assassino em questão não é uma pessoa de po$$e$, filho de "alguém".

E na boa, nem precisa ser viciado em seriados americanos pra ver as fotos das vítimas e enxergar o padrão nelas. Montar o mapa criminológico dos homicídios também não é a coisa mais difícil do mundo. Mas esqueci que estamos no Brasil.

Anônimo disse...

"Cadê a carta de repúdio dos coletivos feministas à polícia de Goiás?"

Carta de repúdio é como rezar. Você gasta um tempo fazendo uma coisa que no final, modifica a situação em absolutamente nada.

lola aronovich disse...

Gente, a Valéria Shoujofan me enviou por email uma matéria do Correio Braziliense (acessível apenas para assinantes). Reproduzo aqui a cronologia das mortes. Notem que essas doze mortes não têm nada a ver com as 4 meninas chacinadas, também em Goiânia, em março. Aquele é outro caso terrível, mas sem relação com este serial killer.

Cronologia das mortes

19 de janeiro
» A jovem Beatriz Cristina Oliveira, 23 anos, foi assassinada com um tiro no peito, no Setor Nova Suíça. Ela morava no bairro e seguia para uma padaria, quando foi abordada por um motociclista, que pediu o telefone celular e atirou na sequência. Beatriz morreu na hora.

14 de março
» Em março, foi a vez da assessora parlamentar Ana Maria Duarte ser morta de forma parecida. A mulher de 26 anos estava em uma lanchonete com o namorado e uma amiga, quando um homem de capacete se aproximou, pediu o celular e, na sequência, puxou o gatilho. O crime ocorreu no Setor Bela Vista, um dos mais nobres de Goiânia.

23 de abril
» Dessa vez, um motociclista vestido de preto matou dentro de uma farmácia, no Bairro Goiás. A vítima era Wanessa Oliveira Felipe, 22 anos, assassinada com um tiro à queima-roupa no peito. Assim como nos outros casos, o bandido fugiu sem levar nada.

8 de maio
» Janaína Nicácio de Souza, 25 anos, foi executada com um tiro na nuca dentro de um bar no bairro Jardim América. Ela estava acompanhada de um amigo. Um homem com jaqueta preta se aproximou e, sem dizer uma palavra, mirou na jovem e atirou. Ela morreu na hora.

» Enquanto a polícia procurava o suspeito de matar Janaína, perto dali, Bruna Gleicyelle Gonçalves, 26 anos, era morta de maneira semelhante. Ela esperava condução em um ponto de ônibus, quando foi surpreendida por um motociclista. Ele pediu o celular, mas atirou antes de a jovem tirar o aparelho da bolsa.

23 de maio
» Carla Barbosa Araújo, 15 anos, andava com a irmã, de 17, no Setor Sudoeste. Um motoqueiro se aproximou e anunciou o assalto. Após revistar as vítimas superficialmente, o homem apontou para o peito de Carla, atirou e fugiu sem levar nada. A adolescente não resistiu ao ferimento.

1º de junho
» Menos de 10 dias depois, outra adolescente de 15 anos foi assassinada. A vítima, Isadora Aparecida Cândido, passeava com o namorado, no Setor São José. O casal percebeu a aproximação de um motoqueiro, que anunciou o assalto. A jovem teria resistido a entregar o celular e recebeu um tiro nas costas.

15 de junho
» Grávida de cinco meses, a cuidadora de idosos Thamara da Conceição Silva, 17, e o marido andavam pelo centro de Goiânia, quando um homem estacionou a motocicleta, desceu e atirou na mulher. O suspeito fugiu. Ninguém conseguiu anotar a placa.

16 de junho
» Um homem em uma moto preta mandou que Thaynara Rodrigues da Cruz, 13 anos, e uma amiga levantassem as mãos. Em seguida, ordenou que a amiga de Thaynara saísse do local. Sozinho com a adolescente, atirou e fugiu. A menina morreu na hora. Ninguém foi preso.

19 de julho
» As irmãs Rosirene e Rocilda Gualberto da Silva, 29 e 36 anos, respectivamente, caminhavam pelo Setor dos Funcionários ao serem abordadas por um homem em uma motocicleta de cor escura. O criminoso matou Rosirene com um tiro no pescoço e feriu Rocilda com um disparo no braço.

26 de julho
» A administradora de empresas e estudante de contabilidade Juliana Neubia Dias saia com o namorado e uma amiga para comemorar o aniversário de 22 anos, em um Fiat Palio, quando foi assassinada por um motoqueiro. O homem se aproximou, encostou a arma na janela e atirou, matando a jovem na hora.

3 de agosto
» A mais recente vítima de motoqueiros é a estudante Lídia de Souza, 14 anos. Um homem se aproximou em uma moto e disparou quatro vezes contra a jovem. Ela estava em um ponto de ônibus e não teve tempo para reagir. O homicídio ocorreu no Conjunto Morada Nova, na Cidade Jardim.

Carlos disse...

Soube desta coisa terrível neste site, e imediatamente após, vi na grande mídia. Parece que finalmente estão se mexendo...Impressionante é que algo de tamanha gravidade, e apesar dos recursos de disseminação da informação em alta velocidade e com grande abrangência, o poder público e os grandes veiculadores de informação andem a "la tartaruga".
E se não bastasse isso tudo, li que quase lincharam um cara por ser semelhante ao um retrato falado do supeito. Se alguém acredita em mundo de homens x mulheres, neste episódio em que as mulheres são as vítimas, e com certeza por serem mulheres,também poderemos ter homem(s) morto(s), e não necessariamente o culpado.

Anônimo disse...

A polícia também está alegando conflito de competência com a DEAM, a meu ver eles não entenderam até agora que devem trabalhar juntos.
Também é fácil notar como todos esses assassinatos ainda não estão sendo mostrados pela mídia, eu sou goiana e só fui saber dos casos pela internet, agora que estão publicizando os casos mas, infelizmente, programas sensacionalistas que estão dando maior vizibilidade para a série de assassinatos. Em um desses programas tinha como anúncio: "assassino de mulheres bonitas em Goiânia" (???????)
Estamos esperando uma verdadeira investigação dos casos e respostas da polícia, esse sábado (09/08)acontecerá uma manifestação em Goiânia em luto e luta pelas mortes, espero que tenha efeito.

Anônimo disse...

Nada a ver, Lola, mas eu achei um comentário aqui num site Body-Positive, num post que falava sobre "a pornografização do fitness". Um cara veio correndo falar "MAS E OS HOMENS?" e a resposta que deram vale pra qualquer assunto.

Post original: http://www.huffingtonpost.ca/tosca-reno/bikini-fitness_b_5610782.html

Blog post: http://gtfothinspo.com/post/93959153170/the-pornographication-of-fitness-needs-to-stop

"Se você de fato se importasse com as questões masculinas, você não iria colocá-las em cima como um afterthought (como se traduz isso?) na fala de uma mulher. Você ao invés disso estaria engajado ativamente em diálogos que explorem as nuances dos problemas dos homens na sociedade. Você não iria simplesmente esperar até uma mulher estar falando e então gritar 'é! os homens também!'. Você iria falar sobre essas coisas independentemente e daria aos homens a atenção que eles merecem como indivíduos, ao invés de esperar que uma mulher faça o trabalho, assumindo o espaço dela e insistindo que os homens ganhem um espaço no palco também.

Se você de fato se preocupasse com as questões femininas, você não demandaria que elas desistissem de seu espaço. Você reconheceria que conversas de mulheres sobre mulheres são perfeitamente válidas. Quando uma mulher fala sobre suas experiências pessoais e da forma que as pressões sociais a afetam, você não iria permitir que ela fosse interrompida ou desviada. Você não iria ativamente falar por cima dela ou roubar a atenção, focando em questões que estão fora do ponto abordado por ela, até que a conversa se desvie pra tão longe que você não está mais discutindo mulheres.

Então, tanto agora quanto no futuro, minha resposta aqui continua a mesma: 'Podemos falar sobre todo mundo?' - Não. Nós ainda estamos falando sobre mulheres aqui."

Cão do Mato disse...

Alguém aí prá cima falou que esses casos não são "simples(???) casos de violência urbana cotidiana". É...tá "serto"...Matar mulher (ainda que só por ser mulher) não pode, mas meter uma bala na cabeça alguém prá roubar o celular, aí tudo bem. Afinal de contas, é problema social (como se misoginia, homofobia e racismo também não fossem, né?).

Anônimo disse...

[1] Achei interessantes as explicações sobre as evidências de, possivelmente, não se tratar do mesmo assassino no linque já citado no post: http://www.aredacao.com.br/noticias/44353/delegado-descarta-que-serial-killer-esteja-atacando-mulheres-em-goiania.

[2] Uma "pena" que ninguém esclareceu para as "otoridades" em questão (ou eles, digamos, estão "dando uma de desentendidos") o conceito de misoginia e as consequentes práticas: crimes de ódio contra mulheres.
Pelamor, esperam que o suspeito afirme, seguindo as regras da ABNT e talz, o MOTIVO do crime? Vai dar desculpa ordinária assim no inferno! (ref. dessa busca por CONFISSÃO, busca estranha e obsessiva, por parte dos investigadores, considerando a evidência de FEMINICÍDIO: tbm em outros linques citados no post, ou indicado no conteúdo desses linques).

Olha seu delegado, eu tenho ódio de todas as mulheres pq mimimimi, daí entrei nesse grupo XYZ, resolvemos fazer "justiça" com as próprias mãos. Não, seu delegado, não foi latrocínio. Seu delegado, entenda, as mulheres acabaram coma minha vida, não fazem mais mingau pra mim, logo, sou misógino e assassino de mulheres. Entendeu seu delegado?

Ô Secretaria de Políticas para Mulheres, mandem uma CARTILHA pra eles, por favor!

[3] No Jornal do SBT (SP) de hoje, mostram a família de Ana Maria, assassinada em 14/6, oferecendo dez mil reais para quem levar-lhes qualquer indício do homicida. Similar ao sugerido pelo Anon.05/8 18:43, é bem possível que o capital econômico e social das vítimas modifique a espetacular interpretação nos inquéritos a serem finalizados: (a) mulher pobre: ou envolvida com tráfico (como se não houvesse questão de gênero tb aqui), ou o ressucitado "crime '''''''passional''''''' ".
(b) E às vítimas advindas de clãs endinheirados: resta, como "motiuvação" tão incompreensível e, aham, misteriosa, a individualização extrema (e ilógica) do crime. Resultado da investigação: crime de natureza idiopática.
Mas quanta lenga-lenga, TUDO para evitar o óbvio ululante: feminicídio.

Thata

Anônimo disse...

Lola, não acho que seja sensacionalismo estipular pra 30 mortes...
Os casos que foram pra mídia devem ter sido apenas moças brancas, clarinhas, classe média, e "do bem".
As negras, as pardas, as faveladas, as moças que PODERIAM estar ligadas de alguma forma ao morro + traficante, nem deram ibope, afinal "ah, morreu pq é pobre/preta/puta (coloque aqui qualquer estereotipo preconceituoso)"
Deve ser até mais de 30, talvez não do mesmo bandido, mas é aquela história, se já tem muitas morrendo do "nada", um psicótico já pode pensar "ah, vou aproveitar e pegar minha senha pra matar também".
E a polícia mais uma vez fazendo jus ao salário que ganha.

Anônimo disse...

Tá muito na cara que temos um Elliot Rodger agindo no Brasil também, mas será que a filha de um político vai ter que morrer pra fazerem alguma coisa? A motivação é obviamente masculinista. Logo o campeão aparece se vangloriando nos fóruns dos 1 Real.

Anônimo disse...

Bom, eu não tive acesso a fotos de todas as mulheres que foram assassinadas, mas trata-se sim de um feminicídio em série (as poucas fotos que vi eram mulheres que tinham cabelos longos, estrutura corporal e faixa de idade parecidas e talvez cabelos escuros - me corrijam se eu estiver errada). Além do padrão como o desgraçado mata essas meninas, também há um padrão de características físicas destas garotas, pq deste padrão? É como alguém falou ai... que quando encontrarem o FDP ele vai se matar, dirão que as mortes padronizadas destas meninas foram por causa de uma namorada que terminou com ele, vão encontrar um monte merda misógina no computador do infeliz e vai ficar td por isso mesmo... como ocorreu em Realengo?
A PF se especializa tanto em entrar na Deep Web pra conseguir pegar misóginos, pedófilos e toda sorte de caras perturbados, e nossa policia civil não tem treinamento algum pra lidar com feminicidios deste porte?!
E tenho certeza que assim como ele tem padrão pra matar estas mulheres, ele também escolhe e acompanha sua vítima e sabe dos horários e cruza os horários das vitimas com a movimentação do local pra que ele possa não ser pego.
É tudo tão bem arquitetado, que a não ser que alguém próximo se arrisque da próxima vez para tentar apanhá-lo, que chego a duvidar que a policia civil sozinha consiga dar um basta nisso tudo!

Anônimo disse...

Esse retrato falado é falso, se não me engano foi descartado, esse cara não tem nada a ver, gente. Cuidado com os justiceiros por aí.

Anônimo disse...

Olha como estão escondendo as coisas, moro no bairro goiá, e soube desa morte na farmácia mas não soube q foi nessas condições, foi divulgado "assalto com morte em farmácia", outra coisa q está acontecendo com o mesmo modo oprandus e aconteceu aqui no bairro goiá perto da farmácia são estupros, primeiro voz de assalto nos comércios e depois leva para o banheiro e estupra, e é sempre motoqueiro.
Vai passar agora uma reportagem sobre uma sobrevivente de um ataque

Anônimo disse...

Pior q já morreu a assessora parlamentar era filha de politico, não lembro qual

Lu

Anônimo disse...

Como goianiense, digo com propriedade: tem sido dias muito difíceis para nós. Além do nosso medo, nossos familiares não ficam em paz enquanto estamos nas ruas. Tenho medo de sair na rua, me apavoro quando um motoqueiro se aproxima e algumas amigas estão até recusando trabalhos que exijam saídas de casa. Tive que mudar alguns trajetos pra não ficar tanto tempo andando na rua. É horrível viver assim, insegura e apreensiva pra fazer coisas tão simples como comprar pão, pagar contas na lotérica, encontrar uma amiga.

Espero que estes casos sejam solucionados o quanto antes. E que as famílias destas mulheres possam encontrar a paz e a tranquilidade.

Nathália disse...

Seria ótimo se esses doentes resolvessem nos ignorar, um grande favor para todas!!!

André disse...

Até que demorou. Com tanto site destilando ódio contra as mulheres, era só uma questão de tempo até que um frustrado ganhasse coragem para fazer essa merda.

Náy disse...

Acabou de passar na tv que já são 18 os casos confirmados de mortes pelo o(s) motoqueiros!

Anônimo disse...

Misoginia não existe, é tudo invenção dessas feminazis gayzistas comunistas ateias e servas de satanás.

Matou meia dúzia de mulher? Grande porcaria, quantos zómi são assassinados todos os dias e ninguém fala nada? Não existe crime de gênero duzómi? Cultura do estupro duzómi? E UZÓMI GENTE?

(pequeno resumo dos comentários que tenho lido nos portais de notícias que deram espaço para esse triste acontecimento em Goiânia).

Marina disse...

Misogenia = Antipatia, aversão mórbida às mulheres (ver Aurélio).
O Danilo que está querendo ressignificar a palavra, alegando que " mulheres são seres invisíveis para o verdadeiro misógino"..Isso é invenção da cabeça dele...Mas podia ser verdade, morreriam bem menos mulheres!

Anônimo disse...

"Pior q já morreu a assessora parlamentar era filha de politico, não lembro qual"

Ah é? Ah então tá explicado o mutirão de delegados e a coisa toda. Logo pegam alguém.

E não vamos nos esquecer, amiguinhos e amiguinhas, que é ano de eleição.

Anônimo disse...

Sabem o mais bonitinho disto? E ver feministas esquerdistas, anti policia(Eu quero o fim da policia, resquicio da ditadura, blah blah blah), querendo que a...POLICIA, resolva isto para elas :)

donadio disse...

"deve tomar muito cuidado com quem se envolvem, devem saber selecionar melhor aqueles que estão ao seu lado com o maior rigor possível, Triste tudo isso ai..."

Bicho, o cara chega de moto e atira. Não passa cantada, não anuncia assalto, nada. Chega e atira. Que cuidado alguém tem que tomar pra evitar um assassino desses? Fugir cada vez que aparecer um motoqueiro? Ficar trancada em casa?

Sem brincadeira, você está sendo cúmplice desse assassino. O que ele quer é aterrorizar as mulheres em geral, e pelo visto essa é a sua intenção também.

donadio disse...

"Mas o que vocês chamam de Misoginia eu o chamo de uma paixão humana desesperadora."

Falou o dono da língua portuguesa.

Quanto é o aluguel por falar e escrever na sua língua, doutor?

donadio disse...

"o que mais é preciso pra reconhecerem que estão lidando com um serial killer?"

Sem querer defender a polícia, acho que não dá para ter certeza de que é um único assassino. Pode ser um grupinho, não?

Esse tipo de coisa é complicadíssima. Se a polícia não divulga informações, todo mundo fica inseguro, pode até haver uma epidemia de pânico. Se divulga, acaba alertando o assassino de que ele está na mira. Ou, talvez pior, estimula outros malucos a imitarem o criminoso original. Ou, ainda, pode estimular as falsas confissões, com outros pirados se declarando culpados pra aparecerem.

Enfim, eu sei muito bem que a polícia é geralmente incompetente (não só no Brasil, o fenômeno é mundial), e que a polícia goiana especificamente não está entre as menos ruins. Mas não acredito que haja má fé aqui, ou mesmo cumplicidade insconsciente com a misoginia; é uma mistura de incompetência, desaparelhamento, e dificuldade real numa situação bem delicada por si mesma.

donadio disse...

Outra coisa, é preciso tomar cuidado para isso não dar em linchamento.

http://g1.globo.com/goias/noticia/2014/06/jovem-muda-rotina-apos-comparacao-com-serial-killer-medo-de-morrer.html

Daqui a pouco pode ter motoqueiro apanhando até morrer simplesmente por andar de motocicleta.

lola aronovich disse...

Anon das 16:20, vc é muito ignorante. Teve um outro aí em cima que comentou algo parecido -- que é absurdo nós feministas queremos que a polícia proteja as cidadãs e encontre o culpado(s)! Pro babaca de cima: se a polícia fosse toda composta apenas por mulheres policiais, a gente ainda iria pedir que a polícia investigasse e resolvesse o caso (e, vai saber? Talvez, se a polícia tivesse mais mulheres, a polícia de Goiás não seria tão incompetente?) Pro anon de agora, só porque nós pessoas de esquerda temos um monte de críticas à atuação da polícia (afinal, temos uma das polícias mais violentas, exterminadoras, torturadoras do mundo), não quer dizer que queremos que a polícia acabe. Só queremos ter uma polícia mais humana e eficaz (porque nossa polícia, apesar de ser hiper violenta, hierárquica, machista e racista, também não é competente!).

Raven~ disse...

Mascu do Mato. Não se faça de pão, senão leva uma linguiça!

O Danilo falou, fala e pelo visto vai morrer falando, que misonigia no conceito dele (um conceito bem de merda aliás) é indiferença a mulher. Quando NÃO é! É ÓDIO! E ÓDIO QUE MATA. Comecem a nos ignorar (aí se chamaria indiferença) e ficaremos felizes.

Lorena Luciana disse...

Vai ter manifestação contra os feminicídios sábado agora no centro de Goiânia:
https://www.facebook.com/events/632788046828303/?fref=ts

Anônimo disse...

"(afinal, temos uma das polícias mais violentas, exterminadoras, torturadoras do mundo)"
-------------------
Você só esqueceu de mencionar Lola, que temos dos marginais, que mais matam no mundo, somente em 2013 foram 54 mil homicídios, disto segundo estudos sociais, nem 0,7% foi causado por policiais.
E nós temos uma das maiores taxas de mortalidade entre policiais do mundo,60 policiais mortos, a cada 100 mil habitantes, Três vzs maior que entre civis, que e de 27 a cada 100 mil habitantes. uma vergonha.
Eu trabalho, por menos de 1600 reais, morrendo de medo de represalias contra minha familia, cometidas pelo crime organizado, fortemente armado.Lidamos com marginais extremamente violentos e traiçoeiros, com descaso do poder publico, com ocorrências dirias de tragedias familiares, humanas e conjugais, onde não aparece um assistente sociais nas situações de conflito, só sabem criticar depois.
E como vc da sua zona de conforto acha que devemos combater isto diariamente Lola? Com uma rosa nas mãos, e um panfleto FEFELECH na outra?

Anônimo disse...

De que classe social você acha que saem os policiais Lola? acha que eles vem da Lua, ou que são membros dazelites brancas de zio azul?"
Mais da metade do contigente de policiais brasileiros, e negro ou pardo.

Thiago disse...

Olha, sou homem. E namoro há 4 anos uma menina linda, inteligente, trabalhadora e responsável (mais do que eu inclusive). Eu amo, amo do fundo do meu coração minha namorada, temos planos para um futuro um ao lado do outro, em que trabalharemos juntos, para viajarmos que é o que mais gostamos de fazer. Eu não entendo como funciona a cabeça de um "Homem". Esse rótulo envolto a esse ser, que traz consigo uma necessidade de ser machão, de mandar na casa, de ele e somente ele por o pão e o leite na mesa, enquanto a mulher fica com a barriga na pia lavando louça e roupa.

Pra ser sincero esse lance de feminismo e machismo não entram em minha cabeça, pois desde pequeno sou "diferente" desses grandes Homens por aí. Já levei muito toco de mulher, já fui traído, assim como já terminei relacionamentos por deixar de gostar mas sempre superarei qualquer mágoa com naturalidade e segui em frente. Nunca tive ódio, raiva, nem nada do tipo para com mulheres. Muito pelo contrário, eu as amo, elas são guerreiras, estudam, trabalham, se sujam bem assim, como nós. Não há diferença pra mim. Minha mãe foi pai também. Desculpe-me se estou sendo machista ou feminista, como eu disse eu nunca sei onde começa um e termina o outro direito. É que esse é o meu modo de ser.

Eu estou com medo, não gosto nem de pensar que poderia acontecer algo do tipo com o meu amor. Ela também está com medo e insegura. Será um alívio muito grande quando pegarem esse desgraçado. Isso se não houver algum "copycat" doente por aí.
Esse imbecil vai ter o que merece. Se não for pela justiça dos homens e mulheres, vai ser pela justiça de Deus.

Crl disse...

Fiquei com dó agora.
Danilo, você não sabe o que é paixão, pelo menos paixão romântica.De onde você tirou que paixão é essa obsessão doentia, esse sentimento de dominação? Não é isso, por isso boa parte das pessoas consegue amar e ser rejeitado sem chegar a isso.

lola aronovich disse...

Veja uma entrevista publicada hoje no Jornal O Popular com uma das vítimas:
Um rapaz alto, branco, de olhos arregalados, de jaqueta preta e capacete pretos, com um revólver na mão. Estas são as descrições feitas pela jovem D., de 18 anos, do homem que disparou um tiro contra ela na noite de 25 de julho, no Cepal do Jardim América. 

O que você estava fazendo no Cepal do Jardim América na noite de 25 de julho?

Estava comendo um espetinho com uma prima e uma amiga. Minha prima tinha ido ao banheiro e eu a esperava em pé, no local que lanchamos.

De que forma você foi abordada?

Eu e minha amiga tínhamos acabado de pagar a conta. De repente, vi um vulto. Quando virei o pescoço, vi um rapaz com um capacete preto, com olhos bem arregalados, alto, branco, com uma jaqueta preta e gola branca e com um revólver na mão. Ele encostou o revólver nas minhas costas, falou para eu ficar quieta e atirou.

O que aconteceu em seguida?

Minha amiga correu. Ele deu dois tiros contra ela, mas não a atingiu.

Você associa este homem com o possível assassino das outras jovens?

Não tenho a menor dúvida. Eu fui vítima do serial killer.

Você teve desentendimento com alguém nos últimos dias que justificasse a violência que sofreu?

Não tem motivo nenhum, Nunca tive desentendimento com ex-namorados, por exemplo. Também nunca recebi nenhuma ameaça.

Você admite a possibilidade de ser assaltante?

Não foi assaltante porque ele em nenhum momento anunciou roubo. Ele só quis tirar a minha vida, mas Deus é maior, sempre.

Antes de você ter sido baleada dez mulheres já tinham sido mortas em Goiânia. Você estava sentindo medo de também ser vítima?

Eu tinha medo, mas nunca pensei que ia acontecer comigo.

Você desmaiou depois de ter sido baleada?

Fiquei lúcida até o momento que meu marido chegou. Ele tirou a camiseta dele, colocou no meu peito que estava com o sangue esguichando. Depois não vi mais nada. Acordei quando estava no Hugo.

Como você pensa que vai ser sua vida a partir de agora?

Não sei se vou dar conta de sequer ir no mercado. Minha vida será bem diferente, nada de rua, vou ficar em casa com meu filho.

Você encontrou a Juliana no Hugo?

Nós chegamos praticamente no mesmo momento no hospital. Ela ligou para a mãe , disse que tinha levado um tiro e pediu desesperadamente para ela ir até lá.

Elaine Pinto disse...

O serial killer age há mais de seis meses. Já se sabe o M.O., que utiliza uma motocicleta para fazer as abordagens. Por que a polícia não tem feito blitzes periódicas a motociclistas que se encaixem na descrição do assassino? É um descaso enorme.

Anônimo disse...

Colega anônimo. Goiânia não tem favela, nem favelados. Existem bairros mais centrais, bairros, nobres, periferias. Também não há na região uma segregação racial que justificaria dizer que as brancas moram em bairros nobres e as negras nas periferias. A população local é bem misturada. Sou branquela e sempre morei em periferia. Próximo ao bairro Goiá, citado em um dos comentários. Acredito que a polícia esteja investigando sim esses casos. Alguns não entram nas contabilidades por estarem em outra linha de investigação. Talvez neguem a existência de crimes em série para que a investigação seja mais segura. Hoje mesmo li no O Popular que a polícia já tem alguns suspeitos. Inclusive existem foragidos. Independente disso, mais que o esclarecimento desses casos, precisamos de uma estratégia de segurança pública capaz de nos proteger e evitar que mais casos de violência aconteçam!

Anônimo disse...

Tenho um colega de trabalho que elogia baranga e coloca defeitos nas bonitinhas e, lógico, é casado com uma mulher mais feia do que ele.
Ás vezes flagro ele olhando com uma expressão de ódio pra uma mulher jeitosa e acho que um dia ele vai ser capaz de cometer assassinatos desse tipo, contra mulheres jovens e bonitas.

aline disse...

Gente parem de criticar um ao outro. Pq que diferença há entre aqueles que matam ou proferem palavras feias para os que julgam estes e chigam em rede social?! Nenhuma diferença pratiquem o amor e se não ter uma coisa boa a dizer é melhor se calar. Tb sou contra as pessoas que falam que as mulheres mereciam morrer, mas se eu falar que quem falou isso merece morrer sou como eles(as) deixem o Danilo a Maia e quem quer que seja com suas opiniões, se disseram com boa ou má intenção não cabe a nós dizermos coisas ruins. Se vc assim como eu pensa dessa forma, espalhe amor e não ódio. Tem tanta mãe, pai, irmão, namorado etc que perderam sua querida e precisam de palavras de amor. Analise como anda sua vida, o que tem feito para mudar a vida de uma pessoa para melhor. Não vamos mudar o mundo, mas podemos mudar o mundo de alguém, podemos ajudar de pequenas maneiras. Pense nisso

Anônimo disse...

Concordo com você Aline! Me impressiono com todo tipo de manifestação de ódio. Seja ela vinda de misóginos ou dos indignados com a misoginia. Precisamos de paz, proteção, amor. Precisamos de esclarecimento desses casos, mas mais que isso, precisamos que não ocorram outros semelhantes. Nem na minha querida Goiânia, nem no Rio, nem em lugar nenhum do Brasil, nem em lugar algum do mundo.

aline disse...

Eu moro aqui em Goiânia,e o fato é que é uma cidade linda ,mais uma das mais machistas do Brasil.E esse boato que apareceu na mídia nacional agora,vem fazendo parte de uma paranoia coletiva na cidade.O direito de ir e vir de todas as Goianas praticamente não existe,porque o que não se divulga também é que esta ocorrendo nos últimos meses aqui,várias ocorrências de assaltos seguidos de estupro,ou seja, quase uma epidemia de crimes contra as mulheres.

Thiago disse...

Eu não entendo é como que não há ninguém que tenha um vizinho com as características desse cara, moto preta capacete preto, branco, olhos arregalados. Esse cara não deve ser um cara normal, a não ser que tenha desenvolvido uma psicopatia elevada a ponto de ser aquele "cara gente boa, nunca fez nada com ninguém, educado, trabalhador". Espero que as denúncias estejam rolando, sobre possíveis suspeitos. Vi uma pessoa acima dizendo que a polícia deveria fazer blitz pra "peneirar" esses motociclistas com essas características, já que são muitos. Mas até agora não vi e não fiquei sabendo de tal atitude. Mesmo com essa força tarefa não creio que esse imbecil irá parar.

Sara disse...

Como disseram aqui, tb sou favorável q devíamos cultivar o amor.
Mas dá um grande desânimo de amar, quando em um só dia, ao escutar as noticias, o que se segue é um verdadeiro massacre de mulheres.
É uma criança de nove anos agredida e estuprada de maneira brutal pelo padrasto, a quem ela havia deixado um cartinha, um tempo antes, pedindo a "Jesus" q o protegesse.
Em seguida a noticia de uma senhora de qse 70 anos tb estuprada e agredida pelo vizinho.
Seguindo o noticiário a história de 3 garotas que sofreram estupros coletivos e humilhações, daqueles q deviam protegê-las, 6 policiais.
Fora as incontáveis esposas, ex esposas ou companheiras vítimas da crueldade de seus maridos (mas essa já nos acostumamos) afinal o apresentador misógino, sempre diz algo que desabona as vítimas ou justifica esses crimes, coisas como a mulher estava traindo ou era alcoólatra, e do grande sofrimento do marido q não aceitava a separação.
A segurança realmente assim como a saúde e educação esta um caos nesse pais, mas alem disso, e muito pior, é a misoginia que esta se entranhando no mundo, não só aqui no Brasil.
As noticiais que se recebe de vários lugares, são assustadoras em relação as mulheres.
As vezes penso, se que o que esta por detrás disso tudo, não é o recado para q nós mulheres retrocedamos ao q éramos no passado.
Que nos conformemos com o espaço de nossas casas, com a prisão e submissão no casamento, como única opção para continuarmos vivas...

Anônimo disse...

São mais de 40 casos de mulheres assassinadas, porém de mulheres assassinadas com as mesmas características: homem com moto preta, capacete preto, atira e vai embora, foram 12. As redes sociais espalham noticias falsas a todo momento sobre esse assunto. Só na noite de domingo espalharam pelo whatsapp que 2 tinham sido assassinadas, uma delas perto da minha casa inclusive. Mas eram apenas boatos... Mas na verdade oq interessa mesmo é que as autoridades parem de se fazer de cegas perante esse assunto e prendam o culpado ou os culpados. Não aguentamos mais tanta insegura, e quantas mães ainda vão precisar chorar pelas suas filhas para q tomem uma atitude???? Queremos paz :(

lola aronovich disse...

Gente, publico aqui nos comentários (em mais de uma parte) a reportagem enviada pela Valéria Shoujofan sobre os crimes em Goiânia. A reportagem só está disponível para assinantes.

PARTE 1
Investigação aponta para crimes isolados
Diante de uma cidade apavorada com a possibilidade de um serial killer à solta, força-tarefa policial se apressa em elucidar onda de homicídios. Polícia ainda não consegue descartar assassinatos em série em pelo menos três casos

JOÃO VALADARES
Enviado especial
Publicação: 07/08/2014 04:00

Goiânia — Das 12 mulheres assassinadas em Goiânia, em circunstâncias aparentemente semelhantes, oito delas foram mortas por criminosos diferentes. É o que aponta a investigação desenvolvida pela Polícia Civil até o momento. Na tarde de ontem, o Correio teve acesso aos detalhes da apuração por fontes da Secretaria de Segurança Pública e confirmados por pessoas do governo. A autoria e motivação desses oito casos — crime passional ou acerto de contas — já teriam sido esclarecidas no âmbito da investigação. A Secretaria de Segurança Pública de Goiás, que patina desde o início do ano para elucidar os homicídios e sofre a cobrança diária de uma cidade acuada pelo medo, sabe que se trata de casos isolados. Do grupo de oito criminosos, os delegados que estão à frente dos trabalhos já têm as informações completas de cinco. Três mandados de prisão preventiva foram pedidos à Justiça. Os outros dois devem ser expedidos em breve. Em relação aos outros três assassinos, a polícia saberia quem são, no entanto ainda está finalizando algumas informações. Apesar das suspeitas, ninguém foi preso.
A força-tarefa, que conta com o reforço de sete delegados, 30 agentes e 10 escrivães, se concentra, agora, em quatro assassinatos em que as apurações ainda estão em aberto. De acordo com fontes da Secretaria de Segurança Pública, ouvidas em reserva pelo Correio, existem indícios fortes de que um mesmo criminoso matou duas ou três mulheres. Para a polícia, o assassino se “apropriou” das circunstâncias dos outros oito crimes e da comoção de que havia um serial killer solto na cidade para cometer os assassinatos. É justamente por isso que a cúpula da Polícia Civil ainda não descartou oficialmente a tese de que os crimes foram cometidos por um serial killer. Os investigadores também incluíram outros seis casos nas apurações, que não seguem as mesmas características de execução, mas podem ajudar no andamento dos trabalhos.

lola aronovich disse...

PARTE 2

As apurações desenvolvidas em relação aos assassinatos esclarecidos apontam que os crimes foram cometidos por oito homens, todos em motocicletas, mas com capacetes diferentes, grande parte deles de cor escura. Os policiais chegaram à conclusão de que as motivações desses crimes estão relacionadas a acertos de contas ou questões passionais. Em relação aos acertos, a polícia apurou que, em alguns casos, há relação com dívidas de drogas. No entanto, as dívidas podem não ter sido contraídas pelas vítimas e, sim, por parentes ou pessoas próximas.
Não há, segundo a investigação desenvolvida até agora, absolutamente nenhuma pista em relação ao assassinato mais recente, o da estudante Ana Lídia de Souza, 14 anos, morta no sábado passado em um ponto de ônibus do Conjunto Morada Nova, em Cidade Jardim, na região noroeste de Goiânia. A investigação aponta que boatos espalhados por uma rede social de celulares ajudaram a criar um clima de pânico na cidade e a fortalecer a ideia de que há um serial killer à solta. Uma das mensagens indica, inclusive, a placa de uma moto que seria usada pelo assassino. Os policiais checaram e descartaram a informação.
Enquanto os crimes não são esclarecidos, a estudante Lidiane Alves, 20 anos, está apavorada. “Estou com muito medo. A garota (Ana Lídia) foi assassinada aqui pertinho da minha casa. Agora, eu só estou na rua porque tive que resolver um problema. Só saio de casa com meu irmão”, declarou. O vendedor Thiago Giani, 30, viu Ana Lídia sentada na parada minutos antes de ela ser assassinada. “Foi terrível. Passei, olhei ela sentada e segui para minha casa. Quando fechei a porta, ouvi os disparos. Fui lá e ainda vi o último suspiro dela.”

Novos casos
O superintendente da Polícia Judiciária de Goiás, Deusny Aparecido Silva Filho, não quis adiantar nenhum detalhe da investigação à reportagem para não atrapalhar o trabalho realizado até agora. Ele apenas confirma que “já foram expedidos mandados de prisão” e que a polícia trabalha “com alguns suspeitos”.

lola aronovich disse...

PARTE 3

Deusny explicou que a força-tarefa montada para elucidar os crimes acrescentou outros seis casos: três assassinatos de mulheres, duas tentativas e a morte de um homem. “Esses casos não guardam semelhanças com o bloco dos outros 12, no entanto os nossos agentes investigadores acharam por bem incluí-los porque eles acreditam que podem existir elementos que ajudem a desvendar outros crimes.” Entre as novas relacionadas, estão Bárbara Luiza Ribeiro Costa, assassinada em 18 de janeiro, e Danielly da Silva, morta em 15 de junho. Dos 45 casos de assassinato de mulheres neste ano, a Polícia Civil só conseguiu desvendar 11. Mesmo assim, o número é considerado muito bom pelo superintendente Deusny Filho. Entre estes casos, há quatro latrocínios.

Pânico se espalha na internet
Enquanto a polícia procura suspeitos para elucidar a série de assassinatos em Goiânia, as redes sociais se tornam terreno fértil para especulações. Características semelhantes entre os homicídios levantaram a hipótese de que um serial killer esteja atuando na cidade. O termo, por si só, desperta o imaginário popular e faz surgir na internet boatos que contribuem com a histeria. Até uma suposta mudança de cidade pelo crimininoso circula nos meios digitais.
Um crime registrado em Anápolis, cidade entre Goiânia e Brasília, suscitou mensagens de que o assassino teria deixado Goiânia. A notícia se espalhou na internet. O consultor em redes sociais, professor da Fundação Getulio Vargas e da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) Edney Souza explica que os boatos propagados encontram explicação em alguns fatores. “No caso de Goiânia, existe conteúdo em vídeo, que tem apelo maior”, enumera.
Para ele, um boato desse tipo pode extrapolar o espaço da internet. “Existe o risco de que aconteça o que aconteceu no litoral paulista, com o linchamento de uma dona de casa inocente”, diz. Em maio deste ano, Fabiane de Jesus foi espancada até morte por ter sido confundida com uma suposta sequestradora de crianças que teve o retrato falado divulgado na internet. Para Edney Souza, principalmente em casos graves, procurar fontes de informações tradicionais evita a propagação de histórias falsas e o pânico.
Por causa das especulações, em sua página na internet, a Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas de Goiás (Rotam) publicou um texto pedindo paciência à população e cuidado ao repassar informações. “Investigação leva tempo, não vivemos em uma série de tevê norte-americana em que achamos o criminoso ao analisar um fio de cabelo. Vivemos no mundo REAL! Precisamos de provas, fatos, testemunhas, TEMPO!”, destaca trecho.

lola aronovich disse...

PARTE 4

Assassinato em Anápolis

Uma mulher foi morta com um tiro, na manhã de ontem, na zona rural de Anápolis (GO), que fica a aproximadamente 156km de Brasília. Segundo informações preliminares da Polícia Civil, a mulher já foi identificada, mas ainda não se sabe a motivação do crime. Ela foi encontrada já sem vida por populares em uma estrada de terra. De acordo com Vander José Coelho Junior, delegado adjunto da Delegacia de Homicídios da cidade, embora nenhuma hipótese seja descartada pela investigação, não existem semelhanças entre esse crime e os assassinatos que têm levado pânico a Goiânia.

Mulheres vítimas do descaso
Entidade promove manifestação hoje para reclamar da falta de estrutura, de prevenção e de transparência em ações governamentais. Jovens assassinadas serão homenageadas
As mortes em série que chocaram Goiânia podem ser incluídas em um contexto mais complexo de impunidades. Além da sequência de 12 execuções por motociclistas armados, a cidade convive com um cenário alarmante de feminicídio: apenas na capital, 45 mulheres foram assassinadas desde janeiro. O número é maior que o contabilizado durante todo o ano passado, quando 46 pessoas do sexo feminino foram mortas. Falta de Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher, estruturas precárias e machismo no Judiciário estão entre os motivos apontados pelo Fórum Goiano de Mulheres para o aumento da violência. Hoje, dia em que se comemora o 8º ano de sanção da Lei Maria da Penha, mulheres vão às ruas da cidade protestar por mais segurança e um cortejo promovido pelo fórum homenageará as vítimas dos crimes cometidos por motociclistas.
Dos 45 assassinatos do ano, a Polícia Civil só conseguiu desvendar 11. Entre estes casos, há quatro latrocínios. Segundo a articuladora de comunicação do fórum, Ariana Tozzatti, a uma enorme falta de transparência sobre o orçamento repassado ao combate à violência contra a mulher. “O Estado não divulgou o orçamento. Isso dificulta muito o acompanhamento sobre a execução das ações”, diz. Outra crítica feita por Ariana se refere a falta de integração entre as polícias. “O sistema é lento. A burocracia e a precariedade impedem que ele funcione direito”, avalia. Para ela, se houvesse mais interatividade, seria possível identificar a relação entre os casos mais cedo. Nesta semana, outros seis crimes foram incluídos na lista das investigações de execuções feitas por um suspeito em um moto.

lola aronovich disse...

PARTE 5 (última parte da reportagem do Correio Braziliense de 7/8/14)

Em nota, a entidade aponta ainda outras deficiências no sistema de proteção às vítimas. “A não aplicação efetiva dos direitos conquistados: delegacias da mulher (DEAMs) e IML com estruturas precárias e insuficientes; não implementação dos serviços de atendimento às mulheres em situação de violência; lentidão e machismo no Judiciário”, destaca trecho do documento. Para a entidade, não é um serial killer o autor dos homicídios em Goiânia e, sim, a bagunça na segurança pública do estado que tem permitido a série de assassinatos, a impunidade e “o sacrifício de toda a população”.
De acordo com o Mapa da Violência divulgado no ano passado, Goiás é o segundo estado com maior número de mortes de pessoas do sexo feminino, entre 15 e 24 anos, com uma taxa de 8,5 assassinatos a cada 100 mil mulheres. A unidade da Federação só perde para o Alagoas, considerado o estado mais violento, com taxa de 9,2 vítimas. O estudo também mostrou que, entre os jovens dessa faixa etária, as meninas foram as principais vítimas de assassinatos. De 2001 a 2011, o índice de mortes femininas cresceu 17,2% e 49 mil brasileiras foram executadas no período.
Cruzes
De acordo com o número de confirmações por meio de uma rede social, cerca de 500 pessoas participarão do protesto de hoje. A mobilização começa às 8h, no centro administrativo de Goiânia. A programação inclui uma caminhada até o Palácio das Esmeraldas, com gritos de palavras de ordem. As manifestantes carregarão 12 cruzes para marcar as vítimas mais recentes da violência e farão denúncias a respeito da falta de transparência nos recursos voltados para a área. Outras manifestações também estão previstas — a maior delas será no sábado, com previsão de 34 mil pessoas.
45
Quantidade de mulheres assassinadas na capital goiana somente este ano
PMs suspeitos de estupro em UPP
Quatro policiais militares da UPP Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foram presos em flagrante suspeitos de estupro e abuso de autoridade. Eles são acusados de violentarem sexualmente três mulheres da comunidade na madrugada de ontem. As vítimas prestaram depoimento e fizeram exame de corpo de delito. A casa indicada pelas mulheres como o local do estupro também foi periciada. Outros dois PMs também foram retidos administrativamente no quartel por 72h acusados de participação nos crimes.

Thais C disse...

Eu tenho algumas considerações a fazer sobre o caso:
Como foi relatado por diversas testemunhas e apurados por vários órgãos da imprensa, trata-se de assassinos diferentes. Diante disso podemos concluir:
_ Pode haver um grupo de extermínio, em Goiânia. Ou pessoas aproveitando de Hoax ou lenda urbana para resolver seus problemas pessoais.

O fato é trata-se de um crime de ódio, o que eu acho que a policia tem que esclarecer se partem do mesmo agente ou grupo.

Preocupações que eu tenho, com excesso de exposição na mídia do caso, os números pode aumentar. Porque se tratando de um Serial Kiler ou grupo de odio eles gostam desta publicidade. Segundo que outros podem ter "ideias", exemplo: todo louco que sai atirando a esmo em locais públicos, estuda vários casos já ocorrido antes de praticar o seu.

Outra preocupação, Hoje apareceu em minha timeline a foto do suposto assassino, com a mania que tem se agravado nos últimos meses de "fazer justiça com as próprias mãos" pessoas inocentes podem ser assassinadXs, LinchadXs como aconteceu com a dona de casa no Guaruja.
No mais, acho que a polícia esta certa de não divulgar tudo que descobriu no caso, em nenhum lugar do mundo isso acontece quando se trata de crimes de série.E alguns da imprensa estão colocando suposições sobre o caso, o que tem alarmado a população, deixando todXs em pânico. E dando ideias para pessoas perturbadas, e aumentando o ego dos envolvidos nos crimes.

Anônimo disse...

Já acompanhei por curiozidades o movimento chamado PUA (comunidades de sedução) originado nos EUA e que tem ganhado adeptos pelo Brasil, mais pela internet, e tem crescido. Este movimento é mais um grupo de oportunistas que utilizam da fragilidade de homens que por falta de traquejo social, problemas de sociabilidade, financeiros, autoestima ou apenas por fraquessa espeiritual são fracassados com mulheres e caem na falácia da indústria da sedução (PUAs), que coloca na cabeça destes pobres excluídos sexuais que com as teoria PUAs eles vão se transfomar no Tom Cruise e conseguir pegar todas as mulheres lindas do mundo, ai o babaca com a mente cheia de merda sai como um psicopata abordando mulheres na rua e com certeza será rejeitado por ela, ai quando vai reclamar com os professores PUAs eles dizem que é porque o cara não teve autoconfiança, que faltou o cara ter pegada, chegar com força...e dizem que as mulheres são assim mesmo, gostam de humilhar os homens fracos (o que não deixa de ser verdade), o crime esta no fato destes professores PUAs destas comunidades encherem a cabeça destes idiotas com teorias que mais parace lavagem cerebral que de atrativo para uma mulher não tem nada.

Enfim, ao observar que todas as garotas mortas eram muito bonitas, pelo menos as que eu vi e provavelmente rejeitaria um trouxa PUA, não descarto a possibilidade de o assassino ser um serial killers e este assassino ser um ex ou atual aluno de alguma academia PUA que o transformou em um psicopata com raiva das mulheres por ter sido rejeitado com as ineficientes teorias PUAs.

Posso esta enganado mas tem tudo haver com a cara de um sujeito rejeitado pelas mulheres que foi incentivado e contaminado com as ideias PUAs para odiar as mulheres. Sugiro que ao ser pego a policia investigue o passado dele e se for o caso de um psicopada criado pelos PUAs que a policia passe a investigar estas comunidades e as criminalizem.

No passado [a titulo de exemplo] um louco, acho que se chama emerson, que frequentava comunidades conhecidas PUAs e depois passou a comentar nos foruns de outras comunidades conhecidas como REAL (ABRO AQUI UM PARÊNTESSES PARA DIZER QUE ESTAS COMUNIDADES DA "REAL" ATÉ ONDE EU PODER VER É UM MOVIMENTO DIFERENTE DAS COMUNIDADES PUA'S DE SEDUÇÃO E NÃO TEM NADA A VER COM ELAS)foi banido pelos administradores por defender uma misóginia [que remente muito aos traumas deixados pelos seguidores PUAs que são lançados em cima das mulheres e rejeitados e desenvolvem este ódio] e prometeu vingança, criou um site falso com o mesmo nome de um dos sites da REAL e tentou sacanear um dos administradores que era conhecido como "Sílvio Koerich", e chegou a ser preso por isto, só para citar um exemplo.

Espero que denuciem estas comunidades PUA's se este for o caso de estimulo ao ódio [disfarsados de técnicas de conquistas fajutas] que virou uma industria de exploração de idiotas utéis com a mente fraca, e possíveis futuros psicopadas!!

P.S.: Mas não confunda minha critica a esta industria PUA com uma critica as comunidades da REAL que não é o caso pois é outra vertente.

Antônio Augusto

lola aronovich disse...

Nota de uma ativista do Fórum Goiano de Mulheres.

AMB: www.facebook.com/articulacaodemulheres, sobre o FGM: www.facebook.com/AMB.FGM

Nossa luta aqui no estado tem vivido dias de terror com a possibilidade da existência de um serial killer, após a morte de inúmeras mulheres, a polícia do estado admite a possibilidade da morte da maioria das jovens mortas terem sido de um único homem. As redes sociais e WhatsApp começaram a espalhar terror com mensagens de voz que pediam que todas tomassem cuidado com o " matador da moto e capacete pretos", após inúmeros pedidos de esclarecimento finalmente a policia começou dar respostas a sociedade goiana através da mídia. Através da chamada do FGM ontem um Ato chamado pelo FGM de CORTEJO PELA VIDA DAS MULHERES contou com a presença de Ativistas do movimento feminista e de diversas organizações sociais e populares, pautando de forma transversal outras lutas como os direitos da juventude, o direito a memória verdade e justiça, o combate à homofobia e ao racismo.
Contribuições, divulgação e ajuda antes:

http://noticias.pucgoias.edu.br/index.php/component/k2/item/5141-pimep-participa-de-cortejo-pela-vida-das-mulheres-em-goi%C3%A2nia

http://www.diariodeaparecida.jor.br/populacao-vai-as-ruas-em-protesto-contra-morte-de-mulheres/

http://now-events.net/br/page/2570897

http://www.dm.com.br/texto/186257-basta-de-feminicidio-forum-promove-cortejo-pela-vida-das-mulheres-em-goiania

Divulgação do após o CORTEJO:


http://noticias.pucgoias.edu.br/index.php/component/k2/item/5141-pimep-participa-de-cortejo-pela-vida-das-mulheres-em-goi%C3%A2nia

http://www.diariodeaparecida.jor.br/populacao-vai-as-ruas-em-protesto-contra-morte-de-mulheres/

http://now-events.net/br/page/2570897

http://www.dm.com.br/texto/186257-basta-de-feminicidio-forum-promove-cortejo-pela-vida-das-mulheres-em-goiania

lola aronovich disse...

(continuação)

Em nota a Articulação Brasileira de Mulheres declarou:

Por mim, Por Nós e Pelas outras – Pelo fim da Violência contra as mulheres!!!!!
08 anos da aprovação da lei Maria da Penha! E a luta Continua!

No dia 07 de agosto de 2006, o movimento feminista e de mulheres dos quatro cantos deste Brasil, celebrava uma conquista histórica: a aprovação da Lei Maria da Penha. Comemorávamos por várias razões: porque a Lei Maria da Penha representa um marco na proteção aos direitos humanos das mulheres, reconhecida internacionalmente como uma das legislações mais avançadas de proteção às mulheres em situação de violência; porque reconhecíamos que esta era uma vitória dos movimentos de mulheres e feministas desde os anos 1980 fazem a luta pelo fim da violência contra as mulheres; porque a violência contra as mulheres passava a ser reconhecida como crime. Comemorávamos porque esta lei foi construída em um processo democrático, em que foram ouvidas as mulheres vítimas da violência e as mulheres que estavam nesta luta.
Celebramos a sua conquista, mas desde esse momento sabíamos que seria necessária uma grande luta para fazer valei a Lei e todos os mecanismos nela previstos para a proteção das mulheres. A Lei é um instrumento importante para cobrar a responsabilidade do poder público e para o enfrentamento da impunidade que vigora nas situações de violência contra as mulheres na sociedade e, consequentemente, nas instituições patriarcais, mas por esta mesma razão, têm sido inúmeros os obstáculos à sua efetivação. Ao longo destes 08 anos, a Lei Maria da Penha esteve de diversas formas sob ameaçada e, 08 anos após sua aprovação, ainda são profundos os entraves e limites à sua implementação.
A Articulação de Mulheres Brasileiras – AMB está na luta em defesa da Lei Maria da Penha desde o processo de debate para a sua proposição e aprovação e em todos os momentos em que esteva ameaçada. Realizamos vigílias nacionais e realizamos a Campanha “Mexeu com a Lei Maria da Penha, Mexeu comigo”. Realizamos monitoramentos nacionais da implementação da lei, audiências públicas tanto no poder judiciário, quanto no executivo e legislativo, e atuamos em vários estados durante a CPMI da Lei Maria da Penha.
A luta segue constante e o balanço destes 08 anos apresenta muitos desafios. O quadro da violência contra as mulheres no Brasil é alarmante e expressa-se no alto índice de assassinatos e estupros, na violência contra as mulheres jovens e negras. Frente a esse contexto, são várias as lacunas na efetivação dos mecanismos previstos na Lei: insuficiência de equipamentos, sobretudo nas cidades do interior; insuficiente dotação orçamentária para a efetivação dos serviços, que resulta em falta de estrutura das delegacias especializadas, das casas abrigos; persiste a morosidade nos julgamentos dos casos dos casos de violência e no cumprimento das medidas protetivas de urgência.
Seguiremos em luta em defesa da implementação da Lei Maria da Penha, por políticas públicas que garantam a autonomia das mulheres e pela transformação da cultura que produz e reproduz a violência patriarcal.
Por mim, por nós e pelas outras! Pelo fim da violência contra as mulheres!

Articulação de Mulheres Brasileiras - AMB

Anônimo disse...

Posso te ajudar. Sou tradutora e faria sem nenhuma remuneracao. So escreve o artigo em portugues que eu traduzo. kivbraga@gmail.com

Expat Patronum disse...

Antônio Augusto, se você queria criar um espantalho caricato da Comunidade de Sedução, parabéns vc conseguiu. Sua sugestão que o assassino seja um PUA é tão sem noção e fundamento que eu espero que vc tenha escrito esse post ridículo bêbado.

Anônimo disse...

Esse individuo é um perturbado mental e com certeza já possui entradas na polícia, não tenho a menor duvida ....a sociedade que nós vivemos é uma fábrica de malucos , é por isso que a cada dia que se passa as mulheres ficam mais retraidas quando um homem bom fala com elas , por causa dessas desgraças...

lola aronovich disse...

A Valéria Shoujofan enviou esta matéria que saiu hoje no Correio Braziliense (só para assinantes, então reproduzo aqui).

PARTE 1

As incertezas da polícia

Novo suspeito de participar de série de homicídios é preso. Ele assaltou uma padaria próxima ao local de um dos assassinatos, e investigadores vão apurar se há envolvimento no crime. Enquanto isso, famílias cobram respostas mais efetivas

JOÃO VALADARES
JULIA CHAIB

Publicação: 10/08/2014 04:00

Na tentativa de desvendar a série de homicídios que chocou Goiânia, a Polícia Civil analisará a relação de um homem preso na madrugada de ontem com os assassinatos. O rapaz de 27 anos foi detido por assaltos a comércios. Como ele aparece em imagens de câmeras de segurança de uma padaria próxima ao local da morte da estudante Ana Lídia de Souza, 14 anos, — a última da sequência de execuções — a polícia vai apurar se ele teve participação no crime. Até agora, entretanto, segundo o superintendente de Polícia Judiciária de Goiás, Deusny Aparecido Silva Filho, não há provas que o apontem como suspeito. Enquanto a polícia patina para dar desfecho aos homicídios, parentes e amigos de vítimas foram às ruas ontem exigir celeridade nas investigações.

Na manhã de ontem, a Polícia Militar afirmou que o homem preso na casa de parentes em São Luís dos Montes Belos, a 120km da capital, tinha características descritas pelas testemunhas e estava com uma motocicleta roubada. Mais tarde, Deusny esclareceu que a moto apreendida estava desmontada e era vermelha, diferentemente da cor escura comum às execuções. “Até agora, não tem nada concreto que vincule ele diretamente aos crimes”, disse. Outro suspeito foi detido na noite de quinta-feira. A polícia acredita que ele está vinculado a dois assassinatos dos 17 investigados.

A falta de resposta oficial para a onda de violência contra mulheres que apavora Goiânia, é apenas a ponta visível de uma gestão de segurança pública com baixíssimo índice de resolução de homicídios. Os 15 assassinatos de mulheres, em circunstâncias semelhantes, ainda sem esclarecimentos, expõem a fragilidade da investigação motivada por uma polícia com deficit de estrutura e de pessoal. Basta analisar a chamada meta 2 da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), que vence em outubro deste ano. Em relação aos inquéritos abertos até 2007, Goiás ocupa a última colocação, com 35% de resolução do objetivo traçado. Quando se analisam as investigações instauradas até 2008, o Estado sobe apenas uma posição e fica em penúltimo lugar, à frente apenas de Roraima.

Lançada em fevereiro de 2010, por iniciativa conjunta entre os conselhos nacionais do Ministério Público (CNMP), de Justiça (CNJ) e o Ministério da Justiça (MJ), a meta 2 é um esforço para tentar aumentar o índice de elucidação dos casos. No primeiro ano, o Estado de Goiás só conseguiu concluir 35% dos inquéritos. Do total, 38% foram arquivados por falta de provas. A ausência de investigação alimenta a impunidade e faz explodir o número de homicídios.

Em 1998, de acordo com dados do Ministério da Justiça, Goiás apresentava uma taxa de 13,4 homicídios por 100 mil habitantes. Hoje, a taxa ultrapassa os 40 assassinatos por 100 mil habitantes. A edição de 2014 do Mapa da Violência mostra que a unidade da Federação registrou um aumento de 80,9% no número de homicídios entre 2002 e 2012.

lola aronovich disse...

PARTE 2

Falta diálogo
O sociólogo e professor do Núcleo de Estudos de Violência e Justiça Criminal da Faculdade de Ciências Sociais de Goiás Djaci David de Oliveira explica que há um conjunto de fatores que levam ao aumento da violência. “Há um grave problema de infraestrutura. A Polícia Civil está desmantelada. Mesmo quando se entrega uma delegacia, não existe pessoal para o seu funcionamento”, afirma. Ele declarou que as polícias Civil e Militar não trabalham de forma integrada. “A capacidade de diálogo com a população também é muito baixa. Não temos uma polícia próxima da comunidade. Existe uma disputa. Há um sistema de informação da PM e outro da Civil que não conversam entre eles”, exemplificou.

A pesquisadora da Faculdade de Ciências Sociais de Goiás Michele Franco, que concluiu um levantamento sobre a violência no estado recentemente, teve de mudar o foco da tese pela fragilidade dos dados relativos a assassinatos. “Passei quase um ano fazendo coleta de dados na Delegacia de Homicídios. Minha base era inquéritos abertos em 2007 e 2008. Percebi uma fragmentação muito grande. O resultado é que não há interação institucional que permita acompanhar esse processo.”

Ela explica que, mesmo diante da precariedade da base de dados, conseguiu analisar 757 investigações. Apenas 29% delas haviam sido encaminhadas ao poder judiciário com autoria definida. “Isso não significa elucidação. Elucidação é só quando há condições de oferecer a denúncia. Desses que foram enviados, 73 foram julgados, o que representa 9,6% em relação ao universo pesquisado”, explicou.

Promotor de Justiça de Goiânia com atuação em tribunal do júri, Aguinaldo Bezerra Lino Tocantins atesta a precariedade dos inquéritos encaminhados ao Ministério Público. “Infelizmente, o índice de resolução é muito baixo. Atribuo isso à ineficiência do Estado. As polícias são mal preparadas e mal equipadas”, afirma. Ele explica que é comum devolver inquéritos por falhas na investigação. “Sou promotor do júri e, constantemente, a gente devolve inquérito. Laudos periciais são feitos com atraso por falta de peritos. Isso compromete o resultado do trabalho investigativo. Como a gente pode denunciar alguém sem a materialidade do crime? Às vezes, não há prova material e sou obrigado a solicitar a absolvição do acusado”, afirma. A assessoria de comunicação do governo de Goiás não encaminhou resposta sobre os questionamentos relativos ao tema.

Trabalho conjunto
A força-tarefa montada por 16 delegados, 30 agentes e 10 escrivães para apurar a série de mortes na capital goiana trabalha em 17 casos. Inicialmente, o foco eram as 12 jovens, 14 e 29 anos, vítimas de motoqueiros que trajavam roupas escuras, anunciavam o assalto, mas atiravam e fugiam sem levar nada. Depois, foram incluídas as mortes de mais três pessoas do sexo feminino, a execução de um homem e uma tentativa de homicídio.

Anônimo disse...

Pra min esse ou esses assassinos devem ter tido um trauma cm mulheres e agora busca vingaça, ou ele ou eles sentem prazer em matar

Anônimo disse...

Lola, um cara acabou de confessar que matou as mulheres, era realmente um seial killer!

Anônimo disse...

apos 1 dia de aprovação do Feminicidio, mulheres matam anos de pesquisa, elas não querem ser mortas, porque mataram as plantas? Era pra policia ter baixado o cacete, o engraçado que não tinha nenhum homem participando do movimento , pra vcs. verem como a mulher está confiante na impunidade