quinta-feira, 1 de maio de 2014

FELIZ DIA DO TRABALHO, ESQUILINHOS

Descubra quem é o boneco de pelúcia

Queridas pessoas, hoje é feriado, vocês nem estão aqui (todos os blogs são abandonados à própria sorte), e eu deveria estar na praia. E eu vou pra lá, mas volto no sábado, porque não tenho como ficar quatro dias de papo pro ar. 
Aproveito, antes de ir, pra deixar esse teste fácil pra você ver se é ou não feminista.
E esta paródia do que é dito para e sobre as vítimas de estupro.
Por falar em estupro, o governo americano lançou uma campanha muito bacana contra o estupro, o 1 is 2 Many
Veja o vídeo (em inglês) de um minuto em que Obama, Daniel Craig, Benicio del Toro e outros homens famosos afirmam que não querem ser parte do problema, querem ser parte da solução. 
E, aproveitando ainda mais, aproveito pra dar uma oportunidade de trabalho no dia do trabalho. 
Pessoas que têm graduação em Letras-Inglês e moram em Fortaleza (estou pensando em vocês, meus ex-alunxs, mas pode ser por qualquer universidade, não só a UFC), vamos aplicar 10 mil provas de Toefl entre maio e junho. Quem quiser receber R$ 25 a hora para ser fiscalizador da prova, envie um email para isf@ufc.br
E quem quiser se inscrever para fazer uma prova Toefl inteiramente grátis (em vez de pagar os 200 dólares usuais que a instituição cobra), as inscrições estão abertas. Pelo que sei, em todo o país. 
Se vocês quiserem rir um pouco, uma leitora recomendou a comediante feminista Amy Schumer. Ela é ótima mesmo!
Agora vou aproveitar meu feriadinho. 

Lolinha esta semana, antes do feriado: sufoco (sempre quis usar essa imagem do esquilo alemão preso num bueiro).

26 comentários:

Patty Kirsche disse...

Eu gostei da Amy, mas não gostei do estereótipo de brasileira nesse vídeo: http://youtu.be/GNJhwtx4AJc

D Stoffel disse...

Ruim da amy é que não se inglês nem mesmo entendi o caso do estereótipo da brasileira, mas deve ser mais ou menos como a própria tv mostra
burra, submissa, alegre boba
nada mais que objeto

D Stoffel disse...

Lola queria que falasse sobre o trabalho da mulher pois esses machistas burros estão dizendo que mulher não trabalha duro, e no mínimo tá recebendo pensão pra pagar as contas.

Raven~ disse...

O esquilo preso no bueiro já valeu meu fim de semana.

@dddrocha disse...

Oi Lola, essa isenção do teste é apenas pra estudantes de federais? Entrei na página e não entendi muito bem os requisitos.

Sofia L.B. disse...

Curti muito essa campanha contra violência sexual contra mulheres ♥

a calopsita alves disse...

Não gostei da Amy não. Sei lá, não esbocei nem um sorriso.

Patty, o vídeo com a brasileira (interpretada por uma mexicana) é chato mesmo, mas acho que a personagem é brasileira pq faz referência ao 2 girls 1 cup que foi feito por brasileiras. No começo do vídeo o rapaz fala p/ "Flávia" que como ela já tinha experiência com esse tipo de vídeo ele não precisaria explicar nada p/ ela só para a Amy.

Julia disse...

Não entendi porque tinha que ser uma brasileira nesse vídeo. Totalmente desnecessário dizer que ela veio do Brasil. Só por causa da frase com sotaque engraçado? E eu nem entendi o que ela disse com aquele sotaque hispânico.

Podia muito bem ser uma americana.

Sara disse...

bom feriado Lolinha, gostei do video achei super válido a idéia de q os homens tem q se considerar como parte da solução na questão do estupro, não fazer como acontece sempre de culparem a vítima.

Amana disse...

Nooooossssaaaaa!
Total identificação com o esquilo!
Aff.
Com essa semana mais curta, tive três bancas e três reuniões de 2a a 4a.
Semana q vem, congresso no sul. Vixe, tô muito esquilo na tampa! (só espero que eu não morra de estresse, ui!)
beijo e aproveita a praia!

Luiz Prata disse...

Ainda bem que conseguiram soltar o esquilo depois.

Anônimo disse...

- Lola preciso muito da sua ajuda, queria falar com você online tem como? Email Oi whats

vivian disse...

Adorei a tabela para saber se é ou não feminista"! hahahaha!

Bom feriado, Lolinha!!

Big Beijo!

vivian disse...

Adorei a campanha do Obama contra estupro!
Seria ótimo ter algo parecido por aqui.

Rede Jovem disse...

Poizé, eu não sou feminista.
Existem diferenças, sim, mas ambos sofrem de maneira diferente.
Enquanto as mulheres ficarem nessa vitimização, nada vai melhorar.

ariel da rocha disse...

Também não sou feminista, acredito que homens e mulheres são diferentes,sofrem de maneiras diferentes mas merecem ter direitos legais iguais e respeitados e tratamento não baseado no seu gênero mas no tipo de pessoas que são.
O vídeo da campanha é bom, só que na minha opinião trata o estupro como um questão de gênero e que só acontece com as mulheres, ou no máximo se acontece com homens é tendo outro homem como agressor.
É importante conscientizar a população de que ninguém nunca "está pedindo" que uma coisa horrível dessas aconteça, porém uma campanha dessas que abrange um grande número de pessoas pode levar algumas a pensar que o mesmo não pode acontecer com homens e muito menos com uma mulher como agressora.
Não sou contra quem se chama de feminista, mas para que diferentes opiniões sejam formadas e soluções sejam apresentadas acho que deveríamos ver os dois lados.

Sara disse...

nossa Ariel da rocha vc fala sério mesmo qdo diz q estupros perpetrados por mulheres contra homens devam merecer o mesmo tratamento que o numero absurdo de estupros praticados por homens contra as mulheres??? vc só pode estar de gozação, das coisas sem nexo nenhum q já vi os mascus falarem aqui essa sua idéia merecia um prêmio de destaque em matéria de estupidez, me desculpe...

ariel da rocha disse...

sinto muito se a exposição da minha opinião pareceu tão estúpida. Estupro é estupro, não importa quem está cometendo e deve sim receber a punição adequada.
"O crime de estupro consiste no fato de o agente “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso” (CP, art. 213, caput)."
Quanto ao número de vítimas das mulheres ser maior, acredito que seja devido a maior divulgação por parte da mídia, maior conscientização da população e maior apoio por parte da sociedade.
E sim, acredito que não haja números reais de todos os casos (de homens e mulheres) porque nem todos vão à delegacia. Não quer dizer que homens quando vítimas não recebam ajuda, porém é muito mais difícil. A maioria das pesquisas que eu li, infelizmente, são dos EUA; aqui do Brasil eu vi um vídeo sobre violência doméstica comentado por uma psicóloga aqui, e esse blog do tumblr (todo em inglês) tem vários post sobre o assunto explicando de maneira melhor do que eu.
achei esse site que explica as alterações na constituição quanto ao crime.
Tratar no âmbito da lei e publicamente o crime de estupro como podendo ser perpetrado tanto pelo homem quanto pela mulher, na minha opinião seria o melhor a fazer e isso não significa dar prioridade a um ou ao outro ou esquecer das mulheres (parece que foi isso que você entendeu pelo o que eu escrevi) mas fazer as investigações da maneira correta para que o criminoso seja preso e que seja algo levado a sério para que haja um número correto dos casos.

Julia disse...

Ariel, eu concordo com a Sara e não consigo ver esses apelos sempre quando de fala contra o estupro de mulheres de outra forma a não ser como tentativa de desviar do assunto.

ariel da rocha disse...

Parece que minhas tentativas de falar sobre o assunto inserindo o outro gênero como passivo no crime, que não é o mesmo que esquecer da mulher, falharam. Por que pensar que o mesmo acontece com o outro gênero (mesmo que não seja na mesma proporção) é mudar de assunto quando ainda estamos falando do mesmo assunto? Ou a Constituição desviou do assunto quando mudou a descrição do crime?
Falo isso porque sei que o feminismo tem o foco na mulher, mas porque comentar que publicamente as pessoas devem ver mais possibilidades acerca do tópico é errado?
Em nenhum momento eu disse que temos que esquecer dos casos das mulheres mas que temos que inserir os casos dos homens. Não é tão difícil de entender. Isso quer dizer parar com a culpabilização da vítima e de não levar em conta casos que tem menos frequência. Alguém deu uma olhada nos links do meu comentário anterior?

ariel da rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nana disse...

É Lola, depois de ler os comentários desse Ariel ai, q deve ter curso superior e tal a gente vê como as mulheres tem um caminho muito longo em busca da igualdade. É muito triste ler q tem q haver igualdade na qualificação do estupro. Homens sao abordados na rua por estranhas a todo momento? Existe algum lugar em q todos evitam (nos mulheres logo nos acostuma,os de desviar de construções). As mulheres ainda ganham bem menos, e nao tem acesso a cargos de chefia. E qdo temos ainda somos acusadas de ter feito o teste do sofa. Q eu saiba homens qdo muito sao estuporados na cadeia. Mas me parece q esse é um lugar bem fácil de evitar.

Anônimo disse...

Achei a Amy engraçada, mas cadê o feminismo? Aliás, entendi que ela TIRA SARRO do feminismo aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=8_qcgcgwznM

Não gostei da "brasileira" do outro vídeo também, ainda mais falando espanhol.

ariel da rocha disse...

Não sei exatamente porque vim postar outro comentário aqui (visto que me chamaram de estúpido só porque tenho uma opinião diferente e pelo que parece acharam que sou homem - talvez pelo comentário em si ou pelo meu nome - e também não tenho curso superior) mas é só para dizer que homens não são estuprados somente na cadeia.
Leiam esse post e simplesmente tentem refletir.
E se aqueles que leram meus comentários antes e estão terminando de ler este, os verem como misóginos ao invés de serem sobre igualdade (e comentarem isso é claro), verei que é triste como algumas feministas "apagam" casos de vítimas (ou diminuem o crime) porque estas vítimas não são mulheres e acreditam que isso é "igualdade"; e vou reafirmar para mim mesma o porquê de não ser feminista.

Anônimo disse...

Soltaram o esquilo sim, mas ele morreu de stress (talvez porque tiveram que usar maquinário pesado e barulhento pra cortar a tampa do bueiro).
Logo, não deu certo, e essa imagem é muito triste... :'(

http://abclocal.go.com/wabc/story?section=news/lifestyle&id=8763126

lola aronovich disse...

Ai, pobrezinho! Não sabia que ele tinha morrido pouco depois. Mas o importante é que tentaram salvá-lo, né?
(esses bichinhos são muito frágeis! Não sei se a expectativa de vida de um esquilo é como a de um hamster. Se for, eles vivem pouco.
Mas intensamente!)