quinta-feira, 24 de abril de 2014

GUEST POST: ABUSO SEXUAL PELA INTERNET

A C. me enviou este relato:

Tenho 19 anos, sou universitária há dois e vítima de assédio sexual há três anos. “Vítima”... Não, não fui vítima, era como se a culpa fosse minha e, durante um ano de minha vida, vivi um verdadeiro inferno: me afastei dos amigos e da família, cheguei a mutilar meu corpo. Não conseguia sair de casa, não consigo me relacionar atualmente. 
Eu tinha menos de 16 anos em maio de 2011. Foi nesse período que conheci um estranho em uma famosa rede social. Ele se apresentou por mensagem e me chamava de princesa, dizia ser de Portugal, dizia que queria ser meu amigo. Não tinha foto de perfil. 
Eu respondi curiosa, e a partir daí passamos a nos falar todo dia. Ele era de Abrantes, Portugal, e tinha 29 anos. Eu morava no interior e acessava a internet da escola onde eu estudava, porque não possuía internet por morar afastada da cidade, então tudo aconteceu embaixo do nariz de quem deveria me ajudar, inclusive do meu pai, que trabalhava lá.
Cada dia eu ficava mais curiosa em vê-lo e ele me pedia fotos. Mandei algumas por email, mas ele nunca me enviava nenhuma foto de si mesmo. Um dia, ele discutiu comigo porque eu não queria mandar uma foto de biquíni, me tratou como um cão e parou de me responder. Comecei a me sentir mal porque eu queria que ele voltasse a me dar atenção. Então mandei algumas fotos de roupa íntima e foi aí que ele me mandou uma foto sua, mas descobri que era uma foto falsa.
Falei sobre ele para um educador de minha escola. Ouvi que eu devia parar de me relacionar, porque o cara não era boa coisa, mas eu não dava ouvidos, e um dia parei de falar sobre isso com todos. Meus pais descobriram e tentaram intervir. Meu pai até achou este homem na internet e fez ameaças.
Então ele parou de falar comigo, mas eu queria vê-lo. Foi aí que enviei fotos nua. Rapidamente, ele voltou a estabelecer contato. E cada dia, ele pedia fotos mais ousadas, mostrando mais partes de meu corpo. Tirei fotos e enviei àquele homem, fotos piores do que atriz de filme pornô. Eu me sentia péssima, a pior garota do mundo! Mas eu confiava nele, ele dizia me amar! 
Me tornei uma espécie de prisioneira sexual daquele homem. Ele me dizia obscenidades, coisas tão humilhantes que não me atrevo a repetir, mas quando queria se aproveitar de minha tolice, dizia coisas maravilhosas e que me amava e, assim, eu me perdi.
Descobri várias coisas sobre ele na internet: ele tinha 39 anos e conversava com outras mulheres jovens também, às quais pedia fotos. Conversei com duas delas, uma do Rio de Janeiro e uma de São Paulo, e todas me contaram a mesma história: ele conquistava a confiança, queria vê-las nuas e quando se recusavam, ele discutia e nunca mostrava uma foto sua, nunca. Não imagino o que aconteceria se eu tivesse uma webcam. 
Nem sei se ele é mesmo português. Eu estava completamente perdida, quando vi já não enxergava escapatória. Eu havia exposto meu corpo na internet e não sei o que ele fez com minhas fotos; segundo o próprio, as apagou.
E eu, apaguei qualquer prova que pudesse comprometer este pedófilo! Sim, considero um caso de pedofilia, já que quando tudo começou, eu tinha apenas 15 anos. Mas será que era abuso? Hoje me condeno, pois tudo foi minha culpa, pois eu que dei brechas para o abuso que sofri. Teria sido eu mesma cúmplice do homem que abusou sexualmente de mim?
Não sei o que pensar, ou o que dizer sobre isso. Não sei classificar este relato.
O que sofri é irreparável. Eu queria poder denunciá-lo, mas não tenho provas contra este homem. Então a única coisa que imaginei era me abrir e dizer ao mundo o que passei. Nunca tive uma vida amorosa normal. Tive um namorado um ano depois do que houve, mas eu sentia medo, sentia falta de atenção sempre, me sentia péssima, me sentia culpada por tudo o que desse errado. 
Uma época li Casa-Grande e Senzala, do Gilberto Freire. Uma passagem dizia que os portugueses na era colonial brasileira tinham um ditado mais ou menos assim: “brancas para casar, mulatas para foder, negras para trabalhar”. Eu me sentia assim, como se eu só servisse para satisfazer o desejo sexual daquele homem que se masturbava com minhas fotos (sou mulata). 
Na faculdade, me relacionei com vários homens, fui promíscua e, sempre que eu dormia com alguém, parava de conversar com o cara, cortava contato e não queria me envolver mais, com nenhum deles.
Relembrando tudo o que passei, sinto como se meu comportamento fosse reflexo do mal que este homem me causou. Mas isso vai mudar, porque agora eu acho que irei superar esta coisa asquerosa que passei, irei superar o nojo, o ódio... Tudo.

Minha resposta: Querida C., não se culpe. Fica bem claro pras pessoas sensatas de fora que você foi uma das vítimas desse escrotossauro, que deve continuar fazendo isso. Ele não vai parar. Por que pararia, se ele sai impune?
Acho que você ainda pode tentar denunciá-lo. As investigações policiais de crimes na internet ainda engatinham no Brasil, mas você deve pelo menos tentar. Junte todo o material que tem sobre ele e leve-o à polícia federal. Sei que você diz que deletou tudo, mas você tem contato com duas outras vítimas. Será que, juntas, vocês não podem fornecer um dossiê? Elas também apagaram tudo?
Se fosse nos EUA, o FBI entraria no caso. Porque eles sem dúvida considerariam pedofilia. Eu ainda não sei como (nem se) o Marco Civil da internet, aprovado pelo Senado esta semana, afetará essas investigações no Brasil. 
Para você conseguir superar tudo isso e aliviar os traumas, vai ter que fazer terapia. 
Eu recomendo também, não sei se você já viu, o filme Confiar (Trust, veja trailer), que tem muito a ver com o que você (e tantas outras) passou. A internet abriu oportunidades maravilhosas para várias coisas boas, mas também é um paraíso para predadores. Confiar mostra como funciona esta "caça", e os pensamentos conflituosos que se passam na cabeça da vítima. 
E, enquanto você se culpa pelo que aconteceu, pode ter certeza que o cara de abusou de você não sente culpa alguma.

80 comentários:

Anônimo disse...

Pôxa, mas quando ela fala que deveriam ajudar, meio que culpando a escola e o pai e quando esses ajudam, faz o que? ignora. Foi horrível o que aconteceu, mas teve gente ajudando sim.

Anônimo disse...

Ela com certeza é uma vítima, o pedófilo tem que ser denunciado e preso, tudo isso é fato.

Por que ela ela é uma vítima? Porque foi enganada, seduzida, porque ainda era adolescente, não tinha discernimento e nem experiência.

Também falta uma campanha de conscientização, de alerta. Não há como os pais vigiarem os filhos 24 horas na internet, mas nossas crianças e adolescentes precisam ser conscientizadas, tanto como do uso da camisinha, desses perigos virtuais que estão à espreita. Adolescente sempre acha que sabe tudo, que é esperto, que sabe se cuidar. Quem não foi adolescente e se sentiu imortal (que as coisas só acontecem com os outros)?

Anônimo disse...

Esse relato só me faz pensar como a internet pode ser perigosa. Quando eu era novinha não existia internet. Meus pais sempre foram muito liberais. Nunca me proibiram de namorar, nem de sair, nem liam meus diários, essas coisas, mas faziam questão de conhecer meus namorados e amigos, queriam saber onde eu ia e com quem. Era tudo muito mais fácil. Hoje em dia existe essa ilusão de porque a pessoa está dentro de casa ela está segura quando não está mesmo. Acho que eventualmente vamos aprender a lidar melhor com essa tecnologia e compreender melhor seus riscos. Por favor, não entendam isso como se eu estivesse tentando colocar a culpa na menina ou em seus pais. Não é isso. Acho que estamos nesse momento meio revolucionário e estamos todos aprendendo juntos e é por isso que acho você deveria procurar a polícia sim. Em geral, esses provedores guardam (pelo menos por um tempo) o conteúdo de algumas mensagens e perfis, etc. Pode ser que com o pedido de um juiz ou uma ordem da polícia o provedor abra essas informações e vocês consigam chegar no cara. Ele certamente continua a fazer isso e não vai parar. Alguém precisa ensinar esses caras. Gabi

Anônimo disse...

Ele te convenceu a fazer uma coisa da qual hoje vc se arrepende, HOJE. Acho que você precisa de ajuda profissional para vencer a culpa, ter uma vida sexual ativa não significa que você seja um objeto.E me parece que o seu maior trauma é ter se excitado tirando fotos e ouvindo as "obscenidades" que ele te dizia. Procura um psicólogo pra te ajudar a vencer esse trauma, prazer sexual não é pra ser algo sujo.

Anônimo disse...

Já aconteceu uma situação parecida comigo, conversava pelo msn com um cara q me achou no Orkut, eu não era tão novinha, ele viu minhas fotos do orkut e queria outras... eu questionava q ele ja estava vendo as do Okt, mas no perfil do cara n tinha nenhuma foto dele, ele passou a me enviar fotos de partes do corpo dele como se fosse um jogo, mãos, braços mas nunca obscenas mas qdo a conversa foi ficando estranha eu cortei... mas o que me deu um click era sempre o cara vir querendo foto com decote e pernas de fora (eu não uso nem uma coisa e nem outra)...
Como pode uma pessoa conseguir manipular vc mesmo estando longe, Vejo homens que são extremamente manipuladores e esse predadores da net farejam carência, inexperiência sei lá...

Juliana disse...

Uma vez ouvi uma amiguinha da minha prima (ambas 10 anos)falando que tinha facebook, que era legal e tal. Acho um pouco assustador crianças soltas em redes sociais, pode ser caretice minha, mas é difícil filtrar tudo o que ela vai ver ou falar em um face da vida.
E concordo com o anônimo, adolescente e crianças têm aquela coisa de achar que sabem tudo, que podem lidar com todas as situações.
Não dá pra colocar as crianças em uma redoma, mas nesse caso, fecho com a Claire de Modern Family:"se eu descubro que meus filhos estão vendo fotos de gente nua na internet,então ele não têm privacidade".Óbvio que não precisa ser paranóica como ela, porém eu vejo que hj em dia, crianças e adolescentes têm privacidade e espaço DEMAIS.

Anônimo disse...

Isso só mostra que estamos educando nossas crianças no sentido completamente contrario ao certo, tanto em casa quanto na escola deve haver uma educação de peso sobre como reconhecer pessoas nocivas e situações de risco, não é só falar pra não aceitar doce de estranhos, nós ainda agimos com a ideologia de que só se da mal quem quer/procura, excluindo td o psicológico das vítimas que é na verdade o que facilita a ação desses maníacos, a C era claramente carente de atenção (como td adolescente), se não fosse por isso a brecha para td isso não existiria, mas isso não configura como culpa dela, mostra uma má instrução em algum momento da vida dela.
Mas enquanto culparmos o tamanho das saias e falarmos em completamente promíscuo as coisas vão continuar assim.

Anônimo disse...

Completamente promíscuo*

Maldito corretor

Mauricio disse...

Mesmo com algumas leis mais atuais, a internet ainda é "terra de ninguém". Quanto mais cedo as pessoas se educarem (e aos filhos, quem os tiver) a respeito, menos problemas terão.

Anônimo disse...

Como pode ter a auto estima tão baixa?

Anônimo disse...

É, tendo a concordar com anon das 12:56, no sentido de que o controle não vai ser suficiente -- talvez nem possível! Se eu não dou celular pro meu filho, significa que ele não usa os dos amigos na escola pra acessar redes sociais? Tem que conversar muito, muito mesmo, tentar se mostrar o mais aberto e livre de preconceitos possível, ficar sim de olho bem aberto, também. Mas sem conversa, sem ao menos tentar explicar os perigos...

Fui perseguida na internet diversas vezes, publicava fotos no perfil no orkut e deixava públicas. Eram bonitas, nada demais. Mas doidos diversos ficaram obcecados e um maluco em particular usou as fotos e informações que colheu para me prejudicar e a outras pessoas que amo e expus por ingenuidade. Nem foi sexual. Infelizmente, é mais perigoso uma foto na internet do que andar nua na rua (afinal, todxs sabemos que ninguém é estupradx por estar com pouca roupa).

Anônimo disse...

Tenho dúvidas se para justiça brasileira isso seria considerado pedofilia...Alguém do direito pode esclarecer?

Anônimo disse...

Pedofilia é apenas com menores de 14 anos...

Anônimo disse...

Essa sensação de culpa, tão presente em tantos momentos em que somos as vítimas, é o mais dolorido de tudo. Ficamos fragilizadas, nos fechamos na nossa bolha, e não fazemos nada a não ser sofrer. Sei bem como é.

Passei por um caso parecido, porém mais "suave", digamos. Já adulta, na faculdade, conheci pelo Twitter um cara que não usava foto dele e sequer me disse o nome. Ele começou a puxar papo pelas mentions, pediu o MSN e eu dei. Conversamos três ou quatro vezes sobre a Vida, o Universo e tudo mais e eu, mais aberta, disse onde estudava e o que fazia - ele era funcionário da minha universidade, só que de outro campus. Num certo dia, alguém me ligou, no telefone de casa, pedindo pra me encontrar e dizendo que "eu sabia quem era" - e disse o nome, nome que depois de alguma pesquisa descobri que poderia ser o do tal cara, que afinal poderia muito bem ter encontrado meu número de telefone nos registros da universidade. Coloquei o cara na parede e ele me jurou que não foi ele. Cortei o contato e fiquei tão traumatizada que deletei todas as redes sociais que eu tinha (depois de um tempo reativei algumas). Passei meses aterrorizada em andar pelos campi da faculdade sozinha (quem conhece universidade pública sabe como os campi costumam ser grandes, desertos e perigosos para as mulheres). Até hoje tenho medo de conversar com pessoas que não conheço pela internet e "deixar escapar" algum dado importante da minha vida.

Nesse meu caso, só não aconteceu algo mais grave porque não deu tempo. Eu também fui ingênua e estava num momento de fragilidade, e tomei um susto que me sacudiu antes. Mas eu tenho de conviver com esse medo todos os dias da minha vida. E o cara? Provavelmente não sofreu nem nunca sofrerá nada se resolver dar uma de stalker de novo.

Nane disse...

Exato! Se até adultos caem em ciladas, imagina adolescente!

Anna Milani disse...

Nem tenho uma opinião formada sobre isso. É lógico que a culpa não foi da autora do post, que é desse FDP pedófilo, mas eu acho importante também que esse post alerte as garotas mais jovens, que acham que o mundo da internet é maravilhoso, e que com certeza leem o blog.

todo cuidado é pouco. São aqueles cuidados que todo mundo dita: NUNCA fale com desconhecidos na internet.
NÃO interpretem errado, eu não culpo a vítima.

MAAAAS... A gente nunca sabe quem está do outro lado, seja pessoa boa ou um estuprador. Não falar com desconhecidos, JAMAIS enviar fotos de qualquer tipo e SÓ marcar encontro se vocÊ achar que é realmente seguro [ainda assim eu não recomendo encontros, viu]

Nane disse...

A orientação correta às adolescentes deveria ser: ao se relacionarem com pessoas na internet tenham os devidos cuidados para não se tornar vítima e refém. Mas não! Dizem: não se relacionem com ninguém sexualmente, isso não é coisa pra moça direita!

Hamanndah disse...

Lola, não publique este comentário(Acho que não precisa, é só para voce saber)

Cris resolveu pegar um twiter seu, onde você elogia uma imagem qualquer e colou a imagem de um homem pegando fogo e disse que você elogiou foi esta imagem

É claro que é uma montagem grosseira, mas ele simplesmente colou uma frase sua elogiando uma imagem qualquer que você compartilhou com a imagem do homem se imolando

acho que isso é grave, pois ele colocou na internet como se você tivesse contente com o suicidio do sujeito

Dê uma olhada lá, é o ultimo post dele. Ao clicar se pede para logar no google. Ele está passando na internet uma comunicação que você vibra com a morte de um homem, com ums montagem grosseira do seu twiter.

Consulte algum advogado para ele retirar esta imagem e dizer que foi montagem

bjs
Hamanndah

Janaina disse...

Claro q a autora é uma vítima de um criminoso, ninguem discorda disso ( ao menos, não deveriam), mas a postura dela no texto é meio complicada, por tentar dizer q não recebeu ajuda de quem deveria cuidar dela, quando ela admite que recebeu vários avisos pra se afastar...

Marcia Baratto disse...

Queridona (adjetivo carinhoso que se usava na republica da facul, espero que não se incomode), muita solidariedade para você.

A adolescência é um período difícil, e se é, particularmente, vulnerável. Seja você homem ou mulher, mas sobre as mulheres recai com mais intensidade o problema do abuso sexual. Infelizmente, aquele velho esteriótipo de amor romântico não facilita a vida de ninguém. Amor não vem dos outros, já dizia a música. Mas isso é uma coisa que nós aprendemos, como tudo mais quando se trata de relacionamento humano.

Ser usada e chantageado é o contrário de receber afeto. Mas nem sempre é fácil para nós percebemos quando isso acontece, especialmente se este tipo de agressão, que muitas vezes começa sutilmente, vem de quem confiamos.

Muitas vítimas de assédio e de violência sexual demoram anos para se identificarem como vítimas. isso nunca diminui o fato de que sofreram, foram usadas e, portanto, são vítimas.

Ser silenciada em nossa dor, na possibilidade de nos acharmos merecedoras de outro tratamento que não aquele que causa dor, é uma parte das engrenagens da opressão de gênero.

Portanto, pouco importa quando foi que você se reconheceu como vítima. O que importa é que nomear essa dor é o primeiro passo necessário para a sua reconstrução pessoal e o seu acerto de contas com essa história. E não ter 'aceitado ajuda' não te faz menos vítima.


Luana disse...

Adolescentes fazem merda n por serem novos mas pq geralmente todo mundo passa a mão na cabeça,com esse discurso que só falta chamar adolescente de retardado pq eles nunca sabem o que fazem.
Se a gente estivesse em 1800,eu até acreditaria que ela mandou esse tipo de foto para um estranho na maior inocencia,mas hj em dia essa desculpa n cola mesmo.
Eu só começei a usar a net com 16 anos,conversava em chats,varios cara pediam minha foto,telefone,um até me convidou para ir numa casa onde teria um cara que faria de tudo comigo,perguntei se era prostituição e o cara sumiu do chat.
Ao contrário dela eu n quis dar minhas informações para um estranho.
Falar que ela foi enganada é forçar demais,ela aceitou tudo e agora fala que é vitima?
Parece ate q o homem apontou uma arma na cara dela para ela dar as fotos eroticas.
Qual foi a grande manipulação dele? Pedir as fotos?
E pedofilia é até 14 anos.
Me poupe!

Anônimo disse...

Há pessoas boas pela internet, mas usualmente homens mais velhos flertando com meninas menores não dá em boa coisa.

Não tenho filhos mas tenho uma irmã de 13 anos, e digo a ela que se vem alguém com uma conversa ou personalidade muito boas, é pra ela desconfiar. E nunca, nunca achar que o Fulano "te ama", porque dizer é fácil, fazer é que é dificil.

Vi o caso de um sujeito que iludia mulheres adultas, prometendo casamento e tudo mais. Uma delas acabou caindo na besteira de mandar fotos dela nua pra ele, e quando ela descobriu a farsa (ele tinha diversas outras "namoradas" virtuais) e quis terminar, ele a ameaçou de colocar as fotos na internet. Ela quase se matou de desgosto.

Ou seja, uma regra clara é não amar ninguém correndo. Amor instantâneo quase nunca é boa coisa, muito menos na internet.

Anônimo disse...

Se fosse menino inocente de 15 anos manda fotos pornográficas para mulher mais velha,duvido muito que ele sairia de vitima que foi manipulado por uma pedofila.

Anônimo disse...

Meio complicado, hein? Não sei se considero abuso. Desculpa, mas ela enviou as fotos pq quis. Ninguém com 16 anos é ingênua e não sabe o que um homem quer quando pede fotos. Nem todo mundo é vítima. Ela pode se sentir mal agora, mas a verdade é que isso vem da culpa que nós sentimos por sermos ensinadas a não sermos seres sexuais. Mas ela enviou as fotos pq quis, e deve ter ficado excitada com a situação. Se ela é vítima de alguém é só de si mesma.

Luh disse...

É incrível cmo todo post de abuso tem sempre, sempre, sempre alguém culpando a mulher!

Será que nunca ouviram falar de tortura psicológica, manipulação psicológica etc.

O que o cara fez foi errado, ponto. Tratar alguém mal, humilhar, xingar é errado, qual a dificuldade de entender isso?

Já a menina não fez nada de errado, mesmo que ela realmente quisesse mostrar as fotos e fazer o que fez, seria um direito dela.

Além disso, vejo muita gente defendendo um super controle em cima dos adolescentes. Sei lá acho que pessoas superprotegidas têm dificuldades de se virarem sozinhas, se defenderem.

Mariana. disse...

Recebeu ajuda e ignorou. Foi burra. Não mereceu nada do que aconteceu, mas era completamente evitável.

Anônimo disse...

Eh, Luana, o mundo inteiro tem que ser igualzinho a vc. Porque se nao for, tem mais que se foder, neh? Afinal, o mundo gira ao redor do seu umbigo, e como pode uma pessoa ser ingenua aos 17 se vc com 16 nao era? Gente, que absurdo, ninguem avisou a autora do guest que a Luana era nossa bussola, nosso norte, quase nossa razao de ser...
Olha, Luana,o assunto nao eh sobre vc. Se toca.

Anônimo disse...

Que gente perversa e sem noção para dizer que a moça é culpada! Vão se tratar, me poupa você, Luana machistona. Tá se achando muito esperta por que com você não colou? Pois deixe de ser arrogante e se achar o grande modelo da moral e dos bons costumes. Existe uma coisa chamada adolescência, se você passou por ela sem notar, saiba que a maioria nota. Há características e particularidades próprias, bem descritas pela literatura e bem percebidas pelo senso comum. Se você as desconhece, só espero que não tenha filhos.
E, se muitas mulheres adultas caem nesse tipo de jogo, não é uma menina de 16 anos que deve ser julgada por isso.
Vai te informar, ignorante.

lola aronovich disse...

Pros que estão culpando a vítima, bom, vcs fazem isso SEMPRE. What else is new?
Hoje uma seguidora minha no Twitter, a Beatriz, deixou um link de um caso muito parecido ao do post. Por coincidência, a reportagem apareceu hoje. Um homem de 33 anos, casado, com uma filha de 7, foi preso na região de Brusque, SC. O cara tinha 5 perfis falsos em redes sociais e alvejava meninas de 12 a 16 anos. O mesmo papo: fazia as meninas mandarem fotos comprometedoras, e aí as chantageava. Já há dois estupros confirmados, mas o cara é suspeito de ter chantageado mais de 40 meninas dessa faixa etária. O cara só foi pego porque mandou um vídeo dele por engano pra uma das vítimas.
Eu conheço mulheres adultas que se rendem à chantagem. Imagina o que acontece com meninas com menos de 16 anos... Fica aqui o aviso: nunca, NUNCA se deixe chantagear. Chantagem é crime. Denuncie.

Anônimo disse...

“Falei sobre ele para um educador de minha escola. Ouvi que eu devia parar de me relacionar, porque o cara não era boa coisa, mas eu não dava ouvidos, e um dia parei de falar sobre isso com todos. Meus pais descobriram e tentaram intervir. Meu pai até achou este homem na internet e fez ameaças. Então ele parou de falar comigo, mas eu queria vê-lo. Foi aí que enviei fotos nua.”
Como assim ninguém te ajudou... poxa vida... te deram bons conselhos, teu pai conseguiu enxotar o cara e depois tu procurou o cara, mesmo tendo sido alertada por pessoas que te amam sobre a índole dele. É claro que o cara é um abusador nojento, mas tu mandou as fotos porque sentia prazer, porque quis ser desejada, quis ter um relacionamento sexual – mesmo que virtual – com um homem. E não tem mal nenhum nisso querida, prazer é bom.

“eu mandei as fotos porque achei que ele me amasse”.
Ah então o problema é o amor. Se ele te amasse, tudo bem se masturbar com as tuas fotos, mas como ele não te amava foi uma coisa terrível, pecaminosa, pedofilia de uma mente maníaca? Me diz uma coisa, tua família é muito conservadora? Prazer sexual sem amor é pecado, feio, errado pra vc?

“Nunca tive uma vida amorosa normal.”
Tu tem 19 anos, vai com calma. Ninguém pode considerar que tenha uma vasta e experiente vida amorosa aos 19 anos. E mais, defina "normal". A vida é dura amiga, é cheia de percalços e é com eles que a gente amadurece, aprende.

“Na faculdade, me relacionei com vários homens, fui promíscua (...).”
Eu tb me relacionei com váaaaaaarios caras – e mulheres - na faculdade, e me considero uma mulher de sexualidade livre, não promíscua. Ninguém é promíscua por se relacionar com vários homens, isso é saudável, normal e delicioso, desde que você goste e esteja a vontade com isto. Não é pecado sentir prazer menina, se liberta! Estou sentindo muito conservadorismo nas suas palavras, e acho que é deste conservadorismo que vc tem q se livrar. Talvez se vc tivesse uma criação menos conservadora sobre o corpo da mulher não sentiria angustia alguma hj. Tá me parecendo que o teu maior incômodo não foi a suposta manipulação que sofreu (eu acredito na tua autonomia como indivíduo guria, não aceito que tu foi uma bonequinha inerte na mão dele, tu estava buscando o teu prazer, aflorando a sexualidade, normal) mas sim, se arrepende de ter sentido prazer ao tirar as fotos nua, ao ouvir as obscenidades e de se masturbar gostoso pensando nele. Mandou as fotos, gozou gostoso e no final – ou no meio, não sei - descobriu que o cara era um babaca loser de 40 anos que se masturbava vendo fotos de meninas na internet. Decepção acontece menina, bola pra frente.

Raven~ disse...

Aff fiz o comentário e a net caiu. Haha

Enfim, moça, fiz a mesma cacaca que vc. Conheci o moço, mandei fotos (bizarras aliás T.T). Só que comigo foi diferente. O cara era mto legal, nos falamos até hoje ainda não nos conhecemos pessoalmente (fazem quase 10 anos hoje em dia). Mas claro, vendo casos como o seu que cruz credo, são muitos, percebo que a sortuda sou eu. Que a chance de ter caído na mão de um doido varrido desse era muito grande. Mas força pra vc. Vai passar.

Off-topic: Lola, for fuck's sake, vc viu o policial civil que executou a namorada no meio da rua em Curitiba hoje? Apavorante.

Ana disse...

Ai, meu zeus, outra dona da verdade!

"Recebeu ajuda e ignorou. Foi burra. Não mereceu nada do que aconteceu, mas era completamente evitável."

Há algum tempo, se não estou enganada, você contou nos comentários que estava saindo de um relacionamento abusivo.
Então, amiguinha, não venha julgar meninas de 16 anos. O que te dá o direito de chamá-la de "burra"??? Ah, sim, porque você é muito inteligente. Inteligentíssima. Estamos vendo...

Luana disse...

Ué...mas se ela é "vitima" pq está jogando a culpa do que fez nos pais,que na lógica doida dela,deveriam ter imaginado o que estava fazendo e impedido?
E quando eles fizeram,ela ignorou e correu atrás do cara.
N me acho o centro do mundo ,só n vivo na ilusão de vcs de que em pleno século 21 adolescentes de 15 anos são inocentes,acreditar nisso que é muita ingenuidade.
Ela n é vitima,só errou feio,deu sorte que ele n espalhou as fotos pela net.
De que chantagem estão falando? Pq o cara n fez isso,só pediu as fotos e ela mandou.

lola aronovich disse...

Hammandah, obrigada pela preocupação, mas não tem jeito não. Já faz vários meses que o mascu Chris começou uma campanha difamatória e caluniosa contra mim. Motivos pra processá-lo eu já tenho de sobra, e é certeza que eu ganharia. Afinal, fora contar mil e uma mentiras sobre mim (90% do que ele fala sobre mim é mentira, o resto é falha de interpretação da parte dele, que é praticamente um analfabeto funcional), ele usa imagens minhas sem minha autorização. Só isso já rende processo. E eu sei o nome dele, sei seu endereço profissional. Não é um mascu anônimo, como quase todos por aí. O mascu Chris eu poderia processar numa boa. O problema é que ele mora no Mato Grosso do Sul. Já consultei algumas advogadxs, e me informaram que o processo deve ser aberto no estado em que o processado vive. E aí imagine o trabalhão que eu teria... Eu tenho preguiça, a verdade é essa. Até porque o mascu Chris é apenas mais um doido varrido. Sempre tem algum. Pensa só, 6 anos de blog, quantos malucos completos já me atacaram e difamaram? Muitos. Tem bastante gente que só está na internet pra combater (usando os métodos mais escusos e desonestos possíveis) o feminismo, e outros movimentos sociais. Por ter um blog grandinho, sou muito visada. C'est la vie.
Vi no blog do mascuchris que a Uol publicou uma reportagem sobre o masculinismo. Eu nem me lembrava de ter dado entrevista, mas tá lá, tem várias declarações minhas. Não é que o Chris publica a matéria no blog dele tirando todas as partes sobre mim? Quer dizer, ele tem um blog em que dedica 70% dos posts contra mim, mas aí ele publica uma matéria em que sou entrevistada, e ele retira meu nome da matéria! E o cara se acha honrado, honesto!
Bem, ele é uma piada. Só serve pra fazer rir. Felizmente, ninguém lê o blog dele. Acho que o blog dele recebe bastantes visitas, mas porque ele publica muita foto de mulheres (cis e travestis) nuas. E isso sempre atrai público. Mas é só ver pelo número de comentários (zero) que ninguém lê o que ele escreve.
Algum dia ele cansa de ser ridículo, ou encontra uma namorada. E aí ele para imediatamente com o blog dele. É muita frustração e falta do que fazer.

Anônimo disse...

Parem de julgar a menina baseados na vivência de vocês... é claro que tem muita menina de 15 ou até menos idade que não cairia nesta história, assim como existem mulheres de 30 anos ou mais que cairiam...ou seja, as coisas não são tão simples... dependem muito das nossas experiências, forma como fomos criadas, fase que estamos vivendo, momento de carência... e claro que em se tratando da adolescência isso tudo fica mais confuso ainda, ela se sentiu especial e quis manter essa atenção, isso não é crime... a preocupação dela é genuína e mais que compreensível, eu não conseguiria ficar em paz sem saber se estas fotos estão circulando por aí ou não, pq não tem como saber né...

Anônimo disse...

Ai Lola, essa história me lembrou outras, com finais trágicos como o de Amanda Todd... assisti ao filme que você indicou, nossa muito triste. E escancara o quanto a indústria cria propaganda para a pedofilia. Bala! Beijão. E garota, te desejo muita força. Aceita um conselho recorrente dos comentários: Procura ajuda. Tu merece apoio pra superar isso. Um abração pra ti.

Cyberia disse...

Não vou nem me repetir aqui sobre de quem é a culpa, pq esse é um blog feminista e é o obvio ululante.

Mas acho que esse caso é um grande exemplo de falta de diálogo E de como a baixa auto estima afeta as mulheres, principalmente adolescentes. Por que é que, afinal, ela queria/precisava tanto a atenção deste homem? Um completo estranho, um nada, um ninguém. Mas ela queria tanto que ignorou avisos e medos. Pq seráááá?

Nós, mulheres e meninas, precisamos primeiramente nos AMAR. Mais amor próprio nos livraria desse tipo de LIXO humano que enganou a moça. Força para ela, espero que supere.

Ana disse...

Por que vocês acham que isso acontece tanto? Por que tantas meninas/mulheres caem nessa esparrela de confiar em estranhos da internet?

Não vou nem perguntar porque tantos homens são stalkers e se sentem livres para perseguir/manipular/enganar meninas/mulheres porque já sei a resposta. A nossa cultura machista não apenas incentiva como perdoa esse comportamento.

Ana Torres disse...

Muito bom e informativo o post. Quando eu tinha uns 15, 16 anos também tinha meus "amiguinhos" virtuais. Espero que você seja persistente na terapia, e que você encontre um bom profissional.

Veronica disse...

O problema todo está na cabeça dela.

E se fosse um guri da idade dela? Seria abuso também?

Ela meio q cismou, o pai espantou e ela mandou fotos nuas para chamar atenção do cara.

Acho q para ser ajudada, precisamos confiar nas pessoas q nos oferecem ajuda...

Nícolas N. disse...

Eu acredito que hoje um/a adolescente de 16 anos já tem maturidade suficiente para decidir certas coisas, acredito que o erro foi dela em querer realizar suas fantasias com um desconhecido, que só tinha a força da argumentação para convencê-la, apesar da mesma ter recebido conselhos expressos de cortar relações com ele, que tem, fica claro, desvios de personalidade. Chegar ao ponto de mandar fotos nuas é o cúmulo da imprudência, depois de tanta exposição na mídia de casos assim, essa por livre e espontânea vontade envia sua intimidade ao desconhecido e infelizmente teve que arcar com as consequências psicológicas de tal ato. Sinceramente não acho que se deva dar a ela o papel total de vítima nesse caso, já que foi consentido. Jogar toda a culpa no individuo com desvio de personalidade é tirar a culpa dela e a infantilidade de não saber tomar atitudes simples de cortar relações com a pessoa que a ultrajou. Não estou fazendo apologia a pedofilia, mas para mim esse caso é totalmente diferente, não há compulsão física, nem a vítima é desprovida de toda e qualquer consciência do que está fazendo, muito pelo contrário aparentemente, já que a mesma começa a ter uma vida sexual bastante ativa depois.

Anônimo disse...

é o cúmulo do absurdo,falar que uma pessoa que manda fotos pornográficas pela net para estranhos é inocente.
ela não sabia o que estava fazendo? o que o cara faria vendo as fotos? vai ver que nem sabia o que era sexo,só que não.
não entendi pq se vitimiza,se no relato dá para ver que ela gostava bastante da situação,a ponto de ignorar os avisos sobre o cara e tirar fotos mais pornográficas ainda para chamar sua atenção.
e ele n fez chantagem nenhuma,não ameaçou espalhar as fotos na net para fazer ela tirar mais,n ameaçou ela de morte.

e isso n tem nada a ver com carência,idade ou qualquer desculpa esfarrapada,é irresponsabilidade pura.
tb já fui adolescente,insegura,carente,sem auto estima e nem por isso sai distribuindo fotos nuas para um desconhecido.

ta parecendo aquele post da mulher que transava com o namorado sem proteção nenhuma,o inevitável aconteceu,a gravidez e quis jogar a culpa toda no resto do mundo,menos na burrice e irresponsabilidade dela.

Anônimo disse...

O que mais torna mulheres vitimas de psicopatas, chama-se EGO.
E por isso que se expõem nua em dezenas de paginas na Web, egolotria .

MonaLisa disse...

Concordo com o Anônimo da 20:59, acho que o problema está no conservadorismo criado nela. Não ache que isso acontece pela cor da sua pele ou sua inexperiência, esses punheteiros ficam se masturbando com fotos de mulheres brancas, mulatas, meninas, mulheres. Pela minha experiência, eles dão plantão o dia a noite toda no pc procurando vítimas.

Não precisa nem estar nua nas fotos ou na web cam pra ser vítima disso, muitos pedem só pra ver o rosto e se masturbam mesmo assim.

Também fiz sexo com trocentos caras e isso não me faz promíscua e sim livre, a mesma liberdade que é concedida aos caras que transaram comigo.

Melhoras pra você!!! Não foi culpa sua.

Anônimo disse...

Peraí, pedofilia? Não. No código penal brasileiro só é crime se a pessoa mais nova tiver menos de 14 anos e a mais velha tiver 18 ou mais(isso td COM consentimento).

Mas sim, um caso horrível, um cara tarado nojento, concordo. Mas por favor não espalhem informações falsas.

Ana disse...

Para as inteligências raras que estão afirmando que uma menina de 15, 16 anos "em pleno século XXI" não é inocente, se informem, leiam um pouco, não faz mal a ninguém. Como já foi falado e repetido, até mulheres mais velhas caem em armadilhas assim, porque uma adolescente não cairia? A adolescência é uma fase entre a infância e a vida adulta, e temos o estatuto da criança e do adolescente justamente para proteger seres que ainda estão em formação.
Procurem se informar. Não é difícil, é só clicar "adolescência" no google, que aparecerá vários artigos acadêmicos sobre o tema, e vocês terão um pouquinho de informação.
Para quem tem preguiça intelectual, eu dou uma forcinha, não é difícil, façam um esforço e leiam apenas um parágrafo:
"Violência sexual na infância/adolescência significa, para vários autores (Duarte e Arboleda, 1997)os contatos entre crianças/adolescentes e um adulto (familiar ou não) nos quais se utiliza a criança e o adolescente como objeto gratificante para as necessidades ou desejos do adulto causando danos àquele. Essa experiência poderá interferir em seu desenvolvimento, considerando que a criança e o adolescente não têm ainda independência emocional/e ou maturidade plena para dar seu consentimento informado, o que nos leva a crer que sua participação foi obtida mediante coerção física ou psicológica, violando os tabus sociais ou papeis familiares"
De nada.

Anônimo disse...

O cara é um canalha mas a garota também não era tão inocente assim, ela mandou as fotos pq quis, certo? Recebeu ajuda e ignorou. E quer se fazer de vítima agora. Esse homem estava muito muito errado em assediar uma menor de idade mas ela alimentou tudo isso, o cara se afastava e ela ia procura-lo, acho que tá na hora de cada um assumir suas responsabilidades, apenas empurrar a culpa pra cima dos outros é fácil demais.

Anônimo disse...

Eu já tinha comentado antes, mas daí pensei mais uma coisinha. Na declaração de direitos às crianças da UNICEF, está o direito a informação. Isso é bem relevante. Acredito que muitos pais tentam proteger os filhos e criam as crianças num mundo de fantasia. Só se dão conta quando o problema já existe, na adolescência e aí já é um pouco tarde. Claro que a informação que você passa para a criança não pode ser igual a de um adulto, mas algo vc deve transmitir. Tenho uma filha e me preocupo com isso e com formas de orientá-la. Na internet fiquei sabendo de um livro que estou pensando em comprar qdo for ao Brasil (moro no Chile) mas não sei muito a respeito. Você já ouviu falar desse livro? http://www.cucamaluca.com/segredo-segredissimo Se sim, gostaria de saber sua opinião. Gabi

Anônimo disse...

Às vezes eu penso em estudar para o concurso da Polícia Federal justamente para fazer imbecis como o predador que atacou a autora do guest post mofarem no lugar onde eles merecem estar: na cadeia.

Com relação à vítima, é o que já foi dito: precisa de ajuda psicológica para superar esse trauma e de todo o amor, carinho e apoio que seus pais puderem dar. Mas é necessário ressaltar mais uma vez que a Polícia Federal é quem investiga. Mas como não foi em uma página, as vítimas podem mandar um e-mail para crime.internet@dpf.gov.br.

Roxy Carmichael disse...

Concordo com cyberia. A falta de auto-estima feminina faz as mulheres e meninas entrarem em muitas roubadas. Vejo muitos relatos aqui que tem a ver com isso. Me lembro de uma mulher que comeu o pão que o diabo amassou no estrangeiro e ainda assim volta pro marido gringo violento. E a questão que propus foi: pq é tão facil pra uma mulher largar tudo e cruzar o oceano atrás de um cara? Eu espero não ofender ninguém, mas não acho que a culpa é dos pais ou da escola, o cara assediou uma menina mais nova, aliás várias, que corresponderam ao assédio. Eu acho que embora muitas não queiram admitir o sexo é ambivalente, contraditorio, e está longe de ser algo idilico como nos filmes hollywoodianos. Nao podemos negar que adolescentes tem lá suas descobertas sexuais mas que sao imersas em inseguranças, culpas, e acredito que por isso, porque o sexo nao é sempre bonitinho, cheirosinho e envolto em igualdade e carinho e porque estamos num mundo que envia mensagens contraditorias o tempo todo que faz adolescentes mas tb mulheres desejar e serem consumidas pela culpa, agravado pela baixa auto-estima feminina que impele as mulheres a agirem com total falta de amor próprio. Não as culpo: uma sociedade desigual se sustenta justamente na baixa auto-estima do oprimido. Na africa do sul do apatheid existiam milhões de praticas nao só pra segregar negros, mas para humilhá-los. E a razão é obvia: nenhum sujeito ou grupo humilhado vai achar que merece mais e vai lutar por isso. Meu conselho é que ela faça terapia, pare de se culpar e de culpar os outros, pensa nesse episodio como o extremo que se pode chegar quando nao se tem auto-estima e prometa que isso jamais vai se repetir.

Anônimo disse...

@Anom das 03h53
Não é o que diz a Lei. O artigo a que você se refere é o 217-A do Código Penal, mas se esquece que no Estatuto da criança e do Adolescente (Lei Nº 8.069/1990), no artigo 241-B que "Adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente" (e isso vai até 18 anos) dá de 1 a 4 anos de #cadeia#.

E diz no Artigo 241-E, caput: "Para efeito dos crimes previstos nesta Lei, a expressão “cena de sexo explícito ou pornográfica” compreende qualquer situação que envolva criança ou adolescente em atividades sexuais explícitas, reais ou simuladas, ou exibição dos órgãos genitais de uma criança ou adolescente para fins primordialmente sexuais."

E ele ainda pode ser enquadrado no artigo 241-D. Fora que ele ainda pode responder pelo artigo 227 §1º do Código Penal, adicionando mais 2 a 5 anos de prisão pro criminoso em questão. E mais dois a oito anos se provar que foi mediante fraude (o que é fato no caso do post).

Por isso eu recomendo que as vítimas se unam para botar esse indivíduo na cadeia. Independente de ela poder ou não ter evitado (se me perguntarem, eu responderia "ela dificilmente conseguiria evitar e mesmo se pudesse evitar, a culpa não é dela, mas sim do vagabundo") não dá para desfazer o crime. Mas ainda tem como correr atrás de justiça.

Marina disse...

Luana, vc fica falando q hj em dia adolescentes não são mais "inocentes" e etc e vc mesma, com o seu comentário "De que chantagem estão falando? Pq o cara n fez isso,só pediu as fotos e ela mandou" está se mostrando de uma ingenuidade incrível, na medida que não consegue enxergar todas as estruturas sociais que levaram a Autora do post a ter uma autoestima prejudicada (como a imensa maioria das mulheres) e por isso ter agido do jeito q agiu.Pare d apontar dedos a tudo e a todos e vá ler um pouquinho..Aqui no blog msm, mtos textos bacanas que abrem os olhos para essas amarras sociais.

Marina disse...

Verônica, respondendo a sua pergunta, c o cara fosse da idade dela, eu tbm vejo como abuso..Quem disse q machismo, usar meios de se aproveitar da estrutura patraiarcal da nossa sociedade para abusar de alguém são atitudes que aparecem só depois de certa idade???Adolescentes tbm são machistas, meu bem!

donadio disse...

"Chantagem" é crime, embora a legislação brasileira utilize outro nome ("extorsão") para tipificá-la.

O problema é que na linguagem cotidiana usamos a palavra "chantagem" com muita frequência para comportamentos que não são extorsão, e, em geral, nem crime são.

É muito comum por exemplo nos referirmos a "chantagem emocional", em que um indivíduo "chantageia" o outro com pequenas ameaças sem nenhum potencial ofensivo ("se você não for comigo ao cinema, também não te levo para jantar", "se não me der o novo bonequinho do batman, faço o maior berreiro aqui no shopping", etc.)

Já o crime de "extorsão", popularmente conhecido como "chantagem", é tipificado assim:

Art. 158 - Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, e com o intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, a fazer, tolerar que se faça ou deixar fazer alguma coisa

Art. 159 - Seqüestrar pessoa com o fim de obter, para si ou para outrem, qualquer vantagem, como condição ou preço do resgate

Art. 160 - Exigir ou receber, como garantia de dívida, abusando da situação de alguém, documento que pode dar causa a procedimento criminal contra a vítima ou contra terceiro

Como a gente vê, a extorsão se caracteriza por uma exigência de vantagem econômica, que não é o caso das chantagens praticadas na internet com o objetivo de obter "vantagens" sexuais. Nestes casos, cabe melhor a definição do crime de "estupro":

Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso

Como caiu a exigência de penetração na definição do crime de estupro, me parece que obrigar as pessoas a posarem nuas, a enviarem fotografias de caráter sexual, etc., se enquadra aqui - desde que se satisfaça o outro requisito do crime: violência ou grave ameaça. Como violência pela internet é por definição impossível, é preciso atentar para a natureza da ameaça. Ameaçar romper um relacionamento, por exemplo, não é uma ameaça grave; ameaçar divulgar fotografias íntimas na rede, por outro lado, é.

No caso do guest post, não me parece que seja realmente possível enquadrar criminalmente o agente, a não ser talvez em algum tipo de menor poder ofensivo, tal como importunação ao pudor ou injúria.

Outra coisa, bem diferente, é que nem tudo que não é crime é moralmente aceitável. Um homem de 40 anos se aproveitar da ingenuidade - ou do legítimo apetite sexual, se preferirem - de uma menina de 16, para satisfazer sua lascívia, usando de pequenas ameaças ou de insultos privados, pode talvez não ser crime. Mas o indivíduo que pratica esses atos é falho de caráter, e sua companhia, real ou virtual, deve ser evitada por quem quer que deseje evitar incomodações mais ou menos sérias na sua vida pessoal.

Anônimo disse...

putz, assisti o filme recomendado e nao achei, de longe, que fosse pesado assim.
caralho, a cena do climax do filme da vontade de vomitar!!
e a cena final.. me deu calafrios...
que historia triste, pqp :'(

Anônimo disse...

Lola eles ate fizeram um tópico no forum dizendo que fez propaganda deles na entrevista no bol,dizendo que não vão sossegar ate todos homens no Brasil conheçam a real.Eles dizem que não é para seguir tudo que alguem fala mas seguem que nem cegos o tal de alita.

Ana disse...

Eu acho que a resposta para a minha pergunta é essa:

"agravado pela baixa auto-estima feminina que impele as mulheres a agirem com total falta de amor próprio. Não as culpo: uma sociedade desigual se sustenta justamente na baixa auto-estima do oprimido."

A Roxy respondeu.
Acho que tem mais a ver com isso do que com ego, como o outro anon disse.

Anônimo disse...

Anônimo(a) de 24 de abril de 2014 12:31, falou TUDO!
A garota já se sente vítima e ainda recebe uma enxurrada de mensagens de "apoio" que só reforçam isso. Não apenas isso não vai ajudá-la a superar os desconfortos que sentiu com a situação como ainda pode continuar nessa redoma de cristal que a estão colocando.
Recomendo terapia sim, pois é ótima pra amadurecer e se tornar mais capaz de viver essas situações da vida com maturidade emocional, aproveitando que é de bom e prazeroso nelas sem ficar se afundando em idealizações infantis sobre o sexo nem em culpa depois.

Verô! disse...

Eu lamento pelo o que você passou, mas por que você está culpando seu pai? Quando ele soube e foi atrás do cara você reagiu negativamente. Certo, você sofreu abuso, a culpa é do abusador, mas seu pai não me parece ter sido negligente.

Enfim, que isso sirva de alerta para mães e pais, controlem seus filhos na internet! Saibam com quem eles conversam, conheçam os amigos de seus filhos, controlem o tempo que eles ficam conectados. Eu não tenho filhos, mas vejo amigas e amigos meus com filhos bem jovens que já acessam livremente a internet sem nenhum controle. Eu alerto, aviso dos perigos e até mando casos como esse relatado aqui, mas não adianta muito. Parece que mães e pais andam com medo de educar suas crianças, eu fico impressionada com a permissividade de alguns. Vejo uma molecada de 5, 6, 7 anos que já são os reizinhos e rainhazinhas de suas casas com todas as suas vontades sendo atendidas, que passam já horas com os olhos vidrados em tablets sem nenhuma censura.

Anônimo disse...

Eu acho que uma menina de 16 anos já tem direito a privacidade na rede assim como tem em seu próprio quarto. Não era obrigação dos pais "vigiarem" o que ela tava fazendo, era obrigação dela ter certa responsabilidade sobre a própria liberdade. A obrigação dos pais, nessa idade, é orientar os filhos, o que aconteceu (mesmo já sendo um pouco tarde).
Quando de conhecimento do que estava ocorrendo, alertaram e aconselharam a filha, além de intimidar o abusador virtual.

O escrotossauro pode ser o culpado da história, mas isso não exime a guest da responsabilidade que teve no que se passou.

Eu também não entendo que culpa toda é essa, foi um relacionamento abusivo, ela mandou fotos e ponto, acabou. Nenhuma violação física, nenhuma exposição não-consentida, nada. Ela não diz quando e nem por que encerrou a história, então não deve vir daí o "trauma".
Bola pra frente, por favor.

Jonas disse...

Posts como esse só me fazem pensar cada vez mais que há um certo ponto de convergência entre feminismo e o complexo da princesinha vitoriana que a Camille Paglia sempre apontou (nas suas alunas universitárias de família rica, por exemplo).

São garotas extremamente dependentes que acreditam que basta se lamentar, chorar e reclamar que tudo se resolverá pra elas de alguma maneira. E se alguém tentar ajudar - como o caso do pai cumprindo seu papel de alguma maneira e a garota ainda o culpando - basta ela choramingar mais um pouco e pronto, num passe de mágica todo mundo tem que perdoar os erros iniciais dela e os erros que ela cometeu quando alguém tentou ajudar com os erros iniciais.

E onde uma parcela de feminismo entra nisso? Quando esse arquétipo de princesinha vitoriana, ao invés de ser rechaçado pelas feministas como algo imaturo, é abraçado como pobre vítima. Mas por quê?

Será que é por que muitas das feministas universitárias de classe média aqui no Brasil se encaixam nesse arquétipo? Algo a se pensar.

Anônimo disse...

Olá Lola, muito me intriga esse processo emocional feminino...
Tanto no relato da guest quanto no relato da moça do twitter existe o desenvolvimento de um trauma que se apresenta e desenvolve na vida real.
Fico aqui tentando entender como se dá esse desenvolvimento de trauma, gostaria de saber se alguma de vocês mulheres poderia me explicar esse processo. Acredito que minha falta de empatia com a situação é por não entender o desenvolvimento da culpa e do trauma ou por considerar que internet não se trata de uma experiencia real baseado em minhas próprias experiencias de observação comportamental e comparação... mas bem deixando um pouco esse assunto de lado, gostaria que me explicassem essa questão do trauma, pode ser?

Anônimo disse...

Pedófilo? Por favor né gente. Com 15 anos eu já sustentava a minha casa (mãe inválida e um irmão menor).

Anônimo disse...

"Fico aqui tentando entender como se dá esse desenvolvimento de trauma"

Trauma é orgulho ferido. É não ter agido de determinada forma em uma situação, por vontade e impossibilidade, estendendo o efeito para o futuro na tentativa de modificar o passado. O alimento do trauma normalmente é a culpa, o "devia" ou "não devia", mesmo em se tratando de situações de impossibilidades porque na mente de quem passa o ato traumático ele ou ela não aceita que, mesmo impossível, ele ou ela não teve naquele momento poder sobre a situação em um deslinde favorável. Cessada a culpa - que alimenta o estado egóico do orgulho - o trauma desaparece.

Anônimo disse...

não entendo tanto mimimi,vivem falando de liberdade sexual ,ai quando acontece isso,a pobre mulher foi "abusada".
mesmo tendo mandado fotos por livre e espontânea vontade e se tivesse mandado para um adolescente,ainda seria pq ela quis.

Camila Fernandes disse...

O cara é um adulto, tem quase 40 anos, e vai atrás de adolescentes na internet com o objetivo claro de chantagear! Não é um carinha de 20 que ficou interessado em uma menina de 15. Não é um casal que tinha o costume de trocar fotos íntimas. Não é nem mais um adolescente que só queria ver foto de mulher pelada, whatever. É um cara que montou um armadilha para atrair mulheres jovens, imaturas e inseguras, e conseguir delas o que queira: material para chantagem. Isso É doentio!

Eu arrisco dizer que a excitação para ele não é sexual, não vem das imagens em si. O que um cara desse "curte" é o joguinho, o controle que ele adquire sobre a vítima, o poder de humilhá-la e obrigá-la a cumprir as suas vontades. Ele é um predador.

Anônimo disse...

Camila, quer dizer que se tudo isso tivesse acontecido com um jovem de 20 anos seria menos pior ou até mesmo desculpável? Tem certeza que você quer se afundar nessa falácia só pra demonizar o cara a qualquer custo?

Anônimo disse...

Quando eu tinha 13 anos, fui estuprada pelo ex namorado da minha prima de 27 anos.

Como aconteceu? eu me achei a pessoa mais importante do mundo pq ele era mais velho tinha carro e me assediava. Eu nunca tinha nem beijado na boca.

Todos tentaram me proteger, mas eu não ouvi. Meus pais tentaram impedir, até o namorado atual da minha prima na época, disse q eu não deveria encontrar aquele cara pois seria "estuprada".

Pois bem, o q fiz? Todos me vigiando ( pai, mãe, irmão) fugi da escola um dia para encontrar o cara.

O que ele fez? Me levou para casa dele e me estuprou. E depois ainda saiu falando para todo bairro o q tinha feito.

Claro q na versão dele, ele esqueceu de dizer q eu não sabia nem beijar e que eu nem sabia ao certo o q ele tinha feito comigo. E que eu tinha dito q era para parar, mas eu estava trancada na casa dele sozinha. Ele fez sexo anal. Eu fiquei paralisada, só falava não corri, depois parei de falar...

Dpois fiquei com uma fama horrível no bairro.

Então , não concordo com a mocinha quando disse q não foi protegida. ela foi sim, como EU FUI, mas assim como eu, ela simplesmente decidiu não ouvir.

Sei q o culpado abusador é o cara, mas sei que tentaram me impedir. Mas eu não deixei.

lola aronovich disse...

E, por incrível que pareça, anon das 9:28, o culpado AINDA é o estuprador, não vc. Quem cometeu um crime foi ele, não vc. Claro que não se deve culpar todas as pessoas que tentaram te proteger, mas já passou da hora de vc parar de culpar uma menina de 13 anos que podia ter mil e uma fantasias românticas e/ou sexuais, mas que mesmo assim não queria, nem merecia, ser estuprada.

Julia disse...

Anon 20:45, não acho que seria menos pior. É tanta canalhice quanto um ex-namorado que pega as fotos que as mandou pra ele -espontaneamente - e a chantageia com isso. Não deixa de crime e falta de caráter.

Mas não entendi o que você quis dizer com "demonizar o cara". Ele é um adulto que atrai garotas na internet deliberadamente para abusá-las. Como você quer chamá-lo? Eu me contento com canalha e criminoso.

Anônimo disse...

Vamos lá Julia:

- "falta de caráter" não é crime. Você pode ter quantos chiliques quiser por causa disso, mas nnao é crime alguém ter a moral diferente da sua. Chantagem é crime, então foquemos no crime.

- onde, segundo o próprio relato, o cara chantageou a garota? Ela recebeu ameaças do pai dela, mas onde o texto dela mesma descreve concretamente alguma chantagem, o suposto crime que ele cometeu?

"Não acho que seria menos pior [se fosse um cara da mesma idade dela]"
- Se não acha mesmo, então por que ainda continua ressaltando a idade dele, o fato de "é adulto"? Você está chocada com a diferença de idade e fica tentando usar isso como um agravante. Se houve imoralidade, ou crime, ou seja lá o que for, a diferença de idade piora ou não o caso? Decida-se, pois dizer que "não" pra depois continuar insistindo nisso é tentar convencer usando a emoção.

"Não entendi o que você quis dizer com 'demonizar o cara'."
- A frase inteira foi "demonizar o cara A QUALQUER CUSTO". Esqueça a palavra "demonizar", se você a considera tão pesada assim. A ênfase que dei foi no "a qualquer custo", e isso lhe custa a razão quando você diz que a idade dele não importa - mas no fundo importa.

"Como você quer chamá-lo? Eu me contento com canalha e criminoso."
- Não pensei em como chamá-lo, mas definitivamente pra chamar de "criminoso" e ter razão você vai ter que provar isso. Não é só porque te chocou que foi crime.

Anônimo disse...

Com quase 16 anos eu fiz um amigo virtual no chat do UOL e passávamos muito tempo trocando mensagens picantes, ele dizia que me amava, que queria se casar comigo, que mudaria para o Brasil (ele dizia estar na Austrália) e vivia pedindo fotos, mandei algumas normais e ele quis as mais picantes, exigi que ele me mandasse dele também e foi um tal de fotos de pinto pra lá e pra cá mas eu desconfiei que não eram sequer da mesma pessoa e fui dando bastante corda pro maluco. Um dia ele me mandou um e-mail fora da conta do Gmail e aí eu vi que o IP não era da Austrália e sim do Brasil, intimei e ele disse que estava aqui em São Paulo e falou que queria me fazer uma surpresa, trazer uns presentes para mim e para nos encontrarmos pessoalmente. Ele mandou fotos dos supostos presentes, guardei tudo, enrolei essa história mais uns meses até que ele próprio parou de me mandar mensagens.

Alguns anos depois eu encontrei nos meus backups essas fotos e usando o Google Imagens descobri que todas minhas mais que suspeitas eram verdadeiras, ele tirava fotos de outros sites, fóruns etc. e mandava pra mim. Deve ter feito isso com várias. E outros como ele apareceram na minha vida, sempre gostei de dar bastante corda pra esses doidos para ver até onde eles iam. Uns chegavam a me mandar fotos verdadeiras deles, segurando papel com data e nome e eu nunca mandei nada que não pudesse ser encontrado no meu perfil do Orkut, Myspace etc. De um eu até cheguei a gostar, mas assim que começou a a insistência em querer me ver nua não tive como desligar o bom senso e me entregar a punheteiros bundões como ele.

Sei lá, não nasci sabendo nada, minha mãe ainda acha que internet é coisa do capiroto e o mais perto que falamos sobre sexo foi no dia em que fiquei menstruada, em casa a gente nunca teve "conversas" então nunca tive espaço pra discutir essas coisas em casa mas nem precisou né? Eu vi várias colegas e amigas se ferrando na mão desses desconhecidos que teclam macio e não precisei passar por isso, ninguém precisou me dizer que mandar fotos minhas nua para um estranho ou para um namorado é roubada na certa. Eu sinto bastante pelo que aconteceu com a autora do post, mesmo ela tendo colaborado com tudo, assim como minhas amigas e colegas cooperaram também com os bandidos (porque são bandidos né, ter essas imagens de menores de 18 no computador é crime por si só) mas será que precisa chegar ao ponto de ter uma educação sexual voltada para a era digital e você ter que explicar pra Mariazinha que ela não pode mostrar os peitos pro Joãozinho porque caiu na internet não sai nunca mais? Que o Joãozinho pode ser um Joãozão de 70 anos de idade, seu vizinho, amigo do seu pai ou um estuprador? Será que precisa mesmo? Eu to começando a achar que sim porque canso de ver em vários lugares, até no whatsapp gente repassando coisas dos outros numa boa, aparecendo sorrindo nos vídeos, se deixando filmar e confiando que isso vai ficar só entre eles. Não fica! Bastou o relacionamento terminar e pronto, caiu na net. Acho estranho as pessoas ainda não se tocarem disso, usarem seguro em seus carros, andarem com a bolsa na frente do corpo, terem plano de saúde, plano de previdência, plano disso e daquilo e não saberem se defender de uma ameaça que depende 100% da sua colaboração pra acontecer. Ensinar a ter responsabilidade e posse de si mesmo é papel da escola, se as famílias não o fazem? E como seria isso? Acho que em vista dos acontecimentos atuais é uma discussão a se propor.

Anônimo disse...

Trauma é orgulho ferido. É não ter agido de determinada forma em uma situação, por vontade e impossibilidade, estendendo o efeito para o futuro na tentativa de modificar o passado. O alimento do trauma normalmente é a culpa, o "devia" ou "não devia", mesmo em se tratando de situações de impossibilidades porque na mente de quem passa o ato traumático ele ou ela não aceita que, mesmo impossível, ele ou ela não teve naquele momento poder sobre a situação em um deslinde favorável. Cessada a culpa - que alimenta o estado egóico do orgulho - o trauma desaparece.

O terapeuta da minha irmã falou uma coisa bem parecida pra ela, mas a respeito de um lance acontecido em sua infância (não tem nada a ver com abuso sexual ou coisa parecida). Procurei na internet e achei um texto interessante sobre isso, vai um pedaço:


"Feche os olhos, sinta-se dentro de você e procure se entender. Existe alguma coisa que ficou bloqueada na sua infância? Algo que queria crescer, se desenvolver, mas que durante a sua trajetória não foi pra frente? Pergunte para seu corpo onde está esse bloqueio. Ele vai apontar uma região em que o bloqueio ficou estagnado. Observe: geralmente, nesse local, há uma dor ou um mal-estar. Você vai sentir que esse ponto a puxa para dentro de si, como se você estivesse encolhendo e se vendo anos atrás, bem menor. Muito bem, com quantos anos você se vê? Como está sua vida? O que está acontecendo aí? Que idade tem? Como está vestida? Como estão as pessoas em volta e quem são essas pessoas? O que está acontecendo de desagradável?

É muito natural mexer com isso e aparecerem algumas emoções, uma vez que elas vêm do interior, tão intensas e presas. Deixe-as fluir. Observe aquilo que a incomodava. Quase sempre, a gente encontra raiva, medo, desilusão. É a criança em você. O que tanto você queria e não tinha? Fique consciente. Em vez de receber o que queria, o que você recebia? O que está acontecendo de ruim?

Quando você não tem o que quer, o que resolve fazer? Olhe bem para essa criança, repare como ela é orgulhosa e mimada. Ela não quer entender a realidade, apenas quer as coisas do próprio jeito. E como ela ficou ofendida! E como guarda ofensas! Na verdade, você queria dominar a situação. Como não tinha poder pra isso, então se fez de vítima. Você protege essa criança. Você protege essa parte que são seus sentimentos. No entanto, é só o seu orgulho. Trauma é orgulho ferido. Quando o defende, mais ele cresce e mais vulnerável você fica. Quanto mais vulnerável, mais você se machuca. Experimente jogar fora essa parte. “Isso não sou mais eu. Hoje sou adulta, tenho uma cabeça boa e não aceito mais isso. Não quero as coisas do meu jeito. Vou aprender a lidar com tudo. Não quero ficar criança. Emburrada para o resto da vida. Carregando ressentimentos e amarguras. Quero me sentir livre, forte, dona do meu nariz. Auto-suficiente, segura de mim. Não quero conservar isso que me faz dependente dos outros.” Negue isso para ver como você se sente, o alívio que dá. Abra os olhos!

Luiz Gasparetto"

Jonxs disse...

O mais sintomático dessa discussão toda aqui nos comentários é que o cara é considerado "monstro", "criminoso" ter seguido instintos sexuais (sejam eles éticos ou não, a natureza nem sempre é justa e por isso criamos leis). Mas ele não cometeu nenhum crime, até onde foi contado. Ele não ameaçou usar as fotos dela para fins indevidos, e aparentemente não usou até hoje. Por ser homem, não ter reprimido certos instintos perigosos foi um erro brutal.

Mas partindo das informações do post, a própria garota assume que queria a atencão dele e por isso mandou as fotos nuas, depois que o problema já tinha sido resolvido (de uma maneira bruta, mas inevitável: o pai dela foi lá brigar com o cara e este finalmente sumiu). Foi a garota que recomeçou tudo de maneira perigosa, o que é compreensível pois agiu instintivamente (a arquetípica necessidade feminina de ganhar atenção). Mas isso as feministas relevam: tudo bem ela ter agido instintivamente, foi normal. Como mulher, ter seguido certos instintos perigosos não foi um problema.

Ou seja: as próprias feministas, que tanto reclamam de serem taxadas de "emocionais" na resolução de conflitos, defendem sua posição aqui relevando emoções confusas de um lado (mulher) e atacando veemente as do outro (homem).

Anônimo disse...

Comecei a usar internet na época em que ela começou a se popularizar, em meados dos anos 90, quando eu tinha 13 ou 14 anos. Até os 18 fui muito inocente, sim. Divulguei dados da minha rotina, endereço, fotos, tudo sem qualquer preocupação. Tinha conversas picantes com muitos desconhecidos. Tive sorte de não ter caído nas mãos de um predador sexual que me pedisse fotos reveladoras ou coisa pior.
Não é burrice, é inocência, mesmo. É não acreditar que a pessoa que está do outro lado pode não ser quem diz ser ou pode fazer algum mal contra você. E nesse sentido, adolescentes costumam ser inocentes, sim, mesmo que já tenham toda a informação sobre sexo. Porque não é uma questão apenas de informação, mas de maturidade emocional. A menina pode saber que o cara vai se masturbar com as fotos dela e achar que tudo bem porque ele a ama. E é muito fácil fazer uma adolescente acreditar nisso porque em geral é o que elas mais querem na vida.
O cara que faz isso pode não cometer o crime de pedofilia, mas é um manipulador nojento que se vale da impunidade e do anonimato. Quem cai nesses golpes tem toda a minha solidariedade.
PS - ri muito com a pessoa que escreveu que a mãe acha que a internet é coisa do capiroto, porque a minha também... rs

Anônimo disse...

Lola, para algumas pessoas que leem o seu blog, os trechos dos blogs mascus podem parecer que não são assim tão perigosos ou que você está rindo de gente problemática. Aí eu pesquisei na internet e fui ler os blogs, fóruns, etc. Conclusão: você pega MUITO LEVE. Os caras são completamente loucos e se contradizem o tempo inteiro! Além de não terem lógica nenhuma. Teve uma discussão que um deles dizia que para casar só serve mulher virgem. Aí outros diziam que mesmo a mulher virgem não é confiável, que depois de casada ela mostraria a verdadeira face. Ou seja, mulher nenhuma presta. Nem as próprias mães estão livres. E um monte de homem que sofreu desilusão amorosa, foi traído e quer se vingar de todas as mulheres. E percebi que eles te "adoram", vi várias referências à você e a seu blog.

Julia disse...

Anon 14:31, só agora vi sua reposta.

Com certeza você já fez esse tipo de coisa, por isso tanto empenho em defendê-lo.

Se você acha que eu uso demais a emoção e dou "chiliques" você, ao contrário, é frio e calculista.
Não é um elogio, tá?

Prefiro continuar sendo "emotiva" do que um psicopata como você.

Anônimo disse...

Sua história e bem parecida com a minha hoje tenho 20 anos e quando tinha 15 anos tbm aconteceu a mesma coisa comigo ,fui seduzida por um homem de 40 anos , fiquei completamente cega mandei várias fotos nuas ,também me sinto horrivel,dizia que me amava que queria que eu fosse morar com ele ,ele queria que eu fugisse pra ir morar com ele ,no Rio de Janeiro ,ai conseguir me sair dele graças a minha mãe na época ,só que não acabou por aí ,hoje depos de 5 anos ele tornou que encontrar numa rede social ,e estar sendo meu pesadelo desde então ,ameaça divulgar minhas fotos que ele tem todas ainda ,e diz que se eu denunciá-lo não vai dar nada pra ele .estou vivendo um pesadelo e me arrependo muito de se deixar seduzir por um mostro desses

Julia disse...

Os canalhas sabem que estão protegidos pelo patriarcado. E ainda tem os cínicos que negam que exista mas na hora que o bicho pega sabem muito bem como se safar.

Roseane Alice Pereira da silva disse...

Gente me ajudem, pelo amor de deuuus.
O mesmo acontece comigo, estou extremamente essa hora chorando muito, não sei mas o que fazer.
Eu preciso de ajuda.
Devo acionar a polícia?