segunda-feira, 28 de abril de 2014

A LIBERDADE DE OPRESSÃO DOS ABERTAMENTE PRECONCEITUOSOS

Sentindo-se confortável no meio da rua?

Foi vendo o documentário O Riso dos Outros (para o qual tive a honra de ser entrevistada), de Pedro Arantes, que descobri que Preta Gil é (ou era? Será que não é mais?) uma muleta no humor brasileiro. Parece que, quando a noite de um comediante de stand-up não está rendendo e o público não ri, o humorista faz uma piadinha falando que a Preta Gil é gorda e feia, e o pessoal gargalha.
Tem gente que adora chamar negro de macaco, mulher de vadia gorda, homossexual de viado, e faz desse tipo de “humor” uma bandeira contra o politicamente correto. Pra essa gente, a pior praga que tem neste planeta não é a fome, a violência, o estupro -- é o politicamente correto.
No ano passado, um desconhecido comediante britânico, Michael J. Dolan, publicou um artigo chamado “Eu fui um comediante misógino”. Ele diz que lançou uma gravação independente com seu show e recebeu duas críticas, uma positiva e outra negativa, esta última declarando que suas piadas eram misóginas. Quando ele perguntou a uma amiga feminista o que ela achava, ela confirmou o machismo dos chistes. Após um pouco de reflexão, ele concordou, e chocou-se como aquilo havia passado batido para ele, o autor do roteiro. Ele escreve no artigo:

"A verdade é que a misoginia está em alta no cenário britânico do stand-up atual. Vá a qualquer clube de comédia e veja o quanto demora até que um dos atos chame uma mulher do público de vadia em troca de uma risada fácil. Veja quantas piadas giram em torno do humorista exercendo alguma violência sobre uma garota imaginária, e espante-se que essas piadas sejam tão bem recebidas. Ou apenas conte as piadas de estupro. Só haverá algumas, mas quase sempre haverá uma ou duas.
Exceto que não são só uma ou duas. A defesa usada com frequência é que são só piadas. Não devem ser levadas literalmente, e nós logicamente não estamos falando sério. Mas você raramente ouvirá um ato contemporâneo tentar justificar o racismo dessa maneira. [Nota da autora: Dolan precisa conhecer alguns humoristas brasileiros]. 
Sabemos que numa cultura racista toda piada racista contribui para essa cultura, e nenhuma delas é aceitável. Com a misoginia não é diferente. Na nossa cultura de misoginia, de violência contra as mulheres, toda piada misógina contribui. [...]
Os comediantes racistas de antigamente foram deixados pra trás quando o resto do mundo avançou. Alguns se recusaram a mudar, alguns foram incapazes de perceber o que havia de errado no que faziam. Uma nova geração de comediantes está prestes a ser deixada pra trás. Aqueles traficando misoginia, homofobia ou outras variedades de ódio para bêbados sem discernimento vão logo ficar sem amigos." (minha tradução).

Seria ótimo se a profecia de Dolan se tornasse realidade. E seria ótimo se muitos dos comediantes que temos no Brasil fizessem essa autocrítica que ele faz. Assim como podemos, na educação, fazer a pergunta "Pra que(m) serve o teu conhecimento?", também podemos perguntar: "Pra que(m) serve a tua piada?" Para ajudar a derrubar preconceitos, ou para perpetuá-los? Para empoderar grupos historicamente oprimidos, ou para oprimi-los mais uma vez?
Infelizmente, muitos humoristas parecem se achar semi-deuses, imunes a críticas, acima do bem e do mal. A cada nova discussão, esses comediantes costumam bradar “Censura!” Eles reclamam que há uma “patrulha”, uma “ditadura do politicamente correto” que não permite que realizem seu trabalho, que, dizem eles, é apenas o de fazer rir. Mas emprego é o que não falta pra eles. 
Existe uma inversão de valores, já consolidada pelo senso comum. Enquanto vários comediantes são vistos como modernos e despojados -- apesar das palavras reacionárias que saem de suas bocas -–, as pessoas que lutam por mudanças na sociedade são consideradas caretas e atrasadas. O resultado é que hoje politicamente incorreto virou eufemismo para abertamente preconceituoso.
O humor pode sim ser transgressor. Mas o que esse pessoal que ataca minorias pra fazer piada precisa entender é que eles não estão transgredindo nada. Seus tataravôs já eram preconceituosos. 
Certamente eles já comparavam negros com macacos, já faziam gracinhas sobre a sorte que uma moça feia tem em ser estuprada. Quem ainda adota essas piadas no século 21 não está sendo ousado ou criativo, só está seguindo uma tradição. Ousadia é querer mudar o mundo, começando pela forma que falamos. Não há nada de novo ou de rebelde ou de engraçado em eternizar velhos preconceitos.
Piadas não são neutras. São armas que podem ferir, destruir, perpetuar preconceitos, e também derrubá-los. O humor é um discurso como outro qualquer, não está acima da lei. Querer que o humor se responsabilize pelo que diz não é censura -– é também liberdade de expressão. Mas muitos humoristas parecem querer manter, a qualquer custo, a liberdade de opressão.

58 comentários:

Anônimo disse...

bacon

Buh Ostheimer disse...

Quando li seu post de hoje, Lola, lembrei do conto das 3 peneiras de Sócrates... é o mínimo que devemos pensar antes de abrir a boca e principalmente os que são ouvidos por muitos. Grande abraço, segue o conto:

Um homem foi ao encontro de Sócrates levando ao filósofo uma informação que julgava de seu interesse:

- Quero contar-te uma coisa a respeito de um amigo teu!

- Espera um momento – disse Sócrates – Antes de contar-me, quero saber se fizeste passar essa informação pelas três peneiras.

- Três peneiras? Que queres dizer?

- Vamos peneirar aquilo que quer me dizer. Devemos sempre usar as três peneiras. Se não as conheces, presta bem atenção. A primeira é a peneira da VERDADE. Tens certeza de que isso que queres dizer-me é verdade?

- Bem, foi o que ouvi outros contarem. Não sei exatamente se é verdade.

- A segunda peneira é a da BONDADE. Com certeza, deves ter passado a informação pela peneira da bondade. Ou não?

Envergonhado, o homem respondeu:

- Devo confessar que não.

- A terceira peneira é a da UTILIDADE. Pensaste bem se é útil o que vieste falar a respeito do meu amigo?

- Útil? Na verdade, não.

Então, disse-lhe o sábio, se o que queres contar-me não é verdadeiro, nem bom, nem útil, então é melhor que o guardes apenas para ti.

Anônimo disse...

Adorei seu texto, Lola. Essa é uma reflexão que eu tenho feito bastante. Como estamos acostumados ao humor preconceituoso! Como EU estava e ainda estou. Dizer "não" a essa tradição é complicado, até porque há comediantes que vivem em uma fronteira que acho difícil definir (é ironia, como o texto do Antonio Prata, ou é preconceito?). Treinar-se para rejeitar o óbvio e debater sempre é importante. E sobre o pessoal da "patrulha do politicamente correto", ué, vocês podem ser preconceituosos e ninguém pode denunciar, debater o que vocês estão dizendo? Nesse ponto, o título do post é certeiro.

Anônimo disse...

O legal e que quando se vê a mídia e publicidade em geral representando o homem como um abobado, infantilizado ,incapaz, não se vê homem choramingando por ai.

Anônimo disse...

Vou direto ao ponto com você Lola, eu falo o que eu quiser,penso o que eu quiser, rio do que eu quiser, e não há nada que feministas possam fazer para me impedir.
Minhas opiniões, minhas regras, e não e feminista com complexo de inferioridade que vai pautar o que penso, o do que acho graça.
Você por exemplo trem uma imagem muito engraçada, eu rio pacas com as montagens que os meninos fazem contigo no face.

lola aronovich disse...

Nossa, ANÔNIMO, como vc é corajoso, hein? Vc fala o que quiser, ri do que quiser, e fala na cara mesmo. Um verdadeiro herói da liberdade de expressão! E vc é tão viril e corajoso que tem os culhões pra mostrar seu rosto e assinar todas as suas ideias tão originais com seu nome completo. Ahn, não? Vc não faz isso? Ué, eu faço!


Buh, já conhecia essas peneiras do Sócrates, mas é bom vê-las escritas aqui! Obrigada.

Luisa disse...

Lola, você já conhece o programa Inside Amy Schumer? É uma comediante americana que tá fazendo um alvoroço na tv de lá. Ela tem um programa próprio e tem vários cenas que ela cria que debatem temas feministas de uma forma muito descontraída e divertida. A Tina Fey já falava em seu livro da dificuldade para as mulheres no mundo da comédia (aparentemente existe um mito de que mulheres não podem ser engraçadas) e ela vem em uma geração depois, não só fazendo muito sucesso como mantendo um público masculino na audiência - sim porque também existe a questão de que a maioria das pessoas que assistem comédia são homens, me pergunto se tem alguma relação com o fato da predominância da missogenia no mundo da comédia.

Não é perfeito, ela ainda reforça alguns esteriótipos mas já coloca em pauta várias questões importantes.

Um dos artigos sobre ela: http://www.slate.com/articles/arts/television/2014/04/inside_amy_schumer_season_2_the_most_feminist_show_on_television.html

Anônimo disse...

Não seja por isso Lola, eu não tenho conta no Google, mas meu nome e sobrenome e Thomas Turbano.

Anônimo disse...

politicamente incorreto: careta
politicamente correto: evolução

mais fácil que isso só empurrar o saci de skate na ladeira

bjos

Anônimo disse...

"Minhas opiniões, minhas regras, e não e feminista com complexo de inferioridade que vai pautar o que penso, o do que acho graça."

engraçado vc falando em complexo de inferioridade

Julia disse...

Anon 12:17, você é o que comumente se costuma chamar de "idiota".

Como você há muitos. Você não é especial, gracinha.

De repente quando você crescer, melhora.

Anônimo disse...

Acharam o bode expiatório perfeito para a desconstrução social que querem implantar, o humor rotulado de "politicamente incorreto"
O objetivo destes que se dizem progressistas, e por abaixo todo e qualquer conduta social do que chamam "burguesia"
Logo veremos jovens(a maioria dos jovens serão homossexuais no futuro) doutrinados por isto, fazendo sexo em praça publica na presença de crianças e famílias, e se você dizer que isto e um absurdo, vai ouvir:
"ain como você e antigo e careta, que que tem?! e só sexo"

Anônimo disse...

Liberdade de opressão? Perfeito!!!

Anônimo disse...

Lola, rir de mascu já tá virando covardia, mas não dá, não dá... o humor involuntário que eles comentem é engraçado demais, vide o discípulo de Onan acima...

De resto, concordo 100% com o artigo.

Nane disse...

Ui! Se escondendo no anonimato fica fácil falar e dizer que faz o que bem entende!

Masculinista Gostoso disse...

"Vou direto ao ponto com você Lola, eu falo o que eu quiser,penso o que eu quiser, rio do que eu quiser, e não há nada que feministas possam fazer para me impedir.
Minhas opiniões, minhas regras, e não e feminista com complexo de inferioridade que vai pautar o que penso, o do que acho graça.
Você por exemplo tem uma imagem muito engraçada, eu rio pacas com as montagens que os meninos fazem contigo no face."


KKKKKKKKKKKKKKK, sambou na cara da feministas. Parabéns, cara. De vez em quando as femimimiministas precisam acordar desse sonho delirante, que só elas veem como real.

Claro que as vezes é preciso pegar leve com elas, cara. Seriam anos e anos de luta e blog jogados no lixo, o que poderia gerar até um suicídio em massa.

Kittsu disse...

Sim, porquê sexo em praça publica e orgias inescrupulosas são o resultado final de não ser racista, homofóbico e misógino.
Afinal só quem é ruim é decente, pela sua lógica.

Daniela disse...

Pq não é a regra homens serem tratados como objetos ou abonalhados. Se fosse a regra e na a exceção, vc seria o primeiro a choramingar, pelo jeito!

Daniela disse...

mostra a cara pra gente rir de ti tbm, então!

André disse...

Não sei direito o que pensar sobre esse caso. Concordo que as piadas são geralmente imbecis, e o direito de criticar quem faz piada imbecil é liberdade de expressão também. Mas se fossem piadas politicamente corretas que atacassem homens e/ou brancos e/ou religiosos? Os ofendidos também teriam direito de processar os comediantes. E isso é até mais civilizado que os incomodados se juntarem para agredir fisicamente o comediante. Mas será que não estamos assistindo o nascimento de uma judicialização da liberdade de expressão?

Anna Milani disse...

Eu acho assim... Lixos como o Reacinha-Racistinha Bastos deveriam responder pelas bobagens que fala na TV.

"Hurr, é liberdade de expressão"
Liberdade de expressão que tem como objetivo fazer graça com grupos historicamente oprimidos até os dias de hoje: Nota? Zéééééro.

Homem branco, hétero e que se acha machão e viril: "Buuuh, oprimido! Estou sendo oprimido"
Troca de lugar com uma mulher, um gay ou um negro e você vai saber o verdadeiro significado de "oprimido".

O Rafinha Bostos por exemplo é um escroto, nojento, mas mais escroto que ele é quem ri de suas piadas. Nenhum "humorista" desse tipo seria famoso se não houvesse público, então é culpa mútua.

Ah, e por falar em racismo, teve o caso do Daniel Alves: O racista escroto jogou uma banana pra ele no campo e ele comeu! Tem melhor jeito de humilhar um racista? HAHAHAHAAH, adorei! Eu participei da tag no twitter #somostodosmacacos e é claro, como esperado, muito idiota racista tirando uma [como na vez da tag #nãomereçoserestuprada].

Teve um falando "seguindo a lógica do Daniel Alves, se te chamarem de burro, comece a zurrar". Esse cara tem um QI que dá pra contar nos dedos da mão! O que ele queria que o Daniel fizesse? Ignorasse? Aí só ia piorar tudo, foi uma atitude muito boa dele de comer a banana que tacaram.

Mas não importa, os opressores são iguais à lixo e não tem poder nenhum para calar as pessoas que lutam por mudanças.

lola aronovich disse...

Luisa, super obrigada pela dica! Perdi quase duas horas do meu almoço vendo sketches da Amy Schumer no YouTube, mas vale muito a pena! Adorei. Ela é muito, muito engraçada. Este é um exemplo (não sei se tem legendas), e dá pra ver mais a partir dali.
Que mais e mais feministas tenham espaço nesse mundinho super masculino que é o da comédia!

lola aronovich disse...

Mas, por falar em stand-up comic, não dá pra competir com mascus... É só dar um exemplo no que o "masculinista gostoso" considera "sambar na cara das feministas". Sabe, juro que se eu tivesse algum talento pra contar piada eu viraria comediante stand-up usando o vasto repertório do humor involuntário dos mascus.

André disse...

Anna Milani,

Qualquer que fosse a atitude do Daniel Alves (ignorar a banana, processar o torcedor racista, etc.) seria uma atitude digna. Mas comer a banana, não sei se de caso pensado ou não, foi genial justamente por escancarar para o escroto que a imbecilidade dele não surte mais efeito. Foi o famoso "o que vem de baixo não me atinge".

Anônimo disse...

André,

Piada politicamente correta não ataca ninguém. Sua hipótese não tem sentido!

Nadia disse...

No Brasil eu nem chamaria de humorista, e sim reacionário-humorista. Porque é isso que eles fazem. Pensam em como dar risada da situação dos outros, pq a deles é bem séria e não pode ser questionada ou transformada em piada.

E esse post diz o que eu pensava há muito tempo: esses caras não são criativos, não são diferentes dos velhos sem graça.
Eles podem representar esses tipos na população, mas de nenhuma forma são pessoas talentosas que têm aquelas sacadas que fazem a gente rir de verdade.

O que se vê é q a gente (Brasil) faz parte do atraso em relação ao racismo. O anonimo que ri e fala o que quiser faz parte desse atraso intelectual que vê a tv aberta e gosta disso. Provavelmente porque nao teve referências que o fizesse avançar. Ele não acharia graça de um humor legítimo porque não entenderia a piada.
O tipo de piada de Rafinha Bastos, Danilo Gentili não precisa de muitos neurônios para saber do que trata.

André disse...

Anônimo 15:57,

Ataca sim. Fazer piada que ataque opressores, grandes bandidos impunes ou poderosos que não costumam ouvir críticas é politicamente correto.

Luisa disse...

Lola que bom que você gostou! Eu passei várias horas assistindo todos os episódios no dia que eu descobri hehe. Ah, depois procurando um pouco achei essa também:
https://www.youtube.com/watch?v=Sj977cFBuKk

Raven~ disse...

Anna, que comentário lindo. Eu não sabia disso. Euri. Huashua bem a minha cara.

Lola, não sei se vc conhece, mas daquinde Curitiba tem um can chamado Tesão, piá! que é excelente. Às vezes eles dão umas escorregadas, mas na maior parte do tempo são legais.

André, atacar quem deve ser atacado (com uma arma que eles usam contra nós, aliás) é tão ruim assim? Eu curto quando o Carlin fala de aborto, por exemplo. Caraios voadores, como um homem vai entender que raios é um aborto? Recomendo.

Sem contar, que ao frisar privilégios de gente branca, de classe média, jovem e hetero, talgez eles se toquem que NÃO estão em posição de rir de ninguém. Devem é se considerar muito sortudos.

André disse...

Raven~

Eu me referia a essa onda de (ameaças) de processo, como a que o Tas fez contra a Lola. Concordo que o processo judicial é mais civilizado que sair na porrada. Mas não faz sentido quem tem voz querer calar os outros.

Anna Milani disse...

André

Eu achei que ele sambou na cara de quem jogou. Provavelmente o racista nem imaginou que ele iria comer, foi inesperado.

Isso não justifica o maluco no twitter comparar a situação dele com um burro, embora. Qualquer pessoa chama outra pessoa de burra, e macaco é uma ofensa exclusiva pra negros.

Anônimo disse...

Passei minha infância e adolescência inteira ouvindo piadas de negro. Não sei se achava engraçado, mas eu ia com a família toda e ria. Mas depois de certo tempo, tendo estudado história e observando a dificuldade na vida meus amigos negros, parei de achar engraçado e comecei a ficar indignada, a ponto de fazer barraco. Mas os idiotas da família continuavam (e continuam) repetindo ad infinitum as mesmas asneiras e rindo sozinhos. Meus irmãos e primos, essa nova geração, não achamos mais graça. Imagino que com a misoginia aconteça o mesmo.

Anônimo disse...

Eu achei o fim da picada o que o Pânico na TV fez com a Preta Gil na ocasião da tal "entrega das roupas do André Marques".
De extremo mau gosto, agressivo e desnecessário, até porque ela, mesmo já tendo sido ofendida por eles, os atendeu de modo simpático e aberto à conciliação. E foi novamente agredida.
E o que mais me espanta é que esses mesmos atores e atrizes e cantoras que reclamam das agrassões do Pânico - com razão, na minha opinião - contraditoriamente são amigos do Emilio Surita nas festas sociais e nas mídias sociais!
Eu não consigo entender isso. Não adianta reclamar do Vesgo ou do Carioca se é o Emilio que paga o salário deles!
Será que o Emilio gostaria que começassem a perseguir seus filhos e fazer piadas maldosas com eles ?
Pra mim o Emilio é o mais babaca de todos, pois paga esse pessoal e depois posa de santo na tv.


Mauro Lindão disse...

Anna Milano

Me diga, qts brancos vc ve na tv q são assaltantes? ou estrupadores? negros estupram as mulheres, nunca vi um branco na tv fazer isso. Vcs feministas distorcem td. Nos queremos ajudar as mulheres e vcs nos recriminam.

Alem disso, vcs pregam q mulher bonita n pode ser feminista, pregam q não pode ter familia e filhos [qd é a parte mais improtante da vida da mulher, qd ela vira mãe e cuida da casa e do marido e ELE sai pra trabalhar] e pregam q não pode se cuidar, senao tá satisfazendo o patriarcado!

Anônimo disse...

Para wue mostrar minha cara, para vcs terem orgasmos multiplos

Bruno disse...

Na Folha de hoje o Gregório Duvivier escreve um texto exatamente na linha desse post. É curto e está reservado pra assinantes na versão on-line então reproduzo aqui em vez de mandar o link:

Caro Gregório-mais-velho,
quem te escreve desse endereço do zipmail é o Gregório de 13 anos de idade. Quero muito ser você quando eu crescer, rsrsrs. Falando serião: não queria que você se transformasse numa pessoa careta. Existe uma patrulha do politicamente correto que não para de crescer. Como eu quero que você seja comediante, eu acho que você tem que lutar contra essa hipocrisia do politicamente correto. Queria que você botasse o dedo na ferida e falasse umas verdades que ninguém tem coragem de dizer. Por exemplo, estou escrevendo um texto bom. Diz assim: todo o mundo pertence a uma minoria. A pessoa ou é negra ou parda ou deficiente ou gay ou mulher ou tudo junto (se for tudo junto é o Michael Jackson, hahaha). Eu, que sou homem, branco, heterossexual, ateu, acabo fazendo parte de uma minoria ínfima. Por que é que não fazemos o dia nacional da consciência branca, hahaha? Ou a passeata do orgulho hétero, kkkkk? Por que toda feminista é feia, rsrsrs? Bom, você já tem material para um stand-up.

Caro Gregório-mais-novo,
eu virei aquilo que você mais odeia. Você ainda não sabe disso, mas você é reacionário. Só que você tem a sorte de conviver com pessoas progressistas. Isso é uma sorte. Mas é, também, uma falta de sorte (nisso a gente se parece: eu também não falo a palavra azar. Merda). Você confunde o mundo com as pessoas ao seu redor: artistas, feministas, humanistas, ativistas. Você acha que ser contra essas pessoas é ser contra a corrente. Más notícias (você talvez ache que são boas). O mundo, assim como você, é machista, racista e homofóbico. Não cabe aqui inserir números e gráficos que provam isso. E eu não quero encher sua caixa do zipmail, que lota tão rapidinho. Mas é bom explicar uma coisa: minoria é um conceito político, e não demográfico. O Senado tem 81 senadores dos quais apenas um se declara negro ou pardo. Nenhum deles se declara gay. Gays são espancados todo dia por serem gays. Você acha que inventou o "Orgulho branco", mas esse era o slogan da Ku Klux Klan. Suas piadas são mais velhas que o mundo. Ouve o Millôr, de quem você gosta tanto: "Uma coisa é ser o rei dos palhaços, outra é ser o palhaço dos reis". Quanto às mulheres: você não vai pegar ninguém sendo machista. Você reclama que as mulheres não gostam de você, mas você parece que não gosta delas. Lê um pouco sobre feminismo antes de odiar o feminismo. Ah, e pare de usar onomatopeias de risada.

Anônimo disse...

a cada post mais uma hipocrisia
vcs xingam homens machistas quando lhes dá vontade,é lixo,verme,mascu,monstro...
mas claro que só feministas tem permissão para ofender os outros.

Juliana disse...

Gente, eu tenho acompanhado o caso Daniel Alvez,e achei a dignidade dele comovente mesmo.
Mas quanto as repercussões, sei não...o tal "somostodosmacacos" é jogo publicitário, têm até camisas por 70,00 sendo vendidas.
Concordo com algum blogueiro que li por aí: o ponto não é a reação do Dani Alves, e sim o fato do mesmo (e de todos nós)estarmos acostumados com o racismo. Até quando teremos que ter estratégias para nos blindarmos do racismo, ao invés de combatê-los?

ps:Até o tio Rei aderiu a campanha com foto e tudo! mas claro, pelo fato do jogador não ter dado uma de histérico politicamente correto

Anônimo disse...

nossa, se vc reparar o andré sempre vai contra o post, é incrível. Parece que até mesmo pedir menos piadas misóginas/racistas/homofóbicas é demais para certos comentaristas..

Amana disse...

André, para responder sua pergunta sobre "não seria o mesmo se fossem piadas contra brancos/cristãos/et?"

https://www.youtube.com/watch?v=crCCQIWSx68

Raven~ disse...

Nossa comento no celular sai tudo escrito errado.

Entendi, André. Mas o problema é quererem calar quem já não tem voz. XD

Raven~ disse...

Ah! E a Preta é gorda. E linda, uai.

Amana disse...

(tem legendas em português, é só ativar)

Anônimo disse...

Mascu chega e fala: "feministas suas feias e chatas!"

Os outros mascus: "KKKKKKKK ISSOAI SAMBOU NA CARA DAS FEMINISTA"

------

Mascu: "feminismo é errado e as feministas são burras porque as vozes e o nessahan me disseram"

Oustros mascus: "ISSO AI CONFRADE METEU A REAL!! MOSTRA PRAS FEMINAZI!!!1"


PQP qual é a idade mental desses caras??

Anônimo disse...

Eu ri!

Anônimo disse...

Sawl

Para "Mauro Lindão", kkk(eu rio de tanto egocentrismo)

O sr não disse "coisa com coisa". O sr sofre algum retardamento mental? kk
Olhe a merda que escreveu:
" Me diga, qts brancos vc ve na tv q são assaltantes? ou estrupadores? negros estupram as mulheres, nunca vi um branco na tv fazer isso."
Na TV brasileira não sei, mas, na TV americana vários personagens brancos apareceram violentando mulheres(exemplo recente G.O.T) a questão aqui não é racial, e sim de uma violência hedionda que um ser humano comete contra outro.
Quanto assaltantes, realmente a TV brasileira é bem racista e poucos personagens brancos são mostrados como ladrões.

Desde quando machistas imbecis como vc querem "ajudar as mulheres"?! Gostei dessa piada(até pq já fui casada com um e ele fez td, me trair, agredir, MENOS me ajudar!) kkk.
Oh tadinho de vc! kkkk.
Vcs vomitam moralismo e machismo, querem impor regras de comportamento, pensamento e vida pras mulheres, nos chamam de vadias por qualquer coisa banal e NÓS recriminamos vocês?! Coitadinho, kkk.
Imbecil, qualquer mulher pode ser feminista, NÃO é avaliado se a mulher tem que ser bonita ou não pra ser, quem avalia que mulher só pode ser "linda e perfeita" são vcs mascus que ainda por cima são racistas pq já vi um monte de post xingando a talentosa e deslumbrante atriz Lupita Nyong e todos os xingamentos eram de fóruns mascus!!!
Vcs feministas distorcem td. Nos queremos ajudar as mulheres e vcs nos recriminam.
Mulher pode ser bonita(eu mesma sou um exemplo, já desfilei quando era adolescente e tb já participei de comerciais) e pode ter marido e filho(a) SIM(eu sou casada e tenho uma filha).
Vc tem que voltar pra escola, pq se fala IMPORTANTE, não, "importante", kkk.
E que "regra" é essa que "a parte mais importante da vida de uma mulher é ser mãe, ficar em casa e só o marido sair pra trabalhar?!
De novo a velha, antiquada e atrasada mania de vocês mascus-misóginos cagarem regra pras mulheres, se tua mãe era amélia sofredora escrava do lar, problema dela! Estamos no século XXI otário!
E não estamos satisfazendo patriarcado pq se quiséssemos ser cidadãs de 3º nível, casadas com homens com idades de serem nosso avôs, castradas, humilhadas, entre outras barbaridades, iríamos todas morar no Oriente Médio.
De nível de machismo já basta esta republiqueta latina de 3º Mundo onde seres acéfalos como vc habitam!
Tenha uma filha e queira que ela seja uma amélia chifrada e espancada pelo marido "homem de bem"(como vcs se denominam).
Pimenta nos olhos dos outros é refresco.
Vc, o "masculinista boiola gostoso,kkk" e todos trastes de mascus deviam fundar um clube de humor involuntário, pq vcs são tão patéticos que chegam a ser engraçados! kkk :)

Sawl - Always the rebel

Verô! disse...

Lola, bem que você poderia elaborar um roteiro de stand up inspirado nos mascus, ia ser um sucesso! Comédia maior que esses "búfalos viris" (HAHAHAHAHAHA) não tem!!!

André disse...

Anônimo 20:27,

Nem todo post eu comento, ou seja, eu não tenho nenhuma discordância com o que está escrito na maioria dos posts. E nesse post, se você ler direito, eu não discordei de nada. Apenas tenho dúvidas se sair processando os imbecis que fazem piadas racistas seria a melhor estratégia. Que, aliás, é um tema paralelo, nem foi tratado no post.

Camila Fernandes disse...

"Alem disso, vcs pregam q mulher bonita n pode ser feminista, pregam q não pode ter familia e filhos [qd é a parte mais improtante da vida da mulher, qd ela vira mãe e cuida da casa e do marido e ELE sai pra trabalhar] e pregam q não pode se cuidar, senao tá satisfazendo o patriarcado!"

ALOKA! Como assim, a mulher "bonita" não pode ser feminista? Como assim, não pode ser mãe? NAONDE ISSO?

O feminismo desconstrói esteriótipos preconceituosos de beleza, isso sim. A gente não separa o mundo entre "bonit@s" e "fei@s", ou "pegáveis" e "não-pegáveis". Mas isso não quer dizer que uma pessoa considerada bonita de acordo com esse "padrão" social não possa ser feminista. Ou que uma feminista não pode se considerar bonita, gostar de se olhar no espelho, gostar de cuidar de si.

E o feminismo não impede ninguém de ser mãe. O que ele combate é justamente a ideia de que a mulher "só serve" para ser mãe e cuidar dos filhos, enquanto o homem "só serve" para trabalhar. Combater essa "regra social" é abrir mais possibilidades de escolhas, tanto para os indivíduos como para o casal resolver junto. É dar à mulher o direito de escolher o que é mais importante para ela.

Em tempo: eu não sei se a pessoa que postou isso não tem nenhuma capacidade de interpretação de texto ou se está só tirando onda com a nossa cara. Acredito que seja a segunda opção. Mas não custa nada responder, né? Afinal, ainda tem gente que pensa mesmo que ser feminista não é compatível com ser "dona de casa", o que é uma pena.

Geise disse...

Lola!
Parabéns, mas uma vez um post impecável e super bem construído!

Kittsu disse...

Esse maluco ali é o mesmo tapado que sempre vem falar que mulher só se realiza sendo mãe, lugar de mulher é na cozinha e "do lar", mulher não presta pra nada além disso e etc.

Flavio Moreira disse...

Olá, sobre racismo, talvez vocês já tenham visto o exercício da professora Jane Elliot chamado "Blue Eyes/Brown Eyes". É uma experiência radical e perturbadora, pois ela separa um grupo de pessoas (ela começou fazendo isso com os alunos dela, mas também já fez essa experiência em outros lugares), em "olhos azuis" e "olhos castanhos". O grupo com olhos azuis é identificado com um colar de tecido colorido - isso é o início do exercício - e, a partir daí ela faz com as pessoas de olhos azuis o que normalmente é feito com pessoas negras. É perturbador porque ela não tem qualquer condescendência com a reação das pessoas de olhos azuis que se sentem ultrajadas e sem voz diante da "opressão" que ela impõe a eles (nem acho que deveria, pois a ideia é mostrar o quanto "os outros" sofrem com essa mesma opressão). Isso com alguns minutos de exercício.
As pessoas não se dão conta do quanto o preconceito está enraizado e de como elas são privilegiadas somente por causa de um traço biológico que afeta suas características físicas. Há vários videos dela no You Tube, mas esses dois aqui mostram a experiência em uma turma de estudantes e o outro mostra a mesma experiência com 30 pessoas que nunca se viram, na Inglaterra. As questões levantadas por ela (por exemplo, ela critica o discurso de que não devemos olhar para cor da pela da pessoa, mas para o que ela é porque esse discurso elimina aquilo que é parte fundamental da identidade do negro, que é a cor da sua pele, o que também é preconceituoso, porque significa que a pessoa é boa 'apesar' da cor).
https://www.youtube.com/watch?v=-pv8mCHbOrs
https://www.youtube.com/watch?v=Nqv9k3jbtYU
Abraços

Anônimo disse...

Lola me explique como nos EUA onde a liberdade de expressão é sagrada (ou foi) o dono do Time de basquete foi banido por falar o que pensa justamente no país em que todos tinham o direito de se expressar assegurado na constituição, inclusive com o direito de abrir partidos nazistas?

Anônimo disse...

Esse incidente (racismo no basquete americano) merece um post!

Que complicação dos diabos, caramba!

Fernando disse...

Bem....não consegui ler todos os comentários. De todos o conto das três peneiras foi sem dúvida o melhor.Uma vez assisti um debate no Jô Soares onde se discutia qual o limite para o comediante, uns falaram da liberdade de expressão, da democracia e do direito a ter sua opinião. Concordo, mas acredito que o limite para qualquer coisa, inclusive a comédia, é o bom senso. Não precisamos fazer piadas de homossexuais, negros, pobreza....isso não é engraçado. Engraçado somos nós, que aceitamos mansamente ser roubados pelos políticos que elegemos.

Anônimo disse...

Os mascuzões são campeões no humor involuntário. Tipo, qual é o lance deles com búfalos? Búfalo é um animal calmo, dócil, facilmente domesticável e bastante chifrudo. Não é maravilhoso que o símbolo anímico deles seja um ato falho?

Anônimo disse...

Para quem perguntou, o caso do dono do LA Clippers aconteceu pois houve quebra de contrato com a NBA, parece que não podia fazer comentários racistas por questões de PR e pá, e como o contrato foi quebrado ele se deu mal.

Anônimo disse...

Tá enrolada a coisa lá. O Donald Sterling não se manifestou de maneira racista publicamente. Como a ligação foi gravada e hackeada?