quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

MINHAS RESOLUÇÕES DE ANO NOVO

Ontem deve ter sido o dia mais vazio de todo 2014, e hoje, pelo que vejo, não está muito diferente. Vocês vão voltar, né? Espero que sim. É esquisito, porque sabe qual foi o recorde absoluto de visitas na história de quase seis anos do blog? Janeiro de 2013: 330 mil visitas, 490 mil visualizações de página. Com as 4,100 visitas de ontem, vai demorar dois janeiros pra chegar nesse patamar.
Vamulá, com ponto de exclamação pra animar! Resoluções pessoais pra este ano que começou chuvoso (e não estou reclamando) e com alarme de carro que disparou na minha rua e não quer calar (aí eu reclamo mesmo: devia ser proibido). Primeiro, preciso aproveitar mais a vida. Quero ter finais de semana e feriados. Muita gente tem, já ouvi falar, e dizem que é legal. Então também vou querer. 
Quero dormir mais, porque está difícil continuar operando com quatro ou cinco horas de sono por noite. Eu sinto que isso realmente prejudica minha qualidade de vida, me deixa mais lenta. 2013 foi muito melhor que os três anos anteriores nesse quesito de dormir. É que, quando cheguei na UFC, me deram turmas de manhã e à tarde. E tem turma de manhã que começa às 7:30 da manhã. É uma droga, porque os alunos não chegam no horário, e porque eu durmo tarde, e nisso de preparar aula, teve várias noites entre 2010 e 2012 que eu simplesmente não dormi.
Ano passado, em contrapartida, eu fui colocada no turno da tarde e da noite. Há vantagens e desvantagens pra cada turno, assim como em tudo na vida. Andar pelas ruas com luz do sol é uma grande vantagem. Enfim, o fato é que, pelo menos pro primeiro semestre de 2014, voltei pra manhã e pra tarde, e terei uma turma às 7:30 da madrugada, o que significada (tentar) acordar às 6:30, e não às 8, como fiz em 2013. Então, pelo menos nesses dias, terei que dormir cedo. Tipo uma da manhã. E nada de varar a noite. 
Cuidar da saúde. Esta é minha principal resolução de ano novo. Porque em 2013 não fiz absolutamente nada nesse sentido -- não fui ao médico nem uma única vez. Fui ao dentista, porque estava com dor de dente, mas tenho que colocar dois implantes, e fui adiando, adiando, basicamente porque pra fazer um mísero implante eles pedem um monte de exames, e eu sem tempo pra fazer. Mas concordo com o que o dentista me disse na última consulta, já faz um tempão: o que eu fizer agora vai determinar como será minha velhice. 
É chato porque agora, com 46 anos, eu noto que não posso mais me safar impunemente de todas as irresponsabilidades cometidas durante todos esses anos. Ok, falando assim até parece que eu sou uma viciada em álcool ou drogas. Mas eu sou uma viciada -- em chocolate. É um vício sério. Fiz vários exames de rotina em 2012 e, embora os indicadores de saúde estejam bem (inclusive colesterol), fui diagnosticada com esteatose, ou seja, gordura no fígado. 
Pra combater isso, não tem jeito: preciso me alimentar melhor, preciso emagrecer, e preciso parar de ser sedentária. Eu quero fazer tudo isso, sem neura, sem pisar na balança, sem contar calorias, sem remédios, sem nutricionista (minha última consulta, ainda em 2012, foi um desastre: a mulher, sem dar a mínima pro que eu gosto ou não gosto, simplesmente quis me proibir de comer tudo, até iogurte!). 
Eu não como demais. Bebo apenas água (muita água -- acho que ultimamente consegui reduzir pra apenas quatro litros por dia; já foram oito), sou do tipo que leva garrafinha pra todo canto. Nem chego perto de refrigerante. Álcool, nem pensar. Minha alimentação não pode ser considerada saudável porque não sou fã de frutas, legumes ou verduras. Alface é um insulto. É como comer papel verde. Eu adoro queijo e, pra mim, queijo que não derrete, tipo ricota ou frescal, nem deveria merecer ser chamado de queijo. 
Mas o maior problema, sem dúvida, é chocolate. Eu sinto falta de chocolate se fico um dia sem. E não consigo controlar. Se tem um chocolate perto de mim, eu preciso acabar com ele de uma só vez. Não vejo saída: se não tenho controle, o jeito é cortar o chocolate da minha vida. Viver sem chocolate é uma perspectiva horrível, mas que estou começando a contemplar. Já consegui ficar seis ou oito meses sem chocolate, depois de uma crise em 2006 (uma série de fatores: fígado pedindo clemência, chocolate bichado, quebrar dente comendo uma barra), e sobrevivi. 
Creio que, parando de comer chocolate, emagrecerei um pouco. Mas, quando se tem esteatose, exercícios físicos tornam-se ainda mais importantes. Eu ando bastante, subo e desço escada, dou aula em pé, na maioria das vezes. Só que só isso não me faz menos sedentária. Passo a maior parte do dia sentada na frente de um computador. E isso, aliado à má alimentação, à menopausa (que deve estar começando), às poucas horas de sono (eu não tenho insônia, só não tenho tempo pra dormir), me fez engordar mais ainda nos últimos anos. 
Se eu fosse jovem e não tivesse esteatose (uma doença que pode levar à cirrose, e já me avisaram que depender de um transplante de fígado não é bonito), talvez eu não me preocupasse muito. Mas estou perdendo muito da minha mobilidade! Subir ou descer degraus altos (como os dos ônibus) é um sufoco. Não sei como os velhinhos fazem!
Bom, academia de ginástica eu não vou fazer, porque detesto esse ambiente que sempre me lembra um templo ao corpo (e dispenso cultos religiosos, obrigada). Mas, em 2012, eu comprei uma esteira, e até comecei a andar um pouco (correr pra quê?). Ouvi boa parte de um livro da Flannery O'Connor no Kindle enquanto fazia exercício. Isso durou alguns poucos meses no início de 2012, até que comecei a viajar muito, e parei. Em 2013 só não posso dizer que a esteira não foi usada aqui em casa porque a Isabel gosta de dormir em cima dela de vez em quando, e o Calvin passou a imitá-la. Uma super resolução minha é usar essa esteira e "ouvir" vários livros (eu me sinto muito inútil só fazendo exercício). 
E, pra aquecer, antes de andar na esteira, muito Radio Taiso! Foi um amigo descendente de japoneses, amigo do maridão, que me ensinou (eu nunca tinha ouvido falar). E se tem uma coisa que os japoneses fazem bem, é viver muito. Vá ao minuto 32 deste ótimo documentário (apesar do título) e surpreenda-se. A média de idade dessas mulheres é... 67! E eu adoraria viver até os 90 como as japonesas, mas por enquanto me contento em chegar a 75 (claro que quando eu tiver 74, a história será diferente).
Resumindo, esta é a principal resolução de ano novo: tirar tempo dessa rotina maluca pra cuidar da saúde. 
Fora isso, pretendo publicar um livro sobre aceitação do corpo. E não há contradição em precisar emagrecer e gostar do seu corpo. Repito o que escrevi num post de três anos atrás:  
"Nos EUA existe um movimento chamado HAES, sigla para Health At Every Size (Saúde em qualquer tamanho). Ele prega que qualquer pessoa, gorda ou magra, pode ser saudável. E que, se a preocupação de todo mundo com o nosso corpo é mesmo bem intencionada (e é baseada na saúde, não num padrão de beleza inatingível), mais vale que sejamos gordas saudáveis. Dá pra se alimentar de um jeito saudável sendo gorda. Dá pra fazer exercícios sendo gorda. Dá pra ter colesterol baixo sendo gorda. Dá pra se sentir bonita sendo gorda. Dá pra ser amada sendo gorda. Dá pra ser feliz sendo gorda. E então, qual corpo uma pessoa vai tratar melhor? Um que ela ama ou um que ela odeia? Com que estilo de vida ela terá mais propensão a emagrecer? 
Fazendo ginástica, comendo comida saudável, ou não querendo sair pra não se expor, vivendo em depressão, se empaturrando de comida por causa dessa depressão? Sério, não é uma pergunta difícil."
Também pretendo publicar artigos acadêmicos, continuar com o bloguinho, descansar mais. E viver no mínimo até 2042. 

62 comentários:

Leila disse...

Lola, querida, desejo que você consiga por em prática todas as suas resoluções.
Olha, eu sou uma grande chocólatra também. Não tenho problemas com a balança, mas com a saúde. Então, o que tenho feito, já que não consigo sequer vislumbrar uma vida sem chocolate, é, não apenas diminuir a ingestão, como passar para o chocolate amargo. Pouco a pouco fui aumentando o percentual de cacau. E isso forçosamente te faz comer menos, pois o chocolate com grande teor de cacau fica um tanto enjoativo. Outra coisa, é não ter grande quantidade em casa.
Te desejo boa sorte em todos os teus projetos. Muita saúde e paz para vc e sua família. (E continue sempre com seu blog, ele é fundamental! :) )

Dora disse...

Ótimas resoluções, também pretendo cuidar mais do meu corpo este ano!

Acho que a perseguição a um padrão de beleza que cultua excessivamente o corpo, por vezes, em detrimento do cultivo à alma uma condição tristemente moderna.

Porém, pensando bem, esta separação CORPO/ALMA, frequentemente é realizada por nós mesmas, pessoas que criticamos o culto à beleza externa e padrões estabelecidos.. Pois operamos na mesma lógica empobrecedora de separação corpo e alma, não os vendo como uma totalidade. (Ex: sou contra padrões de beleza e valorizo mesmo é estudar, por isso, não tô nem aí pro meu corpo, vou me entupir de veneno e comida ruim. )Não sei, é uma critica a mim mesmo, vc concorda Lola? Vejo que muitas de nós, que criticamos tal padrão e tentamos cultivar a alma, às vezes esquecemos que nosso corpo também é parte a ser cultivada. Por isso, independente do formato (gordo-magro), saúde, sono, vigor físico é algo desejável. Eu particularmente quero estar bem fisicamente tanto quanto mentalmente, eu sou esta totalidade. Meu corpo físico em boas condições é muito importante para que eu consiga ler, estudar e melhorar como pessoa.

Bom 2014 para todos nós!
* Lola, com todo respeito, esta imagem de academia não representa todas as academias. Tem muitas academias que tem pessoas das mais variadas intenções. Querendo melhorar saúde, viver mais e melhor, gente que só quer se sentir bem. Eu também tinha este preconceito, mas comecei a frequentar academia e vi que este universo opressor é apenas um lado deste ambiente.

Sara disse...

Lolinha tamu junto nessa de perder peso, mas meu caso não é muito de saúde não, é q apesar de "veia" eu não perco o prumo, e no q depender de mim quero fazer inveja até na Gisele Bunchen kkkkk.
Eu não tenho muito escrúpulo pra atingir meus objetivos não, e vou lançar mão de tudo, desde procedimentos estéticos até macumba se for preciso kkkk.
Mas fora as brincadeiras Lolinha não sei se vale alguma coisa, mas te desejo um ano ótimo, com todas suas metas alcançadas, muita saúde, alegrias e mais algumas realizações de lambuja.

Anônimo disse...

Concordo muito com o que a Dora falou e por muito tempo fiz essa separação CORPO/ALMA. Nutria a alma e esquecia do corpo, era sedentária e comia o que me dava vontade, sem me preocupar com saúde.

Após engordar 15 kg, desenvolver hipertensão e esteatose eu vi que estava descuidando de uma parte essencial, e que essa atitude poderia reduzir muito minha expectativa de vida. Comecei a malhar por obrigação e a incluir frutas e legumes na alimentação aos poucos, quase como um remédio.

Mas como era algo para a vida toda não queria viver com a sensação de sacrifício. Comecei a testar diferentes atividades e buscar algo que realmente me desse prazer, encontrei o krav magá, que pratico há vários anos e nem percebo que estou me exercitando. Também faço pilates que adoro. São atividades que fogem completamente ao esquema de "culto ao corpo".

Em relação à alimentação me ajudou muito buscar um nutrólogo, sem dietas prontas, tudo adaptado ao meu estilo de vida. Uma das coisas que ele me falou é que o excesso de sal e açúcar adormece nosso paladar e nos faz não sentir o sabor de frutas e legumes, e que é preciso um período de adaptação para nos acostumarmos com uma alimentação mais saudáve. Confesso que achei que era bobagem e que iria viver à base de salada e peito de frango, nada disso. Hoje me alimento com muito mais prazer, perdi os kgs que precisava, a pressão normalizou e a esteatose se foi.

Claro que cada um encontra seu caminho dentro de suas possibilidades, mas vejo tudo isso como um investimento para meu bem estar hoje e na velhice.

Ilka

Anônimo disse...

Lola, em vez de falar da sua vida, volte a abordar temas ligados aso feminismo. Quem sabe assim o povo volta.

Thays Mossi disse...

Lola, sou doutoranda em sociologia, e só de te ouvir falar (pelo segundo post seguido) em ter que publicar mais, aih… me dói!
Sabe, esse produtivismo que nos mata, essas avaliações da Capes que valorizam muito mais 4 artigos publicados do que as tuas 50 palestras é um sistema injusto. Não vejo porque entrar nele.
Não é como se tu não estivesse produzindo, só estás produzindo de outra forma, só imagino o quanto tu pesquisas e te preparas pra cada uma dessas falas. Mas parece que se não publicar não conta. E devia contar sim.
Relaxa em relação às publicações e te liberta dessa outra forma de opressão!

Raisa disse...

Queria sugerir mais uma mudança de atitude para 2014. Essa sugestão vai pra Lola, para mim e para os demais leitores feministas, homens e mulheres que acessam e comentam no blog: sejamos mais pacientes uns com os outros nos debates. Excluindo os trolls, no final de 2014 eu fiquei incomodada vendo feministas batendo boca c feministas aqui, uma leitora me chamou de irracional pq eu fiz um questionamento sobre uma afirmação dela e houve varios outros xingamentos desnecessários entre outros leitores.
Não percamos o direcionamento, vamos fazer com q o blog continue sendo um espaço de discussão saudável.
Se alguém te fez um questionamento que te desagradou, n significa que a pessoa queria te ridicularizar, as vezes tudo passou de um maal entendido. Responda-a da melhor maneira possivel.
Poxa, eu ja leio tanta ofensa de pessoas machistas contra as feministas, se nós feministas começarmos a nos xingar, quem é q vai nos apoiar?
E eu tb fui grossa com determinados comentário aqui, tb n tiro o meu da reta, mas já tenho me controlado muito, procuro inclusive elogiar algum comentário de alguém, algo que eu quase nunca vejo aqui. Enfim, fica a minha sugestão: vamos nos elogiar mais, nos desculpar mais, nos apoiar mais. =)

paula disse...

Lola, cuidar do corpo é tão importante quanto cuidar da mente!

Essa nutricionista que vc foi que foi infeliz. Minha família gosta muito de boa alimentação, já fomos em várias profissionais, há alguns muito bons. Também tenho um vício sério em doces, e uma nutricionista chegou a deixar eu comer uma barra pequena por dia de chocolate (de preferência amargo, mas essa regra não seguia) e ainda uma sobremesa por semana, tipo petit gateau. Deu super certo pra mim. A pessoa certa também pode te ajudar a introduzir alimentos saudáveis que vc goste na sua rotina.

Também acho que vc está com preconceito com a academia.

Eu tenho uma rotina puxada de estudos, não imagino como viveria sem me exercitar. Melhora tudo, o sono, o humor, etc.

Te desejo tudo de melhor nesse ano, Lola!

paula disse...

E gostei muito do comentário da Raísa! Apoio totalmente!

sabrina disse...

lola eu ri do que vc disse,é melhor rir do que chorar,tb estou muito acima do peso e só de subir a ladeira da rua onde moro quase tenho um infarto ,minhas pernas parecem de chumbo,disposição zero para fazer qualquer coisa .
ao contrário de vc fico depressiva com isso,realmente preciso emagrecer n é pela saúde q está boa segundo os últimos exames de sangue, é para ter alguma disposição,conseguir caminhar 5 minutos sem por os bofes para fora e morrer de falta de ar.

outro problema que eu n sei se tem a ver mesmo com gordura mas eu acho q gordo sua muito mais,eu detesto verão e to sendo torturada aqui no rj e fico pingando de suor.
enquanto isso meu irmão magro torra no sol sem quase uma gota de suor.

também amo chocolate mas n acho que sou viciada pq n como todo dia,mas qualquer doce,bolo ,sorvete tem quer ser de chocolate.
sobre os médicos é assim mesmo,mal olham na sua cara e te dão um dieta ridícula para seguir.

achei um blog de uma mulher que emagreceu muito sozinha,ela anotava tudo que comia,reduziu a quantidade mas continuava comendo o que gostava,acho que assim funciona,vou tentar fazer.
boa sorte para todas nós!

Anônimo disse...

Concordo com a Raísa e vamos para também de dizer toda hora que fulano é troll,notei que algumas vezes foi só pq a pessoa n concordou com a opinião alheia.
Assim fica chato demais debater.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Sou louca por pão, uma vez cismei em fazer uma dieta que cortava carboidratos e apesar de sentir menos fome, virei a rainha do mau humor.
Tenho a impressão que o que mais dificulta uma pessoa de fazer dieta ou reeducação alimentar é exatamente cortar as coisas que gosta do cardápio. Os dias vão virando um martírio, a pessoa vai ficando de mau humor, tão obcecada em não comer aquilo que acaba passando grande parte do tempo pensando exatamente em comida. Aí no dia que se cansa, chuta o balde, come tudo o que não comeu antes e adeus dieta.
Sei lá. Será que só um chocolatezinho por dia faz mal? rsrs.
Abçs Lola e que todos os seus objetivos se concretizem.

Mariana disse...

Oi Lola,
Gostaria de fazer um comentário "off topic": É sobre um absurdo que ocorreu no Reveillon do Rio de Janeiro. Um homem teve uma crise de ciúmes da esposa e começou a enforcá-la na rua. Os policiais foram intervir, ele tomou a arma de um deles e saiu atirando no meio da multidão. Houve um tiroteio e 12 pessoas se feriram. E não é que a mulher dele o perdoou, olha que absurdo: http://extra.globo.com/casos-de-policia/mulher-do-atirador-da-festa-de-reveillon-de-copacabana-diz-que-perdoa-marido-11196578.html. Parabéns pelo seu blog, eu sempre leio e nunca comentei antes, mas fiquei pasma com essa história.

Caroles disse...

Lola! Também pretendo cuidar mais da saúde em 2014, até porque planejo viajar em 2015 e tenho que estar ~nos trinques~ pra morar fora de novo haha Também odeio academia, mas faço pilates, que faz muito bem, viu! É o exercício que mais amo, e agora vou me mudar para um bairro mais arborizado e planejo caminhar/voltar a correr... Ai ai, planos, planos. Que 2014 seja bom para todos nós ;)

Maura Moreira disse...

tenho tanta vontade de te conhecer!

Kittsu disse...

beba menos água. água em excesso faz mal, leva o potássio embora e pode causar até edema cerebral e sobrecarga renal, se mantiver o hábito por um prazo maior.

Lord Anderson disse...

Feliz 2014 Lola

Ando muito ausente por causa da correria da vida diaria, mas sempre que ´posso leio o blog, mas geralmente ja se passaram dias do assunto e nem tem mais oq dizer rs.

Eu decidi criar poucas e realistas resoluções para esse ano.

Estou cursando faculdade e quero me empenhar nela, cuidar da saude, ser mais politizado e mais ativo nesse sentido.

Mas tb mas tb quero ter um ano mais "leve", tentar não ficar paranoico com as pressões familiares, não me matar no trabalho, aproveitar que estou vivo no momento rs e não só esperar pelo futuro.

Quero aproveitar melhor os relacionamentos que tenho, não deixar as amizades se desgastarem, não ter aquela sensação de apenas ver a vida passando.

Se vai dar certo eu te conto em dezembro, rs, mas apesar de um monte de problemas, quero ver a vida com otimismo.

Beijos e felicidades num otimo ano para vc e todas as pessoas maravilhosas que acompanham o seu blog.

Sara Marinho disse...

Eu tinha escrito um texto enooorme Lolinha, de retrospectiva 2013/resoluções de ano novo, mas achei tão pessoal para postar num blog, então ficam só meus votos de ótimo ano novo para você, desejo que seus objetivos se concretizem.

Além, 2013 foi um ano em que se evidenciou dolorosamente que preciso me organizar, e o plano para 2014 é esse, organização e foco.

Sabrina disse...

Lola, quero te desejar um super 2014, com muita paz, amigos, amor, sucesso e força para continuar com seu trabalho de tirar tantas pessoas do fundo da caverna (eu fui uma delas) do machismo!!

Ah, Lola, vc falou que comprou uma esteira, mas, vc não mora em Fortaleza? Não rola caminhar na praia?? Acho que a única coisa que me faria andar seria o mar...

Vida longa e sucesso, Lola! Beijos mil!!

Anônimo disse...

Estateose... já dá pra fazer um Dolores-gras.

Bruna disse...

Ei lola, beleza?
Sou médica, até escrevi um guestpost em 2011, acho que vc tá mais que certa em querer se cuidar! Aliás, todo mundo!

Sobre ser gorda e feliz e saudável, acho bacana. Tenho 25 anos, nunca tive problemas con peso, e vivi até os 20 fugindo de exercício. Era a última a ser escolhida nos times na hora da educação física. Até que fui descobrir que meu colesterol era horrível! Comecei a cuidar mais da dieta (na época, eu já estava vegetariana, então era minha tendência mesmo!) e a fazer atividade. Comecei a correr. No início tem que ter força de vontade pra não perder a disciplina, mas depois que acostuma, vicia e é ótimo! Humor bom, bem estar, sono melhor, menos ansiedade. .. eu recomendo! Também não sou fã de academia, mas faço musculação pra evitar lesões, por causa do impacto da corrida. Mas o mais importante é vc descobrir alguma coisa que gosta.
Por que estou falando tudo isso? Ah, pra incentivar e tbm porque se alguém no "peso peso ideal" pode ter colesterol ruim, alguém com sobrepeso pode ter saúde boa sim. Só obesidade que eu acho mais difícil, pq aí a hipertensão e o diabetes pegam mesmo e problemas articulares também.
No mais saúde e paz, força para atingir seus ideais!

Cyberia disse...

Oi Lola, muita força pra vc pra conseguir colocar em prática suas resoluções! Olha eu tambem não curto muito academia, mais pela perda de tempo de me arrumar + ir + voltar. É bem uma meia hora, no minimo, perdida. Prefiro malhar em casa. Como eu já fiz academia e conhecia os movimentos, eu uso uma bola suiça (essa bola grande que tem numa das fotos), caneleiras, pesinhos... Também tenho um "mini-stepper", mas é a única máquina que tenho. Já dá pra fazer UM MOOOONTE de exercícios assim :)

Eli disse...

Eu nem cheguei a pensar em resoluções, mas no fim essa parte da saúde acabou surgindo tbm. Minha alimentação é ruim e por isso esse mês já marquei check up pra ver se eu n tenho algum problema ou se eu preciso de algum complemento de vitamina. Vou começar a caminhar/correr, tem um parque bem bonito aqui perto de casa.

Mostrei o radio taiso pra minha mãe e ela gostou bastante, disse q quer fazer todo dia, obrigada pela dica Lola.

Anônimo disse...

Nossa, Lola, fiquei preocupada, por que você não tem tempo, de jeito nenhum, pra dormir [!] e descansar? É uma exigência da carreira acadêmica que você escolheu ou é porque você é muito agitada e pega muita coisa para fazer? caracas...

MonaLisa disse...

Lolinha querida, feliz ano novo pra vc.

Minha mãe é bem no seu estilo adora docinhos, não curte academia, esportes, andar fazia doer o joelho dela. Mas a saúde dela tava piorando e o médico praticamente "obrigou" ela a fazer alguma coisa e ela resolveu fazer hidroginástica, na piscina quentinha, ela ta adorando, vai duas vezes por semana e só com mulheres da idade dela. O que acha???

E é preconceito seu com academia, na que eu vou, que faz parte de um clube, 80% do pessoal que vai é por ordem do médico, tem senhor, senhora e ninguém trata diferente ou tem preconceito, acho que tu só olhou academia onde tem marombadinho metido.

Eu tbm odiava malhar, mas nessa academia que vou que não tem essa "panelinha" eu passei a amar, mas eu me recuso a aumentar meu manequim, tenho tanta roupa legal e to me "matando" sem dieta pra voltar no meu manequim.

E essas dietas de cortar tudo não funcionam mesmo, tava lendo em um livro sobre a história da alimentação que o correto é acostumar o seu corpo a comer menos e não cortar. Eu sou o oposto de vc, amo refri, massas, carboidratos, queijo, cerveja, não como carne, nem frango, nem peixe e o que me fez emagrecer muito rápido sem cortar nada foi pedalar. Pedalo 4 vezes por semana 16 km reto, com algumas subidas, bem poucas na verdade e perdi 10 kg em 3 meses. Mas ainda tenho chão.

Bjusss ^^

disse...

Oi Lolinha, oi galera!
Em novembro de 2013 fiz uma resolução de quase fim de ano (isso existe? Não quis esperar 2014): comer com decência pra priorizar minha saúde em vez da manutenção do meu peso. Passei a vida brigando com a balança e há 2 anos emagreci + de 20kg com um corte radical de carboidratos, e desde lá vinha mantendo o peso às custas de porções ridículas de comida normal, pra poder comer todo o doce que a manutenção daquele peso permitia. Eu não tenho 30 anos ainda, mas apesar da falsa tranquilidade que o peso estável me dava, comecei a me sentir uma autossabotadora cada vez mais, e a pensar meio obsessivamente que a gente constrói a nossa saúde futura... no meio tempo aumentei uns quilos que não tava conseguindo perder, e a todas essas sem a menor capacidade de largar o vício do doce, e mais particularmente chocolate.
Comecei a ir numa nutri que só fazia me pesar, medir, e me dizer que comer menos doce era questão de força de vontade, que comer não é pra ser prazeroso, é pra nutrir o corpo. Por mais que me esforçasse, não tava conseguindo corrigir minha alimentação e acabei tão frustrada que resolvi fazer a dieta maluca do corte de carboidrato de novo pra perder de uma vez aqueles quilos. Passe 2 semanas na dieta fantasiando com doce, perdi os quilos que eu queria e comi doce igual louca quando saí da dieta. Em duas semanas recuperei todo o peso perdido, totalmente descontrolada com o doce. Mais um episódio da história de sempre na minha vida. Abandonei a nutri. Disse pra ela que é visto que minha cabeça é doente, não preciso de alguém que me controle e que fique focando no meu peso. Fui lá tentando ficar mais saudável, não pra ficar maluca na expectativa de subir na balança na semana seguinte... e ficar saudável inclui saúde mental, pq só quem sofre com a dificuldade de largar um vício sabe o tormento que é tentar, tentar e falhar, infinitamente.
Sigo na briga, mas depois de toda a vida brigando com a balança sei que a luta é diária... às vezes mais fácil, às vezes menos. O que mais me ajudou até agora foi o CCA - Comedores Compulsivos Anônimos, um grupo de mútua ajuda nos moldes do AA. Tem info no site ccaonline.com.br, onde tem reuniões online além das presenciais. Os livros tb são muito bons... é bom se sentir em companhia de outras pessoas com a mesma dificuldade. E buscar uma solução que trate da minha mente e espírito além do meu físico me parece o mais honesto, já que como a Dora disse lá em cima tb sou craque na separação corpo/alma pra justificar cuidar da alma em vez do corpo!

disse...

COmpartilho as perguntas que são um dos instrumentos do CCA para determinar se existe um problema alimentar:
- Eu como quando não estou com fome ou deixo de nutrir meu corpo quando tenho fome?
- Faço farras alimentares sem razão aparente, às vezes até me sentir estufado ou passar mal?
- Tenho sentimentos de culpa, vergonha ou constrangimento em relação à maneira que como?
- Como sensatamente na frente de outras pessoas e desconto depois quando estou sozinho?
- Minha maneira de comer esta afetando minha saúde ou minha maneira de viver?
- Quando minhas emoções estão intensas - sejam positivas ou negativas - eu me vejo procurando por comida?
- Meus comportamentos alimentares fazem a mim a outros infelizes?
- Uso ou já usei laxantes, vômitos, diuréticos, excesso de exercícios físicos, pílulas de dieta, injeções ou outras intervenções médicas (incluindo cirurgias) para tentar controlar meu peso?
- Faço jejum ou restrinjo severamente minha ingestão de comida para controlar meu peso?
- Fantasio sobre como a vida seria muito melhor se meu peso ou tamanho fossem diferentes?
- Preciso mascar ou ter algo em minha boca tempo todo, como comida, chicletes, balas, doces ou bebidas?
- Já cheguei a comer comida queimada, congelada ou estragada; direto das prateleiras de lojas; ou retiradas da lixeira?
- Existem certas comidas que não consigo parar de comer após ter comido o primeiro pedaço?
- Cheguei a perder peso em uma dieta ou “período de controle”, tendo em seguida ataques de descontrole com a comida e/ou ganho de peso?
- Passo muito tempo pensando em comida, debatendo comigo mesmo sobre quando ou o que comer, planejando a próxima cura através de dieta ou exercícios fisicos, ou contando calorias?

Você respondeu “sim” a várias destas perguntas? Caso tenha respondido, é possível que você tenha ou esteja a caminho de ter um problema de comer compulsivo ou de comer além das suas necessidades.
Descobrimos que uma das formas de interromper esta doença progressiva é praticando o programa de recuperação de Doze Passos de Comedores Compulsivos Anônimos. CCA é uma Irmandade de pessoas que, compartilhando experiências, forças e esperanças, estão se recuperando do comer compulsivo. Damos as boas vindas a todos que desejam parar de
comer compulsivamente. Não há taxas ou mensalidades para membros; somos auto-sustentáveis através de nossas
próprias contribuições, não solicitando nem aceitando doações de fora. CCA não está afiliado a nenhuma organização
pública ou privada, movimento político, doutrina ideológica ou religiosa; não nos posicionamos em assuntos externos.
Nosso propósito primordial é nos abster de comer compulsivamente e levar a mensagem aos que ainda sofrem.

Anônimo disse...

Oi, Lola!

Desejo a você um ótimo 2014! Aproveito também para agradecer por este blog, que é para mim um instrumento indispensável de reflexão.

Como também sofro de problemas com o fígado (e como você, só bebo água), estive acima do meu peso saudável, não gosto de academia e amo chocolate e queijo, gostaria de falar aqui sobre o que me ajudou.

Consegui vencer o sedentarismo fazendo exercícios que me dão um mínimo de alegria: natação e caminhada. Me exercito três vezes por semana - esquema non-negotiable, com horário marcado. Aprendi a preparar saladas que me apetecem. Eu capricho nos cubinhos de queijo, no tomate seco, nas sementes torradas mais variadas (como as de abóbora), no dressing (de iogurte, por exemplo). Fica ótimo! E a parte mais dura: diminuí drasticamente o chocolate depois de ver dois documentários de nome "O Lado Negro do Chocolate" (pelo menos o primeiro está no YouTube; o segundo, feito anos depois, só confirma que nada foi feito para mudar a situação descrita no primeiro). Infelizmente, nem comer chocolate "fair trade" adianta muito: por trás de cada barra comercializada, o que se esconde é exploração, escravidão, trabalho infantil (crianças que deixam de ir à escola; algumas delas, mutiladas) e afins. Consciente disso, o meu consumo atual é de uma barra por mês (antes, comia uma ou duas por dia).

Resumindo: you can do it! ;-)

Abraço de uma leitora que admira muito você,
L.

MCarolina disse...

Eu estava lendo o blog esses dias mas não comentei, agora resolvi comentar. Acho suas resoluções boas e importantes. A gente vai deixando pra lá, deixando pra depois...e tenho umas resoluções parecidas. Pretendo dar mais atenção à minha saúde mas ao mesmo tempo não entrar na loucura do regime. Calhou de esse ano várias conhecidas minhas fazerem regimes estranhos com remédios para emagrecer, e eu percebi que não quero cair nesse ciclo vicioso nunca mais. Minha sugestão para você é que experimente outros doces para substituir o chocolate nos momentos docíferos. Sei que você não gosta de frutas mas doces de frutas e geleias são muito bons. Mesmo que seja para descobrir que odeia mesmo, dê uma experimentada.Faça picolés das frutas sem açúcar, é ótimo para o calor. Ah, já me animei para ler o livro sobre aceitação do corpo.

Marcia Baratto disse...

Oi Lola, feliz ano novo!

Olha, como a moça da renite, colesterol alto, diabetes e hipertensão que eu sou aos 31, lhe digo: cuide da saúde.

Eu precisei ir a três nutricionistas para achar um profissional decente, que não apenas quisesse reduzir meu peso, mas me garantir saúde.

Comigo funciona muito bem a tal dieta dos pontos, diminuo quantidades, equilibro os grupos alimentares (nenhuma refeição minha deixa de ter representantes dos quatro grupos alimentares, nunca abandonei o queijo, por exemplo).

Outra coisa que me fez muito bem foi apelar para a homeopatia. Chás tradicionais me ajudam muito com os níveis de açúcar e gordura no sangue.

E uma médica me deu um fitoterápico bacana para controlar a vontade do chocolate. Você asperge uma solução doce a base de mel e ervas embaixo da língua e voilá: vai-se a vontade do chocolate.

Pesquise, talvez seja legal procurar um profissional sim para lhe ajudar com a nova rotina.

Por que comer lola, também é parte da cultura e nosso hábitos alimentares estão diretamente relacionados com a nossa própria identidade. Não é fácil mudá-los. Implica em mudar a si mesmo.

Anônimo disse...

Olá Lola, feliz 2014.

tem um livro que pode te ajudar muito assim como me ajudou "Mexa-se pouco, emagreça muito" de James A. Levine.

O autor é phD em endocrinologia e descobriu uma coisa: exercício pesado e dietas não contribuem para a saúde de ninguém. Ele propõe um método fácil e natural que conduz a um emagrecimento gradativo e definitivo. Ele tampouco aconselha a ficar subindo na balança. Recomendo o livro com veemência.

Anônimo disse...

Por favor leia meu comentário com atenção, pode mudar sua vida.

Desculpe, mas PROVAVELMENTE você está "comprando" mitos completamente infundados cientificamente sobre a saúde Lola. Por exemplo, que é bom fazer exercício aeróbico. Ou que você tem que comer menos gordura.

Sobre exercícios: basicamente o corpo humano não foi feito para ficar correndo em velocidade constante por uma hora. Fomos feitos para correr em pequenas explosões, tipo 100 metros rasos (imagine uma caçada), ou para fazer força, que aí entraria musculação. EU também não gosto de academia, então faço bodyweight, exercícios com o peso do corpo. CLaro que você, sendo sedentária a anos e gorda provavelmente não conseguirá fazer flexões, por exemplo, mas existem variações, como "wall push-ups" que até minha avó de 80 anos conseguiria fazer rsrs, de uma olhada na internet por "convict conditioning" ou "pushing the limits - al kavadlo", são livros que ensinam diversos exercícios bodyweight. Sò precisa ter disciplina e fazê-los, que diga-se de passagem é muito mais fácil do que correr na esteira, que é um SACO. EU faço minhas rotinas bodyweight em 15-20 min, 4 x semana geralmente.


Alimentação:

Essa história de que tem que comer pouco, de que tem que contar calorias (mimimi vc tem que comer menos calorias do que gasta), por mais lógico que pareça, é uma grande MENTIRA. Não tem QUALQUER fundamento científico.

Os estudos já comprovam que na verdade o que faz mal é carboidratos (em especial os simples, como o açucar do seus chocolates, desculpe).

Sugiro FORTEMENTE que você entre no blog do Dr. José Carlos Souto. Na coluna da direita tem um menu entitulado "A base teórica". Lá ele explica, cientificamente e "for dummies", mostrando estudos e tudo mais, porque você tem que comer o quanto quiser de vegetais (que nao sejam carboidratos como grãos por exemplo) proteinas e GORDURAS, porque nosso corpo foi FEITO para essa alientação e como o carboidrato FODE seu corpo e te faz engordar e ter problemas de colesterol, circulação, obesidade e tantos outros causados pela sindrome metabólica causada pela ingestão de carboidratos.

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/

Espero pelo bem da sua saúde que você realmente leia o blog do Dr. Souto, pois emagrecer é secundário, o principal é que você vai ganhar muita saúde e disposição, e de quebra para quem tem uma alimentação com forte presença de lixos industrializados ainda vai ganhar, depois de se adaptar à dieta, uma disposição e energia nunca antes vista.

essas dietas de comer gordura realmente me apreciam absurdas, mas quando você lê os textos dele, lê os depoimentos e testa na sua vida, fica claro como passar fome e contar calorias é coisa de idiota e ser saudável é muito simples, é só comer o que seu corpo evoluiu para comer

Anônimo disse...

Laurinha (Mulher modernex) disse..

Você ficou de mal humor porque pão VICIA.

Sim, assim como eu ficava de mau humor quando tentava parar de fumar. Na verdade pode ser até pior.

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/10/carboidratos-viciam-iii.html

Anônimo disse...

MonaLisa disse...

COmer de tudo um pouco é um mito querida, desculpe. Seu corpo não foi feito para enfiar gliose para dentro adoidado se entupindo de doces, massas, amidos em geral, pães.

Isso eleva sua glicose, o que eleva sua insulina, hormônio que inibe a transformação de gordura em corpos cetônicos (que fornecem energia como a glicose no sangue), e ainda estimula a acumulação de gordura.

Seu corpo foi feito para usar como energia a gordura. É só ver a dieta (rica em gordura animal) dos povos que ainda vivem "tribalmente". E é fácil verificar também que eles são muito saudáveis, e que isso não é uma questão genética pois integrantes dessas tribos que se "ocidentalizem" e passem a comer nossas dietas passam a sofrer dos problemas como obesidade, hipertensão, estoatose e diabetes.


Você fazendo seu corpo usar glicose por longos periodos de tempo (comendo carboidratos toda hora) faz com que ele pare de produzir as enzimas que transformam gordura em corpos cetonicos. E aí você passa a se sentir fraca quando está com baixa glicose no sangue e com fome toda hora (pois carbos também inibem a produção do hormonio responsável pela saciedade, e ainda por cima viciam) e consequentemente come mais carbos toda hora. É um ciclo vicioso.

Leia o blog do Dr. Souto e se liberte dos mitos propagados pela pseudo ciência.

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Fê, leia meus comentários anteriores. Nutricionistas falam merda para caralho, foram ensinados mitos na faculdade e nunca questionaram isso.

Graciema disse...

Que você consiga Lola! Feliz 2014 de novo!

Uma das minhas resoluções é que nem a sua...dormir o suficiente. E eu preciso dormir umas oito horas por dia para ser funcional...caso contrário me arrasto pela vida afora, e cansei disso.

Bjs

Anônimo disse...

Marcia Baratto disse...

Desculpe mas essa história de comer pouco é mito.

É como dizer que um pouco de crack não vai te fazer mal. Simplesmente não faz sentido.

"Ah mas não seja ridiculo, comparando crack e pão"

Carboidratos viciam, mais que cocaína, dizem alguns estudos, veja meus comentários anteriores que tem um link falando disso.

E carboidratos são coisas ARTIFICIAIS. Pensamos nele como parte de uma dieta saudável mas eles NÃO SÃO.

Eles era quase que inexistentes no paleolítico, que é a dieta que evoluímos para comer.

E sem carboidratos para desregular nosso apetite e nos viciar, o APETITE controla o quanto você precisa comer, não precisa ficar contando pontos nem comendo migalhas.

Eu mesmo, era gordinho (1,80, 100kg), hoje peso 75kg sem gordura nenhuma, e não como de 3 em 3 horas, nunca pesei minha comida, vi quantas calorias ou contei pontos, simplesmente como o quanto quiser de comidas que meu corpo foi feito para ingerir, ou seja, grosseiramente carnes e folhas. To com fome, frito 3 ou 4 bifes na manteiga e como com uma salada de alface, repolho, etc.

Ou seja, um prato absurdamente gorduroso. E eu como o quanto quero. E quantas vezes quero. E não meço nada. E não passo fome. E tenho MUITO mais energia do que jamais tive. E sou magro o suficiente para aparecerem não só os gomos do meu abdômem mas também veias nele. E minha saúde está mais do que perfeita. Tudo isso porque eu parei de viver de forma artificial e passei a viver como meu corpo foi feito para viver, fazendo força e comendo o quanto eu quiser daquilo que eu fui feito para comer, carne, gordura, e algumas folhas.

Maria Valéria disse...

Lola,

Você nao precisa mudar nada em seu blog.Quem precisa mudar são os comentaristas que usam tom agressivo.
Através do seu blog,aprendi sobre coisas que nao conhecia : violência obstétrica, parto domiciliar, cotas( abri minha cabeça ) - continue assim !!

Quanto ao chocolate,uma dica e substituir o doce por frutas assadas com canela( eu faço maçã e pêra assada,e adoro !) - ou entao,comer chocolate meio amargo,30 gramas por dia nao irão fazer mal.

Beijos de outra chocolatra -:)

Fabiana Matos disse...

Ola Lola!!!!

Tinha essa visão da academia parecida com a sua...até que entrei em uma...
Adivinha não falto um dia, a menos claro que seja necessário...tudo é uma questão de ambiente, não gosto daquelas com pessoas mega saradas se idolatrando, meninas competindo pela bunda perfeita...
Frequento uma em que no meu horário pessoas vão em busca de qualidade de vida e saúde, alias de amigos tb pq o povo é animado rsrsrs
A nutricionista que vc foi realmente deve ser uma péssima profissional, pois a minha n cortou nd de mim (e olha que eu tomo umas geladinhas e adoro uma picanha.
Começo de ano é assim mesmo...Boa sorte em seus projetos e continue com seu blog ( sou uma pessoa melhor graças a ele) :)

vanessa disse...

oi lola,feliz ano novo!

também amo chocolate,será que tem alguém que n goste?!

li sobre carboidratos e tenho que concordar,lembrei de quando era adolescente e tinha auto controle,parei de comer pão,macarrão mas continuei comendo bastante e emagreci assim mesmo.
hj em dia que tenho zero de auto controle,eu tento evitar carboidrato mas tem dias que n consigo,aumentei muito de peso e vejo que isso faz mal mesmo,acho pq é comer pão,macarrão,batata para me dar gases,as vezes até diarreia e eu subo na balança e vejo que o peso aumenta na hora,ai nos dias que consigo me controlar emagreço sem fazer dieta .

vou procurar esse compulsivos anônimos.

Melissa disse...

Lola, eu vim ontem mas não cinsegui comentar! Hahaha Agora estou aqui!

Que você tenha um ano maravilhoso, e eu já estou aguardando ansiosa a publicação do seu novo livro!

Também era (sou?) chocólatra, mas quando tirei os cisos comi tanto chocolate derretido que enjoei! Acredita? Agora só muito raramente!

Que em 2014 o blog continue um sucesso! Obrigada pelo excelente trabalho que você faz com ele, mesmo tendo tão pouco tempo livre!

Beijos e um ótimo ano!

Anônimo disse...

"Eu quero fazer tudo isso, sem neura, sem pisar na balança, sem contar calorias, sem remédios, sem nutricionista (minha última consulta, ainda em 2012, foi um desastre: a mulher, sem dar a mínima pro que eu gosto ou não gosto, simplesmente quis me proibir de comer tudo, até iogurte!)."
Deve ser porque seu paladar deve ser infantil e você só deve comer besteira...Não adianta comer pouco, mas só comento porcaria...
Acho que você está falando besteira quando diz "sem nutricionista". Esses profissionais deveriam ser mais valorizados e respeitados. Você não pode simplesmente comer um bando de chocolate e gordura. Acho que o seu fígado tá te provando isso.
Enfim, boa sorte ao tentar emagrecer sem comer alimentos saudáveis. Sua cabeça é muito aberta para muitos assuntos, mas, definitivamente, você não entende nada de alimentação e saúde.

LOVE GOTIC disse...

Este ano quero deixar de ser trilouca. Beber menos vodka e deixar de fumar um black kkkkkk.
Quero me casar ,criar mais vergonha. na cara e dar mais amor aos meus sete gatos.
^ ^
= • • =
E ainda tem o dentista, dermatologista e neurologista que estou em falta.

Marcia Baratto disse...

hum... já chegaram os defensores do 'não coma carboitrado'.

Esse exagero é uma balela. Muitas dietas de culturas com alta expectativa de vida incluem vastas e fartas fontes de carboitrados. Não vou nem citar a 'expectativa de vida' do paleolítico, por que está mais para uma expectativa de morte e as fontes de pesquisa sobre qualidade de vida são uma miséria, para dizer o mínimo.



ThiagoE disse...

É muito triste ler um relato desse e verificar sua inercia e descaso com sua e vida e saúde.

Vamos aos Pontos:
1 - Quero dormir mais, porque está difícil continuar operando com quatro ou cinco horas de sono por noite. Eu sinto que isso realmente prejudica minha qualidade de vida, me deixa mais lenta.
Muito leviano da sua parte reclamar da falta de sono reparador se você mesmo optar por dormir pouco. Se você acha que dormir cedo é "uma da manhã" você precisa rever seus conceitos.

2 - sem nutricionista (minha última consulta, ainda em 2012, foi um desastre: a mulher, sem dar a mínima pro que eu gosto ou não gosto, simplesmente quis me proibir de comer tudo, até iogurte!).
VocÊ realmente quer fazer uma reeducação alimentar sem um especialista depois de todos esses anos não fazendo de forma autodidata, tem certeza? E você não gostou de "Uma" nutricionista e não quer ir em mais nenhuma?

3 - (eu não tenho insônia, só não tenho tempo pra dormir)
Essa foi de doer. É parecida com: --> Eu não tempo para malhar.--> Comida orgânica é cara. ~~> não posso frear minha rotina...

4 - Bom, academia de ginástica eu não vou fazer, porque detesto esse ambiente que sempre me lembra um templo ao corpo (e dispenso cultos religiosos, obrigada)
Deixa eu te perguntar uma coisa: Na academia só tem gente em busca do corpo perfeito, praticando exercícios como orações, rogando para ter um corpo escultural? Realmente ninguém está lá em busca de qualidade de vida e saúde? Senti um pouco de preconceito aí.

Kittsu disse...

Não pretendo cortar carboidratos, mas acho que faz realmente sentido reduzir drasticamente o mar de carboidratos simples que eu consumo. Mesmo não sendo especialista no assunto, discordo que carboidrato é uma coisa artificial, visto que qualquer fruta os têm em até razoavel quantidade. Tubérculos têm é muito carboidrato, e existem muitas culturas milenares que os consomem. Mas concordo que o costume ocidental nos leva a cometer alguns excessos bem desnecessários (mas que são uma delicia, rs).
Fiquei pensando no anonimo e em homenagem a ele hoje meu lanche foi meia manga, duas fatias de presunto e duas de queijo.

Anônimo disse...

Marcia Baratto disse...

Blogger Marcia Baratto disse...
hum... já chegaram os defensores do 'não coma carboitrado'.

Esse exagero é uma balela. Muitas dietas de culturas com alta expectativa de vida incluem vastas e fartas fontes de carboitrados. Não vou nem citar a 'expectativa de vida' do paleolítico, por que está mais para uma expectativa de morte e as fontes de pesquisa sobre qualidade de vida são uma miséria, para dizer o mínimo.

________

Não apele para baboseiras como "expectativa de vida no paleolítico. Esse mito já foi destruído. O Dr. Souto inclusive já comprovou isso em seu blog mas não lembro qual é o texto, de uma lida no blog dele e verá.

De fato tem culturas que consomem carboidratos e são saudáveis, mas NÃO na quantidade que consumimos na dieta ocidental, muitos menos os tipos (principalmente açucar e derivados de trigo).

NÃO HÁ EXAGERO NENHUM. É O QUE NOSSO CORPO EVOLUIU PARA USAR COMO COMBUSTIVEL MEU DEUS DO CEU.

Pode PARECER exagero para quem está acostumado com a dieta ocidental rica em carboidratos porque estamos muito longe de onde deveríamos estar, mas dizer que a dieta paleolítica (a qual evoluímos por milhoes de anos para comer) é um exagero seria o mesmo que dizer que desejar que não hajam homicídios é exagero porque temos 50 mil, sendo que temos que achar um meio termo, o bom seria ter 25 mil homicídios. Não sei se me fiz entender, meu ponto é que estar distânte do ponto em que estamos não faz algo exagerado, pois podemos muito bem simplesmente estar muito longe do que é razoável.

E então isso será definido pela lógica, ciência e empirismo. E os 3 estão ao lado da dieta paleolítica. Dê uma lida no blog do Dr. Souto e veja se consegue refutar....

Esse link não é o que eu mencionei mais acima mas é interessante. Veja o menu da direita denonimado "a base teorica" também.

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/10/um-experimento-natural-kiribati-e.html

Anônimo disse...

Blogger Kittsu disse...
Não pretendo cortar carboidratos, mas acho que faz realmente sentido reduzir drasticamente o mar de carboidratos simples que eu consumo. Mesmo não sendo especialista no assunto, discordo que carboidrato é uma coisa artificial, visto que qualquer fruta os têm em até razoavel quantidade. Tubérculos têm é muito carboidrato, e existem muitas culturas milenares que os consomem. Mas concordo que o costume ocidental nos leva a cometer alguns excessos bem desnecessários (mas que são uma delicia, rs).
Fiquei pensando no anonimo e em homenagem a ele hoje meu lanche foi meia manga, duas fatias de presunto e duas de queijo.

3 de janeiro de 2014 15:34


________________


Prezada, em geral a maior parte dos carboidratos disponíveis hoje em dia não existiam antigamente (foram criados por processos industriais ou até mesmo por processos de seleção reprodutiva, assim como em algumas centenas de anos transformamos por esse mesmo processo lobos em poodles.) ou então eram muito escassos. Ninguém comeria frutas todo dia no paleolítico e as frutas que haviam na época eram estilo as "berrys", pequenas e com popuca frutose.

Para você ter uma ideia do que fizemos, coloque no google imagens "ancient banana" (algo como banana anciã).

Aqui algumas fotos:

http://us.123rf.com/400wm/400/400/nikky1972/nikky19721107/nikky1972110700055/9990840-punica-pomegranate-ancient-on-the-leaves-banana.jpg

http://3.bp.blogspot.com/-Dqh35mnhE4w/Ud8vd3FE-zI/AAAAAAAABJI/dIXxxaP3A-s/s1600/Inside_a_wild-type_banana.jpg

Percebe a diferença?

Quanto a seu lanche, tá ótimo, exceto pela MANGA, que tem açucar.

Claro que se fizer a dieta paleo você pode eventualmente comer alimentos com açucar (de preferencia no entanto alimentos naturais e não industrializados). Mas é melhor evitar.

Eu não como, depois de um tempo me acostumei a viver sem açucar, quando ainda tomava café, tomava puro, é tranquilo, depois que você se acostuma, até porque depois que você para de comer coisas que sã "explosões" de sabor artificial, seu paladar fica muito mais refinado, algo antes "sem gosto" se torna saboroso. E como todo vício, a vontade diminui muito depois de um tempo.

Anônimo disse...

Lola, tenho que concordar com o que alguém disse aí em cima.
Vc tem uma cabeça aberta e fantástica pra tanta coisa, mas te vejo muito preconceituosa em assuntos relacionados à saúde.

Vc pode ter tido o azar de encontrar um nutricionista babaca, como qq médico, isso não invalida a importância de consultar um nutricionista competente.
Na academia não existe só gente que cultua o corpo, mas gente que só quer se sentir mais saudável, assim como vc agora.
Como assim se sentir inútil fazendo exercício? Vc acha que esporte é menos importante que outras coisas? Ler um livro não é inútil, praticar esporte tb não. Eu não gostaria que alguém dissesse 'me sinto inútil lendo um livro'.
A sensação de usar o corpo com esporte pode ser quase tão prazerosa quanto ao sexo, quanto ao ler um livro.

A impressão que fica é que vc tem um estilo de vida junk, seu problema, mas acaba menosprezando ou desprezando o estilo de vida saudável dos outros.
Assim como comer bacon pode ser uma delícia, conseguir saborear um vegetal e seu gosto é lindo.

Maria Valéria disse...

Vi um monte d gente aqui comentando sobre gostar ou nao de academia,, culto ao corpo,etc

A atividade física da prazer, ja foi provado...mas tem que ser uma atividade física que você goste.Eu, por ex,odeio ficar num ambiente fechado, com música de boate ...prefiro caminhar na praça em frente de casa,adoro ficar ao ar livre, alem de nao custar nada e sr de graça!! Quero voltar a fazer Pilates porque adoro. Me sentia maravilhosa quando fazia,alem do que vai me ajudar a prevenir novas lesões ( dois entorses de tornozelo em dois anos )

- portanto,muitos precisam parar de pensar que a única atividade física que existe e " academia " ..tem tanta coisa que da pra fazer !!! Se vc querer começar,escolha uma que te agrada e vai em frente !!!

Fazendo atividade física,vc vai sentir prazer, vai se sentir mais disposto, vai parar de sentir falta de ar pra subir ladeiras ( tinha antes de começar a caminhar ) . Mas procure uma que você goste.eu por ex odeio natação,piscina,nao adiantaria nada ele fazer algo que nao gosto.

Bjs

Anônimo disse...

Não quero ficar cagando regra no seu blog, mas acho que você foi infeliz quando disse que não quer ir a uma nutricionista. Talvez, a profissional com quem você se consultou achou que a sua situação pedia uma dieta radical. Se fosse você, iria em outro e tentaria adequar seu paladar a sua realidade. Com quase 50 anos e com gordura no fígado, acho que você tem que passar a comer legumes e verduras. Não dá pra viver de chocolate. É muito bom, mas acho que você aprende a comer só um pouquinho dessa delícia.

Kittsu disse...

que comédia a romãzinha e a bananinha selvagens. já morro de nojo das sementinhas das bananas comerciais, se eu pego trem desses eu acho que preferiria roer as raizes do que comer a fruta! A questão da seleção faz sentido, pois realmente devem ter ganho em quantidade de calorias e proporção entre os nutrientes pendendo pra mais açucares e etc.
Estou diminuindo o açucar do café, misturando doce com amargo... engraçado você comentar, porquê comecei nessa semana.

Agora que cacete de fruta é essa que não transborda de açucar? eu descobri isso a algum tempo e acho que não achei nenhuma (acho que nem que eu goste nem que eu nao goste) que não seja assim. vou ter que apelar pra raiz de bananeira, mesmo?

Bianca disse...

Lola querida também tem um alarme tocando aqui rsrsrs.
Eu acho legal manter a saúde sem ser neurótica né? Eu sou diabética sofro bastante com isso.
Tem academias só para mulheres tipo a Curves que não tem aquele ambiente de homens te avaliando o tempo todo que é muito chato convenhamos)
Mas temos que lembrar que as fisiculturistas sofrem muito preconceito também por não serem "femininas" o suficiente e elas tem uma rotina de exercícios muito dura com dieta rigorosa.

Anônimo disse...

Kitsu, eu considero a melhor fruta morango, que quase não tem açucar, mas aqui nesse post tem uma explicaçao sobre essa questa das frutas e tem também uma lista de frutas boas e ruins...

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/quais-frutas-comer-e-em-que-quantidade.html

Mas é apenas questão de costume, eu como disse praticamente não como açucar e já nem sinto mais falta. Também não fumo mais e nem sinto mais falta, é questão de se acostumar que você nem vai querer voltar porque o prazer do carboidrato é momentâneo mas os efeitos (destrói sua energia, te deixa inchado, lento, sonolento, faz seu corpo funcionar em níveis menores do que poderia, desreguam o intestino) são duradouros.

Claro, eu sou mais "hardcore", dá para levar uma vida paleo menos hardcore, a questão é, quanto MAIS próximo de low carb vc estiver, ao meu ver, mais saudável e energizado e bem se sentirá.

Kittsu disse...

hum, haviam me dito que melão tem muito açucar então eu acheu que seria "pior" do que melão. interessante.
Vou me aprofundar no tema, e enquanto isso vou fazendo algumas trocas e ajuste inofensivos, como... evitar produtos a base de farinhas por exemplo. (...o que é quase tudo -_-)
Mas duas pulgas enormes atrás da minha orelha: as causas da morte de atkins e seu estado de saúde naquele momento, e o acompanhamento a longo prazo de pessoas que mudaram de dieta (nao conheço, mesmo pq nao pesquisei).
tu é o souto?

Alice Reino disse...

Lola como nutricionista e sua fã, não faça isso comigo! não somos demônios! tem muitas péssimas profissionais no mercado, tem muita gente sem noção em toda profissão, procure outra, e outra se for o caso! eu aqui de mato grosso não posso fazer nada por você a distancia, mas procure umas frutinhas que goste, e temperar bem saladinhas não existe só alface e nem tudo tem que ter o mesmo gosto sem graça!

Procure uma nutricionista, esteatose hepática é coisa séria! não quero te ver postar que está doente e sem tempo pra continuar esse trabalho fantástico que é esse blog! se cuide por favor, nós nutricionistas podemos fazer muito por você, se livre desta má experiencia e procure uma nutricionista por favor, uma funcional pode ser muito útil fitoterápicos fazem milagres ^^

Jamie Barteldes disse...

Lola, vem fazer Yoga comigo:)

Anônimo disse...

Eu tambéem ODEIO academia e exercícios, masssssssssss por motivo de sáúde fui obrigada a frequentar uma e fazer exercícios

Meus exames ficaram ótimos, é horrível, mas saúde é prioridade..

Juba disse...

Lolinha, tem um livro que está me ajudando muito a comer melhor sem sentir fome ou mau humor. Se chama Coma e seja feliz, escrito por Elizabeth Somer. Não propõe dietas malucas, explica os comos e os porquês, e devagarinho você melhora muito a sua alimentação, sem se sacrificar. Beijinhos

Anônimo disse...

Lola, dá uma lida no blog do dr. Souto!

Lá ele explica como gordura saturada não faz mal, muito pelo contrário, mas o problema está na comida industrializada, que no geral é farinha de trigo e açúcar.

O interessante é notar como é possível se alimentar bem, comer carne, queijo, ovos, iogurte etc, perder peso mesmo sem academia nem contar calorias (:

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/como-devo-comer-comida-de-verdade.html

Anônimo disse...

Pessoal, só para esclarecer: dieta paleolítica não é uma dieta com ZERO carboidrato. Verduras, frutas, raízes e tubérculos são excelentes alimentos. Este último, como o inhame e a batata doce, deve ser restrito apenas em casos como diabetes, onde até pequenas doses de açúcar é prejudicial (para quem não sabe, carboidrato vira açúcar no sangue).

A dieta paleolítica prega o NÃO consumo de comida industrializada, mas sim comida de verdade. O trigo de hoje em dia não é o mesmo trigo da santa ceia! É um produto sem nenhum valor nutricional. Assim como o açúcar. Prestem atenção nos bolinhos, torradas, biscoitos, barrinhas de cereais etc que tanto se come por aí Quais os ingredientes sempre presentes? Açúcar e farinha de trigo.

Coma comida de verdade. Verduras, frutas, carne, frango, peixes e ovos. Se não for intolerante, consuma queijos, iogurte, manteiga, nata, creme de leite. Coma gordura que já existe na natureza: abacate, azeitona (azeite de oliva), banha de porco, óleo de coco, castanhas, nozes etc.

É simples, é gostoso, não tem que contar nada e o melhor: sacia! Quero ver comer dois ovos feitos na manteiga ou na banha às 7h da manhã e ter alguma fome antes da hora do almoço (;

Catiele Souza disse...

Oi Lola,
o blog do dr. souto http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/
é uma quebra de paradigma alimentar. hehe

outra coisa, dá para ser gorda e saudável sim, mas não podemos esquecer que a gordura abdominal é indicativa de uma série de problemas de saúde. então, independente do resto do corpo, é preciso cuidar da circunferência desta região.

abraços !