sábado, 11 de janeiro de 2014

GUEST POST: UM PÁSSARO NUMA GAIOLA GRANDE AINDA ESTÁ PRESO

A V. me enviou esta mistura de desabafo com agradecimento que me comoveu:

Oi, Lola! Muita gente te diz isso, mas é verdade: de tanto ler seu blog, parece que você é uma amiga de longa data, que dá vontade de chamar pra tomar chá, comer bolo de chocolate e chamar de Lolinha.
Este e-mail é um obrigada. E eu contando minha historinha boba. Mas principalmente um obrigada! Hoje eu vi na TV uma sul-africana explicando o significado da filosofia ubuntu: eu sou o que eu sou porque você é o que você é (e vice-versa). E assim eu acho que explico muito bem o que aconteceu comigo e tantas outras pessoas, em relação a esse bloguinho lindo tchuti-cuti.
Quando comecei a passear aqui, três anos atrás, dude, eu me achava tão liberal e prafrentex! Eu conversava com meus amigos e amigas, e tudo que eu ouvia sobre seus namoros me deixava de cabelo em pé! "Como assim, ele não DEIXA você usar essa roupa? É seu namorado ou seu pai?"
E o engraçado é que pouco depois eu arranjei um namorado. É. Não sei o que deu em mim. Aliás, eu sei. Foi uma mistura de "Nossa, tô ficando velha e nunca namorei sério", com "Aaah, tô careeeente!". Mas sabe, eu chorava direto -- tinha medo de namorar, medo de perder minha identidade. Era um medo paralisante, que por duas vezes me fez hiperventilar. Mas pensava que isso era um defeito de fabricação meu, porque eu tinha um parceiro tão supimpa, que até dizia que entendia o meu medo.
A questão, pra encurtar uma história que é chata e demorada (e chorosa), é que eu fui me perdendo. Sem perceber, fui deixando para trás pequenos pedacinhos de mim. A manipulação vinha tão suave, tão discreta, que até hoje tenho dificuldade de perceber como acontecia.
Até que um dia, um ano e meio de namoro depois, eu acordei, olhei pros lados e percebi que muitos pedaços haviam ficado no caminho, que eu era uma estranha pra mim mesma. E foi quando o inferno começou.
Só quem já tentou terminar um relacionamento com um manipulador emocional, alguém que sabe apertar todos seus botões e te fazer desistir, sabe o quanto é difícil. Eu tentava, mas sempre desistia.
E, se não fosse seu blog, eu não teria conseguido. Não teria conseguido porque foi o feminismo que me fez perceber que existe muito mais dominação do que pode supor nossa vã filosofia. Foi o feminismo que me mostrou que eu estava perdida. Que aquele buraco negro que sugava todas minhas forças tinha nome e sobrenome -- eu dormia com o inimigo. Alguém que incentivava meus sonhos até certo ponto. Que me aceitava livre como um pássaro -- mas um pássaro numa gaiola grande ainda está preso.
Eu havia perdido o contato com meus amigos, com minha família. Minhas ausências e omissões haviam magoado mais pessoas do que posso imaginar. Eu estava na cidade errada, com as pessoas erradas, fazendo a faculdade errada. Eu havia sido coagida a perder minha virgindade, e a continuar tendo relações, mesmo que eu tivesse uma crise de choro logo em seguida todas as vezes.
Não, ele nunca colocou uma arma na minha cabeça -- mas quando eu me negava (e veio um momento que eu me negava até a beijá-lo), as brigas eram tão terríveis que eu preferia ceder do que ir pra casa pensando que eu devia ter algum problema, que devia ser "fria". Eu não pensava que ele tinha um problema por colocar o dedo na minha vagina enquanto eu dormia -- logo depois de um discurso meu dizendo que estava me sentindo violada e queria que ele parasse.
Eu vivia tão estressada que desenvolvi gastrite nervosa e depressão. Até que depois de três anos de inferno, eu consegui escapar. E hoje eu me considero uma sobrevivente. Tenho tentado ter minha vida de volta, ser dona do meu corpo de novo. Ser feliz de novo.
Eu sei que os horrores que eu vivi não são nada perto do leque de desgraças que o machismo nos dá, mas eu só queria contar minha história pra alguém que fosse entender, que não fosse achar frescura, dizer que nada disso importa. Queria ter meu sofrimento e minha luta reconhecidos por alguém. Porque, às vezes, ainda penso que estou louca.
E por isso, por toda a coragem que você me deu -- outras coragens, que não falei aqui: coragem de dizer o que penso, de me vestir como quero, de mudar de faculdade, de questionar minhas ideologias, coragem de me aceitar -- que eu agradeço, Lolinha, sua linda.

Meu comentário: Eu é que agradeço todo esse carinho, V.! Acho que não convém ficar medindo sofrimento, sabe? Não tem comissão pra decidir quem sofreu mais ou menos, quem foi mais ou menos oprimida, qual sofrimento é ou não legítimo. Todos são. Outro dia recebi um grande elogio de uma leitora, que disse que eu acolho todo mundo, e que eu não fico julgando, não desconfio, só aceito. Eu nem sabia que eu fazia isso! Fiquei feliz em saber.
Assim como não podemos jogar as Olimpíadas da Opressão (este grupo historicamente oprimido sofreu mais do que aquele!), também não temos por que medir, em nível individual, quem sofreu mais. Não é preciso ter uma arma apontada na cabeça pra se sentir presa a um relacionamento abusivo. O importante mesmo é se libertar. E depois, se possível, ajudar a sair abrindo outras gaiolas por aí. 

42 comentários:

Anaísa Pereira disse...

Eu escrevi esse post e não sabia? V. acabou de contar exatamente a minha historia! Você não esta sozinha.

Marcia Baratto disse...

Ah Jeca... que lástima de comentário hein?
Para você, ser homem é igual a ser mal caráter? Você não tem obrigação alguma de honestidade com outras pessoas?

E esse dados meia boca sobre estupros? O que eles provam, que todas as vítimas mentem? Homens matam muito mais que mulheres, por isso, todos vocês são homicidas?

Ah e sobre as perfeitas pérolas da opressão masculina, essa entrevista é de matar de rir. Por favor, algo mais substancial. Publicar livro, todo mundo publica, fazer pesquisa séria, aí é para poucos.

Leila disse...

Olá,

Parabéns à moça por ter conseguido 'escapar' dessa relação.
Lola, é claro que você é uma pessoa especial e que muita gente se sente acolhida aqui, homens e mulheres, exceto os jecas, né?
Sábias também essas suas palavras sobre não ficar medindo o sofrimento, eu mesma medi o meu por tanto tempo (abuso, quase abuso, não foi um abuso assim tão grave quanto o de não sei quem...)até que um dia o meu próprio marido soltou uma frase muito parecida com essa sua (assim como a ajuda uma psicóloga muito querida e muito boa) eu finalmente aceitei esse fato.
Enfim, obrigada mais uma vez por esse blog.
Abraço

Mauricio disse...

Olha, eu até entendo comentários como os do Jeca como piada (ruim, claro), algo pra não se levar a sério.
Porque ter que encarar a verdade de que tem gente que realmente acredita em tudo isso a ponto de vir aqui e soltar essas pérolas, faz com que a gente perca a fé em certa parcela da humanidade.

sheldon end disse...

é no mínimo cômico como vcs tentam por a culpa de tudo nos homens,no machismo e as mulheres como as grandes vítimas sempre.
e quando é a mulher que é doida e manipuladora,é machismo também?
quem age assim é desequilibrado e ponto.

eu mesmo namorei uma dessas,era possessiva, me ligava toda hora querendo saber o que eu fazia,amava um escândalo toda vez que eu ia sair com amigos e não com ela e acabou que me afastei deles para evitar briga.
se eu olhava pro lado ,já achava que eu estava dando em cima de outra.
não aguentava mais e tentei terminar,claro que deu outro showzinho ameaçando se matar,só consegui dar o fora na terceira tentativa,já estava cheio,mandei pastar e se se matasse problema dela porque não induzi ninguém a fazer isso.

resultado:tá bem viva até hoje,com outro e provavelmente tá infernizando o cara tb.

m. disse...

Também me sinto muito acolhida por aqui, obrigada Lola =)

Quanto ao post, vivi algo parecido. Meu primeiro namorado restringia minhas roupas, amigos e vida social. Eu ainda estava na escola. Na minha escola tínhamos mania de cortar as golas da camiseta do uniforme (coisa de adolescente), e eu havia cortado a das minhas. Ele vetou porque achava que "ia aparecer os peitos" caso eu abaixasse pra pegar uma caneta, por exemplo (!!). Eu fingi que concordei e continuei usando, já que ele havia terminado o ensino médio e já estava na faculdade. Um dia ele me viu voltando da escola com a camiseta de gola cortada... Pois bem, ele entrou na minha casa, no meu quarto, e rasgou todas as minhas camisetas de uniforme D: !! Hoje eu acho isso tão absurdo, mas tão absurdo, que não sei como consegui me colocar numa situação dessas. E o pior de tudo é que ele ainda me diminuía, tinha ciúmes do meu corpo mas ao mesmo tempo criticava tudo nele. Quase tive anorexia na época em que namorava esse menino. Cheguei a pesar 43kg porque ele ficava dizendo o tempo todo que eu tinha celulite, era gordinha, etc. Eu tinha só 15 anos.
Hoje isso nunca aconteceria comigo.

Obrigada pelo blog Lola, e essa colocação sobre as ~olimpíadas da opressão~ foi bem oportuna

Beijos!

gwy disse...

A polícia faz corpo mole pra prender estupradores famosos e/ou endinheirados e a culpe é das denunciantes?

gwy disse...

Detalhe que o Jeca ali nem nem leu as notícias que linkou, senão teria visto que as falsas denúncias são de uma situação bem diferente da que ele quer avacalhar.

Jeca Silva disse...

Gwy, a Lola censurou meu comentario explicando isso

Li disse...

nunca mais comentei por aqui, mas gostaria de reforçar os elogios. esse ainda é um dos meus espaços feministas favoritos. é bom saber que tem alguém (alguéns!) que me entendem, mesmo quando tudo e todos que me cercam parecem tão machistas. obrigada lola e querid@s autor@s de guest posts! :)

Jeca Silva disse...

Marcia, vc tem certeza que leu meu comentário??? wtf?? kkkkkk

"Para você, ser homem é igual a ser mal caráter? Você não tem obrigação alguma de honestidade com outras pessoas?"

Hã??? O q vc ta dizendo menina???

Dados meia boca??? Eu trouxe a fonte justamente pra vc não dizer isso. Pesquise e descubra se esses dados são falsos. Ah eu esqueci que pra vcs so valem aquelas estatisticas fabricadas pelas lideres feministas. daa uma olhada:

http://www.youtube.com/watch?v=HmwUqV6sRsY

Sobre violencia domestica (nem sempre é como a gente pensa):

http://www.youtube.com/watch?v=QWXyuYXiTbs

Pra vcs só existe o lado A (mulher), o B não existe.

Ah e não se confunda, a estatistica do extra (globo) e apenas de denuncias nas varas da familia, não em outras areas.

E pelo amor de Deus, eu pedi argumentos não isso q vc e o Maurício postaram, vc acha que vai desacreditar o trabalho de um historiador apenas dizendo isso, compre o livre dele e veja as FONTES, que é uma coisa muito importante.

Uma vez me disseram: " Discutir com feminista é a mesma coisa q jogar xadrez com um pombo, ele vai derrubar todas as peças, vai cagar no tabuleiro, e vai sair com o peito estufado achando que venceu" Frase perfeita.

Agora eu vo pedir de novo: ARGUMENTEM

Não é so dizer: ah ta ruim, é mentira, não existe, etc tem que argumentar, e vcs passaram bem longe disso

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Jeca... é mais fácil quando a própria pessoa já sabe o que é...

Kittsu disse...

Rs... queridinhos, suas namoradas podem vetar blusas coladinhas e ameaçar se matarem se forem deixadas... mas a probabilidade de elas matarem ou lesionarem vocês de forma grave e permanente são bem pequenas, convenhamos. Ao contrário de quando elas é que sofrem restrições e ameaças, situação em qua é quase certo que haverá algum tipo de violência.

mas OPA! trouxeram uma entrevista da VEJA com, novamente, algum imbecil falando alguma imbecilidade do tipo "eu já fui feminista aí comecei a raciocinar"... uau, nesse caso eu realmente devo estar errada, se foi a VEJA que disse.

sheldon end disse...

"mas a probabilidade de elas matarem ou lesionarem vocês de forma grave e permanente são bem pequenas, convenhamos"

que mulheres são mais agredidas é verdade,mas essas chances mínimas de mulheres serem agressivas ou matarem é mentira descarada hein!?
esses dias mesmo vi no jornal a mulher que vivia com dois caras amantes dela, sob o mesmo teto,discutiu com um deles,esperou o cara dormir e encheu ele de facadas.

procurando na net tem vários casos assim mas para a grande midia (a tv ),interessa mais passar só casos de violência contra mulher,assim aumenta mais o status de vítima que vocês tanto gostam,esse que eu vi foi uma das exceções.

Sara disse...

Que argumentos esses toupeiras machistas querem??? Será que 16 mulheres mortas TODOS OS DIAS não são suficientes para provar que a possessividade de homens machistas MATA...

Mari Hortolani disse...

Olá Lola, olá meninas

Bom, eu passei por um relacionamento conturbadissimo há exatos 6 meses.

Conheci ele após o termino de um namoro de 5 anos, no qual o cara me traiu. Eu andava bem, mas ainda sofria um pouco com o término e então ele apareceu.

No começo fez tudo por mim. Era perfeito, mas sempre achei algumas atitudes estranhas. Ele me ligava o dia todo, me mandava mensagens querendo saber onde eu estava, criticava meus amigos. quem já leu outros textos aqui do blog sabe o que é isso, muito bem.

Conforme fui percebendo as atitudes estranhas, o ciúme ultra excessivo e a forma como ele me colocava pra baixo (por conta de roupa, aparencia, familia, condição social), fui perdendo o pouco interesse que tinha nele. Nisso, já haviam se passado 4 meses desde que começamos a namorar.

Ele então começou a entrar (ou dizer que estava entrando) numa profunda depressão, seguida de crises de bipolaridade. Numa delas, chegou a me ameaçar com uma faca.

Eu ficava com pena, corria com ele para psiquiatras, psicologos. Falava com a mãe dele, cuidava eu mesma como se fosse meu filho. Já não tinha vontade de mais anda com ele, nenhum contato físico e ele me chamava constantemente de fria.

Aguentei nessa mais 4 meses. Era torturante, eu me afastei do mundo, não tinha nem vontade de fazer mais nada da vida. Pensei até em me matar, chorava muito. Quando dizia pra ele que queria terminar, ele amaeaçava se matar ou me matar, fazer algum mal a minha familia.

Um dia, tomei coragem e terminei. Ele surtou, me ligava toda semana me xingando, dizia que iria me perseguir e se vingar onde fosse. Chegou a ir na minha casa falar mal de mim para meus pais. Eu fiquei meses sem conseguir sair para lugar nenhum a não ser a faculdade, ainda assim olhando para todos os lados e com os vidros do carro sempre fechados.

Hoje ainda estou solteira e não me envolvi nunca mais com ninguém. Nem ficadas, nem nada. Não tenho vontade de conhecer nenhum outro cara, por medo. Não consigo mais confiar que existam pessoas normais. Fora isso, ainda temo encontrá-lo. Sei que ele está namorando outra menina, mas o medo de ele fazer alguma besteira se me ver ainda é grande.

Obrigada por compartilhar histórias como a minha aqui. me sinto menos mal de saber que não fui a unica taxa de fresca, ou impotente. Esse tipo de agressão é silenciosa e muito mais perigosa até do que a física, as marcas são muito profundas.

Beijo!

Vicky Berger disse...

Um ex-colega de trabalho foi acusado falsamente de estupro há dois anos atrás.Viveu um inferno,mas conseguiu provar que era inocente.Muitos não tem essa sorte.Infelizmente não dá pra se fazer de desentendido.Da mesma forma que existem homens canalhas,existem sim mulheres que não valem nada.

gwy disse...

"Gwy, a Lola censurou meu comentario explicando isso"
Censurou como se os comentários estão liberados?

Julia disse...

Gente, precisamos fazer alguma coisa sobre essas camisetas aí.

E essa opressão por boicote de sexo? Sacanagem demais. Quer dizer, falta de sacanagem.

Assim não pode. Assim não dá.


É muito coitadismo...
Nosso claro, não estou falando de você, Arnold.

Kittsu disse...

"a buça é minha, eu que digo o que vou fazer com ela"... MEUDEUSDUCÉUQUEABSURDO!!!! como assim a pessoa acha que só porquê aquela parte do corpo é DELA os outros não podem dizer a ela o que fazer!? É como você não poder falar para uma pessoa como ela pode ou não pode portar o cotovelo dela no metrô. ABSURDO!
Greve de sexo? ONDEESSEMUNDOVAIPARAR!? com tanta muié fazendo greve de sexo vocês querem falar de violência!? de de de... estupro!?!?!?
ORA ESSA VOCÊS SE VITIMIZAM DEMAIS!!!!

A buceta não é pra ser regulada, tem que ser objeto de escrutinio publico e não deve ser negada ao macho dominante em nenhuma hipótese. ISSO é ser honrada! regular buça não vai fazer o principe encantado cair no colo de vocês, porquê se você não se comportar assim temos todos o direito de ser pessoas incrivelmente escrotos com você.

Feministas, vamos parar de se vitimizar à tôa com esse negócio de violência, estupro e assassinato: tem gente usando camisa dizendo que vai negar xoxota e tem até gente SOFRENDO HORRORES com essa idéia absurda de mulher usar a própria vagina como bem entender! OLHA COMO ESSES POBRES HOMENS SOFREM!!!

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Depois que você lê algo como homens começaram a votar, mulheres ficaram com inveja e quiseram votar também, a criatura ainda espera que alguém leve a sério um cara desses...

Julia disse...

Kittsu, senti uma ponta de ironia no seu comentário. Favor não brincar com coisa séria.

Já estou agilizando pra resolver essas questões. Só está difícil decidir qual a mais urgente. Vou apostar na greve de sexo.

Kittsu disse...

Nossa, Julia, perdão pelo terrível mal entendido. De fato são assuntos seríssimos, longe de mim fazer chacota com assuntos tão sérios! Enquanto estamos discutindo, existem homens que não estão conseguindo viver em função de vaginas. Isso é muito, muito sério! =/

donadio disse...

"http://extra.globo.com/noticias/rio/nas-varas-de-familia-da-capital-falsas-denuncias-de-abuso-sexual-podem-chegar-80-dos-registros-5035713.html

http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/homem-condenado-por-falso-estupro-e-absolvido-depois-de-16-anos/

http://www.jcnet.com.br/Geral/2013/02/falsos-estupros-atrapalham-policia.html

E pra qm acha que é oprimida:

http://veja.abril.com.br/011003/p_070.html
"

Olha, eu acho que a questão das denúncias falsas de estupro é séria, e acho que o número tantas vezes divulgado de que elas são apenas 2% é furado. Agora, veja que a delegada que fala sobre o assunto diz bem claramente que a grande maioria das denúncias falsas não aponta para nenhum suspeito, portanto não gera nenhuma acusação infundada. E, obviamente, a polícia investiga as denúncias, não sai simplesmente prendendo gente só porque alguém denunciou. Se a polícia erra, é porque polícia erra, como erra em casos de roubo, assassinato ou receptação, não porque faça parte de uma conspiração contra os homens.

Mas a entrevista, francamente, é completamente sem noção. Não entendo como um cara pode ser historiador e ser tão completamente incapaz de entender o sentido histórico das questões que discute.

donadio disse...

"procurando na net tem vários casos assim mas para a grande midia (a tv ),interessa mais passar só casos de violência contra mulher"

Ah, é? E por que motivo a mídia só teria interesse em divulgar casos de violência contra mulheres? Em que a divulgação de casos de violência cometidos por mulheres contra homens prejudicaria os interesses da grande imprensa?

Jeca Silva disse...

Sempre assim vc fala uma coisa e elas desvirtual seu comentario pra jogar as respostas delas:

O Arnold falou sobre a questão da chantagem que as mulheres fazem com relação ao sexo, em momento algum ele disse que isso é mais importante do um estupro. Imagina se os dois fizessem greve de sexo, que bosta de relacionamento seria esse.

Só pra exemplificar, teve outro post aki q a menina estava puta da vida pq o namorado dela não qria transar com ela quando ela tava menstruada. Que absurdo, ou seja o cara tem q transar a toda hora como se fosse uma maquina assim que a mulher estala os dedos, não pode negar sexo. E a mulher pode, alem de negar, simplesmente chantagear o cara pra conseguir alguma coisa.

Relacionamento tem que ter conversa, parceria, não pode ser igual esses de hoje em dia que parecem adversários, parecem que estão competindo. meu deus

quando eu postei sobre estupro eu JAMAIS quis diminuir a gravidade de um crime desses. Eu apenas quis dizer q as feministas simplesmente não mostram o lado B da noticia, e é a mesma coisa com relação a violencia domestica e vcs sabem pq?? não é so pra defender a mulher, é pq a industria da violencia domestica é milionária pra elas (lideres feministas):

http://www.youtube.com/watch?v=CMJcIyN2fHM (veja até o final)

Como vcs podem ver no video da minha postagem anterior, violencia domestica não é exclusividade de homens.

Uma vez a namorada de um amigo meu pulou em cima dele com uma faca, por causa de ciumes (mulher ciumenta é assustador), ele deu um tapa na cara dela e foi preso baseado na lei maria da penha. TADINHA DELA

"procurando na net tem vários casos assim mas para a grande midia (a tv ),interessa mais passar só casos de violência contra mulher,assim aumenta mais o status de vítima que vocês tanto gostam, esse que eu vi foi uma das exceções."

Perfeito Sheldon, homem nasceu pra sofrer, pra que a midia vai mostrar casos contra homens?

Ah o fato da entrevista ser na Veja ou na Globo, não qr dizer que o que o cara diz não seja verdade (mais um argumento furado), até pq algumas estatisticas batem com algumas informações do video (violencia domestica contra homens).

"Depois que você lê algo como homens começaram a votar, mulheres ficaram com inveja e quiseram votar também, a criatura ainda espera que alguém leve a sério um cara desses..."

Com relação à "inveja" provavelmente ele tava no minimo brincando, mais se tem outra coisa q as feministas não divulgam é que antigamente os homens (comuns) tbm não votavam, apenas os poderosos. Esse video mostra claramente a opressão que as mulheres sofriam:

http://www.youtube.com/watch?v=lpRcMuwuuCA

"Será que 16 mulheres mortas TODOS OS DIAS não são suficientes para provar que a possessividade de homens machistas MATA..."

Primeiro, mostre me a fonte, depois veja quantos homens morrem por dia.

"A buceta não é pra ser regulada, tem que ser objeto de escrutinio publico e não deve ser negada ao macho dominante em nenhuma hipótese. ISSO é ser honrada!"

Putz!! Mais uma vez desvirtuando o que o cara falou, mostre me em que momento o Arnold falou q ser honrada é isso q vc descreveu??????

"A polícia faz corpo mole pra prender estupradores famosos e/ou endinheirados e a culpe é das denunciantes?"

Não é somente estupros, qualquer tipo de crime os endinheirados escapam no maximo pagando uma taxinha (fiança), esses dias estava passando um video na TV de uma mulher que acelerou o carro e bateu num portão de uma garagem atropelando, se eu não me engano, umas 4 pessoas, ela pagou fiança e foi liberada, simples assim.

Pra finalizar, SE VCS TIVEREM ARGUMENTO, comentem os videos que eu postei.

Anônimo disse...

Quanto rancor com as mulheres...eu vou destoar desses comentários.
Sou casado com uma mulher muito bonita ( mesmo ) . E nunca dou palpites sobre a roupa que ela vai usar para sair, a não ser que ela me peça uma opinião ( tipo : este aqui ou este aqui?).Mas ela também não reclama das roupas que eu uso. Claro que eu tenho ciúmes, mas eu não vou restringir a liberdade dela de usar as roupas que quiser, quando quiser.
Um relacionamento a dois é assim : duas pessoas ficam juntas, mas mantém cada uma sua individualidade. Há o casal e suas atividades em comum, mas há também as atividades de cada um individualmente, trabalhos diferentes ... como já li em algum lugar : eu não preciso de você para viver, e nem você precisa de mim, mas ficamos juntos porque nos amamos.

Anônimo disse...

Jeca, a Veja é a revista menos confiável do Brasil. Fora isso, desculpe, mas os argumentos do historiador em questão são bem ruins.
Dizer que a mulher lutou pelo direito ao voto porque sentia inveja dos homens já tira toda a credibilidade de alguém. E temos poucos exemplos de mulheres inventoras (dos idos tempos) porque as mulheres não podiam estudar nem trabalhar.

Fora isso, ninguém aqui fala que todos os homens são ruins e etc etc. Ela está falando do caso dela. Em nenhum momento ninguém aqui falou que não existem mulheres opressoras e etc.

Porém, é inegável que o número de homens opressores é muito maior. Pesquise você mesmo, já que você gosta de procurar fontes.

Abraços.

Anônimo disse...

V., também tive uma relação abusiva. Conheço a solidão que é estar dentro de uma, e como é difícil se libertar. Fico muito feliz por você estar conseguindo. Bem-vinda à nova vida, seja muito feliz!!!

Sara disse...

Jeca da Silva é obvio q vc é um troll nojento, embora não devesse vou responder.
Existem diversas pesquisas que apontam até mais de 16 ASSASSINATOS DE MULHERES OU MELHOR "FEMINICIDIOS"
POR DIA NO BRASIL.

Homens tb morrem por violência por parte de suas companheiras seu imbecil, mas o numero é inexpressivo diante da carnificina que o machismo promove.

Eu não vou perder meu tempo procurando mais dados, pois ha diversos (infelizmente) que confirmam esses números absurdos de mortes, e que tb infelizmente só aumentam.

http://noticias.r7.com/brasil/a-cada-uma-hora-e-meia-uma-mulher-morre-vitima-de-violencia-masculina-no-brasil-diz-ipea-25092013

http://www.youtube.com/watch?v=MPtZxJF-qcY

Anônimo disse...

Não, Jeca. Ninguém aqui tem argumentos depois desse show que você deu. Fomos derrotados com tanta lógica, essa entrevista devastadora, esses links com informações tão úteis. Você venceu. Pode pegar seu todynho e sua coxinha.
Pronto, conseguiu o que queria. Agora podemos voltar a nossa programação normal, as coisas sérias que realmente interessam?

Julia disse...

"Com relação à "inveja" provavelmente ele tava no minimo brincando"

Ele está brincando a entrevista toda. É um fanfarrão e está fanfarroneando com a nossa cara. Não dê trela pra esse tipo de gente, Jequinha.

Anônimo disse...

Homens tb morrem por violência por parte de suas companheiras seu imbecil, mas o numero é inexpressivo diante da carnificina que o machismo promove.

vcs insistem na mentira,achei sites com reportagens afirmando o contrário,mas já sei bem que vão falar que é falso e que n é confiável

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=669424

http://expresso.sapo.pt/homens-pais-e-vitimas-de-violencia-domestica=f770120

Julia disse...

E o psicólogo mascu estava hoje de novo no programa da Fátima Bernardes soltando suas pérolas machistas. Dentre estas, que filho homem é sempre o preferido, por razões biológicas(!!!), e deu o exemplo da China, que lá filha mulher é sempre uma desgraça. Que o filho homem ajuda no trabalho e a filha mulher... só não fica coçando o saco porque não tem um.

Confiram
http://gshow.globo.com/programas/encontro-com-fatima-bernardes/videos/t/programa/v/dr-francisco-daudt-explica-os-fatores-da-predilecao/3073918/

Disse também que mulheres sempre disputam atenção desde meninas por causa da gravidez (!!!) e outras pérolas.

E ninguém rebate este ASNO e ele continua falando merda em rede nacional. Com certeza este demente é um adepto da psicoevo. Para que analisar aspectos culturais, sociais e históricosm não e mesmo, minha gente??

E seguem dando espaço para misóginos como esse e outros que dizem que mulheres "não inventaram nada" porque não são criativas.

Vontade de fazê-los engolir todos os dentes porque não tenho mais paciência.

donadio disse...

A estatística criminológica no Brasil é incipiente, para ser generoso, de modo que o melhor talvez seja utilizar as estatísticas americanas. Segundo o FBI (http://www.fbi.gov/about-us/cjis/ucr/crime-in-the-u.s/2012/crime-in-the-u.s.-2012/offenses-known-to-law-enforcement/expanded-homicide/expanded_homicide_data_table_6_murder_race_and_sex_of_vicitm_by_race_and_sex_of_offender_2012.xls), em 2012, foram 1.609 mulheres assassinadas por homens, e 421 homens assassinados por mulheres. Uma proporção de quatro para um. Os homens que morrem assassinados são quase todos mortos por outros homens: 3.725. Assassinatos de mulheres por outras mulheres são raros, apenas 124.

Então sim, os homens são mais vitimados pela violência do que as mulheres. Mas a violência é perpetrada sobretudo por homens, não por mulheres.

Outra página do FBI (http://www.fbi.gov/about-us/cjis/ucr/crime-in-the-u.s/2012/crime-in-the-u.s.-2012/offenses-known-to-law-enforcement/expanded-homicide/expanded_homicide_data_table_10_murder_circumstances_by_relationship_2012.xls) mostra a relação entre vítima e assassino. Ali ficamos sabendo que, em 2012, 498 mulheres americanas foram assassinadas por seus maridos (e 494 por seus namorados). Em comparação, 96 homens americanos foram assassinados pelas esposas, e 168 pelas namoradas. Isso mostra de forma clara o fundo sexista da coisa: de 1609 mulheres assassinadas por homens nos Estados Unidos em 2012, quase mil foram assassinadas por seu significant other. A isso você pode somar 168 mulheres que foram assassinadas pelos pais, e 28 que foram assassinadas por irmãos. Ou seja, a grande maioria das mulheres que morre assassinada, morre pelas mãos dos homens que lhes são mais próximos. O contrário acontece com os homens. Quase todos os que são assassinados, são assassinados por outros homens, na maioria dos casos por desconhecidos ou conhecidos casuais (acquaintances).

Não vejo nenhum motivo para acreditar que a realidade brasileira seja muito diferente. Aqui como lá, os homens sucumbem muito mais à violência; mas nós morremos pelas mãos de gente que nunca vimos antes, ou de pessoas com quem temos uma relação superficial. As mulheres morrem pelas mãos daqueles em quem elas mais confiam.

donadio disse...

"http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=669424

http://expresso.sapo.pt/homens-pais-e-vitimas-de-violencia-domestica=f770120
"

Puxa vida, trata-se da mesma pessoa, um certo João Paiva, em ambas as matérias. Os casos são tão comuns que nem duas vítimas diferentes podem ser encontradas?

Kittsu disse...

Donadio, eu tava lendo sobre a violência doméstica conta homens e me lembrei de um fato curioso acontecido pelas bandas de cá. Estavamos em grupo, falando sobre violência doméstica, e alguém condenou a lei maria da penha dizendo ser um absurdo só as mulheres serem protegidas (um cara muito machista) e ficou indignado pois os homens passam constrangimento quando denunciam esse tipo de crime. Uma mulher (muito machista, também), disse que eles mereciam esse constrangimento proquê tinha que ter "sido macho" e nao deixar isso acontecer. Aí eu dei uma chamada nos dois dizendo como as duas falas eram absurdas e os respectivos porquês.

Aííííí eu fiquei matutando sobre o ocorrido. Essa moça machista é contra a expansão dos direitos paternos dizendo que homem é imprestavem em casa - casada com um membro das forças armadas que é extremamente machista, ela mesma se diz "dona de casa" (e reclamar de como tem que cuidar de tudo) apesar de ter jornada de trabalho fora de casa também.

Isso me deu um estalo. As mulheres mais machistas são também extremamente misândricas!
E essa moça não é a unica que conheço que é assim. Tenho uma parente que não quis se casar justamente porquê é organizada e acha que homens são porcalhões que só dão trabalho! E ela é uma das pessoas mais machistas que conheço, também - esterilizou as gatas, mas o gato macho ela não quis "porquê macho precisa disso, fêmea não" (parenteses aqui para o fato de que o pobre animal não durou 4 anos por causa disso).

Isso foi uma constatação meio bombástica, mas e ao mesmo tempo é algo esperado: O machimo causa nas mulheres uma naturalização da associação homem-violência-deleixo E da associação mulher-subserviência-domesticalização, e portanto elas rejeitam a figura do homem devido a suposta indissociabilidade destes com fatores indesejáveis: extrema dependência e cuidados obrigatórios (como um bebê), violência, extirpação do livre-arbitrio.
Enquanto isso, o feminismo rejeita essas mesmas associações, dissociando o fator "gênero" do fator "efeitos sociais" e "obrigações pessoais", de forma que existe uma recusa em creditar ao gênero masculino esses comportamentos indesejados*, encarando portanto o homem como sujeito de obrigações E direitos tanto quando uma mulher.
Daí que as machistas acabam praticando a misandria em larga escala enquanto as feministas recebem abertamente o homem atuante dentro do lar e sujeitos do direito paterno e livres da violência doméstica (ou ao menos deveriam), entre outras analogias ao direito feminino que hoje não são extendidas a eles na mesma escala.

*= A associação feita entre os homens e os atos de agressão são normalmente creditadas ao modelo vigente de masculinidade, que pressiona pela auto-afirmação por meio de expressões de violência e antissocialidade.

Anônimo disse...

"Jeca da Silva é obvio q vc é um troll nojento, embora não devesse vou responder."

É obvio q Jeca não eh meu nome de verdade, mais isso não tira a veracidade dos meus argumentos, não precisava me chamar de "nojento".

Mais tudo bem, olha a diferença do tratamento:

"Não dê trela pra esse tipo de gente, Jequinha." kkkkkkkkkkkkk gostei

Ah Julia e com relação ao psicologo, realmente ele é um fdp, me admira ele conseguir ir tantas vezes no programa.

Pra finalizar, o fato de eu estar aki contra o feminismo não significa que eu odeio mulheres, muito pelo contrario. Mas nós temos que tomar cuidado com algum dados que nos são passados, pois as chances de fraude são altíssimas.

Abraço para todos

Jeca

Anônimo disse...

Eu também vivia presa, masta gaiola não era grande era pequena bem pequena em que eu ficava encolhida como uma ave ferida de asas cortadas. Eu vivia numa escravidão sexual. O psicopata era um amigo da fam4lia. Me estuprava e me ordenava o que vestir com quem falar. Gritar parecia sentença de morte e eu aguentava sozinha e calada. A melhor arma dele era meu silêncio. E os dias, meses e anos foram se passando. Cheguei a adolescência e me rebelei. Já não aguentava aquela prisão. Tapas na cara só por causa dum batom, me cuspia só porque falei com amigos. Meu pai já era falecido e atenção datminha mãe era para meu irmâo tetraplégico. Fiquei presa na gaiola obscura da violência sexual, do medo o suficiente paratme tornar aversa ao sexo. Terror noturno, nojo se alguém me beijar, até um abraço para mim já me ofendia. Até que um dia percebi que só eu poderia abrir aquela grade. A chegada dos seios, a primeira menstruação me fez ver que se eu não reagisse eu teria um filho do medo, um filho da vergonha e dum algoz. Orei a Deus me ajoelhei aos céus e o infeliz trocou de lugar comigo. 12 anos de cadeia sem fiança, sem habeas corpus, sem indulto de natal. E ele ficou lá na penitenciária de Pedrinhas aquela que é destaque como a mais violentada do país a penitenciária do Maranhão. Me mudei de cidade porque cidadezinha de interior um caso de estupro assim vira assunto nas ruas e calçadas. Estou livre, ainda tenho medo e pensamentos me atormentam, mas vai passar. A pequena gaiola se quebrou. NÂO PERMITAM SEREM DOMINADAS POR ORDEM MISÓGINAS.

Sara disse...

Q barra mais terrível anon 15.36hs, espero q vc consiga superar todos os traumas q te causaram, e encontre um pouco de alegria e prazer na sua vida...

Anônimo disse...

Problemas diferentes precisam de soluções diferentes.
Se a maior causa do assassinato de homens é violência urbana, então vamos pesquisar o que fazer pra mexer com esses números. (o feminismo muitas vezes faz isso quando alerta para um modelo de masculinidade violenta que faz com que homens se matem, mas aí nessa hora o que mais aparece é homem reclamando que feminismo quer que os homens não sejam homens e outras bobeiras do tipo).
Se a maior causa de assassinatos de mulheres é causada por companheiros, ex-companheiros, vamos ver o que podemos fazer pra mudar essa realidade.
Se concentrar em um problema não quer dizer que está negando outros.
O que esses mascus fazem aqui, é a mesma coisa que a gente resolvesse invadir sites que discutem corrupção ou poluição ou qualquer assunto diferente e começasse a cobrar que eles voltassem a atenção somente pra violência doméstica... Não faz sentido.
Se estão tão preocupados com a violência que homens sofrem, que tal criar um grupo de estudos, grupo de apoio, procurar uma ong, ver o que pode fazer no lugar de ficar trollando sites feministas. É usar melhor o próprio tempo, não?

donadio disse...

"As mulheres mais machistas são também extremamente misândricas!"

Bom esse insight... parece que essas pessoas ao mesmo tempo acreditam nos estereótipos e desgostam deles, projetando esse desapreço nas pessoas de carne e osso.