quinta-feira, 28 de novembro de 2013

GUEST POST: PAVOR DENTRO DO ÔNIBUS

A T., de 16 anos, me enviou este relato, que de cara me lembrou o começo do filme Cidade do Silêncio, sobre a onda de estupros seguidos de morte ocorridas na fronteira entre EUA e México.

De madrugada estava lendo um post sobre abusos em linhas de ônibus. O que aconteceu comigo foi um pouquinho pior, mas o tratamento que tive não mudou em nada. 
Sou de uma cidade pequena, onde consequentemente todos se conhecem. Há um ano passei por uma coisa horrível em uma linha de ônibus de minha cidade, que vai de um distrito para o outro.
Em uma quarta feira, fui na casa de minha avó após a escola. Pelas 8 horas da noite peguei um micro-ônibus vazio. Ao entrar, o motorista me pediu para pagar a passagem e sentar nos bancos da frente, antes da roleta, porque ela estava com defeito. Até aí tudo bem, não atinei pra nenhum problema. Só que, depois de eu ter entrado no ônibus, ele passou por três pontos com passageiros e não parou, dois deles lotados de estudantes. Já comecei a estranhar. 
O cara rapidamente começou uma conversa muito esquisita, dizia que várias garotinhas iam à casa dele almoçar, esperavam ele chegar do trabalho, e ainda me ofereceu o número do seu celular caso eu quisesse ligar e pegar ônibus de graça com ele.
Comecei a ficar nervosa, me deparei com meu celular sem bateria, e pela rua não passava uma pessoa. Na mesma hora levantei e pedi pra ele parar no próximo ponto. O motorista disse então: "Você vai pra casa comigo, não vou te deixar aqui."
Eu insisti, comecei a chorar, implorar, e nada d'ele me deixar sair.
Ele continuava com o mesmo papo. Então comecei a gritar e bater nas janelas. Nervoso, ele parou na mesma hora e me deixou sair. Enquanto eu descia, ele insistiu em me oferecer seu número de telefone, isso depois de cinco pontos que pedi para parar. Eu saí desesperada, chorando, tremia tanto que nem conseguia andar direito. Por acaso, parei perto da casa de um casal de amigos dos meus pais, em que o rapaz é policial.
Corri pra lá, contei tudo e eles ligaram pra minha mãe (meu pai estava de serviço nesse dia). Fomos até o ponto final, pedimos informações ao supervisor e checamos quem era o motorista. Ainda descobrimos que ele não podia pegar nenhum passageiro, pois realmente a roleta estava ruim e ele apenas levaria o ônibus para garagem, nem trabalhava naquele trajeto, ou seja, ele já teve más intenções ao parar o ônibus só pra mim. 
Esse supervisor ligou pra garagem e pediu que segurassem o cara lá. Quando chegamos, o crápula estava lá, rindo, e com a cara mais lavada do mundo, dizendo que não era nada daquilo. Na mesma hora o amigo do meu pai não se conteve e bateu nele até que separassem. 
Dali fomos pra delegacia, e lá tive uma decepção enorme. O investigador que me atendeu foi indiferente, me tratou como se eu tivesse culpa, e durante toda a conversa, tentava menosprezar a mim e a minha mãe, como se ela fosse irresponsável por deixar uma menina de 16 anos andar a essa hora sozinha de ônibus. Ele ainda disse que isso só acontece porque "algumas meninas dão ideia pra esses caras". 
Nem preciso falar que minha mãe ficou muito nervosa, e eu também, vendo que meu problema se tornava cada vez maior. No final, eu não aguentei e soltei o verbo, olhei bem na cara do investigador e perguntei: "Você tem filha?". Ele respondeu que sim, e então falei aos prantos: "Imaginou se fosse ela no meu lugar, se isso acontecesse com sua filha, imagina? Você ia gostar? Ia tratar assim?"
Na mesma hora ele ficou sem nenhuma reação. Depois pediu muitas desculpas por algum mal entendido, e nos encaminhou pro Conselho Tutelar. Lá fui bem atendida e descobrimos que o meu caso não foi o primeiro envolvendo funcionários daquela linha de ônibus.
Na conclusão disso tudo, o motorista não foi mandado embora, o investigador apenas ouviu algumas adolescentes, e eu fui só mais um caso. Nessas horas vemos o quão negligentes são as autoridades no nosso país. 
Hoje em dia não me envergonho de dizer que o desgraçado do motorista levou uma bela surra, e se borrou todo com uma arma apontada no meio da fuça. Se não fosse isso, o cara ainda sairia se vangloriando. Sou totalmente contra a violência e justiça com as próprias mãos, mas nesses casos... Ainda aqui na minha cidade o boato que ficou da minha história você pode imaginar.
Bom, só queria contar minha história e testemunhar como nós, mulheres, muitas vezes somos tratadas.

73 comentários:

Joana Guilhermina disse...

Pelo que o motorista fez, o tratamento que ele recebeu foi pouco.

Esse negócio de "Sou totalmente contra a violência e justiça com as próprias mãos" é algo que me irrita. Enquanto pensarmos assim, eles vão continuar abusando. O patriarcado não vai se curvar a causa feminista por caridade, é preciso acuá-los.

No mais, parabéns a você pela coragem e por ir atrás dos seus direitos.

Pedro disse...

Quanto drama,o cara só estava passando uma cantada, a garota fica histérica e o cara vira um monstro.

Hamanndah disse...

"Pedro disse...

Quanto drama,o cara só estava passando uma cantada, a garota fica histérica e o cara vira um monstro.

28 de novembro de 2013 14:11"

VOCÊ É PALHAÇO OU SÓ NÃO SABE INTERPRETAR O TEXTO MESMO?

ELE, O MOTÔ, NÃO DEIXOU ELA SAIR DO BUZU. ELA SÓ SAIU PORQUE COMEÇOU A GRITAR, COM MEDO DE SER ESTUPRADA, E AI, SIM, ELE DEIXOU ELA SAIR

CONSEGUIU, AGORA, ENTENDER O TEXTO, EM LETRAS GARRAFAIS.?

Hamanndah

Anônimo disse...

Pedro,

O cara é um monstro e se você acha que ele normal, deve ser um monstro você também.

Raquel

Camila Santa Rosa disse...

"Quanto drama,o cara só estava passando uma cantada, a garota fica histérica e o cara vira um monstro"

Drama? Você nunca entenderá, já que, pelo nome que colocou, acho que vc é homem. Isso não foi drama nenhum! Qualquer pessoa que pega um ônibus e passa por isso ficaria assustada!

Léty Hyuuga disse...

Pedro, ele encurralou a menina, deixou ela em uma posição totalmente vulnerável, e ainda disse com todas as letras que a levaria pra casa dele, contra a vontade dela.

Você realmente não vê diferença entre isso e uma cantada? Vai se tratar, vai.

Anônimo disse...

Pedro das 14:11, você é da mesma laia do motorista do ônibus. É só uma cantada, né?

Sério meu, sério...

Love gotic disse...

Cantada é elogio, um verso bonito e não uma ameaça de ser levada para a casa dum estranho, cantada não é ser levada dentro dum ônibus por ruas sem parar. Se ela não gritasse ele pararia num local deserto e faria todo tipo de violência. Você não sabe tratar uma mulher. Quando gosta de uma mulher você a leva num carro para sua casa? Sem perguntar se a garota quer ou não ir a sua casa? Se enxerga criatura.

Rose disse...

Quem disse:
"Quanto drama,o cara só estava passando uma cantada, a garota fica histérica e o cara vira um monstro." é o tipo de pessoa que fala sexo sem ela querer, se referindo a estupro e, infelizmente, muitos homens falam, pensam e agem assim.

Sobre a guria, é tão desolador saber que casos como o dela, de tão comum que dá vontade de desistir. Tanto o agressor, que sabia que sofreria nenhuma consequência, quanto policial que não viu uma vítima e sim uma espécie de cúmplice. É desolador saber que ela só foi considerada, ainda parcialmente, vítima quando argumentou na delegacia que poderia ter sido a filha policial na delegacia, ou seja, uma propriedade de alguém sendo protegida. A sensação é que as mulheres "dos outros" podem ser abusadas.
A falta de empatia é tanta que eles precisam associar a mulher ( ou a menina, tanto faz) agredida a um homem pra lembrar que devem socorre-la. Parece que não há homens agressores, apenas mulheres agredidas.
É desolador porque parece que a história nunca muda.

Anônimo disse...

Como homem e heterossexual afirmo que a situação é deplorável. Por que um cara tem uma atitude dessas? Se ele tem um monte de mulheres esperando ele, por qual motivo quase raptar a garota?

Acredito que para homens como esse motorista, a mulher tem um papel de objeto trivial e dispensável a ponto de subjugar a vontade da autora do post e, ao mesmo tempo, causar a ele grande atração sexual, constituindo um antagonismo. Não apenas isso explica a atitude, mas é parte essencial pra que isso ocorra e explica também a frase do motorista "que tem várias meninas o esperando". A sociedade necessita urgentemente colocar a mulher em seu patamar de igualdade de pensamentos e sentimentos com o homem. Talvez, isso seja um caso isolado ou corriqueiro, mas o ideal mesmo é a extinção de comportamentos como esse demonstrado pelo motorista

Anônimo disse...

pqp uma garota de 16 anos tem que passar por isso e o imbecil desse pedro ainda faz gracinha. Nojo, tomara que seja apagado esse comentário. No mais, parabéns garota, tenho até inveja quando vejo uma menina reagindo com essa força, gostaria de ter dado um escândalo, gritado pelos meus direitos nas tantas e tantas vezes em que me vi em perigo.
Leila

Helen Pinho disse...

óbvio né pedro, porque um motorista, oferecer seu número de telefone e trancar uma adolescente em um ônibus (que não está em linha regular) é uma "cantada" super normal. quem nunca.

B. disse...

Lola, uma pergunta: pq vc aceita comentários de idiotas num post que faça sobre assédio/violência? Já não acha que é um pouco demais a pessoa relatar um abuso e ter que ver MAIS gente machista?

Só acho.

Anônimo disse...

Pedro nojento

Helen Pinho disse...

eu me apavoro com caras como esse motorista, com caras que fazem comentários tipo o pedro. mas me apavoro mais ainda, se for possível, com profissionais de delegacias que tem esse tratamento com as vítimas. dá vontade de bater com um código civil na cabeça desses panacas, será que não sabem que nada justifica uma menor ser trancada em um ônibus? que é claramente uma tentativa de abuso? que só a investigação tem o papel de contestar, averiguar qualquer coisa? me parece que tá cheio de gente por aí que supõe que agressores precisam de muita proteção, já começam a buscar mil e uma desculpas pra justificar um crime ... porque né pobres agressores indefesos!

lola aronovich disse...

B., comentários desse tipo realmente são nojentos (e isso que eu não libero 90% desse tipo de comentário). Mas, infelizmente, também são bem lugar comum. E eu quero que as pessoas saibam que são lugar comum. Viu a T. sugerir que ela que ficou com má reputação por um tempo na cidade? Quer dizer, ela quase é estuprada, passa pela pior experiência da vida dela, e as fofocas são sobre ELA?! Eu penso que, ao ler um post desses, e logo depois ver um comentário como o desse Pedro, alguém que ainda faz perguntas do tipo "O que ela estava vestindo?" pra casos de estupro (ou o próprio delegado, que disse que essas coisas só acontecem porque as meninas dão ideia) possa se revoltar. Possa ver como os preconceitos internalizados que têm são nojentos. Entende? A pessoa vê um comentário desses e fica indignada, e aí pensa, "Opa, mas eu também penso mais ou menos assim, ou pensava, até muito pouco tempo".
Um idiota como o Pedro e demais mascutrolls não vão mudar tão cedo, mas o blog não é só lido por feministas e mascus.
(E tem meu lado sadô de querer mesmo ver o Pedro sendo apedrejado verbalmente).

Anônimo disse...

Sobre o Lulu, acho uma inutilidade. Mas me assustou ver como os homens agem nas situações que ameaçam os expor: todos são unanimes em afirmar que as mulheres não deveriam se rebaixar, que isso é abuso, que se fosse com as mulheres elas também não iriam gostar, enfim, eles agem juntos e conseguem derrubar tudo. Lembro do comercial que pedia para eles rasparem os pelos, eles logo se impuseram e aquilo desapareceu. Em resumo, nesses momentos não vejo homem algum dizendo "quem mandou sair pegando todo mundo, se fosse homem direito e tratasse as mulheres com respeito, não teria gente comentando coisa ruim." E são os mesmos homens que já estão de pedras nas mãos dizendo que bem feito pra quem tem vídeo e foto exposto na internet. Eles pedem coerência, mas jamais agem com coerência e na menor ameaça que sentem das mulheres, apelam pro "não deveriam nos tratar como nós tratamos vocês, afinal, isso é se rebaixar".

Elaine Telles disse...

Incrível como nunca vai mudar essa mentalidade de "quem mandou estar sozinha na rua?". Acho que esse tipo de pessoa acha que todo mundo tem pai/mãe com carro à disposição para transportar pra todo lado. Quando eu era adolescente, fazia aulas de computação que terminavam no período da noite, às 21h. Uma vez fui perseguida e como moro perto de uma delegacia fui denunciar. A resposta foi a mesma: "Por que está "zanzando" na rua a essa hora? Tá pedindo coisa ruim dando sopa assim". Minha alternativa foi passar a ir de bicicleta, afinal pobre não tem pai motorista, tampouco carro à disposição (ônibus em cidade do interior não cobre todos os bairros). Mais tarde, fazia o curso técnico e novamente, tinha que voltar sozinha. Novamente fui perseguida e novamente fui à delegacia. A resposta foi "moça feita andando sozinha na rua tá pedindo né? Arranje um namorado com carro, besta. Devia ter ficado em casa". Ou seja, se vc quer estudar pra tentar melhorar sua vida, só se tiver grana pra se proteger dentro de um carro. Se não, fique em casa o resto da sua vida.

Aline disse...

Eu te entendo.
Ainda bem que nada mais grave aconteceu.
Sinto muito que você tenha passado por isso.

Anônimo disse...

total solidariedade com a menina do relato

aquarela com preguiça de logar

walkonthewildside disse...

Direito básico de ir e vir as mulheres ainda não tem. É o cúmulo do atraso.
Essa mentalidade torpe q mulher não pode ir/estar sozinha em determinados horários e lugares "sem proteção", q precisa da escolta dum ómi. Nisso as mulheres também são tanto vítimas qto cúmplices já disse a Simone Beauvoir.

Lisbet aplicando arma de choque nos testiculos dos homens que odeiam as mulheres

Rodrigo disse...

Achei foi que a garota foi corajosa ao peitar o delegado. Parabéns pela coragem moça!

Anônimo disse...

Não tem nada com o topico mas olhem o que estar acontesendo com sua querida venezuela Lola:
https://www.youtube.com/watch?v=OQuHL10ekEw&feature=youtube_gdata_player
Isso é o que a midia "golpista" no brasil não mostra.

Anônimo disse...

Me sensibilizo muito com o relato da adolescente.
Mas esse descaso relatado pela garota não tem nada a ver com o fato de ela ser mulher.
Porque isso não acontece só com mulher que é vítima de alguma coisa.
Isso acontece com todas as vítimas de crimes em nosso país.
Nosso sistema jurídico ineficiente tratas TODAS as vítimas com indiferença, seja homem, seja mulher.

Anônimo disse...

"Enquanto eu descia, ele insistiu em me oferecer seu número de telefone, isso depois de cinco pontos que pedi para parar"

Isso é o mais revoltante, nossa!! Não aconteceu comigo com cara querendo me estuprar, mas com cara que queria sair comigo, eu expliquei todos os motivos das nossas incompatibilidades e o cara só sabia insistir em querer sair.

Isso é não levar a mulher a sério, é achar que o que ela pensa ou sua vontade não vale de nada.

Anônimo disse...

T., graças a Deus não aconteceu nada de mais grave com você. Já comecei a ler sua história com um nó na garganta, pensando no pior. Ainda bem que não aconteceu nada de mais grave.
É uma visão simplista dos fatos, mas eu não consegui analisar a situação para discutir qualquer questão social, etc. Só desenvolvi uma enorme empatia e me solidarizei com você.
Abraços feministas

Anônimo disse...

O comentário das 15:38 é bem lúcido sobre a maneira de como as mulheres são tratadas como "vadias" quando venha a avaliar um homem, seja por qual aspecto, mesmo sendo essa avaliação até ingênua, se comparado as grosserias que são disparadas sem dó e sem senso do ridículo pelos homens. Que o diga o mimimi sobre o Lulu.
Mas chegou a "revanche", quis dizer, a versão masculina, muito mais agressiva, digamos assim, provando que, em termos de revanche, os homens tendem a ser bem mais cruéis :
http://tecnologia.terra.com.br/internet/brasileiros-desenvolvem-versao-masculina-do-aplicativo-lulu,f6f9cc54b7e92410VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

Se tal aplicativo para as mulheres serem avaliadas (pelos homens, lógico)fosse criado antes, duvido que criariam uma versão feminina, pelo menos tão imediatamente.

MCarolina disse...

Gostei muito de saber que ele apanhou e foi ameaçado. Isso pode ter salvado outras adolescentes. Se o Estado é omisso, não dá pra ficar esperando sentada.

Luiza Original disse...

" A resposta foi "moça feita andando sozinha na rua tá pedindo né? Arranje um namorado com carro, besta. Devia ter ficado em casa". "

Isso vindo de alguém numa delegacia. Homem, provavelmente.
Aí os (mas)cuzinhos ficam de mimimi que mulher só quer saber de cara com carro. É a vida toda escutando que tem que arranjar um volante.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho que você deve se orgulhar muito de si mesma. Você foi corajosa. Enfrentou o motorista assediador e o delegado negligente. Acho que é mesmo por aí. O machismo está aí, infelizmente. A violência, a negligência, também. E diante desses fatores a gente tem que protestar, se revoltar, pôr a boca no trombone.
Foi o que você fez.
Quanto aos boatos na cidade, esse tipo de coisa sempre vem de gente medíocre, preconceituosa, e esse tipo de gente acho que temos que ignorar. Se por acaso algum desses vier te encher, você já demonstrou que tem atitude suficiente pra lidar com eles.
Abraços.

Náy disse...

Morro de medo desse tipo de coisa.Esses dias, voltando da faculdade(estudo a noite), notei após alguns pontos, que eu era a única passageira do ónibus em que estava!E a linha que pego passa por bairros novos, com poucos habitantes e cheios de mato.Fiquei super tensa.Peguei o meu cel e comecei a tagarelar, contando, em que linha de ónibus eu estava, para caso ocorresse alguma coisa comigo, o responsável fosse punido.Felizmente não aconteceu nada.

Fábio RT disse...

Agora a culpa é da menina por ter cometido o crime de estar na rua.... ahhhh vai te catar delegado .... é sempre assim....
Ahhh e Pedro...antes que eu me esqueça: Que comentário infeliz criança !!!!! fazer troça de um assunto tão sério é sinal de falha de caráter.

Anônimo disse...

Sawl

Não querendo desmerecer o ótimo e reflexivo tópico do qual irei comentar depois, mas, vejam o comentário da linda e talentosa Evan Rachel Wood sobre uma cena de sexo oral cortada do filme "Charlie Countryman“ onde o rapaz faz o sexo oral na moça!!
A atriz protestou no Twitter algumas verdades. Se fosse o contrário ninguém veria problema e até se fosse uma cena de estupro por mais cruel e incômoda que fosse dificilmente seria cortada. Mas, a cena se tratava de um homem dando prazer à uma mulher, invés de ser uma cena de uma mulher sendo tratada como boneca inflável!
Tá hora de Hollywood sair do armário do machismo e admitir a verdade sobre o péssimo tratamento às personagens femininas nos filmes.
O link é esse:

http://juliapetit.com.br/home/censura-ou-machismo/

Sawl - The Rebel

Bruno disse...

E aí? As feministas de plantão não vão se posicionar a respeito do "lulu"? Ah, acho que o motivo é que se trata de um aplicativo onde MULHERES atacam e difamam os HOMENS... então pode, mulher é injustiçada e os homens estão sempre errados.

LULU é a prova do engodo do discurso feminista

donadio disse...

"Nosso sistema jurídico ineficiente tratas TODAS as vítimas com indiferença, seja homem, seja mulher."

Não é verdade.

Quando as vítimas dos crimes são ricas ou famosas, não há descaso nem indiferença.

Anônimo disse...

Anônimo das 18:22, ai tá bom que não tem nada a ver com ela ser mulher!! porque existem muitos homens sendo trancados dentro de ônibus por aí correndo o risco de serem estuprados né, é o que a gente mais vê!! Pelo seu comentário, acredito q deva ser homem e portanto não tem a MENOR noção do que é sentir medo de ser violentada pelo simples fato de ser mulher e ser considerada "disponível" p/ quem quiser pegar. E outra, medo de assaltos qq um tem, mas as mulheres ainda tem q lidar com esse pavor eterno do estupro sempre q "ousar" sair sozinha à noite ou por lugares desertos...

Renato ripol disse...

De fato oque aconteceu com menina foi repugnante e ela merecia todo o apoio por parte dos policiais, tambem acho q o motorista babaca deveria ser castrado mas infelismente nosso sistema juridico e policial e extremamente ineficiente em todos os sentidos, a violencia de modo geral encontra-se em niveis estratosfericos em todo o pais, e algo que contribui para isso e a tal campanha do desrmamento q faz uma pessoa ser criminosa por portar um simples spray de pimenta os criminosos se sentem encorajados a cometer essas atrocidades pois sabem q a vitima esta a mercê sem ter como se defender.
Para terminar gostaria de expressar minha felicidade por nao ter lido nenhum comentario misandriaco do tipo "todo homem e estuprador em potencial", parabens meninas voces estao evoluindo.

B. disse...

Lola, por favor né! A gente tá careca de saber que o que um Pedro da vida acha é lugar-comum! A gente sabe muito bem disso. Não precisamos que um blog feminista, que devia ser um local mais acolhedor, nos diga isso!

Kittsu disse...

Renato ripol, que bom que você apareceu para esclerecer que somos naturalmente seres inferiores e que finalmente podemos vir a ser classificada como "levemente menos inferior" agora que nossas falas estão convergindo com os seus ideais! Ufa, me sinto TÃO aliviada com esse elogio masculino que estou quase abandonando a minha própria ideologia de igualdade só para receber mais elogios de pessoas que me consideram, por natureza, inferior!



(É óbvio que não consideramos todo homem um estuprador em potencial, cabecinha de vento.)

Paula disse...

Renato, quem acha que todo homem eh um potencial estuprador sao as pessoas machistas (homens e mulheres), que acham que os homens nao vao conseguir controlaros seus "instintos" diante de um par de coxas..

Elaine Telles disse...

Renato,
quem considera todo homem um estuprador são os próprios homens. São eles que dizem bem feito quando uma mulher confia neles e depois as fotos e filmagens dela vão parar na internet. São eles que dizem "quem mandou confiar?" quando o amigo oferece carona e estupra a mulher no carro (achando que é um bom valor a cobrar pela carona). São os homens que dizem bem feito se a mulher apanha, porque confiou de casar e dividir teto com um mesmo cara...a lista é grande! Se as mulheres realmente pensassem no discurso misândrico de todo homem ser estuprador, não sobraria nenhuma na vista dos homens. Todas viveriam com medo, trancadas em casa.Opa, parece que esse é o discurso que usam na hora de acusar mulheres de que elas são culpadas por assédio e violência né? "Não saia na rua sem dono, não confie em ninguém, fique trancada em casa, homem tem instito e não consegue se controlar".

Anônimo disse...

Ai, Bruno, se importar com uma coisa tão ridícula quanto um aplicativo de celular é tão... ridículo, não acha? Você não nada melhor para fazer com o seu tempo, não?

Roxy Carmichael disse...

fiquei aterrorizada com a historia
a autora do guest post teve uma atitude realmente muito altiva e digna.

acabei vendo o filme lola
nunca tinha ouvido falar
será que foi direto pra dvd? acho que sim. fiquei impressionada porque é um filme bem crítico e faz a relação direta entre a opressão das mulheres operarias e o tratado de livre comercio nafta.

SPOILER ALERT
é um filme que passaria no teste lola? no fim das contas j-lo e eva (a garota india violentada) é que se salvam uma a outra. personagem do bandeiras que a principio parece que vai salvar a j-lo, meio que tem um papel bem coadjuvante, e o final é muito bom, com a jornalista assumindo a redação do jornal mexicano, ou seja se comprometendo mesmo com os feminicidos de juarez (e não aquele velho recurso colonialista de personagem branco de passagem pelo terceiro mundo que aproveita pra salvar a lavoura assim como quem nao quer nada). e meio que também não se resume a final feliz, mostra que a violência continua, no entanto com mulheres com posturas mais afirmativas, se recusando a se reduzirem à condição de vitimas.
no mais, é incrível como sônia braga é maravilhosa! como envelhece bem essa mulher, uma elegância descomunal, sou fã!

Renato ripol disse...

Em virtude da repercussao do meu comentario volto novamente aqui pra tentar rebater as meninas que me responderam com pedras na mao, pra senhorita kitsu digo que em nenhum momento escrevi q mulheres sao seres inferiores, a senhorita tem problemas para interpretar texto ou esta sendo tendenciosa, me poupe da sua amargura e rancor feminista, para a senhorita paula digo que que a frase misandriaca "todo homem e um estuprador em potencial e amplamente difundida no meio feminista, a senhorita por estar inserida nele deveria saber, para a senhorita, elaine digo que a senhorita esta generalizando quando classifica todos os homens por baixo acaso vc ja conheceu todos? a mim vc nao conhece, no mais fico convencido que algumas de vcs nao estao mesmo evoluindo, ainda carregam odio no coraçao e mancham a imagem desse grupo

Renato ripol disse...

PS: Eu escrito algo a mais alem da parte que vcs estao criticando porque nao comentam algo sobre oque eu escrevi a respeito do post ao inves de ficar de picuinha, acredito que dessa forma poderiamos construir um debate saudavel que seria benefico a todos

Anônimo disse...

Lola, estou muito triste hoje. E lendo esse post fiquei com vontade de desabafar aqui mesmo. Eu trabalho em um centro de referência e assistência social de uma cidade do interior de sp. Ontem ficamos sabendo que um dos motoristas da secretaria de desenvolvimento social do município está abusando da moça que pediu transporte pois não tem condições de se deslocar para as consultas (ela é casada e está grávida) que são realizadas em hospital de outro município. Ainda por cima a diretora de planejamento disse que a culpa é da moça por usar roupa curta e estou quase certa de que nada será feito. Estou tão decepcionada que pensei em pedir exoneração. Acontece tanta coisa errada naquela cidade, mas dessa vez é algo muito próximo e pelo amor de deus, é dentro da própria secretaria de des. social. Trabalhei com esse motorista por quase um ano, todos os dias. Desculpe o desabafo. Eu preciso tomar uma posição diante do ocorrido e não sei o que fazer. Ragusa

Julia disse...

Bruno, enfia o Lulu naquele lugar.

Julia disse...

Renato, vá a merda.
Aqui não tem nenhuma "menina" não.

E acredite, a menor das minhas preocupações é a sua "felicidade" ou a de qualquer homem. Minha segurança é muito mais importante.

Renato ripol disse...

Conte me mais como me xingar faz vc se sentir mais segura

Anônimo disse...

Engraçado, não?? Nessas horas, o policial violento, que bateu no cara, com razão obviamente pois é um tarado abusador, vira o herói da história.

Quando convém o policial é bom, mesmo que bata no suspeito.

Anônimo disse...

Engraçado é você vir fazer um comentário idiota desses. Apanhar é o mínimo que ele merecia, não importa quem bateu!

Julia disse...

Não se sinta especial, Renato. Xingar idiotas é tipo um hobby meu.

Mas me conta como é frequentar lugares em que você não é bem-vindo. Você é masoquista ou algo do tipo?

Anônimo disse...

Tão xingando o Renato sem nenhum motivo. Eu sou homem mas odeio o machismo, mesmo que tenha me beneficiado dele várias vezes na vida. Mas também me prejudicou. Acho que a existência de mulheres com um comportamento raivoso assim como o de vocês é mais um sintoma dessa doença social chamada MACHISMO. A culpa não é de vocês. Mas vocês tão agindo errado. A culpa é do sistema que tanto lhes agrediu. E vocês ficaram mais duronas. Mas releiam o que o cara escreveu e verão que não tem nada de mais. DANIEL DO RJ

Anônimo disse...

E que coisa escrota essa de dizer que os homens não são bem vindos. .... lamentável

Renato ripol disse...

O fato de vc dizer q nao sou bem vindo nao faz com q seja verdade, vc faz oq toda pessoa sem argumento faz, apela para ofenças e palavreado chulo pode xingar a vontade se isso e a unica contribuiçao que vc tem a oferecer

Anônimo disse...

Haha, e esses homens generosos que vem aqui nos ensinar sobre o verdadeiro feminismo. Obrigada pela diversão, meninos, pq só rindo né!

Anônimo disse...

Senhoras...que tal passar a respeitar os homens feministas? Menos condenscendência seria legal...("vocês homens são tão burrinhos, saiam daqui") esse negócio que o feminismo é um movimento de mulheres, NOT!!! Sinto muito mas nós homens também estamos no movimento, cada um do seu jeito, errando e acertando, aprendendo e ensinando, e o nosso feminismo é diferente do de vocês. Aliás, pra cada ser humano, o feminismo é diferente. Há feministas cristãs, muçulmanas, pró-vida, de direita... a quem cabe julgar? Quero ver confiscar minha carteirinha!

André Regis disse...

Ah, me poupem. O cara vem aqui com um ar de sabichão, parabeniza as meninas e fala que elas estão evoluindo, e ainda quer ser levado a sério. Evoluindo na concepção de quem? Dele?

Pra mim só quem pode ser considerado feminista de verdade é mulher. Isso não impede que homens participem do movimento e nem significa que eles têm que se desculpar antes de opinar. Contudo, se eu estou num espaço destinado às mulheres num movimento feito pra mulheres predominantemente por mulheres eu acho de bom tom me comportar como quem tem algo a acrescentar e não querer dirigir o rumo das discussões ou agir como se elas precisassem da minha aprovação.

Parabenizar as meninas por achar que elas estão fazendo o feminismo da maneira correta é de lascar viu...

Renato ripol disse...

Andre regis e mais um que nao tem com que contruibuir e parte para o ataque se vc nao aguenta ver alguem dando opiniao nao leia os comentarios, porque vc diz que eu to dando uma de sabichao?, pq eu opino ao invez de agredir os outros? Ademais em nenhum momento agredi ninguem verbalmente o fato das moçoilas reagirem da forma que reagiram apenas mostra que sao seres primitivos, incapazes de viver em sociedade, pra terminar digo que nao sou femimista, nao sigo nenhuma ideologia baseada em ismos pois pra mim todas derivam de extremismo e nossas amigas que me apredejaram apenas reforçaram a minha concepçao

Julia disse...

Renato Ripol, você com a sua condescendência, arrogância e machismo de tabela, não é bem-vindo aqui. Ninguém aqui precisa da sua opinião e muito menos da sua aprovação.

Se tem alguém que mancha imagem aqui é você, e é a dos homens. Mas não se preocupa que o André Régis já limpou a barra de vocês um pouquinho.

Agora dá o fora!

Julia disse...

Daniel do RJ, errado está você em querer dizer como devemos agir. Temos que ser boazinhas, meiguinhas, é isso?

Espere sentado.

No mais o que escrevi para o Renato serve pra você também. O caminho da saída é a segunda à direita.

donadio disse...

"Engraçado, não?? Nessas horas, o policial violento, que bateu no cara, com razão obviamente pois é um tarado abusador, vira o herói da história.

Quando convém o policial é bom, mesmo que bata no suspeito.
"

Não me pareceu pelo relato que o criminoso tenha sido espancado por um policial, muito pelo contrário.

De qualquer forma, sim, você tem razão: é incoerente defender a violência, seja policial, seja a dos linchadores, somente em determinados casos.

Um crime não justifica o outro.

Não tem (tinha) delegacia da mulher na cidade em que o fato relatado no post aconteceu?

Julia disse...

Anon 20:58, estava falando com o Renato Ripol. E os machistas em geral.

donadio disse...

"Senhoras...que tal passar a respeitar os homens feministas? Menos condenscendência seria legal...("vocês homens são tão burrinhos, saiam daqui") esse negócio que o feminismo é um movimento de mulheres, NOT!!! Sinto muito mas nós homens também estamos no movimento, cada um do seu jeito, errando e acertando, aprendendo e ensinando, e o nosso feminismo é diferente do de vocês. Aliás, pra cada ser humano, o feminismo é diferente. Há feministas cristãs, muçulmanas, pró-vida, de direita... a quem cabe julgar? Quero ver confiscar minha carteirinha!"

Pronto... entrou na casa, sentou no sofá, ligou a TV, pôs as pernas em cima da mesinha... agora com toda certeza vai pedir uma cerveja. E depois reclamar que não está gelada.

Anônimo disse...

Respondo porque fui eu que comentei . Não, não quero cerveja. Quero respeito dentro de um movimento que é múltiplo e tem lugar para homens sim. A própria palavra FEMINISMO deveria ser usada sempre no plural, pois para cada simpatizante há um conjunto de conceitos e valores diferentes. Não existe um feminismo padrão.

Mordred Paganini disse...

Quando eu vou na casa de alguém, procuro me ambientar e agir de maneira polida até me sentir à vontade. Se sentir a vontade depende de como serei recepcionada pelos meus anfitriões.

Os homens são CONVIDADOS no feminismo. O que quer dizer, que precisam pedir para ir ao banheiro, copo d' água e o que quer que seja.

Entendeu? CONVIDADOS. Não protagonistas e com certeza, não os donos da casa.

donadio disse...

É isso, Mordred...

Mas pelo visto esse convidado aí acha que chegou com muita bagagem... então deixa eu verificar a bagagem do moço.

Anônimo das 20:12, você leu Simone de Beauvoir? O que você acha do debate entre Rosa Luxemburgo e Clara Zetkin? Você sabe a diferença entre feminismo "radical" e feminismo liberal? E entre os dois e feminismo marxista? Qual sua opinião sobre a questão da "revalorização do feminino"? O que você acha da teoria do valor-dissociação?

Anônimo disse...

Donadio: tudo que eu sei, aprendi aqui nesse blog, que leio há 01 ano. Estou lendo retroativamente. Já cheguei aos posts de 2010. Sinto muito mesmo por ter dado uma opinião e por ter pedido por respeito. Desculpa também pelas agressões gravíssimas que eu escrevi acima. Eu não sabia que tinha que passar primeiro pelo cursinho onde você é professor. Você é muito sabido. Parabéns. Deve ser muito rico. E desculpa por não pedir licença. Eu imaginei que, a partir do momento em que essa caixa de comentários tem uma moderada, isso já contava como um pedido de licença. Nunca mais comento no seu blog tá, seu alfa fodão.

Renato ripol disse...

bom eu tava mudando minha opiniao a respeito do feminismo, ja tava começando achar que era uma coisa boa porem mulheres como a julia e as outras me fizeram voltar a acreditar que o feminismo ainda é uma praga que precisa ser combatida mulheres como a julia e essa tal de donadio se tiverem poder nas maos servirao os homens em uma bandeja com um salto enfiado na boca pois sao misandriacas, o feminismo so vai ser levado a serio quando nao acolher pessoas desse tipo mas por enquanto continua sendo machismo as avessas

donadio disse...

"Donadio: tudo que eu sei, aprendi aqui nesse blog"

É pouco, pelo visto, ou você está lendo mal.

"Sinto muito mesmo por ter dado uma opinião e por ter pedido por respeito."

Você não deu uma opinião, tentou impô-la.

"Desculpa também pelas agressões gravíssimas que eu escrevi acima."

Ninguém falou em agressões, muito menos gravíssimas. Foi-lhe dito que a casa não é sua, que você está se comportando como uma visita de cerimônia que de repente começa a agir como se fosse íntimo da casa. Foi-lhe dito também que você não trouxe bagagem para se instalar como dono da casa.

"Eu não sabia que tinha que passar primeiro pelo cursinho onde você é professor."

Obviamente não tem. Mas quem diz o que quer, ouve o que não quer; "liberdade de expressão" é uma via de mão dupla; o seu direito de dizer o que quer não suprime o direito dos outros de criticar o que você diz.

"Você é muito sabido."

Obrigado.

"Parabéns. Deve ser muito rico."

Não sou.

"E desculpa por não pedir licença. Eu imaginei que, a partir do momento em que essa caixa de comentários tem uma moderada, isso já contava como um pedido de licença."

Não sei exatamente como funciona a moderação deste blog. Sou tão convidado como você aqui. Mas se você prestar atenção, vai ver que há dezenas de comentaristas e centenas de posts que divergem da blogueira de forma até bem agressiva. Eles passam pela moderação, e não passam pela crítica dos outros comentaristas. Portanto, não, o fato de haver uma moderação não substitui o dever de ser bem-educado.

"Nunca mais comento no seu blog"

Oi?

O blog não é meu, é da Lola.

"tá, seu alfa fodão."

Oi? Não sou eu quem vai no blog dos outros dizer o que pode e o que não pode.

André Regis disse...

Aí já acho que a discussão tá se perdendo...

Como assim checar a bagagem de alguém? Quer dizer que pra participar de alguma coisa, ou opinar sobre alguma coisa, há a necessidade de um catatau de leitura prévia? Não basta somente acreditar na igualdade?

Na MINHA opinião homens não podem ser feministas, no máximo apoiadores. Mas aí já é a MINHA opinião. E do mesmo jeito pode ter gente que pense de forma diferente. E então?

Quem distribui as carteirinhas feministas? Tem que fazer uma prova? É média 7? Tem uma fase de avaliação social? Quem é a banca?

Anônimo disse...

Olá Lola! Sempre acompanho seu blog e gostaria de dividir com você algo que me deixou totalmente indignado desde que encontrei. Tem um sujeito (não dá pra chamar de pessoa uma coisa dessas) espalhando pela internet páginas de conteúdo absolutamente repugnante; o conteudo de tais paginas contem todo o tipo de preconceito: contra mulheres (que ele diz serem todas unicamente escravas sexuais), contra religião (diz que as evangélicas são prostitutas e os muçulmanos estupradores), contra raça (especialmente negros, nordestinos e asiáticos), além de conterem insinuações diretas ao estupro e à pedofilia. São inumeras páginas, vou lhe enviar o link de uma delas, onde se encontram endereços dos outros sites:
educaprostitutas.blogspot.com
Mais uma vez aviso: o conteudo é repugnante. Por isso decidi me reportar a voce, pois, assim como eu, voce tambem não suporta tal tipo de coisa. Já denunciei inumeras vezes a página mas nada foi feito. O responsável por essa página tem que ser encontrado, tudo indica que ele é mais um pedofilo a solta.

Anônimo disse...

Não, criança anônima de 08:29.
Não estou falando do crime que ela sofreu, estou falando do descaso com o qual ela foi tratada pelas autoridades constituídas.