sexta-feira, 27 de setembro de 2013

LEGALIZAÇÃO DO ABORTO, PELA VIDA DAS MULHERES

Amanhã, dia 28 de setembro, é o Dia Latino-Americano e Caribenho pela Legalização do Aborto, uma data importante, de luta. Somos um dos países mais atrasados do mundo em matéria de direitos reprodutivos. E os fundamentalistas religiosos não sossegam em querer criminalizar o aborto ainda mais.
A CFEMEA monitora o que o Congresso vem fazendo em relação ao aborto, e a conclusão é terrível: "Dentre as 34 proposições acompanhadas pelo CFEMEA no tema 'Aborto', 31 propõem retrocessos graves à legislação. A ofensiva contra os direitos das mulheres prevê propostas como: transformar a interrupção da gestação em crime hediondo, o disque-aborto [que visa convencer quem liga a não fazer um aborto], 'casas de apoio' à gestante -- para dissuadir as mulheres da decisão de interromper gravidezes decorrentes de estupro --, e o fim da distribuição da 'pílula do dia seguinte', dentre outros".
Vai muito além do Estatuto do Nascituro! (clique para ampliar)

Precisamos falar sobre aborto. Mostrar que uma em cada cinco brasileiras até os 40 anos já realizou um aborto. Ou seja, as chances de você ser ou conhecer uma mulher que já abortou são enormes. E você realmente considera essas mulheres criminosas?
Alguns comentários anônimos de leitoras aqui do blog que já realizaram aborto

"Eu abortei aos 20 anos, uma gravidez acidental. Queria muito ser mãe e foi muito difícil tomar a decisão de abortar quem viria a ser meu filhinho, mas preferi ainda assim a abortá-lo do que mantê-lo.
Ainda não estou pronta, não tenho dinheiro nem pra me cuidar, e sentir na pele a possibilidade de ser excluída e condenada pela própria família por engravidar nova é horrível. Meu namorado me acompanhou durante todo o processo e foi um amor e me apoiou e apoiaria fosse qualquer a MINHA decisão. 
Porque ele sabia que o peso dos milhares de julgamentos alheios e o peso da criança estariam sobre e sob o MEU corpo.
Após abortar, clandestinamente e com muito medo (ainda bem correu tudo tranquilamente), levei muitos meses chorando e sem conseguir receber carinhos do meu namorado, que ainda foi muito paciente e compreensivo.
Faz um ano que abortei, não me arrependo. Sei que futuramente serei uma mãe muito melhor do que estaria sendo agora. E meu namorado e eu continuamos juntos nos amando e fazendo planos.
Aconteceu assim e não importa o que os anti-aborto digam, foi o melhor a ser feito. Meu corpo não é problema de vocês, muito menos minha felicidade."

"Eu fiz um aborto as 19 anos de idade. O maior sofrimento da minha vida foi entre quando descobri que estava grávida e a terminação da gravidez. 
Eu fiquei deprimida, chorei... preferia morrer do que ter um filho naquela época. Eu ia fazer intercâmbio no exterior, meu namorado era um idiota que não me largava, a situação financeira na minha família estava péssima... 
A ideia de me estagnar naquela vida por causa de um bebê e desistir dos meus sonhos me consumia. Eu não conseguia ver NENHUMA positividade em ser mãe. 
Comprei pela internet o cytotec, que era falso e não funcionou. Comprei de outra pessoa e era o original. Eu já estava de 12 semanas, mas mesmo assim, não foi horrível, dolorido... uma dor de cólica forte, com sangramento.
Como ninguém sabia, me levaram pro hospital, eu falei que estava sofrendo aborto espontâneo. Me deram medicação, e no outro dia fiz a curetagem. 
Foi um alívio TÃO grande não estar mais grávida. 
Nenhuma culpa e ponto. Foi a melhor decisao da minha vida. Não gosto de pensar o que teria acontecido comigo se não tivesse sido o corajosa suficiente pra ter feito tudo sozinha sem saber o que ia acontecer.
Morei dois anos no exterior, viajei o mundo, fiz faculdade, vivi minha juventude, tenho um namorido tudo de bom.
Não senti muita diferenca entre o aborto e uma menstruação mais pesada. E apesar de ter tido uma educação religiosa, pra mim não fazia sentido nenhum que a vida do feto (que sim, já tinha x centímetros e uma certa formação física mas não tinha consciência) fosse mais importante que a minha vida."

"Ainda fico impressionada com o nível da discussão sobre o aborto, com os clichês que são acionados toda vez que se fala nisso e com a postura tacanha daqueles que dizem "fecha as pernas".
Fiz um aborto em 2003, quando estava no meio do curso de graduação e tinha trocado de pílula. Comprei o Cytotec em frente à uma maternidade da minha cidade com um sujeito que tinha o apelido de Pastor. Por sorte, o remédio não era falsificado e surtiu o efeito desejado, durante a noite, em casa mesmo senti uma cólica muito forte que veio acompanhada de uma diarreia dos diabos, passei a noite sem dormir direito mas estava feliz pois não me identificava com aquelas células que estavam se dividindo dentro do meu corpo.
Bem, só tinha dinheiro pra comprar os medicamentos e marcar uma consulta na ginecologista, ela pediu um exame e eu descobri que tinha que fazer curetagem. Essa foi a parte difícil pois, sem grana, fui ao SUS. 
Fiquei em uma ala cheia de mulheres que estavam lá pelas mesmas razões que eu, todas elas sofrendo pelo fato de ter feito o aborto nas condições que era possível, sem ajuda, sem garantias, com medo e no final ainda tendo que passar pelo constrangimento de explicar para a equipe médica que tínhamos cometido um crime (não ouvi nenhum relato de culpa ou arrependimento pelo aborto em si, apenas pelas condições que a criminalização obrigava). Alguns membros da equipe nos olhavam mesmo como criminosas. 
Enfim, passou, fui pra casa e não tenho (nem nunca tive) nenhuma sombra de culpa ou remorso.
Obrigar mulheres a ficarem na criminalidade quando algo devia ser direito, impor uma visão de mundo a todos, mesmo àqueles que pensam diferente, pra mim esse é o crime mais feio e cruel!"

Já faz um tempinho, um leitor antigo e querido, Allan Patrick, delegado da Receita Federal, escreveu isso:
"Vou escrever um comentário destinado a quem, como eu, é contrário ao aborto.
Existem várias maneiras de lidar com essa questão. No Brasil, optamos pela solução via Código Penal. O problema é tratado por policiais, delegados, promotores e juízes. 
Resultado: estima-se que para cada 100 nascimentos no Brasil, ocorrem 30 abortos. Portanto, se você é a favor do status quo legislativo, você é um defensor desse número. É isso aí que 50 anos de Código Penal criminalizando o aborto produziram.
Nos países nórdicos, onde houve uma opção pelo estado de bem estar social em detrimento do Código Penal, há uma ampla disponibilidade de creches e escolas públicas em período integral, dentre outras facilidades para o exercício da maternidade. Resultado: o índice gira entre 15 e 20 abortos por 100 nascimentos.
Esse é o resultado de 50 anos de welfare state.
Portanto, se voce é realmente contra o aborto, como eu sou, comece hoje a convencer as pessoas que ao invés do Código Penal devemos utilizar o serviço público social para diminuir o número de abortos".

Enquanto isso, aqui no Brasil, a cada dois dias uma mulher morre vítima de aborto inseguro, como revela esta excelente reportagem feita pela Agência Pública. 
A reportagem lembra que há diferença entre aborto clandestino (que pode ser seguro, mas é feito ilegalmente) e aborto inseguro. 
A mulher pobre que faz aborto inseguro tem mil chances a mais de morrer que a mulher que faz aborto clandestino. Mas é público e notório que os "pró-vida" não dão a mínima pra vida das mulheres. Tudo que eles querem é salvar uma célula, um embrião, um feto. Depois que ele nasce, vire-se, é cada um por si e Deus por todos, e não venha querer um Estado babá. 
E é sempre ele. Você já deve ter percebido que, sempre que os fundamentalistas religiosos (sim, gente, não vamos nos iludir: a disputa contra a legalização é religiosa, a razão do aborto não ser legalizado é religiosa -- ou seja, insustentável num Estado que deveria ser laico) falam no feto, eles se referem a um bebê homem e branco. Sempre. E, lógico, com oito ou nove meses de formação (clique para ampliar):
Como são as gravidezes e os abortos vs o que os "pró-vida" pensam 

Outro dia recebi email dizendo que, a partir do exato momento da concepção, o "bebê" começa a dialogar com a mãe. O que me leva a crer que aulas de educação sexual estão em falta nas escolas. (É só ver a choradeira que foi a reação à notícia de que seria possível fazer uma "pílula do mês seguinte"). 
Um vídeo que faz muito sucesso (não vou linká-lo aqui) é a da realização de um aborto, via sucção (os "pró-vida" ainda não sabem que a maior parte dos abortos hoje é feita através do Cytotec, um comprimido), com a narração de um bebê com voz masculina, lógico, dizendo "Mãe, não me mate". Os bebês dos pró-vida são muito precoces: falam antes mesmo de nascer!
Como os "pró-vida" veem as mulheres: receptáculos de bebês
Mas é baseado nessas pessoas de pensamento medieval que o aborto segue criminalizado (cada vez mais!) na América Latina, no Caribe, na África. Não por coincidência, nos continentes mais miseráveis do mundo. Até quando?

103 comentários:

Alice Pereira disse...

Sou pró-escolha! Sou pró-mulher! Por isso sou contra o aborto, afinal, 50% dos bebês abortados são mulheres que não tiveram o direito de escolha sobre o próprio corpo respeitado.

Vanessa Zizzari disse...

Lola, sou a favor do aborto, mas preciso te falar uma coisa: legalizar o aborto é mais difícil do que você pensa.
O Brasil é membro e ratificou a Convenção Interamericana de Direitos Humanos. Essa, diz o seguinte no capítulo "Direitos Civis e Políticos":

Artigo 4. Direito à vida

1. Toda pessoa tem o direito de que se respeite sua vida. Esse direito deve ser protegido pela lei e, em geral, desde o momento da concepção. Ninguém pode ser privado da vida arbitrariamente.

Além disso, a Constituição Federal diz o seguinte:

DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOs, Art. 5º § 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às emendas constitucionais. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) (Atos aprovados na forma deste parágrafo)

Portanto, o direito à vida desde a concepção no Brasil tem valor constitucional. Sendo assim, só há duas maneiras de o aborto ser legalizado no Brasil: Convocar uma nova Assembléia Constituinte, algo que não acontece desde 1988, ou se o Brasil se retirar da Convenção Interamericana de Direitos Humanos. Vale lembrar que o único país da América do Sul que hoje não faz parte da convenção é a Venezuela que se retirou em 2011.
Portanto, acho mais importante focarmos em "meios alternativos", ou invés de tentar legalizar o aborto.

Gosto muito do blog.
Beijos.

cátia disse...

tem razão,ninguém deve se meter na decisão do outro,então se o cara ou uma mulher achar que pode e deve matar seu vizinho,todo mundo tem que ficar quietinho pq é um direito deles.

ou se uma pessoa não gosta de animais e estiver espancando um bem na minha frente,embora eu ache isso errado e abominável,eu devo ficar neutra e deixar que bicho seja morto.

cátia disse...

e quais são os ótimos argumentos de quem é a favor do aborto?

"vou abortar porque eu quero"?

"n usei camisinha,nem pílula ,mas engravidei sem querer,eu não queria,juro..."?

" existe pílula do dia seguinte,mas eu n vou tomar,pq tem efeitos colaterais"

como se a camisinha estourasse sempre e tivesse que tomar isso toda hora e como se nenhum remédio tivesse efeito colateral.então é melhor arriscar uma gravidez e depois abortar.

nossa,argumentos incríveis...

Aninha disse...

Puxa, estava esperando alguém falar mais dessa pílula do mês seguinte, porque com as informações que encontrei não me pareceu uma boa ideia.

Pelo que entendi, você tem relações sem proteção e tem até um mês para tomar o tal remédio. É isso?

Ana disse...

minha vizinha engravidou e fez um aborto e assim como muitos nessa situação,disse que foi "sem querer".
o "sem querer" dela quer dizer que não tomava pílula e nem usou camisinha.

se as pessoas fossem responsáveis na hora do sexo,o número de abortos com certeza diminuiria,a realidade é essa ,bem diferente da desculpa de quem é a favor do aborto,de que todo mundo se previne muito bem e que são os métodos contraceptivos que sempre falham.

falham sim mas não na proporção que eu li aqui uma vez,que 80% das gravidezes foram totalmente "sem querer" porque falhou tudo.
se a camisinha e a pílula não estão prestando para mais nada,é melhor nem usar.

Helen Pinho disse...

É uma questão urgente, uma questão de saúde pública. Regulamentação do aborto por favor!

"Sou pró-escolha! Sou pró-mulher! Por isso sou contra o aborto, afinal, 50% dos bebês abortados são mulheres" ... Não tem nem o que comentar sobre isso, já vi uma variante onde a pessoa se dizia feminista, por isso contra o aborto, pois 50% de fetos abortados possivelmente seriam do gênero feminino (????). Feminista não luta só por mulher, luta por todos indivíduos. Colocar células a frente de um ser humano nascido, consciente, formado, justificando pelo possível gênero desse é bizarro.

Helen Pinho disse...

Lola tava esperando teu post sobre o assunto, amanhã é um dia de luta, de lutar pela vida, vida sim - vida de todas as mulheres! Obrigada ótimo texto.

Anônimo disse...

É você que escolhe o que faz com seu corpo? Excelente!
Mas peraí. Que eu saiba, o seu corpo não tem dois corações, quatro braços, quatro pernas, dois sistemas nervosos centrais...

Helen Pinho disse...

se as pessoas são irresponsáveis na hora do sexo e não querem ter esse filho, obrigá-las as ter é bom pra quem? pra ti? por que obrigar alguém a ser mãe, ser pai não é bom, qual vão ser as condições da criança que nascer? não importa né, o importante mesmo é fazer de um tudo pra ela nascer, depois, que se vire.

Helen Pinho disse...

"Mas peraí. Que eu saiba, o seu corpo não tem dois corações, quatro braços, quatro pernas, dois sistemas nervosos centrais... "

Mas peraí o seu espermatozoide quando entra em contato com o óvulo (ou vice-versa) tem tudo isso? coração, braço, perna, sistema nervoso central assim na hora, tipo puff e tudo se desenvolveu? que dimais!!!

Drica Leal disse...

Se a preocupação dos "pró vida" é exclusivamente com a criança, podemos estabelecer um programa nacional onde nenhuma mulher aborta, mas os pró-vida ficam obrigados a cuidar das crianças indesejadas que nascerem. Topam?

Não, péra, eles estão se lixando para as criancinhas, o negócio e impedir que a mulher decida sobre algo que só acontece no coprpo dela. Ou então é uma questão de "punir" mulheres com a gravidez e filho porque fizeram sexo, foram "irresponsáveis", blá, blá, blá. Acertei?

Alessandro Bruno disse...

As mulheres que não querem filhos podem dar pra adoção, muitas pessoas defendem MATAR (abortar pra mim é um eufemismo) uma criança por motivos fúteis e para defender suas ideias usam casos que são exceções para justificar a regra.

Em casos extremos, como estupros e problemas sérios de saúde, o juiz autoriza aborto, não vejo nenhum outro motivo para se matar um ser inocente.

E claro, a mulher tem direito de dispor de seu corpo - mas todo direito acaba quando começa o direito do outro; o direito a vida deve se sobrepor a qualquer outro.

Thaís B disse...

Lá vem os "pró-vida" defender tanto um amontoado de células, como se formasse um bebezinho miúdo na hora que o espermatozoide se une ao óvulo. "Pró-vida" só dentro da barriga, quando o bebê nasce aí ninguém se importa, ninguém quer adotar, é "só" largar em um orfanato e dane-se se a criança irá crescer com amor e toda estrutura necessária para viver bem. MAS NÃÃÃOOO, pros pró-fetos basta estar vivo que tá tudo numa boa, o resto é frescura. Mais frescura ainda é em relação a mulher, não é? Dane-se se ela têm condições (psicológicas e financeiras) para cuidar de uma criança.
Afinal, um mero embrião ou feto, que praticamente tem nada formado, é muito mais importante que alguém uma pessoa.

"Lobo Mau disse...
Drica Leal, filho é a coisa mais maravilhosa do mundo, se eu pudesse tinhas uns 30 mesmo. Guarda esse seu ódio pras coisas ruins desse mundo. Filho não é fardo pra ninguém"

Nem todo mundo quer filho. Não são todas as mulheres que são preparadas pra cuidar de um filho. Nem todas têm o tal "instinto materno".
Você não ter condições de adotar as 30 crianças tudo bem, você pode escolher não ter, mas a mulher que não pode cuidar sequer de um tem que se virar querendo ou não né? Afff Hipocrisia.

Helen Pinho disse...

Filho não é fardo pra ninguém. Então por que nossos orfanatos estão cheios, por que nossas ruas povoadas por crianças abandonadas, cadê esses pais FELIZES? Por que não estão com seus filhos? É ótimo amar seus filhos, nenhuma criança merece não ser amada, por isso que pessoas que NÃO QUEREM ter filhos precisam ter o direto de não ter.

Orfanatos esses lugares lindos e fofos. É uma ótima perspectiva para o sagrado feto.

domingosjornal disse...

Anh, ok. Há quem seja contra o aborto. Mas estou curioso para saber o que eles fazem para:

- Melhorar a área de obstetrícia do SUS. Assim como o restante da rede, essa área está sucateada. Não é raro que infecções acabem matando o bebê recém-nascido e até mesmo a mãe;

- Disponibilizar mais pediatras, pois bebê adoece fácil;

- Disponibilizar mais creches, pois em 40% das famílias brasileiras as mulheres ainda tem de garantir o pão de cada dia e ela não pode levar o bebê pro trabalho todos os dias;

- Incentivar que grandes empresas tenham uma creche para que xs funcionárixs possam trabalhar em paz, sem precisar se preocupar com o rebento;

- Oferecer educação integral e de qualidade nas escolas públicas para que a criança não precise ficar solta no resto do dia enquanto seus pais trabalham;

- Oferecer segurança para que essa criança não sofra com a criminalidade;

Nada disso é feito por esses grupos. Desconfio que tudo o que querem esses grupos é ter mais fieis para as igrejas. E só.

Sara disse...

Além da religião tem mais alguma coisa muito podre por traz dessas politicas sobre os direitos reprodutivos, e não me venham falar que essas politicas são motivadas pela defesa da vida, pois é mais que obvio que não é, basta ver o numero enorme de mulheres plenamente formadas e pensantes com a vida já estabelecida mortas por essas politicas.
Essas pessoas que continuam defendendo essa infâmia são massa de manobra para aqueles a quem interessa esse estado de coisas.

Sara disse...

Só dá pra sentir é muito nojo pelas pessoas que mesmo sabendo as consequências da proibição do aborto no nosso pais, continuam nessa falácia de defender uma perspectiva futura de vida e condenando a morte milhões de mulheres que apenas buscam o direito sobre o seu próprio corpo, pra mim essa gente fede...

Beatriz Correa disse...

Gente, mas os trolls aqui estão ativos que é uma beleza!

Estou me matando de rir do monte de baboseira que acabei de ler, putz...


Aliás, ótimo post Lola!

Sarah Santos disse...

Abortar é um ato covarde praticado por pessoas covardes.Hipocrisia e muita cara de pau alguém dizer que sofreu ou sentiu culpa ao MATAR o feto por que engravidou por acidente e não estava preparada pra ser mãe.
Abortar por motivos fúteis é tão asquerosos quanto estuprar.Tudo é crime.
Quando se decide ter vida sexual,a pessoa deve ter pelo menos caráter pra aguentar as consequencias de seus atos.
Quem aborta deveria ficar estéril pro resto da vida.Até animais tem mais respeito por suas crias do que seres humanos.

Raquel Altoe disse...

Sou pró-vida, vida das MULHERES

Elaine Pinto disse...

Engraçado. De repente aparece um monte de pró-vida e, curiosamente, é gente que nunca comentou no blog da Lola antes.

Graciema disse...

Não é um tema com o qual me sinto confortável, mas ver a posição dos 'pró-vida' é de tanto ódio (e coincidentemente, costumam ser os mesmos a favor da redução da maioridade penal, que não condenam o assassinato dos jovens pela policia, que são contra a 'bolsa vagabundo, etc...) que a impressão inequívoca que me fica é: não somos pela vida não. Só a dos fetos. Não se pode abortar, mas a policia matar depois é ok...passar fome é ok. Não ter escola ou creches full time, condenando essas mães a pobreza é ok, pq afinal, o Estado não pode ser pai e onerar os taxes payers. Mas criminalizar as mulheres que escolhem é ok. E só as mulheres.

O discurso pró-vida é um discurso de ódio. Ódio às mulheres, essencialmente, mas se estende à outras minorias. Curiosamente, todos os bebês dos cartazes são meninos brancos...

Filho não é fardo é de uma mentira tão gritante, que só posso rir disso. Pode não ser, se você tiver muito dinheiro, e deixar a mulher tomar todas as providencias para o bem estar deles. Caso contrário, é um fardo e muito pesado. Filhos custam muito, são um peso psicológico grande, e exigem muito tempo. Não é só chegar em casa depois do trabalho e brincar meia hora com eles. E olha, meus filhos são a maior alegria da minha vida. Mas tê-los me privou de muita coisa sim, e tenho a responsabilidade de prover, educar, formar, cuidar da saúde e assim por diante de dois seres humanos. Não creio que haja responsabilidade mais pesada que essa. Tem alegria, e muita. Amor, e muito (ao menos na minha vivencia). Mas não encarar ter filhos como uma responsabilidade pesada é tão leviano pra mim, que em minha opinião, quem não o faz não deveria tê-los.

Como disse antes, não é um tema confortável para mim. Acho que os pró-escolha necessitam retirar qualquer humanidade do feto e embrião (e não digo que eles sejam cidadãos aqui, com os direitos fundamentais do cidadão) para poderem defender sua posição, e os os pró-escolha necessitam demonizar a mulher que aborta, num ódio contra a mulher que fez sexo, culpando-a por tudo e forçando-a a ser mãe (ao mesmo tempo que defendem que ser mãe é sempre lindo e maravilho, que filho não é um fardo, etc, etc etc...). Não posso deixar de constatar ai a perpetuação dos arquétipos tradicionais da mulher: a virgem, que não fez sexo, logo não aborta,a mãe, sagrada (e acho que a reação extremada à uma mulher que aborta possa ser também a reação visceral contra uma mãe que opta por não sê-lo, o medo de Medéia), e a puta (a mulher que faz sexo) que merece tudo o de ruim que possa acontecer a ela.

O argumento de que animais têm mais respeito por suas crias é improcedente. Animais abandonam suas crias também, e se nascem num período em que a mãe não tem condições de criar, é comum que ela os coma, herbívoros inclusive.

Mas vejo um problema, talvez semântico, no 'pró-escolha'. Ás vezes, simplesmente não há escolha alguma possível, afora o aborto. Se as condições fossem melhores, creio que muitas dessas mulheres que realizam abortos clandestinos não o fariam. Fica uma discussão bem classe média da situação. Mas aparentemente se esquecem de que ainda temos milhões de brasileiros abaixo da linha da pobreza (e pra quem não tem o que comer, ou dar de comer aos filhos), e da penúria de nosso sistema publico de saúde. Achar que anticoncepcionais estão sempre disponíveis a qualquer um, e que tem um posto de saúde bem abastecido a uma distancia de caminhada de todo brasileiro é coisa de gente que vive no Brasil urbano de classe média. E antes que encham o saco, não, nem todo brasileiro miserável ganha bolsa família. Tem gente tão afastado geograficamente, ou socialmente, de ter acesso a isso, que tá excluído ainda.

Ah, mas esqueci. Fecha as pernas. Viva a vida inteira, casada inclusive, em abstinência. Tenho certeza que sua marido vai achar ótimo e vai ser muito saudável.

Acho que a melhor ótica para esta discussão é a da saúde publica mesmo. De outra forma, não vejo entendimento possível.

Elaine Pinto disse...

Graciema: a maioria dos pró-vida que eu conheço são a favor da pena de morte. Coerência passou longe!

Sarah Santos disse...

O que foi Elaine,incomodada que existam mulheres que são contra aborto.Que acham esse ato uma monstruosidade?Na falta de argumentos já começaram as insinuações de que não passamos de fakes?
Não devo nada ao feminismo,essa mania que vcs tem de serem consideradas as donas da razão é patético.

Elaine Pinto disse...

Incomodada, eu? Hahaha, pelo seu comentário, eu diria que incomodada quem ficou foi você. E se a carapuça de fake lhe serviu... Nada posso fazer. Nem me referia a isso, mas você tem toda razão, parece mesmo um monte de perfil inventado.

camilo alberti disse...

Aqui no Uruguai,após ser despenalizado o aborto os´´pró-vida´´ ,moralistas e religiosos,promoveram um abaixo assinado,para,que fosse realizado um referendo,e,assim obter um plebiscito.Eles deveriam obter 25% de votos a favor para legitimar o referendo e passar a um plebiscito,chegaram apenas a 8,8%. Esse resultado mostrou que o 91,2% dos eleitores estao a favor do aborto legal e seguro.

Sarah Santos disse...

Eu incomodada?rsrsr Seu sonho querida.Vestir carapuça de fake?Os verdadeiro fakes mostram a cara e tentam pagar de indiferentes e espertos.
Só tentam,é claro.
Da próxima vez ignore meu bem,seja mais inteligente,responder só reforçou a certeza que eu já tinha.
Espero que não tenha doído muito.
Hahahaha

Graciema disse...

Pois é Sarah. É esse tipo de ódio que você expressa nas falas que me leva a conclusão de que os pró-vida não são pro-vida...são anti-mulheres, essencialmente.

Sara disse...

Q boa noticia Camilo Alberti, diante de tantos retrocessos que temos visto aqui na América Latina em relação a esse que deveria ser um DIREITO da mulher, é bom saber que pelo menos ai no Uruguai, o direito da mulher sobre seu próprio corpo esta sendo respeitado.
Espero que um dia o mundo todo repense sobre os direitos reprodutivos, e que pessoas que se acham no direito de ignorar esses direitos que a mulher deveria ter, não sejam mais que uma triste lembrança da ignorância que um dia imperou nesse mundo.

samira lopes disse...

domingosjornal, exatamente como,ser a favor do aborto vai trazer todas as melhorias que você disse?

pelos comentários que eu já vi dos que são a favor do aborto,tenho quase certeza de que se for legalizado ,o número de abortos vai aumentar.
reparei que toda vez que alguém fala sobre ter responsabilidade pela própria vida e pelos próprios atos,gera muita irritação.

e é isso que falta mesmo,principalmente para aqueles que adoram dizer que engravidaram sem querer,muitos não estão nem ai para métodos contraceptivos,não usam e quando usam é de forma errada,mas para que mudar isso se pode abortar n é?
para que tomar vergonha na cara e ter cuidado com o próprio corpo ?
para que,se é mais fácil sair por ai transando sem pensar em nada,sem cuidado nenhum e depois se engravidar,azar do feto.


esses exemplos que vocês adoram usar,da mulher pobre que não tem onde cair morta e não pode ter filho,a própria situação dela já seria uma forte razão para se prevenir direito.
não seria mais eficaz uma conscientização da camisinha e pílula,para ver se finalmente isso entra na cabeça das pessoas?

e falaram ai que milhões de mulheres morrem por abortarem kkkkkkk nossa como é que ainda tem mulher no mundo?
vocês tem que exagerar mesmo para tentar validar esse absurdo.

Suzana Neves disse...

Eu era radicalmente contra mas depois que fui mãe mudei de ideia,crianças exigem energia paciencia e sabedoria que a maioria das pessoas ñ tem,só acho que utero ñ aguenta uma serie de abortos tomar cuidado faz bem para saude porque um aborto tb pode foder com a mente tem que ser forte imagino,eu ñ tenho coragem assumo os riscos e tenho o filho.

Caos disse...

Foi fugir do tópico, mas, vocês viram a nova propaganda da Hope?
Gente, se não é tão babaca quanto a com a Gisele Bundchen, é pior!

Vou deixar o link aqui:
https://www.youtube.com/watch?v=cTZigsuVdEM

Nojo define.

Graciema disse...

Samira,

Você falar da mulher pobre como tendo mais razão pra se cuidar dessa forma, só quer dizer que você não tem a menor ideia de como elas vivem, e onde elas vivem.

O mesmo discurso de ódio às mulheres (independente se foi descuido mesmo, falha de anticoncepcional, falta de acesso ao mesmo, n razões). Abriu as pernas, sua puta! Se fode ai agora! E se morrer no processo, é mais que bem feito. Se tiver sequelas, melhor ainda. Pq mulher que faz sexo sem ser pra procriar tem é que se foder mesmo! Sua monstra! (E se já tiver outros filhos, fodam-se eles também. O mais importante é salvar o feto - enquanto estiver na barriga da mãe. Depois, pode morrer, ou viver em condições horrendas que eu ligo a minima. Nós somos a sociedade que aplaude a chacina de jovens negros e viramos o rosto pras crianças de rua).

(sim, estou usando palavras de baixo calão. Os argumentos geralmente são mais delicados, mas expressam a mesma coisa).

E é claro que o seu achismo é maior o que de estatísticas da WHO. Ou da série de estudos que falam da diminuição de abortos nos países onde ele foi legalizado.

Me desanima, ver tanto ódio às mulheres ainda, em pleno século XXI. Mas seria utopia achar que nossa longa historia ocidental de ódio, despreza e invibilização das mulheres fosse apenas desaparecer. So muda a roupagem.

Drica Leal disse...

Lendo as opiniões dos "pró-vida" fico chocada em como eles formam opiniões baseados apenas em seus preconceitos estúpidos e não tem NENHUMA noção da realidade. Sequer buscam informações empíricas sobre o tema, porque são tão fechados em seus preconceitos que tem dificuldade em lidar com o tema de forma honesta e realista. Até agora, nenhum "pró-vida" trouxe à discussão dados reais, apenas achismos e opiniões cuja única base é a visão totalmente distorcida que eles tem sobre mulheres,.

Os pró-vida ignoram dados mundiais que comprovam que o perfil da mulher que aborta não é o da "jovem vadia irresponsável que transa com qualquer um e não se previne", mas que geralmente ela é uma mulher casada ou num relacionamento estável de anos e que, pasmem, já tem filho(s).

Os "pró-vida", na sua sanha de apregoar que a gravidez e criar o filho devem servir como punição para a mulher "irresponsável", ignoram que nos países onde o aborto é legalizado e a discussão não passa por esse viés moralista, o número de abortos diminuiu considerávelmente, justamente porque para as mulheres desses países os "pró-vida" fazendo terrorismo moral em cima delas não influenciam a justiça nem o sistema de saúde, então, elas podem decidir de forma racional se querem levar uma gravidez adiante ou não, sem essa perspectiva do filho ser uma obrigação ou punição por ela ter sido uma "vadia insensível e irresponsável" como os estúpidos "pró-vida" brasileiros fazem parecer na abordagem deles.

Os "pró-vida" ainda não se tocaram de que, apesar da criminalização, do terrorismo psicolólogico que eles fazem contra as mulheres brasileiras e da perseguição, os abortos clandestinos no Brasil só aumentam. E tudo porque aqui a mulher não tem autonomia sobre o próprio corpo e não é considerada um ser humano caoaz de tomar decisões, apenas um receptáculo para o feto, que é soberano sobre a vida da mulher. Afinal, vivemos num país extremamente machista, onde não se admite que a capacidade exclusivamente feminina de gerar vida seja aceita como uma vantagem biológica da mulher e que ela possa fazer com essa vantagem o que ela quiser. Então, claro, os "pró-vida" tratam de transformar essa vantagem numa obrigação, afinal, mulher ter qualquer poder ou vantagem (mesmo que seja uma vantagem biológica irreversível) nem pensar. As leis anti-aborto não passam disso: o homem tentando sublimar através da lei a frustração ancestral de não poder decidir sobre a vida que só pode se formar dentro da mulher, e algumas mulheres, de tão mergulhadas que estão nos mitos da maternidade como algo celestial e sagrado, tentando impedir que outras decidam se querem isso para suas vidas ou não.

Então, meus caros "pró-vida", saibam que seu terrorismo moral e impedimentos legais não tem ajudado os fetos em NADA no Brasil. Quem sabe um dia, quando vocês considerarem mulheres mais importantes que células em formação a discussão evolua e muitos abortos sejam evitados, afinal, ninguém gosta de ser desumanizada e considerada um mero vaso cuja função é apenas servir de receptáculo, sem nenhuma chance de escolha simplesmente porque a natureza decidiu que cabe ao seu gênero dar continuidade à vida. Isso pode ser uma benção, um poder, uma vantagem, como queiram. Mas não pode ser jamais uma obrigação.

Mariana disse...

Concordo bastante com a Graciema e a Drica Leal sobre como os pró-vida julgam mulheres que fazem sexo e acham que elas têm obrigação de seguir a gravidez pq "foram irresponsáveis", "abriram as pernas", etc etc.

Mas ainda tem uma coisa que eu queria entender: pró-vidas, pra vcs SÓ AS MULHERES são irresponsáveis? Só elas têm culpa pela gravidez e, portanto, SÓ ELAS têm que "arcar com as consequências"? Só as mulheres têm que se preocupar em se prevenir? Elas "fazem filho" sozinha?

É porque não vi, até agora, nenhum comentário pró-vida que criticasse os homens por "irresponsabilidade", "inconsequência", por querer a "solução mais fácil"...

Nandinha F disse...

Você não precisa estar preparada para arcar com uma criança só por estar pronta para fazer sexo, pelo amor de deus hein.. Até porque não é só menina que não está preparada para bebê, tem muita mulher adulta que nunca quer ter filhos. E pouco importa também como a gravidez ocorreu, muitos querem que se tenha um motivo bem forte tipo estupro ou risco de vida, mas se a camisinha furou ou se não houve proteção e a garota/mulher quer fazer um aborto, esse deveria ser seu direito. O que você pensa ou deixa de pensar sobre o assunto não vai mudar a cabeça de outras. Se elas querem fazer o aborto que pelo menos o façam com segurança. E ao contrário do que alguns pensam ninguém aqui fala para transarem sem camisinha e saírem abortanto, todo mundo com um cérebro sabe que educação sexual é importante

--

Em casos extremos, como estupros e problemas sérios de saúde, o juiz autoriza aborto, não vejo nenhum outro motivo para se matar um ser inocente.

Isso que não entendo, o bebê do estupro não é inocente? ou segundo sua mentalidade se o juiz diz que tudo bem, então está tudo bem.. Mesmo ele não sendo médico (a opinião das grávidas que não querem seguir grávidas no entanto não importa, o senhor juiz precisa decidir!)


como se a camisinha estourasse sempre e tivesse que tomar isso toda hora e como se nenhum remédio tivesse efeito colateral.então é melhor arriscar uma gravidez e depois abortar.

você fala como se todo mundo deixasse de usar camisinha e fosse ali abortar rapidinho, sem problema. Mas acontece de camisinha estourar ou de casais não se protegerem e quando acontece é direito da mulher decidir.


É porque não vi, até agora, nenhum comentário pró-vida que criticasse os homens por "irresponsabilidade", "inconsequência", por querer a "solução mais fácil"...

Geralmente comentários sobre os papais só vêm quando é hora de reclamar de pensão ou de exigir direitos do homem que sonha em ter filhos sobre o corpo da mulher grávida

samira lopes disse...

"e é isso que falta mesmo,principalmente PARA AQUELES que adoram dizer que engravidaram sem querer,muitos não estão nem ai para métodos contraceptivos,não usam e quando usam é de forma errada,"

o que eu disse foi isso e de alguma forma vcs entenderam que eu só falei que as mulheres n se previnem...
isso que eu n entendo em feministas,para vcs tudo é puro ódio da mulher poder transar,queria saber de onde tiraram essa loucura.
o problema n é transar,é n se prevenir e depois com a maior cara de pau do mundo,tanto homem quanto mulher,chegar e dizer q foi tudo sem querer,como se fossem alienados e n soubessem que transar sem proteção engravida.

totalmente sem responsabilidade nenhuma e o feto é que se ferra.


"você fala como se todo mundo deixasse de usar camisinha e fosse ali abortar rapidinho, sem problema. Mas acontece de camisinha estourar ou de casais não se protegerem e quando acontece é direito da mulher decidir."

todo mundo n,mas muitos dos que dizem ter engravidado sem querer sim ,bem diferente do mantra de vcs de que métodos contraceptivos falham direto e vc acabou de confirmar o que eu disse,casais n se protegem.
seria mais eficaz se proteger ou n?do jeito que ficam irritadas quando se fala em responsabilidade parece que pra vcs abortar é mais fácil.

e porque reclamam tanto do homem n ser o foco no aborto? quem aborta é a mulher,vcs mesmas já disseram aqui que o homem n importa,mesmo q o cara queira o filho,ele q se dane,pq quem decide tudo são vcs,como se o filho tivesse sido concebido só pela mulher,sem participação do homem,então pq que homem deve entrar nessa história?

feministas são contraditórias demais.

samira lopes disse...

eu já tenho 30 anos e até hj não engravidei,é inacreditável mas a camisinha e pílula estão funcionando comigo.

Roxy Carmichael disse...

sarah santos, samira, alice pereira, alessandro, lobo mau e demais companheiros da luta pró-vida:
concordo plenamente com vocês.
eu acho que países africanos em que o estupro é largamente disseminado, em que além da fome e das doenças, crianças de cinco anos sofrem estupro coletivo tendo seus órgãos internos danificados e em muitos casos necessitando caminhar com um balde pra conter os intestinos tem MUITO a ensinar aos países nórdicos sobre o valor SAGRADO da vida! esses países que cometem o absurdo de garantir à mulher o direito de decidirem quando serão mães, escolhendo o momento mais adequado pra criar os filhos de forma a garantir todas as necessidades objetivas e subjetivas da criança, onde a licença parental dura mais de um ano, em que a criança pode desfrutar a presença e o amor da mãe e do pai nesse período, fundamental pro desenvolvimento dela, países em que politica de planejamento familiar é assunto sério e onde se praticam muito menos abortos que aqui no brasil. assim como vocês, eu fico muito feliz em saber que estamos ao lado dos países mais pobres, miseráveis e desiguais do mundo, protegendo a vida!unidos continuaremos matando mulheres impuras, dizimando crianças e jovens negros, criminalizando as vítimas de estupro, garantindo ao estuprador o direito à paternidade. unidos acabaremos com a farra da pílula do dia seguinte! não vamos desistir da nossa luta!

Roxy Carmichael disse...

sarah santos
que esclarecida!
adorei seus comentários!
também acho que quem rouba um pacote de biscoito do supermercado pra matar a fome pq não tem dinheiro pra comprar comida deve ter a mesma pena da pessoa que mata, esquarteja e joga os pedaços do corpo de alimento pra cães famintos! é tudo crime!!!é isso o que eu adoro aqui no seu blog lola, tanta gente sensivel, esclarecida, inteligente aparece aqui pra comentar. uma pena que sempre apareça uma como graciema (antes era a cora) pra estragar o nosso debate adulto, maduro e humanista, não é mesmo sarah? um beijo, adorei você!

Roxy Carmichael disse...

exatamente alessando bruno!
eu acho um absurdo as mulheres decidirem se vão ou não ser mães, baseando uma decisão importante dessas unicamente na experiência de vida delas, desejos de ser ou não mãe, condições financeiras e não levando em conta o mais importante de TUDO: a sua definição alessando, do que é fútil e útil, do que é certo e errado. um absurdo uma coisa dessas!!!

Roxy Carmichael disse...

alice pereira
acabei de ter uma ideia genial que você vai amar. por que não fazemos um parto induzido dos fetos com menos de doze semanas para que eles possam decidir sobre os próprios copos. emancipados, poderão lutar por seus direitos! vamos emancipar os fetos! os corpos, para que não tenham que depender dos humores e das atitudes irracionais das mamães deles e emancipamos juridicamente também! eles poderão tomar as próprias decisões baseadas na reflexão, feto de menos de 12 semanas tem cérebro, oras!

samira lopes disse...

nossa roxy,então assim que aborto for legalizado ,estupros n acontecerão mais,vai acabar a pobreza ? n ficou claro.
planejamento familiar é o que deve ser feito, como vc citou,mas legalizar aborto é mais fácil né.

Roxy Carmichael disse...

mas é claro que não ficou claro!!!
não pensei mesmo que você fosse entender a minha linha de raciocínio. e é isso que faz esse debate super divertido!! obrigada por confirmar a minha ideia sobre o conhecimento de historia e principalmente sociologia dos pró-vida ser completamente inexistente. além de confirmar a minha ideia de que vcs não tem ideia do que estao falando e juram que não existe absolutamente NENHUMA conexão entre o fato de que os países mais desenvolvidos garantem às mulheres direitos reprodutivos e os países mais miseráveis, não. pura coincidência uai, HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

samira lopes disse...

Kkkk n tem jeito,para vcs matar os fetos é um ato de extrema inteligencia e respeito a vida e que por isso paises mas desenvolvidos,mais inteligentes legalizaram o aborto.
Mas mesmo assim ,mulheres de paises desenvolvidos engravidam "sem querer",..

Crl disse...

Meu Deus, devo dizer que esses pró-vida estão muito atacados, e pelo visto muito ignorantes. Lola, seu blog tem um talento para atrair esse tipo.

Vocês, principalmente essa Samira Lopes, parem de achar que aborto vai ser usado como método contraceptivo, que os casais vão simplesmente fazer a festa e depois abortar, um aborto por ano. Aborto é uma experiência muito dolorosa, sofrida e traumatizante, ninguém quer passar por isso mais de uma vez na vida, e o maior número de abortos feitos por uma mesma mulher que já ouvi falar é 3.Isso não é substituto da camisinha, é uma medida desesperada de alguém que tem certeza que não pode cuidar do filho, por motivo financeiro, psicológico, o que for, muitas vezes de alguém que sabe que o nascimento só trará tristeza a mais uma vida.

Achar que as pessoas vão simplesmente parar de se cuidar porque podem realizar aborto é como achar que alguém pararia de cuidar dos dentes, pois depois que eles estragarem ela pode arrancar tudo e por implante ou dentadura. É muito mais fácil e comum cuidar dos dentes do que arrancá-los, o mesmo com a gravidez, é melhor evitá-la do que interrompe-la.

E se você é realmente pró-vida devia mesmo ser a favor, pois a legalização trará mais controle sobre os abortos acontecidos no país, trará a diminuição, não o aumento dos números.

E só mais uma coisa, parem de pensar na realidade de todas as brasileiras como a das mulheres urbanas, tem quem viva kilometros de qualquer posto de saúde, de qualquer coisa aliás; que é analfabeto; e, sim, que ainda desconhece os métodos contraceptivos.

Crl disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roxy Carmichael disse...

uai dona samira
mas muito obrigada por me ajudar mais uma vez! não é que com educação sexual e política de planejamento familiar as mulheres se convertem instantaneamente em cyborgs, usam religiosamente a pílula e ninguém nunca mais na história da humanidade vai precisar abortar?pq assim, lá no hemisfério norte política de planejamento familiar tá bombando tanto que nem nasce mais gente direito, todo mundo tem dinheiro pra comprar pílula, internet pra se informar, gineco a disposição pra se consultar regularmente como vc que tem trinta e nunca engravidou, mas veja só que beleza, ainda tem gente engravidando sem querer e abortando. a diferença é que aborta muito menos gente que no brasil, e com um detalhe, bem irrelevante pra vc eu sei, mas não posso deixar de mencionar(vc como sabemos, uma feroz defensora do direito à vida tão preocupada com o "genocídio sanguinário das células"): nenhuma mulher precisa morrer por interromper uma gravidez. não é um luxo?
que nada! luxo mesmo é ter pilhas de corpos de mulheres que morrem por fazer aborto neam?
mas numa coisa minha cara você está coberta de razão: pro-escolha são de fato mais inteligentes. ao menos eles não acham que num país desigual como o brasil todas as pessoas tem acesso à informação e aos métodos anticoncepcionais. ao menos eles entendem que é um disparate defender o direito à vida de células descerebradas e não o de mulheres (e mulheres mamães viu dona samira! pq se vc lesse um pouquinho mais sobre o assunto não daria esse vexame todo e estaria careca de saber que uma grande porcentagem das mulheres que abortam no brasil já tem filhos! mas quem se importa que esses filhos nascidos ficarão órfãos? o importante mesmo é que a vadia abortista tenha uma morte dolorosa e queime no fogo do inferno!)

Maria Valéria disse...

Bem, posso falar ao menos,como medica sobre a questão da pílula :

Atire a primeira pedra quem nunca esqueceu de tomar UM comprimido
Vamos crucificar todas as mulheres que esqueceram de tomar UM os dois comprimidos...conheço vários casos, tanto de pacientes como de amigas.
Ja vi paciente ENGRAVIDAR usando DIU, que nao depende da mulher " se cuidar " ou nao.
Ja atendi pacientes que usaram camisinha e estourou


Nao, métodos anticoncepcionais nao falham, e quando falham a culpa e da mulher.

Nao li todos os comentários, mas o que mas me admira e ver mulheres condenando e crucificando outras mulheres por "nao se cuidarem "
Ainda se fossem homens, vá lá, eu entenderia o machismo por trás, mas mulheres tambem ? O mundo ta perdido...

Roxy Carmichael disse...

mas sabe qual é a má notícia pra vc samira?
é que a maior parte da população mundial vive em países em que o aborto não é crime e apenas 27% da população vive em países que são notórios por proporcionar qualidade de vida aos seus cidadãos e ah, claro, garantir o direito à vida dos fetos, condenando mulheres à morte (essas vadias!), como o exemplar iêmen - casualmente o 135º país no ranking dos melhores e piores países para uma mulher viver ÊÊÊÊÊÊ, não é muito legal que tenhamos uma legislação bem parecida com a do iêmen no que diz respeito aos direitos reprodutivos das mulheres? acho muito CHIC!não me surpreende nem um pouco que o brasil seja um dos países mais atrasados (e entre os países da america latina, ocupe um dos ultimos lugares no raking dos melhores países pras mulheres viverem) com relação ao direito das mulheres...afinal, todo mundo não se orgulha até hoje que o brasil tenha sido um dos últimos países a abolir a escravidão?

Júlia W disse...

Por que tanta preocupação com um corpo sem cérebro, que é incapaz de sentir?

Por que um simples corpo vale tanto assim? só por que é da espécie humana?

e daí que é da espécie humana?

samira lopes disse...

Kkkkkk e dai que é da especie humana? para que ter lei para quem mata outro ser humano n é mesmo?soltem os assassinos de uma vez.
E eu quis dizer roxy que mesmo as pessoas de países desenvolvidos tendo um melhor padrão de vida q o nosso,continuam tendo gente engravidando por irresponsabilidade e usando o famoso "sem querer",só q lá eles n podem usar a pobreza para justificar a burrice .coisa q adoram fazer aqui.

Júlia W disse...

Samira Lopes

Por que o ser humano é tão importante para merecer ter a vida resguardada? por que o ser humano é superior a baratas, formigas ou vacas?

SIMPLES.

Porque tem cérebro.

O cérebro é a essência humana e fetos não tem cérebro.

Ninguém merece viver só porque nasceu na espécie humana, isso seria especismo.

Júlia W disse...

Toda a importância humana se resume ao cérebro complexo.

Roxy Carmichael disse...

samira eu acho que vc anda muito estressada com a morte injusta dos fetos aqui no brasil, tô afins de promover um crowdfuding pra vc fazer uma maravilhosa excursão pra vc curtir os outros países incríveis como o haiti que proíbe o aborto em todas as circunstâncias, ou ainda ao chade, mas só fica atenta pra não ter seu clitoris extirpado lá nesse país que valoriza muito o direito à vida. mas você só ganha esse prêmio maravilhoso quando me responder pq os países em que as mulheres tem maior índice de alfabetização, maior participação no mercado de trabalho, onde licença é parental pro filhote por curtir pai e mãe, onde tem política de planejamento familiar e onde mulheres tem os direitos reprodutivos garantidos (e os menores índices de aborto) precisam aprender a respeitar a vida com os países em que mulheres sofrem mutilação genital, não podem frequentar universidades, não podem dirigir, onde apenas 31% das mulheres são alfabetizadas.

aproveita e me diz o seguinte: se o barato é proteger fetos inocentes, pq queremos matar as mães de família que já tem filhos NASCIDOS?


Roxy Carmichael disse...


pq assim se for pra ficar repetindo falácias e ignorando fatos, estatísticas e estudos de universidades conceituadas eu prefiro ler um site machista do que ter o desgosto de ver esse bando de merda sem sentido saindo da boca de uma mulher:

mentira nº 1: mulheres que abortam são jovens promíscuas que querem sair dando que nem chuchu na serra sem responsabilidades
JÁ É DE CONHECIMENTO GERAL DA NAÇÃO QUE A MAIORIA DAS MULHERES É RELIGIOSA, JÁ TEM FILHOS E UTILIZA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. A NÃO SER QUE VOCÊ CONSIGA PROVAR QUE O CONCEITO DE PROMISCUIDADE MUDOU E EU NÃO FIQUEI SABENDO, A MAIORIA DAS MULHERES QUE ABORTA NÃO É PROMÍSCUA.

mentira nº 2: planejamento familiar, conscientização resolve o problema, como vc mesma fez o favor de dizer, em países em que rolam essas políticas, mulheres abortam (mas em muito menor número que aqui)

mentira n° 3: os abortos iriam aumentar.
ESSA AFIRMAÇÃO NÃO TEM CORRESPONDÊNCIA ALGUMA NA REALIDADE, SOMENTE NA SUA IMAGINAÇÃO FÉRTIL E PRECONCEITUOSA.
TODAS, EU DISSE TODAS AS PESQUISAS MOSTRAM O CONTRÁRIO.

mentira n° 4: é importante proteger a vida humana ou então deixamos livres os assassinos
E VIDA DE MULHER QUE MORRE AO FAZER ABORTO INSEGURO NÃO É HUMANA? É HUMANA? ENTÃO TRATE DE DEFENDER ESSA VIDA TAMBÉM OU VC PERDE TODA A CREDIBILIDADE. PORQUE SE FOR PRA DIZER QUE MULHER NÃO MORRE AO ABORTAR DE FORMA INSEGURA, ME TRAGA UM ESTUDO BEM SÉRIO QUE PROVE ISSO, OU PARA DE FALAR MERDA.

samira lopes disse...

kkkkkkk roxy to rindo muito,quando eu falei a mentira n 1 q eu n lembro?
ah é mania de perseguição de vcs,qualquer coisa q se fale de uma mulher e q n seja um aplauso direcionado as feministas,no fundo é ódio por mulher poder transar...

estamos num impasse e a vida do feto para vcs n vale,cadê a credibilidade?


cansei da baboseira de vcs,fui!

samira lopes disse...

última coisa ,se essas pesquisas envolvessem todas as pessoas de um país eu daria credibilidade.

mas geralmente é assim:
pegam 300 pessoas e perguntam quem concorda com algo,se 200 pessoas concordarem ,pronto, a maioria da população tb concorda.
200 pessoas podem responder por milhões...

então,isso de aborto n ter aumentado n é confiável.

tomem vergonha na cara e assumam o que fazem.

Carol disse...

Samira, li alguns dos seus comentários e queria te dizer uma coisa: vai estudar.

Já ouviu falar em estatística? IBGE?Amostra? Parece que não. Porque não é possível alguém achar realmente que pesquisas sérias são realizadas com "300 pessoas" em um país que tem 200 milhões.

Outra coisa: por acaso você é vegetariana/vegana? Defende a vida dos animais tanto quanto defende um feto? Porque se não, querida, você é uma baita de uma hipócrita.

samira lopes disse...

É sempre assim ,como vc n tem o q falar mandam estudar como se vcs fossem donas verdade,to surpresa de ninguém ter duvidado q eu seja mulher. Isso tb ocorre se vc n concorda cegamente com tudo q as feministas dizem.
Sim sou vegetariana a 10 anos e vc?
e essas pesquisas n são baseadas nas opiniões de milhões de pessoas.já vi várias pesquisas sobre gravidez na adolescencia e quando eu era adolescente n respondi nenhuma delas.

DannyAdMasc disse...

http://diversao.terra.com.br/tv/miss-brasil/feministas-fazem-protesto-antes-do-miss-brasil-2013-em-bh,479a9b1dfe661410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

Roxy Carmichael disse...

"não respondi nenhuma pesquisa sobre gravidez na adolescencia quando adolescente, logo essas pesquisas não tem credibilidade"
(LOPES, Samira)

lola, olha, nos portais de notícia normalmente rola só uma tristeza de viver com tanta gente preconceituosa, hipócrita e sem empatia. mas a samira gente, é puro LOVE! ahahahaha, como não AMAR?? stand up comedy da samira, eu apoio!!!

Roxy Carmichael disse...

ô samira pesquisa de opinião é uma coisa. ninguém tá perguntando pras adolescentes o que elas "acham" da gravidez na adolescencia. ou ainda se elas ACHAM que pariram uma criança HAHAHAHAHAHAHAHA. ninguém tá pedindo que elas OPINEM, entendeu? imagina a menina no pós-parto, chega o pesquisador e diz: e então vc acha que pariu? (hahahaha, não to conseguindo, tô passando muito mal, ahahahahahhaahahaha). porque assim, agora calcular o número de adolescentes gravidas é tipo P-E-S-Q-U-I-S-A de 0-P-I-N-Ã-O!!! ninguém tá perguntando pras mulheres o que elas "acham" do aborto". gente, que amooor!!!sério, sinto muito afeto por essa pessoa!
mas ô samira, eu não acredito que o brasil tem 200 milhões de pessoas, quem foi que disse??? e vc, acreditou, bobinha???

ah sim, vc perdeu as férias maravilhosas viu gata porque não respondeu absolutamente nenhuma pesquisa e ainda acha que calcular o número de adolescentes gravidas é PESQUISA DE OPINIÃO AAAAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
maravilhoso. apenas.

Roxy Carmichael disse...

olha vergonha na cara, eu não sei, isso aí é problema teu que não para de dar vexame. mas assim, a vergonha alheia tá FODA. sério.

Roxy Carmichael disse...

a mulher tá lá fazendo uma curetagem e o pesquisador:
-alô, doutor, com licença, queria falar com a sua paciente. então me dê a sua opinião, que nome vc ACHA que tem? opine por favor. agora me diga que idade vc OPINA que tem. agora OPIINE se vc está ou não fazendo uma curetagem. e se a pessoa der uma de caetano e disser: estou. OU NÃO.
um problema né samira? ahahahaha, vc tem toda razão, essas pesquisas não são confiáveis.

Patty Kirsche disse...

É impressionante como tem gente que não se informa sobre o assunto e só repete frases prontas. É claro que o lance de manter o aborto ilegal é pra punir as mulheres que fazem sexo, né? Afinal, se não fizer sexo, não engravida. Todo mundo sabe que as mulheres abortam sendo legal ou não, o lance é que os supostamente pró-vida acham legal que essas mulheres morram. É um tipo de limpeza pra essa gente, porque quem mais morre é mulher negra e pobre. E é exatamente isso que os pró-vida querem.

luana disse...

Estatísticas são 100% confiavéis...acho que tem gente que se acha tão informado mas não sabe que margem de erro existe.

patty,impressionante são os "argumentos" de quem é a favor do aborto.
mude sua frase para "afinal,se não fizer sexo seguro,engravida"

samira lopes disse...

kkkkkkk e ainda se gabam de seus argumentos,roxy me responde com um situação hipotética totalmente insana.
perguntar o nome de uma pessoa é o mesmo q dar sua opinião sobre o nome?totalmente sem sentido.


É um tipo de limpeza pra essa gente, porque quem mais morre é mulher negra e pobre

claro ,mais uma, pondo a culpa na pobreza e ainda apelando pro racismo,pq todo pobre é negro,mulheres de classes mais altas,n abortam pq engravidaram sem querer querendo.

faltou o argumento de que os bandidos provavelmente são frutos de um não aborto e q só por isso são marginais.

Anônimo disse...

Algumas perguntas:
- Vc se alimenta exclusivamente de luz ou de minerais? Caso contrário, sua sobrevivência se dá a custa da VIDA de algum SER VIVO inocente. Simples assim.

- Vc faz uso/já usou remédios dessas grandes coorporações? Pq as chances desse remédio tb ser fruto do sacrifício de VIDAS HUMANAS inocentes (ou não) do passado e de hj são altas....

Coerência manda beijos meigos pros "pró-morte das mulheres que fodem".

Thaís B disse...

Quero saber o que esses "pró-vida" fazem para ajudar DEPOIS que o bebê nasce.
Vocês adotam? Vocês ajudam financeiramente a mãe para cuidar do bebê? (nem sei porque tô perguntando isso, é provável que vocês detestem todo tipo de ajuda, ainda mais vinda do governo como o bolsa-família). Vocês fazem trabalho voluntário em orfanatos? Vocês ajudam as crianças de rua que veem? Vocês trabalham em instituições que deem assistência médica às mães pobres? Vocês apoiam e incentivam uma educação sexual boa nas escolas?
Se não fazem isso, não passam de um bando de hipócritas que não querem ver o aborto legalizado só para não pesar na sua consciência.
É muito lindo dizer que não abortaria quando você tem condições psicológicas e financeiras de cuidar. É maravilhoso dizer que métodos anticoncepcionais não falham quando você tem fácil acesso a eles e seu meio social te incentive a usa-los. É ótimo defender uma vida quando não é você que irá ser jogado no lixo, viver sem amor e afeto dos pais (isso causa muitos problemas psicológicos e sociais), viver à merce da violência, ser vendido (sim, muitos pais VENDEM seus filhos, dá pra ver claramente que eles queriam muito ter filhos) e sabe-se lá o que vão virar na mão desses "clientes", etc.
Enfim, é muito bonito defender uma vida quando não é você que vai sofrer suas consequências pelo resto da sua vida.

Nandinha F disse...

luana disse...
Estatísticas são 100% confiavéis...acho que tem gente que se acha tão informado mas não sabe que margem de erro existe.

patty,impressionante são os "argumentos" de quem é a favor do aborto.
mude sua frase para "afinal,se não fizer sexo seguro,engravida"

--


de fato, estatísticas não são confiáveis, opinião de médicos não é nada, a vontade da grávida não importa.. E o que vale? a opinião de quem chama o feto das outras de criança? de quem mistura religião com lei, opinião pessoal com a vida alheia, aborto com assassinato?

E sinceramente, eu acho que ninguém é ''a favor'' do aborto.. O que as pessoas querem é que as mulheres tenham opções. Pra que se um dia uma menina de 14 anos ou uma mulher de 30 e poucos engravidar (seja por falha da camisinha, por descuido, por casos graves, como estupro, pelo o q for!) que ela tenha o direito de decidir se essa é a hora de ser mãe ou não, é simples.

Anônimo disse...

Fiz sexo seguro e engravidez. Não quero ter a criança nem tenho condições financeiras pra tê-la, comofas?
Me fodo?

É isso q a sociedade quer?
É isso q é vida?

Anônimo disse...

Para Graciema:

Fico feliz que você tenha essa paciência. Eu já perdi há muito tempo. Só digo que faço minhas as suas palavras. Obrigada.

Anônimo disse...

"mimimi, conheço uma fulana irresponsável que engravidou e abortou e não acho certo mimimi"

Porra, se a guria é irresponsável e você considera que ela tomou uma série de decisões ruins, pra quê você vai querer que ela tenha um filho?

Pra punir? Filho como punição vai totalmente contra essa noção de "nhai, adoro bebês fofinhos, quero que eles sejam felizes" - você quer que a criança nasça pra SOFRER? Só pra punir uma mulher que supostamente não tem condições nem maturidade pra isso?

Anônimo disse...

Sou totalmente a favor do direito da mulher abortar, sob qualquer motivo e circunstância.
Dito isso queria apontar para umas incoerências de quem defende o aborto e joga os números sem pensar no assunto, como está no post.
Olha só:
primeiro número: para cada 100 nascidos há 30 abortos. Se nascem no Brasil cerca de 2 milhões de pessoas por ano (1% da população) isso resulta em 600000 abortos por ano.
segundo número: morre uma mulher a cada dois dias por conta de aborto: quer dizer, por ano morrem mais ou menos 180, ou, vamos lá, 200.
Quer dizer, em SEISCENTOS MIL morrem 200. Isso estatisticamente não é nada, deve morrer mais gente de unha encravada, escorregão na calçada ou de engasgo, então usar isso como argumento é uma bobagem. Pelo contrário, se esses números estão corretos isso significa que fazer aborto no Brasil é MUITO SEGURO.
wagner

Anônimo disse...

Tá... mas... estatísticas a parte (e aqui acho q se ignora a % de abortos inseguro, onde se corre maior risco de vida), o número de mortes em decorrência do aborto inseguro é uma a cada dois dias, vc acha isso pouco? (considerando o perfil de quem realiza, são quase 200 famílias sem mãe)
Será q morre mais gente de unha encravada por dia?! (e se for pra colocar em termos de estatística, quantas unhas são encravadas por ano no Brasil? Quantos morrem disso? Acho q há bem mais unhas encravadas q abortos, não?)
Sério q estamos comparando a isso?! (bobagem é fazer essa comparação)

Será q com esses números a coisa fica 'estatisticamente' mais bonita: um milhão de abortos provocados e 250 mil internações para tratamento de complicações pós abortamento por ano?!
(retirado daqui:http://www.apublica.org/2013/09/um-milhao-de-mulheres/)

Gabriela Barbosa disse...

Nossa! Que baixaria virou isso aqui,hein?! Fala-se em "discurso de ódio",mas odeia-se os famigerados "pró-vidas"! Ninguém respeita a opinião de ninguém e tem gente aqui levando as coisas para o lado pessoal!

Sou a favor do aborto nos casos já previstos: feto anencéfalo,estupro,risco de morte para a mãe/bebê. Abortar "sem querer",sou contra! Porém...

CADA UM FAZ O QUE BEM QUISER DO SEU CORPO! QUER ABORTAR?! QUE ABORTE! NÃO SOU DO TIPO QUE "ATIRA A PRIMEIRA PEDRA",POIS 'CADA UM SABE ONDE DÓI A SUA FERIDA!".Não vou ficar aqui atacando a mulher que aborta,chamando-a de assassina e afins! O que está faltando aqui nesse grupo é RESPEITO ÀS DIVERSAS OPINIÕES! Pensem nisso!


Boa semana e vamos parar de brigar!

Anônimo disse...

Vc se alimenta exclusivamente de luz ou de minerais? Caso contrário, sua sobrevivência se dá a custa da VIDA de algum SER VIVO inocente. Simples assim.

é gente,cenoura é igualzinho um animal ou um ser humano,cenouras também tem sentimentos e sentem dor.é o papinho furado de quem é contra o vegetarianismo.

- Vc faz uso/já usou remédios dessas grandes coorporações? Pq as chances desse remédio tb ser fruto do sacrifício de VIDAS HUMANAS inocentes (ou não) do passado e de hj são altas....

exatamente como nós podemos evitar isso? já o aborto quem quiser evita,está dentro das nossas possibilidades.
muito coerente mesmo.

vibrannium disse...

Direitos,direitos e mais direitos, quanta jente bradando por direitos e mais direitos, poucas vzs ouvimos sobre responsabilidades, querem direitos d fazer o q bem quiserem, e fazem, querem direitos d trasarem com quem quiserem, e trasam, querem direitos d trazarem com quantos quiserem, e trazam, querem direitos de irem pras baladas e se embebedarem fumar e cheirar avontade, e tem esse direito garantido, fazem o q querem, o paradoxo consiste no simples fato de nao quererem assumir suas "responsas" penso o seguinte: tdos temos livre escolha p semear a semente q quisermos, porem,nao podemos ter a presuncao de escolher a colheita, sexo sem protecao resulta em gravidez, duvido q alguma crianca d7 anos nao saiba disso, mas as assas,,,ops, as aborteiras quereem matar e ainda querem aplausos por tao"nobre ato,aagggh essa foi de lascar

Anônimo disse...

Gabriela, ninguém é obrigado a respeitar a opinião alheia quando ela entra no nossa vida particular. Pouco importa se são contra o aborto, mas que não venham querer fazer disso lei para todas


Wagner, vc tá de brincadeira né? então tudo bem uma morte estúpida aqui e ali? o aborto no brasil é seguro (e ainda assim mais ou menos) pra quem tem dinheiro.. E ele é ilegal. Você não só sofre com uma gravidez indesejada, mas corre risco de vida e ainda pode ser presa

Anônimo disse...

Anonimo disse:
"Será q com esses números a coisa fica 'estatisticamente' mais bonita: um milhão de abortos provocados e 250 mil internações para tratamento de complicações pós abortamento por ano?!"

VocÊ chegou exatamente no ponto. Essa estatística que vocÊ cita é muito mais relevante e se for verdade é um argumento muito forte.

Agora 200 em 600000 não é nada mesmo. Pode ser para os 200, claro, mas como argumento é muito fraco.

donadio disse...

"Tá... mas... estatísticas a parte (e aqui acho q se ignora a % de abortos inseguro, onde se corre maior risco de vida), o número de mortes em decorrência do aborto inseguro é uma a cada dois dias, vc acha isso pouco?"

Bom. Se de fato há 30 abortos para cada 100 nascidos vivos, então, como diz o Wagner, o aborto no Brasil é um procedimento extremamente seguro, com uma taxa de mortalidade de 0,03%. É mais seguro do que parto, que tem uma mortalidade de 0,07%.

Como isso é muito improvável, das duas uma: ou há muito mais mortes por aborto, ou há muito menos abortos. Ou ambas as coisas.

É óbvio que para quem morre, tanto faz se a taxa de mortalidade é de 100% ou de 0,0001%. Quem morre de unha encravada está tão morto quanto quem morre de AIDS. Mas para quem faz políticas públicas, a taxa de mortalidade é fundamental: é mais importante prevenir a raiva do que a unha encravada. Então o que esses números põem em questão é a relevância do aborto como questão de saúde pública.

Evidentemente, não põem em questão o aborto enquanto questão jurídica.

Anônimo disse...

realmente é uma discussão que precisa ser feita pela sociedade, sem paixões. E´uma questão de saúde pública?É verdade que a pobre aborta de forma cruel? Mesmo?Mas o fato de descriminalizar não vai promover um genocidio de pobre e por tabela de negros?Fico imaginando aqui o aborto legalizado, feito pelo SUS, ai derepente o governo(o qual nunca saberemos a serviço de quem vai estar) resolve promover uma limpeza étnica, não bastaria apenas incentivar a prática do aborto?Outro ponto, o direito deve mesmo ser só da mulher? E o pai? E os avós?Se eles tiverem condições de criar a criança, será que não podem impedir legalmente a mãe de abortar?Por fim, os exemplos citados pelo blog sempre passam motivos egoístas para a interrupção, seja a faculdade para terminar seja aquela viagem incrível,sinceramente,dá uma impressão de tratamento fútil da vida.

Rafael

Helen Pinho disse...

Tenho 27 ano e nunca fiquei grávida. Incrível os métodos anticoncepcionais funcionam comigo. Mais incrível ainda é achar que algo totalmente pessoal, métodos anticoncepcionais funcionarem perfeitamente contigo, é um motivo razoável para validar qualquer teoria sobre o corpo de TODAS as mulheres. Não é ficar gravida sem estar preparada, sem ter condições psicológicas e/ou financeira, não é já ter realizado um aborto, não é ser ou querer ser assassina (sic) que faz tu ser a favor da regulamentação e legalização do aborto. Ser a favor é baseado em conhecimento e REconnhecimento da realidade, em identificar as mulheres como gente capaz de decidir e com direito de decidir sobre sua vida e existência, é entender que nem todas as pessoas tem as crenças religiosas, místicas, subjetivas que tu tem, é ter empatia com o sofrimento de milhões de pessoas, é entender que a criminalização é para apenas uma parcela da população, aquela mais pobre, mais marginalizada, mais excluída.

Helen Pinho disse...

Parabéns para quem lembrou que se existe uma MÃE, existe também um PAI. Pra ser responsabilizado, ir para a cadeia. Afinal ele também foi para a cama com alguém, se esbaldou na luxuria, fez sexo, abriu as pernas de alguém. Não não importa a situação, a vida dele, os desejos dele, planos para o futuro, ele é responsável por todo o sexo que faz. Não sabia que a menina tava grávida? Que bela desculpa. Quer dizer que tu não sabia como os bebês são feitos? Faltou as aulas de biologia, educação sexual? Não usou camisinha? Vamos cobrar dos homens igualmente como cobramos as mulheres. Querido fez sexo, nada de nunca mais ver a moça, vai ter que acompanhar, ter certeza se ela ficou grávida ao não, FAZER SEXO TRAZ MUITAS RESPONSABILIDADE AGUENTE OU NÃO SAIA POR AÍ ABRINDO PERNAS.

(Quantos "pró-vida são a favor de responsabilizar o papai???)

Maria Valéria disse...

Alguns comentários,embora coerentes e eu concorde,, precisam ser analisados com mais cuidado
Muitos disseram aqui que o perfil da mulher que aborta e o de uma mulher casada,ja com filhos e religiosa, e nao de uma " vadia,que abre as pernas , e da mais que chuchu na cerca"
Isso posto,queria expressar minha opinião, de que AiNDA QUE tais mulheres sejam mesmo " vadias " e " saiam dando pra qualquer um" que nao sejam casadas nem religiosas, elas deveriam ter os mesmos direitos reprodutivos das outras , e ninguém tem nada a ver com o que elas fazem ou deixam de fazer de sua vida sexual.
Sou a favor da legalização do aborto,e sei que as pessoas que postaram o que citei acima concordam comigo e nao quiseram dizer coisa diferente, mas e sempre bom pontuar,.
Bj,

Maria Valéria disse...

Para anônimo das 10:10

Em minha opinião, a decisão deve ser da mãe,na maioria dos casos.
Ok, se for um casal de namorados,, noivos,casados,pra mim o pai tem que ser consultado sim, mas a decisão final deve ser da mulher.
Paquera eventual, ficante , rolo?? Por mim, a mulher conta pro cara se ela quiser.
Ou o pai vai assumir e criar sozinho? Duvido.
Essa discussão me lembra uma cena de filme onde o cara reclamava " aquele bebe que vc abortou era metade meu" , ao que a mulher responde" claro, agora.que ele nao existe mais era metade seu"
Avos participarem da decisão?por mim, eles nao tem nada a ver com isso,a nao ser que a grávida seja menor de idade.
E mesmo assim, vejo ressalvas, pois conheço um caso de adolescente onde a menina desejava a criança e os pais a obrigaram a abortar....esta correto isso? Apesar de ser a favor da legalização do aborto, acho que nao....
Abraço. !;)

Anônimo disse...

@Anon de 30 de setembro de 2013 01:34

Pois é... o feto até x semanas é o msm q uma cenoura, tá vivo, mas não sabe de nada nem sente nada.
Vale?

Nada contra quem é vegetariano, ok?
Estou somente me atendo ao termo VIDA.

Sobre a questão dos remédio eu não entendi direito. Vc quis dizer q é lícito matar inocentes durante o teste de remédios pq não sabe como evitar isso?!?

Se vc é "pró-vida", esta questão deveria cair na mesma categoria do aborto de inocentes: não faça aborto, não tome remédio que mata inocentes.
Acho q está dentro das nossas possibilidades e aí sim seria coerente.
Mas.... se vc é só "pró-morte das mulheres que fodem"....

domingosjornal disse...

@Samira
As melhorias que eu indiquei são necessárias independente de ser a favor ou não do aborto.

Acontece que as pessoas que são contra, assim como você, estão mais do que na obrigação de lutar por elas.

Afinal, são algumas melhorias necessárias para reduzir um pouco o fardo das mães, para melhorar as condições para que aquele bebê que acabou de nascer possa se tornar um cidadão (como vocês dizem) "de bem".

Mas por que vocês nunca incluem essas e tantas outras melhorias em suas reivindicações se elas reduziriam drasticamente o número de abortos?

Roxy Carmichael disse...

maria valéria
a minha intenção não foi condenar o comportamento promíscuo. eu não tenho absolutamente nada contra quem faz sexo casualmente com diferentes parceiros. a minha intenção foi citar uma pesquisa feita pela universidade de brasília (que foi premiada) sobre o perfil das mulheres que abortam no brasil. como falou a graciema, algo muito importante pra entender o porquê do rechaço à descriminalização do aborto no brasil são os três arquétipos femininos: a santa, a puta, a mãe. a santa não engravida porque não trepa. é o velho "fecha as pernas". a puta é aquela que deverá ser punida sendo mãe. e mãe é aquela que padece no paraíso, mulher deserotizada, integralmente a serviço da criação dos filhos no ambiente doméstico. eu acho essa informação importantíssima porque borra várias noções como por exemplo a de instinto materno. mulheres que já passaram pela experiência da gravidez, do parto e da criação dos filhos, abortam. e a questão é: queremos mães de família presas ou queremos crianças órfãs porque suas mães morreram num aborto inseguro? comentarista vibrannium foi um exemplar nesse sentido. deixou claro que lutar pela manutenção do status quo é lutar para controlar e punir (com maternidade indesejada) as mulheres. não existe motivo útil ou fútil para se interromper uma gravidez. só existe um único e legítimo motivo: não desejar ser mãe. não existe um comportamento que legitima essa escolha ou deslegitima.

é como no estatuto do nascituro. esposas dos pastores evangélicos não podem ser estupradas e ficar grávidas? nesse caso, o pastor apoia que a mulher tenha o filho e que o estuprador seja reconhecido como pai? porque o que se subentende é que no fundo, só as mulheres solteiras e promíscuas são estupradas. no sentido de que não seriam estupradas se tivessem um outro comportamento. chegando ao obvio ululante de que esses políticos nefastos nada mais fazem que responsabilizar a mulher pelo estupro.

Roxy Carmichael disse...

domingosjornal
é simples: é a mesma lógica (ou falta de) do programa mais médicos. não importa que não existam médicos não só nos bolsões mais isolados do país, como na periferia das grandes cidades. vamos repetir eternamente (até que o sentido dessa reivindicação se esvazie completamente) que enquanto não houver hospitais como o sirio libanes espalhados em cada município desse país, não haverá solução possível. não fará o menor sentido enviar um médico. nem que seja para que o médico realize procedimentos simples que não exijam tecnologia de ponta, mas que ajudariam e muito a população mais necessitada. repete-se como um mantra a história da conscientização (que é necessária e ninguém defende o contrário) ignorando que mesmo nos países em que políticas de planejamento familiar são implementadas, mulheres ainda engravidam sem desejar e abortam (em muito menor número). de forma que as mortes das mulheres que poderiam ser evitadas (muitas delas mães, que deixam órfãos seus filhos), assim como as mortes das pessoas que poderiam ser evitadas com a presença de um médico são minimizadas, para não dizer que gozam do absoluto desprezo das pessoas que batem no peito pra dizer que defendem a vida. e qualquer intenção de implementar uma política dessas é rechaçada já desde seus procedimentos iniciais. pesquisas estatísticas são essenciais para mapear e apresentar uma dimensão do problema que servirá de base para a elaboração de políticas públicas. mas isso não importa porque as pesquisas são contos da carochinha. desigualdade social é desculpa pra justificar burrice. a única responsável por evitar a gravidez é a mulher que quer sair transando e depois não quer saber das responsabilidades e é preciso proteger os fetos mesmo que para isso tenhamos que matar as mães deles. ou as mães das crianças já nascidas. crianças essas que morrem executadas por grupos de extermínio a serviço dos cidadãos de bem (aqueles que respondem pesquisas de opinião apoiando a diminuição da maioridade penal) que querem a todo custo que mulheres que não querem ser mães levem sua gravidez até o final, e que aquelas que se recusarem paguem com a própria vida.

Roxy Carmichael disse...

rafael:
quanto à limpeza étnica você não precisa ficar preocupado
ela ja esta em curso
mais de 70% dos 40.000 mortos por assassinatos no país são pretos. seja em governo da direita ou da esquerda. os meninos e jovens pretos tem 120% mais chances de morrerem assassinados que meninos e jovens brancos. e se pensarmos nas meninas e jovens negras, elas também morrem, enquanto as brancas fazem abortos em clínicas de luxo.

faculdade fútil? só se for pra mulher cuja utilidade suprema reside na criação dos filhos. é isso mesmo que vc quis dizer?ou será que esse raciocínio se aplica ao caso do cara tá no último semestre do curso de engenharia e engravida alguém, e precisa deixar a faculdade pra ganhar dinheiro pra sustentar a família, tornando-se assim, pedreiro?

Maria Valéria disse...

Roxy,

Eu entendi sim que vc e a Graciema nao condenam os comportamentos que citei! de ter vários parceiros sexuais e entendi sua explicação sobre os arquétipos.
So achei importante pontuar, porque tem alguns comentaristas aqui que nao irão entender...rsrsrs,
Bj.
Ps : concordo com todos os seus comentários e os da Graciema, nem vou falar muito mais pq seria chover no molhado.

Anônimo disse...

Só uma coisa: Existem determinados indivíduos dentro de uma mesma espécie que simplesmente não evoluem!!
Na boa galera, não gastem meia frase com neandertais que só sabem repetir o "uga buga".
Os "pró-vida" vão ser sempre as ovelhinhas condicionadas pelos líderes religiosos que se recusam a acreditar que a terra é redonda, jamais aceitarão que mulher é um ser humano e tem direitos.
São os primeiros a falar em amor e aceitação, mas são os primeiros a atacar pedras em homosexuais e claro mulheres que abortam!
Não há diálogo, é a mesma coisa que tentar dialogar com um pombo, ele não te intende e ainda caga por tudo!

Anônimo disse...

Vibrannium
Uma pessoa que vem cagar regra aqui, e quer "escrever bonito", chamar as mulheres de "aborteiras", e escreve JENTE / TRAZAREM / TRAZAR / AVONTADE
Isso sim é de lascar!!!

Maria Valéria disse...

Anônimo das 10:41

Existem pessoas que são que nem o lobo da fabula do lobo e o cordeiro de La Fontaine : vc da quantos argumentos vc quiser, que ele nao vai se cansar de provar , que se você nao for um idiota por causa de A, será um idiota por causa de B, C, e se precisar vai ate o fim do alfabeto e volta de trás pra frente pra chegar a conclusão que ele e o dono da verdade e vc um idiota,
Entao, em posts como esse, procuro nem comentar , ou no maximo escrever respondendo uma ou duas pessoas mais equilibradas,porque dialogar com gente que tem essa síndrome do " contra a força e a falta de educação nao ha argumentos " e fria e nao vai levar a lugar algum.
Beijos,

Anônimo disse...

GENTE!!!! Eu ERA pro-vida, mas a Samira me fez desistir. SERIO!

Samira, filha: Calma, respire. Voce é a maioria em termos de inteligencia. Mas não escreva tanto. Assim voce não se desgasta lendo estas "besteiras" e tendo que argumentar. Para argumentar, voce teria que nascer de novo, com outro cérebro, outras conexões mentais. Desculpe te falar isso assim, na lata. Mas alguém precisa te avisar.


aborto em clinica disse...

Ser capaz de fazer um Aborto em clinica de ajuda com tudo que uma mulher precisa para salvar vidas. Se os cristãos fundamentalistas são adeptos da vida não entende a rejeição.

Taianne disse...

Pra vocês que acham certo um aborto, se a mãe de vocês tivesse feito essa escolha, GARANTO QUE NÃO ESTARIA AQUI DEFENDENDO A IDEIA DE MATAR UM SER.Acredito também que tudo tem exceção, no caso de um estrupo, risco a própria vida ou até mesmo a gravidez indesejada o aborto poderia ser legal caso ainda não tenha formado o feto! Por que já formado é um FATO ele ser uma vida!! E ninguem tem direito de tirar a vida de alguem. Poxa tem tantos métodos para evitar uma gravidez.

Helen Pinho disse...

aaah vá! sério mesmo?! ¬¬

Unknown disse...

Ana,as camisinhas,as pílulas e todas as proteções que podem previnir a gravidez não são sempre eficazes,se vc quiser pode procurar!!Se você acha que é culpa da mulher não se cuidar me desculpa,mas acho que você está bem equivocada!!!A eficácia não é 100% comprovada!!!E vc vai cuidar da vida do outro só pq ela engravidou,para mim deveríamos cuidar mais da nossa vida e dar apoio para aqueles que precisam,e não ficar julagando a decisão de cada um!!Se uma pessoas quer tranzar sem camisinha tudo bem a vida é dela!!!!SÓ PRA DEIXAR CLARO O ABORTO É UM CASO DE SAÚDE PUBLICA E NÃO DE OPINIÃO ALHEIA!!

Ingrid disse...

Olá.. Conheço uma clínica super segura e confiável em Sp.. Procedimento feito por médico ginecologista há mais de 30 anos..entre em contato no email ingrimei14@hotmail.com