quarta-feira, 25 de setembro de 2013

CANTADAS AO CONTRÁRIO

A Li me enviou este email:

Naomi Wolf, autora de Mito
"Oi Lola! Conheci seu blog há poucas semanas e foi uma das melhores coisas que me aconteceu. Os posts, os esclarecimentos, a dica do livro O Mito da Beleza... Tudo isso me ajudou.
Há muito tempo tenho sofrido com o que chamei de 'cantadas ao contrário', que eram homens e garotos que faziam questão de me 'xingar' na rua, dizer que eu era feia demais. Já ouvi coisas como 'ninguém nunca vai querer uma coisa dessas', ou que eu deveria me matar, entre outras 'piadinhas'.
Nisso, ainda muito jovem entrei numa depressão profunda e não queria sair de casa. Eu achava que eu era um bicho nojento e pensava que realmente merecia/deveria morrer, pois 'feia do jeito que era, jamais teria um amor, jamais seria feliz'. Eu percebia que os homens eram mais gentis com as garotas bonitinhas, e me culpava por não ser atraente. 
Depois que me recuperei um pouco da depressão (com a ajuda de medicamentos), comecei a correr atrás de produtos de beleza 'milagrosos', roupas de todos os tipos, alisamentos no cabelo etc etc. Gastei muito dinheiro com essas coisas pra tentar ficar mais bonitinha e receber a aprovação masculina, mas sem muito sucesso. Só não fiz cirurgias plásticas pois achava que mesmo várias não seriam suficientes para me deixar bonitinha, e eram caras demais.
Eu me chateava por não receber cantadas na rua. Hoje vejo que as garotas que as recebem também sofrem com isso. Passei a me questionar por que a opinião daqueles homens que me xingaram (a maioria nem sequer me conhecia) tinha tanto valor pra mim. Será que eu realmente não mereço ser feliz por não ter um rostinho bonito? 
Será que eu realmente não mereço amar e ser amada? Só porque um infeliz e sem educação me disse isso, devo dar algum crédito à opinião de alguém com esse perfil e me sentir mal com isso? Devo me trancar em casa pra poupar a visão deles?
Sei que ainda estou me recuperando de tudo isso, mas ter conhecido seu blog me ajudou muito a ter essa nova perspectiva."

Minha resposta: Li, querida, espero que suas perguntas sejam retóricas, ou que lê-las em voz alta faça que vc perceba como elas são absurdas ("Será que eu realmente não mereço ser feliz por não ter um rostinho bonito?"). Creio que vc já sabe a resposta. Eu ia dizer que ninguém merece ser infeliz, mas aí pensei nos caras que xingam desconhecidas nas ruas. Esses merecem ser infelizes. Ou melhor: já devem ser. Por que o que leva um sujeito a chamar de feia uma menina que ele nunca viu e provavelmente jamais verá novamente?
Se ele estiver num grupo com outros homens, o que o leva a isso é o mesmo que leva um cara a gritar "gostosa" pra uma mulher passando na rua. Ele faz pra exercer sua masculinidade, pra provar que é homem e que, como tal, tem o poder de avaliar. É um sentimento de entitlement, de merecimento: muitos homens crescem achando que merecem este poder de avaliar todas as mulheres, de dar notas pra elas, como se fossem eternos jurados num concurso de miss. É também uma tentativa de camaradagem entre os seus. Avaliando alguém de fora, o grupo deixa bem claro quem está dentro da turminha. E é um clube do Bolinha.
Se ele estiver sozinho, ele te chamará de feia (ou de linda) também para mostrar quem manda, quem está em posição de julgar. E nem é pessoal: ele está emitindo uma opinião do que é ser mulher -- é estar pronta para ser avaliada o tempo todo, por todos os homens. É ter que agradá-los. É ter que ser bonita, senão não tem valor. Imagino que um cara que chame uma desconhecida de "feia" na rua seja um misógino. Ele odeia mulheres a ponto de insultá-las na rua. Ele não vai gritar "feio" pra um homem, vai? 
Agora, imagina o que deve ser a vida deste cara. Que existência miserável este ser deve ter! É como os trolls que passam o dia na internet xingando. Quem está de bem com a vida está ocupado demais pra sair ofendendo por aí. 
Pode ser também uma projeção: ele mesmo se acha horrendo, é dispensado por todas as mulheres, e por isso aproveita cada oportunidade pra se vingar delas. É fácil ver na internet: esses caras que chamam mulheres de barangas, dragões, mocreias etc ou não mostram o rosto, ou são muito feinhos, talvez mais por dentro do que por fora. Por que basear sua autoestima na opinião de um cara insuportável? 
Por exemplo: mascus, que me odeiam mais do que a própria sombra, todo dia dizem que sou a mulher mais feia da face da Terra. Acho que é obrigatório pra mascu me xingar três vezes ao dia, sabe? Eu acho é ótimo que eles me achem horrível. Tirando o fato que eles acham que toda feminista é feia, e que até mulheres consideradas modelos de beleza, como a Angelina Jolie, eles juram que "não pegariam" (ha ha, eu sei), a verdade é que me sinto aliviada por saber que não inspiro qualquer desejo sexual em seres pelos quais eu sinto nojinho. 
Eu quero ser (e sou) admirada por quem eu gosto, por quem me interessa, por quem eu escolho. E já faz um tempinho que consegui me soltar da camisa de força que armaram pra mim. Entendi que não tenho que ser bonita, que não nasci pra agradar homem. Meu objetivo na vida nunca foi ser coroada miss, nem quando eu estava mais ou menos dentro do padrão de beleza e juventude (mais ou menos porque, né, mesmo quando eu era magra e jovem, eu ainda media 1,60). 
Fui uma criança bonita (essa aí do lado era eu, assim como a menina lá em cima, no cabeçalho do blog), mas não achava isso nada de mais. Eu já sabia que os homens são admirados por mil e um motivos, e não aceitava que mulheres só podem ser admiradas pela sua aparência física. Quando eu era criança eu era poeta, e um elogio a minha poesia valia muito mais que um elogio a minha beleza.
Gostaria que vc também se livrasse dessas amarras. 
Compreenda que não é nossa missão na vida ser decorativa. Não estamos aqui pra enfeitar e perfumar o mundo, como somos lembradas em todo Dia Internacional da Mulher (isso pelos bem-intencionados). Não temos que agradar ninguém a não ser nós mesmas e, talvez, as pessoas fofas com que convivemos. Não temos que conquistar todos os homens, uns dois ou três bastam (não resisti). Nenhuma mulher, nem a Angelina, será considerada linda por todos. E, o mais importante, esta é realmente sua maior meta na vida -- ser bonita? Ou é a meta que estabeleceram pra vc e pra todas as meninas, e a gente acreditou?
Suponho que ser chamada de linda na rua seja melhor que ser chamada de feia. Mas é como vc falou: as mulheres se incomodam de ser chamadas de qualquer coisa. Quem é chamada de linda, gostosa, quero te chupar todinha, ô lá em casa, sabe muito bem que ao primeiro sinal de indignação (ao primeiro dedo do meio mostrado, ao primeiro vai tomar no c*), a linda se transforma em baranga, vadia, vc não é tudo isso não, sua convencida. Os "elogios" são tênues e duram pouco. 
As "cantadas ao contrário", como vc chama, também deveriam durar pouco. Deveriam durar apenas os milésimos de segundo de ouvir aquela estupidez e descartá-la (ou respondê-la, se vc se sentir melhor). Mas acho que o que deve vir a sua mente são algumas perguntas sobre o seu interlocutor: quem deu a ele esse direito de te avaliar? Ok, isso a gente sabe. Mas a gente tem o direito de não respeitar ou reconhecer essa babaquice como direito. 
E você pode perguntar, nem que seja em voz baixa: quem disse que eu quero ser avaliada por você? E, principalmente: quem é você para me avaliar? Quem morreu e te nomeou deus, meu chapa?
Julgar uma pessoa não define quem ela é. Define quem vc é.

44 comentários:

Anônimo disse...

Lola, achei suas respostas bem pertinentes. Como sempre, você faz um trabalho maravilhoso respondendo as pessoas <3

Vivemos num mundo onde nós mulheres só somos valorizadas pela nossa aparência... espero que um dia isso mude.

Se eu fosse homem, morreria de vergonha de outros que ficam ofendendo as pessoas na rua, seja por cantadas ou essas "cantadas ao contrário". Eu morreria de vergonha de ser o motivo de magoar alguém.

Marcela. disse...

Uma conhecida minha, muito obesa, contou que queria emagrecer principalmente para que parassem de chama-la de gorda, baleia e etc nas ruas. Ela, muito tímida, jamais reagiu às agressões. Ela fez a cirurgia e emagreceu mais de 50kg. Um dia, andando na rua, um cara a chamou de "gostosa" e disse para ela outros desses "elogios" pornográficos constrangedores. Tomada pelo ódio, ela reagiu pela primeira vez. Derrubou o cara da bicicleta e chegou a agredi-lo fisicamente. Antes que ele se levantasse, ela saiu correndo, chocada com a própria reação. Ela conta que só queria andar em paz pelas ruas. Não queria ser chamada nem de gorda nem de magra, nem de feia nem de linda. Não queria que estranhos se referissem ao corpo dela nem que o julgassem por nenhum motivo. Eu disse que ela teve aquela explosão de ódio porque entendeu que não tem jeito, se você é mulher vão julgar o seu corpo até o fim da sua vida. Vão te dar uma nota. Vão te tratar como uma coisa e ainda vão te culpar pelo que dizem: se você é chamada de gorda, a culpa é sua por comer demais. Se você é chamada de velha, a culpa é sua por ser velha demais e se te fazem os elogios grosseiros, você deveria agradecer porque é um objeto aprovado para consumo. Mas você não pode ser simplesmente um ser humano que anda pelas ruas. Quer ser simplesmente uma pessoa??? Não pode. Mulher querer ser GENTE? Isso é coisa de feministas mal amadas.

Unknown disse...

eu sou homem e sei que tenho alguns previlégios,mas de certa forma me identifiquei com o texto,porque eu também sou desprezado,só que no meu caso pelas mulheres.não as culpo;além de ser baixinho sou terrivelmente tímido.a culpa é minha é uma pena que minha mãe não tenha tido sucesso em me abortar(ela tentou e o máximo que conseguiu foi matar meu irmão gêmeo)

eu só queria ser amado uma vez na vida.tenho 22 anos e vivo em celibato forçado.é muito ruim imaginar que provavelmente vou morrer virgem e sem ter conhecido o amor.
desculpem pelo desabafo

Renata Silva disse...

Vendo a resposta veia na hora a lembrança do filme Potiche.

Junior disse...

Lola, sou homem e gay, as vezes alguns amigos, e eu mesmo, nos comportamos de forma parecida com os homens heteros, seja fazendo um elogio a algum cara bonito na rua, ou abaixando o vidro do carro quando passo para ver melhor, por exemplo.

As vezes me sinto mal com isso, mas as vezes também penso que é uma reversão do machismo estabelecido, um "grito" de liberdade... mas confesso que não consigo chegar num denominador quanto a essa questão.

Renata Silva disse...

Vendo a resposta veia na hora a lembrança do filme Potiche.

Kittsu disse...

Junior, é por causa disso que os homens hetero tem tanto medo de gays. eles se vêem no lugar de objeto de desejo, o que é incomodo pra eles. Eles querem o controle da situação, dominar. E com os gays, essa lógica pode ser invertida: eles serem objeto de desejo de alguém que não os atrai. Isso deve doer até a alma...
rs. se comportem, danadinhos. mas que dá uma sensação de vingancinha, dá.

M disse...

Li, já passei pelos dois casos e é sempre constrangedor. Uma vez, eu tinha uns 15 anos e um grupo com dois caras e uma garota me chamou de feia. Minha autoestima não era lá grande coisa, mas mesmo assim eu sabia que a imbecilidade deles não era problema meu.

Eu nunca abordei pessoas na rua dessa maneira e nunca vou ... Quem faz isso é um idiota, simples assim !

Caroles disse...

Esses dias numa discussão no Facebook um "cara" (era um fake) disse que gordinhas como eu só defendiam a liberdade sexual porque tinham a esperança de assim alguém querer nossas "pexerecas sebosas", mas que isso não aconteceria nem se o mundo virasse um puteiro. E terminou dizendo "mais dieta, menos militância". Na hora eu fiquei bem triste, acho que não tem como não ficar. Além de tudo me senti humilhada, pois o comentário foi feito em uma discussão na página da UFRGS, onde todos os meus colegas poderiam ver. Mas depojs de conversar com meus amigos e também de ~colocar a mão na consciência~ vi que era muito ridículo eu ficar me sentindo feia e indesejável por causa do que um coitado disse no Facebook, se eu sei muito bem da minha vida, e ele nem me conhece (acho, né). Agora até faço piada com o "mais dieta, menos militância" haha o negócio é descartar essas opiniões que nada acrescentam :)

Caroles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Prata disse...

Embora tenha sido escrita numa circunstância diferente, a letra da canção "Imorais", de Zélia Duncan , se encaixa na situação presente, com a mensagem de ignorar a opinião alheia e viver a vida, simplesmente:
"E então a moral da história
Vai estar sempre na glória
de fazermos o que nos satisfaz".

Iceman disse...

Eu achei impertinente essa demonização dos homens.
Como se só homens rotulassem, como se só homens avaliassem.
Todos os seres humanos avaliam e julgam outros seres humanos o tempo todo.
É só pegar a foto de uma marombeira, por exemplo, para ver o quanto ela é criticada POR OUTRAS MULHERES.
É só pegar a foto de um fisiculturista e ver que ele também é criticado POR MULHERES.
Meninas fora do padrão de beleza (gordas, magras demais ou feias) são criticadas também por outras mulheres.
Até mesmo homens fora do padrão são tremendamente criticados, pasmem, POR MULHERES.
Passou da hora de parar com o mimimi...

Ta-chan disse...

Iceman, o problema não é criticar, é dar opinião assim sem ninguém pedir no meio da rua!
Achou a pessoa feia guarda pra vc que ninguém é obrigado a aguentar falta de educação na rua.
Ninguém vai morrer por não poder dar opinião na rua.

André disse...

"Ele não vai gritar "feio" pra um homem, vai?"
Vai sim, esse tipo de gente adora mexer com quem eles julgam estar em uma posição de fragilidade. Assediam as mulheres bonitas, xingam as feias, xingam homens fracos (não de feio que soa gay, mas de esquisito, 4 olhos, etc), tacam fogo em mendigo, agridem prostitutas, etc.

André disse...

Se eu pudesse dar um conselho para a autora é que ela tentasse não se sentir mal com as agressões desses canalhas, mas que também não fique sofrendo por ter se sentido mal. Não é porque você é feminista, conhece o contexto dessas agressões e racionalmente sabe que não tem a obrigação de sofre com elas, que você se tornou uma rocha.

André disse...

Junior,
Faz isso mais não, é bem chato ser "elogiado" na rua, principalmente quando estamos em posição de desvantagem.

donadio disse...

Ah, a Susan Boyle (a moça feia da foto com a legenda "don't judge a book by its cover")...

Aqui tem o vídeo da apresentação dela:

http://www.youtube.com/watch?v=RxPZh4AnWyk

... com as caras impagáveis do júri e do público, que julgaram pelas aparências e não acreditaram que ela pudesse ter a voz e o talento que tem. Quem não viu, vale a pena ver. Quem já viu, vale a pena rever. E vale a pena a vergonha alheia também.

Beatriz Correa disse...

OFF-TOPIC:


Gente, dêem uma olhada:

http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/09/ipea-lei-maria-da-penha-nao-consegue-reduzir-mortes-de-mulheres#.UkMEsw6wn0o.facebook

Cereja disse...

Da próxima vez que te chamarem de feia (ou qualquer outra coisa negativa) faz um sinal de "me liga".

Suzana Neves disse...

O que falar sobre os homens,eles são no mínimo inferiores,com suas piadas xingamentos,eu não tenho essa visão porque todas as vezes que me zoaram de gorda e feia era um menino fazendo isso no meio de outras meninas e elas riam bastante de mim esse mesmo cara desfazia delas , nisso tudo eu só estava indo e vindo na rua e com o tempo também não quis sair mais de casa até hoje tenho problemas com isso e tem mais de 15 anos,por isso que fico puta com mulheres que se arrumam tanto para os homens fazendo suas vontades daqui a pouco vamos ser bonecas infláveis de cabelo com química,seios de plástico sem pelos e sem vida.

deLira disse...

hoje vim com uma blusa semi-decotada para o trabalho. escutei tantas coisas na rua e li tantas coisas irritantes na internet nesses ultimos tempos que acabei escrevendo no meu blog sobre o assunto.

http://paullistania.wordpress.com/2013/09/25/nao-amigo-voce-nao-esta-agradando/

Sara disse...

Li não sei sua idade, mas talvez seja muito jovem ainda, creio q todas as mulheres já devem ter ouvido cantadas e tb xingamentos na rua, como a Lola bem explicou muitos homens acham que tem esse direito de julgar e proferir suas sentenças.
Com o tempo vc ira lidar melhor com isso, e não se sentira tão agredida, não dê esse direito a eles.
Procure ser feliz com o que vc é, assim como todos, vc tem direito a felicidade, não se prive dela por julgamentos estúpidos e inoportunos.

DOMME ÍNDIA disse...

Beleza, é muita hipocrisia dizer que não liga para beleza. Beleza é valiosa. Porque quadros de artes são tão valiosos e ficam a cada dia mais?! Não é só pelo artista, mas como foi feito. Outro caso tapete persa. Beleza humana Marilyn Monroe, essa é indiscutível.
Beleza não põem mesa, mas ninguém come no chão. E é algo fundamental, assim como ter mobílias em uma casa.
Sempre achei feministas fracas, agora tenho mais certeza, porque quando não se tem beleza é preciso correr atrás, e isso exige esforço e algumas dores físicas, coisa leve. E fizeram até os homens irem atrás da beleza em centros de estética e salões de beleza, coisa que era de costume feminino antigamente.
Então, isso de mulher querer ficar bonita não para agradar o homem, e nem homem agradar a mulher (Esse discurso que fazem nem minha avó usa mais).

DOMME ÍNDIA disse...

E mania horrorosa de colocar a culpa nos outros de que não é feliz, é só ter força de vontade e para de fazer corpo mole com choro.

lica disse...

Junior,
Desrespeito é sempre desrespeito, independente de onde venha... entendo o seu lado 'vingancinha' de mexer com heteros na rua, mas analisando bem, isso não é legal...

domingosjornal disse...

Ta-chan, por favor, leia esse guest post, deste mesmo blog:

http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2013/09/guest-post-passei-de-oprimida-opressora.html

Mesmo que seja de forma diferente, existem mulheres que também participam dessa opressão.

É claro, os homens que fazem isso devem ser responsabilizados. Não estou aliviando a barra desses caras que deveriam ser sim punidos. E imagino que esse ponto seja consenso aqui.

Mas e as mulheres que também oprimem? O que dizer sobre elas? E os homens que não cometem essa violência? Devem ser jogados no mesmo julgo que os agressores?

Mariana disse...

Li, meio que já passei por isso. Não era exatamente na rua, mas na escola, os garotos me zoavam por causa do meu cabelo (já contei essa história aqui num guest post) e por outras coisinhas fora do padrão que eu tenho. Fui crescendo com a autoestima péssima e o mesmo sentimento de que "ninguém vai gostar de mim pq sou feia". Mas ó: isso passa. Com o tempo, vc percebe que não pode viver sua vida de acordo com a opinião de pessoas insignificantes que vivem vidas irrelevantes e que só insultam outras pessoas pra se sentirem melhores consigo mesmas e menos miseráveis. Essa gente "precisa" humilhar outras pessoas, até desconhecidos, pra sentirem que estão "por cima" de alguém. Outra coisa: com o tempo, vc descobre que existem prioridades mais interessantes na vida do que agradar a ourem com sua aparência. Hoje não sinto mais essa necessidade de aprovação masculina, tenho outras coisas pra pensar, outros planos pra pôr em prática e sonhos pra realizar que só dependem de mim, não de opiniões que não pedi.

Sarah Santos disse...

Acho legal tentarem consolar a moça,mas dizer que beleza não é fundamental é pura hipocrisia.Trocaria meus diplomas,meus livros,minhas horas perdidas em bibliotecas por beleza.Infelizmente beleza abre portas,garante promoções,possibilita vida social.Dizer que mulheres não gostam de ser cantadas é uma tremenda mentira.Faz bem pro ego.Nunca fui cantada e adoraria sentir esse prazer.

Bia disse...

Eu fui muito zoada no colégio, também me sentia a pessoa mais feia do mundo. Depois eu não mudei muita coisa mas passei a receber algumas cantadas na rua e confesso que gosto sim. Odeio o fato de ser avaliada pelos homens e por eles acharem que têm esse poder mas gosto de receber cantada. Desculpa, mas me sinto assim.

Caroles disse...

Acho que quem tá comentando que mulheres também oprimem e tal não entendeu bem o ponto. A Li só falou de homens que a oprimiram, mas isso não quer dizer que só homens oprimam. A reposta da Lola falou de homens, mas foi condizente com o relato do guest post. E também não acho que dê pra ignorar que é muito mais comum um homem xingar na rua do que uma mulher. Já fui muito xingada na rua, mas que eu me lembre nunca por mulheres, e por relatos de amigas e que leio por aí, acho que essa é a regra. Mulheres oprimem SIM, mas a dinâmica é outra. Não dá pra ficar cobrando que cada post fale de tudo. Essa foi a experiência da Li.

E sem comentários pra quem disse que feministas são fracas por não quererem seguir um padrão. Realmente, é sinal de fraqueza querer ser quem se é sem sofrer por causa de um padrão burro. Parabéns.

Ângela disse...

Já fui muito cantada e isso fez bem pro meu ego inseguro. Mas no auge das cantadas DIÁRIAS... não conheci UM ÚNICO homem que valesse a pena... E não raro perdi os homens que amei pra mulheres menos bonitas ... Ser amado tem mais a ver com intuição, identificação, capacidade de estar na hora certa no lugar certo, estar perto da pessoa certa na hora certa... Se a nossa única dimensão for o ego, realmente é indispensável ser cantada. Se temos outras, a viagem é mais errante, incerta, desafiadora e pode acontecer dentro ou fora dos padrões de beleza. Boa sorte, garota!!!

Anônimo anonimato disse...


domingosjornal disse...

É claro, os homens que fazem isso devem ser responsabilizados. Não estou aliviando a barra desses caras que deveriam ser sim punidos. E imagino que esse ponto seja consenso aqui.

25 de setembro de 2013 19:25

----------------------------------------

Punidos por que? Agora nós vivemos a ditadura dos ofendidos?

Sara disse...

unknown 11.38hs, há muitas pessoas se sentindo exatamente como vc, cedo ou tarde vc vai encontrar quem preencha suas expectativas, espero que vc não faça como muitos homens, que por terem dificuldades em se relacionar (coisa tão comum, tanto para homens como para mulheres)acabam culpando TODAS as mulheres por suas dificuldades e fazendo parte desses grupos de machistas frustrados.
Boa sorte pra vc...

Helen disse...

Lola, vcê tem mudado a minha vida! Eu sofri muito na adolescência por estar fora do padrão do que seria "belo". Mas fui envelhecendo e ficando mais "bonita" (entre aspas porque digo no sentido padronizado de beleza). Isso me virou a cabeça, eu vi o quanto a vida de uma mulher bonita é mais fácil, e fui ficando escrava do padrão. Pensava "preciso me manter bonita" e passei a me achar nunca boa o suficiente, era bonita e não poderia sair de casa se me visse feia no espelho. Percebi o quanto isso era vazio! Eu estava vivendo para os outros, me perdi. Não sabia mais quem era eu, o que eu queria, por que eu estava fazendo tudo isso? E hoje eu tenho me livrado das amarras lendo o seu blog. Hoje, quero ser linda para mim, e boa para quem me cerca. Ainda me sinto mal (péssima) com avaliações não satisfatórias, mas tudo bem... Vou melhorando aos poucos esse hábito, mau hábito que o mundo nos impõe.

Dostoyevski disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aninha disse...

DOMME ÍNDIA disse...

Hahahahahahhaha Quadros tipos os do Francis Bacon, do Salvador Dalí e do Picasso. Pessoa ignorante acha que arte se resume a Renascimento e Classicismo. Só rindo.

domingosjornal disse...

Anônimo das 21:43:

1º Porque injúria é crime. Difamação também. Isso já é motivo mais que suficiente pra punir alguém que faça isso.

2º Bullying causa um dano consideravelmente alto na pessoa que recebe essas ofensas, mesmo que ela tente não demonstrar.

3º Desde quando alguém tem o direito de ofender outra pessoa?

Ta-chan disse...

domingosjornal,
eu nem falei especificamente sobre homens no meu comentário de ontem, justamente pq mulheres também são opressoras.
Mas eu nunca fui xingada por mulheres na rua.Das mulheres eu recebo olhares de nojo ou vejo que elas comentam entre si a minha falta de beleza.É chato, mas não te coloca numa situação de vexame no meio da rua com um monte de gente olhando pra você.
Já os homens no geral se arvoram o direito de fazer piadas, de julgar e humilhar uma pessoa que não conhecem.
Não é questão de punição mas sim de respeito pelas outras pessoas, sejam homens ou mulheres.

Domme Índia, vc já ouviu falar de liberdade? Parece que não...
Felizmente estamos num país "livre" e nenhuma de nós é "obrigada" a sentir dores e a gastar tempo e dinheiro pra ser bonita. Se vc quer, faça bom proveito, mas vá cagar regra na vida dos outros isso é muito feio.

E pra quem acha que beleza é fundamental, respeito também é, ou pelo menos deveria ser. Vivam e deixem os outros viverem.

Thamissa Farias disse...

Oi gente depois que li o post lembrei imediatamente deste video http://www.youtube.com/watch?v=3Ub18BkoyvQ é uma experiencia sobre discriminação feita numa escola do canadá e vale muito a pena assistir.

Iceman disse...

@Ta-chan:
Dois pesos e duas medidas então?
Pq a pessoa posta uma foto na rede social dela e vai um monte de gente dar opinião que não foi pedida.
É a mesma coisa...

Sho Fukumachi disse...

É definitivamente uma das coisas mais idiotas.
Quanto a homens xingando homens na rua, só se o outro for gay, ou tiver alguma coisa de "errado", dias atrás tinha um casal emo (é assim que se escreve?) no ponto de ônibus, poxa, os dois foram insultados pelo menos umas três vezes, sempre do mesmo jeito, um bando de idiotas passavam, falavam uma merda qualquer e seguiam, sempre em bando.
Ignorância, ou inveja, sei lá...

Ta-chan disse...

Iceman
não são dois pesos e duas medidas.Uma coisa é vc estar andando na rua e do nada alguém do outro lado da rua gritar em alto e bom som um baranga ou alguém chegar do seu lado e soltar uma perola do tipo: mulher feia devia pagar pra sair na rua...Como eu disse antes, já notei que outras mulheres reparam se vc é feia, gorda ou mal vestida, mas ainda não vi uma mulher xingando outra por esses motivos.
Quanto a postar uma foto numa rede social e os outros darem opiniões sobre a tal foto, é uma coisa totalmente diferente.
Normalmente, só os teus amigos ou seguidores vão ver a foto e opinião de quem te conhece é uma coisa totalmente diferente do julgamento de desconhecidos no meio da rua.

Laura Castro disse...

Lola, tenho 17 anos e sou apaixonada por você! Teu blog acaba falando por mim, acaba me mostrando que não estou sozinha. Muito Obrigada! E nessa parte: "Quando eu era criança eu era poeta, e um elogio a minha poesia valia muito mais que um elogio a minha beleza." Você disse Tudo que eu sinto!

Edson Araujo disse...

se vcs prestarem atenção a vadia que ta subindo a escada ta sem calcinha !!!
então paciência que quer respeito não coloca um vestido de tecido mole e sem calcinha ou de fio dental!!