quarta-feira, 14 de agosto de 2013

LEITORXS PROBLEMÁTICOS OU PSICÓTICOS?

As coisas que eu recebo são inacreditáveis. Você não faz nem ideia. 
Tipo: um cara vem  xingar feministas de feias e gordas e reclama que seu comentário não foi aprovado. 
Até aí, normal. Essas são as mesmas pessoas que choramingam que, chuif chuif, "meu comentário não tinha NADA de agressivo e você me censurou, sua vagabunda!"
Mas este cara em particular está indignado comigo, porque: "esse papo de direitos humanos é uma palhaçada. Vc quer expulsar o Rafinha do país por causa de uma piada e colocar esses baitas estupradores safados no colo". Pois é, é chocante. Mais chocante ainda seria constatar que eu nunca pedi expulsão, cadeia, pena de morte, ou sequer censura pro Rafinha. 
Eu acho que deve ser projeção. Só pode. Tem pessoas dizendo que eu faço o que elas fazem. Exemplo: uma acusação muito frequente que recebi nesses últimos dias é que eu estou dizendo como vítimas de abuso devem sentir e agir. Bom, além de eu nunca ter dito nada do gênero -- pelo contrário, o que eu digo é que não existe uma fórmula pronta, e que cada vítima tem seu próprio jeito de lidar com a dor --, tem gente vindo aqui indignada porque uma sobrevivente como a D. decidiu conversar longamente com o irmão que abusou dela durante anos. Como assim, conversar com o estuprador?! Não pode! Ele é um monstro! Devemos simplesmente castrá-lo, matá-lo, ou no mínimo esquecer dele e continuar falando de estupro como algo abstrato. 
Pra D., conversar com o irmão foi fundamental pro seu processo de cura -- o dela, não o do irmão. Então pega mal falar pra uma vítima que o que ela fez foi errado, que ela deveria ter odiado seu estuprador pro resto de seus dias.
Bom, outra história verdadeira, dessas que, suponho, só acontecem comigo. Umas três semanas atrás, recebi um email de uma moça dizendo para eu não me abater com as críticas e ameaças. Ela me recomendou "Força, sister!", e me mandou um vídeo da Mercedes Sosa. Um amor, né? Ahn, mais ou menos. 
Quando eu estava escrevendo pra agradecer o email, notei que ela tinha uma foto esquisita ao lado do nome, e tive que peguntar: "Mas por que o avatar do Charles Manson?!"
Pra quem não sabe, Manson foi um lunático egocêntrico que liderou uma espécie de comunidade hippie (é até ruim falar isso, porque os hippies sempre foram anti-violência) na Califórnia nos anos 60. Músico frustrado, ele acreditava que os Beatles falavam com ele através das músicas do grupo. Racista, tinha certeza que uma revolução estava pra acontecer, em que os negros (que ele detestava) iriam se rebelar contra os brancos e matar todo mundo. Mais: achava que a canção Helter Skelter era exatamente sobre isso.
Pra dar uma mãozinha pra revolução, Manson mandou seus seguidores, entre eles várias mulheres (que cumpriam ordens de um líder, sempre homem), cometerem assassinatos brutais. Em 9 de agosto de 1969, um grupinho invadiu uma mansão, que era alugada pelo diretor Roman Polanski. Polanski estava filmando na Inglaterra. Quem estava lá era sua mulher Sharon Tate, uma linda atriz, grávida de quase nove meses, e outros quatro amigos do casal. Todos foram massacrados. Sharon, apesar de implorar pela vida de seu bebê, levou dezesseis facadas. Seu sangue foi usado para deixar mensagens nas paredes.
Na noite seguinte, o grupo matou um outro casal. 
A polícia demorou semanas pra resolver a autoria dos assassinatos e, durante este tempo, um dos principais suspeitos foi Polanski. Quando Manson, o mandante dos crimes, finalmente foi levado a julgamento, ele quis ser seu próprio advogado. O julgamento foi um espetáculo. Lá pelas tantas, Manson apareceu com um X gravado à faca na testa, que depois foi substituído por uma suástica nazista.  
Manson foi condenado à pena de morte; quando a Califórnia aboliu este tipo de punição, ele recebeu prisão perpétua. Hoje tem 78 anos e nunca se arrependeu do que fez. Já entrou com onze pedidos para cumprir pena em liberdade condicional, todos negados. Vários filmes e livros já foram feitos sobre ele. Virou uma figura cult. 
Então minha pergunta pra leitora -- "por que o avatar do Charles Manson?" -- foi legítima. Vai que ela, sei lá, não sabia quem era Manson (eu sempre acredito no melhor das pessoas).
Ela respondeu: "É um cara que eu admiro, que se negou a se adaptar a esta sociedade podre. É altamente subversivo, contra o consumismo, tem ideias nobres. Acho que ele só não gosta muito de gente. Já faz um tempo que uso a figurinha do Manson, logo trocarei a imagem por uma de uma mulher que eu amo muito. Só não faço agora porque tu vai me achar muito perturbada".
Eu disse que já a achava muito perturbada por admirar um assassino como Manson, e pedi pra que ela revesse seus conceitos. Acho que ela mudou o avatar para uma mulher que eu honestamente nem registrei quem era. 
Pois bem, ontem ela me enviou um novo email. De novo com o avatar do Manson. Com o título "Que engraçado...", a mensagem tem apenas uma linha: "Tu me considera muito perturbada por simpatizar com um serial killer, mas é totalmente solidária com um estuprador? Vai entender, né..."
Imagine o maior facepalm que você já viu e multiplique por cem, e talvez você chegue perto da minha reação. 

O pior é que eu defendo direitos humanos até pro Manson. Porque quando a gente defende direitos humanos, não dá pra ficar escolhendo quem é o "humano direito" que os merece ou não. Todos merecemos. 
O que isso quer dizer? Que eu não defendo cadeira elétrica pro Manson. Nem tortura. Mas também não quero que ele seja solto porque, pelas avaliações psiquiátricas que fazem dele, ele continua sendo incapaz de conviver em sociedade. Continua sendo perigoso. Aliás, é perigoso até preso, porque é admirado por jovens não muito pensantes, que acreditam que ele "tem ideias nobres".
Eu insisto: ódio pode ser uma ideia, e certamente é um sentimento (válido, até). Mas não tem nada de nobre.

100 comentários:

Lígia disse...

Sério mesmo que tem gente que se inspira em Charles Manson?

Cada post que eu leio aqui, eu descubro mais e mais o quanto eu sou ingênua...

Anônimo disse...

Loucura, loucura, loucura...
Lola, me solidarizo com vc.
Bj
Aurea

Anônimo disse...

Como dizem por aí no facebook: "perdoe não pq o outro merece ser perdoado, mas pq você merece paz".

Fiquei pensando sobre punição. Acho que o sistema penitenciário tem três funções: 1- recuperar o indivíduo para que ele não cometa novos crimes. 2- proteger a sociedade de indivíduos que não podem ser recuperados, ou que mesmo 'arrependidos' não tenham auto controle suficiente pra deixar de ser uma ameaça. 3- servir de exemplo para que outras pessoas não venham a cometer o mesmo crime.

No meu raciocínio, a punição, quase no sentido de vingança, não entra. Pq se entrar, logo teremos justificativa pra linchamentos, pras agressões de presos dentro dos presídios, pra olho por olho dente por dente...

Anônimo disse...

Lola, parece que a discussão está indo para um lugar inadequado.

A questão não é ser nobre ou não.

A questão é que o Estado tomar para si ódios, ressentimentos e violências mais atávicos e sublimar isso num processo jurídico, pautado pela discussão "processual" de indícios, provas etc., torna a vida mais civilizada (isto é, mais previsível, menos violenta).

Quem foi estuprado vai lidar com isso como pode e está mais do que na hora de o Estado montar estruturas capazes de estudar e cooperar para que vítimas de abuso possam se recuperar.

Mas a questão não é individual ou moral. A questão é objetiva: o Estado organiza seus processos penais e, tudo indica, isso é um ganho para todos.

As estatísticas indicam que há uma enorme diminuição no número de mortes violentas desde que o Estado passou a ter o "monopólio legítimo" da violência.

Quem quiser entender a respeito pode ler "O processo civilizador", do sociólogo Norbert Elias.

Defender o ódio, a agressão, o esmagamento do outro é coisa de burguês mal resolvido. Entre feministas há muitas burguesas, daí que se entenda a frequência desse tipo de postura entre feministas.

Ou o feminismo supera a regressão moralista contra o "outro" ou vai se tornar um grande movimento a favor de ódio, violência e destruição, ao invés de um movimento em prol de estruturas mais horizontais, mediadas e civilizadas.

Unknown disse...

Lola, eu sei que não tá sendo fácil pra você... Você tem toda razão de estar cansada de tanto assédio, de tanta gente ligada no que você escreve, de tanta opinião dada sem pensar ou pra agredir, por despeito ou por ódio gratuito. Acho que seu maridão tá certo, que você merecia umas férias do blog ^^

Mas queria pedir pra você não desanimar. Você escreve umas coisas fantásticas. Eu acho que nunca comentei nada no seu blog, por falta de tempo ou timidez, mas acho ele cheio de ideias brilhantes. Não concordo com tudo, mas mesmo com aquilo que não concordo, respeito pra caramba, porque (i)você tem ideias muito sólidas e as escreve muito bem, além de (ii) se esforçar pra compartilhar sua opinião, e não impô-la goela abaixo dxs leitorxs.
Daí, acompanhando pelo blog todos esses seus momentos tensos, achei válido e necessário compartilhar isso com você.

Claro que se for um sacrifício(e isso só você pode avaliar) também não vale a pena, né? Vou preferir ler suas ideias lindas num livro.

E, se serve de consolo, é fato que gente não pode escolher nossos leitorxs... mas essa não é uma das grandes mágicas de ser escritora?

Teresa Silva RJ disse...

Vocês não fazem ideia de como o Charles Manson é idolatrado até por brasileiros. Está disponível no Youtube o filme "Helter Skelter", uma reconstituição com alguns toques de ficção dos crimes de Manson e do seu bando. Tem gente defendendo o Manson nos comentários!

http://www.youtube.com/watch?v=H5KTg-gmN48

Acho que pra essa gente nem Haldol resolve.

Anônimo disse...

Digo e repito:
Gente o que mais me incomoda é o povo vociferando contra a garota (D.) que deveria denunciar o irmão, que a Lola ta defendendo estupradores, que as pessoas são isso ou aquilo por ter sido criadxs por pais superprotetores...
Gente vcs estão sendo tão ou mais babacas do que os mascus, que nojo desse povo que tem opinião pra tudo principalmente pra vida alheia, e o que o outro deveria fazer, aff gente ridícula!! Fora, claro os psicologos/psiquiatras de plantão que acham que podem diagnosticar a pessoa por meio de algumas descrições que são citadas por aqui, pfff... vergonha alheia de vcs!
Se a D. consegue conviver com o irmão e de certa forma perdoá-lo quem são vcs pra se meter na vida dela?? Se a Lola tem uma opinião diferente quanto à estupradores, ou qualquer que seja o assunto, vc pode discordar mas vc não tem o direito de achar que a sua opinião vale mais ou está mais certa do que a dela, isto se chama egocentrismo!
E se as pessoas que foram superprotegidas estão bem com isso e são gratas aos pais por isso, vc não tem o direito de condená-las, muito menos seus pais, ninguém pediu a sua opinião sobra a criação alheia!!!
Nossa Lola te entendo por estar cansada, é cada defensor do seu próprio ego/ponto de vista, que chega a ser um show de bizarrices!!

Vitória disse...

Concordo com os anônimos das 11:11 e das 11:09. Vingança não tem nada a ver com a punição do Estado e este não pode atuar de forma a "vingar as pessoas". O poder público de um país minimamente civilizado não pode legitimar práticas primitivas como linchamento, revanchismo e etc. E já está mais do que provado que o olho por olho, dente por dente não funciona NADA.

Minha família é do Pará e é muito estranho como o linchamento é uma prática muito comum por lá. Nego espanca até matar um moleque pq roubou um celular ou uma moto. Estuprador então nem se fala. Contudo, mesmo com o linchamento lá acontecendo de forma generalizada para qualquer tipo de crime, desde furto até estupro, ainda é um dos estados mais violentos que já conheci. Minha avó e minhas tias continuam vivendo presas, crimes continuam ocorrendo e o índice de violência urbana continua ENORME.

Vitória disse...

Mudando de assunto, mandei a vc o comprovante da compra do livro. Não tive respostas confirmando o recebimento, vc recebeu?

Izadora disse...

Olha Lola, esse post veio em ótima hora. Eu estava indo seca comentar no anterior, mas o que tenho a dizer se encaixa melhor aqui mesmo.

Eu sou psicóloga. De uma abordagem relacional, que não adota o princípio de neutralidade científica, que acredita que toda descrição é um recorte da realidade que serve a critérios pragmáticos de compreensão e intervenção (previsão e controle). Estou falando isso pq existem algumas coisas que várias feministas ainda parecem preferir ignorar, mesmo havendo evidências científicas desses conhecimentos e eles serem EXTREMAMENTE PROMISSORES como ferramentas para a mudança social (inclusive na construção da igualdade de gênero). Seguinte:

NÃO DÁ MAIS pra ficar falando em responsabilidade como algo intrínseco, que ou a pessoa tem ou não tem, e que só depende dela. Descrever o problema dessa maneira ("o estuprador é o único responsável pelo estupro") não é uma visão produtiva, pragmaticamente falando, pq deixa pouquíssima esperança de melhora.
O ser humano é resultado das relações que estabelece com o ambiente - a história das condições a que foi submetido tanto na evolução da espécie (fatores biológicos/genéticos/reflexos), em sua história de vida (coisas que viveu, situações a que foi exposto, repertórios que foi ensinado e as consequencias a que seus comportamentos foram submetidos, etc) e uma cultura (práticas culturais, comunidade verbal, regras sociais...). O que uma pessoa é depende diretamente das experiencias pelas quais ela passou, e não dá pra analisar, por exemplo, um caso de abuso sexual sem identificar os fatores ambientais que mantem a ocorrência desses.

Assim, quando se fala em responsabilidade pessoal do agressor, está se falando em apenas um elo da corrente, e o elo mais fraco. Ser responsável pelo seus atos é PRODUTO das interações com o meio, não o iniciador dessas interações. E é por isso, e não por condescendência, que se tenta compreender as contingências que produziram determinado comportamento: pq é no ambiente individual e na cultura que estão nossas esperanças de mudança.

Vergonha e culpa são, sabidamente, inibidores do comportamento antisocial e devem ser ensinados pela comunidade verbal, inclusive oferecendo consequências aversivas para as infrações. Porém não são as únicas variáveis que definem se alguém vai ou não se engajar em um ato infracional, muito menos se vai reincidir ou não. Vamos continuar focando nisso, nesse único fator, ou vamos começar a apontar nossos problemas como sociedade e ver que temos práticas culturais doentes que mantem essas coisas?

A responsabilidade individual entra aí: em modificar seu meio para que certos comportamentos sejam substitúidos por outros mais adequados socialmente, com menos consequencias aversivas para si a longo prazo e para outros. Não adianta ficar falando que o papel do estuprador é "se controlar", pq nenhuma ação humana acontece no vácuo.

Bela Campoi disse...

Lola, tenho acompanhado o debate sem comentar. Vejo que a coisa tá feia, heim? Nossa, é de apavorar mesmo; as pessoas tem ideias pré concebidas e parecem moldadas por um sentimento de agressão gratuita. Eu fico lendo, indignada! Que universo doentio é esse?! Choco-me e me solidarizo contigo, sempre! Beijão!

Becx disse...

Lola vai doer, mas vc realmente não merece tanta dor de cabeça... Pensa na paz que vc terá quando não precisar conviver com essa bagunça toda. Nós vamos superar. E se algum dia vc decidir voltar, nós tb voltaremos:(

Anônimo disse...

Lola, eu só não entendo por que você não considera fetos como seres humanos. Explico (e não estou tentando te ofender mas fazer com que você considere discutir essa questão no seu blog que é uma referência para o feminismo.

Acho inevitável a liberação do aborto em nossa sociedada pois trata-se de uma tendência mundial. Mesmo sendo pessoalmente contra a prática depois de muito refletir cheguei à conclusão que não vale a pena tentar obrigar alguém a ter um filho que não deseja porque isso trará mais prejuízos à criança do que aos próprios pais. Mesmo achando que a 'cultura do aborto' é uma saída irreal para os verdadeiros problemas sociais das mulheres, mesmo sabendo que conscientização + métodos contraceptivos + esterilização resolveriam a maior parte dos problemas causados por gravidez indesejada, mesmo assim já não me considero contra a descriminalização. Apesar de efeitos colaterais como abortos seletivos do sexo feminino que já ocorrem em outros países, talvez a descriminalização possa fazer com que as condições em que a prática é realizada sejam devidamente fiscalizadas e se respeitem minimamente a época máxima para realização e práticas que não agridam o feto. E é disso que eu quero falar.

Nunca nas suas postagens eu percebo uma humanização do feto. Ao contrário. O feto é 'personalizado' quando se diz que ele não deveria ter 'invadido' o corpo da mulher. Quando se trata de considerá-lo humano, dotado de sensações, um ser que sente dor, aí ele é chamado de 'amontoado de células'. Nunca existe uma discussão honesta sobre o prazo máximo para realização do aborto sem que haja sofrimento fetal. Eu acho que isso é sim da conta do movimento feminista. Se as feministas não se preocuparem minimamente com esse assunto não será dos homens que virá essa preocupação a respeito do bem estar do feto e poderão ser autorizados absurdos como o aborto sem limite de gestação que em nada difere do infanticídio.

Por que não considerar o feto como detentores de direitos minimamente humanos? Para uma pessoa que se preocupa em fazer o bem até mesmo considerando a recuperação de estupradores, é o mínimo que eu esperaria de você.

Teresa Silva RJ disse...

Lola, bem oportuno com o momento em que você está vivendo é a exibição nos cinemas do filme "Hannah Arendt", que fez uma interpretação original sobre o nazista Adolf Eichmann e foi muito criticada e agredida por isso. Teve quem dissesse que ela estava defendendo um nazista. Daí veio a sua ideia da banalidade do mal.

http://www.youtube.com/watch?v=2SG9ZlXdUDY

Aliás, eu estou sentindo falta das suas críticas de filmes. Eu sugiro que você ou algum convidado faça uma crítica desse filme, seria bem oportuno.

Pili disse...

Lola,
Sinto muito pelas iltimas doideiras que andaram te escrevendo.
Eu nao vim aqui comentar nada que te apoiasse antes por motivos de pé na bunda :( preciso ficar bem longe da internet, se possível do mundo. Ando mto triste.
Mas te admiro muito! E te agradeço pelo excelente e incansável trabalho.

Luísa Rossi disse...

Lola, o que eu sempre penso para avaliar essas coisas é uma resposta que o Batman deu quando questionaram ele sobre o Coringa (sério rs)

" Se eu for trata-lo da mesma forma que ele me trata, o que me difere dele?"

Lola, você é uma grande inspiração e grande professora.

Anônimo disse...

Sério, Lola, você deveria tirar férias do blog por que está lidando com uma série de pessoas loucas e/ou com dificuldade de interpretação de texto e/ou neuróticas e egocêntricas.

Outra coisa, nos últimos anos tenho andado de pavio curto com certas atitudes babacas. Então, eu começaria a bloquear certas pessoas, que não sabem discordar com educação e não sabem discutir ideias.

Só assim pra se ter paz.

Anônimo disse...

Off-topic: Estou vendo uma reportagem no SP TV (Globo) em que o Sandro Dota confessa ter matado a cunhada (um crime de 2011). Ele não admitiu que a estuprou por que não tinha "clima" pro estupro. Mais uma vez, a mídia comprovando que tem gente que acha que Estupro é a mesma coisa que Sexo.

#vtnc, viu!

Anônimo disse...

Anonimo das 11:57 vc bateu com a cabeça é??
Claro que tem uma discussão sobre o prazo máximo para realização do aborto, são de 3 a 4 meses (até 12 semanas), em momento nenhum ela (Lola) disse que o feto não é um ser humano, onde vc leu isso??
Outra, os fetos que estão com até 12 semanas não é dotado de sensações e muito menos um ser que sente dor, pois ainda não possui um sistema nervoso central suficientemente formado e dotado para tais "sensações", vá se informar antes de vomitar idiotices!!
Infanticídio é quando uma criança ou um recem nascido é assassinado, e um feto está longe de ser um recém nascido, o inteligêcia rara!
Nossa como vc pode dizer tanta besteira em um único post?

Rosanna Andrade disse...

Anônimo das 11:57

Já me intrometendo na questão, eu n considero que o limite da idade fetal seja da conta das feministas. Ou se o é, seria apenas minimamente.

Porque não se trata de uma questão apenas filosófica, mas também científica. Como definir seniciência? Quando o feto sente dor? E por aí vai.

Veja, isso é de responsabilidade da Medicina, não das feministas. Digo, a discussão mais profunda sobre qual é o prazo ideal para o aborto considerando o feto minimamente humano.

O papel das feministas é pressionar o Estado a descriminalizar nesse prazo considerado ético pela medicina, ou seja, por quem tem base científica para determinar isso.

E devo lembrar que apesar de o aborto ser legalizado por aí até 12 semanas (ou algo assim), em casos de risco de vida para a mãe esse prazo é estendido. Inclusive com o feto já tendo o tubo neural formado.

Primeiro pq sem mãe, n tem feto mesmo. Depois, pq sempre que em direito há uma superposição de direitos, a balança tem que pender para um lado. Pense por exemplo em liberdade de expressão e direito à dignidade humana. Em casos de conflito, a dignidade humana prevalece.

E quando a Lola e outras se referem ao embrião como um "amontoado de células" (opinião da qual compartilho), geralmente se fala de quando ele tem 12 semanas ou menos...

Anônimo disse...

"Acho que ela mudou o avatar para uma mulher que eu honestamente nem registrei quem era"
-
Valerie solanas ?

Vivian disse...

Lola, eu não entendo as críticas que estão fazendo.

Só listando algumas das acusações falsas que vejo aqui nos comments:
Pessoas dizendo que você apoia estuprador
Que você diz as vitimas como se comportar
Que você diz que elas devem perdoar o estuprador

Isso é MUITA falta de capacidade de interpretação de texto. Quando li o post, que depois descobri que se tornou polêmico, fiquei surpresa com as críticas. Na hora li como um texto qualquer seu, comovente e tudo. Depois que ouvi as críticas, até voltei pra reler se alguma tinha fundamento. Não achei. Não há nada do que dizem. A única crítica coerente que li é que o blog "abriu espaço" para um estuprador falar, o que achei ótimo do ponto de vista que podemos entender como a cabeça desses homens funciona, e usar em pesquisas para minimizar esse comportamento no futuro. Até aí tudo bem, as pessoas podem concordar ou discordar, mas do modo como vc colocou eu achei que foi serviço de utilidade pública, mesmo!

Danizita L. disse...

Já li sobre esse Charles Manson e sua famosa "Família Manson", esse cara junto de seus lacaios formaram um grupo de monstros. Foram repulsivos (pra não dizer coisa pior)os atos que eles cometeram,uma pessoa que admira um cara desses com certeza tem problemas, se vivesse na Califórnia dos anos 60 e se deparasse com o dito cujo, provavelmente faria parte da sua corja de loucos. Aliás, encontrar gente lunática na internet já virou rotina.

Vivian disse...

As pessoas esquecem que no Brasil não existe prisão perpétua, que um estuprador vai ficar preso NO MÁXIMO 6-8 anos, e depois ele vai voltar a viver na sociedade, no meio de todo mundo! Se ele cumprir com bom comportamento, vai ficar 2-3 anos preso, e o resto do tempo em regime semi-aberto! SOLTO, é isso aí!

E aí, o que fazer com esse homem, que está circulando entre nós e que devido ao "tratamento" que recebeu na cadeia vai estar com um comportamento muito mais perigoso?
vai ter bem menos a perder?

O que fazer coms as estatísticas, que mostram que 80% dos estupradores presos são REINCIDENTES?

Pra algumas pessoas só resta torcer para que o "monstro" morra né, por que afinal ele já foi preso e cumpriu a pena!

Ou podemos enxergar a realidade e fazer algo pela situação. É função sim de TODA a sociedade decidir o que fazer com este estuprador no momento em que ele foi solto e volta a viver em sociedade! É função inclusive - e eu diria ainda mais, por que nós temos a clareza de enxergar a dimensão deste crime - de todxs nós feministxs resolvermos este problema!

O estuprador deve ser solto? Ele deve cumprir apenas este período de pena? Quando ele for solto, o que faremos com ele?

Estas questões urgem, e precisam ser decididas com urgência.

MCarolina disse...

Sabe as pessoas que se juntam a cultos como o do Charles Manson, grupos neonazistas, que estão esperando o arrebatamento para o fim de semana e, principalmente, aquelas que ninguém gosta e ficam o dia todo no quarto tramando contra o mundo e comendo sucrilhos? Elas estão acessando seu blog e te mandando emails! Não sei se serve de consolo, mas parece que todo mundo que alcança certa popularidade vira alvo dessa gente.

Anônimo disse...

Lola, você está bombando na nossa page!

Mais de 700 compartilhamentos

<3

Olha lá no "A favor da despenalização do aborto":

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=406056446167628&set=a.280560925383848.55515.264149567024984&type=1&theater

Não precisa aprovar esse comentário, só queríamos que soubesse que você está com tudo <3

Beijos!

Anônimo disse...

Anônimo do 12h30.

Precisa responder dessa forma?? como se você fosse superior e mega inteligente??? Não é isso que estamos discutindo há uma semana?!

A pessoa que perguntou do aborto foi super educada, veio aqui discutir numa boa... pra que xingar, distratar?

Você se da conta que faz parte do grupinho intolerante e agressivo que faz a lola pensar em acabar com o blog.

hoje você concorda com o post, mas como vai agredir a lola quando discordar dela???

Rob disse...

Realmente Lolinha,a imbecilidade na net cansa.To até pensando em deletar meu facebook por conta disso.Mas nem pense em deletar seu bloguinho,mocinha!Vou morrer de saudades,ao inves tire um tempinho e depois volte com força total \o/

Anônimo disse...

Lola, a única coisa que eu consigo dizer é: obrigado pelo seu blog.

Abraço!

Marcos

Anônimo disse...

Mas é lógico que eu seria atacada por falar a verdade, rs. Não sei se vocês sabem mas no Canadá não existe limite de tempo de gestação para o aborto voluntário, na Suécia é de 18 semanas e No Reino Unido é permitido até 24 semanas (depois vão no youtube ver uns ultrassons 4D nesta idade gestacional).
O assunto depende muito sim de discussão. Não existe consenso médico, então a definição dos prazos é social. Eu acho que quem se diz preocupado com os direitos humanos a ponto de dialogar com um estuprador em um blog feminista deveria sim pesar estas questões na hora de falar sobre o assunto.
Eu não vim aqui para ser atacada nem pra ser chamada de idiota. Aliás é por isso que muitas mulheres nem sequer se consideram feministas afinal de contas elas não podem nem pensar com as suas cabeças fora da caixinha não é mesmo?
Hipócritas...

Julianny Schmitt disse...

http://pat.feldman.com.br/2013/08/03/um-estudo-interessante-sobre-cereais-matinais-industrializados/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+patfeldman+%28Pat+Feldman%29



MCarolina, tu conseguiu me fazer entender o que acontece com essa gente! Presta atenção: antes de morrer, os ratinhos ficaram doidões. Explica tudo!

Marina P disse...

"Fora, claro os psicologos/psiquiatras de plantão que acham que podem diagnosticar a pessoa por meio de algumas descrições que são citadas por aqui, pfff... vergonha alheia de vcs!"

Bem, não sei a quem seu comentário está dirigido, mas eu sou psicóloga e já opinei sobre muitos assuntos aqui. Em alguns posts falo da minha opinião pessoal e em outros falo da minha opinião ou avaliação profissional. Levando em conta que eu realmente não me sinto incluída no grupo de profissionais que diagnostica pacientes pela internet somente com meras descrições mas também não sinto que faço parte do grupo que fica em cima do muro e não diz nada com medo de se comprometer de alguma maneira, quero expressar a dificuldade que é, muitas vezes, tentar explicar conceitos, construtos teóricos e terapêuticas aqui na net.

Às vezes a discussão por aqui corre com pouco embasamento e vejo pessoas falando de assuntos que elas não conhecem profundamente embora tenham uma opinião a respeito deles. Nesses casos é muito difícil não falar nada, não usar um conhecimento que eu tenho para explicar alguma coisa, passar informação, dados, etc. Às vezes eu tento fazer uma síntese do que quero dizer, porque senão teria que escrever muuuuito para poder expressar certas coisas, mas aí acaba saindo de uma forma simplificada e isso com certeza é mal recebido por muitas pessoas e pode passar uma ideia errada. É uma pena que seja assim, mas ainda não encontrei outra solução para esse dilema que não inclua eu escrever um livro e distribuir entre os leitores do blog ou simplesmente não dizer nada sobre a minha experiência profissional.

Enfim, é isso.

Eva disse...

Lola, falta MUITO na formação de muita gente. Sabemos como tá a educação no nosso país, né? Ai fica difícil cobrar até mesmo coerência, quanto mais uma compreensão mínima de texto lido. Análise do discurso seria sonhar alto. Respira fundo. Você não está sozinha não - muitas pessoas feministas te apoiam, pode ter certeza.

Eva disse...

Anônima,
Cada país tem seu equivalente ao Conselho de Medicina - e sim é a ciência quem deve determinar certas coisas. E outra, ninguém é obrigado a absolutamente NADA, muito menos a obrigatoriamente se manifestar publicamente a uma ou outra opinião. Não é hipocrisia, ué, cada um escreve sobre o que quer. Se quer tanto escrever sobre o que quiser, que tal parar de vomitar idiotice em blogs alheios e escrever o seu próprio? Ninguém tá tirando o seu direito de opinar como quiser, sobre o que quiser e como bem entender.

Bia G. disse...

Lola, sinceramente eu não sei como você aguenta tudo isso, e te admiro muito por aguentar.

Quando sou eu que sou ofendida, perseguida, por uma razão mínima que for, fico super abalada.

Não dá para acreditar que existam pessoas assim... que são fãs de pessoas assassinas, preconceituosas, etc.

Te desejo força, acima de tudo. E que nada te abale a ponto de te fazer mal.

André disse...

Lola, seu blog é fantástico! acho que nessa sua busca por defender os direitos humanos, vem a tona reações absurdas de tantas pessoas contra isso...esse senso de "justiça" que as pessoas as vezes tem, parece até ser fruto da nossa mal resolvida ditadura, né?
força!

Clarice disse...

Lola,to vendo que a coisa tá difícil e imagino bem o cansaço e ate msm uma certa raiva q vc pode estar sentindo com esse bando de gente q só quer te atacar... na época das manifestações eu exclui meu facebook pq nao aguentava ver ideia de gente retrograda jogada aos ventos, e isso estava me fazendo mt mal... mas eu não era atacada, minhas ideias nao eram incompreendidas, e é isso q vejo q estão fazendo com vc!isso não ébom, sanidade mental tem limite e vc é humana, tem uma hora q esgota... não sei, seu blog é mt bom, compartilho de quase td o q vc diz (fiquei ate feliz qdo li esses dias q sua séria favorida era A 7 palmos, q de longe, é a minha tb! ja tenho as 2 primeiras temporadas em dvd hehe), ele abre a cabeça de mt gente e dá conforto pra outras tantas... não sei, talvez seria bom vc arranjar um jeito de não ler esses ataques e continuar com o blog. Espero q as msgs de gente q entende a opinião dos outros seja maior e isso faça vc continuar...

Anônimo disse...

Lola, só queria te dizer que a internet sempre traz o pior das pessoas, quem dizem coisas que não diriam nunca cara a cara, por que perdem a noção mesmo... E acham que você tem sempre que ter as ideias que eles acham certas, ou você está traindo o movimento. É triste, mas tem pessoas que parecem só fazerem isso da vida, espalhar seu veneno para fazer os outros são infelizes quanto eles proprios!

Mas esses são uma porção pequena dos seus leitores (apesar de muito participativa). Eu mesma nunca comento, mas leio todo dia o seu bloguinho, me ensina muita coisa, traduz muita coisa que eu não saberia dizer! Muito obrigado pelo seu trabalho, pela sua luta!

Haters gonna hate, em qualquer assunto!

Anônimo disse...

Muito triste alguém ter como inspiração de vida Charles Manson, o que ele fez com a Sharon foi absurdo, aliás, mandou fazer né, pq ele ñ tocou em um fio de cabelo dela. Mas Lola, existem sites na internet de culto a esse doente, com fotos absurdas da Sharon morta. Vou publicar em "anônimo" pois não tenho conta nenhuma. - Camila.

sandra disse...

agora só a lola pode simpatizar com marginais...

estou vendo reclamação de gente dizendo alguns querem dizer o q a lola deve pensar,mas se vcs olharem no post do estuprador,a lola já começou dizendo q quem n pensa igual a ele sobre esse assunto n é feminista.
estou cansada de ver aqui várias "feministas fodonas de verdade" desqualificando feminismo alheio.

Anônimo disse...

Lola, tem muita gente com raiva no coração que encontrou em você um alvo, porque você é cheia de empatia pelo sentimento alheio, mas é sensata e racional e não compartilha dessa raiva.
Alguém aí sugeriu o filme da Hannah Arendt, realmente boa pedida.
Estou aqui pra solidarizar com você, que você receba o apoio e a empatia de quem acredita no valor do seu blog. Se você acabar com ele, o ódio venceu o amor. O ódio quer calar, não deixe, Lola, não deixe!
Tome um banho de sal grosso e cerque-se do nosso respeito e continue sendo essa figura pública essencial.

Liliana Soares disse...

Pois é Lola, tem que idolatre Manson, Hitler, Jack o estrpador, e até o Rafinha Bastos (Desculpe não resisti! XD), e acha que tem moral para criticar quem quer que seja...

paula disse...

Lola, é tudo uma questão de analfabetismo funcional. Fico chocada como as pessoas não entendem uma coisa que foi escrita e fazem os comentários mais doidos do mundo. Isso acontece na internet toda.

Panthro disse...

Concordo com você em número, gênero e grau neste caso.

Anônimo disse...

Devemos escrutinar o nosso dialogo interior, procurando identificar o nosso discurso de acusação e de defesa da nossa pessoa perante uma plateia imaginaria. Esse discurso e a raiz da falsidade, porque quem nos acusa e o diabo e quem nos defende e a nossa vaidade, e em geral os dois discursos são falsos. Este discurso e rapidamente transposto para a nossa vida exterior, onde faremos das outras pessoas personagens do nosso tribunal imaginário, que serão vistas por nos como advogados de acusação, quando elas desconhecem quase todas as nossas falhas, ao passo que nos assumimos o papel de Deus, como se fossemos um juiz omnisciente. Também o nosso discurso de queixas e recriminações entra num automatismo semelhante, que pode ser quebrado pela oração.

GHOULS IAMHOME disse...

essa mulher que idolatra o manson é realmente muito ingenua. ela não sabe o que é conviver junto com um psicopata, conviver com um psicopata é correr risco de terminar morto. ela é do tipo que quer se envolver com marginais porque eles são alfas, ela corre risco de terminar morta por ter essa atração toda por alfas

psicopatas não deveriam ter direito de viver em sociedade, nasceram perigosos, pois não tem sentimento de culpa. todo cidadão de bem deveria ter direito á arma pra se defender dessa escória, eu mesmo ja fui atacado por um psicopata.

eles fingem ser pessoas normais, conseguem manter amizades, enganam as pessoas, mas na verdade não pasam de assassinos, eles não merecem viver em sociedade.

eu não perdoo ninguém, não sou cristão pra perdoar.

Anônimo disse...

O brasileiro está cada vez mais violento e não quer que a violência o atinja.

http://www.blogdajoice.com/os-quatro-presos-acusados-de-matar-tayna-sao-inocentes/

É isso aqui que acontece quando se quer vingança e não justiça.

Mordred Paganini disse...

Com 24 semanas nem dá pra considerar como aborto, afinal, o bebê sobrevive com 24 semanas de gestação.
Daí seria um parto induzido. E teriam que matar o bebê.

Não entendo porque alguém esperaria tanto para abortar, sinceramente.

Claro que isso não vale para partos de anencéfalos. Afinal, uma vez que você induz o parto o bebê vai morrer, a menos que seja entubado. Neste caso ele poderia sobreviver mais um pouquinho.

Mordred Paganini disse...

Lola, como sua fã devo te apontar qual o seu GRANDE erro:

Abrir espaço para os trolls!

Sério!

Você deixa comentários que não tem nada a acrescentar aqui e você se importa com estes comentários.

Aprendi da pior forma possível que em espaços feministas devemos sim dar espaço às pessoas feministas!

Antes eu achava que valia o "debate". mas que debate é possível com gente que acredita que os EUA financiam o "esquerdismo" no mundo. Dá pra levar uma pessoa dessa a sério?

Daí os trolls tomam espaço e nós, pessoas feministas, ficamos sem mais este espaço!

É justo que os reaças tenham até o nosso espaço para despejarem chorume? Por que eles querem vir até aqui, onde não são bem-vindos?

Eu era dessas que liberava e infelizmente, perdi a participação das feministas nas discussões.

Muitas de nós quer um espaço "seguro", para discutir feminismo de forma engrandecedora, aprofundando questões, amadurecendo juntas.

E isto não é possível onde trolls tenham espaço.

Por isso eu gostaria de pedir encarecidamente que você continue o blog sim, mas que deixe o chorume longe de você e de nós todas. (ou todos, ou todes).

Ps: isso valer para comentários transfóbicos também, sabe? Pra quê deixar esse chorume crescendo aqui?

Anônimo disse...

Fui um dos que disseram que o irmão da D. é um monstro, é minha opinião, essa moça já sofreu demais com esse elemento, ela não tem a obrigação de entende-lo, de compreende-lo, e nem de ajudá-lo, creio que ao expor sua vida aqui ela já imaginava que os comentários nem sempre a agradariam.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Imagino quantos ataques você deve receber de mascus, machistas, reaças, pessoas perturbadas como essa do post, enfim, mas imagino que realmente difícil deve ser receber ataques de pessoas que se identificam com as ideias feministas. Lembrando que ataque é diferente de crítica, de discordância.
Me parece que você não tem que ficar se justificando, acho que só vai te exaurir ainda mais. Você já explicou muito bem seu ponto, já desenhou. Não foi por falta de clareza que tudo isso aconteceu. Muito pelo contrário, aliás.

Sara disse...

Ai Lola querida eu já acho muito mais higiênico para a humanidade se livrar de psicopatas, não acho justo q alguém q tenha uma doença q consiste em dizimar e torturar pessoas fique andando por ai, me desculpe, isso é uma coisa q não vejo a menor possibilidade de eu mudar de ideia.
Se precisarem de mim pra dar uma ajudinha a sumir com essa gente, podem contar comigo.

Anônimo disse...

Engraçado q os comentaristas frequentes do blog sumiram desde o primeiro relato de estuprador-incestuoso...

Antes tinham muitos mais comentários. Será q tanta gente assim não soube ler e entender?

Carlos disse...

"Tipo: um cara vem xingar feministas de feias e gordas e reclama que seu comentário não foi aprovado"

Eu provavelmente sou a quem você se refere nesse trecho e digo que você não entendeu o que eu quis dizer com aquele comentário (sobre a tirinha do "monarca de pau pequeno"). O que eu disse era que o xingamento (pau pequeno) era equivalente (sim, eu sei que não é simétrico, mas enfim, não é um comportamento justificável para quem fala em bodyshaming) a usar outras características físicas comumente usadas como ataques ad hominem. Exemplifiquei que era semelhante a chamar uma feminista de gorda, para impactar e fazer notar o impacto daquele xingamento.

Anônimo disse...

Anônimo das 18:36, você achar isso não significa que a D.tem que concordar. Ela me pareceu bem resolvida e dona da própria opinião pra precisar do seu comentário que só julga e não acrescenta.

Anônimo disse...

@anon de 19:51

Só os últimos 3 posts tem mais de 300 comentários, com mt gente conhecida por aqui...
Se manca, cara!

Anônimo disse...

Nossa Sara, ta cada vez mais tenso seus comentários, hein?

HIGIENIZAR o mundo eliminando pessoas... parece que já ouvi esse discurso antes... To em dúvida aqui se foi dos nazistas.

@dddrocha disse...

Ai Lola, é muita gente doida junto.
=//

Rafaela disse...

Lola, voce nao merece isso! Sabe, quando li o post de que o blog subiu no telhado, fiquei muito muito triste. Porque venho aqui todos os dias. Se o blog acabar a perda sera enorme. Por outro lado, poxa vida, que bando de maluco existe por ai fazendo ameacas, te ofendendo, te acusando. Pessoas maldosas ficam te assombrando. E vc eh muito querida e nao merece um pingo desse tipo de aborrecimento. Tambem me preocupo com as ameacas que qualquer natureza. Lola, fique bem. Obrigada por exisitir. Nao posso pedir que continue, mas posso pedir que mantenha essa riqueza de textos caso vc decida nao escrever mais. beijos

Liana hc disse...

Pareceu até que o Manson foi apenas um rapaz intrépido e questionador, e não uma pessoa com uma visão de mundo distorcida e violenta. E ainda fez uma comparação que não cabia... Difícil, viu.

Maria Valéria disse...

Lola,

Falando serio, nao sei de onde vc tira tanta paciencia pra lidar com comentários agressivos ou intolerantes,

Quando alguem te acusa de fazer algo que você nao faz,provavelmente a própria pessoa que te acusa e que faz isso, e nao quer admitir.( pesquise : formação reativa , em psicologia )

Nao abandone o blog nao, mas pense em deletar comentários agressivos demais ou acusações infundadas,

Beijos

Anônimo disse...

Oi Lola
Vamos diminuir um pouquinho a tensão por aqui, se é que isso seja possível...
Vendo a discussão sobre a alteração comportamental da criança que é abusada, que pode vir a se tornar abusador (eu disse pode vir e não que obrigatoriamente será, para os que adoram interpretar errôneamente), vc já assistiu o filme A Cela com a Jenifer Lopes?
Se assistiu, vc gostou?? Não encontrei nos posts antigos...
Lola don't feed the trols and hatters!!
Não dê bola (sei q é dificílimo), aos desocupados que vem destilar sua amargura e infelicidade, são seres infelizes dignos de pena!
Bjos

Heloisa disse...

Duas pessoas indignadíssimas com o fato de você ter dado voz ao estuprador arrependido. Acho engraçado como as pessoas fazem questão de tratar estupradores como loucos, dementes, seres das profundezas do inferno, seres não-humanos que merecem a morte, castração, torturas medievais etc. Longe de mim querer defender estupradores. Mas eu vejo nessas pessoas uma tentativa de tornar estupradores seres tão monstruosos que são fatos isolados. Para essas pessoas, seu melhor amigo, seu primo, seu vizinho jamais poderão ser estupradores potenciais. Estupradores são só tarados em becos. Quando a verdade é que, como você já cansou de dizer, Lola, existe toda uma cultura na nossa sociedade que favorece o estupro. E muitos estupradores são produto dessa cultura. Não são monstros isolados e com deformação genética (ok, alguns até podem ter problemas psicológicos de origem genética, mas não aquele boyzinho que se aproveita da ficante bêbada), mas sim pessoas que vivem numa sociedade onde um humorista faz piadas dizendo que "mulher feia tem que agradecer o estuprador".

Enfim, fico surpresa com a excessiva demonização do estuprador por parte das pessoas (muitas vezes homens). No fundo isso não passa de uma tentativa de minimizar o estupro. De pensar que só é cometido por doentes e só acontece com pessoas azaradas e/ou descuidadas. Afinal, pensar que aquele programa humorístico de TV de domingo (que mostra uma apresentadora sendo abusada e diz que não tem problema) pode estar contribuindo para a cultura do estupro é assustador, dá trabalho e faz a pessoa pagar de chata com a galera, né?

Anônimo disse...

Oi Lola, sou leitora assídua do seu blog (e dos comentários de cada post) mas nunca comentei.
Assim como muitxs leitorxs já fizeram, vim aqui te dizer que a minha admiração por você só aumentou durante estes dias (e olha que eu pensei que não poderia ser maior). Os últimos posts me fizeram refletir sobre um assunto que nenhum outro espaço feminista me fez pensar.
É muito injusto e doloroso os comentários e ameaças que você vem recebendo. Sei que sabe disso, mas você é uma pessoa extremamente forte e corajosa. Posso dizer que é uma das pessoas mais fortes, corajosas e humanas que eu conheço.
Estou muito triste com tudo o que está acontecendo aqui, é inacreditável toda essa intolerância.
Estou torcendo para que toda essa situação se alivie, que você possa pensar melhor sobre o que fazer em relação ao blog, e muito, muito esperançosa para que não o abandone. :(
A importância que seu blog teve/tem na minha vida é imensurável e isso tudo fez com que mesmo não te conhecendo pessoalmente, criasse um afeto muito grande por você.
Beijos com carinho.
Muita força!!!

Carla L disse...

Lola, seu blog é leitura obrigatória diária para mim, é a primeira página, junto com meu email, que abro assim que ligo o computador, mesmo não concordando com tudo, amo ler sua opinião.

Sinceramente, acho que você está dando muita importância para quem não a merece, eu acho que você devia simplesmente ignorar certos comentários e deletá-los de sua mente logo após lê-los.Assim você teria mais prazer, ou voltar a ter, mantendo o blog e nós, suas leitoras, não precisaríamos ficar órfãs do sue maravilhoso blog, que quer você acredite ou não, ajuda muitas e muitos de nós a nos mantermos firmes em nosso dia a dia, além de lembrarmos de checar nossa conduta diariamente.Sem você muitos ficariam perdidos.Sei que é um pouco de egoísmo, mas gosto muito do seu blog e não gostaria que ele acabasse.

Minha dica é que você se afaste um pouco de comentários e emails.Talvez você pudesse pedir que alguém te ajudasse com eles, alguém de confiança, da vida real ou virtual.Talvez até pudesse pedir a umas duas ou três pessoas, podiam ser até leitores fiéis, que tomassem conta de 100% dessa parte, e sempre que houvesse algo interessante, um possível guest post ou algo endereçado somente a você esses encarregados te avisariam.

Bem, isso é tudo que queria dizer.Gosto muito do seu blog e se você pudesse mantê-lo ficaria muito feliz.

Boa sorte no que quer que escolha.

Juliana David disse...

"É um cara que eu admiro, que se negou a se adaptar a esta sociedade podre."

ZENTI, que pessoa estranha. D:

Nat Muniz disse...

Também achei que essas últimas polêmicas no blog foram mt a cara da questão em torno da qual gira o filme sobre a Hannah Arendt...

Nat Muniz disse...

só uma pequena ressalva: "a ciência" (que seria a responsável por definir) não é neutra, portadora de uma verdade absoluta ou homogênea/ consensual.

passa muito pelo social tmb, relações de poder (sim, gente, tem isso "na ciência" e muito) MORALIDADE dos médicos integrantes dos conselhos, etc.

Maria Fernanda Lamim disse...

Mano...QUE MEDA da "Garota Manson", PQP!!! D:
Lola, tome um banho de sal grosso e continue com a gente! Nos te amamos! #ficalolafica

Nat Muniz disse...

Anônimo das 18:36


A D não tem, certamente, a 'obrigação' de conversar com o irmão. Até aí acho que todo mundo concorda. Mas não significa que não seja uma escolha possível para ela. Parece pelo relato, que para ela fez sentido fazer isso, e fica claro também que ela tem sentimentos ambiguos em relação a esse irmão (como é comum em caso de abuso por pessoas próximas/queridas). Acho que o que a Lola 'reclamou' é que não faz sentido dizer para a menina que o modo dela de lidar com a vivência dela (seja conversando com o irmão ou não) é errado pq o irmão dela é isto ou aquilo. :)

Nat Muniz disse...

Sara...

Higiênico é TENSO, viu? Tá ligada movimentos higienistas, fascismo, nazismo, desumanização? É meio que essa a vibe. xP

Anônimo disse...

Eu digitei no Google, misandria e falofobia, e vim parar aqui.

Paulo Tarso disse...

"É um cara que eu admiro, que se negou a se adaptar a esta sociedade podre."
-----------------------------------
Tipico revolucionárix marxista radical, que acredita na destruição criativa, como ferramenta de combate, acha que se a sociedade não se adequar a sua utopia, que a sociedade seja reduzida a pó então.
Muito comum entre esquerdistas, feministas, anaqrquistas, fascistas etc..

Denise disse...

Estou com a Lígia, que fez o primeiro comentário, acho que devo ser muito ingênua, pois sempre fico chocada com a imbecilidade/caráter/atitude de algumas pessoas...

Outro dia ouvi de um conhecido que tem blog uma sugestão ótima. Ele disse que recebe tanto email de gente imbecil/hater que adotou a prática de só ler a primeira linha do email. Então ele diz pras pessoas: querem me mandar email de ódio/crítica/etc, condense tudo na primeira linha, pois é o máximo de atenção que dedico a cada email. Acho que vc podia adotar o mesmo, Lola, já ia dar uma boa “filtrada”. :)

Agora falando sério: me solidarizo com vc, sei como as pessoas de bem se abalam com esses sem noção. Esse mundo as vezes me choca e entristece...

Da direitona reaça com orgulho disse...

Bom em nova Iorque dos anos 80 era muito violento, o prefeito fez uma grande limpeza e se vc roubasse um celular que fosse ia pra cadeia. Pena de morte pra quem cometeu crime hediondo, etc. Ou seja direitos para pessoas direitas. Hoje vc pode andar por nova Iorque muito mais tranqüila que na década de 80. Vcs vão dizer, continua tendo furto ok, mas NEM SE COMPARA com a violência das cidades brasileiras.
Singapura pais super seguro, as mulheres podem andar tranqüilamente e pensar que faz uns anos era um dos países com mais estupros. Mas a policia lá é jogo duro, drogas,e estupros nao se perdoam
Outra vez mostrando que DIREITOS PARA PESSOAS DIREITAS é o que funciona.
Quem comete um crime tem que se responsabilizar por isso.

Sara disse...

Para os q acham psicopatas pessoas de agradável convívio, levem um para suas casas, eu quero mais é q não sobre um só deles nesse planeta.
E to me lixando pros fã club dessa gente.....

Da direita disse...

Anônimo nao me lembro qual hora

Na mesma hora que vc faz publico um post, um blog, vc esta sim aceitando as opinioes alheias. Vc diz "ninguém esta pedindo a opiniao de como a d deveria agir" oras publicou o post TODOS OS LEITORES tem direito a opinar SIM

Anônimo disse...

Sempre que eu vejo alguma foto do Charles Manson sinto um negócio MUITO ruim que não dá pra explicar. Não entendo como alguém poderia seguir e admirar um homem como esse, tá estampada na cara dele a insanidade e a negatividade dele, gente! Mas aí eu paro e penso em quantas pessoas seguem e admiram tantos homens tão cruéis e egocêntricos quanto ele, só que talvez não tenham uma cara de louco como a dele, e continuo sem entender o porquê disso.

Laura disse...

Lola, leio teu blog quase que diariamente. Para mim, a descoberta dele foi marcante, pois mesmo que eu ja me interessasse por assuntos feministas, aqui eu aprendi muitas coisas novas.
Por favor, nao o abandone. Acredito que tenha mais gente que se beneficie com o conteudo dos teus artigos do que o contrario. Claro que sempre haverao os incomodados, mas na internet é muito facil escrever bobagens sem refletir. A fa do Charles Manson nao apresentou nenhum argumento convincente para gostar de um tipo desses, parece mais uma adolescente que gosta de provocacoes.
Adoro teu blog e torço para que ele continue existindo e ajudando mulheres e homens. Abraços

Eric Musashi disse...

Respeito sua visão dos direitos humanos, Lola, mas concordo com o Hannibal Lecter quando ele diz que "um mundo lógico me destruiria ou me usaria". Realmente não vejo lógica num cara preso, gerando gastos para a sociedade que agrediu com seus crimes, e incapaz de se recuperar em algum futuro.

Lala disse...

@Quirida da direitona (sqn),

Vc está confundindo direito com se achar no direito.
Como eu já disse em outro coment, esse espaço é um blog PESSOAL (apesar da inegável utilidade pública dele), NÃO é um fórum mt menos uma ação social patrocinada pelo governo.

Imaginou se a Lola simplesmente cortasse os comentário q nem a Nádia Lapa fez a um tempo atrás?
Cada seu direito presumido? Não tem pq não existe, gracinha.

Um ótimo dia!

Anônimo disse...

"Acho que ela mudou o avatar para uma mulher que eu honestamente nem registrei quem era"
-
Valerie solanas ?

14 de agosto de 2013 12:35


Valerie Solanas não tem NADA a ver com Charles Manson. Pra começo de conversa, ela tinha várias ressalvas e era muito crítica a respeito dos hippies ou pseudo-hippies (ou o que sejam). Além de ter desprezo por homens que fazem qualquer mal às mulheres. Pare de falar besteira sobre o que você não sabe.

Ah, parem de usar o nome de Valerie Solanas em vão. Ela parece ser o bode expiatório preferencial tanto de idiotas masculinistas como de feministas liberais/moderadas, pois sempre a comparam com os piores homens que se têm referência.

Seja porque querem pintar feministas como "nazistas", "misândricas", "insanas", "insira aqui a pior coisa que existe na terra para um mascu" ou porque querem se diferenciar e se distanciar daquelas radicais "lunáticas", "odiadoras de homens", "que de feministas não tem nada"... isso mostra muito do SEU machismo, onde mulheres que se defendem, que buscam mudanças para as mulheres, que lutam pelo que acreditam e que falam o que pensam são comparáveis a psicopatas, sádicos, torturadores, ditadores e genocidas.

Anônimo disse...

15 de agosto de 2013 10:50, o manifesto scum mandou um abraço.

Anônimo disse...

Beijos!

Anônimo disse...

Eric
Se vc for pensar assim, que deveríamos condenar à pena de morte aos que "não têm recuperação" qual a diferença entre vc (como sociedade) e o psicopata que mata??!
Realmente não sei como pensar, pq nunca um assassino/estuprador me afetou diretamente, pode ser que se houvesse acontecido algo, poderia ter uma opinião parecida com a sua... ficou a dúvida!

Sara disse...

Eric Musachi estou contigo e não abro, não existe lógica na existência de psicopatas que odeiam a sociedade e fazem de tudo para destruí-la, preservar essa gente significa expor todos ao extermínio.

Fernanda disse...

A da direitona acha que quem rouba chiclete aqui no Brasil não é preso. Nós temos a segunda maior população catcerária do mundo, 40% dos presos aguardam julgamento, e a pm é uma das que mais matam no mundo. Aqui nós temos direitos humanos pra quem tem dinheiro, mais violência só se começarmos uma guerra civil declarada.

Anônimo disse...

Heloísa, tenho a mesma opinião que vc!

Quando transformamos o estuprador em um monstro psicopata, estamos tirando o foco do verdadeiro problema.

Psicopatia é uma doença e nem todos os estupradores a possuem. Tem um monte de cara considerado normal, calmo, afetuoso e admirado por aí que já estuprou alguém, ou que mesmo transformou o estupro em uma prática recorrente.

Só como exemplo vou citar a minha própria família. Tenho um tio e um primo estupradores. Meu tio estuprou e matou uma menina que conheceu na internet e agora está preso. Ele é odiado pela família e foi diagnosticado como psicopata pelos médicos do próprio estado.

Meu primo é médico, nunca matou ninguém, mas estuprou. Ele ME estuprou. Me deixou inconsciente quando eu tinha 16 anos (acho que colocou alguma coisa na bebida) e não me lembrei mais de nada. Anos depois tentou fazer o mesmo comigo consciente (dessa vez só tentou e não conseguiu).

Um é odiado pela família, o outro é idolatrado, mas ambos são estupradores.

Anônimo disse...

Paulo Tarso é um troll usando linguagem neutra com "x"????? Olha só, estamos alcançando essa ideia rssrsrs

Anônimo disse...

Paulo Tarso é um troll usando linguagem neutra com "x"????? Olha só, estamos alcançando essa ideia rssrsrs

15 de agosto de 2013 13:26

___________________________


Na verdade eles usam esse "x" pra zoar com essa suposta linguagem neutra. Repare que ele fala "típicO revolucionárix", de neutro isso não tem nada...

Mas cá entre nós, convenhamos que o uso desse esse "x" além de ser horroroso e não favorecer a leitura, se for analisar, é bem zoado mesmo. Parece coisa dI kEiN ixCrEvi axIm. Existem alternativas muito melhores, mais bonitas, eficientes e criativas do que colocar "x" ou "@" no final das palavras, para superarmos o machismo linguístico do uso do masculino "neutro".

Algumas das alternativas da linguagem inclusiva é usar o termo no feminino e no masculino, por exemplo: "todas e todos", "eles e elas", ou até mesmo usar o feminino neutro para dar ênfase às mulheres/meninas/fêmeas e se contrapor ao masculino "neutro" da linguagem machista.

O uso de "x" ou "@" no final das palavras parece uma ação automática, pouco pensada e pouco criativa, para a pessoa que fala se mostrar politicamente correta, mas nem está usando uma linguagem inclusiva de fato.

Anônimo disse...

Vide o uso de "x" ou "@" ao mesmo tempo em que se usa termos no masculino "neutro" ou o uso de "x" e "@" em palavras que nem estavam no masculino, como já vi por aí (tipo, tem gente que escreve "estam@s" ou "estamxs" para dizer "estamos").

Bizarro!

Patty Kirsche disse...

Charles Manson é a escória. Obviamente um psicopata perigosíssimo. Até hoje fico chocada ao ver gente com camiseta com a cara dele estampada, como o Axl nesse clipe: http://www.youtube.com/watch?v=dpmAY059TTY

Ele até mandou uma mensagem esquisita ameaçando o Marilyn Manson por usar o nome dele...

Anônimo disse...

"psicopatas que odeiam a sociedade e fazem de tudo para destruí-la"

Sara, psicopatas não odeiam a sociedade nem fazem de tudo para destruí-la. Psicopatas não estão nem aí para a sociedade; eles simplesmente querem levar vantagem em tudo e se dar bem (o que, se eles parassem para pensar, o que duvido que façam, significa que eles precisam da sociedade para viver às custas dos outros).

Eu não gosto da nossa sociedade, e se não faço de tudo para destruí-la é por que tenho limites; se eu fosse deus acabava com esse horror agora e recomeçava tudo do zero. E eu posso ser muitas coisas, mas psicopata eu não sou. Só uma pessoa que se dá conta de que "a sociedade" está precisando de uma boa destruída, por que está muito mal organizada: miséria absoluta e riqueza nauseante, famílias enlouquecidas que não podem ser confrontadas por que a autoridade dos pais é absoluta portas adentro, violência descontrolada, etc, etc, etc (e mais uns 37 etc.).

Anônimo disse...

"Valerie Solanas não tem NADA a ver com Charles Manson."

E, em tese, nenhum dos dois têm nada a ver com Stalin, mas é um fato que adolescentes que querem demonstrar sua revolta contra um mundo injusto e não sabem bem como tendem a idolizar figuras assim (Stalin, Manson, Valerie Solanas), só porque são desprezadas pelo mainstream.

"Ah, parem de usar o nome de Valerie Solanas em vão. Ela parece ser o bode expiatório preferencial tanto de idiotas"

Provavelmente por que é um alvo fácil, e é um alvo fácil por que o manifesto dela é um besteirol infindo. É o mesmo motivo que tanto idiota logo te compara com Hitler numa discussão.

Anônimo disse...

pensei bastante depois do famoso "post defendendo o estrupador", me fez repensar todos os meus conceitos feministas, afinal, para quê serve o feminismo? Para apenas ficar denunciando o slut shaming em páginas do face?

Eu fui abusada várias vezes durante a minha infância, todos os abusos foram feitos por parentes, primos, primos de primos e etc. O ódio por muitos anos me persegui, não ódio dos meus estupradores, mas ódio de mim mesma por não consiguir odia-los, afinal é o que uma boa femeinista deve fazer.

mas aonde o ódio me levará? Vamos destruir o patriardo ódiando o machismo e discutindo o machismo apenas entre feministas? isso não nos leva a lugar nenhum!

Enfim, pedofilos sentem prazer por menores de idade pelo fato de terem sidos abusados quando criança, isso também não é machismo? Euq uero a proteção das crianças do abuso, só assim nos livramos da cultura do estupro (Do patriarcado também, óbvio).

Punição aos estupradores! Não ódio! O ódio só machuca a pessoal qque o sente.

Sara disse...

anon 17.37hrs, pouco me lixo pros xingamentos de quem defende gente que se acha no direito, como vc parece ser, de matar indiscriminadamente, só pq as coisas não são do seu gosto, acho que pra se viver em sociedade, o mínimo que se deve esperar do cidadão é que ele respeite o direito a vida do seu semelhante.
Eu embora tenha muitas criticas a essa sociedade machista, gosto da minha vida, tenho apesar de tudo uma boa medida de felicidade, e acho q gente q pensa como vc é psicopata sim.
E mais queridX se não se sente feliz com o mundo, a solução é muito mais simples do que querer acabar com a vida das pessoas que tem amor a vida e querem continuar vivas, acabe só com a sua vida, que já estará ajudando e muito.....

Aline A. disse...

Depois da primeira, segunda e terceira onda do feminismo, vem aí a onda do feminismo bolsonaro. Caraca, morri e tô no inferno...

Anônimo disse...

Que preguiça de você, Anônimo 15 de agosto de 2013 18:01. Esse seu blablablá todo não me diz nada além do seu gosto por vomitar clichês e covardemente atacar a quem você se dirige, em vez de argumentar.

donadio disse...

"Non Exzyklon"? Quer dizer, não existe Zyklon? Quer dizer, não houve envenenamento em massa de judeus (e outros) pelo gás Zyklon-B na Alemanha Nazista? É isso?

Tão Tá... mas ficamos pelo menos sabendo o que vc é, nazista e negador do holocausto.

Thorsten disse...

Great!