terça-feira, 28 de maio de 2013

GUEST POST: UMA CELEBRIDADE ME FEZ LEMBRAR MEU ESTUPRO

Não sei como existe gente que menospreza a importância que pessoas famosas têm para influenciar as pessoas. 
Esses dias dei uma entrevista pra rádio, e a jornalista me perguntou o que acontecia quando uma celebridade como a Xuxa narrava seu abuso. Bom, acontece isso que a P. me contou quase um ano atrás:

Desde domingo estou com uma dor de estômago horrível. Não tem remédio que melhore. Mas eu sei que não é nada físico. Hoje, nem andar eu conseguia.
Sabe, eu estou “engolindo” meus medos, minhas angústias e minha ansiedade.
Xuxa, por quem eu fui apaixonada na infância e depois deixei pra lá, deu uma entrevista e disse que foi abusada.
E eu sei o que ela sentiu, porque eu também fui.
Poderia dizer que fui abusada por três pessoas diferentes: por um amigo dos meus pais, e por dois namorados. Só que meu lado machista ainda me faz acreditar que com os dois namorados eu “tinha o direito de ser abusada”, porque com um, enquanto eu dormia, ele passava a mão em mim e a colocava na minha vagina. Acordei assustada da primeira vez que isso aconteceu e os pensamentos eram dúbios: "eu não quero isso, mas se eu acordar ele achará que eu não estava dormindo e queria, que gostei. Mas eu não quero. Eu tenho que acordar. Eu não posso acordar. O que eu faço?"
Com o segundo namorado a situação era bem mais complicada. Ele me batia. Ele me segurou e fez sexo à força comigo, e eu engravidei. Mas ele era meu namorado e minha situação de namorada era deixá-lo aproveitar. Né? NÃO!
Só que só hoje eu percebo isso. Naquela época eu tinha vergonha, claro. Inclusive de dizer NÃO. Como assim dizer não? O que eles vão pensar de mim? Eu não era a namorada? Eu tinha que ceder. Eu tinha que deixá-los brincar comigo o quanto quisessem.
Eu já tinha aprendido que mulher não tem voz. Não mulher com a minha história de vida.
Aos 10 anos, um amigo dos meus pais me pegou à força e me beijou. No corredor do apartamento em que morávamos. De 110 m2. Uma amiga viu. E perguntou: "ele te beijou também?"
Eu não fui a primeira. Ele não era réu primário.
Mas como contar para os meus pais? Por que eu contaria? Eu sabia que ele tinha feito alguma coisa errada e tinha certeza que a culpa era minha. Sabe por quê?
Umas semanas antes, numa festa, essa amiga aí de cima me convidou para espionar o L. no banheiro, enquanto ele fazia xixi. Eu, muito criançona, topei. Ela me deu pézinho e eu subi pela janela. Ele estava lavando a mão e eu desci.
No dia em que o L. me beijou ele disse: "isso é para você aprender a nunca espionar os outros enquanto estão no banheiro".
Hoje eu digo que a atitude dele é típica, já que imagina eu contar pros meus pais que ele me beijou porque eu o vi no banheiro. Eu ia me expor! Eu era a culpada.
Depois desse incidente eu MORRIA de medo e nojo dele. Aquela língua passeando pela minha boca e a mão dele na minha vagina e passando pela minha perna era terrível demais. Eu bloqueei isso da minha mente.
Só que meus pais eram muito amigos dele e da esposa. Muito. E sempre nos víamos. Toda vez que ele ia me cumprimentar ele me pegava no colo e me dava um abraço e um beijo super melecado e babado na bochecha. Era asqueroso. Ainda mais que ele pressionava minhas costas para dar aquela apertada no pênis dele. Eu era muito nova e não sabia nada sobre sexo.
Com 12 para 13 anos ele foi além. Ele me estuprou. Posso contar que na época eu nem sabia que aquilo era sexo? Eu ainda estava tentando descobrir o que era beijar. Foi na casa dele. Foi durante um churrasco. Foi fácil. E ele me ameaçou dizendo que se eu contasse, ele mataria meus pais. Eu fiquei caladinha.
Tinha menstruado pela primeira vez um mês antes. Como no estupro sangrou muito, eu achei, inocentemente, que ele tinha me visto menstruada. Fiquei COM VERGONHA DE ESTAR MENSTRUADA depois que fui estuprada. Tem noção? Aos 13 anos eu comecei a beber, fumar e usar drogas. Parei com 18. E banalizei o sexo.
Até os meus 17 anos eu lembro dele me abraçando e se encostando em mim. Lembro do MEDO que eu tinha dele. Mas não tinha para quem falar, como me defender.
Um dia, sozinha em casa, ele ligou pra falar com meus pais e eu disse que eles não estavam. Ele disse: "Estou indo até ai". Eu ainda argumentei: "Mas eles não estão. Você vai esperá-los?"
Eu senti um medo enorme. Liguei pro meu namorado na época e contei o que aconteceu. Foi a primeira pessoa pra quem eu contava. Sabe o que ele me disse? "P, mas você se expõe muito! Você usa essas blusinhas com os peitos que tem. A gente colhe aquilo que planta".
De novo, me senti SUPER culpada. Claro. Eu era o problema. Sempre fui. Meus pais também diziam isso. Por que seria diferente? Fumei tanta maconha e bebi tanto aquele dia que sei lá se ele foi ou não. Se ficou tocando campainha eu não sei. Mas não tive qualquer contato com ele. E a vergonha de ter contado pro meu namorado que eu era uma biscate?
Eu me perguntava: "Mas com 12 anos quem comprava minhas roupas era a minha mãe. Eu usava roupas de criança. Eu tinha vergonha do meu corpo. Será que foi por causa da roupa mesmo?"
Não tendo respostas, acreditava que era por causa da roupa. Na verdade não. Eu acreditava que era porque fui nadar de biquíni e porque resolvi tomar banho PELADA depois da piscina. E foi nesse momento que ele se aproveitou de mim, DESTRANCANDO a porta do banheiro com uma ferramenta. Mas eu era a culpada.
Sabe o que pensei depois? Ahh, se eu sou tão vagabunda assim, e não posso dizer não, o melhor que tenho a fazer é ceder.
Cada carinha que eu beijava eu já transava, porque o medo de dizer não e não ser respeitada era grande. Melhor era dizer sim pra não sofrer!
Xuxa me fez rever a história (como faço muitas e muitas vezes, depois faço paralelo com minhas filhas) e me fez cair numa questão: DENUNCIAR OU NÃO?
Na minha santa inocência ele tinha feito isso comigo e dado o beijo naquela amiga. Mas não. Outras coisas já estouraram, ele já foi acusado e absolvido de estupro. Com a própria sobrinha. Imagino ainda mais umas três pessoas, no mínimo, que sempre estavam juntas conosco. Só que ainda sinto um pouco de culpa e vergonha de me expor. Parece que falando isso eu estou falando: "Gente, senta aqui que vou contar em público pra quem quer ouvir como foi minha primeira vez. Como aos 12 anos um cara 30 anos mais velho fez sexo e gozou em mim".
Será que conto como senti vergonha de menstruar? Dele me ver menstruada?
Será que conto como minha mãe me dizia enquanto eu não saía de frente do computador: "P, vai brincar, ficar menstruada não é o fim do mundo"?
Será que conto como minhas amigas faziam chacota de quem transava? E de como eu achava que nadar de biquíni era praticamente um convite ao sexo e só nadei de maiô COM CAMISETA até uns 14 anos -– porque depois disso eu saía transado com todo mundo mesmo?
E de como muitas vezes me sinto culpada? E me sinto aquela criancinha indefesa que ainda acha que podia ter feito alguma coisa a mais pra se defender?
E de como fiquei do lado do meu namorado (o que enfiava a mão na minha vagina enquanto eu dormia) porque minha amiga disse que ele a tinha estuprado, mas no dia seguinte ela deu risada, e eu pensava: "Cara, ela não foi estuprada, porque quando isso aconteceu comigo eu só queria morrer, e ela dá risada!"
Será que conto como me arrependo disso?
As fotos com os cartazes são do Project Unbreakable, belíssimo (e tristíssimo) projeto que mostra as palavras que estupradores disseram a suas vítimas. Eu já tinha falado dele aqui.

69 comentários:

Roberta disse...

Nossa, me arrepiei toda lendo. Ainda bem que você esta forte e consegue olhar pra isso agora com uma clareza que você não tinha antes com a certeza de que a culpa não foi sua

Omar Talih disse...

Acho que nestes casos deveria se aplicar a "Lei do inimigo".
Diante de uma ameaça real, destrua o inimigo, mate-o. Enquanto não houver reação que faça com que legisladores mudem a lei e deem proteção, tudo será como antes.

Marcia disse...

Denuncie. Eu não posso garantir que você terá alguma justiça, mas sei que você não terá nenhuma se guardar para si esta história. Eu conheço casos nos quais as vítimas perderam, nos quais as vítimas venceram. A decisão é só sua, mas você tem o direito de fazê-lo.

Anônimo disse...

A quantidade de pessoas perturbadas que relatam coisas mirabolantes no blog da Lola me fazem questionar a veracidade dos relatos, em vista da necessidade de certa gente de chamar a atenção pra si (Noemi, estou olhando pra você).

Anônimo disse...

É a primeira vez que posto alguma coisa no teu blog, Lola (apesar de lê-lo todo santo dia). Entendo muito bem o que a P. passou e como ela tratava o sexo. Minha primeira vez também foi um estupro. Mas foi com meu namorado da época. Eu era muito boba e não vi maldade em ir até o quarto dele (tinha ido até a casa dele pra conhecer seus pais). Depois do acontecido, fiquei tão confusa em relação a sexo que nem com terapia eu melhorei. Graças ao meu atual companheiro que eu consigo enxergar as coisas diferentes e consigo falar um pouco mais sobre o que aconteceu comigo. Mas ainda não tive coragem de contar aos meus pais que fui estuprada. Nem à polícia..

MonaLisa disse...

Esses vagabundos estupradores deveriam ser estuprados com um extintor de incêndio, do maior que tiver.

Lendo esse caso me lembrei daquele video do CQC que eles fazem uma matéria sobre pedofilia e colocam uma mulher se passando por moça em um chat e o tal pedófilo/estuprador aparece mesmo na casa da 'menina'. Quando o repórter aparece ele começa a chorar sem parar, ódiooooooooo intenso disso, ele ainda levou camisinha e cerveja, isso pq só ia conversar né?

Lola, olha o que houve aqui na minha cidade, Araras/SP ontem a noite. Era umas 10 da noite e uma mulher ia saindo de um Hipermercado, o estacionamento é gigante, escuro e perto de um matagal. Quando ela entrou no carro, um homem de 50 anos já entrou junto ameaçando e falou pra ela dirigir em sentido a rodovia Anhanguera que fica perto dali, durante o trajeto, ela viu um posto de gasolina e num impulso virou o carro em direção ao posto e desceu correndo gritando desesperada por ajuda e o cara saiu pela outra porta correndo e se enfiou num matagal. A polícia conseguiu encontrar ele e na sacola tinha camisinhas e corda (provavelmente pra amarrar ela). Foi muita sorte e muita coragem a dela.

Já é o segundo preso aqui em menos 1 mês. Outro foi pego estuprando um menino de 5 anos quando um dos vizinhos viu.

Estou esperando sair a noticia, pq o jornalismo aqui é lerdo.

lola aronovich disse...

Desprezado troll anon das 15:21, primeiramente, a única pessoa perturbada aqui é vc. Segundo, o que há de “coisas mirabolantes” neste e em tantos outros relatos? Vc não acredita em estupros, certo? Vc acha que estupros não existem, são só um jeito das mulheres incriminarem pobres homens inocentes. Ou vc acredita que estupros só ocorram na prisão, entre homens. Não acreditar numa vítima de estupro é uma característica corriqueira da cultura do estupro. Sempre que publico um guest post sobre estupro vem algum troll dizer que é mentira, ou que sou eu escrevendo (eu devo ter uma imaginação fértil, porque é relato que não acaba mais). Quem acha que eu ou qualquer pessoa precisa INVENTAR um caso de estupro não tem muita conexão com a realidade, né? Um terço das mulheres já sofreu estupro ou tentativo de estupro. Não é uma ou outra. É mais como um bilhão de mulheres, sabe? Vc certamente deve ter alguma familiar ou conhecida que já passou por isso. Talvez ela não quis te contar. Por que será? Talvez porque vc a chamaria de mentirosa? E quem está chamando a atenção, idiotinha? A moça faz um relato anônimo e quer chamar a atenção? É raríssimo alguma autora de guest post sobre estupro deixar que eu escreva o nome dela. Elas não querem ser identificadas porque sabem que serão julgadas. Porque vivemos numa sociedade que culpa a vítima. E quem é Noemi? O nome é Niemi, infeliz (e ela nunca disse que foi estuprada nem escreveu um guest post muito pessoal).
Eu detesto, detesto, detesto quando duvidam da veracidade dos guest posts. Eu recebo dezenas de emails, e eles todos me parecem muito tocantes e verdadeiros.

Anônimo disse...

Esse ANônimo é o tipo de pessoa que disse que a Xuxa estava querendo chamar a atenção e blablabla. Eu acho assim, é possível que seja esse o caso? É. Mas na dúvida, CALE A PORRA DA BOCA PORQUE PODE SER VERDADE, ENTÃO MOSTRE UM MÍNIMO DE RESPEITO, SEU MISERÁVEL.

Luciana disse...

Que horror! Sério, fiquei mal quando li. Que relato triste.

Incrível como sempre querem culpar a vitima.

Anônimo disse...

Eita Anon das 15 e 21... Vc com certeza é homem neh? Com 9anos fui estuprada pelo meu IRMÃO, uns anos depois fui abusada pelo meu TIO. Sem contar que andar de ônibus é um pesadelo, ir em festa um terror, até churrascos de família se tornam um filme trash 3d... E isso é só a minha vida. Eu não tou te contando oq já houve com mulheres q eu conheço. Mas imagino que seja "mirabolante" demais pro seu mundinho masculino e cor de rosa. Seu merda.

Anônimo disse...

Agora o meu comentário de verdade. P., eu tenho uma amiga igualzinha a você. Todos a julgam "vadia" pq ela banaliza o sexo, oq ninguém sabe é que é pelos mesmos motivos que vc. Ela já passou por tanta merda, que na boa, invejo a força de vcs. No seu lugar, já teria assassinado alguém. Ela tá fazeno terapia e tá super ajudando. Tenta vc tb.

paula disse...

P. desejo muito que vc consiga superar isso, e que as coisas boas da vida pesem mais que tudo isso que vc passou.

Quando leio esses relatos de homens que abusam de crianças fico com muita curiosidade de saber sobre as esposas. Nunca li ninguém falando a respeito. Elas ficam chocadas quando descobrem? Algumas fingem que não sabem? Esses homens são aparentemente tão normais que enganam até a elas? Elas também sofrem algum tipo de violência? Se alguém tiver um relato desse lado da história por favor compartilhe. Da mesma forma que quase todo mundo tem uma mulher próxima que sofreu abuso, imagino que muita gente também tem abusadores próximos! Acho um ponto interessante...

Veronica disse...

Que história triste.

Samantha Pistor disse...

P.,

Eu queria poder realmente fazer algo por você. Lhe ajudar de alguma forma. A única ajuda que posso lhe oferecer é alguma assistência jurídica caso você resolva denunciar os estupros. De todas as formas, fica o oferecimento.

Seu relato me deixou angustiada. Eu já ouvi inúmeras histórias de horror desde que eu adentrei no feminismo (para minha sorte, eu ainda não tive nenhuma para contar). Mas a sua foi a que mais me atingiu. Pelo fato de que você se sentiu culpada e culparam você pelo ocorrido.

Eu sei que são apenas palavras vindas de uma estranha, mas saiba: a culpa não é sua. Nunca tenha dúvida disso. Os únicos culpados são os homens que te estupraram.

Espero que você consiga seguir em frente sempre.

Thiago Caires disse...

Vendo coisas assim que eu penso como os "pais" que existem aos montes aí não estão preparados para serem PAIS de verdade, lidar com uma criança e saber como prepará-la para a vida, principalmente se essa criança for uma garota. Analisando toda a história, podemos concluir que a garota só passou por tudo que passou porque NÃO SABIA o que era o sexo, NÃO SABIA o que estavam fazendo com ela, NÃO SABIA como se portar diante de cosias que incomodavam (e naturalmente ficou bem assustada) e NÃO SABIA a quem recorrer. Os estupradores são uns monstros e merecem o pior tipo de castigo do mundo, mas os pais tem a sua grande parcela de culpa na dor dessa pessoa. Sinto muito mesmo pelo que a P. passou. Sou homem (de verdade, não como esses retardados que comentam merdas aqui) e fico chocado, angustiado, enjoado, enojado, revoltado e tudo mais lendo coisas assim, sabendo que uma garota perdida passou por essas coisas por não ter ninguém, NENHUMA pessoa, com quem contar e se apoiar e também não ter tido nenhuma orientação em casa ou na escola sobre assuntos assim.

Anônimo disse...

Eu já fui acariciada por homens da família enquanto dormia. Na verdade, assim como a autora do guest post, eu fingia estar dormindo enquanto era bolinada. Provalmente por medo de ser julgada. E por medo de berrar um sorono NÃO.

Bjos, Júlia

Caroles disse...

É verdade, Thiago. Olha, eu nunca passei por nada assim (sou uma raridade), mas penso que se passasse eu me sentiria confiante do apoio dos meus pais. Eles podem ter todos os defeitos do mundo, mas sempre falaram abertamente sobre sexo comigo, explicaram as minhas dúvidas. E sempre deixaram claro que se alguém ENCOSTASSE em mim, era pra eu falar pra eles. Na hora. Acho isso muito importante.

P., te desejo muita força. E concordo com o que já disseram: denuncia. Eu acredito que vai te trazer alguma paz. Não existe certeza de uma punição pra esses merdas se tu denunciar, mas existe a certeza da impunidade se tu continuar guardando isso pra ti. Com certeza isso é algo que te perturba. E olha, eu sei que tu sabe disso, mas não custa reforçar: a culpa NÃO é tua. Nunca.
Força e paz.

Anônimo disse...

Pqp esses relatos acabam comigo! Perco a fé na humanidade! Só espero que um dia a justiça seja feita!

Marcelo/STJ disse...

"Os estupradores são monstros..."
Tu sabias que milhares de homens também são estuprados em cadeias no mundo todo?

Anônimo disse...

Eu sempre choro quando vejo o site do Project Unbreakable. Mas eu sempre vou lá de tempos em tempos, porque mesmo que me faça chorar, também me lembra que eu não estou sozinha nisso.

Anônimo disse...

Marcelo/STJ: e o fato de que homens tb são estuprados inválida ou ameniza a violência contra à mulher?

Se toca, cara.

Thiago Caires disse...

"Milhares de homens são estuprados em cadeias...". Não entendi o que quis dizer com isso, sinceramente. O fato de bandidos serem estuprados por outros bandidos ameniza o fato de estupradores cometerem crimes (inclusive contra crianças) por aí? É isso? Ah vá.

Aninha Silveira disse...

Sem saber o que dizer ... So sad!!!

Anônimo disse...

P.
Força, garota. Você merece ser feliz!!

Anônimo disse...

P., depois de ler seu relato passei o resto do dia triste, lembrando do que passei. Chorei.

Já houve prescrição do crime?
Se não, encorajo vc a denunciar.
Se tiver passado por analistas/psicólogos que possam dar material para te ajudar no processo, melhor ainda.

Os abusos que sofri foram "mais leves" ou melhor não-corporais, mas me desgraçaram por um bom tempo...
Não tive coragem de contar aos meus pais pq não quero me decepcionar com eles, vendo-os justificar o criminoso e minimizando a vítima, como o post que a Lola postou esse mês sobre "a cultura do estupro silenciou minha família".

Eu preciso do feminismo pois nele sou acolhida como a vítima que fui e encontro refúgio para tratar de minhas feridas.

Brigitte disse...

Podem me apedrejar,mas faço parte da turma que não acreditou nessa história de abuso contada pela Xuxa.Essa mulher não tem a menor credibilidade comigo.Me revolta a té hoje o fato dela ter usado um assunto tão sério,que assombra e destrói a vida de milhares de pessoas sejam do sexo masculino ou feminino pra se autopromover e resgatar mídia a sua pessoa.Falta de respeito para com quem realmente sofreu e sofre esse tipo de violência.

Anônimo disse...

Lendo esse relato da P com dor no coração... Esse monstro deve ter feito várias vítimas.

Sara disse...

Thiago Caires, a primeira vista, realmente parece q os pais são relapsos, e que tenha faltado informação, mas bem recentemente uma amiga me procurou e com muita vergonha me contou q só depois de muitos anos foi descobrir o porque de comportamentos e atitudes estranhas por parte da única filha q ela tem, ela tem mais dois meninos mais velhos q a menina.
Ela descobriu q a filha havia sido abusada por um primo muito próximo e chegado a familia dela.
Pela proximidade e parentesco, muitos resistem em esperar esse tipo de situação horrível.
Minha amiga é formada, seu marido tb, são até pessoas muito privilegiadas socialmente, qdo tudo veio a tona a filha disse q amava como a um irmão o primo agressor, e não queria q os pais brigassem com ele, note-se q ela tinha uns 8 anos de idade e ele 18 anos.
Concordo com vc q houve uma falha por parte deles, e q os pais deveriam informar melhor os filhos, eu p ex. apesar de muitas criticas q recebi, desde a idade de uns 3 anos que comecei a instruir minhas filhas a esse respeito, mas reconheço q a maior parte das familias não faz isso, mas por ingenuidade e confiança.
É muito dificil vc ter q conviver com o fato q tem q desconfiar de todos os homens próximos.
Acho que blogs como esse deveriam ser leitura obrigatória pra todas as mulheres e de todas as idades.
Só nesse post da pra se ter uma vaga idéia de quão generalizado é esse problema, e que pior de tudo , as meninas continuam acreditando na sua culpa, esse tipo de sentimento tem q ser exposto como errado, temos q achar um modo de educar nossos filhos e filhas de uma maneira muito diferente.

Anônimo disse...

Brigitte, você uma pessoinha pequena e quem não tem a menor credibilidade é você (duvido que exista mesmo gente que pensa assim, só pode ser da boca pra fora). A Xuxa não precisa inventar que foi estuprada pra ganhar mídia. Sabe porque? Porque ela é a Xuxa.
O que ela fez ajudou milhares de vítimas. Então não vai ser a desconfiança de gente como vc que vai mudar alguma coisa.

Anônimo disse...

vcs prestigiam cada pessoa aqui...

xuxa que ja fez filme porno com um menor de idade? tem muita credibilidade mesmo...
engraçado uma mulher q diz ter sofrido abuso sexual,já vi declarações dela dizendo q n se sentia a vontade com sexo,mas mesmo assim fez um filme desses.

vindo de famoso, eu duvido de tudo,fazem qualquer coisa para aparecer.

Karina Catellan disse...

Eu acho válido o que a Xuxa fez anos depois, pois o relato dela ajudou muitas pessoas a encararem o que aconteceu com elas. P. chorei com o seu relato e espero que todos estes que fizeram você e outras mulheres sofrerem sejam punidos. Beijos

Bizzys disse...

Esse guest post me deixou muito triste e revoltada ao mesmo tempo.

Sou mulher e, claro, já sofri assédio, mas nunca fui estuprada ou abusada de uma maneira grave. Depois que conheci o feminismo, é que fiquei sabendo da quantidade IMENSA de mulheres que sofreram com isso, principalmente quando eram crianças. E eu só consigo pensar que "tive sorte" por não ter sido estuprada (ainda, pelo menos).

É de embrulhar o estômago, que mundo é esse em que pessoas precisam passar por isso que a P. passou, repetidas vezes, sem ter ajuda? Ser abusada por pessoas que ela conhecia e confiava, gente que a sociedade consideraria "acima de qualquer suspeita", e ainda se culpar por isso?!

E algumas pessoas ainda tem a cara-de-pau de dizerem que feminismo não é necessário, que vítimas de estupro estão inventando, etc etc. NOJENTO E REVOLTANTE.

Agora, para a P.: ainda bem que você percebeu que não tem culpa, espero que o feminismo continue te ajudando, e que você também possa ajudar mulheres próximas a você. E, se você quiser e ainda puder denunciar o abusador, denuncie. Continue forte!

RavenClaw~ disse...

Anônimo das 21 e 23: vá ler um livro. A Xuxa tb era menor de idade na época do filme. E mesmo que não fosse... O trabalho dela como ATRIZ (!!!!) não invalida nada do que ela fale.

patricia. disse...

P,sinto muito que você tenha passado por isso.

Não sei te dizer o que faria no seu lugar,mas talvez denunciar seja uma boa ideia,você terá um 'desfecho', quem sabe isso ajude melhor a seguir em frente.

Espero que você ainda seja muito feliz,que consiga superar tudo isso e que tenha um futuro maravilhoso pela frente.

Sabe Lola,às vezes eu penso que pela quantidade de relatos e de casos que conheço eu deveria estar acostumada com tudo isso.Mas é uma coisa que nunca falha em me assombrar e entristecer.

É aterrador sentar em uma sala de aula, passear em um shopping e pensar que grande parte das mulheres ali já foram violentadas.É aterrador pensar que eu,minha irmã,minha mãe poderíamos fazer parte dessa porcentagem, ou que podemos vir a fazer.

Eu entendi muito, muito cedo que eu não estava segura, minha melhor amiga na infância foi abusada por um pedófilo nojento, e foram meus pais que descobriram e contaram aos pais dela.
Na época eu lembro de que foi uma confusão, e claro eu perguntei aos meus pais o que tinha acontecido, e minha mãe me falou que o fulaninho, do círculo de amizade dos meus pais, tinha 'machucado' a minha amiga.
Eu não entendi direito, mas mesmo assim, eu soube que estava vulnerável, que poderia ter sido comigo.

patricia. disse...

Paula, eu fiz um trabalho sobre pedofilia quando eu estava no intercambio e o que eu pude coletar(lembrando que todos os dados são dos EUA, e não sei se corresponde com os dados daqui)foi:

-grande parte é casado e com filhos
-geralmente quando ele não é o agressor dos próprios filhos,esses geralmente são negligenciados, já que toda a atenção do pedófilo vai estar focada na vitima.
-eles geralmente tem preferencia por idade, sexo, etnia e faixa etária
-Grande parte das esposas não sabem, grande parte finge que não sabe, e pouquíssimas denuciam.

Se você estiver interessada em dados mais precisos, tipo porcentagens ou algo desse tipo, acho que você provavelmente encontra no site do FBI.

Anônimo disse...

"xuxa que ja fez filme porno com um menor de idade? tem muita credibilidade mesmo..."

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tava demorando. Morro de rir com isso.

Pena que não era filme pornô, né?
Pena que a Xuxa era menor de idade também quando fez o filme, né?
Pena que era um filme, né?
Pena que a criança no filme estava atuando, né?
Pena que o filme tinha um diretor, e atores como Tarcísio Meira e Mauro Mendonça, mas é legal dizer que Xuxa é estupradora e pedófila, né?

Preguicinha dessa gente.

Feminista capitalista disse...

Minha nossa fiquei tão irritada e nervosa com o post que quase chorei.

É mais do que revoltante ler coisas como essas, sei lá, é indescritível.


AH QUE NOJO, nojo eterno deste homem que estuprou vc quando criança, como alguém pode ser tão baixo, tão nojento e desprezível?
Essas coisas são humanas? eu não entendo esses malditos... o que pode haver de sexual numa simples criança ou pré-adolescente?

FILHO DA PUTA, denuncie-o sim, acabe com a vida dele, antes que ele faça isso com outras por aí, nojento,um cara desses é mais que desprezível, não tem nem adjetivo pra representar esse bastardo.

Se eu fosse a esposa e descobrisse que ele me traiu com uma criança,o amndava direto pra cadeia, sem remorso e sem nunca mais olhar pra cara,monstro.

Pior que isso, só o namorado dizendo que vc colheu o que plantou.... como alguém planta o estupro? é uma violência enorme, quem vai querer sofrer uma violência? não faz sentido....


PUTA MERDA gente, vivemos mesmo numa cultura de estupro, hje eu tenho certeza disso. VAMOS USAR O NOSSO FEMINISMO PRA DESTRUÍ-LA.


E Thiago Caires discordo de vc, mulheres de todas as idades sofrem esses abusos não pq não sabem se defender ou não foram treinadas pra isso (seja sincero,vc acha que saberia como agir numa hora dessas?ainda mais sendo criança?)
Mas pq vivemos numa cultura machista nojenta, que acha que o corpo feminino está diretamente ligado a reprodução e que ainda pensa que a mulher é objeto e só serve pra trepar.

Os homens pensam que o corpo feminino não tem autonomia e serve pra ser tocado, independentemente de consetimento, é isso o que gera esse mundo de homens hipersexualizados, achando que podem desrespeitar as mulheres e que tem querer sexo a todo mundo com qualquer uma, criando histórias horripilantes como essa.

Anônimo disse...

Lola, a história da P. é muito triste e eu mesma já passei por abusos sexuais na infância e inicio da adolescência . Mas há uma coisa que me faz pensar em alguns relatos: por que tantas vezes as mulheres estão fugindo do sexo? Porque não conseguem encarar o sexo com naturalidade?Por exemplo, nessa situação de um namorado lhe fazer carinhos íntimos enquanto vc dorme. É errado? Eu penso que não! ( supondo, claro , que já tenham intimidade). Precisa ficar brava? Com medo? Se quer, curta! Se não tá a fim, diga que está com sono! Simples! Acho que nós precisamos nos libertar dessa culpa e vergonha de sexo. Ou será que não apreciamos mesmo tanto quanto os homens?

Feminista capitalista disse...

''vcs prestigiam cada pessoa aqui...

xuxa que ja fez filme porno com um menor de idade? tem muita credibilidade mesmo...''

------------

EU SOU A FÃ No1 DA XUXA E A PRESTÍGIO MTO MESMO, pq,algum problema?
Xuxa não é digna de ser admirada?

GOSTARIA de saber que filme pornô é esse que ela supostamente fez,pois até onde saiba ela fez uma pornochanchada, gênero super comum na época da ditadura,quando a pornografia era proibida em nosso país, com cenas de sexo FALSAS.

QUE EU SAIBA, não foi ela quem idealizou,produziu ,escreveu e nem dirigiu o filme,pelo contrário, era apenas uma aspirante a atriz seguindo ORDENS de alguém que a contratou, e obviamente, ela estava lá pra obedecer.


NÃO entendo o que ter simulado uma cena de sexo com um menor de idade a impede de ter sido abusada na pré-adolescência, antes fosse simples assim,só que o buraco é muito mais embaixo.


VC sabia que duvidar da palavra da vítima e colocá-la em descrédito é uma das faces da cultura de esturpo?
Vc sabia que isso ajuda a estupradores e abusadores, a continuarem com seus crimes e sua doença por aí? se sentindo livre e impunes?


NO MAIS PQ XUXA NÃO DEVE SER ADMIRADA?


Seria pq ela não é simplesmente uma loira linda e rica, mas uma loira linda e rica com o próprio dinheiro,independente,que trbalha e que escolheu a própria carreira e seguir o seu caminho independentemente ao invés de largar tudo e casar com o Pelé ou o Ayrton Senna como queriam que ela fizesse?

É pq ela rebola e fala de sexo?
OU é pq ela tem 50 anos e continua trabalhando e agradando o povão?


Deve ser esse o problema dos machistas com ela.

Nunca vi em momento algum ela dizendo que se sente desconfortável com o sexo, mto pelo contrário, melhor checar suas fontes.

Anônimo disse...

E dai q ela estava lá seguindo ordens de um diretor,por acaso ela fez o filme obrigada?
Eu li q ela tinha dificuldades de relacionamento,uma pessoa tão traumatizada vai ficar simulando sexo ?kkkkk conta outra

quem faz porno n é digno de ser chamado de atriz/ator,tudo q fazem é gemer e fingir q estão gostando.

E tinha q ser uma fã fanatica,sempre q seu idolo supostamente perfeito recebe uma critica,vcs vem falando do quanto eles são ricos,dinheiro n significa carater,lide com isso.

Anônimo disse...


Sawl - The Rebel


Gente que NOJO deste apresentador PODRE e MISÓGINO:

http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2013/05/26/apresentador-estupro-nem-sempre-um-estupro-498072.asp

Pior foi ler os comentários machistas de muitos, o pior era de um imbecil chamado "Marco Túlio Amaral Pereira", nossa que pseudo-homem nojento e misógino! Ele praticamente DEFENDEU não só o apresentador como defendeu também os estupradores!!!

ps: informações para os mascu-trolls de plantão, Xuxa era MENOR DE IDADE quando fez o filme "AMor Estranho AMor" que aliás NÃO era pornô, era um drama erótico. Sua cena de transa com o garoto não é explícita!
Quando o filme foi lançado a Xuxa era maior de idade, mas, quando foi produzido era menor.

Engraçado que criticar o Reginaldo Faria que tinha 40 anos quando contracenou com a Flávia Monteiro que só tinha 14 estes trolls idiotas não criticam né?!
Agora uma adolescente em início de carreira todo mundo quer tacar pedra.
Contraditório não?!

Sawl - The Rebel

Anônimo disse...

Arthur +1 verme

P. desejo a você toda a força do mundo!O homem (não acho que devo chamá-lo assim) que te estuprou quando criança merece a morte pois tratou o corpo,os pensamentos ,a vida e os sonhos de uma garotinha apenas por prazer sexual ! O outro namorado que vc teve p era um lixo,pois ao invés de te defender do abuso dice que vc devia era se guardar pra ele,isso me irrita! foda-se sua aparência ,suas formas e etc,oque importa é quem vc é! tenho vergonha de ter o mesmo gênero que esses vermes! me desculpe em nome de todos os homensv! se me permite,tenho algumas dúvidas...
1 vc prosseguiu com a gravidez oriunda do estupro ou não?
2vc e feliz?
3vc cria suas filhas sozinha?
4 vc trabalha?
5 vc já resolveu suas emoções?
muito obrigado pelo post e pelo seu relato,tenho mais um motivo pra lutar! somos iguais! não importa gênero,raça ou orientação sexual,somos iguais,temos o mesmo potencial e luto para atingi-lo! vamos em frente,amo esse blog e o feminismo!

Anônimo disse...

''vcs prestigiam cada pessoa aqui...

xuxa que ja fez filme porno com um menor de idade? tem muita credibilidade mesmo...''

Eu não morro de amores pela Xuxa, mas desacreditá-la é no mínimo falta de empatia.
Não consigo imaginar por que uma mulher iria atrás desse tipo de atenção. Ninguém quer ser vítima de estupro. Se fosse pra aparecer na mídia tem um monte de coisas que se pode fazer sem precisar se tornar um alvo de comentários maldosos.

Sobre o filme,

1. Não é pornô de verdade.
2. Ela era uma atriz seguindo um roteiro, não fez de espontânea vontade.
3. Ela mesma era menor.
4. Tem um monte de filme que tem sexo com meninas menores e ninguém fica chamando os atores de pedófilos [exemplos: Menina Bonita, Lolita, Hounddog (tem uma cena de estupro com a Dakota Fanning), e tantos outros que não lembro.

Anônimo disse...

È triste pensar sobre o lado lixo da humanidade e qdo leio um relato desses, me deixa desnorteada. Como uma pessoa tem a coragem de abusar de uma criança, como um namorado pode culpar a mulher que ele ama por sofrer abusos, como se fosse merecimento ser abusada por ter seios!!! Qto machismo, qta impunidade, qtos absurdos!

Brigitte disse...

Não estou pedindo aprovação ao meu comentário,muito menos que alguém concorde comigo.
Xuxa foi oportunista em apelar pra algo tão sério.E ela não foi a única,poucos dias depois,Andressa Urach,outra mulher de alto nível também disse no programa da Gabi que foi vítima de abuso.Infelizmente estamos numa época em que tudo pode ser banalizado quando interesses pessoais estão em jogo.Quem realmente sofreu a violência do abuso se sensibilizou,se sentiu forte pra quebrar suas barreiras e enfrentar seus traumas,mas são tão ingênuos que não percebem que foram todos usados por alguém que só se preocupa com o próprio nariz.Não tô nem aí se os fãs fanáticos dessa mulher acreditam nela.
A alienação da população da mídia não é novidade e pelo jeito não vai acabar nunca.
Força e respeito pra quem realmente sofre,isso é tudo que eu desejo.

Liana hc disse...

P., lamento muito o que aconteceu.

Caso queira denunciar, aconselho primeiro a procurar ajuda de profissionais que já tenham experiência em casos de violência sexual, tanto de psicólogos quanto de advogados. Afinal, nem todo mundo está apto a lidar com essa situação, e assim você monta uma barreira de proteção ao seu redor para te ajudar a lidar com tudo isso.

E não se sinta obrigada a fazer a denúncia se você não se achar pronta para tal. Aconselhar a denunciar é fácil, mas quem vai lidar com as consequências disso é você, por isso acho uma boa ideia ter aconselhamento e apoio profissional antes de tomar uma decisão.

Sobre contar para a família, há a possibilidade de fazer isso num ambiente protegido, com ajuda de um psicólogo, por ex. Ter alguém imparcial ali pode dar uma base, segurança e ajudar conter possíveis reações muito negativas.

Seja lá qual for o caminho que você escolha, desejo que você se sinta fortalecida e satisfeita nessa caminhada.

Anônimo disse...

Oi Lola, tudo bom?
Fazia tempo que não entrava aqui no seu blog e resolvi entrar ontem! O dia do meu relato!!!
Posso dizer que DE NOVO estou com dor de estômago?
Resolvi ler os comentários e posso respondê-los em relação a minha história:
- Os meus pais sempre foram relapsos. Muito. Até hoje são. Acho que eles acham que é mais fácil não ter que lidar com o problema do que lidar com eles. Olha que meu pai tem alto cargo em empresa e minha mãe formada em duas faculdades! Meus pais (eu não moro mais com eles), vivem em uma casa de 500 m2, tem 5 carros na garagem (para uma família de 4 pessoas) e eu diria que não são de todo "ausentes". Faço terapia e já consigo olhar para toda história com outros olhos.
EMBORA, eles ainda tenham contato com o estuprador, por mais que eu peça que evitem o contato pelo menos na minha presença (e dos meus filhos), eles insistem e já me colocaram em saia justa. Hoje eu sei me impor. Hoje eu pego meus filhos e saio de perto. O que eu não podia fazer com 9, 10, 12 anos!
- Hoje sou feliz. Muito feliz. Tenho filhos, sou casada há 10 anos, meu marido é ótimo (até brincava com ele que em outra vida ele deve ter sido mulher, por nos compreender tão bem, mas ele insistiu que chute no saco dói mais que parto e eu abandonei minha teoria). Como disse, faço terapia o que me ajuda DEMAIS.
- O estuprador é casado, tem filhos, é milionário. Já foi acusado de ter estuprado a sobrinha da esposa. A esposa foi depor a favor dele, e disse que a sobrinha estava inventando pq precisava de dinheiro. A sobrinha que ela criou como filha! A sobrinha que não sai da casa dele (foi criada pela tia).

Obrigada pela força de todos =)

P. (olha só, da uma vontade de escrever meu nome de verdade, mas AINDA sinto vergonha acredita?)

Bia lê a lola... disse...

Terrível. Eu já fui abusada mas nada tão grave como um estupro, o que não quer dizer que não tenha me traumatizado. Inclusive, só fui contar para o meu namorado de 3 anos este fim de semana o meu caso de abuso. Sabe o que me dispertou? Ver no fim de semana retrasado o garoto abusador. Vi que ainda ainda lembro... Me lembro de fingir que dormia também, com medo de falar algo e não acreditarem em mim, com vergonha, com nojo. :(

Liv disse...

Lola, eu sei que a gente precisa saber que existem boçais que mesmo diante de todas as evidências do mundo de que estupros existem sim e são muito mais frequentes do que gostaríamos de imaginar. Mas não acho que seja uma boa idéia deixar os comentários desses vermes asquerosos em um post como esse. Falo por mim: se eu tivesse uma história dessas pra contar (felizmente não tenho, e se tivesse tenho certeza que já não estaria mais aqui), reunisse as forças para contá-la, e viesse um ser rastejante desses defecar essas coisas, eu me arrependeria de tê-lo feito.

Liana hc disse...

Anônima de 23:10,

"nessa situação de um namorado lhe fazer carinhos íntimos enquanto vc dorme. É errado? Eu penso que não! ( supondo, claro , que já tenham intimidade)."

Pois é, a questão aí é justamente o que seria essa "intimidade".

A sexualidade de um indivíduo é algo complexo, principalmente quando houve violência sexual na infância ou uma educação repressora. E a cultura também não ajuda em nada, por causa do machismo por ex. é comum acharem que é obrigação da mulher aceitar passivamente o que o parceiro quer. Para pessoas assim, essa "obrigatoriedade" faz parte da intimidade do casal, acham que tem direitos irrestritos sobre o corpo que está ao seu lado na cama.

Pessoas se comunicam, entendem e tem expectativas das mais diversas dentro de um relacionamento sexual. O que é óbvio e normal para uns, não necessariamente será para todos. Tem gente que não ligaria, tem gente que sim. É normal ter essa diversidade de gostos e reações. Justamente por não se ter certeza é preciso cautela. Principalmente se for um relacionamento recente, em que as pessoas ainda estão se conhecendo sexualmente.

Anônimo disse...

Gente... vms separar Xuxa, mulher feita, branca, loira e rica, que apresentava coisas desse nível:
http://www.youtube.com/watch?v=BMwZcMwmaic&noredirect=1

Da Xuxa, vítima. Pfv.

O relato de P. é uma demonstração de como um abuso (ou uma série deles), pode destroçar a vida de uma mulher.

O homem/sociedade já acha que vc não vale nada por ser mulher, daí vc perde a única virtude que aos olhos dele vc pode ter, o que te sobra?
Nem todo mundo tem auto-estima gigante pra continuar na linha.
P. caiu nas drogas, sexo sem vontade (como uma defesa ao abuso).
Xuxa pode ter caído na banalização de sua img, entrado no jogo, sei lá.
Eu tive minha auto-estima lá embaixo, tb fiquei com quem não queria, vestia um manequim 2x meu tamanho, até hj não acredito nas minhas qualidades etc etc....

Mas não somos só frágeis.
Tb somos fortes.
Seguimos na vida e, bem ou mal, construímos um caminho e buscamos no feminismo (ou tornando público o caso) uma forma de nos reerguer.

Tá difícil ter empatia?

Thiago Caires disse...

"Os meus pais sempre foram relapsos. Muito. Até hoje são. Acho que eles acham que é mais fácil não ter que lidar com o problema do que lidar com eles".

Exatamente o que eu quis mostrar. Não disse que o ÚNICO motivo dos abusos é a falta de qualificação e apoio dos pais não. Existem abusos por diversos motivos, em diversas idades e EU SEI DISSO. Não sou idiota e tão pouco machista. O maior culpado de qualquer abuso é sim o AGRESSOR e esses tinham que pagar da pior forma possível.

O que tentei dizer é que se os pais dessa garota soubessem ser pais de verdade, não só terem feito a filha, ela poderia (uma hipótese, uma possibilidade, não uma certeza) ter denunciado o primeiro agressor e evitado todos os outros problemas que viriam a seguir. Não disse que os pais são OS ÚNICOS culpados, eu disse que eles TAMBÉM SÃO culpados.

Infelizmente não existe curso de "como ser pai e mãe de verdade" e muita gente despreparada coloca filho no mundo. Com o mundo como está, cada vez pior, é preciso pensar nisso também.

Vou enfatizar, caso alguém ainda não tenha entendido: eu NÃO ESTOU defendendo os agressores dessa menina, eles são monstros e eu concordo com vocês nisso, garotas.

As vezes me sinto constrangido de comentar em blogs assim porque as pessoas são radicais demais e parecem culpar todos os homens do mundo pelos crimes cometidos contra as mulheres. As vitimas de preconceito e opressão acabam agindo de forma preconceituosa e opressiva.

Mimih disse...

Que dor!

Lilian disse...

Sofri abusos.
Três pessoas diferentes.
Todos eles, parceiros da minha mãe.
Por sorte nunca fui estuprada. Por eles.
Quando achei que estava livre, uma vez que não morava mais com a minha mãe, sofri uma tentativa de estupro. Por um grupo. De desconhecidos. Entre eles, inclusive. "Me safei" ao oferecer sexo para um deles, caso me ajudasse a sair de todas aquelas mãos que me agarravam, despiam e tentavam me penetrar, duplamente, mais de uma mão ao mesmo tempo.
Quando ele me "livrou" dos outros, corri. Fugi sem olhar para trás, sem pensar.

Feminista capitalista disse...

Ao lixo que critica a Xuxa, Primeiro : bote na sua cabeça de classemediasofre que Xuxa não fez nenhum pornô, caso vc não saiba isso era PROIBIDO em 1982, época do filme, ela participou de uma pornochanchada ALGO totalmente COMUM na época, Inclusive o Tarcisio Meira e a Vera Fischer estão no elenco tbm.
Segundo : No q isso torna a Xuxa uma abusadora? Vc e louc@? Se for assim tem q mandar prender o Kevin bacon , cade o FBI? Afinal ele interpretou um pedofil no cinema já. Terceiro: O que isso invalida o abuso dela? Caso vc não tenha percebido, os relatos desse blog provam que uma pessoa que sofre abuso e uma pessoa comum e qualquer do dia a dia por aí, e não um conjunto simplese ambulante de traumas, uma pessoa não necessariamente se fecha ao sexo por ter passado por um abuso, não sei de onde vc tirou essa ideia, pois nunca vi ela ser defendida por aí. Quarto : dinheiro não compra caráter? Ate pq se comprasse vc não teria nenhum Ne? E onde que eu afirmei isso? Nem interpretar vc sabe. No mais Xuxa dorme com a cabeça tranqüila no travesseiro, por tdo que ela já fez em prol de terceiros e ate de desconhecidos e pelo seu tipinho de argumentação eu tenho ctza q ela tem um caráter muito maior e melhor que VOCE. Aproveite que vc esta em um blog feminista e tente abrir sua cabecinha ao invés de chegar aqui desmerencendo os outros.

Feminista capitalista disse...

Brigitte baixo nível :
E quem diabos e vc, pra desqualificar o depoimento dos outros?

Como e que vc sabe que a Xuxa não foi abusada, como vc tem ctza que isso não aconteceu com a Andressa? Ainda na mais na cultura de estupro em que vivemos? Como pode dizer isso com tanta tranquilidade?

Vc estava lah pra checar? Vc era grudada, gemea
siamesa de alguma delas na época dos abusos? Você vive a vida delas? Esta com o cérebro e as memórias delas na sua cabeça? Pois e o que parece!

--------------------------


Thiago Aires


Sou radical demais pro seu gosto e querido?

POIS SOU MESMO e com orgulho, Ngm manda vc vir aqui insinuar que a vitima tem a sua parcela de culpa e que isso acontece em partes por causa dos pais...

Quem te garante que vc ia saber exatamente qual a maneira correta de agir, caso vc fosse o abusado?



A culpa e única e EXCLUSIVAMENTE de nojentos como esse do texto que acham que podem tocar nas vaginas de crianças e tdo bem, a culpa e dessa sociedade escrota em que vivemos e que doutrina os homens a pensarem em sexo, sexo e mais sexo como o valor número 1 da vida.
A culpa e do mansplaining de pessoas que acham que podem vir aqui dizer as mulheres, e ate mesmo as garotinhas como agirem para não serem vitimas.

Passar bem

Feminista capitalista disse...

Brigitte que cansa a minha beleza,

Mais grave e a alienação do patriarcado na cabeca dxs misoginxs.

----------------


No mais, gostaria que a "zelite" intelectual me respondesse diretamente o que há de tão errado e insesejado em admirar a artista e a pessoa Xuxa Meneghel, que pra mim e uma rainha e fez e faz tanto bem a tanta gente, que defende as crianças contra aa palmadas, defende desde sempre os animais e a causa ecológica, alem de ter feito campanha anti-tabagista num mundo onde se admira tanto rafinhas bastos e felicianos da vida.

Sou fã da Xuxa com orgulho há 19 anos, e nada mudara isso.

Thiago Caires disse...

Será que a pessoa tem mesmo algum déficit de atenção ou faz esses comentários exagerados, distorcidos e mentirosos só para aparecer? Eu nunca, em NENHUM MOMENTO, disse ou insinuei que a VÍTIMA tinha qualquer culpa (só de tê-la chamado de VÍTIMA, eu já isento ela de QUALQUER culpa). Ela é a VÍTIMA, a pessoa que sofreu e que sofre até hoje pelos abusos, eu JAMAIS pensaria algo diferente em relação a isso.

Não preciso explicar, novamente, os meus comentários, porque as pessoas que não são totalmente desprovidas de bom senso entenderam bem o que eu quis dizer.

Anônimo disse...

Lola,

notei que recentemente você passou a publicar comentários de mascus, desde que sejam respeitosos.
É só pra polemizar, e assim obter mais visibilidade para o blog, ou tem outros motivos?

lola aronovich disse...

Anon das 13:52, vc acabou de chegar no blog, né? Até julho do ano passado, meu blog simplesmente não tinha moderação de comentários, acredita? Era raro eu deletar coment, só quando xingavam alguma leitora ou leitor mesmo. Eu publico muuuuuuito comentário cretino, desde que seja minimamente educado e que não repita o discurso mascu que todxs conhecemos tão bem. Porque eu acredito no debate. Sei que na vida real vamos encontrar milhares de coment desses, e quero que sejam rebatidos. "Só pra polemizar" é engraçado! Vc acha mesmo que meu bloguinho, com esses temas, precisa fazer alguma coisa pra polemizar?

Anônimo disse...

Meu zeus. A dor que me bateu no coração não tem tamanho.
É praticamente a minha história, mas, o que me deixa horrorizada não é o fato de que aconteceu comigo, e sim o fato de que continua acontecendo com milhões de mulheres.
Eu queria ter sido a última nesse mundo a ter sofrido abuso, pra nunca mais, ninguém ter que passar por isso.

ena disse...

oi, lola

nesse e em muitos outros posts, você colocou o assunto no título (ex. estupro, suicídio, etc.)

mas em alguns outros, há relatos de auto flagelo, estupro e suicídio sem que isso fique explícito no começo do texto...

eu pediria para que colocasse um aviso quando for tratar desses assuntos, que são acionadores para muitas pessoas, principalmente quando há relatos de quem já passou por isso

evita de que pessoas fragilizadas tenham crises

não custa nada e tenho certeza que você vai entender (:

Anônimo disse...

Adoro a hipocrisia de vcs vem com esse "n desqualificar comentário alheio" mas fez isso comigo e com a brigite kkkkk
e esta subentendido,toda vez q alguem fala mal de seus preciosos idolos,o argumento usado é a riqueza da pessoa,como se isso dizesse alguma coisa,a pessoa é fodona,linda,perfeita e rica por isso os reles mortais q n gostam só podem ser invejosos.

Feminista capitalista disse...

Ok Thiago, grata pelo mansplaining; pena que comigo ele NAO funciona.

Ah, e bom senso vc??? Logo depois de ter de ter sugerido que existe culpa alem do abusador nessa história, que ironia, kkkkkkkkkk, cuidado qualquer dia vc me infarta de tanto rir.
Senta lá.

Anônimo disse...

Sou assídua leitora do blog mas nunca tive coragem de comentar. Culpa da minha timidez, até escrever como anônima é difícil. Mas reuni forças e quero falar 3 coisas.

1. A primeira é que eu não vejo quem disse sobre duvidar de certos relatos postados aqui como troll. Digo, não necessariamente. Eu mesma já li várias coisas que, lendo e relendo a história, ficava sem sentido. E estou longe de ser um troll. Também lembro da história da Niemi, mais recentemente da Raziel, que se dizia trans feminista e sabemos que uma dessas coisas ela definitivamente não é e até das arapucas que os mascus tentavam arrumar aqui nos comentários. Então eu acho sim que apenas duvidar do que se lê pode ser saudável, ou então prudente. Podem me condenar por isso, não vai mudar o que penso a respeito.

2. Ainda sobre a dúvida, levantaram a questão sobre a Xuxa e outras celebridades, ou nem tanto, que de uma hora para outra começaram a se dizer vítimas de abuso. É complicado você ser uma pessoa pública e, mostrando a cara contar uma história dessas sem ser verdade, só para se promover de um jeito extremamente deturpado, às custas do sofrimento de pessoas que, como a autora do guest post passaram por isso, mas dizer que é impossível também não é. Não se trata de descreditar a vítima e nem de deixar de reconhecer que abusos sexuais são, lamentavelmente, excessivamente comuns mas sim de se reconhecer também que muita gente na nossa sociedade é doente o bastante para se fazer de vítima e até tentar ganhar algo com isso. Recentemente, uma mulher nos EUA foi condenada por ter inventado um estupro e até angariado fundos com isso. Em outra ocasião, foi uma menina fingindo ter câncer, que chegou até a raspar cabelos e sobrancelhas. Em uma terceira, um rapaz aqui do Brasil inventou sequestro. Casos pontuais? Nem tanto, é que ninguém está contabilizando isso ainda. Mas eu vejo isso como parte de um fenômeno crescente que, infelizmente, é favorecido pela facilidade com que a informação transita pelas mídias digitais. Também não é algo a se desconsiderar.

3. Vejo muito radicalismo nos comentários, basta uma mínima divergência para que uma horda se apodere da discussão com argumentos vulgares e cheios de double standards. Talvez vocês estejam sensibilizados demais com os trolls verdadeiros que aparecem aqui e esquecem que nem todo mundo tem posições uniformes sobre tudo, até o feminismo em si é plural mas no fim eu acho triste que em um espaço que, na teoria preza pelo debate, a falta de moderação impere. Moderação no sentido de "moderar nos ataques e nas defesas", não só de aprovar ou desaprovar comentários. Não sei quem disse que é de grande inteligência ser capaz de simplesmente contemplar uma ideia sem necessariamente aceitá-la, mas eu concordo. Lidar com a hostilidade não é fácil para todas as pessoas, especialmente as que estão em menor número, como qualquer minoria desprivilegiada está cansada de saber.

Abraços a todos e todas.

Carolina Lucas Paiva disse...

Anônimo 04:26

Acho complicado simplesmente duvidar do relato da vítima assim, por parecer "sem sentido". Até porque crimes como esse são impunes justamente por causa disso, por ninguém acreditar na vítima.
Pesquisando um pouco sobre casos de abusos que ocorrem dentro de casa, por pessoas conhecidas, nota-se que a chance de ninguém acreditar na vítima é maior.
Argumentar que a pessoa está inventando o abuso para "se promover" é outro tipo de "argumento" utilizado para calar vítimas de abusadores famosos. Exemplo: caso da banda new hit.
As vítimas denunciaram o abuso e estão sofrendo ameaças de morte.

Enfim, não quero dizer aqui que esses casos de falsa denúncia não existem. Acontece que as falsas denúncias acontecem em todo o tipo de crime, mas as pessoas só são desacreditadas quando relatam algum caso de abuso. Acho isso curioso.

E sobre os comentários agressivos: é difícil não se irritar com pessoas constantemente usando argumentos feitos para calar vítimas e fazê-las sentir vergonha/ medo de relatar o abuso que sofrem. Mesmo que você realmente não acredite na Xuxa ou em sei eu lá quem, tente se colocar no lugar de vítimas que podem estar de ouvindo antes de soltar esses "argumentos". Mesmo que não seja sua intenção, vítimas se sentem mais acuadas quando as pessoas estão constantemente desacreditando histórias de abuso alheio.

Karoliny Severo disse...

Horrível, gente, fiquei chocada com esta história. Q mundo em q vivemos. Muitas forças p vc.

Amitiel disse...

P. Eu vivi o horror também com 3 homens. Eram irmãos. Eu com 12 anos era tão menina que não tinha seio nem imaginava o que era sexo. Ful estuprada,durante uma manhã. E a tarde se repeti. Me deixaram nua sanrando com um uma camisa entre as pernas. Sangrou que ensopoua e se repetiu durante um ano. Nogento,pavoroso não me recuperei. Também fumei tanta maconha que fui internada com bronquite,e bebo atê hoje me sinto um nada.

Anônimo disse...

Fiquei arrasada. Também sofri isso, mas me tranquei. Atê hoje alguém me tocar ê uma ofensa. Visinhos monstros me atacaram. E ninguém me deu apoio. Três me atacaram. Foi brutal. Virgem sangrei muito e ao me ver nua e suja de esperma trancada numa casa só pensei em me matar. Corri pela casa e tudo estava trancado, o sangue escorriatem minhas pernas,chorando, e enojada do cheiro deles me escondi em baixo duma mesa. Eles riam me chamavam de puta nova . Sou de porte magro, bem magra de seios pequenos e apelidos me ofendiam mas puta nova dôi até hoje. Encolhida, nua, sangrando em baixo da mesa não causou comoção, mas desejo e me pegara por uma das pernas e novamente me estupraram. Eu jà não tinha forças e o grito já estava fininho eu repetia: não faz... para de me machucar... atê que me liberaram e nua corri para casa. Hoje to aqui. Lute e não se entregue .