terça-feira, 14 de maio de 2013

GUEST POST: MULHERES E MÚSCULOS, UMA COMBINAÇÃO POSSÍVEL

K me enviou este texto fascinante sobre algo que nunca foi publicado no blog: musculação para mulheres. 
Tudo a ver para debater definições esquisitas sobre o que é feminino e masculino. 

Quando a Lola disse para eu traduzir algum texto de um blog que eu tinha achado e mostrado, fiquei repensando várias coisas que eu sempre penso sobre corpo e sobre esportes em geral e como eles estão diretamente ligados à aparência do nosso corpo. 
Confesso que me sinto muito sozinha nesse mundo "fitness" porque eu não me encaixo mais no que as pessoas em geral entendem por "fitness" ("só tonificar, ficar durinha, não quero ter braço de homem" -- sim, já ouvi isso do meu lado enquanto a menina pedia um treino pro professor e olhava pros meus braços -- curiosamente, crescer bumbum e pernas é ok, já que os homens gostam. Ai, ai...). E também não pisei de verdade no fisiculturismo por mil motivos, principalmente porque gosto da performance mais do que da aparência. 
Eu não vivo exclusivamente para os treinos (até porque treino bom dura, no máximo, uma hora, uma hora e pouco) e tenho uma carreira acadêmica (meio capenga ultimamente porque estou tratando uma depressão, mas tenho mestrado em Comunicação e enveredei pela Linguística Cognitiva no projeto de doutorado). Academia nos dois sentidos! 
Atualmente faço jiu-jitsu também e confesso que me irrita quando alguém diz: "Uhum, tá tendo muito estupro por aí". Oi? Eu vou pautar minha vida pela violência? Não, não é por isso, é pelo esporte. Eu gosto de me sentir forte. Mas me parece que uma mulher na academia está sempre se preparando seja pra impressionar homens ou afastar violência por parte deles.
Como tudo começou: há uns 12 anos, tive um problema no joelho e o médico, de time de futebol, me disse: "Você é muito nova... vou te mandar direto pra academia". E o joelho foi curado depois de eu chorar na academia, xingar porque não estava mais "magra", e ver o peso da balança subindo (músculo, mesmo se a pessoa não tem treino de hipertrofia, pesa, é denso. E ainda ajuda a aumentar a densidade óssea). 
Com meu histórico de problemas com comida (o clássico anorexia com bulimia), fui forçada a aprender a comer. Parei de me pesar e passei a amar "puxar ferro". Foi o que me manteve de pé mesmo quando minha mãe teve um câncer diagnosticado e morreu (antes que me julguem por ir pra academia, UTI é só duas horas por dia). E é o que me mantém bem hoje em dia. Ainda brigo contra a depressão e sinto direitinho descarga de endorfina durante os treinos. Isso me faz bem como nenhum remédio já fez.
Ainda há situações em que escondo os braços com mangas longas por pura preguiça de ter que explicar que mulheres também podem ser fortes fisicamente e tudo bem. Já ouvi que tenho que me cuidar porque homens não gostam de mulheres fortes nos membros superiores e que mulher tem que ser "macia", "suave", "carinhosa". Bom, eu nunca fiz uso de hormônios para hipertrofia e, mesmo se tivesse feito, isso não faria de mim menos mulher, que é como me identifico. 
Eu não quero me "transformar num homem". Eu quero apenas ser uma mulher com músculos hipertrofiados, mas parece que isso incomoda tanto quanto outras características físicas consideradas não ideais pela nossa cultura machista. No fim, parece que o corpo da mulher sempre tem que ser controlado, contido, moldado e estar à disposição "lato sensu". 
Quero deixar claro também que penso muito sobre uma onda não só de "thinspo" vestida de "fitspo", mas também de ableismo. Tenho um irmão tetraplégico e sei que seria no mínimo cruel pregar que todo mundo tem que ser forte e/ou capaz de alguma coisa física. Esse tem sido o meu caminho. Defendo o direito de cada um achar o seu. Este post é apenas pra mostrar mais uma reflexão sobre coisas do cotidiano de muita gente e que são afetadas pelo machismo.
No post "Fear of a bulky (female) body", algo como "Medo de um corpo (feminino) muito musculoso" (aqui está a íntegra), a blogueira do Fit and Feminist (em forma e feminista)  fala de uma coisa recorrente nas academias: o medo de ficar "feito homem", de "perder a feminilidade". Vamos a minha quase livre tradução-edição: 

"Vamos conversar sobre o que as pessoas querem dizer com 'crescer muito'. Sempre que uma mulher diz na academia que não quer 'crescer muito', está dizendo que não quer ter músculos grandes, normalmente porque músculos grandes não são considerados 'femininos'. Mas qual seria então o corpo feminino ideal? Nós já conhecemos tudo isso muito bem, já que nos enfiam goela abaixo todo santo dia de nossas vidas, mas vamos relembrar:
* alta, mas não tão alta
* cintura fina
* pernas longas e finas
* seios durinhos
* bumbum firme e empinado
* coxas que não se tocam
* barriga retinha
* braços magros que não balançam
* blah, blah, blah.
Basicamente, estamos descrevendo um ser humano que não ocupa espaço, não é muito grande e nem muito forte fisicamente. O curioso sobre tudo isso é que mulheres tendem a ser vulneráveis à violência, certo? Assédio na rua é assunto recorrente para nós, tanto quanto violência sexual e física. Então por que desejaríamos nos manter fracas fisicamente em nome de algo tão efêmero e sem sentido quanto 'feminilidade'?
Por favor, não leiam este texto como se eu estivesse culpando mulheres por não serem capazes de se defenderem de agressores. A culpa é sempre do agressor. Sempre. Mas eu acho que vale a pena questionarmos por que nossa cultura espera que minimizemos nossa capacidade inata de força física ao mesmo tempo que instila em nós o medo do mundo ao nosso redor. Nós somos minadas dos dois lados: pelo nosso interior e pelos outros a nosso redor, quando aceitamos o paradigma que diz que feminino é igual a fraco, suave, vulnerável.
E por favor não me digam que músculos numa mulher são não-naturais e não-femininos. Aliás, o que isso significa? Algo que acontece na natureza não seria 'natural'? Se eu levanto pesos e não como besteiras e desenvolvo bíceps de tamanho considerável, eu não estaria fazendo algo 'natural'? Ou seria 'natural' um jeito menos carregado de se dizer 'normal'? Se esse for o caso, o que define 'normal'? 'Normal' é um conceito tão relativo e que muda de acordo com tempo, espaço, cultura e história. O que era 'normal' há 20 anos não era 'normal' há 200 anos.
E o que significa dizer que algo é 'feminino'? Ninguém parece conseguir definir isso. A única definição que consigo encontrar seria 'qualquer coisa que uma mulher faz é feminino', que é uma porcaria de definição, não acham? Eu pessoalmente adoraria sumir com essas categorias de 'feminino' e 'masculino' porque são terrivelmente reducionistas e tão simplificadas que perdem sentido quando lidamos com a bela complexidade de cada ser humano em sua individualidade. Mas, se vamos insistir nessas ideias cada vez mais arcaicas, será que podemos pelo menos pensar num ideal de feminilidade que não seja definido por fraqueza?"

Eu, K, sou totalmente a favor de que conceitos de "feminilidade" e "masculinidade" desapareçam. Essa polaridade de que força = homem e fragilidade = mulher já está super datada. No entanto, na prática, não: é só vermos as capas de revistas voltadas para mulheres com dietas de fome, comerciais de TV dizendo pras mulheres comerem feito passarinhos para "emagrecerem" (mil aspas) e conquistarem homens, cursos nas universidades que são mais "para homem" do que outros... 
A grande realidade é que querem botar a mulher "no seu lugar". Acontece que nosso lugar é todo lugar. Nosso corpo pode ser como a gente quiser, mesmo que machistas entendam que isso não é "feminino"
Sei que muita gente vai argumentar que acha corpo muito forte feio tanto pra homem quanto pra mulher e eu aceito isso. Mas é de se questionar quando nosso argumento passa a ser o de "é muito masculinizado". Se algum dia vocês pensarem isso, por favor, repensem. Se meus braços afastarem homens, pô, que pena, mas sinto informar que nunca vou pautar minha vida por argumentos machistas. Uma pessoa que se sente bem dentro do próprio corpo e sabe que pode muito é mais ameaçadora do que qualquer par de bíceps.
UPDATE. Que lindo! Dani Libardi se inspirou neste post para fazer este belo desenho! Obrigada, Dani! (Comentem lá no FB dela). 

64 comentários:

Juliana disse...

Falamos muito sobre as mulheres que estão acima do peso, as que são muito magras, mas a gente esquece que esse delírio sobre o corpo perfeito também afeta as mulheres do "fitness". No entanto, e eu não me refiro ao texto, sempre acho um pouco temerária a obsessão com a transformação do corpo seja pela academia ou pela mesa de cirurgia. Basicamente vivemos numa sociedade em que parece não ser aceitável vc não desejar mudar algo em sua aparência...

Anônimo disse...

Adorei o post. Lembrei muito da Gracyane Barbosa. (casada com o Belo). Pessoas sem noção dizem que ela é mulher macho. Palmas para todas as pessoas que não se reconhecem nessa redução de gênero. Ótimo post.

Junior disse...

Belo post. A verdade nua e crua é uma só: Qualquer pessoa que não esteja dentro do que a "sociedade machista" espera é considerado errado e perseguido. Se uma mulher que gosta de malhar, forte, seja gorda seja gordo, seja negro, seja gay, seja seja seja seja.... :(

Anônimo disse...

Lola, sua maravilhosa, eu sou a "anônima da 00:00" (adorei!!! hahaha). Lola, com ceeeeerteeeeza, vou comprar seu livro! Só estou esperando sair o pagamento desse mês. Como faço? É só pedir pelo blog?

Mirella disse...

Adorei seu post, K.
Você escreve muito bem, e gostei bastante dos pontos que vc trouxe =)


E você achou direitinho um dos pontos: a mulher precisa aceitar que fraca é a sua condição, no patriarcado. Encerrou com chave de ouro o post:

"Uma pessoa que se sente bem dentro do próprio corpo e sabe que pode muito é mais ameaçadora do que qualquer par de bíceps."

Machistas de plantão e mantenedores do status quos MORREM DE MEDO.
Já disse a Naomi Wolf:

"Dieting is the most potent political sedative in women's history; a quietly mad population is a tractable one."
(tradução do Ativismo de Sofá):

"A dieta é o sedativo político mais potente na história da mulher, uma população levemente louca é uma população dócil"

Anônimo disse...

Parece que o caso da K. é de vigorexia. Pelo q sei é cada vez mais comum meninas anoréxicas desenvolverem vigorexia.

Zé das Couves disse...

A luta pela igualdade de direitos entre homens e mulheres é justa e necessária. No entanto, parece por vezes que descamba para o exagero. Homens e mulheres são diferentes SIM. A hipertrofia é considerada "masculina" porque a maioria dos hormônios que favorecem o fenômeno são muito mais abundantes nos homens. Basta ver que os anabolizantes em geral apresentam como efeitos colaterais o engrossamento da voz e a multiplicação dos pelos faciais. Ou será que voz grossa e barba enquanto características masculinas são apenas construções sociais? E, numa boa, que mal há em querer ser mais atraente para o sexo oposto? Até parece que 98% dos homens héteros que frequentam academia não estão ali justamente para ficarem mais atraentes. Certas características corporais indicam hormônios desbalanceados e características que demonstram falta de saúde geralmente não são atraentes. Ou alguma mulher acha ginecomastia atraente? Várias diferenças no tratamento de homens e mulheres foram construídas pela sociedade e são bem injustas, o que jamais será capaz de anular o fato de que a natureza nos fez diferentes. Querer que "masculino" e "feminino" deixem de existir é utopia.

Nadja Pereira disse...

Fantástico! Eu não tenho palavras para esse texto. Busco definição leve nos membros superiores porque acho bonito e vejo muitos, mas muitos comentários agressivos contra mulheres que ESCOLHERAM o caminho do fitness. Ontem eu li os comentários de uma matéria sobre a Penelope Nova e fiquei indignada. Muitos argumentam que "perdeu a feminilidade" e outras babaquices... por que a sociedade acha que nós temos que agradar os homens o tempo todo? Se eu gosto do meu corpo definido, a partir de alimentação saudável e suplementação responsável, o que os outros seres tem a ver com isso?

Anônimo disse...

Feministas se preocupam demais com o que os outros pensam.

Veronica disse...

Corpo bom é aquele com que cada um se sente bem.

Esse modelo "GRobal" para homens é mulheres, é mais fake que nota de 15 reais.

Ana Claudia disse...

"Uma pessoa que se sente bem dentro do próprio corpo e sabe que pode muito é mais ameaçadora do que qualquer par de bíceps. Amei essa frase!!!!!!!!

Thomas disse...

Muitas vezes, ao ler textos neste blog, sinceramente me pergunto onde terminam as críticas sérias e onde começa o mimimi.

O preconceito existe tanto para homens quanto para mulheres. Eu diria que esse preconceito é bem mais forte com homens. Duvida? Seja sincero, o que você pensa quando vê um fisiculturista na rua com a camiseta grudada e quase rasgando? Que provavelmente ele está tentando compensar por alguma coisa?

Quantas mulheres já disseram que não gostam de homens com muitos músculos? Os campeonatos de fisiculturismo para homens são tão mal vistos pela população geral quanto os campeonatos femininos. É triste, eu sei. Mas eu entendo porque isso acontece. São pessoas desenvolvendo seus corpos de maneira exagerada, fora da curva, então é normal que isso gere uma reação das pessoas. No final do dia, melhor é levantar peso para benefício próprio do que ficar se preocupando com o que os outros pensam.

Fato é que, excluindo os extremos das fisiculturistas, mulheres bem saradas costumam ser melhores aceitas que homens bem sarados. Existe um número absurdo de admiradores de mulheres saradas online.

Já ouviram falar da Ronda Rousey? Ela foi a primeira americana medalhista olímpica em judô, e é a atual campeã do UFC na categoria de mulheres. A Ronda é super sarada e forte, joguem no google aí e deem uma olhadinha no tamanho dos braços dela. Ela é uma das celebridades do esporte mais populares do momento. Vive saindo em capas de revista e recentemente figurou numa lista das mulheres mais lindas do mundo. Quantos lutadores homens do UFC apareceram nessa lista?

Sei lá, existe gosto pra tudo. Se alguém acha que mulher com músculos é masculino e não é atraente, é apenas a opinião da pessoa. O ser humano tem uma necessidade de justificar, mesmo que de maneira tosca, porque acha isso ou acha aquilo. Simplesmente não gostar por não gostar não é o suficiente pra gente.

Ou seja, seus argumentos podem até ser os melhores do mundo. Você realmente pode tirar a possibilidade de alguém dizer que não gosta de mulher sarada porque é masculino. Mas você não vai mudar o gosto da pessoa, o tesão dela, ela vai continuar não gostando e ponto final. Contente-se em saber que, apesar de existir muita gente que não gosta de mulher sarada, tem muita gente que gosta.

Eu sei que adoro uma mulher saradinha.



Patricia disse...

Nunca fui muito de praticar esportes, até três anos atrás eu era completamente sedentária, não tinha ânimo nem para a ocasional corridinha com os meus pais na beira-mar, mas daí eu tive um ataque de pânico, e depois que a crise passou, eu continuei altamente ansiosa e apática, porque eu tinha muito medo de ter outro episódio, e foi aí que eu comecei a jogar tênis, e me ajudou muito, muito mesmo. Recomendo para todo mundo que sofre de depressão ou qualquer outro transtorno que pratiquem alguma atividade física:)

Quanto ao corpo, para mim é o seguinte, eu jamais cogitaria parar de jogar pelas mudanças físicas que possam vir a ocorrer, porque para mim é até uma questão de saúde mental.

Infelizmente, as pessoas tem essa idéia de que o nosso corpo tem que estar de acordo com 1001 padrões de beleza, e que você tem que agradar primeiro os outros, ou whatever.
Eu acho que o importante mesmo é VOCÊ se sentir bem com o seu corpo, o que eu considero super raro hoje em dia.
Eu passei anos e anos frustrada por ser alta demais, magra demais e sem peito demais, e chegou uma hora que eu soube que ou eu daria um jeito me aceitar e fazer as pazes com o meu corpo, ou morreria tentando me enquadrar em um padrão de beleza que nunca vai funcionar comigo.

Hoje eu to feliz com minha altura, meu peso, ganhei um pouco de massa muscular depois que comecei a jogar e se alguém viesse me falar que eu devia parar por causa disso ou daquilo, eu diria que sinto muito, mas estou bem feliz assim e a forma que eu me enxergo e o meu bem estar sempre vai vir em primeiro lugar.

Anônimo disse...

Herp derp, se tem musculo é homi, minha cabeça quadrada nao consegue entender outra coisa...

Anônimo disse...

Bom, eu puxo muito ferro, adoro musculação e acho fantásticos os efeitos que ela provoca no meu corpo. Meus bíceps, tríceps e costas têm músculos bem “avantajados” e também já cansei de ouvir muita mulher na academia dizendo que não quer “ficar com braço de homem”, olhando de esguelha na minha direção. Eu olho de volta, dou um sorrisinho e ignoro totalmente a opinião alheia.

Compartilho do sentimento da autora do post: gosto de me sentir forte e de maneira alguma isso me faz menos mulher. Recuso-me a cuidar do meu corpo de modo a atender à expectativa do outro, principalmente quando essa expectativa é embasada em uma visão tão retrógrada, que “endeusa” o homem de corpo sarado e recrimina qualquer mulher cujo corpo não se enquadra no padrão vigente de “feminilidade”.

O que nos define como mulher não é o corpo que ocupamos, e sim a forma como ocupamos o nosso corpo.
Bjos, Bia

Mirella disse...

Outra coisa que, dia desses, comentei no twitter.


Quando uma mulher é fora do padrão, sempre justificam com "tem homem que gosta". Como se o que permitisse alguém sair do padrão fosse a garantia de agradar algum homem.
Apenas não, sabe.
Você não tem que se encaixar em nada para agradar a ninguém, e muito menos se aceitar porque tem quem goste. Nunca o gosto do outro deve ditar como você se relaciona com seu corpo.
Uma mulher pode ser sarada se gostar, e apenas por isto. Não porque vai ter algum homem que gosta de mulher sarada. Isto não deveria fazer a menor diferença. O objetivo do corpo da mulher não é e nunca será a aprovação do homem. Acho importante que se desenvolva uma consciência sobre isso. Quem nunca ouviu "ah, mas tem homem que gosta de gorda, de mulher sem maquiagem, de mulher que se veste assim, assado"? Não é por isto que você pode sair do padrão. Você pode sair do padrão porque sim, independente da aprovação masculina.
É naturalmente importante se envolver com quem goste de você, do seu corpo e do seu jeito. Mas não se deve limitar sua existência a agradecer por alguém gostar de você por ser assim. Ninguém está te fazendo nenhum favor.

(apenas uma reflexão solta, mais ou menos relacionada com o guest post)

Anônimo disse...

Sr. Zé das Couves ,
1) A hipertrofia muscular é mais aceita nos homens e isso é cultural sim! Ainda que possa ser mais fácil para o homem desenvolvê-la, não deveríamos ser taxadas de masculinas quando decidimos obtê-la.
2) não há problema algum em ser atraente para alguém, mas nós queremos decidir com que corpo atrairemos outrxs.
3) Só para constar: meu marido tem ginecomastia e eu amo os peitinhos dele!
By

Anônimo disse...

Thomas, em que mundo você vive pra falar que a Ronda Rousey tem mais notoriedade que os atletas homens do UFC? Sabe por que ela é a notícia do momento? Porque a luta dela, recentemente, neste ano de 2013, foi a PRIMEIRA luta feminina do UFC, que existe já há umas boas décadas.
A Ronda não ficou tão famosa assim só por ser forte, e sim porque ela é forte, luta bem E é bonita pros padrões da sociedade e blablabla. É uma "musa" do UFC, como os jornalistas gostam de chamar todas as mulheres esportistas. Só as "musas" ganham destaque e capas de revista. As demais, podem ser competentes, mas não ganham quase espaço.
É até um ultraje você falar isso. Então os homens do UFC não têm notoriedade? E o Anderson Silva? Wanderlei Silva? Minotauro e Minotouro? Rickson Gracie (em tempos mais distantes)? A lista de homens do UFC é muito mais longa que a de mulheres, até porque este é o primeiro ano em que mulheres são autorizadas a lutar no UFC, repito, em décadas, então é lógico que vai se "o assunto do momento". Durante décadas as mulheres que lutam não tiveram a chance de lutar UFC, e, logicamente, não puderam receber os cachês milionários pagos pelo evento. Nenhuma mulher figura na lista dos mais ricos do UFC. Depois o "mimimi" é da autora do guest post, francamente...

Sofia

Anônimo disse...

Eu concordo PLENAMENTE, tenho 22 anos e pratico artes marciais a mais de 10. Existem muitas mulheres aonde eu pratico. Lá também existe muito preconceito, muitos acham que as mulheres podem bater com tudo nos homens durante os treinos e de que os homens tem que tomar cuidado com elas e bater fraco..., e AI do homem que falar pra mulher bater mais fraco pq ela bate forte demais..., Imediatamente é visto como homossexual. Eu sou o único que mesmo sendo homem, viro para uma mulher e digo "bate mais fraco, está muito forte" e ela obedece, ninguém me ridiculariza pois sou faixa preta... A diferença entre homens e mulheres que praticam artes marciais a muito tempo é MUITO PEQUENA, existem muitas mulheres alí capazes de baterem em homens... Por esses motivos sou ferrenhamente contra o machismo e a pregação da "fragilidade da mulher", muita gente me vê como "machista" ao tratar as mulheres de forma igual, mais não sabem o que dizem..., "MACHISMO" não é isso, tanto hoemns quanto mulheres sofrem por causa do verdadeiro machismo impregnado na sociedade..., embora culturalemnte não se perceba...

Gabird disse...

Lola, não encontrei teu email então vou falar por aqui, vc viu o caso da moça que subiu em um palco de uma festa funk e teve sua roupa arrancada e simularam sexo com ela (claramente contra a vontade dela) várias pessoas (inclusive paginas com centenas de likes no fb) estão "com vergonha" das mulheres de hj pq elas não se dão a respeito e que ela subiu no palco por que quis...
https://www.facebook.com/EitaVida/posts/540348676017416

Se puder de uma olhada e um sua opinião se puder

A.H.B. disse...

Legal esse texto, eu tenho vontade de fazer musculação pra ficar com braço e perna musculoso, acho isso mais bonito em mulher do que em homem. Fica parecendo uma guerreira amazona. :3

Anônimo disse...

No ponto de vista masculino... mulher musculosa = mulher gorda.

Barbara Pires disse...

E como não podia deixar de ser, tem homem retrucando que eles, coitados, também sofrem quando treinam hipertrofia! Por que é a mesma coisa, né? Pergunta pra Gracianne Barbosa ou pra uma daquelas panicats antigas - que me consta, a própria direção do programa disse que iria trocar o perfil das garotas pois estavam "masculinas demais".

Tem muita mulher que não gosta de homem musculoso, mas não vejo elas xingando os caras como xingam a Gracianne Barbosa.

De resto, só dou risada dessas criticas - a mulher tá lá se matando pra conseguir um objetivo, com uma dieta totalmente restritiva, e vem um indivíduo cheio de batata frita na boca e celulite na bunda criticando.

Eu admiro muito essas mulheres. Treino regularmente há três anos, pela saúde, principalmente, e bem queria ter a disciplina necessária pra conseguir um corpo desses!

Anônimo disse...

lola, obrigada pelo espaço aqui hoje! tive um dia corrido e só cheguei agora porque me disseram no twitter que o post tava aqui. obrigada.

andei lendo alguns comentários (ai) e só pra dizer algumas coisas: não tenho vigorexia, grata pela preocupação com minha saúde (meus médicos já são bem pagos pra cuidar dela).

e, já que parece que tem gente que não entendeu, eu disse que o argumento de achar feio e bonito, eu até aceito (apesar de ser cultural até a tampa), mas não aceito o argumento de que é muito masculinizado ou de que é coisa de homem. acho que ficou bem claro agora repetindo, né?

aos comentários fofos: obrigada, acho que cada um tem seu caminho e cada um sabe como se sente melhor.

beijo. k.

Anônimo disse...

Oi Lola!
Você poderia falar sobre o filme "Sonho de Wadjda"? É dirigido por uma mulher da Arabia Saudita, um país super conservador. O filme fala sobre uma garota que quer andar de bicicleta, mas não pode, pois é proibido meninas fazerem isso no país. Eu não consegui encontrar pra baixar, mas acho que o filme representa um avanço para as mulheres do país. Queria saber sua opinião sobre o assunto!

Anônimo disse...

@barbara pires

"vem um indivíduo cheio de batata frita na boca e celulite na bunda criticando".

cara, só não concordo com esse tipo de comentário. quem come batata frita (e eu como às vezes, sim)e/ou tem celulite na bunda não é melhor e nem pior que ninguém. cuidado pra não defender uma liberdade querendo podar a outra. a gente não pode querer ter a liberdade de ter músculos se a gente não respeita quem não quer ser assim.

cada um tem seu caminho. lembre-se disso.

Anônimo disse...

Combinação IMPOSSÍVEL. Dificilmente um homem heterossexual se relacionaria ou mesmo transaria com uma mulher que parece homem. Cara que anda com este tipo de mulher é porque não tem coragem de sair do armário. É gay enrustido.

Anônimo disse...

Só não pegando uma vigorexia (seja quem for), tá OK.

Pra mim, a melhor forma de as mulheres se defenderem da violência é adotando aquele ditado: corpo são, mente sã.

É claro, ainda assim ela pode ser vítima. Mas com ela sabendo alguma arte marcial ou sendo forte, alguém que abuse pensará duas vezes antes de fazer alguma gracinha.

Iara Sindrominha disse...

Tem alguma coisa neste planeta que uma mulher possa fazer sem levar rotúlos em cima ou ser linchada,questionada,perseguida?Se exister me avisem,por gentileza....

E vou te pedir um favor Lola,peça as pessoas que quando forem deixar um comentário aqui sejam amáveis de colocar a que século pertencem,porque assim fica mais fácil se a gente quiser responder saber em que século a pessoa está né?Assim quando eu bater o olho e ver que a maioria está no século XVII,eu dou uma voltinha e espero aparecer alguém do mesmo século que eu....

La Cucaracha disse...

Qual é o problema de resolver aprender alguma luta com o único intuito de ter mais chances de conseguir se defender em caso de violência? Se eu avalio que a violência ao meu redor se tornou de fato muito ameaçadora, estranho seria eu não levar isso em conta nas minhas decisões (e antes que os chiliques venham, não, isto NÃO é sinônimo de dizer que a vítima de qualquer tipo de crime tem qualquer grau de culpa quanto a ele por "não ter se cuidado").

Anônimo das 18:29, não é porque você não gosta de x que ninguém nunca em hipótese alguma vai gostar. Vamos lá, vc consegue, não é tão difícil assim entender isso...

Anônimo disse...

Excelente post! Estava faltando algo assim por aqui, sério mesmo. Nem tenho o que comentar. Já tive várias discussões desse tipo com meu irmão - que vai na academia pra ganhar músculo e acha o cúmulo quando mulher faz o mesmo.
E tudo entra dentro do conceito de o que é masculino e o que é feminino. O que você, como macho, pode e deve fazer, e o que você, como fêmea, pode e deve fazer.
Quebrar essas barreiras requer coragem e muita, MUITA paciência pra aguentar comentário idiota todo o tempo.
:)

Lígia

Sara disse...

Tb acho bonito o corpo feminino trabalhado em sua musculatura, lembrando o corpo de uma guerreira.
Mas infelizmente ter um corpo avantajado não conseguiu proteger do machismo a fisiculturista Fabiana Caggiano Paes, 36anos, uma linda garota q foi morta por seu marido o empresário Alexandre Furtado Paes.


Luiza disse...

"Combinação IMPOSSÍVEL. Dificilmente um homem heterossexual se relacionaria ou mesmo transaria com uma mulher que parece homem. Cara que anda com este tipo de mulher é porque não tem coragem de sair do armário. É gay enrustido."

Pra você:

http://25.media.tumblr.com/a4e369180a9e18389311438648c71afc/tumblr_mlf0jee07m1s6jg0no1_400.gif

Como se a opinião de um machinho pequenininho fosse de qualquer valia.

Anônimo disse...

eu disse que o argumento de achar feio e bonito, eu até aceito (apesar de ser cultural até a tampa)

irritante isso,todo mundo é controlado,n existe gosto pessoal né.
então não entendo como eu adoro homens orientais,se pelo menos aqui no rj,muita gente diz q eles são um povo feio,tudo igual.
eu deveria ser funkeira,pagodeira,já q tudo isso faz parte da cultura do rj...

Cora disse...


muito bacana o post, K.

concordo q a fragilidade feminina é bastante cultuada e esperada. as mulheres são socializadas para serem (e se sentirem) frágeis, desamparas e dependentes. e é incrível como isso começa cedo!! tenho uma amiga cuja filha está começando a frequentar a escola (4 anos) e ela me contou q uma mãe, orientando a filha disse: “fica brincando no cantinho pra vc não se machucar”. é essa a ideia q a gente acaba passando para as meninas: ficar no cantinho, deixar de experimentar coisas e arriscar, pra não se sujar ou não se machucar.

isso sem contar as roupas. meninas (e mulheres em geral) estão sempre com roupas e sapatos q dificultam o movimento ou são desconfortáveis.

e vc finalizou muito bem: pessoas seguras e q se sentem bem consigo mesmas são muito ameaçadoras.

priscila disse...

gente musculosa é feia demais,parece que estão inchados,as vezes as veias ficam saltadas parecendo que vão romper a qualquer instante.
não,muito obrigado prefiro continuar parecendo uma mulher,do que parecer que estou cheia de calombos pelo corpo,essa gracyane barbosa é assim,as pernas parecem troncos de tão grossos,não dá pra achar isso bonito.

aqueles homens supermusculosos parecem monstros.

Cora disse...

Iara,

caso vc descubra, avise a gente, por favor!

dúvida muito pertinente.

Anônimo disse...

anon 20.53

claro que existe gosto. se não existisse, ninguém gostaria de mulheres musculosas. mas estamos dentro de uma cultura e absorvemos, sim, os valores de uma cultura numa certa época. mas as pessoas, os indivíduos, não são iguais. e a cultura é viva, ela muda constantemente.

o negócio é virar e falar que não gostar, sei lá, de negros é gosto pessoal. se já é um grupo deixado de lado, a jutificativa pro "gosto pessoal" já tá dada nos valores daquela sociedade. e o tanto que enfiaram que o nariz larguinho seria traço de negros e as pessoas, por questão de gosto, claro, acham feio e recorrem a uma rinoplastia?

noções de feio e bonito estão absurdamente carregadas, sim, da cultura da nossa época. é maior do que dizer que todos no rio gostam de funk. existem valores comuns.

existe gosto pessoal? claro. mas a gente não pode ser cega pra achar que vive fora da cultura.

Anônimo disse...

e outra: pagodeiros e funkeiros só são parte da cultura daí.

letícia disse...

"Lola, não encontrei teu email então vou falar por aqui, vc viu o caso da moça que subiu em um palco de uma festa funk e teve sua roupa arrancada e simularam sexo com ela (claramente contra a vontade dela) várias pessoas (inclusive paginas com centenas de likes no fb) estão "com vergonha" das mulheres de hj "


claramente contra a vontade dela?kkkkkkkk não foi isso que eu vi,hora nenhuma ela tentou impedir as posicões sexuais,pulou no colo do funkeiro com toda a vontade,só quando arrancaram a calcinha dela que ela pareceu se incomodar,mas depois disso n fez nada,podia ter abaixado o vestido,mas ficou lá com os caras passando a mão nela,mostrando tudo.

dá vergonha mesmo,se oferecendo como objeto para o deleite de todos os homens.é essa a libertação que o funk traz para as mulheres...

Anônimo disse...

Minha cunhada gosta de malhar bastante também. Está ficando com os baços, a barriga, as costas cada vez mais definidos, e ainda assim ela é super feminina, não tem nem cabimento alguém dizer que ela é masculinizada. Isso pela maneira como ela se veste, se arruma, pela postura dela. É uma mulher cis, que gosta de ter um corpo bastante definido. Só isso.

Sabe, pelo meu gosto pessoal, não acho músculos definidos uma coisa muito bonita. Mas e daí? Não to esperando que as pessoas façam as coisas pra me agradar, até porque se esperasse, viveria frustrada. Cada um faz com seu corpo e com a sua vida o que bem entender, não é da minha conta, mesmo. Eu cuido da minha vida e isso me basta.

Anônimo disse...

Sobre o link da moça que foi abusada no baile funk..
Da onde que ela nao tentou se defender das posições sexuais? A guria tava ali completamente sem ação (talvez estivesse bêbada, mas isso jamais justificaria o que fizeram), tem um momento em que o cara ta simulando sexo oral em que ela tenta afasta-lo. Isso não ficou claro, não?
Foi claramente contra a vontade dela, sim!

Marina P disse...

Lola, algumas das imagens que você colocou no post parecem ser de pessoas que usaram esteróides, viu? A vigorexia é um transtorno que vem aumentando, inclusive entre as mulheres, então talvez seja bom reavaliar as imagens escolhidas.

Bem, agora falando sobre o post em si.. existe sim muito preconceito com a mulher que quer desenvolver mais a musculatura e a força através da musculação, práticas de lutas, etc. Eu fui criada ouvindo que é bom fazer musculação, mas que não deveria ganhar muita massa magra pra não ficar com o corpo masculino... eu não estou em forma (gordinha) mas pretendo um dia emagrecer e ter um braço bem torneado. Acho LINDO!

Pedro C.P. disse...

Eu nunca entendi esse padrão de beleza de que a mulher tem de ser magra e fraca. Mulheres mais fortes e corpor e mente, até um certo ponto (em corpo apenas), sempre me atraíram apesar da reação de muitos amigos variar do questionamento ao repudio. Eu acho que um pouco de volume e de músculos até aumenta a feminidade de uma mulher já que isso ressalta as suas curvas. Na minha experiencia de mundo o padram da sociedade existe e é cruel, mas ele não é absoluto e é menos rígido do que se pensa; existe alguém que gosta de você do jeito que você é.

Eu sei que querer mudar a sua estética apenas para se encaixar no que a sociedade lhe impõe e estupido, mas eu não entendo porque tanta antipatia por quem quer esse padrão ou por qualquer um que queira mudar a sua aparência. Talvez a pessoa realmente não goste da sua aparência e talvez realmente goste do padrão da sociedade, ou ainda talvez ele ou ela queira um terceiro padrão que não é o dela nem o comum. Eu não acho que o mundo seja binário e que as pessoas devam ficar presas ao que são, eu acho que elas tem de ser livres para fazer o que quiserem com sigo mesmas.

Anônimo disse...

tentaivas de estupros filmadas pelo celular em um baile funk da Brasília
https://www.facebook.com/photo.php?v=10201299819202163&set=vb.335988283149558&type=2&theater

Lucio Fernandes disse...

Irado, nunca parei pra pensar nessa questão subliminar de botar a mulher no seu lugar inferior. Aliás, acho curioso como as mulheres "fora do padrão" até tem alguma defesa, mas quando se trata das fortes, musculosas, toda a nação, inclusive mulheres, parece se juntar pra falar mal, como as Panicats, não são raros comentários maldosos de que elas parecem travecos e outros. Todos precisam de um Judas?

Helder Souza disse...

O estigma social e a falta de informações precisas, ainda persistem sustentar equívocos que mantem o público feminino longe do treinamento de força ao ponto até de impedi-lo de exercitar. Evidências cientificas apontam que os benefícios gerais proporcionados pelo treinamento de força podem ser semelhantes, ou até maiores, nas mulheres em relação aos homens. Então Mulherada! "Bora" treinar!

Anônimo disse...

Eu acho muito mais interessante um corpo mais definido para as mulheres, um corpo atlético, há anos atrás queria muito ter a disposição e o corpticho da triatleta Fernanda Keller, as atletas em geral tem corpos bonitos e definidos, que estampam saúde, é muito melhor do que ter pele pálida e ossos à mostra como as modelos de passarela (opinião pessoal). O Importante é a auto aceitação, os homens sempre se sentem muito à vontade para criticar, medir e pontuar o corpo das mulheres, as mulheres por sua vez, só engrossam a neurose, então quer saber? FOdam-se os fiscais de corpo e vamos ser felizes e saudáveis com o corpo que a genética nos deu. Vamos cuidar da mente e do corpo! Beijos no pessoal de mente boa e dois coices em quem só vem falar bobagem. Por "Fórmula de Bhaskara"

MonaLisa disse...

Ótimo post Lola.

Eu sempre odiei academia e todas as vezes que comecei, achava que os Instrutores colocavam muito pouco peso (diziam que não era pra machucar) e era um saco ficar repetindo os mesmos exercícios todo dia.

Mas há 3 anos eu tava sedentária demais e comecei a fazer caminhada e andar de bike, mas não tinha resultado.

Um colega me recomendou um lugar aqui e disse que o Instrutor é fera. Fui pra ver como era a musculação, e ele forçou tudo, mas forçou demais. Eu não conseguia nem me mexer no outro dia de tanta dor. Mas adorei e estou lá há 3 anos. Estou tendo todos os resultados que queria, que é ficar com o corpo das PaniCats que acho lindo.

Agora também to fazendo Pole Dance que concentra a força do corpo no braço e nas coxas e naturalmente os braços estão ficando de 'homem'.

Mas quero que vão pra puta que pariu esses machistas asquerosos e suas seguidoras com suas opiniões.

Sobre a luta, me lembrei do filme Nunca Mais, no qual a Jennifer Lopes resolveu treinar pra não ser mais vitima de violencia do ex-marido.

Beijos, Lola. ^^

Anônimo disse...


Como é bom ler seu blog, e olha se em algum momento você ou alguém pensou que isso aqui não dá em nada pare agora, porque dá em alguma coisa sim



EU mesma, sempre fui exatamente o tipo de mulher que julgava a aparência de mulheres que são musculosas, algumas semanas atrás conheci uma mulher que adoooora artes marciais e é musculosa (não muuuito) e ela é tão legal que naquele momento eu comecei a questionar o besteirou que é ficarmos criando ideias baseadas na aparência. Mas o que me fez refletir mesmo foi este texto que acabei de ler, pois veja, conclui que, primeiro cada mulher tem o direito de buscar ser exatamente como quer, (e o que exatamente eu penso que sou pra sair achando algo sobre ela?), segundo, várias das mulheres que julguei possivelmente desejam ficar musculosas apenas porque querem ou porque acham legal enfim os motivos são delas apenas delas não significa que estão querendo chamar atenção ou corresponder a algo.

Eu particularmente nunca me senti atraída por homens musculosos (nem minimamente) gosto dos normaizinhos rs, então pra mim não rola muito essa de musculação tanto pra homem quanto pra mulher.



Este texto mudou verdadeiramente meu olhar, de verdade. Aliás estou passando por um processo de epifania kkk, muitas coisas estão mudando e me sinto mais feliz assim, apenas me alegrando em ver as pessoas tentando viver felizes a sua moda.

Renato disse...

Mulheres que dizem não malhar por não quererem um corpo "muito grande" são preguiçosas ou muito ignorantes.

Eu sou homem, me entupo de hormônios, comida e treino pesado e não sou grande. Quero saber o que essas mulheres pensam pra acharem que são tão "geneticamente abençoadas" que vão ficar enormes levantando halteres coloridos de 2kgs.

Fábio RT disse...

A mulher não vai ser menos mulher por querer ficar "musculosa" e "forte" ... é um absurdo pensar desta forma !
o direito delas tem que ser respeitado e não podem ser agredidas de forma nenhuma por isso...
Agora em relação a achar bonito, atraente...cada um tem o seu gosto...eu particularmente acho um pouco exagerado e não tão bonito quando elas se tornam muito fortes e musculosas ... mas é só minha opinião... e não tenho o menor direito de obrigar que concordem comigo ou que sigam o padrão de que gosto... elas tem que se sentir bem como querem e preferem ...a opinião dos outros deve ser irrelevante...ainda mais neste quesito !
Respeito pela visão diferente de mundo está muito em falta hj em dia...

Ana disse...

"O que vc pensa quando vê um fisiculturista na rua com a camisa quase rasgando?"
Eu penso hummm, delícia!

Anônimo disse...

@La Cucaracha
Na verdade não quis fazer um discurso de culpabilização da vítima. Talvez eu não tenha sido claro o suficiente quando disse o que penso.

De qualquer modo, vejo problema nenhum na mulher fazer o que ela quiser. Se ela quer se exercitar, OK. Seja pelo motivo que for. Se ela não quer, OK também. Há discriminação, julgamento, rótulo, machismo e tudo o mais. Mas eu acredito que os benefícios de ela se sentir bem consigo mesma, seja fazendo exercícios físicos, seja estudando, seja tocando o projeto do próximo Windows (Tami Reller é a atual diretora da divisão de Windows na Microsoft, a propósito) ou ficando em casa fazendo crochê. Não importa. Se a mulher faz algo que a faz se sentir bem de corpo e alma, é isso o que ela deve fazer.

E no caso de exercícios físicos há ainda o fator defesa pessoal como benefício. Mais uma vez: não quer fazer exercícios, ok. Se sofrer violência, a culpa continua a ser de quem praticou e não de quem sofreu. E em minha opinião, a vítima deveria receber apoio e não acusações. Mas se quiser fazer exercícios apenas para se defender, ok. E eu acho o aprendizado de uma arte marcial recomendável para qualquer pessoa, até porque a violência atinge a todos. Mas o fato de eu achar recomendável que as pessoas aprendam uma arte marcial não quer dizer que uma pessoa que não faça seja culpada pela violência que sofre. Muito pelo contrário.

Se for para considerar meu caso, posso dizer que eu sou o primeiro a me opor quando minha esposa fala em entrar em uma dieta restritiva (coisa que geralmente faz mal). Eu considero a saúde dela mais importante do que um padrão estético que é impossível para a maioria. Eu quero que ela seja feliz e considero a auto aceitação um passo importante para conseguir a felicidade.

Anônimo disse...

Arthur+um verme
eu tava penssando nisso a ums dias lola!Sério,eu vi um anime chamado Fate stay nights(acho que se escreve assim) e tem uma perssonágem que é uma guerreira muito foda(saber)e ela se apaixona por um garoto e fica com medo dele não gostar do corpo dela por ser musculosa e tals,não ví no que deu,mas planejo temrinar fate amanhã...pesquisei o tema e realmente me decepcionei..tipo,acho que aparência física não faz diferença,oque importa e´a nossa felicidade,nossos gostos,nossos estudos e etc...Tipo,acho normal uma mulehr musculosa,desde que não use anabolisantes,pois muda-se a estrutura facial e ai fica ate´difícil dizer qual o gênero,nesse caso entendo quem diz que tá masculinisando...agora em caso que não se usam anabolisantes o rosto da mulher se mantem,as formas se mantem e a voz se mantem,logo a mulehr continua feminina(segundo minha definiçaõ,com características peculiáres do gênero XX).Minahs sinceras desculpas pelos problemas que o o machismo causa as grandes lutadoras,esportistas,cientistas e etc que o mundopodia ter!e detalhe,se uma mulehr quiser me carregar,to topando,adoro economizar esforço kkkk!parabens pelo psot k,e queor ver mais diversidade nesse mundo,ok?

Joana disse...

Ótimo texto, Lola!

Também amo malhar, puxar um ferro é comigo mesma. E ainda bem que nunca me importunaram com isso. A mulherada preconceituosa, que fala que tem medo de malhar pra não ficar forte demais, tem que lembrar que ganhar músculo é algo extremamente difícil e que demanda DISCIPLINA. Como disse alguém anteriormente, ninguém ganha massa muscular levantando peso colorido de 2kg.

Dani Libardi disse...

Adorei o post, me fez pensar e me inspirou a fazer um desenho. Obrigada, K.

Starlin disse...

Acho mulher musculosa a coisa mais linda sobre a Terra.

Musculosas desse Brasil, comuniquem-se comigo!

Jéssica Venske disse...

Texto maravilhoso!

Dani Libardi disse...

K e Lola, aqui o desenho que este post me inspirou: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=520659801328251&set=a.400926019968297.91350.397659933628239&type=1&theater
Espero que goste, K.
bjo

lola aronovich disse...

Dani, que lindo! Muitíssimo obrigada, já adicionei a imagem e o link pro seu FB no final do post. Ainda não emoldurei a bela gravura que vc me deu, mas vou emoldurar! É só que minha casa está muito bagunçada agora, perdemos algumas janelas (a casa vizinha construiu um sobrado), e vamos precisar de mais quadros ainda!
Ei, vc não quer se inspirar e desenhar uma marcha mascu? É assim: meia dúzia (no máximo!) de machões baixinhos com óculos escuros ray ban aviator, camisa regata, e... pochete! Estou precisando muito de uma imagem dessas!
Abração, querida!

Dani Libardi disse...

Oi, Lola. Fico feliz que vc tenha gostado. Pra quem está mais acostumada a desenhar gordas e gordinhas, um corpo musculoso foi desafiador.

Se nnao for pedir muito, me manda uma foto do quadro quando tiver emoldurado? Com vc nela, claro. Estou fazendo uma coleção de fotos de onde meus desenhos foram parar ;)

Ih, Lola, sobre o seu pedido… Não sei se eu sei desenhar gente que eu não gosto, viu. Sério mesmo. Eu também costumo desenhar gente pelada e de mascu pelado quero passar longe. Será que vc não tem outra leitora desenhista pra te ajudar?

Anônimo disse...

Adorei. As mulher fortes e musculadas são as mais belas, de long, e não há nada mais sexy que um biceps de mulher grande e duro. A conversa do feminino é uma tanga. As pessoas inventaram que feminino é fraco; e depois dizem que as mulheres que são fortes não são femininas. Vale tanto como dizer: feminina = ser forte; erssas magricelas fraqwuinhas, as modelos e tudo isso, não são femininas, parecem, homem (sem curvas). Na verdade, acho a segunda bem mem mais lógica.

Anônimo disse...

Sou homem e acho que o preconceito com as mulheres fortes é em sua maioria das próprias mulheres! Toda mulher que conquistou um corpo torneado com músculos definidos trilhou um longo caminho para consegui-los. Muitas venceram a anorexia e estão muito felizes com seus corpos após anos de musculação e dieta. O importante é cada um se sentir bem consigo mesmo. O preconceito é apenas uma forma de atestar que você se acha inferior. Eu particularmente me sinto mais atraído por mulheres fortes, com músculos mesmo.