quinta-feira, 30 de maio de 2013

GATINHA NOVA NO PEDAÇO

Conheça Isabel. E aproveite e compre o meu livrinho. Não sou eu que estou pedindo. É ela! 
Não, sério, como ando vendendo pouquíssimos livros através do bloguinho, vou apelar para uma operação de guerra: usar uma gatinha super fofinha pra apelar pro seu coração. Diz que funciona, vai. 
Isabel chegou domingo. Queríamos esperar um pouco mais pra adotar uma gata depois da morte da nossa amada Blanche, mas não deu. Minha mãe pediu, eu falei com a associação de defesa de animais que apoio aqui em Fortaleza, a APATA, elas mencionaram vários gatinhos precisando urgentemente de adoção, e minha mãe escolheu Isabel. Foi ela que deu o nome também.
Porque, né, animal não se compra -- se adota.
E agora temos esta linda bolinha de algodão pra alegrar nossos dias. O único problema é que o Calvin não gostou muito. Eles nem chegaram perto de se atracar, mas um fica fazendo russsss pro outro, as caudas dobram de tamanho... O preocupante é que, como Isabel fica na parte de baixo da casa, junto com minha mãe, Calvin evita descer. E é lá no microjardim que ele faz suas necessidades. 
Alguma sugestão de como fazer com que Calvin e Isabel se amem e virem melhores amigos logo?
Amanhã viajo pra Juiz de Fora, pro II Congresso Nacional da ANEL. No sábado participarei de uma mesa sobre opressões, às 10 da manhã. E, à tarde, 14 horas, darei uma oficina sobre reflexões e contradições do feminismo. É aberto para qualquer pessoa que queira participar. Espero que você aí que mora em Juiz de Fora compareça!
Volto no domingo de madrugada, preparo mais um monte de posts, aulas e palestras (dormir? Isso existe?), dou um montão de aulas na segunda, e terça viajo pra Santa Catarina. Já falei que será minha primeira volta pro belo estado onde vivi durante quinze anos desde que me mudei pra Fortaleza? Então, pena que vai ser tão rapidinho. 
Na quarta, dia 5/6, às 16 horas, na sala 04 do CCJ, dou o minicurso Feminismos são Direitos Humanos: Importância e Desafios. É aberto a todxs, só que tem que se inscrever. E logo. Se não me engano, as inscrições vencem hoje. Mas não deixe de ir, mesmo sem inscrição. 
No dia seguinte, 6/6, também às 16 horas, estarei em Balneário Camboriú para a palestra Mulheres e Judiciário, no 6o Sinjusc. E na sexta, bem cedinho, viajo de volta pra cá, pra muitas aulas à tarde. 
Lá pelo sábado, 8/6, espero conseguir respirar de novo. 
Precisa de mais uma foto da Isabel pra você comprar o livro? Então tá.

32 comentários:

Caroles disse...

Lolaaaa eu amei a Isabela! Como faço pra comprar teu livro?
Eu adotei uma gatinha nova em janeiro, a Flô. Eu já tinha o Bowie há 1 ano e meio. No início eles não se gostavam, o Bowie não olhava nem na minha cara :( Agora eles brincam juntos, mas ainda não se amam muito. É assim, nada garante que eles vão ser amigos. Mas já que o Calvin já tinha uma amiguinha antes é bem provável que eles eventualmente vão começar a se dar bem, só tem que ter paciência. Imagina se do nada trouxessem alguém pra morar na tua casa hahaha
Uma fotinho dos dois mais ou menos de boa: http://sphotos-e.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-prn1/13927_10201031795697969_198345275_n.jpg :) Boa sorte!

Simetra disse...

Lola, coincidência incrível!!
Adotei, há quase 02 anos atrás, uma gatinha malhada linda, bem parecidinha com a sua, que agora eu chamo de Bell, mas o nome dela antes era Isabel!! @__@

Talt disse...

Normal gatos se estranharem no começo, eles são territorialistas, então demora um pouquinho pra aceitar gato novo. Mas dá uma semana que eles vão tá brincando juntos. Não separa, deixa eles se entenderem, se necessário dá uma forçada no contato, deixando eles no mesmo cômodo e tal.

Caroles disse...

Opa, Isabel!

Anônimo disse...

ta vendo professora, vc com essa mania de emascular os machos, agora o gato não suporta a gata, eu imagino como esse bichano sofre com seu feminismo viu, tisc tisc

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Na correria até esqueci de te avisar que o livro já chegou.
Adorei, Lola! Devorei em dois dias e já foi sequestrado por uma amiga que trabalha comigo, que viu na minha mesa, leu uns trechinhos e quase me obrigou a emprestar.
Bjão e muito obrigada pela dedicatória.

Grão da Noite disse...

Talvez a Isabel(a) e o Calvin nunca se tornem amigos. No final de 2004 adotei um gatinho "sialata" (mistura de siamês com viralata) do Bosque das Letras da UFC, Gaspar, e a Preta, a gata da casa na época já com seus 4 pra 5 anos, o odiou profundamente. Ela batia demais no bichinho, que sempre foi um gato banana - mesmo quando cresceu e ficou maior do que ela, continuou apanhando da Preta. A relação entre eles só melhorou quando mudamos de casa. A interpretação que fiz dessa trégua foi que a casa anterior a Preta já tinha como território exclusivo dela. A casa nova era uma novidade tanto pra ela quanto pra Gaspar. Um território novo pros dois. Então a Preta aceitou melhor a ideia do compartilhamento... O convívio dos dois melhorou muito. Até brincavam de vez em quando, embora vez ou outra também brigassem (mas com bem menor virulência do que assim que Gaspar chegou). Agora no começo de 2013 também adotei um gatinho. A Preta morreu no final de 2011, então havia uma vaga aqui em casa (no meu coração há uma quantidade bem maior de vagas, mas o sentido figurado infelizmente não serve de lar pra gato real nenhum). Gaspar, coitado, não bateu em Kiko (que era tão miudinho que a gente pensou que fosse uma gata e chamou de Kiara, nome da namorada do Simba, o Rei Leão), mas perdeu a voz. Ficou mudo. Parou de comer. Emagreceu. Ficou deprimido. Levei ao médico, que fez alguns exames e, como não foi constatado nada demais, o diagnóstico do veterinário foi de que Gaspar estava morrendo de ciúme. Ainda bem que com o tempo ele se recuperou. Hoje não são os melhores amigos, mas até brincam de vez em quando e brigam muito pouco (Gaspar é muito bonzinho e prefere fugir a brigar. É o completo oposto da Preta, na cor e no temperamento). Kiko era um gatinho de rua que eu quase matei atropelado. Ainda bem que não matei. Teria me sentido péssimo. Ele é bem parecido com o bichano tigrado em tons de cinza (mais de 50 tons...) da foto do comentário lá de cima. Ao que me parece o Calvin nem é igual à Preta, nem igual a Gaspar, fica entre um e outro. Acho que com o tempo o Calvin se acostuma. Mas acho que também não vai virar o pai adotivo da Isabel(a).

Marilia Romao Capinzaiki disse...

Oi Lola!

Leio seu blog todos os dias, mas quase nunca comento.
Sobre os gatos (tenho só um), andei lendo (e vendo animal planet nas tardes ociosas, rs) que um bom modo de fazê-los conviver bem é criar "boas lembranças" pra eles em relação aos momentos em que ficaram juntos... Então, tente aproximá-los, e dê petiscos a eles quando estiverem juntos. Assim eles vão associar aquele momento bom (petisco) ao fato de estarem juntos. Pode funcionar a longo prazo!

Quero te ver na ufsc! Um beijo!

Mordred Paganini disse...

Anônimo disse...
ta vendo professora, vc com essa mania de emascular os machos, agora o gato não suporta a gata, eu imagino como esse bichano sofre com seu feminismo viu, tisc tisc

30 de maio de 2013 19:08

______________________________

Fábio Mingau detected!

morena-flor disse...

Compra erva do gato, Lola. E vá aproximando todo dia um pouco mais, eles vão acabar ficando amigos. SE vc colocar eles juntos, no mesmo cômodo na hora de comer tbm pode ajudar!

Beijos,

Morena

Carol disse...

nhoum nhoum nhoum que coisa fofa!!!
cresci cercada de gatos, e a primeira que eu me lembro era a Mima, igualzinha a sua Isabela! Agora que estou morando sozinha estou doida pra adotar uma bichana!
Minha experiência de ter mts gatos ao mesmo tempo é deixá-los se acostumar juntos, dar comida juntos, ver se dando alguma coisa pra eles brincarem eles começam a interagir, essas coisas. Geralmente é mais fácil quando é um macho e uma fêmea do que dois machos ou duas fêmeas. Mas, pode ser que eles nunca se amem de verdade =/

Debora disse...

Lola, infelizmente, leva um tempo para os gatinhos se acostumarem um com o outro mesmo. Como eles são muito territoriais, eles meio que precisam chegar a um "acordo" e estabelecer uma hierarquia, haha. O Calvin, por ser macho e ser o mais antigo, não vai aceitar que a Isabel vire dona do pedaço, e em mais ou menos 10 ou 15 dias, ela vai acabar entendendo isso. Pode ser que não se tornem amigos, mas com certeza vão no mínimo se tolerar. Uma dica pra acelerar um pouco esse processo, é deixar eles se aproximarem aos poucos, e dar recompensas, principalmente ao Calvin, para que ele associe a Isabel a coisas boas. Comece deixando que a Isabel deite num paninho ou toalha, e depois dê para o Calvin sentir o cheiro. Ele não vai gostar no começo, mas aí você começa dando uns agradinhos (snacks ou carne, depende do que você costuma dar). Depois fique num quarto fechado com os dois, e coloque um pratinho no meio do quarto com mais agradinhos, e eles vão acabar se aproximando. Nesse momento é importante você não deixá-los sozinhos, pois pode acontecer de um agredir o outro.
Enfim, boa sorte com os gatinhos e com a venda do livro! Vou adquirir o meu em breve! :)

Aninha disse...

Quando meu gatinho apareceu em casa e meus cachorros não aceitaram nada bem, eu usei uma técnica que apelidei: "técnica da linguiça":

Os cachorros estavam na cozinha e eu comecei a fritar linguiça. Logo depois disso, minha sobrinha entrou com o gato no colo. Eles estavam tão centrados no que eu tava fritando, que nem deram bola para o bicho. No final, dei um pouquinho de linguiça para eles (bem pouquinho, para nao fazer mal) e todos viraram bons amigos!

Pri disse...

Ja assistiu FEMINAZI STOLE MY ICECREAM?

Nathalia disse...

Estou apaixonada pela Isabel. Adoro gatos, sempre tive vários. E também sempre tive problema com os gatos ciumentos hahaha. Quando eu adotei o Frederico, meu gato mais velho, ele era uma bolinha de pelos temperamental que foi se tornando dócil com o tempo, mas que era muito briguento com os gatos da vizinhança. Nisso, tinha uma gatinha muito arisca na vizinhança que resolveu morar no quintal da minha casa, e fomos cuidando dela pra ver se a gente conseguia se aproximar e adota-la de vez. O Frederico não ligava pra Madame Nora(a tal gatinha), mas um dia essa gata ficou gravida e teve uma gatinha, e o Frederico só faltou ir embora de tanto desgosto hahahahaha. A gente ficou com a gatinha que nasceu, e foi bem dificil o entendimento entre os dois, mas com o tempo, as coisas se acertaram. Depois adotei o Abel, a Elvira, o Miguel, o Jorge e o Frederico foi se acostumando com todos, é só questão de dar um tempo até ele entender que a casa ainda é dele kkkkkkkkk. Uma hora o Calvin deve se acostumar com a Isabel e com a presença dela.

Leonardo disse...

Já me inscrevi para assistir ao teu minicurso, no CCJ, Lola! Venha com disposição, porque a galera inscrita é porreta! ;-) Tenho certeza que rolará um debate incrível. Até logo!

Claudini disse...

Lolaaaaa!!! Finalmente vc em Floripa! Estarei lá, beijos!!!

Cíntia disse...

Oi Lola,
se vc tiver uma porta de tela, pendure um lençol ou algo que cubra a tela e alimente um de cada lado, para que sintam a presenca do outro. De vez em vez, vá levantando o lençol para que eles se vejam.
Depois, já com a tela sem lençol, pode brincar com eles com aqueles brinquedinhos, para que os dois estejam em "modo caça" ao mesmo tempo e não seja direcionado um ao outro. Isso tudo cria companheirismo entre os dois. Depois coloque-os no mesmo cômodo.. é possível que eles se estranhem, mas menos agressivamente que antes.
Beijos e boa sorte,

Feminista capitalista disse...

Jah vai fazer 1 ano q vc lançou o livro??
Não acredito!!!
O tempo voou!

adina disse...

Lola, eu nunca comentei aqui, mas como o assunto é gatuno, aí vai: passa baunilha na gatunada e a coisa vai melhorar.
Dica de aqui, testei e funcionou. http://maesdefelinos.blogspot.ro/2012/02/como-assim-baunilha.html

Marilia disse...

Linda linda linda!!!
Amo gatos!
Parabéns pela nova integrante da família!

Rafael disse...

como todo mundo já disse, é só questão de tempo. já adotei vários gatos e no começo é sempre assim, eles se estranham, mas depois se acostumam um com o outro e fica tudo bem. :)

Babs disse...

A Isabel é linda, Lola! Ela vai trazer muitas alegrias para a sua casa :) Well, já deve estar trazendo, não é?

Também tenho gatos e quando adotei o segundo, a gatinha que já morava com a gente não gostou da idéia. As primeiras semanas foram bem tensas com muita hostilidade da parte dela enquanto ele (bem novinho) só queria brincar. Nós meio que forçamos um convívio: não separamos a comida e nem a caixinha de necessidades. Eles tiveram q encontrar uma maneira de tolerar um ao outro, caso quisessem comer e ir ao banheiro. Como ela adora uma marca específica de cat treats, nós chamávamos os dois para perto da gente para dar um treat para cada - ela nem se importava de ter ele tão perto dela, nem percebia q estava lado a lado e sem muito esforço eles começaram a se cheirar, hehe! Também dávamos atenção na mesmo proporção para os dois. Quando ele ganhava uma coçadinha no pescoço, ela ganhava um carinho na barriga. Se meu marido estava brincando com ele, eu ia pentear os longos pelos dela (o que ela adora!). A gente tentava fazer os dois se sentirem incluídos e acho q funcionou. Quatro anos depois eles convivem numa boa, dividem espaços, comida e caixinha sem nenhum problema. Não se tornaram melhores amigos e nem acho que isso vá acontecer. Os temperamentos são bem diferentes e de vez em quando ela precisa deixar claro que não tá a fim de brincar (ele ainda insiste), mas existe harmonia em casa.

Tenho certeza que o Calvin vai se acostumar com a Isabel.

Helena disse...

Olha esse Calvin, que ciumento! Normal, logo passa e eles vão estar brincando...

Caos disse...

Eba! Todo mundo dando dicas pros bichanos =] Que maravilha ver que o povo aqui também ama gatos!!

Parabéns pela nova filhota, Lola, ela deve estar muito feliz de ter uma família!

Bueno, concordo com praticamente tudo o que falaram (principalmente a tática dos petiscos, para eles relacionarem o convívio à algo bom) e adiciono mais algumas coisas:

- Sempre tenha caminhas separadas pra eles, de preferência em lugares altos (eles ficam mais confiantes) e longe uma da outra (comodos diferentes).

- Se você usa caixinhas de areia, é sempre indicado ter uma a mais do que o número de gatos (no seu caso seriam 3), para que seja uma pra cada um e uma comunitária.

- No início, não "privilegie" um na frente do outro. Se um receber cafuné, o outro recebe também!

Ah sim, conhece o Jackson Galaxy?? Ele é o Cesar Millan dos gatos!! Muito bom mesmo =]

Boa sorte!

Paty Darriba disse...

Quando vim morar com uma amiga e ela também trouxe a gatinha dela, nós fizemos a apresentação aos poucos...

Primeiro os dois em caixinhas, depois um preso outro solto... Depois deixavamos eles juntos mas tiravamos quando o clima esquentava...

O importante era ter sempre dois potinhos de comida e água e duas caixinhas de areia. Quando eles se acostumaram e começaram a comer um a comida do outro e a usar qualquer caixinha, aí tiramos uma delas.

Também é importante eles terem para onde fugir, caso um ataque o outro, para que ele se sinta seguro e não tenha tanto medo da nova cia...

Hoje faz qse 2 meses que eles estão juntos e passam o dia inteiro pela casa brincando. Só na hora de dormir que ficam com as respectivas mães.. RS



No "adote um gatinho" tem várias dicas. Segue o link de uma matéria:
http://adoteumgatinho.uol.com.br/materia/11/Tem-um-intruso-aqui!

RavenClaw~ disse...

Oi Lola. A Adina tem razão. Passa baunilha nos piludos e pronto. Aqui em casa dempre funcions. ^^

Elvira Rego disse...

Há Lola o problema do Calvin é super fácil de resolver...gatos adoram fazer suas necessidades em caixas com areia...é super higiênico, por que vc muda a areai...coloque uma no andar de cima e pronto!rsrsrsrs...Háaaa, a Isabel é muito linda!rsrsr

bulaxo disse...

Gostaria de dicas para quem nunca teve um gato antes, alguem me ajuda?

Anônimo disse...

Que golpe baixo Lola! Mas a gata é muito lindinha mesmo! Adoro gatinhos. Ragusa

Anônimo disse...

Lola, não se preocupe: daqui umas duas ou três semanas eles já estarão bem. Aconteceu isso comigo quando adotei minha Pretinha, mas logo tudo ficou normal. =)
Até lá, leve o Calvin pra baixo, tente fazer com que eles interajam brincando juntos (vocês e eles) para eles se sentirem inseridos na lógica da casa.

Amor & Miados disse...

Um dos maiores erros que as pessoas cometem ao introduzir um gatinho em uma nova casa é não estabilizar os cheiros antes. Gatos não são bichos sociais como os cães, eles apenas se mantem em colonias ou nucleos familiares aparentados.

Pegue baunilha - essencia de bolo - e pingue 2 gotinhas no pescoço dos dois, por alguns dias. Isso mantem o mesmo cheiro e os acalma tambem.

Gatos castrados aceitam melhor outros gatos castrados, já que os hormonios de um gato nao-castrado podem "ameaçar" os castrados.