domingo, 12 de maio de 2013

FAÇA COMO LA MAMACITA

Minha mãe clama: compre meu livro!

Feliz Dia das Mães! Na realidade, já falei mais das mães no último domingo. Minha mãe fez um almoço todo especial, fantástico, com comida vietnamita (costelinhas de porco com tangerina e mel) e o bolo de chocolate com mais chocolate no mundo, o Sacher Torte (não foi fácil, mas consegui que ela passasse a receita). 
Esta é a semana oficial de comemoração da Mamacita, porque, além de hoje, dia das mães e tal, quarta é o aniversário dela. Parabéns, mãe!
Bom, não é pra você fazer exatamente como minha mãe, porque ela não comprou o livro. É pra você comprar o livro, pra gente mostrar que uma autora feminista consegue esgotar duas tiragens, e quem sabe assim mais portas se abrem pra gente. 
Vou mostrar mais algumas pessoas lindas que compraram. Já mostrei algumas aqui, aqui, aqui, aqui, e aqui. Mande sua fotinho também pra eu te usar como garotx-propaganda.
A Rebeca, de SP, não comprou um, mas dois livros! Escreveu ela: "Quase soltei um gritinho infantil de alegria quando recebi os livros! Estou amando e tenho certeza que minha mãe vai amar também!"
A Joyce, de Jacareí, SP, formada em Letras, agora cursando Manufatura Aeronáutica, mãe adotiva de quatro gatinhos, recomenda: "Desculpe a demora em enviar a foto, mas o é que o livro estava passeando entre alguns amigos cinéfilos. Coisa boa a gente tem que compartilhar. Não dá pra deixar guardado na gaveta pra sempre. Enfim, agora o livro está nas minhas mãos novamente, e estou aproveitando para ver/rever os filmes que estão nas crônicas. Eu concordo contigo em muitas coisas, em outras não, mas é sempre bacana poder ter um ponto de vista diferente. Ler o seu livro me permitiu analisar detalhes que teria passado batido normalmente. Espero que esse meu pequeno texto ajude você a vender mais. O pessoal não deve saber o que está perdendo."
Outra linda Joyce, historiadora formada na UFMG que agora faz pós na USP, tb me mandou uma foto, toda feliz com seu livro. 
E o André, administrador pleno na Petrobrás, no RJ, disse: "Lola, recebi hoje o seu livro e já comecei a devorá-lo! É uma leitura bem interessante com uma perspectiva que me faz ter um olhar diferente sobre os filmes que já assisti, mesmo aqueles que não são abordados em suas críticas. Parabéns pelo livro! Quando vai sair o próximo?"
Ah, esta quinta fui entrevistada pelos alunxs de Jornalismo do sexto semestre, da disciplina de Laboratório de Jornalismo Impresso, para a edição número 30 da revista Entrevista. Segundo eles, "O objetivo do projeto é apresentar, por meio de entrevistas, a história de pessoas que, de algum modo, se notabilizaram na sociedade". São entrevistas longas, de cerca de 25 páginas. A revista sairá em setembro. 
Numa pré-entrevista, duas alunas entrevistaram o maridão! Ele contou pra elas que uma vez, anos atrás, brigamos feio. E, pra me reconquistar, no dia seguinte ele deixou uma caixa de Bis com um bilhete escrito "Mil perdões. Te amo. De onde isso veio tem muito mais". Aí eu tive que aceitar as desculpas, né? Depois ele confidenciou que o "de onde isso veio" se referia ao supermercado. 
Pessoas fofinhas de SP, não se esqueçam que dia 23 de maio estarei aí de novo, na USP, pra fazer parte da IX Semana de Ciências Sociais (SeCS). 
Maridão, Marcha Fortaleza 2011
E pessoas queridas de Recife, dia seguinte darei uma palestra chamada "Cyberativismo: Novas formas de vivenciar o feminismo". E dia 25 vou estar na Marcha das Vadias de Recife e fazer o possível para acertar os gritos de guerra, pois já cantei "Se cuida / Ô seu Batista / América Latina / vai ser toda feminista". Tentarei melhorar da próxima vez. 
Se você não quiser mais comprar meu livrinho depois dessa, eu até entendo.

18 comentários:

Dafne disse...

Lola, confesso que morri de rir com o Seu Batista Heuaheuaheuhauehasu

Anônimo disse...

Rindo horrores do " Seu Batista" hahaha
você é demais, lola...

Com certeza vou procurar seu livro! Fiquei super interessada!!

Anônimo disse...

Mas você não tem vergonha de utilizar este espaço - de luta - para seus próprios interesses capitalistas de vender, vender e vender?

Meu Deus (que não existe), você não tem consciência.

Rode este livro num mimeógrafo e distribua de graça.

Literatura não pode ser bem de consumo. A não ser que críticas e opiniões custem apenas isso.

Sua direitista.

Anônimo disse...

Quando vc vem ao Rio? bj grande

Anônimo disse...

que fofucho este post sobre mamis e mamis de gatinhos ówunnn

Anônimo disse...

Quanta contradição,há alguns dias atrás publica um texto sobre direito de matar fetos e hoje vem com esse papo de Dia das mães.
Hipocrisia desse bando de galinhas me enoja.

Valéria disse...

Gostei do vídeo abaixo, sobre como a mulher é retratada em propagandas, termina de forma divertida. Não sei se você já conhece:

http://www.upworthy.com/the-people-who-approved-these-ads-have-a-lot-of-explaining-to-do-6?g=2&c=sln1

Claudia disse...

Ai Lola! Vem pra BH!!!

lola aronovich disse...

Ha ha, anônimos das 17;04 e das 17:31, vcs são divertidos! São o mesmo troll? MIMEOGRAFADO! Vc é de que época, suflê? Já ouviu falar de internet?


Claudia, se vcs me chamarem, eu vou. Mas vou te confidenciar uma coisa: acho que vou pra Juiz de Fora bem no comecinho de junho. Serve?

Anônimo disse...

Anônimos estão certíssimos! Afinal, já que tu defende a opção de escolher ou não abortar isso significa que tu nasceu da junção do ar com a água, não de um homem e uma mulher...

E também não sei como o ser humano que comentou sobre capitalismo consegue viver, será que ele se deu de conta que terá que pagar a internet por estar comentando em seu blog?

Comentários não podem ser bem de consumo. A não ser que a minha diversão custe apenas isso.

Barbie Furtado disse...

Afff, La Mamacita é uma fofa! Manda um beijo pra ela por mim! :)

Anônimo disse...

Isso é ironico, ne? Por favor.

Maria Luiza disse...

Morrendo de rir do "seu Batista", na marcha do ano passado, num grito que falava de racismo e machismo, eu só cantava "rachismo"... Trava língua de protesto.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Tô ansiosa pela chegada do livrinho. Essa semana vai custar a passar, rs.
Abçs e parabéns para la mamacita, felicidades.

Ana disse...

Parabéns para la mamacita e sucesso para o seu livro!
(Mas eu ainda espero um livro sobre feminismo, com os melhores posts do blog! Acho que vc venderia 100 vezes mais!:))

Anônimo disse...

Lola, você não era vegetariana? Sempre achei que fosse. Acho até que já li você falando que era aqui no blog.

Grão da Noite disse...

Encontrei seu livro na Livraria Cultura. Lá dá pra comprar em 3 x sem juros no cartão de crédito. Pra quem tem o cartão de crédito da Cultura, dá pra parcelar em 6 x. Quem mora numa cidade que tenha Livraria Cultura pode optar por pegar o livro na loja (aí não precisa pagar frete). Aqui no site da Cultura: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=30215830 .

Teresa Villas disse...

Acredito que sou um dinosauro porque nao sei o que significa "cis" alguien pode me dizer? Mais um rotulo? Outro mais?


Sobre o post: sou um dinossauro machista porque discordo da autora, nao gostaria de ver um mundo unissex em tuuuudo, absolutamente tudo, para mim um homem afeminado é "broxante" (se pode usar essa palavra pra anatomia feminina?) e pessoalmente pro meu gosto estético e sexual músculo é coisa de homem. SINTO MUITO. Uma vez mais sei que vai me chover chuvas de pedras porque nunca me senti tão policiada e censurada como nos blogs feministas. Mas músculo pra mim é masculino. Um pouquinho em algumas mulheres ate vai mas nao arnold shuarzenegger, né ou seja lá como se escreve o seu nome.
Engraçado como feministas se contradizem.... Primeiro dizem que nao adianta fazer nada se alguém quer te estuprar te estupra, entao nao adianta vc ir vestida mais "decente" (mais chuvas de pedras agora) agora fazer lutas e musculação, sim que ajuda???
De todas formas muito músculo é feio. No meu ponto de vista.
Mas cada um que faca o que quiser, lógico, una vez mais nao to impondo a minha opiniao, apenas a estou dando.