segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

CRÍTICA: SENTIDOS DO AMOR / Fim do mundo, vamos nós!

Fui falar de alguns filmes sobre fim de mundo, e vocês me sugeriram dois filmes recentes que eu nem tinha ouvido falar. Obrigada, fui atrás.
O primeiro foi Procura-se um Amigo para o Fim do Mundo (veja trailer legendado), sobre um cara chato e caladão (Steve Carrel em papel sem graça) que, no mesmo mês em que um asteróide vai se chocar com a Terra e acabar tudo, se envolve com a vizinha (Keira Knightley), que por coincidência é lindinha e 25 anos mais nova que ele. Os dois se apaixonam e o mundo diz bye bye. The end. Contei algum spoiler?
Mas, como eu amo filmes com essa temática (apocalipse, não vizinhos românticos), fiquei pensando no que faria numa situação dessas. Pra começar, é uma vantagem que todo mundo vai morrer na mesma hora e não há nada pra se fazer, só esperar. E ainda por cima com mais de um mês de antecedência pra planejar tudo. Eu gastaria todo o dinheiro que temos guardado (ha ha, certo, minha índole jamais permitiria) e compraria uma geladeira a mais, uma poltrona último modelo pro maridão (é que já estou querendo comprar uma, só que mais simplezinha), e um monte de comida cara. Por isso seria necessário uma segunda geladeira. O problema seria alguém entregar esses itens em casa.
Daí eu me trancaria em casa com o maridão e minha mãe (não sei os planos dela para a ocasião), e comeria umas duas barras de chocolate por dia. Mais do que isso eu poderia passar mal. Mas o importante seria não ter mais que sair de casa até o fim, pra não correr risco de vida com pessoas iradas que só querem destruir -– e não estou falando dos trolls do blog! Quando não estivesse comendo, ficaria vendo séries e filmes na TV, lendo e fazendo sexo. O maridão achou o plano ótimo, mas duvida que meu estoque de chocolate duraria até o fim dos tempos.
O outro filme, Sentidos do Amor (em inglês, Perfect Sense, algo como Total Sentido), é muito melhor (veja trailer legendado). Passa-se em Glasgow, no início de uma estranha pandemia. Pessoas em todas as partes do mundo têm um ataque incontrolável de choro e, em seguida, perdem totalmente o sentido do cheiro. No meio do caos, uma epidemiologista (Eva Green) conhece um chef (Ewan McGregor). Ambos têm problemas pra se envolver amorosamente.
Essas reviravoltas românticas são o prato principal do filme, e quem sabe eu acharia mais fascinante se estivesse vendo um documentário. Sim, porque o jeito que o mundo vai acabar é dos mais terríveis ever. A humanidade vai perdendo os sentidos, um a um. Primeiro o olfato, depois o paladar, e não vou falar mais pra não entregar o filme. Mas a gente já sabe que, assim que perdermos a visão, ferrou. Já vimos em Ensaio sobre a Cegueira que um montão de cara com rei na barriga passaria a se comportar como os dementes da Ala 3.
Um dos temas interessantes de Sentidos é que, mesmo diante da tragédia mundial, muita gente faria questão de fingir que continua vivendo normalmente. Por exemplo, com a perda do olfato, depois de um período em que as pessoas deixam de ir a restaurantes, elas se adaptam enchendo a comida de sal e temperos. A comida tem que ficar mais forte, porque a sensação é de estarmos eternamente resfriados. Quando o sentido do gosto se perde, aí a comida para de dar prazer mesmo. É como se comessemos apenas farinha e banha pro resto da vida, diz um dos personagens. Mas as pessoas seguem frequentando restaurantes. Mesmo sem poder sentir a comida, elas sentem o ambiente, as amizades, as celebrações, o tim-tim dos copos brindando.  
Adoro a cena em que o dono do restaurante lê pra sua equipe uma crítica gastronômica. A crítica não fala mais de cheiro ou gosto, porque isso não existe mais. Porém, fala da consistência da comida, da cor, da aparência. Ou seja, a gente se adapta. E a população se divide em dois grupos: o que destrói, e o que conserta o que os outros destroem. Em qual você estaria? (eu estaria no grupo das trancadas no quarto sozinhas com o Ewan McGregor, pode?).
Também tem um subtexto bem legal que poderia ser explorado por outro filme: parece que nossas memórias estão intrinsicamente ligadas a cheiros. Sem lembrar olfatos, perdemos lembranças enormes das nossas histórias de vida.
Outra coisa que chama a atenção é que, antes da perda de um dos sentidos, uma reação-padrão é a de raiva suprema (os mascus podem explicar como é). A pessoa passa a xingar e quebrar tudo por alguns minutos. E o incrível é que, quando esse ódio surge, sua manifestação vem em forma de misoginia. Ewan diz pra Eva que, como todas as outras mulheres, ela não passa de uma vagina e um ânus, mais nada, só dois buracos. 
Tá certo que o personagem de Ewan é ambíguo (ele só não é um escrotossauro porque é interpretado por um simpático pedaço de mau caminho), mas não deixa de ser revelador que sua ira seja expressa através de ideias tradicionalmente machistas. Que é o que sempre acontece, né? A promessa de um fim de mundo não faz aflorar nossos mais nobres sentimentos. Ficamos piores, não melhores.
No caso de Sentidos do Amor, o cenário é apocalíptico demais pra gente pensar no que faria. O maridão disse que se mataria antes de perder todos os sentidos. Mas eu não. Eu estocaria a casa de comida e água até o limite, trancaria a casa pra ninguém entrar, e ficaria deitada, esperando. Esperando que todos os sentidos voltassem. Eu sou assim, uma otimista incorrigível.

49 comentários:

nina disse...

Eu gostaria de ficar trancada com o Ewan McGregor, óbvio. Dane-se o fim do mundo, haha.
Mais um filme pra lista. (não, o da keira eu não vou ver de jeito nenhum)

Mariana disse...

Lola, assisti 'Procura-se um amigo para o fim do mundo' no cinema. O Steve Carell é um dos meus atores preferidos e eu juro que não consigo criticar nada que ele faça... e a cena da aranha é engraçadinha, vai? rs

Abraços!!

Anônimo disse...

Em uma situação apocalíptica, as mulheres provavelmente seriam as primeiras a ver a vaca indo para o brejo.

Anônimo disse...

Não tem nada a ver com o post, mas recentemente li sobre uma criatura lendária, retratada em bestiários medievais, chamada "burrowing bicorn" ou "bicorne", um monstro com dois chifres que caça apenas maridos bondosos e dedicados, e por isso é muito gordo. Sua contraparte é uma outra criatura, chamada de "chichevache", come esposas obedientes, e por isso é extremamente magro e faminto. Não é engraçado?

Izabela de Lima disse...

Hahahaha, eu também ia ficar trancada com o lindo do Ewan McGregor <3
Vou procurar na locadora esse filme pra eu ver!

Rafaele Cristyne disse...

Não conhecia 'Sentidos do amor' (achei o nome péssimo). Obrigada, vou atrás.

Camila Fernandes disse...

Ah, eu sou apaixonada pelo Ewan desde Trainspotting! E acho ele e o Jonny Lee Miller lindos de morrer nesse filme. Sou da turma dos que ficariam trancados com o Ewan, wee \o/

Agora falando sério, o segundo filme parece legal. Vou procurar!

Carlos disse...

Amor = doença mental temporária...

Ju disse...

Por que Ano das 11:17?

--------

Eu não vou ver nenhum dos 2. Não gosto de filmes apocalípticos. Mas o Ewan é lindo mesmo.

...Família Colorida... disse...

Adorei as 2 críticas, Lola! "Procura-se um amigo para o fim do mundo" eu assisti já há algum tempo, achei bem divertido! Adoro a parte em que todos estão na lanchonete, se divertindo e inventando comidas e bebidas e, no fim, tudo acaba em sexo! rs! Agora "Perfect sense" eu nunca tinha ouvido falar e agora estou LOUCA pra ver! Obrigada pela dica!

Kenny Guilherme disse...

Que alegria ver vc falando de cinema novamente, Lola, sinto falta. Já anotei o nome desses filmes.

Bizzys disse...

Ai, Lola, eu queria ser otimista como você, mas acredito que, em tempos de apocalipse, as pessoas iriam se comportar como no filme "A Estrada". Do jeito que vai o mundo atual...

E só pra descontrair: eu também não ia achar ruim ficar trancada com o Ewan McGregor. :P

Luiza disse...

Nessas situações eu não sei o que faria. Mas se fosse o apocalipse zumbi, até plano traçado já tenho haha

Natália disse...

Falando em filmes...

Lola, o que vc acha sobre pornografia feminista? Acabei de ler isso aqui http://revistatpm.uol.com.br/revista/124/perfil/erika-lust.html e fiquei bastante curiosa. Nunca assisti a nenhum filme assim, acho.

Alguém aí conhece mais sobre esse tipo de filme? Indicações ou considerações?

Rose disse...

Apocalipse pior que isso?
Guru diz que indiana que sofreu estupro coletivo foi 'culpada'
http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2013/01/07/guru-diz-que-indiana-que-sofreu-estupro-coletivo-foi-culpada-481334.asp

Juliana Moraes Lacerda disse...

o que me levou à assistir P"erfect Sense" foi o talento do Ewan McGregor e a beleza da Eva Green.Baixei o filme por esse motivo, porque nunca tinha ouvido falar dele, mas achei sensacional...um dos melhores que assisti no ano passado.

Sara disse...

nada a ver com topico mas vejam se quando digo q TODAS AS RELIGIÕES , tratam a mulher como inferiores e lixo, cada dia mais tenho provas disso.

http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2013/01/07/guru-diz-que-indiana-que-sofreu-estupro-coletivo-foi-culpada-481334.asp

Hamanndah disse...

E você, querido anônimo, que não honra seus culhões para colocar seu digníssimo nome no comentário, é outro covarde que também não teria coragem de se virar em uma hipotético cataclisma mundia. Deve ser outro que vai para o brejo junto com a mulherada..e as vacas suas amigas...Que as vacas sejam livres de você!!

Vivi disse...

Lendo o texto pensei o mesmo que você..hehehe.."O problema seria alguém entregar esses itens em casa."
Quem iria trabahar pros outros num fim de mundo??rs

Sobre fim do mundo tem o Melancolia tb, do tenebroso, mas talentodso Lars Von Trier. De cara que me lembro sobre filmes apocalipticos o que mais gosto é do Ensaio sobre a Cegueira (lembro que vc já postou sobre, mas não me lembro do que vc achou.)
Abraços Lola

disse...

"eu estaria no grupo das trancadas no quarto sozinhas com o Ewan McGregor, pode?" - Lola, leio seu blog sempre, concordo com muita coisa, compartilho/perturbo as pessoas até elas lerem também, mas HOJE, com esse comentário, você definitivamente ganhou todo o meu amor! =]

Ana disse...

Anônimo das 11:17, não entendi...

Monica Cristi disse...

Só sei que, quando o mundo finalmente estiver acabando, a mulher do Ewan McGregor terá que escondê-lo em algum calabouço, já que a fila de interessadas em tirar uma casquinha será longa, muito longa...
Concordo que a iminência do fim fará aflorar o que há de pior nas pessoas. Claro que o instinto de sobrevivência é quem falará mais alto. Vide "A Estrada", aquele filme em que pai e filho, vagando num planeta praticamente morto, quase são capturados por um bando de canibais armados. E nem dá pra demonizar o tal bando: se a civilização foi pro brejo e já não há comida em parte alguma, aqueles que não quiserem se matar terão mesmo que virar animais em nome da sobrevivência.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Lola, nada a ver com o post, mas olha que interessante essa matéria:

http://blogs.estadao.com.br/sinapses/as-ultimas-virgens-da-albania/?doing_wp_cron=1357594864.5504190921783447265625

Abçs

Ju disse...

Fica aqui a nossa torcida para o chichevache morrer de inanição.

Mayara B disse...

Lola, não achei um local que pudesse te contactar sobre temas do blog. Se você ler o comentário, não precisa nem aprová-lo de fato. Agora há pouco ocorreu um caso em SP de uma menina dopada e estuprada em uma festa de final de ano de sua empresa e que depois se matou. Aqui no rio ocorreu a mesma coisa, mas não vai ser manchete de jornal porque há sigilo médico envolvido. A menina acordou nua com um cara do trabalho do motel e voltou amedrontada para casa. A mãe não acreditou nela e a empresa a afastou. Está tomando coquetel antiHIV e antidepressivos. Seria legal se você fizesse uma matéria sobre esse tipo de caso, pois as pessoas (inclusive da minha familia) acham que é apenas desatenção das meninas com seus copos e não percebem que o fato envolve uma relação de poder no ambiente de trabalho entre os gêneros. Espero que curta a ideia! Beijos

Anônimo disse...

Olha que notícia bizarra!

http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2013/01/07/adolescente-se-tranca-em-quarto-para-nao-consumar-casamento-com-idoso-481350.asp

O pior é que o velho teve a cara de pau de querer processar a família da garota que só tem 15 anos!


Sawl

Anônimo disse...

@Hamanndah, eu apenas disse a verdade, sem fazer nenhum juízo de valor.

Anônimo disse...

Eu me mataria antes de perder todos os sentidos.

Edson disse...

Que surpresa ler uma crítica inédita da Lola depois de tanto tempo sem críticas de cinema.

Sentidos do Amor parece ser muito bom mesmo. Fiquei com vontade de assistir.

luiz disse...

Mulheres admirando a beleza masculina: emancipadas que sabem o que querem.

Homens admirando a beleza feminina: machistas opressores que impõem um padrão de beleza que oprime as mulheres.

Anônimo disse...

Lola, gosto bastante do teu blog. Mas achei as análises bem pobres. Achei que você poderia ser mais crítica, fiquei esperando hipóteses para o maior aparecimento desse tipo de filme nos últimos tempos. Mas nada. Você ficou coladinha no enunciado do cinema. Fiquei decepcionada. Espero que a crítica seja construtiva.

Ju disse...

Ô anon, explique-se a sua verdade para nós. Nós não vamos julgar seu valor aqui, não. Seu bundão. Ops...

...Família Colorida... disse...

Assisti há alguns minutos "Perfect Sense" e confesso que desde os primeiros minutos do filme meio que torci para rolar mesmo um apocalipse. A personagem principal jogando pedras nas gaivotas, aquele monte de animais presos para serem usados em pesquisas e muitas outras formas de estupidez mostradas no decorrer do filme me fizeram questionar se a humanidade tem jeito ou se o único jeito é mesmo o fim. Será que mesmo com tantas adversidades o ser humano é incapaz de raciocinar sobre a forma que interage com o mundo e com a natureza? Sou um pouco descrente, admito.

Mas é um bom filme! Agradeço mais uma vez pela dica!

Sara disse...

Se eu tivesse certeza q o mundo acabaria, não faria nada diferente do q eu ja faço, vejo muita gente dizendo q queria fazer coisas q nunca fez, mas q sempre teve vontade, bem esse não é o meu caso, apesar dos pesares faço tudo q me da na telha, mesmo muitas vezes pagando caro por isso, e vou continuar assim até onde der.

Priscila disse...

luiz, sabe qual é a diferença?

É que ninguém aqui vai alegar que você só fez esse comentário por ser um feio malcomido que morre de inveja dos galãs do cinema.

Podemos - e vamos - alegar que você o fez só para trollar e encher o saco, mas aí já é outra história. ;-)

Mirella disse...

boa indicação de filme (o Perfect Sense, obviamente)! A Keira com esse velhinho do Carrel? #mepope


Meu pesadelos apocalípticos sempre envolvem guerra nuclear. Acho que de tanto estudar Guerra Fria na faculdade fiquei com algum trauma não resolvido hehe.
Vou anotar aqui para ver, fiquei curiosa!

Anônimo disse...

"Um guru espiritual provocou revolta na Índia por um causa de um comentário bizarro: segundo Asaram Bapu, a estudante de 23 anos que sofreu estupro coletivo em um ônibus e depois morreu em um hospital foi tão culpada pelo crime quanto os seus agressores.

"Apenas cinco ou seis pessoas não são réus. A vítima é tão culpada quanto os seus estupradores. Ela deveria ter chamado os agressores de irmãos e ter implorado para que eles parassem. Isto teria salvado a sua dignidade e a sua vida. Uma mão pode aplaudir? Acho que não", disse Bapu, de acordo com a imprensa indiana.

Mais: o guru afirmou que a estudante, identificada como Jyoti Singh Pandey, deveria ter sido mais gentil com os seus algozes se quisesse preservar a sua vida!"

Isso sim, é o fim do mundo!!Religião parece ser o refúgio dos canalhas!!!

Renata disse...

Lola, gente, tô embasbacada!

http://br.noticias.yahoo.com/guru-indiano-culpa-estudante-v%C3%ADtima-estupro-coletivo-104200802.html

"'Esta tragédia não teria acontecido se ela tivesse evocado o nome de Deus e caído sobre os pés de seus agressores. O erro não foi cometido apenas de um lado', declarou o líder espiritual em vídeo publicado na internet."

Mas que diabos esse guru tem na cabeça?!?! Santa m*rda Batman! Ainda bem que praticamente todos os comentários são reclamando do comentário do "líder espiritual".

Anônimo disse...

Mulheres seriam as primeiras a morrerem porque são fisicamente mais fracas, simplesmente por isso. Com o mundo caindo aos pedaços, quase ninguém iria se preocupar com essa história de "mulheres e crianças primeiro". Com as pessoas vendo o fim se aproximando, muitos perderiam a cabeça, haveriam saques, assassinatos, violência, estupros, e as mulheres estariam entre as primeiras a pagarem o pato, juntamente com crianças e idosos. Isso é um fato.

"Bundão", quanta maturidade, heim?

Anônimo disse...

luiz, a diferença é q homens nao sao tratados como objeto o tempo todo e em qualquer situaçao. apreciarmos a beleza dele aqui nao nos impede de respeita-lo como pessoa, como ator, avaliarmos o trabalho dele, nem q ele receba premios pelo desempenho e possa envelhecer e engordar em paz. ele nao é convidado para fazer papeis decorativos, apenas para fazer papel romantico com protagonistas, sem grandes falas. ele tb nao é capa de revistas de fofoca toda semana como um judas pronto para apanhar. ele ja tem mais de 40 e ainda encontra papeis interessantes, sem ser coagido pelos agentes a fazer plastica. fora q cá estamos nós babando por esse cara de 40, sem enfatizar a idade dele, enquanto as atrizes de 40 sao tratadas como "milf", "panela velha q ainda da um caldo", "coroa gostosa" ou simplesmente como velhas, acabadas, bruxas, etc. se vc nao consegue enxergar a diferença, azar.

Anônimo disse...

quanto ao filme do carrel e da keira, eu até queria ver, achei q ia ser uma relaçao de amizade (procura-se um AMIGO, oras), mas depois de saber q é mais um filme onde um homem sai com uma MPDG, e suga a jovialidade/infantilidade dela, para se sentir bem consigo mesmo, affff dispenso.

Anônimo disse...

sobre filmes de fim do mundo: nao curto muito, não... justamente pq nao gosto de ver o pior q ha nas pessoas (eu ja acho todo mundo podre naturalmente, nao preciso ver isso). gosto de filmes que me fazem ter fé na humanidade

agora eu fiquei interessada na critica q a anonima ali fez, q esperava "hipóteses para o maior aparecimento desse tipo de filme nos últimos tempos" (7 de janeiro de 2013 21:22). oq exatamente vc pensou? compartilha com a gente, poxa

e, na boa, n tem pq ficar decepcionada pq a lola n falou disso. talvez vc esteja idealizando demais e com expectativas mto altas sobre ela, como se ela estivesse num patamar acima de nós e capaz de tecer criticas q nós nao conseguimos captar. se vc notou esse fenomeno, pq nao fala sobre ele?

Anônimo disse...

http://www.vanityfair.com/online/oscars/2012/06/seeking-a-friend-for-the-end-of-the-world-movie-review


"The twist in Seeking a Friend for the End of the World is that this time the Manic Pixie Dream Girl is redeeming the tired soul not of Orlando Bloom or Joseph Gordon-Levitt but of a man old enough to be her father, which is the one and only Woody Allen–ish thing about the film.

That’s pretty much the extent of her character: she likes vinyl, which isn’t even kooky anymore.

Why would a female writer-director make a Manic Pixie Dream Girl movie? I don’t know. Stockholm Syndrome?"

Anônimo disse...

Eu estava reparando esses dias como é super corriqueiro isso nos filmes de hollywood,homem mais velho se envolver amorosamente com mulher bem mais jovem e passar despercebido essa diferença de idade,como se fosse algo natural,já ao contrário eu não me recordo ter visto e também se acontecesse seria mais tratado como um caso a parte,uma anomalia,algo sem futuro,etc,não sei se deu pra me entender.Também adoro o Steve Carell,meu marido diz que ele é um comediante sem graça,mas eu acho que ele é um outro tipo de comediante,com certeza não é o tipo que te faz rolar de rir tipo Jim Carrey(que eu também adoro)mas acho ele super carismático e fiquei apaixonada pelo personagem dele em Pequena Miss Sunshine.Ah,só mais uma coisa Lola,esses dias tava lendo suas críticas antigas,2006,2007 e tava rolando de rir aqui,sei que você tem pouco tempo livre mas se conseguisse escrever com mais frequência seria bacana,

Beijos!

Ju disse...


Vc tá dizendo que o mundo ia acabando e os homens iam matando as mulheres? Mas não precisa do fim do mundo pra isso, filho.. Ou já estamos no apocalipse e eu não to sabendo?
Outra coisa, esse negócio de mulheres e crianças primeiro NUNCA EXISTIU. Isso é balela, tá? No meio da desgraça é sempre salve-se quem puder.. e não precisa ser o mais forte, um 38 ou uma faca afiada já ajudam bastante.

ps: chamei de bundão por que a Lola não gosta de palavrão. Tive medo dela não aceitar meu coment. Queria ter chamado de outra coisa :)

Marco Antônio disse...

Péssima análise. Você certamente não entendeu o filme. O filme é muito mais PROFUNDO que a mera misoginia de um personagem. ELA também é misógina na hora de sua raiva - 'destrói' apenas de sua vida profissional, em uma clara manifestação feminista. Mas pense na relação entre cada manifestação que precedia a perda de um sentido e o sentido perdido: há uma relação entre eles. E pense também na relação entre os diferentes significados da palavra 'sentido' (os mesmos da língua inglesa). O filme é sobre ISSO, naõ um romance. Mas isso não está ao alcance de quem só vê blockbuster americano. Melhor você se limitar a desejar o bíceps do ator principal mesmo.

Mariana disse...

Achei Os Sentidos do Amor uma decepção.. pra mim a ideia é boa,mas faltou sensibilidade para apresentar o tema. E filme sobre o fim do mundo, para mim, o melhor é Melancholia!

Mariana disse...

Não gostei de Sentidos do amor, para mim, decepcionou.. esperava coisa melhor.. achei a ideia boa, mas o roteiro fraco, faltou sensibilidade para tratar o tema.. pra mim,o melhor filme sobre o fim do mundo é melancholia!

Anônimo disse...

Assisti o filme "Sentido do Amor" na escola. Adorei! A professora pediu para os alunos e pra mim fazer um resumo. Bom, já que não sou muito boa nesse assunto, resolvi pesquisar na NET. Encontrei a Sinopse do filme no Google, até pensei em copiar do seu BLOG, mas é grande de mais (risos). Inclusive, a impressora de meu pai está sem tinta, por isso não copiei. Mas ficou Show de Bola. Parabéns...