sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

SÍNDROME DO SAPATINHO DE CINDERELA

No magnífico episódio 22 da terceira temporada de Modern Family, a galera vai pra Disney. Antes da viagem, Jay chama a atenção de Gloria, e lhe pergunta se ela realmente deseja ir a um parque de diversões usando salto alto. Afinal, eles terão que andar um monte no parque! Gloria, ofendida, responde que os saltos não a impedem de caminhar, e que ficar linda exige sacrifício e vem em primeiro lugar.
Ao mesmo tempo, Cam e Mitch enfrentam graves problemas com a rebelde Lily, de 3 aninhos. Assim que soltam sua mão, ela sai correndo pra todo canto. O negócio é tão sério que eles colocam uma coleira nela, atraindo olhares de reprovação de todo mundo.
Pouco tempo depois, Gloria já não aguenta mais caminhar com os saltos, mas não quer se dar por vencida. Então Jay a presenteia com ridículos e enormes sapatos da Minnie. Eles são feios, mas macios e confortáveis, e Gloria não resiste. Ela pergunta: “Será que eles vem em outras cores?” Jay descobre que o que faz Gloria tão irritada às vezes é o sofrimento que os saltos altos lhe causam.
E Jay também tem uma ideia brilhante pra resolver o problema das fugas de Lily: ele lhe dá um par de sapatos com salto. Assim que a bela menina de 3 anos os põe nos pés, ela percebe que não consegue mais correr. Até pra andar tem dificuldade. Pronto! Cam e Mitch não precisam mais usar a coleira! Agora eles contam com um outro meio pra controlá-la. E, melhor ainda –- Lily não verá isso como controle. Ela gosta! Ela se sente mulher.
É como Caitlin Moran fala em seu bestseller Como Ser Mulher -- pelo jeito, pra nos sentirmos femininas, temos que usar salto alto. Moran nota uma peculiaridade: nos casamentos, todas as mulheres aparecem de sapato de salto, mas, assim que a festa esquenta, tiramos os sapatos (“a carne do pé escapando pelas beiradas do cetim apertado; dedos dos pés que ficam entorpecidos até dias depois”).
Moran faz uma lista dos sapatos que deixou de usar: “Prateado, de amarrar na canela, salto anabela, Kurt Geiger. Eu usei: uma vez, em uma cerimônia de premiação. Recebi três elogios -– OBA! -–, mas também observei que com eles eu andava de um jeito menos feminino e confiante que a dama Edna Everage, de 82 anos, que também estava no evento”.
Moran diz que todas as mulheres têm estoques de sapato de salto alto que nunca usaram ou só usaram uma ou duas vezes, pra nunca mais. Ela explica:

“Por que esses sapatos não são usados? Moças, vou deixar tudo bem claro. Vou dizer uma coisa que fui percebendo gradativamente ao longo de treze anos e que todas nós já percebemos, ainda que em segredo, na primeira vez que calçamos saltos altos: só existem dez pessoas no mundo, no máximo, que de fato devem usar salto alto. E seis delas são drag queens. O resto de nós simplesmente tem que... desistir. Entregar-se. Finalmente aceitar o que a natureza nos diz. Não dá para caminhar com eles. É IMPOSSÍVEL ANDAR COM ESSES SAPATOS MALDITOS. É o mesmo que usar botas antigravidade ou patins.
“As pouquíssimas que conseguem caminhar com elegância em cima deles ficam maravilhosas, é claro –- andar de salto alto é uma habilidade tão impressionante como saber andar na corda bamba ou soprar anéis de fumaça. Admiro quem faz isso. E desejo tudo de bom a essas pessoas. Eu gostaria de ser assim. Mas trata-se de uma minoria minúscula. Todas as outras pessoas -– a ampla maioria -–, ficam inversamente elegantes em relação ao que pensam quando compram sapatos assim. Arrastamos os pés, torcemos o tornozelo, não conseguimos dançar e fazemos careta o tempo todo, enquanto resmungamos por entre os dentes: MALDITOS sapatos. Meus pés estão me matando.
“Resolvi que, essencialmente, estou em greve em relação aos sapatos femininos. Vou deixar de lado todo esse mundo até que os estilistas criem um modelo com que seja possível caminhar por mais de uma hora com o gingado fácil de quando Gene Kelly vai começar a dançar, sem passar um dia inteiro sentindo dor depois. 
"Tenho plena consciência de que minhas exigências representam uma minoria desprezível no momento – ninguém pode saber quanto tempo vão durar os efeitos colaterais que uma década de Manolo Blahnik em Sex and the City causou na sociedade -–, mas estou muito determinada na minha decisão. Afinal de contas, já vi as fotos dos pés descalços cheios de joanetes de Victoria Beckham. Não quero ter pés deformados.” (152-4).

Faço minhas as palavras de Moran. Chega de sacrifícios extremos em nome de um padrão de beleza. Por que botaram na nossa cabeça que é elegante e charmoso coxas e calcanhares acabarem na pontinha dos pés, com os dedos trucidados por sapatos em que mal cabem três dedos, quanto mais cinco?! Nosso pé descalço tá muito mais pra leque que pra funil. Então por que se submeter a cirurgias estéticas pra entrar nesse padrão? Não são os pés que devem ser reconstruídos pra caberem em sapatos cruéis. São os sapatos que devem deixar de ser cruéis. São eles que devem se encaixar confortavelmente nos pés, e não o contrário.
Parece uma síndrome fetichista à la Cinderela, não parece? Nós temos que permanecer imóveis, decorativas, esperando que um sapato pré-fabricado se encaixe nos nossos pés. Só assim encontraremos nosso príncipe encantado! Mas fingiremos sorrindo que ele é que nos encontrou.
Faz muitos anos que não uso salto e nem tenho mais sapato alto. Mas sei que todas as vezes que usei salto alto em algum evento com pessoas conhecidas, sem exceção, fui elogiada por estar usando salto alto. Quer dizer, sempre pelas mulheres: “Que linda que você fica de salto!”, ou “Viu? Viu? Custa muito usar salto alto de vez em quando?”. E sempre me pareceu uma espécie de doutrinação. Elas estavam tentando me convencer, e convencer a si mesmas, que pra ser mulher é preciso sofrer com sapatos que não são humanos.
A segunda fala que me lembro na vida sobre sapatos foi quando eu era jovem e bela e estava com um vestido preto curto e um amigo me elogiou. Eu, um tanto deficitária em relação a receber elogios, reclamei: “Que linda o quê?! Meu sapato [que não era de salto] tá furado!”. E ele, olhando no fundo dos meus olhos, muito sedutor, respondeu: “Lola, nenhum homem vai olhar pro teu sapato”.

79 comentários:

Anônimo disse...

O/A infeliz que inventou o salto alto,para mulheres, deve ser o mesmo que inventou a gravata para homens, são duas porcarias que não tem serventia pratica nenhuma !

Vivi disse...

Ai Lola, tô adorando este post sobre salto alto!
Como disse no outro post, tenho certeza que vai ter gente que vai pensar "ai gente, mas se elas se sentem felizes asism,por que não?"..rs
Mas é duro pensar que haja felicidade em ter sua caminhada -condição básica do ser humano- limitada, apertada, dolorida e reduzida en nome da "beleza".
Vivemos dentro de limites e não há liberdade absoluta (quem não gostaria de andar pelado por aí?), mas quando estes padrões tem por pressuposto a dor (pé, coluna etc) a deformação (do pé)é sintoma de que a sociedade continua opressora e precisamos mudar!
E concordo tb, como podemos achar bonito algo que machuca? Beleza é construão social, eu sei, mas fico feliz por não achar bonita uma mulher só porque ela está de salto.
Abraços




Mirella disse...

E se quiser olhar pro meu sapato, pode olhar. Pode olhar pro tenis tipo all star que to usando, que foi preto mas agora tá desbotado do tanto que tive que lavar pra tirar lama dele, de uma trilha de cinco horas embaixo de chuva em Paranapiacaba. E que depois de toda a tortura pela qual passamos nesse fatídico dia, agora é o tênis que mais abraça meus pés e trata ele com todo carinho do mundo, ahahaha. Pode olhar, que pra mim a sensação é de estar descalça e protegida. Totalmente in love com meus tênis <3

Monalisa disse...

Eu adorei o tema dos pés nesses dois posts que você fez a respeito. Parabéns! Só tenho um ponto a levantar, o que você acha de Caitlin Moran? Eu vi que você a citou muito e eu pessoalmente não a suporto, além de ser racista e utilizar termos ofensivos a outros grupos oprimidos, quando questionada sobre isso ela apenas jogou no ar um 'Não ligo' bem grosso. Eu realmente queria gostar dela, assim como eu queria gostar da Lena Dunham e do seriado Girls. Mas dá pra considerar tanto assim uma "feminista" que só se importa com as questões relativas ás mulheres brancas de classe-média? Eu não consigo.

Anônimo disse...

haha, genial o final desse post!

miss m disse...

ah, sinceramente q eu acho q depende do salto. Tem saltos confortáveis.Tem saltos q n são. Amo sambar, e sambar n é a mesma coisa sem salto!Mesmo de sapato baixo, vc acaba ficando em meia ponta para sambar!Agora, de fato, ficar andando com algo q está doendo, incomodando , só por conta do glamour...aquela menina do sex and the city disse q simplesmente n sente dor no pé mais, de tão destruido q o pé dela está.Meu...aí sem chance...

Pili disse...

Lolinha arrasando \o/

Bom, eu aaaaacho que ando numa boa de salto (deu medo agora, será que também pareço uma equilibrista mal sucedida??). Além de gostar de me sentir mais alta eu não sofro calçando e me sinto bem livre pra usá-los quando me interessa. E quando me interessa apenas.
Mas isso da integridade dos pés é muito pessoal, como todas as outras questões de saúde.
Os meus pés escaparam absolutamente ilesos de décadas de sapatilha de ponta e salto alto. Nem por isso eu sou louca de sair por aí dizendo que isso é uma prova de que não faz mal. Sei que além de muito cuidado eu também tive muita sorte pois naturalmente os meus pés já tinham um formato que me permitia desenvolver esses hábitos.
Da mesma forma, alardear o uso de "rasteirinhas"
como se fosse alguma panacéia para os pés é uma mentira deslavada. Pra MUITA gente a sola inteiramente plana e rente ao chão vai resultar em uma série de danos na coluna, dificuldades no retorno sanguineo, dores, etc...
Enfim,
o problema não é o pé. Mas também não é o sapato. O problema é exigir exclusivamente um determinado sapato que não vai atender a quase ninguém.


Anônimo disse...

Lola, fora do tópico, sobre a notícia de uma vítima de estupro coletivo na índia que cometeu suicídio...

Acho incrível como as pessoas que comentam nessas notícias criticam a Índia como um país atrasadíssimo, sem enxergar que agimos praticamente da mesma forma no Brasil... (ex. recente das meninas estupradas pela new hit). É muito triste esta cegueira.

nina disse...

Amei o post.
Há uns anos só usava sapato de salto em eventos tipo formatura e casamento - e isso significava usar salto uma ou duas vezes por ano. Mas já foi esse tempo. Passei pra frente o último sapato de salto que tinha no meu armário no fim do ano passado, e não me fez nenhuma falta.

Minha mãe, irmã, amigas...todas falam: não acredito que vc não vai de salto. "Mulher tem que usar salto"
E olham pra mim como se eu estivesse - o horror! - terrivelmente não feminina sem salto. Onde já se viu, eu sou baixinha, tenho que usar salto.
Minha rebeldia começa aí, quando alguém diz 'tem que', eu digo 'não tenho que nada'.

Digam o que quiserem, mas saltos, nunca mais.

Anônimo disse...

Ah eu sou que nem a Gloria, fico mtoo mal humorada de salto, por isso decidi sair pras baladas sem salto e bem humorada! E dessa vez vamos queimar salto alto!! hauhuahua

Luiza disse...

Eu tenho muita sorte. Quando era adolescente descobri o metal e o gótico, mudei meu estilo antes indefinido e descobri o que realmente gosto.

Só uso sapatos de salto em festas. De resto, só All Star e coturnos. Nunca me senti menos mulher que ninguém, principalmente porque sempre tive horror a ser igual a todo mundo.
Todas as minhas amigas seguindo o padrão da sociedade e eu sendo diferente. Não uso bolsas - não tenho nenhuma, acho todas bregas demais - mas gastei um bom dinheiro numa mochila de marca cheia de bolsos que me permite uma organização ímpar, ao contrário das bolsas.

Mesma coisas com os sapatos. Uuuugh, eu vejo as mulheres falando "ai que lindos" e eu fico "Meeooo Deooos, que coisa BREEEEGA". Brega demais. Não dá. Não uso. Gosto do meu estilo e gosto de ser diferente, e gosto quando as pessoas apontam isso, porque empino o nariz e sei direitinho virar o jogo e fazê-las se sentirem cafonas.

Se eu fosse me importar com tudo o que dizem, eu não viveria. E na minha vida mando eu, nos meus pés mando eu. Neles, saltos não entram.

Cláudia disse...

Amei esse final! Por qual motivo alguém vai se preocupar com o sapato que o outro usa se a beleza está nas pessoas e não no que elas vestem. A Camila Pitanga é uma atriz linda, mas não faço idéia do que ela coloca nos pés. O Brad Pitt é maravilhoso! E quem se importa como são os pés dele ou o que ele calça? E olha que estou falando apenas da aparência física (que pode ser bela ou não, de acordo com o padrão cultural). Porque o que conta é poder ter uma conversa agradável com alguém e ao se despedir ter a certeza de como essa pessoa é bonita!

Giovana disse...

Eu uso salto alto, mas só um ou outro modelo. Tem que ter salto grosso e espaço suficiente pra todos os desdos com folga. Assim eu consigo andar por horas, dançar, etc. Essa história de repressão e sacrifício tem suas exceções...

Ju disse...

Realmente sapato de salto é um tormento, mas eu acho tão lindo! Sei que fui condicionada a isso, vai demorar um tempo pra me libertar. Fico namorando os sapatos de salto alto na vitrine, mas não compro porque sei que não tenho condições de andar com eles. Recentemente fui num casamento e usai um sapato que tinha há uns 3 anos, segunda vez que usei, e o sapato machucou meu pé, não exatamente o salto pq fiquei sentada a maior parte do tempo, mas ele machucou meu pé do lado, fiquei com a marca uns 2 dias. Esses sapatos não feitos pro nosso conforto. Apesar de que já tive um sapato com salto anabela, era até alto, mas eu achava muito confortável.

Ju disse...

Lola vc ainda é jovem e bela. Conserta essa parte do texto aí.

Ju disse...

"Ainda bem que homem pode se sentir bonito de todo jeito. Mulher, só debaixo de toneladas de roupas da moda e maquiagem. Tenho pena de vocês."

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Valeu, mascu anônimo. Meu coração até se aqueceu com essa demonstração fofa de empatia.

GLStoque disse...

De uns tempos para cá parei com a vigilância em cima das minhas amigas.

Nunca fui muito ligado na questão de que mulher tem que usar salto. Até porque, não dá para correr, não dá para andar sem alguém do lado para encostar... essas coisas. Nada me irrita mais do que ir para um evento na rua como Carnaval, Parada Gay e ter que sentar ou ir embora porque as coisinhas estão com os pés doendo porque não puderam deixar de sair de salto.

Não falo delas como culpadas, mas disso que impuseram (quem né?) de que mulher têm que usar 'pelo menos um saltinho'. Aff.

E porque homem não pode? Será porquê? Se fosse bom... acho que usariam.

Será que existe um sapato de salto confortável? Fiquei com essa dúvida... será que cientificamente falando há alguma forma de fazer um sapato de salto que seja anatômico? Pensei nisso quando a colega aí de cima disse que prefere sambar de salto... e realmente, o sambar de salto é mais fácil. Falo por experiência própria. Não o exercício, porque o pé fica moído, mas o passo, o deslizar é mais fácil.

Não deve existir, porque os profissionais de dança, raramente usam. Sei lá.

Sei que minha filha não vai ouvir essas coisas. E nem mais as minhas amigas.

Mulher tem é que andar... não, pelo menos um saltinho.

GLStoque disse...

Nó... lendo o resto dos comentários, me esqueci de falar. E as bolsas hein?

Eu sempre ando de mochila. Sempre. É parte do meu corpo. Troco mais ou menos a cada dois anos ou enquanto durar.

Agora, mulher tem que ter bolsa, né? Que não cabe nada, é difícil de carregar, não tem organização e ainda é julgada pelo estilo. Como assim?

Agora pensei na minha mãe que anda com um monte de sacola, mais a bolsa porque na bolsa não cabe nada. E não pode usar mochila, porque é coisa de criança (de menina, só se for rosa) ou de homem. Como assim?

Caroles disse...

eu tenho uma formatura para ir dia 11 e tô atrás de uma sapatilha ou rasteirinha bonita pra usar! quero dançar e de salto NÃO DÁ! e não sou alta, sou bem baixinha... e outra: quem disse que salto é elegância? nada a ver! prefiro comprar um sapato que vou usar de novo e muito :)

Bruno disse...

Salto alta é para mulheres exuberantes. O restante deve mesmo se contentar com uma rasteirinha.

Digamos que nem vale a pena tentar equilibrar certas formas corporais sobre sapatos tão especiais, né?

Anônimo disse...

Concordo com o anônimo das 10:50. A exigência desse tipo de vestuário num pais tropical como o Brasil é o cúmulo. É muito sadismo!

Cássia disse...

O maior símbolo de elegância ainda é a Audrey Hepburn e ela andava de sapatilhas ou saltinho. Eu uso salto de vez em quando, aqueles saltos mais grossos. Salto fino, nem pensar, não consigo ser feliz usando aquilo.

suelen disse...

em toda a minha vida acho q só usei salto umas 3 vezes e n pretendo usar mais.
n sei andar com isso,meu pé parecia q ia cair,doendo muito.

eu acho qualquer salto ruim,os mais finos,os grossos,aquela sandalias altas tb,uma vez quase torço o pé com elas.

só uso rasteirinha ou sandalia q tb me machuca mas n chega nem perto do estrago q o salto alto faz,eu queria mesmo é andar descalça.
a unica cisa q eu uso e q n dói nada é chinelo.

e o q me irrita é q os sapatos mais bonitos são os de salto alto,deve ser mais um truque pra obrigar as mulheres a usar isso.

que eu me lembre,só me condenaram uma vez por n usar salto,minha prima disse q eu tinha q usar pq é mais feminino,eca!

e ela usa pq é baixinha e quer parecer mais alta,qual o sentido disso,assim q ela tirar vai continuar do mesmo tamanho.

e a verdade é q poucas conseguem andar direito com salto,a maioria parece pato andando,uma coisa horrosa.
ficam com as pernas arqueadas kkkkkk muito estranho.

suelen disse...

GLStoque lembrou bem,ainda n sofri pressão pra usar salto mas com bolsa foram várias vezes.
eu odeio bolsa,vc tem q ficar segurando na mão,n cabe nada e é uma mais feia q a outra.

eu uso mochila mesmo,aquelas q tem alça de lado e vc poe nos ombros.
minhas mãos ficam livres.

mas isso n importa,a gente tem é q sofrer só pra parecer mais bonitinha,é um absurdo mesmo.

Anônimo disse...

Hahaha Lola, o primeiro comentário e o post fez com que eu me lembrasse da minha formatura do colegial.

Eu não tenho sapato de salto, mas para tal ocasião eu tinha que ter. Então pedi o da minha prima emprestado. Só que o número dela era maior. E como minha mãe também não usa salto, tive que usar aquele mesmo. Soquei o sapato de algodão e fui pra festa. Mesmo com quilos e quilos de algodão socados no sapato, ainda doeu. E pior, o pé suou e o algodão grudou na pele e na hora de tirar o sapato pra dançar foi algo meio cômico HAHAHA.

Meu amigo sentou na mesma mesa que a nossa e quase arrancou a gravata na faca. Ele queria ir sem, mas segundo o pai dele fica "parecendo coisa de bêbado" [?].

Anônimo disse...

Realmente, isso é total convenção social, pq usar saltos? desde crianças queremos usar! Tem uns modelos horríveis, aquele com o bico machuca o meu pé demais!

Mas não tem como, eu os acho lindos e amo usar, mto de seus danos vêm da má escolha...

Um grande erro é comprar números abaixo do seu- alias, o recomendado é comprar um número acima, já que ele tende a encolher... Tbm normalmente doem menos os fechados que seguram melhor o pé.

Luiza disse...

GLStoque

Ai, não dá mesmo. Bolsa, não. Acho todas feias demais e enrugadas, não tem espaço pra nada.

Aqui em São Paulo, no metrô, eu vejo bastante mulher com mochila, pelo menos isso.

Eu paguei bem caro na minha, mas dura pra caramba e a assistência técnica é muito boa. E, por ser de marca, o estilo é lindo, não é aquele pedaço de pano costurado das mochilas genéricas.

E sapato de salto... ai, não dá. Só em poucas ocasiões.

Monica Cristi disse...

Pra quem se liga nesse lance de feminilidade, existem sapatilhas lindas e delicadas, bordadas, com lacinhos, bolinhas, uma graça. Salto alto só serve pra quem vai e volta das festas de carro - com motorista, por supuesto -, e não pretende dançar nem sair do lugar por nada desse mundo. Acho que já tem uns quinze anos desde que usei salto alto pela última vez. Aliás, com o dinheiro gasto num bom sapato dá pra comprar uma porção de Molecas... E pra concluir, concordo plenamente que as drag-queens são das poucas que conseguem manter a pose sobre esses sapatos que se vêem nas vitrines hoje em dia.

Liana hc disse...

Hoje em dia só uso sapato baixo, mas que siga as curvas dos pés. Aqueles modelos totalmente retos também não são muito confortáveis. Pra falar a verdade o que eu gosto mesmo é de chinelo, melhor que isso só pisando descalça num tapete super fofo.

Já as bolsas, eu uso quase sempre que saio. Só tenho aquelas tipo carteiro e uma mochilinha esportiva. E tô bem servida com elas.

Ângela disse...

Realmente, também acho que, se uma mulher usa salto e sofre com isso, só para atender a um padrão de beleza, ela está totalmente errada. Mas, de outro lado, não acho correto esse preconceito extremado que muitas pessoas têm contra o salto alto. Eu adoro um salto, mas, óbvio, não aqueles usados pelas drags, que não cabem no meu dia a dia. Uso salto porque acho bonito e me sinto bem comigo mesma e ponto, não para provar que sou mais ou menos feminina ou porque acho que tenho que atender a um padrão que me foi imposto. A plena liberdade das mulheres também implica mais complacência com certas "feminices", como salto alto e maquiagem. Ou será que deveríamos adotar o estilo masculino ao nos vestirmos?? Isso sim seria o cúmulo do machismo, na minha opinião. O que achas, Lola? Abraço!

isa disse...

Quando eu era criança, prendi os pés nos raios da roda de uma bicicleta e os machuquei porque demorei para admitir que estava presa (menina-macho). Resultado: prejudiquei alguns dos dedos dos dois pés e eles são tortos até hoje. Além disso, tenho pé chato e joanetes congênitas. Quando eu ando de salto, fico parecendo um soldado marchando. Usei um salto melissinha por duas horas e criei três bolhas. Não posso usar salto. Não fui feita pra eles - ou eles não foram feitos pra mim.

Gabriele Albuquerque Silva disse...

Nunca entendi o fascínio do salto alto. Valorizo muito o conforto pros meus pés. Além disso, o salto tira muito da mobilidade. Algumas mulheres podem ter sorte de ter pés de "Cinderela" que se encaixam nos padrões da moda, mas não é o que ocorre na maioria das vezes.
Mas realmente é uma tarefa COMPLICADÍSSIMA achar calçados confortáveis, mesmo que não sejam salto alto. Algumas marcas como a Comfortflex são bacanas e desde que descobri busco comprar mais dela, mas, de forma geral, 99% das fabricantes parecem estar se lichando pro conforto das mulheres. Revoltante isso...

Cética disse...

Eu odeio salto alto,as poucas vezes que cedi a pressão e usei,minha coluna ficou podre,meus pés doeram...em suma,uma m*rda,foda é uma amiga que só usa saltão e fica com doutrinação pra cima de mim (detalhe que ela anda com uma rasteirinha na bolsa,não dá conta de usar o saltão direto) da importância de se usar salto,que isso deixa a mulher mais elegante,chama a atenção dos homens e blá blá blá,é de cair o cu da bunda,como se eu fosse abrir mão do meu conforto e praticidade (rasteirinhas rules)pra atrair ou ser considerada elegante,marnãomesmo.

Brenda B.C disse...

Simplesmente não uso saltos em meu dia a dia. Apenas para festas muito formais, ou quando tenho uma apresentação muito importante no trabalho. E mesmo assim levo uma sandália rasteira na bolsa, pois quando acaba a ocasião eu tiro o salto imediatamente.
Nenhuma reclamação paga mesmo o meu conforto!

Anônimo disse...

Salto alto sucks Ponto. Mas parei de julgar a mulherada. Deixar certas convenções é como tomar a red pill. É muito difícil se libertar. Cada uma tem que ter seu insight. Abraços Lola. Ragusa

Mariana. disse...

Eu sou apaixonada por sapatos.

Sapatilhas e escarpins são os meus preferidos, mas o salto máximo é 6 cm. Não uso mais que isso de jeito nenhum. Graças aos céus fui favorecida na altura e não preciso ouvir gente dizendo que eu preciso de salto. Ninguém precisa, mas pegam no pé das baixinhas.

Eu me sinto bem com um sapato bonito, mas não abro mão do conforto. Tenho algumas sandálias desconfortáveis e elas ficam socadas no armário. (acho que é mal de sandália. uma ou outra salva. prefiro sapato fechado, costumam ser mais bonzinhos com os meus pés, não sei o de vocês)

Mariana. disse...

Lola, não sei se você leu a matéria, ou alguém comentou acima... algumas mulheres nos EUA estão fazendo cirurgia estética para REMOVER o dedinho do pé, ou diminuí-lo, tudo para que os pés se adequem mais ao formato dos sapatos de salto altíssimo.

http://fotosenoticias.com/mulheres-arrancam-o-dedinho-do-pe-para-usar-sapato/


E os médicos fazem a cirurgia numa boa.

Anônimo disse...

Ângela, sei que a pergunta foi p Lola, mas fiquei com vontade de dar minha opinião. Que tal se as pessoas pudessem adotar a forma de vestir que desejassem? Seria legal né? Eu gosto de me vestir de "menina" e às vezes de "menino". Acho androginia muito bom. Meu namorado concorda, ele só não é mais ousado porque tem medo da opinião alheia. Isso é muito ruim. Abraços. Ragusa

Ártemis disse...

Eu adooooro usar salto. Não desses salto agulha, não sei andar nisso.

Eu tenho uma bota grandona e um sapato anabella de quase 15 cms, são minhas paixões. Danço muuuuuito com eles, me sinto poderoooosa rs.

Mas alterno entre all star de lantejoula, sapatilha, melissinhas e salto.

E nunca vi alguém me torrando por isso.

Alguém perguntou se existe sapato pra dança, sim, existe. O meu tá pra chegar logo, o salto não é alto (o meu é 2.5'', tá pra chegar. Acho que vai até 3.5'' ou 4'').

O salto e a sandália é todo diferente, a estrutura é diferenciada pra dar sustentação.

Dayane disse...

Eu já comnetei aqui sobre a origem da história da Cinderela, lola?Se não me engano, acho que sim.
Mas bem, a história da Cinderela que conheço tem duas variações, uma chinesa e uma Europeia.
Na versão Européia, a versão real, as mulheres do reino retiravam o dedão do pé ou o calcanhar com um facão para que seus pés entrasse no sapatinho de cristal. O p´rincipe via o sangue escorrendo pela fenda do sapato e vendo que foi enganado, mandava as matar.
Acontece que isso acontecia mesmo!A his´toria é uma crítica as mulheres Europeias da epoca que mutilavam seus pés para que eles entrassem nos sapatos pequenos. Quem conseguiu ficar com o príncipe foi a garota que foi ela mesma, que não se mutilou.

Fabiola disse...

odeio saltos, sempre odiei, mas essa convenção é tão imposta que eu tenho alguns pois não posso ir em casamento ou festas sem ter de usar....e já tentei. Ainda bem que na minha carreira salto é opcional ao contrário de minha amiga, que costumava ir trabalhar de sapatinhos baixos e tênis, e foi "aconselhada" a ir de salto. Imagina andar no metrô se SP de salto!!! Ela sempre ia de tênis e trocava pelo salto no trabalho, o que temos de fazer para manter nossa coluna livre de dor hein!

Outro dia entrando na universidade vi uma família( pai, mãe, "tias"(?)) e uma criança de uns 5 anos usando uma bota...COM SALTO e tinha uns 4 cm! é um absurdo total, a pequenina nem conseguia andar direito. Se procurar no google "bota infantil feminina' dá para ter noção do monte de saltos que existem p crianças e alguns até finos!

Para ver que começam cedo as nos "doutrinar" sobre o saltos, olha o que diz esse site de vendas que em uma bota infantil com salto:

"Calçados Infantis: Bota Salto Infantil Klasipé 185003 Analise: Um inverno de inspirações majestosas, composta por novas ideias, espaço de livre expressão e um mundo fascinante com aventuras que darão um passo adiante. As crianças estão se tornando um público exigente e que desejar expressar sua personalidade. A coleção promete modelos luxuosos e requintados, com detalhes em apliques.
http://www.passarela.com.br/passarela/kids/produto/8010111312/Bota-Salto-Infantil-Feminina-Sinal-Positivo-4425-Isadora-Tam-30-Ao-36---Preto

Lilly disse...

Eu tô vendo um monte de comentário chato sobre mulheres que usam salto. " A plena liberdade das mulheres também implica mais complacência com certas 'feminices', como salto alto e maquiagem." Concordo, acho que é isso mesmo. Cada um usa o que quiser. Vamos lutar pra que essa coisa de "salto bom é salto desconfortável" mude... em vez de atacar quem usa, como tô vendo aqui.

Eva disse...

Por um lado, eu posso dizer que tenho "sorte" do meu pé se encaixar certinho nas curvas da maior parte dos sapatos de salto. Por outro, minha coleção de tênis e sapatilhas vai bem, obrigada. Tenho uns três sapatos de salto, que não sinto desconforto ao usar, incluindo um scarpin de salto altíssimo, mas duas coisas me acordaram para os saltos:
- Quando entrei na adolescência, antes de descobrir o rock e adotar coturnos, eu vivia de salto. Achava que aquilo era "ser mulher" e tudo mais. Ai os anos foram passando, eu comecei a alternar saltos de tudo quanto é modelo e tamanho com coturnos... até que comecei a me sentir desconfortável ao usar coturno, tênis ou mesmo ficar descalça. Parecia que repuxava tudo.
- Na mesma época, minha mãe começou a ter problemas no tornozelo. Ela sempre usou saltos altíssimos a vida inteira, agulhas, e agora, o corpo cobrava o preço. Nessa época ela foi obrigada a aposentar pra sempre os saltos e precisa fazer fisioterapia para o resto da vida, porque ficou com sequelas nos tornozelos, joelhos e coluna.

Juntando tudo isso, fiquei com medo de passar a ter problemas tipo encurtamento de tendões e tal, que eu já tava começando a apresentar, e guardei todos os saltos, doei alguns, e comprei tênis, sapatilhas, chinelinhos. Até tenho saltos, sim, mas uso tipo, uma vez por ano. Ainda me sinto geralmente confortável com eles, mas só uso quando dá vontade, e sempre levo um sapato confortável junto, porque vai que eu precise dançar, correr ou seja lá o que for? Ai nesse caso, prefiro trocar o salto pelo sapato confortável e ser feliz. Nunca mais tive dor ao usar sapatos sem salto, parece que o corpo foi acostumando, mas essa dorzinha levou um tempo pra passar, viu?

Dinha disse...

Pessoal,
Estou aqui porque precisava me consolar de alguma forma. E não havia outro lugar no mundo onde eu pudesse fazer isso. Somente com vocês. E eu preciso me consolar porque li uma das notícias mais tristes que poderia ler na minha vida. A indignação e dor são surreais assim como a situação, vejam: http://br.noticias.yahoo.com/morre-indiana-v%C3%ADtima-estupro-coletivo-221300444.html
Eu já não sei mais o que fazer com esta indignação.
A notícia é dada como normal. Em que mundo vivemos?
Lola, escreva sobre isso por favor. Preciso de sua visão, pois, não sei expor esta indignação que sinto.

Roxy Carmichael disse...

eu adoro as comentaristas ignorando os trolls, tadinhos, sempre tão carentes de atenção...
mas eu não resisto (acho que é o natal):
anônimo das 13h20, você como gay acha homem bonito de todo o jeito, não vejo o menor problema em você ser gay e gostar de homem e nãoa char mulher bonita. isso é problema seu, se você só se sente atraído por homem. mas existem outros homens gays e heteros (e mulheres gays e heteros) que acham mulher linda de todo jeito, ESPECIALMENTE quando acorda, com cara amassada , cabelo desgrenhado e bafão de de onça (aliás como todo mundo que acorda, homem, mulher, criança, idoso). não é incrível? você gay achando homem bonito de todo o jeito, os heteros achando as mulheres bonitas de todo o jeito, os bis achando mulheres e homens bonitos de todo o jeito. uma salva de palmas pra diversidade!

a vivi tá nesses dois post tentando explicar pras moçoilas que ninguém está apontando o dedo pra elas individualmente, mas pra uma imposição (chamemos pelo nome, porque essa historinha de EU uso porque EU gosto não cola. podem recorrer a outra justificativa porque quem vier aqui falar em gosto pessoal vai ter azar em 2013 e se liga que a minha praga pega!) e vem a ângela confirmar o temor da vivi de que algumas comentaristas não conseguem pensar um palmo além do umbiguinho delas

então vamos lá brincar de coesão e coerência?
me explica angela,
se você usa salto porque acha bonito e se sente bem consigo mesma e ponto, não para provar que é mais ou menos feminina então porque você está preocupada com a suposta falta de complacência com certas "feminices", como salto alto e maquiagem ???????
salto e maquiagem = "feminices"
mas você usa salto porque gosta e não pra provar que é mais feminina?
explica isso melhor aí por favor que eu não entendi.

mas a coisa degringola de vez com "Ou será que deveríamos adotar o estilo masculino ao nos vestirmos?? Isso sim seria o cúmulo do machismo, na minha opinião."
Olha ângela na minha HUMILDE opinião o cúmulo do machismo é essa divisão genérica, em que homem é igual a liberdade, individualização, razão e mulher é igual a ligação, delicadeza e beleza (ou seja, objeto decorativo de salto alto e maquiagem, essas "feminices" como você bem colocou).

Anônimo disse...

Lolinha, vc é mto diva, adorei seu post. Não uso salto fino e, toda vez q coloco um sapato mais altinho (não mto), ele tem salto grosso e é confortável. E nada de andar km com esse tipo de sapato. Sou super a favor das rasteirinhas e chinelinhos. Agora tenho uma coisa para colocar: amo aqueles sapatos da marca Melissa, acho lindosss e tenho alguns, mas decidi não comprar mais nenhum que não seja aberto. Sabe pq, Lolinha? Pq eles são assassinos de pés! Sim! E tenho amigas q dizem q é normal ter calos de melissa... ah pelamordedeusminhagente! Tenho 3 deles q comprei mto antes dessa resolução q tenho q pensar mto antes de usar... são lindos, mas me matam. Hj coloquei 1 deles e não deu outra: troquei pelo chinelinho no meio do caminho hahaha. Já fui no site da marca várias vezes e disse q eles tem q aprender a fazer coisas mais confortáveis, mas ninguém me dá bola. Será q as outras meninas não dizem nada?? Tenho duas q não me machucam e 3 q me machucam... o q ganha? Não compro mais... além do disso é caro né :P

Quero q o sapato seja de acordo com meu pé e não meu pé de acordo com ele!

:)

Anônimo disse...

homens ligam tanto pra roupa ,calçados e bolsas que via de regra quando interessados querem tirar todos esses acessorios hehehe

Luiza disse...

Ah, e como fisioterapeuta, um aviso:

Salto muito alto de vez em quando não tem problema. Mas usar sempre causa um desequilíbrio NO CORPO INTEIRO, não só nos pés.

Anônimo disse...

PARA mascu Bruno das 15:02

Sua opinião é tão mal formada que nem escrever CERTO vc sabe!
Antes de julgar as mulheres, vá pra uma escola o mais rápido possível!
Se diz "Salto alto" não "salto alta" seu ignorante!
E o que vc pode falar sobre salto alto ou sapto sem salto? Vc é HOMEM! Ninguém te obriga a usar ou vestir NADA!
É o mesmo que vc desse sua desprezível opinião quando o tema fosse: MENSTRUAÇÃO. Não fale do que vc não sabe!
Não é usar ou não usar salto alto que faz uma mulher exuberante; assim como não é certeza a máxima "homens são mais bonitos de uniforme" que transformaria o Tiririca(nada contra ele,kkk) em um "gato" e o Cauã Reymond se tivesse com roupa de garçom ficaria feio,kkk.
O que faz uma mulher exuberante é sua inteligência, charme e autonomia, assim como o que faz um homem ser sexy, é ser dinâmico, gentil e leal.
Digamos que nem vale a pena tentar equilibrar certas opiniões dentro de uma cabeça vazia como a sua.
Na minha opinião, pra ser "tão exigente" é porque vc não gosta de mulher, gosta é de "outra coisa" que ADORO,kkkkkk.

Sawl

Anônimo disse...

Amigos e amigas, uma triste notícia:

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2012-12-27/lider-feminista-zuleika-alambert-morre-aos-90-anos.html


Sawl

vivian disse...

adoreeeeei.

é meu lema todo dia.

espero que logo olhemos para trás e possamos ficar chocados, da mesma maneira que ficamos quando vemos os pés quebrados e diminutos de algumas senhoras chinesas.

Patty Kirsche disse...

Interessante... Minha irmã comentou uma vez comigo que uma professora dela na graduação cobrou da classe (quase totalmente feminina) o uso de escarpim e chanel. As meninas, habituadas a ir pra aula de metrô e andar longas distâncias a pé, viviam de tênis e ficaram indignadas. Então a professora disse: "Vocês precisam aprender a ser mulheres".

Cris disse...

anonimo das 10:50, na verdade a gravata tem uma serventia prática: ela fecha a gola da camisa para que não entre ar frio por ela. lógico, só tem sentido nos países frios onde a gravata foi inventada.

por isso acho um absurdo que se exija esse tipo de vestimenta formal de homens brasileiros. paletó e gravata? não bastariam camisa, calça e sapato sociais? seria formal sem ser ABSURDO.

Pili disse...

De acordo!!

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Nem é por nada não, mas...



... Bom mesmo é coturno!

Calíope Corcovia disse...

Looooooouula do céu!

Arrasou aqui na foto do pé deformado em formato de salto (ouch!) e - especialmente - na metáfora da síndrome de Cinderela

"Nós temos que permanecer imóveis, decorativas, esperando que um sapato pré-fabricado se encaixe nos nossos pés. Só assim encontraremos nosso príncipe encantado! Mas fingiremos sorrindo que ele é que nos encontrou."

Uau.

Sabe um livro realmente bom que, enquanto você lê, você precisa parar de tempo em tempo só pra soltar um "Nossa!", encantada? É assim na maioria das vezes que leio suas postagens.

ESCREVA, LOLA, ESCREEEEVA! Que eu vou ler adoidado..

Forte abraço e boas festividades no finzão de ano. Que 2013 seja mais e mais repleto de posts bacanas e enriquecedores

P.S.: Sempre resumo seus posts em Ctrls+Cs e Ctrls+Vs pra postar a ideia-chave no facebook com um comentário da minha persona e o link para seu bloguitcho. As pessoas às vezes comentam vagamente, frequentemente curtem e nunca topam desenrolar um debate ou uma discussão do tema. Não sei se todas elas leem as postagens originais (algumas tenho certeza que sim), mas de qualquer forma me sinto bem de difundir ideias boas com o cuidado de não alterar o sentido original. Obrigada por manter atualizado esse blog que é espaço para pensarmos e ponto de encontro de pessoas que gostam de comentar e argumentar. Leio sempre os comentários e já sou até fã de umas personalidades sempre presentes aqui hahahaha

Que sejamos todxs muito felizes também em 2013 *tim-tim*

Anônimo disse...

"O que faz uma mulher exuberante é sua inteligência, charme e autonomia, assim como o que faz um homem ser sexy, é ser dinâmico, gentil e leal"
-
Somente eu notei as diferenças de julgamentos ai ?
Mulher = inteligente, exuberante, autonoma= superior ,admirável, endeusada.

Homem= dinâmico, gentil, prestativo= disponível, útil,serviçal.

A igualdade ficaria exatamente a onde? expliquem .

Anônimo disse...

Ja passou da hora da mulher se libertar das amarras impostas pelo patriarcado, e se aceitar ao natural, sem saltos, maquiagens, mutilações, depilações exageradas e outros sofrimentos estéticos.
Em nome de que tudo isto ? em um cometário alguém afirmou que e uma pratica milenar para chamar a atenção masculina, mas não e justamente isto que combatemos ? que a mulher viva ou faça qualquer coisa em função de homem ?
A atenção ou não deles, assim como seus julgamentos referentes a nós, não deve mais ter importância num mundo feminista, o foco da mulher deve ser em si,e em seu bem estar físico e social, e nada mais !

Anônimo disse...







































Odeio bolsa mais que salto alto!!!

Rosa Soares disse...

Eu não posso usar saltos, mas eu uso porque me sinto bem. Não uso sempre porque realmente na correria do dia a dia acaba atrapalhando, mas eu gosto de usar para ir a festas. Agora se alguém não gosta, não quer usar, tem modelos lindos de sapatilhas. Se vou a uma festa e no meio dela meus pés doem, eu tiro a sandália tranquila! Já fui daquelas que morre e não tira o salto antes do fim da festa, hoje em dia eu não penso duas vezes: pode ser o que for, eu tiro o sapato e vou ser feliz que é o que importa e os incomodados que continuem com seus pés doendo. Quanto às bolsas eu fui 'programada' desde cedo a sair sempre com uma, mas as minhas são pequenas ou médias porque não posso - nem quero - carregar peso então é só para colocar o essencial, isso de 'bolsa de mulher tem tudo' comigo não cola! Acho que o importante - quando falamos de salto ou qualquer outra coisa - é ter opção e liberdade de escolha (mesmo que você escolha sofrer em cima do salto).

Magrelinha disse...

Tenho 1,73 de altura e sempre achei sapatos de salto alto lindos, mas não usava pq não sabia usar e achava que, por já ser alta, ficaria feio. Ano passado aprendi a usar salto alto na agência, minha professora foi uma trans maravilhosa, e desde então saltos viraram meu ítem de consumo preferido. E descobri que mulher alta com salto fica ainda mais linda.

Não adianta, amo o feminismo, me considero feminista, mas ideologia nenhuma vai me convencer de que uma peça que faz me sentir bem e bonita seja uma opressão.

Viva o salto alto! *_*

Anônimo disse...

Danço e ando de salto numa boa. Não, meus pés não doem mais com isso. Amo tênis e sapatilha e bota e sandália... E quase ninguém é realmente obrigada a andar de salto, basta não usar, se a pessoa acha que é uma imposição ou que é menos isso ou aquilo por não usar, na boa, precisa de terapia, porque a vida deve ir mal ou não entende nada de nada de moda, daí, precisa estudar e estar mais atenta ao seu tempo.
Achei este manifesto aí fraco. Acho calça jeans um crime bem maior contra as mulheres, mas tb. é crime barato e versátil.

Ju disse...

Dinha,

Também estou triste e perplexa com essa notícia e como tudo aconteceu. Ela foi estuprada e agredida por 6 homens depois a jogaram do ônibus em movimento como se fosse um trapo velho. Mas preciso acreditar que a morte dela não foi em vão. Há manisfestações acontecendo na Índia e repercutindo no mundo todo. Talvez seja um princípio de mudança.

----------------
Magrelinha,

talvez a opressão estar em ser obrigada socialmente a usar algo na imensa maioria das vezes desconfortável porque assim vc é considerada mais elegante ou mais feminina.

Nuba ofKau disse...

Bom, imagina que vc tá com seu sapato de salto trabalhando no escritório que pega fogo, ou no trânsito e uma explosão tipo armagedom te obriaga a abndonar o veículo, ou num metrô pifado com umas multidão em pânico. Agora que imaginou a cena horrível decida: correr descalça pisando em escombros/fogo ou correr de salto? ...E vc poderia estar de tênis esportivos nesse dia, hein. ¬¬

Ariel disse...

Eu odeio salto alto e podia passar o resto da vida com (os mesmos) coturnos militares destruídos nos pés. Mas minha irmã mais nova adora usar salto, anda numa elegância absurda e até corre, diz ela q n sente incomodo nenhum. Acho q o desconforto depende da pessoa sabe, o importante é n ter como uma imposição, só usar se isso realmente te deixa confortável.

Cora disse...


eu defendo o conforto pra todo mundo.

adoro me sentir confortável.

e procuro sempre me vestir de modo a satisfazer meu conforto.

é claro que meu trabalho não me obriga usar salto alto ou maquiagem, do contrário, precisaria de outro trabalho.

acho um completo absurdo obrigarem uma mulher a usar salto alto para trabalhar.

da mesma forma, acho completo absurdo obrigarem um homem usar terno e gravata neste clima.

e sempre admiro aqueles que resistem.

mesmo que, eventualmente, acabem sucumbindo em nome do trabalho. mas o fazem sabendo que é uma imposição social que pode e deve ser contestada até ser modificada.


.
.

salto alto ou muito alto e roupa muito justa ou muito curta ou muito decotada limitam os movimentos da mulher. além de serem desconfortáveis. da mesma forma o excesso de panos do passado, com aquelas várias saias até o chão e o espartilho.

tudo para conter e limitar o espaço que poderia ser frequentado por uma mulher.

sempre para controlar.

.
.

já disse algumas vezes aqui que a nudez da brasileira, a “sensualidade” da mulher brasileira são camisas de força e não sinais de libertação e independência como gostam de propagar por aí. são também formas de opressão, pois a nudez feminina não é vista de forma natural no brasil. ela é imposta e só é “permitida” (diria obrigatória) quando a serviço do olhar masculino.

a nudez feminina aqui no brasil é sempre sexualizada, por isso é uma prisão.

por isso a nudez das mulheres na marcha das vadias provocou tanto alvoroço. por isso as discussões sobre amamentação em público. por isso o controle das formas dos corpos das mulheres nas praias.

.
.

no outro post a Sofia falou sobre depilação.

nossa burca, além da depilação, é a nudez. é a sensualidade.

e olha que maravilha, ainda pode ser usada para justificar a violência verbal, simbólica e sexual que a mulher sofre cotidianamente no brasil.

e, claro, nada é obrigatório.

é tudo escolha.

ã-hã.

Anônimo disse...

ah, lola, não gosto qdo vc fala que ela jovem e bela... sei lá. acho que não foi a primeira vez e espero que seja ironia.

eu sei de uma grande loja aqui no brasil que exige salto alto das vendedoras. e, como essa, que acabei conhecendo por ser amiga da gerente, deve haver várias. isso, pra mim, é tortura. vc ser obrigada a estar numa loja em cima de um sapato que te faz mal. nossa. nem consigo imaginar.

por outro lado, amo saltos altíssimos e nunca tive problemas. na verdade, tenho fetiche por saltos, de ter tesão mesmo. sempre namorei podólatras. aí rola tbem aquele tesão de pisar no cara de salto e tal. mas meu negócio é o sapato em si, o objeto. talvez eu tenha tido sorte, sei lá. a primeira vez que comprei um salto pra mim foi com uns 25 anos. eu achava que seria péssimo. aí fui madrinha de um casamento e tive que comprar algo pra combinar com meu vestido. acabou que amei o sapato e, nessa primeira experiência, fiquei de salto de umas 16h até 2 da manhã. nada de dor. zero.

talvez tenha a ver com o jeito como ando, com o equilíbrio do meu corpo, sei lá, mas confesso que fiquei espantada com o post e com tanta gente dizendo que odeia. eu odeio qualquer imposição (por exemplo, odeio maquiagem e uso raramente, qdo quero, só rímel e algo na boca). até de coisas que eu acho ótimas, que isso fique bem claro.

existem vários tipos de sapatos pra quem tem fetiche por eles. uns, inclusive, têm pontas como as de sapatilhas de balé e saltos finíssimos. não são feitos pra uso no dia a dia, claro. mas pra um fetiche específico.

alguém aqui citou constrição e tal (ou algo parecido). apesar de isso ser o esperado de mulheres no nosso cotidiano (sutiã, cintas, nenhuma gordura saindo pela cintura...), na ala do pessoal que tem algum fetiche, corsets e saltos tbem são usados por homens (ou outros gêneros que não mulher). aliás, não foram os homens os primeiros a usar saltos e brincos?

Anônimo disse...

"Tenho 1,73 de altura e sempre achei sapatos de salto alto lindos, mas não usava pq não sabia usar e achava que, por já ser alta, ficaria feio".

magrelinha, sou mais alta que vc e amo saltos altíssimos. muita gente já me censurou por ficar enorme. tô nem aí. mas uma coisa acontece claramente: os homens ficam totalmente inseguros perto de mim qdo eu tô nos dias de salto (como falei, não uso sempre). há muito tempo, eu já me questionei sobre isso. mas a vida é uma só e a gente tem que fazer o que gosta.

homem pra mim não tem medo de mulher muito alta e andaria de boa comigo de salto bem alto (já tive namorado que pediu pra eu usar algo mais baixo. troquei de namorado, não de sapato).

Talita disse...

Lola, tava aqui justamente pensando em qual sapato usar amanhã pras festas de Ano Novo. Tinha descartado alguns por precisar de algo bem confortável já que ficarei com os mesmos sapatos por um tempo considerável... e olha que nao adianta nem escolher o menos alto de todos, no natal fui com uma sandália mais "confortável" e nem assim aguentei, tive que apelar pro chinelinho... mas depois de ler esse posts meus problemas acabaram: Vou de sapatilha! Por que nada como começar o ano me sentindo livre ;)

Quero aproveitar o comentário pra dizer que durante esse ano tive o prazer de acompanhar suas postagens e sempre sair, de cada leitura, me sentindo mais inteligente e reflexiva por descobrir coisas novas e também mais burra e curiosa pra buscar mais e mais sobre os assuntos tratados, Brigadão Lola!

Talita disse...

Lola, tava aqui justamente pensando em qual sapato usar amanhã pras festas de Ano Novo. Tinha descartado alguns por precisar de algo bem confortável já que ficarei com os mesmos sapatos por um tempo considerável... e olha que nao adianta nem escolher o menos alto de todos, no natal fui com uma sandália mais "confortável" e nem assim aguentei, tive que apelar pro chinelinho... mas depois de ler esse posts meus problemas acabaram: Vou de sapatilha! Por que nada como começar o ano me sentindo livre ;)

Anônimo disse...

Na danca de salão, é melhor usar o salto, parece mais fácil dançar com sapato alto! E podem perceber que os sapatos MASCULINOS para dançar tem tbm um saltinho

Ângela disse...

Ragusa, exatamente este é o ponto! Acho que cada um deve seguir o seu próprio estilo ao se vestir, sem se preocupar com imposições, muito menos com a opinião dos outros. Já li depoimentos de outras mulheres, em outros blogs, relatando que, em certos meios profissionais tradicionalmente dominados por "machos", são fortemente discriminadas por usarem salto alto, maquiagem e roupas mais femininas, sendo obrigadas a se anularem para serem aceitas e levadas a sério. Ora, todos sabem que, não raras vezes, mulheres de salto alto e maquiadas já são automaticamente tachadas de fúteis e burras. Isso, na minha opinião, também é preconceito. Acho que a nossa luta, como mulheres, deve começar sempre pela defesa da liberdade, pondo abaixo estereótipos de qualquer tipo. E cada uma que obedeça à sua individualidade, seja de salto alto, de coturno, de sapatilha, de rasteirinha, com rímel ou sem rímel! Quem concorda? Abraço!

Ângela disse...

Ah, Roxy Carmichael, com todo esse closed caption, espero que agora consigas entender o meu ponto de vista. Irônico que, só por defender as nossas feminices, uma pessoa, que sequer me conhece, já me julgou, dizendo que não sei pensar um palmo abaixo do meu umbiguinho... Que coisa, não? :)

Ângela disse...

Para que fique (ainda) mais claro: para mim, a verdadeira opressão é a imposição de que nós, mulheres, sejamos obrigadas a nos parecer com homens no modo de se vestir, sendo obrigadas a deixar de lado coisas que muitas (e não todas,obviamente) mulheres gostam, como salto alto e maquiagem, para que sejamos respeitadas, seja como profissionais, seja como pessoas "sérias", "de fundamento". Olha, e no mundo em que eu vivo, esse preconceito, muitas vezes, também parte de muitas mulheres, não só de homens. Mas quem luta pelo fim do preconceito não deveria procurar ao máximo evitar julgar pelas aparências?? E será que aquelas que refutam radicalmente o salto alto não estão, afinal de contas, cedendo a esse outro tipo de opressão? (ei, olha só, não tenho nenhuma vaidade e odeio feminices; logo, penso bem mais do que um palmo abaixo do meu umbigo, ok pessoal??...) Fica a dúvida. Pessoalmente, acho que a inteligência de uma mulher não se mede pelo quanto de maquiagem nem pelo número do salto (ou pelo menos não deveria).

Não sou blasê disse...

Sabe uma coisa que me fez AMAR Kill Bill?
O fato da Beatrix não USAR SALTO alto pra lutar!

Pq, né? Gente... como faz pra empunhar uma Hatori Hanzo de salto?
IMPOSSÍVEL.

Quando se é guerreira, tem que ter o pé no chão, porran!

:)

Não sou blasê disse...

Uma das coisas que mais gostei em Kill Bill foi o fato da Beatrix não usar salto alto.

Pq né, gente? Vamos combinar que não dá pra empunhar uma Hatori Hanzo de salto! A noiva sempre estava de tênis baixinho ou des-cal-ça (na sequência maravilhosa que ela arranca os zói da Elle).

Guerreira tem que ter o pé no chão, gente.

disse...

"um tanto deficitária em relação a receber elogios", adorei e me identifiquei! hahahha...
Sabe que um dos diferenciais do meu trabalho, na minha opinião, é poder passar o dia tri confortável nos meus AllStars? Quando quero achar o trabalho ruim e pensar em fazer outros concursos, lembro que a chance de eu ter que me vestir de "advogada" num outro órgão público é grande. Ser professora também dá essa possibilidade. Amo muito tudo isso. Sofrimento gratuito não faz sentido. Bjos!

Lucas Pin disse...

Sei que o post é antigo, mas eu tava lendo aqui os comentários e alguém falou sobre a pessoa que inventou o salto alto. Deixo aqui uma curiosidade muito interessante: O inventor do salto alto foi o rei Luis XV que o inventou no século 16, ele criou o salto para uso próprio, pois tinha baixa estatura (apenas 1,60m)

Anônimo disse...

N é tão ruim assim. Tipo eu já estou acostumada usando sapatinha de ponta, uso há 5 anos,e é bem em cima dos dedos e ainda tenho q dancar. É até legal.