sábado, 22 de dezembro de 2012

GUEST POST: ASSÉDIO NO METRÔ DE SP

A Joanne me enviou este relato. Quando perguntei se poderia publicá-lo como guest post, ela respondeu: "Claro que sim! Por mais que isso tenha me machucado na época, hoje sei que minha vida mudou ali... Que fui buscar meus direitos e nunca mais abaixei a cabeça. Quero que outras se inspirem, se motivem..."

Tinha 19 anos quando isso aconteceu. Moro em Campinas mas estava de férias do trabalho e fui para São Paulo com meus pais, tio e tia. O passeio todo ocorreu muito bem, como sempre.
Voltando para o estacionamento onde deixamos o carro, pegamos o metrô na Barra Funda, para descer na Sé, fazendo baldeação. Foi na saída para a Sé que fui abusada. Senti uma mão apalpando meus genitais por trás, de forma rápida e agressiva enquanto eu descia do vagão naquele empurra-empurra. Prontamente me virei e vi o nojento inescrupuloso que o fazia, que me deu um sorriso.
Comecei a gritar com ele "QUAL É O SEU PROBLEMA?" e desferi muitos palavrões. Meu pai, notando a situação e o fato de eu já estar em lágrimas, foi pra cima do homem, que saiu correndo. Meu pai foi atrás. Mesmo mancando de uma perna, tirou forças não sei de onde e deu um soco na nuca do acusado, deixando-o desmaiado em plena Sé.
Eu assisti a tudo sendo amparada pela minha mãe e tios, aos prantos, com todos me olhando. Me senti suja, humilhada, corrompida. Como se não restasse um pingo de inocência ou humanidade no mundo.
Logo surgiram vários guardas que se misturam na multidão. Eles prenderam o acusado e o levaram até a delegacia do metrô. Eu fui para a mesma delegacia, mas em um vagão, sendo interrogada por um guarda solícito e educado. Mas a educação parou por aí.
Na delegacia do metrô, fiquei sentada ao lado de um homem acusado de tirar fotos por baixo da saia de mulheres e de duas mulheres acusadas de roubar idosas nas estações. Sim, eu, vítima, fiquei no meio de acusados. A delegada só apareceu dizendo que estava muito ocupada e que teríamos que esperar.
O acusado do abuso [a partir da mudança da lei em 2009, isso passa a valer como estupro] chegou, e o colocaram sentado de frente pra mim. Ele disse que era gerente, que não fez isso, que iria ser liberado logo.
Depois, quando meus tios testemunharam a meu favor, o acusado mudou o discurso. Disse que eu empinei meu bumbum e que eu estava provocante, que eu mereci.
Pedi que, por favor, tirassem o acusado dali. Meu pedido foi ouvido e novamente a delegada apareceu dizendo que eu teria que esperar muito e que deveria desistir de dar queixa.
Resultado, passei 9 HORAS sentada na delegacia, com meus tios e pais esperando.
Tive que ouvir indiscriminadamente do acusado que eu estava pedindo, e tive que ouvir que ele ia processar meu pai por agressão, depois de ter abusado de mim e tentado fugir.
No fim, voltei pra casa com a queixa registrada, com o acusado preso apenas por uma noite. Até quando meninas, garotas, mulheres e senhoras vão passar por isso? E por que uma vítima, que passou por um trauma, precisa ser tratada de forma tão insensível?

63 comentários:

Valéria Fernandes disse...

Sem palavras e enojada. O pior de abuso deve fazer parte do cotidiano de muitas delegacias. Imagino que muita gente seja contra a extensão do crime de estupro a outras formas de abuso, imagino, também, que isso estimule muito dessa atitude ilegal, mas é aviltante de qualquer jeito.

mas você que escreveu para a Lola, fez o certo. E espero que outras mulheres façam, também.

Carlos disse...

É só se vestir toda de preto com roupa tapando tudo que você nunca mais passa por isso.

Isso é um absurdo, não é culpa sua, porém pode evitar tais constrangimentos... eu sei que existe ladrões, sei que eles não deveriam fazer isso, mas mesmo assim minha casa parece uma fortaleza, além de eu ter porte de armas.

Patty Kirsche disse...

Na cabeça dele ele tem razão? Bom, mas ele é o criminoso, então não me surpreende. Mas a delegada não dar a mínima e agir como se fosse uma encheção de saco é demais, né? Parece que a criminosa é a vítima por atrapalhar o expediente dela com algo "sem importância". Lamentável.

Anônimo disse...

Parabéns por não ter ido embora e esperado para dar a queixa. O sistema é nojento mesmo, pra gente desistir.

E vá pra puta que pariu essa delegada de merda hein.

Toda minha solidariedade

Mauricio disse...

Alguém sabe se já existe algum projeto em andamento ou em estudo pelo governo que favoreça as mulheres vítimas de violência? Mais delegacias, ou algum sistema que facilite as denúncias de agressão?
Pergunto isso porque temos uma presidenta, e queria saber se isso de alguma forma se refletiu em mudanças para melhor nessa situação, ainda que a passos tímidos.

Anônimo disse...

Eu sou a favor de vagões de trêns e metrôs, e ônibus exclusivos pa mulheres, e a unica forma de ficarmos livres deste tipo de assedio, sem contar ue a presença de homens em certos ambientes e incoda para mulheres, pelo menos para mim é !

Nane disse...

Lola , eu sempre fico pensando em dúvida se os homens tem uma natureza mais sexual que nós. Eles se manifestam muito mais a respeito de sua sexualidade. Ao ponto que se torna agressiva essa manifestação. Porque?

Anônimo disse...

"Carlos disse...
É só se vestir toda de preto com roupa tapando tudo que você nunca mais passa por isso."

Vista-se você feito vampiro, e no calor de 35 graus, falou?

Covarde que nem vai voltar para responder...

Penny Lane disse...

Infelizmente as mulheres estão longe de serem respeitadas como merecem.O sujeito passa a mão, e ainda tenta se sair de vítima, alegando processar um pai que defendeu sua filha? é um absurdo!

Lola, eu sei que você é contra a pena de morte, mas homem que estupra,merece cadeira elétrica.É uma pena que isso não existe aqui no Brasil (e duvido que vá existir...).Esse monstro pelo jeito, continua andando por aí, sabe-se lá, fazendo outras vítimas.Isso é revoltante.

E para a moça do post, gostei da coragem, de enfrentar de cabeça erguida, e ir sim,prestar queixa desse safado.Pode até não ter dado em nada, mas a ficha está suja.É pouco, mas já é um consolo.

E esta delegada, em uma palavra: nojo.

http://queeuestejanumaboa.blogspot.com.br/

Rose disse...

É porque para a maioria o crime é ser assediada, o assediador (embora muita gente na hora queira matá-lo) passa ser visto como vítima na hora que diz que é um cara de bem e piora ainda mais quando a assediada leva a queixa adiante.
Eu já presenciei em uma delgacia, uma moça ao dar queixa de agresão, ouvir um sermão da policial (isso mesmo, era UMA policial), ir embora chorando e, em poucas horas, ela voltar agredida junto com o companheiro, ele ficou algemado, do lado dela ameaçando-a se ela prestasse queixa. Isso tudo eu vi enquanto aguardava por horas um delegado que, por motivo de: era festa de carnaval, chegou 6 horas depois.

Sara disse...

Parabéns por não ter ido embora e esperado para dar a queixa. O sistema é nojento mesmo, pra gente desistir.

E vá pra puta que pariu essa delegada de merda hein.

Toda minha solidariedade [2]

Ja é dificilimo criar coragem para denunciar ainda ter q encarar todas essas barreiras q impõem, chega ser sobrehumano o desafio.

Sara disse...

antes q eu me esqueça CARLOS vá pro inferno vc e sua roupa preta seu palhaço....

Ane disse...

Parabéns cara, sua atitude do seu pai e de todos os seus parentes foi louvável. infelizmente vc representa muitas de nós q vivem essa situação, não só do ato em si, mas daqueles olhares nojentos qdo estamos no metro/onibus enfim...

Mayra disse...

Admiro sua coragem de ter gritado e dado queixa, apesar de terem te tratado dessa forma. Isso também já aconteceu comigo aos 14 anos e fiquei quieta morrendo de medo e traumatizada.Nem sabia porque aquilo tinha acontecido, eu só queria descer do metrô o mais rápido possível, nem sabia direito quem tinha feito aquilo, foi tudo muito rápido e o cara se safou, provavelmente, de novo. Foi horrível!

Ana Carla disse...

Leio esses relatos de horrores sofridos por mulheres aqui no blog tão, mas tão privilegiada por nunca ter sofrido nada.

Fui a primeira neta pelos dois lados da familia. Sempre recebi muito amor dos meus avós(os quatro estão vivos e com saúde e até bisavó com mais de 100 anos eu tenho), tios, brinquei muito com meus primos. Na minha infância e até agora jamais sofri qualquer tipo de abuso, seja psicológio, físico ou sexual.

Quando quis estudar Engenharia Civil toda minha família me apoiou, principalmente meu pai, que também é da área de exatas. Sempre fui tratada da mesma forma que meu irmão foi pelos nossos pais e pela familia e mesmo sem eles admitir considero-os feministas por isso.

Antes de começar a ler o blog achava que a vida de todo mundo fosse como a minha, mas vi que não é assim que as coisas funcionam, foram tantos relatos de horror que eu me dei conta de como a vida foi boa comigo.

Só quero dizer que admiro muito a Joanne por ter muita coragem de ir até o fim para denunciar o cretino e dar um abraço bem apertado em toda mulher ou homem que algum dia já foi vítima de abuso

Bruno disse...

Algumas considerações:
Primeiro, não, isso não é estupro. Ao menos na terminologia legal. A mudança legislativa de 2009 unificou num só tipo penal (estupro) o antigo tipo correspondente ao estupro e o tipo "atentado ao pudor", a conduta descrita nesse guest post não é nem uma coisa nem outra. Trata-se de uma contravenção penal qual seja ao do art. 61 da lei de contravenções penais: "Importunar alguem, em lugar público ou acessivel ao público, de modo ofensivo ao pudor". Este entendimento é pacífico nos tribunais (o próprio Ministério Público sugere essa tese):

“Caracteriza contravenção penal de importunação ofensiva ao pudor (art. 61 da LCP) o gesto de passar as mãos pelos seios ou nádegas da vítima, eis que isso, antes de caracterizar atentado violento ao pudor, que corresponde a atuar muito mais intenso e a um ataque bem mais definido, do ponto de vista da satisfação da lascívia, melhor corresponde à figura contravencional” (TJSP, rel. Des. Canguçu de Almeida, RT 730/525).

“O beijo roubado, assim como o toque superficial e fugaz, por sobre as vestes, nos seios de uma mulher, não caracterizam a prática de ato libidinoso diverso da conjunção carnal e sim a conduta indecorosa de importunação ofensiva ao pudor” (TJSC, rel. Des. Nilton Macedo Machado, RT 727/577).

“Aquele que encosta em mulher, ainda que de frente, para a satisfação da concupiscência, mas sem violência ou grave ameaça, comete apenas a contravenção de importunação ofensiva ao pudor e não atentado violento ao pudor” (TJSC -AC - rel. Gonçalves Santana, RT 397/84).”

Em segundo lugar: "Parabéns cara, sua atitude do seu pai e de todos os seus parentes foi louvável.".
Não, a atitude do pai da autora não foi louvável. É crime de lesão corporal (ou até mesmo tentativa de homicídio visto que deixou o agente desacordado por um soco desferido na nuca). Nada justifica que se faça justiça com as próprias mãos. Não se corrige um crime fazendo outro. A autoridade policial falhou inclusive em não indiciar o pai da autora por essa conduta.
Concluindo, não há dúvidas de que é lastimável um abuso como este e que a autora agiu corretamente ao procurar as autoridades e insistir em dar seguimento ao procedimento. É fato que as autoridades não estão preparadas para lidar com isso, a espera excessiva, o desencorajamento para prosseguir com a notícia do crime e colocá-la em conjunto com acusados são atitudes que mereciam ser relatadas à corregedoria. Mas mais lastimável e mais perigosa é a argumentação de que "ela estava pedindo" que fundamenta tanto uma contravenção como esta na fugacidade de uma apalpada no metro quanto um esutpro consumado.

roseanjos disse...

Parabéns pela sua coragem! As mulheres devem parar de se comprar como ovelhas cercadas por lobos e colocar esses abusadores contra a parede.
Não acho que a solução seja segregar mulheres em vagões especiais, mas sim constranger esses monstros.

Delegada machista nojenta. Queria ver se fosse alguém da família dela.

roseanjos disse...

egítima defesa de terceiro -  Meio pelo qual alguém age em legítima defesa de terceiro, em ação de solidariedade, intervindo a favor do outro, vítima de agressão, provocando lesões no agressor.

Anônimo disse...

Sou metroviário. O metrô de São Paulo já tem nos horários de pico um vagão para idosos, pessoas com deficiência, grávidas e etc. Qualquer mulher ou qualquer outra pessoa que não estiver se sentindo bem pode usá-lo. Mas é uma questão de ética, se você pagou o mesmo preço pela passagem que todo mundo não tem porque ter regalias.

Sara disse...

Se vc queria irritar Bruno mala sem alça vc conseguiu, queria ver toda essa sua calma procurando nas leis se é justo ou não revidar uma agressão tão grave como a q essa moça sofreu, se fosse uma parente sua, ou se vc fosse mulher.
Mas pelo jeito vc é desses q procuram brechas nas leis para poder exercer seu machismo sem ser molestado pela lei, sorte a sua aqui no Brasil vc tem o estado e as leis a sua disposição para isso.

Caroles disse...

Incrível como tem gente que tem coragem de vir aqui falar que o pai da guria agiu errado, ou que nós deveríamos sair tapadas dos pés a cabeça pra não sofrermos abusos... Não tem vergonha na cara, não?

Eva disse...

Estou esperando meu taser, desses de contato. Por enquanto, desenvolvi a técnica de agarrar as bolas alheias suavemente e torcer com força, em caso de tentativa de contato físico não autorizado com o meu corpo. Cansei de ser boazinha, cansei de tentar dar queixa e ser desencorajada ou ouvir que minha roupa estava provocando ou que eu estava pedindo. Não quer ter as bolas torcidas? Mantenha longe de mim em caso de falta de autorização.

Juba disse...

Quem está pedindo regalias, cara-pálida? Não queremos vagões especiais, queremos não sermos assediadas!

Pili disse...

Anônimo, de que regalia vc está falando? Do direito de viver limitado para fugir de agressões impunes?
FICA COM ELA PRA VC! Nao tem idoso, mulher nem ninguém no mundo que goste de ser aprisionado em guetos.

Anônimo disse...

É por isso que em vagões de metrô e ônibus lotados,eu sempre faço questão de ficar com a mochila nas costas mesmo que ela ocupe mt espaço e atrapalhe o deslocamento das pessoas. Isso evita com que algum fdp venha abusar de mim.

Anônimo disse...

Também não é muito justo pagar o mesmo preço que todo mundo e ser assediada desse jeito

Anônimo disse...

o bruno ta falando merda. masturbar alguem contra a vontade é estupro sim. totalmente diferente de "um toque leve nos seios por cima da roupa", ignorante

Anônimo disse...

eu queria tanto que homens como esse "gerente" fossem presos e estuprados na cadeia. estuprador nao merece direitos humanos, tinha que ser arrombado, espancado e ficar preso pra sempre. é uma pena que os únicos estupradores que sao condenados pela sociedade sao os maniacos do parque.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Então mulheres vão ter que pagar passagens mais caras pra terem o direito de ir e vir sem serem molestadas e apalpadas?
Legal o pensamento desse povo. O contorcionismo mental é total pra empurrar a culpa do acontecido na mulher.
Nem uma palavra sobre o que poderia ser feito para que um abusador nem chegue a pensar a fazer o que fez, por saber que não sairá impune ou simplesmente por ter desenvolvido empatia com mulheres, coisa que falta até aqui.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Lamentável também a reação da delegada.
Empatia pra quê? Ela anda armada, provavelmente ganha o bastante pra não precisar usar transporte público e não passar por isso.
Se colocar no lugar da vítima nem pensar...

Mihaelo disse...

Buenas, o metrô de São Paulo é o menor do mundo em extensão em comparação ao número de habitantes a que serve.A Grande São Paulo tem cerca de 22 milhões de habitantes(maior que a população do Chile) e apenas 4 linhas de metrô subterrâneo integradas e uma linha isolada. A Grande Paris que tem apenas 5 milhões de habitantes tem 14 linhas de metrô subterrâneo(algumas com ramal)e 5 linhas de metrô de superfície(todas com ramal).Assim fica fácil de compreender porque as pessoas ficam completamente coladas corpo contra corpo no metrô completamente apinhado da capital paulista e que serve apenas a capital.Isto facilita e muito estas ações, já que estão todos espremidos corpo a corpo.É horrível, nunca vi coisa tão pavorosa e ganha a medalha de ouro de o pior metrô do mundo. Para piorar os trens de curta percurso que servem à região metropolitana e a cidades vizinhas como Jundiaí são antiquíssimos, circulam em vias abertas fazendo com que veículos possam cruzar a via férrea, proporcionando muitos acidentes e também são extremamente insuficientes para os mais de 10 milhões de habitantes a que servem.
No Rio de Janeiro há um vagão para mulheres, mas deveriam ser dois vagões exclusivos para elas, visto que as mulheres representam mais da metade da população, portanto metade dos vagões deveria estar reservado às mulheres.E o metrô do Rio é ainda mais precário que o de São Paulo pois tem apenas duas linhas e os intervalos entre uma composição e outra são de 8 min no horário de pico, o que é um absurdo, já que o metrô misto(via elevada/superfície) da região metropolitana de Porto Alegre que transporta duas vezes e meia menos passageiros tem intervalo de 4 min nos horários de pico.

Milena disse...

Bruno, ok, a lei diz que não é estupro, mas a lei pode estar errada. A anos atrás, escravidão era direito, não crime. A lei é retrógrada e não protege as mulheres satisfatoriamente. E quanto ao ato violento do pai da moça, não sei muito o que dizer, porque concordo com você em partes, mas se você for pensar, se ele não tivesse feito isso, não teriam pegado o cara.

Milena disse...

Nane, é óbvio que os homens não têm "natureza mais sexual" que as mulheres, a diferença é que a sociedade dá licença pra que eles manifestem os impulsos sexuais deles sem muitos limites. As mulheres são recriminadas até por quererem conhecer o próprio corpo...

Danizita L. disse...

Essas delegacias brasileiras hein...Triste.

Anônimo disse...

Milena... é uma questão biológica. É claro que homens não têm uma "natureza" mais sexual do que as mulheres. A natureza dos dois gêneros tem componente sexual. Mas o impulso sexual é, se podemos dizer assim, mais "forte" não só nos homens, mas nos machos de todas as espécies. Uma mulher com depressão, por exemplo, tem sua libido prejudicada. Ele vai ao especialista e muitas vezes, além de antidepressivos, é recomendado que tome algum medicamente que aumente a testosterona, hormônio que os especialistas consideram responsável pela libido e principal hormônio masculino. Não dá pra fundamentar um movimento desprezando fatores biológicos. É óbvio que o fato de ter a testosterona como hormônio principal não justifica assédio, estupro, afinal, o que difere os seres humanos dos animais é a racionalidade e esta deveria equilibrar os impulsos. A "cabeça de cima", como dizem, deve falar mais do que a "cabeça de baixo" e impedir atos criminosos e abomináveis como este do metrô ou outros. Mas não se pode negar fatos biológicos.

Anônimo disse...

Nossa gente calma,vagões separados entre gêneros não tem nada a ver com "segregação" nem "gueto"
E uma ideia inteligente, que tem funcionado muito bem no Mexico, assim como temos banheiro para homens, e para mulheres, porque não tem trasporte diferenciado também ?
Ou alguém discorda que se os banheiros fossem mistos ficariamos desconfortaveis ?
Homem em mesmos ambientes que mulheres e algo que nos causa desconforto sim, e não tocar no assunto e tabu, portanto sou favorável a ônibus, metrô, elevadores, salas de aula etc, separados por gênero, ja existem academias somente para mulheres, e os resultados são excelentes, uma amigam minha frequenta uma, e diz que não voltaria em uma academia mista hoje em dia !

AmericoAmerico disse...

Muito triste esse post, e infelizmente uma realidade. Pena que as pessoas não prestam atenção nisso, não queram prestar! Vê só o post das mulheres com armas! Super comentado! Não sei se foi o dia da semana em que o outro foi postado...

Mas é isso, só nos resta torcer para que alguém lá no judiciário preste atenção a essa vioLência- o que já acontece aos pucos..

Anônimo disse...

A grande maioria dos homens e insuportável, eu concordo que se houvessem mais espaços entre nos e eles, seria muito bom sim, sou a favor de vagões exclusivos para mulheres !
A mulher que não concordar, pode ir no deles simples !

Ana Clara

Sara disse...

Eu sou contra ficar separando sexos no transporte publico, mesmo porque as tentativas q tem sido feitas estão falhando miseravelmente, outro dia vi uma reportagem, onde a peporter entrevistava varios homens q estavam ABOLETADOS nos vagões reservados as mulheres, e na maior cara de pau eles diziam q nem tinham visto q o vagão não era p eles, em outras palavras não havia respeito nenhum a essa medida.
Oo homens deveriam aprender é a conviver em sociedade tanto com outros homens como com as mulheres, isso que esses canalhas fazem deveria ser punido e com muito mais rigor isso sim.

Pipe Litterev disse...

Você deveria ter ido a MP fazer uma queixa contra a delegada.

Coisa que não deixo mais de fazer: se for a uma repartição pública, grave todos os diálogos que tiver, toda palavra que lhe for dirigida pelos funcionários.

o fato da delegada lhe dizer para desistir de dar queixa é, se me permite o exagero, até mais grave do que o feito pelo agressor. pois, na hipótese de ele não ter sido pego pelo seu pai, mas ter sido filmado por alguma câmera de vigilância, tornaria possível a sua prisão, mas a investigação jamais seria feita sem queixa.

---

essa Ana Clara aí de cima, que fala "a grande maioria dos homens" deve ser uma pessoa muito infeliz, de pai, irmãos, tios e primos degenerados, que a devem ter abusado, dando-lhe essa visão estúpida dos homens.
precisa de tratamento.

Anônimo disse...

'A grande maioria dos homens é insuportável'

nossa, isso foi que grande surpresa

Luiza disse...

Quando eu andava de metrô em horário de pico, das duas uma: ou eu estava na primeira fila e entrava já procurando mulheres - se é para ficar colada, que seja com quem não vai te assediar(as mulheres te veem e ficam mais tranquilas) ou eu calculava se dava para me enfiar em último e ficar encostada na porta, de frente para as pessoas.
Caso não desse mesmo para ficar colada em homem, eu olhava em volta, nos olhos. Eles imediatamente rearrumam as mochilas para as mãos não encostarem em mim. Olhar na cara funciona, meninas.

TODAS as mulheres deveriam reagir. E procurar ficarem próximas umas das outras. Mas né, tem mulher que parece que tem horror a ficar perto de uma mulher mais bonita. Pena.


Quanto ao pai da moça do post, PARABÉNS PARA ELE!
Meu querido pai faria a mesma coisa e minha mãe já ligaria para nossxs advogadxs imediatamente.

Quanto ao pedaço de merda do Carlos: pena que a mãe não abortou. Mas tudo bem, esse a natureza não vai deixar se reproduzir. Seleção natural.

Anônimo disse...

infelizmente tenho que concordar com a ana clara. uns 99 % dos homens soh querem se aproveitar das mulheres.

eu desisti de ter amigos heterossexuais, porque cedo ou tarde eles acabaram demonstrando que nao eram meus amigos coisa nenhuma, soh queriam se aproximar de mim por sexo.

cansei de confiar nesses babacas e hoje nao existe chance de eu ter um amigo hetero.

ana clara apoiada!

clarisse pereira

Priscila disse...

Anônimo disse...
Sou metroviário. O metrô de São Paulo já tem nos horários de pico um vagão para idosos, pessoas com deficiência, grávidas e etc. Qualquer mulher ou qualquer outra pessoa que não estiver se sentindo bem pode usá-lo. Mas é uma questão de ética, se você pagou o mesmo preço pela passagem que todo mundo não tem porque ter regalias.

22 de dezembro de 2012 20:13

-------------

Porque, né, não ser estuprada é uma REGALIA.

Que NOJO desse comentário.

Aline disse...

Só um aviso aos navegantes:
Essa tal de Ana Clara é o mascutroll Fábio,a Lola deleta praticamente todos os comentários dele e pra poder comentar ele comenta como se fosse mulher.É só olhar o jeito de escrever ta mais que na cara que é o mascu burro até pelo excesso de sinais de exclamação.

Milla.Prado disse...

Oi Lolinha, duas reportagens off-topic:

O que acontece com a vida das mulheres que tiveram um aborto negado? Este é o primeiro estudo científico a fornecer respostas:

( http://jezebel.uol.com.br/o-que-acontece-com-a-vida-das-mulheres-que-tiveram-um-aborto-negado/ )

Para lidar melhor com a dor do salto alto, americanas estão amputando seus dedinhos do pé:

( http://jezebel.uol.com.br/americanas-estao-amputando-seus-dedinhos-do-pe/ )

A primeira acho que daria um post bem interessante, para calar os argumentos das pessoas que dizem que mulheres que optam por abortar se arrependem e são atormentadas por esta decisão.

A segunda notícia é muito bizarra mesmo, até a onde vai a loucura de tentar se enquadrar em padrões. Como se o problema estivesse nos pés e não nos sapatos.

Beijos.

Anônimo disse...

Pipe Litterev existe um monte de Ana Clara . Eu sou uma e sinto te dizer que já fiz tratamento e não adiantou.
Ana clara e clarisse pereira apoiadas!

JGuima

Leio Lola Leio disse...

Aconteceu algo parecido comigo no metrô de São Paulo quando eu tinha 12 anos. Estava eu e minha mãe, infelizmente, não identificamos quem fez aquilo, minha mãe começou a chorar e saímos do vagão.

Anônimo disse...

Engraçado como na Grécia antiga, eram as mulheres que foram classificadas como luxuriosas e promíscuas e os homens eram classificados como mais prudentes e com mais discernimento. Pois, antes, a lógica dos homens para ter controle e governar tudo era que as mulheres não podiam "manter suas pernas fechadas", "elas são naturalmente ruins em controlar seus impulsos, os homens são naturalmente mais prudentes e aptos para liderar, obviamente". Engraçado como isso se choca com a atual ciência de merda do homem branco.

Anônimo disse...

"Nossa gente calma,vagões separados entre gêneros não tem nada a ver com "segregação" nem "gueto"
E uma ideia inteligente, que tem funcionado muito bem no Mexico, assim como temos banheiro para homens, e para mulheres, porque não tem trasporte diferenciado também ?
Ou alguém discorda que se os banheiros fossem mistos ficariamos desconfortaveis ?
Homem em mesmos ambientes que mulheres e algo que nos causa desconforto sim, e não tocar no assunto e tabu, portanto sou favorável a ônibus, metrô, elevadores, salas de aula etc, separados por gênero, ja existem academias somente para mulheres, e os resultados são excelentes, uma amigam minha frequenta uma, e diz que não voltaria em uma academia mista hoje em dia !"

Bom, se a sociedade voltar a esse molde de separação como era antigamente, homens e mulheres não podendo frequentar os mesmos ambientes. Num futuro não muito distante as únicas mulheres que irão conseguir relacionamentos serão as profissionais do sexo, pois elas serão às únicas ainda a permitirem o contato direto do homem. Realmente acho casos que acontecem em transportes um absurdo, certa vez eu estava num ônibus sentado e entrou uma conhecida minha, ela estava em pé. Estávamso conversando quando um cara colocou-se estrategicamente atrás dela, nesse momento eu troquei de lugar com ela, ela sentou e eu fiquei em pé. Na mesma hora o cara saiu fora. Mas realmente uma reação mais forte por parte das mulheres vai afastar alguns caras mais "quietos e tímidos" e vai deixar o caminho livre para os cafajestes e os sem moral continaurem a fazer o que fazem. No ambiente de trabalho hoje em dia eu só falo direito com mulheres que sejam casadas e eu conheça o marido, as outras eu só falo de trabalho mesmo, me chamam de grosso e o escambau a quatro, mas eu volto pra casa com a cabeça tranquila de que eu não tô fazendo nada de errado e colocando o meu emprego em perigo.

Mauricio GDS disse...

Tem Homem com (H) e homens (muleques)
absurdo esse tipo de atitude contra a mulher.
Cadeia é pouco para esse tipo de comportamento.
Eco-
abraços

Ale disse...

Sinceramente, eu sou contra separar homens e mulheres em diferentes espaços que são públicos como sugeriram aqui. Temos que aprender a conviver com as diferenças. Imagina se começa a existir espaço para homens e espaço para mulheres, assim, uma mulher que frequentar um espaço comum será vista por todos como conivente com uma situação de abuso, não? "Ah, mas ela está no espaço dos homens/espaço comum, então pediu pelo abuso..." vai continuar a mesma coisa!!! Todos nós, salvo pessoas com doenças mentais, somo aptos a conviver em grupo, respeitando a individualidade. Se não o fazemos, é porque achamos que podemos mais, como o cara do caso, que achou que poderia abusar da moça e nada lhe aconteceria e quando confrontado, quis jogar a culpa nela. Está tudo errado e não é separando os gêneros que vamos resolver.
Os banheiros são separados por outros motivos, mas se a sociedade fosse educada e respeitosa, talvez nem banheiro precisasse separar, como acontece nos albergues para estudantes e viajantes, onde pessoas de sexo diferentes dividem o mesmo quarto e não ocorre abuso.

Anônimo disse...

Pelo tom de voces não é possivel a convivencia harmoniosa entre generos em areas publicas .Qual a solução pra voces ?separar os vagões por genero para proteger as mulheres dos homens malvados??

depois vamos separar as estações para proteger as mulheres dos homens malvados??
depois vamos separar os locais de trabalho ,para proteger as mulheres dos homens malvados?

Depois separar os locais de moradia para proteger as mulheres dos homens malvados??


Anônimo disse...

Ao inves de gastar sua energia por um transporte publico que não nos obrigue a ir ao trabalho feito sardinhas na lata(dando margem a abusos acontecerem)voces preferem empurrar a culpa a todos os homens pelo que alguns fazem(como se chama isso mesmo...ah sim,se chama generalizar).

yulia2 disse...

O importante é que vagabundo levou uns tapas!
infelizmente essa é a policia do metro, uma vergonha

yulia2 disse...

Sou metroviário. O metrô de São Paulo já tem nos horários de pico um vagão para idosos, pessoas com deficiência, grávidas e etc. Qualquer mulher ou qualquer outra pessoa que não estiver se sentindo bem pode usá-lo. Mas é uma questão de ética, se você pagou o mesmo preço pela passagem que todo mundo não tem porque ter regalias
_____________________

pra mim, quem defende assediador, é lixo igual ele

Rê_Ayla disse...

O pai da moça agiu errado??!!!??... Pois eu, MULHER, bateria bem mais em um nojento desses se tivesse a chance (e sim, bateria, como já bati e já coloquei um infeliz no chão). 99% das mulheres que conheço já sofreram alguma agressão, em maior ou menor grau - e os nojentos agressores, assim como grande parte das pessoas, coloca a culpa sempre na vítima.

Aliás, recomendação que sempre faço às amigas: treinem alguma arte marcial a sério - descobre-se ter força física que não se imaginava ter, além de força mental e técnicas que não se imagina ter.

Priscila disse...

Anônimo disse...

Ao inves de gastar sua energia por um transporte publico que não nos obrigue a ir ao trabalho feito sardinhas na lata(dando margem a abusos acontecerem)voces preferem empurrar a culpa a todos os homens pelo que alguns fazem(como se chama isso mesmo...ah sim,se chama generalizar).

---

Ha, ha, ha. Não vem com essa. Transporte público lotado existe em qualquer lugar. Abusos não. Quer dizer que você não consegue viajar no metrô lotado sem abusar ninguém?

Eu consigo. Quero acreditar que você também consegue. Tod@s nós conseguimos. Então metrô lotado não é "causa" de abusos não. Arranje uma desculpa menos esfarrapada.

Anônimo disse...

É querida mais se seu pai tivesse matado o estuprador, rapidamente tudo seria resolvido, seu pai seria preso e duvido que fosse solto no mesmo dia.

Ramilla disse...

Na cabeça desse povo, eles sempre têm razão.Se a mulher tá ali no transporte público, seja de burka ou de biquíni, significa estar disponível.
Agora estou chocada com a atitude da delegada. Gente, ela não tá fazendo nenhum favor não. Parece que as coisas são assim pra gente desistir.
Parabéns pela persistência.

Anônimo disse...

infelizmente tenho que concordar com a ana clara. uns 99 % dos homens soh querem se aproveitar das mulheres.

eu desisti de ter amigos heterossexuais, porque cedo ou tarde eles acabaram demonstrando que nao eram meus amigos coisa nenhuma, soh queriam se aproximar de mim por sexo.

cansei de confiar nesses babacas e hoje nao existe chance de eu ter um amigo hetero.

ana clara apoiada!

clarisse pereira


-------------

Vocês têm que entender que homens veem a amizade de uma forma diferente que as mulheres. Homens acham extremamente comum sentir atração por suas amigas e tranzar com elas, continuando a amizade, já a maioria das mulheres seperem sexo e amizade.

Anônimo disse...

Tenho sempre uma dúvida nesses casos. Se este tipo de abuso já é considerado estupro pela Lei, pq esse cara só passou uma noite na prisão? A pena não é a mesma para casos de estupro, aliás este caso não é estupro tbm? Qdo a pena prevista é aplicada?

Anônimo disse...

Não existe amizade entre homem e mulher simplesmente porque é impossivel um homem ver uma mulher sem ser objeto. "amigos" que colocam drogas na bebida e estupram suas amigas são a prova disso. Fiquem alertas!!!