quinta-feira, 23 de agosto de 2012

"TENHO 22 ANOS E SOU VIRGEM. SOU NORMAL?"

A T. me fez uma pergunta por email, que eu respondo abaixo.
 
"Acompanho seu blog há algum tempo e aprecio muito seus textos. Parabéns mesmo pelas postagens. Não me considero feminista, mas seus textos são universais. E agora que já fiz a média vou fazer o pedido.                     
Gostaria de pedir um post sobre o vício cada vez maior das pessoas por sexo, a dependência que a sociedade está criando em relação a ele, e como uma coisa que era para ser boa e prazerosa virou uma obrigação. Já li textos seus sobre dúvidas de outras pessoas e foram sempre sensatos e certeiros, então talvez você possa me fazer enxergar um novo ângulo da coisa.
Tenho 22 anos e sou o tipo de pessoa introspectiva, note bem que eu disse introspectiva, não tímida. Apesar de ter bons relacionamentos com as pessoas em geral, quando se trata de relacionamentos amorosos não consigo e não quero partir para uma coisa mais íntima logo de cara, e o resultado disso é que nunca me relacionei.
Uma vez em um dos meus empregos, quando eu tinha entre 19 ou 20 anos, num papo qualquer, meu chefe perguntou algo sobre meus ex-namorados e um amigo, que sabe sobre minha “movimentada” vida afetiva, olhou para ele e disse: ex-namorados? Então meu chefe começou a rir e soltou a pérola: Sim, ou você quer me convencer que nessa idade ela só teve um? Lembro-me de ter começado a rir e pensado que é meio estúpido como as experiências são agora avaliadas não mais pela importância, mas sim pela quantidade, e que as pessoas estão se transformando em relógios gigantes em que tudo tem tempo e data marcada.
Sou muito anormal ou isso é mesmo doentio? O pior é quando descobrem sobre esse “segredo terrível”, como se experiência sexual fizesse parte do seu currículo social. É deprimente a forma como a sociedade olha, como se eu fosse infantil, estranha, anormal, retrógrada ou manipulada por alguma religião. Não é ridículo eu ter que brigar pelo direito de não fazer sexo? É tão estranho assim considerar um relacionamento saudável quando ele se constrói através do conhecimento do parceiro, da amizade e do afeto ao invés da pura e simples atração?
Não se trata de um comportamento assexuado, não estou menosprezando o poder do sexo, entendo e aprecio sua importância, mas tenho a impressão de que cada vez mais os relacionamentos entre as pessoas estão girando quase que exclusivamente em torno dele.
E então, Lola, o que faço? Trepo com qualquer um e tento me normalizar abrindo mão da minha liberdade sexual e tornando possível que alguém se interesse o suficiente para me conhecer? Ou mando todo mundo tomar no ** e sigo sozinha? (Desculpa o palavreado elevado...)
Gostaria de deixar claro que não tenho nenhum problema de autoestima e nem com minha aparência, adoooro meu corpo, apesar de brigar com ele de vez em quando.
Sou ateia, ou seja, meu comportamento não é um condicionamento religioso, e por último não acredito em amor perfeito e exatamente daí vem minha frustração, as pessoas falam de realismo nos relacionamentos, mas não têm paciência para construir um a não ser que seja tudo rápido e prático. Talvez eu é que seja estranha por funcionar em uma marcha lenta bizarra, mas é pedir demais querer conhecer a pessoa antes de enfiar a minha língua nela? Essa última frase tem vários sentidos e acho que quero dizê-la em todos eles...
O engraçado é que nesse ponto os homens sofrem mais, afinal mulher virgem no máximo é baranga ou dependendo do caso um fetiche (não sei o que é pior), mas homem virgem é incapaz, bicha, fraco, não gosta de mulher. A cobrança é muito pior para eles (culpa da sociedade machista?).
Acredito que, desde que não interfira no direito de outrem, as pessoas devem fazer o que se sentem bem fazendo e serem livres para isso. Não tenho absolutamente nenhum problema com quem consegue viver tranquilamente nesse padrão “físico”, não estou dizendo que ele é errado e nem o menosprezando, até porque NINGUÉM é dono da verdade, mas que eu sofro por não me adequar a ele eu sofro, e muito..."

Minha resposta: Querida, é incrível como as pessoas insistem que todos se enquadrem no que é considerado normal, não? E o "normal", o padrão, pras mulheres, é que façamos um sexo fantástico e cheio de contorcionismos e com mil orgasmos múltiplos (menos que isso somos recatadas e mal-amadas), mas, ao mesmo tempo, com pouquíssimos parceiros, porque mais de três são suficientes pra sermos vistas como promíscuas.
Portanto, por esse lado, não sei se ser homem é pior, já que homem não tem que encontrar esse equilíbrio entre não ser santinha demais nem ser p*ta demais. O que a sociedade como um todo espera do homem é que ele faça sexo (heterossexual, lógico!) pela primeira vez cada vez mais cedo e que seja muito experiente. E sim, isso é machismo, e é péssimo pros meninos.
várias pesquisas sobre a idade média em que garotos e garotas têm sua primeira relação sexual. Geralmente, no Brasil, é próximo a 16 anos pra meninos e 18 pra meninas. Mas a noção que as pessoas têm, baseada na pressão de amig@s, é que é muito mais cedo. Só sei dizer que, sempre que pegunto pra um homem sobre sua primeira vez, ele diz que não lembra. É uma amnésia coletiva! Não lembra quando foi nem com quem foi nem como foi! E as mulheres sempre lembram (e é bem raro uma mulher ter gostado da sua primeira vez. Só em 50 Tons de Cinza mesmo). 
Só pra mostrar que o que a gente pensa da realidade pode ser diferente da realidade em si, uma pesquisa de 2011 da Playboy americana com 8 mil leitores e 2 mil leitoras revelou que 40% do pessoal entre 18 e 24 anos é virgem. Mas aí a mídia fica lançando mil e um filmes sobre a tragédia que é prum menino de 15 anos ainda ser virgem. E as pessoas acreditam que é completamente anormal alguém de 20 anos não ter experiência sexual.
Vc ficaria surpresa se soubesse quanta gente é virgem aos 20, 25, 30, 35 anos! Tanto homem quanto mulher. O pessoal fica chocado ao ler que o líder comunista Luís Carlos Prestes só transou pela primeira vez, com sua amada Olga, quando ele já tinha 37 anos. Mas pra ele aquilo não foi problema. Ele estava mais preocupado com outras revoluções, ué.
Enfim, você não está tão longe da média que as pesquisas indicam. Mas ninguém precisa seguir a média pra coisa nenhuma. Ninguém tem nada que fiscalizar a sua vida. Você só deve transar quando quiser, quando sentir vontade, com quem quiser, desde que haja consentimento. E, óbvio, lembrando sempre de usar ou pedir pra usar camisinha, desde a primeira vez. isso não é negociável!
O único ponto negativo que eu vejo pra começar a fazer sexo mais tarde é que sexo é muito gostoso, e por que ficar adiando iniciar algo que é gostoso? Ok, porque a pessoa é tímida, ou porque ainda não conheceu alguém instigante, ou porque não se sente confortável. Motivos também não faltam.
Um motivo pode ser esse que vc citou no seu email, de às vezes sentir-se assexuada. Existem pessoas assim, que não se interessam ou não gostam de sexo ou querem ter relacionamentos sem sexo. Às vezes é só uma fase, às vezes não. Existem casamentos sem sexo, e se as pessoas envolvidas estiverem de acordo, qual o problema? Há quem defenda a assexualidade como uma forma de orientação sexual, há comunidades de assexuais, e até camisetas -- embora uma camiseta escrito "Assexualidade. Não é mais só pra amebas", a meu ver, não é muito benéfica à causa. Mas as pessoas são diferentes, têm suas individualidades, e não devemos ficar julgando. (E dá pra ver que eu não entendo de assexualidade, né? Se alguém quiser me enviar um guest post sobre o assunto, agradeço).
Mas acho que vc é muito nova pra saber se não tem interesse por uma coisa que ainda nem experimentou. Então não se preocupe se vc é normal ou anormal. Seja apenas você. Mas se me perguntassem do que mais me arrependo, se das coisas que fiz ou das coisas que deixei de fazer, eu sem dúvida responderia a segunda opção.

225 comentários:

1 – 200 de 225   Recentes›   Mais recentes»
Ana Carolina disse...

Uma vez li uma frase, acho que aqui mesmo, que sintetiza o post e acho genial: liberdade sexual é a liberdade de se ter quantos parceiros se quer, de nenhum a inúmeros. Ter nenhum parceiro também é liberdade sexual, por que não?

Tenho várias amigas com mais de 20 e virgens. Inclusive outro dia conversei com uma delas, 26 anos, linda, inteligentíssima, e ela disse que não se sente atraída por sexo. Virei e: "mas isso faz falta na sua vida?" "não" "então deixa pra lá".

É difícil para a sociedade aceitar o fora da curva, mas cada um é cada um e cada um sabe de si, também.

Ge disse...

Eu tenho 22 anos, sou lesbica e nunca namorei, isso é normal?

Len disse...

Adorei ler isso,sabe porque?
sou virgem aos 20 anos e dei meu primeiro beijo aos 19
nao porque esperava principe encantado,mas porque nao tinha interesse
e quer saber? nao me arrependo de ter "demorado" a fazer nada,mas sei que se eu tivesse cedido as pressoes da sociedade pra "experimentar" tudo,mesmo sem vontade,eu me arrependeria mais

Len disse...

primeiro beijo aos 19
nao porque esperava principe encantado,mas porque nao tinha interesse
e quer saber? nao me arrependo de ter "demorado" a fazer nada,mas sei que se eu tivesse cedido as pressoes da sociedade pra "experimentar" tudo,mesmo sem vontade,eu me arrependeria mais

Huan Icaro Piran disse...

Olha, eu tive minha primeira relação sexual aos 21 (3 anos atras) com a pessoa que hoje é minha noiva, ela tinha 22 na época (não falarei sobre a sexualidade dela pois ela não gosta e esse tipo de coisa entre nós dois é tido como traição).
Sinceramente, sexo pode ser bom (e é muito) mas é uma puta hipocrisia a sociedade impor ele.
Se você é normal, eu não sei e sinceramente, eu não dou a mínima, pois 90% das pessoas bacanas que eu conheço definitivamente não são normais. Seja você, faça o que você gosta e acha certo, se os outros te atacarem por isso mande eles a merda, a vida é sua, é sua cabeça que vai se deitar em paz ou não no travesseiro de noite.

Por algum tempo, coisa entre os 16 e os 19 (quando conheci a Tiana) eu me considerei assexuado por não concordar com as cobranças impostas. Eu não sentia falta alguma de sexo (hoje ainda não sinto tanto, se eu tiver de escolher entre conversar abraçadinho ou sexo eu escolho a primeira em 9 de 10 casos).

Lola, temo em dizer que pelas conversas com minha noiva as mulheres tendem a achar estranho, mas não cobram.
Tive amigos que chegaram a me dar convites de entrada para zonas, pois "é inadmissível que você ainda seja virgem!"
Não colocarei a moralidade de meus amigos a prova, eles são pessoas boas que realmente se preocupam comigo, mesmo que mal orientados. Com o tempo eles tem mudado para melhor...
Agora, fora de meu circulo de amizades, por anos ouvi cobranças de pessoas a quem eu me obriguei a ser grosseiro (e em dado caso quase precisei sair no soco) para conseguir que a liberdade de decidir o que eu faço com meu corpo fosse aceita enquanto um direito meu. Há uma cobrança multilateral entre sociedade, família, amigos, cultura, etc de que o homem demonstre sua virilidade e masculinidade desta forma. Pessoas que destoam são sim tratadas como piada, infelizmente, lamento eu dizer, inclusive por algumas mulheres.

Mas isso novamente pode ser reflexo da realidade onde estou inserido...

ViniciusMendes disse...

Conheci um homem beirando os 40 anos que nunca tinha nem beijado. Ele não tinha desenvoltura pro flerte, nem auto-estima pra ser flertado, nem gostava da ideia de pagar.

O começo da vida sexual é algo complicado, pq o sexo tende a ser algo meio assustador antes da gente iniciar a vida sexual de fato. Eu acho mais do que justo que cada um comece sua vida sexual quando se sentir confortável para isso (ou nunca, se for o caso).

Se me permite dar pitaco na sua vida, relaxa. A maioria das pessoas nem transa tanto quando diz, e apesar dessas piadas de pegar um monte de gente, dependendo do ambiente, apesar de todo o machismo que existe, nem pra um homem pega bem transar com uma por dia. Deixa as coisas acontecerem no SEU ritmo, já que a vida sexual é sua e só sua, e não leva esse tipo de brincadeira que seu chefe fez pro pessoal.

Lord Anderson disse...

Muito bom o post.

É dificil entender todas as cobranças que são feitas socialmente, principalmente sobre as mulheres, se vc não faz sexo é pq é recalcada, moralista,etc, se faz é pq´"vadia" e promiscua.

Doentia essa necessidade de se controlar a sexualidade alheia.

E concordo com a Ana Carolina, a liberdade sexual tb significa não ter nenhum parceiro, seja por um periodo de tempo, seja pela vida toda.

Sexo é bom, quando feito com quem se gosta, no momento em que sentimos desejo e tesão.

fazer sexo só por "status" tira o sabor do processo todo.

Manda o pessoal cuidar da propria vida e seja feliz :)

Lord Anderson disse...

Ah sim Lola, eu lembro da minha primeira vez, lembro bem, apesar de ter sido muito "cedo".

Principalmente pq ela foi meio hilaria ja que não sabiamos ao certo oq estavamos fazendo.

Eu não me arrependo, mas acho que teria curtindo mais se tivesse sido um pouco mais tarde.

E por ultimo, não vamos ser injusto com 50 Tons.

Na maioria dos romances em livros e filmes, a primeira vez das "mocinhas" é maravilhosa.

Anônimo disse...

Sou gay ou bissexual, como queiram. Minha primeira relação gay ocorreu quando eu tinha 26 anos. Minha primeira relação com uma mulher ocorreu quando tinha 24. Eu sempre pensava que havia algo de errado comigo etc. Não é fácil. O melhor é a gente manter atenção para diferenciar o que desejamos do que nos é imposto. Isso não é fácil, pois o desejo na maior parte das vezes é produzido pelas imposições. Abraço, boa sorte. -- Brian

Joana disse...

Compreendo a questão da A.T. É um saco que as pessoas fiquem nos cobrando. Mas se isso pra vc não é um problema, o jeito é deixar os outros pra lá. Agora, se vc está se questionando isso, talvez esteja sentindo falta...

Carol disse...

Eu tenho 20 anos e sou do mesmo jeito, o problema é que nenhuma rapaz pelo qual eu me sinto atraída ou interessada não sente interesse nenhum por mim, ou seja no final eu me sinto sexualmente frustada.

Nina disse...

Acho que sou anormal, porque minha primeira vez foi na verdade um "processo" com namorado da época, e foi ótima! Tenho muito carinho pela lembrança. (Tá, eu sei que não sou anormal, foi só uma brincadeira, rs!)

O carinho e cuidado do namorado da época comigo foram super importantes pra que eu tivesse uma relação saudável com o sexo, entendesse que é normal sim uma mulher sentir desejo, buscar novas formas de prazer, enfim.

Eu penso que cada um, cada um. Pra mim foi importante esperar e começar com uma pessoa especial em minha vida. Mas essa foi minha experiência, acho que cada um deveria ter o direito de viver sua sexualidade sem julgamentos alheios.

Então, acho que vc é normal sim, e como a Lola disse: seja você mesma!

Mas que sexo é bom demais, isso é! ;-)

lala disse...

Manda o pessoal cuidar da propria vida e seja feliz :) [2]

Bruno S disse...

O único conselho que poderia dar para a leitora é para ela fazer o que tiver vontade, quando tiver vontade.

Outro ponto que gostaria de levantar é uma pergunta que ela poderia se fazer. Se ela se incomoda com o fato de ainda não ter transado, ela poderia se fazer algumas perguntas como as abaixo:

"- não sentiu vontade de fazer com os possíveis caras (ou garotas) que já se interessaram por ela e/ou por quem ela já se interessou?"

"- quando esteve com alguém não se sentiu à vontade para ter um contato mais íntimo?"

"- ao conhecer alguém, evita o contato por achar que a pessoa quererá ir logo aos sexo e como ela não compartilhará desse mesmo desejo tem medo de uma decepção mútua?"

Acho que quando destrinchamos um problema para nós mesmos em perguntas, fica mais fácil de entender o que passa.

André disse...

Anormal é um chefe perguntar sobre ex-namorados para uma funcionária. Ou um amigo confidente sair entregando a vida amorosa da amiga.

Shey disse...

Ahaha, acho que sou uma aberração.
Beijei pela primeira vez aos 10 mas a primeira transa foi somente depois de adulta. E o homem com quem estou era virgem até os 17 anos, nem nunca tinha ficado com ninguém.

E conheci mais de um rapaz que com seus 17 ou mais, afirmava ser virgem e homens que ficavam até 6 meses sem transar pq simplesmente não estavam a fim durante determinada época, por vários motivos.

Fomos tão bombardead@s pela propaganda ( de publicidade ou filmes de cinema) de que homens são naturalmente tarados que culturalmente acreditamos, mesmo que quase todas as pessoas que conhecemos refutem essa ideia.

A gente se acostumou tanto com a ideia de realidade que estranharia se ela fosse igual ao que vivemos mesmo.

Anônimo disse...

ah... sinceramente? manda todo mundo tomar no respectivo ** e siga sua vida como vc bem entender. mas seja sincera com vc mesma. vc deixou claro no post que não tem problemas, então tudo bem.

só me espanta um pouco que isso seja algo que te incomode qdo os outros falam, já que isso não seria um problema. qdo eu perdi minha virgindade, eu andava com gente mais velha (eu tinha uma amiga 2 anos mais velha que, por sua vez, andava com pessoas mais velhas que ela e eu acabei adotando os amigos dela tbem). o curioso é que, mesmo antes, mesmo eu sendo virgem, eu não me considerava diferente daquelas pessoas. eu sempre li muito sobre sexo, conversei muito sobre sexo e explorei muito meu corpo antes de transar com um cara.

essa galerinha com quem eu andava me perguntava coisas, pedia conselhos. e o engraçado é que eu tinha que falar mil vezes "eu ainda sou virgem! sei lá!".

minha virgindade nunca foi um "issue" pra mim. eu não parava muito pra pensar nisso até pq eu gozava mil vezes sozinha e não tava interessada em ninguém pra transar com alguma pessoa.

sim, existem pessoas assexuadas (a gente não imagina COMO tem) e isso tbem é ok. só não caia na onda de achar que é assexuada sem ter certeza disso. vc não deve nada a ninguém e nem precisa dizer pra ninguém nada sobre sua vida sexual (achei estranho tbem que os outro saibam de uma coisa da sua vida a esse ponto. até o chefe?). vc só tem que ser sincera com vc mesma.

só digo que, se eu fosse esperar algo muito especial, eu seria virgem até hj. já transei com gente muito legal e que era amigo/a, mas tbem já transei com uns caras que, sinceramente, se eu soubesse, teria me masturbado sozinha. acontece.

mas a experiência do sexo é que era a coisa gostosa. com responsabilidade e se cuidando, tudo vale.

Mirella disse...

Oi T!

Vou contar um pouquinho da minha experiência para depois comentar a sua, pode ser?

Entre os 15 e 18 anos beijei 3 rapazes. Durante meu tempo solteira sempre saí para festa, balada e etc. Nunca fiquei com outros rapazes porque eles não me interessaram, não despertavam nada de tesão.

Após dois anos de namoro, já com 20 anos, transei pela primeira vez.
Demorei dois anos para me sentir confortável, pois nunca havia tido este tipo de intimidade ou vontade com alguém. A coisa só andou no momento em que eu, mais confortável, cansei de aquecimento e resolvi jogar o jogo logo! Haha. e ajudou muito estar com alguém que me apoiou e compreendeu.


Falei todo esse bla bla bla para dizer que sei como você se sente. E que existem milhares de pessoas que passam por esta situação.
Claro que é desconfortável pessoas que não tem nada a ver com o assunto se meterem em algo que é tão pessoal e somente seu. Mas o resumo é este: faça o que você quer, se quiser, na hora que quiser, pois é completamente normal.
Uns fazem agora, outros depois, outros nunca.

Você não é alienígena, não está querendo demais. Sexo é uma delícia, mas é para ser isto: prazer, diversão, intimidade. O restante a Lola já falou
=)

Anônimo disse...

"Sou gay ou bissexual, como queiram.". brian, como assim?

eu sou bissexual e não acho que isso seja intercambiável com gay.

e concordo com isso de diferenciar imposição de vontade.

Aninha disse...

Você está satisfeita assim? Então permaneça! Mude quando isso te incomodar (se incomodar).

Alguém aí teve a primeira vez boa? A minha foi horrível - em muitos aspectos - e nunca conheci ninguém que tenha dito que a sua primeira foi boa...

Anônimo disse...

Eu perdi a virgindade com 19 anos, após ler DEZENAS de livros sobre o sexo e BDSM, era uma energia muito forte em mim, que eu sublimava com os livros e os contos que eu escrevia.

E eu amei minha primeira vez, Lola. E foi bem mais hard que em Cinquenta tons de cinza. rs

Depois disso a vida foi redescoberta, toda aquela potência, toda aquela energia represada, eu deixei fluir. Vivi relações maravilhosas, poliamorosas, livres. Não me arrependo de ter perdido a virgindade tarde...foi no meu tempo e do jeito que eu queria. Eu não me interessava pelos garotos "baunilhas"...

E sou como você, prefiro me arrepender das coisas que eu não fiz. :)

Bizzys disse...

Também tenho 22 anos e sou virgem mas, ao contrário da autora do guest post, eu tenho vergonha disso. Apesar de ter 3 amigas que também são, eu me acho um pouco "anormal" às vezes...

E nem é porque eu não tenho interesse em fazer sexo - eu tenho sim, e bastante, hahaha - mas eu sempre tive a auto-estima baixa e é difícil me relacionar com outras pessoas, então ainda não tive a oportunidade.

Eu também acho um absurdo essa cobrança das outras pessoas, como o chefe da T. Não entendo como as pessoas gostam tanto de se intrometer na vida sexual alheia, ao invés de cuidar da delas.

Ana disse...

... A virgem aqui precisa dizer que adorou o post? :D

“quando se trata de relacionamentos amorosos não consigo e não quero partir para uma coisa mais íntima logo de cara, e o resultado disso é que nunca me relacionei.”[2]

Eu quase fiquei com um rapaz uma vez, mas eu era muito, muito nova, e a idéia não tinha sido minha - umas 'amigas' me empurraram pra cima do garoto (eu juro que quanto mais travada se é, mais fascínio as pessoas tem em te jogar pros tubarões). Coisinha boba de colégio, sabe?

No fim nada aconteceu, e mais tarde ele se tornou um amigo muito querido pra mim (mas eu levei um tempo 'odiando' o coitado do moleque pelo mal entendido, kkk).

“Talvez eu é que seja estranha por funcionar em uma marcha lenta bizarra, mas é pedir demais querer conhecer a pessoa antes de enfiar a minha língua nela?”[2]

Se tu és estranha, pode me chamar de Rainha das Estranhas então, kkkkk

Não sei se nasci com um problema, mas não consigo olhar pra uma pessoa de cara como um possível parceiro. Eu preciso conhecer o cara primeiro... Não sei como as pessoas simplesmente 'pegam' alguém na balada, assim do nada. Eu não funciono do mesmo jeito O_o

--
... Então, T. Como eu já admiti aqui antes, eu tenho 18 anos nessa minha cara lavada, e nunca nem beijei. Eu quero dizer, nem selinho. Aliás, tecnicamente eu nunca peguei na mão de um cara - pelo menos nunca em situação 'romântica'.

Sim, pelos critérios do senso comum eu sou o que se chama de PATÉTICO kkkkkkk

No meu caso isso nunca foi um grande problema - meus poucos amigos não são do tipo de colocar pressão, e o ambiente onde eu cresci faz campanha pra que os adolescentes NÃO transem antes do casamento. Dei sorte.

E nas poucas vezes em que eu me senti insegura com isso, bem... eu desencanei logo. Porque se tem uma coisa que a vida me ensinou a duras penas, é que fazer as coisas por pressão é uma péssima, PÉSSIMA idéia.

Ok, nunca fui de grandes ousadias a começo de conversa, sempre fui do tipo que pensa e repensa as coisas um milhão de vezes e que segue a razão muito mais que qualquer outra coisa, então até hoje fiz poucas 'besteiras'. Mas dessas poucas, 100% foram em circunstâncias onde eu ouvi os outros mais do que a mim mesma.

O que eu quero dizer é, no final só o que importa é a SUA opinião. Como disse o Huan, "é sua cabeça que vai se deitar em paz ou não no travesseiro de noite.".

Precisei quebrar a cara um pouco pra me dar conta que, na hora do bem bom todo mundo adora colocar pilha; mas depois se as coisas dão errado, todo mundo some.

Por causa dessa noção afiada que eu tenho, prefiro ficar virgem até os 60 anos se for necessário a ficar com alguém só porque os outros querem! Ò_Ób

Não é nem questão de levantar bandeira pela virgindade ou qualquer idiotice assim, é só que essa é MINHA vida - quem vai ter que juntar os cacos depois sou EU, logo, se é pra arriscar, vou arriscar quando EU achar que devo.

Não abro mão dessa liberdade por opinião alheia alguma.

Então é, se você quiser meu conselho, é o seguinte: o que quer que você decida, tem que ser uma decisão totalmente SUA, e os outros que SE DANEM.

Imagino que eu vá levar ainda algum tempo até me relacionar com alguém porque minha vida social é bem parada - eu saio raríssimas vezes, quase não conheço gente. Nesse ritmo é difícil se interessar por alguém mesmo, rs. Mas eu estou tranquila. Nem me estresso. Tal qual a amiga da Ana Carolina lá em cima, pra mim isso também 'não está fazendo falta'. Então tá de boa :)

Por fim, convenhamos T., patrulhar a vida amorosa/sexual dos outros é O FIM DA VÁRZEA! É "de cair os butiá do bolso", como a gente diz aqui, kkkk.

Se me perguntarem, muuuuito pior que ser virgem é ficar bisbilhotando a vida alheia. Eu acho toda essa pressão uma grande palhaçada, isso sim. E não tem nada de ruim em nunca ter feito sexo, oras!

O negócio é cada um viver a sua vida... E com tanto ser humano no mundo, eu duvido que seja possível estabelecer o que é 'normal' a começo de conversa ;]

Anônimo disse...

Ótimo post!
Realmente, para além do machismo, em nossa sociedade se cobra de tudo da pessoa, o controle do corpo (que para mulher é pior) tende ser geral, ao contrário da liberdade que o capitalismo tanto prega não? As pessoas tem que perder a virgindade, mas não qq hora, e sim quando a sociedade nos diz que é "normal" perder, e depois disso vc terá que ter x parceiros (isso varia de mulher p homem) para ser normal.
Apesar de muito bom, sexo é super exaltado na sociedade, todas as revistas, novelas, filmes insinuam sexo, falam de sexo (ao mesmo que condena..)..
Sexo movimenta $$$ etc..
Duvido que a qualidade acompanhe tal "performance" que nos é cobrado..
Não é uma loucura isso?

Acho que a autora está no caminho certo quando fala que irá sacrificar sua liberdade se optar por fazer por fazer pra se encaixar..o ponto está aí.

No blog da Letícia (cem homens), houveram uns ótimos posts muito parecidos..Percebo que é um problema que muitos passam..

Bjão e força para ser quam vc quiser do seu jeito!!
Como feminsitas temos que saber que liberdade de mulher é isso aí, dar para quem quiser e tb não dar pra ninguém se não quiser!

(vivi)

Laura disse...

Me identifiquei muito com o depoimento da T.. Por muito tempo me senti EXATAMENTE igual.

Com 21 anos ainda não tinha tido nenhuma relação, mas tive que mentir até para minhas amigas mais próximas de que sim (pois morei 1 ano fora do Brasil e seria algo muito bizarro voltar virgem)

Mas a verdade é que fui ter a minha primeira relação aos 21 anos mas me arrependo de como foi, acho que me precipitei em relação a pessoa "escolhida", não foi legal e sofri muito depois. E depois disso só fui transar de novo quase 4 anos depois.

Apesar de sempre ter chamado bastante a atenção masculina pela minha aparência, ser bem relacionada, adorar sair pra dançar e beber, inteligente, divertida etc, nunca me senti tão envolvida e segura em relação à alguém ao ponto de fazer sexo.

Até que no ano passado, aos 24 anos conheci uma pessoa incrível (meu atual namorado) que é o "príncipe encantado" que eu cheguei a achar que jamais encontraria. Felizmente nos conhecemos, mas sei que tive sorte de conhecer ele, e jovem (pq sim aos 24 anos é jovem).

Tivemos nossa primeira tentativa de transa mais ou menos 1 mês e meio depois que começamos a ficar, porém eu sentia muita dor e nunca conseguiamos concluir a penetração, ele sempre foi muito paciente em relação a isso e só foi acontecer mesmo 3 meses depois.
Após 1 ano e dois meses que estamos juntos cada dia eu me apaixono mais. Tomara que a menina do relato também consiga encontrar alguém assim, mas até lá, aconselheria ela a seguir com a "filosofia" de "antes só do que mal acompanhada" pois tentar forçar as coisas pra se encaixar no que os outros esperam da gente só traz mais sofrimento ainda.

Beijos

Anônimo disse...

Lola, vc comentou sobre os Prestes e é verdade.
Outro caso que sei é aquele vocalista gato daquela bandinha Coldplay que tb perdeu bem "tarde" para o que é considerado nornal..

Essas estatísticas e o normal é um saco eu acho, mas pensando bem acho que tem duas situações. Uma é quando vc sente que tem algum problema e desconforto que precisa ser resolvido, por isso não transa (ex. religioso, moral, trauma, timidez, não conseguir ter contato com o outro, autoestima baixa.) Acho que com a loucura deste mundo moderno esses problemas são preocupante e precisam de ajuda sim.
Mas, no caso da autora do post e noutros que já ouvi são bem diferentes, porque são apenas a diversidade do ser humano se manifestando na sexualidade, não é normal anormal, média, quantidade, é a diferença do outro mesmo!

Bj
(vivi)

Anônimo disse...

Também comecei tarde, e em parte eu me arrependo, porque não há como negar que é muito legal. Mas ruim mesmo é fazer as coisas porque os outros acham que você deve fazer. Eu esperei porque quis, porque queria que fosse num momento bacana, com uma pessoa bacana, quando eu estivesse a vontade e me sentisse pronta. Não foi com rosas na cama e luz de velas, nem com o príncipe encantado, nem nada disso, mas foi bom! Bom por tudo o que aconteceu, não pela relação em si. Eu esperei pra ter cumplicidade, pra me sentir bem, e nesse ponto vejo que fiz certo. Ah, e eu tinha 23 anos, e o cara não era meu namorado.
O corpo é seu, faça como bem entender, mas não racionalize exageradamente que também faz mal!

Anônimo disse...

Adoro tanto a imparcialidade da Lola.
Olha vc é normal, MAS SEXO É BOM D+ FAÇA.
Vc tem sua individualidade, é normal, MAS EU SÓ ME ARREPENDO DO QUE NÃO FIZ.
É, cara Lola, quem nada contra a maré e não faz sua vida girar ao redor do sexo, vai ser sempre um estranho.

Tudo bem exercer sua liberdade sexual, desde que seja pra FAZER SEXO.

Isso me irrita muito, como uma pessoa que preferiu perder a virgindade mais tarde por opção própria e não se arrepende de nada.

É um saco as pessoas nos fazerem engolir esse novo padrão. Sexo é vida, sexo é diversão. E depois tem que lutar msm pelo aborto pq, nos falam tanto de FUN FUN FUN e esquecem que sexo é acima de tudo algo que deve ser feito com a máxima responsabilidade.

Huan Icaro Piran disse...

Shey, muitos homens também acreditam nessas balelas de sermos super tarados que a mídia impões.

Ok, líbido é um processo dual entre psique e hormônios, os dois variam de pessoa para pessoa, então podemos ser mais ou menos libidinosos, mas não é para ser tanto assim (quem é precisa procurar um endócrino, serio!)

Carol, infelizmente faz parte, as poucas paixonites que eu tive entre os 14 e os 16 não deram em nada...uma delas ainda rolou um beijo, mas depois desse acabei repetindo só aos 19 '-'

Anônimo disse...

Engraçado, fiquei bem surpresa com essa pesquisa de que a idade media da 1a vez nas meninas é 18. Pra mim foi com quase 19, e lembro de minha mae me dizer que "sei que hoje em dia é raro uma menina dessa idade ainda ser virgem,mas nao se sinta pressionada". E eu ficava pensando quem eram essas meninas pois as minhas amigas tb eram virgens...

Anônimo disse...

Perdi a virgindade com 21 anos e várias de minhas amigas próximas também eram virgens com a mesma idade. E não tinha nada a ver com religião. O que me irrita são as piadinhas que fazem, geralmente homens, sempre dando a entender que uma menina de 15 (15!!!) anos com certeza não é mais virgem, "porque hoje em dia é assim, mulher é tudo rodada etc etc". Perceba, sempre que surge esse assunto os homens fazem piadinhas e dão risadinhas sarcásticas.

Beatriz disse...

Minha primeira vez foi muito boa gente, gozei só com a penetração, sou estranha? Hahahaha
E foi com 23 anos moça. Então relaxa, sério ;) Na hora q rolar vai rolar.

A.T. disse...

Gostaria de agradecer pela atenção, como sempre um texto sensato, no entanto acho que algumas coisas não ficaram muito claras na minha mensagem. Não estava questionando minha “normalidade”, até porque não acredito que isso exista, meu questionamento era em relação ao excesso de importância dado, aparentemente, ao comportamento sexual e que justamente como o texto e alguns comentários que li disseram não é real, a cobrança exagerada que existe para que ele aconteça e o julgamento social através da experiência sexual. Não me incomodo com minha ausência de atividade sexual, não tenho vontade e não me faz falta.
Com relação à assexualidade, embora tenha dito que não se tratava desse comportamento (o email foi escrita há alguns meses) conheci um pouco mais do conceito e tenho que admitir que, apesar de estar com o pé atrás desse movimento como orientação sexual me identifiquei com muita coisa (segue o link de uma palestra longuinha, mas interessante sobre o assunto http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=uF4iJahhQBI), sempre legal lembrar que não é porque alguém não esta afim de sexo que é assexual, tenhamos bom senso, como já foi dito nos comentários acima, há diferenças e é essencial respeitar sem ter em mente esse comportamento padronizado pela mídia.
Obrigada novamente pela resposta Lola, e obrigada também aos que comentaram.
A.T.

Huan Icaro Piran disse...

Anonimo 15:55

Os pias, mulekes e meninos, porque homem tem maturidade e esses ai não tem.

Dayane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Siena disse...

Dos meus 15~16 anos até quase 20 me considerei assexual, por não ter interesse sexual em ninguém, por não sentir atração e por não querer ''enfiar minha língua qualquer pessoa por ai''. Mas também tive um namorado dos 20 aos 23 e fiz sexo, gostei, mas agora solteira continuo não querendo enfiar minha língua em qualquer pessoa por ai, principalmente não antes de conhecê-la. Isso me gerou uma confusão imensa e eu fui de novo pesquisar no AVEN (uma das maiores comunidades assexuais na internet) o que eu era e descobri que estou dentro de um espectro que eles chamam de Gray-A e que sou Demisexual, que basicamente é só sentir atração por alguém após um vínculo emocional forte.
Seria legal vc pesquisar sobre o assunto, esses dias encontrei uma garota da minha idade que se descobriu demisexual por agora e que antes ela não tinha parado pra pensar no que ela realmente sentia.
Eu, diferente de vc, sou super romântica, às vezes até demais, mas nem por isso tenho medo de arriscar, encarar coisas novas e descobrir amores, só que nada é fácil assim...Também não tenho nenhum problema de auto-estima, pelo contrário, ta sobrando, alguém quer? =P E AMO meu corpo, não mudaria nada, talvez as malditas alergias, mas só. =P
Enfim, vc não é um ET por ser virgem aos 22, conheço gente mais velha que ainda é e eu nos meus 24 só tive 1 parceiro, então calma, muita calma. Sexo é legal, mas realmente é overrated.

Vou comentar com meu perfil apesar de estar expondo muito mais do que gosto pra vc me procurar se achar necessário. :)

Anônimo disse...

" então podemos ser mais ou menos libidinosos, mas não é para ser tanto assim (quem é precisa procurar um endócrino, serio!)"

huan, eu concordo que cada um faz o que quer e na hora que bem entender e que isso não é da conta de ninguém. mas esse seu comentário me espantou um pouco. quem disse que não é pra ser tanto assim? conversando com minha psi, eu tava falando de outro assunto, mas acho que se aplica aqui. se uma coisa não faz mal a ninguém, se ninguém força ninguém a fazer nada e a pessoa tem uma vida super normal (consegue estudar, ser feliz, trabalhar, se relacionar, etc), o que quer que seja "essa coisa" é normal e pode continuar assim.

o que é diferente do pessoal viciado em sexo (do mesmo jeito que existem os viciados em comida, coisa que é necessária e boa, mas, se é vício, faz mal), que raramente consegue satisfação nas relações sexuais e que tem a vida inteira atrapalhada por esse vício.

quanto a mim, penso em sexo 25 horas por dia e faria o tempo todo se desse. mas trabalho, estudo, sei que posso deixar pra mais tarde, pra amanhã, etc. se não rolar, me masturbo e pronto. não tenho comportamentos de risco só pra conseguir transar com quem me dê tesão... ou seja, acho que isso seja normal. do mesmíssimo jeito que é normal não pensar tanto em sexo. ;-)

e sempre vou ao endócrino (por outros motivos) e ele mesmo disse que, já que não tenho nenhum efeito ruim (pelos, etc), posso continuar com a testosterona alta pra uma mulher pq acaba me protegendo de algumas coisas.

Dayane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Vou já falar que acho preconceito e falta de respeito não considerar a assexualidade uma orientação sexual.
Vc ta pensando com a cabeça do mesmo mundo que está criticando que é ''todo mundo gosta e deve fazer sexo'', mas não é assim. Existem pessoas que não sentem atração sexual nenhuma e nem a necessidade de fazer sexo, por vezes me questiono se quem sai ''comendo/dando'' por ai ta fazendo pq gosta ou pq acha q é o normal. Já ouvi e li muita gente falando q se pudesse teria tomado mais cuidado com a vida afetiva-sexual na adolescência e usado mais a própria cabeça e não a dos outros.

Ana disse...

@15:29
Já que aparentemente tivestes em 'blackout' no meio da leitura, eu vou facilitar pra ti:

'Você só deve transar quando quiser, quando sentir vontade, com quem quiser, desde que haja consentimento. E, óbvio, lembrando sempre de usar ou pedir pra usar camisinha, desde a primeira vez. isso não é negociável!"

Sim, está lá no texto.

UM POST INTEIRO falando sobre como não existe 'normal' em termos de sexo, e a pessoa aparece aqui acusando a Lola de 'não ser imparcial'!

Me irrita muito isso, como alguém que aproveitou as aulas de português pra aprender a ler e não se arrepende de nada.

Ó, gostar de sexo não implica ser incapaz de se cuidar. E, aborto? Sério??

Um pouco mais de leitura e informação vai te fazer bem....

Huan Icaro Piran disse...

Anonima 16:30

Olha, se seu endócrino fala que esta tudo bem, é porque esta tudo bem, mas é preferível verificar se não há doenças atreladas ao diferencial nível hormonal. Já em homens, que já tendem a ter mais testosterona, níveis muito altos podem ser ruins, e dai vem a importância de um endócrino para saber se pode ou não. De qualquer forma é bom ter acompanhamento médico não?
Sobre viciados, olha, profissionais da saúde mental em geral são recomendáveis para qualquer vício, nem chego a comentar esse ponto.

O que eu estava falando é que não é o habitual nem em homens pensar sempre em sexo (pesquisas britânicas apontam que pensamos em média 1h por dia, mas não estou com tempo para procurar o link, saio daqui uns 10min), se isso estiver fora do padrão, ir a um endócrino e a um psi verificar se há alguma anomalia é algo que se deve fazer.

Principalmente nós homens temos uma tendencia a não procurarmos médicos até que o problema seja muito sério e é sobre prevenção que eu quero ressaltar.

Anônimo disse...

Eu tenho um problema com a sociedade latina de modo geral.

Gente em ponto de ônibus que nunca te viu e começa a contar a vida dela pra você; gente que gosta de puxar assunto em qualquer lugar E NÃO TE CONHECE.

Gente do trabalho que mal te conhece e já sai perguntando no seu PRIMEIRO DIA: "E aí, onde você mora? Tem Facebook? Namora? Há quanto tempo?"

Eu não tenho a menor paciência para contar minha vida toda à desconhecidos. Então não conto. Primeiro, porque sou reservada. Segundo, porque NÃO É DA SUA MALDITA CONTA.

Ganhei inimigas no meu último trabalho porque não quis adicionar ninguém no Facebook e menti sobre minha vida pessoal. Imagine que eu iria REALMENTE contar sobre mim!

Não gostaram? F-O-D-A-S-E!

Eu acho que as pessoas, de modo geral, deveriam parar de se preocupar tanto com o que os outros pensam. Isso vale para muitas feministas que não conseguem enxergar a culpa da mulher no machismo. Sim, fomos reprimidas por milênios, mas hoje em dia precisamos tomar as rédeas da própria vida e mudar.

Conversar sobre vida íntima com chefe e colegas de trabalho? NÃO! RECUSE!

Tá numa rodinha de amigos e começou o assunto sexo? Por que raios e carambolas você vai falar que é virgem? Às vezes eu acho que alguns homens e mulheres tem necessidade de sofrer/passar vergonha/fetiche por ser julgado. Não fale, oras. Ou minta. Fale o menos possível.

Mas tem tanta gente por aí que sai escancarando a própria vida... com que necessidade?

Mesma coisa do tal "ser rodada". Como é que alguém vai saber? Seja inteligente, frequente lugares diferentes, tenha conhecidos em lugares diferentes. E seja discreta. Duvido alguém algum dia descobrir que você transou com 34948537456 pessoas.

Dou graças a Deus de não estar mais no Brasil. Perdi a paciência com essa cultura há muito tempo.

Anônimo disse...

sobre virgindade http://www.youtube.com/watch?v=CyU8TGvOvWY&feature=related
provavelmente a pior entrevista em termos de vulgaridade e "péssimo mau gosto" por parte de Jô Soares, sujeito que nunca apreciei em nada que o vi apresentando ao público, e tristemente ilustra os lares de milhoes de brasileiros, de todas as classes sociais. Que triste saber que uma mentalidade assim faça parte da intelectualidade badalada de um país!

carolinapaiva disse...

Você só deve fazer se estiver a fim mesmo. Minha primeira tentativa não foi bem sucedida porque eu estava muito tensa. Resultado: fiquei tão tensa que não aconteceu nada, rs. Não tinha como.

Pressão sobre sexualidade é bizarra, sem mais. Essas pessoas não vão fazer sexo por ti, né? :P

Anônimo disse...

huan, muitas mulheres têm o nível de testosterona mais alto. seja por ovários policísticos, seja por uma característica natural. a testosterona que faz mal é a exógena. a não ser que esse nível mais alto seja consequência de algo errado no sistema endócrino. os níveis variam de pessoa pra pessoa e tanto é assim que exames de sangue sempre têm um "range" nunca um valor único. e, mesmo assim, tudo é checado em conjunto, nunca separadamente.

"mas é preferível verificar se não há doenças atreladas ao diferencial nível hormonal" isso me assusta muito. eu não tenho doença alguma. se não sou o que alguma pesquisa disse ser o "habitual", eu sou fora do comum? sempre tive relacionamentos baseados em respeito mútuo e meu desejo sexual nunca foi um problema. talvez seja questão de achar parceiros com o mesmo ritmo sexual. e, como falei, sem prejudicar ninguém, é normal.

"pensamos em média 1h por dia,, se isso estiver fora do padrão, ir a um endócrino e a um psi verificar se há alguma anomalia é algo que se deve fazer"
fala sério. se eu penso em sexo o tempo todo e fico molhada mil vezes por dia, tenho que verificar se tenho alguma anomalia?

seria o mesmo que eu dizer que quem não pensa tanto em sexo tem que procurar ajuda.

a gente não pode querer aceitar um lado botando defeito no outro. cada um na sua e cada um feliz.

eu não tenho anomalias, não tenho doenças, estou feliz pensando em sexo o tempo todo e meus parceiros tbem.

Ana disse...

@T.
"meu questionamento era em relação ao excesso de importância dado, aparentemente, ao comportamento sexual"

Oi T. \o

Agora lendo seu comment, pensei numa coisa... Talvez toda essa valorização do sexo possa ter haver também com a repressão que tínhamos antigamente.

Se for pensar em termos históricos, primeiro tínhamos a religião - e o sexo era algo sujo, uma perversão, só podia ser feito no casamento com fins reprodutivos, prazer era coisa do demo... E depois quando finalmente a coisa ficou mais fácil, logo veio a descoberta da AIDS e o pessoal teve que se cuidar de novo. E aí hoje com a camisinha e tal, sexo se tornou novamente possível desde que feito com alguns cuidados.

Até tenho medo de estar falando uma bobagem extrema aqui, rs. Não entendo lhufas de história pra ser sincera. Mas é que eu tenho a sensação de que ouvi esse argumento em algum lugar... Não lembro onde ._.

Meu ponto é que do mesmo jeito que tem muita pressão absurda a favor do sexo, também sempre teve alguma pressão contra... Talvez as coisas estejam relacionadas. Talvez a pressão pra que se faça sexo seja uma face mais extremista da sociedade, que tenta até hoje se livrar de toda a repressão sexual que já sofreu. Não deixa de ser algo idiota, mas enfim.

Aff, não consigo explicar >_<

Anônimo disse...

anon das 16:49 - sério, odeio esse jô soares. machista, podre e não é essa inteligência que muita gente acha que é.

vc citou só um exemplo. é só ligar a tv à noite pra ver outros todo santo dia.

Huan Icaro Piran disse...

Anonim@ 16:46

1- não gostar da cultura latina é direito seu, e é meu de não gostar, podia pedir para você ir se foder também, mas prefiro reservar isso as boçais que tornaram-se suas inimigas por não adicionar elas no facebook (minha noiva não adiciona nem os conhecidos mais chegados, sei como é), mas isso se chama "cordialidade" algo opcional da cultura latina que eu, particularmente, adoto com prazer e orgulho

2- concordo que local de trabalho tem ressalvas sobre intimidades e em conversa aberta sobre o tema com meus colegas de trabalho meu chefe e eu estamos alinhados neste ponto...mas nem eu e nem ele nos importamos com as intimidades alheias que não nos afetam

3- olha, se esta entre amigos, sinceridade é algo bacana sabe, eles entenderem e aceitarem também...se precisar ser diferente então não era uma amizade

4- tem receita demais ai para bolo de menos...

5- apesar de ser contrario ao conceito de nação, devo admitir ser meio xenofóbico com argumentos como "Dou graças a Deus de não estar mais no Brasil. Perdi a paciência com essa cultura há muito tempo." mas por conta do ataque contra conceitos de cultura. Você é moralista demais, demagógic@ demais e não faz porra nenhuma para mudar as coisas que ataca...há, convenhamos não é

Pili disse...

se os comportamentos não são padronizados (ex, acreditar em deus, querer filhos, querer tê-los sedada, ser hétero, etc), então eles são passíveis de reflexão.
e é isso que incomoda os ditadores da normalidade. É que a existência do diferente obriga a reflexão, tanto sobre o outro, quanto sobre si próprio.
Ex:
Ora, se fulano é fora do padrão então é porque o padrão não é tão automático, natural, inevitável assim como dizemos. Então pode ser que eu também seja "anormal" sem saber. Pode ser que eu esteja imitando o padrão a minha vida inteira. Que medo, não quero nem pensar em ser anormal.

Da próxima vez que um chato for te incomodar, diminuir, ou argüir o que vc não é obrigada a justificar, lembre que ele está muito mais assustado do que vc. Ele não tem certeza de si mesmos, dos próprios desejos, das próprias ações.

Já você, enquanto tiver certeza de si, estará bem ;)

Anônimo disse...

perfeito, pili.

aiaiai disse...

eu ia dizer o que o andré disse: anormais são o seu chefe e o seu amigo.
Como diria Raul: "Faça o que tu queres pois é tudo da lei!"

Ana disse...

@16:46
"Ganhei inimigas no meu último trabalho porque não quis adicionar ninguém no Facebook e menti sobre minha vida pessoal. Imagine que eu iria REALMENTE contar sobre mim!"

Apesar de falar pelos cotovelos na internet, pessoalmente não gosto de contar muita coisa, e é sim ruim quando ficam metendo o bedelho.

Quando eu não quero contar alguma coisa, eu simplesmente digo que prefiro ser reservada com o assunto. Geralmente funciona (embora eu meio que fique com fama de estranha e antipática)

Facebook eu nem tenho, e se quiserem ficar de cara comigo por isso... Como você disse, F...

"Tá numa rodinha de amigos e começou o assunto sexo? Por que raios e carambolas você vai falar que é virgem? Às vezes eu acho que alguns homens e mulheres tem necessidade de sofrer/passar vergonha/fetiche por ser julgado. Não fale, oras. Ou minta. Fale o menos possível."

Se a pessoa se sente muito desconfortável, melhor que não fale nada mesmo - cabe aos outros respeitar isso. Mas acho que errado mesmo está quem julga, não quem fala a verdade ._.

"Mas tem tanta gente por aí que sai escancarando a própria vida... com que necessidade?"

Hã, não sei. É a vida del@s. El@s tem direito de 'escancarar' se quiserem :P

"Mesma coisa do tal "ser rodada". Como é que alguém vai saber? Seja inteligente, frequente lugares diferentes, tenha conhecidos em lugares diferentes. E seja discreta. Duvido alguém algum dia descobrir que você transou com 34948537456 pessoas."

Ahahaha, nem faz diferença com quantos foi... 'Rodada' é o conceito menos definido do universo, é só coisa de gente desocupada mesmo.

Mas sei lá, eu acho absurdo ter que ficar se cuidando e escondendo coisas pra não ser chamada assim - o errado da história é o povo que julga, não quem está só vivendo sua vida.

"Dou graças a Deus de não estar mais no Brasil. Perdi a paciência com essa cultura há muito tempo."

Mas só aqui é assim? ._.

Bruno S disse...

Ana,

na verdade, há pressão para fazer e para não fazer. Não sei como era em outros períodos.

Segundo as pressões contra e a favor temos:

A moça não pode ser virgem depois de determinada idade.

Não pode ficar períodos longos sem fazer.

Se fizer uma longa viagem ou passar período grande morando em outra cidade/país tem que experimentar os locais.

Não pode fazer com apenas um parceiro por toda a vida.

por outro lado

Não pode fazer com um cara que acabou de conhecer.

Não pode fazer num primeiro encontro com um cara que queira namorar.

Não pode fazer com um grande número de parceiros.

Com todas essas mensagens contraditórias que a sociedade passa, a única coisa normal é a pessoa ter dúvidas.

Ellen Teles disse...

Ana,

Obrigada por responder ao anônimo @15:29. Me poupou muitas e muitas palavras...rs!

Reforçando muito do que já foi dito aqui: a melhor idade pra se perder a virgindade é quando você tiver vontade e responsabilidade.

Quanto a relacionamentos, existem diversos: assexuados, abertos, monogâmicos, etc. Desde que haja respeito e amor tudo é válido, independente do que os outros pensem.

L. C. disse...

Eu adoraria poder colaborar com um guest post sobre assexualidade. Porque eu passo pelo mesmo dilema que a T. Só que eu acho que é mais intenso, afinal, ela pensa em fazer sexo algum dia, já eu, tenho mais interesse em filas de banco do que em fazer sexo, quer dizer...
Enfim, tem acontecido umas situações bem chatas e acho que são comuns pra maioria dos que se identificam como assexuais (embora eu não participe de nenhuma comunidade, tenho uma ideia...), falar sobre isso seria um prazer :)
Qualquer coisa, avise que eu entro em contato :3 beijinhos!

Huan Icaro Piran disse...

Anonimo 17:01

Não estou dizendo que pessoas que tem líbido maior (como no seu) tem que procurar simplesmente por terem maior líbido. Também não me refiro exclusivamente a mulheres.

O que eu quero dizer (e se dei a entender outra coisa perdão) é que se uma pessoa notar que tem um líbido muito alto e pensa em sexo o tempo todo ir a um endócrino é algo preventivo para possíveis doenças relacionadas a distúrbios hormonais. Algo que pode detectar inclusive o ovário policístico, ou que é algo normal como o seu caso.

Evitar isso é como fazer como meu chefe que estava com uma dorzinha boba na coxa e decidiu ignorar a mancha roxa...no fim do dia foi parar no hospital por uma picada de aranha marrom. Me chame de paranoico se preferir, mas eu sou totalmente favorável as pessoas se prevenirem.

Outro exemplo é minha sogra; ela tinha uma indisposição cronica taxada de preguiça algo que por vezes minha noiva também tem. Ambas achavam normal, até minha sogra descobrir ter problema de tireoide. Já minha noiva é apenas preguiçosa mesmo, mas ela trabalha arduamente e estuda muito, não me importo em cochilar abraçado com ela todos os dias se for. Agora, minha noiva ter ido ao médico ver se também tinha problemas de tireoide (mais de uma vez pois o problema oscila bastante) foi algo importante.

Bem, eu falei de homens também não é?
Eu tenho pouco líbido, algo que não me perturba. Mas some isso ao meu IMC baixo (17) e minha tendencia a perder peso rapidamente quando adoeço (na ultima crise de sinusite foram 4 kg em 2 semanas). Não vou dizer que me considero normal pois tem muito amigo meu que entre outros apelidos me chama de 'estranho' mas em suma me considero um cara normal. Contudo estou pensando seriamente em procurar auxílio médico, pois esses fatores são sintomas de problemas hormonais, não necessariamente eu tenho, mas prevenir é importante.

Andy Glass disse...

Tenho 23 anos, sou virgem, descobri há pouco que sou lésbica (ninguém sabe), mas nunca fiquei com uma menina (embora já tenha me apaixonado por algumas). Minha única experiência foi com um cara que eu nem conhecia, num show do férias no ceará, só um beijo, o único da minha vida. Sou extremamente tímida, não gosto de mim, tenho auto-estima super baixa e quase nenhum amigo. Tento de tds os modos fazer amigos, mas parece que as pessoas me rejeitam - talvez pq as pessoas me achem estranha, n sei. Me sinto anormal, tento mudar há tempos mas não consigo. Não sei o que fazer... Depois desse post me sinto um pouco menos excluída do mundo. Eu visito o blog há uns 8 meses e aprendi bastante coisa, mudei algumas opiniões que tinha sobre algumas coisas tb. Já comentei algumas vezes por aqui com a minha conta oficial, estou usando essa pq não tenho coragem de dizer o q disse mostrando quem eu sou. Obrigada mais uma vez Lola!

Mévia disse...

Você é muito normal! rs

Com a sua licença para dar pitacos sobre a sua vida... ;) lá vou eu

Se um dia você encontrar alguém legal, que te trate bem, etc, etc (e se vc estiver curiosa!), sugiro tentar, pois sexo é saudável (use camisinha!) e divertido. Pode ser que você goste! Ou não, mas, pelo menos, você já fica sabendo.

Eu digo "alguém legal" porque provavelmente as primeiras vezes não serão muito agradáveis, e se transar com cara sem paciência e grosso já é ruim quando a gente não é mais virgem, imagina então na primeira vez.

Se vc não tem aqueeela curiosidade, e nem vontade, desencana e continue com a sua vida, como vc fez até agora! Um conselho prático é o que muitos já deram, não abra a sua vida sexual para qualquer um, apenas para os mais próximos. Minta, se necessário! "A mentira, num mundo opressivo, é uma forma aceitável de resistência"

Shey disse...

Pois, é, Huan.

As mulheres não são donas de seus corpos e pelo visto, os homens tbm não, aparentemente.

Todo mundo pode dar pitaco, no fim das contas...

Vitor Ferreira disse...

Acho que há uma ambivalência grande nessa menina. Ela dá muita importância ao sexo, quando, na verdade, não deveria. Na minha opinião, não há mais ou menos pressão por sexo hoje do que antes. Talvez acho que antes havia até mais, já que andamos cada vez mais conservadores e medievais. Acho que há uma expectativa grande dela mesma, com algo que não é nada demais, e por outro lado ela me parece ter ressalvas demais. Bom, é uma decisão bem pessoal, mas na minha opinião ela vai desencanar logo, logo após experimentar.

Siena disse...

Dayane,

eu também acho caras bonitos por ai, dando uns exemplos, sou maluca no Lee Pace, Tom Hiddleston, Joseph Gordon-Levitt, Anton Yelchin, entre outros, to com a filmografia quase inteira dessa galera pra ver e adoro topar com fotos deles por ai, mas isso não é o mesmo que atração sexual. Pelo menos no meu caso, achar eles lindos e tudibom não está diretamente ligado a querer fazer sexo com eles, alias, não está nem um pouco ligado.
Dentro do universo AVEN eles chamam essa atração de aesthetic attraction. É bem legal pesquisar e ler sobre o assunto como um todo pra ir descobrindo as pequenas nuances dentro do universo Assexual.

Também tenho uma paixão antiga e maluca no Keanu Reeves, desde pequena, nem minha mãe entende. =P
É comum achar as pessoas bonitas e apreciar a beleza delas, mas isso nem sempre quer dizer querer fazer sexo com elas. E isso também é diferente de níveis de atração.

Anônimo disse...

huan, com todo o respeito (e, se parecer que estou me escondendo atrás de algum anonimato, me perdoe, mas quero que vc entenda que estou só conversando contigo), vc comparar uma dor com tesão é complicado.

se vc sente uma coisa boa (que vc entende como boa), vc vai ao médico?

nem no ovário policístico a mulher reclama de "excesso" de tesão. normalmente, as mulheres reclamam antes de problemas no ciclo menstrual, hirsutismo e pele oleosa. nunca vi ninguém ficar com tesão e chegar no consultório dizendo:"estou morrendo de tesão". aliás, um dos entraves pra muita mulher aderir a alguns contraceptivos hormonais é que muitas sentem queda na libido.

acho, sim, que a pessoa deve procurar um médico se um tesão incontrolável acontecer sempre e essa pessoa passar a querer, sei lá, estuprar ou ter comportamentos de risco. aliás, o médico mais indicado antes é o de cabeça. quem realmente tem problemas com "excesso" de tesão tem mais é um desequilíbrio ligado a ansiedade e o tratamento normalmente é com ansiolíticos e raramente com finasterida ou algum outro antiandrogênico. porque o problema é a falta de satisfação de um desejo. daí a insistência do comportamento e a falta de controle sobre si mesmo.

Anônimo disse...

Lendo os comentários to começando a me sentir um ET pq minha primeira vez foi ÓTIMA!
Doeu um pouco, o normal pra primeira vez de algumas meninas, mas de resto foi muito bom.
Acho que pq eu amava muito meu namorado e vice-versa. E foi "rápido" também, tínhamos alguns meses de namoro. A questão é que eu que quis, ele não pressionou em nada e eu já tinha tomado a decisão, então disse, vamos. Foi muito, muito bom e eu tava em cima, então controlei melhor quando doía ou não. Foi uma experiência bem legal.

Anônimo disse...

huan, sobre seu imc baixo... imc é medida normalmente usada pra populações, pra estatística. o imc de uma pessoa não importa tanto pra um médico saber se vc é ou não saudável. e, se sua programação genética te diz que vc vai ser magrinho, é uma tendência sua e perfeitamente NORMAL. nem sempre ser magro e ficar doente é sinal de desnutrição.

será que é por isso que vc disse que tinha medo de pessoas musculosas? hahahaha. sou eu de novo!

Ana disse...

@Siena
"Pelo menos no meu caso, achar eles lindos e tudibom não está diretamente ligado a querer fazer sexo com eles, alias, não está nem um pouco ligado."

Opa colega, eu também sou assim \o

Achar bonito é fácil, ué. Eu acho vários - só que tenho um gosto muito torto se for falar de senso comum... Sei lá, é estranho gostar mais do Jay Baruchel do que do Brad Pitt? O_o

Realmente é como dissestes, achar bonito está longe de querer fazer sexo... É, isso explica muita coisa... Como por exemplo gostar do Robert Downey Jr, apesar de ele ter idade pra ser meu pai ._. (Ahaha, eu acho que sou a única garota que viu Avengers e não caiu de amores pelo Hiddleston >D)

É, pra mim também são duas coisas completamente diferentes.

Anônimo disse...

Tenho a mesma idade da autora, mas, o contrário dela, tive um parceiro sexual na vida. Digo um parceiro, mas fiz sexo com um outro sujeito a quem eu não me refiro como parceiro porque não foi consensual. Apesar de eu não ter imposto nenhuma resistência física, eu não queria e tenho certeza de ter deixado bastante claro. Hoje tenho certeza de que sucumbi a um terrorismo psicológico ou algo do tipo. Chantagem, whatever. Me arrependo, me sinto bastante culpada, quando sei que passei horas e horas proferindo sonoros "nãos". A situação até hoje é muito enevoada na minha cabeça.
Usei preservativo corretamente, mas mesmo assim me sinto contaminada, suja e há meses não consigo dormir direito sem acordar sobressaltada com o pensamento de ter contraído alguma doença ou com a angústia de que poderia ter relutado mais e talvez evitado tudo.
Enfim, tudo isso foi pra desabafar porque não há ninguém a quem eu possa contar o que aconteceu.

Dayane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Fui virgem até os 23 anos e sofri muito com isso.
Beijei pela primeira vez com 15 anos com alguém que eu nem queria, só para não ser BV...

Fiquei com vários rapazes na adolescencia com quem eu não queria, só para não ficar sozinha. Na verdade ficava com todos que queriam ficar comigo (muito poucos, pois eu era gorda).

Só tive um namorado e transei com ele bem rápido, pois queria perder a virgindade logo.

A pressão sobre mulheres virgens é imensa. Imagino como deve ser para os homens.

Engraçado pensar que antes a pressão era para continuar virgem...

Panthro disse...

A média de altura do brasileiro é 1,73m. Eu meço um 1,94m. Devo cortar minhas pernas pra ser normal?

Porra, gente! Parem de nóia!! Que tara bizarra é essa de querer ser mediano a qualquer custo? Vão viver suas vidas. Transar ou não transar tem a ver com o que você tem vontade, não com adequação. Como diria o Pato Dolan: pufavô!

Panthro disse...

Aliás, eu sou uma pessoa que não fico com pessoa que não transa no primeiro encontro. Por uma razão muito simples: Não gosto de quem dá mais valor pra sexo do que ele tem. Se você tem vontade de fazer e não faz é porque dá mais valor pra ele do que ele tem. Você não fica com vontade de comer não come nem fica com vontade de ir ao banheiro e fica segurando (eu, pelo menos. Tenho um amigo que passava semanas sem ir no banheiro porque estava viajando). Eu simplesmente faço o que tenho vontade quando tenho vontade, desde que não prejudique ninguém. Pq todo homem e toda mulher é uma estrela e tudo e tal.

Anônimo disse...

Os comentários feitos pela Ana e elo Huan me agradaram bastante. Parabéns pela inteligência e sensatez.
Já conversei um pouco com ela, nos comentários de outro post da Lola, sobre virgindade tardia.

Tenho quase 30 anos, sou agnóstica, heterossexual, próxima ao padrão de beleza e virgem.
Sou tímida, introvertida e tenho dificuldades para ser íntima de alguém. Não que eu não gostaria, mas simplesmente não aconteceu.

Conheço, virtualmente, pessoas mais velhas e virgens e fiquei surpresa com a quantidade de depoimentos e comentários de pessoas virgens com mais de 25 anos numa reportagem online de revista feminina. Vi mulheres que nem tímidas e nem assexuais são e mesmo assim nunca transaram. Me senti menos mal.

Eu fantasio e tenho desejos. Mas, além de não socializar muito, sou involuntariamente seletiva em relação ao outro. Acho que a quantidade de homens que me atraem é muito menor do que a média das outras mulheres. Gostaria de mudar isso, estar aberta à mais pessoas, mas não consigo.

É melhor não fazer sexo do que fazer sem entusiasmo.
Mas não nego que sexo com tesão, respeito e carinho deve ser maravilhoso.

Anônimo disse...

Há uma diferenca entre normal e padrao, não é porque a maioria comeca cedo que necessariamente seja o ideal.
A maioria dos adolescentes não tem maturidade para encarar um relacionamento amoroso e sexual.

Ana disse...

@18:21
"Digo um parceiro, mas fiz sexo com um outro sujeito a quem eu não me refiro como parceiro porque não foi consensual."

Querida, naõ foi sexo, foi estupro! D:

Anônimo disse...

"Gostaria de mudar isso, estar aberta à mais pessoas, mas não consigo."

quando alguém diz isso, aí, sim, penso que essa pessoa precisaria de ajuda. se quer mudar algo e não consegue, é hora de procurar um profissional.

se vc dissesse que assim tá ótimo e vc não quer mudar nada, eu diria que tudo bem, é normal.

Ana disse...

@Dayane
"Pra mim, sexo é uma coisa íntima de mais!A pessoa verá meu corpo, verá cm eu reajo, verá meu prazer, minhas fantasias."[2]

Poisé, eu também acho que é uma coisa muito íntima! Aliás, beijo também acho íntimo, de uma certa forma. Eu quero dizer, é como disse a T., é 'enfiar a língua em outra pessoa', kkkkk

Falando assim parece exagero, mas ué - se for pensar é exatamente isso XD

Fazer essas coisas com alguém que eu não conheço muito bem... Jamais! E não é nem frescura, é que NÃO ROLA! D:

Eu preciso de segurança... mas isso só se conquista depois de um tempo, depois de convivência... Sei lá, acho bem improvável que eu vá ficar com alguém que não seja amigo primeiro, sabe? Quero dizer, envolvimento romântico logo de cara é meio estranho pra mim ._.

Ih, eu ainda vou um tempo solteira... Kkkkk

Ana disse...

@Panthro
"Aliás, eu sou uma pessoa que não fico com pessoa que não transa no primeiro encontro."

Mas, mas, mas e se a pessoa simplesmente não estiver a fim? Comofaz?? D:

Anônimo disse...

ana, não vou querer defender, mas, pelo resto do texto, deu a entender que seria se a pessoa tem vontade e não faz porque é o primeiro encontro... tipo ter vontade de comer e não comer. ficou implícito, pra mim, que existiria a vontade.

aliás, gente... vontade é tudo. cada um fazendo o que quiser fazer sem machucar ninguém, sem prejudicar ninguém e sendo feliz. se a pessoa está feliz como está, não existe problema algum em nada. se a pessoa diz que gostaria de ser diferente, se é por ela, vale a pena investigar com profissionais o que pode estar acontecendo.

Jacqueline disse...

Completamente fora da pauta, mas veja: http://f5.folha.uol.com.br/humanos/1142037-mulheres-de-biquini-protestam-contra-concurso-miss-bumbum-em-salvador.shtml

Então uma transsexual não é mulher por que? Pelo fato de não poder gerar uma criança?

Barbaridade.

Ana disse...

@19:06
"ana, não vou querer defender, mas, pelo resto do texto, deu a entender que seria se a pessoa tem vontade e não faz porque é o primeiro encontro... tipo ter vontade de comer e não comer. ficou implícito, pra mim, que existiria a vontade."

Descuuuuuulpa mas eu não entendi o que queres dizer =__=

Lilian Soares do Nascimento disse...

Nossa. Conheço muita gente que perdeu a virgindade depois dos 20.

A minha primeira vez foi as 19, levei um ano e meio de namoro para decidir.

Eu me impus algumas etapas para me sentir digna de usufruir o momento, como arranjar um emprego para poder pagar meu próprio anticoncepcional, pagar a consulta na ginecologista e me sentir "pronta" mesmo.

E mesmo assim não foi legal, porque fiquei tensa e doeu. E como se não bastasse, eu senti culpa, como se tivesse feito algo errado e nem podia olhar para os meus pais. Durou alguns meses isso.

E foi horrível, porque eu tinha plena consciência de que não tinha feito nada de errado, mas, por não poder contar - porque meus pais são machistas e não receberiam bem a notícia - eu me senti, sei lá, uma traidora.

Machismo é uma desgraça. Os amassos eram deliciosos, mas, chegava na hora de avançar e eu brochava, porque pensava em casa, nos meus pais, que estava fazendo "coisa errada". Aí eu ficava revoltada comigo mesma por ser tão idiota e seguia em frente.

Deve ter levado uns 6 meses para que eu finalmente me libertasse do subconsciente de uma culpa que nunca deveria ter sido implantada na minha cabeça.

Enfim. Cada um sabe de si. E nem sempre sabe o suficiente até ter de descobrir.

Siena disse...

@Ana e Dayane

Então, eu não tenho nenhuma restrição religiosa, de criação ou ambiente. Meus pais são bem tranquilos em relação a namorados etc, eu que tive que suportar com 14~15 anos junto com a minha irmã q na época devia ter 11 anos a maldita conversa sobre sexo. HAHAHAHAHAA Ainda bem que foi só uma.
Então, também acho sexo mega íntimo e beijar uma pessoa também, como disse a Ana, e por isso também tenho dificuldade em pegar geral por ai. Mas não pensem que eu nunca me questionei quanto a isso.
Depois do fim do meu relacionamento e daquela fase horrível, voltei a sair, conhecer pessoas e etc. Nessas saídas eu tentei várias vezes me convencer a ficar com algum carinha mais bonito que se aproximasse, tentei mesmo, de sair cantarolando o mantra na cabeça de casa até a ''balada'' e na hora nada. Não dava, não ia, eu tentava, conversava com a pessoa, ficava pensado ''vamos Siena, olha como ele é bonitinho'' e nada. Por várias vezes isso aconteceu e minhas amigas ''mas Siena e menino era muito lindinho'', gente não da, eu não consigo. Ai voltei a pesquisar sobre assexualidade e achei essa vertente demisexual que se encaixa muito bem, alias nas conversas que eu tinha com essas amigas também, na minha incapacidade de ficar com pessoas aleatórias.
Dai desencanei, pq penso que é como se eu fosse homossexual e tivesse me obrigando a ficar com alguém do sexo oposto só pq é o ''normal'' e isso não é saudável e nem me incomoda não pegar geral. To bem e feliz assim, estranha como sempre, pq ficar me forçando a algo que não sou?

obs Ana: o Jay em Fanboys ta uma gracinha, vc já viu? hasiudhasiudhaiuhda

Anônimo disse...

ana, eu quis dizer que eu não estou defendendo a pessoa que comentou, já que não o conheço. mas, pelo texto que ele escreveu, ele deixou claro que não gosta de quem não transe no primeiro encontro por algum tabu bobo. ou seja, existe vontade. vc tinha dito no seu comentário "mas e se a pessoa simplesmente não estiver a fim?". só que, no comentário dele, está claro que existe a vontade.

Panthro disse...

Oi, Ana

Se a pessoa não estiver afim é porque não rolou química, né?

Anônimo disse...

@Ana,

Racionalmente, concordo com você. Mas por não ter relutado mais ou mesmo fisicamente sinto que tenho uma parcela de culpa nisso. Por mais que eu saiba que fui agredida verbalmente e que tenha falado não por tantas vezes e tão enfaticamente.
Mesmo tendo usado preservativo, tenho pensado constantemente que posso ter contraído DSTs, talvez como forma de me punir.. Aconteceu há cinco meses, mas ainda não consegui dar um fechamento na minha cabeça.

Anônima das 18:21

Panthro disse...

Fiquei pensando agora: Tem alguém que sinta vontade com prazo? Tipo "estou com vontade de transar, mas só no quinto encontro". "Ou quero comer chocolate amanhã". Estou perguntando de boa mesmo. Tem gente de todo tipo, então tem gente que pode sentir vontade com prazo.

Ana disse...

@19:48

AHHHHH TÁ

Oh. Ok. Ah, ah é, é, pode ser isso :]

@Siena
Ahaha... Não, 'Fanboys' ainda não vi.
Eu só fui descobrir o Jay por causa da dublagem de 'Como Treinar o Seu Dragão' (eu curto animações um bocado sabe). E aí logo em seguida vi 'O Aprendiz de Feiticeiro'.

Eu adoro ele <3

Mas é só. É isso. Eu adoro. E deu.

O mesmo vale pra mais uma penca... Do Orlando Bloom (me impressiono toda vez que alguma mulher me diz que não acha ele tudo isso O:) ao David Schiwmmer (que eu fui descobrir, pasme, não por Friends, mas pela dublagem de Madagascar).

Andrew Garfield é minha descoberta mais recente... Ele está uma graça no novo filme do Spidey... E tem o rapazinho que faz o Stiles em 'Teen Wolf'...

Tá, parei >_<

Panthro disse...

EXATAMENTE, Siena! Cada pessoa tem seus hábitos sexuais. O jeito que gosta, a frequência que gosta, as manias... O negócio é encontrar alguém que se identifique e com quem você se encaixe, não tentar se forçar a um "encaixe médio". Ninguém namora com a média, as pessoas ficam com outras pessoas.

E digo mais: sexo é bom, sexo é gostoso, mas sexo não é tudo. Eu não teria dúvidas em ficar com alguém que nem é lá essas coisas na cama, mas que tem outras vantagens. Tudo tem que ser levado em conta. O que eu sigo é que sexo inclusive. Eu jamais namoraria por meses sem transar. Seria como namorar por meses sem falar de racismo ou política. Vai que você descobre que aquela pessoa era escrotíssima de uma forma irreconciliável?

Agora sexo é bom no primeiro encontro? Muito raramente. É preciso de tempo pra se encaixar num esquema que fique bom pros dois. Mas conhecer pessoas é trabalhoso mesmo, paciência.

aiaiai disse...

eu não queria dizer isso, mas to achando que vocês estão valorizando muito o sexo, como uma coisa assim do outro mundo. Não é. É delicioso, mas não é do outro mundo. Não precisa ter mil requisitos para acontecer. Só um:
a vontade das duas pessoas (ou mais) envolvidas.

não quer fazer não faz, beleza, cada um na sua. Mas ficar dizendo que não faz por isso ou por aquilo, é tentar argumentar contra o desejo.

Se não tem desejo, não faça. Mas se tem, não fica especulando sobre mil e outras coisas. Trepa logo e pronto.

#prontofalei

aiaiai disse...

e sobre esse negócio de sexo ser ruim no primeiro encontro...acho exatamente o contrário. O melhor sexo é o do primeiro encontro. Depois tem ocasiões boas também, mas o primeiro é sempre memorável, inesquecível, delicioso.

Daniel disse...

Pô, eu fui virgem até os 24 anos. Principalmente por causa da minha baixa autoestima, tenho mt medo de ser rejeitado. Me sentia sozinho e queria transar com alguém e finalmente ter a experiência. Então paguei uma prostituta. Foi meio estranho.
Depois só transei de novo quando arranjei uma namorada e, embora eu tenha gostado, a gente teve alguns problemas na cama. E eu me culpo um pouco por isso.
Hoje em dia eu acho que não gostaria de ter mais relações, tanto sexuais qnto emocionais. Acho que não aguentaria.

Ana disse...

@18:21
"Mas por não ter relutado mais ou mesmo fisicamente sinto que tenho uma parcela de culpa nisso. Por mais que eu saiba que fui agredida verbalmente e que tenha falado não por tantas vezes e tão enfaticamente."

Amiga, você DISSE que não queria, então foi errado sim!

É comum as vítimas não lutarem fisicamente; por medo, por choque, por confusão, enfim - acontece bastante.

Mas pensa comigo, mulher nenhuma tem que ficar chutando e gritando desesperadamente pra fazer valer sua vontade. Isso é simplesmente absurdo, não é assim que funciona - 'não' é não, e deu! Não precisa ser um não acompanhado de um soco. Imagina se toda vez que a gente fosse dizer não pra alguma coisa as pessoas só parassem depois da gente apelar pra violência?

Não foi culpa sua!!

Anônimo disse...

é, sexo era pra ser só mais uma coisa natural da nossa vida. mas são séculos e séculos de repressão, de gente que ficou com trauma... tem essa coisa toda a ser considerada. eu sempre fui a favor do "cuide-se e transe sempre que quiser". mas eu não posso dizer pra uma pessoa que tem outras questões (normalmente, as questões nunca são o sexo em si, já repararam?)"ah, dá logo". cada um sabe onde o calo aperta.

@panthro: vontade com prazo? acho que não. só se for num esquema "qdo nevar, quero esquiar". mas aí depende de outra coisa. ou "quero comer bolo no meu aniversário". aí vc até segura a vontade pq depende de algo de fora. ou "quero comer doce, mas quero dar uma secada e meu off é só daqui a 5 dias"... aliás, eu sinceramnte acho que viver em sociedade é aprender a botar datas em certas vontades.

ou, sei lá, algum casal que queira transar só depois do casamento. se é vontade deles, ok tbem. eu não conseguiria, mas respeito porque cada um tem seus desejos (físicos ou não).

Anônimo disse...

@aiaiai - o sexo do primeiro encontro, na minha opinião, é aquele da descoberta. é o prazer de ser surpreendida. gosto muito. até de imaginar como a pessoa beija... ~~~

mas, talvez nessa coisa de performance, orgasmos e tal, a prática pode ir levando à perfeição. sei lá, os dois são deliciosos.

Ana disse...

@Panthro
Uh, sim, mas, mas, o que eu quero dizer é, uh, a química tem que assim tão forte que a pessoa vá pra cama logo de cara? Ela não pode se interessar por você mas não querer sexo logo de primeira? É isso que eu fiquei pensando.

E ah é, eu concordo que passar vontade só por pudor/medo do que os outros vão dizer é idiota.

"Fiquei pensando agora: Tem alguém que sinta vontade com prazo?"

Nunca vi disso, particularmente acho a idéia muito esquisita ._.

"Eu jamais namoraria por meses sem transar. Seria como namorar por meses sem falar de racismo ou política. Vai que você descobre que aquela pessoa era escrotíssima de uma forma irreconciliável?"

... ESSE É UM BOM ARGUMENTO ...

@aiaiai
"Se não tem desejo, não faça. Mas se tem, não fica especulando sobre mil e outras coisas. Trepa logo e pronto."

Isso! d(ò_ó)b

Sara disse...

Lola tenho uma pessoa muito próxima a mim que realmente parece que não gosta de sexo como a maior parte das pessoas costumam gostar, ela é ansiosa por mil coisas, menos por sexo, no começo eu até tentei conversar com ela sobre isso, pois fiquei preocupada, talvez até tenha forçado a barra por gostar demais dela, e como vc disse no seu post , eu tb considero o sexo um dos maiores prazeres da vida, e não queria que essa pessoa que eu amo tanto perdesse sua juventude sem ter experimentado nessa fase , que certamente, é quando mais temos energia o prazer que os sexo nos proporciona.
Mas logo percebi que eu a estava incomodando, e achei melhor respeitar sua decisão e não me intrometi mais.
Embora nos duas sejamos muito próximas e falemos abertamente sobre tudo, e ela seja uma pessoa extremamente esclarecida, inteligente, e muito bonita, ela não gosta de falar sobre esse aspecto de sua vida, e por tudo que sei, deve ser virgem ainda, e ja passou e muito a idade da moça do post de hoje.
O mais intrigante é que ela tem um relacionamento com um rapaz por muitos anos, bem mais de dez anos que estão juntos, e esse foi seu único relacionamento, mas embora estejam sempre que podem próximos um do outro, não é um relacionamento comum, são muito amigos , saem e viajam para varios lugares, mas sempre acompanhados de varios amigos, parece que não gostam de sair só os dois juntos.
Parecem dois irmãos ou amigos mais chegados apenas isso.
Bom pra encurtar, acho tudo isso uma loucura , pq não me vejo nessa situação de forma nenhuma, eu bem cedo na minha vida ja fui fazendo minhas descobertas , pintei e bordei tudo o que eu tinha direito e até o que eu não tinha tb rrrsss.

Anônimo disse...

ana, me metendo na conversa, eu transei com todos meus namorados no dia em que a gente ficou. e todos esses namoros surgiram de ficadas na noite. ou seja, no primeiro encontro.

mas já aconteceu tbem de eu conviver com essa pessoa por algum motivo (estudos, trabalho, academia) e um sentimento ir crescendo depois das conversas. aí, obviamente, não transei com ninguém no "primeiro encontro" até pq eu já convivia com essas pessoas. mas, se rola um convite pra sair, beber, ir ao cinema, pra mim, é sexo na certa.

Tereza Porto disse...

T.
Parei de ler os comentários lá pelo cinquenta mais ou menos, então vou generalizar e afirmar que ninguém te disse que no sexo, especialmente a primeira vez, nem é tão ruim quanto dizem e nem é tão bom quanto dizem. Você diz não se importar em ser virgem ainda, mais em algum grau isso te incomoda, a ponto de sentir-se pressionada. Vou chover no molhado agora e contar um pouco da minha experiência não experiência: Fui virgem até os dezoito, não por não sentir vontade ou por esperar alguém especial, eu queria apenas que fosse um passo racional sabe, comecei ficar com um carinha, ele sabia que eu era virgem e não insistia, um dia perguntei se ele não queria fazer sexo comigo, ele engasgou e disse que sim, foi assim, sem pressão, sem romance, sem hormônios falando por mim. Agora vou contar um segredinho, faz cinco anos que tenho uma vida sexual ativa, inclusive sou casada e nunca gozei, sim, nunca gozei, mas adoro sexo, adoro mesmo, e não pretendo deixar de fazer só por não conseguir atingir o ápice, o ato todo é muito divertido. Te entendo muito quando diz que as pessoas te olham como um anormal quando declara sua virgindade, passei por isso algumas vezes em que assumi nunca ter gozado, como assim nunca gozou? Você já procurou um médico? E esse tipo de baboseiras que sempre falam. Mas é extremamente normal, mulheres virgens depois de certa idade, mulheres que nunca gozaram, como eu, pessoas que apesar da vontade extrema não conseguem destravar, assexuadas e por aí vai. Só posso te dizer uma coisa, cada um tem seu tempo e sua forma de chegar lá, não se pressione e nem aceite isso de ninguém, só não deixe o fato de ser virgem te atrapalhar a conhecer novas pessoas, se tiver uma postura defensiva em qualquer contato social, realmente não vai conseguir construir nenhum relacionamento e não carregue sua virgindade como uma culpa, a Leticia sempre diz que superestimamos o ato sexual, mas que o sexo começa desde o primeiro olhar, no pegar das mãos, no flerte e concordo bastante com ela, talvez você já tenha tido experiências e nem se deu conta por estar tão ligada no seu himen. Mas eu que falei pelos cotovelos, espero que seja feliz como lhe convir. Abraço.

Anônimo disse...

Pra autora do post:
Relaxa.

Eu perdi minha virgindade com 24 anos, com meu primeiro namorado,( sim, primeiro namorado aos 24 anos, primeiro beijo aos 18 e algumas ficadas nesse meio tempo que nao deram em nada)
Nao foi a pessoa certa, mas também nao foi traumático ter perdido a virgindade com ele.vamos dizer que pensei" nossa, sexo nao e tudo isso que me falavam, nao"
Nao sofria pressão de ninguem, pois só contava sobre minha sexualidade para quem era muito amiga, e essas pessoas me respeitavam.se tivesse contado pra qqer um, tava ferrada,
Esse namoro durou pouco tempo e fiz sexo poucas vezes.
Depois dele, conheci outro cara, de quem fui noiva.com o noivo( ex agora) o sexo foi gostoso, mas só durante o tempo que estávamos bem, depois começamos a brigar muito e ficou esquisito,
Isso faz mais de 10 anos,
Depois do ex noivo, alias, único que namorei a serio mesmo, porque o resto foi tudo namorinho sem importância, as vezes ficava e ia pra cama com alguém, mas sem envolvimento e portanto sem graça,
Ate que aos 33 anos, conheci o homem que foi minha " libertação sexual" tivemos um longo relacionamento enrolando, de mais de quatro anos,onde o principal ingrediente era sexo...
Com esse sim, pude aprender e descobrir o prazer de me libertar, de ser mulher, de ser ousada, de me sentir linda, feminina, desejada, e... Durante um longo tempo esse homem foi a melhor coisa que aconteçeu na minha vida,
Depois, por N razoes, ate porque agora quero um companheiro, e nao so sexo( que sim, e muito bom, mas só isso enjoa e acaba a paixão), terminei o relacionamento,
E adivinha, ele quis voltar.mas eu nao quero mais, porque sei que nao vou ser feliz se continuar com ele,apesar de o sexo com ele ser muito bom,( isso nunca deixou a desejar), só isso agoranao basta mais,quero um companheiro,quero segurança, coisas que ele nao pode me dar,.
Nao vou voltar com ele so para dizer a mim mesma que tenho com quem transar e viver infeliz,
Uma pena... Vou sentir falta de tudo o que ele me deu? Vou...mas... Acontece,...fazer o que!!!!!!!
Entao, a vida de cada um acontece de um jeito,
Nao se incomode se a sua nao aconteceu igual a da maioria,
A minha também nao aconteceu,,,hehe
Ps: tenho 38 anos e numa casei nem tive filhos,
Beijos,

aiaiai disse...

não faço ideia do que significa a expressão d(ò_ó)b

se alguém puder explicar...fico gradicida

Ana disse...

@20:56
Nay, sinta-se à vontade pra se intrometer (a mais intrometida aqui sou eu, kkkk).

Então. Eu fico imaginando o que me faria transar de primeira... E não consigo ver a situação. Não é do meu feitio. Até poderia rolar no primeiro encontro com alguém que já convive comigo, mas com um cara que eu acabei de ver... acho difícil.

Mas eu também não passaria vontade... Se o cara não se importasse com a minha ignorância completa, eu acho que faria numa boa...

@aiaiai
Rsrsrs, d(ò_ó)b é pra ser uma carinha.

É isso que dá a esperta aqui esquecer que não está no msn com os amigos...

Imagina que o d e o b são mãos, com polegares pra cima, e os parênteses formam um rosto. Cada o é um olho e _ é a boca. Como se uma pessoa estivesse dando 'jóinhas'.

Se não der pra enxergar, nem se estressa. É hábito velho meu ficar colocando essas coisas no meio do texto... Coisa que a gente pega dos outros e depois nunca mais larga, kkkk

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Vivemos em uma época estranha... Se a mulher fica, beija, transa, muitas vezes é vista como a periguete, a que não serve pra namorar. Por outro lado, já aparecem várias meninas e mulheres reclamando que se não querem beijar ou transar logo, não conseguem se relacionar porque ninguém mais tem paciência pra construir uma relação antes que o sexo passe a fazer parte dele.
Creio que o problema em relação ao sexo, diferente do que a garota fala, não é que as pessoas estejam "viciadas" em sexo, tenho até a impressão, que principalmente para os homens jovens, tem mais graça tirar onda com os amigos que "comeu" alguém, do que o ato sexual em si.
Falta as pessoas se respeitarem mais umas às outras. Seja em um relacionamento casual ou em um namoro sério. Ver sexo como algo normal, que faz ou não parte de sua vida, mas que não torna ninguém melhor ou pior pelo fato de transar ou deixar de transar.

Siena disse...

@Panthro

Pois é, eu antes de conhecer sexo meio que abominava a coisa, mas muito mais por questionar essa hiper valorização das pessoas em relação a ele do que o pobre do sexo em si. Depois descobri que a coisa é bem mais simples do que tanto falam e construí uma outra visão. Como disse antes me considero demisexual, dentro do espectro da assexualidade, por essa necessidade de ter um vínculo forte com a pessoa antes de qualquer coisa mais íntima, mas não tenho medo de sexo, pelo contrário, sei o que quero, gosto e não gosto. Mas ele não é o principal e ta longe de ser em um relacionamento pra mim. Disse isso uma vez numa reunião de amigos e me olharam como se eu fosse um et. hahaha

Espero que a autora do post leia esse meu comentário também.

nina disse...

Também acho que vc - e todo mundo! - deve ir no seu ritmo, e fazer as coisas quando e com quem achar melhor.
Isso de 'não liga pro que os outros falam' é o que a gente mais repete, é a verdade, mas na prática tem sempre algum tipo de comentário ou pressão que incomoda a gente. Porque queremos ser parte do grupo, não queremos ser motivo de chacota e tudo mais. Uma amiga minha casou virgem, com 28 anos. Porque ela queria. E sabe o que era o assunto na mesa durante a festa? Como ela tinha sido idiota e ingênua em casar virgem e blá blá blá.
Olha, acho que ninguém ali tinha o direito de apontar o dedo e achar que ela foi boba. Ela tava lá realizando um sonho e aquele monte de gente resmungando da vida sem nem se dar conta do quanto ela estava feliz.

Também levei tempo - mais que muitas das pessoas que conheço - e não me arrependi. Cada um com a sua vida :)

Drica Leal disse...

Entrando pra dizer que essa Ana é uma fofa. Adoro ler cada comentário seu, Ana.

E sobre sexualidade, a relação de cada um com sexo tem bilhões de variações, tão únicas quanto cada ser humano. É insano querer inventar padrões sociais para o sexo. Mas infelizmente viver como manada é mais fácil, às vezes tenho a sensação de estar vivendo num filme de zumbis: pessoas que não refletem sobre si mesmas parecem sempre querer "devorar" as que pensam e vivem fora da casinha. Quando o assunto é sexo então, vixe...

Panthro disse...

Oi, Ana

Então, pela minha experiência, se não quis dar uns amassos no primeiro encontro é porque não rolou nada além de um "vamos ser bons amigos". Até pode acontecer de ficar depois, mas não virou. E se vai dar uns amassos, porque não terminar logo tudo?

Quanto ao sexo do primeiro encontro ser ruim, talvez seja uma coisa minha mesmo. Eu demoro um tempo pra relaxar. Nas primeiras vezes eu ativo um modo super-analítico em que fico pensando até na semiótica da cor dos lençóis em um mundo pós 11/09. Pra eu relaxar preciso de um tempo. Não tem nada a ver com inseguranças, problemas com o corpo ou qualquer coisa, mas com estar em uma situação nova. Mas podia ser pior. Podia ser uma ocasião formal. Nessas que eu surto mesmo!

Panthro disse...

E, Siena, metade do caminho já foi. Agora só falta arrumar um namorado demissexual também.

Anônimo disse...

@Ana,

Muito obrigada pelo apoio. Acho que o que eu precisava mesmo era ouvir de outra pessoa o que eu já presumia, mas que por alguma razão não queria me dar conta.
Sei que vou levar muito tempo pra conseguir elaborar isso tudo, mas certamente você me ajudou a refletir com outra perspectiva.
Engraçado é que se alguém me relatasse essa situação eu diria a mesma coisa que você. Sempre achei que a informação fosse me blindar disso, e me odeio mais ainda por tê-las e ainda assim não conseguir dar um desfecho pra isso na minha cabeça.
Agora comprovei que realmente corremos mais riscos com pessoas que conhecemos e confiamos. Talvez por isso seja tão difícil reconhecer o que houve.
Isso tá dando um nó tão grande na minha cabeça que não tô conseguindo pensar em nada com clareza.

@18:21

Huan Icaro Piran disse...

@Ana

Amei como lidou em seu comentário das 17:22 mesmo, bem pontuado sobre liberdades individuais xD

@aiaiai

bem lembrado, Raul era um sábio quanto a essas coisas xD

"Se não tem desejo, não faça. Mas se tem, não fica especulando sobre mil e outras coisas. Trepa logo e pronto."

Sinceridade sempre foi e sempre vai ser a alma do negocio xD

@Panthro

"Eu jamais namoraria por meses sem transar. Seria como namorar por meses sem falar de racismo ou política. Vai que você descobre que aquela pessoa era escrotíssima de uma forma irreconciliável?"

Hoje eu também não, mas já tive cotas de namoro sem envolvimento sexual...cada coisa a seu tempo ^^

Huan Icaro Piran disse...

Alias, pela quantidade de emoticons e nicks sugestivos, estou a achar que tem muito 'nerd' presente ejhwakjhelwa

Nada contra, ainda durmo com minha coxinha de pelúcia, mas minha analise é feliz, pois temo ver mais escrotos moralismos entre os nerds do que qualquer outra coisa. É algo que me faz pensar duas vezes antes de aceitar convites para RPG hj em dia x_x

Maicon Vieira disse...

Olha, estou com quase 22 anos e nunca beijei. Isso me incomodou bastante, principalmente na adolescência. Morria de medo de alguém descobrir porque eu sabia que iriam ficar pegando no meu pé por isso, iriam rir bastante e como eu nunca tive uma boa autoestima. Sempre que me perguntavam sobre isso eu acabava mentindo. Mas no meu caso foi minha falta de habilidade social, se eu tivesse a oportunidade e uma boa autoestima eu teria feito. Isso me incomodou muito mesmo, me achava um completo estranho, até pensei que era gay e depois passei a achar que se eu fosse seria mais fácil, tolo engano. Hoje eu até fico um pouco feliz por não ter feito porque na época eu iria atribuir um valor ao sexo que não seria o valor que eu gostaria. Iria atribuir o valor dos outros e não o meu valor. Hoje eu busco uma vida sem sexo e sem masturbação, é difícil, mas espero conseguir. Confesso que bate uma curiosidade em saber como é, uma vontade, mas não conseguiria fazer. Tenho um pouco de medo e, para mim, parece algo muito difícil, algo que exige muita paciência, algo que exige muito conhecido, e nem isso eu tenho. Além disso, tem a questão da confiança, não consigo ter confiança em uma mulher para poder chegar ao ponto de fazer sexo.


Siena disse...

“Também não tenho nenhum problema de auto-estima, pelo contrário, ta sobrando, alguém quer?”

Opa, eu quero. rsrs

Kika disse...

Sara
Isso é mais normal que imagina, são casais assexuados, inclusive li uma matéria que esses casais, fazem sexo só quando pretendem engravidar.

Eu sempre tive a libido alta, sempre gostei mais de sexo do que meus namorados. Cada pessoa tem um ritmo, indiferente de ser homem ou mulher. Esse negócio de dizer que o homem gosta mais de sexo é uma lenda. E quanto perder ou não a virgindade, cada um tem seu tempo, e isso deve ser respeitado.

Kika disse...

Só para constar:
No Orkut, tem comunidade dos assexuados.

Shey disse...

Acho importante essa troca de informações aqui, a gente às vezes se deixa levar tanto por padrões estúpidos que fica cega para com a diversidade e acha que tudo que está fora disso é anormal.

Anônimo disse...

O ex-chefe dela achou que com 20 anos deveria ter vários ex-namorados? Pois tenho 23 e só tenho UM ex-namorado, por mim até estaria com ele... Transamos com menos de 2 meses de namoro e não me arrependi, mas, sinceramente, não acho que seja algo tão bom quanto dizem. Não é ruim, mas também não acho que seja algo pra ser tão valorizado. Minha mãe comentou sobre uma conhecida que viajou para vários países pra "experimentar" um homem de cada lugar, eu achei engraçado e percebi que tal coisa nunca havia passado pela minha cabeça, nem numa fantasia mais louca. Eu já pensaria em viajar pelo mundo e experimentar os pratos regionais... acho que gosto muito mais de comida do que de sexo!

Anônimo disse...

maicon, por que vc nem se masturba? vc disse que é difícil, mas não entendi então por que não se masturba. até porque sexo com alguém e masturbação são coisas diferentes. maturbação é vc tendo prazer com o seu corpo e, bem, vc tem ali toda a ferramenta pra sentir prazer. e é autoconhecimento tbem...

sexo com alguém é pra pensar tbem na outra pessoa e confiar (mesmo que seja só com um conhecido ou uma conhecida, tem a confiança no momento). é uma troca.

se vc disser que realmente não quer e tal, super respeito, mas queria entender por que nem masturbação se vc acha difícil se manter assim e tem curiosidade sobre o assunto...

Anônimo disse...

kika, "Esse negócio de dizer que o homem gosta mais de sexo é uma lenda." super concordo. acho que PESSOAS têm ritmos diferentes, e isso nada tem a ver com gênero.

Anônimo disse...

UMA DÚVIDA FORA DE CONTEXTO:
Seu nome se fala "Lôla" ou "Lóla"?

Ana disse...

@18:21
"Sempre achei que a informação fosse me blindar disso, e me odeio mais ainda por tê-las e ainda assim não conseguir dar um desfecho pra isso na minha cabeça."

É porque o que aconteceu com você não foi qualquer coisinha. Claro que você ia ficar mexida, não tem quantidade de informação que proteja uma pessoa de algo assim. Óbvio que a sua cabeça tá dando um nó! D:

Estupro é uma violência sem tamanho à qual ninguém está imune. A ficha muitas vezes demora pra cair (tanto que muitas vítimas caem em negação ou voltam atrás nas denúncias à polícia, por exemplo).

No seu caso pode ser ainda mais confuso porque a imagem que se tem geralmente é que estupro é uma coisa que acontece só abaixo de pancada - e como você não reagiu fisicamente, em algum lugar da sua mente deve estar o pensamento de que você não fez tudo o que podia pra evitar, ou que se não lutou é porque não foi tão errado assim.

Querida, isso é ABSURDO. Como eu te disse, 'não' é 'não', e não tem essa de que precisa de ênfase física. Foi sexo sem consentimento - então foi estupro, fim. Você foi agredida, está confusa, é normal, não se culpe! O que mais podia se esperar?

Me pergunto há quanto tempo essa história tá te assombrando D:

"Agora comprovei que realmente corremos mais riscos com pessoas que conhecemos e confiamos. Talvez por isso seja tão difícil reconhecer o que houve."

A grande maioria dos estupros acontecem por gente conhecida. Não é coisa de psicopata esperando em beco. Por uma série de razões (entre elas a banalização descarada da violência contra a mulher) muito cara normal acaba passando dos limites - e muitos nunca se dão conta da dimensão do que estão fazendo. É uma falha severa de educação, entre outras coisas.

Repito, se o cara SABIA que você NÃO queria e te forçou a ir em frente, é estupro sim! E DAÍ se você não lutou fisicamente - 'não' tem que ser suficiente pra parar na hora, ponto final.

Karla disse...

Tenho a idade da autora do post. Parece surpreendente, mas muitas da nossa idade são virgens. Muitas mais velhas, até. Minha opinião é que cada um tem seu tempo e essa cobrança exagerada pela primeira vez só prejudica as pessoas. E, olha, se a gente esperar por aprovação das pessoas... Estamos ferrad@s. Principalmente ferradas. É fato que nenhuma decisão que a mulher toma sobre a própria sexualidade é aprovada. Santas ou putas, lembra? Ai de nós se tivermos pouco ou muito desejo sexual (mas quem define o que é pouco, muito ou normal?), se fazemos sexo desde cedo ou se escolhemos adiar o início da vida sexual, porque certamente somos problemáticas. Mas, até aí, quem precisa da aprovação de quem julga a sexualidade alheia? Quem tem que aprovar sua vida sexual é você - e mais ninguém. Não é fácil ignorar a sociedade que tanto nos patrulha, mas o importante é lutar pela nossa liberdade!

Ana disse...

@Drica Leal
Awww, obrigada! *_*

@Huan
"Amei como lidou em seu comentário das 17:22 mesmo, bem pontuado sobre liberdades individuais xD"

^_^

Eu fiquei na dúvida se a pessoa iria querer minha opinião já que ela não gosta da cultura latina de se meter onde não foi chamado, mas respondi mesmo assim :P

"Alias, pela quantidade de emoticons e nicks sugestivos, estou a achar que tem muito 'nerd' presente ejhwakjhelwa"

Uh, eu diria que sou nerd, mas eu não jogo RPG >]

PS: você adotou o sistema do @ mesmo, hein? Kkkk

@Shey
"Acho importante essa troca de informações aqui, a gente às vezes se deixa levar tanto por padrões estúpidos que fica cega para com a diversidade e acha que tudo que está fora disso é anormal."[2]

Anônimo disse...

22 anos, virgem - não é comum, mas é normal.

Karla disse...

E, bom, já que a conversa nos comentários mudou um pouco de rumo, eu não consigo pensar na minha vida sem sexo. eu concordo com quem falou que se existe um desejo recíproco entre @s envolvid@s, não vejo motivo para adiar o sexo. Por isso, entendo que existam vários outros fatores envolvidos na decisão de fazer sexo ou não. Eu, pelo menos, considero apenas a minha vontade naquele momento - independente se conheci o cara há 10 minutos ou há 10 anos. Acho que a novidade de conhecer um corpo diferente e deixar que seu corpo também seja conhecido pela primeira vez é deliciosa. Mas a intimidade também é! :D Por isso que é importante levar em consideração as nossas vontades, nossos sentimentos, não a cobrança de ter um comportamento que é ~aprovado~ pela sociedade...

***
Ah, lembrei de uma coisa pela qual eu passo às vezes, embora seja outro assunto, mas que parece ser semelhante à autora: aos 22 anos, eu nunca fumei maconha - que, apesar de toda a repressão em torno da substância, é absolutamente comum em nossa faixa etária. Pois bem. Já me perguntaram como eu digo que não gosto de algo que não conheço. E, nesse caso, minha resposta é que eu não tenho vontade de conhecer. Não me atrai.
apesar de ser um assunto bem diferente, T., acho que a coisa é semelhante. Não dá pra agradar todo mundo, mas se vc está confortável com as decisões que tomou, manda um foda-se pra quem quer te convencer de que há algo errado contigo e com suas escolhas.

lola aronovich disse...

Anônimo das 23:23, meu nome se diz Lôla. Acho que nunca ouvi Lóla.


Anônima que comentou muito antes e reclamou da minha falta de imparcialidade: acho que vc veio ao blog errado se está esperando alguma tentativa minha de ser imparcial. Eu não acredito em imparcialidade ou neutralidade pra nada. Nunca disse nem diria que sou imparcial. Minha posição sobre o assunto do post é clara: sexo é gostoso, recomendo. Mas ninguém tem que fazer se não quiser. E não devemos nos deixar influenciar pelo senso comum, que faz pensar que a média de idade em que se começa a ter vida sexual é muito mais baixa que é nada realidade.

Anônimo disse...

karla, seu comentário me lembrou de um episódio que aconteceu comigo. fui pra casa de um cara e simplesmente não rolou clima. ele queria que eu pulasse em cima do pinto dele assim que ele abrisse a porta? bem, fiquei lá e, por conta de algumas atitudes dele, não transamos. eu nem precisei dizer não, mas o clima morreu.

o cara simplesmente ficou revoltado comigo.

aí eu falei: se uma mulher dá logo, é puta. se não dá, é filha da puta. ou seja, não existe saída na cabeça machista!

Anônimo disse...

Lóla é pronúncia nórdéstina (nôrdêstino) assim como Héléna para Hêlêna.

Anônimo disse...

Olá,

acho que também fui anormal então. Até os 26 anos nunca tinha tido uma relação. Nessa idade conheci minha atual namorada, com quem perdi a virgindade apenas algumas semanas depois de nos conhecermos.
Hoje sinto orgulho por não ter perdido minha virgindade com uma moça qualquer. Mesmo que minha namorada e eu não demos certos, posso dizer que tudo veio no momento adequado e que foi muito bom.

Acho que se for uma escolha da pessoa não tem problema nenhum. Agora, se a pessoa não tem uma relação por algum outro fator, como timidez, acho que o correto é procurar uma ajuda.

O recado que gostaria de deixar é: "Faça do jeito que você acha correto. Esqueça as imposições da sociedade."

Vicentte disse...

Oi, Lola!

Vejo uma propaganda "Skol ao contrário", um feminismo machista, ou talvez, na verdade, um machismo travestido. Näo sei se estou exagerando, pra variar, mas realmente me senti um pouco ofendido como homem com a nova propaganda da Marisa, e gostaria de saber sua opiniäo (sobre a propaganda, especialmente, näo sobre os comentários deprimentes): http://www.youtube.com/watch?v=JDpSqxqTohE&feature=player_embedded

Abracos!

Anônimo disse...

Post muito legal, eu tenho 27 anos e sou virgem, acho que beijei com 20 anos e depois desse bejio só foi mais um outro cara.Houve tentativas de fazer sexo, mas bem falhas. Não sei sobre essa parte do assexual pois eu me masturbo sem problemas, tenho desejos. Só que não consigo fazer sexo.
Meu problema é relacionamentos, confiança, achar que vale a pena, isso é culpa muito dos meus pais. A vida toda ouvi de minha mãe que amor não existe, eu via em casa como o casamento é algo que pode ser destrutivo, competitivo. Nunca tive um modelo saudável de relacionamento, então criei essa ideia de que não conseguiria alguém para confiar, e até hj não consigo quando se trata questões amorosas. Eu sinto dificuldade enorme de me entregar e sempre na hora do rala e rola eu travo e fica por isso mesmo. Fora que eu tenho um medo que vá doer, e muito, eu sofro no exame ginecológico, de chorar, e não é pq minha médica é ruim, ela é um anjo, mas eu sou mto pequena, aí o clima já não fica bom.
No final das contas o sexo não me fez falta, to super tranquila, sou uma ótima estudante, trabalho bem demais, tenho muitos amigos que amo, até uso pílula ahahahaha.

Mas realmente o modo que é tratado sexo é um saco, já menti várias vezes para evitar problemas futuros e nem foi com namorados, e sim com pessoas em geral. O nível de interferência alheia na nossa vida é irritante. Insistem que eu tenho de namorar, que eu tenho de querer casar e ter filhos, que eu tenho de ficar querendo bjar na boca.Porra ,não quero, me respeitem!

Bruno S disse...

Galera tá muito encucada com sexo falando que é muito íntimo e tal...

Muito íntimo é continuar junto depois e dormir junto, acordar e sentir o bafinho do outro, a cara amassada, tomar café da manhã junto.

Anônimo disse...

Claro, né anônima das 23:08. Que vocês ulheres gostam mais de comida ou qualquer outra coisa do que de sexo, isso é mais do que verdade. Eu que sou HOMEM, gosto mais de sexo do que de qualquer outra coisa. Esses dias uma colega de trabalho veio me perguntar: "existir algo mais prazeroso do que saborear um chocolate?" E eu respondí sem vergonha nenhuma: "Sim. Sexo é muito mais prazeroso. Mas você gosta muito mais de chocolate, né?". Então que ela vei me dizer "não exatamente" (sei lá o que ela quis dizer com isso) e continuou saboreando o seu chocolate... O fato é esse: mulher gosta mais de chocolate do que de sexo...isto é FATO. Mulher não se importa se for virgem para sempre, mas o homem...

Rebecca Souza disse...

Olha flor ,não se preocupa com isso
tecnicamente tb sou virgem para sociedade,já que sou bi e só transo com mulheres até hj(sem penetração)
tenho 26 anos e sinceramente,não deixo essa pressão de vc tem que transar me incomodar.logico me satisfaço com mulheres e sim me satisfaço sozinha.
eu não me considero virgem,pq ,não é uma pele que me diz isso,e sinceramente mesmo que não ficasse com mulheres eu só ficaria com um homen quando eu me senti-se a vontade para tal,que poderia ser com 13 ou 90 anos.
acho que hj em dia um dos grandes tabus do sexo é achar que td mundo deve praticar.para mim ,vc pode ser feliz com ele e sem ele se assim é que te faz feliz e confortavel ,pq as pessoas se angustiam tando com uma coisa que é natural do nosso corpo?já namorei sem fz sexo com minha namorada e era legal da mesma forma,namoro com sexo é legal?sim1mas,pd pode ser legal sem ele se for a vontade de ambos.
querida,vou lhe dizer uma coisa,sexo pd causar prazer ou dor,isso só depende de vc,não se preocupe com a tal historia da pessoa certa,pq pessoas certa não é um principe no cavalo,mas,alguem que vai te entender,te aceitar e principalmente de dar prazer na cama e fora dela.
bjss.

bruna disse...

Lola!!! Quero muito ler uma crítica sua sobre "a pele que habito"...não estou cobrando hehe, sei que o bloguinho tem dono e não precisa de sugestão de posts, mas você disse que iria escrever um post sobre o filme, e eu ainda espero ;)

Anônimo disse...

"...eu também acho caras bonitos por ai, dando uns exemplos, sou maluca no Lee Pace, Tom Hiddleston, Joseph Gordon-Levitt, Anton Yelchin"

-
SÌNDROME DO PRÍNCIPE ENCANTADO,
muito comum em garotas na puberdade, e alguns anos depois dos vinte também, basicamente se fantasia um homem ideal, distante, inatingível, e os comuns do dia a dia, que cruzam com elas nas ruas, não tem o menor atrativo, também e sinal de "pornografia emocional"
Biologicamente, mulheres não se excitam tanto com pornografia visual assim como os homens. Mas isto significa que não exista uma pornografia que mexa com a cabeça delas, ou que elas não se excitem com essa pornografia feminina com a mesma vontade que os homens fazem com a sua pornografia.
Vamos ser diretos. Mulheres se masturbam com palavras. Com historinhas. Historinhas que são contadas em filmes, livros e na tv. Todas essas histórias compartilham temas semelhantes, geralmente apresentando algum machão poderoso e difícil que atrai outras centenas de mulheres, com algum carinha bobão fazendo figuração. A fantasia que as mulheres tem com esses machos alfa são descabidas. Este tipo de homem existem em números muito baixos no mundo real. O que a faz com que este amor impossível fique ainda mais atraente.
Não pense nem por um segundo que a pornografia visual masculina e a pornografia emocional feminina não são comparáveis. Elas tem exatamente o mesmo propósito e função. Homens batem uma vendo o YouPorn e mulheres tocam uma vendo o Edward Cullen ou o dr. McDreamy de Grey’s Anatomy. Uma única diferença é que a masturbação masculina é muito mais física em sua natureza, geralmente terminando com a ejaculação. Mulheres, tendo a base hormonal que controla a libido mais baixa que a do homem e sem o desejo tão genitalizado, expressam sua masturbação com jornadas mentais melancólicas e emocionais que ocasionalmente culminam em até algum orgasmo por baixo dos lençóis durante a madrugada.



Luciana disse...

@Panthro

"Nas primeiras vezes eu ativo um modo super-analítico em que fico pensando até na semiótica da cor dos lençóis em um mundo pós 11/09. Pra eu relaxar preciso de um tempo."

shaushuahsuahsuahsuahsuhsuahs Ri demais disso!!!! Q medo de estar com um homem que pensa tudo isso em um momento no qual normalmente não somos racionais!

Anônimo disse...

Carlos Prestes conheceu Olga qdo ele já tinha quase 37 anos...

Ana Nolasco disse...

Eu perdi a minha virgindade com 14 anos de idade. Não me arrependo disso, muito pelo contrário. E eu também não acho nada de errado na pessoa demorar pra perder. Cada um perde quando quer, o importante é estar preparado e curtir o momento :) Seja cedo, seja tarde... o importante é fazer porque quer e não porque disseram pra ti fazer. Eu tava louca pra trepar mesmo, dei porque quis, adorei e nunca mais parei.

Carla disse...

Vou falar uma coisa meio piegas, mas é verdade, esse post me fez ver que não estou sozinha.

Eu tenho 17, logo faço 18, e nunca nem beijei, por isso a sociedade me fez sentir como uma aberração, e eu culpo os filmes por isso, afinal neles uma pessoa de 16 anos que é virgem é um absurdo, imagina então uma que não tenha beijado.

Mas isso também é culpa da minha família, aqui em casa sexo nunca foi tabu, mas ele também é de certa forma cobrado, o que só me fez acreditar mais ainda que a errada era eu.Já me encheram tanto que eu inventei que já beijei só para eles pararem de encher e perguntar.Agora então que vou fazer 18 acho que vai ficar ainda pior.Tenho certeza que a essa altura meus parentes mais distantes, que sabem que eu nunca namorei, acham que ou eu sou homossexual em segredo ou sou assexuada( o que não sou, nenhuma das duas)
Quando entrei na faculdade então foi muito pior, tive até que inventar meninos fictícios para não contar a verdade.Mas o pior mesmo veio da minha família, que ao invés de perguntarem sobre os estudos, as aulas, só ficavam perguntando se eu já tinha arrumado alguém, afinal "já tinha passado da hora".

Por muito tempo me senti anormal, errada, afinal é o que a mídia e a sociedade em geral passam.Mas mesmo assim nunca quis ter essa experiência com o primeiro qualquer que apareça.Já tive minhas oportunidades, e inclusive um beijo roubado que insisto em não contar, mas recusei, e agora sou julgada por isso, como errada.Não é que eu espere pelo príncipe encantado, eu só quero que minhas experiências sejam com alguém legal, que irá passar a manhã seguinte comigo e não vai sumir depois do ato, mesmo que para isso tenha que esperar mais.Isso é pedir muito?

Mas agora, depois de ler o post e os comentários percebi que não sou a única nessa idade que sequer beijou, nem sou tão anormal quanto me fizeram crer.Me fez sentir melhor nessa questão.

Anônimo disse...

Vamos ser sinceros. O comentário do anônimo das 02:02 foi Ctrl+V-Ctrl+V num texto do mascu Roissy traduzido no Canal do Búfalo (intitulado "Pornografia emocional"). Não entendo como a Lola não percebeu isso e publicou...

Anônimo disse...

Bruno S.
"Muito íntimo é continuar junto depois e dormir junto, acordar e sentir o bafinho do outro, a cara amassada, tomar café da manhã junto"

hahahhaha...bafinho do outro..
concordo total.
muito íntimo é aguentar mau humor, dias ruins do parceiro, ver o outro fazer xixi, ver o outro remelento, saber os sentimentos de medo do outro, suas loucuras, seus traumas..etcetc..
(embora conheça gente que JAMAIS escovaria dente na frente de namorado por achar feio...rsrsrs)

bjos
(vivi)

Sara disse...

Kika
Talvez vc esteja certa, não acredito q sexo faça parte desse relacionamento que falei em meu comentário, essa amiga por força do seu trabalho viaja muito, pelo mundo inteiro, e as vezes fica muito tempo fora, ja chegou a ficar sete meses na Australia, e eles (o casal) parece que não sentem falta um do outro, é muito estranho, mas continuam juntos até hoje, e se tratam muito bem até com carinho, mas nunca os vi em uma atitude mais sensual, só vejo aqueles beijinhos q se da em amigos ou irmãos mesmo.
Sei que eu devo respeitar , afinal é uma escolha dos dois, eu só espero que eles jamais se arrependam de viver assim.
E mais essa amiga é uma mulher muito bonita embora muito discreta, e chama atenção , ja vi varios rapazes tentando namora-la, mas até isso parece q a irrita, ela não gosta de ser abordada por nenhum, mesmo que eles sejam educados, é fiel a esse relacionamento estranho que tem , e não da a menor brecha pra que entre outro homem ou mulher na sua vida.

Anônimo disse...

Lendo os comentários agora, honestamente, tb acho que há muita teorização sobre sexo. (infelizmente fruto desta sociedade doentia q vivemos e nos pressiona, com tantos manuais de ralcionamentos-sexo nas revistas da vida)

Eu, particularmente acho que: Sexo no 1 encontro é bom? não sei, pois é VC que fará ser bom-ruim. não há resposta, dependerá do que VC fará disso.
Sexo é muito íntimo? Não sei, dependerá de como VC pensa o sexo, pra muitos quem amam sexo e transam com todos não necessariamente, dormir junto pode ser mais íntimo. Para outros tem que já ser muito íntimo pra fazer.

Até a questão do sexo é bom, muito gostoso etc..Eu mesma conheço muitas mulheres (e alguns homens) que não ligam e não gostam tanto, ou seja, nem isso podemos afirmar, que sexo É e TEM que ser gostoso, pois se não, quem não tá nem aí se sentirá anormal..

Acho que sexo não tem teoria, tem a prática. ela que dirá. E claro, a liberdade de fazer e não fazer sexo.

minha avó me mostrou uma vez uma coleguinha dela (com mais de 60 na época) que era virgem, rindo dela. Achei muito feio, e acho ridículo esta pressão.

Outro casal assexuado famoso, se não me engano era o Dali e a Gala.

bjos
(vivi)

Anônimo disse...

Eu fui virgem até os 21 anos embora morresse de vontade de fazer sexo. Mas, não achava nenhum homem que prestasse. Gostava muito de sexo nos primeiros anos da minha vida sexual, e tive períodos em que estava sem namorado e que achava que estava a ponto de enlouquecer por falta de sexo. Hoje estou numa fase bem tranquila, em um relacionamento, e não sinto nenhuma falta dessa paixão toda, não. Faço sexo poucas vezes ao mês e não vejo problema com isso. Hoje simplesmente não acho que sexo seja tudo isso que as pessoas fantasiam. Acho que essa obssessão por sexo desvia nossa energia de muitas outras coisas legais.

Anônimo disse...

Nunca comento nos posts,mas esse assunto vêm me frustrando já faz algum tempo...
Eu tenho 19 anos e sou virgem,e não sei se é por causa do meu círculo de amigos,mas me sinto um peixe fora d´água.Ás vezes eu acho que envolvem a virgindade feminina em tantos plásticos de proteção ("dor","parceiro certo","depilação",(para algumas)e "religião" que a gente se embola junto e morre de medo (ao menos esse é o meu caso).Eu concordo com você Lola,porque acho que masturbação por exemplo é uma coisa prazerosa e não gostaria de ficar adiando muito o sexo porque é uma experiência que eu quero aproveitar,e no momento a frustração sobre os "plásticos" que eu citei alí em cima é muito maior do que a ideia de que o sexo possa ser prazeroso,(por enquanto ele é oneroso).Eu acho que a gente reflete tanto,mas no fim nunca temos como saber as consequências disso.Adiar demais pode fazer com que a gente se arrependa,mas apressar também.Quando eu dei o meu primeiro beijo eu tinha 14 anos,e naquela época me sentia atrasada,mas nem tanto assim,a experiência foi péssima por diversos motivos,mas por um tempo senti que tinha cumprido um dever.Só que tinha sido tão ruim,que eu não deixava mas ninguém se aproximar,e dos meus 14 aos meus 18 fiquei sem beijar ninguém com medo de uma rejeição tão forte quanto à do primeiro beijo.Acontece que nesse hiato de 4 anos minhas amigas estavam namorando,conhecendo pessoas,e também tendo suas primeiras relações.Agora que eu tenho 19 estou tentando viver esse hiato,mas isso nunca funciona muito porque assim que conheço alguém a pessoa já me cobra sexo logo de cara.Rola uma pequena tristeza sobre o fato de que as pessoas não querem conversar com você,sair para algum lugar,enfim não querem te conhecer.Recentemente li "O amante de Lady Chatterley",presente de um amigo,e fiquei fascinada com o modo como o sexo é descrito no livro.Pode ser uma experiência cheia de poses e inverdades,garantias e ameaças,ou pode ser uma experiência muito bonita desde que seja aceita com naturalidade.O próprio Mellors comenta em um certo momento que muito do que se atribui ao sexo acaba tirando a importância do ato,e passando-a para a pessoa que está envolvida nele.Eu acho que é isso que me falta,assim como a outras pessoas,ver o sexo de maneira mais natural.

Carol disse...

Essa tal síndrome do príncipe encantado é uma coisa que eu não tenho e minha mãe acha que eu sou assim, ela vive falando "você vai achar seu príncipe" haha, é engraçado porque eu não acho que existe homem perfeito, não existe ser humano perfeito sempre vai ter algum defeito, o fato de eu ser virgem como eu já disse no post passado é que parece que ninguém se sente atraído por mim, eu tenho uma certa dificuldade falando com pessoas, especialmente com o sexo oposto (quando eu acho um rapaz bonitinho por exemplo) eu sempre fico nervosa.

Huan Icaro Piran disse...

@Ana

Me obriguei a adotar o sistema de @ em parte pela praticidade, em parte por costume adquirido no twitter '-'
Pena que o mundo não tem auto complementador de nomes como no IRC ou no RRPG pq eu sempre escrevo a+TAB esperando que saia um Ana...vícios x_x
Há, nem todo nerd joga RPG, assim como nem todo nerd é ficionado por SW ou ST (particularmente acho os dois bacanas, vi muita coisa mas não sou fã)...

@Bruno

"Muito íntimo é continuar junto depois e dormir junto, acordar e sentir o bafinho do outro, a cara amassada, tomar café da manhã junto."

Então, sexo também é intimo, mas são dois tipos diferentes de intimidade.

@Panthro

"Nas primeiras vezes eu ativo um modo super-analítico em que fico pensando até na semiótica da cor dos lençóis em um mundo pós 11/09. Pra eu relaxar preciso de um tempo."

Cara, não tenho condições para te condenar por isso xP

@Luciana

"shaushuahsuahsuahsuahsuhsuahs Ri demais disso!!!! Q medo de estar com um homem que pensa tudo isso em um momento no qual normalmente não somos racionais!"

Uai, qual o problema de se associar prazer com reflexão? Como diria um amigo meu (torpe) "a masturbação mental as vezes é melhor que o sexo!"
Apesar de eu discordar dele, eu considero a reflexão algo realmente prazeroso, ao ponto de ser uma das coisas mais recorrentes a terem sido feitas quando eu ou ela ou nós não estamos no clima, ou até torna-se uma pratica pós quando é dia (ela gosta de dormir e homens tem naturalmente dificuldade em ficar acordados dps)...

Carol disse...

E outra anônimo das 02:02, não é porque ela citou alguns atores que ela acha bonito que a tal pessoa tenha a síndrome do "príncipe encantado" ela simplesmente acha esses atores bonitos ué, eu sempre vejo homens ficam irritados quando mulheres citam exemplos de rapazes bonitos, não é a primeira vez que eu vejo isso, é incrível quando uma mulher demonstra um sinal de sexualidade as pessoas se manifestam de um jeito negativo.

Huan Icaro Piran disse...

Alias Bruno, meu, sexo ainda é um tabu, é complicado falar, tanto pq, para muito aqui (e incluo-me nesses) isso envolve tanto as construções sociais (que estamos tentando desconstruir) quando questões simples de traição, onde a pessoa com quem se esta não sente-se nada a vontade em deixar sua sexualidade exposta.
Particularmente, entre minha noiva e eu, uma das coisas que constitui traição é falar sobre a sexualidade do outro, portanto eu tenho de tomar certos cuidados ao falar da minha para não trair ela.

Isso sem falar em traumas que muitas pessoas tem, seja pelas cobranças absurdas, seja por violência. Particularmente eu enquanto alguém que passou por essas violências deveria ter problemas em falar disso, entendendo portanto quem não fala. Porque eu falo? Sei lá! Talvez por eu ser sagitariana, talvez por eu ser louco, ou até por eu ter tendencias sérias a psicopatia...vai saber. De qualquer forma, tem gente demais com traumas relacionados a sexualidade, ao ponto de a vezes eu ficar assustado.

Panthro disse...

Ih, Luciana, deixar de ser racional eu nunca consigo. O que eu consigo só é diminuir a carga. Mas sempre tem uma parte de mim analilsando tudo. Nem bêbado eu paro!

lola aronovich disse...

Anônimo das 4:56, eu publiquei dois ou três comentários idiotas de mascus entre as dezenas que recebi e deletei. Só 2 ou 3 numa thread de uns 150 tá muito bom, mantém a discussão em alto nível. Mas às vezes gosto de publicar algum comentário sem noção, ora porque são tão absurdos que fazem rir (não é o caso de algo copiado de um mascu americano), ora pra lembrar mesmo que tem babaca enviando comentário com as mesmas asneiras de sempre. O incrível é a incoerência dos mascu, como eles se contradizem o tempo todo. Por um lado, segundo eles, todas as mulheres são vadias, não existe mulher exceção, com 12 anos já não existe menina virgem (só menino virgem, e esses, segundo a bíblia mascu, são praticamente todos, já que 20% dos homens pegam 80% das mulheres) etc etc. Por outro lado, quando, num thread como esse, eles veem que existem mulheres virgens de 20 e poucos anos, a reação deles já é: "Tá vendo como mulher não gosta de sexo?".
Eu sinto cheiro de comentário mascu de longe. Eles sempre falam a mesma coisa. Aliás, eles não, VCS, pois pra conhecer tão bem o Roissy, não duvido que tenha sido o mesmo mané que deixou o comentário.

Huan Icaro Piran disse...

- Anonim@ 06:45

Perfeito!

- Anonim@ 06:23 + Bruno

Segundo minha noiva eu daria um bom namorado de bruxa (é apenas uma piada dela, possíveis wikans, thebans e ademais, não é nada pessoal) por estar pouco fodendo para fluidos corpóreos alheios, ou halitos ou qualquer besteira dessas.
Somos todos feitos de pus e todos estamos lentamente morrendo. Diabos, são só ácidos ejahwjkehwak mas ok, as pessoas tem nojinhos, posso aceitar isso.

Ana disse...

@00:50
"Claro, né anônima das 23:08. Que vocês ulheres gostam mais de comida ou qualquer outra coisa do que de sexo, isso é mais do que verdade."

Óbvio! Essas mulheres aí em cima falando que adoram sexo não devem ser de mulheres de verdade... Nem a Lola, a Lola gosta de sexo, garanto que na verdade ela é homem!

Você devia trabalhar o seu conceito de 'fato', amigão.

@02:02
"basicamente se fantasia um homem ideal, distante, inatingível, e os comuns do dia a dia, que cruzam com elas nas ruas, não tem o menor atrativo, também e sinal de "pornografia emocional""

... Oi?

Os comentários da Siena foram sobre 'caras que ela acha atraentes', não 'caras com quem ela fantasia ficar'. Sim, tem diferença.

Aliás, estávamos justamente dizendo que pra nós reconhecer que alguém é bonito/gostoso/gracinha/whatever não siginifica que ficaríamos com eles se tívessemos a chance. Isso me soa bem como o contrário de fantasiar, não acha?

Achar um ator atraente é "fantasiar um amor impossível"? Se encantar pela capa da playboy é o quê, então? Garotas podem gostar do Tom Hiddleston do mesmo jeito que os garotos gostam da Scarlett Johansson, ué.

Não é porque eu disse que acho o Andrew Garfield bonito que eu ignoro os caras que passam por mim no dia-a-dia. Acontece que caso você não tenha se dado conta, gênio, tem razões um pouco mais práticas pros exemplos serem famosos - Não adiantaria nada mencionar aqui 'o cara que passou por mim no caminho da padaria' já que ninguém mais o viu, não acha?

E, hã, a gente se fascina com o protagonista porque ele é o 'alfa' hum? Engraçado, me pergunto porque eu gosto mais do Stiles que do Scott, então? Sendo que o Scott é o protagonista lobisomen de Teen Wolf e o Stiles é só o amigo perdedor (??) dele.... Rá, deve ser alguma anomalia...

E AHAHAHAHAHA MASTURBAÇÃO COM EDWARD CULLEN! AHAHAHAHAAH ESSA É BOOOOOOA!! Rolei de rir!
No que me diz respeito, a resposta é só uma: mas neeeeeeeem a pau! Eu detesto o Cullen. E Grey's Anatomy. Sério, House é muuuuito melhor (mas eu não faço 'jornadas melancólicas' pelo Hugh Laurie, antes que você sugira isso).

@Bruno S
"Muito íntimo é continuar junto depois e dormir junto, acordar e sentir o bafinho do outro, a cara amassada, tomar café da manhã junto."

Hahaha, não deixa de ser verdade! Até acho que em termos de relacionamento, é aí que o bicho pega.

Mas ainda tenho dificuldades em achar que enfiar a língua nos outros é algo tão banal assim XD

Mirella disse...

Fora que, né...
O que a galera MENTE em relação a fazer sexo não é fácio.

Então, sempre ouvimos quantas pessoas são os picas da galáxia da fodelança, mas na hora do "vamuvê" não sabem picas (oi, to com fixação na palavra?).
Boa parte mente para não se sentir excluído. Acho que foi um dos pontos do texto da T., a necessidade de não ser virgem.
Sexo, para uns, é quase uma competição de um clubinho dos "sexuados". Para tais, é um absurdo você ter um modo de vida que não seja este, pelo motivo que for.
A única imagem que é OK no mundo é o homem que faz sexo heterossexual (dane-se se ele for gay).
Todos os outros tipos, desde a vida sexual feminina (gay ou não) e o homem-com-homem, vão enfrentar algum rótulo - na ausência ou presença de sexo. E é chato ter de viver esta "normatização". Um porre.

Acho que a maior dificuldade com o preconceito das pessoas é passar pela fase de achar que somente o comportamento X é "normal".
Como li em algum comment por aqui, na hora em que seu conceito de normalidade é anulado, você é obrigado a pensar que tudo que sempre aceitou como natural não o é e, assim, precisa entender que o mundo não gira em torno do seu umbigo. E isso é um choque, ter de aceitar outras realidades além da sua. Mas também é o primeiro passo para aprender a conviver com pessoas diferentes de você e aceitar quem faz sexo ou não, quem é gay ou não, quem é gordo ou não, etc etc etc.

Para finalizar, acho que esta eterna cobrança de "Vida: como se viver/Sexo: modo de fazer" nada mais é do que uma extensão da ENOOORME lista de regrinhas que temos de seguir para atingir o padrão imaginário que precisamos para sermos "felizes".

Mirella disse...

Ana,


só para comentar, sempre soube que você era gente boa. Para mim, gostou do Orlando Bloom só pode ser gente boníssima =P

lica disse...

Bom, faço parte do time dos que transaram cedo. Mesmo com um namorado de um ano e meio e etc.

Mas considero que só vim a saber o que era sexo realmente uns 5 anos depois, já bem mais madura e pronta para a experiência.

Eu também acho que a sociedade apela, pressiona e mistifica o sexo como a rezão de existir das nossas vidas...

luaninha disse...

Não sei se é porque a Lola tá barrando os trolls, mas essa é uma das caixas de comentários mais legais de ler dos últimos tempos.

E isso de ter muito mais gente acima dos 25 anos -virgem -eu fui descobrir depois. Olha, por mais que eu saiba que cada um faz o que quer (e o que não quer) da vida, foi um alívio isso de'não estou sozinha, então não sou devo ser tão estranha assim'.

(Pra Ana: Andrew Garfield é muso pra mim, desde aquela participação em Doctor Who, lá atrás. E outro é aquele menindo de Criminal Minds, lindo. Mas é isso, eles são lindos. Nâo quero ir pra cama com nenhum dos dois).

Ana disse...

@Panthro
"deixar de ser racional eu nunca consigo. O que eu consigo só é diminuir a carga. Mas sempre tem uma parte de mim analisando tudo."[2]


@00:37
"Nunca tive um modelo saudável de relacionamento, então criei essa ideia de que não conseguiria alguém para confiar, e até hj não consigo quando se trata questões amorosas."

Oi :)

Então. Eu nem pais não tive, ahaha. Meu pai foi embora na semana em que eu nasci. Bom, ele voltou um ano depois (porque ficou sem grana). Mas antes do meu aniversário de 3 anos minha mãe se separou dele de vez porque a situação tava insustentável.

Eu tenho poucas memórias da época em que moramos os três juntos. Dessas, as que incluem meus pais juntos são brigas. Nunca os vi sequer de mãos dadas, não me lembro de uma vez que tenham se falado amorosamente.

Três anos depois da separação meu pai reapareceu do nada pedindo pra me ver. Minha mãe perguntou se eu queria vê-lo, eu disse que sim - tinha seis anos, não tinha noção do que tinha acontecido com a minha família, não vi nada de errado em almoçarmos juntos.

Em resumo, foi de longe a pior experiência da minha vida. Na hora em que juntei meus pais no mesmo ambiente o ar virou concreto. Foi horrível! Nunca mais senti um clima de rejeição tão forte em toda a minha vida. Foi tão ruim que na hora em que eu sentei na mesa percebi o tamanho do erro, hahaha.

Cresci na casa dos meus avós, mas isso também não ajudou muito - o casamento deles foi 'meio arranjado', minha avó se casou com meu avô sem saber uma penca de coisas sobre ele, hahaha. Foi bem ruim... Tanto que volta e meia ela olhava pra mim e batia no peito, toda orgulhosa: 'Faz mais de vinte anos que ele não encosta um dedo em mim! Eu não deixo! HOHOHO!" XD Sério!!!

Minha família ainda tem mais casos de violência doméstica do que eu gostaria de admitir, e algumas parentas machistas fazendo besteira por dinheiro. Acho que o único relacionamento normal que eu consegui acompanhar quando era pequena foi o dos meus tios - que eu via uma vez por semana, o que não é assim um contato muito de perto, né? Então eu meio que entendo o que você diz.

Quando ao tratamento da família... Eu sempre fui muito mais de estudar do que de ter vida social, e desde os meus 11 anos tenho sido três vezes mais reservada do que já era, passo 90% do tempo sozinha na minha - enfim, eu sou muito quieta. Minha família não faz pressão nenhuma, porque nem existe essa liberdade entre a gente. Nunca me perguntam nada (a única coisa de que as pessoas se lembram quando olham pra mim é de vestibular, hahaha).

No começo do ano quando entrei no curso técnico minha tia disse numa reunião de família (eu não estava presente, fontes internas me contaram depois): "ótimo, porque faz um ano e meio que ela está na capital e até hoje ela não fez nenhum amigo lá, né?". E minha prima respondeu, "deixa ela, ela é assim!" - Percebe que meu comportamento social é meio que um tabu? 'Don't ask; don't tell'? Como se eles não se quisessem me traumatizar por ser esquisita, kkk.

Então assim, a verdade é que eles até me acham estranha (em comparação com as primas que saem pra farra a partir dos 13), mas acham melhor deixar quieto... E tem ainda a questão de que eu sou a comportada da casa, o 'exemplo', e essa parte eles aprovam.

A pessoa que mais podia fazer pressão é minha mãe, mas se tem um assunto que a gente evita, é romance.

Em termos de pressão externa eu dei tanta sorte... o_o

Maicon Vieira disse...

Anônimo 23:10

Cara, eu me masturbo, mas tento não me masturbar. O motivo? É simples, não vejo sentido nisso, não vejo motivos para me masturbar, mas acabo fazendo. Além disso, já faz muito tempo que não consigo ter mais prazer com a masturbação. E sobre não querer sexo, bem, é complicado isso, é complicado obter, complicado fazer e não sei se consigo fazer. Para mim, parece algo inalcançável, algo que nunca conseguirei realizar, então tento arrumar um jeito de viver sem.

Dayane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

@Mirella
"Para finalizar, acho que esta eterna cobrança de "Vida: como se viver/Sexo: modo de fazer" nada mais é do que uma extensão da ENOOORME lista de regrinhas que temos de seguir para atingir o padrão imaginário que precisamos para sermos "felizes"."

Perfeito.

E AAHHHHHH EU ACHEI! EU ACHEI, EU ACHEI, EU ACHEI! UMA MULHER QUE TAMBÉM GOSTA DO BLOOM! *sai correndo e pulando pela casa*

Menina, você é tipo, meu Elo Perdido, tá ligado? Kkkkk... Toda vez que eu falava no Orlando Bloom neguinha fazia cara murcha de volta: 'ah, não acho tudo isso'. E eu ficava tipo, OI COLEGA COMO ASSIM????? Kkkkk

Finalmente te achei!

Anônimo disse...

Uma pessoa perguntou porque eu usei gay e bissexual como sinônimos. É porque gosto de intimidade com mulheres, já tive essa experiência, teria de novo. Ao mesmo tempo, adoro intimidade gay e há algum tempo só tenho relacionamentos gays. Então classificações rígidas não explicam direito como eu vivo minha sexualidade. Sou provisoriamente gay, mas quem sabe? Já fui provisoriamente hetero e já fui bi. -- Brian

Anônimo disse...

Anônimo 00:50
É óbvio que qualquer mulher, que tiver que escolher entre fazer sexo com você e comer jiló, fica com a segunda opção, da muito mais prazer.

Anônimo das 02:02
Você vive no fabuloso mundo dos mascus né?
Ou diria: tenebroso mundo dos mascus?
Como vocês vomitam asneiras!
KIka

Lord Anderson disse...

"Fora que, né...
O que a galera MENTE em relação a fazer sexo não é fácio."


pois é Mirella, isso pra nós homens é uma pressão absurda.

por ironico que que pareça, uma das coisas que me deixaram mais feliz foi crescer e descobrir que a maior parte das "proezas" sexuais masculinas que eu ouvia eram mentiras, que não, homem não precisa estar disposto ou pensando em sexo o tempo todo...

essa pressão que colocam na gente, estraga e muito curtir realmente o sexo.

Anônimo disse...

Huan Icaro Piran, legal saber que existem homens assim como você. Eu particularmente detesto o tipo padrão de cara que tem uma namorada mas "comeria a irmã dela, se masturba o tempo todo e pensa em várias outras."

Acho que mtas mulheres não merecem isso.
Sua namorada é uma sortuda!

Anônimo disse...

Sofri muito pelo mesmo motivo.
Já comentei aí pra cima. Eu ficava (beijava) todos os meninos que queriam ficar comigo, e foram pouquíssimos, pois eu era gorda.

Quando minhas amigas estavam namorando e começando a fazer sexo, eu ainda estava nisso de beijar qualquer um. Beijava sem gostar, sem querer, só pela sensação de dever cumprido como alguém aí disse.

Minhas amigas não sabiam disso, isso fazia de certa forma a amizade ser meio falsa.

Como já falaram por aí, ninguém precisa sair falando para todo mundo que é virgem, que nunca beijou, etc. Então eu fazia o mesmo, não falava muito da minha vida amorosa. E isso era muito ruim, pois o que mulheres adolescentes mais fazem é falar sobre homens, rs. Deviam achar que eu era assexuada.

Vi minha "melhor amiga" ficar com os rapazes que eu era a fim e não podia falar nada, afinal, ela (nem eles) imaginavam que eu era a fim deles. Ouvia ela contar com detalhes tudo que ocorria entre eles e ainda dava conselhos...

Mas como dizem por aí: depois melhora.

Hoje tenho um namorado maravilhoso, com o qual faço sexo e gosto. Mas tudo só se resolveu depois que emagreci.

Fico pensando o quanto da minha vida eu perdi porque era gorda. Poderia ter tido uma adolescência tão melhor e sem esse tipo de sofrimento...

Carol disse...

"Já comentei aí pra cima. Eu ficava (beijava) todos os meninos que queriam ficar comigo, e foram pouquíssimos, pois eu era gorda.

Quando minhas amigas estavam namorando e começando a fazer sexo, eu ainda estava nisso de beijar qualquer um. Beijava sem gostar, sem querer, só pela sensação de dever cumprido como alguém aí disse."

Eu entendo completamente o que você quer dizer, quando você vê suas amigas com namorados sua autoestima cai demais, mas eu NUNCA, mas nunca fiquei com rapazes que eu não me sentia atraída, eu nunca faria isso comigo, não faria algo por pressão social, e olha ainda bem que eu tomei essa decisão na minha vida, eu prefiro morrer virgem do que ficar com alguém que eu nem gosto.

Huan Icaro Piran disse...

Nem tanto Anonim@ 10:58 pois eu sou ranzinza, briguento, paranoico... xP

Bah Lord Anderson, de fato, as pressões relacionadas a sexo são tão chatas que chegam a ser boxantes

Anônimo disse...

Perdi minha virgindade aos 20, com meu atual marido, qdo só tinhamos 2 meses de namoro e foi ótimo! fora ele, só tive mais uma relação sexual numa época que a gente tinha dado um tempo no namoro. Desde os meus 12, 13 anos eu sentia uma vontade imensa, me masturbava muuuuiiito, mas tinha receio de transar, pq via muitos meninos com atitudes imbecis, daquele tipo que transa e sai se gabando que pegou fulana, fez isso e aquilo... além daquele medo machista incutido na nossa cabeça de "ficar falada". E pra piorar, eu frequentava a Renovação carismática católica (q p mim chega a ser pior q os evangélicos) e aí já viu né, a repressão sexual era imensa, imagina vc se masturbar e depois lembrar q "deus vê tudo"? rsrsrs Ainda bem q eu me libertei dessa desgraça, faço sexo sem pudor e sem culpa e só me arrependo por não ter começado antes. Se bem que se for pra fazer com qualquer um (tipo um mascu, se bem q desconfio q eles saibam o q seja isso)é melhor se saciar sozinha mesmo!

Anônimo disse...

Dayane disse...

-
Não se preocupe mocinha, se tem alguém aqui que jamais seria "mal amada". "reprimida" seria você, e não estou falando no sentido sexual não,mas emocional espiritual, quem le seus comentários sabe que tem uma luz diferente, você deve ter asas ^.^

Ana disse...

@11:08
"Fico pensando o quanto da minha vida eu perdi porque era gorda. Poderia ter tido uma adolescência tão melhor e sem esse tipo de sofrimento..."

Você perdeu porque era gorda, ou porque não se gostava? =/

Olha, eu sei o quanto incomoda. Eu sei, porque desde que eu passei dos 12 só o que eu escuto em casa é que eu tenho que emagrecer. Eu sei como é ruim.

Se você está mais feliz agora, acho ótimo! Mas será que não sabe um reflexão aqui? O problema era o corpo, ou era auto-estima? ._.

@luaninha
"Pra Ana: Andrew Garfield é muso pra mim, desde aquela participação em Doctor Who, lá atrás. E outro é aquele menindo de Criminal Minds, lindo"

Ow, não vamos colocar o Matt G. Gubler nessa conversa, é muita covardia! Sim, ele é lindo, hahaha. O personagem do Reid ajuda a gostar dele de uma certa maneira também (o Dr. é uma graça). E Shemar Moore é algo também... Ademais, Criminal Minds mata a pau, eu assisti as 7 temporadas tudo numa hora só XD

Putz, Doctor Who é tudo isso que dizem? Eu tentei olhar um episódio e não decolei... Agora estou de olho em 'Merlin'. Os rapazes são bonitos e tal... Mas o personagem do Arthur é tão, tão escroto, que estou quase pegando nojo do loiro, kkkkk A série é engraçada, pelo menos.

@Dayane
"Eu acho que essa questão de a pessoa querer ir pra cama ou não no primeiro encontro é muito pessoal!Não significa que ela está fazendo "doce". Algumas se sentem mais confortáveis conhecendo antes a pessoa, se sentindo mais confiante, mais a vontade, outras não. Há quem ache sexo algo muito emocional, com sentimento, e há quem ache que sexo é apenas sexo, apenas uma necessidade biológica. Acho que isso vai variar de pessoa para pessoa, pois somos diferentes."

Exato!

Mirella disse...

"'ótimo, porque faz um ano e meio que ela está na capital e até hoje ela não fez nenhum amigo lá, né?'."

Ish, Ana, acho que temos outra coisa (menos ~melhor~ que o Orlie haha) em comum.
Meu avô, há alguns meses, estava conversando comigo sobre o fim da faculdade. No meio da conversa, não lembro como o assunto surgiu, ele perguntou, todo preocupado:
"mas você não fez nenhum amigo na faculdade?"
heuaheauheauehae morri de dó dele.
Acho que o maior choque da vida da minha família é o fato de eu morar com uma amiga e ter namorado.

--

Lord Anderson e Huan,

vou dividir uma anedota que ouvi e que me deixou estarrecida. Tava conversando com uma amiga e o namorado sobre balada, sair namorando etc. Num dado momento minha amiga foi ao banheiro e eis que o namorado começa:
- Antes de namorar, eu sempre saia com uns amigos. Tinha um que namorava e ele saía com a gente toda a semana para balada - mas nunca traiu a namorada. A gente achava aquilo super esquisito, vai ver quer curtir o som, sei lá. Sempre estranhei.
Depois que comecei a namorar, fui sair com esse amigo de novo numa balada. Olha... O que eu nunca tinha entendido, fez sentido. Foi um alívio ir para algum lugar sem ter a obrigação de ficar com alguém. Poder curtir os amigos, o ambiente, a música e poder ficar de boa.



Preciso dizer que fiquei com maior dó do universo dele (e de todo homem que precisa posar de machão pegador)? Como é que pessoas conseguem viver sob este tipo de machismo, sofrendo uma pressão absurda? Como vocês conseguem? Por isto, respeito muito quem opta por uma vida emocional e sexual mais tranquila e fala sobre isto abertamente. É um tipo de patrulha sobre a vida alheia que é desumano.

lola aronovich disse...

O Fábio gosta muito de vc, Dayane. Vou deixar passar esse comentário dele porque é bom ver que os brutos também amam.


Os comentários nesta caixa estão incríveis! Adorei. Fica muito melhor sem troll atrapalhando, né?

Ana disse...

... Falando no Reid me lembrei de um diálogo entre ele e a Elle (pra quem não curte Criminal Minds, o Reid é um geniozinho de QI 187 e memória fotográfica cheio dos problemas, e Elle é sua colega numa equipe de investigação do FBI):

Elle - Eu não sei como você sabe metade das coisas que sabe, mas acho ótimo.
Reid - ... Você acha que é por isso que eu não namoro?
Elle - Você já convidou alguém pra sair?
Reid - ... Não.
Elle - É por isso que você não namora.

Meio off-topic, mas foi uma resposta simples (e absurdamente óbvia) pra uma paranóia social. Tem alguma coisinha haver com o assunto, vai. E eu adoro essa cena XD

Pensando agora, como é que pode né, um 'loser' que nem o Dr. Reid ter tantas fangirls? Se ele é magrelo, branquelo, e todo travado?

A verdade é que mesmo sendo retratado como um cara meio 'loser' na série, ele é adorado. Não faz muito sentido num mundo onde as mulheres só querem alfas... Vai entender, né :P

Bruno S disse...

Mirella,

essa história que você tem bastante realidade sim.

Quando o cara tá solteiro, sair e não ficar com ninguém acaba parecendo uma certa derrota. Quando ele não tem mais essa pressão, fica mais solto para curtir.

Continuando sobre essa "obrigação" masculina de fazer, acontecer econtar vantagens e tal sempre lembro de um causo.

Numa conversa com cerveja pós futebol sempre tinha alguém contando alguma "vitória", até que um dos amigos perguntou se era todo mundo tão bom assim, se ninguém tinha "derrotas", nunca tinha vacilado.

Depois de um silêncio apareceram os causos mal sucedidos, que eram até bem melhor de ser contados que os outros. Derrubou um pouco a pressão naquele ambiente.

Anônimo disse...

Anônima das 11:08 de hoje:

Minha história e parecida com a sua em alguns pontos,
Pra vc se situar melhor, sou a anônima que postou ontem as 21:07
Também tive a sensação de adolescência perdida, como você,
Sofria bulliiyng na escola, nao por ser gorda, mas por outras razoes.na escola nenhum menino queria ficar nem namorar comigo, e a sensação que eu tinha ao ver as amigas namorando era a mesma que vc tinha,
Por muitos anos, me culpei por nao ter sido mais esperta na época e por nao ter sacado que o problema nao era comigo.
Por fim, quero dizer que tudo na vida passa, e que de verdade, nao devemos remoer o passado,
Meu passado foi aquele, na década de 90? Ok, essa foi minha vida,mas depois de alguns anos isso melhorou, tanto que conheci o homem que foi meio minha libertação sexual...rs.. Aos 33 anos!!!
Mulheres tem menos libido que homens? Hahahahah!!!!! Deixa esse bando de machista ver como eu ficava quando ia me encontrar com esse ex relacionamento.terminei por outros motivos, mas se fosse pelo sexo ficava com ele o resto da vida.( e sei que vou sentir falta disso)
Enfim, procure nao se culpar pelo que vc já sofreu no passado. Inclusive porque raramente um adolescente tem discernimento pra sair de uma situação dessas sozinho, sem ajuda.
Aproveite os bons momentos que vive hoje com seu namorado, porque e isso que importa,
E agora, eu quero um companheiro!!! Mesmo que o sexo nao seja tao bom como o ultimo.
Ps: Lola, já comentei no seu blog algumas vezes com meu nome real,mas dessa vez, como falo das minhas intimidades, preferi o anonimato....rs.
Beijos, excelente post!!!

Dayane disse...

Hehehe,que bom ^^"!

Ana disse...

@Mirella
Quando eu tava no ensino médio eu fiz um teste de vocação, daqueles bem completos... Na descrição da minha personalidade apareceram coisas como "Ana vai preferir assuntos relacionados ao trabalho e evitar convívio social, festas, reuniões e afins".
Quando a minha tia leu ela disse, meio impressionada: "e é mesmo, né? Ela é diferente!"

Ahaha. Eu achei aquilo tão estranho. 'Diferente' - Por que eu não gosto de sair, eu fujo à regra da família. Mas na minha cabeça, fazer festa é que seria diferente XD

Eles devem achar muito estranho que eu não saio pra lado nenhum. Não tenho facebook nem orkut, meu msn cria teia de aranha, meu celular passa dias desligado... Minha vida é parada, deserta. Aos olhos dos outros acho que é digno de pena, mas sabe o que é... eu sou feliz assim >D Mesmo sem sair e sem 'fazer amigos'.

As pessoas tem umas idéias na cabeça, como se fosse necessário um certo nível de cada coisa - x de dinheiro, x de amizades, x de amores, x de festas etc etc - pra ser feliz...

"Foi um alívio ir para algum lugar sem ter a obrigação de ficar com alguém. Poder curtir os amigos, o ambiente, a música e poder ficar de boa."

Meldels, que horror... É ruim assim, caras? Que péssimo!!! D:

Anônimo disse...

Ana

"Você perdeu porque era gorda, ou porque não se gostava? =/

Olha, eu sei o quanto incomoda. Eu sei, porque desde que eu passei dos 12 só o que eu escuto em casa é que eu tenho que emagrecer. Eu sei como é ruim.

Se você está mais feliz agora, acho ótimo! Mas será que não sabe um reflexão aqui? O problema era o corpo, ou era auto-estima? ._.""

Como gostar de si mesma e ter boa auto-estima sendo uma adolescente gorda? Impossível!

Ser bombardeada por todos os lados com todos dizendo que seu corpo é horrível e que se não emagrecer não conseguirá nada?

Como ter auto estima se não encontra roupas em lugar nenhum? Tinha que ir na capital comprar roupas em loja de tamanhos especiais ou pedir para a costureira fazer.

Tinha pouquíssimas roupas, mesmo tendo dinheiro. Deixava de sair por causa disso. E tinha que falar com as amigas que não ia sair porque não estava com vontade.

Via amigas com cerca de 20 kg a menor que eu reclamando perto de mim que estavam gordas. Eu tinha vontade de morrer quando isso acontecia.

Mesmo quem não diz isso diretamente, fala de outro modo. Tenho irmãs mais velhas, e desde que eu tinha 12 anos elas me davam remédios para emagrecer e me levavam a médicos, esteticistas, etc... Minha mãe? Até hoje me acha gorda, mas como estou casada, tenho filho e não engordei demais na gravidez ela já está satisfeita. Acho que consegui mais do que ela achava que eu fosse conseguir.

Minha mãe teve uma conversa séria comigo quando eu decidi ter um filho, realmente tentando me desestimular, por medo de eu engordar tudo o que custei anos para emagrecer.

Meu pai me deu de presente 2 lipos antes dos meus 20 anos de idade. Achando tudo muito natural.

Sempre fui boa aluna, passei no vestibular de direito da universidade federal mais bem conceituada por aqui e hoje sou juíza trabalhista. Tenho uma vida financeiramente boa, uma maridão e um filhote lindo. Mas nada disso apaga o sofrimento e a humilhação que eu já passei na vida por causa de ter sido gorda durante a adolescência.

Tenho medo de repetir as atitudes da minha mãe e irmãs. Minha mãe foi gorda e também sofreu muito quando ela era nova e sei que ela fazia essas coisas comigo justamente para eu não sofrer o que ela sofreu. Minhas irmãs deram sorte e tinham facilidade para emagrecer... Mas eu puxei a minha mãe.

Dayane disse...

Ei Ana, vc precisa fazer um blog ;)!

Huan Icaro Piran disse...

@Mirella

Essas cobranças são um dos grandes motivos pelo qual eu não saia. Comecei a sair um tempo antes de conhecer minha noiva, mas o tipo de evento acabou sendo festivais de musica, metal, punk, blues, sons que se vai para curtir.
As duas vezes que sai para curtir com meus amigos foi quase traumático pela cobrança feita para ficar com alguém. Dai achei melhor não ir. Em casa com meu pijama e meus livros eu acabo me sentindo mais confortável...

@Bruno S

Cara, bacana essa que contou.
Eu como não pegava ninguém acabava acompanhando os tocos de meus amigos constantemente. Mas isso se dá por eu ter alguns amigos bastante românticos e as vezes quase platônicos em seus relacionamentos; ou ao menos eram na adolescência, hj em dia andam virados nuns NERDs RPGistas que vivem faltando aos RPGs para sair com alguém interessante xD

@Ana
É no mínimo inconveniente, mas se esta tão acostumado que não se costuma fazer crítica a isso.
Temo eu que esse tipo de pressão seja um dos maiores formadores de mascutrols, machistas, masculinistas e outras bizarrices que temos por ai, por criar uma pressão tão grande que vai fazer quem tiver menos auto confiança criar ódio por todos que não sofrerem como eles sofrem...ou ao menos essa é uma reflexão de psique que estou tendo no momento...

Anônimo disse...

pôxa, maicon... relaxa, menino! masturbação não é pra ter sentido. se vc estiver gostando, é prazer seu, corpo seu, autoconhecimento... e, cara, sexo acaba acontecendo. não se feche. se rolar, rolou. se não rolar, ué, não rolou. só queria que vc relaxasse e conseguisse ver tudo isso sem tanta amarra, sabe? vc me passa um sofrimento... mas fique bem!

sobre mulheres preferirem chocolate a sexo... ai, gente, quase nunca como chocolate. não gosto MESMO. raramente que como algum. e agora, josé? o que os mascus vão pensar de mim?

Fábio RT disse...

Com certeza você é absolutamente normal. Acho que se tem algo que está cada vez mais estranho e doente é a nossa sociedade.

Ana disse...

@12:44
"(...)se não emagrecer não conseguirá nada?"

Minha mãe me disse que se eu não emgrecer, 'periga até não conseguir emprego'. Assim, na lata, como se fosse a conclusão mais óbvia do mundo.

Eu costumava jogar futebol quando estava no fundamental. Aí um dia cometi um erro feio. Quando cheguei em casa, arrasada que tinha perdido o jogo e precisando de um apoio, minha mãe olhou pra mim e disse: 'Também, uma abóbora que nem você, tava esperando o que? Claro que isso nunca ia dar certo!'

Eu não joguei mais depois disso, por que eu fiquei com vergonha de correr na frente dos outros e eles pensaram, 'lá vai a abóbora!' (kkk, hoje soa engraçado...).

E é assim, meus amigos, que um tiro sai pela culatra...

"Mesmo quem não diz isso diretamente, fala de outro modo."[2]

"Meu pai me deu de presente 2 lipos antes dos meus 20 anos de idade. Achando tudo muito natural."

A minha mãe trabalha com saúde e já me ofereceu shake emagracedor, depois disso não me assusto mais com nada.

"Sempre fui boa aluna(...) nada disso apaga o sofrimento e a humilhação que eu já passei na vida por causa de ter sido gorda durante a adolescência."

Ah, boa aluna eu também sou. Mas nunca foi o suficiente, eu devia mesmo era ser bela... E pra minha família, a prima que é magra devia ser inteligente como eu, não é engraçado como as coisas são?

É, nada apaga o sofrimento mesmo. Os absurdos que a gente ouve e as humiliações que passa nunca mais somem.

"Minha mãe foi gorda e também sofreu muito quando ela era nova e sei que ela fazia essas coisas comigo justamente para eu não sofrer o que ela sofreu."[2]

Igualzinho aqui. Minha mãe foi gorda a vida inteira, e se odiou a vida inteira, e se odeia até hoje, e me ensinou, querendo ou não, a me odiar também.

O feminismo está me ajudando com essa última parte, mas minha mãe é francamente um caso quase perdido. Ela internalizou todo o tipo de coisa horrível, se convenceu de que gordo simplesmente não pode ser feliz. É quase como se você não merecesse viver e devesse alguma coisa pra socieadade.

"Minhas irmãs deram sorte e tinham facilidade para emagrecer... Mas eu puxei a minha mãe"

Ahaha. Minha avó é magrinha, come tigelas de doce de colher e não engorda; já meu avô é grandão, mas não engorda porque é pedreiro, faz muita atividade física, logo grande parte do seu peso é músculo.

Aí assim, filhAs puxam o pai, filhOs puxam a mãe. Resultado: minha mãe puxou meu avô, mas por ser mulher tem menos estatura e menos propensão a ganhar músculo, logo, ela é naturalmente mais gordinha. Meu tio puxou minha avó, é magro de ruim.

Meu pai não era exatamente magro, eu não tive muito pra onde correr. Meu tio casou com uma mulher magrinha, e teve uma filha que é magrinha também. Então é, a família é meio dividida entre as 'gordas inteligentes e sensatas' e 'magras belas e vaidosas' (argh).

O que rola de pressão não está no gibi.

Mas eu não sei, eu nunca deixei de me inquietar com todas as coisas que minha me obrigava a fazer (de tomar sol porque 'olha que coisa horrível essa pele branquela' às tantas chapinhas que eu não queria fazer, às tantas caminhadas sofridas). Até nas minhas fases mais ruins, quando eu vivia pra ser vaidosa porque achava que era 'o certo', eu lá no fundo ficava pensando 'isso é injusto e não faz sentido!'.

Eu vou dizer uma coisa, desde que começaram a me encher o saco pra emgrecer eu SÓ ENGORDEI. Mesmo fazendo dieta. Porque nunca era natural, automático, ou prazeroso, era sempre uma coisa sofrida, um sacrifício. Isso não pode estar certo. Não é assim que se lida com a vida, eu não sei como as pessoas deixam passar o absurdo aí.

A verdade é que ter os outros querendo regular minha vida é que me fez infeliz, não a gordura que eu tinha no corpo. Pra mim é isso. Eu queria saber como é pra você.

@Dayane
Por enquanto estou parasitando o da Lola :P

Leandro disse...

“Por um lado, segundo eles, todas as mulheres são vadias, não existe mulher exceção, com 12 anos já não existe menina virgem (só menino virgem, e esses, segundo a bíblia mascu, são praticamente todos, já que 20% dos homens pegam 80% das mulheres) etc etc. Por outro lado, quando, num thread como esse, eles veem que existem mulheres virgens de 20 e poucos anos, a reação deles já é: "Tá vendo como mulher não gosta de sexo?"”
- Não é incoerência, Lola. A real é que estas que são "virgens" o são porque não tem poder de barganha para atrair os 20% de homens pegadores, pois elas preferem a virgindade eterna do que os 80% restantes. Ademais, além sem atração são chatinhas e qualquer homem com um pouquinho de amor próprio não quer mulher assim. Só mesmo alguns betas desesperados...

Huan Icaro Piran disse...

@Ana

Que droga isso. Espero que sua mãe algum dia perceba que ela pode e deve ser feliz como é, acho muito triste quando alguém se convence que algo o impede de ser feliz.
Infelizmente já conheci uma garota jovem que pensava isso, que por ser gorda não poderia jamais ser feliz...

Mariana. disse...

"Fico pensando o quanto da minha vida eu perdi porque era gorda. Poderia ter tido uma adolescência tão melhor e sem esse tipo de sofrimento..."

Gente, que coisa triste de se ler, e também tão irreal.

Minha cunhadinha de 16 anos é gorda e é a pessoa mais popular da turma. tem vários amigos, homens e mulheres, e já teve váários namorados (muito mais do que eu, que sempre namorei o irmão dela rs).

lola aronovich disse...

Leandro, sinceramente, vcs mascus deveriam pedir ao deus Clonos para que ele enviasse dados menos escandalosos pro Instituto Mascu As Vozes Me Disseram. Porque essa estatística do "20% dos homens pegam 80% das mulheres" é impossível de defender. Não faz o menor sentido, e até vcs mascus sabem disso. Fica até chato pra vcs, porque vcs automaticamente se colocam nos 80% dos homens que não pegam ninguém.
Não há nada de errado em ser virgem, exceto quando vc faz dessa falta de sexo a maior frustração da sua vida e decide culpar todas as mulheres por essa ausência.
O engraçado é que vcs se vangloriam de ter saído da matrix, uma matrix que, segundo vcs, louva a mulher e vilaniza o homem, e onde mulheres não têm que fazer nada. (Que vcs pensem que o mundo é assim já revela que precisam aumentar a medicação. Falem com o psiquiatra. Sei que a maior parte dos mascus toma antidepressivos. Talvez os anabolizantes que vcs tomam para desenvolver os músculos estejam interferindo com os antidpressivos). Mas aí vcs saem de uma matrix que é um universo alternativo e se enfiam em outra, nessa dos 20%, das mulheres imprestáveis, das vadias, da não ter amigos, da "não sorrir nunca"... Vcs certamente não parecem pessoas livres. Pra qualquer um que não é mascu, o que vcs pregam parece coisa de gente muito doente.

Lord Anderson disse...

Anna, Doctor Who vale a pena sim, falou um fã apaixonado rs.

Uma dica. Veja a primeira temporada morderna de uma fez (ela é curta), funciona melhor que episodios isolados.


Vc vai acaber querendo ver as outras logo :)

Leandro disse...

Mas eu sou um homem livre. Livre de preocupações, livre para fazer o que eu quero. Livre porque eu não preciso dar satisfações a ninguém. Não gasto dinheiro com mulher, etc. Apenas vivo pra mim mesmo. Ou seja, sigo o meu próprio caminho. Sou uma homem livre.
E não tomo antidrepressivos. Pelo contrário. Quem eu vejo tomar antidrepressivos são estas mulheres que quando eram jovens eram promíscuas e só queriam se preocupar com a carreira. Hoje, só o que lhes resta de companhia, são os seus gatos. São mulheres solitárias com fortes tendências suicidas. Veja a Monique Evans: gasta quase todo o seu salário com antidrepressivos. É isso aí que o feminismo trouxe para as mulheres.

Bruxinha disse...

@Siena, super curti a definição...tô suspeitando que me enquadro dela...onde arranjo maiores informações? de preferência em português? vc sabe?

Mirella disse...

"Só mesmo alguns betas desesperados..."

Imagina os Ipsilones, como não são desesperados! Não esqueça os Deltas e os Gamas.

Mas vem cá, você quer ser Alpha menor ou Beta Maior? O que é pior? Você usa cáqui, verde ou cinza?


#humornoHuxley!

DeeD disse...

Nossa... Essa história me fez lembrar como meus amigos ficaram chocados qd eu contei que não achava que sexo fosse tão bom.
Na cabeça deles, por eu estar sempre namorando ou me relacionando com alguém, eu era super bem resolvida e sexualmente ativa... foi uma revelação qd eu contei que não gostava tanto de sexo e que não transava com meu namorado da época havia quase 6 meses (namorei por uns 3 anos... mas a parte sexual sempre foi péssima. Acho que durou tanto por questão de dependência e medo de mudanças)
Na verdade, gostaria de ser do jeito que eles imaginavam, mas me sentia uma mentira ambulante, sabe? Eu percebia que eles acreditavam que meu namoro era perfeito sexualmente e que, por simplesmente namorar, fazia sexo todo dia.
Esses meus amigos não tem mtas experiências e nunca os vi em nenhum relacionamento, nem beijando alguém do sexo oposto ou do msm sexo (só um deles, mas msm assim foram poucas vezes).
Então eu sempre fui a mais "avançada" e mais experiente.
Eu tb contei para um deles q nunca tinha gozado na vida, sendo que na época já tinha transado com 3 pessoas diferentes.
Contei isso para outras pessoas tb (mulheres)... e as reações sempre foram: "Como que pode?" "você não achou um homem de verdade!"
Ninguém imagina que alguém não goza! É incrível isso! Eu me achava a maior aberração do universo por não conseguir! Me sentia enganada por todo esse alarde de que "sexo é bom", "sexo é maravilhoso", "transar = gozar".
Há pouco tempo descobri que consigo gozar, sim e que gosto de sexo! Não sou loucaaa por sexo, mas não sou "anormal" como me sentia antes...
Aprendi tb que sexo pode ser bom sem ter que gozar em toda relação... antes eu não conseguia achar o ato sexual bom pq eu ficava presa a esse pensamente de que pra ser bom tenho que necessariamente gozar... O orgasmo não é algo fácil e que acontece a todo momento. No meu caso, preciso de um "auxílio não humano" para conseguir hahaha (ficou parecendo que transo com ETs, mas estou falando de vibradores, aqueles "bullets", enfim...)
Mesmo assim, qd eu digo que só gozo dessa forma (com auxílio), as pessoas continuam achando esquisito... e dizem que eu não conheci "um homem que faça direito"...
Putz... Pq todo mundo tem que ser igual? Outra coisa que incomoda é que colocam a culpa nos parceiros que eu tive tb... Que eles não foram bons o suficiente! E... poxa... alguns foram bons sim e mto empenhados até hahaha mas eu não conseguia ué! E não por culpa deles.
Esse tipo de comentário poderia me deixar insegura de novo, mas eu já me aceitei e entendi que meu corpo funciona assim. Sei que existem pessoas que gozam, pessoas que não gozam, pessoas que gostam de sexo e outras que não, pessoas que gostam e não gozam sempre etc. Penei pra entender isso, mas agora me sinto mto mais bem resolvida
Desculpem o texto grande, mas é que pensei que tb existe essa cobrança em relação ao orgasmo, principalmente para a mulher... e achei interessante tocar no assunto!
:)

Huan Icaro Piran disse...

"Só mesmo alguns betas desesperados..."

ehwalkjhejwaklhelkjwahejwakl

Lembrei dos jogos de RPG do sistema Lobisomem o Apocalipse...mas lá se é parte humano, parte lobo (pode-se ser lobo que vira humano) então esses termos ainda passam...

Cara, nem nos jogos de fantasia isso ai não é bem aceito, quem dirá falando sério. Cada uma viu...

Lord Anderson disse...


Hum, deixa eu entender.


Homem escolher a mulher com quem sai deixando as que acha feia e chatas de lado é correto.


Mulher escolhendo o homem com quem sai, deixando de lado quem não á atrai é errado e motivo pra critica-la.

meus sobrinhos de 10 anos tem maior capacidade de logica.

Anônimo disse...

Ana, sou a @12:44

Pelo visto nossa história é bem parecida.
Realmente fui forçada a fazer várias dietas, vigilantes do peso, endocrinologista, Herba life, diet shake, dieta da sopa, etc.

Já perdi a conta de quantas vezes eu já entrei na academia. Só na adolescência, deve ter sido umas 15. Quando ia entardecendo e minha mãe me obrigava a fazer caminhada, era horrível.

Nada disso era natural.

Os outros querendo regular minha vida me fazia infeliz, e o meu peso era a personificação dessa infelicidade.

Muitos podem perguntar: mas por que então eu não emagrecia? Sei lá, mas eu não conseguia.

Ainda não sou realmente magra, mas consigo comprar roupas na maioria das lojas.

Na primeira vez que eu fui para os Estados Unidos eu era mais gorda. Nunca me senti tão feliz!!!
Eu consegui comprar muitas roupas! Duas malas de 32 Kg de roupas. Roupa de festa, de ir para a faculdade, pijama, calça jeans! Pela primeira vez na vida eu pude ESCOLHER uma roupa, e não comprar aquela que servia. Quando penso nisso eu fico vendo como o nosso país não respeita os gordos. Só de lembrar disso me dá vontade de chorar, como eu chorei quando cheguei no hotel e vi que tinha comprado mais roupas em um dia do que em vários anos da minha vida.

E sinceramente, infelizmente eu penso como a sua mãe. Não vejo como um gordo pode ser feliz. Porque eu nunca fui feliz gorda. Claro que tive os meus momentos de felicidade, mas o peso sempre deixou esses momentos mais tristes.

Vejo minhas fotos de formatura, com beca, e lembro não só de como foi bom estudar e como estava feliz por formar, mas não deixo de reparar como eu estava gorda na foto e o quanto foi humilhante ter que escolher uma beca imensa na frente dos colegas.

Vejo fotos do meu casamento (no civil, claro, pois jamais vestiria um vestido de noiva estando gorda) e fico pensando como seria se eu tivesse feito uma festa.

Nesses momentos citados eu fui feliz, mas teve o desgaste e a ansiedade por causa da gordura. Conseguir roupa para o baile de formatura, por exemplo, foi uma luta... Mas até que fiquei bonita, rs...

Anônimo disse...

Falando em intimidade do sexo, manuais do sexo, fluidos corporais etc..
Acho o efeito de hollywood nefasto e um dos culpados para todas nossas neuras. Não podemos ser gordas-peludas-ter fluidos-bafos etc..
Querem nos fazer engolir q fazemos sexo como num editorial de moda..ridículo..

Falamos muito pouco de intimidade, que temos pelo sim, inclusive encravados,bafos, e que arrotamos, fazemos pum, cagamos, temos espinhas etc etc..

Já passei dos 30, mas acho que essa nova geração particularmente é mais afetada pela novas "regrinhas" do sexo que a moda (que o capitalismo adora) impõe. Por isso tantas neuras sobre sexo....


(vivi)

Anônimo disse...

A minha primeira vez foi com 23 anos (com o meu primeiro namorado que na época tinha 24 anos), sempre fui muito tímida com rapazes e sempre tive vergonha do meu corpo. Acho que só consegui me sentir segura para namorar pq ele já era meu amigo (trabalhávamos juntos). Ele é meu atual marido, já estamos juntos há nove anos. Quando começamos a namora eu tinha muita vergonha por ainda ser virgem e ter que contar isso para ele. O engraçado é que ele no início do namoro mentiu para mim dizendo que era muito mais "experiente" do que realmente era. Depois confessou que só perdera a virgindade aos 21 com uma pessoa que mal conhecia, também pq sentia vergonha de ser virgem com aquela idade.
Hoje em dia me arrependo muito de não ter tido mais experiências (tanto de sexo quanto de relacionamento) com outros homens (apesar de amar o meu marido), gostaria de ter me sentido mais à vontade comigo mesma e não ter me repreendido tanto.

vandroiy disse...

Eu me identifiquei bastante com este post. Meu primeiro beijo foi aos 23 anos e minha primeira vez foi aos 27 e hoje sou casado e feliz.
Mas a minha adolescência foi um horror. Eu era/sou ingênuo p/ caramba, o que me causou muita humilhação em público.
Eu costumava jogar fliperama e tinha uma turma na minha cidade que era considerada viciada da qual não fazia parte, mas trocava uma palavra ou outra. Fui muito humilhado por eles. Uma das vezes porque me perguntaram se era virgem. Não consegui dizer que não e aí só foi gozação da minha cara. Outra vez foi quando apareci com uma camiseta com desenhos de bichos e escrito "LOVE TO". Aí me chamaram de bicha, etc. Chorava e tals.
No colegial, não me sentia bem também. Muita gente à minha volta já tinha namorad@ e eu chupando o dedo. Sofria demais com isso. Fiquei deprimido. Não conseguia entender como eu não conseguia uma namorada - agora entendo que nem tentava por medo de rejeição. Tive vários amores platônicos. Mas, enfim, já é passado. Encontrei uma pessoa maravilhosa e que combina comigo. Eu acho que sempre tem duas pessoas que se combinem e que uma hora ou outra vão se encontrar - a não ser que desejem ficar sós, questão de escolha.

luaninha disse...

Que a Lola perdoe desvirtuar o post.

@Ana

Foi assim comigo, assisti 3 episódios de Doctor Who e larguei pra lá. Depois voltei e agora amo. Eu sugiro que vc continue com até chegar no Tennant...aí não tem mais volta, haha.

E Merlin é legal, dá mais uma chance.O Arthur melhora ;)

Reid é amor eterno, só isso.

Ana disse...

@17:38
"Não vejo como um gordo pode ser feliz. Porque eu nunca fui feliz gorda."

Eu acho que quando a gente passa por coisas assim em algum ponto a gente internaliza o que as pessoas dizem da gente. Se você parar pra pensar, na verdade não tem sentido um gordo falar mal de gordos - mas isso acontece e muito, né? A gente adota o que a sociedade fala da gente.

Não me fale sobre caminhadas. Na minha época mais xiita, às vezes eu ia caminhar chorando.

Eu tenho pouca resistência a mudanças de temperatura - só o uso de ar condicionado no verão ou no inverno já me dá dor de cabeça. Toda vez que eu saía pra me exercitar eu voltava pra casa com a cabeça explodindo - só o cair de temperatura de tarde pra noite já seria suficiente, mas ainda tinha outras coisas, como por exemplo as roupas ridículas que eu usava (mesmo no calor, eu saía de preto e calça longa, por exemplo. O assédio na rua era constante e eu morria de vergonha do meu corpo. E é incrível como é difícil achar uma roupa que seja leve, do tamanho certo, e disfarce a roupa íntima tudo de uma vez... Eu acabava escolhendo roupas mais escuras e grossas pra ficar mais discreta).
Como os parques pra caminhada eram todos cheios de todo tipo de marginal possível, eu caminhava ao longo da ciclovia e isso também não ajudava - longos trechos no sol escaldante sem uma sombra sequer; depois longos trechos em sombra com o vento soprando a toda força. Resumo: chegava em casa todo dia direto pra um belo comprimido de paracetamol.

Enfim, era um horror. Mas eu ia. Dels é testemunha de que eu ia caminhar sempre (depois de passar no crivo da minha mãe - que ainda ficava na porta e as vezes soltava 'mas você vai sair ASSIM?').

Pra ser sincera, tinha uma parte boa. Eu gosto, eu realmente gosto de fazer exercício - a verdade é que sempre gostei. Mas com todo o resto que vinha junto, a parte ruim ganhava da boa.

Racionalmente eu sempre soube que ninguém tem nada haver com meu corpo, ou o que eu visto, ou meu peso, whatever. Mas esse ódio a si mesmo que imprimem na gente não é racional... Então é, ou eu saía pra caminhar na marra ou eu ficava em casa entocada, em qualquer das duas situações eu era infeliz.

O mais legal de tudo é que mesmo quando as pessoas começavam a elogiar eu ainda assim não me sentia satisfeita - no fundo eu me perguntava porque ninguém percebia que eu tava sofrendo muito mais do que melhorando. Porque todo mundo só teimava em olhar pro meu corpo e esquecia de perguntar se eu tava mesmo feliz? - afinal, não é isso que todo mundo diz? Que emagrecer é pro seu próprio bem, pra você ser feliz? Bom, eu emagrecia e não ficava feliz coisa nenhuma, mas ninguém parecia preocupado com o que eu sentia contanto que eu fosse magra...

No fim das contas a verdade é que (surpresa!) o problema não está no peso que você tem, e sim na qualidade da vida que você leva. E no meu caso, mesmo ficando mais magra a minha vida era um horror. E aí óbvio, eu era infeliz o tempo todo.

O feminismo me ajudou a melhorar muito, deixei essa coisa de 'tenho que emagrecer' pra trás (já percebeu como a linguagem que a gente usa é sempre nesse tom de obrigação?). Estou tentando juntar coragem pra sair pra caminhar de novo (por prazer agora), mas é mais fácil falar que fazer, hahaha.

Não me fale em fotos também. Eu odeio as minhas até hoje...

Ana disse...

@Huan
"Que droga isso. Espero que sua mãe algum dia perceba que ela pode e deve ser feliz como é, acho muito triste quando alguém se convence que algo o impede de ser feliz.
Infelizmente já conheci uma garota jovem que pensava isso, que por ser gorda não poderia jamais ser feliz..."

Muita gente acima do peso pensa assim. É um tal clima de 'ser gordo não dá!', como se isso fosse imperdoável. Eu acredito que a felicidade não está no peso - está na vida que você leva como um todo; e isso de ficar se odiando faz a gente esquecer esse 'detalhe'. Ou seja, só traz a ruína e nada mais. Nem saúde, nem felicidade, só auto-destruição.

Mas não é fácil romper essas coisas, sabe? De uma certa maneira é como viver numa matrix (oi mascus :D).

@Lord e luaninha
Ok, se eu tiver um tempo dou uma olhada no Doutor ;)

"Que a Lola perdoe desvirtuar o post."[2]³

Eu não sei como é que ela não me chutou daqui ainda XD

@vandoroiy
Adorei seu comentário. E puxa, que bom que achaste alguém :D

Sobre o negócio da humilhação em público, ahaha, por um tempo esse foi meu nome do meio... O que eu já fui zoada na escola por causa de assuntos 'românticos'... Nunca porque era virgem, mas volta e meia alguma 'amiga' deixava escapar pro resto da turma que eu achava um fulano bonito ou coisa assim, e aí meu amigo... Era de chorar. Talvez isso também tenha me ajudado a ser uma criatura muito pouco ousada no que diz respeito ao sexo oposto X:

E bah, amores platônicos... nem vale a pena comentar! Kkkkk

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 225   Recentes› Mais recentes»