sábado, 18 de agosto de 2012

SOMOS TODAS PUSSY RIOT

Em primeiro lugar, quero pedir desculpas por ter sido a última a saber das Pussy Riot. Só soube agora no final de julho. Vou ter que apresentar um resumo no caso de existir uma alma mais desatenta do que eu (pode acontecer, tenho fé).
No dia 21 de abril, três integrantes do grupo de punk rock Pussy Riot (Revolta das Vaginas?), vestindo máscaras de esqui coloridas que cobriam seus rostos, entraram na Catedral de Cristo Salvador, a maior igreja da Rússia, e, no altar, cantaram uma música de protesto que pedia que a Virgem Maria nos livrasse de Putin, então primeiro ministro e candidato a presidente. 
A música, cantada (os instrumentos só foram acrescentados nos vídeos depois), também falava dos homossexuais presos na Sibéria e do diretor da KGB ser a mais alta santidade. E ainda implorava: “Virgem Maria, mãe de Deus, vire feminista, vire feminista, vire feminista”, uma mensagem extremamente revolucionária. Pare alguns segundos para refletir como seria uma Virgem Maria feminista, porque é até difícil de imaginar.
As jovens musicistas foram presas em abril e, à medida que ficou claro que elas são prisioneiras políticas –- alguma dúvida que se elas tivessem cantado uma canção pró-Putin na igreja nada teria acontecido? -–, elas rapidamente conseguiram o apoio de muita gente importante, como Madonna (que escreveu o nome da banda em seu show em Moscou), Paul McCartney, Sting, Red Hot Chilli Peppers, Yoko Ono (que divulgou uma bela mensagem de solidariedade), entre outros. Ontem, durante o julgamento, o maior jogador de xadrez de todos os tempos, Gary Kasparov, foi preso numa manifestação em frente ao tribunal.
Antes de prosseguir, gostaria de explicar pro pessoal do quilate de quem deixa mensagens no YouTube do tipo “Espero que elas sejam estupradas na prisão e depois executadas”, que protestar contra o sistema é sempre um ato de coragem, porque vai atrair, além da polícia e do sistema judicial, as pessoas comuns que pensam ser livres. Aquelas que nem desconfiam que seu pensamento de “Não tenho ideologia mas farei tudo para manter a ordem” seja tão ideológico quanto cantar “Virgem Maria, vire feminista”.
Lembro de como, na Marcha das Vadias do Rio, quando algumas poucas manifestantes entraram numa igreja católica, a opinião pública foi contra. Essa mesma opinião pública provavelmente está contra a ação das Pussy Riot. “As religiões devem ser respeitadas”, gritam os guardiões da ordem. Geralmente essas pessoas ignoram o fato de que não vivemos num Estado Laico, nem na Rússia, nem aqui no Brasil. A religião cristã manda e desmanda nas leis brasileiras. Querem ter seus templos livres de invasões, mas se acham no direito de seus templos invadirem todas as esferas do nosso cotidiano (e de não pagarem impostos).
No caso da Rússia, o mesmo altar da igreja ortodoxa invadida pelas Pussy Riot foi palco, durante as eleições, de pedidos de voto para Putin. Patriarca Kirill, o líder dos cristãos ortodoxos no país (que vem sendo acusado de corrupção), proibiu seus fiéis de participar de manifestações contra o governo e os convocou a elegerem Putin. Pedir voto pro governo em nome de deus pode, mas fazer uma manifestação pacífica de um minuto pedindo pra Virgem Maria que livre o povo de Putin não pode? Estranha lógica.
Putin, recém reeleito para um mandato de seis anos, tem sido implacável com opositores. Antes da prisão do Pussy Riot, grupos de direitos humanos do mundo inteiro já andavam reclamando. A Parada do Orgulho Gay, por exemplo, foi proibida na Rússia pelos próximos cem anos. E juro que vi reaças brasileiros comemorando o "pulso firme" russo. Cadê a liberdade de expressão?
Mais do que protestar contra a igreja, as Pussy Riot protestavam contra a ilegitimidade das eleições. Pediram desculpas às fiéis da igreja que se sentiram desrespeitadas, mas negaram-se a assumir culpa e fechar acordo com a promotoria. Uma das integrantes da banda disse o que soa até óbvio: “Estou considerando isso como o início de uma campanha autoritária e repressiva do governo que procura dificultar a atividade política e criar um sentimento de medo entre os ativistas políticos”.
O julgamento, que durou vários dias, foi um show de horrores. A defesa das integrantes da banda foi proibida de convocar figuras importantes. E uma das promotoras chegou a dizer que o feminismo é um pecado mortal para a igreja e que as moças incentivavam o lesbianismo (outro pecado mortal, suponho). O próprio juiz argumentou que o feminismo estaria causando ódio religioso (como se uma das bases ideológicas da religião cristã não fosse o ódio às mulheres). Um outro promotor queria que as Pussy Riot fossem condenadas a sete anos de prisão. O advogado de defesa declarou: “Mesmo nos tempos soviéticos, nos tempos de Stalin, os julgamentos eram mais honestos do que esse”. 
Uma das integrantes afirmou que, mesmo que elas estejam atrás das grades, ainda são mais livres que as pessoas que têm suas ideias eternamente censuradas. Sim, gente, censuradas. É incrível que o pessoal grite “Censura!” quando feministas protestam contra alguma piadinha inocente ou comercial inofensivo dos machistas que dominam a mídia. Mas pelo jeito não é censura que a mídia só abra espaço para CQCs, Pânicos, Pondés, Rafinhas, Gentilis. Ou você conhece muitos programas feministas na televisão? Muitas colunas feministas nos jornais? (participe da Marcha Contra a Mídia Machista que ocorrerá no próximo sábado, 25/8, em várias cidades).
Acho que não resta muita dúvida que estamos no meio de um backlash, uma reação conservadora às conquistas das mulheres. Aqui no Brasil, o início dessa reação mais forte aconteceu no segundo turno das eleições presidenciais, quase dois anos atrás. O debate totalmente unilateral sobre aborto, sempre uma condenação de cunho religioso, deu fôlego para que setores religiosos dos mais conservadores pressionassem o governo desde o começo -– uma pressão que um governo que deveria ser diferente aceitou sem espernear. 
Nos EUA, os republicanos se aliam cada vez mais à doutrina da extrema direita, culminando na escolha do congressista Paul Ryan para ser vice-presidente do candidato Mitt Romney. Ryan é contra o aborto em todas as situações, inclusive em casos de estupro e risco de vida da gestante, além de ser a favor de investimento zero para campanhas de planejamento familiar. Que um sujeito tão à direita, que quer que o Estado reconheça que a vida começa a partir de um ovo fecundado, seja escolhido para vice em pleno século 21 não é só preocupante, mas também um indício do backlash. De como a fundamental divisão entre Estado e Igreja vem sendo desconsiderada.
Desde já, as três integrantes do Pussy Riot são mártires. Sua luta gerou inúmeros protestos por todo o planeta. Ontem, inclusive, houve um ato de apoio a elas na frente da embaixada russa, em Brasília, e hoje a Marcha das Vadias SP saiu em passeata por elas. Outras manifestações virão, ainda mais agora que elas foram condenadas a inacreditáveis dois anos de prisão por vandalismo. Melhor ignorar a ação  do Femen, que ontem serrou com motosserra uma cruz que parece ser um monumento em memória das vítimas de Stalin. Há manifestações menos provocativas e mais eloquentes que esta que vem de um grupo que, pra mim, está sob suspeita.
Kathleen Hanna, uma das fundadoras do famoso grupo riot grrrl Bikini Kill, nos anos 90, deu uma excelente entrevista apoiando o Pussy Riot e dizendo que quer tocar com elas. Hanna defende o uso do anonimato e de máscaras de esqui (as Guerrilla Girls, que protestam contra o machismo nas artes, cobrem seus rostos com máscaras de gorila) não só como uma forma de não perder o emprego, mas também de não ter uma líder. E declara: “Espero que isso [a prisão da banda] não faça mais mulheres terem medo. Espero que isso faça mais mulheres prontas pra lutar”.
É isso. Que as Pussy Riot inspirem todas as meninas do mundo. Vivemos tempos conservadores, é verdade. Mas somos fortes, somos muitas. Vamos ao combate.
Assine a petição #FreePussyRiot!

111 comentários:

raquel pinheiro disse...

free!

karlakt disse...

Falei a mesma coisa quando as pessoas acharam uma ofensa imperdoável que algumas manifestantes da marcha das vadias do Rio tenham invadido uma igreja. Isso não pode, mas a Igreja pode invadir nossos corpos e nossos direitos o tempo todo? Discordo. Liberdade de culto é extremamente necessária, mas nenhuma religião deve ter carta branca pra mandar e desmandar na sociedade civil.

Patty Kirsche disse...

Olha, eu estou assustada com essa censura em pleno século XXI. E é impressionante como a mídia ignora o teor feminista da manifestação delas... Fico estarrecida quando mulheres querem fingir que não existe machismo ou que a forma como a condição da mulher no mundo está estabelecida hoje é mero fruto de escolhas das mulheres.

Anônimo disse...

eu não prestei atenção na hora, mas me parece que pensaram em dar asilo a elas, mas a prisão não foi considerada por motivos que dariam oportunidade a asilo. papai noel mandou um beijo e o coelhinho da páscoa diz "oi".

e eu sei que estudo formal não define nem caráter e nem dá legitimidade a tudo que se faz. mas já viu a formação de cada uma? são mulheres politizadas e que sabiam bem o que tavam fazendo. bem diferente de uma certa outra famosa aqui no brasil.

Marcos Godoi disse...

E aqui não estamos muito melhor. A igreja conseguiu em minha cidade impedir a circulação de um belo cartaz para a parada gay. História aqui: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1244862&tit=Cartaz-com-imagem-da-Catedral-de-Maringa-gera-polemica

Anônimo disse...

Nadezhda Tolokonnikova, born November 7, 1989 (age 22), is a philosophy student at Moscow State University with a history of political activism with the street-art group Voina. She is married to Pyotr Verzilov and has a four-year-old daughter. She has Canadian permanent resident status and her husband is a dual citizen of Canada and Russia. There is speculation in Canada over whether the authorities there should get involved in the case.

Newtovisk disse...

Lola,
eu acho esse julgamento uma farsa e um caso para termos imensa preocupação sobre o que vem ocorrendo na Rússia. Mas concordo apenas por alguns dos motivos que você apresenta, não todos.
O fato de elas não terem tido acesso adequado a seus advogados e o fato de promotor e juízes trazerem argumentos morais do tipo "o feminismo está destruindo a Rússia" e coisas do tipo, além de o próprio Putin ter opinado (!) publicamente que elas "não deveriam ser punidas severamente", são elementos que revelam um Judiciário não isento, viciado, e de modo algum "laico" ou pelo menos não no caso das garotas.
Concordo também que o fato de a performance ter envolvido o Putin - e não apenas uma letra de protesto dentro de uma igreja, lançando mão de elementos religiosos - torna o problema mais complexo, e com óbvias implicações políticas.
Contudo, mesmo com esse elemento político, não podemos deixar de lado o fato de estarem em choque liberdade de expressão e liberdade religiosa. A liberdade religiosa envolve não apenas o Estado não impor religiões a ninguém ou não adotar uma religião oficial (liberdade negativa), como também permitir que todo tipo de manifestação religiosa seja permitida dentro do ambiente democrático e que qualquer um possa professar uma religião, várias, ou nenhuma (liberdade positiva). Nesse segundo aspecto, quando algum grupo religioso ou antirreligioso impede que outro grupo exerça sua religião, nós temos uma violação clara a essa liberdade. Ou seja, não basta o Estado não intervir nessa escolha dos indivíduos: ele tem que garantir que a própria comunidade, o "povo", não vá impedir uns aos outros de praticarem suas religiões. Nesse ponto, há um choque direto com a liberdade de expressão: posso me manifestar livremente, sem censura do Estado. Posso me associar com quem quiser para discutir as ideias que eu quiser. Posso me reunir inclusive publicamente e manifestar minhas ideias, cantá-las se quiser. E não devo respeito algum a nenhuma outra IDEIA, mesmo que seja RELIGIOSA. Posso queimar bíblias, bandeiras, posso me manifestar como bem entender quanto a esses símbolos. Faz parte da minha liberdade de manifestação. Mas e quando expressar-se publicamente, demonstrando o desapreço que tenho pelas ideias, símbolos, etc (nem entro no mérito de se manifestar contra as pessoas envolvidas, ou expondo-as diretamente porque isso seria completamente diferente) se dá dentro de um templo religioso, com fieis praticando sua fé? Simplesmente fechamos os olhos para o fato de isso implicar numa forma de impedir as pessoas de praticarem sua religião? Se o garoto que entrou no templo Sikh em Wiscounsin tivesse, ao invés de atirar naquelas pessoas, começado a cantar seus hinos de supremacia branca (no uso da mesma liberdade de expressão, num uso que para ele fazia todo o sentido), ele estaria simplesmente se manifestando, e ponto final?

Anônimo disse...

Eu também acho que não precisaria prendê-las. Bastaria a Igreja Ortodoxa baní-las, não permitindo mais que elas entrassem em suas igrejas... Cada um no seu quadrado. Tem que se respeitar as pessoas e os lugares. Igreja não é ambiente para mulheres se despir e falar vulgaridades. Para isso existem seus shows, nighclubs etc. Se bem que de qualquer forma elas iam se ferrar, já que a questão é política...O PUTIN.

Newtovisk disse...

Você vê? Não é a bondade ou a maldade da opinião que influenciam o resultado. Não é por ser uma performance feminista, em favor da liberdade política e contra um governo autoritário, através da crítica de um religião com líderes criticáveis que simplesmente tira de jogo o fato de que as pessoas que estavam ali estavam a praticar sua religião. É nesse ponto que discordo frontalmente de você (não pelo que você diz diretamente, mas pelo que decorre do argumento). As duas liberdades podem sim entrar em choque. A Madonna pode fazer um clipe com cruzes queimando e na igreja que ela quiser, desde que quando utilize aquele lugar não interrompa a cerimônia religiosa de ninguém. O pastor que chutou uma santa pode continuar chutando quantas quiser, desde que não o faça no santuário de Aparecida durante um culto (se o fizer de noite, simples crime de dano, mas não uma restrição à liberdade religiosa). Eu acho magnífica a ideia da performance que as garotas tiveram. Mas aquilo ali deveria ter sido autorizado, ou se era para um clipe, deveria ocorrer sem que as pessoas estivessem rezando e fossem pegas de surpresa. No vídeo você consegue ver as caras de quem estava no local. Para eles, aquilo ali era uma coisa no mínimo chocante, verdadeira violação.
Nesse ponto, não concordo com o argumento "a contrario" de retribuição que você traz, de que a religiosidade está disseminada em tudo, em nosso discurso político, na TV, para assim tentar mostrar o absurdo de se considerar criminoso a manifestação antirreligiosa das garotas. O que temos no Brasil é errado, erradíssimo. Partidos políticos "cristãos", com plataformas claramente excludentes de minorias, e que por "projeto de Brasil" incluem a premissa majoritária de que podem fazer o que bem entenderem, afinal, é o que a "moral pública aprova". Isso é execrável. Mas não é um discurso de retribuição que justifica uma ação como a das garotas. Num outro exemplo, quando os evangélicos tentaram atrapalhar um culto de candomblé pretensamente fazendo uma "reza coletiva na rua" (http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/noticia/2012/07/18/evangelicos-tentam-invadir-terreiro-em-olinda-49482.php), aquilo ali sem dúvida foi um subterfúgio de "por meio da minha fé" atrapalhar a fé dos outros, e ainda se escudar dizendo-se no pleno exercício da liberdade religiosa. Contudo, assim como ninguém tinha dúvidas ali de que o que eles faziam era errado, acho curioso que tanta gente adote a posição inversa nesse caso (focando no aspecto liberdade religiosa X de expressão - os outros aspectos, como eu disse acima, eu concordo completamente), quando o que elas fazem é muito próximo do que ocorreu, por exemplo, em Olinda.
Concluindo: as garotas podem ter a opinião que quiserem sobre a igreja ortodoxa, e a Rússia de fato precisa escutar vozes dissidentes (um país tão grande, que deu tanto ao mundo, e que é incapaz de viver uma democracia!). E elas podem se manifestar como quiserem, a meu ver até mesmo na própria igreja, desde que de algum modo façam isso sem interromperem os circunstantes durante a prática religiosa. Aí está, a meu ver, a linha entre as duas liberdades. O que elas fizeram foi errado lá, seria errado aqui, e muito provavelmente seria errado nos EUA, tratado como "hate crime".
Reconheço que há uma blindagem quanto à religião. Mas essa blindagem não está no que se fala dela (juridicamente/moralmente falando), ou o que se pensa dela, mas em deixar as pessoas praticarem seus cultos (sendo que o inverso os religiosos têm de urgentemente aprender: respeitar AS PESSOAS que NÃO pensam como eles - quanto às ideias, livre expressão). E a meu ver uma sociedade que permite que a livre expressão passe por cima dessa outra liberdade não é de modo algum uma sociedade mais justa.

Sara disse...

Esse fato é apenas uma pequena amostra do que qualquer religião faz com mulheres que se rebelam, infelizmente a religião como um todo é um dos maiores oponentes do feminismo, e se nós mulheres continuarmos com o manjado discurso de tolerância com esses grupos religiosos, não demora seremos engolidas por eles.

Sara disse...

A religião aliada a politica é uma arma perfeita para escravizar ignorantes.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

É incrível como no Brasil e em outras partes do mundo, é só mencionar as palavras igreja, religião, que a coisa fica dessa forma, cenhos franzidos, pessoas fechando qualquer possibilidade de debate ou dúvida dizendo somente "respeite minha religião" (como se religião nos respeitasse, e muitos religiosos respeitassem nosso "direito à descrença". Perto da minha casa, às dezoito horas você não escuta nada, de tão alto que toca o auto-falante da igreja católica, impondo sua religião. Eles podem invadir nosso espaço, mas reclamam se alguém invade o deles, ainda que de forma pacífica, pra protestar).
Se o protesto fosse feito em qualquer outro lugar, provavelmente muitas pessoas que as estão condenando, estariam a favor delas.
Respeito a crença de cada um, mas sempre deixo claro como tanto "fervor" quando a gente cita religião, me assusta.

Letícia Rodrigues disse...

Mas a as manifestantes realmente invadiram a igreja na Marcha das Vadias aqui do Rio? Eu tinha entendido que elas só tinham subido alguns degraus da escada. Isso é invasão?

yulia2 disse...

''Querem ter seus templos livres de invasões, mas se
acham no direito de seus templos invadirem todas as esferas
do nosso cotidiano (e de não pagarem impostos).''

exatamente!

ainda bem que eu não tenho nenhuma religião!
considero o maior cancer da humanidade ,
a coisa que mais mata e causa guerras no mundo
RELIGIÃO!

e como vc disse, pastor pode usar sua igreja
o microfone para pedir votos para a sua bancada
a bancada evangélica.....
isso pode né?

''E juro que vi reaças brasileiros
comemorando o "pulso firme" russo.
Cadê a liberdade de expressão?''

liberdade de expressão???
kkkkkkkkkkk
isso é só para defender as escrotices
do rafinha bostas..ops bastos...

''O próprio juiz argumentou que o feminismo estaria
causando ódio religioso (como se uma das bases ideológicas
da religião cristã não fosse o ódio às mulheres).''

pois é....

e querem falar da era soviética...
esse Putin é o mais desonesto , espúrio ditador dos ultimos tempos!

yulia2 disse...


''Acho que não resta muita dúvida que
estamos no meio de um backlash, uma reação
conservadora às conquistas das mulheres.''

uma reação a base de cacetadas e muita violencia

e o que fizeram na eleição da Dilma foi nojento demais!
deixaram todos os programas de governo de lado para debater
o aborto!!! Mas inteligencia do pt É FODA MESMO!!! hehehe
descobriram pouco tempo depois que a mulher do José Serra
fez um aborto no Chile... depois dessa minha cara...
NUNCA mais se ouviu falar em aborto na campanha...

e olha não é só o islamismo não...
em considero TODAS as religiões de fundo cristão
inimigos da mulher!!!


a reação nossa tem que ser cada vez mais forte
não podemos deixar a peteca cair, ano que vem
a marcha das vadias tem que ser mais forte ,
levar mais pessoas !!! eles não vão conseguir o que querem
nos calar!
diga -se de passagem!

Anônimo disse...

Lola, por que não faz do comentário do newtovisk um guest post?

Rose disse...

Vandalismo religioso é o novo nome para protesto político. A não ser que o novo deus seja o Putin e eu não esteja sabendo (se bem que tem muito FDP usando bíblias, rosários crucifixos etc para ofender, agredir e até matar ~em nome de deus~). Essas gurias são presas políticas, não há o que discutir e temo pela vida delas.
Esse novo backlash, acho que está surtindo um efeito contrário ao que eles imaginaram, há mais revolta e indignação que medo ou coisa assim, tenho visto muitas gurias aqui gritando e compartilhando indignação e, olha só, se declarando feminista.
Eu não conheço todas as religiões (graças a deus rsrs, sou ateísta), mas noto que todas as que conheço tem um ponto em comum: o ódio (ou desprezo) por mulheres. Eles não adoram o mesmo deus, mas partilham do mesmo ódio/desprezo por mulheres e tudo que, de alguma forma, remonte à ideia de feminino.

Anônimo disse...

Somos fortes, somos muitas, vamos ao combate! -- Brian

Natasha Strungis disse...

É muito triste ver o que acontece quando se mistura religião, politica, intolerância e censura. Não aguento mais ver isso, sinceramente. É só ligar a TV e todas as propagandas são de mulheres e produtos de limpeza, mulheres e suas neuras, mulheres que só querem saber da roupa, de filho e da maquiagem do dia seguinte. A censura da igreja, da politica e da propria sociedade é sufocante! Não tem um dia que eu não fique sem ouvir alguma joça machista. Fico até com vergonha pela pessoa que fala isso.
Não sou contra a religião, mas o que acontece(u) sempre na história é a imposição da mesma em nossas vidas. A sociedade que tem ideia contrária também tem o direito de se impor. É claro que o respeito nesse meio já não existe mais, são alguns cristãos contra outros ateus, grupos islamistas extremos querendo matar católicos.
Admiro muito essas meninas por fazerem isso. Requer muita coragem, pois elas provavelmente saberiam que iriam enfrentar um país injusto depois.
Somos todas Pussy Riot mesmo. Força para elas.

Pescoço disse...

Nemly o que a Lola escreveu, mas meu comentario aqui é o seguinte: A KGB ajudou a espalhar ideais liberais e comunistas durante a guerra fria, principalmente nos EUA e Vladimir Putin, sendo um ex Tenente-Coronel da KGB, tem conhecimento sobre as ações do Kremlin.
A cortina de ferro protegeu os russos da cultura decadente ocidental (não estou falando sobre o capitalismo), e hoje eles tem forte aversão contra o feminismo, politicamente correto, multiculturalismo e etc..
Putin sabe disso e sabe que as porcarias marxistas que ele e seus comrades espalharam lá fora leva a sociedade a ruina, e por isso ele é "tecnicamente" conservador e esse é o motivo do povo apoiar Putin. Não acredito que ele seja um tirano disfarçado, acredito que ele realmente quer o povo russo forte e não quer deixar o lixo entrar no país, por isso é um aliado da igreja ortodoxa, a fé e qualquer frente do marxismo são incompativeis. Não importa o quanto o ocidente esperneie, não importa quantos famosos apoiem os ativistas, os russos não irão ceder.
Pussy Riot serviu de exemplo para quem quiser se opor a Putin, se houve ou não justiça no julgamento delas não importa, o importa é que as feministas devem ficar longe da Russia e dos paises do leste europeu (tambem protegidos pela cortina de ferro).
Pretendo me viver lá quando puder, depois de completar meus estudos em medicina.

Lilian Soares do Nascimento disse...

É claro que elas deveriam ser punidas, advertidas, por se tratar de um espaço privado, o templo. Mas, DOIS ANOS?

E outra: embora muito errado e digno de ser legitimamente punido, o protesto é válido, porque sim, a igreja invade o nosso cotidiano, nossas casas, nossas leis! E isso também deveria ser punido! Erradicado.

Elas cometeram um ato errado? Sim. Mas, diante de uma situação tão invasiva que estamos vivemos... Esse processo foi praticamente uma... excludente de ilicitude. Uma legítima defesa.

Pussy Riot!

Bruno disse...

É questionável o fato de as meninas terem usado uma igreja para o seu protesto. A igreja é um lugar de paz e tranquilidade usado para o culto. Invadi-lo deste modo ou como fizeram na marcha das vadias é abusar da liberdade de expressão pois que atenta contra a liberdade de crença e culto daqueles que para estes propósitos procuram a igreja. Pode, e deve-se questionar seus métodos, idéias, mas não se faz isso profanando seus templos. Contudo, o pedido de desculpas das envolvidas àqueles que se sentiram ofendidos está de bom tamanho como consequência do ato. Um julgamento que leve a esta pena depois de um protesto contrário ao governo acena com perigosíssimos ares ditatoriais, que ensejam ainda mais protestos! Mais protestos respeitando os outros, mas que não se ceguem a tamanha arbitrariedade de punir tão severamente uma discordância, valendo-se como pretexto daqueles de boa-fé que de fato sentiram-se ofendidos pela atitude das meninas.
Acredito que se eu estivesse na Rússia e professasse a religião católica, não me calaria diante da invasão da igreja e exigiria um pedido de desculpas. Mas sem dúvida, ainda mais veementemente criticaria o uso eleitoral do púlpito e denunciaria ainda mais gravemente a violação que é este julgamento. Um erro jamais justifica outro, e isto vale para os dois lados da história.

Erres Errantes disse...

Vi por alto uma reportagem sobre esse episódio na tv e pensei que se tratasse de um grupo racista, neonazi ou algo do gênero, pois o jornal deu a entender que assim fosse. Descobri através deste post que não era nada daquilo que pensei. Eu nunca poderia imaginar que era um grupo formado por mulheres (como vi a reportagem por alto, não prestei atenção ao nome da banda). E também só enfatizaram que elas são contrárias a Putin, mas passaram longe de informar sobre esse cunho feminista que a banda tem.
Agradeço a Lola pelos esclarecimentos e confesso que também me preocupam esses booms de reacionarismo. Mais do que nunca, precisamos lutar.

Cabeça disse...

@Pescoço Jesus era o cara mais igualitarista que eu já li sobre. Essa fé totalitarista é fé no Bezerro de Ouro. Leu essa parábola?

Usando uma argumentação religiosa verdadeiramente, é o mesmo resultado do post da Lola disse...

As pessoas tão confundindo fé com Instituição Igreja Cristã.

Garanto que se as pessoas realmente lessem a Bíblia por si mesmas, iam ver o revolucionário que era Jesus.

O mínimo que ele pedia era amar o próximo como a si mesmo. Nem o básico as pessoas estão realmente seguindo.

O templo de Deus não estava dentro de nós?!

Cabeça que já leu a Bíblia disse...

Jesus mesmo invadiu a Igreja dos fariseus quando viu que estavam sucumbindo a corrupção. Pense num cara subversivo. Ler a palavra é totalmente diferente de obedecer cegamente um padre ou pastor.

Rose disse...

A primavera feminista chegou, o motim é mundial agora.Não podemos nos calar Free Pussy
Somos todas Pussy Riot

Grão da Noite disse...

O apelo a que Maria vire feminista me lembrou um filme que vi no carnaval de 2011. É uma produção iraniana chamada "Maria, Mãe de Jesus". A história é baseada no Alcorão e retrata Maria como um messias bíblico. Tal como o filho famoso, ela é capaz de prodígios impensáveis para as pessoas comuns, como curar doentes e materializar alimentos, como frutas e, se me lembro bem, também pão. Na época circulava a profecia de que um messias estava pra nascer. O soberano de então, não sei se Herodes (não sou muito bom pra guardar nomes históricos, principalmente bíblicos), mandou assassinar esse messias. Porém, quando descobriram que o messias era uma reles menina, a criança foi poupada de ser morta. Segundo o Alcorão, portanto, foi o machismo patriarcal que salvou Nossa Senhora de uma morte pra lá de prematura (pra alguma coisa boa o machismo tinha que servir... Deus realmente escreve certo por linhas tortas). Bom, o filme é bem feito - eu gostei, pelo menos. Maria, se tivesse nascido homem, não teria sido ouvida como Jesus foi. Acho interessante como a história põe Jesus e Maria num mesmo patamar de importância. E Maria, por causa do avô, foi criada no templo mais importante de Jerusalém e teve acesso a conhecimentos exclusivos dos homens (mulher não podia entrar nas dependências mais importantes do templo, de cujo nome me esqueci também - o nome é bíblico...). Maria podia até não ser feminista, mas ela foi tão importante pra humanidade como Jesus. Tá lá no Alcorão, um livro tão sagrado quando a Bíblica. Eu não estou inventando nada. Quem quiser conferir o filme, ele está inteirinho no Youtube: http://www.youtube.com/playlist?list=PL4060B1F51388E91A .

B. de Campos disse...

Somos fortes, somos muitas, vamos ao combate! [2]

Grão da Noite disse...

Não concordo que o ódio às mulheres seja uma das bases do cristianismo. O ódio (a palavra não deve ser tomada no sentido literal, mas em acepções mais sutis como submissão, menosprezo, descaso...) às mulheres é uma das bases da igreja católica e de outras que derivaram dela. O cristianismo é maior do que as igrejas que dizem professá-lo e não pode ser responsabilizado pelo mau uso que fizeram dele. Jesus salvou Maria Madalena do apedrejamento. Convivia com prostitutas e todo tipo de pária social e chegou a dizer que alguns deles iriam pro céu em vez dos "homens e das mulheres de bem" daquele tempo.

B. de Campos disse...

Putin é o câncer da Rússia.

Além de ter sido responsável pela morte(da forma mais sofrida possível) dos 118 marinheiros que ficaram presos no submarino Kursk - por não ter tomado nenhuma atitude naquele momento -, também foi quem deu cartão verde para a ação desastrosa da polícia russa no caso da escola de Beslan, sem nem ligar pra vida das centenas de crianças reféns. Só o que contava era a questão política, ou seja, se livrar dos terroristas que ameaçavam o governo.

yulia2 disse...

Pussy Riot serviu de exemplo para quem quiser se opor a Putin, se houve ou não justiça no julgamento delas não importa, o importa é que as feministas devem ficar longe da Russia e dos paises do leste europeu (tambem protegidos pela cortina de ferro).
Pretendo me viver lá quando puder, depois de completar meus estudos em medicina.
_________________

nos faça esse favor cara...
fique na Russia para sempre, e não volte mais...
O BRASIL AGRADECE!

Anônimo disse...

Grão da Noite, realmente o Alcorão preza muito Maria. Ela é a única mulher citada no Alcorão. PORÉM sabemos que o Alcorão foi escrito por Maomé, inspirado na Bíblia (VT e NT). Maomé era absolutamente machista... e chegou a ser Maomé graças a ajuda de uma mulher, Khadijah, viúva rica, a primeira com quem ele se casou. Ela foi quem o encorajou a passar pro papel o que ele relatava, e analfabeto ele era... então ele ditava e ela escrevia. Sabe-se lá se não é dai que Maria é citada no Alcorão.

Grão da Noite disse...

Pra quem pensa que o Brasil é muito diferente da Rússia: os comentários a esta notícia são estarrecedores. Deus que nos livre:

http://br.noticias.yahoo.com/fotos/s%C3%A3o-paulo-realiza-1%C2%BA-casamento-civil-gay-slideshow/

Anônimo disse...

Os almoços de família na casa da avó de Marjane Satrapi, em Teerã, terminavam sempre com o mesmo ritual - enquanto os homens iam fazer a sesta, as mulheres lavavam a louça. Logo depois começava uma sessão cujo acesso só era permitido a elas - o 'bordado'. O 'bordado' iraniano seria equivalente ao brasileiríssimo 'tricô', não fosse uma acepção bastante particular - a expressão designa também a cirurgia de reconstituição do hímen, uma decisão pragmática para as mulheres que não abrem mão de ter vida sexual antes do casamento, mas sabem que precisam corresponder às expectativas das forças moralistas do país. O grupo que se reúne na casa da avó de Marjane é uma amostra de mulheres com moral e experiência bastante variadas, mas sempre às voltas com o machismo e a tradição. Casamentos malfadados, virgindades roubadas, adultérios, frustrações, golpes e autoenganos, mostram que no Irã amar e desamar pode ser ainda mais complicado do que as pessoas podem supor.
BORDADOS
Marjane Satrapi

Anônimo disse...

...nadie podrá estimarnos en tanto que no nos valoremos a nosotras mismas. Luchemos por nosotras, por nuestro bienestar, por ellos. Por mí.
http://miedoalfeminismo.blogspot.com/

Li disse...

lola, que bom que voce resolveu escrever sobre esse tema. ontem estava lendo notícias e senti que em vários lugares do mundo está havendo um retrocesso em relacao aos direitos gays. isso inclui a prisao das artistas do pussy riot e a multa que a madonna devera ter que pagar por defende-las no show que fez na russia (fala-se em 10 milhoes).

no brasil, me chamou atencao o problema que o haddad esta tendo com a aceitacao no ´´kit gay´´, que foi um projeto rejeitado em parte por causa da reacao dos grupos religiosos. houve quem dissesse a distribuicao do material informativo sobre aceitacao da diversidade sexual seria equivalente a introduzir criancas a sexualidade precoce. (sim, claro.)

e aqui na alemanha, a angela merkel nao dá uma posicao sobre a legalizacao do casamento gay. tudo isso me deixa com a sensacao de que estamos lutando por direitos que ja tinhamos, sabe?

Anônimo disse...

EEE tudo isso na "grande mãe russia" onde as ideologias de marx tiveram terreno fertil , que coisa não !!

Anônimo disse...

A russia, depois do fim da união sovietica, se entregou a um estado inchado, cheio de funcionários públicos batedores de carimbo inúteis, e extremamente corrupto.
Fora que a mafia russa, faz a mafia italiana parecer um bando de trobadinhas batedores de carteira, e extremamente violenta, e esta na entranhas de todo setor publico russo. Presente em todo leste europeu, a mafia russa, ainda tem fortes ligações esquerdistas marxistas, comete todo tipo de barbaridades, trafico de drogas, são o maiores traficantes de armas do mundo ( todo narco-guerrilheiro sul americano,e miliciano assassino de crianças na africa, empunha um fuzil AK47) E TRAFICO DE ESCRAVAS BRANCAS, para exploração sexual, meninas são tiradas de suas casa, no interior da russia ou ucrania,por supostas dividas de suas familias com a mafia, e forçadas a se prostituirem nos centros europeus.
A mafia russa ja lavou dinheiro ate no futebol brasileiro e inglês, e produz de tudo, seus lideres são bilionarios do petroleo ( Boris berezovisk, Roman Abramovich etc..)que herdaram suas fortunas de forma obscura durante a queda da cortina de ferro, eram todos agentes da KGB, assim como o "novo kzar russo", Vladimir Putin.

Anônimo disse...

JESUS CRISTO nunca pregou o ódio as mulheres, muito pelo contrario, ele interveio contra um apedrejamento, no que talvez seja o primeiro ato feminista que se tem historia,não sei porque vocês desprezam tanto a imagem de cristo ?!!

Pili disse...

as pessoas nao deveriam ter algum tipo de licença pra uso de motoserra? 0.0

Marcelo Delfino disse...

Os movimentos sociais não são tão ousados no Brasil como são as feministas russas, que ousam protestar contra o presidente Putin. Aqui os movimentos sociais não participam mais de protestos contra a corrupção e o governo federal como faziam há anos. Falo do Governo Lula-Dilma, que tem sido acusado por ativistas dos movimentos GLBTT de te-los abandonado e de estar abrigando toda sorte de inimigos dos GLBTT, tal como diriam que o presidente José Serra faria se tivesse sido eleito. Aqui no Brasil movimentos sociais só fazem movimentos classistas. GLBTT reivindicam casamento civil gay ou igualitário, feministas reivindicam parto do jeito que bem entendem (com ou sem parteira, com ou sem médico, dentro ou fora de hospitais), trabalhadores reivindicam melhores salários, motoristas de vans reivindicam licenças individuais e melhores condições de atuação, e assim por diante. Nenhum deles faz mais manifestações cívicas. O Fora Collor foi talvez o único movimento do qual participaram.

Tenho três coisas a acrescentar sobre o manifesto das moças do Pussy Riot contra o presidente Riot. Uma é que pode se discutir se foi errada ou não a escolha do local (o templo ortodoxo), mas não há de se questionar a escolha do alvo do manifesto (o presidente Putin). Os responsáveis pelo templo ortodoxo já defenderam o perdão das musicistas do Pussy Riot, talvez porque o alvo do protesto nem foi a fé ortodoxa nem a igreja ortodoxa, e sim o presidente Putin. Por fim, acredito que seria interessante trazer essa banda para tocar no Brasil, depois de saírem da prisão. Seria interessante lançar os CDs delas por aqui e traze-las para tocar ao vivo. Já que as bandas dos machos daqui resolveram colocar roupas coloridas e cantar músicas acéfalas e "emotivas", quem sabe uma banda de mulheres punks russas provoque uma reação positiva no cérebro dos roqueiros brasileiros e na cena rock local.

Marcelo Delfino disse...

Na verdade, o Fora FHC é que foi talvez o último movimento cívico do qual os movimentos sociais brasileiros participaram.

Marcelo Delfino disse...

Teve um trecho ali que chamei o presidente Putin de "presidente Riot". Desculpem, gente. Obviamente foi erro de digitação.

Alvaro disse...

A Russia é aqui.O que se internacionalizou foi a opressão.

Sara disse...

Eu não conheço todas as religiões (graças a deus rsrs, sou ateísta), mas noto que todas as que conheço tem um ponto em comum: o ódio (ou desprezo) por mulheres. Eles não adoram o mesmo deus, mas partilham do mesmo ódio/desprezo por mulheres e tudo que, de alguma forma, remonte à ideia de feminino.
[2] perfeito Rose....

Dedé disse...

Lola, eu concordo! Acho um absurdo a prisão, o julgamento e toda essa situação. Quero deixar isso claro antes de fazer uma pergunta. Será que se elas tivessem feito um protesto fora da igreja, elas não teriam mais chances de ganhar mais pessoas para a sua causa? Pq indo lá e dessacrelizando (?) a igreja, elas praticamente se renderam para o estado poder acusa-las do que quisesse? Pq agora fica muito mais difícil para outros governos apoia-las. Como o governo francês, por exemplo, vai apoiar uma causa que fez um protesto dessacralizando a Igreja - mesmo num governo laico e mesmo essa igreja sendo um mal à sociedade? Entende o que eu quero dizer? Se elas tivessem protestado fora da Igreja, o governo ainda teria tentado (e provavelmente conseguido) prende-las. Mas se isso acontecesse, talvez elas tivessem o apoio de entidades que na situação atual não pode (ou não se atreve) ajuda-las.
Enfim, a situação é tão absurda! Espero que vc tenha entendido meu ponto de vista!

Rodrigo Souza disse...

Chutaria que elas vão ser libertadas em breve, ou pelo menos ter uma redução de pena significativa aos olhos do mundo para mostrar clemência, misericórdia, benignidade etc.

São prisioneiras muito complicadas de se manter. Nada incendeia mais as bases de um movimento que um bom martírio público.

Sirlanney Nogueira disse...

Também fiquei indignada com a sentença de dois anos de prisão para as Pussy Riot. Como podemos viver nesse mundo doido? Dostoieviski já mostra em 1800 feministas falando alto e exigindo seus direitos na Russia. O problema é virar a velha questão do ocidente contra o oriente, quando aqui no ocidente o buraco e muito mais em baixo e acontecem coisas terriveis e injustas contra a mulher e o ser humano em geral todo dia. Como se o mundo todo vivesse em regimes ditatoriais.

pensei em tudo isso e fiz um quadrinho, porque faço quadrinhos:

http://www.sirlanney.com/

Meus quadrinhos também falam sobre ser mulher, pois não tem como fugir disso, já que sou mulher.

Desde já agradeço a conterrânea Lola pela divulgação.

aiaiai disse...

Concordo em tudo com o texto. Acrescento que:

foi lindo ver a expressão Pussy estampada na mídia internacional!!!

o backlash não significa necessariamente que estamos andando pra trás. Significa que os reacionários estão sentido a força da mudança e estão lutando. Então, temos que lutar com mais força ainda.

A manifestação das Pussy Riot não foi contra jesus ou qq religião. Foi contra o uso político que as instituições religiosas fazem, desde sempre, da fé das pessoas.

Punk não é o mesmo que skinhead, pelo contrario, são coisas totalmente diferentes. Punk é revolucionário ao extremo, skinhead é reacionário ao extremo.

Huan Icaro Piran disse...

"A religião aliada a politica é uma arma perfeita para escravizar ignorantes."

Sara, eu e minha noiva vivemos conversando sobre isso e é um de nossos maiores temores que a tendencia leve certos "países democráticos" a se tornarem teocracias enrustidas...

Huan Icaro Piran disse...

Realmente venho acompanhado o caso Pussy Riot superficialmente creio que do momento que elas foram presas em diante, mas isso por elas serem anarcopunks feministas e eu acompanhar ao menos por cima o que acontece na comunidade anarquista a nível global pelos diversos canais virtuais existentes, onde tal noticia se fez motivo de debates.
Este caso não é apenas uma demonstração dos problemas enfrentados pelas feministas em sua luta, tão pouco é somente uma demonstração da hipocrisia social ante a defesa total de instituições arcanas de credo ou culto já estabelecidas, mas também uma demonstração de que a nação onde isso ocorreu ainda carece de certas liberdades de expressão, que ainda vive em um regime bastante fechado. A algum tempo vem-se feito criticas as politicas linha dura que ocorrem por lá e não é segredo a ninguém.
Minha unica ressalva no caso é a atenção que alguns grupos, principalmente britânicos, vem dado ao caso, enquanto Julian Assange vem enfrentando uma luta tão importante quanto.
Aqui acho muito necessário e coerente a defesa das artistas da Pussy Riot, pois é um espaço para debate feminista, mas vi a necessidade de abrir a ressalva, até mesmo para entendermos o porque mídias que não são favoráveis a luta feminista estão dando atenção especial a esse caso.

Lola, excelente post novamente!

Huan Icaro Piran disse...

"Punk não é o mesmo que skinhead, pelo contrario, são coisas totalmente diferentes. Punk é revolucionário ao extremo, skinhead é reacionário ao extremo."

Err...na verdade não. O skinhead em sua origem se opunha a moralidades sociais estabelecidas. De uma forma geral, conheço anarcoskuinheads bastante bacanas. O que fodeu a imagem dos skinheads foram os fil*** da poli**** dos redheads (nazis) e dos White Poewers (racistas) que surgiram décadas depois da origem do movimento.

Se pegar os primeiros skinheads, eles não tinha envolvimento politico, só eram jovens britânicos brancos que admiravam o ska feito pelos negros cubanos. Quando o Punk surgiu na década seguinte, muitos skinheads adotaram posições anarquistas e comunistas.

Huan Icaro Piran disse...

"Vandalismo religioso é o novo nome para protesto político. A não ser que o novo deus seja o Putin e eu não esteja sabendo (se bem que tem muito FDP usando bíblias, rosários crucifixos etc para ofender, agredir e até matar ~em nome de deus~). Essas gurias são presas políticas, não há o que discutir e temo pela vida delas.
Esse novo backlash, acho que está surtindo um efeito contrário ao que eles imaginaram, há mais revolta e indignação que medo ou coisa assim, tenho visto muitas gurias aqui gritando e compartilhando indignação e, olha só, se declarando feminista.
Eu não conheço todas as religiões (graças a deus rsrs, sou ateísta), mas noto que todas as que conheço tem um ponto em comum: o ódio (ou desprezo) por mulheres. Eles não adoram o mesmo deus, mas partilham do mesmo ódio/desprezo por mulheres e tudo que, de alguma forma, remonte à ideia de feminino."

1- você fala de religiões ocidentais
2- existem desacordos no Islã, há grupos que consideram a mulher como igual aos olhos de Ala
3- Xama significa homem/mulher ou mulher/homem pois xama deve estar ligado a todos os mistérios masculinos e femininos e portanto esse modelo tem trans como guias espirituais
4- Compreendo que não conheça todas as religiões, mas como diria uma amiga do blackmetal "ateu a meu ou ao credo, vai tudo queimar no inferno!" mas a iconoclastia do blackmetal não perdoa nenhum conjunto de crenças ou descrenças
5- Putin é um moralista que ainda vive na Guerra Fria (que de certa forma nunca acabou de verdade) e naquela lógica absurda de "moral e bons costumes"
6- tem um vídeo do Carlos Ruas (Um Sábado Qualquer)que pode ser que vá gostar http://www.youtube.com/watch?v=4OD770n60cA&feature=g-user-u

Marcelo Delfino disse...

"Nada incendeia mais as bases de um movimento que um bom martírio público".

Mesmo as igrejas se expandem com a propaganda de seus mártires. Desde o primeiro deles: o diácono Estêvão. Aqui mesmo no Brasil houve gente contrária à prisão do padre Luiz Carlos Lodi da Cruz, de Anápolis, pois não queriam dar um mártir para a Igreja Católica. Se não me engano, até mesmo Jandira Feghali era contra a prisão do padre.

aiaiai disse...

Huan,

Não sabia mesmo que os skinheads tinham uma origem não política. Uma pena que eles tenham se tornado o que são hoje.

Já que vc saca sobre o assunto, uma dúvida: ainda há grupos que se denominam skinheads e não sejam racistas, machistas e/ou nazistas?

Gostei muito do vídeo do Um sábado qualquer. Mostra bem como nas religiões majoritárias, a mulher sempre é a culpada.

Ana disse...

"Que um sujeito tão à direita, que quer que o Estado reconheça que a vida começa a partir de um ovo fecundado, seja escolhido para vice em pleno século 21 não é só preocupante, mas também um indício do backlash."

É indício de estupidez pura.

"A religião cristã manda e desmanda nas leis brasileiras. Querem ter seus templos livres de invasões, mas se acham no direito de seus templos invadirem todas as esferas do nosso cotidiano (e de não pagarem impostos)."

Quem me conhece sabe que eu geralmente defendo os religiosos, porque passei bastante tempo com o outro lado da moeda. Mas aqui estás coberta de razão, Lola.
Alguns cristãos tem o péssimo hábito de achar que sua religião é a melhor do mundo, que a vontade de Deus é suprema, que tudo feito em nome dEle é bom.

Só se esquecem que a vontade mais óbvia dEle é que cada um mande em sua própria vida (livre arbítrio, lei mais básica que existe!).
Se esquecem que todo mundo tem direito de escolha, que ninguém é obrigado a acreditar em Deus, que dirá seguir suas ordens.
Se esquecem que o Estado é diferente da Igreja.
Se esquecem que em momento algum foi dada autoridade pra que um ser humano julgasse a moral do outro (pelo contrário, não deixaram dito que nos amássemos ao invés disso?).

É deprimente.

--

@00:19
"Garanto que se as pessoas realmente lessem a Bíblia por si mesmas, iam ver o revolucionário que era Jesus.
O mínimo que ele pedia era amar o próximo como a si mesmo. Nem o básico as pessoas estão realmente seguindo."[2]

@Cabeça
"Jesus mesmo invadiu a Igreja dos fariseus quando viu que estavam sucumbindo a corrupção."[2]

@Grão da Noite
"Jesus salvou Maria Madalena do apedrejamento. Convivia com prostitutas e todo tipo de pária social e chegou a dizer que alguns deles iriam pro céu em vez dos "homens e das mulheres de bem" daquele tempo."[2]

@03:05
"JESUS CRISTO nunca pregou o ódio as mulheres, muito pelo contrario, ele interveio contra um apedrejamento, no que talvez seja o primeiro ato feminista que se tem historia,não sei porque vocês desprezam tanto a imagem de cristo ?!!"

Não confunda Jesus com a Igreja, mano.

Bom, tiraram as palavras da minha boca. Eu não sou religiosa, mas tenho formação. Que eu me lembre, a única vez que Jesus perdeu a calma foi quando transformaram o templo em um 'mercado'. Eu SÓ IMAGINO a cara dele vendo gente pedindo voto na igreja (bom, ele ia se apavorar só de ver a igreja, porque no tempo dele essa coisa de castelo coberto de ouro não existia).

Sinceramente, não acho que precisa de fé pra notar que um cara que acolhia leprosos e prostitutas e batia de frente com fariseus (os líderes religiosos eram seus grandes inimigos, veja só você!) é O CARA.

Sei que esse não é o ponto do post, mas o que eu quero dizer é, essa mistura suja de fé e política é que é a verdadeira afronta contra a religião. Mais do que meninas cantando numa igreja.

--

Eu concordo com quem disse que elas não deviam ter interrompido a missa e tal. Mas como todo mundo já disse, não é nem de longe por isso que elas estão presas - é por outra questão. As Pussy Riot são presas políticas e isso é inadmissível. Putin pode até achar que é Deus, mas ele não é.

Eu me encantei com a idéia de uma Virgem Maria feminista... :D

E por fim: "Mas somos fortes, somos muitas. Vamos ao combate."[2]

Anônimo disse...

É tão engraçada a relação entre liberdade econômica e liberdade individual... Enquanto nos países ocidentais as mulheres estão em vários campos do mercado de trabalho, elegem-se presidentes etc, nos antigos países soviéticos, coisas assim acontecem.

Abram os olhos para o comunismo, meninas, isso não presta.

Danizy Costa disse...

Tá aí, um belo exemplo essas moças, que coragem!

Anônimo disse...

"A religião aliada a politica é uma arma perfeita para escravizar ignorantes."

foi assim que o papado ganhou força e o catolicismo reinou como poder absoluto por mais de milênio.

Anônimo disse...

Putin pode até achar que é Deus, mas ele não é.

>>>hohoho ninguém é Deus e muitos se acham... nem Deus é Deus uma vez que foi criado pelo homem que na sua vaidade disse que Deus criou o homem na sua própria imagem... o homem na imagem de Deus e Deus na imagem do homem!!!

Letícia Rodrigues disse...

Muita gente aqui dizendo que foi um erro as meninas escolherem fazer o protesto no altar da igreja. Mas foi a própria igreja que transformou aquele altar em palanque, quando o usou para pedir votos para Putin. Nem eles respeitam o que eles mesmos consideram sagrado, fica difícil os outros respeitarem.

Karla disse...

Ainda acreditam que liberdade econômica = liberdade individual? Até onde sei, a Rússia está muuuuuito bem inserida na economia global de livre mercado. Ao mesmo tempo em que proíbe manifestações LGBTT por 100 anos. Como se os EUA e o Brasil garantissem plena liberdade individual também. Doce ilusão capitalista...

Anônimo disse...

Quando acusam as pessoas de serem ruins por desrespeitarem uma religião, só consigo pensar nisso:
http://25.media.tumblr.com/tumblr_m90iudAxPh1r5lwuro1_500.png

Natasha Strungis disse...

Karla, nos EUA a liberdade de expressão é bem grande sim, comparada com muitos países é um paraíso. O Brasil, mesmo sendo decadente (fora economicamente), no meu conceito, também tem uma liberdade, que mesmo controlada, não é quem nem a de muitos países asiáticos, como a China, por exemplo.

Anônimo disse...

Esta loja de móveis com perfil no Facebook tem uma versão de "cozinha para meninAs infantil" https://www.facebook.com/UmQuartodeGente

Vamos denunciar gente? porque é ridículo isso!!!!

Dai disse...

Como fazer uma oração punk senão na igreja? E por que não encarar a expressão das meninas (alegres, coloridas e anônimas com suas máscaras) um happening, uma intervenção urbana? Por que não admitir que a arte delas precisava da Igreja como espaço público para operar o sentido esperado? Apenas por causa do autoritarismo medieval de Putin, né. Achei as moças incrivelmente corajosas, inteligentes e inspiradoras, Lola.
FREE PUSSY RIOT!

Fabiola disse...

Texto incrível! Essas garotas são inspiradoras, para começar a razão do nome é bem legal:
" A female sex organ, which is supposed to be receiving and shapeless, suddenly starts a radical rebellion against the cultural order, which tries to constantly define it and show its appropriate place. Sexists have certain ideas about how a woman should behave, and Putin, by the way, also has a couple thoughts on how Russians should live. Fighting against all that—that's Pussy Riot."

Elas fizeram tbm uma apresentação em frente a uma prisão (no telhado de um barraco) cantando para os prisioneiros (muitos presos políticos) "Death To Prison, Freedom To Protest" , bem legal!

Eu espero que toda essa atenção dada ao caso faça com que certas políticas seja repensadas, mas parece muita ingenuidade pensar nisso.

Monique Oliveira disse...

Rir p'ra não chorar ou chorar p'ra não rir?? Difícil questão que me vem à mente sempre quando leio seus post Lola.

Realmente estou me tornando uma pessoa mais crítica depois que passei a ler seu blog. Imagine então depois que eu conseguir ler o Papisa Joana, o que é que vai acontecer comigo?

Certamente me sentirei fortemente atraída por um protesto mesmo em escala miniatura, talvez seja assim que começe não?

Enfim, quero deixar meus parabéns, minha admiração diante de um ser humano do sexo feminino, que sabe argumentar tão bem, de maneira direta e inteligente. Abraços ;)

Anônimo disse...

E para piorar ainda mais, o governo russo está ameaçando tirar a guarda dos filhos das manifestantes e colocar as crianças sob tutela legal. http://www.freepussyriot.org/news/russian-authorities-might-take-away-pussy-riot-members%E2%80%99-children

É tão ruim se sentir de mãos atadas.

Jackson Filgueiras disse...

Letícia Rodrigues,
Fui lendo os comentários e me angustiando, pensando na forma de responder aos mais "iconoclásticos".
Mas aí, li o seu. Perfeito.
Penso também que, apesar da insistência em distinguir entre religião e política, não há uma dicotomia tão grande assim.
Ao longo da história, a religião foi o principal sustentáculo do stablisment.

Rose disse...

Apesar do que parece, essa não é uma luta religiosa, mas estão usando a religião para desqualificar o protesto (o q sempre fazem) Para quem está indignado com o fato delas terem invadido a igreja e atrapalhado a missa, eu sugiro uma analogia bem simples (esqueçam por um instante a religião):
Imaginem que numa casa está ocorrendo uma festa, uma homenagem. O homenageado está bancando metade dos custos dessa festa. Todos sabem que ele não é uma pessoa muito legal, mas ele está tranquilo na festa e estão todos aproveitando e se divertindo. De repente, três moças invadem a festa e acusando o homenageado (aquele q ñ é muito legal, mas pagou parte da festa). Elas gritam: Senhor, esse homem abusa de nós todos os dias, por favor senhor, expulse ele daqui. Ele é mau.
Todos sabem que elas realmente foram abusadas, ficam revoltados e chamam a policia para prender as moças porque elas, mesmo que para pedir ajuda, invadiram a casa e atrapalharam a festa.
Não parece estranho que tanta gente esteja mais indignada com a invasão da casa do que com o teor da acusação?
Enfim, acho estranho que atrapalhar a missa ou usar o nome de uma santa (elas não ofenderam a virgem)seja mais grave do que as acusações feitas por elas (que por sinal são gravíssimas)

PS.: Desculpa pela ~analogia meio tosca~ rsrs, não sou oq se pode chamar de escritora.

Marcelo Delfino disse...

Vale lembrar que Edir Macedo e Estevam Hernandes também dizem que religião é obra dos homens, quando não do Diabo em pessoa. E que Jesus Cristo não é religião.

Só que quando eles se referem a religião, se referem a correntes concorrentes: igrejas protestantes históricas, Igreja Católica, kardecismo, islamismo, judaísmo, cultos politeístas, cultos panteístas, etc.

brujeria disse...

O que os Brasileiros tem que entender é que fora do Brasil a lei pune.
fora do país não é como aqui o país do tudo pode.
fora do Brasil a lei pune e pune pesado qualquer crime.
se fosse aqui no Brasil elas estariam dando entrevista a todas as midias.
igual jogador que queimou a casa na alemanha~.pegou 7 anos.
fora do Brasil a lei é pesada.

brujeria disse...

Outra coisa se fosse uma banda gospel que tivesse invadido uma clinica de aborto,e fossem presos será que todos seriam contra a prisão ? se elas são contra a igreja e o governo russo.
dai inavidr o local já desrespeito e crime.
logo ! logo ! vão começar queimar igrejas e vai ta tudo certo.
ou entãaoa vira-se uma guerra de religião,sexos,ideologias,como a doida que tentou matar o papa com uma faca.
não é pq são feministas que estão impunes a lei e tudo podem.

elaine disse...

Ri quando li a introdução, eu só fiquei sabendo agora!!! Ainda bem que você fez um resuminho no começo...

Mihaelo disse...

Buenas, até o século XVIII todos os estados eram religiosos e somente no século anterior foram criados os dois primeiros partidos políticos não religiosos na Inglaterra.A religião está arraigada na maioria da humanidade e foi a primeira explicação para os fenômenos da natureza e o primeiro instrumento de estruturação jurídica e administrativa dos estados. Por isto até hoje há partidos religiosos ou de orientação religiosa em quase todos os países.política e religião são quase irmâs siamesas ainda na atualidade. Mas chamar de vandalismo religioso a invasão de um culto religioso no templo é um completo absurdo.
Por que os religiosos podem impor aulas de religião a todos os habitantes do país nas escolas(que não são instituições religiosas)e que nenhum aluno pode deixar de assistir pois nenhum diretor jamais respeita a pretensa facultatividade da LDB(sou professor de escolas) e que gera conflitos aos professores devido à rejeição de muitos alunos frequentarem as aulas e fazerem os trabalhos, pois se seus nomes estão na chamada, eles têm que ter presença em sala de aula.É a hipocrisia total. Impor dogmas próprios da religião a toda a população do país é a prova de ausência de laicismo da maioria dos países.Rejeição a homossexualismo ou ao aborto não pode ser imposto a todo o país por meio do estado. É por isto que tem que se combater todas as religiões!!!!Quem não se respeita não está interessado em respeito.estão interessados apenas em clientes(fieis) e no dinheiro deles. Por isso os religiosos adoram a política.

Ge disse...

Lola só uma correção: elas são MUSICISTAS não "MUSICAS"

yulia2 disse...

''A mafia russa ja lavou dinheiro ate no futebol brasileiro e inglês, e produz de tudo, seus lideres são bilionarios do petroleo (Boris berezovisk, Roman Abramovich etc..)que herdaram suas fortunas de forma obscura durante a queda da cortina de ferro, eram todos agentes da KGB,
assim como o "novo kzar russo", Vladimir Putin.
________________________
exatamente!!!
fico até triste em lembrar que o meu corinthians protagonizou essa triste capítulo
na época.


''JESUS CRISTO nunca pregou o ódio as mulheres, muito pelo contrario, ele interveio contra um apedrejamento, no que talvez seja o primeiro ato feminista
que se tem historia,não sei porque vocês desprezam
tanto a imagem de cristo ?!!''

sim, concordo...
mas seus seguidores meu caro...
infelizmente estão MUITO MAS MUITO LONGE de seguir 0,000001% do que ele pregou.
Pior é ver esses caras evocando o seu nome para justificar
atrocidades, machismo, homofobia e todo tipo de preconceito.
ademais, minha crítica é especificamente as
religiões QUE NADA MAIS É DO QUE UMA CRIAÇÃO DO HOMEM
, eles deturparam tudo....usam a bilia de constantino... o vaticano
esconde ainda muitas coisas , muitos dados
ninguém sabe o que é mentira ou verdade...complicado.
Essas igrejas , na maioria católicas da Espanha , Portugal
tudo roubado dos minérios e diamantes das colonias brasileira
e américa do sul inteira....
essa gente FEDE!

yulia2 disse...


''A Russia é aqui.O que se internacionalizou foi a opressão''.

pode crer...

''é um de nossos maiores temores
que a tendencia leve certos "países democráticos"
a se tornarem teocracias enrustidas''...

Brasil é forte candidato....
CNBB sempre interferindo...
bancada evangélica chantagiando a presidente...
ta feia a coisa....


É tão engraçada a relação entre liberdade econômica e liberdade individual... Enquanto nos países ocidentais as mulheres estão em vários campos do mercado de trabalho, elegem-se presidentes etc, nos antigos países soviéticos, coisas assim acontecem.

Abram os olhos para o comunismo, meninas, isso não presta.


????????????????
Faz tempo que a Russia deixou de ser
comunista....

outra Brasil não tem essa liberdade toda que vc apregoa...
vide milhares de mulheres que morrem vitimas do machismo.

''E para piorar ainda mais,
o governo russo está ameaçando
tirar a guarda dos filhos das manifestantes
e colocar as crianças sob tutela legal''

cambada de lixos mesmo

rebecca souza disse...

Olá pessoas lindas!Bem minha opinião é assim,eu tenho religião,não fui criada uma familia cristã e acredito no que minha religião prega.Como historiadora ,sei que na totalidade de casos que são supostamente de cunho religioso(cruzadas,terrorismo,etc)na verdade eles tem cunho politico como agora com as moças russas.
Uma ideia de maria feminista par min é muito plausivel,sabe?Pelo pouco que estudei da historia cristã,ela(se realmente existiu)foi uma mulher que assumiu uma posição muito além das mulheres de sua época.
Outro esclarecimento:meu pai é islamico,do pensamento sufi e acreditem,nessa linha do islamismo,eles acreditam até qu Alá tem uma esposa que seria tão importante quando ele ,o caso que a midia ocidental(sempre ela)faz questão de amostrar o pior lado do islã que ,como em qualquer lugar existe.Por ultimo ,eu acredito que as meninas do pusssy,serão libertadas pela grande pressão popular,mas,temos que nos manter firme e não deixar cair no esquecimento,e batermos em cima sempre,pq se um padre/pastor ou qualquer religioso quer dizer o que faço com meu corpo,eu tenho direito de dz o que eu quero !agora saindo um pouco do assunto,lola,eu queria saber ese vc já fez algum post sobre quando são as mulheres que reproduzem comportamentos machistas,passo muito por isso com minhas amigas por ser feminista,vc poderia me dar um help?essa semana,até houve uma postagem no´´feminismo na rede`´no face,sobre uma menina que colocou no twiter que nós feministas,não conseguimos``homens de verdade´´ e por isso desistimos deles,até pensei na hora``poxa,então alguem tem que avisar a lola,que a 22 anos ,ela tá soferndo de uma alucinação e acha que é casada´´rsrs,quando vc puder eu gostaria de ler algo sobre isso ,bjs,amo seu blog!

Jéssica disse...

Petição Free Pussy Riot:
http://www.change.org/freepussyriot

Assinem, por favor.

Lurker disse...

Olha, eu apoio este texto mas tenho que postar contra algumas opiniões postadas aqui.

Eu concordo que o Estado deva ser Laico, afinal democracia consiste no apoio e liberdade, inclusive religiosa, de todos. Mas achei um tanto infeliz a forma de protesto dentro de uma igreja, se foi para repercutir mundialmente considero que "os fins justificaram os meios".

Agora, dizer que a(s) religião(ões) só massacram as mulheres acho um absurdo e uma generalização de imenso mal-gosto. Se não concorda com uma religião saia, procure outra! Eu como uma pessoa que acredita em Deus acredito que ele nos criou para sermos felizes, isso inclui lutar pelos nossos direitos, enfim nunca perder a esperança e fé.

Religiões foram criadas por serem humanos para contemplar a missão e objetivos que Deus nos criou, por serem criados por humanos são mutáveis (para melhor, dependendo de NÓS), mas isso não vem ao caso do assunto.

Concordo que várias reformas devam ser feitas para garantir igualdade de direitos e liberdade a todos, mas a partir do momento que um conceito de liberade de uma pessoa invade ou ofende o direito de outra se perde a razão!

Isso inclui igrejas que colocam som acima do nível permitido (como no caso da "Laurinha (Mulher modernex)") - É errado, denuncie reclame seus direitos, já vi um caso na TV que um senhor conseguiu proibir o sino de uma igreja de ser badalado pelo som incomodar.
Assim como também acho errado em alguns movimentos LGBT usarem da figura de Jesus, santos ou padres para fazerem encenações desvirtuozas, é equivalente a alguém ir até seu trabalho e espalhar cartazes de forma blasfemiosa e desrespeitosa te chamando te "viado" e sua mãe de "puta", mas de escala ainda pior.

yulia2 disse...


''Agora, dizer que a(s) religião(ões)
só massacram as mulheres acho um absurdo e
uma generalização de imenso mal-gosto.
Se não concorda com uma religião saia, procure outra!''


nossa vc é desinformado demais....
vc é o mesmo pobre coitado que falou bobagem da
marcha das vadias?
não adianta sair fora e pronto acabou!
enquanto essas malditas igrejas tiverem poder
de influencia na sociedade e no congresso
como ocorre no Brasil, vamos ter tempos dificeis
sim.


''Eu como uma pessoa que acredita em
Deus acredito que ele nos criou para sermos
felizes, isso inclui lutar pelos nossos direitos,
enfim nunca perder a esperança e fé.''


Deus não tem nada a ver com religião...

''Concordo que várias reformas devam ser feitas para garantir
igualdade de direitos e
liberdade a todos, mas a partir do momento que um conceito de
liberade de uma pessoa invade ou ofende o direito de
outra se perde a razão!''

seja mais claro , o que vc quis dizer com isso
que o pussy riot fez o que fez com objetivo de agredir
quem vai a igreja???? é?

nesse ponto o que os pastores da universal fizeram em chutar a santa foi um milhão de vezes mais agressivo e desrespeitoso do que qualquer invasão de vadia na igreja , ou do pussy riot ou de imagens de santos na parada gay!!!

a essência da igreja é a VIOLENCIA!!!

Anônimo disse...

O caso é que o comunismo nem sempre apoiou as mulheres e os homossexuais. Durante quase todo o tempo em que o comunismo esteve no poder na Rússia, a homossexualidade foi proibida. Ela só voltou a ser legalizada em 1993.

The Communist Manifesto does not address the issue of sexual orientation or gender identity. Some anti-homosexual notions are apparent in Das Kapital.[citation needed] Engels seems to be condemning homosexuality among men of ancient Greece in two separate passages in The Origin of the Family, Private Property, and the State, describing it as "morally deteriorated", "abominable", "loathsome" and "degrading".[citation needed] Later Communist leaders and intellectuals took many different positions on LGBT-rights issues.

http://en.wikipedia.org/wiki/Communism_and_homosexuality

http://en.wikipedia.org/wiki/LGBT_history_in_Russia

Uma obra essencial para se compreender a análise histórica da Revolução Industrial feita à luz do feminismo é a imensamente influente The Origin of the Family, Private Property and the State, de Friedrich Engels, lançada em 1884. Engels argumenta que a opressão à mulher originou-se com o formato tradicional da família, mas ele próprio desdenha a noção de que a família por si só havia subordinado as mulheres ao longo da história. Em vez disso, ele firmemente coloca toda a culpa no capitalismo, o qual ele acreditava ter destruído o prestígio que as mulheres outrora usufruíam dentro da família.

Escreveu Engels,

Que a mulher era escrava do homem nos primórdios da sociedade é uma das idéias mais absurdas transmitidas pela filosofia do século XVIII.... As mulheres não apenas eram livres como também usufruíam uma posição altamente respeitada nos estágios iniciais da civilização, e representavam o grande poder entre as tribos.

Portanto, as épocas anteriores à Revolução Industrial foram romantizadas como sendo um período em que as mulheres tinham grandes poderes. Engels alegava que a industrialização provocou uma separação entre o trabalho doméstico e o trabalho produtivo, separação esta que fez com que a injustiça que era o formato da família tradicional se ampliasse. Sendo assim, o trabalho feminino se tornou um aspecto importante, porém subordinado ao uso maciço do trabalho masculino para alimentar a máquina capitalista. Presumivelmente, os inegáveis avanços gerados pela Revolução Industrial para as mulheres — incluindo-se um aumento na expectativa de vida e vários direitos políticos — foram adquiridos a um custo extremamente elevado.


http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1370

Quanto à religião, ela não é intrinsecamente contrária às mulheres e aos homossexuais. Isso é forçação de comunistas autoritários. Praticamente todos os homos que eu conheço são religiosos, não sei explicar como isso é possível se existe opressão.

Mauro disse...

Espanha e Portugal roubaram o ouro e diamante de quem??? O Índio não era dono de nada, pois eram semi-nômades.
Na verdade, o que ocorreu foi um ESCAMBO, ou seja, TROCAS. Lembram das aulas de história? Os índios trocavam ouro, pau-brasil e outras matérias-primas por espelhos, faças e outras coisas que os portugueses e espanhóis ofereciam. Isso nao é "roubo", é TROCA VOLUNTÁRIA.

Ademais, Portugal e Espanha não enriqueceram com o colonialismo. No século XVIII, estes países estavam pobres e falidos. A Inglaterra, Holanda e França deixaram os portugueses e espanhóis comendo poeira.

Mas sobre o assunto, claro que não precisava prender as garotas do Pussy Riot. Mas disseram aqui: "Jesus mesmo invadiu a Igreja dos fariseus quando viu que estavam sucumbindo a corrupção." Mas veja que neste caso, quem estava semeando a corrupção na Igreja, eram as Pussy Riot. Igreja não é lugar pra falar palavrões, rebolar, praticar atos de vandalismo. Existem ambientes pra isso. Pra isso existem seus shows, nightclubs, swings, etc. Mas Igreja não é lugar pra estas coisas.

Bruna B. disse...

Pescoço disse...
"Pretendo me viver lá quando puder, depois de completar meus estudos em medicina."


Já vai tarde, ô palhaço!







"Mas somos fortes, somos muitas. Vamos ao combate."
Post perfeito, Lola.

Mihaelo disse...

Lurker:
o problema com as religiões não é o de ser ou não membro delas, mas o fato de que toda a população do país seja obrigada a ser submetida aos seus dogmas e a suas ideias.É evidente que isto gerará reação,pois como ninguém pode sair dum país(a não ser que seja rico ou consiga casar com um cidadão(ã) de outro país), ou seja os religiosos não toleram o pluralismo e a liberdade de todos os habitantes do país e impõem suas vontades às leis e às instituições do estado, que portanto deixa de ser pluralista e democrático. As religiões interferem no funcionamento e na vida profissional dos professores das escolas públicas de todas as matérias que são obrigados a se arranjar como puderem para dar as aulas de religião impostas pelos religiosos aos governos e a todos os deputadop e senadores que os obedecem religiosamente.
Portanto os religiosos não estão interessados em liberdade de escolha e não abrem mão de controlar o estado e seus agentes políticos. Assim sendo os religiosos dão carta branca para serem desrespeitados, pois para eles é é impossível o "aggiornamento", os religiosos continuam querendo manter os estados nacionais sob tutela e a impor suas ideias patriarcais retrógradas sobre a humanidade.

Nah Safo disse...

Muito bom, como sempre.

Só uma coisa: elas foram presas em março, não em abril.

Huan Icaro Piran disse...

"Já que vc saca sobre o assunto, uma dúvida: ainda há grupos que se denominam skinheads e não sejam racistas, machistas e/ou nazistas?"

Poucos, lastimavelmente. Tenho contato com um Anarco Skinhead da Ocupe de Floripa, mas apenas via internet e li aqui e ali sobre atividades bacanas deles junto com punks e outros grupos, mas é algo que não conheço tão afundo infelizmente.

"Gostei muito do vídeo do Um sábado qualquer. Mostra bem como nas religiões majoritárias, a mulher sempre é a culpada."

Eu também. O Ruas é um ótimo cartunista não só pela arte mas também pela critica. ^^

Huan Icaro Piran disse...

Ana, concordo, confundir deus e a igreja é o mesmo que confundir Chê Guevara com os adolescentes vestindo camisas com a imagem dele que defendem valores burgueses.

Rose, não há duvidas, Putin usa a igreja para legitimar perseguições politicas. Para o teor do protesto ter tido esse desfecho, provavelmente não foi a primeira e não vai ser a ultima vez.

Brujeria, elas não falaram contra a religião, e ai que mora o grande pepino podre da história...

yulia2, sobre sua analise das praticas cristas em contraponto a filosofia cristã...queira poder discordar, mas infelizmente, depois de tudo o que já vivenciei, não vejo como...

rebecca souza, fico feliz que alguem tenha esposto a linha Sufi do Islã. Poucas pessoas conhecem, eu mesmo superficialmente por conta de estudos para o RPG (narrar me obriga a ler compulsoriamente sobre horrores de coisas) e isso vem a colaborar com o que o Ruas falou no vídeo que coloquei aqui antes para a aiaiai...fico feliz mesmo que alguem tenha trazido isso com maior bagagem do que eu xD

Huan Icaro Piran disse...

"O caso é que o comunismo nem sempre apoiou as mulheres e os homossexuais. Durante quase todo o tempo em que o comunismo esteve no poder na Rússia, a homossexualidade foi proibida. Ela só voltou a ser legalizada em 1993."

Uma das coisas que mais peguei gana em debater com algumas linhas de comunismo foi justamente isso. Os caras me defenderem uma sociedade melhor mas por via patriarcal. Mas se levar em conta que o comunismo em muitas vertentes começa o discurso por uma ditadura, já terei mais ressalvas do que quero me dar ao trabalho de listar...

Huan Icaro Piran disse...

"Espanha e Portugal roubaram o ouro e diamante de quem??? O Índio não era dono de nada, pois eram semi-nômades.
Na verdade, o que ocorreu foi um ESCAMBO, ou seja, TROCAS. Lembram das aulas de história? Os índios trocavam ouro, pau-brasil e outras matérias-primas por espelhos, faças e outras coisas que os portugueses e espanhóis ofereciam. Isso nao é "roubo", é TROCA VOLUNTÁRIA."

Lembro, eu dou as aulas e lhe direi uma coisa. Pegar algo de alguem que não sabe o valor daquilo é imoral. Matar essa pessoa para pegar isso então, já temos outro nome. Seu argumento esqueceu de citar o numero de nativos mortos durante a colonização, que faz o Holocausto Nazista parecer um mero resfriado...

"Ademais, Portugal e Espanha não enriqueceram com o colonialismo. No século XVIII, estes países estavam pobres e falidos. A Inglaterra, Holanda e França deixaram os portugueses e espanhóis comendo poeira."

Portugal teve uma péssima administração, sem mais, eles fizeram tanta porcaria administrativa que nem vou listar.
A Espanha perdeu sua frota naval em combate contra a Inglaterra, nunca se tratou de não ser lucrativo mas sim de derrotas militares. Caso a Inglaterra tivesse perdido a historia estaria bem diferente.

"Mas sobre o assunto, claro que não precisava prender as garotas do Pussy Riot. Mas disseram aqui: "Jesus mesmo invadiu a Igreja dos fariseus quando viu que estavam sucumbindo a corrupção." Mas veja que neste caso, quem estava semeando a corrupção na Igreja, eram as Pussy Riot. Igreja não é lugar pra falar palavrões, rebolar, praticar atos de vandalismo. Existem ambientes pra isso. Pra isso existem seus shows, nightclubs, swings, etc. Mas Igreja não é lugar pra estas coisas."

Olha, porque não fazemos assim, você tira os panacas dos religiosos do meu congresso, que eu tiro os meus amigos punks de seus templos. Pode ser?
Realmente, os espaços devem ser respeitados, mas que eu saiba, o estado laico não vem sendo respeitado para se exigir tal coisa desta forma.

Huan Icaro Piran disse...

aiaiai eu andei fuçando aqui em meus favoritos e redes de compartilhamento e vi uma noticia do RASHSP que vi esses dias...era o que eu estava procurando para compartilhar com vc, sobre Skinheads anarquistas e comunistas

http://rashsp.noblogs.org/

Anônimo disse...

Lola, sem querer ser chato, mas o uma instrumentista mulher é musicista, não música.

yulia2 disse...

''Espanha e Portugal roubaram o ouro e diamante de quem???
O Índio não era dono de nada, pois eram semi-nômades.''


vc é daqueles que justifica a escravidão também....

ah se os próprios africanos se escravizavam, porque o europeu
não pode escravizar os negros... né???
HAHA....

ROUBARAM, FATO! e ironicamente, com a contribuição
dos escravos negros....

graças a Deus estudei história
a verdadeira.....

ROUBARAM DO BRASIL, e construiram suas igrejas
com nosso ouro e diamante.

vá vc estudar história.

Igreja porca e ladra.....

yulia2 disse...

. Igreja não é lugar pra falar palavrões, rebolar, praticar atos de vandalismo. Existem ambientes pra isso. Pra isso existem seus shows, nightclubs, swings, etc. Mas Igreja não é lugar pra estas coisas.
____________________


é pussy riot não pode entrar na igreja, nem as vadias...

mas os padres podem ESTUPRAR seus coroinhas a vontade como fazem...
e sem nenhuma punição...
Isso mesmo, vc está certo.

yulia2 disse...

''Pegar algo de alguem que não sabe
o valor daquilo é imoral. Matar essa pessoa para
pegar isso então, já temos outro nome. Seu argumento
esqueceu de citar o numero de nativos mortos durante
a colonização, que faz o Holocausto Nazista parecer um mero resfriado...''

_______________
isso mesmo, da uma relembrada na história pro sabichão aí do mauro que parece que cabulou todas
as aulas....

Anônimo disse...

Eu acho que fica muito claro a intenção delas em escolher "A MAIOR E MAIS INFLUENTE IGREJA RUSSA" para realizarem seu protesto. Afinal, se fosse em outro lugar, NUNCA que o caso teria a repercussão que tomou. Elas seriam ignoradas, tanto pela mídia local Russa, como (e principalmente) pela mídia mundial. Elas escolheram a igreja exatamente pela cara de pau com que ela apoia a Putin. Seria mais ou menos como se a Igreja Evangélica do Brasil apoiasse algum candidato a Presidente - que claramente ganharia a eleição, visto que o número de evangélicos no Brasil só aumenta (infelizmente, me perdoem, mas...). Elas são e foram extremamente corajosas! E muito inteligentes! Com base nessa lógica, o comentário: "elas deviam ter protestado em outro lugar, respeito religioso, blá blá blá" fica anulado. CRESÇAM GENTE. Li esse tipo de comentário de muitos que aparentam ter alto grau cognitivo, por favor hein...

Ana disse...

@Huan
'Lembro, eu dou as aulas e lhe direi uma coisa. Pegar algo de alguem que não sabe o valor daquilo é imoral. Matar essa pessoa para pegar isso então, já temos outro nome. Seu argumento esqueceu de citar o numero de nativos mortos durante a colonização, que faz o Holocausto Nazista parecer um mero resfriado...'

...wow.
Eu ia responder o Mauro, mas não precisa porque já mataste a questão a pau O_O

E ri muito com a comparação do Guevara! É bem isso aí mesmo!

Luiz Prata disse...

Mauro, você está equivocado. As Pussy Riot NÃO estavam "semeando a corrupção" na Igreja. Quem fez isso foi o Putin, que usou a Igreja como palanque para pedir votos aos fiéis. As moças do Pussy Riot protestaram (e com razão) contra isso. Não foi "vandalismo". E foi no lugar certo, pois não faria sentido um protesto tão importante num lugar de mero entretenimento (como os nightclubs).

Procure se informar melhor sobre o assunto.

Anônimo disse...

http://radicalhub.com/2012/08/20/pussy-riot-whose-freedom-whose-riot/

No site da Wiki em ingles sobre a Voina tem vários links com fotos de protestos anteriores.

Luci

lica disse...

Eu tenho muita curiosidade de entender seu ponto de vista para afirmações como essa:(como se uma das bases ideológicas da religião cristã não fosse o ódio às mulheres).

E também saber mais sobre seu ateísmo... mas eu sei que isso ia gerar uma super polêmica.... aí é foda trazer esse tipo de tema para debate na internet! hehe

Anônimo disse...

Nao vou comentar sobre a relacao entre politicos e igrejas na Russia, mas sobre religiao (independente de qual seja):

Dizer que "a religião foi o principal sustentáculo do stablisment" nao explica o suficiente. Acho que as crencas (nao somente as religiosas) estabelecidas, reguladas e impostas por sociedades patriarcais sao a principal deturpacao social e fontes de manipulacao ideologica.

Passei a ver a figura de Maria como uma feminista. Poxa, ela nao precisou de homem pra engravidar, quer mais feminismo que isso? Sei que soa absurdo pra alguns, mas penso nisso como uma metafora poderosa!
E ela com certeza foi o pilar na formacao e rebeldia de Jesus. O problema eh que as interpretacoes que prevaleceram acerca de Maria no decorrer dos anos foram feitas por homens/ sociedades patriarcais!

Abaixo a interpretacao patriarcal da figura de Maria! Somos muitas e estamos juntas - e isso inclui Maria! FREE MARIA!

Anônimo disse...

Free Pussy Riot!
Free Maria!

Carolina Cooper disse...

Lola,
Sou uma leitora sua do Rio de Janeiro, além de eterna admiradora do seu blog. Gostaria de compartilhar com você um artigo legal e interessante que saiu hoje no New York Times. Nem precisa postar esse comentário, pois é direcionado diretamente para você. Acho que você vai gostar e queria compartilhar.
Abs,
Carolina (carolinacbcooper@gmail.com)
http://www.nytimes.com/2012/08/21/opinion/the-wrong-reasons-to-back-pussy-riot.html?smid=fb-share

Huan Icaro Piran disse...

lilica, eu nem debato isso por um motivo simples:

1- não há uma religião cristã, pois a filosofia cristã não prega culto a templos, as passagens bíblicas que fazem alusão a isso como a expulsão dos mercadores do templo foram incluídas posteriormente no livro
2- não há uma religião cristã, há pencas delas, mesmo na idade média existiam duas grandes (Apostólica Roma e Ortodoxa Grega), algumas pequenas (não recordo os nomes, mas haviam algumas vertentes na Palestina, no Egito que eram reconhecidas formalmente...se bem que essa ultima foi varrida do mapa depois) fora os cultos menores perseguidos (iconoclastas, albigenses, Gnósticos e mais umas duas duzias de dissidências que só foram dar ter algum resultado lá pelo Luthero na Renascença), o que torna a interpretação uma variável de variáveis...
3-não há uma religião cristã machista, pois o tio jesus, se é que o bacana existiu pregava algo bem simples, que Douglas Adans (um ateu) descreveu perfeitamente na introdução do 'Guia do Mochileiro das Galáxias' da seguinte forma: "Aproximadamente dois mil anos após um cara ser pregado vivo em um pedaço de pau por dizer: hey, porque não somos legais uns com os outros para variar?"
Tipo, acompanha o raciocínio. O cara era filho de uma mulher que teve um filho com outro que não com quem se casou (isso dava morte na época), foi criado pelo pai ilegitimo com amor e carinho mesmo o cara sabendo que não era pai do moleque, pregava paz e amor, era contrario ao uso de violência, deteve uma multidão de apedrejar uma prostituta, acabou morrendo por dizer que deveríamos ser legais uns com os outros...me desculpem os mascutrolls, ateortolls, protestatrolls e ademais figuras bizonhas, mas o carinha (se é que existiu) era a porcaria de um hippie total contra essas putarias que vocês estão pregando. Se Jesus existisse no século XXI perigava ele ser Anarquista, Feminista, Humanista, afiliado ao GreenPeace, Doador de Sangue, Vegetariano...enfim, tudo o que essa galera é totalmente contraria!

Agora, se falarem de igreja A ou B que alega ser cristã, ai temos algo beeeem diferente '-'

ps.: não sou filiado a credos, cultos, igrejas ou qualquer paradigma religioso popularmente estabelecido, tão pouco debato sobre minhas crenças...ressalva minha

"Passei a ver a figura de Maria como uma feminista. Poxa, ela não precisou de homem pra engravidar, quer mais feminismo que isso? Sei que soa absurdo pra alguns, mas penso nisso como uma metafora poderosa!
E ela com certeza foi o pilar na formacao e rebeldia de Jesus. O problema eh que as interpretacoes que prevaleceram acerca de Maria no decorrer dos anos foram feitas por homens/ sociedades patriarcais!"

Balela, a figura dela enquanto feminista se dá por ela aceitar ter um filho sem um pai legitimo (deus não vai andar de mãos dadas com ela pela rua, não conta mesmo se os envolvidos no conto existirem), algo passível de apedrejamento na sociedade da época, falou isso para o noivo deixando claro que teria a criança com ou sem ele (sorte a dela que o cara era o tipo de camarada descente que ainda teve e criou o filho participativamente, porque ter um parceiro que o faça é tensamente difícil)

Anônimo disse...

Quem?

Engraçado que na sua crítica vc só esqueceu de falar sobre a justiça russa e o próprio governo de Putin, pois foram eles que imputaram a pena e não a igreja.Pq mesmo com/e/ou sem esta relação igreja-estado a Russia nunca foi conhecida por ser democrática, livre e justa. Mas prefere ficar nestas criticas obvias, mimimi e crricri sobre a religião falando coisas tão clichês, como " a igreja regula os corpos das mulheres" como se fossem apenas ela . Afinal de contas não só a igreja , mas a sociedade faz isso o tempo inteiro. Ou vc acredita que alguém que deseja mostrar seu corpo sarado na praia o faz por liberdade ou porque a sua cultura ensinou que corpos belos e saudáveis devem ser apreciados? poderia ter sido mais proveitosas esta critica

Newtovisk disse...

Carolina,
muito bom esse artigo do TNYT.

Anônimo disse...

Genaro.
Acho que essas meninas não nada pra fazer.
Cada uma e dona da sua Pussy e faz dela oque bem entender. Ponto Fim

n disse...

"Acho que não resta muita dúvida que estamos no meio de um backlash, uma reação conservadora às conquistas das mulheres."

Nunca concordei tanto com a Lola qto qdo li esse comentário, junto ao livro q estou lendo "Backlash - o contra ataque na guerra não declarada às mulheres" e me deparei com este texto:

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI98917-15228-1,00-POR+QUE+AS+MULHERES+SAO+TAO+TRISTES.html

Fiquei pasma ao ler, na reportagem, quase um CTRL+C CTRL+V dos argumentos, "pesquisas" e depoimentos expostos no livro...

INCRÍVEL!!! (e não no bom sentido)