quarta-feira, 1 de agosto de 2012

CULTURA DE ESTUPRO? NÃO, IMAGINE!

Sempre que se fala em cultura de estupro, vem homens dizer que de jeito nenhum, isso não existe, é paranoia de feminista. Eu digo que cultura de estupro é quando temos uma sociedade que tolera e até incentiva o estupro, e que está sempre pronta pra culpar a vítima. Costumo dar alguns exemplos. Tipo: se você foi vítima de estupro e estiver procurando ajuda, será mais fácil encontrar na internet vídeos pornôs com simulações de estupro, mostrando estupro como algo excitante, do que instruções tratando de delegacias e exames de corpo de delito.
Cultura de estupro é comediante dizer que homem que estupra mulher feia não merece cadeia, merece um abraço, e metade da população rir e, diante dos protestos da outra metade, xingar quem se indignou com o chiste de mal amada, mocreia, sapatão, “nem pra ser estuprada vc serve”. Cultura de estupro é vender camisa (e muita gente comprar pra usar) com “fórmula do amor”, que equivale a embebedar a mulher para conseguir sexo sem resistência. Cultura de estupro é um programa de TV fazer rir em cima de um problema que acomete milhares de mulheres por dia (bolinações dentro de meios de transporte coletivo). Cultura de estupro é anúncio de preservativo brincar que sexo sem consentimento queima mais calorias.
Cultura de estupro é o comercial da Nova Schin estar passando na TV há meses sem que se veja qualquer problema. Não viu o comercial? Eu explico: um grupo de amigos, só homens e brancos, bebem na praia, quando um deles, ao observar mulheres, pergunta pros outros: “Já pensou se a gente fosse invisível?”. Corte pra latinhas de cerveja flutuando, representando que a fantasia virou realidade. E o que os homens invisíveis estão fazendo? Passando a mão na bunda de mulheres no mar. Sacaneando um cara que joga frescobol. Tocando o terror na praia. 
Até que entram num vestiário feminino. A câmera não mostra tudo, só as latinhas abrindo a porta, e mulheres correndo pra fora, aterrorizadas. O mais perverso é que, mesmo no “clima de humor” do comercial, a expressão no rosto das mulheres é de pavor. Na maior parte das vezes, quando homens fazem piadas de estupro, atenuam a violência fingindo que a vítima está gostando (esta também é uma mensagem perversa, claro). Aqui nem tentam isso. As mulheres saem correndo dos homens invisíveis com medo mesmo.
Publicitário é um bicho arrogante e egocêntrico (eu fui redatora publicitária em outra encarnação). Mas uma de suas funções é estar antenado com o mundo, saber o que acontece, conhecer outros produtos culturais. Daí eu imagino que os publicitários saibam que, desde 2009, as leis brasileiras deixaram de considerar estupro apenas quando há penetração vaginal. Hoje temos uma das leis mais abrangentes do mundo, e passar a mão também pode ser visto como estupro. Ou seja: o que os homens invisíveis do comercial da Nova Schin fazem, pela lei, é estupro. E eles morrem de rir disso. Se fosse com eles, seria engraçado? 
Mesmo que os publicitários não conheçam a lei, eles definitivamente conhecem O Homem Sem Sombra, filme de 2000 do Paul Verhoeven. Nesse thriller, Kevin Bacon faz um cientista que descobre a fórmula da invisibilidade, e a testa nele mesmo. Ele vai ficando cada vez mais obcecado com esse poder, até que decide estuprar uma vizinha que ele espia pela janela. A cena é terrível (você pode vê-la aqui, e aqui a continuação, com o comentário do diretor explicando que tiveram que suavizar o estupro), mas mais chocante ainda é o número de comentaristas no YouTube fazendo piadinhas (“ela vai ter um filho invisível?”) e afirmando que, na pele do cientista, fariam exatamente a mesma coisa -– estuprariam mulheres.
E eles não estão brincando. Não tenho tempo para encontrar todas as pesquisas que já li mostrando que, se estupro não fosse crime, muitos homens estuprariam. Margo Paine fez um estudo com universitários americanos, e os números, publicados em Body Wars, não são bonitos. 30%  dos entrevistados responderam que estuprariam se não houvesse consequências legais. 8% revelaram já ter estuprado ou ter tentado estuprar. 83% concordaram com a expressão “Algumas mulheres parecem que estão pedindo para ser estupradas”. Diante de resultados assim, você ainda quer manter sua certeza de que apenas psicopatas estupram? De que não vivemos numa cultura de estupro?
Um dos problemas é que boa parte dos homens não faz ideia do que seja estupro. Estupro, pra eles, é só o que acontece num beco escuro à noite entre um psicopata e uma mulher que, pelas roupas, “estava pedindo”. E tem que haver muita violência física para que esses mesmos homens encarem aquilo como estupro. Para esses cidadãos, não passa a ideia de que estupro é pura e simplesmente sexo sem consentimento. Nesse mesmo estudo de Paine, quando a palavra estupro foi substituída por “sexo forçado”, 54% dos entrevistados disseram que “forçariam sexo”. Quer dizer... Muitos homens não veem forçar sexo como estupro! Assim como a Prudence não vê sexo sem consentimento como estupro. Assim como a Nova Schin não vê agarrar mulheres nuas como estupro.
É exatamente isso que a cultura de estupro faz com a sociedade: ensina que mulher faz charminho, que quando ela diz não ela no fundo está dizendo sim, que é totalmente normal pruma mulher, que obviamente nem gosta de sexo, “vender caro seu passe”, fingindo refutar o macho incontrolável para assim se valorizar. E que homens são eternos brincalhões, boys will be boys.
Acho que nunca publiquei um só post sobre estupro sem que viesse algum sujeito dizer que aquilo é besteira, que somos paranoicas, que não deveríamos dar importância pra aquilo, que deveríamos estar falando da corrupção do governo ou salvando criancinhas na África. Ou sem que viesse algum cara dizer que o caso narrado simplesmente não aconteceu, que a mulher está mentindo, que aquilo não é estupro de jeito nenhum, que as mulheres gostam, que imagina se aquela propaganda faz apologia do estupro!, que nós é que não temos senso de humor. O que eu leio em todas essas frases é apenas um recado vindo de homens: “Não quero saber de assuntos de mulheres, mas quero continuar podendo rir deles”.
Que tal trocar o disco? Que tal assumir sua responsabilidade nesta cultura de estupro? Temos basicamente dois times: um que luta pelo fim do estupro e pela liberdade das mulheres; outro que luta para manter o privilégio de encarar estupro como piadinha e manter as mulheres com medo. Em que time estão os publicitários e a mídia em geral? Em que time você está?

Leia sobre a repercussão deste post. E sobre respostas e ações.

347 comentários:

1 – 200 de 347   Recentes›   Mais recentes»
Gabriela disse...

Eu odeio esse comercial.é nojento.

Laís disse...

Ainda não vi a propaganda da Nova Schin (não sou mto de assistir TV), mas a repercussão do caso da Prudence prova que barulho virtual + denúncias funcionam ao menos pra empresa se retratar.

Que tal fazermos o mesmo com a propaganda de cerveja??

Lollah disse...

Gostei muito do post e nunca tinha visto o comercial da Nova Schin desta maneira Oo. É, realmente a apologia ao estupro passa despercebida aos olhos de muita gente, todos os dias.

Letícia Alves disse...

Tudo isso ridículo, não lembram que tem mães, irmãs, namoradas, tias, avós, etc...

Cris Li disse...

Muito bom o seu texto! Você me fez refletir muito mais sobre a cultura do estupro no Brasil!
Não é só a lei - claro que é mega importante - mas a postura e mente de todos nós precisa mudar.
Bjs

Flavio Moreira disse...

Um pensamento radical e, de certa forma, atrasado, visto que se espelha no "olho por olho, dente por dente", mas que num acesso de raiva me vem à cabeça: e se os caras que acham isso tudo normal começassem a ser eles mesmos vítimas de estupro, em todas as formas citadas, por outros homens? Claro que isso é nivelar por baixo e responder uma violência com outra violência não se justifica, mas que me ocorre, ah, isso me ocorre.

Anônimo disse...

Po achei que só eu que tinha horror desse comercial da cerveja. Passaram de todos os limites.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Ótimo post, Lola, apesar de já prever os comentários de sempre do tipo "é só uma piada, quando vocês falam de um assunto ruim como estupro eu como homem me sinto ofendido, quem reclama de propaganda não tem humor, é boba, feia e chata e bláblábla", qualquer coisa pra tentar desviar o foco.

Quase não vejo tv aberta e mesmo assim, zapeando, não é raro ver essa propaganda. Me incomodou desde a primeira vez como um assunto sério é transformado em piadinha e ainda em um veículo repetitivo como um comercial de tv, que martela aquilo na cabeça das pessoas todos os dias.

Denunciei para o Conar há alguns meses e outro dia li em algum lugar que após várias denúncias, o conselho liberou, achou que não tem problema. Pelo visto quem está no conselho tem o mesmo perfil de quem faz esse tipo de propaganda, já que empatia passou longe, nem sei se tem mulheres nesse conselho.
Queria ver se fossem homens fazendo isso com outros homens se eles achariam engraçado. Provavelmente seria retirado do ar tão rápido quanto foi aquela campanha da Bombril que ridiculariza os homens. Mas se é mulher sendo rebaixada ou violentada, tudo bem.

Carol disse...

Cara, sempre que passa esse comercial eu mudo de canal, eu não aguento, FOI A PRIMEIRA coisa que eu pensei quando eu vi esse comercial de cerveja, É NOJENTO, nojento.

Anônimo disse...

Lola, sou fã do blog (inclusive compartilhei e iniciei discussão no Facebook sobre este post) e vi que você assiste Mad Men e estou louca pra que você chegue na 5a temporada (mais especificamente os 4 ultimos episódios), um deles merece muito um post seu por se tratar justamente de tudo que vc fala no blog. Quero muito saber a sua opinião :)

Georgeane disse...

Chamei a atenção do meu marido para o comercial da Schin assim que o vi. O mal estar foi imediato.
Ler artigos como o da Lola inflamam uma raiva surda que tenho dentro de mim, me desassossegam porque traduzem minhas emoções mais profundas. Meu horror à violência contra a mulher, meu sentimento de impotência diante de situações onde a maioria apenas ri e me chama de exagerada.
Não quero meus futuros filhos crescendo neste mundo, mas sei que vão. Meu consolo é que serão ensinados desde muito cedo a não acharem isso normal.
Não, Schin, isso não é engraçado! Não Schin, isso não é normal!

Sara disse...

Tb concordo com vc Lola, realmente vivemos uma cultura de estupro, mas de tudo o que mais choca é que homens não se envergonhem de dizer que estuprariam se não fossem punidos criminalmente, isso é assustador, sinceramente nem sei o q pensar sobre isso, só espero que esse quadro um dia mude, e que no futuro os homens nos enxerguem como iguais e consequentemente com mais empatia.

J.M. disse...

Belo post!

Anônimo disse...

baixo um governo militar e os publicitários estariam todos lascados.

Ingrid disse...

Lembro que uma vez estava conversando um com um amigo pelo MSN e ele me contou que um amigo dele fez a garota que ele estava saindo beber bastante pra "facilitar as coisas entre os dois". E ria. Isso faz uns 5 anos, eu não era feminista, não lia seu blog e não fazia ideia que esse tipo de coisa era comum, era muito ingênua. Mas lembro que não sabia o que me chocava mais: um amigo dele ter feito uma coisa dessas ou ele ter me contado isso com tanta naturalidade. Me lembro de ter perguntado "o que aconteceu depois?" e ele ter dito que nada, e que a garota acabou vomitando no carro do amigo. Lembro de ter ficado bem alividada e ter escrito "bem-feito". Foi o máximo que me passou pela cabeça na época. Nunca mais conversei com esse cara, mas essa conversa ficou na minha memória.

alter ego disse...

Fantástico! Imaginemos a propaganda da Schin da seguinte forma: um grupo de gays (claro, não estereotipados) no lugar dos homens e homens héteros no lugar das mulheres... Será que não considerariam a coisa mais abominável do mundo?

Anônimo disse...

O Brasil é um paraíso para o que não presta se frutificar sem freios. Em que outro país propagandas como as descritas no post rodam ao bel prazer dos publicitários? A imagem que me passa de qq curso universitário de marketing e propaganda no Brasil é como sendo escolinha em qq fundo de quintal. Os profissionais se dividem entre cafajestes e bichas que pouco se importam com a imagem feminina; querem mais é alimentar o ego do macho devidamente colonizado.

Mayra Carvalho disse...

Po achei que só eu que tinha horror desse comercial da cerveja. Passaram de todos os limites. [2]

esse comercial e tantos outros, mas o pior dos últimos tempos foi de um carro, acho, que vai fazendo uma linha sobre triunfos e um deles é "o maior triunfo de um solteiro é a prima do interior"... pô! num dá né?

Rosanna Andrade disse...

Lola, as garotas assediadas gritam no comercial, mas aposto que os "politicamente incorretos" acham engracado e defenderiam que elas fazem que nao, mas estao ate gostando.

Gabriela disse...

gente, não é no brasil que propagandas que se utilizam de violência contra a mulher pra vender tem espaço... http://nursingclio.wordpress.com/2012/07/31/domestic-violence-sells/

Josiane Caetano disse...

Lola, sou sua fã! Adoro e concordo com praticamente tudo o que vc escreve por aqui! O dia sem ler um post por aqui fica um tanto sem graça e as considerações que vc fez neste texto de hoje são muito boas e é quase inacreditável que alguém tente rebatê-las!

carolinapaiva disse...

Nossa, O-D-E-I-O essa propaganda da Nova Schin. E o pior é que ninguém parece ver o problema e ela está passando há meses.
Eu não sei se as propagandas sempre foram assim, mas eu é que não me tocava, ou se de uns tempos pra cá o backlash contra as mulheres ficou mais forte. É tanto comercial e piadinhas incentivando estupro ultimamente que eu temo para que haja um retrocesso ainda maior no modo com o estupro é visto.

Jaciara Cássia disse...

Tmb achei que só eu "estivesse sendo chata" e não gostei da porcaria do comercial de cerveja ridículo.

Denise disse...

Lola, a cada dia você se supera mais e mais. Fico tão feliz que tenha gente que nem tu no mundo que chego a ter esperança na humanidade! Texto impecável.

Anônimo disse...

Limite é uma palavra que , com certeza, a mídia em geral não conhece.

Rose disse...

Sobre o comercial da cerveja, há sim pessoas denunciando, mas né? Parece que a cerveja tem mai$$ poder que o preservativo.
Para o anônimo que citou : Anônimo disse...
baixo um governo militar e os publicitários estariam todos lascados.
Lembremos que os milicos costumavam estuprar as presas (fazia parte da tortura introduzir os cacetetes na vagina delas).
Mas o post fala de cultura do estupro. Pois bem, além do estupro ser considerado um crime menor do imaginário masculino (a não ser aqueles casos em que envolve algum parente ou criança), há associado a essa cultura, um estranho movimento da mídia para que não haja a denuncia. Por que a forma como são tratadas as vítimas deixa bem claro que ela estará sendo exposta de uma forma tão humilhante e invasiva. Posso estar exagerando, é verdade, mas prestem atenção como são tratadas as vítimas.
Sei que nem todo homem acha normal estuprar, mas eles sabem que por mais cruel que tenha sido o estupro, haverá sempre alguém (muitos) que se solidarizará com o estuprador. Ao passo que, poucas são as pessoas que fará o mesmo pelas vítimas.
Enfim, que me perdoem os rapazes que certamente não são assim (uns poucos), mas é difícil ver tanta gente achando normal eu ou qualquer outra mulher viver nessa angustia de esperar a próxima humilhação seja ela em forma de comédia, piada ou publicidade.

doltskoi disse...

Deixa eu ver se eu entendí: se o casal tá sozinho, num momento íntimo e reservado, e rola um clima, e durante o clima, o cara resolve impressionar a mulher tirando o sutiã dela, é estupro???É por este motivo que o comercial da Prudence foi censurado???

Ivana Krutinsky disse...

Acho muito bom o seu trabalho no blog. Sou completamente contra qualquer apologia ao estupro, até mesmo na antiga novela das oito como claramente aconteceu um estupro, mas até mesmo mulheres amigas minhas dizendo que era coisa da minha cabeça e que aquilo não foi estupro pois ela estava bêbada e etc!!

Chegou no nível de que mesmo as mulheres CONDENAM as mulheres que foras estupradas, elas mesmas dizem que foi estuprada por que deixou, ou mesmo que não foi estupro.

Eu queria poder fazer mais, queria poder defendem e ajudar, se precisar de algo, pode contar comigo!

Roberto disse...

Puxa, mulheres, é tão simples. Se não gostaram, boicotem estas marcas, porra. Vocês tem poder pra isso, mais do que os homens...

Denise disse...

Olhem isso: http://colunas.revistaepoca.globo.com/mulher7por7/2012/08/01/estuprada-engravidou-e-matou-o-recem-nascido-ela-foi-condenada-o-estuprador-nao/

O mais impressionante é que as criaturas que comentam só conseguem se preocupar com a criança e com o crime da adolescente. Por um passe de mágica, tod@s esqueceram do estupro.

lola aronovich disse...

Doltskoi, vc captou direitinho a essência dos nossos protestos! Vc é brilhante em interpretação de texto, hein? Tá, melhor parar de usar ironia, senão vc não vai entender mesmo. O que tem a ver o sutiã na história? O anúncio da Prudence – que não foi censurado, eles que decidiram tirar do FB, após dezenas de protestos (e, ademais, o troço nem original era; estava circulando na web havia anos, e a marca pegou e usou) – encoraja “sexo sem consentimento”. Essa é a definição de estupro. Ninguém pode fazer “sexo sem consentimento”, e isso inclui casais. Sério, não é tão difícil de entender.

Anônimo disse...

comerciais ofensivos à integridade da mulher veiculam no brasil pq as mulheres da tv são umas vendidas que não abrem a boca em prol de uma sociedade melhor. ana maria braga, marília gabriela, glória perez... e alguma mulher da política tb.

roseanjos disse...

"Ela estava pedindo". Infelizmente essa frase não é dita só por homens. Várias mulheres repetem essa mesma frase. Parece que culpam as outras para se sentirem melhores.
"qual a roupa que você estava vestindo?" Pergunta repetida para várias vítimas de estupro, como se a roupa influenciasse a vontade de estuprar. Não vejo essa pergunta feita para vítimas de assalto.

Ainda consideram o estupro com um crime sexual, mas não é. É crime de ódio. Quem estupra vê a mulher como um ser inferior, sem vontade. Subjuga, humilha, tira o direito de escolha.

A lei mudou? Mas a mentalidade não. E vai perdurar por várias gerações.

Anônimo disse...

há mais de 15 anos Gerard Depardieu estava encantando Hollywwod, fez um filme nos EUA e foi sucesso e tanto... de repente o nome dele sumiu na mídia americana. sumiu. evaporou. motivo eu soube um tempo depois: Depardieu participou de uma curra* qdo jovem e isso vazou em Hollywood e foi o suficiente pro cara ser ignorado e esquecido. há poucos meses qdo catherine deneuve foi aos eua para falar do filme dela com ele, ninguém mencionou depardieu.

*curra = estupro em grupo

Alan disse...

Não apenas o ATUAL comercial da cerveja que é nojento. Todo o comercial de cerveja que "aponta" como prêmio a Loira de biquini, para aquele que beber uma gelada é absurdo. Mulher não é prêmio, mulher não é válvula de escape, mulher não é algo que o homem usa para se divertir. Será que se continuarmos listando o que a mulher não é, os homens percebem o que as mulheres são?

Frida disse...

Será que não dá pra denunciar isso na página da Policia Federal, já que o CONAR não vê mal em veicular esse tipo de comercial?

lola aronovich disse...

Anônimo das 22:34, vc tem mais alguma informação sobre essa acusação ao Depardieu? Por favor, linke, porque não é legal repetir rumores sem nenhum indício.


Roseanjos, vc tem toda a razão, não são só os homens que repetem essas asneiras. Tem muita mulher machista que nem percebe que o que diz vai contra ela mesma.

Frida disse...

" Anônimo disse...
comerciais ofensivos à integridade da mulher veiculam no brasil pq as mulheres da tv são umas vendidas que não abrem a boca em prol de uma sociedade melhor. ana maria braga, marília gabriela, glória perez... e alguma mulher da política tb."
E a culpa recai novamente sobre as mulheres, dessa vez, as famosas.

Anônimo disse...

Oi lola! você é mesmo incrível e inigualável! Realmente vivemos em uma cultura do estupro,eu vivo reclamando disso,da exposição das mulheres e etc e só escuto"vc e guey?" e nada mais... Eu sonho em viver num mundo onde se aprenda desde a infância que homems e mulheres são iguais e q cada um de nos é unico! Para mim qualquer apoio ao estupro e grotesco,afinal usar o corpo de alguem pra sanar desejos de instintos ja é patético! Eu acho absurdo ainda mais a falta de honra dos estupradores ,ja viu alguém tentar estuprar uma lutadora ? já viu tentarem estuprar uma mulher q maior q eles? pois é não pras duas... estupradores são homems sem honra nem qi(pra sederem aos seus instintos patéticos e aos padrões sociais) que deviam ser mortos. Vou me abrir com vc lola... me enoja o aval cultural q o brasil da ao estupro, tipo se fossem gays ou mulheres apalpando homems não rolava ne? Confesso quando vejo uma sena assim já vou logo corrigir... Lola vc acha certo eu me entrometer pra defender as garotas? o lola pq isso continua mesmo com os protestos ,tipo vai precisar de guerra armada? Pq essas propagandas continuam fazendo sucesso? se eu ficasse invisível faria algo bem melhor eu mataria estupradores,mascus,e corruptos! duas duvidas lola 1 vc sabia que existe uma mulher q estuprou um homem... joga no google e ache

2 uma garota de 14 anos me beijou na boca a força quando eu tinha 10 anos que vc acha? apoia ,penssa q estupro ... q vc acha?

ass arthur nerd e fan da lola

Pregui (ça) da Vida disse...

Você não falou nada além da verdade, Lola.

Vivian disse...

Também não gosto nadinha dos comerciais de cerveja, mas esse da Schin está muito escancarado que cerveja é só pra homem.

Acabei de mandar email pra eles com esse link e minha opinião sobre essa propaganda cretina. Pessoal, façam o mesmo.
Veremos o que vai dar.

Página no FB da agência de publicidade que criou a peça:
http://www.facebook.com/LeoBurnettBrasil?sk=wall&filter=12

Sites Schin e Ambev:

http://www.schincariol.com.br/index.php/site/fale-conosco

http://www.ambev.com.br/pt-br/a-ambev/canais-de-comunicacao/fale-conosco

Anônimo disse...

Não, não tenho mais informação do que aquilo que escrevi e quem me contou isso foi um brasileiro naturalizado francês morando na frança há uns 30 anos e bem entrosado com a alta classe, inclusive era amigo do motorista que dirigia o carro de qdo Princesa Diana morreu... o motorista estava de folga, era o niver da filha dele, mas Dodi o requisitou. E dar provas sobre Depardieu, como vc gostaria, fica difícil pq ele é francês e tem força na mídia francesa que não é livre como a mídia americana. Mas vc pode deletar meus comentários sobre Depardieu, eu sei que é verdade o que relatei.

Mel disse...

Eu também não tinha gostado do comercial da schin. Parabéns pela maneira lúcida com que vc tratou esse assunto!

Victor Ângelo disse...

Adorei o seu texto, sempre fui contra o preconceito, contra o machismo, mas só estou realmente tendo ideia de contra oque estou lutando, com o seu blog, graças a você.
Obrigado por me faze rum homem mais consciente, um homem melhor.

Grissom's Girl disse...

Um dos textos mais coerentes que li nos últimos dias. E a propaganda da cerveja me deixou enojada. Não consigo entender como ela ainda está passando.

Beatriz disse...

Fiquei absolutamente chocada com a propaganda da Prudence! É uma incitação clara ao estupro. Hoje ouvindo rádio escutei uma música que me deixou besta também, é um sertanejo universitário da pior qualidade, coloco a letra abaixo pra não me extender em longas explicações:

"Ei, qual é o seu nome?
Ela não quis me falar!
Perguntei “cê” tá sozinha?
To, só com guaraná!
Vi que a coisa tá difícil
Pensei, vou ter que apelar
Vou chamar meus três amigos
Pra poder te conquistar…

Tequila, Whisky e Vodka
Tequila, com esse trio eu sei que eu vou te pegar"

Tataya Mello disse...

Esse comercial é só um exemplo entre vários produtos, programas e músicas em que somos bombardeados com essa cultura do lixo! O último caso horroroso foi o da americana Jenn Gibbons, escritora do blog “1,500 milhas de caridade”, que foi estuprada por um homem que acompanhava suas postagens pela web. Um absurdo !!! Se a moda pega hein, aonde vamos chegar ???

Siena disse...

Infelizmente eu pensava, na época que vi essa propaganda, que ''ta na tv, então não posso fazer nada''. Mas achei muito estranho homens entrarem num vestuário feminino e isso estar na tv como normal.
Já disse isso uma vez e vou dizer outra, o mais triste disso tudo é ninguém perceber o absurdo. =\

dantezcoman disse...

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=504271686266649&set=a.453476988012786.126621.176821912344963&type=1

E o da Schin não vai ser a última peça cretina dessa agência.

Anônimo disse...

Olá!

Gostaria de opinar que acho o seu posicionamento com conicçoes apaixonadas (por que não seria, afinla de contas, estamos falando da integridade da mulher) mas acho é essa mesma paixão que te faz radicalizar um pouco as coisas. Essa postura de ''ouvc ta num time ou no outro'' força as pessoas ou a concordarem com tudo o que vc fala sob pena de serem os inimigos ou pró-estupro. A moral constrói em casa, nao é uma propanda de cerveja que vai cria uma cultura brasileira do estupro. Paises com baizos indices fazem comerciais igualmente grotescos.

Josy disse...

Olá eu acredito que há também uma banalização do estupro. Nem só os homens acreditam que idéias contrárias aos padrões machistas são idéias bestas, mulheres também. Pegando ônibus, sempre escuto as conversas de mulheres que comentando a vestimenta de outra mulher dizem: essa daí quer ser estuprada!...Mães que dizem às meninas para não brincarem com meninos pq é feio...são tantas práticas diárias que escreveria um livro. Sou mãe de dois meninos e pesa em mim a responsabilidade de ensinar-lhes a viver em sociedade sem invadir espaços e respeitar direitos.

yulia2 disse...

''Puxa, mulheres, é tão simples.
Se não gostaram, boicotem estas marcas, porra.
Vocês tem poder pra isso, mais do que os homens.''


boicote não basta...
tem que gritar e berrar o nosso repúdio
e eles tem que saber sim que incentivaram um
crime!
e quem compra essa porcaria?nunca comprei isso...


Denise, infelizmente o Brasil não está longe
dessa barbárie... não faz muito tempo um pedófilo
estuprou uma menina de 9 anos que engravidou, esta
abortou é claro... e o que houve?
ela e a sua mãe foram excomungadas da igreja
e o pedófilo não.

Anônimo disse...

nos USA basta um comercial ofender a um grupo e esse grupo levantar a voz que o comercial cai fora rapidinho... um exemplo foi um da Victoria Secrets com Bob Dylan e uma modelo ainda adolesscente ou com cara de adolescente, breasileira... o comercial, sem palavras, incitava a lascívia sexual entre homem idoso e adolescente. há outros casos que a gente estuda na faculdade de administração de empresas (marketing e propaganda faz parte do curso), mas no momento o que citei é o que me lembro claramente.

e comercial de cerveja somente após as 22h e no comercial não pode aparecer ninguém bebendo a cerveja e nem vinho.

Frida disse...

" Anônimo disse...
Olá!

Gostaria de opinar que acho o seu posicionamento com conicçoes apaixonadas (por que não seria, afinla de contas, estamos falando da integridade da mulher) mas acho é essa mesma paixão que te faz radicalizar um pouco as coisas. Essa postura de ''ouvc ta num time ou no outro'' força as pessoas ou a concordarem com tudo o que vc fala sob pena de serem os inimigos ou pró-estupro. A moral constrói em casa, nao é uma propanda de cerveja que vai cria uma cultura brasileira do estupro. Paises com baizos indices fazem comerciais igualmente grotescos."

Realmente a propaganda, por si só, não cria a cultura do estupro no Brasil visto que a cultura do estupro não é exclusividade nossa, é um problema global, que persiste há vários milênios. Mas ela reafirma que o desrespeito com o corpo da mulher é algo natural, brincalhão, aceitável e DESEJÁVEL.
Mas não é apenas uma propaganda 'dizendo' que passar a mão numa mulher quando se tem oportunidade (quando ela está de alguma forma vulnerável) é aceitável e uma espécie de 'sonho de todo macho'.
Se o assunto fosse pedofilia, você acha que seria 'certo' veicular propagandas fazendo apologia a pedofilia? Há um certo consenso que nos diz que pedofilia é um crime e quem o pratica é um criminoso e provavelmente culpado (acho que nesse aspecto meninas também levam desvantagem, pois costumam ser acusadas de 'precoces'). Quem não denuncia pedofilia está a favor ou contra a prática? Ajuda a vitima ou o culpado?

MonaLisa disse...

Sempre que vem com essa palhaçada de 'instintos masculinos', eu digo logo que as índias andam todas peladas e os índios não estupram elas e ai pergunto se os índios então não são homens? E a discussão se encerra ali pq se acaba os argumentos dos estupradores e seus defensores.

Quando é mulher que vem com esse argumentinho, eu digo que ela provavelmente gosta de ser estuprada e nem percebe.

Já sofri algumas tentativas de estupro, em situações de que eu me coloquei. Com desconhecidos,pensavam que eu era prostituta, mas eu logo começava a dar meus surtos e eles se assustavam e me deixavam. Mas com conhecidos, amigos, a conversa era de outro jeito, tentaram forçar a barra de todo o jeito, me ameaçando de morte, ameaçando a minha familia, literalmente, os 'amigos' que conhecida se transformavam no monstro, daquele filme O médico e o monstro.

E comparando com a minha 'experiencia' batem exatamente com as estatísticas, bem mais fácil ser estuprada por um conhecido do que por um desconhecido. Eu não leio seu blog há mto tempo e nem conhecia o feminismo, mas desde quando eu era mais nova e baladeira, eu conhecia e me prevenia contras as artimanhas desses fdp.

Eu queria ter uma marca de cerveja agora, rsrs, iria mandar fazer um comercial a lá Doce Vingança, enfiando uma espingarda no rabo do estuprador ou cortando o pau dele e queria ver se eles iam rir tbm.

Abraços Lola. ^^

Anônimo disse...

Lola, eu sei que soa fora de contexto, mas eu queria pedir que você desse uma olhadinha nesse vídeo quando tiver um tempinho, porque assim que eu vi lembrei do seu blog (que sempre leio) e queria tua opinião sobre ele (: um beijo!
http://www.youtube.com/watch?v=dcGD72Hd_lY

Iuri Lammel disse...

Lola, procure por "rape" neste post aqui sobre o Depardieu: http://www.independent.co.uk/news/people/profiles/the-big-cheese-the-crazy-life-of-grard-depardieu-2275521.html

Pelo que entendi, ele participou de um ato de estupro com um grupo de jovens, mas o Depardieu teria apenas 9 anos de idade quando ocorreu o ato.

lola aronovich disse...

A Iara, no Twitter, me passou um link falando dessa história do Gerard Depardieu que o anônimo levantou. Está em espanhol. Parece que, em 91, quando ele foi indicado por Oscar por Cyrano, um de seus maiores sucessos, ele deu uma entrevista pra revista Time, falando de sua infância e juventude, quando, segundo ele, ele roubava carros e participava de gang rapes. Depois ele disse que isso foi problema de tradução. Mas ele afirma que isso afetou sua carreira nos EUA e lhe custou o Oscar. Encontrei mais algumas coisinhas:

Aqui a polêmica entrevista que ele deu pra Time em 91 (mas pra ler o artigo inteiro tem que ser assinante ou estar registrado, coisa que não sou/não estou): http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,972680,00.html

There is still argument over the following horrifying remark from Gerard Depardieu: "I don't understand why rape is seen as bad in this country. In [France], I've raped several women." Was it a foreign language-based misunderstanding? Or did he mean it? Depardieu was once quoted in a Time magazine story suggesting he'd participated in a group rape at age nine - a mistake, it was later decided, due to a misinterpretation of what he had said in French. He's reportedly been far more careful about insisting upon accurate translations ever since.
http://webcenters.netscape.compuserve.com/celebrity/becksmith.jsp?p=bsf_footinmouth

Isso eu vi num forum:
We all know Depardieu spent the best years of his youth in jail where his salad was tossed so many times… But few know WHY he was sent to jail. Depardieu likes to drink; most of the time too much… One day, as he was interviewed by an American TV-hostess, Gérard had too much to drink and began to reveal his past. He told this TV person:
"When I was young it was funny, me and my friends, to pick a young girl and "partouze" her a little…"
The TV person asked him if the young girl was willing… And Gérard answered:
"Not really… But it's more fun when it's like a rape!"
That's why he never became a star in the USA…

Outro coment no fórum: Most of you probably are not aware that French film actor Gerard Depardieu took part in a gang rape at the age of 19. When questioned about this several year ago he replied it wasn't a big deal. Please boycott this actor's films as well as actresses who have appeared with him. Unfortunately this includes Whoopie Goldberg. I thought she knew better.

Outro: I seem to remember this being a pure mistake in translation. When asked once about gang rapes around his hometown--it's Chateauroux, right?), Depardieu answered, "oui, j'y ai assiste." This got translated into English in Time magazine as "I helped in a gang rape."
A great and versatile actor who ought to lay off the food and the booze.

Fico chocada porque nunca tinha ouvido falar de nada disso...

Drica Leal disse...

Vamos fingir que ninguém percebeu que "arthur nerd e fan da lola" é um mascutroll tentando fazer a Lola ou demais feministas do blog caírem em contradição com seus questionamentozinhos nada a ver em vários posts? Prestem atenção em como as opiniões dele são forçadas, contraditórias.

Moço, pode desistir que não tá funcionando, pegadinhas muito mal elaboradas essas suas.

Next!

Luiza disse...

Achei isto sobre o Gerard Depardieu: " (...) Pialat será de grande ajuda a Depardieu quando, em 4 de fevereiro de 1991, a um passo do Oscar pelo filme Cyrano de Bergerac, a revista americana Time lhe preparar uma verdadeira armadilha, publicando um artigo, assinado por Richard Carliss, no qual transcreve entre aspas declarações do ator de que ele teria participado de seu primeiro estupro aos nove anos e teria cometido outros em seguida. Uma campanha violenta na imprensa priva Depardieu da estatueta tão desejada. Algum tempo depois, o jornalista Paul Chukrow reconstrói a verdade com base na gravação da entrevista: trata-se efetivamente de uma manipulação da tradução do francês para o inglês. Na realidade, o ator dissera que, depois de ter assistido a um estupro, desgostoso, resolveu abandonar Châteauroux, sua cidade-natal."

Anônimo disse...

bem, Lola, até me sinto melhor por saber que o caso Depardieu te chocou e meu comentário não passa por banal...

Anônimo disse...

Depardieu é sim ótimo ator, mas é mau caráter e o filho dele não fica atrás. Sorry Depardieu's fans.

Alexandre Lancaster disse...

O detalhe é que a cena foi feita para deixar claro o quanto o cara era perverso – não foi uma cena fetichista. E isso não está sendo levado em conta por quem viu.
Se pensarmos bem, isso é assustador.

Anônimo disse...

boa noite senhoras
obvio que uma cultura que objetifica o corpo feminino,não pode ser saudável, e poe mulheres em risco,não da para excluir os homens desta questão, e focar só no comportamento feminista, pois são os homens que estupram, então as questões são:

1 os homens tem atração pelo corpo feminino, atração natural não estimulada, alguns com sérios transtornos de comportamento não controlam este instinto, o que fazer ?

2 não ! os homens não deixaram de sentirem atração por mulheres, não importa o condicionamento social que recebam, sentir atração pelo sexo oposto e algo biológico para os homens,e não uma " construção social" E ISTO NÃO VAI MUDAR,de posse deste fato,e sabendo também que eles não vão sumir no ar, como pretendem conviver com a outra metade da raça humana ?

3 como pretendem criar seus filhos do sexo masculino, levando-se em conta que as senhoras estão criando possíveis estupradores?( o inimigo)


4levando-se em conta que a maioria aqui e contra a pena de morte
( ceio eu) como reeducar um estuprador compulsivo?

5 entrando em contato com tudo que e exposto neste espaço, de forma verdadeira, como as senhoras convivem com os homens próximos as senhoras no seus cotidianos ?

6- as senhoras são a favor da separação inteligente de generos em ambientes comuns ?
ou de leis mais eficazes para conter o instinto sexual masculino ?

são perguntas chatas, e muitas aqui dirão que são irrelevantes para o espaço, que e dedicado a assuntos femininos, justo !
mas sendo o homens considerados os causadores de todos os males sobre as mulheres, não passa por "o que fazer com eles" as respostas, e não somente sobre o status quo feminista ?

Anônimo disse...

http://www.clarin.com/espectaculos/personajes/Cuba-Gooding-Jr-enfrenta-cargos_0_747525515.html

Lola, del diario de Bs.As. El Clarín.

Anônimo disse...

homem que estupra (no sentido largo da lei)assina atestado de incompetente acima de tudo. quer apenas se masturbar em cima do terror alheio. não sabe ser homem (no sentido de ser humano), não sabe conquistar, não sabe conviver, não sabe ser interessante e aí quer pegar à força. não, amigão, estuprador não é über macho.

Demian Machado disse...

Também já ouvi falar desse episódio do Depardieu, que teria surgido a partir de um erro de tradução de uma entrevista do Francês pro inglês. O cara admitir que participava de estupros coletivos na juventude em uma entrevista para promover o filme Cyrano não faz sentido.
Polêmica paralela á parte, parabéns pelo post.

Chamadas á realidade como essa são essenciais quando todos estão dormindo e nem precebem a cultura de estupro em que vivem.

Anônimo disse...

Às vezes dá vontade de sumir desse mundo. Tudo isso por quê? Porque nos vêem como objetos. E a publicidade só endossa. Uma vez conversava com um cara com quem estava ficando sobre como meu pai era um "galinha" contumaz e tinha se acalmado com o casamento, assumindo comigo uma postura que eu considerava altamente machista - hoje já vejo diferente, acho que muitas vezes ele foi apenas protetor. Do nada, aquele ser virou e me disse: "Agora é fornecedor, né, sabe como são os caras". É, pra ele meu pai era um fornecedor. O que devia me qualificar como um produto. Preferivelmente, pra consumo imediato. Pouco depois disso (claro, depois de transarmos) ele deu no pé. Naquele dia engoli em seco. Hoje só me arrependo - e muito - de não ter dado aquele soco merecido na cara.

Rose disse...

Analisando de uma forma bem simplista os comercias, chega-se a seguinte conclusão:
Fantasia dos homens - Estuprar, pelo menos uma vez na vida, uma mulher
Fantasia das mulheres. Encontrar um homem que saiba a diferença entre sexo e estupro
Me parece que a primeira fantasia está se tornando realidade em detrimento da segunda.

Rose disse...

Em tempo: Usei fantasia no comentário anterior, mas era pra ter escrito desejo.

Raphael disse...

No A. Santos Dumont recebo um cupom de brinde vale revista. Vou no stand pegar a revista e a moça - sem me deixar escolher - já vai me passando uma de mulher pelada. Pode essa pouca vergonha?

Peguei a revista sobre dinheiro >:}

Anônimo disse...

So nao concordo em chamar aquela bebida de "cerveja"....

Leio Lola Leio disse...

O Gérard Depardieu fez um FILME na década de 70 chamado Les Valseuses (o título em português é Corações Loucos) no qual ele e outros rapazes estupram mulheres (lembrei do Laranja Mecânica quando o assisti, mas achei as cenas do filme do Gérard mais pesadas, mas,ao meu ver, o filme não estimula tal comportamento, o grupo é tido como desajustado, enfim): http://www.imdb.com/title/tt0072353/

Ariadne Melo disse...

Sobre o mito de que estupro só acontece na calada da noite por desconhecidos, queria destacar o site http://retratodaviolencia.org/, ganhador do prêmio Decoders W3C RS (não faço parte da equipe ganhadora, apenas gostei do trabalho :).

O site utiliza os dados do Portal de Transparência do governo do estado, onde é possível ver que em quase todas as microregiões do estado mais da metade dos estupros acontecem de dia e a maioria dentro de casa.

Vamos torcer para esse projeto se expandir para todos os estados do país.

Anônimo disse...

Olá, Lola!

Ótimo texto! Fico indignada por essa propaganda horrível ainda estar no ar, depois de tantos meses e tantos protestos na internet. Aparentemente a marca não está nem aí com o fato de ser associada a estupro.

Agora, uma dúvida. Vejo você sempre falar em "cultura do estupro", e realmente concordo com a sua linha de raciocínio (a sociedade corrobora o estupro). E, de resto, me parece que é mais ou menos como a Natascha Kampusch relata em "3096 dias": a sociedade precisa de uma personificação hiperbólica do mal (no caso do estupro, esses estupradores particularmente cruéis e violentos que estupram e assassinam crianças ou mulheres "puras") para que não precise olhar para a maldade do dia a dia, continuamente praticada e aceita (os maridos, namorados ou parceiros eventuais que praticam o tal do estupro "justificado"; os irmãos mais velhos que estupram suas irmãs porque elas andavam de camisola pela casa, etc.). O que me inquieta é apenas o termo "cultura"; já que, a meu ver, a aceitação do estupro de mulheres é característica de praticamente todos os povos, em todos os tempos, mudando apenas algumas configurações (p. ex., aqui aceita-se menos o estupro coletivo da mulher adúltera que em países onde a cultura muçulmana é dominante).

Ficaria muito feliz se você pudesse explicar o uso do termo "cultura" nesse caso.

Abração!

A Line

doltskoi disse...

" O anúncio da Prudence... encoraja “sexo sem consentimento”."

Agora, entendí: “impressionar a mulher durante o clima quente tirando a roupa dela” = “sexo sem contentmento”...E eu que pensei que isso fosse parte das preliminares...

Agora, captei direitinho, né?

Bruna B. disse...

Anônimo das 02:10


Suas perguntas seriam pertinentes se não ignorassem que:
- Nem todo homem sente atração 'natural' pelo corpo feminino;
- Mulheres heterossexuais também sentem atração pelo corpo masculino;
-Estupro não é sexo, é instrumento de dominação, utilizado para humilhar a mulher e mantê-la no lugar que convém ao machismo. Em alguns lugares o estupro é arma de guerra;
- O ser humano é um animal RACIONAL, logo, não se trata de uma criatura que não consegue dominar seus impulsos;
- As feministas não desejam 'castrar' ninguém, apenas queremos ter o nosso direito de dizer 'sim' ou 'não' respeitado;
- Sentir atração pelo sexo oposto não é algo biológico. Dizendo isso você é heteronormativo e ignora a cultura onde estamos inseridos e a questão de identidade sexual e de gênero; Você ignora bissexuais, homossexuais, transgêneros, transsexuais... como se eles simplesmente não existissem;
- Não existe estuprador compulsivo, existe uma cultura de estupro, existe a crença machista de que a mulher é objeto sexual do homem, existem pessoas que são educadas de forma misógina.



A única medida efetiva anti-estupro é mostrar aos homens que somos seres humanos... E é por isso que nós batemos nessa tecla 'devemos ensinar os homens a não estuprar, devemos ensinar à eles que mulher também é gente.

Lorena disse...

Doltstoki,

não, a gente que entendeu direitinho agora. Vc não sabe ler! Analfabetismo funcional é mesmo um problema sério no Brasil. Mas existe educação de adultos, viu?? É só procurar um curso, praticar bem sua leitura, que você consegue decifrar o código. Não se preocupe, pro seu problema há solução! (ou não).

Lola, parabéns e obrigada pelo post. Lamentável é que mesmo lendo esse post altamente explicativo, ainda tem muita gente que vai chegar aqui dizendo que a cultura do estupro não existe ou que ela não é responsável pela banalização do crime.

Lorena disse...

Ops, acho que digitei o nome do troll errado, é doltskoi (vai que ele não compreende que é com ele que eu estava falando...).

Mihh disse...

doltskoi


Se você está num clima quente com uma mulher, acho impossível que ela se surpreenda com a roupa ser tirada.
Mas você provavelmente nunca esteve num clima quente com uma mulher para saber como é.

Conta uma coisa, pensar dói tanto assim?

Bruna B. disse...

doltskoi


Que bosta de ser humano não consegue diferenciar o que é consentido e o que não é?

Vou desenhar pra ti, gênio:

Se eu tirar tua roupa sem o teu consentimento, É ESTUPRO. Se eu enfiar uma cenoura de 25cm no teu ânus sem o teu consentimento, É ESTUPRO. Todo ato sexual que não é consentido É ESTUPRO.

Conseguiu entender?

Liana hc disse...

A cultura de estupro existe mesmo e é perversa. Já está internalizado e naturalizado dentro de muita gente.

Já perdi a conta de quantas colegas minhas foram vítimas de "sexo forçado", seja por companheiros, colegas ou estranhos, e mesmo assim não chamariam aquilo de estupro. No máximo que ficaram chateadas com a atitude do cara, mas não querem aceitar a dimensão do ocorreu. E depois falam aliviadas que nunca foram estupradas.

Assim como já perdi a conta de quantas vezes escutei conhecidOs admitindo que deu bebida (às vezes 'batizada') já na intenção de "tirar proveito" dela, passou a mão, "forçou sexo", que "só insistiu um pouquinho", em tom de piada ou como algo normal. E fotografar e/ou filmar escondido também tá se tornando cada vez mais comum e aceitável.

Fora os comentários do tipo "quando eu era mais novo, eu fiz a e b com mulheres", enquanto pensam na filhA pequena que tem dentro de casa e no quanto tem de homens que também pensam e fazem a e b com mulheres por aí.

Um espaço pra chamar de meu disse...

Confesso que não havia reparado nessa conotação do comercial da Nova Schin!Vc observou muito bem!
Comecei a saber que estupro não era só em becos em muitos filmes americanos, com cenas de meninas na faculdade sendo forçadas a transarem com seu namorados... e sempre que o garoto era pego tinha essa discussão "ela queria", "ela tava gostando", absurdo! E creio que ainda hj muitas mulheres sejam estupradas por seus próprios maridos!É preciso abrir os olhos!!!

Leandro Ferreira disse...

Humorista, por mim, pode falar de estupro, abuso de menor, racisto, etc e etc; humor é um bom jeito de trazer um assunto à tona.

Mas o seu post não poderia estar mais certo, é um problema muito sério e eu, sinceramente, me sinto como se tivesse tirando minhas vendas. Parabéns pelo ótimo jeito de expôr a sua opinião e a de muitas mulheres.

Dayane disse...

É muito,muito triste vermos isso acontecer e passar batido, cm uma brincadeira. Uma vez conversando com m eu namorado ele disse que nunca se fala aos homnes o que é um estupro e a visão que eles tem é essa mesma: psicopatas, becos escuros, violência.

Anônimo disse...

Muitas vezes o estupro ocorre dentro de casa mesmo. Minha sobrinha foi estuprada pelo pai, foi provado e nada aconteceu com o cara até agora. Considero minha irmã tão culpado quanto esse cara, pois ela defende esse individuo. E o que é pior, o cara tem um amigo no Conselho Tutelar que sempre avisa o estuprador quando alguma sentença está pra sair.... o que fazer numa situação dessas...?

Daniele Gross disse...

Acho que a gente tem que perder um pouco essa mania de achar que certas coisas acontecem apenas no Brasil... essa cultura do estupro é meio que generalizada... quer prova maior do que uma sociedade que idolatra Roman Polanski???? Ele, um estuprador condenado, que se refugiou em um país que não tem acordo diplomático com os EUA... e o que o mundo faz? Aplaude!!! "Ah! Meu... é verdade, né? Ele estuprou uma garota de 13 anos... mas, meu... o cara é um gênio!!". Traduzindo: a genialidade cinematográfica do Polanski passa por cima de um estupro...

Anônimo disse...

O que pensar quando uma blogueira escreve um post criticando uma propaganda que faz piadinha com violência sexual e aparece um zé mané achando que reclamar de uma cultura que faz uma coisa dessas é querer que o desejo sexual dos homens pelas mulheres acabe.
É tão difícil pra certos homens perceberem que desejo sexual é uma coisa e estupro é outra?
Vc pode sentir desejo sexual por todas as mulheres que passarem na sua frente, desde que não faça mal a nenhuma delas. Tentar se aproximar é uma coisa, fazer qualquer coisa que ignore o desejo e o consentimento dela é outra.
É tão difícil entender? Viram um exemplo do que a cultura do estupro faz?

Karla disse...

Lola e demais comentaristas, não sou formada em Direito, mas tenho a impressão de que fazer apologia pública de um crime também é crime. Artigo 287 do Código Penal:
Art. 287 - Fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime: Citado por 43

Pena - detenção, de três a seis meses, ou multa.

Aqui tem o link da Ouvidoria do Ministério Público do RJ, onde a gente pode fazer uma denúncia: http://www.mp.rj.gov.br/portal/page/portal/Internet/Cidadao/Ouvidoria_Geral

Rena disse...

Gente, outra propaganda que também propaga essa cultura é a da cerveja Itaipava. http://www.youtube.com/watch?v=FZOFOg6T6rA
O slogan é que a cerveja é 100%, então o comercial fala do que seria 100% para várias pessoas, até que cita um homem solteiro e fala que 100% pra ele é a prima do interior... como se ele pudesse usar e abusar dela por ser mulher e por ser do interior. Credo!

geane disse...

Oi, foi muito bom ler isso!!
Eu qdo adolescente fui vitima de tentativa de estupro do meu tio paterno e de fato o que mais escutei e ainda escuto é que a mulher é a verdadeira culpada de deixar acontecer, as desculpas são as mesmas as roupas ou então falam q são desligadas demais....ao ponto de serem ingenuas ..., mas isso, é realmente que a sociedade prega! Desculpas roteiros, publicam filmes, matérias, propagandas (e todas elas vem com o comentário, até mesmo do público que as assistem). E o filme que vc falou.....tinha época q eu n o assitia exatamente pela cena de estupro...achei ridiculo tudo, mas a maioria se cala ao ver uma cena dessa ao inves de recriminar e o pior.... muitas vezes são as próprias mulheres que falam p as vitimas que elas são culpadas!!!
NOJENTOOO

Martinha disse...

Texto muito bom. Cinema, novela e publicidade fazem um deserviço ao desenvolvimento feminino ha anos. Havia um comercial que me dava asco... tb de cerveja (porque será) em que o cara ia tirando o rotulo da cerveja e a mulher ia ficando pelada... dá pra acreditar?? E alcool e violência não dizem nada? E enquanto as mulheres forem objetos so homens se sentem mais seguros... garanto que não gostam qdo se tornam alvo dos desejos das mais firmes ou perversas.

WERNER FIGUEIREDO disse...

Mandou muito bem.Há outra questão no comercial da cerveja: a fantasia de poder se tornar invisível e assim poder entrar no banheiro feminino é ideia de moleque. Num comercial de produto com alcool, ou seja direcionado a um público supostamente adulto. Pergunto, esse conteúdo decorre de uma infantilização do público adulto ou é indicativo de um direcionamento disfarçado a menores de idade no apelo publicitário? Quem cria e aprova uma peça pública de comunicação tem o dever e a responsabilidade de considerar e repensar ao máximo as possíveis leituras, repercussões e efeitos do que e veiculando. Depois, se fingir de ingênuo e dizer "oh, nós não reparamos que havia essa conotação de estupro" beira o ridículo, ainda mais num caso tão evidente como o das camisinhas. Todos envolvidos na produção e veiculação ganham muito bem justamente pra isso.

Anônimo disse...

Comercial podre mesmo,esse da cerveja,pior que quando chamei a atenção pro fato,no trabalho,fui chamada de radical =/ enfim...dá vontade de sumir desse mundo.

OFF:A maior prova do quanto os homens sabem como são sacanas/fuleiros/escrotos com as mulheres é o fato de que a maioria morre de medo de ser pai de menina e quando o é,muda de postura rapidinho,pq ele sabe,ele sabe MUITO bem do que o sexo dele é capaz de fazer com uma mulher,ela querendo ou não.

OFF2:dia desses tava rolando na net um vídeo de um estuprador sendo currado na cadeia e,diga-se de passagem,o algoz dele parecia estar gostando muito do ato,isso pra mim,só corrobora o que penso sobre essa tal "justiça" ocorrida nas cadeias,ela passa bem longe de ocorrer pelo fato dos caras acharem errado estuprar e o "engraçado" que esse é o principal argumento,já foi muito usado aqui por mascuzões,pra afirmar que os homens "normais"abominam sim o estupro,que estupro é coisa de doente,ham ham...



Cética.

Anônimo disse...

Ouvi uma ótima: "Claro que mulher gosta de macho alfa... alfabetizado. Por isso que os mascus não entendem, são analfabetos funcionais. Não dá para ter uma discussão proveitosa com eles." - dito por um colega de trabalho.

Anônimo disse...

esse comercial da Schin é bem focado no homem comum,de toda casa brasileira:chucro,machista,que acha que a mulher é propriedade sua.

BASTA!

Anônimo disse...

O comercial é, de fato, inadequado. Realmente, você tem razão.

Agora, não generalize dizendo que "publicitário é um bicho arrogante e egocêntrico".

Nós criamos em cima de briefing e expectativas prévias dos clientes. E a expectativa geral diz: não mude a realidade, concorde com ela.

Então, esquerdinha, munde a realidade que passaremos a concordar com ela.

Com pouquíssima estima.

Anônimo disse...

Meu Deus, eu nao acredito que eu li esse post inteiro e no final todos meus argumentos foram rebatidos antes mesmo de da-los. Droga rs.... Violencia sexual é algo muito grave, invasivo - mas temos que ser comedidos em criticar. É facil dizer que o Zorra Total faz apologia num quadro que mostra uma mulher sendo bulinada no metrô mas não dizer que mulher que rebola semi nua em pleno domingo de familia não incita esse mesmo pensamento de violencia sexual. Ah, mas nesse caso, ha quem diga, é seu direito de fazer o que quiser com seu corpo. Considero uma faca de dois gumes.
.
As pessoas tendenciam a ver maldade em tudo. Não acho que brincar de ser invisivel seja um pensamento tao prostituido assim. Quem nunca quis??? Seja pra ouvir uma fofoca, roubar um banco e ficar milhonario ou espionar o sexo oposto??? É fantasioso e nada mais que isso. É só isso. Nao da pra ficar invisivel. Mas e se pudesse, o faria??? NAO. Esse pensamento é psicótico. É notório daqueles que estupram crianças ou doentes mentais porque esses nao conseguem denuncia-lo.
.
Enfim nao gosto de ver maldade em tudo. Acho valido o post pra refletir mas nao posso ser severo com esse tipo de comercial que é vendido por homens que inseridos em uma sociedade (homem e mulher) que pregam a sexualidade ate em propaganda de produtos infantis, como o comercial americano que provocava ereção em um menininho de tres anos para poder vender sei la o que.
.
E nao podemos negar que a maior vilã pela exautação do corpo é a propria mulher. Seja a modelo, a atriz ou a prostituta, que o oferta a praça publica. Mulheres sofrem consequencias da sua propria classe. Da sua exposição desmedida. Ou vc acha que quem causa audiencia no Panico e na praça é nossa é o bóla e o carlos alberto???
.
Acusar é facil. Assumir culpa participativa que é dificil.
.
E outra, nao é porque jogo um jogo de tiro que saio matando pessoas. De igual sorte nao é um comercial que vai determinar se sairei por ai estuprando pessoas.
.
Pense nisso tambem.

Sara disse...

Ouvi uma ótima: "Claro que mulher gosta de macho alfa... alfabetizado. Por isso que os mascus não entendem, são analfabetos funcionais.[2]

Anonim@ das 11.40hs essa foi mais uma pérola que só se vê por aqui rrrsss.

Juli disse...

Apesar dos pesares, eu fico feliz com esses posts, o volume de comentários e o pessoal disposto a denunciar essas propaganda. O machismo não necessariamente tem aumentado, mas a consciência e o combate contra ele sim. Só gostaria de ver mais homens nessa luta, mas não tem problema não. Quanto mais as mulheres tiverem consciência de quem são, não objetos, mas seres humanos, mais a sociedade terá que se dobrar a nós

Anônimo disse...

"Nós criamos em cima de briefing e expectativas prévias dos clientes. E a expectativa geral diz: não mude a realidade, concorde com ela.

Então, esquerdinha, mude a realidade que passaremos a concordar com ela."

Publicitário falando merda detectado.
Então enquanto continuar existindo estupro e conivência com ele, vocês vão continuar concordar com essa realidade e elaborando peças que digam isso?
Cara, vc é uma vergonha e um criminoso se anda concordando e colaborando com essa realidade.

João Paulo de Seixas disse...

Muitas verdades e alguns exageros...

Anônimo disse...

O texto abaixo foi escrito em cima dessa concepção que coloca a mulher muito mais como cumplice do que como vítima,o estupro é algo inaceitável, cruel e distrutivo.
conheço casos de pessoas que nunca se recuperaram do trauma,
e por mais terrivel que possa parecer é muito pior.
precisamos fazer a nossa parte educando os nossos filhos (as) a simplismente respeitar o próximo.

VADIA

Quanto tempo se passou
Depois que tudo aconteceu,
Às vezes eu me pergunto
Será que me esqueceu
Lembro de tantos detalhes
Vejo tudo em confusão
A luz turva o desespero
Toda aquela possessão
Depois meu corpo
Suado, todo sujo e ensanguentado
Será que agiria assim
Se estivesse apaixonado
Eu fico me perguntando
Onde eu posso ter errado
Se eu não estivesse ali
Não terias me encontrado
Será que foi por meu erro
Que ao acaso me entreguei
NÃO, A CULPA É TODA SUA
EU NÃO ME VIOLENTEI.

Mila souza

Anônimo disse...

Nos EUA quem lesa o imposto de renda e quem estupra tá FERRA-DÍSSI-MO. a coisa é muito séria mesmo.

Camila Rodrigues disse...

culpa da sociedade que expõem nossas criaças como sexi simbol, alimentando a mente sádica de pervertidos que crescem achando que mulher é isso mesmo, objeto sexual.
temos que fazer sempre a nossa parte denunciando e pentelhando a vida desse povo alienado que acha que tudo é samba.
e lutar contra a sexualização descontrolada nos meios de comunicação.
é difícil num País pedófio como o brasil em que nossas crianças são educadas pra serem mulher fruta e nossos meninos playboys sem educaçaõ.

Anônimo disse...

ai que cara de pau essa cunversinha de que foi erro ao traduzir o caso GD (Gerard Depardieu).... imagine se o cara, brabo como é, iria engulir essa sabendo que estaria sendo apagado forever de Hollyywood.

Lygia C. disse...

Essa cultura, de passar a mão e de dizer obscenidades para as mulheres que passam na rua e achar que isso não agride. Pô, me sinto suja, quero a morte de um homem quando faz isso comigo ou vejo fazendo com outra mulher. Como as mães não ensinam para seus filhos que isso é errado?? E pros publicitários... pobres vítimas do sistema capitalista =( é muito fácil jogar a culpa no cliente, é o cara que culpa a mulher que usava roupa curta por ser apalpada. Vamos ter dignidade né gente? É sempre culpa do outro?

Flavio Moreira disse...

Anonimo das 11:46
Você jura mesmo que acredita nessa estupidez que acabou de escrever? Ou é a sua maneira covarde de se isentar de qualquer responsabilidade com a sociedade em que vive. Então tá, você prefere criar campanhas que reafirmem preconceitos, violência e intolerância porque vocês, publicitários, acham que essa é a realidade? Não seria a realidade que vocês gostariam de manter? Afinal, seu pensamento é só lucro, certo?
Vá ajudar alguma causa humanitária. Você deveria se envergonhar de falar uma estultice dessas.

Anônimo disse...

Não podemos deixar de fora os tantos homossexuais e transexuais que sofrem estupro pelo simples fato de sua sexualidade.

Mihh disse...

Prezado Anônimo Publicitário

Informe em qual agência você trabalha que farei questão de boicotar todo e qualquer produto que passe por lá.
Ah, esqueci, você é um covardão.

Anônimo disse...

perto da minha casa há uma loja de bebídas alcoólicas, é bem refinada mesmo e qq bebida que a gente quiser e nao fizer parte do estoque deles, a loja se encarrega para satisfazer a vontade do cliente. num sopro, as cervejas brasileiras sumiram, a vendagem era boa sim, mas a loja parou de vender cerveja brasileira e a gente já procurou em várias outras e NADA. me pergunto se alguma mulher americana descobriu como rolam as propagandas de cerveja no brasil, se ofendeu, e botou a boca no trambone entre os importadores americanos. será?

Anônimo disse...

"e se os caras que acham isso tudo normal começassem a ser eles mesmos vítimas de estupro, em todas as formas citadas, por outros homens?"

Aqui a ação do estupro recai somente sobre o homem. Somente um homem poderia estuprar? Ou esse rapaz quer dizer que uma mulher estuprando um homem não seria má ideia? Partindo de que estupro não exige penetração, o que eu até entenderia como sendo mais fácil para o homem estuprar com penetração pois a ereção depende de seu desejo, por que a questão da homossexualidade colocada?

Será que os homens gostam de sexo, sempre, e mulheres normalmente não querem sexo, de fato??? Isso tudo só vem a me confirmar o quanto a questão é cultural e acho que devemos refletir sobre isso.

Continuamos partindo do pressuposto que o homem gosta de sexo ( tem que gostar, pelo menos ) e que mulher não (não deve , pelo menos).

Ficamos nessa guerra de quem pode mais ou menos e muito pouco muda de fato.

Homens continuam estuprando e mulheres continuam oprimidas. Me incomoda muito essa imposição de que homem deve estar sempre disposto para o sexo a ponto de ser incabível imaginar uma mulher estuprando um homem, e a mulher sempre se protegendo e negando, muitas vezes, seu próprio desejo, aceitando timidamente a condição de objetos sexuais sem participação.

Anônimo disse...

Uma feminista que é contra uma série de rótulos e preconceitos contra a mulher escrever que “publicitário é um bicho arrogante e egocêntrico” é definitivamente incoerente.

Quem é contra uma cultura que objetiva o corpo feminino não pode fazer parte de outra cultura, a que pré julga e define estereótipos para diferentes tipos de profissionais.

yulia2 disse...

as senhoras são a favor da separação inteligente de generos em ambientes comuns ?
ou de leis mais eficazes para conter o instinto sexual masculino ?


não...isso SÓ PIORAM AS COISAS.
A separação não é inteligente é burra!

seria assinar atestado de que homem
É INCAPAZ de conviver com o diferente
a mulher... E o dia que ele tiver que se misturar
como vai ser? UM DESASTRE.
ele é capaz, o que falta é
o combate diário a cultura patriarcal.
se na suécia não precisou de nada disso e
eles conseguem fazer diferente, por aqui não
consegueria?

mas sendo o homens considerados os causadores de todos os males sobre as mulheres, não passa por "o que fazer com eles"
as respostas, e não somente sobre o status quo feminista ?

não são os homens tudo é cultura e educação, É IMPOSSIVEL
ignorar o quanto a cultura é nociva, é isso que tem
que mudar.

Iara De Dupont disse...

Desde a primeira vez que vi o anúncio senti repulsa.Comentei com um amigo que logo me disse que eu não poderia viver assim,vendo agressão sexual em tudo.E foi além,disse que faz mal viver com essa malícia vendo violência contra a mulher até nas paredes!
Mas existe um número que favorece as mulheres.Pesquisas mostram que são as mulheres que decidem o que comprar ou não para a casa e administram o dinheiro da família.Então se não temos voz como espectadoras,temos como consumidoras.Quantas mulheres no Brasil vão ao supermercado e compram cerveja?É na mão delas que está a decisão,seja da cerveja, da camisinha,dos produtos que usam animais em laboratórios,está ali decidir o que fazer.
Protesto bom é o que coloca a empresa no vermelho e isso só acontece quando os consumidores deixam de ser frouxos e não compram mais o produto.Americanos fazem isso e derrubam indústrias inteiras.Já que os publicitários parecem se divertir com tanta violência,as mulheres deveriam começar a se divertir derrubando empresas,é mais fácil isso e mais efetivo.Na hora de comprar qualquer produto lembre do comercial,melhor comprar um sabão em pó sem fama, do que aquele onde a mulher aparece na propaganda como se fosse idiota,gritando ao ver a roupa limpa.Fazendo isso é questão de tempo a publicidade ajoelhar e pedir perdão por ter nascido.

Loabastos disse...

Eu concordo absolutamente com tudo o que você falou, mas quero lembrar um caso "curioso" que aconteceu um tempo atrás: um homem, na Alemanha, conheceu uma mulher pela internet, foi ao seu apartamento, ela o exauriu de tanto fazer sexo e ainda queria mais. O homem se escondeu num cômodo da casa e chamou a polícia. A notícia deve uma certa repercussão e as pessoas todas tiraram sarro daquele homem! Eu não, sabe por quê? Porque acho que tirar sarro daquele homem também é MACHISMO! Sim, pois passa ideia de que "homem de verdade" não pode se cansar de sexo ou que é mais forte que a mulher, então por que não usou sua força física? Gostaria de um comentário seu, se concorda comigo que também é machismo rir de um homem que se cansa de sexo.

Ana Cristina disse...

Gostei muito do post, mas gostaria de convidar nós mulheres a refletir sobre o quanto muitas de nós contribuem para essa cultura do estupro... Quantas mulheres contribuem para uma sexualização muito precoce das filhas? Quantas ensinam que suas filhas valem pelo corpo que têm, ensinando que homem é bicho bobo, fácil de dobrar, porque se deixa seduzir por um lindo corpo, um amplo decote e uma saia curtíssima? Quantas (ainda) ensinam suas filhas que homem bom é aquele que nos sustenta, não importa se o cara é um baita galinha, um corrupto, um bandidão? Afinal, para essas mulheres, o que importa é conta bancária do parceiro... isso não é um tipo de prostituição? E aquelas que educam seus filhos para serem "pegadores", tipo "prendam suas cabras porque meu bode está solto", orgulhosas por terem gerado um garanhão desejado por todas as mulheres? Quantas mães não defendem as sacanagens de seus filhos homens, atacando suas parceiras com argumentos do tipo "foi ela que se ofereceu", "que provocou" etc. e tal? E aquelas mulheres jovens que se candidatam a esses programas de TV pretensamente humorísticos, em que têm seus corpos exibidos à exaustão e em situações as mais degradantes e são entrevistadas na TV como mulheres como verdadeiras rainhas? Penso que cabe a nós mulheres contribuir, não só corretivamente mas também PREVENTIVAMENTE, para que essa degradação do feminino acabe. Essa prevenção começa pela criação dos nossos filhos, a orientação de nossos irmãos e amigos. Eu não tenho filhos, mas tanto quanto possível procurei influenciar positivamente o meu irmão mais novo e, penso, ter contribuído aos menos um pouquinho para ele ter se tornado um grande companheiro da esposa e dos filhos, e um multiplicador dessa boa influência.

lola aronovich disse...

Sim, Loabastos, concordo. Achar que homem tem que ser uma máquina sexual, não pode ser virgem, não pode recusar uma mulher, tem que ter mais experiência que a mulher, não pode brochar, ter que ser o pegador -- tudo isso é consequência do machismo, que diz que todo um gênero deve se comportar assim, e o outro, assado (porque quase tudo isso que se exige do homem é rejeitado na mulher). Essas camisas de força absurdas que são impostas sobre os gêneros são péssimas pra tod@s nós.

Rubens disse...

Essa cultura do estupro está tão enraizada que os meninos ainda bem criança são ensinados a tratar o corpo feminino como objeto.

Lembro já da 4ª série, de ver os meninos passando a mão nas meninas e rindo da cara delas, hj vai perguntar pra um cara desses se ele não gostaria de ser um cara invisível para estuprar mulheres? É claro que ele adoraria!

Mas acho que o foco é esse Lola, ensinar desde a infância o respeito, criança entende sim esse tipo de coisa, tá na hora de acabar com esse tipo de coisa errada.

Maicon Vieira disse...

Lola e Loabastos, não sou especialista no assunto, mas gostaria de saber por que nessa caso, citado por Loabastos, seria machismo? Não seria apenas sexismo?

lola aronovich disse...

Maicon, concordo contigo. Não acho que os casos citados pela Loabastos sejam necessariamente machismo, mas consequeência do machismo. E sim, neste caso eu chamaria de sexismo.


Werner e Rubens, muito interessante o que vcs disseram. Concordo que no comercial da Nova Schin houve o interesse em lembrar de brincadeiras de meninos espiando meninas no vestiário. É sim, ao mesmo tempo, uma tentativa de chamar a atenção de meninos para a marca.

Tatiane Prado disse...

Maicon Vieira,

Me antecipando à resposta da Lola, é machismo pelo fato de o homem ter sido ridicularizado por sua postura. O machismo o obriga a isso e aquilo. O machismo o obriga a "dar no coro" (termo mais que chulo). O Sexismo engloba várias questões ao mesmo tempo.

Anônimo disse...

Olha, vc poe dados interessantes ali sobre as pessoas dizendo que estuprariam se fossem invisiveis ou se nao fossem pegos, e joga isso como defesa feminista, mas a verdade é que qualquer ser humano tem mais chances de cometer qualquer crime, e não somente estupros, se nao tivesse chance de sr preso...
Nao são só as mulheres que sofrem nesse mundo.

B. de Campos disse...

Lola, eu havia comentado sobre essa propaganda há alguns meses naquele outro post sobre cultura do estupro...

É estranho que só depois de tanto tempo esse comercial esteja sendo denunciado.

Mas tudo o que você disse neste texto eu assino embaixo!


Abraços,
Bruna.

Anônimo disse...

"Publicitário é um bicho arrogante e egocêntrico"... não generalize, ok?

Anônimo disse...

Essa cultura do estupro é tão real, que muitas vezes quando uma mulher passa por isso é levada a pensar também que teve algum tipo de culpa.
Eu fui estuprada por 2 meio-irmãos e um tio na infância. Nunca tive coragem de denunciar aos meus pais não por temer que as ameaças dos mesmo se cumprissem, mas por medo de que me culpassem, me achassem uma vagabunda por ter "permitido" aquilo. Com 5 anos não há nada que você possa fazer que permita uma violência dessas, muito menos aos 30. Apesar de saber que vc não permitiu, sente que a própria cultura em sua volta te culpa pelo ocorrido de alguma maneira.
Essa conversa sobre limites e respeito deveria existir desde muito, muito cedo na vida de um ser humano... Além disso não acontecer, ainda vemos sinais opostos vindos de todos os lados.

Apenas aos 27 anos depois de muita terapia, tive finalmente a coragem de contar aos meus pais sobre o que passei, e matar um fantasma que me perseguiu durante todos esses anos, me atormentando em cada sono.

Não foi nada engraçado.

Parabéns pela ludicez.

João Madeira disse...

Muito bom o seu post, mas já que é pra comentar, vamos aos fatos. Eu sou louco por redes sociais, blogs, posts interessantes, além de conhecer muitas pessoas. O comercial pode até ser machista, mais acredito que não faça apologia. Valeu né, um homem 'jamais' vai aceitar que ele é machista! Errado, leio o seu blog porque acho super interessante como você expõe a suas opiniões mesmo feminista.

Ninguém veio comentar comigo sobre o comercial, olha que eu conheço muitos críticos nesse assunto, pois achamos e fazemos questão de comentar quando uma propaganda é interessante e bem incorporada.

Imaginemos a propagando de uma outra maneira, sem satirizar os gays. apenas invertendo os papéis.. Mulheres bebendo cerveja (que é uma coisa normal, mais a galera acha que é do outro mundo em um comercial de cerveja) entrasse em um vestiário masculino e fizesse a mesma brincadeira, de passar a mão e sacanear os homens lá dentro. Seria engraçado do mesmo jeito, e eles se assustariam da mesma forma. Afinal você não sabe quem esta do outro lado.. Será uma apologia ao que?

Sua critica foi ótima, só que eu não entendo a galera aqui de cima dizendo que sempre criticou a propaganda, sendo que é a primeira vez que vejo alguém falar da mesma. Mais adorei a iniciativa e o fato de você mostrar um outro lado da versão das coisas.

Erivaldo Fernandes Neto disse...

Gostei muito da argumentação colocada no post. Lembro-me que no livro O Grande Sertão Veredas,a temática do estupro é tratada de maneira bem interessante, pois demonstra um momento da história do Brasil em que não havia uma atuação do governo na punição em relação ao estupro, este ato era comum, tanto que o personagem principal "Ribaldo" acaba tomando nojo desta prática desleal, achando estranho que todos os outros jagunços vejam aquilo como uma prática normal. No momento que li este texto, vi o quando a moral vigente é frágil e facilmente deturpada para servir aos interesses de alguns, que dominam a mídia,a política...
Muito triste que seja assim, mas mensagens como essa fazem toda à diferença para mudarmos esta triste cultura, conscientizando e levando a reflexão.

lola aronovich disse...

Eu sei, Bruna. Não sei quem nem quando alguém me falou do comercial da Nova Schin, mas sim, já faz meses (acho que foi em fevereiro). Desde então eu anotei o link e fiz algumas observações, inclusive imediatamente me lembrando do filme Homem Sem Sombra. Eu tenho uns 3 arquivos no Word com anotações de posts que devo escrever. Um desses arquivos tem 50 páginas de Word, pra vc ter uma ideia... É só que realmente não dá tempo de escrever sobre tudo, então eu vou adiando. Toda vez que eu falava de cultura de estupro, pensava em incluir o exemplo da Nova Schin, mas aí achava que não se encaixava bem, ou que o post já tava longo demais. Mas desta vez foi diferente, eu achei que dava um exemplo perfeito pro que eu estava tentando dizer. Além do mais, quando me falaram do comercial, meses atrás, eu não tinha nem ideia que ele estava sendo veiculado. Daí vi o comercial várias vezes na TV, e pensei: Pô, temos que protestar contra essa atrocidade.

carolinapaiva disse...

OMG!

Sério, eu admiro a capacidade de alguns de interpretarem tão mal os textos.
Um chega aqui todo cheio do grau, falando que a propaganda da Prudence não falava de tirar a roupa sem consentimento, mas sim de "surpreender a mulher retirando seu sutiã", quando o próprio texto da propaganda diz claramente "tirar a roupa SEM O CONSENTIMENTO dela".

Outros vieram defender a sexualidade masculina, como se todos os homens fossem hétero, como se mulheres também não sentissem desejo sexual e como se desejo sexual fosse a motivação principal/única do estupro.

Outro diz que "não são só as mulheres que sofrem" e que essa tendência do ser humano de cometer delitos quando sabe da impunidade "não é só com estupro".
Primeiro: aponte onde nós afirmamos que isso só ocorre com estupro e que são só as mulheres que sofrem. Grata.

É impressionante o desespero desse povo em minimizar o problema, em negar que estupro é crime grave e que vivemos em uma sociedade que incentiva esse pensamento de que "estupro não é coisa séria".
É bom também ver como uns tentam colocar o estupro como problema apenas feminino, como se só fosse nossa responsabilidade evitá-lo.
É como a Lola já disse várias vezes: parece que essa gente acha que se ninguém mais falar de estupro, o estupro simplesmente deixará de existir.
É a prova de que falar em estupro de forma séria incomoda muita gente.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Eu fui estuprada por 2 meio-irmãos e um tio na infância. . . . Apenas aos 27 anos depois de muita terapia, tive finalmente a coragem de contar aos meus pais sobre o que passei, e matar um fantasma que me perseguiu durante todos esses anos, me atormentando em cada sono. Não foi nada engraçado.
2 de agosto de 2012 15:18

a gente pode ler um sem-número de relatos assim e a cada vez a gente sente o coração como que esmagado e uma revolta infinita.

Anônimo disse...

Lola, quando você escreve um artigo que me deixa sem ar, não consigo deixar de parabenizá-la.

Joice

Augusto disse...

Melhor POST do mundo. Lola, eu sempre discuti muito com todo mundo aqui em casa (maioria das pessoas aqui são mulheres!!!!) sobre este comercial e é incrível que entre estudante de letras, advogados, médicos, eu fui o único (ainda estudante de ensino médio) a assimilar estupro neste comercial. Eu fiquei indignado com a opinião dos meus familiares que, apesar de serem estudiosos, ainda falam preconceitos (e muitos).

É de assustar em como vivemos nessa cultura racista, machista, homofóbica e estupradora.

Giovanni Bassi disse...

Aqui tem um homem que concorda. Tolerância zero pra atitudes de apoio ao estupro, cadeia, e constrangimento social pros estupradores.

Anônimo disse...

sobre estupro na literatura, tão bem abordado em Grande Sertão: Veredas, acima citado, tb temos num dos livros do Velho Testamento qdo um dos filhos do Rei Davi estupra Tamar, sua meia-irmã, e Absalão, irmão dela, sai ao alcanço do tb meio-irmão e o mata. ou seja: o estupro SEMPREW foi considerado crime sério mesmo numa cultura machista e nunca falta quem queira fazer justiça até mesmo com as próprias mãos.

Mihh disse...

João Madeira:

"Imaginemos a propagando de uma outra maneira, (...) Será uma apologia ao que?"

Quantas vezes você já viu alguma mulher tentar passar a mão em um cara desconhecido? Na balada, no transporte público, na rua, no trabalho?

Quantas vezes você viu meninas invadindo o banheiro dos meninos para abusar deles?


Você diz que precisamos ver o outro lado da história. Eu pergunto: QUE OUTRO LADO? Mulheres que assediam homens sexualmente são uma minoria absurda e restrita... sabe qual a prova disso? Não existe comercial em que mulheres abusem de homens. Mulheres não assoviam ou soltam gracinhas ofensivas na rua, não mexem com estranhos na praia, não passam a mão sempre que veem um cara.
Acho a "Quem-sabe-logia" um exercício bem útil quando se está entediado, acabou a luz, porém inútil. Tentar diminuir um protesto válido desta maneira é vil.

"Sua critica foi ótima, só que eu não entendo a galera aqui de cima dizendo que sempre criticou a propaganda, sendo que é a primeira vez que vejo alguém falar da mesma."

Logo se vê que você não leu mais nenhuma caixa de comentários além desta e que você, provavelmente, não conhece todas as pessoas daqui (ou do mundo). Se você nunca ouviu falar, então ninguém nunca prostetou ou se incomodou?

Ana disse...

@João Madeira

Interessante o seu questionamento, achei muito pertinente.

Não posso falar por todo mundo, mas a minha opinião pessoal é que todo ser humano tem direito sobre seu corpo e este não deve ser violado.

Ser humano. Independente de gênero.

Assim, não posso achar que passar a mão em mulher é absurdo e passar a mão em homem é engraçado. Pra mim, um comercial com rapazes correndo horrorizados seria igualmente ofensivo.

Vou aproveitar pra fazer um gancho com algo que já comentaram aqui: a pressão machista para que um homem nunca recuse uma mulher. Vejam, num cenário machista, os homens ficariam mais é felizes com o assédio das mulheres. Não haveria nada demais em uma mulher tocando um homem sem o consentimento dele, porque né, a coisa que um Homem de Verdade mais quer na vida é justamente atenção feminina.

Bom, como abonimo o machismo, tenho que discordar veementemente desse pensamento. Não é a disponibilidade sexual que faz um rapaz mais ou menos homem. Ser XY não implica ser uma máquina sexual, acho que homens têm direito de dizer 'não' tanto quanto as mulheres. Sou a favor de que possam exercer tal direito sem serem ridicularizados.

Resumindo, se mulheres podem se sentir atacadas com toques masculinos, então homens podem se sentir atacados com toques femininos. Não acharia engraçado uma mulher invisível sacaneando homens, e complementando, não me passaria pela cabeça ridicularizar um homem que se reservasse ao direito de dizer 'não'. Se os homens reclamassem do comercial chamando-o de apologia ao estupro, eu faria coro com eles. Seres humanos tem direito de decidir o que acontece com seus corpos, ponto.

Não sei se consegui responder alguma coisa claramente, mas me diverti com a reflexão :)

Os comentários estão outra coisa desde que a moderação foi ativada. Muito melhor... mas imagino o trabalho que dá :S

Rubens disse...

Lola

Dei aulas para turmas da pré escola e uma vez ocorreu a seguinte situação:

Lá estavam as crianças formando fila para ir ao banheiro após o lanche; quando dois meninos passam correndo em direção a porta do banheiro das meninas, entrei na frente da porta e perguntei se eles não tinham se "enganado" de banheiro, um dos meninos afirma que queria mesmo entrar no banheiro das meninas pra vê-las peladas, eu falei que ele não podia, que isso era falta de educação, os dois meninos me responderam que podiam sim, pq meninas eram idiotas, por isso eles podiam.

(chamei os responsáveis dos dois meninos levei o caso a diretoria, enfim, é um exemplo para ilustrar)

Clóvis disse...

Cara Lola, gostaria que desse uma olhada nos comentários da seguinte notícia:
http://esportes.terra.com.br/jogos-olimpicos/londres-2012/fotos/0,,OI214672-EI19410,00-Femen+protesta+contra+apoio+do+COI+a+regimes+islamicos.html

Trata-se de uma notícia sobre os protestos do FEMEN. O que choca, são os comentários machistas, sexistas e racistas à notícia. É inacreditável como nossa juventude está cada vez mais conservadora.

Anônimo disse...

Propaganda Machista e Ilegal da NOVA SCHIN !

Denunciem no CONAR também , segue o link:

www.conar.org.br

Lá em cima clique na aba Reclamações.

VEM GENTE !

Clica nesse link para fazer parte desta ação:
https://www.facebook.com/novaschin/posts/467454606612362

Garota em Conserva disse...

Oi Lola! Um amigo meu tinha me falado do seu blog, nunca li. Mas, recentemente curti a pagina da Marcha das Vadias no Facebook e a pagina compartilhou esse texto, concordo com você e acho os seus argumentos bem cabíveis para as situações que você citou, eu não havia visto dessa forma. Achei muito bom o texto e as mulheres têm muito o que conquistar ainda, mais espaço, mais liberdade e menos piadinhas. Ahhhh escreva Lola, escreva! Vou ler sempre!

Ana disse...

*Bom, como ABOMINO o machismo, tenho que discordar veementemente desse pensamento.

KKKKKKKK 'abonimo' foi ótimo. Tenho que rir do meu próprio FAIL, kkkkk.

@Mihh
Eu tenho que fazer coro com você, vemos muito mais homens assediando mulheres que o contrário.

Mas eu não consigo deixar de me perguntar, se um homem se sente incomodado, será que a pressão machista não faz com que ele tenha vergonha de reclamar? Porque afinal, que tipo de homem se ofende com o assédio de uma mulher, né?/machismo

Já vi tantos rapazes sendo julgados. Como se uma mulher reclamando fizesse sentido, mas um homem se esquivando fosse frescura. Acho isso muito, muito injusto. Como se um homem não pudesse se sentir abusado, ou até mesmo ser tímido.

Essa face do machismo só tem por aqui ou alguém mais nota isso?

... Só pensando.

pensologopenso disse...

Clap, clap, clap! Excelente!
Não conhecia o blog, muito bom o conteúdo e a maneira de ser dito.

Ótimo texto e denso. Socialmente temos mesmo o costume de pensar em estupro como ato sexual forçado e com violência extrema (sadismo), como aquela cena nojenta em Os homens que não amavam as mulheres. Enquanto há na verdade agressões muito mais sutis.

Escrevi outro dia sobre o Pânico na TV. Literalmente um pânico! Perdi a parte de onde há graça naquele show de horrores. Os "patrões" e as "empreguetes" semi-nuas. Até na denominação de posição eles subjugam a mulher. E é terrificante pensar em quanto é alta a audiência. Um bando de homens (e mulheres também), sem nada pra fazer no Domingo morno, sentam em frente à TV e se deliciam com bundas grátis. Grande parte do humor brasileiro ridiculariza o sexo e a figura feminina. Triste.

O texto:
http://pensologopenso.wordpress.com/2012/07/23/1210/

Abraços!
Carol Gomes

Mihh disse...

Ana,


Claro que todo homem tem o direito de denunciar se sofrer algum tipo de abuso e de receber todo apoio num momento destes. E se alguém interferir no direito dele ao próprio corpo, abusar dele, estará cometendo estupro sim. Homem não tem de ser o "machão que nunca diz não". Homem é ser humano, tem de ter sua vontade de dizer "não" respeitada 100%.

O enfoque que quis dar com meu comentário não é que o homem que sofre abuso "sofre menos ou não sofre", de forma alguma. Meninos ou adultos tem o mesmo direito que mulheres a serem respeitados. Meu ponto foi: tem o direito tão mais respeitado que não se vê esta apologia ao estupro masculino, entende?
A menos quando se justifica o estupro do estuprador. Como se dois erros fizessem um acerto. Outra barbaridade.
O que quis dizer - e devo ter falhado, sorry! - é que não dá para diminuir o sofrimento da mulher porque outros sofrem (como teve um espertalhão aí em cima de disse "não são só as mulheres que sofrem). Foi a impressão que tive do comentário do rapaz, na linha de "ahh se fosse homem vocês estariam rindo então não reclamem".

Anônimo disse...

lola,

seus textos sempre acaloram um pouco mais minha alma. fico extremamente feliz que, em meio aos bombardeios machistas/racistas/homofóbicos midiáticos, existe o seu blog. as vezes me sinto extremamente sozinha e impotente nadando contra a essa maré sufocante de preconceitos e violência... assistindo a esse circo de bizarrices socio culturais que coloca tantas mulheres (e homens!) em profundo sofrimento. obrigada por ser mais uma força que se debate contra essa maré avassaladora da maioria :)

Anônimo disse...

É ridículo. Ainda bem que estamos cada vez mais críticos.E por falar em comercial, vocês já viram o do AXE desodorante?outra peça publicitária surreal.Onde é só você passar o Axe que as mulheres vão cair feito barata a seus pés, juro é a mensagem transmitida.

Pedro Palaoro disse...

Olá Lola, me chamo Pedro Palaoro, trabalho no Jornal Sul21( http://sul21.com.br/jornal/ ) de Porto Alegre, e no nosso jornal temos uma coluna diária chamada Opinião Pública, na qual republicamos textos interessantes produzidos por blogs ou outros sites com créditos e links garantidos. Estamos interessados em republicar seu post, é possivel?

Meu email é palaoro77@gmail.com

Obrigado
Pedro Palaoro

Anônimo disse...

Lola, antes de qualquer coisa, sim, sou homem e sim, sou publicitário, rs. Espero que continue lendo.

Concordo que os exemplos citados são de péssimo gosto e sem dúvida fortalecem a ideia de que mulher é um "prêmio a ser conquistado". Isso infelizmente já se tornou intrínseco na "baixa cultura popular" e mesmo o Conar não enxerga mais.

Porém, não acredito mesmo que um comercial desse chegue ao ponto de banalizar ou incentivar o estupro. Se tornar invisível é, ou já foi, um desejo de qualquer homem, seja os de caráter ou não. E honestamente, não vejo nada de errado nisso se for interpretado em um tom bem humorado. O crime do comercial seria, digamos assim, culposo (sem a intenção de ofender). Desejar ou incentivar um estupro seriam outros quinhentos, mas não vejo aí nada mais do que um gosto duvido (assim como o das pessoas que bebem Nova Schin) e um tradicional machismo de comercial de cerveja. Não concordo mesmo a campanha, pelo contrário. Pois ofende não só as mulheres, como generaliza os homens também. Porém acusar alguém de incentivo ao estupro é também algo grave.

Meu ponto de vista. De qualquer forma, parabéns pelo blog e pelos textos. Abraços.

Luciano.

João Madeira disse...

Mihh:

Acredito que o post não é para ter um confronto e sim exposição de opiniões, e quando se falava de feminista não achei que fosse tão ao pé da letra. Leio o blog porque ao mesmo tempo que a Lola é feminista ela não agride os 'mascus' e sim os coloca em posições que eles mesmo criaram.

Cuidado com o que escreve pois esta mostrando que não tem uma interpretação tão boa quanto acha, eu não disse de forma alguma que vocês precisam ver o outro lado da história, no ultimo paragrafo eu agradeço a Lola por ela mostrar uma versão que muita gente não conseguiu enxergar vendo o comercial (mesmo discordando).

Ah e quanto aos comerciais sobre o abuso, você diz sexual né, pois de poder, sim; eles existem mais são ignorados quando se poe um homem para carregar todas as sacolas em um shopping e ainda ter que pagar a conta no final.. Cadê a independência feminina? Mais isso vem desde o começo do mundo e todo acha que é normal.

Li muitos comentários até escrever o meu e a propósito, não conheço TODO O MUNDO e nem faço questão de conhecer, mais conheço pessoas suficientes para tomar a posição que tomei, e a minha analise foi baseada nas pessoas que estão a minha volta, até porque quem não ia querer 'brincar' com outra pessoa na irreverência de estar invisível, e qualquer coisa dá uma olhada até o final da propaganda, com certeza você ira perceber do que se trata. ;)

Daniela Franco disse...

Acho um absurdo todas propagandas de cerveja no Brasil. A mulher é sempre vista como objeto. Qual a mensagem que está sendo passada nessas propagandas? Sem contar as revistas nas bancas com suas capas inacreditáveis.... Uma vergonha!

Roberta Del Carlo disse...

Mas existem mesmo em muitos comercias e em programas de televisão essa
"mensagem subliminar" em incentivo ao estupro.

Mihh disse...

João Madeira,


Como falei ali em cima para a Ana, devo ter entendido errado o viés de seu comentário. Desculpe!
Bom, a começar que não vejo muita graça em se brincar de invisível (no máximo eu ia ficar derrubando as coisas para as pessoas acharem que eu era um fantasma ou pegar a bolinha do frescobol - única coisa "engraçada" do comercial). Garanto que não ia sair pegando na bunda de ninguém (nem do Johhny Depp!).
E quanto ao "todo mundo", é que antes do post da Lola já vi váárias vezes, aqui mesmo, pessoal reclamando da propaganda, bem como no twitter. Infelizmente não ouvi ninguém reclamando pessoalmente, mas é porque acredito que poucos vejam algo de errado no comercial a fim de comentar.

E sim, me referi a abuso sexual de homens em comercial. Ou em filmes. Simplesmente ninguém acha engraçado abuso sexual masculino.
Agora, não acho nem um pouco normal o cara "pagar a conta".
Como um publicitário infeliz disse aí em cima, agências não estão nem um pouco preocupadas com o tipo de mensagem que vão passar, apenas com o que o cliente quer - tanto faz se é apologia ao estupro ou a uma estereotipagem, como no caso do homem-paga-conta.
Já não concordo tanto com a expressão de "abuso de poder", pois para mim isto remete mais a um ambiente profissional, por exemplo. Pelo contrário, creio que se precisa de alguém para carregar suas coisas e pagar a conta, você não tem poder algum e é completamente dependente. É como dizer que uma mulher tem poder por conseguir o que quer com seu corpo, sabe? Não é poder algum.

Bruna B. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Prof. Marcelo Hendel disse...

Um pergunta a todos que postaram?? Alguma vez já assistiram novela??Desculpe minha ignorância total, mas não assisto pois vejo tudo isso que foi descrito e muuuuuito mais em apenas um capítulo da novela.
Vocês estão fazendo campanha para tirar as novelas do ar também???
Me falem onde está a campanha contra as novelas pois gostaria de participar, pois violência,adultério,incesto, intolerância racial, sexual e etc como descrito diariamente nas novelas pra mim são tão nojentas quanto a apologia ao estupro descrita no post.
No aguardo

Maiê F. Rezende disse...

É completamente absurdo... Parece que as mulheres não são consumidoras. Mulher não compra cerveja, não compra carro, até nossa lingerie é paga pelo marido (vide o comercial da Giselle)... Somos mais da metade da população, trabalhamos, consumimos, mas a publicidade ficou lá em 1950...

Ana disse...

@Mihh

Obrigada por responder :D

"O enfoque que quis dar com meu comentário não é que o homem que sofre abuso "sofre menos ou não sofre", de forma alguma."

omg, sim, sim, eu entendi que não quissestes dizer isso. Só toquei no outro ponto porque realmente é o que me veio à cabeça quando pensei no bando de rapazes de cueca correndo do banheiro. Fiquei pensando que muita gente não daria crédito nenhum ao espanto deles.

"(...) A menos quando se justifica o estupro do estuprador. Como se dois erros fizessem um acerto. Outra barbaridade."

Eu também não gosto do "estuprador que estupra estuprador, cem anos de perdão".

"Meu ponto foi: tem o direito tão mais respeitado que não se vê esta apologia ao estupro masculino, entende?"

Sim, e faço coro contigo \o/

@João
"Ah e quanto aos comerciais sobre o abuso, você diz sexual né, pois de poder, sim; eles existem mais são ignorados quando se poe um homem para carregar todas as sacolas em um shopping e ainda ter que pagar a conta no final.. Cadê a independência feminina? Mais isso vem desde o começo do mundo e todo acha que é normal."

Rapaz, outra coisa bem lembrada.

Mas pra mim os comerciais objetificando as mulheres e os comerciais representando os homens no típico papel de provedor são tudo a mesma coisa, dois lados da mesma moeda. Em ambos os casos a culpa é do machismo.

Não gosto desses comerciais, aliás. E concordo contigo, ninguém vê nada demais. Já é difícil provar que há insinuação sexual em comercial de cerveja, imagina dizer que tem sexismo em homem carregando sacola. É praticamente pedir pra ser posto em camisa de força.

Eu odeio admitir, mas o publicitário sem noção de antes falou uma (única) verdade, nos comerciais há a tentativa de representar a realidade. E a gente cansa de ver homens e mulheres representando esses papéis clichês na vida real, não? Talvez por isso as pessoas estejam tão cegas para questões de gênero; o que está na tv também está aqui fora. Tudo parece normal.

Mihh disse...

Off topic:

desculpe floodar a caixa de comentários, mas li esse texto delícia na folha e cabe divulgar!
Fala da mania das pessoas em palpitar sobre a vida das mulheres que vão envelhecendo.

http://www1.folha.uol.com.br/serafina/1127819-incomodada-ficava-a-sua-avo.shtml

Ana Cristina disse...

Só corrigingo o meu comentário... Onde se lê "são entrevistadas na TV COMO mulheres como verdadeiras rainhas" leia-se "são entrevistadas na TV POR mulheres como verdadeiras rainhas".

Esqueci também de comentar sobre as mães que culpam as próprias filhas, mesmo aquelas ainda bem crianças, por terem sido estrupadas pelo pai ou pelo padrasto.

Como eu já disse, se queremos que isso acabe, temos que mudar a cabeça das mulheres que ainda contribuem para esse estado de coisas.

Bruno Blumetti disse...

Vale lembrar que esses comerciais de cerveja adoram tratar os homens como verdadeiros idiotas, retardados...

Anônimo disse...

Nossa, muito obrigada!!! Achava que era só eu que ficava estarrecida com a propaganda da Nova Schin e com as cenas de bolinação no quadro da Valéria e da Janete no Zorra Total!

Mariana T. disse...

Maravilhoso este post Lola, ele exemplifica a Cultura do stupro de uma forma muito clara e fácil de intender!

Acho dificil alguém não para para pensar depois de ler ele, a não ser que a pessoa corrobore para que a mulher continue sendo objeto de piada machista.

Sabe Lola, acho que com tudo o que existe sobre a cultura do Estupro, daria um otimo documentário. Vc postou sobre um documentário desse tipo (misrepresentative) algum tempo atras que eu assisti, mas ele mostra numeros dos estados unidos. Seria bem massa se um estudo parecido fosse feito no Brasil.

Bjs!

Fábio RT disse...

Muito argumento pra resumir em uma frase:

Essa propaganda é um LIXO !

Gustavo Pires disse...

Sou publicitário e concordo absolutamente com a responsabilidade sobre o reforço a certos comportamentos sociais. Mas a publicidade não origina comportamentos. Ela se apropria do comportamento social e reproduz. Muitos já imaginaram o que fariam se fossem invisíveis por um dia. Ouviriam as conversas dos outros? Roubariam um banco? Entrariam no vestiário do clube? O mal de alguns publicitários, muitas vezes, é restringirem seu campo de visão ao microcosmo do seu networking, dos seus amigos no Facebook ou seguidores no Twitter. Onde, em suma, encontram afinidades de pensamentos. Mas mesmo fora dessa bolha, é primário no briefing que falemos a linguagem do público-alvo. E que linguagem usar pra homens e mulheres, muitas mulheres, que cantam ai se eu te pego, eu quero tchu, eu sei fazer um lelelê...? Isso é estímulo generalizado ou segmentação? Para as reclamantes, acredito que antes do comercial que nada mais é do que idiota, prestemos atenção no que nossos filhos conversam entre si. Ele pode ser protegido da vilanizada TV mas pode ouvir o mesmo discurso machista inclusive dos seus maridos. A propaganda deve sim ser responsabilizada se passar dos limites e ferir uma classe. Porque cada um sabe a dor que sente. Eu sou gordo e a chacota me incomoda. Mas não pela exposição, e sim pelo repertório que entrega nas mãos dos babacas. O grande problema é que tem babaca demais. Que nossos filhos não sejam.

B. de Campos disse...

Não, Lola, não era sobre o post =]

Era sobre a denúncia no Conar =)

Demorou pra o pessoal fazer barulho por causa do comercial ^^

Abraços!

simone disse...

"E nao podemos negar que a maior vilã pela exaltação do corpo é a propria mulher. Seja a modelo, a atriz ou a prostituta, que o oferta a praça publica. Mulheres sofrem consequencias da sua propria classe. Da sua exposição desmedida. Ou vc acha que quem causa audiencia no Panico e na praça é nossa é o bóla e o carlos alberto???
.
Acusar é facil. Assumir culpa participativa que é dificil.
.
E outra, nao é porque jogo um jogo de tiro que saio matando pessoas. De igual sorte nao é um comercial que vai determinar se sairei por ai estuprando pessoas.
.
Pense nisso tambem."

Como mulher não acho que um desconhecido se sente no direito de me apalpar no ônibus porque tem mulheres seminuas na tv. Um desconhecido se sente no direito de fazer isso, porque foi ensinado a ele, que se a mulher está sexy (mesmo que seja só na cabecinha dele) ela está provocando e está querendo ou pedindo por aquilo.
É muito triste que tantos homens quanto você achem que o respeito direcionada a uma mulher é diretamente proporcional a quantidade de roupa que ela veste.

No mais, comerciais assim podem não resultar em estupradores em série, mas ajudam cada vez mais a banalizar a situação da violência sexual. O jovem vê vários comerciais do tipo, aprende com vocês que mulher de roupa curta não merece ser respeitada e sai por aí se aproveitando de qualquer descuido feminino pra passar a mão, tentar agarrar a força no meio de um show, apalpar a priminha adolescente que está distraída ou não tem como se defender, esse tipo de coisa nojenta que muito homem faz e que é abuso sexual sim.
Felizmente não são todos os homens que fazem isso, mas é nojenta essa mania de vocês de quererem colocar a culpa nas mulheres.
Se você não respeita mulher o problema não está com ela, está com você. Ela não tem que conseguir ou merecer seu respeito. Você como ser humano já merece ser respeitado por si só e mulheres como seres humanos também.

Alan disse...

Levei o texto a sério até a parte "Publicitário é um bicho arrogante e egocêntrico". Perdeu credibilidade.

Anônimo disse...

O problema é a impunidade. O Rafinha Bastos deveria ter sido preso, mas como nada é feito, a sociedade se acomada e esquece.

O pior é que não há vontade jurídica para punir esses criminosos. Nenhum juiz deste país se manifesta sobre o assunto, o silêncis dos magistrados é a liberdade que eles dão para continuarem insultar a mulher.

Temos que começar a questionar porque as autoridades ficam caladas perante a isso.

Anônimo disse...

Lola muito bom texto! Vivo falando, repetindo e apontando para quem está por perto as situações diárias que fazem parte da cultura do estupro. Sei que algumas pessoas acham que estou exagerando, que sou paranóica, mas sinceramente não me importo. Nos últimos meses vi e percebi mudanças de comportamento de homens próximos que realmente não se davam conta, (claro não são eles que vivem a situação de violência diária que nós vivemos!)mudaram de comportamento, alguns começando a se incomodar e a falar sobre isso e até interferir em situações na rua. Sei que é pouco, mas as mudanças tem que começar. Penso que vc cumpre muito bem o papel da denúncia e do esclarecimento, do espelho mesmo sabe! Obrigada!

Anônimo disse...

Inveja da criatividade, nenhum desses anuncios vai fazer alguem violento.

Se voce acha que isso realmente acontece entao a sua mente e perversa e nao de quem criou a propaganda.

simplismente ridiculo esse post.

por que ao invez de ver coisas infimas e sem sentido, nao vai procurar algo melhor para fazer como reclamar do governo que esta roubando o seu dinheiro na sua cara e sem que voce possa fazer nada.

Anônimo disse...

então crie uma sociedade cheia de regras e puniçoes aonde um comercial bem humorado não pode ir ao ar poruqe passaram a mão na bunda de alguém aaaa faça me o favor... take it easy ... chatonilda

Ana disse...

@Luciano
"Não concordo mesmo a campanha, pelo contrário. Pois ofende não só as mulheres, como generaliza os homens também. Porém acusar alguém de incentivo ao estupro é também algo grave."

Amigo, se me permites uma reflexão partindo indiretamente do teu comentário...

Detecto em muitos a falta de sensibilidade (percepcção) em relação à violência contra as mulheres. Apesar de ser um assunto grave e polêmico, os detalhes mais sutis escapam.

Não se trata de dizer que, após ver a propaganda, homens fiquem mais propensos a estuprar. Quando falamos em 'cultura de estupro', não necessariamente estamos nos referindo a esse tipo de incentivo, tão direto. Essa cultura é composta de nuances.

O que está em debate é, principalmente, a banalização. Não se trata de convidar homens a estuprar somente; se trata de retratar a violência com tons suaves. Se trata de ajudar a compor um quadro onde as coisas não são mais preto-no-branco, e sim degradê.

Não há humor que possa ser embutido numa passada de mão.
Não há graça em ser tocada sem o seu consentimento.
Não devíamos ter que dizer isso, esperávamos que fosse senso comum; mas como podemos ver, já não é mais.

O negócio é que, quando passamos a viver em degradê, os limites se tornam turvos - E aí de repente a violência pode ser engraçada, dependendo da situação.

Só que nunca é. Para a mulher, nunca é engraçado. Em situação alguma. Isso não pode ser esquecido, jamais.

Poucos aqui diriam que um homem pode tocar uma mulher a força. Gosto de pensar que nenhum comentarista pensaria assim. Mas quando tal situação é representada com humor, a indignação se vai. Porquê, se a violência continua lá? Porquê, se o sofrimento da vítima seria o mesmo não importa o quanto os outros rissem?

A cultura de estupro é algo sutil. Está nas coisas pequenas. Está na crescente falta de tato e empatia. Se manifesta quando damos o alarme e percebemos que muitos não enxergam mais a violência na frente de seus olhos. Está presente quando as pessoas acham que, se conseguiram rir, então não pode ter sido ruim.

Enfim, Lola deu vários exemplos no post.

Lembrando sempre que estupro não é só coisa de psicopata, que não é preciso ser penetrada pra se sentir abusada... Qualquer violação do direito de um humano sobre seu corpo é grave, incluindo uma passada de mão que não foi autorizada.

...Infelizmente hoje estamos acostumadas a repetir esse lembrete de cinco em cinco minutos, tamanho o nosso medo de não sermos levadas a sério.

Para terminar: precisamos nos preocupar não somente com o abuso em si, mas com todo o ambiente que dá chance para que ele aconteça. E a banalização da violência, tentando fazer com que ela soe engraçada, é uma parte muito importante desse ambiente. Daí a nossa briga.

:)

BooBoo Maria Gabriela disse...

Sra Lola,

Em primeiro lugar, muito obrigada por escrever sobre o feminismo de uma maneira tão esclarecida.

Passo diariamente por situações inacreditáveis (eu sou militar) no trabalho, mas aos poucos estou me municiando de argumentos e tenho me defendido bem, em alguns momentos em razão das coisas que leio aqui, que 'materializam' muitos dos meus sentimentos.

Hoje convenci dois outros militares que trabalham comigo (ambos com idade pra ser meu pai) com relação a esta propaganda em uma conversa simples e amistosa... embora o nojo do mundo tenha crescido com o meu filtro pra machismo, pequenos momentos como este acabam me dando fagulhas de esperança.

Ouvir coisas como "eu não tinha visto por este lado, mas é isso mesmo" fizeram do meu dia algo menos triste.

Novamente, muito obrigada, um grande abraço.

Clarissa disse...

Querida Lola, moro em Porto Alegre e há duas semanas um crime chocou a cidade: um homem assassinou com facadas a esposa e o filho de 6 anos por haver descoberto (ele instalou no computador dela um software espião) através de e.mails que ela estaria tendo um caso com outro homem.
Há cerca de três ou quatro dias, assisti a uma entrevista com uma delegada de polícia da minha cidade, que afirmou que em 2012 o número de estupros DOBROU em relação a 2011.
Abuso em transporte público: nunca vou me esquecer do nojo e da revolta que senti quando vi um homem com o penis ereto, para fora das calças, esfregando-se no bumbum da pobre mulher que estava em pé e de costas para ele... ela sentiu tudo, mas acho que não acreditava que aquilo pudesse estar realmente acontecendo, tentava sair dali, mas o ônibus estava lotado... eu tinha uns 12 ou 13 anos, fiquei muito tempo com aquela repugnante imagem na minha cabeça, uma covardia, várias outras pessoas, bem adultas, viram e ninguém fez nada...
É muito abuso contra a mulher, é muita propaganda idiota, que faz parecer que os abusos são apenas gracinhas... é uma mentalidade que prega que o homem tem o direito de mostrar sua "virilidade" ainda que contra a vontade de uma mulher, afinal de contas, ele é homem e, sendo assim, nada mais natural que seus fortes impulsos viris sejam satisfeitos...
Eu fico revoltada...

Bruno Giraldi disse...

Feminismo, nazismo, facismo, racismo, ismos... Etiquetas e bandeiras que promovem discórdia e não o DEBATE.
O debate enriquece. Completa.
Essa cultura de que tudo é ofensivo e fere determinados princípios é NOCIVA.
Estas coisas estão mais na cabeça de quem VIVE DISSO.
EI DISCÍPULOS DA DISCÓRDIA! ACORDEM!
Que moleque nunca olhou no buraco da fechadura?
Isso estimula estupro?
Discordo totalmente dessa visão que procura problemas para refutar.
Querida Lola Aronovich sua visão extremista enxerga maldade onde não tem, e é o primeiro sinal de que a maldade está dentro de você.

Ana disse...

@18:09
"Inveja da criatividade"

AHAHAHAHHAHAHAHAHAAH OI?

Se tem uma coisa que essa propaganda não é, amigo, é criativa.

Vai me desculpar, mas só sendo muito alienado pra não ver que as propagandas de cerveja são sempre o mesmo clichê.

Aliás, está aí outra grande decepção, além de serem machistas, as propagandas são batidas. Em suma, são ruins.

Sinceramente, debate sobre gêneros a parte, a grande maioria desses comerciais é construído em cima das mesmas bases, e isso cansa.

Obrigada por lembrar, além de responsabilidade, criatividade também é importante :D

Humberto Capellari disse...

Trecho do post "Coisas que aprendi com as propagandas na TV", publicado no meu blog, em 08 de Março de 2012 ( a data foi coincidência, e que acabei de perceber ):

"Recentemente descobri que tenho aprendido e absorvido valiosas informações e ensinamentos, e desejo compartilhar com vocês.
Num comercial de cerveja [ OBS: exatamente esse da Schin ], aprendi bastante sobre os anseios da alma masculina. Descobri que todos nós, homens, queremos ficar invisíveis. Se isso acontecesse de verdade, nós teríamos o direito ( e, por que não dizer, a obrigação masculina ) de invadir invisivelmente um vestiário feminino e apalpar as mulheres que ali se encontrassem. Apertar os peitões, passar a mão na bunda, essas coisas de homem. Elas, por sua vez, sairão correndo para fora, mas rindo a valer (*). Elas gostam de ser atacadas. E são muito fáceis e disponíveis."

(*) Elas não estão aterrorizadas, como você escreveu, Lola. Pode ver que elas estão rindo.


Read more: http://ocorreiodaelite.blogspot.com/2012/03/coisas-que-aprendi-com-as-propagandas.html#ixzz22QXqfLVl

Maria Valéria disse...

Lola,

Adorei seu post. Só discordo da parte" publicitário e um bicho arrogante e egocêntrico" ( minha opinião: tem gente boa e ruim em toda a profissão) e quem cria comercial incentivando cultura do estupro e ruim,mas nem todos sao assim:p
Quanto a consentimento, já falei disso aqui trocentas mil vezes, pra quem nao entende:
O " consentimento" e dado, na maioria das vezes, em linguagem nao- verbal.nao precisa nem ser muito inteligente pra perceber o limite entre o " consentido" ou nao.
E se ela falar, por acaso, " tira a mão dai " " nao quero," (linguagem verbal, pra quem nao entendeu ate agora, e mais rara de acontecer, porque a mulher tem medo de verbalizar), isso significa NAO.

Bruno Giraldi disse...

Li novamente o texto para não julgar, não ser injusto.
Concordo com muita coisa (ônibus, cultura falha, normalidade com algo tão sério) mas com a visão de que este comercial tem tudo isso de forma tão veemente e agressiva como é pintado acho puro exagero e sensacionalismo.
Enquanto não existir leis que funcionem e educação, essa contra-cultura vai prevalecer sobre a verdadeira cultura.

Sara disse...

http://esportes.terra.com.br/jogos-olimpicos/londres-2012/fotos/0,,OI214672-EI19410,00-Femen+protesta+contra+apoio+do+COI+a+regimes+islamicos.html

Adoro as meninas do FEMEN e esse protesto até eu queria participar

simone disse...

Esse episódio tem me feito pensar em como mulher é acostumada a receber desaforo de homem e relevar.

No facebook, nos links, aparecem uns caras desconhecidos, que as meninas nunca viram mais gordos, e já chegam todos cheios de razão, xingando, voltando um milhão de vezes pra trollar, ridicularizando. E as meninas com uma paciência... Tentam mil vezes explicar, argumentar, desenhar, mesmo pra quem já chega mostrando no primeiro comentário que não vai mudar de opinião e só está ali pra atacar.
O cara fala que aquilo é coisa de quem não tem o que fazer, mas ele tem tanto o que fazer que passa às vezes hora aloprando.

Depois que o cara já aloprou um tempão é que elas perdem a calma e mandam pra aquele lugar quem já chegou desrespeitando.
Se eles não concordam é uma coisa, mas daí a já demonstrarem uma falta de respeito enorme em relação a quem discordam, é muito sintomático.
Acho que estamos boazinhas demais, nos explicando demais, fazendo eles pensar que o que eles pensam é importante demais, mesmo quando é a coisa mais machista e misógina.

Ana disse...

@Bruno
Amigão, difícil achar que você não quer ser injusto comparando feminismo com racismo e nazismo.

Quero dizer, me desculpa se eu vejo um comercial de uma maneira diferente da que você vê. Sério que isso me faz equivalente a Hitler? E depois a maldade está na Lola...

Pra quem parte do pressuposto de que é só um comercial, reagistes de maneira bem violenta.

Vou parar por aqui porque, a despeito do que escrevestes, o que realmente entendi foi que a última coisa que queres é debater.

Mihh disse...

Bruno Giraldi,

Você colocou no mesmo balaio:

- dois marcos nojentos na história da humanidade, responsáveis pela morte de milhões de pessoas
- o ato de cometer preconceitos baseado no conceito de "raças"
- um movimento que luta, há 50 anos, pela libertação dos papéis de gênero.


Que poder de síntese, hein? Conseguiu reduzir tudo isto a "ismos".
Acredita mesmo que um post com 178 comentários (até o momento) não está gerando o debate?
Acredita mesmo que falar a respeito não está ajudando a combater esta cultura falha?

"Essa cultura de que tudo é ofensivo e fere determinados princípios é NOCIVA.
Estas coisas estão mais na cabeça de quem VIVE DISSO."
Não é questão de "ofensa". Constranger alguém através de ato libidinoso é considerado estupro pela LEI, não por mim ou pela Lola ou pelas dezenas de comentaristas daqui. Sugiro que você se coloque no lugar das mulheres que não tem direito ao seu próprio corpo. E se fosse você? Não acharia nada de errado se alguém fizesse piada de roubarem a sua roupa em público e lhe constranger? Em vez de reclamar da "piada perdida", por que não tenta se colocar no lugar de quem está indignada e veja se há motivo?
A empatia agradece.

Ah, e ainda estou tentando entender quem "vive disso". Que eu saiba, são os acionistas da Schin e da agência de publicidade que estão vivendo da apologia ao estupro.

Anônimo disse...

Sério, vai procurar o que fazer! Existe vida fora da internet. Vai viver! Fica procurando coisas pra poder criticar. Sai dessa vida!

Denise disse...

Lolinha, você lembra dessa:

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/300-homens-recorrem-ao-conar-contra-bombril

Não sei porque os "machinhos" reclamaram se o humor pode tudo e o mundo é um grande parque de diversões...

Nomeou-se sonhadora. disse...

O triste é que eu vi e passou despercebido pra mim :/

Luiza disse...

Lola, seu post está maravilhoso! Estou vendo pessoas no Facebook que nunca pararam pra pensar sobre o machismo agora discutindo sobre. Parabens mesmo.

E estamos vendo um aumento de homens indignados aqui, não? Que bom, quer dizer que o calo apertou.

Helena disse...

Enquanto isso em Two and a Half Men, Charlie e Allan se xingando.

Allan: Necrófilo.

Charlie: Ela estava bêbada, não morta. Eu aprecio um desafio.

Nada como um incentivo ao estupro numa noite de inverno.

Anônimo disse...

90% das mulheres sentem orgasmo durante o estupro, isso é bom ou isso é ruim?

lola aronovich disse...

Eu só ia deixar o comentário da Helena, que dá mais um exemplo do que é cultura de estupro. Mas o anônimo é uma ótima amostra dos comentários que venho deletando hoje. E que prova que o que falei sobre a reação de muitos homens sempre que falamos de estupro é verdade. Descaso, mentiras, piadinhas, ofensas. A vc, anônimo das 20:04, e a todos os idiotas, o meu mais sincero MORRA.

Emanuele disse...

Estudo em uma universidade Federal e, como os professores estão em greve, não há tanto movimento como em um período normal (na verdade, está praticamente deserta).
Durante Julho, o setor de segurança mandou um e-mail para a comunidade acadêmica alertando para não andarmos sozinhos, pois com menos pessoas circulando estaria mais perigoso. Só disseram isso.
Como eu estava indo mesmo em julho (ou seja, ninguém MESMO por lá) e passando o dia todo, quis tomar um banho (muito normal, há banheiros disponíveis para isso), mas quando minha mãe viu a mochila com outra roupa e tudo mais me impediu.
Ela conhece um rapaz da segurança que disse que, na verdade, aquele e-mail foi mandado porque aumentaram e MUITO os casos de estupro nesse período lá na universidade. Mas NADA foi divulgado!! Do jeito que falaram parecia apenas uma alerta de rotina e tão somente isso!!
Vocês, homens, não entendem, mas para nós a pior coisa que pode acontecer é ser estuprada. Por que não saímos à noite sem companhia? Por que vocês mesmos se oferecem para nos acompanhar? Porque vocês sabem o que podem acontecer, só não querem admitir. E por isso eu não posso nem ao menos tomar um banho na minha universidade.

Anônimo disse...

NADA PREZADO ANÔNIMO

O sr escreveu a seguinte merda:
"90% das mulheres sentem orgasmo durante o estupro, isso é bom ou isso é ruim?"

De onde vc tirou esta estatística? Se for verdade(o que duvido) estupro é CRIME, NÃO É SEXO, seu misógino ignorante e ridículo!
Queria ver se tua mãe(o que acho difícil porque vc deve ser filho de chocadeira) ou tua filha(se não tem, um dia pode ter) fosse estuprada se vc iria querer saber se ela teve orgasmo!
Muitos diriam que vcé gay, mas, não acho que seja porque vc NÃO É MACHO O SUFICIENTE PRA ISSO!
Acho que vc é um homenzinho doente, ignorante, misógino e que precisa ser internado antes que vá cometer algum crime contra uma mulher ou até memso uma criança, sujeitinhos como vc são capazes de tudo.

Sawl

Nina Levy disse...

De onde surgiu esse Anônimo infeliz das 20:04 com esse número?? É o quê, estatítica de filme pornô?

Olha, eu estou revoltada com a repercussão nos homens. Já leram os comentários do UOL? Inacreditável. Poucos, mas muito poucos mesmo, têm empatia por mulheres. É preocupante e assustador.

Hoje de manhã li seu post, e, mesmo sem comentar (sei que ando meio sumida, mas estou numa correria danada de trabalho) compartilhei no Facebook. Ótimo post, Lola, como sempre! E, graças a seu post, acho que vamos conseguir derrubar mais uma propaganda machista absurda! Vamos continuar a pressionar.

Karen Arguedas disse...

Lola, vc nunca pensou em abolir o post anônimo do seu blog? Isso dificultaria um pouquinho a vida dos imbecis, e facilitaria um pouco a sua, não?

Até pq msm q o cara tenha q criar um perfil falso p comentar, se ele for um pouquinhozinho inteligente q fosse, ele saberia q seria muito mais facil rastrea-lo do q postando como anonimo simplesmente.

---

Excelente post.

Anônimo disse...

Anônimo da 20:04
Você deve ser um lixo de ser humano.

Anônimo disse...

O Anônimo das 20:04 é um homem doente, indigno, ignorante e misógino.
Será que ele pensaria mal da própria mãe se ela fosse vítima de violência?
Este sujeito deveria ser internado no hospício pois é um perigo pra mulheres(e talvez até crianças!).

Luiza disse...

Lola, eu faço uma sugestão: se os posts ofensivos continuarem chegando, faça uma compilação e depois poste-os como citações, sem colocar a autoria. Sabe, para que os homens que postam aqui e pelo menos tem nome vejam o que muitos companheiros de gênero realmente pensam, porque na cabeça deles somos todas exageradas, mesmo.

Teorema disse...

Mulheres de biquinis em comercial de cerveja, vcs falam que é o machismo criando a mulher objeto. Agora a mulher pegar sua camera e ficar de calcinha e sutiâ e tirar foto em frente ao espelho para o LingerieDay, isso pode. Dicotomia, dois pesos duas medidas.

Bruno Giraldi disse...

@Ana, @Mih e @Lola,

Longe de mim dizer que o que está sendo de fato debatido aqui não é válido. Fiz um comentário limitando e deixando claro que discordo apenas da apologia ao estupro no comercial da Schin. Realmente acho exagero. Acho interessante ver que isto também é visto de outra maneira. Entendo mas não sou obrigado a concordar. Quanto a resumir tudo a ismos realmente exagerei.
Este debate é fantástico, mas de forma efetiva não atinge a grande parcela carente de informação e influenciada pelo mal costume, muito menos aqueles que podem fazer algo de fato para mudar essa cena.

nando disse...

Estas propagandas de cervejas são de um preconceito atroz,e incrivel que ninguem faz nada em relação á isso: É mulher,é negro,é homossexual,que mais eles vão querer,que liberdade é essa que não respeita o próximo .

Sara disse...

calma gente o anonimo das 20.04hs só esta repassando os resultados das pesquisas realizadas pelos respeitadissimos institutos DATA FODA-SE E AS VOZES ME DISSERAM .....

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 347   Recentes› Mais recentes»