sábado, 9 de junho de 2012

GUEST POST: A QUESTÃO DE GÊNERO EM CONTÁGIO

Vi o filme Contágio ano passado, gostei pacas (adoro catástrofes com fim de mundo e epidemias), fiz várias anotações... e, pra variar, ainda não tive tempo de escrever sobre ele. Felizmente a Susana fez uma análise muito melhor do que qualquer coisa que eu poderia bolar. Tive o privilégio de conhecer Susana de Castro em março, quando ela me chamou para dar uma aula inaugural na UFRJ, onde é professora-adjunta de Filosofia. Depois ela e a Amana me convidaram pra participar de um grupo de pesquisa em gênero, e eu, claro, aceitei correndo. Eis o que Susana achou de Contágio (tem spoilers; veja o trailer legendado pra ver do que se trata).

Contágio (2011) de Steven Soderbergh é um filme incrível para quem estuda a problemática do gênero nas grandes mídias. Há uma clara inversão entre os estereótipos dos papéis de gênero. Neste filme os homens são os traídos, não as mulheres; também são eles que colocam a família e os laços de amizade na frente do dever e do trabalho. Ao contrário do que em geral se espera, não temos os encontros românticos entre pares famosos. Matt Damon não acaba junto com Gwyneth Paltrow (sua esposa adúltera), ou com Kate Winslet (uma diligente médica epidemiologista que o entrevista no hospital). Mais ainda, a primeira morre no início do filme e a segunda na primeira meia hora. 
O filme retrata o rápido contágio da população mundial por um vírus letal. Começa no dia 2 do surto, isto é, quando a personagem de Paltrow está à espera de sua conexão que a levará para casa, depois de uma viagem de negócios a Hong-kong -- com uma rápida parada em Chicago para um encontro amoroso extraconjugal. Uma representante da Organização Mundial da Saúde é enviada a Hong Kong para investigar a origem do vírus e, mediante as imagens da câmera de vídeo interna do cassino visitado pela personagem de Paltrow, consegue identificá-la como tendo sido a primeira a contrair o vírus (todos aqueles com quem entra em contato são os primeiros a morrer). 
Mas é só ao final do filme, quando a vacina para a cura já foi descoberta, que a câmera onisciente mostra ao espectador como de fato o vírus foi produzido e transmitido. É muito importante prestarmos atenção à construção das personagens da epidemiologista e também a da cientista que descobre a cura. 
Ambas são caracterizadas como imbuídas de um tipo de heroísmo atípico para as representações das mulheres nos filmes de massa. Para constatar isso, basta que descrevamos duas cenas: quando constata o seu contágio, a primeira coisa que a epidemiologista faz é buscar os telefones de todos que estiveram com ela no hotel em que estava hospedada para avisar-lhes da situação, e quando já no leito improvisado de uma quadra de esporte ouve um paciente ao seu lado reclamar de frio, seu último gesto é o de tentar lhe passar o casaco que a cobria; morre deixando o casaco cair no chão. 
A cientista que descobre a vacina da cura age de modo heroico ao aplicar a vacina em si. Para provar a eficácia ou não do remédio, visita sem proteção o pai doente no hospital. Quando ao final é chamada pelo seu chefe para receber as honras pela descoberta, não se mostra nem um pouco lisonjeada, ao contrário, lembra-lhe todos os que foram sacrificados. 
Para completar essa descrição das personagens femininas no filme, voltemos à personagem da representante da OMS, interpretada por Marion Cottilard. Sequestrada por seu companheiro de trabalho -- a população de sua vila natal havia sido quase toda dizimada pelo vírus, e ele pretendia usá-la como moeda de troca para receber a vacina, logo que ela fosse descoberta --, ela foge do aeroporto quando descobre que a vacina que lhe foi entregue como resgate por sua vida, continha, na verdade, placebo.
Cabe finalizar essa rápida descrição do filme falando rapidamente dos personagens interpretados por Matt Damon e Laurence Fishburne. Ambos são homens sensíveis, dedicados pais e amantes amorosos, cuja principal preocupação é com o bem estar de seus entes mais próximos. Matt Damon é o marido desempregado que cuida do enteado enquanto a esposa faz viagem de negócios em Hong Kong. Fará de tudo para que a filha não seja também contagiada, depois que a esposa e o enteado morrem. 
Fishburne mostra-se excepcionalmente preocupado com o estado de saúde da amiga, a epidemiologista. Uma preocupação atípica para o padrão de relacionamento chefe e subordinado. Quando sabe que as saídas das cidades serão fechadas, pede à namorada que saia imediatamente da cidade em que está e venha ao seu encontro. Ao final do filme forja um suposto casamento para receber de presente duas vacinas. Aplica uma no filho do faxineiro do trabalho e a segunda na namorada.
Vejam: é claro que homens podem ser ‘sensíveis’ e mulheres altruísticas, mas na maioria das vezes, os estereótipos prevalecem. As mulheres são os seres emocionalmente desequilibrados e fisicamente frágeis que esperam um herói que as libertem de uma situação de risco, e os homens são, pois, os heróis que enfrentam todas as dificuldades para salvar o mundo e a namorada (lembremos aqui dos dois últimos papéis marcantes de Damon e Fishburne, o primeiro como Bourne na trilogia Identidade Bourne, e o segundo como Morpheus da trilogia Matrix). Achar filmes como este de Soderbergh é difícil, mas quando o encontramos a satisfação é tão grande que queremos compartilhar a descoberta.
Com seu olhar treinado, a Lola é uma grande ‘garimpeira’ de filmes desse tipo. Suas críticas de filmes são sempre argutas para a questão da representação da mulher, por isso fico feliz em poder compartilhar com seus leitores e leitoras o meu entusiasmo por esse filme.

72 comentários:

Helô Righetto disse...

Oi Lola, td joia? sou fãzona do blog mas acho q nunca comentei por aqui. Bom, meu comentário não é sobre esse post, mas acho q deixar um comentário aqui é a maneira mais fácil pra falar com vc né? queria deixar uma dúvida: como explicar feminismo e sexismo pra uma adolescente? pode parecer uma pergunta meio besta, afinal poderia explicar e ponto, mas é delicado lidar com adolescentes - deixa eu contar exatamente pq estou perguntando isso: minha filhada de 15 anos acaba de mudar o nome dela no twitter pra "sou do meu namorado" (usando o nome do namorado especificamente). achei meio perigoso mas não sei como falar isso pra ela sem ser a "tia chata". tentei me lembrar de quando eu tinha 15 anos e acho q não compreenderia se alguem viesse me falar sobre como um ato q parece apaixonado é tão perigoso. essa mesma afilhada esta para fazer uma festa de 15 anos e me mandou o convite no nome do meu marido (Sr. Fulano e Sra.) o que é uó, pra falar o mínimo. Fiquei muito incomodada qdo recebi esse convite e varias pessoas no twitter me aconselharam a explicar pra ela o tanto q isso é errado. Mas nao consegui, a cabeça de adolescente dela com certeza nao ve isso como sexismo, exacerbação do patriarcado, vê como algo "chique" (eca). Você tem alguma dica de como falar com uma menina adolescente sobre feminismo?? Bjs e obrigada, Helô

Gabriela disse...

To começando a adquirir, pouco a pouco, esse faro Lolístico pra observar filmes com uma ótica feminista. Isso também deve ser contagiante.

nina disse...

Pronto, estou louca pra ver o filme.


E ps: estudo administração, tô no 5º período. Super querendo fazer meu TCC relacionado aos problemas de gênero na minha área. Muita gente diz que o tema tá batido, mas eu não acho. Enquanto vir mulheres sendo tratadas do jeito que eu vejo nessa área, não acho que o tema está ultrapassado. Saiba que vou pegar muitas dicas de material por aqui :)

Bjo

Anônimo disse...

nina
resumo é simples vc vai escrever assim


as vitorias das mulheres são delas ,quando perdem a culpa é do patriarcado
homens fazem tudo errado ,mulheres fazem tudo certo
homens deveriam ser proibidos de ter cargo de chefia e assim
Sem contar em reforçar que mulheres ganham menos na mesma profissao sem explicar como ou porque.

Anônimo disse...

hahahahaha

adoro quando aparece homem como esse 14:14.

sabe qual? daquele tipo que não cansa de dizer que as mulheres ficam de mimimi, mas não fazem outra coisa além de mimimi, mimimi, mimimi...

é claro que as vitórias são das mulheres! O ranço patriarcal não larga as mentalidades de homens e (infelizmente) de muitas mulheres. Cada vitória é, sim, uma vitória das mulheres. Conforme-se.

EneidaMelo disse...

Tadinho do mascu, a Nina nem começou a fazer o TCC, e ele já tá incomodado... tsc, tsc

EneidaMelo disse...

Tadinho do anônimo das 14:35 também. Ele não gostou de ver homens sensíveis... tsc, tsc

Anônimo disse...

Olá, Lola, boa tarde. Sinceramente, não sei se concordo plenamente com este olhar feminista sobre o filme Contágio. Eu o assisti, e uma observação que faço é aquela que também está presente na crônica aqui:
"Gwyneth Paltrow (esposa adúltera), e Kate Winslet (uma diligente médica epidemiologista que o entrevista no hospital)" morrem! E como a morte tem tb um significado de punição, é importante ver que uma é adúltera e a outra foi a responsável por "prender" os contaminados em um ginásio (e acaba provando do seu próprio método quando morre como mais uma neste ginásio com os enfermos). Então, ainda que concorde que o filme apresenta uma visão interessante sobre a representação do homem e da mulher, não podemos nos esquecer que há uma moral de punição que recai sobre as duas - uma trai o marido e outra trai a relação afetiva entre médico-paciente-familiares. Abraços, Humberto (JF / MG)

Anônimo disse...

GALERA, qdo começar a invasão mascu e os comentários começarem com desrespeito e xingamento, bora ignorar?

sério, ontem foi tudo ridículo. vamos NÃO ALIMENTAR essa bobagem de mascus? ignorar mesmo. vamos?

não vou discutir com gente que chegue com pedras na mão e seria legal a gente não poluir aqui com isso. qdo a lola chegar, se rolar outra invasão mascu, a gente só espera que ela apague e pronto. não vamos dar mais corda...

Louise Nouvain disse...

Pro anônimo estúdpido das 14:35:
Pode discutir sobre anime e mangá comigo que eu sou muito bem entendida nessa área haha,feminista e otaku com muito orgulho.
Você podia ter falado dessa visão limitada sem ter sido agressivo,eu sou apaixonada por cultura japonesa,convivi com a comunidade oriental e estou sempre lendo sobre.
Já que você quer falar de papéis de gêneros em animes,vamos lá:
A rosa de Versalhes (Versailles no Bara) de Ryoko Ikeda.Conhece?
Eu sou fã número um da Oscar,uma mulher comandante em plena época de Revolução na França.
Uma pessoa melhor do que eu pra falar sobre a Rosa de Versalhes é a Valéria do Shoujo-café,dá uma passadinha lá e você vai ver o que é quadrinho de mulheres feito pra mulheres.Aviso que sempre há obras medíocres e medianas assim como dentro do Shounen e do Seinen (público adolescente e adulto masculino,embora eu seja mulher e adore os dois gêneros).

lola aronovich disse...

Helô, muito boa a sua pergunta. Vou tentar respondê-la num post do tipo “Perguntas e respostas”, ok? Pode demorar um pouquinho... Até lá sua sobrinha já não será mais adolescente. Não, brincadeira! Tentarei ser rápida.


Nina, que legal! Faça mesmo sua pesquisa na questão de gênero. Tema batido, my ass.

lola aronovich disse...

Gente, eu concordo totalmente com a Anônima das 14:43. IGNOREM OS TROLLS. Se alguém realmente tiver estômago pra ter uma discussão com eles (Ana, Yuri e Drica, entre outros, tiveram essa paciência em outras caixas de comentários), TUDO BEM. Discutam, argumentem, fiquem à vontade. O problema, vcs já devem ter notado, é que eles só repetem velhos “argumentos”, ignoram tudo que foi dito, não falam coisa com coisa, são agressivos, e muitas vezes recorrem a copy and paste verdadeiros tratados mascus que não passam de lixo. E isso eu não vou tolerar. Pô, copiar tratados mascus num blog feminista é demais. Eles já têm os espaços deles. Eu sei que todos os blogs e fóruns mascus no Brasil somados não têm o número de visitas deste blog feminista que vos fala, mas eles precisam aprender a se contentar com o que têm. O único blog mascu com mais visitas é o de ódio do Silvio Koerich. Quer dizer, o que foi “hackeado” pelos mascus sanctos, porque o Koerich original não tinha um terço das visitas que meu blog têm – e isso numa época em que meu blog não chegava a 90 mil visitas por mês. E o blog do SK atual (agora fechado, mais uma vez) só tem tantas visitas porque, bom, a Safernet e as 70 mil denúncias que recebeu podem explicar porquê;
Estou cansada de mascutrolls vindo aqui pra falar montes de bobagem. Não quero a caixa de comentários infectada por 50 comentários de um mesmo mascu (como Fabio e Garou, só pra me lembrar de alguns mais recentes). Eles não têm o que dizer. Quem acompanha este blog sabe que não tem nada a ver com não aceitar discordância. As caixas de comentários estão CHEIAS de discordâncias, de debates, de opiniões diversas.
Uma forma de diminuir esses comentários de ódio é fechar a opção de comentaristas anônimos. Eu quero fazer isso. Aliás, costumo fechar essa opção perto da meia noite, porque os mascus, tais os Gremlins, parecem que se reproduzem nesse horário e aparecem pra invadir esse espaço. Durante 3,5 dos 4,5 anos que este blog tem, os comentários anônimos foram permitidos. Por quê? Porque, muito embora eu NÃO GOSTE DE COMENT ANÔNIMOS – acho que a pessoa deve ter a coragem de falar e assinar o que diz –, sei que tem muita gente que não sabe abrir uma conta no Google (mesmo com pseudônimo), e entendo que em alguns posts sobre estupro, aborto, violência doméstica etc, a pessoa queira permanecer anônima. E sei que é mais rápido e mais fácil comentar como anônimo. Mas, gente, abrir uma continha não leva muito tempo. Por favor, façam isso para que eu possa desativar a opção de “anônimos”. Talvez amanhã eu poste um texto com esse teor, não sei.

Louise Nouvain disse...

Lola tem um comentário furioso pra você no post anterior LOL

nina disse...

É, engraçado, né? Essas pessoas ficam irritadas com o blog, mas sempre estão por aqui.

Obrigada pelo incentivo. Não falta exemplo de problema de gênero, infelizmente. Quero começar o quanto antes, pra fazer um bom trabalho.

Ainda não vi o filme, mas vou assistir em breve, certamente. E mesmo, como o anônimo 14:37 comentou, que a morte das mulheres seja vista como uma 'punição' pro comportamento (comportamento errado, né? mulher tem mesmo que ser fiel e boazinha), acho que mostrar as mulheres de outro ponto de vista é um passo adiante. Porque o que se vê é sempre a mulher como uma pobrezinha que precisa ser resgatada por um homem - especialmente em filmes assim - como nos contos de fada.

Anônimo disse...

Louise Nouvain disse...

Pro anônimo estúdpido das 14:35:
Pode discutir sobre anime e mangá comigo que eu sou muito bem entendida nessa área haha,feminista e otaku com muito orgulho.

deve ser especialista em yaio e shoujo no maximo
hehe

lola aronovich disse...

Sempre ignorei solenemente os comentários desse Caracala, desde que ele assinava como Sex Pistol. Eu só passava os olhos pelos coments dele pra ver se ele não agredia nenhuma comentarista, como era de seu feitio. Nesses casos eu deletava; nos outros, eu (e boa parte do pessoal) o deixava falar sozinho. Algumas comentaristas me enviaram emails pra alertar sobre ele – que ele seria mascu, que o “amiguinho” que ele trouxe pra cá seria ele mesmo, que ele podia inclusive estar tentando fazer amizade com leitoras para descobrir informação mais pessoal sobre elas. E eu respondi que sim, desconfiava disso tudo, e que seria interessante avisar qualquer leitora mais ingênua. Mas ele continuou comentando, SEMPRE nesse modo passive-agressive, de morde e assopra. Eles fez isso com inúmeras comentaristas. Vinha, xingava de tudo (o coment.era deletado), aí dizia que se descontrolou e que não tinha nada contra a pessoa e tal. Agora o babaca vem fazer a mesma coisa comigo. Não vai colar. Desde ontem, todos os seus posts são deletados. Sei que ele vai levar mais 50 comentários pra “se despedir” (como fez o “amigo” que ele trouxe pra cá). Todos serão deletados assim que eu entrar no blog e notar sua presença. Sei também que ele provavelmente voltará com outro nome. Infelizmente, o blogspot não permite bloquear comentários. Então aguentem firme aí, ignorem o sujeito raivoso que não saía/sai daqui, apesar de achar este blog a pior porcaria que já viu, e vamos nos centrar nas pessoas boas e inteligentes.

Anônimo disse...

Olá, Nina, eu não sou anônimo - chamo Humberto. Só não sei postar com "nome" (rs). Então, como disse, acho que a posição tanto das mulheres quanto dos homens no filme é bastante interessante; mas ainda há resquícios do olhar estereotipado quando ambas morrem por terem, cada uma de sua maneira, traido. E mais: de certa maneira, a responsável por disseminar mundialmente o vírus é aquela que trai o marido. Enfim, temos ranços de velhas morais patriarcais e machistas no filme - ainda que concorde que há trechos e momentos de leituras bastante sofisticados em termos de representação de gênero. Em outras palavras: creio que as duas visões dialogam em uma tensão no filme. Abraços.

Louise Nouvain disse...

Anônimo disse...

Louise Nouvain disse...

Pro anônimo estúdpido das 14:35:
Pode discutir sobre anime e mangá comigo que eu sou muito bem entendida nessa área haha,feminista e otaku com muito orgulho.

deve ser especialista em yaio e shoujo no maximo
hehe

9 de junho de 2012 15:54

Pena de gente imbecil e preconceituosa igual você anônimo covarde.
Eu conheço todos os gêneros,shounen,shoujo,yuri,yaoi,josei e seinen.

Leio desde os clássicos do Mestre Tezuka,passando pela excelente Kaoru Mori de Otoyomegatari,pelo insano e excelente Kentaro Miura,pelas divas do Clamp,pelo mestre Urasawa e muitos outros.

E você anônimo covarde,me fale um título ou um autor que você tão "superior" KKKKK gosta ou conhece.

yulia2 disse...

esse sex pistol nunca me enganou...
toda vez que a coisa apertava pro lado dele, ele peidava na farofa

Anônimo disse...

Louise Nouvain disse...

voce pode conhecer varios generos ,mas conhecer não é o mesmo que gostar ou gostar mais...


não sou bom com nomes ,mas se lista de ja lidos,vistos contar algo a minha é bem extensa tambem... exceto nos generos yuri e yaoi . Talvez seja um pouco de preconceito mas até hoje não vi uma ficção que o personagem seja gay e não gire em torno disso que vc possa dizer : fulano é gay e dai .
Se voce viu ou leu Nana to Kaoru , aposto que não gostou da tematica. ps não sou adepto de SM.

Louise Nouvain disse...

PQP tenho que escrever por extenso que GOSTO e conheço?
Vou dar um exemplo de um Yuri muito bonito que eu li recentemente no blog de uma amiga fujoshi,aqui o título pra você:
O corpo feminino da Kanno Kita,é uma one-shot.
Porque você não fala sem ser agressivo(a)? Eu falei agressivamente pra pessoa que chamou os(as) comentaristas aqui de limitadas e rídiculas,mandou elas/eles verem animes pra entender que exsitem personagens fortes nesse âmbito também,SÓ que já veio com um coice gratuito,então eu também vou dar as minhas patadas.

Helô Righetto disse...

Obrigada Lola, vou esperar seu post! ótimo fim de semana, bj

Anônimo disse...

A médica epidemiologista não morre na primeira meia hora, mas quase no final e o superior dela não forja o casamento para receber vacinas de presente, ele se casa para que sua esposa também possa receber a vacina que ele tinha direito.

sonetosdobraga disse...

lola, conselho de amigo: faça backup completo do blog (se vc já não tiver feito), migre pro wordpress e seja menos complacente com os comentários.

sério, vai ser melhor pra todo mundo...

yulia2 disse...

isso aqui bem que poderia virar um forum, com moderadores e tudo.
quem tumultuar e encher o saco deleta e bane o cara.

sonetosdobraga disse...

'isso aqui bem que poderia virar um forum, com moderadores e tudo.
quem tumultuar e encher o saco deleta e bane o cara.'

boa idéia. até pq já é, só que sem controle nenhum.

caixa de comentário não é forum, sabe. elas deveriam existir pra se discutir O POST, não pra se discutir tudo que existe no universo e muito menos dar espaço pra filho da puta ser escroto.

Anônimo disse...

coisa que você mesmo está sendo, hein, sonetosdobraga! Você não está no bordéu do seu pai, cara. Mais eduação, seu sem graça.

Anônimo disse...

Engraçado que eu nunca tinha me animado pra ver esse filme mas agora até que fiquei curiosa, vou confiar na sua dica Lolinha!!!!

Anônimo disse...

caixa de comentário não é forum, sabe. elas deveriam existir pra se discutir O POST, não pra se discutir tudo que existe no universo e muito menos dar espaço pra filho da puta ser escroto.

Concordo, tem gente que abusa demais, deve ser carência, sei lá.

sonetosdobraga disse...

'filho da puta' certamente não soou muito bem num blog feminista, malditos vícios que carregamos.
mas, creio que me fiz entender.

sonetosdobraga disse...

adotarei: 'desgraçado', 'maldito', 'nefasto', 'abjeto', 'pernicioso', 'vil' et cetera.

sonetosdobraga disse...

e quanto à educação, infelizmente vou ficar devendo pois estudei em colégios públicos num estado governado pelo PSDB. 'educação' é um conceito ao qual eu nunca fui apresentado.

Anônimo disse...

"e quanto à educação, infelizmente vou ficar devendo pois estudei em colégios públicos num estado governado pelo PSDB. 'educação' é um conceito ao qual eu nunca fui apresentado."


hahahahahahahahaha é, tá fácil pra ninguém!

Anônimo disse...

". Mas nao consegui, a cabeça de adolescente dela com certeza nao ve isso como sexismo, exacerbação do patriarcado, vê como algo "chique" (eca)."

Na minha opinião seria legal falar com a mãe dela e vocês duas juntas começarem a introduzir um pouco de doutrina feminista para a menina, ela já tem idade pra compreender.

Isso de "sou do meu namorado" tem que ser interpretado por ela de uma forma realista e não romântica, porque com base no romantismo muita besteira já foi feita no mundo (real, que dirá o mundo literário então...).

Não é fácil enfiar realidade em pessoas alienadas pelo simples fato de serem jovens demais, mas paulatinamente dá sim. Mas esse esforço tem que ser feito junto com a mãe dela, senão voce vai puxar de um lado e a mãe de outro e a menina vai continuar sendo a lindinha do patriarcado sem mesmo saber.

Anônimo disse...

yulia2 - o sex pistol/caracala tbem foi ao blog da letícia (cem homens). mesmíssimo esquema: falava um monte, se dizia espertão e que era arrojado, despojado, sei lá mais o quê. aí, bastava alguém discordar dele que, pronto, o jogo virava 180˚. aí o lugar que ele amava já era ruim e a dona do blog já não prestava.

aliás, mais um típico comentarista de blog.

Anônimo disse...

ah, pois é, agora você escreveu direitinho, sonetosdobraga. Põe a culpa no Estado pela sua boca suja. Educação se recebe em casa.

sonetosdobraga disse...

não tive casa também, porque como eu vivi a vida toda num estado governado pelo PSDB e como eles tem a política habitacional que tem...

mas poderia ser pior, eu poderia estar aí vomitando clichês pequeno-burgueses como os que você usa. 'educação se recebe em casa', que progressista! (para o século XVIII).

prefiro meus próprios defeitos e deficiências. até porque os noto.

Anônimo disse...

Se você estiver no Japão e chamar alguém de Otaku, vai levar um bem grande na cara. De verdade ou só espiritualmente. Morei 14 anos lá, o referido é verdade e dou fé.

lola aronovich disse...

Oops, desculpe, gente. Agendei um post totalmente incompleto pra hoje e esqueci de reagendá-lo pra uma outra data. Por isso que ele apareceu. Já o agendei pra uma data futura, quando eu tiver chance de respondê-lo. É um post de perguntas e respostas. E Fabio, vc não tinha ido embora? Agora vai ficar comentando como anônimo?

Anônimo (Humberto?), concordo contigo que o fato da personagem da Gwyneth Paltrow ser mulher pode ser ser encarado de outra forma, não só como uma inversão de papéis (a pessoa fora do espaço doméstico que viaja o mundo e comete adultério e'a mulher, não o marido), mas também como uma condenação dessa mulher. Afinal, dá pra interpretar como: é o comportamento de uma mulher adúltera que inicia uma epidemia que quase acaba com o mundo! Ela é quase uma Eva, né?

Anônimo disse...

"Oops, desculpe, gente. Agendei um post totalmente incompleto pra hoje e esqueci de reagendá-lo pra uma outra data. Por isso que ele apareceu. Já o agendei pra uma data futura, quando eu tiver chance de respondê-lo. "

Eu vi Lola, e não vejo a hora que você poste, é um assunto super polêmico e que vai render muito!!!! Vou participar bastante.

Anônimo disse...

"Se você estiver no Japão e chamar alguém de Otaku, vai levar um bem grande na cara. De verdade ou só espiritualmente. Morei 14 anos lá, o referido é verdade e dou fé."

Pior que vai!!! Morei só 4 anos lá.

Otaku, pra quem não sabe, é o "fanático" de forma geral. Você pode ter aqui no Brasil otakus de futebol, de religião, de carros e é sempre em um sentido perjorativo. Ninguém no Japão é otaku "por ler mangás", por exemplo, porque é uma coisa que todo mundo faz desde criança. Mas se ela só fala disso, ou só vive pra isso, não perde uma chance de mostrar que sabe qual a cor que a personagem tal usa no lenço no volume tal da revista tal, aí você é um otaku e isso tem uma conotação super negativa. É só aqui no ocidente que o pessoal acha bonitinho se chamar de Otaku, tem até um certo prestígio, mas quem morou lá sabe que isso é o mesmo que se chamar de bitolado, fanaticão, boboca enfim.

Anônimo disse...

"Existe um mito que existe há milênios e que apenas eu, Silvio Koerich o Búfalo libidinoso Reprodutor poderia desmascarar."

Ah, é né, só um homem pode dizer o que uma mulher sente. Pelamor, vocês gostam de vir aqui né? Não conseguem ficar um diazinho sem participar.

Anônimo disse...

anonimo 21:37

o X é que aqui no brasil as pessoas tem uma visão muito ruim de quem ve anime ou lé manga. desenhos é pra criança .
Aqui o gostar demais é simplismente gostar de . Nos estados unidos por exemplo nut é pra ser algo depreciativo ,mas muitos se descrevem gun nuts com orgulho.
Nerd era pra ser um xingamento ,mas tem gente que se diz ( eu por exemplo ) e acha isso legal.

Anônimo disse...

É só aqui no ocidente que o pessoal acha bonitinho se chamar de Otaku, tem até um certo prestígio, mas quem morou lá sabe que isso é o mesmo que se chamar de bitolado, fanaticão, boboca enfim.

relaxa que o pessoal daqui vê os bocós lá de harajuku e acham que todo japonês é assim rsrsrsrsrsrsrsrs ou que todo japonês acha isso super bonito e válido......normal.

Anônimo disse...

Eu acho estranho os mascuzões se chamarem de búfalos. O que tem de viril em um bicho manso, chifrudo, facilmente domesticado e que pode virar comida no primeiro sinal de fome?

Anônimo disse...

Eu acho estranho os mascuzões se chamarem de búfalos. O que tem de viril em um bicho manso, chifrudo, facilmente domesticado e que pode virar comida no primeiro sinal de fome?


hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha pois é!!!!!

Anônimo disse...

É só aqui no ocidente que o pessoal acha bonitinho se chamar de Otaku, tem até um certo prestígio, mas quem morou lá sabe que isso é o mesmo que se chamar de bitolado, fanaticão, boboca enfim.

relaxa que o pessoal daqui vê os bocós lá de harajuku e acham que todo japonês é assim rsrsrsrsrsrsrsrs ou que todo japonês acha isso super bonito e válido......normal.
È o equivalente ao torcedor doente de futebol local o cara dedica muito da vida a algo que nao vai trazer beneficio pra ele.

politica ,futebol,gosto ,hobby e feminismo não se discute... só da confusão

Flavia Vianna disse...

Primeiro, feliz naiversário atrasado!

Lola, mais um filme do Steven Soderbergh para a lista do "quero ver". Já curtia o trabalho dele em Traffic (corajoso em mostrar a questão do tráfico de drogas) e passei a admirá-lo por filmar a história do Che Guevara. A historia de Contágio me fez admirar mais o trabalho dele.

Se não me engano, entrará no circuito um filme dele sobre strippers...masculinos. Cabe discussão, pois quebra uma certa idéia de que mulheres não possuem desejo pelo corpo do homem.

Anônimo disse...

Se não me engano, entrará no circuito um filme dele sobre strippers...masculinos. Cabe discussão, pois quebra uma certa idéia de que mulheres não possuem desejo pelo corpo do homem.
-
cabe discussão porra nenhuma,mulher n~´ao ta nem ai pra corpo de homem, querem e fazer homem de puleiro, meu chefe e gordo careca velho e ta comendo a recepcionista de 22 anos dele kkk, certo ele, eu adoro camarão, se eu vou num restaurante comer camarão, eu pago e como, não to nem ai se o camarão gosta de mim !!

Anônimo disse...

22:34 -ué, mas mulher só não queria homem "bombadão"?

Anônimo disse...

22:34 -ué, mas mulher só não queria homem "bombadão"?

segundo andei lendo o estilo fortinho (magro com musculatura aparecendo ) faz mais sucesso que o bombadão.Mas ainda assim é bem longo da média.

No mais aparencia fisica é apenas um dos itens da média harmonica que as mulheres usam pra avaliar alguem.

Anônimo disse...

22:40 - ah, tá. então diga pros seus amigos que o estilo "bombadão" já foi. pq foi isso que falaram aqui há uns 2 dias, acho. vcs que entendem de homem sabem o que tá mais na moda, né. nem eu sabia.

Anônimo disse...

Meus amiguinhos ? ....do que esta me acusando... da pra imaginar

Anônimo disse...

22:50 - os que apareceram aqui dizendo o que está "in" pra homens atualmente. os que sabem o que toda mulher deseja.

Anônimo disse...

22:50 - os que apareceram aqui dizendo o que está "in" pra homens atualmente. os que sabem o que toda mulher deseja.

olha não da pra saber oque absolutamente toda mulher deseja ,mas atraves de pesquisas com uma boa amostragem da pra ter uma boa ideia do que a maioria prefere ou que desgosta menos....

Natália disse...

legal. vi o filme ano passado e não percebi essa ótima feminista, não. na verdade, me incomodou pq, no fim, SPOILER,...




... no fim a culpa era do mundo subdesenvolvido. ah, pobres países ricos q têm de conviver conosco, estes porcos sem higiene!

Anônimo disse...

"relaxa que o pessoal daqui vê os bocós lá de harajuku e acham que todo japonês é assim rsrsrsrsrsrsrsrs ou que todo japonês acha isso super bonito e válido......normal."

Ou que eles comem sushi e sashimi todo dia. Teishoku manda beijos.

Anônimo disse...

"Eu acho estranho os mascuzões se chamarem de búfalos. O que tem de viril em um bicho manso, chifrudo, facilmente domesticado e que pode virar comida no primeiro sinal de fome?

9 de junho de 2012 22:10"


Eu também queria saber.

Anônimo disse...

Sempre pintam umas pérolas de humor super maneiras no blog da Lola. Outro dia eu quase caí da cadeira com o instituto das vozes que me disseram, hoje leio essa do búfalo. Gente, vocês são demais!

Miriam

James disse...

esse blog poderia ter sim um forum acoplado, para q as discussoes fossem mais limpidas; mas assim seria muito mais dificil organizar né?

Anônimo disse...

Eu não gosto muito do design dos fóruns kkkk É desagradável de ler, e cheio de faixas e emotions. Blog é melhor, mas Wordpress não seria mal (:
Fernanda

Anônimo disse...

Fishburne mostra-se excepcionalmente preocupado com o estado de saúde da amiga, a epidemiologista. Uma preocupação atípica para o padrão de relacionamento chefe e subordinado...


No ramo de epidemiologia e outras areas que lidam com agentes patogenicos isso é no minimo algo inteligente a se fazer não é ?

Sara disse...

Nossa mascu deprê essas mulheres são umas pestes heimmmm!!!!

EneidaMelo disse...

Tadinho do mascu, como ninguém vai lá ler essa porcaria, ele posta aqui onde tem mais visitas... Carência afetiva, só pode!

Bruxinha disse...

http://odia.ig.com.br/portal/rio/pesquisa-revela-que-mulher-não-associa-mais-sexo-a-amor-1.450422


Lola, olha essa pesquisa...lembrei daqui qd li, pq parece em alguns pontos,querem dar a entender q mulher faz sexo como moeda de troca.

Larissa disse...

"Os homens nunca foram consumistas, nunca foram fúteis.
O homem, ao contrário da mulher não se importa em usar a mesma roupa por vários anos até ela ficar velha pra só depois comprar outra." A roupa deles eles não dão a mínima. Mas experimente ser mulher e usar roupas velhas, desgastadas. Homens todos de narizinho torcido com a " desleixada". Experimente não ser "fútil isto é, estra bem maquiada, bem vestida, ter gastado um tempão se arrumando. É chamada de baranga, horrorosa, canhão...

Anônimo disse...

se vcs querem ler um blog diferente deste aqui, leiam OUTROS blogs! é tão simples! por que insistir em coisa que não interessa a quem discute as questões aqui?

Vitor Ferreira disse...

Lola, achei o filme ruim. E vale lembrar que ele cai em estereótipos, como a doença ser culpa dos subdesenvolvidos, porcos anti-higiênicos que são, que a espalham pelo mundo. E, óbvio, cabe ao "primeiro mundo" descobrir a cura, para mais uma vez salvar o mundo. Pretensioso? Imagina...

Anônimo disse...

"sonetosdobraga disse...
e quanto à educação, infelizmente vou ficar devendo pois estudei em colégios públicos num estado governado pelo PSDB. 'educação' é um conceito ao qual eu nunca fui apresentado.
9 de junho de 2012 20:00"

uhauhauhauhauahuha

mt bom...

Anônimo disse...

Também não gostei do filme, o final foi o UÓ.

Alana disse...

Eu não conseguia explicar porque eu tinha gostado desse filme. O roteiro não me pareceu particularmente original, o fim não me pareceu particularmente original, eu não amei nenhum personagem... Mas eu tinha gostado. E agora tudo faz sentido. hahahahah

Alana disse...

Vitor, concordo plenamente. Não dá pra deixar de lembrar desses dois pontos cruciais.