quinta-feira, 10 de maio de 2012

O MASCULINISMO COMO ELE É

"Aquele lá é um mascu", sussurra a amiga. "Eca", responde a outra.

Nesta segunda a BBC traduziu do inglês pro português um artigo que foi logo republicado pelos principais jornais do país, como Estadão e Folha. O assunto? Masculinismo. Quer dizer, masculinismo como o paraíso na Terra, mais ou menos como aparece na página da Wikipedia (onde não há uma só crítica).
Eu sempre digo que o masculinismo teria razão de existir se fosse para rediscutir o papel do homem na sociedade e o conceito ultrapassado do que é visto como masculinidade. É péssimo (pros homens e pras mulheres) esse conceito arcaico de homem provedor, homem pegador, homem que precisa tomar a iniciativa nos relacionamentos e sair com quantas mulheres puder para não ser chamado de brocha ou v*ado, homem que não pode chorar, homem que aprende a resolver conflitos na base da porrada. 
Sou totalmente a favor do fim do serviço militar obrigatório, de campanhas que incentivem os homens a fazer exame de toque pra detectar câncer de próstata, da pílula anticoncepcional masculina, do homem ter tanta responsabilidade quanto a mulher para evitar a gravidez e para criar a prole, do combate ao estupro nas cadeias, de homens não serem pintados pela mídia como babacas inúteis incapazes de manejar um aspirador em pó, de homens não sofrerem preconceito se escolherem profissões predominantemente femininas (professor de séries iniciais, enfermeiro, empregado doméstico etc).
Mas preste atenção nesta grande revelação: nenhum dos sérios problemas descritos acima foi criado por feministas em particular ou por mulheres em geral. São tradições e velhos preconceitos que se perpetuam no sistema e ideologia que nós feministas combatemos: o patriarcado, o machismo. Ou seja, se o masculinismo realmente se opusesse a esses problemas, lutaria contra o patriarcado e o machismo.
Mas não. O que fazem os mascus? Inventam que o patriarcado acabou, e que agora vivemos num matriarcado (ou, como dizem alguns mais graciosamente, numa “sociedade b*cetista”). Negam que mulheres, gays, negros, sejam grupos historicamente discriminados. Juram que a verdadeira vítima hoje em dia é o homem branco e hétero. E elegem as feministas como suas inimigas número 1. Ou as mulheres (eles consideram que toda mulher é feminista).
Uma das centenas de diferenças entre feministas e masculinistas é de cunho ideológico. Enquanto feministas somos em grande parte de esquerda e lutamos para transformar o mundo, 99% dos masculinistas são de (extrema) direita. E não querem mudar o mundo -– querem voltar atrás. Querem voltar à década de 1950, quando eles não competiam com as mulheres (que, segundo eles, não trabalhavam fora. Mulheres pobres sempre trabalharam fora, mas para mascus, pobres não existem), quando eram os únicos provedores da casa, quando as mulheres “prestavam”, quando não existia essa porcaria de divórcio, que, junto com o feminismo, chegou para destruir as famílias de bem.
Outra diferença é que nós feministas temos orgulho de lutar pelas nossas causas. A maior parte de nós têm nome e rosto. Já os mascus... Como levar a sério um movimento que se esconde por trás de pseudônimos como ArlindãoViril, Puscifer Casey, Enigmático e Realístico, Barão Kageyama e Lobo Sagrado? Não é só no Brasil que eles usam nomes fake ou são anônimos. Nos outros países também. É só ver quem o artigo da BBC menciona. Tente encontrar esses caras. O sul-africano não existe. Se você digitar o nome do americano no Google, encontrará uma foto dele com metade da cabeça raspada, metade cabeluda, uma imagem mandando o feminismo se fu, e um artigo em que ele chama os indianos de lixo. Um líder nato.
Aqui no Brasil, os mascus idolatram um guru que até hoje ninguém sabe se, antes de desaparecer, estava tirando uma da cara deles. Eles já tentaram bolar um movimento. Fizeram até um logo. É este:
Pausa pra rir. Uma porta com um pênis ereto, é esse o símbolo deles? Eu juro que não invento essas coisas! Não tenho criatividade pra tanto.
Os mascus alegam que escondem rosto e nome porque vivem num matriarcado, e, se espalhassem seus ideais a quatro ventos, seriam despedidos de seus empregos por suas chefas mulheres (se tem um lugar onde mulheres estão em posição de poder, esse lugar é no mundo mascu). 
Mas eles mesmos dizem que não se deve falar sobre masculinismo com ninguém, inclusive com amigos de longa data e familiares, porque são logo tachados de loucos, misóginos, e pega-ninguém. Isso porque eles adotam um vocabulário próprio como mangina (pior insulto pra homem, mistura de homem + vagina), matrix, metendo a real, feminazis, gayzistas, GPs (garotas de programa), civis (todas as mulheres que não sejam GPs), e vadias (todas as mulheres). Isso os mascus mais educadinhos. Os mais extremistas -– e o que varia entre uma e outra facção é apenas a intensidade do ódio -– preferem termos como merdalheres e bostalheres. Esses são os mascus sanctos. Dois de seus líderes estão presos por fazerem ameaças e manterem um blog de ódio em que propõem estupro corretivo para lésbicas, sexo com “novinhas” (meninas de até 12 anos), morte a mulheres, gays e negros, e atentado a bomba no centro de ciências humanas da UnB, para assim eliminar vadias e esquerdistas.
Sim, nossos mascus, esses seres pacíficos que, a julgar pela matéria da BBC, apenas querem lutar por seus direitos, têm ligação com o massacre de Realengo. Em quase todos os crimes recentes de ódio contra mulheres há um dedo mascu. O atirador de Oslo, Noruega? Confere. O americano que abriu fogo numa aula de aeróbica, matou três mulheres e feriu nove? Confere. Outro que separou meninas de meninos numa comunidade Amish e matou as meninas? Confere. O assassino do Massacre de Montreal, que matou 14 mulheres e feriu outras dez (e quatro homens)? Confere. A lista é longa. Esta é apenas uma amostra grátis.
E os mascus que não pegam em armas para matar mulheres? Bom, esses, além de tentar justificar os massacres citados, também defendem outros crimes. Uma das maiores vozes do masculinismo americano (lá chamado de Men's Rights Activists, ou MRA) disse que, se fosse chamado para ser jurado num crime de estupro, mesmo que todas as provas apontassem que o acusado é culpado, votaria por sua absolvição. Outro postou na internet os nomes completos e endereços residenciais de feministas radicais, para que elas fossem “visitadas” por mascus. Eles idolatram um sujeito que se suicidou ateando fogo a si mesmo em frente a uma corte de justiça nos EUA. Isso porque sua mulher tinha se divorciado dele uma década atrás por ele bater nela e na filha, e a corte -- que estranho! -- não queria lhe dar a guarda da menina (ah, ele também não pagava pensão).
Portanto, mascus não são um grupo cuti-cuti como a BBC faz parecer. Aqui nossos mascus não têm coragem sequer de se assumirem mascus, porque a vergonha alheia é tremenda. Nos EUA eles são muito mais organizados... e este ano, pela primeira vez, foram chamados por uma ONG pelo que realmente são: um grupo de ódio. (Para acompanhar as loucuras do masculinismo americano, recomendo este blog -– em inglês -– escrito por um homem, que tem como missão zombar dos misóginos).
Então você nunca verá um grupo mascu fazer campanha defendendo o fim do serviço militar obrigatório pra homens. Eles não estão interessados nisso, até porque é raríssimo hoje em dia um brasileiro que não queira se alistar ser convocado. Não. Mascus querem que o serviço militar continue obrigatório, para que eles possam continuar não sendo convocados mas possam continuar reclamando do privilégio feminino. E, quando mulheres se alistam no exército, eles afirmam que as forças armadas estão com os dias contados e que o estupro vai aumentar (culpa das mulheres que se alistam, óbvio).
Você não vai ver mascu fazendo campanha por um mutirão de toque retal para detectar câncer de próstata. Claro que não. Eles fazem piadinhas com homem que se submete a esse exame. Eles chamam os inimigos de “fio-terristas”, porque a pior coisa que pode acontecer nas suas mentes homofóbicas é ter alguma coisa colocada no ânus (a menos que você seja mulher. Aí seu ânus tem que ser rosa). Não, nada de mutirão. Eles só se queixam que homens não façam exame, para exemplificar como o governo gasta dinheiro público apenas com mulheres.
E por aí vai. Pra completar, eles são o suprassumo da incoerência. Ao mesmo tempo em que se declaram eleitores de Bolsonaro e Malafaia e lamentam o fim da família, alardeiam que homens deveriam fazer “greve de casamento” (como se alguma mulher em sã consciência quisesse casar com eles) e satisfazer sua sede insaciável por sexo (lembre-se: só homens gostam de sexo) saindo somente com garotas de programa.
Mas mesmo um “movimento” totalmente frouxo das ideias como o masculinismo tem potencial pra crescer. Ele atrai o rapaz que se acha bonzinho mas não conquista garotas e conclui que elas só gostam de cafajestes. Ele atrai o “politicamente incorreto” que não pode mais contar suas piadas preconceituosas sem ser criticado por seu preconceito. O sujeito que batia na esposa até ela pedir divórcio. O carinha que não consegue conceber que uma mulher seja melhor que ele na universidade ou no trabalho. Em suma, o masculinismo atrai os homens que sentem-se merecedores do que lhes foi prometido por nascerem homens, merecedores de um mundo que felizmente está começando a ser contestado. 
E é por isso que eu faço questão de divulgar o masculinismo como ele é. Para que os incautos não sejam enganados por reportagens cor de rosa como a que foi publicada pela grande mídia esta semana. E grande mídia, por favor, saiba quem você está divulgando positivamente: anônimos covardes cheios de ódio.

613 comentários:

1 – 200 de 613   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

Parabéns, Lola!
Brilhante postagem!

:)

Bruna C.


PS.: Tinha um comentário mais elaborado sobre o que eu acho que seja a razão de tanto ódio por parte do grupo, mas como o texto é meio longo, vou deixar pra depois =]

Abraços,
Bruna C.

Marcelo disse...

Tanto odio nesse coraçaozinho...
Procure se tratar, lola.

Garou Volsung disse...

Lola, Gramsci está muito orgulhoso de vocÊ! de verdade!

Mas vai, por favor, pelo menos tente esconder um pouco mais as suas reais intenções. As mentiras estão ficando óbvias demais. As afirmações, sem nenhuma prova ou fote, diga-se de passagem, não enganam mais. A cada dia, mais homens estão percebendo o mundo como é realmente. A cada dia, mais pessoas estão descobrindo as mentiras do feminismo e do esquerdismo no geral. A revolução silenciosa já começou.

Eduardo Marques disse...

Lola, eu acho que vc às vezes é radical demais. Tanto o artigo da Wikipédia quanto o da BBC devem ser imparciais, mas mesmo o artigo da BBC tem as críticas ao masculinismo, essas mesmas que vc menciona no texto, de que não contesta o papel tradicional do homem. Não estou muito a par do masculinismo, mas a principal reinvidicação que o artigo mostrou foi a guarda dos filhos, que é preferencialmente dada às mães e alguns privilégios que mulheres têm, como bilhete de graça ou mais barato em casas noturnas, etc, que, na minha opinião, são bastante pertinentes.

O masculinismo existe e a principal serventia de um artigo jornalístico é informar. Não vi no que eles se excederam.

Marina disse...

Parabéns Lola!Ótimo texto!!
Até me assustam esse conceitos masculinistas, tão enraizados na nossa sociedade..
Essa semana mesmo, estava entrando no metrô enquanto uma moça estava saindo, de vestido,que nem curto era, mas bastou para três rapazes gritarem coisas horríveis como "Tá querendo dar, hein!"
Fico com medo disso td, e o pior é que a maioria das pessoas finge não ver...

Marina disse...

É, como esse pessoal aí em cima!!

abobrino disse...

A grande pergunta é: O que as mulheres perdem com homens querendo reinvindicar direitos? Nada, absolutamente nada.

O que incomoda nisso de masculinismo é que ele não é sobre mulheres, apenas fala de mulheres, da mesma forma que o feminismo não é sobre os homens, mas os aborda constantemente. Ou seja, dar direito às mulheres não implica em tirar direitos de homens - e não me refiro aqui a privilégios, pq privilégio não é direito. Só que isso tudo é revolucionário demais para as mulheres, tão acostumadas a ser o centro das atenções midiáticas e masculinas.

Achei pouco justo a autora tentar direcionar de forma tão agressiva o olhar das pessoas para os trolls. Pq não falar mais de temas abordados na reportagem, como a reivindicação por mais tempo com os filhos na guarda compartilhada e as campanhas para mais investimentos na saúde? Não pode? Só pode falar de trools? Masculinismo não me parece isso aqui que ocorre nos comentários do seu blog, é trollagem pura mesmo e não acho que representa o pensamento do movimento, e da mesma forma que feministas se apressam em dizer que o "Scum Manifesto" não é importante e tal, que a autora tinha muitos problemas, blá blá blá, babacas que defendem o sexismo não falam por todos os homens. O mundo têm mais homens do que a caixa de comentários do escrevalola.blogspot. Ficadica.

Só pra terminar, não sou masculinista, nem nunca me interessei em participar (falha minha), mas acho válido sim. E lembrem-se: Não é sobre vocês, é algo nosso, sobre nós, e em nada implica perda de direitos femininos. Masculinismo e feminismo definitivamente não se opõe.

nina disse...

Prevejo domínio troll nessa caixa de comentários. Boa sorte, Lolinha :D

Mari Marcondes disse...

Acho incrível como as pessoas não vêem que esse negócio de mulher pagar menos pra ir na balada acontece porque se considera que as mulheres são o grande atrativo para os homens frequentarem o lugar. Logo, é machista pra caramba, quem tem que ver isso como ofensa são as mulheres, não os homens.
E sobre a "imparcialidade" da reportagem, alguém defenderia esses jornais se eles fizessem uma matéria "imparcial" sobre neonazistas ou a kkk?
Não, né?

Lola, você é maravilhosa! <3

abobrino disse...

A comparação de masculinismo com neonazistas ou kkk foi infeliz demais, doeu os olhos.

Anônimo disse...

Pros mascus aí de cima


A maioria do judiciário brasileiro é, pasmem, masculina.
A maioria dos donos de boates são, pasmem, homens.
A saúde do homem recebe menos atenção porque vocês, na maioria, acham que exame preventivo é bobagem.

O sistema é machista. Todas as reivindicações que vocês estão fazendo são necessárias por causa desse sistema, seus otários.


Lolinha, amei o post e não te achei agressiva em momento algum. Nós não podemos nos calar diante destes equívocos.
Mascus ganhando a simpatia nacional? Era só o que faltava.

Bruna B.

Gabriele Albuquerque Silva disse...

Lola escreve mais um texto genial e super esclarecedor. Acho que esse sim merecia ser publicado em grandes sites e revistas.

Shishiu disse...

Eu já disse aqui antes: Masculinismo não tem razão de existir.
O interessante é que o machismo é um padrão tão forte e tão corriqueiro nas situações diárias que passa despercebido pelos ignorantes, que são os verdadeiros replicadores das condutas machistas.
O abobrino (nome sugestivo!) fala de um movimento pelos direitos machos vilipendiados pelo feminismo. Falar tal abobrinha (viu o que eu fiz aqui? hein? hein?) é típico de quem não tem conhecimento sobre o feminismo e muito menos sobre o papel que a sociedade impõe ao gênero.

Anônimo disse...

"E lembrem-se: Não é sobre vocês, é algo nosso, sobre nós, e em nada implica perda de direitos femininos. Masculinismo e feminismo definitivamente não se opõe."


Se exigir a maior parte das vagas em uma universidade ou em uma empresa não nos atinge, eu não sei o que atinge.
Como a Lola disse, o masculinismo quer que voltemos aos anos 50, onde a mulher era cidadã de segunda categoria, enquanto as feministas querem que a sociedade avance para a igualdade.

Acho muito válido lutar contra o serviço militar obrigatório, a desatenção à saúde do homem, etc... Mas nós sabemos, desde sempre, que essas não são reivindicações do movimento masculinista.

Estão querendo passar pelo que não são, that's the truth.

Luciana disse...

Os mascus trolls que comentam aqui ignoram TODAS as bárbaries que o tal movimento propõe: estupro pra "corrigir" lésbicas,espancamento de gays,maltrato de animais...CARALHO vocês são cegos ou se fazem de idiotas? E ainda acham que esses caras são normais?Em uma parte do texto a Lola citou um louco que ateou fogo ao próprio corpo porque a mulher se separou dele a anos devido agressões físicas nela e na filha...Como podem defender uma merda dessa?

Sara disse...

Lola por mais q eu te agradeça, ainda me sinto em débito com vc, por usar seu blog que é sem duvida o mais lido, pelo menos aqui no nosso Brasil para alertar sobre essa escória que se dizem homens.
Em um post passado alguém nos comentários linkou essa infeliz noticia da BBC, e quando eu li fiquei chocada pela maneira como foi apresentado esse nefasto movimento.
Mostrava fotos de homens vestidos como super heróis protestando em algum lugar nem lembro onde.
Em nenhum momento associaram esse movimento a todo o estrago que ele tem feito já por um bom tempo no mundo inteiro.
Acho inconcebível por parte da imprensa esse tipo de atitude.
Tb achei péssimo o enfoque que foi dado no domingo passado por um programa bem conhecido na globo, falando sobre violência domestica, que apesar das estatísticas revoltantes de violência contra a mulher, e que se pese aqui que foi louvável que se tenha dito nesse programa que quase a totalidade das mortes violentas de mulheres ocorrem no ambiente doméstico, bem diferente do que ocorre com os homens.
Achei um grande desserviço terem mostrado justamente como exemplo de um homem denunciado na delegacia de mulheres um pateta, que ficava quebrando a janela de sua “AMADA” para tentar falar com ela, sendo que não é esse tipo de homem na grande maioria que é denunciado nessas delegacias.
O que vemos são homens extremamente violentos, não só contra as mulheres, mas contra qualquer um que se oponha a seus objetivos.
Às vezes acho q a imprensa é muito manipulada no sentido de manter o machismo tão gritante que existe em nossa sociedade.

Anônimo disse...

"Não estou muito a par do masculinismo, mas a principal reinvidicação que o artigo mostrou foi a guarda dos filhos, que é preferencialmente dada às mães..."


Sabem quantos homens querendo a preferência na guarda dos filhos eu já vi?
Nenhum, zero, nadica de nada.

Na boa, eles só usam esse mimimi pra ter do que reclamar, isso sim.
Dê a guarda dos filhos para um mascu e veja ele sair correndo em 3, 2, 1...

Carlo disse...

Bom, só posso dizer que você não conhece o masculinismo e está aproveitando dessas matérias publicadas com justamente esse objetivo para dar justificativas para vocês.

O principal site no mundo sobre o assunto, www.avoiceformen.com deveria ser o principal exemplo do MRA.

O brasileiro www.reflexoesmasculinas.com.br segue a mesma linha.

Mas que bom que estamos na mídia então, logo estaremos incomodando o suficiente.

abobrino disse...

O que está ocorrendo aqui é típico: Para desautorizar todo o movimento escolhe-se a dedo a quem criticar e aponta-se para o extremista como se fosse um tipo de porta-voz.

Um cara que incentiva o estupro não é masculinista, um cara que agride a esposa não é masculinista, um tarado de metrô não é masculinista. Os homens da reportagem não me parecem ser desse tipo, assim como nenhuma feminista aqui apoiaria o controle médico da produção de testosterona nas crianças (sim, já ouvi isso, pasmem). Como eu disse, tem mais homens no mundo do que nessa caixa de comentários, mas se tem gente aí que prefere viver numa redoma a enxergar o mundo todo, paciência...

Gabriele Albuquerque Silva disse...

abobrino, a questão é que não se vê masculinistas reivindicando coisas que não interfiram nos direitos da mulher. Até hoje, tudo que vi do masculinismo foi exatamente o que a Lola expos: que as mulheres tem privilégios demais, que o governo investe muito em saúde da mulher, que a violência doméstica contra mulher não deveria ter leis e medidas especiais de combate, que mulheres estão invadindo o espaço do homem, que as mulheres estão corrompendo toda a ordem natural das coisas e etc etc.
Concordo que devam existir movimentos para dar mais bem-estar aos homens. Mas como o feminismo denuncia, muitas das coisas que causam sofrimento aos homens tem origem no próprio machismo e patriarcado. E o que muitas vezes o masculinismo quer reforçar é o machismo e o patriarcado. Então é meio incongruente.

Mari Marcondes disse...

Abobrino, vai lá, vai. Se aproxime um pouco mais do masculinismo, conheça um pouco melhor as propostas que eles defendem.
Depois volta aqui e conta pra gente o que você achou =)

Com relação aos "direitos do pai", eles são claramente apoiados pelo feminismo. Por acaso o feminismo não luta para que os homens possam ter com seus filhos a mesma relação que as mães têm? O que se vê hoje nos tribunais é apenas um reflexo da sociedade machista em que vivemos.
Caso ainda não tenha dado para entender: o machismo prejudica os homens também! (Surpresa!)

E realmente, comparar grupos de ódio é mesmo muito infeliz... só que não.

Garou Volsung disse...

Luciana:

Ao contrário do que foi dito aqui, Thomas Ball não ateou fogo no próprio corpo porque a ex se separou dele, nem era abusivo com seus filhos. Ele fez isso em profundo desespero, devido às leis misândricas existentes nos EUA, que retiraram tudo dele. Peço que antes de mais alguém aqui vir falar sobre oc aso, que pesquise na internet, e se informe mais sobre o caso. Quanto às outras acusações, são completamente infundadas também. O movimento masculinista e o MRM existe para garantir que este tipo de coisa não aconteça, e impedir a cultura de que o homem é sempre o culpado, e um monstro.

aiaiai disse...

Perfeito, Lolinha.

To tuitando cc p folha estadão e tb para a ombudsman da folha.

Os twittes são:

@folha_com
@estadao
@folha_ombudsman

peço aos comentaristas que mandem também pelo twitter ou pelo FB.

Branca disse...

Lola, acho que esse foi o melhor texto sobre masculinismo que você escreveu. Parabéns.

No entanto, seria interessante parar de encarar todos os chamados masculinistas como "inimigos". Porque, ao mesmo que existem Sanctos e radicais, existem esses carinhas normais que se sentem muito afetados com o giro da ordem mundial. E a frustração é normal, porque antes você tinha privilégios e agora não tem - e é muito fácil culpar a sociedade, a mídia e as próprias mulheres para justificar isso. Esses sim, são mal-guiados, criados para acreditar que o feminismo é um movimento para defender as mulheres e apenas nós, e não buscar uma forma de frear a agressão ("mas eu nunca bati em ninguém, EU não tenho culpa de nada") e ser tratadas com igualdade de direitos e/ou "privilégios".

É muito triste ver amigos que são boa gente reclamar do feminismo por achar que nós defendemos a entrada mais barata em boates. Um chegou ao cúmulo de dizer que as feministas eram patriarcais. Oi? O que falta é revigorar a imagem do feminismo para que não seja mais visto como uma relação dicotômica, e sim como algo beneficioso para todos enquanto sociedade.

Anônimo disse...

O cara indica o reflexoesmasculinas.com.br e quer ser levado a sério. Cê jura?

Vamos lembrar por quem o antro da misoginia já foi frequentado, vamos?
Silvio Koerich, engenheiro-de-meia-tigela Emerson, etc.


Vá catar coquinho, vá, otário.


Bruna B.

Shishiu disse...

Os dois sites que o Carlo postou são terríveis! Risíveis! O site brasileiro é claramente conservador, arcaico, porta voz de uma moral decadente (uma imoralidade, podemos dizer). O site é o reflexo de pessoas frustradas com os novos caminhos abertos pelo conhecimento. A homofobia, racismo, machismo e o falso-moralismo são moedas correntes nos posts e artigos do site. São trocadas entre os integrantes com regozijo, próprio de quem enxerga no outro a sua própria ignorância confortante.

abobrino disse...

Exato Garou, o masculinismo se opõe a opressão, mas é mais confortável assumir que todos os homens são iguais (sexismo puro), assim tem mais material para discutir nos blogs por aí.

Uma mulher que diz que seu gênero é "superior" ao masculino, creio eu, não fala por vocês, então pq os trolls daqui falam por mim?

André disse...

O feminismo é um movimento plural, o feminismo não é representado pelo SCUM, Solanas não é representativa das feministas, não são os homens que devem estabelecer as lutas ou reinvidicações que as feministas devem ter, não se deve desqualificar as mulheres apenas porque pensam diferente dos homens, não se deve reduzir a toda o movimento feminista a apenas uma de suas reivindicações, etc. Por quê o contrário pode ser feito?

Anônimo disse...

André

O feminismo existe porque a mulher é inferiorizada since 54154 a.c.
Desde quando a sociedade inferioriza o homem?

Esse tipo de questionamento é igual àquele: por que não podemos usar uma camiseta onde está escrito '100% branco'?.

Garou Volsung disse...

André:

O feminismo pode ser dito plural, mas o seu núcleo, é radical. Nestes posts mesmo da Lola, ela acaba por apoiar a posição de grupos radicais feministas, que apoiam a eugenia e o extermínio masculino em massa. Não tão legal mais né? Mas essa é a verdade que tentam esconder com tanto afinco, e por isso ela critica tanto o masculinismo. Não há um interesse real nos problemas masculinos dentro do feminismo ao contrário, desde o início o feminismo se fortalecem criticando o masculino. Mas cada vez mais pessoas estão ercebendo as mentiras.

abobrino disse...

É simple Andre: Pq um movimento bem articulado a nível mundial que não contemple as mulheres é uma afronta, só isso. Homens só podem se reunir para falar sobre mulheres, pq ao se colocar no centro, mesmo que com todo o direito e de forma justa, podem perceber que a mulher não é afinal a razão deles existirem, e eles podem muito bem encontrar essa razão em sí mesmos.

Anônimo disse...

Lola, parabéns! É isso aí. Todo o meu apoio. Adoro os posts em que você é propositiva ou ativa, indo pra discussão e pra luta. (Isabel)

Anônimo disse...

Garou


Haldol resolve.
Onde foi que a Lola defendeu o extermínio masculino em massa? (redundante, porque todo extermínio é em massa.

Você leu isso nas entrelinhas ou esqueceu de tomar o remedinho hoje?

Eu hein...

Shishiu disse...

André, o movimento masculinista nada mais é do que a insatisfação diante da igualdade. Não é um movimento relevante para a produção de um conhecimento válido, necessário. É, sim, um choro, um mimimi chato de homens ignorantes.
Como se diz na Bahia: Lugar de chorar é no pé do caboclo.

Larissa disse...

Eduardo, as situações por você citadas: "guarda dos filhos preferencialmente dada às mães e alguns privilégios que mulheres têm, como bilhete de graça ou mais barato em casas noturnas,", são situações que os homens criaram. É histórico que homens acham que cabe às mulheres cuidar de crianças. São raros ainda os homens que dão banho, trocam fralda, preparam comida. Geralmente legam isso às avós/irmãs/nova namorada, etc. Com relação às situações de privilégio em casas noturnas, foram os homens que criaram isso. Com o intuito de tratar bem as bonitonas, para obter privilégios com elas. Se há mulheres que se submetem a isso, é porque há um homem oferecendo isso a ela. E obviamente, há uma espertalhona usufruindo disso. A questão é: parou de oferecer privilégio, acaba o privilégio. Ponto final.

qwper disse...

Quando a Lola fala de mascucs ela não se resume apenas as pessoa que comentam no blog dela. Existem forums de mascus e outros lugares onde eles existem (que não foram criados para simplesmente trollar).

Por mais que o discurso masculinista (mostrado na reportagem do Estadão) seja muito bonito, quando você lê as coisas que esses caras escrevem na internet, você percebe que a intenção deles não é tão nobre assim.

André disse...

Anônimo,
O texto diz que homens são inferiorizados em caso de guarda dos filhos. A própria Lola apontou questões em que a sociedade (composta por homens e mulheres) inferioriza os homens. Direito não é questão estatística. Se a maioria das mulheres preferir ser dona-de-casa deve-se negar o direito às demais de trabalhar?

Eu não posso usar uma camiseta com "100% Branco" porque eu não sou 100% branco, mas quem quiser que use, só não vale me bater porque eu não sou 100% branco.

Patrick disse...

Lola, muita gente desdenha dos seus posts sobre masculinismo, achando que você está chutando cachorro morto. Ledo engano. Até na esquerda os masculinistas encontram espaço. Recentemente, a Carta Potiguar, dita "plural" , "multidisciplinar" e "inovadora", "ponto de referência para diálogos críticos" da intelectualidade universitária potiguar (supostamente "progressista" e de "esquerda"), publicou um artigo Falácias dos Movimentos Sociais, em que além de fazer referências ao SCUM Manifesto de Valérie Solanas (que já deveria por si só ser um atestado de incapacidade de entender o feminismo), ainda por cima vem questionar "o que aconteceu com o Feminismo para tornar-se tão próximo ao Nazismo?".

Tem dia que até eu, que sou um otimista inveterado, fico chateado com nosso panorama político.

Luciana disse...

Extermínio em massa de homens? HAHAHA meu deus é sério que eu li isso? Então pra vocês feministas são reaças malvadas que vão exterminar todos os homens do mundo e viver num sistema matriarcal e todas serão lésbicas? Tenho que rir,é muita lixeira pra se ler em um comentário só. "Leis misândricas" quem será que estupra,agride,taxa de vadia segundo a vestimenta? Que eu saiba todos esses conceitos são desses machistinhas de merda intitulados masculinistas,vocês querem retroceder aos anos 50 isso sim,estão fazendo esse chororo todo porque perder previlégio é ruim né?Aposto que vocês no fundo devem ser daqueles que pensam que tempo bom era aquele que mulher falava "sim senhor,não senhor".

Anônimo disse...

O triste, Lola, é que a mídia sabe, sim, o que o masculinismo é. A mídia brasileira sabe sobre Realengo, sobre as ameaças à UnB, sobre Oslo, sobre o massacre amish. Mas a mídia é masculina e tem MEDO do fim do patriarcado. Por isso, ela objetifica mulheres (na página do UOL, p.ex., nunca há um só dia sem bunda e/ou peitos à mostra), passa a impressão de que o estupro é sempre fruto de psicopatias particulares (negam que vivemos numa sociedade do estupro) e limita a mulher a trabalhadora consumidora de produtos de higiene e beleza.

Bruno S disse...

Lola,

acho que a qualidade dos posts pode ser medida pelo quanto incômodo gera.

Todos os problemas relatados pelo "ativistas" tem origem no machismo. Sendo que desses, o único realmente relevante é a questão da guarda de filhos.

E estou até agora na dúvida se o tal reflexões masculinas é algum tipo de piada ou se realmente alguém escreve aquilo a sério.

Anônimo disse...

Pseudônimos Lola, para não sermos perseguidos por você e suas asseclas que dizem inverdades sobre nós e tentam nos associar a criminosos doentes mentais.
Vocês distorcem o que é escrito nos fóruns, perseguem seus líderes e tentam usar de golpes os mais baixos.
Mas coloque aí:

Arlindo de Menezes, Barão Kageyama, e mais de 1600 guerreiros espalhados pela Net, uns em blogs, outros twittando, outros no Orkut, outros no facebook, outros criando fóruns.

Já é Lola, para de ficar mugindo no seu blog, vocês não param a Real.
E o twitter, com suas informações ultrarápidas, vocês ficam para trás

A outra coisa: para de usar os comentaristas de seu blog para perseguir a galera.Essa sua galera é fraca em argumentação, vocês levam um banho, ficam com cara de cu e ainda pega mal para você, Lola.

Anônimo disse...

Outra coisa:

1600 pessoas só o fórum HR...

Garou Volsung disse...

Luciana e anônimo:

Ao contrário do que é posto aqui, eu tenho provas de tudo o que eu falo. Só me pedir com educação e dentro de um debate saudável que ficarei mais do que feliz em mostrar as evidências de tudo o que eu falo. Eu nãoe scondo informação, mas me recuso a debater com quem não argumenta e só agride.

A ong que "denunciou" o MRM que a Lola disse é a SPLC, que foi desmascarada, pois recebia dinheiro do Radfem, organização feminista radical que, entre outras coisas, advoga o aborto seletivo de fetos do sexo masculino. por isto classificou a SAVE, organização interessada em ajudar vítimas de violência doméstica, independente do sexo, de ser misógina. E assim, pouco a pouco a verdade vai aparecendo.

Carlo disse...

Shishiu,

pelo visto você não visitou os sites (principalmente o americano do qual você não comentou nada).

Sobre o seu comentário sobre o site brasileiro (www.reflexoesmasculinas.com.br) então qualquer lugar que um maluco frequentou deve ser fechado, ou perder a credibilidade? Acho uma boa política até! Imagino que você saiba quantos lugares que você acha importante seriam fechados, certo?

Mas concordo com você que a visão do brasileiro é bastante conservadora, por isso que citei primeiro o www.avoiceformen.com

Bruno S disse...

To vendo que "as vítimas da Lola" vão fazer da caixa de comentários um festival de besteiras.

Carlo disse...

Garou,

muito bom encontrar um masculinista de verdade por aqui. Esse pessoal que só sabe agredir deve ficar surpreso de que nós lemos ambos pontos de vista.

Anônimo disse...

Lola, não apaga o anônimo do meio-dia que eu quero usar o que ele disse pra convencer minhas amigas a entrar na luta. Tem mulher achando que é só ignorar o machismo que ele desaparece... Anônima Beócia

Shishiu disse...

Tsc, Tsc. Não tem como levar a sério pessoas que pensam em argumentar (e o fazem mal) com base em um "movimento" tão ridículo como o dito masculinista. É digno de riso ver esses néscios se agarrarem tão desesperadamente a um discurso vazio. Beócio se pisa na cabeça, metaforicamente falando, é claro.

Garou Volsung disse...

Carlo:

Somos muito mais do que as pessoas pensam. A cada dia que passa, mais homens percebem a verdade, mais homens entende os problemas que enfrentamos na sociedade. Mesmo não se identificando como masculinistas, a mente do homem está mudando. Esta é a revolução silenciosa que está acontecendo, não só por aqui, mas em todo o mundo.

Branca disse...

O site "A voice for men" tem como header "teoria de contraataque masculino na Era da Misandria". E a página de "Missão" tem como primeiro tópico "Como não se fuder" (literalmente).

Eu dei uma olhada no site e... realmente é pra levar a sério?

Douglas Araujo de Moura disse...

Lola, a Wikipédia possui livre edição. Dê sua contribuição ao artigo sobre masculinismo ;).

Bruno S disse...

Branca,

é por isso que pouquíssimos assinam os próprios nomes.

Os caras tem vergonha da "causa" que defendem.

Shishiu disse...

O fato Carlo, é que você citou o site brasileiro. Não há nada naquela página que referencie um conhecimento útil, válido, moderno. Não são só os posts que se mostram conservadores, os artigos são reacionários e cheios de pré-conceitos.

Carlo disse...

Branca,

a pergunta é: você leu?
E mais, porque não pega a matéria mais recente: http://www.avoiceformen.com/updates/news-updates/save-demands-apology-from-rep-zoe-lofgren/

Onde a pressão de uma organização feminista tentou acabar com uma Ong que ajuda TODAS as vítimas (homens ou mulheres) da violência doméstica.

(Todas as mulheres são culpadas? Não, mas se não fosse o movimento MRA apoiando a Ong SAVE o desfecho teria sido outro)

Anônimo disse...

ONGs: braços pagos pelo esquerdismo mundial para perseguir quem não reza a sua cartilha!
Portanto uma ONG criminalizar um movimento, não é estranho...

Carlo disse...

Shishiu,

citei o brasileiro mesmo, porque ele pelo menos aponta problemas sobre verdadeiros comportamentos femininos e mais, ainda retrata os comportamentos masculinos que achamos errados.

Como por exemplo, ser "pegador" ou "cafajeste" em nenhum momento é apoiado.

Apóia a maior responsabilidade do homem perante aos seus filhos e o sentido da instituição que é o casamento.

Existem artigos ruins? Sim, mas pelo menos eu não deixo de citar um fonte por ela não ser perfeita.

Carlo disse...

Anônimo,

na verdade foi um movimento que tentou criminalizar uma ONG, você consegue adivinhar qual movimento foi esse?

Shishiu disse...

Anônimo das 12:25, é pra rir? HAUhUAHUAHAUHAUHA
Adoro ser gozado...

Branca disse...

Carlo

Não vi em nenhuma parte do artigo dizer que o movimento feminista tentou fechar a ONG, e sim citando uma deputada que falou mal da SAVE. Também cita um exemplo de uma pessoa que abusou da lei de proteção à mulheres nos EUA.

Onde diz que o movimento feminista tentou fechar a ONG?

Anônimo disse...

Garou,
meu rapaz, não percebes que este post é encomenda pronta?
não percebes os pontos de vista tendenciososos e manipuladores, claramente de ma fé?
Rebata no twitter, irmão, com argumentos poderosos e junte-se aos outros guerreiros, ninguém segura o twitter, nem as misândricas desse blog.
Grande Abraço.
Não adianta debater com educação aqui, eles não tem a sua integridade, isso para eles é desconhecido, bem como honra.
Vai na fé

Garou Volsung disse...

Branca:
http://www.avoiceformen.com/feminism/feminist-lies-feminism/southern-poverty-law-center-linked-to-hate-activity/

Só procurar na internet que é muito fácil de achar essas informações.

Link em inglês.

Shishiu disse...

Carlo, eles apoiam o casamento e uma responsabilidade dos homens perante os filhos porque rezam por uma cartilha ideológica e moral católica-cristã. Ou seja, a conclusão que os energúmenos usam e que você diligentemente usou aqui é construida de maneira preconceituosa e conservadora. Não há nada de louvável quando eles se pronunciam por valores como o casamento ou a monogamia. A (i)moralidade que eles pregam é capenga, usa muletas.

Garou Volsung disse...

Anônimo:

Eu confio que tem muita gente desiformada por aqui. Sei que existem pessoas de má fé, mas tem outras pessoas que podem ser só curiosas, e não sabem oq ue realmente acontece. É por estas pessoas que eu estou debatendo. E claro, para que outras vejam que sabemos de suas mentiras, e que estamos atentos.

Anônimo disse...

Lolinha está desesperada, e as criadoras de gatos viciadas em prozac choram =D

Carlo disse...

Branca,

você está correta, no texto não cita as ligações da deputada.

Confundi os problemas que a SPLC causou com o caso da SAVE.

Peço desculpas.

Elisandra disse...

Lola,

Eu não sou feminista, mas gosto muito, muito mesmo de ler seu blog porque ele me resgata da alienação.

Luciana disse...

Ótimo texto Lola! Cheio de verdades e fatos que comprovam que o masculinismo não luta por nada que os próprios adeptos (mascus covardes) reclamam. Já era de se esperar que a “grande” mídia fosse defender o masculinismo. Espero que os leitores questionem esses tipos de “notícias” dos portais da direita elitista, preconceituosa e racista. Felizmente, muitas pessoas tiveram consciência e viram que os psicopatas dessas barbaridades são um grupo de ódio, e agem para combatê-los.

Espero que muitos leiam o seu post e reflitam!

Agradeço por ser essa pessoa maravilhosa que luta pelo bem estar de tod@s! Você é 10, Lolinha!

Branca disse...

Garou

Li o artigo, e procurei no Google em outras fontes (o que todo mundo deveria fazer, seja quem seja) e realmente, é verdade. Conheçço também o trabalho da SAVE, e me parece uma organização muito bem-intencionada que evita criminalizar os agressores de imediato, buscando que sejam conscientes do mal que fazem. E me entristece muito que hajam fanáticos que interpretam o feminismo dessa forma, como se fosse uma guerra sangrenta, em vez de sentar e conversar.

Mas Garou, isso não invalida o movimento. Assim como a Inquisição não é a Igreja Católica, nem os Panteras Negras são o Movimento Negro. Qualquer movimento é feito de pessoas, e pessoas são diferentes umas das outras. E que hajam loucos de uma parte ou outra não invalida todo o movimento, nem significa que o feminismo não vale nada.

Sara disse...

O triste, Lola, é que a mídia sabe, sim, o que o masculinismo é. A mídia brasileira sabe sobre Realengo, sobre as ameaças à UnB, sobre Oslo, sobre o massacre amish. Mas a mídia é masculina e tem MEDO do fim do patriarcado. Por isso, ela objetifica mulheres (na página do UOL, p.ex., nunca há um só dia sem bunda e/ou peitos à mostra), passa a impressão de que o estupro é sempre fruto de psicopatias particulares (negam que vivemos numa sociedade do estupro) e limita a mulher a trabalhadora consumidora de produtos de higiene e beleza.[2]

Rose disse...

Parabéns Lola, post completíssimo. A mídia é uma grande disseminadora do masculinismo nacional (leia-se os babacas frustrados que, por razões óbvias, odeiam ver nas mulheres os fracassos deles)É uma vergonha ver como são tratadas as questões feminista (os direitos femininos), a violência de gênero - se um homem mata, ele teve "ciuminho" e é tratado como um suposto suspeito sem nome sem rosto, quase vítima do seu descontrole emocional. Se uma mulher (raramente) mata, é uma assassina cruel, colocam detalhes da vida dela e a condenam abertamente (mesmo ela sendo suspeita).
PS.: O estadãoLindão e a FolhaViril nada mais são que dois redutos masculinistas.

Carlo disse...

Shishiu,

no site não obriga ninguém a casar e ainda fala que não é um bom negócio para os homens (ou seja, você com certeza nunca leu nada do site, ou se leu já esqueceu tudo)

Mas cita as vantagens sociais evolutivas geradas pelo casamento.

E o máximo que eles dizem é, se uma mulher não é monogâmica não busque relacionamentos sérios com ela.

Quer dizer então que por exercerem um direito de escolha eles são capengas? Eles não ficam obrigando as mulheres a serem monogâmicas o.O

Carlo disse...

Branca,

concordo com você, uma parte do movimento não invalida o resto como um todo. A questão é que é muito fácil o movimento feminista nunca lembrar as loucuras que tem.

Branca disse...

Aliás, Carlo e Garou, estou lendo o site do "a men's voice" com calma. Já li dois artigos (leio bem rápido) e, apesar de não concordar e de sentir até certa repulsa por alguns conceitos, vou ler até o fim pra poder argumentar com propriedade.

Li também o caso de Thomas Ball. Fui no google e peguei acho que o primeiro artigo que saiu, que tinha junto a última carta de Ball. O artigo é muito bom, culpando quem realmente deve: a organização que mal-informou a mulher de Ball, que obviamente tinha medo de que o marido tivesse batido na filha e feito ela sangrar por pura maldade. A carta de Ball, no entanto, é cargada de ódio às mulheres em geral, chamando o homem de "Rei do Castelo", e que as leis protecionistas evitam que "o Rei possa voltar para seu castelo".

Se pode entender o desespero e o sofrimento desse homem, mas ele mesmo diz que não pôde se comunicar com a mulher por meses antes que ela pudesse esclarecer o que havia acontecido, e por que chamou a polícia.

Carlo disse...

Sara,

esse tipo de comentário mostra como você não sabe nada sobre o MRA ou MRM.

Branca disse...

Carlo, nenhum movimento (NENHUM) relembra suas próprias loucuras e idiotices. Mesmo porque a maioria dessas loucuras foram causadas por interpretações do cerne do movimento, que não tem, em última instância, relação com o movimento original. O feminismo nunca, em momento algum, defendeu o extermínio de homens nem de meninos, e não diz que as mulheres são superiores. Creio também que os masculinistas nunca disseram que "mulher boa é novinha", como os Sanctos, nem defendem os estupros. E no entanto...

Há que diferenciar as coisas. Não é porque um grupo de autodenomina feminista que é. Nem um masculinista. Nem um antiracista. Etc.

Shishiu disse...

Carlo, a questão não é obrigar alguém a fazer o que quer que seja, a questão são as idéias falidas do site. O aconselhamento em não se casar/namorar com mulher que não seja monogâmica vem de onde? Todas as conclusões aparentemente inofensivas e plausíveis que esses caras chegam tem que fundamento?

Iara disse...

Adorei o post !
Tenho uma opinião em relação a esses mascus, até por ter conhecido alguns, sempre tive a impressão que esses homens que adotam esse discurso, todo esse ódio direcionado as mulheres no fundo tem problemas em lidar com sua sexualidade, ou seja, não aceitam a natureza, me chama a atenção ver como eles fazem questão da compania masculina, só se sentem compreendidos por outros homens iguais a eles.Sempre que penso em um mascu , penso em um gay de closet, alguém capaz de matar todo mundo , colocar fogo no planeta, apenas porque não consegue aceitar sua propia sexualidade.

Garou Volsung disse...

Branca: Quanto ao feminismo, o que acontece é que, mais parece que é um movimento de ódio, e que algumas pessoas não tão bem informadas acabam por tomar uma postura mais "leve". Mas você, pelo menos leu o que enviamos, e está percebendo a verdade como ela é. Quanto as nossas críticas do feminismo, peço que procure saber da história de Erin Pizzey e como o seu abrigo foi embargado pelo feminismo. A Lola mencionou a pílula masculina, mas esta mesma foi criticada e embargada pelas feministas. o médico responsável, um brasileiro, inclusive, que disse isso. A informação está aí, para quem quiser ver.

Carlo disse...

Branca,

não creio que no Avoiceformen tenha artigos com "ódio as mulheres em geral", mas pode ter sido uma falha de interpretação de um de nós. Eu até vi eles com raiva das feministas em geral, mas sempre explicitando qual braço do feminismo.

Carlo disse...

Shishiu,

se um cara quer casar é mais racional buscar alguém com um comportamento compatível para tal não? A psicologia mostra que os seres humanos tem um comportamento voltado para a média, então uma mulher menos promíscua tem menos chance de dar problemas.

Outra coisa é que homens também podem ser promíscuos, então se o objetivo de uma mulher é um relacionamento longo talvez devesse evitá-los também né?

Branca disse...

Garou

A verdade como ela é é que mais mulheres sofrem violência e opressão de todos os tipos causadas por homens que o contrário. Essa é a verdade.

Isso não torna o feminismo uma instituição sagrada, porém. Há falha, há interpretações equivocadas, há fanatismo e há ódio. Dentro de um grupo há pessoas de diferentes origens e experiências, e pessoas divergem. No entanto, isso não invalida o movimento feminista, principalmente porque há muito menos exemplos de violência/agressão de mulheres contra homens que o contrário. Excessivamente menos.

Sobre a pílula masculina, alguns grupos feministas podem ter sido contra, é verdade, mas mesmo a Lola menciona no artigo acima que é favor. O que tira toda a homogeneidade do movimento, começando por aí. Ninguém é passível de generañização-

Carlo disse...

Branca,

até concordo, exceto pelo fato de as feministas extremistas se chamam de tal e existe a teórica divisão de momentos do movimento.

Já os Sanctos nunca foram masculinistas, tanto que eles se denominam Sanctos. Outro fato é que o masculinismo é bastante ortogonal a esses extremistas.

Niemi Hyyrynen disse...

Meninos são sempre meninos...

Até na matéria do Estadão fica à imagem de que garotos fantasiados de super heróis, é um universo ainda meio infaltilizado este em que os mascus vivem, para eles há sempre um vilão e um mocinho né? Aliás, VILÃs

O problema é que eles crescem em meio a esta cultura e se tornam homens, violentos.

Não consigo entender essa coisa de dar "voz" ao homem, que voz? O homem já tem voz, é com ela que eles ditam regras que beneficiam só a manutenção das coisas como são, mantêm seus previlégios e querem deturpar os poucos que as mulhers conseguiram com muita luta, voz eles já tem.

O que esses masculinistas querem é GRITAR mais alto, para levar na base da opressão a melhor, manter o status de previlégio e de continuar mantendo as mulheres como cidadãs de segunda instância.

E é claro que a direita vai apoiar qualquer bobagem, seja masculinismo até a volta do facismo, (vide Grécia), pq é mais interessante manter um cenário de terror e desconfiança do que propor melhorias que beneficiem a todos, mesmo que isso signifique que os que estão no topo tenham que abrir mão de alguns excessos.

Carlo disse...

Branca,

pelo menos nos dados americanos, em questão de quantidade a violência é mais iniciada pela mulher, mas em questão de intensidade da violência quando iniciada pelo homem é maior.

Nunca vi dados brasileiros bem coletados como lá, então não sei o que dizer sobre o caso brasileiro.

Garou Volsung disse...

Branca:

Estudos demonstram que o nível de violência doméstica é praticamente o mesmo entre homens e mulheres. O estudo da Pizzey, que ela publicou em seu livro "Prone to violence" demonstra bem isso, e quase todos os outros estudos sérios também. Mas, o movimento feminista se esforça paa esconder isto, e divulgar essa mentira de que os homens são mais violentos. A verdade é que existem pessoas violentas, homens e mulheres.

Quanto a generalização, ela é válida sim, se representar uma grande maioria do que se está analisando, e a maior parte do movimento feminista é misândrica.

Branca disse...

Carlo

Até o momento li alguns que demonstram não más intenções, mas argumentos meio kamikazes. Defender a preservação da masculinidade como se conhece, por exemplo - é inconcebível em mundo onde se busca algum tipo de igualdade real entre gêneros. Outras parecem sofrer de desinformação, como a que reclama que os homens não são protegidos em caso de estupro, sendo que as feministas defendem isso TAMBÉM.

Ainda não vi nada diretamente "odeio as mulheres", masse vê críticas ao posicionamento crítico da mulher de hoje e como não necessariamente aceita o papel que deveria ser seu, como se fosse uma coisa ruim e ameaçadora. Então tenho de fazer eco a todo mundo: é chororô por perda de privilégios, mas vocÊs ainda não notaram isso.

Branca disse...

Garou

Mesmo assim, como disse o Carlo, a intensidade da masculina é bastante maior. Realmente não é desculpável que ninguém use a força com ninguém, mas muito menos homens morrem por violência doméstica que mulheres.

E não, a generalização não é válida, porque o argumento principal ("a maior parte do movimento feminista é misândrica") é falso. Se você se baseia em site masculinistas pra afirmar isso, bem... você escuta o que quer ouvir.

Shishiu disse...

Novamente Carlo, seus comentários são reducionistas e repetitivos, o que me faz ficar repetitivo, por consequência.
Você trata como se os absurdos escritos pelos masculinistas fossem só meros conselhos de gosto pessoal e não uma cartilha com idéias retrógradas. Mais uma vez, o que importa é o real significado das coisas ditas. Esses caras querem sim a manutenção de uma moral escrota que trata a mulher como um ser-humano menor.

Carlo disse...

Niemi,

mais uma que não sabe nada sobre o MRA.
Aposto que quando um mulher ataca o marido em casa, você acha certo ele ser retirado de casa pela polícia, mesmo sendo inocente.

E claro, alguém que defende direitos como você obviamente tem que impedir que aqueles com os quais você não concorda percam o direito de contestar o que está acontecendo. Nada mais óbvio que uma defensora de direitos como você querer impedir pessoas de se organizarem porque acha que tal grupo não merece os direitos que pedem.

Curioso não?

Branca disse...

E Carlo, sobre a divisão dos movimentos... bem, se eles se consideram feministas, eles se consideram eles próprios. As feministas não necessariamente os consideram assim.

Então que tal os Guerreiros da Real? Entrei no fórum e só faltei vomitar de tanta misoginia.

Garou Volsung disse...

Branca:

Eu não me baseio em sites masculinistas, mas em informação que eles denunciam, e aparecem em todo lugar. Leia o blog da Pizzey, e veja como ela conta o surgimento do feminismo, como movimento comunista e de ódio ao homem.
Que tal o exemplo de uma advogada feminista, da NOW e VAWA atacando um blogueiro masculinista?

Foi isso que Lisalyn Jacobs fez!

fonte: http://daddyjustice.com/wp/?p=184

E porque tanta desinformação aqui no blog da Lola?

Mas a verdade vai surgindo!

Branca disse...

Garou, como muitas vezes me disseram aqui em relação aos meus próprios argumentos, e reconheço, exemplos pontuais não servem como generalização. Pegue dados gerais da questão de gênero no Brasil e no mundo ,analise-os e veja o quadro geral, não a partir apenas dessa estudiosa, mas de vários. Faça cruzamentos de dados e me diga o que descobriu.

Niemi Hyyrynen disse...

kkkkk

Carlo vc tá falando sério né?

Olha, se um homem é atacado por uma mulher é claro que ela deve ser punida pela LEI, mas não se preocupe quando o réu é uma mulher a LEI pesa muito mais do que quando é um homem no banco dos acusados.

Advogdos mascus que se pré dispoem a soltar estupradores é uma prova não é mesmo?

Mascus querendo deturpar uma lei que protege a mulher de uma injustiça historica, (Maria da Penha, oi, Carlos, oi) está ai para provar o meu ponto tb.

Se não conheço nada de MRA vc não conhece nada de injustiça historica e de que cultura machista.

rs, vc me fez rir, thanx

Shishiu disse...

"E claro, alguém que defende direitos como você obviamente tem que impedir que aqueles com os quais você não concorda percam o direito de contestar o que está acontecendo. Nada mais óbvio que uma defensora de direitos como você querer impedir pessoas de se organizarem porque acha que tal grupo não merece os direitos que pedem."

É exatamente isso! Finalmente acertou uma. Não existem "direitos" a serem reivindicados pelos homens na instância da desigualdade de gêneros. O que existe, repito, são chorões inconformados.

Branca disse...

E "informação que eles denunciam", nas palavras deles, é basear-se neles. Cada um ouve o que quer ouvir, e se você busca informação nesses sites, você sabe o que ouvirá. Então não dá pra conversar.

Carlo disse...

Branca,

É chororô porque o site busca apontar falhas dessa ideologia feminista?

É chororô apontar problemas como mudanças nas leis que causam o surgimento de acusações falsas de estupro que destroem vidas e não aparentam diminuir o estupro real?

Quer dizer que perder o direito de poder permanecer na sua própria casa por causa de uma acusação sem provas é chororô de perda de privilégio? Isso era um privilégio?

Estranho como direitos humanos são privilégios para os homens.

Garou Volsung disse...

Branca:

Eu já vi, e a eles indicam todos um percentual igual. Por isto que a maioria dos estudos considera apenas a agressão contra a mulher, e nunca também contra o homem. Tática básica de desinformação feminista.

Citei o livro da Pizzey, que você não contestou.

Branca disse...

Garou

É chororô pelos argumentos, Garou. É chororô porque parecem olhar para seu próprio umbigo, em vez de ver dois lados da questão. É chororô porque é parcial. É chororô porque, se uma mulher acusa um homem de haver batido nela e continua em casa com ele, ele pode matá-la, e muitas vezes faz isso - muito mais que as acusações falsas de agressão e estupro.

É ideal? Não. O ideal é que parasse. Mas para parar o pensamento tem de ser diametralmente oposto: como fazer com que os homens respeitem as mulheres como iguais para que a lei possa parar de dar protegê-las de nós?

E vocÊ SÓ citou o livro da Pizzey. Eu não li ainda. Quais autores mais você conhece que falam sobre o tema? Já leu Simone de Beauvoir com um olhar neutro?

Carlo disse...

Niemi,

eu lamento por não ter dados brasileiros, os quais imagino que você também não tem, mas a média de penas por crimes iguais é 25% menos para mulheres em relação aos homens nos EUA. Além de maiores chances de serem soltas mais cedo.

Então eu posso estar redondamente enganado sobre o caso brasileiro, mas duvido que a Lei pese mais quando a mulher é réu.

Mesmo os piores criminosos merecem advogados, acredito que você não entende o espírito da lei e do processo judicial.

Essa injustiça histórica vai ser pra sempre? Será que essa lei também não está sendo abusada pelas mulheres? Mas claro, qualquer questionamento sobre o assunto vai ser automaticamente classificado como retrógrado.

Realmente, eu que sou retrógrado né?

Niemi Hyyrynen disse...

Outra coisa:

O movimento masculinista é um movimento de ranço sim, mas vc's viram que uma hora a justiça vai atrás mesmo no Brasil.

Quando o epsódio do Emerson explodiu vc's logo trataram de se livrar dos "discidentes" Sanctos, mas eles são crias suas, a única diferença é o grau de frustração e raiva.

Outra tática é de dizer que toda mulher é feminista, é um modo indireto de dizer que toda mulher não presta, é uma "vagabunda" já que dizer isso abertamente vai queimar o filme de vc's, até que não são tão idiotas, alguem deve ter sacado essa sutil diferença, mas o discurso de ódio está lá, até bem mais explicito do que vc's imaginam estar escondendo.

Garou Volsung disse...

Proteger a mulher de uma de uma injustiça histórica agora é impedir que um homem entre na sua casa, tenha acesso a seus filhos, sem NENHUMA prova? Eu e muitos outros acreditam que não!

Um homem não pode ser considerado culpado e ser tratado como um criminoso só porque uma mulher disse.

Branca disse...

Ademais, não apenas os homens tem de ser educados - as MULHERES tem de ser educadas, porque não é por ser mulher que você é melhor. Como as espertalhonas que entram mais barato no bar, as que se degradam na TV se achando muito espertas ,e as mau-caráter que acusam falsamente homens de causar problemas a elas.

Não seja dicotômico, Garou. Ninguém disse que as mulheres somos todas santas indo pro céu. O que dizemos é que dizer que a misandria impera hoje é negar toda a História da Humanidade. Só isso.

Carlo disse...

Branca,

então os fins justificam os meios? E qualquer questionamento deve ser ignorado?

Interessante a sua exposição, imagino se você entende porque tantos caras acham que o feminismo é autoritário.

Niemi Hyyrynen disse...

kkkk

Sim até os piores criminosos merecem advogados, para estupradores e companheiros assassinos tem um monte por aí. Mascus de todo tipo estão se formando em universidades de direito, não fica preocupado não Carlinho, tem um monte de homem branco nos tribunais para defender o seu "direito" de se previlegiado ok?

:)

Olha não sei da onde vc tira essas taticas mas deve ser da mesma revista que diz que as pessoas são levadas pela "média", média = cultura? kkk, óbvio.

Essa injustiça histórica não será para sempre se depender dos grupos que lutam pelas minorias, que já por definição exclui os masculinsitas

Branca disse...

Garou

Ué, se você for estuprado por um familiar e acusar ele, ou for agredido por sua mulher, vai acontecer o mesmo: el@ será afastado de tudo.

Agora, QUANTOS homens acusam suas mulheres quando elas fazem isso? Seu "orgulho masculino" os permite ir à polícia e dizer que apanhou da mulher? Ou que foi estuprado?

Se a resposta for sim pra maioria, posso considerar válida a justificativa. Se não, posso dizer que sua própria cabeça, inculcada com machismo desde cedo, impedem que vocÊs mesmo usufruam dos seus direitos.

Simples assim.

Anônimo disse...

Tão bonito a galera que descobriu o Twitter agora. Demonstrando o mundo moderno em que vivem.

Ah Lola, vai discutir com quem não sabe interpretar texto? Com que "vocifera a verdade para quem não sabe argumentar e deixa todo mundo com cara de cu?".

Argumentação só existe em diálogo. Se você fala uma coisa, faz carinha de mirrad@ e sai pisando duro, amig@, isso é um monólogo.

Enfim, vai lotar isso daqui. Galerinha vai até deixar de malhar na academia ou de jogar online para defender a grande honra real.

Agora, ler e pensar, que é bom, nada. Mas se alguém quiser, sugiro: propaganda ideológica, alienação, filosofia da linguagem, sistemas de governo - e por aí vai. Se ficar difícil, pode trocar por Turma da Mônica - Maurício anda errando a mão, mas ainda dá pro gasto.

Garou Volsung disse...

Branca:

Colocarei um link aqui para o site da SAVE, instituição séria, como bem viu, e não ligada ao movimento masculinista:

http://www.saveservices.org/pdf/Seven-Facts-Every-American-Should-Know-About-DV.pdf

Branca disse...

Carlo

O que não entendo é como tantos caras encaram o feminismo como ameaça, porque se conhecessem a fundo o que pretende e admitissem a lógica machista em que sempre vivemos, entenderiam muitas coisas.

Mas defender estruturas dessa lógica é um tiro no pé, e como o feminismo em geral percebe isso, os defensores da lógica odeiam o feminismo.

Carlo disse...

Niemi,

excelente forma de mudar de assunto hein?

Deixa eu te ajudar, existe um outro grupo chamado PUA, que são os caras que treinam para serem "pegadores".

O masculinismo também não apóia ele e com certeza não foi cria dele.

Mas continue tentando, querer usar um grupo maluco como Sanctos, que não tem nada a ver com MRA e que não veio do mesmo e que parece muito mais ter vindo de grupos religiosos.

Sara disse...

Em que planeta esse GOROU vive , ele quer que comparemos a violencia masculina com a feminina, pelamordedeusoudequalquerentidadequelhesejacara, o que vc esta dizendo vai absolutamente contra todas as estatisticas mundiais.
A mulher é vitima de violencia masculina em todas as partes do mundo em todos os niveis sociais, e se vcs machistas não eceitam esse dado não da sequer pra começar um dialogo que tenha algum proveito.

Niemi Hyyrynen disse...

Garou

Uma hora vc e o seus amigos se cansam de usar esse argumento do "sou pai e quero ter a guarda dos meus filhos".

Pq no bem da realidade não é isso que acontece né? Vc sabe disso, quando a mulher engravida, os companheiros muitas vezes somem, largam suas namoradas/fincantes/esposas que seja e ainda se negam a no minimo prestar auxilio financeiro para a CRIANÇA.

Esse papo de querem ter a guarda dos filhos e não podem é pura falácia, a justiça concede a guarda dos filhos para os pais em muito mais casos que vc's costumam alegar, se vc não sabe há muitas mulheres presas por não pagarem pensão alimenticia, vc mora em SP passa lá no presidio feminino de butantã pra se informar melhor querido, larga de xororô por historias que seus amiguinhos contam no orkut.

Branca disse...

Garou

Você não deve ler bem, ou teria lido em uma resposta que eu conheço o SAVE, e o apoio.

Garou Volsung disse...

Branca:

Acredito que todos devem ser considerados inocentes até que se prove o contrário. E muitos homens já foram severamente prejudicados por conta destas leis. Elas partem do princípio que o homem é sempre o culpado!

Lembrem-se de Thomas Ball!!!

Niemi Hyyrynen disse...

Ok Carlo! sou eu quem está mudando de assunto! não é vc que vem com "estatisticas" dos EUA com afirmações abstratas de 25% e de que "pessoas são levadas pela média".

PUC, MRA, GDR, Sancto é tudo a mesma coisa, são todos de direita, alguns extremistas e todos apoiam uma base "familiar" e religiosa.

Mas vc pode negar tudo isso se vc quiser, o que não muda o fato de ser mentira

Carlo disse...

Niemi,

eu sou branco agora? Quem é privelegiado não merece direitos?

Você entende o que é média? Então não deve acreditar em qualquer estudo estatístico correto?

Branca disse...

Pois é, a Niemi tem um ponto: QUANTOS são os caras que pedem a guarda dos filhos?

QUANTOS vão mesmo apoiar às claras o exame de toque? QUANTOS denunciam violência doméstica realizada pela parceira? QUANTOS depões que foram abusados sexualmente?

Vocês não vão, porque "homem não faz nada disso". E depois reclamam. Mas claro! Pra poder sanar o que desejam, precisam deixar esse conceito de masculinidade de lado. Mas não se pdoe ter os dois, são incompatíveis com a igualdade de gênero.

Anônimo disse...

Acho que uma das coisas mais legais que eu presencio é um irmão feminista. Eu olho para ele e tento pensar que um dia o mundo pode ser melhor.

Feminismo, acima de tudo, luta pelo respeito igual do ser humano, independente (principalmente) do gênero.

Tem uma passagem muito interessante na obra "A República", de Platão, que é quando Sócrates diz que mulheres e homens deveriam ter a mesma educação (lembrando que a Atenas da época era extremamente sexista). Faço meus os argumentos dele.

Carlo disse...

Niemi,

curioso eu não ser religioso e não estar preocupado com a escolha sexual das outras pessoas.

E aparentemente é uma falha moral querer formar uma "base familiar" certo?

Mas obviamente o extremista sou eu, e culpado também, pelo simples fato de ser homem e questionar o que está acontecendo.

Eu imagino se o caminho dessa discussão já não é um exemplo da posição feminista.

Garou Volsung disse...

Branca:

Eu te mostrei um link dele, em que diz CLARAMENTE oq ue afirmei: Que homens e mulheres agridem em taxas semelhantes. Só ir lá ver.

Niemi:

O pai não pode abandonar o filho. ele tem que pagar a pensão, ou vai PRESO. Isso, vcs sempre se esquecem né? Aliás, temos que pagar até antes do filho nascer. A falácia é sua, não minha.

Carol M disse...

Cara, o mundo existe em função dos homens e nego reclama do pouco que as mulheres conquistaram!

Homem tem sim que ter obrigação de cuidar dos filhos, e isso não tem nada a ver com casamento. Ser um bom independe de vc estar casado ou não com a mãe da criança!

Agora, tem que tratar mulher como um igual, pagar o mesmo salário pela mesma função executada. E isso não é nenhum absurdo.
Se a pessoa quer ser "do lar", seja homem ou mulher isso deve ser respeitado.

Só que quando vc se apoia em conceitos ultrapassados de masculino e feminino e fica achando que há papéis pré-determinados pra cada um não tem como.

Pq a monogamia e a única forma válida de relação? Pq as pessoas não podem apenas vivenciar sua sexualidade de forma livre sem serem julgadas por isso?

Como a Lola falou, se fosse um movimento que colocasse todos esses conceitos ultrapassados pra trás, e defendesse licença paternidade, guarda compartilhada, campanhas de saúde, etc, seria sim um movimento válido.

Mas se a reivindicação é ter o direito não pagar nada e sumir no mundo, só mostra que são crianças mimadas que não querem se responsabilizar por nada.

Bruxinha disse...

Concordo com quem disse que a diferença a menor em entradas de festas é, na verdade, atitude machista. Eu acho a prática um horror, porque em verdade, querem nos usar como "iscas". Abomino!

Garou Volsung disse...

Mas realmente, homens são muito privilegiados!

Por isso que somos maioria nos trabalhos mais perigosos, temos maior taxa de suicídio, morremos mais cedo, trabalhamos mais, morremos nas guerras...

Por isso que nós masculinistas lutamos tanto! para manter estes privilégios!

Carlo disse...

Branca,

quer dizer que agora defender o que é certo depende de uma quantidade de pessoas que querem algo?

Se não tem nenhum cara que quer manter a guarda dos filhos, então alterações nas leis não afetariam em nada a situação atual, correto?

Sobre uma questão sua anterior, sobre porque muitos caras encaram o feminismo como ameaça:

1- Da mesma forma que vcs citam os Sanctos, existem grupos de mulheres malucas que visam reduzir a população masculina para apenas 20%~30% das pessoas.

2- De acordos com o que ocorre no exterior, mais e mais leis estão sendo aprovadas que retiram direitos dos homens, como o direito de não ser preso sem provas. Se isso não é algo para ficar alerta é o quê?

Existem outros pontos para citar, mas sem poder colocar as fontes tudo que eu falar será ignorado mesmo.

Anônimo disse...

Vou perguntar de novo: vc tem pesadelos com mascus dando um golpe de estado e implantando a ditadura mascu? Ñ para de falar neles.

Branca disse...

Garou, não estou discutindo isso. Já vi o link. Mas vem cá, quantos homens já se divorciaram de suas mulheres porque elas agrediam eles? Ou é porque "o macho tem que zelar pela honra da família a todo custo"? Ou pior ainda: quantos delegados levaria ma sério um homem que denuncia sua mulher? Deve ser desesperador pra um homem ver-se em uma situação assim. Mas aí a culpa maior é de quem: da mulher que agrediu, ou do sistema que pensa que "homem não chora" e por isso não te leva a sério? Nenhum machista vai te oferecer apoio nesses casos, mais a maioria das feministas sim - como as daqui, por exemplo.

Os direitos não mudaram, Garou, quem mudou foi o mundo. Mas você se recusa a ver isso, sinto muito. Você está vendo o problema, mas culpando a pessoa errada.

Garou Volsung disse...

Branca:

A culpa é da mulher que agrediu sim. Se alguém agride é culpado, e mais, a culpa é de um sistema, mas FEMINISTA que considera que o homem é SEMPRE o culpado. Existe sim, essa cultura de que o homem precisa aguentar tudo, e o masculinismo quer sim acabar com isto! Você diz que no fundo é machista, nós dizemos que não importa, que é opressivo e precisa ser mudado. Você pode afirmar que o feminismo é contra isto, mas quando acontece, as feministas se calam.

Niemi Hyyrynen disse...

Hoje tá engraçado demais

Garou

Para um homem ir preso por falta de pensão alimenticia é necessário que ele deva muitos meses, quando ele é julgado muitas vezes nem preso ele vai, paga penas alternativas, vc sabe o que é penas alternativas né? Vc sabe o que é CDP e como eles funcionam? aposto que não, se soubesse, saberia que o Estado tem por recomendação não ficar "segurando" ninguem em CDP, quando podem o cara logo é liberado a divida é negociada ou ele vai pintar praça.

Quem é que ta sendo falacioso?

Carlo

Eu não sou contra a familia, sou contra a imposição do modelo Homem-Mulher casal de filhos. Familia são as pessoas que nos amam e que convivem conosco, posso incluir tranquilamente pessoas de qualquer orientação sexual ou etinia, opnião politica, coisa que Mascus não conseguem, vc's não enxergam qualquer modelo de amor que não seja o tradicional-religioso-moralista.


Branca

É isso mesmo, nenhum deles quer abrir mão da sua "masculinidade", é por isso que vê aqui chorar as pitangas

Anônimo disse...

Um dia vc sai numa reportagem assim também Lola.
Inveja mata!

Niemi Hyyrynen disse...

Garou

Concordo com vc, vc's lutam muito pelo direito de permancerem idiotas.

Tudo isso que vc acabou de reclmar é fruto da sociedade machista QUE VOCÊ está defendendo.


Parabens! :)

Garou Volsung disse...

Niemi.

Você é falaciosa sim. É bem conhecido de que, no Brasil, o que mais prende homens é falta de pagamento de pensão alimentícia. Você sabia que o homem é OBRIGADO a pagar mesmo quando SABE que o filho não é seu? Pois é!

Anônimo disse...

Lolinha adoro seu blog, mas vc esta obcecada com os mascu.

Carlo disse...

Carol M,

que MRA impede a mulher de fazer o que quiser?
quer dizer que se os homens do MRA não quiserem relações amorosas com promíscuas isso é uma forma de censura ou preconceito?

Sobre os filhos, a questão é que o feminismo defende o direito da mulher abortar se quiser certo? E acho que ela deveria ter esse direito, mas se essa é uma escolha unilateral dela porque o homem tem que pagar pensão então?

A explicação da lei é simples, defender o mais fraco, a criança não é culpada por nada. Porém, se a mulher sabe que o cara não vai querer nada porque insistir em ter o filho dele? Ou se ela não quer nada com o cara e ele gostaria de ficar com a criança, porque ele não tem direito sobre nada?

Sim, eu entendo que é a mulher que passa pela gestação, mas há uma assimetria de direitos que não é baseada na igualdade de gênero e sim justamente na desigualdade entre os gêneros.

Mas se nesse ponto a desigualdade é completa, porque então todo o resto tem que ser igual? Afinal esse não é o único fator biológico que nos diferencia.

Então a igualdade não é uma coisa simples de ser alcançada em leis e em vez de favorecer apenas um lado o meio termo, no Brasil, é impor restrições a todos.

Branca disse...

Não, Carlo... você não entendeu. Usei o "quantos" pra enfatizar que os homens, na hora do "vamos ver", normalmente não reivindicam seus direitos nem lutam pra tirar a lógica MACHISTA de que, por exemplo, a mulher que tem que ficar com o filho, porque é mulher e lugar de mulher é em casa com a prole.

Acho muito legal e muito válido um cara que luta pela guarda dos filhos, e a guarda compartilhada está aí pra esses casos, por exemplo. E a lei defende que quem tiver mais condições deve cuidar da criança. Mas na maioria das vezes o pai mesmo deixa passar, porque "é assim que as coisas são".

1) Esses grupos de mulheres malucas não defendem estupros em massa nem extermínio armado realizado como aconteceu em Realengo, com os Amish, etc.

2) Outra vez, ser preso sem provas é válido em situações de perigo real PARA AMBOS OS SEXOS. Se sua mulher te ameaçasse fisicamente e você fosse numa delegacia denunciá-la, teriam que prender ELA. E se disserem que não, é por quê? Porque

a) Mulheres s4ao florzinhas, princesas delicadas e nunca fariam mal a uma mosca (um pensamento machista)

b) Você é um fresco que se intimida por uma mulherzinha fofa (pensamento machista)

Mas a lei não é desigual, não.

Eduardo Marques disse...

Aos que me responderam, Larissa e anônimo,

A origem dessas desigualdades de que os masculinistas falam pode ser uma coisa meio confusa. Certo que mulheres pagando menos pode ter origem no machismo, e acho que as próprias mulheres deviam recusar isso, mas e a guarda dos filhos dada preferencialmente à mulher e o fato de que mulheres têm uma chance muito maior de terem relacionamentos que homens?

Eu frequento o Reddit, um site conhecido por ser bastante liberal e prafrentex, e vi, há pouco tempo atrás, um homem ativista dos direitos masculinos de lá que cometeu suicídio (apesar de ser um lugar liberal, nem todos concordam 100% sempre). Vi as postagens da irmã dele e achei deprimente a história: ele tinha 51 anos e estava impedido de ver a filha deficiente por causa da mãe (ex-esposa dele). Não acho que ele se matou só por birra ou porque estava desesperado com o fato de as mulheres estarem se tornando independentes. Vcs dizem que o feminismo luta para que os pais sejam mais presentes na criação dos filhos, mas e nesse caso, em que o pai quer ter contato com os filhos, mas é impedido por causa das lei de seu país que o consideram errado apenas por seu sexo?

Outro caso interessante também é o subreddit chamado /r/foreveralone, onde pessoas solitárias postam imagens, memes bem-humorados e também discussões falando sobre sua situação. O reddit inteiro é um lugar que abomina machismo, homofobia, racismo, etc, e essa comunidade não foge à regra. Entretanto, as pesquisas mostram que a maioria esmagadora das pessoas que frequentam aquele lugar é homem. Isso também é resultado do machismo?

Já disse que não conheço exatamente as propostas do masculinismo, mas existem coisas para as quais o feminismo está fechando os olhos, por isso esse movimento pode estar parecendo um movimento de pessoas que estão apenas querendo privilégios para algumas pessoas e deixando outras sem.

Carlo disse...

Niemi,

sendo eu altamente retrógrado, acho engraçado citar um tio e uma prima homossexuais, morando com seus parceiro(a)s.

São muito próximos e gosto muito deles, talvez até sejam as pessoas mais próximas da minha família.

Acho que você não quer aceitar é o fato de que o MRA aceita qualquer tipo de família.

Branca disse...

Garou

O pensamento por detrás "não importa"?? Mas se o pensamento por detrás do masculinismo é igual ao do machismo, só que reclamão?

Porque até o momento, depois de ler o site todo, de ir nos fóruns da Real, de buscar informações... a conclusão que SEMPRE chego é que os masculinistas são machistas frustrados, porque querem ser machões década de 50 posso-tudo mas hoje em dia as coisas mudaram. Há um descompasso entre a mentalidade e a realidade. E então vamos culpar as que estão ganhando direitos depois de milênios sem nada: as mulheres.

Desculpe, mas é que realmente vocês não vêem que o movimento de vocês é essencialmente machista, e calca em estruturas antiquadas que não casam com o século XXI. Não é um movimento de igualdade, é um movimento de reclamar contra a igualdade.

Niemi Hyyrynen disse...

Hahaha!

Pq SERÁ que o crime que mais prende homens no Brasil é a falta de pagameno da pensão hein!?

Hum....algo me diz pq deve ser pq estes homens não estão interessados em cumprir com sua OBRIGAÇÃO de cuidar da criança que eles ajudaram a botar no mundo....


hum....

Agora a parte de que o cara é obrigado a pagar pensão msm sabendo que o filho não é seu é boa, da onde vc inventou essa? Já tá apelando denovo?

XD

Bruno S disse...

Niemi,

invejo sua paciência.

Niemi Hyyrynen disse...

Depois esses mesmos fulaninhos que reclamam que homem que não paga pensão vai pra cadeia (o que não é totalmente verdade), vêm pagar de super pai defendendo o direito de ter a guarda das crianças.

Fácil, façam como o amigo Carlo não transem com mulheres "promiscuas"

Já que toda mulher é "vadia" logo: Não transem com mulher alguma!

Assim não tem bebe^não tem pensão e não tem cadeia!

:D pronto resolvi o problema do masculinismo no Brasil, outra pauta por favor

Garou Volsung disse...

Branca:

O masculinismo não é um movimento machista, nem preconceituoso, em sua essência. é um movimento que busca a melhoria da vida de homens e a militancia contra leis que são opressoras ao homem? Onde está o machismo nisso?

O que acontece é que muitas feministas querem a opressão do homem, pois consideram perigosa a idéia de um homem livre. O MRM não se importa com raça, sexo, orientação sexual. Existe MRAs gays, inclusive.

Carlo disse...

Branca,

a lei pode não ser desigual, mas a aplicação dela sim.
Não foi por isso que surgiu a lei maria da penha? Por que a violência contra a mulher não era levada com a seriedade necessária?

1- Sim, tem tantos malucos homens quanto mulheres não? Só estava dando um exemplo para o que você tinha perguntado. Afinal, os Sanctos causam preocupações para as mulheres correto? Mesma coisas feministas ultraradicais.

2- Olha, que caso é esse onde mulheres estão sendo presas sem provas? A mídia está escondendo isso agora? Uma coisa tão grave e nunca foi citado ou escrito em blogs feministas como o da Lola? Curioso.

Dri Caldeira disse...

Perda de tempo total ler os comentários dos pobrezinhos dos mascus reclamando dos maus tratos que vem sofrendo. Quem dá trela pra esse tipo de gente é igual a eles e tb merece meu desprezo.
Lola, vc só não é mais brilhante por falta de tempo! PARABÉNS!!

Sara disse...

Pelos poucos representantes desse movimento masculinista que apareceram aqui pode se medir o quanto são egocentricos, e porque não dizer gananciosos, pois apesar de tantos privilegios que ja nasceram possuindo, não admitem a mulher como merecedora de direitos iguais.
Todos os argumentos do post que foi absolutamente brilhante em suas colocações , feito pela Lola, todos os comentários tentando abrir a mente desses "homens" de nada valem, pois são pessoas acometidas de um tipo de autismo, onde não penetra a menor lógica.
Só nos resta lutar contra essa mentalidade que eles tentam presenvar a todo custo.

Patrick disse...

Niemi, eu fiz um semestre de assistência jurídica na faculdade de direito. A esmagadora maioria dos casos era pedido de pensão contra homem que fugia de suas responsabilidades, mesmo quando a pensão era tão pequena quanto 20 reais (incrível, mas eu vi esse caso!).

Do outro lado, durante esse mesmo semestre, apareceu UM homem para pedir amparo judicial porque a esposa não lhe permitia ver o filho.

Fazendo as contas, foi uma relação de umas 300 mulheres pedindo ajuda para 01 homem.

Luiza disse...

"mas e a guarda dos filhos dada preferencialmente à mulher"

Isso é sério, Eduardo?

Oras, a guarda é dada mais à mulher porque o machismo não quer os homens sujando suas lindas mãozinhas com cocô de nenê, com mamadeira, com educação, com canção de ninar.

Anônimo disse...

Niemi para de mimi e vai cuidar do seu câncer!

Carlo disse...

Niemi,

sorte minha que na verdade existem mulheres que não são promícuas, da mesma forma que existem homens que também não são.

Mas continue assim, ridicularize e ignore as lutas dos outros. Outros movimentos passaram por isso também, mas pra você eles que estavam realmente "certos".

Garou Volsung disse...

Niemi:

Quem sabe por conta de um valor de pensão absurdo, como foi o caso do Zé Elias, que preisou ir até o Fantástico para conseguir a redução?

Branca disse...

"Certo que mulheres pagando menos pode ter origem no machismo, e acho que as próprias mulheres deviam recusar isso, mas e a guarda dos filhos dada preferencialmente à mulher e o fato de que mulheres têm uma chance muito maior de terem relacionamentos que homens?"

Na verdade isso também pode ser explicado pelo machismo. O machismo diz que o a mulher tem o dever de cuidar das crianças, porque é mais "apta". Afinal, lugar de mulher é com a cria, certo? As feministas dizemos que não.

Então a maioria das guardas são dadas às mães porque, simplesmente, está no imaginário coletivo de que lugar da criança é com a mãe, n4ao com o pai. Tanto que não são muitos pais que pedem a guarda. Lugar de homem não é em casa com criança, é na rua trabalhando, né? Pois é, as feministas também somos contra isso.

Sobre o segundo, é um pouco menos óbvio. Mas se assenta na premissa de que "homem tem de ser pegador" e de que "mulher tem de se preservar". Acontece uma pressão sobre o homem de que ele "tem de pegar todas e ser macho" que a sensação de forever alone é mais acentuada. Além do mais, se você tem de ser "pegador", isso exclui automaticamente a possibilidade de ter um relacionamento monogâmico baseado na confiança, porque mesmo se você tiver uma namorada, você "pode/deve" ser infiel. E hoje em dia não são muitas meninas dispostas a aceitar isso.

Na verdade, quando um homem recebe um "não" de uma mulher, se sente um merda. ACha que, por ser legal, ela deveria gostar dele. Mas não é assim, há mil fatores diferentes que controlam a atração. Quando uma menina é recusada, o normal é que ela fique triste, chore, etc etc e siga adiante. Porque as mulheres fomos ensinadas que o homem que deve chegar, aceitar ou recusar-nos. N4ao temos privilégios, o que no final é uma coisa boa: ensina que não se pode ganhar todas e que alguém, em algum momento, vai gostar da gente. Também nos ensina a ser mais flexível.

Anônimo disse...

Patrick, é assim em qualquer estado do país.
Só os(mas)cuzinhos que não querem ver.

Anônimo disse...

Existe uma grande diferença entre querer igualdade de direitos para homens e mulheres, que deveria ser o ideal tantos dos movimentos feminista quanto masculinista e propagar impropérios misóginos, misândricos, de que um gênero é melhor que o outro.

Assim como estupro é uma atrocidade, uma covardia e um crime de relações de poder, assim o é quando um homem tem seu pênis decepado pela companheira, ou quando apanha dela, ou quando a vida de um homem vale menos que a de uma mulher.

Acho válido quando homens se sentem injustiçados porque a justiça não o deixa passar mais tempo com seus filhos ou quando a licença paternidade, que é uma piada, acaba e ele precisa voltar ao trabalho mesmo querendo passar mais tempo com o bebê e com a esposa/namorada/companheira.

A Lola faz bem em mostrar o lado perverso dos mascus, dos sanctos e de tantos trouxas que existem por aí afirmando essas babaquices sem fim, querendo voltar para a idade média quando eles ainda tinham poder, mas também faz um deserviço muito grande ao comparar todo e qualquer homem que quer direitos iguais com estes porcos nazistas.

Assim como eu acredito que Valerie Solanas não represente todo o movimento feminista ( pois na minha visão ela é femista, agressiva, misândrica e totalmente equivocada ) também acredito que existam homens conscientes que lutam pela igualdade de direitos, pelo fim da homofobia, pedofilia, machismo, misandria, desigualdades de gênero e violência. Sei bem disso, pois eu sou assim e levanta a bandeira de igualdade de direitos também para homens.

O texto poderia ter mostrado também as agruras que nós homens sofremos. E não, não sou machista. Ao contrário, já fui em passeatas feministas, adoro cuidar dos meus filhos quando minha esposa não pode, lavo louça e trabalho como todo mundo e abro a boca para pedir igualdade sim. Mas lamento, Lola, o que você mostra é que você é tão radical quando Solanas e está agindo praticamente igual a um troll, sem mostrar que o homem também sofre por causa do machismo e do patriarcado.

Dri Caldeira disse...

Ah, coitadinhos... como os homenzinhos sofrem nessa sociedade patriarcal e machista em que vivemos... tô derramando rios de lágrimas de TANTO RIR! Quanta hipocrisia canalha a de vcs!! Já sei: façam a Marcha dos CASTRADOS, pra contrapor a MARCHA DAS VADIAS!

Branca disse...

Carlo

Exatamente. Acho que você está entendendo o ponto. Mas não sei se vocÊ foi informado que a lei Maria da Penha já foi aplicada contra mulheres que agrediam seus maridos, já que é uma lei de igualdade de gênero. Inclusive foi usada por casais homossexuais.

1) Nunca vi em nenhum lugar sobre malucas abrindo fogo contra homens, realmente... mas sim, existem ultrarradicais que não são feministas, assim como você diz que os Sanctos não são mascus.

2) Ué, foi o que disse antes: os homens não denunciam suas parceiras em casos como esses. E além diss, como as próprias pesquisas que você falou dizem, o grau de intensidade dos danos causados pela mulher são menores - normalmente são não-letais ou pouco violentos. Ou seja, não é uma questão de perigo de vida, em que se pode prender a pessoa para proteger a outra.

Daniela disse...

Lola, perfeito! Pra mim, o melhor dos seus textos sobre o assunto. Tá tudo aí, claro, didático. Só não entende de vez quem não quiser.

Cão em Forma de Cão disse...

Masculinismo e feminismo, em tese, buscam exatamente a mesma coisa, a igualdade. Não vejo razão para guerra nem disputas entre esses dois grupos, deviam trabalhar juntos, isso sim. Mas claro que em todo lugar existe gente facista, tanto masculinista quanto feminista. Mas a culpa não é do grupo todo, e sim desses indíviduos que infelizmente acabam refletindo seu comportamento nos movimentos a que pertencem. Lamentável.

Branca disse...

Dri, por favor, o Anônimo não foi desrespeitoso. E SIM, os homens também sofrem com o machismo.

Anônimo, você foi bastante coerente na maioria dos pontos, mas perdeu boa parte da credibilidade pra mim quando disse que "cuida dos filhos quando a esposa não pode". Você deveria cuidar sempre, se oferecer pra cuidar mesmo que ela possa. Assim vocÊ está delegando à mulher sua função "de mulher", o que é uma coisa machista (não digo que você seja, mas ESSE é um pensamento machista).

Anônimo disse...

Não que eu seja um mascu, mas ocorre que nos EUA, o absurdo chega a tal ponto q em alguns Estados Americanos, é possível destruir a vida de um homem com uma simples acusação de agressão doméstica, ainda que seja uma acusação forjada e com provas contestáveis. Quem diz isso nao é nenhum masculinista da Real nem nada, é um artigo no CMI:

"Lógico, ele não surgiu à toa: no contexto americano, realmente em alguns estados as leis chegam a ser injustas para com os homens. Dependendo do estado a lei determina que a mulher fica automaticamente com a casa e com os filhos em caso de divórcio, e em outros é possível destruir a vida de um homem com uma simples acusação de agressão doméstica, ainda que seja uma acusação forjada e com provas contestáveis."
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2011/10/498614.shtml

Isso só para terem idéia do absurdo.

Anônimo disse...

Eu choro de tristeza com pena dos mascuzões, gente.... dá uma dó deles

se fosse inteligentes lutariam contra o mesmo machismo q a todos oprime, inclusive a eles

como não são, merecem um saco de bosta e nada mais.

bando de come-ninguém.......

Anônimo disse...

E completamento meu comentário anterior, minhas caras, leiam o que vocês escrevem, o modo como vocês tratam outro ser humano, rindo de homens que querem igualdade de direitos, rindo de homens que querem as mesmas coisas que vocês querem, e depois leiam os comentários dos mascus machistas retardados, que aí vocês verão que estão agindo como eles.

Querer o fim do patriarcado e do machismo não significa oprimir e castrar homens, pois vocês irão agir igualzinho a todos os homens que oprimiram, mataram, estupraram e calaram mulheres durante toda a história humana e ainda o fazem.

Então acordem. Existem homens sim que querem o mesmo que vocês, enquanto muitas de vocês querem sim oprimir homens. Não me venham com esse papinho de "Marcha dos Castrados" ou qualquer outra coisa apenas porque vocês não querem igualdade, querem zombar de outros seres humanos que querem o mesmo que vocês.

Já disse e repito, vou dizer de novo pois tem gente que não sabe ler. Eu sou homem, sou contra machismo e patriarcado, tenho uma relação excelente com a minha esposa e que quer o mesmo que eu. É tão difícil pra vocês aceitarem que homens também sofrem por causa do machismo que a sociedade está mantendo? Um pouco mais de humanismo, meninas, por favor.

Anônimo disse...

Na hora em que homem for vítima majoritária em crimes de gênero aí eles podem se unir em grupinhos e reinvidicarem o que quiserem.

Anônimo disse...

Branca,

eu cuido muito dos meus filhos pois eu fico em casa, sou freela, enquanto minha esposa é professora e passa boa parte do tempo na universidade. Eu me expressei mal, me perdoe.

E eu adoro, curto mesmo. Sou um homem realizado no trabalho e na vida pessoal por poder estar junto de uma mulher liberta e ter filhos que estão indo nessa direção.

Mas fico muito triste de ver a posição de algumas mulheres e homens também, claro, quando o assunto é igualdade de direitos.

Niemi Hyyrynen disse...

Garou

Pois é, até ir pro Fantastico vale não é mesmo? Importar um movimento sexista dos EUA e ganhar destaque no Estadão e Folha tb.


Dri Caldeira

Impressão minha ou vc tentou me atingir de forma indireta? Pensei que vc tivesse me "desprezando" (triste).

Fala sério, te critiquei aquele dia sim, agora, raiva de vc não tenho, não precisa vir aqui só pra me atacar, por mim eu resolvia qualquer problema conversando diretamente com vc, como adulta, como já fiz aqui com outras pessoas no blog, se quer ficar me cutucando que nem criança vc tem todo direito, como tem o direito de me dizer na cara qual é o seu problema comigo, já que eu falei o meu sobre vc.

vanessa vasconcelos reznor disse...

texto maravilhoso,melhor impossivel lola :)

Anônimo disse...

"Um pouco mais de humanismo, meninas, por favor. "

"meninas"?
atualiza o discurso aí champs

Eduardo Marques disse...

Branca,

Eu não acho que ninguém lá está querendo ser "pegador". Eu vejo gente (homens) dizendo-se virgens e BVs com 20, 30 anos nas costas. É gente que não tem experiência nenhuma com o sexo oposto. Há poucos dias, vi o caso de um homem de 33 (acho) anos que teve um encontro e beijou pela primeira vez. E quase não tem mulheres nesse lugar, as pesquisas feitas lá mesmo comprovam isso.

Apesar disso, não é uma comunidade machista ou masculinista. É apenas voltada para pessoas solitárias em geral, independente do sexo.

Niemi,

"Para um homem ir preso por falta de pensão alimenticia é necessário que ele deva muitos meses, quando ele é julgado muitas vezes nem preso ele vai, paga penas alternativas, vc sabe o que é penas alternativas né?"

Sou estudante de Direito e lhe afirmo com absoluta certeza o contrário. Quando o pai/mãe não paga a pensão alimentícia, não acontece julgamento, acontece a execução. A pessoa que tem a guarda do filho simplesmente vai para o advogado, diz quantos meses estão sendo devidos. O advogado, então, envia a petição para o fórum (fiz estágio na defensoria daqui e já preenchi várias petições dessas). De lá, o juiz ordena a execução. Não há julgamento no caso, o "julgamento" aconteceu quando foi decidida a pensão na justiça, no caso de descumprimento, ocorre apenas a execução.

O genitor que estiver devendo a pensão tem alguns dias após receber a notificação para pagar. Caso a dívida seja mais antiga que três meses (ou seja, se ele tiver pago os últimos 3 meses, mas estiver devendo alguma coisa), seus bens podem ser penhorados para a solvência da dívida. Se a dívida for dos últimos 3 meses, ele será preso.

Branca disse...

Na verdade, tenho de concordar com o Anônimo das 14:19. Não faz sentido atacar e xingar os masculinistas, mesmo os trolls, porque acabamos iguais a eles. E se mesmo a Lola diz que OS HOMENS MESMO sofrem com o machismo, a conto de quê vem a ironia com os homens que o ADMITEM?

Dessa maneira, todo mundo perde a razão.

Carlo disse...

Branca,

Como que você sabe que homens não denunciam? A pergunta pode parecer idiota, mas é por isso que eu não cito dados sobre o Brasil, porque não os tenho.

Os dados que citei eram dos EUA e lá, como na Austrália, os caras não denunciam porque independente de quem começou a confusão o procedimento padrão é retirar o homem de casa.

Mas em um desses programas policias da Band (ou da Record) eu vi um mulher perfurar um cara com a tesoura, chamar a polícia e o cara ser levado. A justificativa é que ele poderia se vingar (provavelmente faria isso mesmo), mas porque não levaram a mulher? Porque ela disse que ele bate nela. Se ele bate nela porque não chamou a polícia antes?

O problema é que você leêm isso e entendem: "Ah, ele quer que os homens possam bater nas mulheres sem problemas" e obviamente não é isso que estou falando.

Andy disse...

Não vejo muita razão pra existir o masculinismo, se de fato fosse um movimento que pregasse a igualdade, não seria mais fácil esses homens aderirem ao feminismo? Já que o feminismo, acima de tudo, luta pela igualdade de todos, criar outro movimento com o mesmo propósito mas com nome um diferente,''masculino'' já demonstra preconceito. De qualquer maneira, a gente bem sabe que a realidade do masculinismo existente é bem diferente de lutar por igualdade, ta mais pra um movimento que visa propagar o preconceito.

Dri Caldeira disse...

Niemyy, essa sua mania de perseguição é tão ridícula e infantil q enche a paciência de qq um. Será q dava pra ser menos egolótra? Só teve comentário seu aqui? Só vc está discutindo com mascu troll? Ah, me poupe garota, pare de se achar a azeitona da empada, pq vc não é tão especial assim.

Niemi Hyyrynen disse...

Eduardo

Usei "Julgamento" com um sentido leigo mesmo que faço da palavra, mas entendi a parte da execução.

Anônimo disse...

Vejam como existe um jeito certo pra tudo:

A questão da guarda de filhos no Brasil era tradicionalmente decidida em "favor" da mãe até porque no Código Civil havia disposição de guarda "preferencialmente à mulher". Lei feita por HOMENS e PARA HOMENS, lá em 1916. Isso já caiu, 2002, aconteceu o advento da guarda compartilhada e agora os pais decentes lutam para que exista essa igualdade na prática também, não só teórica.

Mas o fruto da coisa foi o machismo legislativo e não o feminismo.

Mulher paga menos em vários lugares, isso também é fruto do machismo. Quanto mais mulher, melhor, e mais homem pagante entrando pra apreciar as cocotas.

Dois exemplos, um grave e um besta, abordados na reportagem da BBC que mostra que a origem dos males do mundo certamente não é o feminismo e a idéia radical que mulheres também têm direitos SEMPRE e não só quando convém ao patriarcado.

Mas é melhor sustentar privilégios do que admitir erros.

Branca disse...

Eduardo Marques

Eu conheço muitas mulheres que são virgens e/ou BVs na vida real. Pessoas que, igualmente, não tem experiência nenhuma com o sexo oposto. Tenho amigas de 26 a 35 anos que nunca tiveram relações sexuais; tive uma professora de 42 (!!) que nunca havia sido beijada.

Mas é curioso que não haja mulheres no Forever Alone. Porque isso denomina um comportamento interessante: as mulheres não costumam reclamar disso, porque delas é esperado que se mantenham os mais castas possíveis até aparecer o "mr. Right". Mas os homens TEM de ter relações sexuais e beijar e pegar todo mundo, ou são... forever alones! Perdedores que não podem confessar isso na vida real, entõa buscam na internet pessoa que tem o mesmo probelma.

O que acontece é que não há problema. Me parece feio que todo mundo espere que o homem saiba de tudo e toma a iniciativa na conquista. Ninguém tem de saber tudo. E acaba que as mulheres terminam com babacas com atitude (porque o que normalmente atrai meninas inteligentes a babacas é a atitude independente, não a babaquice) e gente legal sem atitude acaba ressentida e ignorada.

Mas o problema não está nas mulheres. Está no machismo que funciona dentro da cabeça de ambos os sexos. Se você passa uma vida inteira aprendendo que o homem que tem de chegar na mulher, é difícil não esperar isso.

Dri Caldeira disse...

O certo é q essa discussão é mais ou menos como o racismo: não existe racismo contra branco, pq ele sempre foi o opressor, assim como não existe opressão contra o homem numa sociedade predominantemente machista.

Niemi Hyyrynen disse...

Dri Caldeira

Claro que não sou especial nem defino a existencia de ninguem só pelo fato da pessoa chegar perto de mim :)

Mas da proxima vez que quiser mandar uma direta, fale comigo diretamente, já que vc é super adulta e controlada

Garou Volsung disse...

Andy:

O que acontece é o contrário. O feminismo não luta pela igualdade de todos, e não representa em absoluto os homens. Por isto é justificável o masculinismo.

Anônimo disse...

Se alguém puder, por favor, leia a ótima postagem do blog Casal Sem Vergonha "Abaixo à ditadura da Paudurecência". http://www.casalsemvergonha.com.br/2012/05/09/abaixo-a-ditadura-da-paudurecencia-eles-querem-o-direito-de-negar-fogo/ - Mesmo que em alguns pontos ele derrape, o contexto geral é muito válido.

Quando um homem precisa manter uma posição de inabalável, inatingível, pau pra toda obra, isso é sim um machismo.

Quando uma mulher tem sua carreira prejudicada unicamente por ser mulher, isso é um machismo.

Quando um pai não tem direito de ficar mais tempo com seu bebê recém nascido e com sua esposa, isso é um machismo.

Quando uma mulher não pode andar na rua pois vira alvo de criminosos e/ou de cantadas sujas, isso é um machismo.

Então vejam, o que eu digo é que homens e mulheres são seres humanos, com o mesmo direito à vida, liberdade, opção sexual, credo e que o que muitas mulheres dizem por aqui é que nós não valemos nada.

Por favor, parem, pensem, revejam seus conceitos e deem as mãos com homens que querem o mesmo que vocês.

Dri Caldeira disse...

Cara, um "homem" com um avatar do Homer Simpson me chamou de ridícula... é, ele é quem tem de ser levado à sério, pobrezinho. E além de tudo é viúva do Che, mais retrógrado impossível!

Dri Caldeira disse...

Carlo, eu te ignorar não fui suficiente, né? Vc teve de ler isso. Pois bem: Carlo, estou ignorando vc, pois sua retórica é de Almanaque Abril 1990.

Garou Volsung disse...

Para quem acha que o homem sempre foi opressor, recomendo a leitura do livro "The Mith of Male Power", do Warren Farrell. E esta história de que o homem oprimiu e logo n pode mais ser oprimido é a maior prova de misandria de certos membros deste blog.

Branca disse...

Carlo

Não tenho nenhum dado concreto, confesso. Tenho dados empíricos. Mas podemos buscar a respeito. Ainda assim, acho que você vai concordar que já ouviu muito mais casos de mulheres denunciando seus parceiros que o contrário.

Bem, é complicado dizer por que uma pessoa não denuncia uma agressão antes. Pode ser porque acha que a culpa é dela. Ou porque acha que é só uma vez. Ou porque zela pela segurança dos filhos. Ou porque ele a ameaça se contar pra alguém. Ou porque simplesmente acha que o amor ganha tudo e que é dever da mulher suportar o homem - coisa que acontece muito, mesmo nos dias de hoje. Histórias de amor são regadas a isso. Então pode que a pessoa tenha sofrido muito antes de reagir - e pode ter reagido, talvez (não tenho dados) por estar em uma situação de legítima defesa.

Nesse caso, se não houvesse provas e até que fosse provada a agressão do homem na mulher, acho que quem deveria sair de casa é quem pode: tem parente próximo, ou um amigo que ajude, ou mesmo a polícia facilitar um quarto de hotel pra pssar uns dias, e agilizar o processo o mais rápido possível. Uma vez provada (ou não) a agressão continuada, o parceiro vítima fica na casa, e o outro sai.

E claro: se não foi um caso de legítima defesa, a mulher tem de responder pela agressão também.

vanessa vasconcelos reznor disse...

lola te adoro,mas por favor delete os trolls ,principalmente esse garou aí,que cara babaca,idiota,nogento,asqueroso ,escroto,imbecil e dissimulado,vai a merda cara,se situa desgraçado,e lolinha querida,poste o que vc quiser,e não ligue para as críticas,abraço.

Dri Caldeira disse...

Não Garou, eu aceito debater, mas com pessoas reais, não com covardes q se escondem no anonimato da internet. E isso é o q vcs mascus fazem. São tão homens e não mostram a cara.

Branca disse...

Na verdade, Carlo, os casos de agressões femininas a homens normalmente não são denunciados também pela lógica de "proteger a família", e por perder credibilidade ante o mundo por apanhar da mulher. É mais fácil uma mulher denunciar que um homem, principalmente agora, que está mais protegida de uma vingança. Gostaria que fosse ensinado aos homens de que não é vergonha nenhuma ser vítima de uma mulher abusiva e denunciar - assim se poderia aplicar a lei mais igualitariamente.

Mas digo isso sem apontar um dedo por homens em geral, e sim pela ideia de masculinidade calcada em homens e mulheres.

Carolina Paiva disse...

Reivindicar direitos é sempre válido, o problema é quando há maniqueísmo junto.
Eu praticamente vi o movimento masculinista se fortalecer no Brasil, através das comunidades do Orkut (antes dos fóruns, quando o Sílvio Koerich comentava nas comunidades. Inclusive, ele começou a "aparecer" quando ainda frequentava a comunidade "Timidez").
No início, os principais masculinistas no Brasil eram o Nessahan Alita e o Sílvio Koerich. Li alguns livros do NA e não concordo com o modo que ele retrata as mulheres (como eternas crianças, menos capazes do que os homens).
O Silvio Koerich, muito antes de ter o blog invadido pelos Sanctos, dizia que as "espertinhas" só procuravam os negros, e que isso era uma ameaça aos brancos, que estavam perdendo as mulheres brancas para os homens negros.
Além disso, era super comum ele exaltar sua masculinidade e virilidade, expondo que homens deveriam ser machos viris cheios de testosterona para serem honrados.
Homossexuais (ativistas ou não) eram vistos no blog como homens desonrados, imorais, "mulherzinhas".
Em outro post, ele diz como criar filhas honradas. Obviamente, trancado-as dentro de casa e tratando-as como propriedade (em relação à virgindade).
Isso é só um exemplo, se eu visse aquele blog de novo, me lembraria de outros absurdos).
Enfim, isso antes do ataque dos Sanctos. Os fóruns masculinistas devem ter backups do blog original.
Em relação às comunidades do Orkut:
Não havia debate, era somente demonização das mulheres. Mulheres que comentavam não eram levadas a sério, eram submetidas a testes para verem se elas estavam "pagando de exceção" ou não. Detalhe: pagar de exceção era qualquer coisa, desde a dizer que estudava exatas a dizer que tinha namorado.
Fora os dizeres de que todas as mulheres eram vadias e que a real era procurar as "menos piores", pq nenhuma prestava.
Mostravam notícias de mulheres criminosas, não para discutir sobre a violência sofrida pelo homem, mas como prova de que nenhuma mulher prestava (ou seja, a preocupação não estava nos direitos dos homens).
A mesma coisa com o caso Sean Goldman: só falavam no assunto para xingar a mulher de vadia e eras isso.
Discutir sobre a importância da guarda compartilhada ou guarda para os pais, necas. Tem um site ótimo para discutir os direitos dos pais (pailegal) que NUNCA foi citado pelos masculistas.
Discuti com vários masculistas (não trolls) que afirmavam que o masculinismo não era um movimento social, mas de desenvolvimento individual.
Isso não é ruim, em si, mas não faz parte do desenvolvimento individual ficar xingando mulheres por serem mulheres, ou dizer que mulheres são menos capazes de trabalhar ou de usar lógica (afirmação recorrente entre masculinistas).
(Continua)

Dri Caldeira disse...

Vcs são engraçados, só pq vcs são articulados, leram 3 ou 4 livros, tem acesso à todo tipo de mídia q existe, vcs acham q o que vcs fazem é debate. Que debate? Um cara q ganha mais do q eu simplesmente por ter um pênis tem o direito de se sentir oprimido pq eu passei a fazer o que eu quero? Daí arrumam todo tipo de argumento rasteiro e pobrezinho, na intenção de provar q sofrem abusos. Se um homem é abusado pela sociedade atualmente é somente pelo fato de não ter dinheiro, pq de resto, continua tudo como no tempo da minha avó, só q com mais tecnologia.

Anônimo disse...

"Discuti com vários masculistas (não trolls) que afirmavam que o masculinismo não era um movimento social, mas de desenvolvimento individual."

conversa mais mole ever
é a mesma coisa qdo eles dizem que tal coisa não é homofobia e sim opinião

nessa história só é enganado quem quer

Garou Volsung disse...

Dri:

Não quero o seu "premio", não tem pq vc saber meu nome, mas te desafio a provar o que disse, que alguém pode ganhar mais do que outra pessoa só pelo sexo. tem provas disso? o caso de uma empresa que homens ganham mais só por serem homens?

Falar é fácil, mas na hora de provar...

Anônimo disse...

Ser feminista não é o mesmo que ser humana. Tenho visto isso aqui com frequência quando uma mulher trata os homens como verdadeiro lixo.

De fato, existem homens que merecem desprezo por suas ações diárias e a sociedade precisa mudar urgente para tirar esse patriarcado irracional que ainda insiste em se manter, rebaixando mulheres única e exclusivamente por serem mulheres.

Mas o machismo diário faz mal para homens também. Já cortei relações com alguns amigos que riam de mim quando eu dizia que não podia bater aquela bolinha esperta de sábado pois teria festa na escola dos meus filhos e eu os estava preparando, vestindo, dando banho.

Sei que muitos trolls irritadinhos vão vir me xingar, dizendo que sou menos homem, mas posso dizer que sou mais homem que todos vocês que se acham superiores só porque têm um pau entre as pernas. GRANDE MERDA que vocês possuem, pois usam isso para sustentar que são melhores.

Mas mulheres, peço de novo, pensem bem no que muitas escrevem aqui, xingando, rebaixando e desqualificando homens unicamente por serem... homens.

Dri Caldeira disse...

Garou, desculpe, me enganei. Almanaque Abril 1989, ano da eleição do Collor.

Carlo disse...

Nessahan Alita não era masculinista, era só um cara que discursou sobre relacionamentos.

E claro, todo mundo esquece das primeiras linhas, onde ele fala que existem pessoas boas e as pessoas espertinhas. Na verdade o livro serve para qualquer um, porque tem muito cara escroto fazendo joguinhos emocionais também.

Essa lenda de que mulher ganha menos pro mesmo cargo me faz rir, ainda mais no Brasil.

Anônimo disse...

mais alguém aqui está achando o maior barato o mansplaining do cidadão?

Garou Volsung disse...

Anônimo:

A verdade está na sua cara, mas você não quer enxergar. Você vê aqui, mulheres desqualificando homens só pelo fato de serem homens simplesmente porque o feminismo é um movimento misândrico. Hora de sair da matrix amigo. Cada um tem que fazer a sua escolha. Pílula vermelha ou azul?

Anônimo disse...

"Essa lenda de que mulher ganha menos pro mesmo cargo me faz rir, ainda mais no Brasil."

E é nessa hora que uma pessoa perde qualquer credibilidade que venha a ter.

Aí vc mostra dados de institutos sérios, governamentais ou não, e logo segue a réplica da mídia bucetista.

É rir pra não chorar.

Branca disse...

Garou, volta pro RPG (que ódio que vc use meu RPG favorito como nick) e pronto. Esse anônimo não vai te dar ouvidos, como ele mesmo falou.

Você deve ser Fenrir ou Red Claw, ou mesmo Shadowlord; na vida real, digo. Tão tacanho quanto, infelizmente.

Anônimo disse...

"IMAGINA SE EU DISSESSE A UMA MULHER QUE A DEIXAR CHEGAR PERTO DO MEU PÊNIS É UM PREMIO PARA A EXISTENCIA DELA..."

pois é... mascu mascu troll troll yaddayadda

Dri Caldeira disse...

Ainda não sou adepta da misandria, pq preciso de homens pra fazer sexo. Mas no dia em que eu não precisar mais deles, serei sim, e com prazer. Só tem um homem que merece meus respeitos na face da terra: o Eike Batista, q apesar de ser a 8ª fortuna no mundo, levou um belo chifre da Luma de Oliveira e ainda paga pensão pra ela.

Anônimo disse...

Garou,

não meu caro. Eu quero igualdade de direitos para homens e mulheres, quero que todos sejam tratados como seres humanos. Não vou ficar tomando ladinho só porque isso é politicamente correto. Existem mascus, existem femistas e existem pessoas que assim como eu entendem que eles NÃO representam os movimentos masculinistas e feministas. São apenas otários arrogantes que acham que seus órgãos sexuais os definem mais do que caráter.

Então vira o seu papinho de pílula vermelha e azul pro outro lado, pois pra mim ele não cola. Você é só mais um mascu que acha que homem é melhor que mulher, assim como tem muita femista por aqui comentando, que mulher é melhor que homem.

Anônimo disse...

mulher não é melhor que homem, mulher tem menos direitos q homem, é diferente

ainda que no papel exista igualdade

ou vcs acham que mulher tem o mesmo direito de ir e vir que um homem? De ir e vir sem ser estuprada só porque... ora vejam... pq é mulher? Sem nenhum mascuzinho cidadão de bem te tocando contra a sua vontade, passando a mão nos seus cabelos e quando vc olha feio, te chamando de puta?

acordem....

Carolina Paiva disse...

Eu participava ativamente das comunidades Igualdade entre os Sexos e HQE, mas acompanhava as discussões na MGDHB e OLODM.
De todos os masculinistas com quem discuti, somente dois se preocupavam com os direitos dos homens (guarda dos filhos, obrigatoriedade de alistamento, saúde), o resto estava mais preocupado em xingar mulheres demonstrar que o homem era superior.
Sei que a minha experiência pessoal é só minha, mas eu realmente não encontro esse ativismo pelo direito dos homens no masculinismo brasileiro (só na descrição da wikipedia e das descrições de seus fóruns, mas nas discussões em si, nada).
Acompanhava a HH de vez em quando, para ver o que estava sendo discutido, e era a mesma coisa do Orkut, somente mais concentrado (só masculinistas, com exceção de uma mulher que postava de vez em quando).
Inclusive, a Lola recebia alguns prints do HH, chegando a fazer posts sobre eles. O que mais me chocou foi a reação negativa devido a coroação da Miss Angola (negra) como Miss Universo.
Do HH, o único que eu lembro de ser mais equilibrado era o Lawliet (algo assim), que era chamado de mangina por alguns. Conservador e de extrema direita, mas o único que não compactuava com o discurso vitimista deles em relação às mulheres (pelo menos pelo o que eu vi).
Ou seja: ativismo mascu a favor dos direitos dos homens é raro; mascus que não adotem um discurso sexista são raros.
.
Eu, quando participava das comunidades do Orkut, não era feministas. Acreditava que feminismo e machismo eram a mesma coisa (shame on me). O que mudou a minha visão foi justamente as discussões com mascus e feministas. Passei a pesquisar sobre os dados passados de ambos os lados e ver que eu era feminista, só não sabia que o meu posicionamento era feminista, por acreditar que o feminismo era sexismo.
Sim, eu vi comportamento sexista vindo de feministas também. Todos temos preconceitos, todos vivemos em uma sociedade machista e expressamos esse machismo em nossas vidas. É por isso mesmo que o machismo é tão prejudicial a todos (e já foi dito muitas vezes aqui e no Blogueiras Feministas, por exemplo, que o machismo é prejudicial aos homens).
Uma comentarista daqui, a Aiaiai, diz sempre que se tornou mais feminista depois do nascimento do filho, pois viu que homens sofrem pressões da cultura machista.
Reivindicações masculinas como a guarda dos filhos, a obrigatoriedade de alistamento militar, o câncer de próstata, etc., são reivindicações contra o machismo, ou seja, contra a visão de que homens só servem para serem provedores, que não devem chorar, que não devem cuidar dos filhos pois isso é tarefa feminina, que o ambiente doméstico não lhes pertence, que homens devem ir para a guerra, que homens devem ser mais bem sucedidos que mulheres, etc.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 613   Recentes› Mais recentes»