sábado, 7 de abril de 2012

GUEST POST: VIZINHO QUE MATA ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

Problemas com vizinhos são constantes, e praticamente todo mundo que tem vizinhos já teve algum tipo de problema com eles. Mas o que fazer quando uma pessoa é defensora de animais, e seu vizinho decide ameaçar e até matar os bichos dela? Algo do tipo aconteceu com uma amiga minha de Joinville, que teve alguns de seus gatos envenenados e mortos (e como é horrível ver um gato morrendo envenenado!). Ela sabia quem era o vizinho que estava cometendo esse crime, mas não tinha como provar. Então ela decidiu colocar bilhetes anônimos nas caixas de correio de todos os vizinhos, dizendo que aquele vizinho era um assassino cruel de animais, que estaria cometendo um crime ambiental, e que todos deveriam ter cuidado com seus bichos, porque havia um serial killer entre eles. Por sorte, ela vivia numa vizinhança em que matar animais não era socialmente aceitável, e aquele vizinho passou a ser muito mal visto por todos. Ele acabou se mudando (não estou recomendando que alguém faça isso, só contando o que minha amiga me contou).
São poucas as histórias que têm final feliz. Outro dia li que a vida média de um cão domiciliado no Brasil é de irrisórios três anos de idade. Imagine: três anos de vida para cães que têm a sorte de ter casa e comida! É absurda a forma como tratamos nossos animais. Trate bem os bichinhos, e denunciem sempre que algum animal seja vítima de maus tratos. Fiquem com o relato da Carla.

Eu me chamo Carla e estudo Letras na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Resgato animais das ruas para cuidar, dar carinho, alimentação, entre outros cuidados especiais -- cuidados estes que todo animal merece e deve ter por direito. A questão deste texto é que há algum tempo meus animais vêm sofrendo violência através de um vizinho. Ele vem ameaçando envenenar os meus cães. O motivo? Eles ''latem demais'' (estranho seria se miassem). Este mesmo vizinho já possui um péssimo histórico de crueldade contra animais. A penúltima cadelinha que ele trouxe da rua, ele acorrentou e espancou durante aproximadamente vinte minutos. Quando estava nos seus dias de ''mau humor'', ele chutava a pobrezinha. A última cadela vivia solta pelas ruas, em péssimo estado: suja, doente, com fome. Por diversas vezes dei-lhe ração aqui na porta da minha casa. Por fim, a Princesa (como ironicamente a nomearam) morreu no meio da rua, magra de fome.
Na semana passada o pior aconteceu: um dos meus gatos foi assassinado a pauladas por esse vizinho que, ainda não satisfeito, jogou o corpo em meu quintal. Minha mãe viu o ato, e no dia seguinte, fomos à polícia e registramos tudo. Mais tarde, para completar o roteiro, ocorreu uma enorme discussão entre ele e minha mãe. Ele disse com todas as letras, em alto e bom som, que iria ''dar uma coça" nela.
Acreditamos, porque algumas vezes, infelizmente, ouvimos insultos e gritos de sofrimento, pois ele agride sua própria mulher. Quem é cruel com animais quase sempre é cruel com humanos também.
O autor de todo esse mal constante cometeu dois crimes: o primeiro crime que está sob a Lei Federal nº. 9.605 de 1998 (Crime Ambiental) e o outro crime que está sob a Lei nº. 11.340 de 2006 (a famosa Lei Maria da Penha).
Estamos lutando para que ocorra justiça. Felizmente, temos o apoio de um delegado da DEAM (Delegacia da Mulher), que até está sendo gentil com o nosso caso. Mas eu quero resultados rápidos. Ontem, cheguei em casa e a Margot, um outro filhote que eu havia pegado da rua para cuidar, foi roubada da minha varanda. Até quando?
Agora terei que colocar grades na minha varanda para que meu sofrimento e toda essa covardia acabe. Não irei me amargurar, pelo contrário, agora mesmo é que irei defender com unhas e dentes o direito desses seres que nos enchem de orgulho e ao mesmo tempo de vergonha, pois conseguem ser bem melhores do que alguns humanos que encontramos por aí.

206 comentários:

1 – 200 de 206   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

'Agora terei que colocar grades na minha varanda para que meu sofrimento...'

Esse foi seu único erro, essa devia ter sido a primeira coisa.
Parabéns pela iniciativa e esse seu vizinho, putz, merecia estar preso ou comendo grama debaixo da terra

Anônimo disse...

'a Margot, um outro filhote que eu havia pegado da rua para cuidar, foi roubada da minha varanda. Até quando? '

Mas isso é crime, não é só ameaça não, ninguem pode entrar na sua casa e roubar o que é seu
Agora sim, o lugar desse fdp é respondendo na justiça

Augusto disse...

Essas histórias são muito tristes. :/ É horrível ser uma coisa cotidiana no mundo, há sempre relatos parecidos de bichos mal tratados e mortos por pessoas desse tipo.

Essas pessoas podem ser considerados doentes?

Louise Nouvain disse...

Eu tenho três gatinhos aqui em casa que eu amo do fundo do meu coração,se algum dia eles que adoram ficar deitadinhos perto do portão fossem ameaçados por QUEM quer que fosse eu iria até o inferno atrás dessa pessoa.Eu amo tanto meus gatos que o dia que eles morrerem *qualquer um deles* uma parte de mim morre junto.Quem é cruel com animais é cruel com pessoas SIM.Eu tenho ojeriza de gente que bate/maltrata qualquer bicho.Se fosse eu no lugar dessa moça já tinha levado um taco de beiseball e descido uma surra nesse cara imundo e desgraçado,ou aplicaria um belo golpe marcial nele.Se eu vir na rua/faculdade qualquer lugar que seja alguém TENTAR maltratar um bicho,eu vou sair na porrada com essa pessoa.Quando eu era pequena,vi um grupo de meninos apredejando um cachorro,fui até eles enchi eles de porrada e ainda fui falar com a mãe e o pai desses selvagens,depois foram falar um monte de merda pros meus pais,mas eu não to nem aí,não vou ficar QUIETA diante de uma bárbarie dessas.

Dri Caldeira disse...

Aqui no meu bairro tem um velho muito do FDP q resolveu fazer uma limpeza e colocava carne, resto de comida com chumbinho nas esquinas, em qq lugar q ele visse animais de rua parados... eu nunca havia visto ele agindo, mas num sábado acordei às 5 da manhã e fiquei na janela da área de serviço vendo ele agir. Vi ele preparando as armadilhas e o saco do Racumim q era amarelo na mão dele. Pois bem, desci e fiquei esperando esse maldito sair da casa dele. Na época ele deveria ter uns 70 anos, já fazem 12 anos... qdo. ele se abaixou pra colocar o monte de carne crua c/ chumbinho no chão eu peguei ele pelo pescoço, por trás e apertei. Falei um monte e dei muito, mas dei muito tapa, soco na cara dele. Não gritava só falava baixo. Por fim, agarrei o saco dele e torci, machucando mesmo, larguei ele no chão e avisei q se ele fosse homem, ele q chamasse a polícia pra mim. Nunca mais bicho nenhum apareceu envenenado, ele telou a casa dele inteira... hj em dia, ele me vê e baixa a cabeça, qdo. não consegue atravessar a rua pra me evitar. Me sinto mal, pq o que eu queria mesmo, era que esse maldito morresse, pena q nem esse tipo de criatura eu tenho coragem de matar. Podem me chamar de grossa, de estúpida, de violenta, fiz, faço e farei isso com qq pessoa q maltrate um animal na minha frente.

Louise Nouvain disse...

Augusto
Não é doença não é crueldade mesmo!Já vi essas gentalhas jogarem bichos pela janela alegando estar com "depressaum" rs AHAM Cláudia,senta lá.

Fabiola disse...

Ai Lola uma coisa é certa, quem faz mal para bicho, sempre faz mal para humanos e vice-versa. Agora vai o meu relato sobre crueldade humana com animais e pessoas: Minha mãe recebeu uma denúncia sobre uma égua que estava exausta e abandonada com um potrinho, ela foi ao local e encontrou a égua cheia de carrapatos e quando falo cheia falo o corpo do animal estava tomado. E o dono nada de aparecer. A Polícia ambiental foi acionada, e minha mãe ligou para o Centro de Controle de Zoonoses pedindo um caminhão para levar ela p o Veterinário. O "tutor" da égua chegou embriagado falando que ela tinha sido roubada. Obviamente a desculpa não colou e a PM deu a guarda para a minha mãe. A Égua estava com 130 quilos abaixo e infelizmente não resistiu, já o potrinho está vivo. Na audiência contra o dono do cavalo novamente embriagado ameaçou a minha mãe falando que iria matá-la. Minha mãe fez o B.O., mas em uma das audiências conheceu a esposa e filhos do cara, aparentemente ela tbm sofria violência da parte dele, e ele gastava o dinheiro na bebida. Minha mãe chegou a dar cestas básicas para a mulher, mas não sei como está hj a vida dessa família.

Também não acho que é doença não, é criação mesmo, a pessoa que é ruim, ela é porque aprendeu a ser assim, e não quer mudar. Também não acho que é questão de classe social, pq tem gente de renda baixa com coração tão bom, como tem mto rico aí com coração podre. (vide os playboys que arrastaram a cadelinha)

Iara disse...

A parte mais dificil de estar neste mundo é lidar com a crueldade e com a loucura humana.Mas acredito nisso, quem faz mal a um animal, vai em uma escala, judia de criancas, de idosos e mata .É uma linha que separa isso e cansei de argumentar, hoje entendo a profundidade da loucura humana, quem maltrata um animal é um monstro, não é um ser humano, então não argumento nem discuto mais.São criaturas que vem sei lá da onde, mas quem não tem compaixão por um animal não tem compaixão pela vida .

Anônimo disse...

Tem muito dono de bicho que não tem noção. Mima, não educa e acha que a rua é a extensão da casa deles. Tem pessoas aqui que descem 7 da manhã com os cachorros sem coleira latindo embaixo da janela dos vizinhos. Tem um outro que solta os cachorros na rua, vai embora de carro e os animais ficam latindo e querendo avançar nas pessoas que passam na calçada. A outra desce com o cachorro 3x por dia e brinca de esconde-esconde no hall social e o animal se mata de tanto latir.E isso é o dia inteiro. Essa gente acha que o dia das pessoas começam e terminam no horário do umbigo deles. Numa boa? Dono de cachorro que não sabe educar o animal, folgado, sem sensibilidade crítica para saber que latidos em excesso perturbam muito os vizinhos, só aprendem quando é tarde demais. Já matei um, não adiantou. Agora eu mato mesmo e sem dó. A culpa não é minha, nem dos bichos...São e vocês! Vai educar seus bichos, seus animais!

Louise Nouvain disse...

Pra você anônimo lixo de cima,porque não mostra a sua cara?Se tem culhões pra ser troll que pelo menos seja uma troll com nome.

selena disse...

nem li o post pq da odio só saber de qualquer abuso contra animais e para o anonimo ai é vc q deveria ser morto,além de lixo é covarde,queria ver se teria coragem de fazer isso com os donos dos animais,claro q n,mata o bicho q n tem como se defender.


eu prefiro muito mais passar horas com meus gatos do q conversando com pessoas

Luiza disse...

Gente que maltrata animais, como o anônimo covarde e folgado aí de cima, tem que morrer e ser enterrada em pé, pra ocupar menos espaço, e de cabeça pra baixo, que se acordar e tentar cavar vai chegar mais rápido no colo do capeta.

Anônimo disse...

'sem sensibilidade crítica para saber que latidos em excesso perturbam muito os vizinhos'

Pegue sua perturbação e introduza no olho do seu orifício anal
Se eu fosse um desses vizinhos botava era um paredão de som pra um lixo como tu aprender que de dia qualquer um faz o barulho que quiser, lei do silêncio é de noite imbecil

Anônimo disse...

Quem gosta de animais, tomem todo o cuidado pra eles não escaparem.
Também tem técnicas pra adestrar eles pra só comer no lugar certo

Dri Caldeira disse...

Gente, vcs tem uma mania de acreditar em tudo q esses babacas desses trolls anônimos falam!! Vcs acham q uma pessoa q se pronuncia anonimamente tem coragem pra fazer alguma coisa tão violenta como matar um ser vivo? Claro que não, caramba!! Esse ou essa babaca aí mandou costurar o koo pq tinha "nojinho" do cocô que saía dela... ah, me poupem e vamos dar depoimentos aqui, não ficar dando trela pra troll exibicionista!!

Anônimo disse...

Maria da Penha? Tá doida? Maria da Penha é aplicável em caso de violência DOMÉSTICA. Se eu sou mulher e apanho de alguém que não é da minha família, cai na lei comum do código penal. O povo tá entendendo muito errado....

Anônimo disse...

Só tem anta mesmo.

Não existe "lei do silêncio", o que existe é a lei de contravenções penais artigo, "Art. 42. Perturbar alguem o trabalho ou o sossego alheios:

I – com gritaria ou algazarra;

II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;

III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;

IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:

VOCÊS LERAM???

IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:

Não existe essa tal de hora determinada.
Artigo 1.277 do Código Civil que diz:
O proprietário ou possuidor de um prédio tem o direto de fazer cessar as interferências prejudiciais à segurança, ao sossego e à saúde dos que o habitam, provocadas pela utilização de propriedade vizinha.

Parágrafo único: Proíbem-se as interferências considerando-se a natureza da utilização, a localização do prédio, atendidas as normas que distribuem as edificações em zonas, e os limites ordinários de tolerância dos moradores da vizinhança


O PROBLEMA É ESSE. COMO ESTE PAÍS TEM UMA JUSTIÇA QUE NÃO CUMPRE AS LEIS, VOCÊS FAZEM AS SUAS E PASSAM POR CIMA DO DIREITO DOS OUTROS. ARGUMENTEM CAMBADA. A MINHA INTOLERÂNCIA EU APRENDI COM A INTOLERÂNCIA DE VOCÊS.

Eva disse...

Um vizinho meu uma vez chutou uma gata minha, que teve probleminhas de respiração até o final da vida. A gata, que era castrada, não fazia nada, mas às vezes conseguia escapar e ia dar vontinhas na calçada. Tivemos que juntar em sete pra tirar a barra de ferro da mão do meu pai, que se tivesse pego, tinha matado. Não que eu não preferia que ele tivesse matado o desgraçado, mas não queria que meu pai fosse preso.

Depois disso, reforçamos a segurança. A casa já era telada, mas colocamos inclusive cobertura como de quadra no quintal, e colocamos mais um portão, pros gatos e cachorros não chegarem nem na garagem.

Quando ao vizinho que chutou a gata (e estava ameaçando envenenar os outros bichos) eu fui mais discreta que meu pai. Peguei ele no portão de manhã, muito cedo, sem ninguém na rua, e disse que se algum animal meu aparecesse meramente doente e eu sonhasse que tinha sido obra dele, pra ele tomar cuidado com a água que vinha da caixa d'água dele. Nunca mais ele ameaçou bicho algum. Fico de cara como precisamos chegar nesses extremos - eu detesto crueldade, sou super pacífica, mas maltratar bicho e criança me deixa possessa!

lola aronovich disse...

Gente, gente... Pelamor, não vamos combater violência com mais violência. Quem é cruel com animais, quem os envena, tortura, mata, abandona, DEVE ser punido. Isso é ponto pacífico. E sabemos que nossa justiça é lenta e falha com humanos, e mais ainda com animais... E entendo totalmente a raiva de vcs. A gente ama animais, e mobiliza por eles, luta pelos direitos deles, luta para dar o mínimo de conforto e dignidade para bichos num mundo que é inteirinho especista, e que acha o ser humano o único ser do universo... e aí nos deparamos com essas crueldades típicas de psicopatas. É horrível mesmo. Eu não sei o que faria, como reagiria, se visse um animal ser maltratado na minha frente. Mas uma coisa é nossa reação impensada num momento desses. Outra é a gente escrever com tanta virulência. Eu não tenho respeito algum por gente que maltrata animais. Vou ser bem sincera: quero mais é que essa gente MORRA. Mas quero que morram de causas naturais, sabem? Não quero matá-las. Sou contra a pena de morte.
O anônimo é um covarde inútil e só está aqui pra causar, provavelmente. E como causa, né?
Mas nós, como defensoras de animais, sabemos também o quanto os donos de bichos podem ser sem noção. Isso de deixar animal solto, por exemplo. Não pode! É perigoso pro animal (que muitas vezes e atropelado, ou se perde e acaba como animal abandonado), é perigoso pra outros bichos, pra crianças... Simplesmente não pode acontecer. Quem se dispõe a ter um bicho tem que criar condições de manter esse bicho. Isso não quer dizer, de maneira alguma, amarrar ou enjaular esse bicho, mas colocar grades e telas nas janelas, no quintal... E fazer o possível para que os cachorros não latam. E, lógico, as pessoas devem ter paciência com latidos e miados. Zangar-se porque alguém brinca com um bicho? É como zangar-se com barulho que as crianças fazem quando brincam! A mim isso não incomoda nem um pouco...

Anônimo disse...

Mas o cara não tem nada de razão? Ele é obrigado mesmo a aceitar o barulho dos cachorros? Se fosse uma banda alta de música ou um bando de gente rezando alto, todo mundo iria dizer que vc não tem direito de incomodar os vizinhos, porque seus cachorros tem?
Não to dizendo que o que ele fez é certo, mas vc não mostrou nenhum respeito pelo direito dele quando ele foi reclamar do incômodo e teve que ouvir que seria estranhos que os cachorros miassem... Eu teria ficado p. da vida.
Sinceramente, o erro dele é não chamar a polícia e colocar na justiça por perturbação da paz.

Anônimo disse...

Eu acho uma covardia violência contra os animais. Porém também acho que há muitos donos de animais totalmente sem noção. Minha filha foi proibida de brincar no estacionamento do prédio com os amiguinhos pois eles "faziam muita algazarra". Pois é, mas tenho uma vizinha com 5 cachorros, que sai de casa e, haja paciencia para aguentar os latidos dos queridos! Eu nunca disse nada, reclamo apenas pela minha filha que também deveria ter direito de brincar e se expressar de acordo com a idade dela, nos horários permitidos, logicamente.
Além disso, há os sem noção que sujam as calçadas sem nenhuma cerimônia. Acho uma falta de educação. Claro que não concordo com violência, tenho um gatinho e não posso imaginar como me sentiria se alguém fizesse algo contra ele.
Mas educação e limites deveriam servir para todos.

Fernando disse...

Eu tenho um gatinho de estimação e nem gosto de imaginar se alguém fizesse uma atrocidade com ele.
Agora em relação a cachorros de rua, eu tenho trauma porque quando eu tinha 7 ou 8 anos eu fui atacado por uma cadela na rua. Quando passo por uma rua e tem vários cães já fico apreensivo. Lembro que no ano passado quando estava subindo a ladeira da rua onde moro, tinha uns 4 cães que ficaram me encarando e achei que eles me atacariam, fiquei parado no meio da ladeira e só tive coragem de passar quando outras pessoas na rua estavam passando tbm. Esses 4 cães costumam sair de dentro do mato e não sei se tem donos. Não chamei o controle de Zooonoses porque esses cães ficam pouco tempo na rua e depois entram no mato novamente.
Finalizando, eu não gosto de pessoas que maltratam animais mas tbm não gosto dos cachorros soltos na rua pq ficam querendo atacar os outros.

Koppe disse...

Acho que a violência não deve ser usada como a primeira alternativa pra resolver qualquer problema, mas não se descarta o uso dela como uma das alternativas, de preferência a última delas.

Para o caso de vizinhos que maltratam e/ou matam animais, acho que a Dri Caldeira já descreveu uma boa solução, bater e ameaçar na proporção necessária. Se a lei é ineficiente pra proteger os animais, certamente ela vai ser ineficiente pra proteger esses sem-serventia também.

Para animais barulhentos na vizinhança, acho que meu pai é que achou uma boa solução: ser mais barulhento que os animais. Explico: ele mantém sempre uma caixinha de rojões ao alcance dentro do quarto, e se algum cachorro da vizinhança ficar latindo e incomodando, a qualquer hora do dia ou da noite, lá se vai um rojão pela janela e, com o incômodo de uma única explosão, ganhamos algumas horas de abençoado sossego. Considero isso uma espécie de trollagem, mais eficiente que qualquer violência, não sendo necessário agredir ou matar animal nenhum (inclusive donos).

Luciana disse...

Que vizinho cruel e sem consciência! Espero que esse assassino seja punido pelos crimes e grosserias cometidas. Infelizmente, a justiça a favor dos animais é branda.
Vendo minha cachorrinha, não imagino como alguém consegue abandonar, maltratar ou matar um animal.
Quem é cruel com animais é cruel com humanos!

Louise Nouvain disse...

Lola e Dri Caldeira:Ainda preciso da paciência santa de vocês pra ignorar trolls como vocês duas fazem xD mesmo sendo "mentirinha" me dá nos nervos ver gente brincando com um assunto tão sério.
Lola,eu acompanho teu blog faz tempo meio que "anonimamente",nunca tinha comentado aqui e agora *finalmente haha* que fiz um blog vou participar mais dos posts aqui.

Anônimo disse...

Anonimo 16:14
Também tive vizinho que cachorro não parava de latir. Claro que ficava com raiva, era toda hora mesmo. Mas, como deve acontecer bastante, o cachorro só latia assim o dia todo pois ficava no fundo da casa, num espaço pequeno e nunca saia de casa. Ele estava era estressado, claro. Sendo assim, como vou culpar os animais? Só que as pessoas, na ânsia de querer resolver a parte dela de não ser incomodada, acaba agredindo/matando quem não tem culpa, o cachorro. Não tem desculpa para fazer isso para quem não tem culpa, essa é a questão.

EneidaMelo disse...

Crueldade com animais é um absurdo. Mas sou obrigada a discordar de quem acha que quem comete crueldade com animais, também é cruel com seres humanos. Não obrigatoriamente. O idiota pode achar que animais irracionais não têm direitos.

Niemi Hyyrynen disse...

Pra mim quem nao gosta de bicho tem uma certa tendencia a ser uma pessoa ruim. Sei que é generalizar, mas não consigo ver de outra forma, sei lá, não querer ter um bichinho em casa é uma coisa, querer que eles morram ou sofram é outra, coisa de gente ruim!

Raphael disse...

Por mim eu matava o Vizinho...

Nem vou ler pra não estragar meu dia

Anônimo disse...

Querida pessoa do guest post,

O fato de ele ter pego sua cadela de dentro de sua casa, configura crime de furto. Ao menos a pena costuma ser maior que a dos crimes de maus tratos cometidos contra animais. Sugiro que você registre um BO por TUDO que este vizinho tem feito a vocês (ameaça, maus tratos, furto etc). Não posso garantir que vá resolver seu problema, afinal isso só se resolveria se seu vizinho fosse uma pessoa apta a viver em sociedade, mas quanto mais crimes, maior a pena.

Anônimo disse...

Com relação ao anônimo causador, acho que você não teve atitude de gente decente. Existem outras formas de fazer valer o seu direito, sem partir pra extremos. Assim como animais latem em condomínios ou em casas, pessoas também fazem barulho. Vai matá-las também? A legislação que ele citou está correta sim, a perturbação pode ser qualquer coisa que perturbe, a qualquer hora do dia. Eu mesma, que amo animais e tenho 5 em casa (4 cães e 1 gata), já me incomodei com uma vizinha cujos cães latiam a noite inteirinha. Optei por ser decente e ir conversar com ela, expliquei a situação, disse onde morava, disse que eu também tinha cães (porque vai que mais alguém se irritava com os latidos e um cão aparece morto, ela podia pensar q tivesse sido eu!), e pedi a ela que os prendesse durante a noite. Ela disse que a cadela estava no cio, por isto o barulho, e eu sugeri que castrasse, assim não se incomodaria com cio nem filhotes indesejáveis. Na saída, levei uma mordida de um dos cães (que ficavam soltos pois a casa não tinha portão), e confesso que fiquei com um ódio gigantesco dela, porque donos de animais têm sim que educar seus animais! Não fiz nada quanto a isto, mas se me incomodasse novamente, iria até a delegacia registrar o BO e pronto. Hoje em dia é bem raro que eles me incomodem à noite.
Eu não posso impedir meus cães de latir, mas eu os eduquei para que parem quando mandados, e aos poucos, com as broncas que eles vão tomando, param de latir à noite e dormem mesmo.
Minha gatinha só sai de casa na coleira e guia, quase todos os dias a deixo presa no quintal pra caçar insetos e observar passarinhos.
Acho sim que falta consciência por parte dos donos de cães e gatos, tanto na educação deles quanto n trato. Qualquer protetor de animais sabe que passeio, só na guia. Mas mesmo meus amigos, por mais que eu fale, fale, fale, preferem levar seu animal solto. "Ah, porque é pequeninho, é obediente"... a questão é que a guia é segurança do próprio animal. Às vezes eles podem se assustar com algo e correr pra rua, sendo atropelados, ou querer brigar com cães de rua ou de outras pessoas, e é a guia que vai garantir o controle sobre seu animal!
E quanto a gatos, gente, gatos vivem perfeitamente bem só dentro de casa, mas as pessoas têm uma enorme resistência e preferem criá-los soltos. É perigoso pro animal, que pode brigar, ser envenenado, atacado, atropelado, e de quebra ainda traz pulgas, carrapatos e doenças pra dentro de casa. Aqui, acostumei minha gatinha a portas fechadas. O que fica aberto tem tela, e como já falei, rua só na guia. Claro que não pode dar mole, ela já fugiu umas 2 vezes, mas mesmo assim, ela não vai longe e volta assim que é chamada.
Acho que é MUITO melhor você seguir as regras e respeitar que nem todos gostam de animais, e não ter problemas com seus vizinhos, do que provocar e eles descontarem no seu animalzinho!
E é lógico que tem os psicopatas sem noção, que só por não gostarem do animal (mesmo que ele não incomode) já acham que é motivo pra envenenar. Para estes, dobro de cuidado e BO neles. Mas confesso que adorei a ideia do "cuida com a água da sua caixa" que foi dada acima, infelizmente quem age contra a lei nem sempre a teme...

Sofia

Anônimo disse...

Mas parece que ele reclamou, e ela autora do guest post acha, assim como algumas pessoas dos comentários, que cachorro late muito mesmo, é normal, o sujeito que suporte o latido de vários cães. Que é para "socar o incômodo no oríficio anal" e assim vai...
O vizinho pode até ser um canalha, que parece que é, mas isso não tira dele o direito de ter tranquilidade dentro da própria casa e se as casas são próximas e são muitos cães, o latido pode incomodar muito sim.
Essa falácia de atacar o caráter do cara, com ou sem razão, não desfaz o fato de que a pessoa pode estar abusando do direito do outro.

Claudia disse...

Eu tenho um gato e minha mae varios cachorros. Amo meu gatinho, nao sou muito fa de caes, mas acho que o respeito aos animais deve ser obrigatorio independente se gostarmos ou nao. Em BH existe sim a Lei do Silencio, de 10 da noite as 6 da manha apenas o minimo de barulho e tolerado e a policia responde a todos os chamados, nao importa se e uma festa em plena madrugada ou cachorros latindo. Tambem varios condominios tem suas regras proibindo, delimitando espacos para animais e inclusive torelancia de barulho. Acho que tem muita gente encrenqueira que reclama a toa. Ja tive vizinhos que tentaram aprovar uma regra no condominio para que os apartamentos nao fossem vendidos a casais com bebes (!) ou cachorros. Mas tambem tem dono sem nocao que permitem que os cachorros latam as 3 horas da manha! Tem que haver um equilibrio, as duas partes tem culpa. O que falta hoje ao ser humano e paciencia e respeito ao proximo.

Carol F. disse...

Oi gente,
Quero aproveitar para deixar umas dicas muito importantes.
Mesmo que pareça inútil, sempre façam B;O; e denunciem violência contra animais. A visão sobre isso está mudando e as pessoas estão se conscientizando. Ah, se ouvirem o vizinho espancando a família chamem a polícia também.
Sempre mantenham os animais dentro de casa, eles nunca devem dar voltinhas nas ruas sozinhos. Hoje existem telas para gatos que impedem que eles pulem muros, as casas podem ser totalmente teladas. Apartamentos devem sempre ser telados também.
Os animais devem ser chipados e usar coleira com as informações do dono, principalmente os que moram e casas e tem mais chances de escapar. Isso facilita mil vezes a busca pelo animal, e quem o encontra já sabe que ele é de alguém.
Por fim, se existe a possibilidade de seu animal gerar filhotes indesejados, castro/a. Não existem casas para tantos animais abandonados.
Eu sei que vocês já devem ter ouvido isso mil vezes, mas a maioria das pessoas não faz nada disso. Devemos zelar pela segurança e saúde dos animais que estão sob nossa responsabilidade, que não tem culpa do nosso relaxo como donos nem dos humanos loucos psicopatas que ameaçam a vida deles.

Sara disse...

Gosto muito de animais, e acho q me preocupo tanto em dar conforto a eles que frequentemente tenho pesadelos em que eles estão sofrendo de alguma forma, e isso me faz até mal.
Outro dia escutei um relato de uma amiga que me chocou profundamente, ela mora em um condominio muito luxuoso e tem um cachorrinho do qual ela gosta muito, mas incompreensivelmente ela se incomodava com os latidos do cão do seu vizinho ao lado no condominio, pois ela teve a cara de pau de contar que esperava o vizinho sair para o trabalho ia no muro que separa as casas e no inverno que estava bem rigoroso ficava molhando o pobre cãozinho do vizinho com uma mangueira, ela tanto fez isso que o animal acabou morrendo, e o vizinho sequer deve ter desconfiado oque provocou a morte do seu animal, é dificil acreditar que alguem que diga que gosta de animais tenha a coragem de fazer esse tipo de atrocidade.
Acho q quem tem coragem de fazer esse tipo de coisa é gente perigosa, e deveria haver punição.
Tb acho que quem tem animais deve tomar providencias para que eles incomodem o menos possível os vizinhos, realmente não é justo causar embaraços para outros, mas ter animais e cuidar deles apropriadamente é um direito, que quem não gosta de animais tem que respeitar tambem.

J.word disse...

Acho bom vc dar uma olhada nesse site: http://www.pea.org.br/denunciar.htm#Como%20Denunciar
Mas é esta parte que lhe interessa:

Ameaças de Envenenamento
Por Dra. Maria Cristina Azevedo Urquiola, Advogada / mca_urquiola@ig.com.br / (11) 9654-8038
Como proceder quando alguém ameaça envenenar seus animais, queixa comum quanto a gatos e cães.
1º) A “ameaça” é um crime e está previsto no art. 147 do Código Penal (Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave: Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa).
Segundo os penalistas como Julio Fabbrini Mirabete, a ameaça deve ser capaz de intimidar, aquela capaz de restringir a liberdade psíquica da vítima, com a promessa da prática do mal grave e injusto. O “mal” de que fala a lei, é justamente esse envenenamento que pode matar, bem como outro mal qualquer como ferir, mutilar o seu animal. O crime se consuma no momento em que a vítima toma conhecimento da ameaça.
A ameaça é crime que se apura mediante representação da vítima ou de seu representante legal, na Delegacia de Polícia.
Na dúvida sobre registrar a ameaça de envenenamento em Termo Circunstanciado ou Boletim de Ocorrência, fui pessoalmente à Ouvidoria da Polícia, que me orientou registrar um B.O. com o título "Preservação de Direitos".
Faz-se necessário, portanto, o registro de Boletim de Ocorrência por infração ao Código Penal a fim de resguardar os seus direitos conferidos pelo art. 5º da Constituição Federal (vida, liberdade, igualdade, segurança e propriedade) e os dos animais, protegidos pela Lei Federal n.º 9.605 de 1998, para que no futuro possa ser acionado o Réu no Poder Judiciário.
Você, querendo, pode pedir para consignar que em virtude da ameaça você tem medo de sair de sua casa e, ao voltar, encontrar suas crianças envenenadas, além dos seus animais.
Não se esqueçam de que a nossa Polícia Preventiva está aí para: Proteger a coletividade, Assegurar direitos, Manter a ordem e o bem-estar, Efetuar prisões em flagrante e de egressos das prisões.
Não desista!
Vc esta completamente certa e a lei lhe acoberta perfeitamente, agora é ir na justiça e fazer o possível para q ele aprenda a primeira lição ^^.

Rafael disse...

Durante anos trabalhei no centro do Rio, na Rua da Assembléia. Deixava o carro em um distante estacionamento na Rua Buenos Aires e caminhava uns 1200m entre as quadras da SAARA.
Por lá existem diversos gatos que moram nas lojas e um belo dia de manhã um elemento tem a péssima ideia de chutar um gato para fora de seu caminho. De dentro da loja me sai imediatamente um cara que parecia um guarda-roupa de tão enorme, que aos gritos, dizia:

- ME CHUTE! VC NÃO E HOMEM, NÃO É VALENTE? ME CHUTE!

Óbvio que ele não chutou coisa nenhuma, que não aplacou a fúria do nosso amigo avantajado.

A primeira, de mão abeta, foi na caixa torácica, já pra deixar sem fôlego. A segunda, de punho cerrado, bem no nariz, o que fez o sangue descer na hora. Um chute na perna terminou o rápido serviço, deixando o corajoso agressor de animais sentado e completamente desorientado na sarjeta por alguns minutos.

Ok, que violência só gera violência, mas a cena foi daquelas MasterCard: Não teve preço.

Dri Caldeira disse...

Eu sei, eu sei, temos de ser cristão, de nunca levantar a mão, q violência gera violência... mas na hora em que eu vi o sangue saindo do nariz do fela da puta do velho q eu bati, tudo isso some!! Eu só conseguia ver um dos SESSENTA GATOS q ele matou envenenado!! Se vcs nunca viram um animal se contorcendo, gritando, babando sangue, implorando por socorro pra vc com os olhos, não venha me pedir pra ser "nobre" ou q tem "lei" pra essas coisas, q animal faz barulho e outras babaquices quetais... aos imbecis que lembram que existem leis, que enfiem os códigos penais nos respectivos retos e sugiro aos protetores q dê um belo tapa na cara de quem pegar maltratando um animal, não tem preço...

Carol disse...

Uma vez discuti com um cara no facebook q dizia que manter os animais dentro de casa sem deixar sair era "cárcere privado". Que o gato tem q poder sair de casa a hora q quiser e ficar pela rua, e se ele fugir é pq tava infeliz com o dono.
EU FICO DOIDA de ouvir uma meleca dessas. AH, o cara também dizia q era contra castração, q castração era crueldade, e que, imagina, se ele tivesse castrado a gata dele, ia privar ela do prazer q ela estava tendo cuidando dos filhotes q ela teve agora, e do prazer dele também.
I mean... what?
E o cara ainda se auto intitulava "xamã sei lá das quantas".
Puta ódio desse pessoal sem noção. Junto com o ódio de quem maltrata animais, é lógico, que é um ódio maior e tal.
Também sou contra violência e tudo mais - mas confesso que há uma certa satisfaçãozinha em ler relatos de gente q deu uns tapas (ou umas torcidas de bolas) em quem envenenava animais.
Eu não posso nem imaginar a dor que é ter um bicho de estimação assassinado e ainda por cima SABER quem fez isso. Meus gatos são como filhinhos, têm suas personalidades, seus costumes, sua participação na minha vida. É incrível como tanta gente não consegue sentir empatia por outros seres vivos, nem da mesma espécie quanto mais de outras... deve ter alguma falha no cérebro dessas pessoas q faz com q elas vejam animais como objetos.

E olha q eu sinto empatia até com objeto às vezes =(

Amor & Miados disse...

Lola, sou protetora de animais a 5 anos. Além do manejo, tb faço conscientização para as pessoas, em relação à guarda responsável. além de castração, cuidados veterinarios, amor e carinho tb batemos muito na tecla do NÃO ACESSO à rua para os gatos como forma de aumentar sua longevidade e qualidade de vida. Infelizmente muitas pessoas acreditam que os gatos tem que dar suas voltinhas, deixam que tenham acesso à rua e é nessas voltas "inocentes" que eles são mortos, envenenados, espancados, etc.

Logicamente não defendo quem faz isso, são pessoas doentes - como já citado no texto - e se nosso Brasil fosse mais sério, deveriam ser presos ou pagar uma multa bem alta por tirar a vida de um bicho indefeso. Morei no Canadá, onde os gatos da minha casa andavam pela vizinhança, os vizinhos respeitam e até colocam agua ou uma caminha em suas varandas para outros animais, eles corriam atrás dos esquilos, subiam nas arvores, mas vivo repetindo que estamos no Brasil e não podemos depender da bondade alheia ou de nossas leis tão falhas.

Quando um gato que tem acesso a rua some ou é envenenado, infelizmente o dono tb é culpado. Principalmente se esse animal n for castrado, pois além dos perigos da rua, tb está contribuindo para a o aumento da já enorme população de bichos abandonados na rua.

Hoje em dia é possivel, de maneira facil e barata, tornar a casa segura para que os gatos fiquem dentro dela, aproveitando o jardim e quintais sem terem que se arriscar na rua. Eles são naturalmente curiosos e territoriais e mesmo os castrados irão fugir.

O meu gato chegou em minha casa após ser apedrejado. Eu cuidava dele no jardim de meu prédio. Um animal muito manso, carinhoso e que confiavel nas pessoas, até que isso ocorreu. Confrentei a pessoa que fez isso e sabe o que ela me disse? - Ah, é seu? Então leva pra casa se não quer que nada aconteça. - e foi isso que acabei fazendo, quando minha mãe finalmente concordou. E depois de anos recolhendo corpos de gatos nas ruas e escutando as historias de donos que perderam seu animal estupidamente em uma voltinha ou pela loucura de uma pessoa proxima, sei que dentro de casa é o unico lugar onde ele será realmente feliz.

Um gato castrado e sem acesso às ruas pode viver entre 15-20 anos de idade, um animal com acesso à exteriores não passa dos 4. São dados que nem deveriam ser contestados, pq os animais morrem dolorosamente, mas nós permanecemos aqui. Se for para perdê-los, que ao menos sirva de lição para algo.

Carol disse...

Amor & Miados, será que posso copiar e colar esse seu post no meu facebook pra divulgar? Gostaria q colocasse algum link? Eu acho esse tipo de informação tão importante e muita gente realmente não tem noção, acha q o bicho vai ser mais "feliz" saindo pela rua etc.

ale disse...

Pois é, Carol..se o animal não tivesse acesso à rua, o cara teria de ENTRAR na casa dela para fazer alguma maldade. Nesse caso era fácil: polícia nele. Agora, a moça diz "vou ter de colocar grades na varanda" - SIM, TEM DE COLOCAR. Nem que seu vizinho fosse um santo. Animais com livre acesso à rua morrem com ou sem vizinho maluco.
Em tempo, não defendo o cara nem justifico. Mas não precisa ter vizinho doido para praticar posse responsável, precisa?

Amor & Miados disse...

à vontade, Carol. mantenho um profile no face do meu projeto de C.E.D na minha cidade, o nome é FELINOS URBANOS, possui INUMEROS panfletos e textos de conscientização.

até mesmo fiz um video, chamado CRIAÇÃO INDOOR, Cuidar, Amar e Proteger - http://www.youtube.com/watch?v=EKyenFq2bmU&feature=g-all-u&context=G2cd66f7FAAAAAAAAAAA

lola aronovich disse...

Amor & Miados, parabéns pelo trabalho de conscientização. Concordo plenamente. É preciso ter posse responsável, adaptar a casa e o quintal para receber o bicho. Vc pode falar um pouco mais da questão do chip? Como se coloca o chip no bicho? Embaixo da pele? Não dói? É caro?
Sobre como é no Canadá eu não sei, mas eu morei em Detroit, que era separado do Canadá por um rio (dava pra ver o Canadá do outro lado), e era raríssimo ver cães ou gatos abandonados na rua. Ou soltos. Fui diversas vezes à casa nos subúrbios do meu co-orientador de doutorado, um professor americano. Ele e a mulher tinham adotado, há muitos anos já, dois gatos irmãos, que eles pegaram já adultos, com dois anos. Meu professor e a mulher, além de receber os bichos castrados, tiveram que assinar um termo de compromisso que os gatos seriam mantidos sempre dentro da casa. Nem quintal nem nada – era dentro de casa mesmo, e ninguém via nada de errado nisso (aparentemente, nem os gatos, que tinham montes de brinquedinhos). Quando fui a Washington vi um cachorro grande atrás daquelas cercas elétricas invisíveis, sabe? A gente não vê nada, só uma plaquinha escrito “Cuidado: Cerca elétrica”. Não quero nem pensar como o cachorro aprende que não pode sair pra rua, mas... ele aprende. (Ah, e fico pasma com as pessoas que acham crueldade castrar um animal. Tem que castrar. Todas as associações defensoras dos animais concordam nisso, não é?).

Eva disse...

Atualmente, tenho duas gatas minhas quatro gatos da minha mãe e dois cachorros em casa, todos adotados. Das minhas gatas, uma foi recolhida pelo pessoal da Gatinhos da Liberdade e eu adotei, a outra eu encontrei esfaqueada dentro da USP. Foi um sofrimento imenso, mas ela escapou bem e sem sequelas, exceto pelo nanismo por ter passado muita fome quando filhote, então ela cresceu pouco, mas são saudáveis, preguiçosas e brincalhonas.

Sobre os bichos incomodarem, olha, eu não gosto do barulho de crianças. Já imaginou se eu desse doces envenenados pras crianças que passam o dia batendo a bola no meu portão enquanto estou tentando estudar, que absurdo? Ou se eu espancasse o bebê do vizinho porque ele chora a noite toda? Tá faltando muito bom senso das pessoas, estão muito centradas em si e esquecem o que é ser civilizado e empatizar com o próximo pra conviver em grupo. Desculpa, mas não quer barulho nenhum, vai viver no pico de uma montanha. Mesmo porque, se eu fosse reclamar do barulho onde eu moro, ia ter que reclamar dos carros que "insistem" em transitar o dia e a noite inteira na avenida e fazem um baita barulhão.

Eva disse...

tenho duas gatas, mais quatro gatos da minha mãe*

Anônimo disse...

Dri,.
"Eu sei, eu sei, temos de ser cristão, de nunca levantar a mão, q violência gera violência"

Isso que a Lola te disse, e de eu tb não concordar de violência x violência é muito além do ser cristão (mesmo porque dentro do cristão medio o que rola é a hipocrisia), mas no sentido de nos humanizar e sentirmos (nao uma imposição) e pensarmos que se queremos igualdade não podemos sair batendo nos outros. Nada a ver, pelo que entendi da crítca da Lola ser algo cristão..
Eu não compactuo d sair batendo em qq um, mas não no sentido católico jamais..
Não precisa ser católico para pensar assim..

Dri Caldeira disse...

Olha gente, sem querer chata mas já sendo, eu tô no meu limite com quem maltrata animal. No limite mesmo. Nutro por essas pessoas o mesmo asco q tenho pelos mascus, pelos criminosos, são todos farinha do mesmo saco. Não digo que vou sair por aí batendo em todos, mas apenas naqueles que eu flagra maltratando e pode ser qq um, até um dono q de boa comida e boa casa pro bicho, se eu vejo alguém batendo eu me meto msm, falo q daquele jeito ele não está educando em nada o bicho. Olha, eu sou assim, eu não consigo me calar dianto de coisas q acho erradas. Eu mando jovens desocuparem o lugar do idoso no ônibus, eu faço motorista folgado sair da vaga do deficiente, chamo vereador na "chincha" a respeito de alguma lei absurda surgida na cidade, reclamo de quem não cumpre sua parte mesmo, denuncio, chamo a polícia. Eu compro briga dos outros, dos que não podem se defender. E bicho pra mim é sagrado, desde q me entendo por gente, tem um animal na minha vida. É importante vc se importar, cara, não tá dando mais pra aturar tanta indiferença!! Tanta desumanidade!!

Anônimo disse...

Então, Dri Candeira, eu até entendo sua indignação, mas como você fala de sair batendo, não em qualquer um, mas em quem bate em animais, você se coloca acima das pessoas para julgar e bater acima da lei.
Me desculpe mas não concordo.
Segundo seu raciocínio então, se você chamar mascus de gays como ofensa (não lembro de ter visto, mas vi que vc já disse isso), e se eu for gay, eu posso te chamar de gorda? Já que como gay me ofendi com isso? Se por um acaso, por ser magra, muito magra, e ver vc chamando alguém de magricela horrorosa então eu posso me sentir ofendida, por ser magra e neste caso posso te chamar de gorda horrorosa? Já que estou no meu limite? Não sei, mas você estar no seu limite, para mim, não te dá o direito de se sentir acima dos outros e usar a violência segundo os seus critérios. Poxa, queremos uma democracia ou queremos uma perpetuação das injustiças?

Dri Caldeira disse...

Eu devo estar muito cansada ou vc anônimo não foi claro o suficiente mas deixa eu te explicar: é muito diferente eu ofender verbalmente um ser humano de eu matar um ser vivo. Diametralmente oposto, léguas e mais léguas distantes uma coisa da outra. É tão difícil de vc entender isso? Quer dizer q eu tenho q ser uma imbecilóide, eu vejo um velho corno, envenenando os gatos da rua e tenho que chegar pra ele e conversar? Olha, senhor, o senhor acha certo o que o sr. tá fazendo vovozinho? Não, claro que não. E, se alguém um dia ofender vc verbalmente, em vez de ficar ofendido e magoado, faça como eu: meta a mão na cara do infeliz q ele vai pensar 2 vezes antes de voltar a fazer isso com vc ou com qq outra pessoa.

Dri Caldeira disse...

E tem outra coisa: a luta pelo direito dos animais não pode se limitar mais somente ao campo das idéias. É preciso agir. Bloquear entradas de criadouros onde os animais são mantidos de formas cruéis, de fazer o msm com canis clandestinos, onde matrizes dessas raças lindinhas q vcs veem na vitrine dopet shop sofrem horrores nas mãos de inescrupulosos que nem comida e água dão aos bichos, fazendo com q elas deem uma cria atrás da outra, e qdo. ficam doentes, as abandonam na rua. Tô cansada disso e não de discussões sociológicas sobre direitos HUMANOS, pq humanos sabem e devem reclamar quando se sentem prejudicados. Os animais não falam.

Anônimo disse...

Dri, definitivamente eu não vou meter a cara na mão desta pessoa. Não porque eu sou uma imbecilóide ou fraca como você talvez possa imaginar. Mas porque minha sede de justiça impede que eu só desconte minha raiva e me sinta vingada, perpetuando a violência. Você que parece não entender ou escolhe mesmo o caminho de se igualar a eles. Eu e outros, apesar de nossa raiva, queremos justiça e não vingança.
Cara, sorry, mas não vejo tanta diferença de vc Dri com os oprimidos opressores que a Lola discutiu em outro post, sobre o gay militante e misógino. Oprimido opressor é quem apesar de oprimido não cosegue se empatizar pelo outro, só descontando sua raiva em sendo opressor com o outro grupo qualquer que ele julgue poder oprimir. Nossa Dri, e ainda usa corno como xingamento...Para mim, sorry você é se sente acima de qualquer um mesmo.

Dri Caldeira disse...

Pessoa, lei nesse país só funciona pra gente com $$. E só sofre os rigores da lei, preto, pobre e puta. É essa a verdade. Se vc vive no seu mundinho cor de rosa, onde todos cumprem a lei, onde vc liga pro 190 e a pm vem correndo pq vc viu um cachorro preso num galpão sem comida e água por 7 dias, vc deu muita sorte, pq no meu mundo cinza a pm não vem para esse casos. Se um cachorro cai no canal aqui em Santos, o bombeiro vem sim, mas demora as vezes 6, 8 horas. As pessoas q maltratam animais são aquelas q verdadeiramente se acham acima da lei, não eu. Eu só dou a elas o q os pais delas deveriam ter dado na infância. Vai resolver, não sei, mas tenha certeza de q ele jamais vai me esquecer.

Amor & Miados disse...

Lola, o microchip é do tamanho de um grão de arroz, que é colocado sob a pele do animal - procedimento praticamente indolor - com os dados dele, do proprietário e em caso de perda, pode ser encontrado. Infelizmente não são muitas pessoas que conhecem o microchip como instrumento para devolução de um animal perdido, então acredito que deveria haver uma campanha de conscientização nacional por parte dos fabricantes não somente para os donos, mas para a população em geral, já que não adianta ter pontos de leitura e banco de dados se a pessoa que achar o animal não saberá levá-lo para a leitura em uma clinica. No Canadá fiz um curso sobre C.E.D. - Captura,Esterilização e Devolução - de gatos ferais na Humane Society e lá não é muito diferente dos EUA em relação as posturas para doação de animais. Bons e honestos protetores aqui no Brasil tb só entregam animais castrados, vacinados e vermifugados e com termo de responsabilidade e adoção, além de para casas seguras. Doar animal não-castrado é colaborar com um abandono futuro e, infelizmente, tb existem pessoas que se dizem protetoras e cometem essa falha imensa. A diferença é que nos EUA, se alguem fizer algo com este bicho doado, vai preso. Na cidade de SP, se um animal microchipado for encontrado na rua, a pessoa é multada, mas ainda é algo muito leve. Já perdi um gatinho doado por uma pessoa que o deixou morrer intoxicado a 5minutos de uma clinica veterinária pq não quis gastar. Não podemos confiar nas pessoas, existem mascaras em todo os lugares e quem sai prejudicado SEMPRE é o animal. Meus animais sempre foram doados responsavelmente, mas acabei me dedicando somente para a castração pois é a unica solução a curto, médio e longo prazo para tentar terminar com esses holocaustos animais que testemunhamos todos os dias.

( momento tiete - nossa, fiquei tão feliz com sua resposta direcionada para mim! )

Dri Caldeira disse...

Eu me importo de maneira diferente de vc. Não fico só compartilhando fotos de cachorros e gatos machucados e abandonados no facebook, eu ponho a mão na massa. Desço no canal pra tirar o cachorro. Ando com ração na bolsa e no carro pra deixar pra um bicho q eu veja com fome. Pego um na rua, levo num veterinário pra ser tratado. Arrumo adotante pra cachorro em LT. Eu me importo de verdade, não passo adiante um sofrimento, q é o q se faz qdo somente se compartilha bicho q sofre no facebook. Isso não vai acabar com o abandono no mundo, mas eu tranquilamente deito minha cabeça no travesseiro, pq estou fazendo minha parte.

Louise Nouvain disse...

Eu concordo com a Dri,só quem já viu uma cena dessas bárbaries sabe o que é ter o sangue literalmente "fervido".E sem essa hipocrisia de comparar gente com bicho,seres humanos na maioria dos casos podem se defender,já os animais sofrem calados.Se eu visse novamente uma cena dessas eu ia descer a porrada em quem quer que fosse,vão exigir humanidade dessas escórias que são muito corajosas pra maltratar bichos,psicopatas disfarçados de cidadãos de bem.

Anônimo disse...

Concordo com a Dri e a Louise. E, como já citado, temos os exemplos de quem levou uns safanões e ficou pianinho, morrendo de medo da vizinhança pegar raiva. Uns tabefes resolvem, sim.

Anônimo disse...

Dri, eu não vivo em mudo cor de rosa. Sou pobre, longe de um mundo ideal.
Só que você não percebe que uma coisa é sentir raiva e “sentir vontade de bater em alguém”. Outra é “fazer isso”, achar isso legal e escrever o que você escreve. Somos humanos e sentimos raiva e sangue ferver. Incentivar esta atitude para mim e não ver problema nisso é o que difere de quem quer justiça e quem quer só violência como limite.

Eva disse...

Eu sou super pacífica, sou baixinha e tudo mais, mas ah, me desculpem, mas se pego alguém maltratando animais, também enfio a porrada. Mesma coisa com crianças. Não sou a favor do uso da violência, mas não tenho sangue de barata, não consigo me conter se vejo alguém que não pode se defender sendo machucado.

No caso desse vizinho, fiz uma ameaça porque estava claro que era a única linguagem que ele compreendia, e foi só assim que ele deixou os meus bichos (duas cachorras velhas que mal latem e um monte de gato que não, não saia de dentro de casa, exceto essa que ele machucou e que às vezes escapava e só sentava na calçada, mais nada, até a gente descobrir e ir lá buscar) na mais santa paz, mas não demoramos, pra evitar até mesmo que ele jogasse comida envenenada no quintal, a telar tudo com tela de trama muito fina, pra permitir o sol de passar, mas nenhum bicho de sair.

Vera disse...

Nossa, me deu um embrulho só de ler o post.
É muita covardia bater em animais. Parece sadismo isso! Coisa horrível!
No entanto, por outro lado, tem muito dono de animais sem noção também. Isso é verdade.
Lógico que isso não justifica maltratar um animal. Nada justifica. Mas já cansei de ver casos em que o vizinho que se sente incomodado tenta conversar com o dono do animal (sobre latidos, sujeira no quintal, etc), na boa, e o dono do animal, além de não fazer nada pra resolver o problema, rotula o vizinho que reclama como uma pessoa má, começa a falar mal, etc.
Os donos de animais tem que ter respeito também. E tem muitos que não tem.

Vera disse...

Amor e Miados,

"Guarda responsável"
Taí, gostei do termo.
Eu acho que, infelizmente, apesar de muitos donos de animais dizerem que adoram bichos, não tem uma guarda responsável.
Aí, prejudicam os vizinhos e, pior, acabam prejudicando os próprios animais.

Dani disse...

isso do barulho, eu já tive algumas experiências. Em um apartamento meu vizinho reclamava do barulho das patas do cachorro de 4 kgs caminhando ¬¬ no outro a vizinha reclamava que o gato miava. hoje vivo em um prédio onde todos tem cães e nunca ninguém reclamou que o gato mia ou que o cachorro anda. ou seja, parte desse incomodo é sim o quanto a gente fica prestando atenção no vizinho ao invés de cuidar da nossa vida. Inclusive alguns cães latem quando alguém abre a porta e param na sequencia, e isso nunca me incomodou, apesar de a minha não latir.

A outra experiencia foi em um escritório em que trabalhei. Era um home office e a chefe tinha um bebê. A vizinha tinha um labrador e um salsicha e estava com pedreiros em casa, logo, os cães presos no quintal latiram para o intruso por 4 horas seguidas - e aí quem faz um bebê dormir? Tive que ir pedir para solucionar o problema e ela me deu de ombros com um "mas eles latem mesmo" e eu devolvi um "mas os cachorros são seus e o bebê está tentando dormir". Acho que essa é a outra parte - quando você tem dois cães latindo ininterruptamente durante 4 horas seguidas e não se dá o trabalho de parar pra pensar em como resolver o problema, você não está cuidando do bem estar deles e pouco se lixando para quem está em volta. Depois do meu pedido ela pôs os cães para dentro e eles pararam de latir. Imagino inclusive que estivessem felizes sem o incomodo de ficar vendo os pedreiros intrusos e tendo que exercer a função de espantar o cara que nunca ia embora.

Ou seja, é questão de pensar o quanto aquilo de fato está sendo fora de medida ou não, e o quanto as pessoas não conseguem se desvincular do ruído e ficam prestando atenção naquilo, tornando a própria vida um inferno e culpando os outros - e pior, aos animais que não optaram por viver ali - por isso.

Koppe disse...

Outra coisa que é importante lembrar são os cães que vivem em casas que não tem cerca, ou que a cerca está quebrada, ou mesmo que o cão tenha aprendido a pular ou tenha cavado uma passagem. Isso é muito comum em vilas, como aqui onde eu moro. Pode não causar incômodos maiores se o animal é manso, esses eu gosto e se eu passar comendo alguma coisa que eles gostem eu até jogo um pedaço. Mas no caso dos brabinhos, nervosinhos, soltos assim, aí o dono tá pedindo pra arrumar encrenca pra ele e pro cachorro. Eu pessoalmente tenho umas histórias bem xaropes sobre isso, porque teclando aqui é bem fácil ser racional e entender que cachorros são territorialistas e eu passando pela rua ele pode entender como invadindo o território dele; mas com um cachorro latindo, avançando e tentando me morder, aí a tendência é eu agir de forma quase tão irracional quanto ele e a única coisa que vem na cabeça nessa hora é achar algum pau ou pedra ou coisa semelhante e ir pra cima dele, como já tive que fazer algumas vezes.

Stefany Monteiro - Lady Murder disse...

Oi, Lola, me tira uma dúvida. Tu está agora na Engenharia de Produção Mecânica da UFC? É que tem uma mulher tendo aula comigo de Introdução a Engenharia que eu JURO como é a tua cara. Está? Se sim, me avisa, porque estou tendo aula com a Lola e nem sei uahuahauaha. Beijos!

Jean Canesqui disse...

Já mataram bicho meu. Na época deixei barato pq minha mãe me pediu. Hoje não posso ter mais animal pq não posso dar atenção, mas se isso mudar e algum filho da puta tentar ferir a criatura a qual estou cuidando, vou transformar o idiota num quadro do Bacon.

Anônimo disse...

Animal de estimação tem de ser mantido dentro da propriedade do dono e não solto pelo quintal alheio.

Barbara disse...

Sou contra, completamente contra, qualquer tipo de violência contra animais. Não consigo sequer compreender como alguém pode fazer certo tipos de maldades. Mas também sou absolutamente contra a perturbação do sossego alheio. São regras, temos que respeitar. Não posso exigir respeito se não cumpro com a minha parte. Todo mundo sabe como dá confusão com os vizinhos quando alguém resolve resgatar dezenas de cachorros e deixá-los juntos no quintal de sua casa.

Prezo muito pelo meu sossego, trabalho muito, quando estou em casa quero descansar. É meu direito, e não, isso não é reparar na vida dos vizinhos, nem falta do que fazer (quem disse isso tá brincando, né).

Tive gatos na minha casa, castrados, mas que ainda assim escapavam. Dois não voltaram, desconfiam de um vizinho...enfim, não posso fazer nada. Meu quintal não tinha como telar. Desde então, nessa casa só cachorro. Shih tzu, que não late nunca!

Vou me mudar pra apartamento e aí sim, terei dois gatinhos. Escolhi persas porque são mais indolentes, espero que fiquem mais tranquilos, sem querer escalar, sem se ressentir da falta de espaço.

Todo mundo tem direito de ter bichos e amá-los como membros da família. Mas seu vizinho tem direito de ter sossego, também. Reparem que os níveis de tolerância das pessoas são diferentes. Talvez você não se incomode com um cachorro latindo 24 h por dia para o vento, mas eu me incomodo. E respeitando o direito alheio, você pode exigir que respeitem o seu.

Anônimo disse...

Gente, comparar o barulho de animais com criança não faz sentido. Por que uma coisa são as crianças de uma família ou um ou dois cachorros. Outra coisa é um monte de bicho, latindo juntos. Essa história de eu tenho direito de fazer meu barulho e quem está incomodado vá viver na montanha parece vindo de uma pessoa que não respeita em nada o direito dos outros. Você pode por som alto na sua casa o quanto quiser e os outros que se danem.
Não estou defendendo dar veneno aos animais que fazem barulho, isso é desumano, criminoso, mau-caráter. Estou defendendo o direito da pessoa reclamar do barulho e processar o responsável pelo barulho. Se vc quiser ter qualquer atividade lícita que faça barulho (como, por exemplo, ensaiar uma bandas de música) cabe a você tomar a providência para que não incomode os outros. Com animais não é diferente. A autora do guest post parece irresponsável e pensa que os direitos dela estão acima dos outros.

Anônimo disse...

Também não concordo com a ideia de quem se sente incomodado que se mude. Nunca mudaremos nada, e sempre quem atrapalha continuará certo se pensarmos assim. Claro que tb não concordo com bater em animais, mas justificar que o incomodado que se mude é não se preocupar com a ao convivência e o bem-estar de animais e humanos também. Acho que são graus distintos de intolerância e para mim é bom senso.
Tenho uma cachorra que, para mim, late normal. Não late todo o tempo (cuidamos muito bem dela), mas que late com os estímulos da rua, tipo lixeiro, alguém que passa as vezes etc. Uma vizinha nossa ficva reclamando que nossa cachorra era chata, e putz a gente cuida mó bem dela, leva p passear, e acho normal que um cachorro não seja mudo. Então neste caso, para mim, não faz sentido nenhum querer cachorro mudo. Aqui ouço uma vizinha chata e sua voz brigando com o filho o dia todo e não reclamo por isso. Entretanto todavia, porém......, é diferente de uma situação onde o cachorro late TODO O TEMPO, por algum stress e culpa humana, passível de ser mudada. Aí sim eu acho que cabe reclamar com o vizinho, porque bem-estar humano também é relevante e cachorro que nunca para de latir pode ser ruim ate para o cachorro que pode estar estressado e o sossego (com bom senso) do humano é sim relevante. Por isso, ao meu ver, o achar que cachorro deva ser mudo e o seu oposto de não poder reclamar de barulho de cachorro que nunca cessa são igualmente ignorantes.

Mordred Paganini disse...

Lola, eu sei que você já deve estar de saco cheio deste assunto, mas, você viu isso?

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2012/03/505668.shtml

Anônimo disse...

Isso,continuem se doendo por outras coisas...enquanto isso,a gene continua sendo tratada que nem pedaço de carne.É mais fácil defender animais do que mulheres,tem muito mais mulheres sentindo pena dos "pobres animaizinhos" do que de suas irmãs que se prostituem na rua.Em suma,hoje sofremos com esta bosta do "feminismo fashion",que nada mais é do que esta palhaçada naturalista,que nada tem a ver com preservação da natureza,ecologia ou seja lá o que for que estas "senhoritas que se julgam tão cultas" tentam defender.

Drica Leal disse...

Lola, fiquei estarrecida também com a informação de que a estimativa de vida de um cão doméstico no Brasil é de apenas 3 anos! Mas tenho uma teoria a respeito. PAIS QUE DÃO ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO A CRIANÇAS COMO SE FOSSEM BRINQUEDOS!Ou então, famílias que acham linda a ideia de ter um cachorro bonitinho mas que ao menor trabalho que tenham com o animal, o descarta.

Infelizmente conheço várias famílias onde o animal de estimação ou é considerado um acessório, parte da decoração (quando é de raça)ou, ainda pior, é dado ás crianças como se fosse um brinquedo. Esses bichos sofrem muito, principalmente no caso das crianças. Elas fazem todo o tipo de brincadeiras pesadas com os animais, sem pensar que eles estejam sentindo dor, que aquilo possa machucar o bichinho. E os pais fingem não ver ou veem mas não acham nada demais. O importante para esses babacas é que a criança está feliz com o bichinho, seu "brinquedo" favorito, e não querem nem saber se o bichinho está sofrendo ou não.

Sobre os animais que são considerados peça de decoração, fazem parte daquela estrutura pequeno burguesa da casa perfeita, família de comercial de margarina e o cachorro bonitinho. Porém, cachorros dão trabalho, fazem cocô, sujam, soltam pelo, quebram e rasgam coisas e mesmo limpinhos eles tem cheiro. E logo a família pequeno burguesa descobre que uma "coisa" desse tipo não pode fazer parte de suas vidinhas perfeitas muito menos de suas lindas e impecáveis casas. A maioria desses cachorros morrem abandonados em quintais, passam suas curtas vidas presos em suas casinhas ou correntes. Outros são descartados pelas ruas. Uns raríssimos tem a sorte de ser doados para alguém que queira cuidar deles. Infelizmente essa é a realidade de muitos animais de estimação, principalmente cachorros, no Brasil.

Sobre os gatos, é impressionante o ódio IRRACIONAL que tantas pessoas sentem por eles. E já reparou em maioria absoluta os odiadores ferrenhos de gatos são homens? Já li pesquisas e teorias interessantes associando o machismo e a misoginia ao ódio por gatos (que inconscientemente são associados ao feminino), e quando analiso as pessoas que conheço que não gostam de gato tudo isso faz muito sentido. Não sei se você já leu, mas o que já li de mais interessante sobre essa associação Gatos X Feminilidade, inclusive com a apresentação de pesquisas verdadeiras sobre o tema foi esse ensaio:

http://www.xr.pro.br/ENSAIOS/Gatos.html

Anônimo disse...

Este comentário na anonima 13:28 é algo que temos que pensar.
Não concordo que temos que parar de lutar pelos animais porque te outras mazelas do mundo. Creio que podemos criar várias frentes. O problema é que muita gente põe problema em quem luta com certas coisas (proteção animal) como se isso excluísse outra luta. E muita gente quem critica quem luta por ter outras lutas maiores, na verdade não luta por nada (não acho que foi o caso da anônima). Mas sim, devemos considerar que atualmente no mundo, a proteção/carinho e humanização o animal por parte de alguns (vide pet shops, indústria dos pets, e tuudo de bom e do melhor luxo para os pets da classe média) caminha em conjunto com a falta de empatia com outros humanos. Não podemos desconsiderar que parte do comentário da anônima seja verdade. Alguém duvida de alguma madame que se preocupa mais com animais que a criança moradora de rua? Alguém duvida que isto acontece um pouco em nossa sociedade? Sim, é fato que existe gente que tem mais compaixão por cachorros que pessoas, lutas para pessoas, isso eu concordo muito. Sinceramente não sei o que pensar deste impasse...

Nuno disse...

"Então ela decidiu colocar bilhetes anônimos nas caixas de correio de todos os vizinhos, dizendo que aquele vizinho era um assassino cruel de animais, que estaria cometendo um crime ambiental, e que todos deveriam ter cuidado com seus bichos, porque havia um serial killer entre eles".

Essa sua amiga confessou não só uma conduta anti-social mas um crime. Se ela não tinha provas do que PENSAVA que o vizinho fazia, como pode ter certeza de que era ele? E ela ainda se orgulha de ter feito o sujeito se mudar. Dispensa os maiores cuidados com seus animais e o maior dos danos com as pessoas. É preciso checar prioridades, e neste caso, procurar um bom analista depois de sofrer a sanção penal do crime de calúnia.

lola aronovich disse...

Anônimo das 13:28, o seu “continuem se doendo por outras coisas” tem resposta no primeiro link do post. Vai lá! E puxa, ninguém nunca tinha me chamado de feminista fashion antes! Geralmente é o contrário... Bom, este é um blog feminista, mas não é só isso. Eu falo de vários outros assuntos. E defesa dos animais é um deles. Mas de vez em quando há posts aqui sobre feminismo... Inclusive, algumas feministas, como a bell hooks, não definem feminismo como luta por igualdade, mas como luta contra opressões. E animais também são oprimidos no nosso mundo, não são? Lutar por uma coisa não invalida lutar por outras. Pense nisso!


Anônimo das 13:45, acho que vc está confundindo as coisas. Não conheço defensor de animais que adore pet shops, que pinte o cachorro de rosa, que vista o cão com roupinhas. Aliás, eles são CONTRA ISSO. Eles consideram isso a maior frescura (além do que, pintar poodle de rosa pode ser muito danoso à saúde do animal!). Defensores de animais trabalham salvando grandes quantidades de animais. Tenho certeza que eles prefeririam que a madame doasse o que gasta com o spa do cachorro pra ONGs de defesa de animais. E, como deixa claro o guest post de uma defensora (é o primeiro link do post), geralmente defensores de animais defendem outras causas também, inclusive crianças de rua.

Carol NLG disse...

Claro que eu sou contra violência contra animais. Quem não é?

Mas também é bem verdade que tem gente que exagera. Não, não é normal cachorro latir o dia todo. Alguma coisa está errada. O animal está estressado por algum motivo, ou pode estar com alguma doença.

No Brasil, morava em apartamento e tinha dois cachorros de pequeno porte. Os dois (que ainda vivem no mesmo lugar, com meus pais) são muito bem cuidados. Quase não latem. Nenhum dos vizinhos reclama.

Certa vez, a fêmea entrou no cio. Foi o primeiro cio, a gente ainda não sabia como seria a reação. O macho ficou doido. Tentei separar os dois, deixei um em cada canto da casa, bem distantes. Saí pro trabalho.

No meio da tarde, recebo uma ligação do porteiro, informando que o cachorro está latindo muito e os vizinhos reclamaram. Acabei tendo que deixar ele numa clínica veterinária durante o cio. Foi castrado em seguida.

Culpo os vizinhos? CLARO que não! Aliás, fiz questão de ligar/ir a todos os apartamentos do prédio, pra me desculpar pelo incômodo. A resposta da maioria? Ficaram foi preocupados, porque como os cachorros são comportados, acharam que pudesse ter alguma coisa na casa - ladrão, vazamento de gás, essas coisas.

Ou seja, com responsabilidade seus vizinhos podem virar aliados no conforto aos animais. Claro que existem pessoas doentes. Mas, em geral, se você mostra que se preocupa, sim, com o outro, você consegue ajuda.

Anônimo disse...

E se algum idiota desses entrar na minha casa pra roubar um gato, um passaro ou um grão de areia, eu tenho sim o direito de enfiar uma bala no meio da cara do infeliz

Anônimo disse...

Lola, eu sei que defensores de animais são contra esta indústria de pets viu. Por isso sou bastante amigável a causa. O que acho é que este comentário da pessoa que colocou feminista fashion pode nos fazer refletir para uma coisa, que sei que não são os defensores dos animais, mas de parte de nossa sociedade estar humanizando os animais, tendo tanta empatia (isso é ótimo,mas ter empatia é uma coisa, mas vejo que tem situações que vira uma humanização, e olha sabe, veja que sou vegetariana..) mas é fato que parte destas mesmas pessoas (não os militantes) não coseguiriam sentir empatia com tantas outras pessoas no mundo. Poxa, estava só fazendo esta reflexão, não pretendi parecer que estava dizendo que a autora ou qq militante fosse assim. Não sei mesmo, mas vejo este fenômeno, já ouvi outras pessoas tb repararem isto, desta obsessão que se fala dos animais, e parte desta obsessão estar caminhando junto com a falta de empatia com outro ser humano. Nâo tenho nem opinião formada sobre, mas observo isso. Na minha opinião poderia ser um assunto para pensarmos a desumanização e falta de empatia com tantas coisas das pessoas no mundo. Era só isso viu Lola. Acho que se isso é abordado e percebido por alguns, temos que pensar sobre...Sendo vegetariana já me perguntaram isso, e não sei como pensar muito ainda...

Anônimo disse...

Tem defensores dos animais aqui mais selvagens que os animais que defendem

eu hein! rs

bjo

Anônimo disse...

Lola, novamente sou a anonima que estava falando sobre humanização dos animais (desculpe anonimato, mas já que foi assim, agora vai..). Olha um exemplo, um amigo meu que não é rico nem classe média, fanático por animais e que posta direto no face sobre. Quando aconteceu aquele negócio na USP ele foi um daqueles que dizia que era para PM bater em estudantes. Outra amiga minha, que ama muito seus animais (também não é classe média, no máximo média baixa), vive muito com raiva de quem trata mal animais (com razão), e outro dia ela solta que concorda com a expulsão dos moradores da cracolândia porque são vagabundos e que também não merecem tratamento gratuito, já que é drogado por que quer. Minha tia mesmo (esta classe média) morre de medo de morador de rua e diz que nunca daria esmola para aquelas pessoas porque só sabem beber. É isso que acho curioso, como de uns anos para cá se fala tanto de animal (coisa boa) e estas mesmas pessoas não conseguem ter esta boa empatia para outro humano. Sei que não foi exatamente isso o post. Só que sempre qndo se fala de proteção animal vem gente abordando isso p gente (para vegetarianos tb) e acho legal que como somos simpáticos a causa animal, seria legal refletirmos isso para poder responder estas questões que para mim são importantes também. De qualquer maneira desculpe fugir do post, não pretendia isso.

Anônimo disse...

Também não gosto da conclusão de que gente que gosta de animais é "gente boa" e gente que não gosta é "do mal". Eu sempre tive animaizinhos em casa, gosto deles e os trato com afeto e respeito. Porém, isso não me torna melhor na minha relação com meu semelhante. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Gostar de cães, gatos, passarinhos, aliás, nem é "gostar de animais". Não lembro se foi aqui mesmo que li um comentário de alguém que se julgava amante dos animais e que só descobriu em uma viagem à India o que era amor pelos bichinhos. Amor por todos os tipos de bichos, besouros, sapos, porcos, tudo. Acho que é um bom assunto de reflexão. Será que essa relação tão estreita que estabelecemos com animais que são dependentes de nós e que nos devolvem esse afeto às vezes multiplicado por mil é mesmo "amor pelos animais"? Não estou de forma alguma criticando esse tipo de relação, que eu também tenho, inclusive. Apenas acho que isso não é sinal de generosidade e muito menos diz algo sobre o caráter de alguém. Como disse a anônima acima, há pessoas que amam seus bichinhos e que tratam seus semelhantes com indiferença ou desprezo.

Vera disse...

Anônimo,

Eu também vejo esse fenômeno: de um maior aumento pela defesa dos animais e, ao mesmo tempo, um aumento de frieza com outros seres humanos.
É como se houvesse uma humanização dos animais e uma desumanização dos seres humanos.

Também não gosto dessa frase: "quem não trata bem os animais, não trata bem outros seres humanos", pois não acho que essa frase seja verdadeira.

Conheço muitas pessoas que tratam muito bem os animais, são defensoras participam de ONGs em defesa dos animais, mas não tem o mínimo de empatia, solidariedade ou afeto por um outro ser humano.

Do mesmo modo, conheço muitas pessoas que veem bicho como bicho e são pessoas admiráveis, que participam ativamente em várias lutas sociais.


Eu até já comentei aqui. Acho que esse fenômeno está muito ligado a nossa sociedade individulista. É muito fácil lidar com animais.
Difícil mesmo é a troca, a convivência, a tolerância com outro ser humano.

Eva disse...

Ah, não, precisa ter bom senso sim. Gato que faz barulho o tempo inteiro, cachorro que late 24 horas do dia, quem gosta de animal precisa investigar, porque pode ser que o bicho esteja doente, sendo maltratado, ou a casa esteja sendo assaltada (coisa que acontece muito nas grandes cidades, infelizmente). Seria o mesmo que criança que chora o dia inteiro, sabe? Alguma coisa errada tem.

Mas tem que se entender que, eventualmente, os bichinhos vão incomodar um pouco. Um pouco não significa o tempo inteiro, e nem a ponto de te impedir de conversar num volume normal na sua casa, ou de descansar durante a noite, ou de ouvir a tv sem colocar o volume no máximo. Da mesma forma que crianças normais, num ambiente saudável e protegido, vão brincar, vão brigar e vão chorar. O problema é que muitas (e são muitas mesmo, infelizmente) pessoas partem logo para a ignorância, agredindo ou matando os animais, no lugar de ir lá tentar conversar e, em caso de impasse, acionar a justiça e tentar um meio legal de chegar a um acordo. A violência deve ser sempre o último recurso, quando existe risco imediato da vida, seja a humana, seja a animal.

Eu já comprei briga com um vizinho meu que chegava bêbado e espancava a mulher e os filhos. Eu tinha acabado de mudar, ouvi a briga numa noite, e na outra, também. Chamei a polícia e enquanto ela não chegava, fui lá e espanquei o portão, armada de um pedaço de pau pra me defender ou defender todo mundo em caso de necessidade, e só na medida em que precisasse deter o bêbado. Mas a polícia felizmente foi rápida, chegou quando eu ainda estava socando o portão e ameaçando pular pra entrar (nesse momento todo mundo tinha saído pra rua e tinha tomado a coragem de ameaçar entrar também, é impressionante que um só se levante para que o resto tome coragem), e o resultado foi o divórcio e a família agredida colocada sob proteção legal e o agressor proibido de chegar perto da família e obrigado a fazer uns cursos lá de controle da raiva e a participar de reuniões do AA. Mas o que eu ia fazer, se não apelar para a violência para impedir que ele continuasse espancando a família? Se precisasse, eu teria chegado às vias de fato sim, porque não se agride ninguém que seja mais fraco do que você.

Com animais eu vejo da mesma forma - não hesitaria em partir para agressão para impedir uma agressão imediata que eu pudesse impedir, mas em caso de ameaça, chamaria a polícia e levaria a coisa por um viés legal.

Anônimo disse...

Sou a anonima da desumanização..
Estava relendo meu comentário, e só para acrescentar porque ficou estranho....descrevi estes três conhecidos meus e coloquei que não são ricos , classe média etc, só para mostrar que eles não são do tipo que pintam cachorro cor de rosa e tipo madame que falei acima. Para mostrar que não são os “freaks” tipo que fazem festas para cachorros, ou seja, minoria. São pessoas “comuns”, que amam muito animais (as não militante, ou seja a maioria) e tem as atitudes que mencionei,

Eva disse...

Mas, falando por mim - eu não consigo conviver na minha vida pessoal (e não na profissional, ou apenas uma boa convivência) com quem não gosta de animais. Mas eu particularmente não gosto de crianças, embora defenda cada uma delas. É mais uma questão de afinidades, creio, por exemplo, não consigo passar longos minutos falando sobre crianças, mas sou capaz de passar horas brincando com animais. É óbvio que não é tudo a ferro e fogo, alguns dos meus melhores amigos se tornaram pais, e eu tenho uma boa convivência com eles e com as crianças, dou atenção, não trato mal, até conto histórias pra elas, sabe, convivência saudável pelo amor que eu tenho pelos pais das crianças, o que faz com que eu acabe gostando daquelas crianças específicas enquanto pessoas em situação de desenvolvimento, mas de um modo geral, não consigo conviver com as crianças - o que não me tira da luta na defesa do ECA e da educação por exemplo. Existe uma diferença muito grande entre vida pessoal e a vida em sociedade, e eu fico espantada como as pessoas não processam isso muito bem.

Não sei se meu raciocínio faz sentido, ou se mais alguém se sente assim, mas é como eu sinto isso - não gosto de conviver com crianças em geral, mas amo algumas com quem convivo e defendo os direitos de todas elas, independente do meu gostar ou desgostar absolutamente pessoal, de ter uma vida digna, uma infância saudável e protegida.

Vera disse...

Eva

Eu entendi o que você quis dizer.
Eu gosto muito de animais, mas conheço muita gente que não gosta. Mas isso não significa que elas concordem que os animais sejam maltratados. Lógico que não.
Inclusive, muitas dessas pessoas, por participarem ativamente de lutas referemtes à questões sociais e humanitárias, ao eu ver, trazem muito mais benefícios aos animais do que os próprios defensores de animais.
Pois, ao lutarem por melhores condições de vida aos seres humanos, ao lutarem por uma maior humanização, isso reflete numa melhora de condição de vida aos animais.

Eva disse...

É por ai Vera. Apesar de particularmente não gostar de crianças, participo mais da militância em prol da educação pública, uma vez que sou formanda de Letras (apesar de ser bacharelado e não licenciatura), do que na causa animal diretamente, por absoluta falta de tempo.

Às vezes tenho a impressão de que as pessoas vão pra extremos bizarros, achando que, por defender uma causa, os militantes negligenciam todas as outras.

Vera disse...

Complementando...
Falando sobre crianças e animais.
Por exemplo, eu acho que é muito mais benéfico para os animais, isto é, há mais reflexos positivos aos animais, pessoas que se preocupam com a educação de crianças, de uma forma humanizada, uma maternidade consciente, etc. do que a própria dfesa direta pelos animais (que também deve existir).
Mas criar cidadãos conscientes, respeitosos, dignos, responsáveis, com amor, sem violência, etc. é mais benéfico para os animais do que a própria defesa direta pelos animais (o que, repito, também é muito bom que exista).

EneidaMelo disse...

Eu não sei se vou conseguir me fazer entender, mas vamos lá. Sobre essa questão de que quem faz mal a animais, faz mal a humanos também. Vou começar por mim mesma: 3 situações.

1) Já tive cães, gatos, tartaruga (nunca mais) e peixes (nunca mais). Cuidei de todos eles, dei amor e carinho. Jamais faria mal a um animal desses, mesmo que não fosse meu.

2) Pombos. Odeio-os do fundo do meu coração. Pra mim, são ratos com asas, e olho pra eles com nojo. Se voar perto de mim, cubro o nariz. Jamais faria mal a um pombo. Inclusive, uns 2 meses atrás, tentei convencer meu chefe a não por chumbinho pra matar os pombos que faziam ninho em cima da janela. E expliquei formas de espantá-los (papel alumínio). E expliquei que era crime matá-los.

3) Ratos (os sem asas). Já contratei desratização que, óbvio, foi com algum tipo de veneno.

Há pessoas que não conseguem matar formigas e baratas, não por medo, mas por compaixão.

Então, cada pessoa tem a sua própria linha de corte. Meu chefe mesmo me questionou porque eu podia matar os ratos e ele não podia matar os pombos. Eu confesso que não soube dar uma razão que não fosse a da legalidade da coisa. Porque é pessoal mesmo.

E essas leis são definidas pela sociedade em que estão inseridas, pelo conjunto de cortes individuais. Então, hoje, a prefeitura mata cães abandonados porque a maioria da população não se importa, ou os vê como praga. Senão é a maioria, então a maioria é omissa.

O que as ONGs de proteção a animais tentam fazer é mudar a mentalidade das pessoas para que mais pessoas defendam os animais, especialmente cães e gatos.

Anônimo disse...

Eneida, concordo com vc.
Quando sai a discussão do vegetarianismo sempre vem pessoas criticarem que se vc é vegetariano e sei lá, mata barata é contraditório (ou come alface que tb Acho sem noção total. A questão é dos cortes como vc falou. A sociedade cria este corte, e individualmente criamos nossos cortes de ter empatia por tal ou tal animal como limite. Coisa mais natural isso eu acho.

Mari R disse...

Eu não amo em especial os animais. Não sei como dizer isso, sem ser mal interpretada. Na minha casa sempre tivemos animais. Hoje temos uma poodle de quase 18 anos, um labrador e o poodle que era “marido” da outra que morreu há alguns anos (também de velhice). Claro que tenho afeto pelos bichinhos, cuido dentro das proporções que eu acho corretas (isso é; sem beijos e dormir na minha cama), faço carinho e jamais bati pq acho que é muito covardia. Mas não tenho por eles o mesmo amor que tenho por seres humanos, é obvio que gosto mais dos meus cachorros que de alguns seres humanos, mas nunca vou conseguir filosofar a respeito e ter essa paixão por animais que vejo em algumas pessoas. Já vi e tive muitos problemas com cachorros de outras pessoas e meus cachorros já incomodaram a vizinhança algumas vezes também. O labrador , por exemplo, quando era novinho adorava latir bem alto as 3 da manhã. Isso é chato, mas dá para contornar, mas eu pergunto como agir em casos mais graves ? Aqui perto tem um Pit Bull bravo que vira e mexe escapa e fica andando sem coleira na calçada de sua casa, também houve aquele senhor que adotava cachorros de rua (tinha uns 18 cães), barulho e mal cheiro que incomodava 24 horas por dia. E não existe resolução fácil para esse tipo de problema. A prefeitura e policia não aparecem ao serem chamadas e um processo demora muito e não garante nada, e na maioria das vezes se mudar não é uma opção. Tinha que haver maior controle de órgãos competentes, tanto para evitar crueldades com animais, quanto para impedir abusos por parte de donos que não respeitam o espaço alheio.

Anônimo disse...

"Este mesmo vizinho já possui um péssimo histórico de crueldade contra animais. A penúltima cadelinha que ele trouxe da rua, ele acorrentou e espancou durante aproximadamente vinte minutos."

Então a pessoa ficou marcando o tempo ao invés de agir? Bela protetora dos animais essa aí...

Anônimo disse...

"Agora terei que colocar grades na minha varanda para que meu sofrimento e toda essa covardia acabe." - só agora, colega? Depois de tudo isso AGORA você resolve gradear? É o fim da picada mesmo... aproveita e mete telas em tudo, porque é isso que PROTETORES RESPONSÁVEIS fazem.

Koppe disse...

Mari R, eu entendo o que tu quer dizer. Eu jamais mataria a grande maioria dos cães e provavelmente nenhum gato, mas certos seres humanos em específico eu não hesitaria em puxar o gatilho se tivesse oportunidade. Ratos eu não mato, mas fecho os olhos quando minha gatinha mata, sempre temos gatos aqui em casa e eles praticam uma "desratização" permanente.

Quanto ao pitbull do vizinho que escapa, é um caso em que eu não consigo ter meio termo. Meu pai já foi mordido aqui dentro do nosso pátio por uma pitbull do vizinho que escapou (vizinho maconheiro metido a playboy bombado). Era um casal de pitbulls, e se meu pai não tivesse se defendido com um facão, se o facão tivesse caído da mão dele, ou se os pitbulls fossem puros em vez de mestiços, hoje meu pai estaria morto. Ele tem até hoje a cicatriz no braço, e os pitbulls mataram o nosso cachorro antes de atacarem ele. Se a gente tivesse matado aquelas imundícies na primeira vez em que escaparam, nada disso teria acontecido. Dá um fim nesse pitbull antes que ele mate outros animais ou alguma criança.

E quanto a cachorro latindo sem parar, a técnica de jogar rojões é testada e aprovada. Existe uma minoria de cães que latem mais ainda depois da explosão, mas a grande maioria fica em silêncio, pelo menos por algum tempo.

Daniel disse...

A autora do post não tem nenhuma empatia para com seus vizinhos quando declara não se importar com os latidos do cachorro

Poluição sonora é algo muito grave.

Se não fosse a falta de noção de muitos donos, muitos animais não seriam mortos

Koppe disse...

(Corrigindo: não pensem que eu falo em jogar rojões nos cães. Meu pai joga rojões dentro do nosso pátio ou na calçada, e o barulho é suficiente pra calar um cachorro que esteja latindo sem parar a meia quadra de distância.)

Koppe disse...

Trecho de uma matéria da Superinteressante. Texto completo aqui.

Monstros criados pelo homem? Exatamente. Graças à seleção artificial o pit bull é um animal feito para brigar. “Sabemos que a agressividade tem um forte componente genético porque ela já se manifesta em filhotes”, explica Randall Lockwood. Os cientistas têm três hipóteses sobre a origem da ferocidade dos pit bulls.

A primeira decorre da constatação de que a maioria dos ataques fatais observados nos Estados Unidos, onde há estatísticas precisas, foram dirigidos a crianças em primeiro lugar e a idosos em segundo. “Nesse caso, eles estariam agindo como predadores, atacando os indefesos para comer”, afirma Sharon Crowell.

Outra pesquisa descobriu nos pit bulls deficiência de serotonina, o neurotransmissor responsável pela estabilidade emocional dos animais. “Os cães que atacam sem avisar são mesmo desequilibrados, em parte porque têm baixos níveis de serotonina”, explicou à SUPER a veterinária Ilana Reisner. “É preciso agora descobrir se isso é válido para todos os pit bulls ou somente para os agressivos.” Segundo ela, nada garante que, ao cruzar animais ferozes, os criadores tenham determinado que a agressividade se volte apenas contra cães. Ou seja, o ímpeto pode se descontrolar e atingir qualquer alvo, inclusive seu proprietário.

A terceira hipótese estuda a seleção do temperamento. Buscando produzir cães de rinha, os cruzadores teriam eliminado dos pit bulls dois comportamentos normais entre cães e lobos: advertir antes de atacar e cessar o ataque quando o adversário se rende. “Isso produz cachorros com uma ferocidade que não tem cabimento nem na natureza, pois é desprovida de sentido social e hierárquico”, diz Lantzman. Uma fúria bestial.

A eficácia dos cruzamentos é indiscutível. “Ela atua sobre os genes que influenciam tanto o comportamento quanto a anatomia”, diz Lantzman. Portanto, cães impetuosos e programados para atacar, que têm a agressividade como padrão de comportamento inato, não podem, é lógico, ser usados como mascotes.

Feras indomáveis desde o nascimento têm de ser sacrificadas ou, pelo menos, impedidas de passar seus maus genes para a frente. “Somos favoráveis à esterilização de animais de ficha suja”, disse à SUPER Crista Schroeder, vice-presidente da Sociedade Zoófila Educativa, do Rio de Janeiro. “Só assim deixaremos de obter ninhadas com características indesejáveis.”


http://super.abril.com.br/cotidiano/natureza-fera-437918.shtml

Daniel disse...

Não consigo respeitar gente que diz;

''Cachorro late mesmo, dane-se a poluição sonora''.


Certamente essas pessoas não sabem o que é ser acordado frequentemente as 2h, 3h da manha por latidos...

Repito: A falta de noção de alguns donos é a culpada de tantas pessoas recorrerem a atitudes extremadas

Mariane disse...

Embora não seja certo combater violência com mais violência, acho que em um caso como este eu não conseguiria esperar pela boa vontade da justiça...

Anônimo disse...

Pitbulls tem recuperação, vide o caso do jogador americano e dos pitbulls de briga acolhidos pela Best Friends e que conseguiram ser adotados.
Vide tb o trabalho do Cesar Millan.

Anônimo disse...

Sou totalmente contra a todo e qualquer tipo de violência, não que justifique, mas acho q temos de ver o outro lado também.
Tem pessoas que não têm noção alguma. Deixam os animais latirem por horas seguidas durante a madrugada, ou deixam as feras soltas atacando pessoas que passam pela rua, como se morássemos em uma selva sem resquício algum de civilidade.
Criticar pessoas que se incomodam "q animal faz barulho e outras babaquices quetais" é lamentável. As pessoas têm o direito SIM de dormir em paz para estarem bem no trabalho do dia seguinte (aposto todas minhas fichas que a autora dessa frase não trabalha, então nao tem noção do que é ter que trabalhar por horas a fio sem seu devido descanso anterior). As pessoas têm direito sim de caminhar pela rua sem serem atacadas ou de pisarem em dejetos canimos e/ou felinos.
Nunca maltratei animal algum, sou totalmente contra, mas acho q certos donos deveriam si responder processos para aprenderem, na marra, que a rua não é extensão de suas casas.
Ellen

.. disse...

Existe uma coisa chamada posse responsável que todo dono com o mínimo de massa encefálica conhece. Posse responsável é proteger o seu animal e ao mesmo tempo respeitar o espaço do seu vizinho.

Quem pratica a posse responsável zela pelo bem estar do animal, suprindo todas as necessidades dele de saúde, alimentação, carinho, qualidade de vida, segurança, etc.

E quem pratica a posse responsável respeita o espaço do vizinho, que vai dormir a noite, que não vai ter fezes de gato pelo quintal, que não vai ter o filho mordido na rua...

Mas um dono irresponsável não justifica a crueldade que o animal sofre. Um gato não merece ser envenenado porque o dono não telou sua casa. Um cachorro não merece ser espancado porque chora por ficar muito tempo preso em um canil. O vizinho tem total direito de reclamar do incômodo, mas de atentar contra a vida de outro ser vivo, jamais.

E donos irresponsáveis, tomem vergonha na cara!

Carla Borges disse...

Oi, Lola! Nossa, fiquei MUITO feliz por você ter divulgado minha história aqui. Bem, aos leitores: realmente minha varanda não tinha telas, até porque, sempre adotei cães, jamais gatos. Foi um ''acidente'' FELIZ. A Anna Karina (a mãe dos felinos) os trouxe até a minha varanda, um por um, pela boca, pois provavelmente se sentiu ameaçada na rua e resolvemos dar comida, cuidar, dentre outros cuidados. Entre esse meio tempo (pois é importante lembrar que os gatinhos ainda eram filhotes) já estávamos nos programando p/ colocarmos a tal tela aqui, exatamente pra este tipo de situação drástica não acontecer. Porém, infelizmente...
Alguns falam ''seu erro foi esse'' (o de não ter colocado desde já as grades). Gente, parem pra pensar. Erro? Acho que a gente acaba se confundindo. Estamos tão adeptos a certos tipos de violência, que quando estas acontecem, a ''culpa'' passa a ser nossa. Como por exemplo se a mulher é agarrada ou escuta alguma piada VULGAR na rua, ela mereceu. Quem mandou usar saia curta, não é mesmo?
Eu não cometi erro algum, pelo contrário. Poderia ter simplesmente dado os bichanos pra alguém (alguém este que talvez nem cuidaria com tanto carinho), ou poderia ter colocados na rua (jamais faria isso, mas tem gente que faz).
E ''anônimo'' (belo nome o seu. RISOS): Eu nem li todos os seus comentários, até porque né... RISOS de novo. Mas, em momento algum meus gatos, ou cães saem do meu quintal. Aconteceu que esse filhotinho assassinado CAIU na varanda dele porque estava na mureta da minha varanda. Inclusive EU VI. Mas e daí né? O fato dos cachorros latirem muito, ou de um gato ter caído no espaço do vizinho já justifica a violência (pelo que você está colocando). Se for pra debater sobre ''perturbação da paz'', eu seria a primeira a reclamar, já que eles gritam o tempo todo e escutam música alto das oito da manhã às 11 da noite em pleno domingo. Mas, sinceramente, eu não ligo. Realmente não tenho saco e nem tempo pra me importar com problemas que pra mim são tolos. As únicas pessoas que perturbam a paz são ele e você, por insistir em "causar", e pior, de forma negativa. Enfim, né. Mas creio que não me entenderá e ainda tentará retrucar usando argumentos incoerentes e complacentes à violência. Fazer o que, né? Existem pessoas e "pessoas". Mesmo assim, obrigada pelos comentários. Pelo menos você deixa o post mais atualizado. Acho que ninguém veio ao mundo p/ ser um TOTAL inútil. :)
Nem me darei ao trabalho de ler seus comentários "super inteligentes", debater mais e muito menos discutir. Tenho preguicinha de gente tola, que não deve fazer nada de bacana à si próprio, nada digno de recompensa, ou reconhecimento, daí a única ''solução'' é essa aí, causar polêmica, ou pelo menos tentar, de uma forma clichê. Acredito que você tenha tempo de sobra pra isso. Mas nem rola pra mim, tenho preguicinha, de verdade. zZZZZZzzzzz.

E Lola, mais uma vez obrigada!!!

Beijo enorme,

Carla.

Anônimo disse...

Erro sim, e é complicado que vc não admita. Ninguém acha que admite a violência, a maioria dos comentários aqui falou que vc não teve responsabilidade que devia com os bichos. Você vê assim, ou eu tenho toda razão e meus bichos podem fazer o que quiserem ou o cara tem toda a razão e pode matar os bichos.
O que muita gente tá falando, é que o cara não pode fazer isso, mas vc não tem toda a razão. Ele errou pela maneira como reagiu, parece um canalha, mas vc errou pela maneira como conduziu todo o problema. Você não falou de nenhuma providência que tomou para melhorar o latido dos cães. Vc realmente acha que as pessoas tem obrigação de aturar todo o barulho que vc achar que é para fazer? A quanto tempo esse cara reclamava sem vc fazer nada, tendo que ouvir que cachorro late e não mia?
Você adora os animais, já respeitar as pessoas...

Daniel disse...

O comentário da autora do Guest Post, Carla, só reforça a impressão que tive: Trata-se de uma dona irresponsável, que faz pouco caso da poluição sonora provocada pelos latidos do cachorro.

Tal falta de noção de donos como a Carla é a razão de tantas pessoas recorrerem a violência.

Anônimo disse...

'Alguns falam ''seu erro foi esse'' (o de não ter colocado desde já as grades). Gente, parem pra pensar. Erro? Acho que a gente acaba se confundindo. Estamos tão adeptos a certos tipos de violência, que quando estas acontecem, a ''culpa'' passa a ser nossa. Como por exemplo se a mulher é agarrada ou escuta alguma piada VULGAR na rua, ela mereceu. Quem mandou usar saia curta, não é mesmo?'

Isso aí n tem nada a ver.A tela precisa pq os animais n tem juízo suficiente pra saber que n é pra sair dali.E é erro seu mesmo ver o mundo com óculos cor de rosa, esperar que todo mundo seja bonzinho e n se PREVENIR pro pior.
(o que é bem diferente de justificar o pior)
No dia q o mundo for feito de anjos, aí vc deixa a janela sem grade.

Anônimo disse...

'Vc realmente acha que as pessoas tem obrigação de aturar todo o barulho'

Olha como o povo é sem noção, isso não tem nada a ver com obrigação nenhuma! Ou é ilegal ou não é!
Mesmo depois dela ter falado que
'Se for pra debater sobre ''perturbação da paz'', eu seria a primeira a reclamar, já que eles gritam o tempo todo e escutam música alto das oito da manhã às 11 da noite em pleno domingo'

Brasil, país dos analfabetos funcionais...

Anônimo disse...

Eu n to falando que se a mulher escolhe andar num lugar perigoso e um marginal estupra ela, que isso justifica o estupro, to falando que o erro dela é, se ela sabe que é perigoso e quer ir mesmo assim, não se previnir nem o mínimo dos mínimos, andar com spray de pimenta, sei lá, algo do tipo.
Não é correndo um risco inútil que vc muda o que está errado.

Anônimo disse...

Realmente o comentário da guest só confirma o que eu havia pensado...
Querida, todo mundo aqui (pelo menos 90% do que eu li) condena o uso da violência contra os seus animais.
A questão é: quantas vezes seu vizinho reclamou e vc sequer se incomodou? Responder com ironia (que cachorros latem mesmo, não miam...) apenas reforça que vc não ENXERGA que o vizinho tem direito de não aturar animais alheios (dejetos, latidos, ataques).
Por favor, não compare com o caso de vítima de estupro que os sem noção dizem "que provocou o estupro por usar saias curtas"
Toda pessoa de bom senso sabe(ou deveria saber) que animais devem ser muito bem tratados,vacinados castrados e viver em um local adequado, com grades, telas e etc
E Dri, desculpe te informar mas vc não está acima da lei, o certo seria chamar uma viatura e denunciá-lo, pois se estamos na era do "olho por olho dente por dente" então voltamos à barbárie e não fiquei sabendo. No mais, você agrediu a pessoa por ser um homem idoso, pagaria pra ver você bater numa mulher do mesmo porte físico que você ou num homem forte e jovem (sem correr pra delegacia depois alegando que, por ser mulher, jamais deveria ser agredida de volta).
E aposto que vc não trabalha e nunca teve que aturar latidos de madrugada por horas à fio sabendo que teria que encarar um dia inteiro de trabalho sem o seu devido descanso.Pois é, se algo não te incomoda não significa que não incomode pessoas ocupadas ao seu redor (universo umbigo, oi?!)
Ellen

Anônimo disse...

'o vizinho tem direito de não aturar animais alheios (dejetos, latidos, ataques).'

Putz, será que ninguém aqui consegue pensar sem misturar alhos com bugalhos? Se A LEI não proibe barulho de dia e ele n quer se mudar, ELE TEM QUE AGUENTAR SIM.Seja de cachorro, de som de carro ou de que diabo for.
Isso de 'dejeto, ataque', isso não tem nada a ver.

Daniel disse...

O anônimo de cima mostra total ignorância.

A Lei não citam em momento algum que só não pode fazer barulho em determinado horário.

Além do mais, só reforça a idéia de donos sem noção, mal educados, que levam pessoas a atos de extremos.

Anônimo disse...

Caro anônimo advogado! Vá se informar, é completamente ilegal fazer barulho, não tem essa de hora. Para vc que não procurou a lei mas falou de acordo com seu "achismo":
Art. 42. da Lei das contravenções penais:

Perturbar alguem o trabalho ou o sossego alheios:

I – com gritaria ou algazarra;

II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;


III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;

IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda.

Que não menciona hora (isso é boato) e menciona explicitamente barulho de animais. Se vc acha que cortesia e boa vizinhança não são razão para nada e tudo depende de lei, então é melhor a autora do guest post parar com o barulho.

Daniel disse...

Já existem inúmeras decisões judiciais, tanto que obrigam o animal a ser retirado do local, quanto concedendo indenização a vitima de poluição sonora produzida por animais de donos irresponsáveis.

E volto a afirmar: donos sem noção como a autora do Guest, assim como o tal anonimo, são os responsaveis pelos atos extremos de algumas pessoas.

Anônimo disse...

Essa comparação com estupro é absurda. 99% dos comentários não achou justificável matar os animais. Se o animal do vizinho vem na minha casa e faz cocô? Eu não posso matar, concordo, o bichinho não tem culpa, eu não teria coragem de fazer uma coisa dessas. Mas e se eu for reclamar e a pessoa der de ombros? Eu devo tomar uma providência legal, não?
Que é a mesma coisa que eu devo fazer com um monstro que maltrata os animais. Adorei o comentário que pergunta se a Dri Caldeira faria o que fez num cara fortão! Coragem para bater em velho, por que se arvora de estar certa, ela tem. Se fosse um marombado, a coragem tinha sumido.
Não é partindo para violência, por mais raiva que se tenha, que a gente resolve nada.
Temos que prezar coletivamente pelo estado de direito, se não, nos igualamos a quem condenamos.

Amor & Miados disse...

sim, errar é humano. quando eu era criança e tinhamos nossa primeira gata, castração era algo desconhecido - como ainda é para grande parte da população da minha cidade - , assim como os demais elementos da guarda responsável.

essa minha primeira gata, não-castrada, se aventurou no quintal do vizinho e acabou repartida em dois pedaços pelos pastores alemães dele. depois descobri que, apesar dos meus protestos, meu pai havia deixado ela "dar uma voltinha".

até hj eu carrego a culpa dessa gata que morreu sob nossa irresponsabilidade. hj em dia devo ter ajudado uns 200 animais, direta ou indiretamente e meu pai sempre pergunta quando falo de algum animal que estou auxiliando - e ai, ja castrou?

eu continuo aqui, tentando desfazer o erro que cometi com minha gata, ajudando tantos outros, pq no final das contas, eu continuo aqui, viva e bem, mas o preço que ela pagou para que eu aprendesse como a ser uma dona de gato decente, foi muito muito alto.

MCarolina disse...

Eu concordo 100% com o/a .. disse...disse. Sempre insisto na posse responsável, mas a falta dela de jeito algum justifica a agressão a animais. O responsável pelo animal que faz barulho ou entra na sua casa é o dono, e é com ele que o assunto deve ser resolvido.
A posse responsável não só evita atritos como garante a integridade física do animal.
Claro que existe gente louca que reclama por causa de qualquer coisa, gente que odeia animais, mas cada caso é um caso.
É muito difícil lidar com pessoas que amam seus animais mas acham normal deixá-los soltos na rua sem castrar, ou que se recusam a dialogar com vizinhos incomodados. Não estou falando de ninguém aqui, é uma situação super comum na maioria dos lugares, que as pessoas que lutam pelo direito dos animais tentam mudar.

Anônimo disse...

"O comentário da autora do Guest Post, Carla, só reforça a impressão que tive: Trata-se de uma dona irresponsável, que faz pouco caso da poluição sonora provocada pelos latidos do cachorro."

Concordo. Não justifica matar os animais, mas certamente motiva acontecer esse tipo de coisa - a ausência de gradeado/telas e porque não dizer, preparo e responsabilidade também contribuíram para os infortúnios.

Entenda, autora do GP: ser protetor é pra quem PODE e TEM CONDIÇÕES de ser, do contrário é só mais um que acumula bichos em casa sem a mínima condição de dar a eles bom destino.

Carla Borges disse...

Anônimo, meu caro, acho que não fui clara AINDA (tá difícil, hahahaha!). Eu disse que minha casa é toda murada, aconteceu o acidente do gato CAIR na casa dele. Além do mais, por diversas vezes eu quem tive que dar comida à cachorra dele em meu portão. Cachorra esta que morreu de fome. Acho que você já está querendo causar polêmica, independente de tudo e acima de tudo. O importante é "causar", né?
O cara matou o gato a pauladas e jogou em meu quintal. A outra ele ENTROU em minha varanda e roubou (isso porque você diz, mesmo sem saber, que meus animais invadem a casa do vizinho e ele está coberto de razão). Sim... Então, quando a neta dele chorar eu também posso reclamar, certo? E não o faço. Mas enfim, não adianta debater com uma pessoa que esqueceu de ler o texto todo, principalmente a parte em que ele matou friamente um animal indefeso e ainda ameaçou bater em uma pessoa por criticar o ato dele. Ou seja, é um criminoso. Mas e daí, né? Você entende de lei e está COBERTO de razão. :)
Entendo que você defende o lado de que cada animal tem que ficar em sua devida casa e que assumimos a RESPONSABILIDADE (e ainda assumi uma responsabilidade de outro dono, que no caso, abandonou a gata com filhotes. Mas e daí, né?) por ele. E não discordo neste ponto. Mas ainda sim, neste caso específico, a pessoa já tem um histórico de maltratar animais.

Beijos, fica bem. E ainda sim, obrigada por atualizar o post. É bom, pois todo mundo lê. E indiretamente, ou diretamente, você contribui. :D

Carla Borges disse...

Ah! E mais uma coisa. Curti muito a observação inteligente de um outro "anônimo": "Com relação ao anônimo causador, acho que você não teve atitude de gente decente. Existem outras formas de fazer valer o seu direito, sem partir pra extremos. Assim como animais latem em condomínios ou em casas, pessoas também fazem barulho."

É exatamente isso. Então, andemos em casa nas pontas dos pés. Ok, gente? Nada de festas, gritos, gargalhadas e afins.


E Anônimo... Quanto a isso: "Gente, comparar o barulho de animais com criança não faz sentido. Por que uma coisa são as crianças de uma família ou um ou dois cachorros. Outra coisa é um monte de bicho, latindo juntos. Essa história de eu tenho direito de fazer meu barulho e quem está incomodado vá viver na montanha parece vindo de uma pessoa que não respeita em nada o direito dos outros."

Olha, uma família não precisa ser imensa pra fazer muito barulho. E outra... Tenho muitos cachorros pois pego das ruas. Acho engraçado é que as pessoas ficam RAIVOSAS mais pelos latidos (que pelo menos AQUI em casa não acontecem SEMPRE. porque né, meus cães não latirão 24 hrs por dia) do que pelo abandono desses que adotei... É incrível, como as pessoas têm a mania CLICHÊ (que ainda me deixa pasma) de inverter as situações/questões. Ninguém pensa que se eu tenho muitos cães adotados, foi porque tive um ato nobre em assumir a responsabilidade de um borra botas que abandonou os bichanos. Os meus são castrados, mas ainda sim, latem, né? Aí vem um dizendo "Mas você precisa educá-los". Gente, eles são seres irracionais. Alouuuuuuuuu! Não posso dizer pra cada um "olha, bebê, não lata após as 22 hrs, ok?" hahaha. Não, né. E pagar alguém pra adestrá-los, desculpe-me pela sinceridade, mas eu preciso investir meu $ em outras necessidades PRIMORDIAIS: vacinas, produtos de higiene animal e etc. E ainda sim... Você, Anônimo, diz que não se compara o barulho de algumas crianças da família ao barulho dos animais. Barulho é barulho, ué. Quem vai proporcionar o tamanho do aborrecimento sou eu, certo? Pode ser uma criança berrando o dia inteiro. E aí?
Olha, aqui, garanto à você, que esse meu vizinho faz muito mais barulho do que todos meus animais juntos latindo ao mesmo tempo. E ainda sim, o que eu posso fazer? Porque gente, cachorro late, é normal. Imagina se todoooooooooo santo dia eu me aborrecesse com ele pelo barulho que ele faz todo final de semana já às 8 da manhã com o som ligado na mala do carro bem no quintal dele. Eu iria me aborrecer mais por reclamar todo dia, do que pelo próprio barulho em si. Por favor, né, gente. Animal tem que ficar no seu quintal sim, mas eu fico BOBA e indignada é que o post falava sobre a violência causada e já tomou outro rumo... Só peço mais uma coisa: Leiam o texto todo. Só isso. Obrigada.

:)

Daniel disse...

É sério que a autora do post ta tentando fazer uma ligação entre o choro da neta do sujeito, e os latidos do cachorro ?

Não tenho dúvidas: Trata-se de uma dona irresponsavel, que faz pouco caso dos direitos dos vizinhos.

Esse tipo de dono contribui para que algumas pessoas tomem atitudes extremas.

Carla Borges disse...

Ah, Anônimo, e sobre o mal trato dele contra a cadela anterior, eu não fiquei só olhando. Inclui no meu processo e na hora chamei a viatura que infelizmente não compareceu. É triste PRA VOCÊ mesmo pré-julgar, sem saber. Lamentável, viu? Bem, fico por aqui. Estou muito feliz pelos comentários daqueles que não usam posts tristes como este pra causar polêmica, por carência, complexo de inferioridade (daí precisa chamar a atenção, seja como for!)... Obrigada gente. Fico por aqui! :D
Beijocas!

Carla Borges disse...

''Tal falta de noção de donos como a Carla é a razão de tantas pessoas recorrerem a violência.''


Nossa... :O
Então agora seremos primitivos e usaremos o ''olho por olho, dente por dente''. Se um animal dele, ou ele mesmo pular o meu muro eu posso espancá-lo até a morte também? Nossa. Gente... Que triste. Francamente. Depois dessa, prefiro nem ler mais.

Como diz um trecho do livro do george orwell: ''quatro patas bom, duas patas ruim''. Beijo pra quem fica! :)

Daniel disse...

Carla, entenda uma coisa: As pessoas tem direito ao sossego. Não, seus cachorros não podem latir de madrugada, causar poluição sonora !

Não podem !!!

VC é sim responsável.

Carla Borges disse...

Ok Daniel. :)
Bjks!

Daniel disse...

Esse tipo de desprezo que vc demonstra ter aos direitos alheios, invariavelmente termina nisso.

Sempre vai ter alguem mais estressado, que partirá para atitudes mais extremas.

Carla Borges disse...

''Sempre vai ter alguem mais estressado, que partirá para atitudes mais extremas.''

Você mesmo já perdeu sua razão, quando disse que é por isso que algumas pessoas cometem atos assim. Pelo visto você concorda, certo? :)

E em momento algum disse que tenho direitos sobre os direitos alheios. Tanto que concordo que cada animal fique no seu devido espaço, como os meus ficam . Mas, você não leu meus comentários pelo visto. Comparo sim, os latidos aos berros de criança. Ué, qual é a diferença. A lei especifica qual tipo de barulho perturba o silêncio do outro? Não. Desculpa, mas pra mim dá no mesmo. Se dois cães latem e duas crianças berram... Não vejo diferença. Mas, gatinho, fico por aqui. Já cansei. Porque não adianta eu debater com uma pessoa que não lê todo o post e comentários. Beijos, Dan.

Daniel disse...

Li sim seus posts, e de cara me causou espanto seu desprezo diante da reclamação do seu vizinho, ao dizer que ''estranho seria se miasse'', ou '' nao tenho como ensina-lo a nao latir depois das 22h''.

Não to defendendo seu vizinho, estou apenas dizendo que pessoas sem noção como vc, acabam encontrando alguem tão sem noção pela frente, e ai a coisa desanda de vez.

Sobre a comparação choro x latido, é absurda pelos seguintes motivos:

1)por mais alto que um bebe chore, jamais superará em decibeis o latido de um cachorro.

2)O choro de uma criança tem duração bem menor, até pq diante do choro, os pais logo tomam uma atitude, diferente de donos sem noção como vc, já que '' estranho seria se miasse''.

Carla Borges disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAA.

1)por mais alto que um bebe chore, jamais superará em decibeis o latido de um cachorro.

2)O choro de uma criança tem duração bem menor, até pq diante do choro, os pais logo tomam uma atitude, diferente de donos sem noção como vc, já que '' estranho seria se miasse''.



PRA FINALIZAR: VOCÊ JÁ CONTOU A DURAÇÃO DO CHORO DE CADA CRIANÇA QUE CONHECE?


HAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAA
AIIIIIII, TCHAU!

MORRI!

Daniel disse...

Resumindo:

As falas da Carla, autora do post, indicam alguem absolutamente sem noção dos direitos dos outros.

No fundo, ela diz: o cachorro faz barulho mesmo, dane-se seu direito ao sossego.

Ao se portar de tal maneira, que tipo de atitude ela espera do vizinho ?

Carla Borges disse...

e eu quem sou sem noção?

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

carla borges : + 1986 - 2012 +



Ok, Dan, boa tarde pra ti. Deixo-te aqui contando os decibéis referentes ao latido de cada cão e a duração do choro de cada criancinha da sua vizinhança. Beijos e boa sorte nas estatísticas! ;)

Daniel disse...

Seus posts só corroboram a impressão que tive a seu respeito: Alguem profundamente alheio ao direito das pessoas, com atitudes debochadas.

Obviamente a coisa iria terminar nisso.

Carla Borges disse...

ai cara, desculpa, sério. não quis ser debochada. mas, leia de novo o que escreveu... aposto que até você irá gargalhar. ops, só não vá gargalhar alto demais! ah sim, os nossos ''decibéis'' são aceitáveis. acertei? HAHAHAHAHA. ai dan, sério. não quero discutir... e nem o farei. assim como você me acha uma pessoa ''sem noção'', eu tenho o direito de não querer mais debater e ainda tenho o direito de rir. porque convenhamos, sua resposta foi criativa e engraçada. :D
vou-me agora. preciso fazer uns trabalhos da faculdade e você suas estatísticas mirabolantes que mudarão o mundo e revolucionarão o sossego da humanidade, salvando o silêncio alheio e impedindo que vizinhos matem animais. até porque, como você mesmo afirmou, o que causa a violência são os decibéis fora do comum dos latidos caninos. acertei de novo? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA. sério, não fica bravo. mas é que não aguentei. besos, besos.

Daniel disse...

Decibéis é a medida utilizada para ''medir o volume de um som''.

Resumindo: o ruído que um cachorro provoca é bem superior ao choro de uma criança. Não entendo o espanto.

E sim, donos sem noção como vc, que trata com deboche e pouco caso o direito ao sossego que seus vizinhos possuem, acabam estimulando tais atos.

Se vc não demonstra nenhuma empatia em relação aos seus vizinhos, pq acham que eles teriam com vc ?

Carla Borges disse...

Decibéis é a medida utilizada para ''medir o volume de um som''. JURA?


Ainda tá debatendo MESMO, Dan? Assim você NUNCA acabará de avaliar o tempo de duração do choro das criancinhas e os decibéis. >.<

Daniel disse...

Seus posts com ironia barata não mudamm o fato de vc se portar como alguem profundamente desrespeitoso com os outros.

Carla Borges disse...

Aqui, Dan, pra te ajudar na sua tese da pós-graduação em fonoaudiologia. Agora, mede aí:

http://www.youtube.com/watch?v=RDcvdDu2Tzw

versus


http://www.youtube.com/watch?v=-e2vFi1uPY4

Anônimo disse...

Carla, vc perdeu completamente a razão. O Daniel foi educado, só falou que não concorda com vc, como MUITAS outras pessoas. E aí vc mostra como vc lida com quem vc não concorda. Equilíbrio, respeito, maturidade passam longe. Eu concordo com o pessoal do post, o erro do sujeito é não te processar e tenho certeza que se processasse, ganhava, simplesmente porque ele tem razão e está amparado na lei.
Entenda, amparado na lei não para matar seus animais, mas para reclamar e responsabilizar vc pelo barulho, coisa que vc terminantemetne recusa a admitir como sendo de sua responsabilidade.
A família dele faz barulho? E por acaso isso faz com que vc tenha razão? Não faz! Se eles te pertubarem, vc tem todo o direito de chamar a polícia e processar eles. Fizemos isso com uns vizinhos donos de bar e a justiça nos deu razão.
Se quiser fazer essa boa ação de recolher cães mas não tem condições de fazê-lo porque sua casa não comporta, não é culpa de ninguém.

Carla Borges disse...

ZzzZZzZz...

Carla Borges disse...

Super educado. Me chamando de sem noção e dizendo que justifica a atitude do autor do crime. Minha casa comporta o suficiente. Mas, não posso proibir os cães de latirem. Pela, lógica, é quase impossível. E assim, muitas pessoas do post disseram que sim, cada animal necessita ficar no seu espaço/terreno/casa, assim como EU concordo; não que sou irresponsável e mimimi, aí VOCÊ é quem está dizendo isto, colocando lenha na fogueira, porque claro, lhe convém. Assim como você diz que eu faço, você não quer sair do debate sem sua razão. Fui mal educada com o Daniel? Não. Que eu saiba, não o ofendi. Fui irônica, o que é diferente. Agora, mais irônico ainda é ver uma pessoa que assina como "anônimo" vir falar de maturidade. Acho que ambos estão com déficit de interpretação, pois disse MIL VEZES que minha casa é murada e um dos animais foi ROUBADO.

Carla Borges disse...

Aí eu sou uma dona sem noção? Eu não aceito críticas? WTF? Reveja isso aí. Você diz que não concorda com o ato violento em si, mas defende uma pessoa (o daniel) que caiu em contradições por diversas vezes aqui dizendo coisas como "é por atitudes como a sua que pessoas usam a violência (ou seja, justificando e concordando com o ato, né?)". Se a maturidade passou longe de mim, a coerência passou longe de ti. Não quis ofender ninguém, mas desde o momento em que o debate passa a ser levado para o lado "pessoal", eu tenho o direito sim de me defender. O cômico, "anônimo", é que você insiste em bater na mesma tecla (já está ficando chato até, desculpa, mas está) dizendo que eu não aceito que estou errada, que não aceito críticas e mimimi. E quando venho aqui expor minha opinião EDUCADAMENTE (porque que eu me lembre não usei palavrões, ou derivados) eu sou censurada, ou rotulada de imatura? Ué, vocês podem expor a opinião de vocês e eu não posso a minha? Coerência novamente, cadê? O mais engraçado TAMBÉM, é você dizer que eu perdi a razão sendo que em todo momento você mesmo disse que eu não tinha razão. Então como eu a perdi? Coerência novamente, cadê?
Que você tenha feito denúncia em relação aos seus vizinhos, é um problema que LHE pertence, Anônimo. Pode ser um direito seu, vai saber. Prefiro (diferente de vocês dois) não dar opiniões erradas, exatamente porque não sei da história toda e não estava aí, no seu bairro p/ ver. Evito pré-julgar. É muito fácil CRIAR ou até enxergar os pontos negativos. O mal do ser humano é esse, sabe. Agora, enxergar pelo lado de que os animais foram abandonados e que eu, os adotei de coração, pra quê enxergar, né? É muito mais saboroso querer crucificar o próximo. E outra, os gatinhos eram filhotes, inclusive uma nem pulava em marquises ainda e ainda sim foi vítima da violência, o outro que fora assassinado caiu no quintal dele por azar do destino. Os gatos, como eu já expliquei INÚMERAS vezes, apareceram aqui trazidos pela mãe, ou seja, por um acaso temporal a tragédia aconteceu antes mesmo de colocarmos a tela na varanda toda (ainda sim, insisto, já que a interpretação alheia é péssima: os gatos não ficavam nas casas alheias. colocaríamos a tela para evitar qualquer acidente). Aí o que eu iria fazer? Doar os gatos porque eu não tinha uma tela em minha varanda? Ok, mas pensemos que eu não doaria pra qualquer pessoa, aí até eu arrumar um dono que prestasse, também poderia ter ocorrido o incidente, assim como foi. Acho, aliás, acho não, tenho certeza, que a história em si (o da violência) já tomou um rumo estúpido. Eu não deixo meus animais por aí, jogados. São castrados e minha casa é murada. É uma casa grande, por sinal. Mas, foi como eu disse, o ser humano gosta de apontar o dedo p/ o outro, mas ajudar ninguém quer, né? :)
Pra você ver, o post já tomou um rumo totalmente "nonsense" que o Dan, até mesmo falou em decibéis (oi?). HAHAHAHAHA. Aí, meu amigo, realmente tive que rir, né. O quanto eu tenho de "sem noção" ele tem de "extremista". Vale usar qualquer argumento ou estatística NONSENSE e SURREAL pra criticar o outro, não é mesmo? Pfff, decibéis... HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA. Esse daí foi longe demais, literalmente. Então, eu sei que tudo o que estou escrevendo aqui, será em vão, já que você ocupa espaço físico apenas (já que não tem nome, né?).

Carla Borges disse...

Pode comentar o quanto quiser, porque infelizmente o que mais tem por aí é gente com mesquinhez de espírito que adora dizer "você está errado!", mas não aponta o ''erro'' com uma solução, né? É fácil demais olhar as pseudo falhas dos outros, olhar as próprias é que são elas. E isso tudo porque EU sou imatura e não aceito contradições. Parabéns! Então, vou deixar você aí, perder tempo me respondendo, porque EU não perderei mais o meu. Como eu disse: tenho um pouco de preguiça. Até meus animais, entenderiam melhor minha explicação. Pois já forneci os detalhes do ocorrido aqui MIL VEZES seguidas e você NÃO ENTENDEU, não digo nem que é burrice, pois não faz sentido algum fazer alusão ao burro em si (o animal). Não sei se é ignorância, preguiça de ler, ou se é alguma dificuldade em absorver o que está escrito; ou quem sabe uma possível dislexia (o que torna a leitura mais complexa, acredito).
Mas de uma coisa eu sei: que você seria mais útil ajudando o Dan a avaliar os decibéis do latido canino ou o tempo do choro de cada criança para a tese dele a favor do silêncio da humanidade sofredora, vítima de cães que não sei porque não conseguem entender não podem latir! Hum!
Beijos, fica bem e boa sorte aí nos discursos "suuuuuuuuper subversivos" e com 100% de razão. Ôh! :P
Fica bem, beijocas.

Anônimo disse...

Mas onde foi que vc leu que alguém tá justificando a atitude do cara? Todo mundo está simplesmente relacionando, como causa e efeito a sua falta de respeito e noção com a atitude do cara. Ele tá errado, vc também tá.
E o que é que tem falar em decibéis? Você tem alguma ideia de como a polícia define se tá passando do limite? Eles levam um medidor de decibeis, a partir de um certo limite, é perturbação da paz. Tem que falar em decibéis sim, nem sequer entendo qual o seu problema com isso!

Anônimo disse...

É, vc tem razão, tá certíssima. Os seus cães tem todo o direito de latir a vontade, quanto quiserem. Seus vizinhos são imbecis por acharem ruim, a lei é que tinha que ser reformada para proteger seu direito de fazer seu barulho. E você foi muito educada e respeitosa nas suas colocações.

Anônimo disse...

Ah, e a casa comportar não significa só tamanho da casa não. Tem que comportar no sentido de não perturbar a vizinhança. Mas vc é tão boa, cuida dos animais, a vizinhança que se dane, né?

Carla Borges disse...

Eu só acho que....ZZZZZzZZzzZzzZZzZzzZzzZzzzZzzzzZzZZzzz... A propósito...zzzzzzzzZZZzZ...

lola aronovich disse...

Ô gente, já deu, né? Favor parar de bater boca aqui no blog. Ainda mais os anônimos...
Concordo com o que o Lord disse num outro post: vamos voltar a assinar os comentários? Fica bem mais interessante.

Daniel disse...

Carla, parece que vc nao entende um ponto fundamental: Seus vizinhos tem direito ao sossego, e vc é sim responsavel por TUDO o que seus cachorros fazem, inclusive a poluição sonora.

Ana Carla disse...

Carla Borges,

Pessoas como você fazem com que os defensores de animais sejam enquadrados no esteriótipo de pessoas que não dão a mínima para seres humanos. Você poderia perfeitamente chegar aqui e defender seu ponto de vista de maneira respeitosa, mas prefere ser "irônica" e engraçadinha. Essa sua atitude debochada é realmente lamentável.

Fabiana Zardo disse...

Gente, só eu tenho vizinho que grita com criança e criança que chora o dia inteiro pq os pais são irresponsáveis?

Cachorro late, mesmo. Não sei o que é aceitável na cabeça de vocês, mas pra mim, latir pra campainha, de alegria por uma brincadeira, para o caminhão de gás (como eles uivam, não? Um começa e parece que todos na rua acompanham) é normal.

Agora, cachorro chorando o dia inteiro pq fica sozinho é irresponsabilidade. Assim como som alto o dia inteiro, gente berrando e por aí vai.

Pelo que entendi, a Carla tem vários cachorros que fazem barulho NORMAL. Só que tem gente intolerante que já acha ruim no primeiro latido. E assim como eu não durmo com cachorros que latem a noite inteira, acho que ela tbm não. Não tem como costumar com um negócios desses...

Alguém aqui é a favor daquela cirurgia que remove as cordas vocais do pobre do animal? Eu acho que se pode fazer isso com eles, tbm pode (e deveria) ser feito com mto ser humano por aí.

Maria Aparecida disse...

Carla Borges, vc é tão...tão...mas tá tosca, chega dói.
Já que vc insiste em de fingir de desentendida, ou tem dificuldade de interpretação vamos lá:
Todo mundo condenou o ogro atacar seus bixos, ele foi um monstro , sem dúvidas.
Mas a questão é: será que vc não tem responsabilidade alguma nisso? O cara, do nada, surtou e saiu matando seus animais ? Ou será que ele falou com vc n vezes, por n vezes foi ignorado além de ter que aturar ironia idiota, deboche nonsense?
Acho lindoooo vc pagar de salvadora dos animais, defensora, alma boa e caridosa, mas prejudicar PESSOAS por isso...sei não...não me parece tão boa idéia. Além disso existem leis (graças a Deus) que nos protegem de imbecilóides sem tato ou bom senso. Apelar por matar seu animal foi lamentável... Ele devia ter chamada a polícia e ter dado queixa contra vc.
Já fui testemunha do quanto esses donos de animais podem ser irresponsáveis:
Situação 1:
Vizinho idoso precisando dormir e reclama com dono do animal. Resposta do dono do animal:"O que vc quer que eu faça? Quer que eu feche a boca do cachorro?" Resposfa do meu vizinho "Cidadão, o que vc vai fazer eu não sei e nem quero saber. Mas se amanhã seu cachorro passar a noite toda latindo vou chamar a polícia, registrar um BO e vc se resolve com os policiais".
(Seu Pedro, sou sua fã!!!)
E o vizinho mala deu um jeito, a noite coloca o cachorro pra dentro, não o deixa mais na garagem.
Situação 2:
Motoboy passando pela rua indo fazer uma entrega e cachorro corre atrás, o ataca, derruba e o dono da fera assiste tudo imóvel da calçada.
Situação 3:
Meu caso: ter que limpar sujeira de gato de vizinho. Sendo que eu mesma optei por não ter animais para não ter esses inconvenientes.
Engraçado como esses donos de cachorros mal educados seguem um perfil: nunca acham que fizeram nada errado, são irônicos, engraçadinhos...
hahahhahahaha Só que não !!!

Anônimo disse...

Primeira vez que vejo um guest post sair tão pela culatra no blog da Lola... interessante até.

Anônimo disse...

O suposto bom ato da protetora (evidentemente despreparada para receber animais em casa, vide o que a própria relata) vai totalmente por água abaixo em vista da sua notória e notável inabilidade em lidar com críticas absolutamente pertinentes, típica dos radicais. É por conta de gente assim que 1. protetores são, no geral, mal-vistos, 2. pessoas cometem atrocidades contra animais vizinhos, já que a relação inter-humana é mormente prejudicada pelo protetor achar-se em direitos que não tem.

Esse guest-post foi altamente elucidativo e mostra que nem sempre quem "faz o bem" está, de fato, com a razão.

Anônimo disse...

"Ou será que ele falou com vc n vezes, por n vezes foi ignorado além de ter que aturar ironia idiota, deboche nonsense?"

Em vista das respostas dela aqui, acho que a sua hipótese é a mais correta.

Anônimo disse...

Esse papo de proteção animal sempre rende né?

Eu já fui o que chamam de "protetora independente", ou seja, recolhia eu mesma os animais, tratava deles, pagava tudo do bolso e depois me virava pra arrumar lares adotantes. Larguei dessa vida porque como disseram aí, chega uma hora que sua casa vira depósito, a casa dos seus parentes, dos seus amigos e de todo mundo que se propõe a te dar uma força porque pra cada bicho que se tira da rua, mais dez aparecem no lugar.

Hoje em dia eu faria diferente. Tem muita gente boa mesmo fazendo esse trabalho, mas em cooperação. É muito melhor. Uma coisa é uma pessoa ligar pra polícia pra denunciar, outra é dez, vinte pessoas fazendo essa mesma denúncia. Aí eles averiguam super rapidamente. Uma coisa é você, sozinho, querer peitar um vizinho que sabidamente dá cabo dos animais na sua rua, outra é quarenta pessoas na porta da casa desse mesmo vizinho batendo panela, protestando e falando "aí campeão, vai envenenar a gente também?". Com o grupo dá pra multiplicar a força e diluir os custos, networking que realmente funciona em prol da causa animal.

Sei que tem muito protetor independente super bem intencionado como eu fui, mas de verdade? De verdade verdadeira? Se você não é rico, se não tem dinheiro para gastar regularmente com isso sem faltar nada na sua casa, se não conhecer uns veterinários, uns lares provisórios e se cercar de uma infra-estrutura mínima de proteção financeira e física para acolhimento correto, dá exatamente no que aconteceu com essa menina, autora da postagem convidada.

Sobre o barulho, realmente quem tem cachorro sabe que mandar calar a boca não resolve nada, até porque eles são maquininhas de latir. Mas o que a gente que ama os animais não pode esquecer por um único segundo é que é justamente a incompreensão das pessoas que leva os bichos a serem abandonados em primeiro lugar. Se você não souber lidar com seus vizinhos, não trazê-los de alguma forma para "o lado bicho da força" ou até mesmo fazer os outros vizinhos prestarem atenção na conduta antisocial de algum deles que não se convenceu - uma vez mais, usando beneficamente a força do grupo - vai ficar difícil. Protetor não tem mesmo uma fama muito boa, como falaram por aí, e motivos são vários: uns pensam que a gente devia estar ajudando as criancinhas de não sei onde, outros falam que somos acumuladores de animais e uma série de coisas que se ouve vem justamente da intolerância, do desrespeito e falando bem francamente, da falta de tato dos próprios protetores em entender o outro lado da questão, que nem sempre faz reclamações injustas. Sem esse diálogo e essa aliança, os envenenamentos continuarão sem dúvida alguma.

Lidar com bicho é fácil; com gente, não. Então é nessa segunda parte que a gente precisa treinar e se empenhar bastante para facilitar a vida de quem se dedica à primeira.

claudio disse...

Sei que posso estar misturando os posts, pois meu comentário pode aludir aquele post do "quem fala pra parar de ajudar animais e passar a ajudar crianças não ajuda nem um nem outro".

Só vou contar um caso triste que aconteceu comigo e com minha filha. Pra constar: eu faço doações em dinheiro e alimentos para duas casas que trabalham com crianças de rua e duas ongs que trabalham com animais de rua. Já abriguei pessoas das ruas, ajudei com roupas e estadia. Recolho animais, pago castração quando é preciso. Sou engajado nessas duas questões. Mas um dia, por descuido, caí na bobeira de justamente criticar, numa rede social, uma pessoa que ajudava animais de rua mas pedia castração de pobres e assassinatos de mendigos. Fui mal interpretado ou me expressei mal, não sei. Fiquei dois dias offline e quando voltei, encontrei várias ameaças de morte, além de muito linchamento virtual. Basicamente fui aconselhado por algumas pessoas no mesmo esquema daquele outro post, mas muitas outras simplesmente desejaram minha morte, dizendo que eu não fazia nada por ninguém. Justamente eu, que atuo em ambas as frentes. Circularam fotos da minha filha e pediram que a estuprassem. A coisa ficou apavorante quando descobriram meu número de telefone e passei a receber ligações de gente me chamando de assassino de animais entre outras coisas. Tive que deletar todos os meus perfis em todas as redes das quais participava e até hoje o assunto me magoa. Continuo ajudando ambos: humanos e bichos e não dou um pio sobre o fato de ser bastante mais fácil e confortável cuidar do segundo tipo. Sei por experiência própria. E por lidar com muitas pessoas engajadas em acolhimento de animais, posso dizer: a quantidade de pessoas que ajudam nessa causa mas são uns reacionários com discurso do "bandido bom é bandido morto" e "se é miserável é porque é preguiçoso e imoral" na ponta da lingua é mais do que seria aceitável. são uma minoria, sim. mas mesmo assim, preocupante e triste.

MCarolina disse...

Tem gente que não gosta de animais trollando esse post. O comportamento do vizinho não é justificável de modo algum. Ele podia ter feito BO, processado, ameaçado as pessoas da casa, até brigado fisicamente, mas preferiu matar filhotes de gato e jogar por cima do muro. Ele não ficou violento por causa da situação, ele já era violento. Justificar o que ele fez é grotesco.
Gostei muito do post da ex-protetora, foi muito elucidativo. O do Claudio foi assustador, mas mostra que tem gente louca e violenta que defende suas "causas" louca e violentamente em todo lugar.

Sarah disse...

Os animais devem ser respeitados? Sim como qualquer outro ser vivo!!
Seus donos são responsaveis pelos seu atos? ÓBVIO!!
Porque vc cria e tira animais da rua vc é melhor que os outros? CLARO QUE NAO!! Conheço uma que tem 30 dentro casa, muito bem tratados,nao sabe lidar com passoas, até com os proprios filhos!! E tenho mais exemplos...
Tenho animais? Sim, dei educaçao a eles, não latem por tempo indeterminado.Sao tratados como cachorros! banho,comida,carinho e educação. Funciona muito Bem!!

As pessoas que não se incomodam com o barulho dos outros,teem vários problemas, devem tomar rémedio controlado, ficam enclausuradas dentro de casa(tem q ter dinheiro para ficar com o ar ligado!!),não estudam, não curtem radio e tv em som ambiente, não leem,são amebas!! Onde começa o do outro termina o seu e vice-versa, BO neles!!!

Anônimo disse...

Pois é...
Aqui tem de tudo um pouco
_Uns são contra a morte de animais, mas desejam ardentemente que o cara morra...
_Outros protegem os animais e recorrem a violência, ou seja, se nivela ao nível do ogro.
_Outros acham que seus animais têm mais direitos que seres humanos (se a neta dele chora tenho o direito de deixar meu cão infernizar os vizinhos).
_Alguns são pessoas muito boas (com os animais) e acham q, por isso, estão acima de críticas...
_E, por fim, tem o ogro desequilibrado que um dia surta (por ter suas reclamações ignoradas com ironias patéticas) e passa atacar os animais de donos irresponsáveis...
E viva a diversidade !!! NOT

Tassi Bach disse...

Eu não li todos os comentários, ficou muito extenso, mas eu gostaria de dar a minha opinião que é parcial nesse caso.

É incontestável que maus tratos com os animais é crime hediondo, assim como maus tratos a crianças, idosos, etc...

Eu sempre tive cães desde que me entendo por gente, cheguei a ter 12 pastores alemães na casa em que eu morei no interior, em um terreno enorme. Depois que cresci e fui pra "cidade grande", tive meus cãezinhos de apartamento. Hoje sou casada, tenho um filho pequeno e não tenho bichinho de estimação por que nosso espaço é bem reduzido. Foi aí que eu vi o outro lado da moeda. Eu tentando colocar meu filho pra dormir, e o cachorro da vizinha do andar de cima latindo a esmo na janela. Ela não se dá o trabalho de impedir o latido do cão dela, aliás, se ele estiver latindo na janela ela quer mais é que ele continue, por que ela sabe que me perturba.
Então eu refleti muito sobre isso. Na época em que eu tinha aquele monte de cães, eles latiam quando o "perímetro" do terreno (que era totalmente cercado) estava sobre ameaça, tanto de outros animais quanto de pessoas. O que representava ameaça pro meus cachorros eram vacas, cavalos que pastavam perto da cerca, animais esses que não deveriam estar soltos na rua. Quando alguém se aproximava da cerca, eles latiam, obviamente. Mas nós nunca, nunquinha mesmo ouvimos qualquer reclamação de que nossos cães estavam fazendo barulho excessivo. Por que? Por que eles tinham espaço, estavam bem cuidados e alimentados, só latiam quando necessário.

Quando eu tive meus cães em um apartamento, ouvi algumas reclamações, que não continuaram pois seguimos as dicas de um adestrador para que nos orientou para acabarmos com os latidos sem necessidade dos nossos cãezinhos. Tínhamos duas cadelas de pequeno porte em um apartamento médio, depois de alguns meses mudando alguns hábitos, as cadelas só latiam quando chegava alguém.

Acho muito nobre o ato de abrigar animais de rua, mas esse ato vira burrice (desculpa se isso pareceu grosseiro) quando se faz isso sem condições para abrigar esses animais, entre as condições, espaço é muito importante. Então, na minha humilde opinião, é inaceitável para o convívio em um condomínio, que um morador queira abrigar dezenas de animais de rua e exigir respeito dos vizinhos. Já é esperado esse tipo de reação de pessoas que são normalmente agressivas e perdem a paciência por conta do barulho que os animais causam.

Eu não sei em que condições a Carla, autora do guest post, abriga seus animais. Mas se for em um apartamento, eu sugeriria que ela procurasse outro abrigo para os seus bichinhos. Pelo bem deles, e pelo bem da convivência com os vizinhos.

Grande bju a todos e muito bom senso!

Megatherium disse...

Anônimo das 13:17. Isso mesmo, parabéns! Foi exatamente essa a sensação que eu tive quando li tudo aqui. Perfeito comentário.

Ellen disse...

o povo perdeu a linha mesmo...em momento algum vi a carla dizer q seres humanos são melhores ou piores.tb tenho cães e sei q d vez em quando eh inevitável q latam.barulho por barulho nós mesmos tb fazemos barulhos q podem incomodar os outros e não paramos pra pensar nisso.acho chato tb quando meu proprio cachorro late,mas tb acho chato quando os vizinhos resolvem fazer churrasco aqui no prédio,quando ligam a música alta,quando gritam,ou falam alto.dá no mesmo!!e olha q eles sim,por serem humanos,tem a noçao sobre fazer ou nao barulho,ou pelo menos deveriam ter.e o animal não.sendo que só vi gente reclamando sobre os barulhos dos cães,caindo em cima da garota..o povo ficou tão chateado e irritado por ela defender os cães,que criaram a teoria de q ela disse que se acha superior e que ignora as reclamaçoes do vizinho,mas nao li no texto q ela ignora,o texto dizia sobre violência e alguns aki até tentaram justificar a covardia feita com o gato dela,oq achei um absurdo.vcs a criticaram por ela se achar superior e td +,mas aposto q um terço das pessoas aqui naum ajudam um animal,assim como naum ajudam um ser humano quando o vê na pior.é fácil reclamar do outro.achei esses comentários um absurdo.mais um motivo pra eu tb passar a rever o conceito sobre o q eh ser "ser humano" e podem dizer q tb acho animais superiores,pq esses comentários horríveis,críticos e a favor da violência,são a prova de que tem mt ser humano q possui menos ingenuidade e bondade q mt vira-lata por aí...

CarolHitmann disse...

acho q esse anonimo cria apelidos de outras pessoas pra parecer q todo mundo está a favor dos comentários dele...soh pode,neh possivel q exista tanta gente ignorante assim no mundo.ou eh???? Oo
se achando a maioral ou ñ,pelo menos ela está correndo atras de justiça,defendendo os animais dela,para q o assassino tenha punição,enquanto anônimos e anônimos ficam aqui com a bundinha o dia inteiro descascando a garota não fazendo porra nenhuma!!!!!!q ódio dessa gente covarde.vcs deveriam se envergonhar.por isso q tem gente que não vai pra frente,neh,pq só quer ver o pior dos outros,soh quer criticar,xingar...deus me livre!!!

Anônimo disse...

'enquanto anônimos e anônimos ficam aqui com a bundinha o dia inteiro descascando a garota '

Se vc entendida do assunto puder explicar como é que uma bunda descasca uma garota, eu agradeço muito

CarolHitmann disse...

pra q????pra vc ñ entender?se vc se sentiu tao ofendido pelo post vá ajudar uma criança de rua...80% das pessoas q adoram dizer,bater no peito q ''tem gente sofrendo por ai e ninguem faz nd'' tb não fazem por onde..enquanto vc estah aqui criando uma baderna desnecessária,vá ajudar uma criança de rua,ou criar algum protesto sobre a fome,ou até mesmo sobre os direitos humanos,jah q vc defende tanto as pessoas violentas q usam a força pra obterem seu desejado silêncio!!!isso td pq a autora do texto é q se acha superior,neh,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.mereçooooooo! bye bye pra vc...jah basta,ne?

CarolHitmann disse...

fiko imaginando q vc deve ser um aborrescente daqueles q sofreram alguma exclusão na escola,ou q ainda sofrem...q é infeliz,carente de atenção,de amizade...capaz de nem um animal gostar de vc,por isso sua revolta.imagino a pessoa adorável e cheia de qualidades q vc é...tão cheia de qualidades q tem vergonha em assinar o proprio nome,aí não passa de um troll sem noçao q quer chamar a atenção por carência.isso eh o melhor q vc consegue????credo...q dó de vc!!!por isso q algumas pessoas preferem adotar vira-latas ao dar atenção a frustrados feito vc,viu??? vá fazer amigos,se divertir,pq sua infelicidade é nítida na sua tentativa frustrada de chamar a atenção...nem pra ter a capacidade de chamar a atenção de forma positiva,meu deus!!!por isso q vc achou a autora "metida a superior",imagino q realmente não deve ser lá mt difícil ser melhor q um bosta feito vc que defende violência contra um ser indefeso.se vc acha normal um sujeito matar um gatinho simplesmente por diversão,capaz até de defender o sujeito que mata uma criança tb!!! pq violência é violência,independente com qm foi feita...isso pq vc copiou e colou aqui várias leis,mas nem vc mesmo entende sobre direitos humanos.vá ler!!vá ser feliz!!!mt ajuda qm nao atrapalha..se a carla se acha nobre por ajudar animais,eu assino em baixo,pq garanto q ela deve ter mais coração q vc...se uma pessoa tira um animal de rua,pode tirar uma criança tb..enquanto vc ficou o tempo todo aqui,falando,xingando,criando confusão e ajudar os outros q é bom,nada!!!!vá procurar uma ajuda com um terapeuta,vai!!mentezinha pequena!!

Ellen disse...

tomou hein covarde!!carol,ignora esse covarde defensor da violência!!!sabe qual o melhor presente q vc pode dar a pessoas assim?????deixa q ele continue aqui causando confusao,perdendo o tempo dele..eh o melhor q vc pode fazer por ele.deixa,carol!a única felicidade q ele consegue ter é tentando inferiorizar os outros..me ele não percebe q ele mesmo está se inferiorizando.enquanto poderia estar rodeado de amigos,se divertindo,ou falando coisas úteis,ele está aqui perdendo tempo tentando arrumar briga..gente baixa eh assim,só consegue ser feliz e sentir prazer tentando pisar nos outros.entao ignore carol,deixa ele ter esse momento de alegria.pois jah vimos q ele não consegue ser feliz de outra forma mesmo!deixa o moleque ser feliz,auhauhauuahuahauhauahuaaa!!!!!!!!!!o melhor presente q vc pode dar a um imbecil desses é deixar com q ele perca tempo aqui,postando absurdos,ao invés de ler um bom livro,daí ele permanecerá em companhia da sua própria ignorância.única companhia por sinal!!!!é melhor,gente assim merece sofrer com a propria leiguice..
e carla,parabéééns,continue ajudando animais e lutando por eles!!!!!!!!!esses sim são fiéis e sem maldade!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Adotar criança de rua? Q isso tem a ver? E quem disse q eu n gosto de animais? Foi eu quem falou que se um cara desses entrasse na minha casa era pra ser recebido com um tiro na cara.
Só essa historia da bunda descascada q ficou estranho...

Bia disse...

Então...Eu li todos os comentários, o texto...
A guest nao disse "Eu sou superior". Óbvio que em momento algum ela disse isso, porém ela refuta as críticas do monstro com "cachorros latem mesmo, não miam" e "não posso ensiná-lo a nao latir depois das 22 horas". Ou seja, tava pouco se lixando com a perturbação do silêncio alheio, típico de donos mal educados. Vi também todos, ou quase todos, os comentários criticando o vizinho monstro MAS dizendo que ela tem uma parcela de culpa também por ser irresponsável. O problema de pessoas que "têm a alma linda que ajudam animais indefesos" é que elas acham que podem simplesmente ignorar reclamações alheias. Porém há uma lei, goste dela ou nao, que deve ser respeitada.
Se alguém não se incomoda com o barulho tudo bem, porém se alguém se incomoda, deve sim ser respeitado.
Esse negócio de "mimimi humano também faz barulho" é uma grande bobagem pois nunca vi um humano latindo por horas e horas de madrugada. No meu caso, se alguém coloca o som no último volume e perturba a paz da vizinhança, eu peço educadamente para abaixar, se não adiantar tomo atitude mais enérgica e ameaço ligar para a polícia, dae se o vizinho não se tocar, bem, já não será mais problema meu, deixo para a polícia resolver...Da mesma forma ajo com donos mal educados de animais.
Não me considero uma pessoa amargurada, infeliz e que odeia os animais. Pelo contrário,mas não tenho problema algum em fazer outras pessoas se colocarem no devido lugar delas (meu direito começa quando o seu acaba).
E guest, espero sim que seu vizinho seja punido. Como espero também que, se os seus cachorros continuarem a atrapalhar o sossego dos outros, você seja punida também.

Vera disse...

Para Claudio:

Eu passei por uma situação bem parecida com a sua. Não chegaram a ir atrás do meu telefone, mas me ameaçaram, me xingaram de tudo que é nome, me chamaram de zoofóbica (eu nem sabia que existia esta palavra). E sabe por quê?
Porque quando teve aquele caso daquela cadelinha agredida pela dona, ao mesmo tempo muitas pessoas estavam também indignadas com a discussão sobre a Lei da Palmada. Ou seja, muitas pessoas que se indigaram com a cadelinha (e eu também me indignei, pois aquilo foi muita crueldade), eu não entendi porque as pessoas defendiam o "direito" de bater nos filhos. Eu achei isso contraditório. Enfim, eu questionei porque as crianças não mereciam o MESMO respeito que os animais.

Nossa! Eu nunca fui tão xingada na minha vida .....rsrsrsrsrsrsrs...
Pessoal começou a falar que iam descobrir quem eu era. Iam atrás de mim no meu trabalho me pegar e tudo mais.
Eu nunca tinha sofrido uma violência dessas, de ameaças e xingamentos. Fiquei mega assustada.

CarolHitmann disse...

'' Foi eu quem falou que se um cara desses entrasse na minha casa era pra ser recebido com um tiro na cara.''
isso demonstra exatamente o q foi dito..q vc eh um violento covarde,igualzinho o vizinho da autora!pq com uma arma td mundo é macho,neh?tah certo...kkkkkkkk e eh assim q vc fará justiça no mundo?imagina,vc matando todo covarde q mata animais,q sao mts,neh!violencia contra violencia..isso aí!!!!!!mil pontos pra vc senhor inteligente!!!vc é q se acha superior achando q pode tirar a vida de um ser humano,isso pq estufou o peito pra falar sobre os direitos alheios e humanos no geral!
e contraditório d novo...pq vc mesmo disse tb,pelo q li,q é por causa de donas sem noçao como a tal carla q esses crimes acontecem.vc justificou o ato!!se seu cachorro latisse e seu vizinho invadisse sua casa pra maltratar ele,vc o daria um tiro?q contraditório,jah q vc mesmo disse antes q é por causa de donos sem noçao q pessoas cometem esse tipo de violência...
olha...depois dessa me recuso tb a discutir contigo..se a propria autora finalizou a discussão,qm sou eu pra continuar??
ellen,vc tah certissima...deixemos o senhor contradição sofrendo com sua única amizade:a burrice

Bia disse...

Pois é, Cláudio e Vera. Algumas pessoas são extremistas e polarizam. Vi vários comentários dos supostos "defensores de animais do coração bom" desejando que o vizinho fosse morto com violência. Vi vários comentários atacando pessoas que se recusaram a passar a mão da cabeça da Carla Borges. Se não concordar com tudo o que ela disse, é pq vc não tem coração, odeia animais, é um adolescente rejeitado e nem leões chegariam perto de você e blablabla.
Bom, trabalho na área da saúde, preciso estar bem física e psicologicamente no meu trabalho para a minha segurança e para a segurança dos seres humanos que estão sob os meus cuidados. Pra isso preciso dormir muito bem e descansar. E assim o faço.

CarolHitmann disse...

'' Óbvio que em momento algum ela disse isso, porém ela refuta as críticas do monstro com "cachorros latem mesmo, não miam" e "não posso ensiná-lo a nao latir depois das 22 horas". Ou seja, tava pouco se lixando com a perturbação do silêncio alheio, típico de donos mal educados. Vi também todos, ou quase todos, os comentários criticando o vizinho monstro MAS dizendo que ela tem uma parcela de culpa também por ser irresponsável.''
bia,foi mal,mas em momento algum eu vi dessa forma..até pq realmente nao tem como,pela logica,um dono dizer ao cao ''nao lata após 22 hrs'',nao tem como.ela disse várias vezes aqui q eu procurei ler o maximo de comentários possiveis inclusive da autora,q os caes dela nao perturbam,mas é inevitável vez ou outra latirem,os caes nao ficarão mudos pra todo o sempre,neh.e q afirmaçao pejorativa quando vc diz q ela estava pouco se lixando,aí qm disse isso foi vc,pois pelo q li aqui,q pelo visto vc tb nao leu,eh q a propria concorda q cada cao fique no seu terreno e q inclusive o mesmo vizinho a perturba com barulho e ela nao faz nd pq nao liga,nao eh uma prioridade reclamar disso pois todos fazem algum tipo de barulho de vez em quando.pelo q entendi,os caes dela latem normal,como qualquer cao.ao invés de dizer q donos sao mal educados,pq vc nao diz q o vizinho foi mal educado por ter roubado o gato dela,invadindo a casa dela?isso é crime!!!é invasao!!!e ela qm se lixa pra perturbação alheia?vejabem!
eu desisto.me sinto tao ofendida quanto a autora...vcs nao lêem os comentários e nao leram o textopelo visto...

tchau pra qm fica

CarolHitmann disse...

entao,bia,eh melhor mesmo vc dormir e descansar...qm sabe com a mente fresca vc evita postar comentarios precipitados nascidos de uma visao pejorativa..eh o melhor q vc faz.bom sono! =*******

CarolHitmann disse...

minha opiniao jah ta dada,minha gente...recuso-me a debater com pessoas q não leram 1/3 das explicaçoes da autora,ou se quer o texto!!!boa noite pra qm fica...fui!

Anônimo disse...

É bom mesmo, Carol, vc tá só agredindo todo mundo. Você não debateu nada, só xingou, acusou as pessoas de serem isso e aquilo... Boa noite!

Bia disse...

Carol Hitmann,
li sim todos os comentários, pois já tive problemas com vizinhos folgados. A moça disse que os cachorros nao incomodam. Mas isso é o ELA acha.Porém, pelo próprio texto dela os animais incomodam o vizinho.
Sobre o fato de não ter como fazer o cachorro não latir depois das 22 horas tem uma resposta de uma leitora que achei perfeita:
"Vizinho idoso precisando dormir e reclama com dono do animal. Resposta do dono do animal:'O que vc quer que eu faça? Quer que eu feche a boca do cachorro?' Resposfa do meu vizinho 'Cidadão, o que vc vai fazer eu não sei e nem quero saber. Mas se amanhã seu cachorro passar a noite toda latindo vou chamar a polícia, registrar um BO e vc se resolve com os policiais'."
Penso exatamente assim.

Anônimo disse...

bia,vc pensa?q se pensasse teria lido que o proprio vizinho abandonou sua cadela na rua e ela morreu de fome,segundo o comentário da autora q vc diz que leu,né???? Oo
e o gato como ela disse,caiu na casa dele,nao incomodava...ele se sentia incomodado,assim como vc tb está incomodando com comentários imbecis e nao percebe..assim como vc tb pode ouvir musica em casa,ou falar alto e nao perceber q esta incomodando,se for assim,ninguem vive,ne????

Anônimo disse...

Bia, deixa para lá. O nível tá péssimo. Esse pessoal defende seu ponto de vista de uma forma tão agressiva e estúpida que não dá para discutir.

Bia disse...

Pode ironizar a vontade (como o anônimo das 21:14 e a guest). Eu não ligo.É um comportamento típico das pessoas que se recusam a enxergar sob outro ângulo. Eu não tendo minha paz ceifada tá tudo bem.
Boa noite pra ti tb, Carol Hitmann.

CarolHitmann disse...

boa noite!descanse bem!

Bia disse...

Anônim@,
Bom eu disse várias vezes que o cidadão é um monstro e não deveria ter feito isso, MAS q ela precisa aprender a respeitar espaço alheio.
Chamar meus comentários de imbecis, me ofender entre outras coisas não irá validar seu ponto de vista. Apenas demonstra que vc é incapaz de argumentar sem partir para o ataque e baixar o nível (falácia, sabeo que é?). Se estou incomodando, Bom, Sorry, honey, mas aqui é um espaço público e, se a dona do blog achar que ofendi alguém ou que disse algo absurdo pode perfeitamente excluir meu comentário. Vou entender, pois o espaço é dela. Quanto à vc, bem, vc tem muitaaaaa dificuldade de aprender a respeitar opinião que diverge da sua. Uma pena. Desde que vc não lata madrugada a fora nao me incomoda não. :)

Ellen disse...

fico com o comentário mais razoável daqui que foi o da fabiana...



"Gente, só eu tenho vizinho que grita com criança e criança que chora o dia inteiro pq os pais são irresponsáveis?

Cachorro late, mesmo. Não sei o que é aceitável na cabeça de vocês, mas pra mim, latir pra campainha, de alegria por uma brincadeira, para o caminhão de gás (como eles uivam, não? Um começa e parece que todos na rua acompanham) é normal.

Agora, cachorro chorando o dia inteiro pq fica sozinho é irresponsabilidade. Assim como som alto o dia inteiro, gente berrando e por aí vai.

Pelo que entendi, a Carla tem vários cachorros que fazem barulho NORMAL. Só que tem gente intolerante que já acha ruim no primeiro latido. E assim como eu não durmo com cachorros que latem a noite inteira, acho que ela tbm não. Não tem como acostumar com um negócios desses...

Alguém aqui é a favor daquela cirurgia que remove as cordas vocais do pobre do animal? Eu acho que se pode fazer isso com eles, tbm pode (e deveria) ser feito com mto ser humano por aí."

Ellen disse...

"Chamar meus comentários de imbecis, me ofender entre outras coisas não irá validar seu ponto de vista. Apenas demonstra que vc é incapaz de argumentar sem partir para o ataque e baixar o nível (falácia, sabeo que é?)."

Ofendendo uma pessoa que te ofendeu é mt correto,neh bia???? o.o
isso pq a anonima ou o anonimo utiliza o baixo nivel..vc nao! sei...



"Bom eu disse várias vezes que o cidadão é um monstro e não deveria ter feito isso, MAS q ela precisa aprender a respeitar espaço alheio."


e mais uma vez insisto em me meter!!ateh peço desculpas,mas a autora disse e repetiu q sua casa é enorme e murada..q um gato por ter tido o azar de cair no quintal do vizinho foi morto a pauladas e o outro roubado de dentro da sua casa.. e ainda sim vc insiste em falar que a carla borges precisa respeitar o espaço dos outros?hm tah..eh bia,realmente,tb me recuso a discutir contigo...vou ignorar...vou me juntar a anonima(o) e latir noite a fora,eh mais divertido e mais útil...bjs,bia

Mila disse...

Infelizmente já tive muitos vizinhos assim. Quando eu tinha uns sete anos, criava cerca de oito gatos. Todos, inclusive os filhotes, foram envenenados pela vizinha. Lembro que cheguei da escola, minha gata morreu depois de três dias agonizando de dor, e todo o esforço que eu fazia era em vão. O castigo veio rápido. Logo logo, um surto de ratos deu na vizinhança, principalmente na casa dela.
Quando eu tinha uns dez anos, tinha um cocker spaniel. Ele era danadinho, agitado. Quando ele tinha uns três anos, nos mudamos. Eu tinha pouco tempo para brincar com ele, que era um cão bem ativo. Ele ficava nervoso quando ficava só em casa, latia (cães tem que ficar calados né?) e fazia muita bagunça. O vizinho reclamava muito dele. Um dia ele sumiu e dizem que a culpa foi desse meu vizinho, que também reclama da minha gata, pois ela vai muito na casa dele (cheia de entulho, um ninho de ratos).
Tem gente que fala que deveríamos nos preocupar com questões mais importantes que animais (oi? como se elas fizessem alguma coisa). Creio que pessoas que não tem sensibilidade com os animais, que a meu ver são inocentes e não tem como reclamar, são as mesmos que fazem maldades com os outros.

Daniel disse...

Entendam, irresponsáveis donos de animais: vcs são responsáveis por tudo que seus cachorros fazem, inclusive poluição sonora.

Não, ninguém é obrigado a ouvir latido de cachorro o dia inteiro, ser acordado, etc

Por trás de cada envenenador de caães, muito provavelmente há um dono cretino, que demonstra muito respeito alheio ao proferir frases como : '' cachorro late mesmo'', ''não posso impedir ele de latir de madrugada'', etc

kaline disse...

meu vizinho matou meu cachorro,eu denuciei ele quero que ele pague por esse abisurdo...

Anônimo disse...

meu gato,foi envenenado ontem, eu sei que foi o vizinho não tenho provas legais para acionar a justiça, provavelmente irei matar esse desgraçado esse final de semana... no minimo deixá lo paraplégico,acredito na justiça divina,mas eu quero ser o instrumento!

Anônimo disse...

Bem, não se deve matar um animal. O problema todo é que as pessoas tem os animais e os deixam livres para circular pelas casas dos vizinhos. Eu moro em um condomínio fechado e tenho sérios problemas com cães e gatos. Alguns acham que tem o direito de soltar os cães nas áreas comuns para fazer as necessidades. As áreas comuns são gramadas. Ficam um verdadeiro nojo. Os gatos são ainda piores. Pulam os muros e entram em qualquer casa. Eu já tive que limpar cocô de gato no meu quintal e a minha garagem vive urinada. Será que os donos tem que desrespeitar os vizinhos porque gostam de animais? E o direito da pessoa que não quer tê-los na sua propriedade? As leis deveriam ser mais rigorosas em relação a donos de animais.

Anônimo disse...

Meu cachorro pulou o muro com medo de fogos, estou viajando não sei se meu cachorro ta vivo ou morto falaram pra minha Irmã q os vizinhos da rua de trás correram atras dele com pedras, terçados e ate arma! Amanha chego de viajem e vou investigar isso e pegar pra bóia um por um dos FDP... Se a lei 9605/98 q inclusive é federal não vigorar sobre eles vai sair merda!

Anônimo disse...

olá essas pessoas são assassinas de animais,

eu tinha um cachorro no qual dava umas escapadas na rua, passeava por perto e voltava, um dia ele foi seguido pelo carro deste homem que esta na foto, (decobri que se chama Marcio e ela Vanuza).
Ele queria saber de onde vinha este cachorro. segundo ele, disse que o cachorro fazia xixi em seu portão não com muita frequência mais fazia e que ele não aguentava mais e pediu que eu cuidasse melhor, então adaptei portões que o cachorro não pudesse passar, no quintal, e de noite deixava ele na garagem, um dia meu bebe apareceu morto por envenenamento dentro da minha propria casa, tenho certeza que forma eles, me ajudem a divulgar a fotos desses miseraveis pelo facebook : este link é o face deles:

http://www.facebook.com/vanuza.barbaresco?fref=ts

eles tem um site de trabalho que é este:

Telefone deles :
http://www.styllusfestaseeventos.com.br/?pag=contato

Moro em Itu sp

moro em uma das ultimas rua do bairro e eles moram na rua principal e tiveram coragem de virem ate aqui matar meu animal de estimação!

eles moram na rua Joaquim Delfino da Silva o numero da casa deles é 357 bairro Jd europa cep 13308-450

GM disse...

Aqui em casa eu tinha três cachorros e cinco gatos. Um cachorrinho meu foi morto e dois gatos também... Todos envenenados. Eu não tenho certeza de quem foi, mas penso que pode ter sido alguém da minha rua a MANDO de minha tia. Nem sei mais se considero ela minha tia, ela já me fez tanta coisa de ruim. O cara da minha rua que fez isso morreu, ai parou de morrer animais aqui em casa, mas pra minha tia arrumar outro para fazer isso é rápido. Não quero mais ver nenhum animal meu morrer, mas como eu não tenho certeza se é ela não tenho como denunciar(...)

Amanda disse...

oi meu nome e amanda e meu cachorro Apolo foi envenenado pelo meu vizinho o motivo e que eu e minha mae discutimos com ele e entao ele falou que se pegasae o meu cachorro no jardin mataria de pois de umas 5 semanas eu voltei da escola e meu cachorro estava desmaiado na frente da minha porta eu fiquei desesperada mas ja sabia que tinha sido ele n so porque ele havia avisado mas porque ele ja tinha matado outros ,a minha vo tinha cadelinha ele tinha um machado e quando minha vo estava dormindo ele matou a coitadinha simplismente pegou o machado e cortou a cabeça dela no meio o motivo eu n sei so sei que matou sen do nem piedade e ele tambem matou o cachorro , a cadela e os filhotes de minha prima com veneno e agora a filha dele encontrou e adotou uma viralatinha linda mas ele da de chicote nela e no dias de calor tranca ela numa casa de madeira e n da comida nem agua.Aqui na minha cidade não há politica publica sobre proteção animal e lutamos quase que sozinhas, pois as pessoas acham normal envenenar, matar, abandonar... é muito triste viver assim :(

Anônimo disse...

Amanda,

Envenena a água dele para ele ver se gosta.

samir quarto ano disse...

se fosse eu eu pegaria um pedaço de pau e se visse,sorte que não matam meus gatos,mas se envenenassem eles eu não chamaria a policia não,faria justiça com as próprias mãos, porque nesse país ele só teria que pagar uma multa e continuar matando os animais

Marco disse...

Dri caldeira, só pela tua cara já vemos que voce é irracional. Nao fossem pelos absurdos que voce relata, talvez ate poderiamos acreditar nas sandices que voce escreveu. Eu tenho dois cachorros Pinscher que, embora digam tratar-se de uma raca barulhenta, comportam-se extremamente bem, sem incomodar os vizinhos. Os bichinhos eventualmente latem, mas só quando alguem se aproxima do portao. Para caes e donos mal-educados, como voce, por exemplo, só recomendo uma coisa: CHUMBINHO COM SALSICHA. Resolve em dois tempos. Se teu parente precisou de "sete" para tirar o ferro da mao dele, tentan enfiar o mesmo ferro no c* dele. Aí acho que nem setenta conseguem tirar. Cria vergonha na cara e tenta ser um pouco civilizada. Quem ama bicho mas nao respeita o vizinho nao merece o título de ser humano.

yan macedo disse...

oi gente meu nome e yan tenho 13 anos meu vizinho tem um pitbull ele tava passando com ele e minha gata foi pra sima e machucou o fusinho do cachorro e ele ameaçou minha gata com chubinho e agorra o que eu faso

Anônimo disse...

Tenho 14 anos e me mudei recentemente pra um bairro novo. E nessa vizinhança todo mundo bate nos cães! São vários vizinhos diferentes. Falei a meu pai pra denunciar, mas ele diz que não é problema nosso. E minha mãe tem medo pois como são vários vizinhos ela acha perigoso a gente denunciar. Mas é horrível pra mim ouvir, pior ainda pros cachorros que apanham! O que eu devo fazer?

Anônimo disse...

INCRÍVEl como as pessoas colocam em primeiro lugar o animal e não o ser humano. As "pessoas" dizem, o cachorro tem que latir já que ele não fala. Será mesmo que essa pessoa tem neurônio? Só porque essa pessoa gosta de cães tudo que ela pensa sobre eles está correto? Meu Deus, o cão não sai 5:30 hs da manhã pra trabalhar. TENHO CERTEZA que se essas pessoas que não se importam se o cão está incomodando os outros tiver um vizinho que ao invés de amar cães ele amar FUNK e colocar a música bem alta dia e noite o amante de cães irá de incomodar tambem, ai quero ver reclamar do barulho.

QUASE sempre quem reclama do barulho de vizinho tem razao. Veja alguns exemplos: quem gosta de cao e é sem noção e deixa-os
fazerem o que querem, tenho certeza que detesta quando alguem coloca musica "FUNK" alta. Ele pode incomodar os outros mas
os outros nao podem incomoda-lo.

Vai la, coloca musica alta do lado de quem cao que late sem parar pra ver se ele/a vai gosta, nao, ai nao gosta e ainda vai
querer ter razao.

INCRIVEl, li que tem "gente" que fica indignada por algumas pessoas perderem a cabeca e machucam os animais, porem, nao
se colocam no lugar da pessoa incomodada, essa pessoa trabalha/estuda e merece descansar.

De novo, vc que tem cao e os deixa latir sem parar, experimenta morar ao lado de alguem que ama "FUNK" e essa pessoa ama ouvir esse tipo de musica no ultimo volume, quero ver sua reacao. Ate sei qual sera..."Poxa ta me incomodando e eu trabalho e mereço ter sossego".

MINHA GENTE DONOS DE CAES...EU SEI Q É DIFICIL PRA VCS MAS, tentei usar a cabeça e se coloquem no lugar de quem esta sendo perturbado so pq vc ama cachorros. NUNCA se esqueça, vc ainda pode ter um vizinho que ama FUNK.

Pra finalizar.. eu li em um site estrangeiro que....quem ama demais caes e nega enxergar que estao incomodando os outros, provavelmente usam o cao para suprir carencia afetiva como: viu os pais brigarem e se separarem, é infeliz na cama, nunca teve um amor de verdade, FALTA DE SEXO OU ORGASMO. Qndo alguem so importa com animais e nao com pessoas....sim....eu acredito em todas essas
hipoteses.

Anônimo disse...

O meu vizinho chamado Orlando e sua esposa Ciber, supostamente invenenaram meu único gato de estimação, e não foi só o meu. Uma senhora também minha vizinha me contou que muitos gatos dela morreram com veneno. Mas infelizmente eu não tenho como provar nada e então lendo esse post eu decidi pegar essa brilhante ideia dos bilhetes mas não vou mandar para os meus vizinhos pois a maioria não gosta de animais também. Vou mandar anonimante direto pra ele. Faz alguns meses que venho demonstrado meu ódio a esse casal e seus filhos que já dwmonstraram ódio por animais também. Espero que de tudo certo e que esse canalha sinta um peso na consciência. Sou Letícia, tenho 14 anos e sou defensora dos animais com todas as minhas forças.

Anônimo disse...

Ninguém é obrigado a gostar de gatos. Eu tenho muita dó do bichinho, porem tenho um filho de 3 anos q morre de medo de gato e quando nao ta na escola esta preso dentro de casa por causa dos gatos dos vizinhos que Fica entrando no meu quintal. Acho totalmente errado maltrata-los. Mas nao sei mais o q fazer. Acho q se vc quer ter um animal de extimaçao deveria cuidar pra que o mesmo nao venha a encomodar os outros tambem.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 206   Recentes› Mais recentes»