quinta-feira, 5 de abril de 2012

A DAY IN THE LIFE

Lembrei dessa música dos Beatles que eu tanto amo. Fala de rotina

Tem um cara no Twitter que vive me trollando e que é gay misógino (nada contra ser gay; tudo contra ser misógino, e na minha opinião xingar mulheres de vadias, piranhas, vacas, rameiras etc é um claro sinal de misoginia,
e gays deveriam ser aliados de mulheres). Acho que nunca tinha ouvido falar nele, ou ao menos registrado o nome, até que o sujeito, do nada, começou a xingar um amigo meu, professor de Física aqui na UFC. O motivo? É que a gente, na UFC, pertence a um sindicato de professores diferente ao que o cara em questão pertence. Por esse motivo, fomos chamados de pelegos. De lá pra cá, qualquer coisa que eu digo ou não digo é usada pelo cara contra mim. Eu dei block rapidinho, porque o sujeito ataca todo mundo (ele torce, por exemplo, pra que a Dilma morra de câncer vomitando sangue), e porque não preciso acompanhar o que uma pessoa visivelmente desequilibrada tem a dizer. E não é por ele ser gay que eu tenho que passar a mão na cabeça, né? O que sempre me chama a atenção é que gente que eu gosto e respeito o segue no Twitter. Aí eu fico pensando: será que o seguiriam se fosse um hétero misógino e desequilibrado? Enfim, essa conversa só veio à tona hoje porque uma das pessoas que o seguiam, a Letícia, que eu sempre admirei, deu unfollow no cara por ele ser desrespeitoso com alguém que ela gosta. Foi até divertido quando ela falou isso pra ele, e ele precisou tentar adivinhar quem é a pessoa que a Letícia gosta entre as 750 pessoas que ele constantemente trolla. Mas daí o cara passou a me dedicar montes de tweets me chamando de mau caráter, mentirosa, attention whore e sei lá mais o quê, porque parei de ler. Eu fico pasma. O sujeito twitta loucamente a cada minuto, xinga todo mundo, e eu que sou attention whore? Acho incrível a fama que eu tenho entre alguns haters, que não fazem ideia de em quantas brigas eu evito entrar todos os dias. Eu sou xingada o tempo todo, e ignoro 99% dos ataques que recebo. Se eu falo de 1% desses chiliques, sou vitimista, barraqueira, e carente de atenção. Então tá. See if I care (pensando muito em inglês hoje).
Teve um dia em setembro do ano passado em que a Myrian Rios foi verbalmente atacada pelos mascus sanctos. Como eu tinha acabado de publicar um post sobre esses doentes, alguém deve ter passado o link pra ela, e ela me enviou uns tweets. Eu fiquei de mandar pra ela (como mandei pra todo mundo que pedia, de procuradora da República a advogados) as informações que eu estava coletando sobre os sanctos. E foi o que fiz. Isso foi suficiente pra que o gay misógino e mais uma metade de meia dúzia de pesssoas que pra mim são completas desconhecidas me condenassem por estar “me aliando” a Myrian Rios, uma deputada estadual que ficou famosa por fazer declarações homofóbicas, e por quem eu nunca nutri a menor admiração.
Bom, resumindo, depois de uma série de besteiras de que eu estaria de conchavo com a deputada, decidi escrever um post explicando que só troquei tweets com alguém que, por ser deputada, poderia ter influência pra combater os sanctos. Isso foi antes da Secretaria Especial das Mulheres fazer um pedido formal para a Polícia Federal exigindo que os dementes fossem investigados. Foi bem no começo, muito antes do blog de ódio ficar popular e gerar 70 mil denúncias à Safernet.
E aqui vai uma coisa que nunca revelei neste blog (nem no Twitter). Aliás, só falei sobre isso numa palestra na Unicamp, porque foi na mesma época. Pois é, sou tão louca por atenção que nem comentei esse assunto um tanto explosivo. É o seguinte: naquele mesmo dia em que fui atacada por um grupinho por trocar tweets com a Myrian Rios, quem me manda um email à noite? A própria!
Alguém deve ter avisado à deputada que ela havia escrito pra uma feminista abortista pró-direitos das minorias (moizinha). No email que Myrian, furiosa comigo, me enviou à noite, ela usou o termo gayzista (um termo tão preconceituoso como feminazi), desancou o feminismo, e disse que sentiu-se ofendida com os meus posts, e que se eu não os removesse em até 24 horas, ela iria me processar. Respondi que, no meu blog, só havia o post daquele dia sobre ela, e um outro, um guest post muito educado, que não tinha nada de ofensivo. E que, por isso, não iria remover post algum. Claro que consultei duas advogadas amigas minhas, pra ver o que elas achavam. Enfim. Nunca mais falei com a deputada de novo. Não retirei os posts, nem ela me processou.
Mas minha vida é assim: primeiro sou atacada por um grupo de doentes, os mascus sanctos, que me ameaçam de morte (e ameaçam outr@s também). Aí uma das muitas vítimas deles entra em contato comigo pra trocar informações sobre eles. Então um grupinho de haters me ataca por eu trocar informações com a pessoa. E em seguida a mesma pessoa me ameaça de processo após descobrir (como se eu escondesse minha ideologia de alguém!) que sou feminista. Tudo isso no mesmo dia. Parece piada, né? E o pior é que acontece com certa frequência. Logo, estou acostumada! Ou vacinada. E tem aquele clichê: o que vem de baixo não me atinge.
Bom, só escrevi este post porque fiquei com preguiça de escrever o que tinha planejado pra hoje, que era a crítica de Jogos Vorazes. Mas pra amanhã, eu prometo a crônica!

131 comentários:

Augusto disse...

Adorei esse texto, não podemos mesmo perder tempo com Haters (eu tento, mas é difícil para mim não discutir).

Um bom dia, Lola!

Anônimo disse...

Uma Lolinha incomoda muita gente, duas Lolinhas incomodam muito mais...
É isso aí Lola, se vc está sendo odiada, isso é um ótimo sinal. Significa que vc tocas nos pontos certos. Um grande abraço. Ragusa

disse...

Lola desculpa, o que vou falar não tem nada a ver com o post tá?rsrs

É que hoje vi um blog muito bom e gostaria de compartilhar.
Uma conhecida minha colocou no facebook que criou esse blog junto com a namorada, para relatarem as dificuldades de uma relação a distância, e a luta pelo direito de ficarem juntas... achei muito triste, e queria ter uma forma de contribuir com elas, então resolvi compartilhar aqui no seu blog =)

http://5020miles.wordpress.com/about/

Anônimo disse...

Se você precisa começar uma argumentação dizendo "um gay", pra depois falar que "nada contra ser gay" você tá com um belo pezinho no discurso homofóbico, sabia?

sex pistol disse...

Lola, não entendi o fato de você no texto evidenciar que ele é gay.Isso é relevante? bastava dizer que ele é uma pessoa misógina, independente de sua sexualidade.
Não entendo essa cartilha: gay se alia as mulheres que se aliam aos negros para combater o branco heterossexual patriaracal,e portanto pessoas brancas, homens e heterossexuais "não tem credibilidade" para se aliar ao movimento de direitos humanos e tem que "chegar na humildade", porque afinal não tem "direito adquirido" e tem que calar a boca e ter participação secundária...
Lamento te informar mais tem muito gay misógino, muita mulher machista, e racistas de diversos matizes.Não tem receita, tem que parar com esse pensamento e chamar para a luta qualquer um, independente do gênero,da sexualidade e da cor.Somos todos um, mudando o mundo.
Esse pensamento, tipo receita de bolo, e a questão da "validação" é um erro crasso em muitas pessoas de esquerda, que precisa ser reformulado.Abraço.

Ga-linda disse...

Aos comentaristas acima: a Lola ficou CHOCADA ao ver um gay misógino (algo que, felizmente, não é tão comum quanto um HÉTERO misógino), já que a comunidade homossexual sofre na pele os efeitos dos preconceitos pregados pela cultura da misoginia. Era a isso que ela se referia quando enfatizou a homossexualidade do misógino em questão. =D

Mauricio disse...

Deixa eu ver se entendi bem isso: Um texto de 952 palavras e 4310 caracteres (sem contar o título e espaços em branco) porque você estava com "preguiça de escrever"?
Só você mesmo, Lola!
Não è á toa que o blog se chama "Escreva Lola Escreva".

Ah, e sobre os trolls em geral, vale aquela máxima: "haters gonna hate".
Então, está certa você em nem ligar.

Carol Molly disse...

A internet é o ecossistema perfeito para a proliferação dos haters. Claro que a dona de um blog feminista muito visitado deve ser muito visada, mas de modo geral eles estão em todo lugar. Qualquer noticia com comentários,em qualquer blog ou rede sociais.
Até eu que detesto briga, já me peguei sendo agressiva na internet.Raramente algo que se faz na net tem conseqüências.De certa forma, as pessoas se tornam como aqueles filhinhos de papai que cometem crimes pq têm certeza da impunidade...

Augustto disse...

Ai, Lola... Eu sei que vc não vai mto com a minha cara, mas mesmo assim eu continuo admirando vc!
Um beijo!
@guttolipaes

Anônimo disse...

SEx pistol, claro que a Lola sabe que tem gay-misógino. Só que como grupo oprimido, não nos deixa de espantar que alguém se alie ao discurso machista que o oprime como gay. Por isso a menção (pelo que entendi) de que ele é gay. Algo como para cutucar estas pessoas que são preconceituosas e nem se dão conta do desfavor que estas fazem a elas mesmas.

Niemi Hyyrynen disse...

No dia que esse palhaço tiver um cancêr dai ele vem falar sobre desejar isso a alguem, quero ver. Quando ele sangrar por qualquer buraco do corpo dele aliás.

Não precisa ser pela boca não.


Faça como eu Lola, manda um recado pra esse povo implicante:

Me odeia? vou passar a pascoa LIKE A BOOS comendo muita nutella.

Jac disse...

sex pistol

Conhecendo quem é a Lola (não que eu conheça pessoalmente, apenas leios os textos dela há muito tempo), posso confirmar o que Ga-linda disse.

Todo mundo sabe que existem mulheres machistas, gays misógenos, negros homofóbico, mulheres racistas, gays racistas e todas as possibilidades.

Porém é de se espantar a falta de coerência em uma pessoa que faz parte de uma minoria e sabe o que é sofrer preconceito ser contra outra minoria.

Imagina se as mulheres/negros/LGBTTs se unissem contra a misogenia, racismo e homofobia (e variantes)? Não haveria força para manter o status quo do homem/branco/hetero dominante!

Anônimo disse...

Sex pistols.
Outra coisa sobre o “direito adquirido” que vc falou. Como feminista não tenho opinião super formada a respeito, e acho que a luta precisa agregar por um lado (a pessoa por ser oprimida por si só não a faz melhor, vide o ex. do próprio post), muitos homens heteros podem ser mais feministas q um gay, mais que mulher até. Mas, o que não podemos esquecer (a já Lola abordou,acho, e é só ver varios comentários de posts aqui) a quantidade de pessoas “de fora” (no sentido de não ser uma pessoa que luta, que nunca se sensibilizou pelo assunto) dar “palpites” "pautar a causa que ele nunca asusmiu como causa", do tipo homem dizer coisas nada a ver como “veja bem vcs feministas deveriam é fazer blá, blá..” sabe? Vc não faz ideias de qnto tem disso!! E as vezes usando o mesmo discurso seu (sei que não foi o seu caso mesmo) É muito diferente de quem está por dentro do assunto, tem sensibilidade e discordar. Outro exemplo clássico, e nisso o direito adquirido eu concordo 100% é de por ex. homens dizerem o que a mulher pode ou não se sentir oprimida, de hetero dizer o que um gay pode ou não se sentir ofendido com tal piada. Entende? Que tem “algumas” (para mim) situações que só o oprimido pode ter voz. Mas, tb concordo que outras discussões e lutas são sim mais amplas.

Anônimo disse...

O que me deixa boba realmente são feministas de maior chamego com esse cara, pq na real se fosse um homem HÉTERO muitos dos insultos feitos por ele no estilo blog "Papo de Homem" não seriam tolerados mas realmente ganhou um free pass. O 'engraçado' é que esse cara nunca se manisfestou sobre as ameaças de morte que você sofreu né? nem mostrou apoio, só chegou depois p/ falar mal.

s/ a Myriam Rios sinceramente naquela época eu achei que foi ingênuidade sua de trocar tweets com ela, pra mim aquilo foi um pouco surreal, depois do seu post eu entendi que você não a apoia e bem, eu não estava na mesma situação de ser ameaçada de morte então não posso querer dizer como você deveria agir e nem isso não seria motivo de agressões via twitter como tem acontecido.

-Lena

Anônimo disse...

Lola, quer dizer que tem feministas que acham tudo bem este cara dizer isso? Por quê?

Como uma feminista pode não achar que xingar uma mulher de “vadias, piranhas, vacas, rameiras etc” foi isto que este cara fez não?) não é misógino? É isso mesmo? Este cara (não conheço) pode até ter credibilidade para falar de outros assuntos (sei lá to chutando, não o conheço, mas já que dizem que pessoas “legais” seguem ele), mas o que que isso ameniza o seu discurso? Dá impressão que tem uma massa que coloca certas pessoas como “intocáveis”, sem fazer a crítica.Isto acontece tb com homens de esquerda (e olha que sou de esquerda, e detesto o Pt, diferente da Lola, rs),pessoas com blogs famosos etc...Uma coisa é “escorregar” e sair algo machista da boca, outra é vomitar sistematicamente o discurso machista. Nada justifica

Iara disse...

O que dizer ? Eu só posso dizer uma coisa que aprendi nos últimos tempos, não importa o que uma mulher faça, sempre vai ser algo desagradável ao patriarcado, qualquer coisa que não seja o que ELES querem transforma a mulher em louca , histerica e chiliquenta!
Já nem penso muito a respeito, porque todas minhas opinioes sao polemicas,apenas porque nao penso o que querem que eu pense.
O que existe de liberdade hoje as mulheres é uma liberdade relativa, é como se o mundo falasse, pode ser livre,mas se não for do jeito que os homens querem, então será punida .
Escrevi no meu blog sobre algum assunto, ( já nem lembro, porque escrevo diario) irritou uns mascus perdidos por ai, foram para o meu twitter e fiquei sem ele, perdi o acesso, acho que hackearam .Fazer o que ? Continuar fazendo ! Até que eles se cansem ! Mas pelo menos já entendi como as coisas funcionam, qualquer opinião minha que não seja sobre cozinhar ou sexo, vai ser considerada polemica sempre ! Azar o deles, porque a única coisa que não me falta na vida é opinião!

Augusto disse...

Acho que o gay é para mostrar que mesmo sendo gay é misógino, que era uma coisa que não deveria acontecer, entendem?

Como falasse assim "feminista transfóbica", claro que a feminista não tem nada de ruim, mas especificando coisas que não deveriam ocorrer numa militância...

Anônimo disse...

eu DETESTO esse cara. sempre que alguem da RT nele eu tenho vontade de dar unfollow. pior é q tem algumas feministas legais q gostam dele. a leticia era uma delas (thank god eles brigaram)

Luciana Barbosa disse...

Aeee Post sobre Jogos Vorazes amanhã!

Anônimo disse...

ela deveria ter enfatizado que ele é um ativista LGBT. ele não é apenas gay, assim como nós não somos só mulheres. nós somos todos militantes. e aí NÃO TEM cabimento menosprezar outros grupos. se isso já pega mal pra quem não é uma "minoria", é pior ainda pra quem é e ainda por cima milita por essa minoria. e esse chico é do tipo que dá ataque de pelanca se alguém bem intencionada usa "homossexualismo" no lugar de "homossexualidade", por simples falta de conhecimento a respeito do termo correto.

Anônimo disse...

Adorei o blog
Quero começar a compartilhar o preconceito sofrido pelas mulheres solteiras.
Estou cheia de coisas para resolver.
Mas até a polícia e a justiça no Brasil dizem assim: arruma um namorado para te ajudar. Não é de enlouquecer?
Beijos
Lys Flávia

Anônimo disse...

Mais uma pra fechar o dia!!!
"Por custo menor, empresa aérea incentiva aeromoças a perder peso"

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1072244-por-custo-menor-empresa-aerea-incentiva-aeromocas-a-perder-peso.shtml

Anônimo disse...

Só pra fechar, reproduzo alguns comentários da reportajem da folha!!

***

Luciana Veronese
mas é cada absurdo... como se existissem aeromoças obesas, fala sério... somando a perda de peso possível pra cada uma das (normalmente) já magras aeromoças, vão conseguir economizar quanto em peso pro avião? Vinte quilos, chutando alto? Mas não é possível que o mundo esteja tão povoado de seres ignorantes... rs

chilli pepper
quase não existem inglesas magras...

Willy Shakes
ser magra/magro é sinal de boa saúde e equilíbrio. A obesidade ou sobrepeso é antinatural.

Bruno S disse...

Mas jogos vorazes merece uma crítica, Lola?

Eu escolhi passar direto só pela sinopse.

Anônimo disse...

mto irônico ver esse cara chamando alguem de attention whore.... esse aí só falta sair pelado com um ventilador na cabeça e com a bunda pintada de vermelho gritando que é um helicóptero...... misógino até p último fio de cabelo mesmo......

e sobre a myriam rios... fala sério! só prq vc tem um blog perde o direito de falar com quem quiser????? se vc ainda tivesse manifestado apoio a essa mulher, até justificaria a indignação..... pessoal perde a noção mesmo

Isabel SFF disse...

essa música dos beatles é sensacional, uma das minhas favoritas disparadas.

Sobre esse assunto... Ai, não simpatizo com nenhuma das pessoas envolvidas, então prefiro falar dos Beatles mesmo.

Lola, tem previsão de voltar ao RJ? Queria muito ter ido te ver no IFCS, mas o horário, infelizmente, era péssimo. Beijo

LisAnaHD disse...

xapralá, LoLa, o que importa que o cara te odeie se o teu homem te ama taaaanto? é louco por ti!

essa impulsividade em tuitar tá dando pano pra manga pro lado do Spike Lee desde a semana passada... é que houve um crime nos EUA e Spike Lee tomando o lado mais fraco --e querendo fazer justiça com a mão alheia, tuitou um endereço achando que fosse o endereço do adulto hispano que matou o adolescente negro MAS é o endereço de um casal branco idoso e vc pode imaginar o que é isso em meio ao que já rolava agora agravado pelo abestalhamento do Spike Lee, outro que sabe dirigir e escrever somente filmes de ódio, atrás de uma cortina de como se ele fosse o salvador dos injustiçados... nunca apreciei as entrevistas dele e, menos ainda, filmes.... agora então nem se fala. Bem, o tal casal precisou sair da própria casa, hospedar-se num hotel e como é gente de não muito recurso já viu! Spike Lee vai dançar na grana que tiver de desembolsar.

bem, vou ouvir de novo a música, lendo the lyrics que peguei na net. obrigada por alegrar a gente.

LisAnaHD disse...

letra da linda música
http://www.youtube.com/watch?v=x0Stk9_qfxk

vídeo com a letra que eu colei abaixo

I read the news today oh boy
About a lucky man who made the GRADE
And though the news was rather sad
Well I just had to laugh
I saw the photograph
He blew his mind out in a car
He didn't notice that the lights had changed
A crowd of people stood and stared
They'd seen his face before
Nobody was really sure
If he was from the House of Lords.

I saw a film today oh boy
The English Army had just won the war
A crowd of people turned away
but I just had to look
Having read the book
I'd love to turn you on

Woke up, fell out of bed,
Dragged a comb across my head
Found my way downstairs and drank a cup,
And looking up I noticed I was late.
Found my coat and grabbed my hat
Made the bus in seconds flat
Found my way upstairs and had a smoke,
and Somebody spoke and I went into a dream

I read the news today oh boy
Four thousand holes in Blackburn, Lancashire
And though the holes were rather small
They had to count them all
Now they know how many holes it takes to fill the Albert Hall.
I'd love to turn you on

Anônimo disse...

bruno, é o novo hit adolescente do momento. e tem personagens femininas fortes. se comparado a crepusculo, ele é bem melhor (dizem, eu ainda n vi). mas tb ja li gente comparando à saga harry potter, oq é absurdo. harry potter é único <3

Isabel SFF disse...

aliás, é por isso que eu não uso twitter. aquilo só serve mesmo como palco para briga de egos

Anônimo disse...

o gay misógino é professor ou professador? professor com tal comportamento? é professador de misoginia. pronto. falei.
Ponto G.

Letícia Rodrigues disse...

Lisana, Spike Lee faz filmes de ódio? Spike Lee faz filmes que denunciam o ódio! Dizer que Spike Lee faz filmes de ódio é o mesmo que dizer que racista é quem protesta contra o racismo, sexista é quem protesta contra o sexismo, preconceituoso é quem protesta contra o preconceito!

Anônimo disse...

Nossa, Lola, sem citar nomes, porque quero evitar mais haters na minha vida, me identifiquei totalmente com o que você passa. De todo lado vem bombardeio. E com muito ódio! Tanto, que impressiona. Lembra quando falamos sobre seguidores da filha do justus, enquanto gritam por tolerância, no twitter? Pois.

Deborah - @achatasoueu (não tenho blog)

Anônimo disse...

nunca entendi prq a a letícia ficou tão amiga dele. gosto muito dela e a acho uma pessoa sensacional. já esse cara se aproxima de qualquer @ famosinha com muitos seguidores...

Oceana disse...

O EL Capeto se chama Francisco Aragão. O fato dele ser gay, acho relevante ser colocado aqui, porque ele milita pela causa LGBT de forma totalmente equivocada, destilando ódio pra todo lado.

Diria que ele presta um desserviço à nossa causa, pois está agariando inimigos e fazendo com que muita gente que antes era simpática à causa, esteja agora com ódio dos gays! Posso dizer isso de cátedra, acompanho tudo no twitter, no FB. Vejo o quanto ele ofende todo mundo que divirja dele, basta uma palavrinha mal colocada, e é um BUM, uma explosão de xingamentos. Inclusive, misógino, preconceituoso, acusando todo mundo de homofobia, de xenofobia, de tudo quanto é fobia.

Uma pessoa desequilibrada, sem limite algum!! Isso só piora a situação dos LGBTTs no Brasil, que já não está fácil. Todos nós acabamos sendo vistos como pessoas assim, que não têm pejo, não têm respeito, nem nenhum sentimento, a não ser ódio e muito ódio. Ele é virulento!

Não só o chico capeta, El capeto, ou Francisco Aragão, mas alguns que seguem a cartilha dele.

Saiam da frente dele, porque não vale a pena nem tentar dialogar.

Infelizmente, nós, homossexuais, acabamos sendo generalizados, já que ele se coloca como porta-voz, juntamente com o Deputado Jean Wyllys. Muito ruim para o Jean estar associado a essa figura.

Muito ruim para todos nós, que precisamos de apoio para nossa causa, quase perdida, neste País onde o Governo dá os braços com os fundamentalistas!

Anônimo disse...

acho que o contato da leticia com esse sujeito foi a bruxaod do objetivando disponibilizar (outra pessoa legal q se dá com ele, sabe-se lá o pq)

Anônimo disse...

alias, será q a leticia nunca viu ele falando dos gordos? ele fala coisas HORROROSAS sobre pessoas gordas, chega a dar nojo de ler.

Anônimo disse...

bem lembrado, a niara eu seguia e tive que dar unfollow por causa dessa amizade dela com o chicapet...

Oceana disse...

Perdão, errei e deletei o post acima.

Vou repetir sem o erro.

Anônimo, verdade. A bruxaOD é uma que me surpreende manter essa relação com ele. Não só. Há outras "feministas" no twitter que são amigas dele. Não dizem um "A" quando ele destila toda a misoginia, chama Dilma de VACA, PORCA, PUTA. E não só a Dilma que ele xinga. Qualquer mulher que for contra alguma ideiazinha dele, é assim.

Um dia, a pessoa é amiga, noutro, se falar algo que ele não goste, pode contar que ele não pensará duas vezes em xingar as próprias amigas feministas de hoje. É assim que funciona. Acho mesmo que algumas mulheres que o seguem e veem a misoginia dele, têm até medo dele, por isso não dizem nada, continuam seguindo. Sabe, algo assim como mulher de malandro. Triste..

Estranho demais essa "tolerância" e até amizade. Nideoliveira é outra que é feminista, mas tem amizade com ele, não fala nada quando vê ele xingando mulher dessa forma.

Acho que é porque algumas pessoas são da oposição, então, não ligam se ele está sendo misógino, virulento, preconceituoso, o que importa é fazer oposição. Sei lá, vai entender a cabeça das pessoas.

Ou têm medo dele, como já disse acima. Inexplicável a conivência com esse cara e outros do naipe, de algumas mulheres inteligentes e comprometidas com o feminismo (serão mesmo comprometidas?) Que relação esquisita..

Oceana disse...

Sim, uma vez houve um desentendimento entre ele um blogueiro, no twitter, que é gordo.

Ele atacou o cara muito, xingou horrores de GORDO, BALEIA, e essas delicadezas todas de uma pessoa que destila preconceito por todos os poros. E não esconde, e não respeita ninguém, é um rolo compressor.

Se vir algum "defeito" que ele possa usar para ofensa pessoal e não "no campo das ideias", ofensas AD HOMINEM, é o que ele faz! O que mais faz. Já xingou uma tal de mcrispimentinha também, uma senhora que o seguia, mas tiveram um problema, ela é "plus size", ele usou isso o tempo todo pra desqualificá-la. Até humilhar total. E um Sergio Telles, acho, que também parece que é gordinho, ele mandou ver nas ofensas .. Ele pega aparência e qualquer característica pra acabar com a pessoa. Fez isso com gordos e GORDAS!

Quem o segue que aguarde. É só não concordar com ele que ele encontrará uma coisa "pessoal", um "defeito" da pessoa, pra acabar com ela BERRRANDO no twitter, porque ele usa muito caps lock. Agressivíssimo!!

E quer que haja tolerância com ele.. Surpreendente, no mínimo.
Um verdadeiro horror!

Anônimo disse...

mas concordo com oq alguem aí falou: quanto menos a lola bater boca no twitter com essa pessoa e cia., melhor pra ela. o alucinado passou um tempão fazendo escândalo, tem uns 20 tweets dele a respeito. se a lola tivesse ficado batendo boca, ia dar o palco que ele precisa.

outra coisa: assim que me descobri feminista, ele foi um dos primeiros ativistas lgbt que eu vi (antes eu só conhecia feministas que falavam do assunto e elas começaram a dar RT nele). imagina a péssima impressão que ficou? confesso que ganhei uma antipatia pela causa por causa dele, que só foi se dissipar depois. é um perigo confundir uma causa justa com a um militante desequilibrado.

LisAnaHD disse...

Letícia Rodrigues disse...
Lisana, Spike Lee faz filmes de ódio? Spike Lee faz filmes que denunciam o ódio! Dizer que Spike Lee faz filmes de ódio é o mesmo que dizer que racista é quem protesta contra o racismo, sexista é quem protesta contra o sexismo, preconceituoso é quem protesta contra o preconceito! 6 de abril de 2012 00:03

>>> é assim mesmo como vc diz que muita gente o vê, mas não é meu caso, Letícia. não gosto do Spike Lee. Há várias maneiras de denunciarmos as injustiças e Spike Lee escolhe a que lhe permite manipular as massas insitando-as à vingança... veja vc o que ele acaba de causar a um casal idoso, lá na Flórida... a polícia está cuidando do caso, metade do país está apoiando a família do adolescente negro friamente assassinado e o que Spike Lee tinha de se intrometer como o fez? E pra piorar causou um equívoco com séria repercussão nada boa pro próprio SL.

Anônimo disse...

El Capeto será apagado qdo deixarem de tomar conhecimento dele pois bixaloka fica desvastada qdo se sente ignorada; toda e qq atenção mesmo negativa alimenta a pluma da bixaloka.
K.P. Tao

LisAnaHD disse...

Jú disse... 5 de abril de 2012 18:45

>>> a moça americana poderá ir para o Brasil com sua amada e lá dar aulas de inglês em boas escolas de São Paulo e continuarem vivendo felizes, porém no Brasil.

Anônimo disse...

foi-se o engenheiro, substituiu-o o professor

LisAnaHD disse...

Só se vence a barbárie com civilidade.
http://letrodrigues.blogspot.com/

LisAnaHD disse...

o caos que Spike Lee criou há uma semana (ou algo assim) poderá ser lido aqui
http://www.latimes.com/news/nation/nationnow/la-na-nn-trayvon-martin-lee-settlement-20120329,0,7063902.story

LisAnaHD disse...

http://www.usatoday.com/news/nation/story/2012-03-28/spike-lee-reckless-tweeting-trayvon/53841132/1

é outro link sobre a comoção criada por Spike Lee e outras celebridades que tuitam compulsivamente

Spike Lee tinha nada nada que se se intrometer e o fez causando um sério problema para pessoas inocentes... mas Spike Lee é mesmo dado a violência em nome da justiça...

LisAnaHD disse...

The 55-year-old [Spike] Lee recently tweeted what he thought was the address of the shooter, George Zimmerman, inviting his quarter-million followers to "feel free to reach out and touch him." The address was incorrect -- a couple in their 70's lives there instead.
http://www.syracuse.com/news/index.ssf/2012/03/spike_lee_george_zimmerman_address_twitter_trayvon_martin.html

Anônimo disse...

Por q o espanto de um gay do sexo masculino ser misógino? Claro q é triste q uma pessoa q seja vítima de preconceito, tb seja preconceituosa com relação a outros grupos. Mostra q ele não aprendeu nada na vida, não evoluiu, pq sofrer perseguição deveria servir pelo menos pra aprender um princípio básico: não faça aos outros o q não gosta q façam com vc. Mas se existem até mulheres misóginas, o q é ainda pior, p q não existiriam gays masculinos misóginos?

Anônimo disse...

Alguem consegue me explicar por favor pq uma cia aerea resolveu "incentivar" ( leia-se: ou faz o q mandamos ou vai pra rua) suas comissárias a emagrecerem para economizar combustivel? To besta. O q uma coisa tem a ver com outra?
"A companhia de baixo custo europeia Ryanair tomou medidas radicais para tentar reduzir o gasto com combustível. A empresa vai diminuir o tamanho das revistas de bordo, reduzir o uso de gelo nas bebidas e passou a incentivar as comissárias a perder peso."
Querem coloca-las num calendario. Ou seja, a proxima promoção de vendas será: compre nossas passagens e vejam nossas aeromoças peladas. É isso? Como se a profissão delas já não fosse estigmatizada o bastante...

Anônimo disse...

Ryanair é uma cia irlandesa que não oferece voo para o Brasil, portanto acalme-se e deixe que as mulheres a serem afetadas pelo novo regulamento da cia cuidem de seus interesses. É Europa. Não é a Terra Brasilis onde se chia muito e tudo acaba em pizza.

Anônimo disse...

voda-se gay encrenqueiro que faz arruaça com gente de bem /// VODA-SE seu K.P.Tinha duma figa /// o comentário sobre câncer pegou mal de todos os lados e isso já é mais do que demais

Sara disse...

Nada a ver com esse post mas achei isso muito interessante pra nós mulheres

http://mortas.wordpress.com/2012/04/05/louise-brooks-a-mulher-que-os-homens-nao-conseguiram-derrotar/#comment-755

disse...

LisAnaHD disse... 6 DE ABRIL DE 2012 01:43

Você não acha que "resolveu" (de uma forma bem mal resolvida) só o problema das duas especificamente? E todos os outros casais que são separados? E pelo visto ficar no Brasil não é uma saída nem pra elas... A brasileira (que eu conheço) já não vive aqui há um bom tempo!

A melhor solução nunca é fugir do problema e sim enfrentar ele e tentar mudar a situação. Que é o que as duas estão tentando fazer...

Nas palavras da Bia: "o blog nao eh soh sobre a gente/nossa relacao, mas eh sobre os direitos dos gays que tem de casar em alguns estados mas que nao podem ficar nos estados unidos porque o governo federal nao reconhece o matrimonio homoafetivo."

Patrick disse...

A RyanAir é uma empresa que opera no conceito "low-cost" (baixo custo) e por isso não gasta com propaganda. Por não gastar em publicidade, de tempos em tempos solta comunicados à imprensa com ideias absurdas (eliminar co-pilot@, transportar passageiros em pé, cobrar mais caro de gord@s, diminuir a quantidade de combustível nos tanques das aeronaves). São trolagens puras e infelizmente funcionam, eis que estamos aqui no blogue da Lola falando sobre essa companhia. Ao menos enquanto a União Europeia não tomar vergonha na cara e meter um processo na fuça deles.

Anônimo disse...

Sobre esse caso das aeromoças do RyanAir. É nessas horas que tenho mais a confirmação de que a luta feminista tem que passar pela crítica ao capitalismo. Mesmo que lutemos contra o patriarcado, se o capitalismo se vê em crise, ele usará as táticas do machismo, preconceito e segregação para gerar lucro! E bye-bye algumas conquistas(perdão fugir do post também)

Anônimo disse...

Misógino E LESBOFÓBICO, é bom lembrar!

Anônimo disse...

Se engana,e MUITO,quem acha que é coisa rara, gay machista/misógeno,até pq,antes de tudo,são homens,o que mais vejo é gays que só usam palavras como "vadia,puta etc" pra se referir a qualquer mulher,fora as palavras próprias do vocabulário gay,taí o "racha"(que é designar a mulher pelo formato do seu orgão sexual)que não me deixa mentir,equiparo esses coitados as mulheres machistas,fazem isso pra ganhar a atenção dos homens,pra serem aceitos no clube do bolinha "ei ollha pra mim,sou igual a vcs,odeio essas piranhas,vcs são os melhores" sinto um misto de pena/nojo desses tipos.O próprio movimento gay é extramamente focado nos gays masculinos,não é à toa que existe uma parada lésbica,antes da parada de domingo em SP,não é à toa que eles mudaram a posição das siglas,colocado o L na frente,numa tenttiva de dar visibilidade às mulheres no movimento,não é à toa,o fato de existem lésbicas que renunciraram a militância LGBT,pra se concentrarem nas questõs do movimento feminista.



Cética

Anônimo disse...

Cética, ninguém aqui disse que é RARO gay ser misógino. Apenas que causa uma estranheza, já que é uma contradição ele ser gay (e militante!) e acabar reproduzindo o discurso machista, que ele mesmo sofre com.Sobre o mundo dos gays, talvez vc possa estar certa de que existem mais machistas (no caso, direcionado as mulheres) do que a gente pensa. Já ouvi bastante gente dizer isso, não sei qual é a veracidade.

Anônimo disse...

Triste isso de gay ativista ser machista. Pelo que sei, aí sim é muito raro (eu não conheço) ter feminista que seja homofóbica. sinal que a o feminismo, neste quesito, caminha certo não? ;)

Yuri disse...

Gente, eu não sei como isso causa estranheza.
Em parte dos homossexuais há um ranço misógino.
O feminismo da segunda onda ainda tem transfobia.
Ser oprimido não faz de ninguém uma pessoa mais compreensiva, mais empática e mais humanista. Um oprimido é só isso: alguém que sofre opressão. Não é automaticamente uma pessoa legal. Ser oprimido não faz de ninguém moralmente superior. Não deveria ser "status".
Quem está um degrau abaixo na escala social tem chances de oprimir que está dois degraus abaixo.
"Um oprimido deveria entender outro oprimido".
É sério isso? Em que mundo cor de rosa vocês vivem?
Relações humanas são relações de poder. A melhor alternativa não é eliminar as relações de poder (factualmente impossível), mas sim emponderar as pessoas para que elas se posicionem.
Só porque alguém é oprimido não quer dizer que ele não seja um filho da puta covarde. Tá na hora de reconhecer isso, compreender as gradações de cinza das relações humanas e parar de ver o mundo de forma maniqueísta como se fosse um filme de sessão da tarde com oprimidos vs. opressores.

Anônimo disse...

Yuri, mas nem sempre a visão oprimidos X opressores tem que ser maniqueísta. Não compartilho a relação de “poder” como algo factualmente impossível de ser eliminada. No meu ver, não há essência humana para esta tendência, há desigualdades possíveis de serem eliminadas sim. Em determinadas circunstâncias, se não dermos nomes aos bois caímos em um relativismo cego, e dar nome as coisas é também se empoderar enquanto o mundo ainda precisa destas disputas. Ninguem acha que o oprimido é obrigado a reconhecer sua semelhança com outra causa. Mas ao denunciarmos a semelhanças enquanto oprimidos, temos a possibibidade de chamar estas pessoas para algo que nos é comum, que as vezes passa despercebido para estas. Para não ficarmos segregados em pequenos grupinhos. É uma forma de ativismo tb, onde falamos “oi, vc aí, não se liga que temos causas em comum?”. Nada a ver com cor de rosa, mas utopia é preciso, e o caminho político do feminismo, não elitista e não academicista precisa destas utopias e conversar com todos para acabar com certas opressões.

Yuri disse...

Anônimo,
A meu ver a essência humana não entra na história. Certamente o relativismo absoluto e cego é nocivo e apenas reitera o status quo.
Mas discordo desse caminho da utopia. Ele é transcendente. Eu acredito no caminho político da imanência. Do aqui e agora. Do "o que eu posso fazer com o que eu tenho aqui?". A idéia de utopia gerou separatismo, transfobia e propostas absurdas (entre outras coisas) no feminismo da segunda onda, embora seja óbvio que era um passo teórico e político necessário a ser dado.
Dar nome aos bois para agregar causas é importante, assim como é importante reconhecer a interssecionalidade da opressão e relativizar o nome dos bois quando a teoria não encaixa na prática, como é o caso descrito por esse post da Lola.
Essa surpresa de um homossexual ser misógino parece vir de um paradigma que enxerga que oprimidos são incapazes de oprimir.
E isso definitivamente é maniqueísta.

sex pistol disse...

Yuri,
Comentário simplesmente matador.Foi no cerne da questão.Abraço

Laurinha (Mulher modernex) disse...

No fim das contas acho que a gente aprende a separar as opiniões que interessam das que não interessam.
A pessoa que te provoca de certa forma só quer sua atenção e se a gente perde o tempo de responder a pessoa conseguiu o que queria, então em vários casos é melhor ignorar mesmo.
Você pode discordar da Mirian Rios em tudo, mas entendi que naquele momento ela estava passando pela mesma situação que você e você só quis ajudar. Se ela não entendeu isso, a ignorância e o azar foram dela, mas enfim, não se pode mesmo esperar muito de certas pessoas...
Quanto a esse rapaz gay que é misógino, infelizmente tem gente mal intencionada que quer se aproveitar de certas bandeiras pra destilar ódio e preconceito contra outros grupos.
Já vimos isso esse ano quando aquele rapaz do BBB foi acusado de estupro e apareceram vários idiotas levantando a bandeira do racismo, que ele só estava passando por aquilo porque era negro.

Dri Caldeira disse...

A relevância da informação q a Lola passou à respeito da opção sexual do beócio do el capeto é grande, pois eu não consigo aceitar uma pessoa q sofreu perseguições perseguir à outras, simplesmente pq tomam posições diferentes sobre o mesmo assunto. E cada vez mais eu me choco com o povo que vem comentar os posts da Lola: se eu disparo ofensas, palavrões pra qq um, como diz uma das beócias, as minhas "caldeiradas", logo vem aquele bando de fiscal do comentário alheio, dizer como sou grossa, mal educada e dizer q não entendem tb a Lola me dar "carta branca" pra ofender quem eu bem entender. Tem sim de ser pontuado o fato desse v***o do c*****o ser gay, pra todas as intelectualóides que postam suas bobagens aqui entenderem que não é o fato da cultura adquirida ou da bandeira que a pessoa defende, tem gente agressiva, mal educada e inconveniente no mundo. Não é por ser minoria ou perseguido que faz da pessoa coitadinho e merecedor de "proteção" por parte da sociedade! Tb não se pode generalizar que TODO GAY É COMO ELE! Quando eu desejei profundamente q o Marcelo e o Emerson fossem currados por um negro homossexual na prisão, fui taxada de homofóbica e racista e de que eu usava a desculpa de namorar um negro pra poder usar essas desculpas...
É, tem razão, assim como os hater vivem pra odiar, as vaidosas vivem pra mostrarem como são superiores ao resto de nós, pobres mortais, que falamos palavrão, q falamos o q pensamos, q discutimos qdo. vemos coisas erradas, que somos caluniados qdo. defendemos um ponto de vista e quando somos, PASMEM, nós mesmo. Sejamos como elas, vamos fingir, vamos engolir tudo aquilo q pensamos e não queremos colocar pra fora, para não sermos chamadas de racistas e preconceituosas. Essas sim, coadunam com a linha de pensamento da Myriam Rios.

Anônimo disse...

Yuri, entendo sua posição. Da essência humana não entrar na história era isso que queria dizer. Por isso da relação de poder não ser algo imanente ao ser (mas isso é outra discussão). Sobre a utopia, acredito nela não como algo transcendente, mas como algo que se busca, mas baseado na realidade política, sabe, do lugar que não existe “ainda” e pode vir a existir (aqui, mais no sentido prático mesmo, nada mais que isso) ?
Sobre o que vc disse: “
“Dar nome aos bois para agregar causas é importante, assim como é importante reconhecer a interssecionalidade da opressão e relativizar o nome dos bois quando a teoria não encaixa na prática, como é o caso descrito por esse post da Lola.”

Concordo em parte, se dar o nome aos bois estiver dando nome errado, realmente a prática se tornará ineficaz. Só que não sei se este foi o caso deste post.
Como vc mesma disse:
“Eu acredito no caminho político da imanência. Do aqui e agora. Do "o que eu posso fazer com o que eu tenho aqui?”

Será que não é isso que a Lola fez? Ao dar o nome aos bois (dizer que o cara teve um discurso tomado do referencial machista misógino)? E denunciar isso, colocando que mesmo sabendo (ninguém nunca disse que não sabia que existe gay-misógino gente!) que existem tais gays, mostrar que podemos nos unir para causas comuns. Isto não pode ser uma prática política do “o que eu posso fazer com o que eu tenho aqui?”.(ela não estava teorizando sbre as diferenças entre causa gay e feminismo) E sobre a interseccionalidade, não foi exatamente isso que ela fez? Não entendi como que a teoria não coube na prática aqui (?). Dependendo do momento, ao meu ver, destca-se a interseccionaidade, ou destaca-se outro aspecto que se quer denunciar para cada disputa política, não é isso?

Não sei, eu vi assim. Vejo o blog da Lola, como prática política de agregar pessoas (por isso, longe de elitista ou de um feminismo academicista) muito eficaz. Como ela parte deste princípio (no meu ver), os erros de percurso e só ir acertando no caminho.

Ah, e que eu saiba, aqui inguém vê que os orpimidos é incapaz de oprimir.

Abraços!!

yulia2 disse...

esse cara é um completo débil mental.
e com cara assim, melhor nem perder tempo... o negócio é bloquear e igorar.
A lgbt como um grande movimento está sujeito a tudo, inclusive a ter débeis feito esse cara... paciencia.

yulia2 disse...

corrigindo...ignorar

yulia2 disse...

Clodovil foi o maior gay machista que já tivemos por essas bandas.
realmente é difícil de entender, um cara que apoia o machismo que em ultima instancia, repele gays com veemencia.
E pasmem, existe também lésbicas machistas.
A que se deve isso? a necessidade de ser aceito é tanta que o cara topa fazer média com uma cultura que o despreza pra ficar bem com a turminha? vai entender....

sex pistol disse...

Dri Caldeira,
concordo contigo e digo que existem muitas panelas nos comentários desse blog,há uma turminha que age que nem um script e fica posando de filósofo e grande pensador, mas não agrega nada a discussão, pois fica falando mais do mesmo.Como digo, são essas mesmas pessoas que ficam em cima do muro, para ficar bem na fita.E a audácia, o atrevimento que formam uma discussão autêntica se perdem.E acaba virando hipocrisia.

Anônimo disse...

Ora se essa RyanAir faz um serviço ruim ninguém precisa processar ela, ela vai falir mais cedo ou mais tarde.
E se não falir é porque o serviço não é tão ruim assim, afinal tem gente que acha que vale a pena pagar por aquilo.Se vc acha que a opinião deles vale menos que a sua, isso se chama arrogância.

LisAnaHD disse...

Os maiores opressores que o mundo já teve foram pessoas antes oprimidas. Hitler é um exemplo às claras para todos.

E muito legal a quem conseguiu o link das pesoas naturalizadoa brasileiras e agora é acrescentar a LoLa na lista tb.

Anônimo disse...

Mas se a questão for publicidade enganosa aí ta certo, tem que processar mesmo.

sex pistol disse...

Prefiro chocolate 70% com café expresso.

Anônimo disse...

'Os maiores opressores que o mundo já teve foram pessoas antes oprimidas.'

Ow hermana, cuba é um paraíso, fala isso não!

Anônimo disse...

Sex pistols, nem sei para quem vc fala isso, se tem algo em epecifico, mas minha opinião sobre..
Para mim não importa se parece srcipt ou segue cartilha (ao seu ver), importa é enxergar as coisas, neste caso de que o cara foi misógino (quem criticou a Lola aqui, falou tanto e se esqueceu disso). Não importa ser autêntico e não seguir cartilha se se conclui merda, e claro que seguir cartilha também não significa acertar. Por isso, para mim, vc dizer cartilha não significa muita coisa. Cartilha para quem? Muitos movimentos sociais são acusados disso (principalmente pelo status quo). Pelo que sei há uma enorme complexidade nos movimentos que só acha cartilha quem está de fora. Se for p escolher, prefiro muito mais ter algumas cartilhas (como vcs dizem) , mas que combatam o machismo.

Anônimo disse...

'The 55-year-old [Spike] Lee recently tweeted what he thought was the address of the shooter, George Zimmerman, inviting his quarter-million followers to "feel free to reach out and touch him." The address was incorrect -- a couple in their 70's lives there instead.
http://www.syracuse.com/news/index.ssf/2012/03/spike_lee_george_zimmerman_address_twitter_trayvon_martin.html'

Isso não é opressão, é falta de noção.Ih rimou haha

sex pistol disse...

Não me referi a você, até porque você é anônimo, não tem nem um nick.Falei de forma geral, sobre umas coisas que rolam por aí.
Meu ponto de vista é que não se combate facismo com mais facismo, entende? vamos parar com esse maniqueísmo de classificar estereótipos de opressor vs oprimido e vamos lutar contra o status quo e seus dogmas, que colocam uns contra os outros para abafar as lutas sociais e perpetuar seu controle e seus ditames.

Anônimo disse...

' vamos lutar contra o status quo e seus dogmas, que colocam uns contra os outros para abafar as lutas sociais e perpetuar seu controle e seus ditames.'

Pois é, vamos lutar pra tu e a tua companheirada chegar no poder e mandar em todo mundo, aí todo mundo vai finalmente ser feliz!!

Anônimo disse...

Ok, entendi sex pistols.
Só que este papo de cartilha x autenticidade, e opressor x oprimido como sinônimo de maniqueísmo é perigoso sabe. Repara que quase sempre este discurso é usado para quem quer manter o status quo, pois se não dermos nome aos bois como falei, onde, como, quem devemos combater fica disperso, e por fim, não combatemos nada, já que não existem mais quem oprime. Este tipo de discurso é justamente usado para quem não quer que os movimentos sociais tenham voz. Cartilha idem, geralmente quem diz isso é para combater quem luta desqualificando como cartilha (geralmente nem falam do por que cartilha ser ruim..) como se o status quo não tivesse uma, entende? Combater dogmatismo eu entendo, mas não vejo mesmo isso aqui. Vejo boas intenções e pluralidade mesmo dentro do que alguns dizem como cartilha.

Abraço

Bia disse...

Idem acima!

Agora nem ligo mais, porque passei um bom tempo sendo xingada por eles, então não vale a pena perder tempo.

Anônimo disse...

Exatamente como esse zé ruela fez...kkkkkkkk..Fomos martelados anos e anos e anos e anos (veja, globo, escola, jornal) que comunismo (e hj qq movimento contra o status quo) é cartilha, “menos” o capitalismo-patriarcado-racista...hahahahhahha...

Anônimo disse...

tenho saudade do militarismo no brasil quando vejo a baixaria que rola nas novelas da globo e sua programação geral, pra cumeço de conversa...

e o comunismso cuidaria disso rapidinho.
Figueiredo Castro

sex pistol disse...

Leia direito os comentários porra! em vez de falar coisas fora de contexto e não analisar direito .Nunca ouviu falar de cartilha, no sentido de roteiro, idéia pronta? e que país, amigo, tô falando de pessoas e julgamentos equivocados! Cacete!

Anônimo disse...

cartilha é coisa de comunismo? que novidade, hein?!!! foi preciso um zé ruela alertar a gente tão 'divagar' é a mente que rola por aqui.
Zé Ninguém

Anônimo disse...

sexpistol,tá na hora de tu ir lá tomar uns daqueles seus drinks prediletos
Ah ahah Ah

Anônimo disse...

cartilha ou idéia pronta isso é coisa de comunismo e de militarismo.
caminho suave

Anônimo disse...

SEx pistols, claro que sei que cartiha tb significa “roteiro pronto”, mas nem tudo o que as pessoas criticam como “cartilha” na verdade são roteiros prontos. Vc nunca ouviu falar de quanto a esquerda é acusada de cartilha, como se a direita não tivesse, e aqui, cartilha como ideologia? Digo isso por que sempre há essa colocação de cartilha- ruim, entende? SE vc acha que parte de pessoas aqui seguem cartilha (no sentido ruim) seria melhor mostrar em qual sentido, e onde isso é ruim. Ficaria mais claro. Se vc ver cartilha como “ideologia” eu não acho ruim. Não existe “uma” cartilha (no sentido de roteiro pronto) do feminismo para mim , então, se vc diz que tem este roteiro pronto, seria interessante mostrar qual é esse roteiro, e por quê ele é ruim. Talvez podemos pensar se reproduzimos este roteiro pronto sem perceber, e analisar se este roteiro pronto é ou não ruim.

sex pistol disse...

Anônimo 16:50,
Uma das idéias pré- concebidas de que gay não pode ser misógino, mulher não pode ser machista e negro não pode ser homofóbico, entende?
O cara ser de uma minoria e a ele ser validado o direito de falar qualquer coisa facista, afinal de contas ele tem "direito adquirido" e não pode ser questionado.Isso rola muito em algumas militâncias.

Anônimo disse...

Q U I Z
Você sabe quem é o capitalista mais rico em Cuba ?

Se você apostou nele... acertou !!

Patrimônio de U$110 Milhões

Fonte: Revista Forbes (confira você)

Kennedy perguntou ao Embaixador Brasileiro, Roberto Campos, em Washington:
http://www.anticomunismo.kit.net/
Hay que aprender siempre,
pero siempre siempre
mismo!

Anônimo disse...

não tem post hoje? então me contem o que vocês vão fazer no feriado.

Anônimo disse...

Ok sex pistols, mas juro mesmo que não vejo por aqui alguém dizendo que “gay não pode ser misógino, mulher não pode ser machista e negro não pode ser homofóbico, entende?, mas, sei lá, vc pode ter visto. Mas eu teria MUITO cuidado com a palavra “cartilha”, pois esta palavra é usada muito pela direita de maneira equivocada. Outra que mesmo neste caso que vc mencionou aqui do “gay não pode ser misógino”, isto não faz parte do pensamento feminista no geral, então mesmo neste caso não é uma cartilha, pois as feministas que conheço (conheço razoavelmente) nunca dizem isso. Então, mesmo no sentido de roteiro pronto e ruim não é verdade, a maioria das feministas tem noção da existência do gay-machista. Seria roteiro pronto se grande parte das feministas repetissem isso. Acho que rolou uma confusão aqui de algumas pessoas e a Lola dizer que gays “poderiam”, “seria legal”, é “estranho” (no sentido de contraditório) que alguns gays sejam misóginos, o que não significa em nada desconhecer esta realidade. Se perdermos a capacidade de não nos conformar que isto exista, a luta fica sem “utopia” rs, eu, apesar de em teoria saber o poder da ideologia patriarcado-burguesa, não me deixa de espantar que exista pobre de direita, mulher machista etc. Nós só ficamos indignadas com isso, só que aqui nesta caixa, rolou mais uma indignação com quem indigna com gay-misógino do que propriamente as palavras misóginas que este cara usou.

Anônimo disse...

Sex pistol, sou a anônima (de novo .;) que tá falando com vc (rsrs). Concordo com vc do direito adquirido não poder ser validado para xingar os outros . E o post da Lola é justamente isso tb. O cara ser gay não dá o direito dele xingar a mulher de vaca. O direito adquirido, para mim caberia no caso do oprimido ser o único a contar e narrar a historia de como é ser oprimido, pois eu, por exemplo como branca não posso dizer como é se sentir oprimida como negra, neste caso específico caberia o direito adquirido. Não vejo isso aqui (tirado algumas exceções) de a pessoa por ser oprimida ter o direit de ser preconceituosa tb. A Lola eu não vejo isso mesmo.

Rose disse...

Tanto preconceito gratuito, tanta misoginia e tantas fobias. Não sei, vendo o avatar dele e as palavras de ódio irracional, só me faz pensar que ele seja uma espécie de búfalo viril que não foi aceito na matrix rosa pink

Niemi Hyyrynen disse...

Pois é, a pessoa ser perseguida não lhe dá direito de implicar com terceiros, se a pessoa fizesse o que faz com quem a persegue, seria uma coisa. Descontar em quem não tem haver segundos critérios turvos, motivados por inseguranças pessoais é outra...

Mas a isso se dá o nome que quiser.

sex pistol disse...

Abraço anônima "de novo" das 17:40

:)

yulia2 disse...

O cara ser gay não dá o direito dele xingar a mulher de vaca.
____________

e nem desejar que uma pessoa morra de cancer vomitando sangue....

Anônimo disse...

olha, tem outra coisa: assim q descobri o feminismo, saí seguindo uma porrada de feministas. aí vi algumas fazendo piada de gordo. dá pra acreditar? tipo, se fosse piada racista o mundo ia cair de pau.

enfim, agora tenho mó cautela com quem eu sigo. confesso que a antipatia que a lola tem de algumas pessoas ajuda muito nessa hora, pq serve como filtro: se gosta da lola, eu sigo. se nao gosta, eu ja fico com o pé atrás, observando. e quase sempre a pessoa acaba falando alguma merda mais adiante.

pq eu posso até nao concordar com a historia do polanski ou de algumas outras coisas. mas no geral eu defendo quase tudo que a lola defende tambem. eu nao deixaria de ler o blog por causa dos pontos de discordancia, pq eles nao sao tao fortes. quando eu nao gosto de um post daqui, eu simplesmente nao leio. agora se a pessoa tem necessidade de passar dias falando mal da lola no twitter, é pq ela, sim, tem algum problema.

Anônimo disse...

Clodovil não aceitava a própria homossexualidade, qual é o pó?

Anônimo disse...

Niemi, (não sei nem se você vai ver, já tem outro post) quando você fala “a pessoa ser perseguida não lhe dá direito de implicar com terceiros, se a pessoa fizesse o que faz com quem a persegue, seria uma coisa”. Você acha que se for para rebater quem te perseguiu pode fazer o mesmo? Do tipo ser preconceituoso só para quem te perseguiu? Você acha isso Lola? Lembro que do debate gorda-magra que sempre surge estas questões.

Niemi Hyyrynen disse...

Anonimo

Não, eu não acho que quando vc sofre um preconceito isso lhe dá direito de ser preconceituoso tambem, (embora algumas pessoas nesse blog achem que sim).

O que eu falei foi com respeito a implicar, acho errado porém compreensivel vc implicar com alguem que te persegue, mas com terceiros? O que as outras pessoas tem haver?

Entende?

Rebater um preconceito com o outro não é nunca uma boa forma de lidar com as coisas, alias, lidar com qualquer situação com nossos preconceitos nunca será a melhor opção...

Anônimo disse...

Entendi Niemiiii .
Também acho igual a você
bj

Anônimo disse...

Tinha perguntado isso pra você isso Niemi, porque lembro de ter visto postura assim neste blog, e como você escreveu aquilo fiquei curiosa para saber se as pessoas aqui no geral pensam desta maneira.

Anônimo disse...

a unica pessoa q eu vejo fazendo isso é a dri caldeira. ela chama magras de "esqueleticas horrorosas". e usa "viado" como ofensa. eu acho isso incoerente, mas nao vou crucifica-la pq eu tb ja fui assim. a gente é tao agredida q começa a agredir pra nos defendermos. eu deixei de ser assim qd virei feminista, pq comecei a pensar nesses lances de empatia e tal. por isso mesmo acho incoerente o o chcapt atacar gordos. ele é agredido por ser gay, é ativista lgbt e até hoje acha ok agredir outras pessoas. é ridículo. e ele é EXTREMAMENTE agressivo, com pessoas q nao fazem nada contra ele. ele xinga gordos abstratamente (nao apenas desafetos gordos) oq torna a coisa pior ainda. sinal de imaturidade.

Anônimo disse...

obs: eu nao sou do clube que critica a dri caldeira. tem uma senhora (q costumava postar aqui mas foi banida, e continua postando em anonimo. o estilo de escrever nao me engana, eu sei q é ela) q ODEIA gordos, em todos os posts sobre obesidade ela era extremamente agressiva e preconceituosa. entao hoje em dia ela fica aqui criticando a dri caldeira, pq a dri sempre reage desse jeito dela)

lola aronovich disse...

Obrigada, anônimo das 7;42, e obrigada a tod@s que entenderam e explicaram que apontar que o cara é gay, no caso, é importante, porque ele é meio que militante gay, porque acho que minorias devem ser favoráveis às lutas de outras minorias (sinto muito, é o que acho – quer dizer, acho que todo mundo deveria ser favorável às lutas de grupos discriminados, mas espera-se que pessoas discriminadas tenham mais empatia com outras pessoas discriminadas – o que, eu sei, muitas vezes não acontece, mas nem por isso deixa de ser decepcionante), e porque eu realmente desconfio que, se o cara não fosse gay, mas escrevesse as mesmas barbaridades que escreve, ele não seria lido por gente bacana e ativista. Afinal, o cara parece ter todos os preconceitos do mundo (misoginia, gordofobia, transfobia, lesbofobia), tirando a homofobia e o racismo. E é como eu disse no post – EU não seguiria, nem tenho diálogo, com esse tipo de gente. E o fato do cara ser gay não lhe dá um passe livre pra ser um troll babaca e preconceituoso, na minha opinião. Mas longe de mim querer ditar quem as pessoas devem ou não seguir no Twitter. Inclusive porque deve haver gente que o segue justamente por ele ser um troll preconceituoso. Muita gente gosta de escândalo e barraco. Eu, pessoalmente, não gosto. E quem me segue esperando tretas provavelmente morre de tédio, porque elas só acontecem muito raramente.

lola aronovich disse...

LisAnaHD, o Spike Lee errou FEIO neste episódio (e deve ser responsabilizado, inclusive judicialmente), mas isso não quer dizer nem de longe que ele faça filmes de ódio. Ele é um diretor importantíssimo, provavelmente o maior e mais versátil diretor negro dos EUA, e tem grandes filmes no seu currículo, como "Faça a Coisa Certa" e o documentário sobre o Katrina. Não sou adepta disso de que a pessoa faz uma coisa errada, e isso basta pra gente jogar no lixo todas as coisas boas que a pessoa já fez ou ainda fará. E, num caso tão "racially charged" como este do Travyon Martin, pega muito mal opinar que um dos poucos diretores negros dos EUA faz filmes de ódio.


Dri, por favor, não repita isso que vc disse de querer que os sanctos presos sejam estuprados por negros na prisão. Procure entender que falar isso não faz bem, e vc não vai convencer muita gente que não está sendo preconceituosa se continuar dizendo algo assim. Tente aprender. Não há vergonha alguma em mudar nossas visões de mundo. Querer estupro como punição vai contra os direitos humanos e a ética. Usar "homossexual" como insulto é homofobia. Querer que um cara seja sodomizado para ser punido é homofobia. E dizer que quer que a punição venha de "negões" é super racista, e não faz a menor diferença se o seu namorado é negro ou não. O pensamento continua sendo racista. Saia da defensiva e reflita um pouco.

Anônimo disse...

Velho nada contra gays, mas que eles são folgados eles são!

xingando as feminazi boazinha que nem a Lola, mancada velho

Anônimo disse...

uma vida média de 50 anos, 80 a 100 dias são empregados pelos homens só no ato de fazer a barba. Ignora-se o que as mulheres fazem com esse tempo.Millôr Fernandes

eu sei, eu sei o que as mulheres fazem com esse tempo: põem e tiram mesa afff

LisAnaHD disse...

LoLa, como assim?
". . . pega muito mal opinar que um dos poucos diretores negros dos EUA faz filmes de ódio."

pega muito mal eu opiniar que não gosto do Spike Lee pq ela é uma dos poucos diretos negros dos EUA???!!! então não posso dizer que não gosto do Spike Lee pq pega muito mal dizer o contrário do que muita gente pensa??? por ele ser negro e botar tanta violência nos filmes dele e instigar o ódio e mais violência ainda???!!!

sim, LoLa, não gosto do Spike Lee e não me ocorreu que dizer isso no seu blog poderia soar-lhe que pega mal !!!! totally surprised... acho que terei que peneirar o que comento qdo eu for opiniar sobre minorias, é isso?

Mandy_di disse...

Entendo a Lola sobre dá enfase ao fato dele ser gay, mas comentando apenas pra lembrar que há preconceito dentro do próprio grupo LGBT.

No facebook vi uma discussão de gays, ditos masculinos, falando horrores dos gays femininos, usando até palavra de baixo calão... E olha que não é difícil de ver esse tipo de discussão. No mundo lésbico é mais raro de ver(falo por mim), geralmente se comenta de preferencia pra relacionamento, mas falar mal isoladamente é mais dificil, mas tem. Tem lesbica machista. Encontrar gays misóginos e gordofóbicos não é tão raro assim. Há um perfil que é comum o individuo possuir essas duas caracteristicas: aqueles gays metidos a fashinistas. Sei de vários assim.

Além dos clássicos: mulher machista, negro racista.
Acredito que em qualquer grupo tem esse tipo de situação. Dificilmente algo será igual a algo, então de uma certa forma, um será "superior" ou estará acima do outro e aí, dependendo, claro, do ponto de vista de cada...

LisAnaHD disse...

Anônimo disse... 6 de abril de 2012 20:57

e vc treve a oportunidade de dizer ao Millôr o que VOCÊ sabe? ou preferiu estrear sua sabedoria aqui mesmo?

lola aronovich disse...

Não, LisAnaHD, você pode falar mal do Spike Lee, mas sem falar que ele faz filmes de ódio. Porque filme de ódio é outra coisa. Filme de ódio pode ser o Nascimento de uma Nação, que apesar de ser um clássico indiscutível, glorifica a Ku Klux Klan. Dizer que um diretor negro (e não um diretor negro qualquer, mas provavelmente o maior dos EUA) faz filmes de ódio é meio que take sides, entende? AINDA MAIS no contexto que você usou, que é justamente o do assassinato do adolescente negro. Que Spike Lee cometeu um grande erro –- passou o endereço do suspeito, e ainda por cima, do suspeito errado -– não se discute. Mas condenar toda uma carreira interessante por causa desse erro não me parece sensato.

LisAnaHD disse...

LoLa, Spike Lee passou o endereço incitando a violência... junto do endereço seguiu a mensagem incitando a violência para que as pessoas fossem à tal casa e dessem conta de George Zimmerman. E eu não resumi minha opinião sobre Spike Lee por causa da tuitada, LoLa. Desde antes do ocorrido com Katrina eu já tinha minha opinião sobre Spike Lee.

Quem causou o maior problema pra a população qdo de Katrina foi o prefeito (negro) que não deu o aviso de evacuação e ele era muito bem contado na política, mas ele tinha uma rivalidade tremenda com a governadora (branca) de Louisiana... Enfim, LoLa, qdo a gente se doi por minorias muitas vezes cometemos grande equívoco pq nem sempre sabemos realmente o que aconteceu além do que a mídia e Hollywood querem que saibamos.

Tudo bem, respeito seu apreço pelo trabalho de Spike Lee, particularmente pq vc é crítica de cinema e além do mais gosto do seu espaço e não vai ser o nome Spike Lee que vai me abalar a ponto de me contraria com você. Me interessa muito mais você do que Spike Lee por mais piegas que isso possa soar... ;>)
Fa

LisAnaHD disse...

Jú disse... 6 de abril de 2012 09:18

É preciso conhecer as leis de um país e a moça americana não conhece as leis de seu próprio pais, pois se conhecesse não teria publicado o que publicou no blog dela... explico, inependentemente do casal ser homo ou hétero, OK?

Geralmente acontece assim: Americano vai pro exerior e se apaixona por uma mulher estrangeira ou americano conhece uma estudante estrangeira nos EUA e se apaixona e quer se casar... ou mulher americana se apaixona por um estudante estrangeiro nos EUA (foi assim com a mãe do Obama).

A lei funciona assim:
a pessoa estrangeira volta para o seu país, o cidadão americano envia uma carta à imigração americana fazendo petição para se casar com a moça... agora estão moivos. O cara tem de comprovar que tem emprego fixo e estável e ganha o suficiente para sustentar a amada. E aguarda. É esse o procedimento legal.

Há dois anos um engenheiro americano, colega de trabalho de meu marido, conheceu uma peruana pela net e se apaixonou e como não queria esperar segundo a lei, decidiu largar o emprego e mudar-se para o Peru, casar-se lá, viver lá. Depois de uns poucos meses, ainda apaixonado pela moça, mas não se adaptando ao Peru, o emprego não era o que ele pensou e ele voltou para os EUA e até retornou ao mesmo emprego. EQTO isso, deu entrava legalmente na papelada conforme te expliquei acima, aguardou uns meses, foi aprovado, casou-se com a gaja, hoje são pais de uma criança. É assim que funciona a lei. Se a moça peruana estivesse morando aqui legalmente com visa de estudante ou com visa para trabalho temporário, teria sido a mesma coisa. E por que tem de ser diferente com as duas moças gays se o casamento entre gays não é reconhecido a nível federal???

É de doer qdo minorias levantam criamproblemas para si e levantam bandeira tentando angariar a simpatia dos incautos. São tantos os problemas que esse país está enfrentando atualmente... tanta reivindicação justas, como por exemplo que o seguro de saúde pague a pílula anticoncepcional e lá vem algo que não cabe no atual contexto político!

Portanto, a americana poderá ir embora para o Brasil com a brasileira e imediatamente será contratada para dar aulas de inglês em escolas a escolher em SãoPaulo/Alphaville. Mas o bom mesmo é morar nos EUA, é isso?

LisAnaHD disse...

A escola é obrigatória por 9 anos, mas os cubanos passam muito mais do que isso estudando. Eles tiram notas bem mais altas em exames internacionais que os estudantes de outros países latino-americanos.
FONTES: OMS, Unesco.
http://super.abril.com.br/cotidiano/fidel-castro-deu-educacao-saude-ao-povo-cubano-620289.shtml

e pq o Brasil pode ter educação a tal nível???!!! ou pelo menos metade? me refiro à educação oferecida em escola pública e não à educação elitizada.

LisAnaHD disse...

e pq o Brasil NÃO pode ter educação a tal nível???!!!

Anônimo disse...

eu bem gostaria de ter ficado um ano a mais no colegio. talvez até dois. nao estava nem um pouco pronta pra escolher minha carreira na epoca. mas de nada adianta ficar mais tempo aprendendo as mesmas coisas. tinham que aumentar a grade, colocar sociologia, filosofia (na minha epoca nao tinha, acho q no ano seguinte q eu saí, virou obrigatorio por lei), pra que a gente tivesse a minima ideia do que sao as carreiras. se isso nao pudesse ser feito dentro do mesmo colegio, que ao menos fosse igual aos colleges americanos, alguns anos mais flexiveis, pelo oq me parece (todo meu conhecimento vem de series de tv haha)

Yuri disse...

Ao anônimo que estava me respondendo.
Na verdade estamos falando da mesma coisa. Achei muito interessante a Lola ter a coragem de dizer "não é por ser gay que eu vou passar a mão na cabeça". É isso que tem de ser feito.
Enfim, só para parabenizar a Lola por não compactuar com nenhum discurso opressor, mesmo que venha de alguém oprmiido (em termos).

Anônimo disse...

LisAnaHD disse...
Anônimo disse... 6 de abril de 2012 20:57

e vc treve a oportunidade de dizer ao Millôr o que VOCÊ sabe? ou preferiu estrear sua sabedoria aqui mesmo?

7 DE ABRIL DE 2012 02:55

ehehehehe ñ trive ñ. pôr e tirar mesa é o trabalho mais imbecil que as mulheres desempenham, coitadas. Outras gastam muito + tempo se depilando q os homens fazendo barba. oh injustiça. Viu como sou sabida? Né só ocê ñ, fia.

jonas_cg disse...

Oi Lola! Faz muito tempo que não comento no seu blog, mas prometo que vou voltar a fazê-lo (apesar de nunca ter sido muito frequente nos comentários).

Tô lembrado desse hater, eu o seguia também, até o dia em que ele te chamou de "attention whore" e trocou tweets com uma outra pessoa sobre você ter preconceito com pessoas magras...parei de seguir na hora.

Ele se diz um ativista gay, mas não perde a oportunidade de ser misógino. Contraditório não?

Abraços pra você!

Anônimo disse...

jonas, pior é que não é só ele que acha que a lola tem "preconceito com magros" pelo simples fato de ela lutar contra gordofobia. já vi várias pessoas dizendo isso, inclusive meninas (que se dizem feministas, não sei onde).

o pessoal só não inventa que ela tem preconceito com gente branca e de classe média pq a lola é branca de classe media. se a lola escrevesse as mesmas coisas que escreve, mas fosse magra, ninguém ia falar essas bobagens.

Anônimo disse...

'...lindo demais pra fazer qualquer papel que não seja de malvado.'

Olha como esse pessoal é bizarro.Pra eles se alguém é bonito tem que ser o vilão.Tem sentido isso? pfff

Carol disse...

Assisti o filme duas vezes e acho um ótimo livro para pré adolescentes e adolescentes em geral, quem sabe futuramente esses mesmos adolescentes não leiam um Admirável Mundo Novo ou 1984 e gostarem, então eu não entendo a critica em cima da história, adoro a personagem da Katniss, eu fiquei revoltada quando as pessoas falaram que ela "menos feminista" por se apaixonar, ah obvio porque feministas não gostam de homem nem de sexo, criticas ridículas e sem fundamento.

Carol disse...

E falando em futuro próximo, quem lembra daquele reality show "No Limite"? Era mais ou menos o que o Hunger Games promove, ver o sofrimento alheio de pessoas pobres por dinheiro, isso é "entretenimento" .Só mudaram um pouco e colocaram uma versão light que é o BBB.

LisAnaHD disse...

esperar algo inteligente da M. Rios é até maldade... ela continua medíocre como o era há 20 anos, agora evangélica e medíocre...

Anônimo disse...

Spike Lee é peixe pequeno, comparado com isso:
Panteras negras declaram guerra racial e derramamento de sangue:
http://www.therightscoop.com/new-black-panthers-call-for-race-war-and-blood-shed-to-kill-crackers-for-trayvon-on-april-9th/

Anônimo disse...

Olhem o que é que esse tipo de coisa acaba incentivando:
adolescente queimado vivo por ser 'garoto branco'
http://articles.nydailynews.com/2012-03-04/news/31122324_1_white-boy-fire-tv-station

Carol disse...

A Lola obviamente citou que ele é gay porque, teoricamente, alguém que pertence a um grupo oprimido deveria sentir mais empatia por outro grupo que sofre violencia. Se alguém acreditar que a Lola é homofóbica, sério, tem problemas relevantes de interpretação de texto, cnsiderando esse blog inteiro.