quinta-feira, 8 de março de 2012

DIA DE LUTA. NÃO SÓ HOJE

bell hooks (ela prefere que seu nome não tenha letras maiúsculas) começa seu livro O Feminismo é para Todos contando que costuma dizer que é escritora, teórica feminista, e crítica cultural. Quando ela diz que analisa os meios de comunicação, todo mundo acha legal. Mas quando chega na parte da “teórica feminista”, o pessoal vira a cara. E diz pra ela o que praticamente toda feminista já ouviu: que o feminismo é ruim, que as feministas odeiam os homens, que elas querem ir contra a natureza, que são lésbicas, que elas estão roubando empregos e tornando a vida difícil para os homens brancos. Se hooks pergunta de onde eles tiraram tanta informação sobre feminismo, eles não sabem especificar. Nunca leram nada sobre feminismo, nem ouviram palestras feministas. E é interessante como falam em feministas como “elas”, não “vocês”. Se hooks fala do feminismo que ela conhece, eles respondem que ela é diferente. E por isso que ela quis escrever esse livrinho simples e delicioso. Ela gosta de uma definição fácil: “Feminismo é um movimento para acabar com o sexismo, com a exploração sexista, e com a opressão”. Perceba que em nenhum lugar na definição consta que o feminismo odeia homens ou quer acabar com eles. Acabar com o sexismo é bem diferente de acabar com os homens.
hooks é uma feminista negra. E, como tal, ela sente na pele que muitas vezes as mulheres brancas de classe média têm muito mais em comum com homens brancos de classe média que com mulheres negras e pobres, por exemplo. Portanto, não é só o fato de sermos mulheres que nos une. Desde o início da sua luta, hooks notou que feministas negras, assim como muitas lésbicas brancas (e, pra quem acha que toda feminista é lésbica, saiba que, no final dos anos 60, as feministas hétero foram extremamente resistentes a aceitar feministas lésbicas no movimento -– e isso não é um elogio), tinham problemas com feministas brancas que diziam que o feminismo era apenas sobre conseguir igualdade com homens no sistema vigente. Era evidente pras feministas negras e as feministas lésbicas que elas nunca teriam igualdade dentro de um sistema de supremacia branca e patriarcado capitalista (hooks define patriarcado como “sexismo institucionalizado”). Ou seja, as feministas mais revolucionárias (palavras da hooks) não querem apenas mais direitos dentro do sistema -- elas querem transformar o sistema.
As feministas mais mainstream tornaram o feminismo mais acessível ao espalhar a ideia que podem co-existir tantos feminismos quanto há indivíduos, mas, pra hooks, essa visão despolitiza o feminismo. Eu já ouvi isso diversas vezes: que tanto faz se uma mulher é conservadora ou progressista, ela pode ser feminista. Em outras palavras, no caso de mulheres conservadoras, que elas podem ser feministas sem querer mudar o sistema. Poder, podem. Mas tem como mudar todo um sistema de exploração machista, racista e classista sem mexer nesse sistema?
hooks defende algo que eu sempre defendi: que, sem o envolvimento de homens como aliados do feminismo, o movimento não progride. Homens precisam repensar o modelo de masculinidade que querem seguir. Precisam confrontar os inúmeros problemas que o sexismo causa também a eles. E que tod@s nós, mulheres e homens, devemos confrontar o sexismo que está internalizado dentro da gente. Isso inclui nós feministas. Como diz hooks: “Fomos socializadas como mulheres pelo pensamento patriarcal para nos vermos como inferiores aos homens, para nos vermos em competição umas com as outras por aprovação patriarcal, para nos olharmos com inveja, medo, e ódio. O pensamento sexista nos fez julgar sem compaixão e punir duramente umas as outras. O pensamento feminista nos fez desaprender este auto-ódio imposto”.
hooks e outras feministas negras são fundamentais pro feminismo. Mas hoje é Dia Internacional das Mulheres, não necessariamente das feministas. E, como tudo no mundo, a data foi banalizada pelo capitalismo. Pra muita gente que não tem contato com o feminismo, virou dia de mulher receber uma rosa e ouvir um "parabéns por ser mulher" (alguns exemplos incríveis aqui). E, bem no nosso dia, ouvimos as mensagens que refoçam os estereótipos, como "Mulher, você é a coisa mais linda do universo, porque você cria a vida" (uma só frase pra lembrar nossos dois papéis na sociedade: sermos decorativas e sermos mães).
E é por isso que o feminismo é fundamental. Pra lutar. Pra fugir do senso comum. Hoje é uma data importantíssima pro feminismo, com eventos, celebrações e reivindicações por todo o Brasil. A data é uma conquista do feminismo, não do capitalismo distribuidor de rosas que diariamente nega e reforça o sexismo.
Vale lembrar que uma pesquisa recente da Perseu Abramo/Sesc feita com milhares de mulheres apontou que 31% das brasileiras se assumem feministas. 31% é muita gente. E isso que o levantamento excluiu quem não sabia o que era feminista (teve muita mulher que pensou que a pergunta fosse “você é feminina?”. Portanto, a pesquisa quis saber o que as entrevistadas entendiam por feminismo, e descartou respostas sem noção. E ainda assim deu 31%). O que quer dizer que não é todo mundo que cai no estereótipo de que feminista é um bicho peludo e bigodudo que detesta homens. Não apenas tem muita mulher que não cai nessa mentira, como um terço das mulheres se diz feminista. Tem cada vez menos gente virando a cara pro feminismo.
O que também quer dizer que já passou da hora de sermos doces e delicadas como rosas. O nosso feminismo tem espinhos. Comemoramos o Dia Internacional da Mulher sem esquecer nem por um minuto que todo dia é dia de lutar por um mundo melhor.

67 comentários:

Luisa disse...

Tem um tumblr juntando as "homenagens" mais sem noção

http://felizdiadamulher.tumblr.com/

Bizzys disse...

Realmente, quem mais critica o feminismo é quem menos sabe sobre ele.

Fiquei curiosa sobre a bell hooks e o livro, vou ver se consigo um para ler.

E depois de tantas mensagens idiotas como "parabéns por ser mulher, ter TPM, fazer chapinha e bla bla bla é só para as guerreiras", eu ganhei meu dia com esses 31%. Realmente é muita gente, e eu espero que essa quantidade aumente!

Lord Anderson disse...

Lola, muito bom o pensamento da autora, eu não a conhecia (e tem muitas qe ainda desconheço)mas ja virei fã.

Olha, eu li e ouvi cada coisa hoje que me deixaram constrangido.

Eu não entendo como tantas pessoas (homens em sua maioria) podem não ter vergonha em exprimir tanta idiotice, odio, covardia (sim pq o pessoal parece ter um medo absurdo da ideia das mulheres conquistarem a igualdade de fato), misturando isso com preconceito racial e economico...olha, faz a gente passar mau.

Mas por outro lado, 8 de março tem um significado especial para mim, foi nessa data em 2009 que li esse post :http://www.shoujo-cafe.com/2009/03/no-dia-8-de-marco-dispense-rosa.html no blog da querida Shoujofan.

Alem de me fazer pensar, nele tinha link para diversos blogs feministas, entre ele o seu.

Eu li todos e passei a acompanhar a maioria,inclusive esse aqui do qual me tornei fã assiduo.

E foi muito importante ver tantos textos tão bons, tantas visões sobre o feminismo e as mulheres.

Então de certa forma, acho que posso comemorar pq foi um post nessa data que me ajudou a aprender mais sobre generos, descriminação e humanismo, alem de ter me permitido conhecer tantas pessoas incriveis atraves.

Uma pequena comemoração em particular :)

Nara disse...

Lola e tod@as:

http://catracalivre.folha.uol.com.br/2012/03/fotografa-realiza-projeto-para-ajudar-vitimas-de-abuso-sexual/

Adriana disse...

Já tem um tempo que eu esperava por um post desses hehehe Que data propícia!

Vou tentar conseguir esse livro!

Incrivelmente ainda não escutei nada de muito idiota hoje, é verdade que ainda não tive oportunidade de ver meu facebook direito... enfim.

Eliza (Biii) disse...

Muito bom salvar o dia com essa porcentagem significativa.

Que bom ver exemplos legais como esse do Lord Anderson.

Abraços,
Eliza

Adriana disse...

Esse tumblr postado pela Luisa tá impagável.

Augusto disse...

Acho que 31 por cento é muito. Não conheço ninguém pessoalmente que se assuma feminista, no máximo conheço pessoas com ideias feministas, mas se digo feminismo logo pensam em Mulheres são superiores aos Homens. Isso que eu vivo num meio 'intelectual'.

Anônimo disse...

preciso ler bell hooks. sempre que a citam eu acabo esquecendo de procurar pra baixar

Anônimo disse...

https://www.facebook.com/revistatpm/posts/325974767450768

Bruno S disse...

E esse os anos múltiplos de 4 tem mais dias de luta que os outros!

lola aronovich disse...

Augusto, essa pesquisa é enorme. Foi feita em todas as regiões do país. Eu já dei duas palestras em que o coordenador da pesquisa (que é também professor da USP) falava sobre ela. É uma pesquisa séria e muito completa. Ela não é sobre feminismo. É sobre vários assuntos relacionados às mulheres. E aí incluíram essa questão do feminismo, com este dado surpreendente. Clique no link que coloquei no texto, que vc vai parar num ótimo post que a Carla fez sobre o tema.
Só porque vc não conhece nenhuma mulher que se assuma feminista, isso não quer dizer que elas não existam. Certo? Tipo, se eu tiver que escolher entre me basear na sua experiência de vida e numa pesquisa nacional, eu fico com a pesquisa nacional. Sem ofensa. Mas é preciso entender um pouco de estatística. Senão fica parecendo leitor reaça nas eleições de 2010 dizendo que as pesquisas eleitorais eram furadas e que o Serra iria ganhar, porque esse leitor não conhecia uma só pessoa que iria votar na Dilma.


Gente, leiam bell hooks. Ela é incrível.

Bruno S disse...

Sobre os 31% é um bom número, mas ainda há bastante para avançar.

E acho que esse número parece grande porque geralmente as pessoas não gostam de assumir algumas posições frente a pessoas que possam censurá-la como amigos e familiares, mas podem se sentir mais à vontade em frente a um pesquisador.

Carol disse...

Falando nisso:

http://ohnotheydidnt.livejournal.com/67175361.html

:\

Alex disse...

Concordo com você que sem a participação dos homens o feminismo fica limitado. Afinal de contas, um dos objetivos do feminismo é repensar papeis e reconstruí-los num patamar mais igualitário. Nesse processo de reconstrução, a participação masculina também é fundamental, já que os homens são parte do problema e também da solução. É como a luta dos gays por visibilidade, dignidade e direitos. Sem a adesão dos heteros, parte dos problemas e também das soluções, não haverá avanços nas conquistas.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Já viram a "homenagem" da Folha de 8 de março ao feminismo? Tem filósofa que precisa ser esclarecida quanto ao que isso significa

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/507287-nao-devemosnadaaofeminismo

Anônimo disse...

Com certeza vou ler a bell hooks. Ótima dica, Lola!
Antonio, este artigo da filósofa Talyta Carvalo, publicado na Folha de hoje, é realmente um desserviço... Em compensação, na Folha.com vi um texto bem legal no blog do dentista Fábio Bibancos, que tem informações sobre violência que fazem pensar o que é mesmo que temos pra comemorar: http://abraaboca.blogfolha.uol.com.br/

Lanna Pat disse...

Tem esse texto ótimo da bell hooks:
http://ebookbrowse.com/bell-hooks-alisando-nosso-cabelo-pdf-d97993204

Carolina disse...

"Parabéns mulheres por seu dia, afinal, os outros dias pertecem aos homens"

Bem que você queria

Jéssica disse...

Além do "artigo" publicado na Folha, a revista Época foi oura que aproveitou o dia da mulher para diminuir o feminismo, colocando uma entrevista com Camille Paglia em sua reportagem na qual ela chama o feminismo de mentiroso e diz que ele obrigou as mulheres a trabalharem fora. Além da bizarríssima contradição de dizer que "as mulheres devem ter suas escolhas individuais respeitadas" e passar mais de 10 linhas criticando Lady Gagá pelas roupas sensuais que usa.

Por sorte, ainda não ouvi nenhum "Feliz Dia da Mulher!" hoje...

Anônimo disse...

Não dá Lola. Mal levanto de manhã e a porra do jornal da tv bobo faz uma homenagem imbecil. E olha que eles até começaram bem, falando sobre estatísticas de violência, sobre a importância da lei Maria da Penha - mas logo o assunto foi "desviado" pra participação das mulheres nos campos de futebol e que na copa todas devemos estar lá, não vai perder heim. É de cagar. Ragusa

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Além de várias "homenagens" e piadinhas sem noção, ainda li no Papo de Homem um texto de uma mulher com aquela velha história de que homens sabem como ser amigo de verdade e mulheres não.
Homens são amigões, sinceros, divertidos, leves, todos, sem exceção e mulheres são o contrário disso.
Eu sempre me chateio mais com mulheres machistas, porque homem machista, ainda entendo que às vezes está tentando desesperadamente defender certos privilégios que considera estar perdendo, mas mulher escrevendo esse tipo de coisa, rebaixa a si mesma e todas as mulheres junto com ela. O que ganha com isso? Admiração de meia dúzia de homens por ficar lambendo o saco deles?
Desculpa o palavreado baixo, mas hoje tá phoda,...
A gente não merece passar pelo dia internacional das mulheres assim, rs, no fim das contas parece até mais fácil ficar com raiva no dia de hoje, quando resolvem se manifestar mais, que nos outros dias.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Ah, lembrei agora de uma notícia que vi mais cedo na Globo.
Provavelmente soltaram essa matéria só porque é dia internacional da mulher, mas em tempos de Backlash, em que adoram tocar o terror dizendo que as mulheres estão infelizes, sofrendo por culpa do feminismo e todo aquele papo que a gente já conhece que os reaças adoram, até que surpreende quando resolvem sair desse discurso.

"De acordo com a pesquisa, as mulheres mais felizes do mundo são as brasileiras. Bem mais felizes até do que o homem brasileiro. Para quem atingiu a terceira idade, uma ótima notícia: segundo o levantamento, a plenitude feminina é aos 65 anos."

http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2012/03/pesquisa-mundial-diz-que-brasil-e-o-pais-mais-otimista-do-mundo.html

Na verdade parece que eles confundem otimismo com felicidade, mas tá valendo.

Anônimo disse...

Se o machismo é presente e prejudicial na sociedade,porque apenas 1/3 das mulheres se assumem feministas?

Anônimo disse...

"O nosso feminismo tem espinhos."
contra quem? lola a pesquisa apontada no seu texto tambem fala sobre erros que o feminismo cometeu,e com isso algumas pessoas tiveram uma má impressão.faça um texto falando a respeito destes erros e quais as culpas do feminismo em passar uma imagem de superioridade das mulheres em relação aos homens

Natália disse...

Curioso os dados dessa pesquisa do Instituto Getúlio Vargas que foi divulgado pela Rede Globo.

Os dados dizem que o Brasil está em quarto lugar, mas não diz quem são os três primeiros colocados, um erro grosseiro geralmente feito para esconder algo. Mas aponta os países mais tristes:

"Os Estados Unidos ocupam a 14º posição. Países europeus estão mais atrás, como Irlanda (16º), Reino Unido (26º), Itália (56º) e Alemanha (62º). Grécia (145º) e Portugal (146º) estão na lanterninha do ranking."

Itália, Reino Unido e Alemanha são países onde o feminismo e as leis são muito avançadas, portanto não existe nenhuma correlação entre as políticas públicas e educação para igualdade de gêneros com essa reportagem que diz "os brasileiros, especialmente as mulheres, são os mais otimistas do mundo".

A única palavra que me vem à cabeça para essa reportagem é "exótico".

Ana Carolina disse...

O que acho triste é ver uma amiga muito querida, criada junto comigo, amplamente machista, dizendo que "quer se mudar para Alemanha porque lá as pessoas tem liberdade de expressão".
Por que não enfrentar o mundo e lutar para que qualquer lugar possa se ser quem se é em paz?

Anônimo disse...

Natália, eu acho que quanto mais desenvolvido e culto um povo maior o pragmatismo. As sociedades cultas tem uma visão mais profunda e filosófica de mundo e o futuro é visto como algo nem sempre muito feliz. Afinal quem pode se considerar feliz o seu futuro em 10 anos conhecendo as probabilidades de desenvolver uma doença grave ou mesmo não estar viva. Pergunte a uma pessoa de 80 anos quais as espectativas dela para o ano de 2015, como fez a entrevista.

Pagu disse...

E a revista Época consegue o impensável. Decreta o fim da ditadura da beleza na mesma reportagem que diz que o espartilho, aquela lingerie antiga (ou instrumento de tortura?) está voltando à moda.

http://revistaepoca.globo.com/vida/noticia/2012/03/acabou-ditadura-da-beleza.html

Tem como ser mais contraditório? Como é que a ditadura de beleza acabou se mulheres ainda acham normal e se sentem mais seguras ao usar um instrumento apertado o dia todo pra ficar com a cintura alguns centímetros mais fina?

APENAS PALAVRAS disse...

Antes de postar este comentario gostaria de dizer... Amo este blog...assim como amo voce que descreve com naturalidade aquilo que ve e que sente.....sendo ti mulher....na sua mais prazerosa exencia...A qual deve ser amada e clamada. dia a dia....Parabens pelas lindas frases num dia especial que poderiamos resumir da seguinte forma....isto é se existice uma forma de falarmos e narramos aquilo que talvez não nos inquiete... Do valor e da delicadeza da mulher que fora feita na sua fragelidade a qual foste outroa chamada mulher na sua força e na sua doçura de ser...Mulher....Um bj bem gostoso nestes mais puro coração.....e tenham um ótimo final de semana

Majô disse...

"E que tod@s nós, mulheres e homens, devemos confrontar o sexismo que está internalizado dentro da gente. Isso inclui nós feministas."

Lola, o sexismo estar internalizado é tão verdadeiro, mas tão verdadeiro... Qdo eu comecei a dirigir, aos 18 (antes de começar a refletir sobre sexismo), notei que dirigia bem, sem medo, pq gostava muito e até ousava na velocidade. Sabe o que eu pensava a respeito? Que não é porque mulheres sabem dirigir ou podem gostar de dirigir como os homens. Não, eu achava que EU era uma mulher diferente e, pior, me achava superior às outras por me aproximar dos homens naquele quesito. E me orgulhava disso. Não por dirigir bem, mas por dirigir "como homem".

Não é louco?

Qdo caem essas fichas, a gente vai percebendo que o sexismo nos desvaloriza por princípio. E nos desvaloriza internamente.

Eu disse...

A Dinamarca continua sendo o país mais feliz do mundo, ou assim os dinamarqueses dizem. É um país considerado culto? Desenvolvido, certamente.

http://hypescience.com/dinamarca-e-pais-mais-feliz-do-mundo-brasil-nao-esta-nem-nos-10-primeiros/



As sociedades cultas tem uma visão mais profunda e filosófica de mundo e o futuro é visto como algo nem sempre muito feliz (Anonimo)

Anônimo disse...

Podem falar o que quiser,que a luta é de todos,que precisamos de homens(conscientes),nela e blá blá,mas euzinha tó tão desiliduda que simplismente o caminho que escolhi foi o da indiferença,se tó numa roda e começam os comentários machistas, por parte dos homens,eu respiro fundo,conto até três e mudo de assunto,se posso saiu de perto,não tenho mais saco/paciência pra lidar com homens desse naipe,tó cansada,desanimada mesmo,já chorei um sem número de vezes,a cada texto/reportagem que falavam da violência contra a mulher e lia as barbaridades que eles colocavam,isso me anestesiou,não queria tá sentindo isso massssssss,enfim,desculpem o desabafo,os erros no texto e tudo o mais .

yulia disse...

“Fomos socializadas como mulheres pelo pensamento patriarcal para nos vermos como inferiores aos homens, para nos vermos em competição umas com as outras por aprovação patriarcal, para nos olharmos com inveja, medo, e ódio. O pensamento sexista nos fez julgar sem compaixão e punir duramente umas as outras. O pensamento feminista nos fez desaprender este auto-ódio imposto”.

frase perfeita!!!

Lorena disse...

ai, que lindo! O texto e os 31% do final. :)

Hoje eu me surpreendi muito positivamente com as pessoas amigas, tanto no twitter quanto no Facebook. Muitas mulheres que eu nunca considerei feministas, hoje postaram mensagens e discursos bastante libertários sobre o dia da mulher. Muitas mulheres reivindicando respeito no lugar de flores. Muitas dizendo que essa parabenização toda é uma besteira, que não é isso que queremos. Nossa, fiquei tão feliz, e aí venho aqui e leio esse dado tão significativo, tão expressivo e IMPORTANTE... :)

Isso, sim, tornou o meu 08 de Março mais feliz!

Laulau disse...

"Parabéns para aquele negócio que vem com os peitos!"

Li essa pérola no Facebook,pode um troço desse?

Verônica disse...

Post maravilhoso Lolita, ainda bem que consegui passar o dia livre de besteiras, isso foi uma benção. rs

É muito triste pra mim encarar essa realidade de que tantas mulheres tem uma idéia completamente equivocada em relação ao feminismo. A militância e luta das feministas é totalmente subestimada e mal divulgada nos meios de comunicação de massa (o fato de tais meios serem dominados por mascus tam,bém não ajuda), e aí acaba dando nisso. É muito triste ver que longo caminho se tem a percorrer, além do caminho longo de pedras que existe pela frente pra que as mulheres conquistem vitórias, há primeiro um longo caminho pra conscientizá-las sobre o feminismo.

Tenho uma tendência a ser cética e pessimista, e apesar de 31% ser um número maravilhoso pro nosso país, olhei e pensei automaticamente em meninas que já vi se dizerem feministas, mas que quase sempre estão por aí julgando a sexualidade de outras mulheres, chamando uma de piranha, outra de mal-comida e por aí vai. Mas é claro que dá pra ver o copo meio cheio, 31% se declararem feministas é sim uma conquista inegável. :) Que a luta continue, pra isso estamos aí.

Beijos. :)

Carol M disse...

o dia tava saindo com saldo positivo, ai um conhecido q nao vejo ha milenios fez uma sequencia de piadinhas machistas e qd reclamei fez o velho "mas eh so piada, nao seja amarga", mandei se fuder, falei de agressao por coisas q as pessoas nao acham serias e q piadas sao açoes tb e terminei deletando e bloqueando.

talvez eu deva fazer isso mais vezes

Rê_Ayla disse...

"Uma mulher não pode ser ela mesma na sociedade atual, que é exclusivamente masculina, com leis criadas por homens e um sistema jurídico que julga a conduta feminina a partir de um ponto de vista masculino" Henrik Ibsen

A melhor maneira que temos de homenagear as mulheres é lutar por mudanças que façam com que a nossa sociedade seja mais igualitária e menos preconceituosa, com mais mulheres em posições de liderança, nos governos, nas empresas e no 3o setor.

Meu post sobre o dia de hoje: http://lifeisdrag.blogspot.com/2012/03/dia-da-mulher.html

Sawl disse...

Li o PÉSSIMO texto escrito pela pseudo-intelectual Talyta Carvalho que tanto CRITICOU o Feminismo.
Fiquei feliz em ler as opiniões de mulheres e de muitos homens CONTRA a opinião dela.
Um homem ser machista é ridículo, mas, uma mulher agir de forma machista é totalmente incompreensível.
Curioso ela criticar o feminismo em vista que ela NÃO É dona de casa e mãe de família. Ela é filósofa especialista em renascença e mestre em ciências da religião pela PUC-SP.
Será que esta moça chamada Talyta poderia estudar, trabalhar e até mesmo expor seu preconceituoso ponto de vista se não fosse suas antepassadas que lutaram TANTO pelos direitos das mulheres?!
Se ainda prevalecesse a mesma sociedade dos anos 50, algum homem a mandaria CALAR A BOCA quando ela quisesse falar que é a favor da socidade patriarcal.
"Para a mulher comum na pré-história, na Idade Média, e até o século XIX, não trabalhar não era uma opção."
Desde QUANDO ficar em casa cuidando dos filhos era OPÇÃO para a mulher em vista que o homem usava a força e ao mesmo tempo a covarda para ela ficar em casa?
"...em que medida a consequência do feminismo, para a mulher contemporânea, foi o estrangulamento da liberdade de escolha?"
O que deu na cabeça desta mulher pra ela escrever TANTA besteira?!
As mulheres NUNCA tiveram liberdade de escolha antes do século XX! Ou eram "santas"(não podiam estudar, votar, trabalhar, eram forçadas a casar com homens brutos que não as amavam, se enchiam de filhos e suportavam TODAS as traições dos maridos) ou eram "putas"(tinham relativa "liberdade" sexual e financeira, mas, através da venda de seus corpos).
Enfim, antigamente NÃO havia escolha. Hoje a mulher pode ser apenas dona de casa e mãe, como pode ser independete, casada e mãe, como pode ser apenas independente. Não há NADA errado em ser apenas dona de casa, o errado é a IMPOSIÇÃO, a OBRIGAÇÃO pelo simples fato de ter nascido mulher.
E sinceramente, esta intelectualzinha NÃO dá orgulho NENHUM a nossa classe!

Jordana disse...

a maior pérola de dia da mulher que eu li hoje foi esta (e foi proferida por uma mulher):

"MULHER.... HUMUS DA HUMANIDADE!!!! RAIZ DA SENSIBILIDADE, FLORES DE FERTILIDADE, FRUTOS DA ETERNIDADE, ESSENCIA DA NATUREZA HUMANA!! ÉS DIVINA!!"

sim. HUMUS da humanidade. sabe adubo? matéria orgânica em que as pessoas pisam, jogam estrume e botam minhocas? pois é. nós somos o HUMUS da humanidade, gemt.
depois dessa até senti uma certa vontade de virar homem. ¬¬

essa merecia ir praquele tumblr shuahsuahsa

Jordana disse...

e ainda divulgaram uma imagem com uma caricatura de Dercy Gonçalves desejando um feliz dia da mulher pra quem tem perereca, mas "só se for de nascença". ainda conseguiram juntar transfobia no meio da palhaçada toda ¬¬

Anônimo disse...

"Eu te digo novamente, e não duvides do contrário: se fosse costume mandar as meninas à escola para estudarem as ciências, assim como fazem com os meninos, elas aprenderiam e compreenderiam as sutilezas de todas as artes e ciências tão perfeitamente quanto eles. (...) Sabes por que elas sabem menos? (...) Porque não vivem coisas diferentes, porque basta que permaneçam em suas casas, às voltas com suas ocupações domésticas. Mas não há nada mais estimulante para a criatura dotada de inteligência do que experiências diversas e abundantes." (Christine de Pizan, A Cidade das Dames, 1405)

Anônimo disse...

Jordana, que horror essa comparação com o húmus de minhoca. Credo, onde você viu isso? No blog do Engenheiro Emerson?

Dri Caldeira disse...

Olha, eu não leio mais a Folha, pq ela se transformou num instrumento reacionário, um jornaleco da direita elitista. Ninguém sabe como homenagear a mulher, nem mesmo nós, as interessadas. Às vezes me sinto como se fosse uma deficiente mental em certas campanhas do governo. Para me incluir na sociedade não precisa fazer de mim uma inválida social, que se contenta com migalhas e uma porra de uma rosa de tecido vagabundinha uma vez por ano!! Só precisamos de respeito e igualdade.

M. disse...

Texto lindo Lola! Foi como receber um fôlego em meio a tantos deboches e cumprimentos vazios nesse dia :)

(Tive que mandar o link para quase todos os meu amigos e colocar no blog, este texto está maravilhoso)

Anônimo disse...

Boa noite Lola!
"Linda e que cria a vida". certo o que vc escreveu.
Tenho pavor da divinização da maternidade. Quem não gosta de crianças e não sonha em ser mãe é vista como alguém sem sentimentos, ruim, etc, etc.
E me pergunto: filhos pra quê? Ou melhor, pq todo mundo acha q pode saber q toda mulher tem que ser mãe?
Já ouvi alguns absurdos como "precisa ter filho pra sossegar". Sossegar, o q seria exatamente ?
Gazeta é o maior jormal do PR sim.
Bjos e parabéns pelo blog.

LisAnaHD disse...

Bem, LoLa, claro que fui na página www.amazon.com e dei uma busca em Bell Hooks e, dada a quantidade de livros dela, fui checá-la na Santa Wikipedia.
http://en.wikipedia.org/wiki/Bell_hooks

Como já disse, tive um dia puxado e seu post somente amanhã o lerei com calma, vagar, analisando, pausando... pq é muita coisa interessante me atiçando a mente...

agora, uma Santa Aspirina,
depois, um Santo Chá de Camomila,
então, me jogar debaixo do Santo Cobertor Elétrico.
(invenção antiga, mas ainda maravilhosa, esse cobertor!)

Anônimo disse...

Engracada a passagem "e tiraram as respostas sem nocao". Imagino quais eram, ainda mais vindo esta pesquisa de onde veio. Se vc me disser que 31% das mulheres brasileiras n~ao gostariam de receber flores ou de um gesto de cavalheirismo eu pe'co licen'ca para n~ao acreditar.

No mais, deixe eu contar minha experi^encia com feminismo. Uma vez eu fui lavar a lou'ca na casa de uma amiga e ela me interrompeu dizendo "isso 'e trabalho de mulher". Ela 'e um doce de pessoa, adora ser m~ae e dona de casa, ah, sim, 'e uma engenheira muito bem sucedida tamb'em. Tamb'em tenho uma outra conhecida, muito feminista, mas n~ao consegue fazer nada na vida sem o marido, mas adora militar na causa. Com ou sem feminismo - eu opto por sem - o bom mesmo 'e ter a liberdade, inclusive para ser dona de casa e que todo mundo respeite as escolhas de cada um. Quando vc fala em desinternalizar o machismo, vc sugere o qu^e? Reeducar as mulheres? Vc fala de paternalismo mas vc 'e a primeira a querer tutelar as mulheres, como a dizer "olha, vcs n~ao sabem o que 'e liberdade nem est~ao sendo boas mulheres, mas deixem eu ensinar". O idioma ingl^es tem uma 'otima palavra p/ isso: patronize.

No fim das contas vc quer trocar a consi^encia individual de cada um pela sua causa...n~ao 'e a toa quem tem gente deprimida.

Nem perca seu tempo em responder....e parab^ens pelo seu dia ;-)

LisAnaHD disse...

LoLa, dia desses num brechó dei com o livro "Revolution from Within", de Gloria Steinem, capa dura, em perfeito estado por 25 centavos de dólar... nem pensei duas vezes pra comprar e talvez nem o leia, pois me habituei ao Kindle (poderei ler o livro baixado no Kindle), mas pelo sim pelo não, guardei o livro lá na pilha de "livros pra LoLa"... sei lá, se vc não quiser o livro, que sabe possa sortear entre suas leitoras cativas... ou deixar na sua biblioteca na seção de livros Feministas... enfim...

darkgabi disse...

uma coisa q eu não concordo mt nesse seu texto e em muitos outros q li foi a questão das rosas.

ontem msm entrei numa discussão se era válido ou não dar flores... sabe, eu não me importo. não acho q aceitar flores seja abandonar a luta e se render ao consumismo. acho q há flores e flores...

existem mulheres machistas, mas todas as mulheres recebem parabéns, independente de sua luta e de sua posição, pq não há como distinguir entre elas e não se vai nivelar por baixo. assim como eixstem flores vazias e flores cheias de significados...

tem gente q só dá flor no dia 8 de março - mas nem todos q dão flores no dia 8 só o fazem nesse dia. assim como tem gente q não dá flores e diz q todo dia é dia da mulher, mas não é bem assim na prática.

é uma questão de avaliar o contexto. e, na dúvida, eu sorrio e agradeço.

LisAnaHD disse...

Essa coisa de limpar casa não tem a ver com feminismo, sabe? Minha amiga casada com um Brigadeiro da Aeronátuca Brasileira tinha mania de limpeza... ela era limpa mas ela era fanático por limpeza e organização-perfeição... tinham 2 filhas e 1 filho e quem cuidava da organização e limpeza da casa era ele, qdo não estava viajando.

Meu marido não gosta de fazer nada de serviço de casa, mas se eu pedir pra ele fazer ele faz pq eu detesto varrer e passar o aspirador e limpar banheiro, então seria meu marido a fazer MAS ele opta por pagar pralguém fazer... e quem faz a limpeza é um rapaz, a cada duas semanas. Eu não me importo em cozinhar e nem em limpar a cozinha, nem me importo em cuidar da lavagem da roupa pq nos EUA é tudo em máquina e não tem-e o hábito de passar roupa... mas quem leva o cesto de roupa suja lá nas máquinas é meu marido e quem vai tirar a roupa da secadora e trazer pra cima tb é meu marido (moramos num sobrado e temos um porão)... bem, o fato da mulher andar lavando os pratos nada tem a ver com ser ou não feminista... desde que ela o faça pq curte.

OK... hoje deixei as luzes do carro acesas e qdo retornei a bateria tava adormecida... tenho o serviço de socorro que é só chamar e 1-2-3 eu teria sido atendida sem precisar pagar pois é do contrato... bem, telefonei pro meu marido e perguntei qual a opção ele preferia:

1. ir lá onde eu estava e recarregar a bateria ou

2. que ele chamasse o socorro e disse pra irem lá onde eu estava (pq dou péssima pra dar instruções de como chegar aos locais).

-- Marido, aliás maridão... foi me encontrar na loja, recarregou a bateria do meu carro, gastei um pouco mais... viemos pra casa. Deixo ele dar a última palavra pq acho que ele se sente bem assim... mulher inteligente sabe da importância de amaciar o ego do homem (pai, irmão, marido)..., mas quem manda sou eu... faça a mulher feliz e vc terá uma cama compensadora... contratrie a mulher e faça sexo sozinho!

LisAnaHD disse...

caso alguém se interessepor uma pitada de Gloria Steinem, vai um link

http://www.enotes.com/revolution-from-within-salem/revolution-from-within-9610000404

LisAnaHD disse...

sorry, passei um link que não é o que eu havia selecionado

http://www.learnoutloud.com/Catalog/Self-Development/Emotional-Development/Revolution-from-Within/1169

eu queria mandar esse outro link onde Gloria S. lê um pouco do livro.

PCH disse...

Ótimo texto. Mas gostaria de sugerir uma abordagem mais forte sobre a participação dos homens no feminismo. Afinal, não me considero aliado da causa feminista, eu faço parte da causa. Eu sou feminista!

PCH disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carol M disse...

PCH a importancia dos homens no feminismo é enorme, mudanças sociais precisam de todos. Não sei se a participação dos homens seria muito diferente da participação das mulheres, pelo menos na questão do dia a dia. De ir aos poucos educando as pessoas a sua volta, propor reflexões, etc.
Seja feminista, se assuma feminista e faça os outros pensarem sobre. Acho que essa atuação é válida pra ambos os gêneros.

Bela disse...

Lola...seu texto caiu como uma luva no dia de hoje \o/

Eu linkei ele em um texto que escrevi no meu blog, várias reflexões sobre o dia das mulheres.

http://naopercatempolendo.wordpress.com/2012/03/09/reflexoes-aleatorias-sobre-o-dia-das-mulheres/

Vc veio no Rio e eu non pude ir te ver T_T

Jordana disse...

a quem me perguntou sobre a origem do comentário sobre "mulher, o humus da humanidade", agora vc vai cair pra trás:
achei isso no facebook, dentro de um grupo privativo para mulheres lésbicas e bissexuais. o que significa q a moça que proferiu o comentário deve adorar fazer sexo na terra, pq né? '-'

MCarolina disse...

Adorei ler esse post, foi um dos melhores sobre o dia das mulheres e uma brisa no deserto de músicas cafonas e homenagens vazias e bobinhas que infestam esse dia.
Também amei a mensagem do Humus da Jordana, morri de rir, já mandei pra várias pessoas. Nunca tinha me visto como humus.

LisAnaHD disse...

acabo de encontrar matéria publicada em mídia americana sobre o Dia Internacional da Mulher...

"Today, we commemorate the 101st anniversary of International Women’s Day."
http://www.bushcenter.com/blog/

Anônimo disse...

Nossa LisAnaHD, então prabéns pro seu marido que ATE LEVA O CESTO DE ROUPA SUJA ATE A MAQUINA, né?
Não quero ser agressiva, mas isso de batar palminha quando um homem faz um minimo me deixa louca. E também não entendo isso de massagear o ego de um homem, mas deixa pra la...

Links

Anônimo disse...

pch, eu concordo com você. vi no outro post falarem sobre o dia do homem q acho q seria legal comemorar, sob enfoque feminista.

o feminismo fala de igualdade e acho q um dia desses seria otimo pra incentivar quem está ao lado das mulheres nessa luta. tenho certeza q nenhum homem feminista reclamou ontem da ausencia de comemoraçoes no dia do homem (os mascus enxergam isso como privilegio feminino e os machistas em geral acham desnecessario).

tenho consciencia q um dia do homem - per se - n é necessario, pq n é um dia de reconhecimento de algo desvalorizado. mas pode ser de renovaçao de forças e de conscientizaçao, tal qual é o dia das mulheres pra nós.

acho q os homens feministas ficariam felizes de serem reconhecidos. sei q nós mulheres n devemos nada a eles, sei q isso n é necessario pra q permaneçam ao nosso lado nessa luta, sei q ninguem vai deixar de ser feminista por n ter tal comemoraçao. sei q o homem feminista assim o é por ver a mulher como semelhante, como ser humano. n é um favor, embora implique em assumir q ha o privilegio de seu proprio genero em detrimento do outro. eu sei disso tudo. mas continuo achando q um ato de reconhecimento é um afago e todo mundo renova forças com um afago.

alem disso, seria um modo de conscientizar q o machismo é uma prisao para homens tb. nao podemos permitir q transformem esse dia num "dia do orgulho macho", aos moldes do dia do orgulho hetero q queriam instituir ano passado. mas questionar essa macheza. mostrar q a masculinidade é muito mais do q o modelo machista, valorizando o homem q foge desse cliche opressor.

Anônimo disse...

por fim, é um modo de se fazer ouvir sem ter que bater de frente, oq atrai mais simpatia e aderencia ao feminismo. de vez em quando eu vejo uns masculinistas (ou caras q se identificam até certo ponto com algum post do blog, embora apontem contradiçoes femininas ao discurso feminista) vindo aqui tentar dialogar e levando pedrada.

veja bem, eu tb do pedrada em quem nao quer dialogo e ja chega xingando e julgando. mas outro dia mesmo um cara comentou num post sobre os mascus q o masculinismo questionava estruturas tradicionais injustas ao homem. ele n culpou o feminismo por isso, só reconheceu q o modelo atual n está legal pra ele, homem. disse ainda q nao concordava com tudo oq os mascus diziam, por isso mesmo n se identificava como um.

e eu fui la dialogar, mostrar q q o feminismo tb se importava com aquelas causas (licença parternidade era uma delas). eu n sei se ele vai voltar aqui pra ler, espero q sim. mas acho q é sempre bom tentar tirar um pouco essa falsa imagem de q só culpamos e reclamamos dos homens, como se fosse pelo simples fato de serem homens.

acho q a comemoraçao do dia do homem provavelmente iria agradar aos homens em geral, iria acabar com piadas idiotas (dos 364 dias) e ainda valorizaria aqueles q estao ao nosso lado.

eu nao acho q seja DEVER das feministas peneirar oq ha de valido nas contestaçoes masculinas, ja q a essencia do movimento sao os direitos das mulheres. mas acho q é bastante util e valido fazer isso, pq muitos caras, pelo visto, qd conseguem enxergar q o modelo atual nao é justo COM ELES acabam caindo em blogs misoginos q atribuem a culpa de tudo às mulheres (como se o modelo tivesse sido construido por nós).

tipo, nos sabemos bem q na maioria dos casais separados a criança fica com a mae pq o pai nao quer saber dela e nao pq o juiz deu a guarda para a mae. poucos sao os pais q sequer abrem um processo de pedido de guarda.
mas é justamente um dado como esses q os mascus deturpam. entao escrever um post falando os beneficios da guarda compartilhada (q, salvo engano, é a regra geral hoje em dia, em casos de disputa) e a importancia do papel do homem na educaçao dos filhos é bacana. idem para licença paternidade, cuja maior defensora hoje, ate onde eu sei, é a deputada erika kokay, uma mulher.

enfim, desmitificar. eu gostaria de saber escrever bem e montar um blog, mas eu n sei fazer isso. acho q a lola quase sempre faz isso, embora as vezes ela seja acida qd n deveria (o post sobre alistamento militar, por ex, é otimo e diz exatamente oq eu penso, mas tem provocaçoezinhas q certamente fizeram as meninas rirem, mas um cara q chega aqui ja com o pé atras dificilmente vai querer ler outros posts)

LisAnaHD disse...

anote aí no seu coração:
"Obrigada, LoLa, muito obrigada por mais essa."

Meu Thank You note se refere a mais livros que estou adquirindo através de seu blog, seja por post seu, guest post, comentários... até mesmo de quem discorda de mim... sou light no sentimento.

estou aguardando Amazon me enviar três livros da bell hooks... pra não pagar frete a gente tem de gastar 25 dólares, então o jeito foi comprar não apenas o citado em seu post e sim mais dois... escolhi "Critical Thinking" e disse pro marido completar os 25 dólares com algum livro da escolha dele... cara a cara, olho no olho, ele me disse que ia escolher o que ele hated more... rs... eu disse que tudo bem... vamos aguardar... qdo se trata de FEMINISMO, maridão pode até chiar, mas colabora, sabe? o gajo, inteligente como nós, sabe que mulher é luxo... tem quem P(h)ODE... besos.

@LaLo disse...

Fiz minha monografia sobre as Bruxas na literatura infantil... tive que estudar feminismo... foi a melhor pesquisa que fiz..

abraços Lola

Anônimo disse...

Oi Lola.
Hj lembrei de um episodio nojento q passei e q lendo seu blog vejo q é mto comum, infelizmente.
Uma época eu namorava um rapaz, e terminamos. Pouco depois, fiquei com um amigo dele. Não amigo ínitmo, um conhecido da mesma roda.
Então um dia fui para a praia com um casal de amigos, e mais um rapaz q era amigo desse casal.
Todos da mesma rodinha.
Detalhe, a casa na praia era da minha familia.
Então, certa hora da noite, o amigo do casal vei na minha cama, na minha (!!!) casa, e me assediou, disse que não iriamos fazer nada q eu não quisesse, e que ele sabia q eu qria, - pq, claro, havia ficado com um amigo dele após o término do namoro.
Fiquei com mto nojo, empurrei ele, no outro dia fomos embora.
E lembrando depois, esse mesmo cara nojento, uma vez falou para o cara q eu namorava que eu era feia.
Foi um dos dias mais horríveis, q me senti impotente, usada, e passei mto tempo q EU tinha feito algo errado.
Isso foi mais ou menos em 1998.
Só passou a culpa qdo li aqui tantos relatos parecidos , e ei, o cara é um nojento, acha q se eu fiquei com alguém pq EU QUIS, tinha q ficar com ele.
Muito nojo disso tudo.
Seu blog é de utilidade pública, obrigada.
Beijos