domingo, 9 de outubro de 2011

A PROFESSORA E O GOVERNADOR

Estou indignada com o tratamento que o governo do Ceará vem dispensando aos professores estaduais. O CE é um entre vários estados brasileiros que se recusa a pagar o piso salarial que o governo Lula instituiu em 2006. Este piso é extremamente importante. Eu lembro quando toda semana algum noticiário de TV mostrava uma professora (quase sempre era professora) em alguma cidadezinha distante e o sacrifício que era dar aula num lugar sem a menor infra-estrutura. A reportagem sempre dizia quanto essa profissional recebia ― 150, 300 reais por mês... Era menos que um salário mínimo. Então o governo federal sancionou que nenhum professor, em nenhum canto do país, poderia receber menos que o piso salarial (que não é nenhuma fortuna: R$ 1187). Só que a maior parte dos estados não cumpre essa simples determinação. São Paulo, inclusive, o estado mais rico da federação, não paga o piso. E o Ceará tampouco. Os professores daqui estão em greve há dois meses (a greve foi suspensa por um mês na última sexta), e durante esse tempo, o governador Cid Gomes (PSB) só tem falado besteira. Disse que professor não deveria trabalhar por salário, mas por amor, que quem não está feliz com o salário na rede pública deveria ir pra particular... E no final de setembro o governo jogou o batalhão de choque em cima dos manifestantes, o que repercutiu internacionalmente. Os professores protestavam que os deputados estaduais (quase todos pertencentes à base do governador) aprovaram lei que praticamente extingue diferenças salariais para profissionais de titulação diferente. Agora um professor com doutorado vai ganhar apenas pouquinho a mais que um só com graduação. Os valores irão do piso, de R$ 1187, ao nível 10, de R$ 2255. Dá pra acreditar? Este será o salário máximo que um professor com titulação de doutor e muito tempo de carreira vai sonhar em receber na vida! O que isso quer dizer? Que muito em breve não haverá mais mestres e doutores lecionando na rede pública estadual. Aprovaram algo parecido em SC outro dia. É absolutamente vergonhoso. Espero que vocês concordem que um professor deve ganhar mais de acordo com sua titulação. Senão, por que alguém sacrificaria seu tempo para cursar um mestrado e doutorado? Só pelo amor à profissão? Por que esse “amor à profissão” só é cobrado dos professores? Os professores estaduais devem pagar suas contas apelando para o “amor” do dono do supermercado, da padaria, da empresa telefônica?
Não vou me estender sobre o assunto porque estou sem tempo nenhum. Mas ontem recebi um email que ilustra, de forma bem-humorada, o que vem acontecendo. Lá vai:

Havia certa vez um homem navegando em um balão por um lugar desconhecido. Como ele estava perdido, gritou para uma pessoa embaixo:
- Ei, você aí, aonde eu estou?
A jovem respondeu:
- Você está num balão a 10 m de altura!
Então o homem fez outra pergunta:
- Você é professora, não é?
A moça respondeu:
- Sim... puxa! Como o senhor adivinhou?
E o homem:
- É simples, você me deu uma resposta tecnicamente correta, mas que não me serve para nada.
A professora perguntou:
- O senhor é Cid, governador do Estado do Ceara, não é?
E o homem:
- Sou... Como você adivinhou?
E a Professora:
- Simples: o senhor está completamente perdido, não sabe fazer nada e ainda quer colocar a culpa no professor.

39 comentários:

Caos disse...

A piada original é:
Um homem viaja num balão de ar quente, quando descobre que está totalmente perdido. Apavorado, ele diminui a velocidade e a altitude do balão e então avista um rapaz andando calmamente pelo campo. Ele grita para o outro:
- Hei, você! Pode me dizer onde estou?
O rapaz responde:
- Você está num balao a uns dez metros de altura do solo.
Constrangido com a resposta, o homem retruca, de cima do balão:
- Você com certeza é estagiário, nao é?
- Sou sim, como o senhor sabe?
- É que a informaçao que você me deu é tecnicamente perfeita, só que não serve pra absolutamente nada.
- Bom, e o senhor. . . É gerente, não é?
- Sou sim, como você adivinhou?!
- Foi moleza! O senhor não sabe onde está, muito menos pra onde vai. Está perdido, ferrado e a primeira coisa que faz é botar a culpa num estagiário! . . .

denise disse...

Lola outro dia vi um cartaz com os seguintes dizeres:

EU TROCO UM PARLAMENTAR POR 344 PROFESSORES.

A soma do salario de 344 professores que ensinam é igual ao salario de 1 parlamentar que rouba.

Da o que pensar e se indignar.

Serge Renine disse...

Aronovich:

Condordo que os bons professores deveriam ganhar, no mínimo, o piso, ou 100% a mais, que ainda seria pouco para tão importante missão.

E o tal do Cid Gomes é do PSD (partido social democrata), nossa que social!

Serge Renine disse...

Denise:

Vamos arrendondar a conta e trocar o congresso todo por professores. É lucro certo!

andreiaprets disse...

Lola, eu acho que a sua postagem veio em super boa hora.
É fato que a importancia do professor na sociedade brasileira, e global, tem se sido cada vez menos valorizada. Mas não há palavras para expressar a indignação que estamos sentindo aqui no Ceará neste momento crítico em que o governo com suas palavras e açoes vem desmoralizando a nossa classe e a nossa importancia - nao vou nem entrar neste assunto de importancia, pois acho que todos os seus leitores compartilham o que quero dizer aqui.
Gostaria de aproveitar esse comentário e enfatizar algo que complementa o seu post sobre esse discurso latente (tanto do governo quanto da sociedade em geral) que precisamos combater: a justificativa de que a educação brasileira é fracassada porque o professor é "mal-formado" (vide Forum da Educaçao da Rede Globo que chegou a essa conclusao absurda!)

- O professor NÃO é mal-formado. O professor nunca esteve tão bem formado no Brasil em toda história da Educação Brasileira como os que estão em serviço hoje.
- O professor é o único que vemos de verdade lutando pela educação de qualidade.
- O professor se dispõe a manter-se em qualificação permanente por programas de pós graduaçao sem incentivo ou afastamento.

Peço que não mais toleremos esse tipo de discurso que desmoraliza profundamente a nossa classe!

Niemi Hyyrynen disse...

Acho que o cid poderia fazer uma visitinha e aprender um pouquinho como se faz:

http://www.publico.pt/Educa%C3%A7%C3%A3o/os-finlandeses-querem-que-os-filhos-sejam-professores_1492128

A educação formal e informal são a base de tudo, a escola é o templo do saber e são os professores os primeiros mestres,os mais importantes para o desenvolvimento de qualquer cidadão :)

Gabriele disse...

Super revoltante. O engraçado é que professor tem que trabalhar por amor, enquanto político "não pode sobreviver" sem no mínimo uns 15.000 por mês.

Isabel SFF disse...

apóio integralmente a luta dos professores cearenses, bem como a luta de qualquer cidadão por melhores condições de trabalho e de vida.

Agora, algumas coisas relacionadas a isso vêm me incomodando. Por exemplo: circulou no facebook uma foto de um professor ferido pela polícia, com os dizeres: "ele não é traficante, não é bandido, é um professor". Claro que não concordo em reprimir manifestantes, ainda mais pacíficos, com violência. O que não significa que seja papel da polícia agredir bandidos. Ou seja, a legenda dava a entender que a polícia deixava de fazer seu trabalho, que é agredir quem merece, para agredir manifestantes.

Eu juro que fico preocupada quando a galera reaça apóia essas causas sociais porque é sempre pelo motivo errado. Normalmente é só para criticar o governo (que merece críticas, é claro) e nunca para discutir a situação dos trabalhadores grevistas. Sem contar o discursinho golpista, né? "Vamos acabar com o governo, acabar com o congresso..."

Aposto que a direita AMA essas brechas golpistas que surgem quando a população fica indignada. Temos que tomar cuidado com isso.

Flavia Vianna disse...

Lola, aqui no Rio de Janeiro, os professores do Estado acabaram de sair de uma greve de 3 meses. Vários ex-colegas meus de faculdade participaram ativamente do movimento.

É muito triste ver que sua profissão não é nada valorizada, nem pelos governantes, nem por algumas parcelas da população. Sempre tenho uma resposta na ponta da língua para aqueles que falam "você vai morrer de fome".

Koppe disse...

Aquela imagem dos montedemerda que votaram contra os professores, por que não tem os partidos também? Isso devia contar na hora de votar, quem vota em legenda poderá estar ajudando a reeleger essas criaturas.

P. P. P. disse...

DESCULPE fora de tema totalmemte
---------------------------------

A prática esportiva do “arremesso de anões” contra paredes pode voltar

Um deputado da Flórida apresentou nesta semana um projeto de lei para restabelecer a prática de "arremesso de anões" contra paredes em casas noturnas, informou nesta quinta-feira (06/10) a edição online do jornal "The Palm Beach".

A iniciativa do congressista republicano Ritch Workman tem como objetivo criar oportunidades de trabalho para os anões por meio do que o jornal classifica como "primitivo e perigoso espetáculo de bar", que foi importado da Austrália, mas acabou proibido em 1989.

Workman disse que atua em uma "missão para detectar e destruir as restrições desnecessárias às liberdades do povo". "Este é um exemplo de um governo que age como o Big Brother", em referência ao personagem autoritário do livro "1984", de George Orwell.

"Nesta economia, ou em qualquer outra, por que queremos impedir as pessoas de conseguir empregos remunerados?", declarou o deputado. "Eu nunca obrigaria ninguém a aceitar este tipo de emprego, nem pagaria para vê-lo. Acho estúpido e repulsivo. Mas não cabe ao Estado impedir alguém que deseja fazê-lo". A informação é da agência EFE.

me poupe! disse...

Lola, a greve dos professores de MG duraram somnente nesse ano, mais de 100 dias. O governador Anastasia, discipulo de Aecinho, não quis nem saber... mandou publicar várias vezes no jornaleco mais lido do estado uma página inteira condenando a greve, faltando dizer que os professores do estado estão fazendo corpo mole. Ano passado a greve também durou mtu tempo. Trabalho na firma do meu cunhado e minha irmã é professora. Pregamos um cartaz na porta dizendo que apoiavamos a greve dos professores, até que um senhor entrou na loja e disse: "Eu acho q os maridos das professoras é que são preguiçossos, querem que as mulheres ganhem muito pra ficarem em casa, dormindo".... Em Minas, o governo PSDB tem grande aprovação. Então quase não se vê ninguem apoiando a greve, nem mesmo os pais dos alunos, a maioria acha q os profesores estão de preguiça, q querem contrariar. Vc nem imagina os horrores q minha irmã conta de algumas turmas q ela dá aula e olha q essa escola é considerada uma das melhores do estado. Tem uma boa estrutura e um bom curriculo...È complicado, Lola...

Koppe disse...

Cid Ferreira Gomes: PSB
Roberto Cláudio: PSB
Antônio Carlos: PT

Gomes Farias: PSDC
Leonardo Pinheiro: PR
Antônio Granja: PSB
Daniel Oliveira: PMDB
Delegado Cavalcante: PDT
Osmar Baquit: PSDB
Duquinha (Manoel Duca): PRB
Inês Arruda: PMDB
Júlio César: PTN
Ana Paula Cruz: PRB
Hermínio Rezende: PSL
Idemar Citó: DEM
Carlomano Marques: PMDB
Mailson Cruz: PRB
Neto Nunes: PMDB
Lula Morais: PCdoB
Mário Hélio: PMN
Moésio Loiola: PSDB
Patrícia Saboya: PDT
Ronaldo Martins: ___
Sineval Roque: PSB
Professor(?) Teodoro: PSDB
Tin Gomes: PHS
Mirian Sobreira: PSB
Welington Landim: PSB
José Albuquerque (Zezinho): PSB
Dra. Silvana: PMDB
Sérgio Aguiar: PSB
Teo Menezes: PSDB
Perboyre Diógenes: PSL
Dr. Sarto: PSB

Fonte.

Maia disse...

É um absurdo que os professores precisem fazer longas greve para que os governos cumpram a lei!
Só queria ressaltar que o valor do piso é referente a professores com nível médio. Não foi determinado um valor para os professores com curso superior, mas esse valor deveria ser bem superior que esse do piso, o que também não acontece mesmo em muitas regiões onde o piso está sendo cumprido.

ntwrdprss disse...

"Eu nunca obrigaria ninguém a aceitar este tipo de emprego, nem pagaria para vê-lo. Acho estúpido e repulsivo. Mas não cabe ao Estado impedir alguém que deseja fazê-lo"

E o que é que tem de errado nisso?
Essa pequena parte 'alguém que deseja' parece que pra esquerda nao vale nada.

Cinthya disse...

Tenham calma com o governador, gente! Ele está economizando na educação estadual para pagar o irmão consultor

<\ironia>

http://www.gterra.com.br/politica/ciro-gomes-recebe-r-22-mil-como-consultor-do-psb-46115.html

Ciro Gomes que, por sua vez, costuma colocar o dedo na ferida dos outros, bradar aos 4 ventos quem é ou não corrupto ... dessa vez está caladinho, na dele ...

Thiago Freires disse...

Acho extremamente importante que se abra o debate e as partes interessadas se apresentem. Estou na europa há 6 meses para fazer uma especialização em educação. Por aqui, o processo de Bolonha unificou as exigências em termos de formação em toda a UE. Agora, qualquer professor só poderá lecionar após o mestrado, pois a licenciatura ficou obsoleta no velho continente. Diferente do nosso país, porém, os professores locais ainda que não sejam tratados como reis, têem o respeito que lhes é cabível. O grau de exigência e recompensa não é tão desigual nessa região. Uma pena que o Brasil insista em ficar anos luz atrás, pois temos muitos dos recursos necessários para uma educação de qualidade. Triste ....

Tauana disse...

Alguém sabe o endereço dele?
seria bacana lotar a caixa de correio dessa topeira com opiniões sobre essa história toda...
As vezes uma pressão por parte da sociedade ajuda, não?

Marcelo disse...

salvou o seu blog com um post que presta, heim lola?

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Lola, viu a última novidade do Twitter? Atacar o Jean Wyllys para defender o Nassif? http://brasilmobilizado.blogspot.com/2011/10/vote-no-tiririca-pior-do-que-esta-fica.html?showComment=1318205124186#c4421414442783185265

Parece que chamar mulheres de Feminazis não import,a ruim mesmo é ter sido ex-BBB...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Lola, aqui em Minas Gerais tem acontecido a mesma coisa ou até pior.
E como a mídia aqui é totalmente a favor do governo a gente só fica sabendo das coisas através de conhecidos, da internet ou quando a gente presencia.
No dia em que a Dilma esteve em Bh, aconteceria uma manifestação dos professores, pacífica. A reação foi PMs sendo instruídos a jogarem gás de pimenta, bomba de gás lacrimogênio nos manifestantes. A mídia não deu um pio.
Só ficamos sabendo porque muita gente presenciou e fez questão de espalhar, principalmente na internet.
Quem viu ficou muito chocado.
O pessoal só votou nesse governador atual por apoiarem cegamente o Aécio Neves, que tem um bom nome aqui em Minas mais por causa da sua família e da mídia que por causa do que fez enquanto esteve no governo.
A situação aqui está surreal.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

"Por que esse “amor à profissão” só é cobrado dos professores? "

Você disse tudo, Lola. Aliás, a educação e os professores são tão desvalorizados, que aqui em Minas é comum que profissionais que tem curso superior e são concursados, trabalhem por volta de vinte horas por semana e ganhem mais que 2000 reais. Um professor trabalha cerca de 24 horas semanais (mais o tempo que passa em casa preparando aulas, corrigindo provas, etc) e ganha cerca de mil reais.
O que faz que o governo e as cidades achem que um assistente social, um nutricionista, um psicólogo, mereçam ganhar mais que um professor, que trabalha mais horas e fez o mesmo tempo de faculdade que eles?
Nunca vou compreender porque a figura do professor é tão desvalorizada.

Relicário disse...

Aqui em Santa Catarian não foi diferente. Nosso governador, Raimundo Colombo, do DEM, antigo PFL, não autorizou o pagamento do piso salarial aos professores, e os deputados, em sua maioria aprovaram um plano de carreira quase tão ridículo quanto esse no Ceará.
Aqui foram computados como piso, todos os abonos e outros benefícios, sem que esses venham a ter reflexo em férias, 13º e outras verbas.
É um total absurdo, nojento mesmo, saber o valor que tem a educação para maioria dos governantes do nosso país.
Nossos professores ficaram dois meses em greve aqui, e seus esforços foram em vão, no final das contas tem professores que receberão menos do que já vinham recebendo.

Dayane Ok. disse...

Eu sou professora de Artes, me formei o ano passado. Trabalhei muito com educação informal, onde vc é desvalorizado e ganha muito pouco. Pore´m, amava o que fazia. Prestei concurso pra ser professora do Estado e passei, mas deram um prazo ridículo de inscrição (24 horas).Nem fiquei sabendo!
Procurei muito trabalho em instituição particlar, pensando que seria melhor tratada: Doce ilusão! Lá é pior ainda!
É muito, MUITO TRISTE que tantos professores e deucadors desistam da profissão pela desvalorização que sofrem! Ser professor dá um trabalho imenso, mas prazer também. Contudo, cm vc disse, não temos valorização alguma, fazendo com que desistamos muitas vezes do cargo que escolhemos. Hoje trabalho cm analista de Mídias Sociais. Não é meu sonho, mas sou bem tratada aqui. Não foi para o que me preparei, mas também não me preparei tantos anos, fiz tantos cursos, para ser tão desvalorizada!

Elisa Maia disse...

Sou formada em Pedagogia, mas também não exerço. Passei em concurso público e, por sorte, ainda consigo trabalhar na área de temas educacionais. A minha experiência no curso de Pedagogia foi ver exatamente esse movimento: as mais preparadas (ou melhores alunas) -- no feminino porque 95% eram mulheres -- fugiram da carreira de professora e foram aproveitar seu diploma em outros trabalhos, fazer concurso etc. Já as restantes, essas sim foram pro ensino. Foram as piores da leva, as que não tinham aptidão ou tempo ou dinheiro para tentarem outra coisa. Entre as melhores da turma, ninguém se conformaria com o tratamento dado às professoras no Brasil, que se reflete não só no baixo salário, mas no descaso geral com a educação.
É uma situação muito triste.

ana_alice disse...

eu não sei como funciona a jornada da de cada um, tem gente q ganha por aula, tem gente q ganha por hora, n sei como é a lei trabalhista q rege isso. sei q nessa lei do piso federal o STF decidiu q a jornada deveria ser de 40 horas semanais, sendo q um terço (13 horas?) é de atividade extra-classe (preparação de aula, etc). talvez os governos estaduais estejam deixando de obedecer por causa desses regimes diferentes (aqui no estado do rio eu sei q tem contrato de 20 horas, por ex, fora do q essa lei prevê. deveriam rever esses contratos, então).

de qualquer modo, acho 1187 reais uma miséria, o piso do professor com graduação, com essa carga de 40 horas, deveria ser 6 mil reais, um salário digno. (e com doutorado=8mil, mestrado=7mil, especialização=6.500)

to falando esses valores com base no q ganha um servidor do judiciário com ensino superior. é o mesmo nível de responsabilidade e tal (pra quem não sabe, o analista jud. é o cara q FAZ as sentenças, o juiz só assina, coordena, mas fazer mesmo fica por conta do servidor)

Michelle Silva Toti disse...

Elisa Maia, não sei aonde vc estudou, mas acabou de dizer algo equivocado.
Eu fiz Pedagogia, me formei em 2004, em uma faculdade pública do Estado de São Paulo. Curso muito bom, com alunas excelentes. A maioria está trabalhando na educação Básica, algumas exceções já estão no doutorado e atuando na Educação Superior. Não sei como vc criou essa classificação de melhores e piores, mas considero todas excelentes profissionais, assim como foram boas alunas.
Para quem faz Pedagogia o destino é a sala de aula, do contrário, procurou o curso errado.
Acho que essa visão só desvaloriza os profissionais da educação.
Só trabalhei em prefeituras do Estado de São Paulo que, comparadas ao resto do país, remuneram bem o professor. O último município no qual trabalhei o salário bruto, com graduação, somado aos R$ 500,00 de benefícios, pagava R$ 3.500 bruto, por meio período. Eu considero um bom salário, além de formação continuada remunerada.
Concurso muito concorrido, mas vale à pena.

lola aronovich disse...

Concordo com a Michelle. Tem muito esse mito de que "pessoa só faz Pedagogia porque não consegue fazer mais nada" (já ouvi isso até de uma colega de faculdade, e meio que bati boca!). Como se ser professora fosse uma profissão menos nobre, ou que exigisse menos esforço e talento, que outras que pagam (muito) mais! Hoje em dia, e já faz um tempinho (porque começou no governo FHC a obrigação que toda professora que desse aula no ensino fundamental tivesse que ser graduada em Pedagogia), as professoras são muito bem capacitadas. Tem graduação, especialização, várias têm mestrado. Não é à toa que existam tantas faculdades de Pedagogia - hoje não se consegue vaga pra trabalhar no maternal sem diploma! A faculdade que eu fiz, em Joinville, era tão boa quanto qualquer outra na cidade. Eu sou suspeita pra falar porque eu realmente só fiz pra pegar um diploma, porque eu queria fazer mestrado, e pra isso precisava de uma graduação. Mas essa sou eu. Eu era exceção. As minhas colegas levavam o curso bem a sério. Muitas já atuavam no magistério. Para outras, de classe média baixa, era a chance de ter um emprego com estabilidade e uma remuneração melhor que a dos pais. Que eu saiba, quase todo mundo da minha turma atua como professora. E tenho certeza que a maioria é comprometida e é boa professora. Então, sinceramente, esse discurso de que "os bons vão fazer outra coisa" não condiz com a realidade. Que professor não é valorizado, não resta dúvida. Mas taí mais um motivo pra tirar o chapéu pra el@s: mesmo sem valorização, el@s persistem. E dão o melhor de si.

Let disse...

Lola, concordo que o piso salarial tem que ser obedecido. Além disso, o que é comum acontecer também, é o salário-base ser um e o professor ganhar benefícios, que transformam o salário em algo um pouco mais digno, mas que não contam para a aposentadoria.

O professor precisa ser respeitado pelo profissional que é (quem é professor e não ouviu já de alunos: vc trabalha com o q, alem de ser professor?), mas essa conquista pela dignidade tem que começar pelo salário.

Thiago Leal disse...

Tem como dizer por cima o que é que está sendo feito/pode ser feito juridicamente? A organização da greve está trabalhando nesse lado, divulgado informações disso?

Elisa Maia disse...

Michelle, justamente por isso que falei que foi a minha experiência no curso de Pedagogia, não posso falar por ninguém mais. Que bom que todas as suas colegas foram alunas dedicadas e se tornaram boas profissionais. Não foi isso que eu vi no meu curso. Como em todo lugar, tinha alunas mais e menos comprometidas, que eu chamo de melhores e piores. Tinha muita gente que estava lá porque a nota de corte no vestibular era menor, que afimava não ter vocação pra coisa, que não se importava com educação, que nunca tinha lido um livro inteiro na vida. Não estou inventando, só relatando o que me contaram. Infelizmente, foi isso que eu vivi. Tomara mesmo que não seja assim em todos os lugares.

Juliana disse...

o que me deixa indignada é saber que, enquanto milhares de profissionais da educação estão sendo humilhados desse jeito, há um certo movimento pró copa gastando milhões de reais e que financiamos essa maluquice por meio dos milhares de tributos que pagamos. não temos liberdade de escolher para onde vai o $ que "investimos" no Estado. pior ainda é ver pessoas que precisam do atendimento do SUS e das escolas públicas a favor desses mega eventos esportivos.
as vezes penso que não remunerar devidamente os professores serve como manobra política: muitos professores não terão ânimo para ensinar, e assim os alunos também não serão incentivados a aprender coisa alguma. em meio a uma massa ignorante fica mais fácil governar em paz.

ps: tinha visto essa charge e acho que representa muito bem o que tem acontecido com a educação nas famílias brasileiras: http://3.bp.blogspot.com/_HJzLxc8-Gr4/TRKPXkoE1sI/AAAAAAAABNQ/kEIaFcXOM5Q/s1600/charge_professor.jpg

letícia disse...

Uma coisa que vários professores diziam, na época de escola é que 'políticos' não querem que a educação pública do país seja boa, querem só dar um jeito de empurrar com a barriga e fingir que ensinaram algo aos alunos. Afinal "para que o esforço?". Mais essa, do piso salarial ser tão baixo para um doutor, só afirmar o que meus professores diziam há anos atrás.
Amor pela profissão não paga contas, não paga um mestrado, nem doutorado. Amor pela profissão não paga nem um pãozinho na padaria.
Que esse governador então, vá ter amor à profissão e se negue a receber salário. Ou que vá receber 300,00 também, para trabalhar em níveis precários.
É a coisa mais absurda isso ai.
Professores deveriam ter um salário bem mais alto do que é o piso, pois são eles que ensinam a população, são eles que tem que ter uma paciência ENORME diante a escolas públicas, que normalmente faltam recursos aos alunos.
Enfim.
Eu tenho vontade de um dia cursas pedagogia ou História, mas ver esse tipo de coisa, dá um desânimo.

Liana disse...

Eu também trocaria um parlamentar por 344 professores. Ou melhor, trocaria vários.

A realização desses grandes eventos esportivos aqui no Brasil me dão uma tristeza imensa. A soma de dinheiro é absurda, muito é desviado, pouco permanece para a população em geral, sucateia-se estruturas e equipamentos, o que fica quase sempre não justifica os custos de manutenção por ser subutilizado. Os benefícios a longo prazo não justificam o investimento. Consigo imaginar coisas bem melhores para se fazer com esses bilhões e que gerariam um ciclo virtuoso, a começar por saúde e educação.

Quantos professores e alunos seriam beneficiados com esses investimentos da Copa? Quantos eventos esportivos nacionais e escolinhas, projetos culturais, de geração de renda e empreendedorismo sairiam ganhando com uma fração disso? Eu realmente não entendo a empolgação. As pessoas aqui parecem gostar mais de ver dinheiro simplesmento sendo gasto do que sendo bem empregado, se for em "festa" então nem se fala.

Regina Spinelli disse...

Em maio passado a Professora Amanda Gurgel deu depoimento na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte falando sobre educação e seu ridículo salário enquanto a secretária estadual acha que tudo está bem.
A situação é a mesma e nada muda de fato.
http://www.youtube.com/watch?v=aC3u_hxa4JQ&feature=related

Aiko disse...

Eu sou estudante de pedagogia, estou para me formar, estava pensando em fazer mestrado, mas do jeito que está só se for por amor pelo conhecimento. E viver, bom, terei que viver de luz, né? Porque salário que é bom professor mal vê. Em Piracicaba, parece que o salário está chegando quase nos R$2000, inicialmente(Isso contando com bonus mil que nunca serão incorporados futuramente à aposentadoria). Devo ficar feliz? Sabendo que tem outras profissões que não necessitam de tanto tempo de estudo? Não menosprezando profissões que não pedem anos estudando numa universidade, mas veja bem: para que esforço para entrar numa unesp, esforço para entrar numa pós e não se sentir reconhecida? E quando digo reconhecida, é uma questão que vai bem além do dinheiro: há uma descrença tão grande na profissão do educador, que não é raro encontrar profissionais desmotivados...

mundomel disse...

Minha é professora municipal em Belo Horizonte (MG) e ganha 1200 reais por 24 horas semanais. Ela contou que um dia estava na excursão com alunos do quinto ano que faziam muito barulho. Foi então que o motorista de ônibus virou pra ela e disse: "Que bosta, hein dona? Que profissão de merda que você tem!".

Isso é o que a mídia faz: colocar o magistério como a pior profissão do mundo e o professor como o culpado disso.

Muitas pessoas que conheço são contra a greve em MG porque chamam os professores de preguiçosos e que professor tem vida mansa porque trabalha sentado e tem férias duas vezes por ano.

Quem é que diz isso? O FDP do Anastasia e o jornalzinho comprado dele.

Quando é que vamos entender que temos que valorizar a educação se quisermos uma melhora de vida?

Concordo com Lola e Michelle: os professores nunca estiveram tão bem formados. O número de professores com mestrado ou pós-graduação/especialização é altíssima. Inclusive a prefeitura de BH oferece bolsas de estudo pra professores da rede municipal (outra coisinha que nosso prefeito Márcio Lacerda quer tirar).

E não vamos esquecer que os próprios alunos acreditam nessa falácia toda e humilham professores e funcionários da escola diariamente.

mundomel disse...

Minha é professora municipal em Belo Horizonte (MG) e ganha 1200 reais por 24 horas semanais. Ela contou que um dia estava na excursão com alunos do quinto ano que faziam muito barulho. Foi então que o motorista de ônibus virou pra ela e disse: "Que bosta, hein dona? Que profissão de merda que você tem!".

Isso é o que a mídia faz: colocar o magistério como a pior profissão do mundo e o professor como o culpado disso.

Muitas pessoas que conheço são contra a greve em MG porque chamam os professores de preguiçosos e que professor tem vida mansa porque trabalha sentado e tem férias duas vezes por ano.

Quem é que diz isso? O FDP do Anastasia e o jornalzinho comprado dele.

Quando é que vamos entender que temos que valorizar a educação se quisermos uma melhora de vida?

Concordo com Lola e Michelle: os professores nunca estiveram tão bem formados. O número de professores com mestrado ou pós-graduação/especialização é altíssima. Inclusive a prefeitura de BH oferece bolsas de estudo pra professores da rede municipal (outra coisinha que nosso prefeito Márcio Lacerda quer tirar).

E não vamos esquecer que os próprios alunos acreditam nessa falácia toda e humilham professores e funcionários da escola diariamente.

Koppe disse...

Juliana disse...
"o que me deixa indignada é saber que, enquanto milhares de profissionais da educação estão sendo humilhados desse jeito, há um certo movimento pró copa gastando milhões de reais e que financiamos essa maluquice por meio dos milhares de tributos que pagamos."

Liana disse...
"Quantos professores e alunos seriam beneficiados com esses investimentos da Copa? Quantos eventos esportivos nacionais e escolinhas, projetos culturais, de geração de renda e empreendedorismo sairiam ganhando com uma fração disso? Eu realmente não entendo a empolgação."


Olha, podem me chamar do que for, mas uma parte de mim tá torcendo pra que venha duma vez essa tal copa, o Brasil passe vergonha épica perante o mundo pra aprender, e pare essa gastança desnecessária. Só os problemas que já apareceram já são grandes o bastante, e há quem diga que o Rock In Rio foi uma amostra grátis do que vai ser a copa...