domingo, 2 de outubro de 2011

O MARIDÃO BATEU MEU CARRO... DE NOVO!

Toda vez que vc faz uma propaganda ruim, um coelhinho se suicida

Sabe o comercial em que a Gisele veste lingerie pra comunicar ao marido que bateu o carro dele... de novo? Já aconteceu comigo. Mas não foi a Gisele. E muito menos eu. Foi o maridão. Sans lingerie.
Sério mesmo. A gente tinha comprado uma Towner. Foi o primeiro carro que tive. Lógico, não era 0 km, porque não tínhamos dinheiro pra tanto. Mas tinha baixa quilometragem, apenas uns 20 mil. Bom, a Towner ficou uma semana na garagem, sem uso. Não quis sair com ela e nem permiti que o maridão saísse antes que o seguro ficasse pronto, porque é um investimento alto demais. Na manhã em que o seguro ficou pronto, bem cedinho, o maridão saiu, foi trabalhar, e me deixou dormindo (eu só trabalhava mais tarde). Pouco depois, ele me acorda. Senta pertinho de mim, na cama, e com a voz super preocupada, tadinho, diz que bateu o carro. Ele tinha acabado de sair com a Towner pela primeira vez e bateu! Tudo bem que a culpa não foi dele, mas o fato é que ele e um outro carro bateram num cruzamento sem trânsito numa manhã nebulosa de Joinville!
Quando o maridão me deu essas péssimas novas, ele não estava só de cueca. Mas estava tão consternado que eu me senti a maior jararaca. O que ele esperava que eu fizesse? Verdade que fiquei chateada, mas tentei disfarçar, poque ele já estava se sentindo péssimo.
No entanto, o comercial com a Gisele abriu toda uma gama de possibilidades (que o Rob explorou brilhantemente)! E se o maridão tivesse optado por me contar a notícia usando cueca? Rolaria sexo selvagem? Cês tão de sacanagem comigo, né? Ele bateu o carro na primeira vez que saiu com ele!

Se depender dos geniais publicitários que bolaram a campanha da Hope ― que eles insistem que não é machista; afinal, são apenas “fatos cotidianos de um casal” ― o maridão deveria ter agido assim:
[Entra de cueca no recinto, estufando o peito:] “Olá, minha deusa”.
Lolinha, já suspeitando que aí tem truta: “Ahn, oi...”
Maridão, flexionando as pernas: “Gostou da minha cueca nova?”
“É bonita, amor. Mas como assim, nova? Você nunca compra nada novo”.
“Desta vez comprei. Esta e várias outras cuecas. Aliás, comprei tantas cuecas novas que estourei o limite do cartão de crédito... Do seu e do meu. Puff!”
“Ihh... Esse não pode ser você. Você é aquele que, da última vez que precisou de um par de chinelos porque o seu arrebentou por excesso de uso, levou seis meses pesquisando antes de comprar um. E no final ainda comprou o mais barato. Quero meu marido de volta!”
[Fazendo muque:] “Isso é com chinelo. Com cueca eu sou muito mais rápido. Quer tocar?”
“Pra cima de moi não, coração. Você nem sabe qual o limite do nosso cartão de crédito.”
“O importante é que eu tô cheio de cueca nova pra mostrar pra você.” [Insinuante:] “Quer que eu vista o próximo modelo?”
“Quê?! Você comprou mais de um modelo diferente? Não tô te reconhecendo. Quando você compra cueca, o que é raríssimo, você pega aquele pacote de leve cinco e pague quatro. E são todas iguais.”
“Mas agora vim preparado porque quero te dar uma notícia. Sabe quem vem morar com a gente? Mamãe! Não é o máximo?”
“Amor, agora eu tô preocupada. Sua mãe morreu faz quinze anos. Vou chamar um exorcista. Sai daí, Satanás, que este corpo não te pertence!”
“Tá. Só me dá um minuto pra eu trocar de cueca e desfilar com minha próxima cueca nova.”
“Deste quarto você não sai. Desembucha logo, vai.”
[Olhando intensamente nos meus olhos:] “Então, amor, preciso te contar uma coisa. Bati o seu carro... de novo!”
“QUÊ?! A Towner novinha em folha que você acabou de inaugurar? Como assim?! Como alguém pode ser tão desastrado?!” [jogando gato em cima dele].
“Calma, minha paixão! Concentre-se na minha cueca nova!”
Narração em off, voz feminina: “Hope ensina. Você é brasileiro, use seu charme.”

62 comentários:

Baka disse...

uhaahuahuahuuauah adorei ^^

aiaiai disse...

to rolando de rir aqui...namorando perguntando se eu fiquei louca, meu filho pedindo silêncio kkkkkkkkkkk

Foi a primeira coisa q pensei quando vi comunicado da hope. Olha o meu tuite no dia

http://twitter.com/#!/aiaiai63/status/119085861005561856

Só lolinha e maridão p transformar isso em uma coisa engraçada!!! Brigada a todos os envolvidos kkkkkkkkkk

Ághata disse...

HUhauhauhauahuahuhauhauh! XD

Barbara disse...

AMEI! A Hope não tem vergonha de chamar todo mundo de burro dizendo que os fatos são cotidianos e independem do sexo, né?? No final das contas, o que mais me irritou foi essa nota sem-vergonha deles.

Na minha relação, é o namorado que compra por impulso, eu sou bem ponderada. Ele estava rolando dívida de cartão de crédito, com aqueles juros deliciosos de 12% AO MÊS. Conversei com ele e disse que ele não era o tipo de pessoa que poderia ter cartão de crédito. Ele concordou e cancelou. Melhorou tanto que achou ruim quando o banco deu cheque especial sem ele solicitar! Fiquei orgulhosa. Mas agora que ele só compra no débito, ficou bem mais fácil de só gastar o que pode.

BARBARA ENSINA.

Liana disse...

rsrs Super natural e cotidiano

Flasht disse...

E se o maridão tivesse optado por me contar a notícia usando cueca?
>>Homem não usa sexo como moeda de troca é a mulher quem faz isso, se um homem faz besteiras acha que ele compensa com sexo é? A mulher quem faz greve de sexo ou põe chifres nele

Rolaria sexo selvagem? Cês tão de sacanagem comigo, né? Ele bateu o carro na primeira vez que saiu com ele!
>>No caso de uma mulher ela iria, querer compensar¬¬

Toda mulher usa atributos físicos para conquistar o que querem, a não ser que não os tenham…
A propaganda com a Gisele só retrata a realidade. É uma enorme hipocrisia feminina agir de uma forma e não aceitar que os meios de comunicação explorem isso.


E é justamente por não funcionar com os homens que a propaganda deu o que falar, e o fato do comunicado dizer que são fatos do cotidiano não quer dizer que os fatos sejam os mesmos

disse...

Algum homem por favor faça um vídeo assim! husahsuhaushuahs Ri demais lendo isso! Precisa ter um vídeo desses!

Pili disse...

isso aí flasht.
estamos dizendo que esta merda não nos representa porque nós não somos assim, mas graças a deus vc é caridoso suficiente pra nos dizer que toooooodas as mulheres do mundo são.
parabéns.
claro, pq vc conhece profundamente mulheres, ahãn...
ah, e a gente que não é assim nem importa né. na verdade nós nem somos mulheres de verdade.
claro, claro.

Aoi Ito disse...

"Jogando gato em cima dele"

POBRE GATINHO!

Andréa disse...

Tadinho do gato! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Sr Dig Din disse...

Aronovich sua desajustada!!!!!

Vc ainda com esse papo da lingerie!!! Larga mão de ser tão invejosa!

Aliás, me parece que não é só o teu olho que é gordo né! Ráaaaaaaa

Vc's feminsitas querem desgraçar a vida das proprias mulheres, inveja é foda, mas move o mundo, o mundo fantasioso em que vc vive!!! Sai dessa bolha!!!!

Mulheres usam seu charme desde que o mundo é mundo, mas vc fica ai reclamando pq nunca seria chamada pra um comercial de lingerie!

HIPOCRISIA A GENTE VÊ POR AQUI!!!

Vai xorar tuas pitangas em outro quintal sua balofa!

XÓOOOOOOOOOORA COM MAIS ESSA!

FUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUI

Cherry B disse...

AHUAHAUHAUHAUH,pobre gato!

-lia- disse...

HAHAHAHAHAHHAHHAHAHAHA

morri

:D

Anderson Santos disse...

ahuahuahua.

Muito boa a comparação.

Ártemis disse...

Desculpa, Lolinha.

Seu post é engraçado, mas a horda de trolls é mais.

Niemi Hyyrynen disse...

Desculpa, Lolinha.

Seu post é engraçado, mas a horda de trolls é mais.[2]

AHUAHAUHAUHAUH,pobre gato![2]

lola aronovich disse...

Gente, só pra dizer que eu JAMAIS jogaria meu gatinho Calvin ou minha gatona Blanche em cima de alguém! Foi só um recurso cômico. Até porque TENTEM fazer com um gato algo que ele não queira fazer, como ser jogado em alguém.
Sobre os trolls, eles certamente são experts em mulheres e relacionamentos humanos. SABEM TUDO!
Nem sei porque eles não têm seus próprios blogs pra nos iluminarem com suas ideias tão avançadas. Podia ser assim: FLASHT ENSINA.
SR. DIG DIN ENSINA. Lógico que todo mundo, principalmente nós mulheres irracionais, invejosas e histéricas, gostaria de aprender com esses senhores de tão alta envergadura moral e gramatical!
Agora com licença que estou morrendo de vontade de comer comida chinesa. Vou lá usar sexo como moeda de troca e já volto. Meninas, nem sei porque a gente continua trabalhando e precisando ganhar dinheiro se essas cédulas de real não valem absolutamente nada pra gente! A gente podia estar aí ganhando a vida de outra forma, como TODAS as mulheres fazem!
Depois de me empaturrar de comida chinesa vou chorar um pouquinho por nunca ter sido chamada pra fazer comercial de lingerie. Chuif. Essa defintivamente é uma mácula na minha vida.

Lívia Pinheiro disse...

Apelo à sabedoria invejável dos trolls: se algum dia eu bater o carro usarei automaticamente a sórdida tática feminina da sedução com a minha namorada, ou isso só funciona com os pobres homens tão facilmente enganados, por mais que se gabem dos seus dois neurônios a mais?

Sr Dig Din disse...

E TENHO DITO!

Vc's quando se deparam com um forte argumento como os apresentados aqui pelos guerreiros Flasht, Ntwdrpss e Serge vc's mudam de foco! Fazem troça pq não conseguem sustentar suas falacias feminazi!

ANOTRAM ESSA PORRA? PEGARAM A CARDENETA?

Barbara O. disse...

Hilário!

homens feministas, filmem isto, pelamor!!!!!!!!!!!!!!

Pat Ferret disse...

Rsrsrsrs Adorei!

Elisa Maia disse...

Ahauhauahauahauahauau, Sr. Dig Din, nunca pare de aoarecer por aqui, por favor!!! Você expressa a mentalidade troll como ninguém! Um dos melhores fakes que já vi, comparável à(ao) Cleycianne!

Ana Vitória disse...

Lola, aqui um comercial "imoral" que foi realmente censurado. Motivo? As atrizes estavam propagando a "promiscuidade". O que mais dá medo são os comentários.

http://www.youtube.com/watch?v=u9G5NHkhsFI&feature=player_embedded

"Depois de sofrer várias críticas o comercial “Avó” das Havaianas foi retirado do ar da tv-aberta sendo transmitido apenas via internet. O comercial criado pela empresa AlmapBBDO, mostra a avó conversando com a neta em um restaurante quando entra o ator Cauã Reymond, que vira cometário entre avó e neta. Quando a neta fala da dificuldade de namorar famosos, a avó retruca dizendo que está falando de sexo e não de relacionamento. Por este motivo igrejas, pais de crianças e pessoas mais conservadoras caíram matando em cima do comercial. A crítica gira em torno do estímulo ao sexo em um comercial diurno e em horário livre. Pastores dizem que o comercial estimula o sexo em detrimento do casamento e que isso seria inaceitável.
As Havaianas aceitaram as críticas e retiraram o comercial do ar"

márcia disse...

muito bom :)

Blanca disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAAHHAHAAHA


SOFRI

Robson Fernando de Souza disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Adorei essa, Lolinha. Mostra como tosco e absurdo é o tal comercial da Hope.

(Aliás, tardiamente dei meu ponto de vista sobre ele aqui.)

denise disse...

Ai Lola vc não existe, e se tudo o mais falhar, com seu talento vc arruma facinho emprego como redatora de programa de humor.
Lembrei de algumas vezes que o pobre do meu marido tentou a sedução pra me dar mas noticias, tadinho hoje em dia ele nem tenta mais, tantos foram os fracassos rrrsss, hoje ele adota a tática de esconder as besteiras que faz.

lola aronovich disse...

Gente, falando sério agora. Se alguém se sentir ofendidA (coloco no gênero feminino porque esses mascutrolls são misóginos e covardes e, portanto, geralmente só atacam mulheres) com as besteiras ditas por Flasht, Sr. Dig Din, ou qualquer outro asno (com todo o respeito aos asnos) que aparecer, é só avisar que eu deleto. EU não me ofendo porque sou casca-grossa mesmo e tô acostumada a ofensas maiores. Mas não posso exigir que outras comentaristas atacadas aqui tenham a minha (falta de) sensibilidade.

Pois é, acabei de receber um Tweet dizendo que esses trolls, além de não serem engraçados, acabam com a vontade de comentar. E eu não hesito: se eu tiver que escolher entre ter comentários inteligentes e espirituosos de pessoas igualmente inteligentes e espirituosas, e ter comentários agressivos, pessimamente redigidos e preconceituosos de trolls estúpidos (mesmo que seus comentários às vezes sejam não-intencionalmente engraçados), eu fico com o primeiro time. Não adoto moderação de comentários, mas posso deletá-los logo que os leio.
Acho que de vez em quando ter comentários idiotas é divertido, mas sempre não. E quando o troll começa a receber muita atenção, passa a se sentir importante, fica cada vez mais obsessivo e viciado -- o que é compreensível, porque obviamente são pessoas insignificantes nos círculos deles. O mais triste é que eles não conseguem atenção em blogs e fóruns mascus e de direita, porque lá são apenas "mais um". Imaginem como deve ser bom pro egos deles vir aqui, receber atenção, e ainda achar que estão vencendo discussões e "metendo a real". E não duvido que eles achem isso, porque vivem em universos alternativos, sem nexo com a realidade.
Então, gente, é só avisar. Me digam quando eles estiverem "crossing the line" (passando dos limites) com insultos pessoais.

Amanda disse...

Escangalhei de rir com a parte do "pesquisou seis meses antes de comprar um chinelo"!

:p

Marilia disse...

Tadinhos dos coelhinhos, estão morrendo aos montes. =P

Às vezes eu me sinto no programa MAD MEN, ambientado nos anos 60, com essa publicidade toda sexista.

Lucas disse...

Lola,

Só corrigindo seu último comentário:
"E não duvido que eles achem isso, porque vivem em universos alternativos, sem ANEXO com a realidade."

Olha a gramática, pô!

(rs)

Beijos!

Barbara disse...

E ele disse "guerreiros"!

Guerreiros, gente! Nível Bial no Big Brother Brasil. Como não rir??

yulia disse...

e ainda dizem que esse blog não é democrático... é tão livre que deixa duas antas pré puberes machistas falarem aqui.

yulia disse...

alias vejam esse blog , muito bom!!!
http://scienceblogs.com.br/odiva/2011/09/o-sexismo-benevolente/

lola aronovich disse...

Bom, deletei dois comentários mais agressivinhos do Mr. Dig Din, porque achei que ele passou dos limites no modo em que se referiu as minhas leitoras queridas.
Barbara, eles dizem "guerreiros" porque boa parte dos mascus são Guerreiros da Real, também "conhecidos" (nem pelas mães deles!) como GdR. E o que eles fazem é meter e mandar a real (A Verdade, de acordo com esses loucos desvairados) em feminazis, manginas e matricianos. O mais legal de ser um mascu é que vc não precisa argumentar absolutamente nada, basta escrever um FUEEEEEINNNN pra ter certeza absoluta que ganhou a discussão.


Ha ha, Lucas, confesso que pensei no negócio de NEXO / ANEXO! Estou mais atenta aos "comentários sem anexo" ultimamente, sabe como é.

Shey disse...

yhuhauahuahauahuahau, adorei, isso podia virar comercial!!!

Só não é mais engraçado que os seus trolls, falando de mulher como se eles tivessem alguma vez na vida se relacionado com alguma (mãe não conta)

rizk disse...

Falando em maridão comprando chinelos...

Lembram da celeuma que foi o comercial das Havaianas, da vovó dizendo "não estou falando de casar, estou falando de sexo"?

http://www.youtube.com/watch?v=KxgTJMZo8Kg&feature=player_embedded

Depois a Havaianas tirou da Tv e soltou um com a vovó foférrima explicando que, como tinha gente ofendida (!), ia passar só no site.

Sem entrar no mérito... mando uma caixa de cookies caseiros pra Hope se tiverem essa dignidade.

Gabriele disse...

Perfeito Lola! Muito engraçado! Mostra exatamente todo o delírio do comercial da Hope. Além do machismo mostrado ser ofensivo às mulheres, é ofensivo aos próprios homens, retratados como seres acéfalos que só pensam em sexo. Senhores publicitários e trolls, o mundo real não é assim!

rizk disse...

Ok, a Ana Vitória lembrou do comercial das Havaianas antes!

Agora um que, espero, seja inédito:
http://champ-chronicles.blogspot.com/2011/09/lingerie.html

O comecinho:
- Querido?

- Hum?

- Posso falar com você?

- Claro.

- Olha para mim?

- Pronto. Desculpe... Ei, nós vamos sair?

- Não, por quê?

- Então porque você está trocando de roupa?

- Não estou me trocando.

- Então porque você está só de calcinha e sutiã?

- Porque eu quero falar com você.

- Mas você precisava estar sem roupa?

- Sim.

- Você não está doente, está?

- Como assim?

- Você aparece aqui quase sem roupa e dizendo que precisa conversar. É sinal que eu vou ter que apalpar algo. Não é câncer de mama, né? Você sentiu algum caroço?

- Não é nada disso!

- Ok, mas você precisa concorda comigo. Eu apareço na cozinha vestindo cuecas e dizendo que preciso conversar com você. Aposto que você ia pensar na mesma hora que era sobre aquele meu joelho bichado.

- Não. Eu iria achar sexy.

- Oi?

- Sim, eu acharia sexy. Você não me acha sexy com esse lingerie?

- Acho. Essa calcinha fica bem em você. Era isso?

- Não. Eu quero contar uma coisa.
(...)

Anunciação disse...

Eu confesso que deixo de comentar por causa desse povo que polui seu blog;e como gosto de ler os comentários,independente se concordo ou não,me sinto ofendida,sim.Claro que a decisão é sua e às vezes noto que algumas comentaristas se divertem e não gosto de ser estraga-prazer.

Fernanda: disse...

Olá Lola, este é o primeiro comentário que eu faço aqui no seu blog, apesar de já fazer um tempinho que eu o leio e me interesso bastante pelos assuntos aqui tratados.
É impressionante que quando nós estamos escrevendo sobre assuntos como "gênero" dentro da universidade, acreditamos que essa é uma categoria já assimilada pela sociedade. Mas a quão surpresa eu fico ao ver que muitas pessoas misóginas ainda tentam defender um retrocesso desse processo fora dos muros da academia.
Então acho que reside aí o grande mérito do seu blog: transmitir conhecimento (para aqueles que estão abertos a isso) para pessoas que não tem acesso à academia sobre assuntos como "gênero", que atualmente são bastante debatidos nas universidades.

Mari Lee disse...

Hahaha
Adorei!

Mas (espero que seu marido não leve a mal) gostei mais da idéia de um comercial com o cara lá da cueca preta.
"Querida, preciso te contar uma coisa... bati o seu carro, de novo. E também estourei o limite do seu cartão."
POR FAVOR, alguma marca de cuecas faz isso???

Também adorei seus comentários, Lola!

"TENTEM fazer com um gato algo que ele não queira fazer"
SO true

"esses senhores de tão alta envergadura moral e gramatical!"
HAHAHA

"Agora com licença que estou morrendo de vontade de comer comida chinesa. Vou lá usar sexo como moeda de troca e já volto."
Chorei de rir!

Giovani HG disse...

Lola, uma notícia boa:
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/984550-rafinha-bastos-estara-fora-do-cqc-nesta-segunda.shtml
tua voz deve ter tido uma parcela do peso pra isso acontecer ;)

bruna disse...

O pior de tudo é que além de ser de péssimo gosto, de querer subestimar a inteligência de quem vê e se indigna, ainda toma ares e vende fora do Brasil não só lingerie, mas a imagem esteriotipada da mulher brasileira. E tome turismo sexual, tráfico de seres humanos para fins sexuais, etc, etc.... E tem gente ainda que acha que não tem nada a ver! Só vc Lola pra eu rir pensando neste assunto!

yulia disse...

A gota d'água foi a piada feita na semana passada sobre a gravidez de Wanessa Camargo. "Eu comeria ela e o bebê", afirmou Rafinha.

pedofilia velada, que nojo, ele se superou nessa, é pedir demais eu sei mas esse cara merecia ser banido da televisão.

yulia disse...

"Sobre a piada feita pelo Rafinha Bastos, no programa 'CQC' que foi ao ar no dia 19 de setembro, eu, como pai, entendo e apoio a revolta e a indignação do Marcus Buaiz, um homem que conheço e respeito. Se fizessem uma piada com este contexto sobre a minha família, certamente ficaria ofendido. Com certeza uma piada idiota e de muito mau gosto."

essa foi a nota do Marco Luque companheiro do rafa bastos....
é galera, quando são os outros, tudo bem... mexeu com a familia alheia, a conversa muda.

Dani disse...

Lola, quando você pensa que as coisas não podem piorar mais, Ricardo Noblat escreve um texto pra lá de "engraçado".

Nunca li tamanha asneira, nem acredito, pra falar verdade.

Veja só:

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2011/10/03/marido-de-gisele-bundchen-se-apaixona-por-iriny-lopes-409118.asp

Gansoh disse...

Ahhhhh

NÃO CREIO que aquele comercial das Havaianas foi tirado por causa disso...

Ô.ô.............

Jesus Cristo, onde vai parar a homenidade?

Rodrigo Bodão disse...

Se eu fosse publicitário e tivesse a conta da Zorba ou outra marca de cuecas, sem dúvida eu faria uma paródia.
Quanto aos trolls, é bom moderar mesmo, se não realmente acaba afastand uma galera.

Flasht disse...

Lívia, só funciona com homens mesmo e vc não precisa saber pq


Ana Vitória, vitória de vcs pôs o da Gisele saiu até do YouTube

Gabriele, gosto muito do que vc comenta, mas o mundo real não é como as feministas ou muitas mulheres pensam

Pra quem se ofende: A verdade doi, se não vissem um pingo de verdade no que Alguns pouquíssimos aqui dizem fariam como os "anti-troll" fingiria(?) que é comedia, coisa de alienado, coisa de quem não sabe do que está falando...

Flasht disse...

Ahh Já estava escrito no 1º coment
mas vou destacar pra inglês ver

Toda mulher usa atributos físicos para conquistar o que querem, a não ser que não os tenham…

Além do mais toda regra...
Por tanto como pode a Lola chorar ou brincar que vai usar sexo como moeda de troca? Eu por acaso afirmei que alguem em especifico faz/fez isso?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Ah, Lola. Acho os trolls uma chatice.
A gente lê o post, vem ver os comentários dos leitores e é essa mesma ladainha, ofender você, ofender comentaristas, repetir chavões machistas e antigos do tempo em que a minha bisavó era virgem como se fossem novidade ou como se o pessoal daqui nunca tivesse ouvido antes ou já parado pra refletir em algum momento.
Discordar e argumentar é uma coisa, trollar é outra. Na minha humilde opinião, um espaço como o seu ficaria bem melhor sem trolls.
Abçs

Luiz disse...

Toda essa discussão sobre a propaganda da "Hope" com a Gisele me parece surreal e ilógica. Acho que existe muita irracionalidade nesse debate. A coisa acabou virando um FlaFlu de mau humorados. O bom senso desapareceu e o que se mais se observa é uma troca de ofensas mútuas. Tipicas de pessoas que não conseguem ter argumentos consistentes. Fazem muito barulho por nada. Deveríamos cuidar do que importa, inclusive da situação das brasileiras que necessitam, de fato, serem amparadas pelas políticas que a Senhora Iriny Lopes deveria implementar a frente de seu ministério. Mas não, parece que a ministra está ocupada demais com problemas "maiores". Como a batalha das calcinhas.

Quando se começa a discutir se a senhora Iriny Lopes é bonita ou feia observa-se o machismo implicito de seus opositores. Fato. Não compactuo com isso. Mas o que se deve saber é se esta senhora tem condições de estar a frente de uma secretaria de mulheres. No meu ponto de vista não. Não porque ela é feia ou bonita, mas porque é incompetênte. Por isso irei centrar a discussão na inoperância da ministtra.


A Senhora Iriny Lopes, caso fosse uma profissional um pouquinho mais apta para o cargo, deveria se preocupar com a situação degradante de algumas mulheres que vivem em nosso país. Especialmente daquelas mulheres que são vítimas de violência doméstica, da prostituição forçada, de estupros e das adolescentes que são colocadas em unidades prisionais junto com homens para serem constantemente abusadas.

Mas o fato é que a senhora Iriny Lopes decidiu centrar fogo numa propaganda de calcinha. Optou por censura-la. Neste momento a ministra optou por defender a coisa mais obscura que a humanidade ja produziu, o cerceamento a liberdade de escolha. Na nota censora, a ministra alega que "propaganda promove o reforço do esteriótipo equivocado da mulher como objeto sexual de seu marido". Olha, nós homens, somos simultaneamnete sujeitos e objetos de nossas esposas e vice-versa. O que se tem que ver é se concordamos e aceitamos isso de forma livre. Sem nenhuma ameaça ou cerceamento da liberdade de escolha individual.

Se um homem dispõe a deixar o seu carro ou seu cartão de crédito nas mãos de uma mulher é problema dele. Se a mulher decide usar uma calcinha de renda na hora de contar para o marido que estourou o limite do cartão, problema dela. Em nenhum momento a propaganda incita a violência. Para ser sincero, a propaganda até dá uma ridicularizada com os homens que parecem ficar ipnotizados na frente de uma calcinha. Retrata um típico homem pastelão, bobo e incapaz de pensar. Tem homens que caem nesse truque? Possivelmente os mais idiotas caem, mas acho que o limite do cartão deles deve ser bem baixo. Por razões óbvias.

Ao que me parece a senhora Iriny Lopes é uma pessoa de muita garganta e quase nenhuma ação. Quando as mulheres de fato precisam mesmo das políticas do ministério, sempre chegam atrasados, quando estas já estão mortas ou espancadas.

Um país evoluido é país sem pessoas que acham que sabe o que é bom para corrigir a vida dos outros, e quer impor isso por decreto.

Senhora Iriny, queremos liberdade para as mulheres usarem as calcinhas, cinta ligas e sutiãs que elas quiserem. Nós homens nos comprometemos a comprar algumas cuecas box. Se isso vai funcionar eu não sei. Depende das partes envolvidas. Isso é algo de foro íntimo de cada um. O que duas pessoas adultas e em pleno gozo das faculdades mentais fazem livremente com suas vida, inclusive na cama, é problema delas. Problema tem quem tenta controlar isso.

Ministra, como mencionei acima, acho que o ministério da senhora já tem bastante trabalho caso a senhora de fato esteja interessada em trabalhar para o bem das mulheres que precisam do seu esforço. Mas, por favor, não inventa.

Magnólia disse...

Lola, Milton Ribeiro fez a seguinte versão:

http://miltonribeiro.opsblog.org/2011/10/03/lingerie/comment-page-1/#comment-37379


(sei que já deixei esse link em outro post, mas é que é tão engraçado! hehehe)

Beijos, adoro seu blog!

Magnólia disse...

Magnólia = Luisa Lima
(só que não tenho uma conta no Google para postar comentários)

Francisca disse...

Vixe! Hahaha! Mas a fotinha do Gianecchini foi pura maldade. Se ele tivesse feito uma propaganda de cueca com o teu texto, iria fazer o maior sucesso. Até os homens concordam que ele é um gato. Sem frescura, claro. Rsrs

Magnólia disse...

O diálogo que Milton postou é do seguinte blog (my mistake):

http://champ-chronicles.blogspot.com/

Mari Lee disse...

Tem uma enquete no site da Carta Capital (http://www.cartacapital.com.br/) sobre o comercial.

Mari Lee disse...

Luiz; esse texto enorme que você escreveu se baseia num grande equívoco: o problema do comercial NÃO é a Gisele Bündchen aparecer de calcinha.

E a Secretaria de Política para as Mulheres pediu ao Conar (órgão de auto-regulamentação da publicidade) para que o comercial fosse retirado porque havia recebido vários pedidos do público para que tomasse uma providência. E, segundo o Conar, além do pedido da Secretaria, houve outros 15 pedidos para que os mesmos comerciais fossem retirados.

Isso não tem nada de "censura".

Pra mim, a propaganda é terrível e estimula preconceitos, estereótipos E violência contra a mulher, SIM.
Eu apoio a ministra Iriny Lopes!

Flasht disse...

A secretaria mais 15 é suficiente para tirar um comercial até da net?

Luiz disse...

Mari Lee, essa discussão sobre a liberdade de expressão precisa ser mais ampla. Não dá para se apegar a critérios demasiadamente subjetivos para decidir sobre conceitos e opiniões. Para ser sincero, sou defensor da ampla e irrestrita liberdade de opinião. Mesmo as estúpidas.

Sou judeu e já li muitos livros anti-semitas por ai. Talvez o mais famoso escritor anti-semita seja Shakespeare (Leia o "Mercador de Veneza") mas acharia uma atrocidade sem tamanho sair por ai queimando os livros dele. Para ser sincero eu defendo inclusive o direito de publicarem o Mein Kampf (Este livro só não é publicado atualmente porque o Estado da Baviera comprou os direitos autorais do livro e proíbe sua reprodução. A apreensão desse livro se enquadra portanto em pirataria. Em 2016 pelas leis autorais ele será domínio público e esse é um assunto que mobiliza a comunidade judaica no mundo e o governo alemão), apesar de querer ver o mundo completamente livre do nazi-fascismo, por razões óbvias.

Se a propaganda da Gisele sobre calcinha é boa cabe aos consumidores decidirem. Não gostou. Desliga a TV. Não compra o produto. Escreva textos em blog. Organizem passeatas. O que eu não concordo é com as pessoas defendam que a Ministra das Mulheres tenha o direito de tirar do ar tudo aquilo que ela julga que é inapropriado. E ela fez sim pressão para o CONAR para tirar a propaganda do ar. Isso para mim é intromissão indevida do governo.

Vou te dar um exemplo. Morei na Alemanha durante meu doutorado. Voltei de lá ha pouco tempo. Os germânicos também tem lá um Ministério das Mulheres no governo conservador de Angela Merkel liderado pelos Democratas Cristãos. É um direito do governante montar a estrutura que ele quiser. O diabo todo é que a ministra das mulheres de lá, a Frau Schröder, defende idéias diametralmente o opostas as defendidas pela Senhora Iriny Lopes. Na opinião da ministra dos assuntos femininos alemã, as mulheres devem ficar em casa cuidando da família, da casa e dos filhos. Isso foi pauta de campanha. Os Democratas Cristão ganharam com esse discurso. Não enganaram ninguém. E aponta possíveis vantagens disso (Na opinião deles. Isso não é opinião minha). Redução do desemprego, aumento da taxa de fertilidade (os alemães tem um problema sério de envelhecimento populacional), redução da violência, pois as mulheres teriam mais tempo de educar os filhos. E por ai vai.

Para corroborar as suas idéias, Die Frau Schröder, fez uma pesquisa entre as famílias muçulmanas que moram na Alemanha (A taxa de fertilidade das alemãs muçulmanas é mais alta que das não muçulmanas. O número de muçulmanas que trabalham fora é mais baixo). Foi nessa parte que entrou em ação uma personagem que você deve conhecer, Alice Schwarzer. Protagonizaram discussões violentíssimas, pois Die Frau Schwartzer não tem a menor simpatia pela vestimenta islâmica usada pelas mulheres e pelo modelo feminino islâmico. O pau quebrou.

Hoje tem-se no governo brasileiro uma ministra que defendem idéias que vocês apoiam. Neste sentido a ideia da ministra de usar o rolo compressor do governo para esmagar uma ideia contrária é amplamente apoiadas por vocês. Neste sentido a pressão do ministério sobre o CONAR é uma crítica justa pois é um método para sobreporem sobre os seus adversários. Mas agora imagine que os conservadores ganhem as eleições no Brasil em 2014 e nomeie para ministra alguém do perfil da Schröder (não me lembro do primeiro nome dela) e a "Hope" decida vender ternos (a roupa) para mulheres que trabalham fora. Hora! Provavelmente a senhora Schröder brasileira vai ficar furiosa. Pois na opinião dela as mulheres tem que ficarem em casa e aciona o CONAR para tirar do ar a propaganda. O que vocês fariam?

Rob Gordon disse...

Oi Lola!

Tudo bom? Antes de mais nada, obrigado pela citação aqui no seu post! Passei uns dias meio fora do ar, então só estou conseguindo agradecer agora - e aproveito para dizer que fiquei muito honrado com a menção. :)

Além disso, queria convidar você e seus leitores para ler a continuação do texto Lingerie, que postei ontem no Champ Chronicles. Chama Cuequinha, e o link é esse: http://champ-chronicles.blogspot.com/2011/10/cuequinha.html

Um beijo!

Rob