quinta-feira, 21 de julho de 2011

DE VOLTA DAS FÉRIAS NAS EUROPAS

Lolinha privatizando banco suíço

Olá, gente boa e querida, cá estou de volta! E, como
minha última estada foi em Lisboa, volto falando e pensando em português de Portugal. Não quero nem imaginar o que aconteceria com a minha fala e escrita se eu tivesse ficado mais de dois míseros dias em Lisboa. Sério mesmo, pouquíssimas vezes na vida captei tão rápido um jeito de falar. Pra piorar, estou até lendo com entonação portuguesa! Mas já já volto ao normal (tipo, pronunciando Por-tu-gal, e não Port'gal. Agora minha meta é aprender a falar cearense).
Voltei ontem à noite. As férias de quinze dias pela Europa foram ótimas, e preciso encontrar um tempinho pra escrever um pouco sobre essa viagem memorável. Talvez pro sábado. Por enquanto, consegui filtrar e ler os mais de 250 emails (ainda não respondi nenhum, e não acho que encontrarei uma folguinha pra responder a muitos, infelizmente) e os não-sei-quantos tweets. Falta ler os comentários deixados aqui. Pelos meus cálculos, são “apenas” uns 520. E, claro, preciso retornar ao meu cotidiano de escrever posts, preparar aulas, participar de reuniões, dar palestras, escrever artigos acadêmicos que deveriam estar sendo escritos e publicados se eu quiser sobreviver no meio (vamos admitir que “publish or Paris”, publicar ou Paris, é muito mais atraente que o conhecido “publish or perish”, publique ou morra, mote nas universidades de todo o mundo), e por aí vai. Casal romântico privatiza banco português

Minhas desculpas às leitoras de Paris e Genebra que queriam se encontrar comigo (minhas leitoras são muito chiques, mas passei por aí meio voando, só olhei pra uma tela de computador durante sete minutos durante duas semanas, e o hotel quatro estrelas pedia 50 euros de depósito só pra fazer uma ligação local!), e ao Cavaca, leitor antigo e garçom em Lisboa que, aposto, deve estar falando igualzinho a um português (você foi muito lembrado a cada gorjeta, Cavaquinha! Inclusive, sou dessas pessoas irritantes que às vezes comem azeitona com garfo e faca). Perdão, gente, não deu pra ver vocês! Foi tudo muito, muito corrido mesmo.
O maridão tirou quase duas mil fotos da viagem, e vamos ver se ele consegue organizar tudo e me conceder mais algumas pra eu publicar aqui. O que posso dizer por enquanto é que a Europa não é assim tão absurdamente cara como pensávamos, pelo menos pra visitar (morar é outra história: o metro quadrado em Paris e várias áreas de Roma e Madrid ― melhor nem falar em Genebra ― sai por 10 mil euros). Tínhamos levado 500 euros em espécie e mais 800 num cartão pra gastar lá em comida, transporte interno, compras e tal, e voltamos com... quinhentos. Gastamos menos de 800 euros nessas duas semanas, mais de 10% do valor só em, hum, sorvete. É verdade que o que chamamos carinhosamente de “nossa índole” ― de pãos-duros miseráveis com escorpião no bolso (gíria tão antiga que nem eu conhecia; o maridão que me ensinou) ― não permite extravagâncias, mas se depender de turistas muquiranas como nosotros, a Europa não sai da crise tão cedo.
Ontem no check-in de Lisboa a ultra-simpática (sem ironia; achamos os portugueses de uma simpatia a toda prova) atendente da TAP perguntou como a gente deixa a Europa despachando uma mísera malinha. Mal sabe ela que dentro da mala pequena havia
três quilos (estimativas conservadoras) de chocolate. Tudo marca baratinha, óbvio, mas alguém me explica como uma barra de 100 gramas comprada em supermercado sai por 34 a 40 centavos de euro na Europa. Isso não dá um real! E aqui no Brasil chocolate é caríssimo... Também contrabandeamos dois pedacinhos minúsculos de queijo roquefort, que sobreviveram à viagem sem contaminar toda a mala. E devo declarar que não me incomodo se tiver de viver o resto da minha vida só comendo queijo roquefort e barrinha de chocolate de 40 centavos de euro.
Agora que estou de volta veja se volta ao meu blog também, pessoal! A média de visitas diárias durante minha ausência despencou pra 2,550 por dia. Pelo jeito eu não fui a única a sair de férias! Acabou a moleza, gajos e raparigas!

23 comentários:

Renata Xu disse...

ebaaaa! a lola voltou! <3

Calíope disse...

So... OUR LOLA IS BACK!!

Pois se Lolinha ficou sem acesso durante suas férias nórdicas, eu aqui fiquei na mesma (um pouco mais ao sul, digamos...)
Férias aqui em casa é na nossa casinha do sítio. Internet? Pra quê? Quem precisa, afinal?

E sabe, Lola, que conversando com meus pais (sim, ainda existem adolescentes que dialogam em família) eu citei você. Comentei do e-mail que mandei, da sua resposta e tudo... Eis que surge o primeiro comentário, de mamãe:
"Olha, já to gostando dessa Lola!"
hehehehe

É isso... Lolinha fazendo fãs all over the world ;D

(Ah, depois a gente acerta minha comissão publicitária, ok? hahaha)

Giovanni Gouveia disse...

Bem vinda de volta ao Nordeste Brasileiro, minha cara "ídala" da blogsfera ;)
E sim, eu também poderia viver comendo roquefor (whatever se escreva essa delícia), mas devidamente acompanhado de vinho ;)

Blanca disse...

Voltooou! Quero no mínimo 7 posts sobre essa viagem. :P

Pili disse...

é ótimo ler você de novo!!! :P

Luciana disse...

Lolinha, sua linda! Que bom que vc voltou! Eu nao abandonei teu blog nao, mas admito q senti falta dos seus posts, mesmo que os guest posts fossem otemos!!
E Europa a vida nao eh cara nao, principalmente qdo se ganha em euros... To de ferias no brasil e as vezes tenho um troço qdo faço as compras pra minha mae e vejo o pacote de papel higienico a quase 10 reais, litro de suco por 4 reais... a vida aqui é cara demais, mesmo se o poder aquisitivo tenha aumentado... Soh espero q uma hora se estabilize, senao ainda convenço mamis a ir morar la nas zoropa!! hihihi
Aproveita esse momento bom da volta, tanta coisa, tantas cultura na cabeça... que os estimulos desse continente cheio de historia possam te trazer ainda mais ideias!!

bjo grande da tua fanzoca

Lord Anderson disse...

Seja muito bem vinda de volta Lola.

que vc tenha recarregado as baterias para encarar a maratona diaria.

Suas leitores agradece, o retorno.

Carina Prates disse...

Bem vinda de volta, Lola. Quero mais detalhes da viagem!! =D

aiaiai disse...

se calhar, volto aqui hoje mesmo!
Bem vinda!

Kaká disse...

Seja bem vinda!

Pois é, caro está o Brasil. (não esqueço que em Londres, ano passado, comprei banana no supermercado mais barato que compro aqui, e, até onde eu sei, não plantam bananas na Ingalterra)

Bruno S disse...

Achou Portugal muito giro, pá?
Achar que está crque no idioma ou sotaque local é das partes boas de viajr. Já voltei para casa "craque" em português lusitano, catalão, castelhano portenho, quéchua e agora criolo caboverdiano.

Agradeçamos a Europa barata à crise deles e a nosso câmbio sobrevalorizado. E esse processo deve continuar.

Há não muito tempo atrás eles no achavam de graça e a Europa nos era proibitiva.

Bruno S disse...

Segue uma os as taxas de inflação Real X Euro e a taxa de inflação ao consumidos de Brasil e França dos últimos anos.

Ajuda a entender porque a Europa não é mais tão cara.

Taxa de Cambio
21/07/2011 2,2366
21/07/2010 2,2659
21/07/2009 2,70145
21/07/2008 2,51300
20/07/2007 2,57039
21/07/2006 2,78254
21/07/2005 2,84484
21/07/2004 3,70485
21/07/2003 3,27202
19/07/2002 2,90181

IPCA

2002 12,53
2003 9,30
2004 7,60
2005 5,69
2006 3,14
2007 4,46
2008 5,90
2009 4,31
2010 5,91

IPC França

2002 1,91
2003 2,11
2004 2,13
2005 1,74
2006 1,68
2007 1,49
2008 2,81
2009 0,08
2010 1,53

Experiência Diluída disse...

Uhu.. Lolinha voltou!! Cheia de novidade para nós, não vejo a hora de vc contar tudinho, escreva Lola escreva!

Ahh.. Lola, notícia boa, o Rafinha Bastos vai ter que depor sobre incentivo e apologia ao estupro depois daquele depoimento que ele devu a revista Roliing Stones, espero que haja punição. Pelo menos, já foi um grande avanço para a conquista feminista!

Abraço querida!

https://www.inalisilva.blogspot.com

denise disse...

Saudades de vc Lola, espero que tenha curtido muito suas férias, e daqui pra frente escreva Lola escreva muito....

Flávio Brito™ disse...

Deve ser interessante viajar por Portugal e notar as diferenças no idioma.
Me parece que o portugueses seguem a língua falada mais “ao pé da letra” que os brasileiros.
O sotaque é meio chato, mas da aprender muito com o povo português.

Milena disse...

Um amigo meu me mandou um vídeo de um grupo musical lusitano outro dia e eu penei pra entender o que "a gaja estava a cantar" hahaha! Eu tenho muita vontade de conhecer Portugal :)

cronicasurbanas disse...

Bem vinda! A primeira visita à Europa às vezes é meio corrida mesmo, maas o legal depois é voltar escolhendo apenas alguns poucos lugares e aproveitar tudo com calma. Dois dias em Lisboa só arranha a superfície!
Essa história de Europa ser cara realmente depende muito do tipo de viagem que a pessoa faz. Existem muitas opções para baratear acomodação, alimentação e transporte, tem é que saber como.
E seu marido joga no meu time, se acaba na câmera digital... :)
abraço
Mônica

Laetitia disse...

Lolinha! que bom que aproveitou as férias! sentimos sua falta por aqui, e vou dizer pq...

bom, não sei se vc está sabendo, mas lá na Unicamp tá rolando um movimento pelo fim da onda de estupros em Barão Geraldo, o distrito de Campinas onde fica a cidade universitária. eu tô praticamente só acompanhando pelo facebook (e já tem + de 2000 pessoas participando "virtualmente"), e pelo que percebo, as soluções práticas p/ o problema estão sendo motivo de bastante discussão e divergências. como "resultado" do movimento, a ideia é que haja uma passeata em agosto, dentro do distrito de Barão Geraldo.

se ninguém ainda passou pra vc, aqui está a página do evento: http://www.facebook.com/event.php?eid=200560413327292 (acho que vc consegue ver, mesmo sem ter facebook).

enfim, é isso, espero não traumatizar vc logo na volta de férias, passando um pepinão desses! haha! mas como vc é nossa musa feminista, não tem como pensar num assunto desses sem lembrar de vc. :) beijos!

SZP disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SZP disse...

Pois é, Lola. Nós, brasileiros, pagamos preços altíssimos por tudo! outro dia li um artigo de um economista explicava que o carro no Brasil é o mais caro do mundo por causa da absurda margem de lucro que as montadoras praticam na terra tupiniquim. Ele demonstrava (com vários dados) que essa história de impostos altíssimos para os carros brasileiros ñ é tão verdade assim.

Pra vc ter uma idéia, se vc entrar em um supermercado na Europa, tudo, tudo (tirando mamão e coco) é mais barato que no Brasil. Até a banana!

Se falarmos de alimentos congelados e produtos de limpeza, a diferença é estratosférica. Aqui na Espanha eu compro um quilo de batata palito congelada e pré-frita por 0,89 euros!

Nós brasileiros perdemos completamente a noção do valor das coisas, a gente paga o preço que for e sem reclamar.

ana_alice disse...

welcome back, lola! todos sentimos mto a sua falta :)

Marina Baldoni Amaral disse...

Adorei o maridão com a camiseta "Fellini" em Roma!! Você viu quantos gatos (duplo sentido pode ser aplicado) têm nessa cidade!

Daní Montper disse...

Que bom que voltou, Lola! O bloguinho não é a mesma coisa sem você. Bjs