domingo, 30 de janeiro de 2011

A CASA DA MÃE LOLINHA

Três lindas histórias de corações partidos

Olha só que coincidência: nos últimos três ou quatro dias, três coisas desagradáveis aconteceram relacionadas com o meu blog. Os casos são bem distintos e estão longe de ter o mesmo peso, mas há uma semelhança entre eles: cada um dos autores julgou que tinha direito sobre o meu blog, que aparentemente é a casa da mãe joana oficial na internet. Acompanhe comigo:

Um é um caso típico de troll. Ele apareceu anteontem, anônimo, e deixou um comentário de poucas linhas me chamando de “gorda, baleia, saco de areia”, e mandando que eu parasse de comer. Quer dizer, tem que ser muito idiota pra vir num blog feminista que lida com aceitação do corpo e achar que pode me ofender me chamando de gorda (o que eu sou) ou baleia (que eu acho um bicho lindo). O saco de areia não entendi muito bem, acho que é pra rimar com baleia, e não tenho nada contra areia, só acho que baleia e areia não combinam. Mas decidi deletar o comentário porque, né, não acrescenta absolutamente nada, não queria que alguma leitora ou leitor desviasse o foco do post e passasse a responder ao anônimo, e também porque o (guest)post de quinta foi sobre bullying na escola, um assunto dolorido para tant@s, e um recadinho infantil desses podia servir como um gatilho pros traumas (termo bem conhecido em inglês: trigger). Ok, raramente deleto comentários, mas esse eu deletei rapidinho, sem pensar muito. Aí eis que o sujeito coloca um outro comentário, repetindo as mesmas palavras do anterior, mas acrescentando outras mais agressivas. Bom, deleto de novo. E aí ele aparece mais uma vez, com as mesmas linhas de antes e agora caprichando ainda mais nos insultos e nas ameaças, tipo “se você apagar o meu comentário eu vou te encher de spam, sua bruxa desgraçada mal-amada” ou algo assim. Mais uma vez, tchau comentário. O covarde anônimo não cumpriu sua ameaça. O que me deixa passada é como ele exige o direito de querer me insultar no meu próprio blog. Patético.

O segundo caso é mais delicado. Um cidadão com quem eu tinha trocado um email (ele me mandou um, e eu respondi, como costumo fazer), mas eu conhecia de comentários em blogs por aí porque ele foi um dos poucos homens a tomar as dores das feministas no caso Nassif, me enviou dois outros emails, longos, detalhados, querendo que eu publicasse um deles aqui no blog, como forma de guest post. Era uma besteira descomunal. Nem sei como explicar sem entregar os nomes. Enfim, um nome eu vou ter de entregar. Um blogueiro que eu gosto bastante, o Thiago Beleza, escreveu um excelente post sobre como reconheceu seus privilégios masculinos. Esse texto já tem alguns dias. Eu tuitei o post e deixei um comentário no seu blog, parabenizando-o e declarando meu orgulho. É, orgulho, porque o Thiago foi um comentarista frequente no meu blog durante um tempo, e, mesmo não sendo troll, era teimoso e vinha sempre na defensiva, querendo explicar como as feministas estavam erradas e ele, certo. Você conhece o modelo. Há vários comentaristas (homens) atuais que agem igualzinho. É um padrão. Mas lógico que fico hiper feliz que o Thiaguinho tenha saído da matrix e agora esteja ele mesmo escrevendo posts feministas irretocáveis, como este aqui.
Mas esse outro cidadão, que não tem blog, odiou o sucesso do post do Thiago, e decidiu deixar lá uma pegadinha. Ele, que é agnóstico, disse ser um cristão ofendido com a intolerância religiosa do Thiago. Eu nem lembro se no post o Thiago falava de religião (acho que não). Bom, o Thiago, de acordo com o que esse sujeito me contou no loooongo relato, deletou o comentário e disse que não tinha tolerância alguma com os cristãos mesmo, e daí, vai encarar (típico Thiaguinho)? O cara comemorou que o Thiago havia mordido a isca, mas ficou possesso que Thiago deletou todos seus comentários, e só deixou as respostas. Então ele queria, através de um guest post no meu blog, desmascarar o Thiago.
Este é só um breve resumo. Eu comecei a ficar um pouco preocupada ao ler que ele, o sujeito, não tem uma noite tranquila de sono há dez anos, desde que descobriu as injustiças do mundo, e que ele podia estar tomando um drinque sossegadamente num iate, mas prefere lutar pelos oprimidos. Ahn, ninguém que escreve algo assim seriamente pode ser muito são da cabeça. É um tiquinho de obsessão demais, até pra alguém bem viciada em internet como eu.
Eu respondi com educação dizendo que seria muito estranho me meter na briga entre um comentarista e um blogueiro numa história que não tem nada a ver comigo. Que uma coisa era escrever um post ou publicar guest post respondendo a um post de outro blog, mas respondendo a comentário? A comentário que parece meio trollagem num post que eu adorei? E recomendei que ele abrisse seu próprio blog e aí sim publicasse o que quisesse.
Ele não gostou nada da minha reposta, disse estar cada dia mais decepcionado com a humanidade em geral e com a internet em particular, repetiu a história de tomar drink no iate, e otras cositas que não lembro mais e nem estou a fim de checar. Mas o fato é que ele achou que tinha direito de publicar um guest post no meu blog falando mal de um outro blog. Pior: ele insinuou que era uma grande oportunidade pro meu blog publicar o seu guest post.
Muito esquizo tudo isso. Na mesma semana um tuiteiro que nem sei quem é me pediu, via Twitter, pra que entrasse em sei-lá-qual-blog e combatesse, ou mediasse, não registrei, uma briga entre ele e o autor do blog. Quer dizer... Ignorei totalmente o tweet. Aliás, só me lembrei disso ao escrever este post. Mas virou moda agora? Eu tenho cara de diplomata da ONU? Ahn, euzinha, que não sou exatamente a pessoa mais sem inimigos na blogosfera?

E o terceiro episódio desagradável. Um blog que eu nunca tinha visto, de alguém que não conhecia nem nunca tinha ouvido falar (não quero linkar aqui pra não alimentar confusão), publicou um post inteiro meu, com o mesmo layout e tudo. Colocou link pro meu blog, até aí tudo bem. Não foi plágio de maneira alguma, porque tinha link. Mas eu não gosto muito disso, sabe? Porque acho que é meio fácil fazer um blog assim, apenas publicando textos alheios (até o mesmo layout, é só copy & paste!). E porque tira tráfego e comentários do blog original. Então eu educadamente deixei um comentário no blog dessa moça pedindo que, da próxima vez que publicasse um post meu, fizesse o seguinte, por gentileza: colocasse apenas os parrágrafos iniciais do meu post, e deixasse um link do tipo “Continue lendo aqui”. Assim não haveria problema algum. Se a pessoa quer continuar lendo, clica e cai no meu blog, e continua lendo, ué. Bom, a moça ficou re-vol-ta-da. Disse que tem o blog faz cinco anos, sempre fez isso, e nunca ninguém tinha se incomodado. Que ler meu comentário lhe deu um “mega bode”, e que, sendo assim, ela preferiria publicar os textos de quem não se preocupasse com números. Que internet pra ela era circular informação. Eu perguntei se, fazendo como eu estava pedindo, estaria impedindo essa circulação. E disse que eu não ficaria magoada se ela deixasse de me publicar. Ela respondeu que não me admira mais, que ela só publica textos de quem admira, e que eu tinha que escolher se queria que ela continuasse divulgando meus posts ou se queria que ela nunca mais os publicasse, porque ela não iria mudar sua linha editorial por minha causa. Eu pensei que já estava claro o que eu queria, mas acho que terei que voltar lá pra soletrar. Quando contei a história pro maridão, ele disse, rindo: “Alternativa B!”. Bonus track: Três homens homofóbicos decidiram fazer de um post meu contra a homofobia seu ponto de encontro. Estão trocando figurinhas reclamando da ditadura gay contra os pobres homens brancos héteros na caixa de comentários do meu post. Certamente esta deve ser a semana internacional da Lolinha Pagar pelos seus Pecados na Internet. (E viva o Laerte, que tem uma série impagável sobre esses seres oprimidos subjugados pela gaystapo).

Agora com licença que vou entrar em blogs por aí dizendo exatamente o que quero que eles façam. Porque blog (com o qual ninguém lucra nada, ou quase nada) é um serviço público, entende?

45 comentários:

Marivone disse...

Blogs imitam a vida: gente é gente. Homofóbicos que não aceitam respeitar homossexuais por terem medo de sua própria sexualidade; copiadores/plagiadores; puxa-sacos... Essas situações que aconteceram com você acredito que muito blogueiro já teve que enfrentar também. Se bem que achei absurdamente esquizofrênico o caso do comentarista de blogs que procurava mediadores...
De qualquer maneira, escreva Lola, escreva. E conserve a parcimônia ao lidar com esse pessoal trolleiro.

Não comento muito, mas tou sempre por aqui lendo.
;)

Thiago Beleza disse...

Oi Lola... EU ri demais com esse causo do Euclides... Ele apareceu la no blog no post do Belas Artes, e entrou no meio de uma discussão minha e do Tsavkko... Depois, ficou puto com o comentpario que deu deixei no blog do Dandi, sobre os catótlicos. A partir daí, resolveu começar a infernizar. Comentou no texto com uns 3 ou 4 usuários diferentes, dizendo que eu era hipócrita por ser intolerante com cristãos (o qu eeu nunca neguei) e chegou a me pedir pra provar a não existencia de deus (pode isso, arnaldo?)...Qdo eu cansei de rebater e resolvi apagar os comentários, justamente por não ter nada a ver com o post, ele ficou louco. Deixou outro comentário, dizendo que eu devia parar de ser hipócrita, que eu devia respeitar o direito dele ao debate. Mesmo que escrevendo um post inteiro explicando q o blog era meu, q eu não era cristão e nem teólogo e que não ia debater com o cara (ok, confesso qeu fiz chacota com a cara dele no post, mas eu não resisti, juro)... desde então, bloqueei os comentários dele.. E ele vem nessa saga pelos blogs alheios procurando um advogado pra defender seu direito sagrado a me desmascarar. Foi no Dandi, e agora com você... Classifiquei como troll de estimação, pq vc sabe bem como é isso, de a pessoa ficar dizendo como vc deve agir, como deve ser, e o que deve ou não fazer com o SEU blog.E provável que ele queira "me desmascarar" aqui, e então você vai ter uma idéia (um reforço aos emeios) do qto o cara é doidão...

Abraços

PS: Nunca imagineio que um post sobre feminismo pudesse causar tanto estardalhaço... (ja fui citado em uns 3 textos descendo o porrete.. aff)

Gabriele Albuquerque Silva disse...

Hehe tem cada maluco nesse mundo. Haja paciência.

Elias mendes disse...

É exatamente o que disse a Marivone. É um reflexo do que está latente no próprio ser humano mesmo, já que na internet as pessoas se sentem mais livres pra soltar seus demônios em cima dos outros, sem muito critério.

Não estão vendo meu rosto, não sabem quem eu sou, posso dizer ser o que quiser, posso fazer e expressar o absurdo que me der vontade,sairei ileso sempre.

Mas é bom que fiquem de alerta ... hoje em dia está ficando cada vez mais fácil interceptar um criminoso virtual, já que nem mesmo um comentário em "anônimo" impede que se encontre o ip do responsável.

Ághata disse...

Oi, Lola!!
Huahuahuahuahauhuah!! Oh, "drink no iate" hehehehe...
Poxa, período de férias é lasca mesmo, heim?
O lado bom desses freaks é que dá uma boa história pra contar no boteco e rir com as amigas!!

Wesley disse...

SUA LINDA

Omar Talih disse...

Essas pessoas são como satélites orbitando uma estrela. Não tem luz propria e querem se iluminar na luz alheia. Como dizia minha avó; Quem nasceu prá Mané,nunca será José!

Rosa Lopes disse...

Lola eu tô rindo, me deu pena da sua situação, mas só dá pra rir com coisa assim ou gente assim, melhor dizendo.
Umas coisas esquisitas também sem tamanho, "mega bode", "não admiro mais vc", a blogosfera pode fazer a pessoa perder as esperanças desse jeito. Eita, quase plagiei o rapaz aí kkkkkkk

Lola antes eu achava que a sua maneira sempre tão legal de responder comentários fosse uma questão de postura, etiqueta, educação, estratégia não sei, qualquer coisa consciente pq eu acredito que ela molda um pouquinho tanta coisa chata por aí praticada dos editores dos blogs, mas vejo agora que ela tem algo de divindade, só sendo amiguinha, só sendo daí pra sair tanta paciência.
Bj

Koppe disse...

Vamos criar a CDDT (Comissão de Defesa dos Direitos dos Trolls), e declarar a Lola como inimiga pública número 1!!!11!
(Brincadeira...)

Falando sério agora, a internet potencializa o que as pessoas têm de pior ou de melhor no mundo real, isso é uma realidade que temos de nos acostumar. Outra coisa é que a Lola vai ser cada vez mais alvo, conforme vai se tornando mais conhecida, mais citada em outros blogs, recebe mais visitas. Esse é o preço da visibilidade, se fosse um bloguinho desconhecido que só meia dúzia lê, estaria livre de trolls.

Nina Caetano disse...

ei, lola!
sigo o teu blog e estou sempre lendo - e postando no facebook - os seus posts, dos quais gosto muito, muito mesmo, embora nunca tenha comentado antes.
na verdade, também não vou comentar este. só passei pra agradecer o informação sobre as tirinhas do laerte. o meu grupo de pesquisa em performance tem praticado o cross-dressing e a gente investiga a questão do gênero, vai ser uma ótima fonte pro trabalho! obrigada!
se quiser acompanhar nosso trabalho, o blog é www.obscenica.blogspot.com
abraço

Samara L. disse...

Chovendo no molhado, mas é isso mesmo: o problema não é a internet, a homofobia ou a intolerância. É a doença mais antiga do ser humano, que aqui nomearei meigamente de falta de noção.
Eu escrevia sobre um nicho bem mais restrito (dança) e acabei desistindo de tanta bobagem que vi e ouvi. Incluindo acusações de atos que nunca fiz e palavras que nunca proferi/digitei.
Você, ao que tudo indica, tem um espirito mais combativo que o meu - e uma causa mais palpitante, sejamos honestos.
Então imagino (e espero, porque adoro o blog) que você continue. Nesse caso, me permito dar uma dica: modere, modere muito e delete comentário besta sem dó Isso não e ditatorial nem anti-democrático: nego tem a internet inteirinha para montar o espaco dele e descer o cacete em você 24 por dia, se ele quiser. No seu espaço, exija respeito e evite stress! Pelo menos, é como eu penso.

Bejoica com muita admiração.

Theo disse...

O tema do post é bom, a velha discussão público/privado, neguinho não consegue compreender que um blog é de um(a) blogueiro(a) e tal... mas eu rachei de rir com o Laerte. Amo esse cara, já li tudo que pude dele, mas sempre vejo algo novo. Essa tirinha é o trivial dele: sensacional, genial, magnífica.

Isabela Campoi disse...

Haja paciência, heim Lola!
Beijo e bom domingo!

Gilson Junior disse...

Esse post é a cara do que parte da internet é pra quem tá aqui pra circular informação, dialogar. Ou a internet vira palco de maluco, ou vira pátio de escola, com gente reclamando de bullying mas quando pinta a chance o comete, com gente que curte impor uam dmeocracia autocrática,a onde ser democrata é concordar,etc..

Ou seja, tem uma parte muito bacana na net, que eu acho a maioria, que é a que a usa como meio de comunicação, encontro e diálogo, mas uma outra que divide a adolescencia com o hospício, dessa aí eu tô fora.

Mariana disse...

Eu verificaria a lua antes de reclamar desses pobres, vai ver que é só a lua cheia ou minguante, deixa todo mundo meio sensível demais, maluco demais, tudo demais é sobra!

Bárbara Dayrell disse...

Gente, essa internet é realmente um antro de loucura!!! Quem esse povo pensa que é??? Acho que a internet nos dá uma ilusao de proximidade à pessoa que nos escreve muito maior que livros, jornais e afins, justamente por podermos comentar de forma direta e, em alguns casos, receber também uma resposta direita. Ai a pessoa já acha que é amiga íntima com direitos de falar o que pensa (se é que pensa)e exigir que aceitemos a sua opniao... Tenha santa paciência com esse povo! Lola, vai tomar um drink no seu iate e deixa esse povo falando sozinho!

Anônimo disse...

Eu dise bruxa mal comida.Alem de gorda feiosa,cheia de celulite,estria e pelanca é burra feito uma porta,vai toma no c#&* hahahahahaha.

Vanesca disse...

Lola no próximo post Toca Raul pq eu quero \o/
O Blog é seu, mas quem manda sou eu e brizas pra ti istepô!!

Abraços !!

Adoro seu blog, leio sempre, mas comento pouco!

karina disse...

Força, Lola, força. Mas, por outro lado, blogs que atraem muita leitura, que geram polêmicas,que têm textos e não apenas tutoriais de maquiagem (nada contra, inclusive gosto muito) acabam ficando mais expostos.

Totalmente fora do assunto. Bárbara Dayrell, vc é mineira? algum parentesco com a Helena Morley (Alice Dayrell Caldeira Brant?). Só curiosidade, mesmo, me desculpe se a pergunta for invasiva.

Euclides F. Santeiro Filho disse...

Pois a senhora será processada por me expor a escárnio público e por dizer inverdades a meu respeito. Tenho salvo no meu HD tanto esse post quanto suas menções desrespeitosas no twitter. Faço questão de provar judicialmente sua desonestidade.

Passar bem.

Bárbara Dayrell disse...

oi Karina! Sou mineira sim, e também sou parente (distante) da Helena Morley/Alice Dayrell... Que legal você perguntar! Nao sou descendente dela, mas de José Mortimer, irmao do pai dela.

Cláudia disse...

Ai Lola, eu sempre leio seu blog, mas é difícil eu comentar. Stalkers e pessoas carentes existem aos montes por aí. Não conseguem ser notadas por seus próprios méritos. Acho que carência explica muito melhor atitudes como essas, mais até do que o fato da pessoa não concordar com o que lê, ou pura "trollagem".

Um abraço! E como eu sempre digo: importe-se com quem acrescenta à sua vida, não com quem tenta desmerecer seu trabalho ou distorcer as suas opiniões.

Renata de Oliveira disse...

Lola e demais comentaristas,

Esse cidadão está tão mal informado sobre o sistema judicial brasileiro...
Queria muito ver ele entrando com um processo, ia ter que vender o iate para pagar as custas pela litigância de má-fé.
Aconselharia ao referido cidadão a buscar causas mais fundadas antes de expor-se publicamente.

Vitor Ferreira disse...

Mar mininu... Lola, se precisar de testemunha via skype, conte comigo!

Rosa Lopes disse...

Lola modifique a opção de quem pode comentar, com essa já se livrou pelo menos dos anônimos.
Bj

Nadja G. disse...

Lola, achei tao engraçado uma pessoa te chamar de "gorda, baleia, saco de areia"... quantos anos esse infeliz deve ter, 5?? Nao sabia que crianças de cinco anos liam blogs e muito menos o seu. Admiravel! hahaha

Quem se expoe - seja na TV, num jornal, num blog ou seja la o que for - esta sujeito a esse tipo de coisa, infelizmente. Haja paciência!

A internet é um meio que permite que ser humano dê vazao à toda a babaquice que esta dentro dele. De novo, haja paciência!!

Comecei a ler o blog ha pouco tempo e estou gostando muito.

Beijos

Bibi disse...

Olá, Lola! Eu leio seu blog faz tempo, e sempre que posso clico no "compartilhar" do google reader. O que é uma ferramenta REAL para compartilhar citando a fonte. Eu acredito que muita gente não sabe a diferença entre compartilhar informação e plágio, e não dá para ficar nessa lenga lenga de "colocou na net, então não tem dono". Eu espero que mesmo com esses ataques surreais, você continue com o blog, pois você escreve muito bem e movimenta opniões.

karina disse...

Nossa, Bárbara. Que bacana. Sou fã da Helena Morley. Da famíla Dayrell, conheci, também, um professor muito querido da sociologia da UFMG. O Vinícius Caldeira Brant. Genética boa, essa sua, heim? rsss

J.Camargo disse...

Bom dia Lola! É com surpresa que vejo o quão desinformado e preconceituoso é o seu entendimento, justamente você, que deduzo ser contra preconceitos de toda espécie. Saiba que o dicionário Longman's, de língua inglesa, define “homofobia” como “medo e ódio aos homossexuais”. Este termo foi introduzido no vocabulário do movimento gay para designar o complexo emocional que seria a causa da violência criminosa contra homossexuais. O curioso nisto é que entre os apologistas gays norte-americanos até hoje não houve acordo se existe ou não a homofobia como entidade clínica, comprovada experimentalmente. Se por um lado alguns dizem que sim, por outro lado outros tantos dizem que não. Portanto, é impossível provar por meios experimentais ou por quaisquer outros, que toda e qualquer rejeição à conduta homossexual seja, na sua origem e nas suas intenções profundas, substancialmente idênticas ao impulso assassino voltado contra homossexuais. Sendo assim minha cara, gostar de mulher e não ter a menor vontade de envolver-me sexualmente com outro homem, não me faz "homofóbico" ou coisa semelhante, algo que você facilmente perceberia se prestasse mais atenção ao que escrevi. Se prestasse mais atenção, ou se tivesse a mente menos cauterizada, veria que não sou inimigo dos gays, mas me atenho sobre os aspectos legiferantes do movimento gay, algo que me parece, você não tem capacidade de entender e compreender. No lugar do debate e discussão de idéias, prefere a rotulação mesquinha, a difamação sorrateira feita pelas costas, o que é lamentável numa professora universitária, que se bem intencionada fosse, ou tivesse melhor caráter, não teria dificuldade nenhuma de perceber as minhas intenções. Acho que cabe bem aqui o velho ditado: O pior cego é aquele que não quer enxergar. Lamento por você, e lamento ainda mais pelos seus alunos.

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bárbara Dayrell disse...

Um aviso ao anônimo, pior cego nao é o que nao quer ver, esse é só um ignorante que nao merece atencao. O pior cego é sim aquele que vê a mentira e acha que é verdade (e ainda a defende), e da mesma forma, vê a verdade e acha que é mentira...

J.Camargo disse...

Pois é Lucas: O que tenho para lhe dizer é que “Asinum asinus fricat”, como já observaram os romanos. Se você também é um militante, do "movimento" ou do PT", isto é perfeitamente compreensível.

J.Camargo disse...

Lourinha Bárbara: Você está automaticamente perdoada.

Vitor Ferreira disse...

Galera, deixa esse indivíduo no vácuo, porque gente assim se alimenta das respostas que lhe são dadas. Se ninguém rebater ele fica sem ter o que dizer.

J.Camargo disse...

Vitor, que negócio é esse de "gente assim..."? Justo você que num outro post falou de preconceitos, direitos iguais, e etc. Sabe o que isto me parece? Incoerência e hipocrisia. Quanto ao fato de ficar sem ter o que dizer não se preocupe, eu já disse muito, e isso graças aos direito iguais que a turma militante do "movimento gay" quer tanto suprimir.

Anônimo disse...

nossa, só essa atitude condescendente com a bárbara já traduz a personalidade do marcelo dourado aí...

"a lourinha está perdoada" consegue ao mesmo tempo diminuir a opinião dela por ser mulher como também dizer que ela só merece "perdão" (por se exprimir???) por ser branca

J.Camargo disse...

Uia!! Freud ressuscitou e eu não sabia!!

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lia Drumond disse...

HuAHuAHuA! Talvez vc tenha entendido errado, Lola... O comentário sobre vc ser gorda e baleia, na verdade, deve ser um elogio!

J.Camargo disse...

Lucas: Por acaso você tem uma? Pelo menos que você conheça!

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bárbara disse...

Um atacando a santíssima imagem da mãe do outro e jogando toda a culpa nela, que gracinha.

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J.Camargo disse...

Bárbara: Gracinha é você, flor.