quinta-feira, 10 de setembro de 2009

TRAFICANTES E COMENTARISTAS NA INTERNET UNIDOS PELA HOMOFOBIA

Uma leitora, a Laura, recomendou uma boa (e assustadora) matéria do jornal O Dia, que diz que homossexuais e travestis são humilhados, torturados e assassinados nas favelas do Rio, tanto pelos traficantes quanto pelas milícias. No Brasil, já alcançamos a média de um gay assassinado a cada dois dias, o que nos coloca na terrível posição de país mais homofóbico do mundo. E claro que esses números podem ser maiores, porque muitos assassinatos de gays não são vistos como crimes de ódio, como lembrou o Vitor, que me enviou um artigo sobre um rapaz gay morto em Maceió. Os jornais e a família tentam passar esse assassinato como crime passional, não de ódio. Eu gostei dos comentários lá, em que a maior parte dos leitores se diz horrorizada, independente da orientação sexual da vítima, mas o Vitor conta que, nas ruas de Maceió, as pessoas dizem que ele mereceu, que gay tem que morrer mesmo.
Quanto ao artigo de O Dia, não tenho o que dizer. Ele fala por si. É preciso mudar essa situação desastrosa, e é triste que, apesar dos esforços do governo Lula, os números de assassinatos tenham subido. Sinal de que combater a homofobia não deve ser uma iniciativa apenas do governo, mas de todos os nós. O que mais me choca, na realidade, não é o que é dito pela matéria, mas os comentários deixados no site. É duro lutar contra traficantes e milícias, que agem totalmente fora da lei. Mas o que fazer com esses cidadãos que aparentemente não são criminosos e ainda assim têm uma visão tão deturpada da realidade? Os comentários que selecionei dão uma pequena dimensão da nossa homofobia (e não é só por que o jornal é sensacionalista e pra classe mais baixa. Quando o Estadão publica reportagens assim os comentários são idênticos). Leiam e chorem. Ah, tudo sic, não corrigi nada. E no final eu volto.

Não precisa matar, pega todos os homossexuais que existem no Brasil, e exporta para o Irão ou Arábia Saudita... Lá eles sabem como tratar essas aberrações parecidas com seres humanos.

qdo um homem passa acompanhado de esposa, namorada, etc. gritam: "meu amorrrrr, bucet... dá câncer". cansei de assitir isso. aí, o cara, humilhado, pois nem todos aturam uma coisa dessas, voltam armados e aí... depois reclamam. respeito é pra quem tem

Todos os dias traficantes espancam e matam moradores por diversos motivos. O que não se pode é colocar a morte de algum gay como homofobia. Daqui a pouco vão dizer que dentro da favela acontece racismo também pois morre muitos negros.

O que faz um cara (homem não) do sexo masculino, querer ser agarrado por um negão 4x4 pelas costas e achar que isto é normal? E o que faz uma mulher querer se transformar em homem a todo custo, ao ponto de se descaracterizar totalmente como mulher, tendo até barba e bigode? Será que essas pessoas naão percebem que são doentes e precisam de tratamento médico? Vá se tratar cambada, a maioria da sociedade, como mostra a reportagem, não tolera viados e sapatão!

tem que discriminar mesmo, pois não quero viver num país que ganha o titulo de capital gay, isso é ridiculo, num precisa ser crente pra entewnder que a biblia diz: que o homem é feito pra mulher e a mulher pro homem, num precisa matar mas proibir de se agarrarem em público........

Não sou homofóbico (sou hétero) e nem tão pouco, defendo bandido (muito pelo contrário !), mas, os gays e lésbicas, também tem que comportar. Coisas que eles não fazem! Os gays e lésbicas, para "agredir" a sociedade, tem atitudes nada convencionais (se beijam em público, se acariciam em público e por aí vai...). Quando são chamados à atenção, fazem escândalo, dizendo que estão sendo vítimas em função da sua orientação sexual. Qual o homem aqui nesta coluna, não foi importunado por uma cantada de um gay ? Qual a mulher aquí nesta coluna, também não foi importunada por uma cantada de uma lésbica?

Essa matéria é muito pretensiosa e para mim não mostra a realidade verdadeira, pois nas comunidades traficante na maioria das vezes não esta nem ai para quem quer que seja Gay ou não, mas tem muito Gay que não se dá o respeito consomem drogas, bebem e depois querem fazer graça paquerando quem não deve,achando que pode fazer tudo que qizer e se aproveitando dos outros, que não tem a mesma opção sexual que a sua .

me sinto um grande culpado nisto tudo porque dou meu voto para um bando de deputados e vereadores canalhas que criam leis contra homens heteros. Esses palhaços deveria criar um cadastro no qual todos deveriam declarar sua opção sexual e obrigar cada grupo meter-se com sua turma, pois só assim muitos homens ficariam livres dos indesejáveis manja-rolas nos banheiros públicos, trens, ônibus e etc......

É bom para as pessoas pararem de acusar os evangélicos de perseguirem os gays,nunca vi evangélico sair da igreja e tacar fogo em gay,mais vai passar um gay perto de uma torcida de futebol,muito mais se o time tiver perdido,pra vê se os torcedores não espancam o gay. A sociedade em geral,independente de religião ou não,não aprova a atitude dos gays,sendo que os que não são religiosos,esses são os que matam e espancam os gays.

Oi, sou eu, voltei. O último comentário não é necessariamente homofóbico, mas serve pra lembrar que antes de acusar um só grupo de odiar gays (como os evangélicos, ou os traficantes, ou os favelados), deve-se admitir que a homofobia é um problema e tanto no Brasil (e no mundo, mas vamos falar do Brasil). Imagino que esses comentários tenham sido escritos por sujeitos (quase todos homens) bem diferentes, e, no entanto, a homofobia os une. Eu particularmente adoro como eles protestam por serem assediados por gays, e ainda reclamam de mulheres “de bem” que são assediadas por lésbicas, enquanto esquecem que mulheres, lésbicas ou heteros, são assediadas por homens heteros todo santo dia. Mas isso é apenas a ordem natural das coisas, suponho. Sem falar que a gente gosta!
Eu nunca me esqueço de como preconceito é tudo parecido. Uma velha estratégia de todo homofóbico, racista, machista etc é reverter a discriminação. Assim, não é o gay que é espancado e morto por heteros homofóbicos, é o hetero, coitadinho, que é importunado por gays tarados. Não é o negro que ganha menos e é xingado, é o branco que perde sua vaga na universidade federal pra um sistema de cotas racistas e é chamado de branquela e alemão, sem poder reclamar, pobrezinho. Não é a mulher que apanha do marido ou namorado e é estuprada, são os homens que são perseguidos por essa maldita lei Maria da Penha e acusados injustamente de estupro, que peninha. Em outras palavras, essa gente prega que não há discriminação contra ninguém, apenas contra o padrão dominante. Essa reversão dos preconceitos está intimamente ligada à negação do privilégio. É preciso que nós, privilegiados, reconheçamos nossos privilégios. Inclusive aquele de não morar em favela.

37 comentários:

Nadia disse...

É triste ler os comentários! Já tinha lido a reportagem e, mesmo sabendo que vou me aborrecer, acabo lendo a opinião dos leitores também. Hoje tem outra aberração, no jornal O Globo. A reportagem fala de um protesto feito no morro da Magueira, pois uma mulher foi violentada por um soldado do Bope durante uma operação na favela. Dá desânimo de ler os comentários. O mais light diz que a "vadia" deu em cima do cara e como ele não quis nada ela resolveu inventar a estória.
Gente, que droga de sociedade é essa?

A. Almeida disse...

Querida Lola, recentemente fui surpreendida por um fato, que mesmo tendo 16anos de atuação na minha profissão,fiquei paralisada. Um menor de 15 anos assediou um professor assumidamente gay. Até então o pai assumidamente homofóbico, teve a capacidade de assumir que em nenhum momento o professor era o culpado e ainda solicitou da direção do estabelecimento que não houvesse qualquer punição. Eles nos forneceram as provas em favor do professor.Ainda que nós q fazemos a direção, sabiamos do comportamento do professor, seria díficil provar. Essa foi minha maior surpresa, o fato de que eles poderiam ter revertido essa situação(era o que se espera, não que seja "normal"). Sendo ele(pai) homofbico seria a forma de punição. E ainda no final de tudo ainda profissionalmente me senti com o ego massageado, quando os pais disseram que jamais poderiam prejudicar o desenvolvemnto do meu trabalho, pois se sentiam seguros, diante da seriedade que tenho.

Por tudo que se ler, eu estava pronta pra guerriar....

esse é só pra dar esperanças...
Beijos minha pessoa querida.

Lord_Anderson disse...

O "melhor" é o inicio dos comentarios, no melhor estilo "não sou _______ (inclua homofobico, racista, machista, conforme a ocasião)

klaudioca disse...

Ai, que cansaço dessa droga toda... =(

Pablito disse...

Lolets
Não tem como eu nao falar nada. Mais do que homofóbico, o mundo é preconceituoso e racista. Ninguém pode ser diferente e nem tentar viver fora dos padrões estabelecidos. As pessoas que ACHAM que se enquadram nesses padrões se sentem MUITO superiores e donos da verdade.. nao conseguem olhar para o proprio rabo. Se ele for homem, branco e hetero, isso piora muito. Ja percebeu como todo mal da humanindade (guerras, golpes, roubos, etc) foram causados por HOMENS BRANCOS HETEROSEXUAIS? Sei que é uma generalziação tosca, mas nao deixa de ser verdade.

Christina Frenzel disse...

Lola, realmente é uma situação triste, para dizer o mínimo.

Mas vamos combinar que o comentário é uma loucura, completa...


Beijos

Bárbara Reis disse...

Fiquei triste pelos comentários, porque eu sei que não é assim, não somos assim, não sou assim.
Eu não sou masculina, não me visto como um homem e sou gay. Nunca dei em cima de mulher hetero nenhuma, nem nunca darei. E não fico me agarrando na frente de ninguem, até porque é broxante. E sou gay.
É horrivel esse medo de morrer brutalmente espancada, só por andar de mão dada com uma namorada, ou até mesmo uma amiga. Só por ser gay. Aqui em São Paulo, há muitos gays em areas especificas, como na Paulista, Augusta, e no Shopping Tatuapé. Mas há vários casos de que Skin Heads apareceram e massacraram todo mundo. Ontem fiquei sabendo de um caso, de espancamento numa balada que eu já fui, e fiquei horrorizada, o caso não foi por homofobia, porque a balada é GLS, mas foi feio. Vou te mandar por e-mail. E eu fiquei com medo, porque podia ser eu, e pode ser eu a qualquer momento. E o que mais me entristece, é que pessoas assim, incluindo a minha mãe falarão coisas do tipo: 'mereceu porque é gay'. Já aconteceu com uma amiga minha...

Enfimm...:(

Beijo.

James Figueiredo disse...

Não falha NUNCA - É impressionante como todo, tod MESMO, homofóbico/racista/machista/xenofóbico começa a frase com "Não tenho preconceito com...".

Outro dia entrei numa discussão numa comunidade no Orkut, em que o cara reclamava ferozmente por que o gibi que ele gosta apresentou um casal gay. O cara não admitia tal coisa ("choque! horror! indecencia!"), mas também não admitia que fosse chamado de homofóbico - Quer dizer, o cara quer poder discriminar e não tem nem as bolas pra assumir o próprio preconceito!

Anyway, às vezes dá aquela canseira mesmo, e a internet dá essa liberdade pras pessoas, de serem tão virulentas quanto gostariam de ser no "mundo real".

Alana disse...

Isso é muito triste mesmo. Vc colocou muito bem lola, temos mesmo que enxergar os nossos privilégios. Seria muito mais difícil pra eu defender e compartilhar minha posição contra a homofobia e o machismo morando numa favela. No entanto ao perceber esse privilégio às vezes eu me sinto tão impontente, por calar demais, pelo cansanço que dá tudo isso.

Riffael disse...

Não consegui terminar de ler os comentários. Falar que os gays fazem "atitudes nada convencionais como se beijar em público" foi infeliz. Como se muitos héteros nao fizessem isso e muito mais por terem mais liberdade que os homossexuais.

Júlio César disse...

"Não precisa matar, pega todos os homossexuais que existem no Brasil, e exporta para o Irão ou Arábia Saudita... Lá eles sabem como tratar essas aberrações parecidas com seres humanos."

Esse comentário me lembrou uma coisa bem interessante que li numa matéria sobre Dubai:

"Na Arábia Saudita é difícil ser adolescente heterossexual. Devido ao confinamento das garotas a gente acaba tendo relações homossexuais. No fundo, todos os gays árabes querem morar em Dubai."

Esse rapaz assassinado em Maceió era amigo da minha irmã. O que mais chocou as pessoas, pelo pouco que observei, foi a descoberta da opção sexual dele.

Mariana disse...

Às vezes (muitas, infelizmente) me dá um nojo da "sociedade". Essa "sociedade perfeita", dentro do padrão dominante e que não admite qualquer alternativa a isso. No caso dos homossexuais, realmente rola essa inversão, de reclamarem que "as bichas não respeitam os 'homens'".

Depois que entrei na faculdade, comecei a andar com vários gays e nunca vi nenhum deles "dando em cima" dos héteros, como também tenho amigas lésbicas de fora da faculdade que nunca fizeram isso. Essa reclamação me cheira mais a insegurança e a medinho de "parecer igual", como se os gays fossem pessoas com poderes sobrenaturais de hipnose, capazes de forçar um "hétero convicto" a fazer algo contra a sua vontade. Pra mim essa é a desculpa mais esfarrapada que usam pra justificar a homofobia, fora a generalização dos gays e lésbicas como "bichas afetadas" e "caminhoneiras masculinas". O mundo é muito mais amplo do que isso, pessoas idiotas, parem de tentar "consertar as coisas" e adaptá-las ao seu jeito sem graça de viver.

(Off-topic: Lola, tomei a liberdade de te enviar um e-mail com minhas dúvidas sobre exames de proficência em inglês. Ninguém melhor do que uma doutora em literatura inglesa pra me dar uma luz, hehehe. Beijos)

Sheryda Lopes disse...

Acho que tá rolando uma sintonia muito forte ente nós, Lola, porque eu tava pensando muito em fazer uma postagem sobre essa reversão que as pessoas preconceituosas fazem para justificar as descriminações. Ms vou deixar p daqui há algumas semans, senão vão dizer que eu tô te imitando. rs :P

Posso pegar alguns comentários deste post para pôr no meu blog? Cometários dos seus leitores, e não os que vc citou.

Giovanni Gouveia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giovanni Gouveia disse...

Acho que essa sociedade tem se aprofundado na "alterofobia", todos têm que ser "iguais" sob pena de levar porrada ou ser assassinado.
nordestin@s, negr@s, judeus, muçumanos, budistas, xintoístas, mulheres, gord@s, emo, punk, metaleiro, hippie, crente, ateu, ativista político, alienado, gays e lésbicas, bissexuais, prostitutas, garotas de programa, fumante, não fumante, maconheiro ou careta, o escabau...
Ninguém pode decidir sobre suas vontades, tudo tem que ser padronizado, com código de barras, conferido pelo inmetro, senão o pau come.
Depois dizem que isso é o paraíso da liberdade (que não é o bairro japonês de São Paulo)

Fabiana disse...

Lola, eu queria ter escrito esse texto. Perfeito. Tudo o que eu penso sobre esse assunto.

Experiência Diluída disse...

Ah Lola, eu estava comentando isso com um amigo meu outro dia, ele estava reclamando que é a maior falta de respeito é ser "paquerado" por travestis ou gays nas ruas, que ele se sente mal e tal. Daí falei, pois é imagine, e o que vc diz de nós mulheres como somos insultadas todos os dias? Ele me disse que aí não, que era diferente...Mas que receber esses comentários de gays era terrivel e tal e que tinham que morrer mesmo. Rpz...eu fiquei chocada. Aliás, Lola, as vezes me dá um ódio do mundo, pq as coisas são assim? Pq essas pessoas são tão cabeças dura? Eu n consigo entender mesmo, pq eles tem que queerer decidir a opção sexual de alguem??
Me poupe viu...eu n entendo mesmo, está aí algo que nunca vou entender

Caricaturas Urbanoides disse...

Lola,
Pela primeira vez devo discordar de vc em um aspecto.. Pelo menos Eu detesto ser cantada por esses caras na rua. Ninguém tem o direito de ficar esfregando-se em um onibus cheio e falando gracinhas no seu ouvido, muito menos ser chato e inconvenciente quando vc diz um não e o carinha não se toca que vc não quer nada com ele.. enfim, dispenso as cantadas.Isso não melhora meu ego.

MAs teu post é perfeito. Por essas e outras que mantenho o link de acesso a lei contra a homofobia.. Isso tem que acabar. Chega de preconceito!!

Bau disse...

Fico pasma sempre que leio ou escuto comentários desse tipo, venha do segmento que vier. O preconceito, o abuso, o desrespeito para com a pessoa humana sempre assusta. Essa é mesmo uma luta de todos nós. Como diz Lola, temos que reconhecer os nossos privilégios e a partir daí tomar atitudes. Também sou lésbica assumida, ando de maõs dadas com minha namorada e dou bicotas quando e onde quero. Mas estou consciente do risco que corremos. Já fomos discriminadas pelo próprio grupo lésbico, que acredita que essa atitude desrespeita o ambiente familiar. Ufa!

Introspective disse...

Vc como sempre está de parabéns pelo post. Agora me dê licença que vou ali dar uma vomitadinha e já volto.

Túlio disse...

Gente, que droga de sociedade é essa? [2]

Desculpe-me a falta de criatividade, mas não me passa outra coisa pela cabeça quando vejo reportagens como esta com tantos comentários apoiando essas atitudes desumanas.

lola disse...

Oi, gente boa! Sigo em Floripa. Agora estou usando o computador da faculdade.
Entao, Caricatura, eu estava sendo ironica. Eu e a maior parte das mulheres que conheco ODEIAM as cantadas na rua. Inclusive, se vc clicar no link que coloco naquela frase do post (mas a gente gosta!), vc caira num post exatamente sobre isso. Portanto, ainda nao foi desta vez que vc pôde discordar de mim!
Continuem com os comentarios, que estao otimos.

Alba Almeida disse...

Minha pessoa querida, venho através dos anos, cada vez mais tendo certeza... os heteros(!?!?!?!), acho que eles têm medo de NÂO conseguir resistir as cantadas, e que dilema pra esses heteros/homo,... tadinhos.

filipe disse...

o melhor comentário de todos foi o sugerindo um cadastro com a opção sexual de cada um, a fim de separar os heteros dos gay tarados. o nível de autoritarismo do sujeito é impressionante.

Arslem disse...

A gente acha péssimo o que notícia relata, mas quando vamos ler os comentáruios...
Putz...
O buraco Sempre pode ser mais embaixo...

Beatriz disse...

Oi, Lola!
Acabei de conhecer seu blog e me deparo com os comentários da reportagem sobre os gays. Fui casada e tenho dois filhos. Me separei e conheci uma pessoa que me despertou um sentimento que eu nunca tive nem pelo meu ex-marido. Ela é uma mulher maravilhosa, inteligente, alegre e companheira. Me apaixonei. Sou jornalista e ela é médica. Vivemos juntas faz 8 anos. Compramos um apartamento e tivemos de vender, dois anos depois, pq a síndica do prédio nos odiava. Ela dizia que não queria gente do "nosso tipo" morando no prédio "dela". E é assim constantemente. Não sou masculina, adoro maquiagem, salto... Mas o fato de duas mulheres morarem juntas já liga um alarme na cabeça das pessoas e elas passam a viver a vida da gente, a cuidar tudo que fazemos. Desde o porteiro do prédio até o vizinho de porta. E é triste. Quero ter o direito de amar quem eu quero amar. Quero ser feliz e não precisar viver a vida que os outros querem que eu viva. Sou feliz e apaixonada e é assim que quero continuar. Aqui em Porto Alegre, apesar do grande número de gays e lésbicas, o preconceito é enorme. Muito triste ter sempre o dedo do outro apontado na sua direção. E os homofóbicos não se escondem, eles fazem questão de deixar você em uma situação humilhante. Triste... Quando teremos leis sérias para essa questão? Acho que está na hora.

Oliveira disse...

Lola:

Eu sei que você vai me deletar, mas sei que vai ler. Ë o que importa.

1- Como eu havia previsto, seu concurso no Ceará era barbada; (apesar que você mentir para todos fingindo-se de preocupada, para valorizar que o que você já sabia que era certo; sua boa colocação) tanto que você passou em primeiro lugar. Eu não falei que a iniversidade do Ceará era fraca? Você não conseguiu ser mais que ruim no seu doutorado, e até confessa isso. Você fez doutorado não Sul e não no meio de ignorantes, apesar deste Sul ser Santa Catarina, se fosse em São Paulo, você seria reprovada.

2- Você diz que não gosta do termo "comer uma mulher, ou a mulher dar para o homem". Você diz que sempre disse transar; o que é mentira, já que você é velha e o termo transar é coisa a de jovens. Que mulher horrível você é. Não sei como pede ter um homem; quem vai ter tesão?. Credo, quem pode querer fazer sexo com você?

3- Ser gay é ser excêntrico e para isso há um preço. Isso não é da sua conta. Os negros tem sua personalidade e sabem se defender. Vá defender as gordas nojentas e repugnantes.

4- Deixa de ser mentecapta. Nunca a vi citar um escritor bom. Você não lê nada que presta porque gasta seu tempo escrevendo besteiras. Você foi até obrigada a confessar, para um leitor do seu blog, que não leu nem Cem anos de Solidão; uma "doutora", imperdoável! Por acaso você sabe que douto significa "alguem que sabe muito de algo"? Você é douta em que?


Me delete e fique com esse comentário na sua cabeça; aprenda; mude!

Arslem disse...

Oliveira, com todo o respeito que você merece:
Você é uma piada.
Ruim.

Você vem até o blog de Lola só para coletar informações sobre ela para usar contra ela, você é baixo.

Você é preconceituoso com gente do Nordeste, "as faculdades de lá são de nível baixo, ao contrário das do sul, que são 'ótimas', de 'outro nível'."

Imagino que você esteja chutando porque um imbecil como você não deve entender muito sobre nível de ensino ou sobre as faculdade do país.

Aliás, você não parece entender de muita coisa, sendo tão preconceituoso.
E tão cheio de raiva gratuita assim...

Aliás, de onde vem tanta raiva?
De ver que apesar de a)mulher, b)gorda e c)velha[?] é Muito Inteligente e passou em 1º lugar no concurso para professora universitária...?
Ah, é daí que vem todo este rancor? Por que você estava muito certo que uma mentecapta como ela não passaria, né?
Hahá.
Aposto que veio todo serelepe certo que Lola ia se ferrar no concurso mas quebrou a cara.

Gente como você é medíocre.

Gente que nem você tem que acreditar em casamento e em filhos porque não seria capaz de prender alguém para o resto da vida sem ser procriando e por meio de 'contrato vitalício'.
Aliás, é por isso que não gosta de gays, né?
Eles transam por prazer, você tem que acreditar que uma mulher é doida para ter filhos, porque nem na sua cabeça uma mulher transaria com você por mero prazer, né?

Aliás, por que você fala em tesão? Alguém amargo como você sabe o que isso??

Lola vai ficar com seu comentário na cabeça, sim, é difícil esquecer algo tão tosco como isto!

PS: Como diz Mary W, Não precisa ficar com vergonha das asneiras que você falou, eu já sinto vergonha o bastante por você.

Arslem disse...

PS: Você leu Cem anos de solidão...?
Que pena, imagino que não tenha aproveitado nada do livro...

Não que você tome a iniciativa de ler uma obra assim para abstrair algo dela - é claro que não - você lê apenas para sair por aí anunciando aos 4 cantos como você é culto por ler obras famosas de literatura.

Priscilla disse...

"Todos os dias traficantes espancam e matam moradores por diversos motivos. O que não se pode é colocar a morte de algum gay como homofobia. Daqui a pouco vão dizer que dentro da favela acontece racismo também pois morre muitos negros."

Esse é de rir pra não chorar.

Esse mundo é mais intolerante e cruel do que eu na minha cabecinha sem essas doenças desses nazimos todos consigo imaginar.

Eta país machista e homofobico esse Brasil!Eta terror esse mundo!

Giovanni Gouveia disse...

Engraçado (1), eu sou 6 meses mais "novo" que Lola e não uso o termo "transar" porque acho um tanto quanto bocomoco...

Engraçado (2, a revanche), Ao qe me parece o velho Shakespeare é clássico dos clássicos da literatura universal.


Engraçado (3, a missão), na minhya terra costuma-se dize que quem desdenha quer comprar, e por não conseguir ter/ser, fica morrendo de inveja


Engraçado (4, o desfio final), preconceito é o argumento dos ignorantes, trollagem é o expediente dos néscios

Giovanni Gouveia disse...

Mudando de assunto, Lola, você viu/lu algo sobre Lizzie Miller?
Acho que pode render um belo post
http://www.google.com.br/search?q=lizzie+glamour&ie=utf-8&oe=utf-8&aq=t&rls=org.mozilla:pt-BR:official&client=firefox-a

Anônimo disse...

Esse Oliveira deve sofrer de um problema de amor não correspondido...
Insiste em entrar e comentar em um blog de alguém q ele supostamente despreza...

tsc, tsc...

Ah, o termo transar é velhoo, viu, querido? Quando eu era criança já era usado pra significar "sexo"...

Sheila.

lola aronovich disse...

Ai, ai. Pensei que o Oliveira tivesse se mancado de sua insignificância e sumido, mas não. Ele é tão covarde que se aproveitou de eu estar em Floripa (onde não tenho nem como checar o blog com alguma frequência) pra deixar um comentário que eu só poderia deletar horas depois.
Mas seu comentário serve pra exemplificar justamente o que quero dizer sobre preconceitos. De vez em quando eu dou uma olhada no blog do Rafael Galvão. E já vi vários comentários do Oliveira por lá. Por exemplo:
“Rafael: Você tem toda razão. A Marina Silva não agrega nada; a Dilma não serve pra nada; o Lula não vale nada. Gentalha!”
“Gente que escreve em blog é tão pernóstico; tão…idiota!”
“Rafael: this is exactly.”
O último foi prum post sobre Michael Jackson. Não sei por que gente que não sabe falar inglês insiste em escrever em inglês, ainda mais num blog em português. Porque o tiro sai pela culatra, sabe? Ao invés de mostrar erudição e elitismo, que é justamente o que o Oliveira tenta mostrar a cada comentário (e fracassa, evidentemente), mostra apenas que não sabe escrever inglês.
Mas enfim, os comentários do Oliveiro no blog do Rafael me chamam a atenção porque, apesar de serem ressentidos e demonstrarem o total amargor que sente em relação à vida, eles não são cheios de ódio como são os que ele dirige a mim. Ele não diz que o Rafael é velho, feio e burro. Mas pra mim ele diz. Simplesmente por eu ser mulher!
Oliveira deixa transparecer um ódio especial por eu ser não só mulher, mas também gorda e de meia idade. Em todas as suas linhas, eu vejo uma mensagem desesperada do tipo: “Como pode uma mulher que eu leio todos os dias, que escreve um blog em que sou viciado, não ser sexualmente desejável pra mim?! Aprendi que as mulheres só têm essas duas funções, serem objetos de desejo ou serem mães. E essa blogueira não é nem uma coisa nem outra! Por que, então, sinto-me tão atraído a ela?”.
E juro que não tenho resposta. Chispa, Oliveira. Vai comentar lá no tio Rei.

Bárbara Reis disse...

E além de tudo, ele não sabe escrever!

Como pode uma pessoa ser tão desocupada ao ponto de se dar o trabalho de vir aqui, te ofender?

Se ele não gosta do que lê, não leia, não venha mais aqui e pronto.

Rídiculo!

'¬¬

Ele deve ser ou se achar pelo menos, um tesão, gatissimo, moreno alto, forte, dos olhos verdes, PhD em inteligência e cultura.

Pra mim, ele é um idiota, que não tem mais o que fazer, e não sabe se expor de maneira cordial. Um sem moral e antiético.

'¬¬

Éris disse...

Oi, Lola. Não sei nem por onde começar... não li só esse poste e a reportagem e sim todos os artigos linkados que também tinham outros artigos linkados... hehehe
Bom, concordo com o que você escreveu em todos os posts. Desde que alguns imbecis pensam que mulher gosta de ouvir grosserias, que para eles achamos que são elogios, etc. até esse último sobre a homofobia.
Fiquei com dor de cabeça, não pelas leituras, não por seus arquivos, mas por saber que existe tanta gente ignorante no mundo ainda, e isso me dá um desânimo.
Enfim, excelente artigo!

Anônimo disse...

Muitos homens caluniam terrivelmente os homossexuais masculinos perante as mulheres acusando-os de assédio e entre outras coisas por demais impossíveis de se imaginar, o que acaba por estimular muito o ódio contra gays. A maldade de muitos destes é contra o homossexual em si mesmo. A grande prova é a existência de homossexuais masculinos que não se aceitam e fazem de tudo para viverem sem o homossexualismo, mas mesmo assim se são descobertos serem homossexuais eles são caluniados de tal maneira que nem as mulheres que estão dentro da prostituição carregam nome mais feio do que o deles. E o resto da sociedade e os homossexuais não sabem disso. E a sociedade age com violência às vezes até mortal, podendo esses homens terem sangue nas mãos, os homossexuais se sentem cada vez mais perseguidos e não sabem o porquê. Um exemplo é de um homossexual masculino que foi convidado para a casa de uma amiga casada. Não aceitando a sua situação nunca praticou o homossexualismo, com todos os esforços possíveis, devido á sua religião. Ali o marido começou a ter uma abordagem muito amigável com o homossexual, e este quase fugiu a sete pés, mas mal este saiu, o homem estimulou o ódio da esposa a tal ponto que ela por sua vez arrasou a imagem social do homossexual, que as pessoas que passavam pelo homo, até cuspiam. Quando a verdade foi descoberta o homo disse para a mulher que a justiça seria feita por Deus pois nunca lhes fez mal nem nos pensamentos o que levou a jovem a confrontar o marido que posto contra a parede confessou a verdade, a inocência do outro. Ela mal podia acreditar uma vez que estimulou o ódio até de pessoas religiosas. Nos empregos é ainda pior, os homossexuais trabalham como escravos, recebem baixa renumeração, são caluniados de assédio de tal forma que não importa o que façam ou não façam, no fim são despedidos com desculpas fúteis, e outros homossexuais são prevenidos de entrarem em empregos. O que levando muitos desses a cair na rua da amargura, o desespero ao açoite e até á morte. O pior é que com cinismo muitos armam cenas para que outras pessoas pensem o que querem que se pense. Portanto quem for homossexual, deve tomar muitíssimo cuidado com os homens que não são seus amigos, (não digo todos, salvo os que não são assim), cuidado em abordá-los, ir á casa de uma amiga pois depois ela poderá odiar-te. Não defendo a prática do homossexualismo, é bom que isso fique claro, mas parte da sociedade cega para muito do que realmente se passa.
Ainda no local de trabalho eu vejo homens que se dizem heterossexuais, a exibirem descaradamente o volume anormal de sua genitália para um rapaz que suspeitam ser homossexual, se espremem na cadeira, vestem calças apertadas abrem as pernas balanceiam-nas sensualmente, falta somente esfregar o material na cara do outro e todo o mundo vê isso mas o rapaz suspeito só pode ver para longe, se sequer olhar na direcção da cara do sedutor é criticado e perseguido. Ninguém sabe se ele realmente é homossexual, mas caluniam-no de que ele da em cima enquanto na verdade ele foge dos rapazes, rogam pragas, ameaçam porrada etc.