sexta-feira, 25 de setembro de 2009

CRÍTICA: O SEQUESTRO DO METRÔ / Vontade de atirar em reféns

- Cadê o Denzel? Eu só falo com o Denzel!

Eu nem desconfiava que O Sequestro do Metrô é um remake de um policial de 1974. Mas isso não salva o filme. O que acontece é o seguinte: John Travolta é o malvadão (com um vasto currículo em interpretar vilões exagerados, vide A Senha e Face/Off) que quer dez milhões de dólares em troca do vagão de metrô que sequestrou; Denzel Washington é um funcionário da casa que vai negociar com ele. E como a direção é do Tony Scott, irmão menos esperto do Ridley, é garantido que vai haver várias explosões e perseguições de carro (mas não é num metrô?, você pergunta. Pra você ver, respondo eu). Ridley já assinou alguns clássicos, como Blade Runner e Thelma & Louise. Mas Tony certamente deve ter mais dinheiro, porque são dele Ases Indomáveis, Um Tira da Pesada 2, e Deja Vu. Ele é o alpha male director por definição, aquele que jorra testoterona. Há pouquíssimos personagens femininos relevantes em toda sua obra (a exceção é Fome de Viver). No entanto, há muita ação, barulho, e piadinhas másculas. Em Sequestro do Metrô, quando alguém pergunta sobre o personagem do Travolta, “Quem viajaria pra Islândia num fim de semana com uma modelo de bunda?”, e o outro responde, na lata, “Um corretor de Wall Street!”, juro que meu primeiro chute seria “um diretor de cinema do tipo Tony”.
Não é coincidência que o único personagem feminino de Sequestro seja uma pentelha, que só tá lá pra atestar que o protagonista é espada (apesar de passar a vida falando e correndo atrás de homens). No trailer é pior: fazem a mulher do Denzel (que tem menos de duas cenas de dois minutos cada) parecer uma super megera egoísta. Tipo, o Denzel tá lá, negociando a vida de reféns, fazendo o seu trabalho, colocando sua vida em risco, e a muié diz que não quer nem saber: ele que traga um galão de leite pra casa quando voltar à noite. No filme essa fala é estendida um pouco, então dá pra entender que isso é código pra “ó, não se esqueça de voltar vivo pra casa mais tarde”. Quer dizer, eu entendi. Já o maridão... Perguntei pra ele: “Por que ela pede que ele volte com um galão de leite?”. E ele: “Porque eles têm dois filhos e devem beber muito leite”. Expliquei pro meu geninho que o leite não é literal, e que a minha pergunta é a mesma que o Denzel faz pra ela: “Por que um galão? Por que não meio galão?”. Mas o maridão não se deu por vencido: “Deve ser porque eles não bebem muito leite. Aí o leite estraga e tem que ser jogado fora, e eles não gostam de desperdício”. Desisti.
O filme é fraquinho que só ele. Não começa mal, mas vai indo a lugar nenhum. Os personagens são rasos, sem motivação, o que impede os astros de brilharem (o Denzel, que pra mim sempre foi um dos astros mais lindos do mundo, ainda por cima tá feio, com barbicha e pouco cabelo. Igual ao Travolta). E, pensando bem, não acontece grande coisa. É uma trama bem falada, e bastante parada também. Portanto, o que precisamos para que uma história nesse estilo seja boa? Personagens interessantes, ótimos diálogos, e interpretações marcantes. Em Sequestro não temos nada disso.
Um sinal claro do desperdício do elenco é como ótimos character actors como o John Turturro (Transformers 2) e o Luis Guzman (Sim Senhor) não tem nada pra fazer. O Turturro não decola em momento algum (embora ele ande de helicóptero; tá, essa foi fraca, eu sei). E o Guzman, devem ter cortado um monte de cenas dele. Porque ele é o quarto nome na lista e mais parece um figurante.
Outro sinal é que, pô, há 17 reféns presos no metrô. Não dá pra falar um pouquinho deles? Nadinha mesmo? A gente fica sabendo algo que pode ser resumido em meia frase sobre dois carinhas, mais ninguém. Lógico que temos certeza que o único garotinho no vagão não vai sofrer nem um arranhão. Se permitissem um cãozinho no metrô, esse estaria são e salvo também. Mas por que não aproveitar o momento? O sequestro está sendo transmitido ao vivo pela internet, porque o laptop de alguém tá gravando o negócio. Deve haver milhões de pessoas assistindo, montes de comentários. Não dava pra desenvolver essa subtrama?
Não, porque o filme só tem olhos pros dois astros. Agora imagina o seguinte: você sequestra um vagão de metrô de Nova York (cidade que, entre o Bin Laden e Hollywood, tem enorme experiência com terroristas querendo destrui-la). Há grandes chances de você acabar morto. Você decide fazer toda a negociação através de um funcionário do metrô. E aí você descobre, pelo Google, uma ou outra coisinha sobre esse funcionário. Responda francamente: você pararia tudo que está fazendo pra interrogá-lo sobre sua vida pregressa? Tipo, quem dá a mínima? Lembre-se: ele é só um funcionário do metrô que atendeu o telefone. Você está sequestrando um metrô. Concentre-se. Mantenha o foco.
E, já que estou reclamando, por que precisa de um monte de legenda dizendo que horas são, quantos minutos faltam e tal, se a gente vê closes de personagens checando seus relógios? Até o prefeito, que é uma anta feita pelo James Gandolfini (Sopranos), pergunta por que diabos o dinheiro está sendo levado de um lado de outro pelo trânsito infernal de Nova York, e não por um helicóptero. Ahn, é porque a gente precisa ver cinco perseguições de carro e uns trinta acidentes. Aliás, tô pra ver polícia mais incompetente do que essa. E lógico que o clichê do herói individual prevalece―toda a força policial da cidade pode estar à procura do meliante, mas quem vai encontrá-lo e resolver a situação é o protagonista. Aí é muito engraçado o Turturro dizer, do alto de um helicóptero, que a vista aérea é maravilhosa, porque assim “a gente entende melhor pelo que está lutando”. Por uma população de imbecis, um prefeito anta, e uma polícia inepta? Quando tudo que a gente precisa é do Denzel?
No final, umas trezentas pessoas falam pro herói quão heroico ele é. Sério, praticamente se forma uma fila pra congratular o protagonista. Mais uma pessoa que falasse “Ô cara, tu é bom”, e eu já ia sequestrar o cinema. E não ia nem querer negociar com o gerente. Já ia começar atirando nos reféns direto.

15 comentários:

Lu Ribeiro disse...

não há dúvidas que seu txto é beeeeeeeeem mais divertido q o filme. Parabéns!

Giovanni Gouveia disse...

Aqui, ô motoneiro, isso é um seqüestro, desvie este metrô que vamos mudar a rota...

FAla sério, o argumento é podre

Falar nisso, Lola, já ouviu falar desse filme:

http://www.imdb.com/title/tt1020885/

????

Junior disse...

Tem que ter coragem pra ver esse filme....

Alba Almeida disse...

Como sempre sua crítica é adorável!!!
Por que o cinema ficou sem criatividade??? ... e vem com tanta porcaria???
Valeu!!!!
Beijos.

Bárbara Reis disse...

AAUHAHUHUAHAHUUHAUAU...

Ai, Lola, só você pra me fazer rir hoje.

Eu queria ver esse filme, broxei. Porque eu sei que eu vou achar a mesma coisa... aliás eu tenho todos os filmes do Denzel, praticamente, em casa... e tenho preguiça de assistir porque sei que é tudo a mesma coisa.

Lolinha, você vai assistir Anticristo e A Orfã pra me contar, e me dizer o que você acha??? xDDD

[A folgada] hahaha...

Fui mandada embora, HOJE, da agência de publicidade onde eu trabalhava... mas, porém, entretanto, contudo... eu ainda trabalho na locadora... e preciso saber dos filmes. :D

E você é a minha fonte! :]

Brincadeira, eu te leio todos os dias, porque sou sua fã mesmo. ^^

Beijão!

Bárbara Reis disse...

Ahh... ontem, na aula de ética, na faculdade, estavamos discutindo o comercial da Havaianas que saiu do ar. E eu te citei... falei que leio o teu blog, e comentei o que você disse. :]

Todo mundo parou pra ouvir... e uma amiga minha 'ta te lendo também... aliás, aqui do meu lado, que estou no laboratório de informática da faculdade. hahaha


:***

Andreza disse...

hauhauahuahuha
meoooo certo q escrevendo assim vc podia fazer Stand Up Comedy (joga no youtube)

lola aronovich disse...

Lu, obrigada. Olha, pra ser mais divertido que o filme em questão não precisa muito.


Gio, mas eu até gosto de filmes de sequestro. Ou de roubos. Assaltos a banco, essas coisas. Me dá ideias! Lesbian Vampire Killers? Por incrível que pareça, já ouvi falar sim. Mas esqueci aonde. Deixa eu ver... Ah, foi lá na Deborah. Vai lá ver.

lola aronovich disse...

Junior, coragem é o que não me falta! (eu tento ir ao cinema uma vez por semana).


Alba, obrigada! Pois é, vem MUITO filme ruim pra cá. Eu nunca deixo de me espantar quando vejo as listas dos melhores filmes americanos do ano. E dos piores também. Há muitos entre os melhores que não chegam ao Brasil, mas pode apostar que TODOS da lista dos piores passam aqui.

lola aronovich disse...

Barbara, vc tem todos os filmes do Denzel em casa? Que bom! É, ele é um excelente ator, e lindão de morrer, mas seus filmes não costumam ser muito bons.
Anticristo eu fiquei com muito pé atrás de assistir, por causa da cena da mutilação feminina (fico pensando se preciso mesmo ver essa cena), mas eu até assitiria. O problema é que não passa aqui em Joinville nem a pau. Não sei se quando eu for a Fortaleza ainda estará em cartaz. O jeito será vê-lo no computador ou em dvd, quando sair. A Órfã parece bem legal, gosto de filmes de terror. Se passar eu vejo, lógico.
(Aliás, eu acabei não respondendo pra Mica e mais alguém que pediu pra comentar Let the Right One In: eu vi o filme no computador. Se vcs insistem, eu o revejo e escrevo sobre ele).
Barb, que pena que vc foi mandada embora. O que aconteceu? É pra contenção de despesas?
Ah, que chique vc me citar na sua aula! Isso aí, faz propaganda do meu blog!


Andreza, obrigada, mas não creio que eu leve jeito pra stand up comedy...

Bárbara Reis disse...

Eba! :D
Anticristo eu já vi... e sim a parte das mutilações são horriveis, e eu fechei o olho várias vezes, mas acabava abrindo e vendo. hahaha...
A Orfã, eu fiquei sabendo que é meio 'O anjo malvado'... e pelos trechos que eu vi no site do Omelete, realmente. Mas eu quero ver mesmo assim. :]

~

Aconteceu que eu vou me formar, e eles não iam me promover, eu era recepcionista da agência, e eles sabendo que não me promovendo eu ia acabar saindo, eles me mandaram embora do nada, sem justificativa plausivel, sem feedback, sem reclamações, nunca faltei em 10 meses... foi ridiculo... não teve nem aviso prévio. Eles preferiram me indenizar do que me avisar antes. Meu chefe simplesmente não teve a patchorra de olhar na minha cara pra me mandar embora, quem o fez foi a mulher do financeiro que não tem nada a ver, ela nem sabia o que falar, foi muito ridiculo, me sinto humilhada elevado a décima potência. Horrivel... me senti expulsa de lá, e o pior é que eles esperaram eu trabalhar o dia inteiro, pra me mandar embora. E eu só tenho de ir lá segunda pra receber, pensa... Mas tudo bem, vai pasar, um dia. Chorei horrores, mas tô um pouco menos pior agora.

:***

lola aronovich disse...

Barbara, que droga isso! O pessoal nem ter coragem de te demitir olhando na cara... Mas não se preocupe que já já vc arranja um emprego que te valorize. E é melhor já entrar num emprego já na profissão que vc quer. Não sei se são muitas empresas que dão chance pra recepcionista “subir” de cargo. Não chora não que essas humilhações todas terão fim. Torço por vc! Avise quando conseguir seu próximo emprego.

Barbara disse...

Uma vez eu li que Denzel Washington nao beija brancas em filmes. Foi o suficiente para eu nao evr mais nada dele.

Imagina um ator branco que nao beija negras? Ou um judeu que nao beija goys? Me poupe.

Diêgo Cesar disse...

Cara, concordo com tudo que vc escreveu (ou eu sou um grande puxa-saco ou tivemos a mesma visão do filme, vai saber). Achei O filme - o filme mais porcaria de 2009, e olha que o ano 'inda nem 'cabou). Eu me pergunto por que não fui ver uma coméida romãntica... teria sido mais divertido, talvez. Eu amo cinema, me divirto como ninguém e pr'eu dormir na sala, só sendo ruim de doer. É o caso de Metrô 123. It's just a piece of shit, you know.

Anônimo disse...

Meu Deus, essa é a critica mais mal feita que eu já vi!!!

primeiro, o turturro interroga denzel quando fica sabendo de seu passado porque acha que ele tem alguma ligação com os bandidos... principalmente porque eles fazem questâo de falar só com ele... não é a toa que eles interrogam... acho que vc nâo intendeu muito bem essa parte...

a mulher diz pra trazer o galão de leite... oque ela quer dizer com isso é.. volte pra casa vivo de qualquer jeito... faça o que tenha que fazer, seja um heroi.... acho que vc tambem não entendeu muito bem essa parte...

nunca vi uma critica se preucupar se o ator ta Bonito no filme ... hahaha pelo amor de deus... o Travolta é um ex-presidiario, deve ser caracterizado como um... o denzel é um funcionário do metro, um homem simples, deve ser caracterizado assim tambem...

A unica piada maxista é quando fala "modelo de bunda"....

concordo que o filme é baseado no dialogo do travolta com o denzel... os refens nâo participam nada do filme... poderia ter sido desenvolvido uma trama melhor em cima do note book do garoto no vaGão... mas gostei muito da atuação do travolta.. gostei do filme... não é um filme maravilhoso mas é bom