terça-feira, 28 de julho de 2009

TOLERÂNCIA ZERO

Responda sinceramente. Você está dirigindo o seu carro lá pelas sete e meia da noite. Tudo bem, pode até ser que você esteja morrendo de pressa porque tem uma aula particular pra dar (o meu caso), mas estatisticamente falando, as pessoas estão voltando pra casa nesse horário, então há mais chances de você não estar assim tão afobado. Anyway, não importa. É uma noite chuvosa, está bem escuro, e o sinal acaba de abrir pra você. Logo adiante há um outro sinal. Você pode vê-lo de onde você está. E, se você passa lá com frequência, sabe que é um sinal ingrato pra pedestres. O sinal quase nunca fica verde pra eles. Aí você vê uma moça e uma menina de uns dez anos, bem pequena, atravessarem correndo naquela faixa. E você vê também que a menininha escorrega e cai no chão molhado. O que você faz? A) você para o carro, esperando que a menina se levante. B) você para o carro perto, pra ver se a menina está bem, e se não estiver, oferece-se pra levá-la até o pronto-socorro mais próximo. C) você desacelera e diz pela janela “Tadinha, você tá bem?”. D) você buzina duas vezes, alto, pra avisar pra menina sair da frente. Pois é, tive a oportunidade de ver ao vivo uma pessoa escolhendo a alternativa D. O cretino num desses utilitários com pneu externo nem desacelerou. Ele só buzinou, assustando ainda mais a pobre menina. Nessas horas meu coraçãozinho se enche de ódio. Acho que pessoas assim, sem empatia nenhuma, nem deveriam poder tirar carteira de motorista. Putz, pra saber dirigir tem que saber viver em sociedade. E pra viver em sociedade, é necessário um mínimo de empatia. Se o nojentão não tem empatia por uma menininha que escorrega atravessando a rua embaixo de chuva à noite, vai ter por quem? Só tenho uma palavra pra você, ô do carrão: morra.

25 comentários:

Flávia disse...

Que horrível, Lola!!! 0.0
Imagine o medo da menininha e da mãe dela!!

Tina Lopes disse...

Pena - ou sorte - que a mãe dela não era barraqueira como eu (nós?), pq eu ia chutar muito o pára-choque (já fiz dessas). Morra II.

Bruno Stern disse...

Esses episódios sempre me lembram uma animação da disney em que o pateta fazia o Senhor Andante e o Senhor Volante.

Era só o cara entrar no carro para virar um monstro, trincando os dentes, xingando todo mundo e tal.

É da década de 50 e cada vez mais atual.
http://www.youtube.com/watch?v=RMZ3bsrtJZ0

http://www.imdb.com/title/tt0042750/

Patrick disse...

Isso me aconteceu uma vez: eu estava na saída de um shopping center, abrindo meu guarda-chuva, quando um indivíduo condutor de SUV jogou seu veículo pra cima de todos nós (eramos umas 15 pessoas) que estávamos debaixo da sacada do shopping. Tudo pra perua da esposa dele não molhar o cabelo.

Ele jogou o carro mesmo, de maneira rápida e agressiva; não buzinou, não deu qualquer aviso nem foi chegando de mansinho.

É por isso que desde quando meu sobrinho tinha 3 ou 4 anos (hoje tem 10) ele aprendeu a chamar os SUVs pelo apelido que eu "carinhosamente" lhes dei: jumentomóvel (que o pobre animal me desculpe).

Caricaturas Urbanoides disse...

POis é, como motorista sou bem solidária as pessoas.. tem muita gente sem coração e o transito só potencializa esse mau caratismo inerente.. Quando me lesionei, tive que ficar um tempo em cadeira de rodas e depois com muletas.. É nesse momento que vc percebe na pele que o mundo não esta preparado para receber pessoas com deficiencia e que não há o minimo de compaixão.Quantas vezes, eu parada na faixa de pedestres para atravessar, tive que esperar até o proximo sinal porque os motoristas ignoravam esse espaço.

Anderson disse...

Bruno, tb me lembrei desse episodio.

tem muita gente que é até educado e gentil no dia-adia, mas quando fica atraz do volante enlouquece.

Mas nesse caso especifico citado pela Lola, acredito que o sujeito é um idiota, boçal sem civilidade em qualquer ocasião.

Deborah disse...

Que horror Lola,

Eu não tenho carro, ando sempre de ônibus ou metrô. Muitas vezes os motoristas não tem mesmo noção, já quase fui atropelada uma vez quando criança.

Minha irmã era bebê e estava no colo da minha mãe, que encheu de compras da quitanda o carrinho de bebê que eu levava. Nisso veio um motorista alcolizado e subiu na calçada, bateu no carrinho de bebê que eu levava, eu cai ajoelhada no chão e minha mãe me puxou pela camisa branca da escola. Por isso não morri.
Minha irmã não morreu porque estava no colo da minha mãe.
Nesse mesmo dia minha avó materna morreu, quando meu pai chegou do funeral eu estava de braço enfaixado e ele ficou desesperado quando me viu, eu estava bem. Só chorei e me assustei na hora, minha irmã pequena ficou com medo de carros por um tempo.
Meu pai quase perdeu a esposa, as filhas e a mãe no mesmo dia.

Bárbara - Αφροδίτη disse...

O_O

affcu... '¬¬


Por isso que eu perco a fé nas pessoas... -.-'

Mel Savi disse...

assino em baixo!
que horror!
vejo cada absurdo aqui também...:/

Éris disse...

Lola, onde acho os links dos textos do concurso?

Você disse tudo quando falou que para vivermos em sociedade devemos ter empatia, isso tá em falta. =x

aiaiai disse...

O pior é que isso acontece o tempo todo.
Mas, passei por aqui para pedir que vc dê uma olhada e, se achar que deve, comente um comercial de pó para fazer arros, acho que é da knor. Eu vi ontem e até agora estou com nojo.
Não achei na internet, mas também não tive tempo de procurar muito. Mais tarde vou tentar de novo.

Patrick disse...

Vou fazer um adendo (bem, dois): primeiro, não devemos perder fé nas pessoas, mas na sociedade do automóvel. Como já foi dito, até mesmo pessoas gentis e amáveis se comportam de modo abominável no trânsito. De onde podemos concluir que o problema é preponderantemente do sistema. Precisamos valorizar um modelo que priorize pedestres, ciclistas e o transporte público em detrimento do transporte motorizado invididual. Em segundo lugar, essa mudança não é utópica nem difícil. Lembro que na minha cidade, Natal, como tantas outras do país, a faixa de pedestre era absolutamente inútil. Até que em mediados da década de 1990 uma administração do Detran-RN interessada e proativa desenvolveu uma campanha que, mesmo após dez anos, ainda repercute, sendo o respeito à faixa de pedestre um pequeno mas importantes indício de civilidade no trânsito da cidade.

hericky disse...

ow não... :/
qual o problema das pessoas, já não basta usar os carros como armas?..

Anônimo disse...

Lola um homem ou uma mulher que faça isto ao volante merece bater de frente num muro de pedra daqueles que fica de pé e deixa o carro em pedaços.Não tenhamos dúvida, este tipo de motorista certamente está com a cara cheia de álcool, de droga, ou está indo aflito buscar alguma. Nenhuma pessoa com saude mental faz uma coisa dessas.
Depois eles batem com o carro, o pessoal da rua quer linchá-los e aí sim aparece alguem para dizer que os linchadores são animais enlouquecidos... pois é...
Fatima.

Lily Dragon disse...

Morra (3)

Esses idiotas covardes se esquecem frequentemente de que, fora de seu pequeno castelinho motorizado e devidamente blindado contra o resto da realidade, eles também são seres humanos tão frágeis quanto nós, os "reles mortais".

Thiago Beleza disse...

Sempre achei que essas bizarices só acontecesse numa cidade caótica como ca capital de Sp.

Aqui, quando um motorista vê alguém atravesando num farol vermelho (para pedestres) ou fora da faixa, nem buzina, nem para. Acelera. Alguns tentam ser engraçadinhos e dizem: É SÓ PRA VER VC'S CORRENDO!. Outros são mais descarados e dizem: TA FAZENDO MERDA. SE MORRER É PQ MERECEU!...

Acho que a única coisa relevante que meu instrutor do CFC disse foi que "nos tornamos extremamente egoístas ao entrar num carro."

É...e assim caminha a humanidade....

Somnia Carvalho disse...

Lola penso no nosso transito selvagem toda vez que atravesso uma faixa de pedestre aqui e qualquer um vai parando para que eu e angelo passe... ele, andando a passinhos de 1 por hora.

Adorei o post porque acho que, embora, claro, exista muita gente decente dirigindo acho que no geral somos meios animais ao dirigir no Brasil.

A começar pela pressa para tudo, mesmo no domingo, mesmo indo passear no parque...

Uma amiga tentou tirar sua carteira de motorista aqui na suecia (eu ainda dirijo com a minha brasileira) e e jogo duro. Ela reprovou porque não tinha uma direção ecologica. Que significa isso? ela nao usou a marcha correta num momento em que o modelo do carro dela poderia economizar mais gasolina. Ela poluiria muito o ambiente, logo, nao pode ser motorista. Essa falta de tolerancia com um monte de coisa faz com que o transito na Suecia seja bem mais seguro.

Eu ate mesmo escrevi um post falando da calmaria do povo ao esperar os patos atravessando o semafoto. So de imaginar essa terrivel cena que voce descreveu da dor de cabeca... Eu acho sim que o idiota so merece algo muito ruim que lhe ensine um dia a ser gente, mas o sistema tambem merece ser pensado como uma merreca, um incentivo total ao desrespeito ao ser humano.

Ele e horrivel e meio, mas o sistema apoia muita gente ruim todo dia... ser quase atropelada no meu ex bairro em sao paulo tem sido corriqueiro em meus retornos ao brasil porque no brasil, como pedestre, sou ninguem.

Ivana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ivana disse...

Lola, acredito que recebemos o que damos. Esta criatura, com certeza, não fez para a criança ou para a mãe, mas pra ele mesmo. O que é dele tá guardado e com certeza ele vai encontrar...
Beijo!

olhodopombo disse...

terrivel,
assim esta a vida
assim esta a cidade,
"se correr o bicho pega, se ficar o bicho come"

Cris Prates disse...

Lola, uma vez em BH, vi uma mulher ser atropelada na faixa de pedestres! A senhora vinha atravessando no sinal verde pra ela (e veremelho para os carros, lógico), mas fechou quando ela estava ainda no meio da rua. Não deu outra, o sujeito arrancou e atingiu a coitada. Moramos numa avenida super movimentada aqui em Recife. Quano o sinal fecha ninguém é louco de atravessar. É necessário esperar de 1 a 3 carros passarem no sinal vermelho, verificar se o quarto está bem paradinho, daí sim a gente atravessa, normalmente correndo ois nunca se sabe se o sinal vai abrir com vc no meio da faixa. É que os motoristas ficam olhando pra o sinal da rua transversal. Quando este fica vermelho eles já estou cantando o freio para saírem feito loucos e se não o fizerem o motorista detrás já está buzinando...Sem falar nos motoqueiros acelerando enquanto vc atravessa, o não usa da seta...

lola aronovich disse...

Olha, Cris, confesso que o me deixou mais mal impressionada sobre Recife foi o trânsito. Eu estive aí uma semana, e acho que vi dois acidentes fatais. O pessoal dirige mal pacas. Claro, isso pode ser dito sobre qualquer lugar do Brasil (qualquer um mesmo!), mas achei Recife mais violento nesse sentido.
Puxa, é preciso realizar campanhas educativas urgentes. Em todo o Brasil. Aliás, só educar não é suficiente. Tem que multar mesmo. Multas pesadas, e até tirar a carteira de motorista. Com rigor mesmo. Medidas impopulares, e daí? Por que brasileiro dirige tão mal? (argentino tb). Não entendo isso. Eu lembro de campanhas do tipo "Papai, não corra" na minha infância. Mas pelo jeito não devem ter funcionado, ou senão a gente estaria melhor hoje.
Nesse trecho da rua que descrevi no post é um caos. Antes não tinha sinaleiro, e tinha que negociar muito com os carros que vinham dos dois lados pro carro da minha rua passar (isso sem falar nos pedestres. Sem faixa nem nada. E faixa não adianta, ninguém respeita). Eles colocaram um sinal, e isso deveria ser a solução. Deveria, mas não é. Porque se não colocar junto do sinal um sistema que capte os carros ultrapassando o sinal vermelho, e daí multar, não funciona. É ridículo o ponto em que chegamos: o pessoal só respeita multa. E TODOS os infratores têm certeza que a multa foi injusta! Injusta nada. Tira a carteira dessa gente, pô!

Cris Prates disse...

Há constantes campanhas de conscientização com simpáticos palhaços espalhados pela cidade, mas o motoristas têm raiva dos palhaços e como eles não multam são geralmente desrespeitados. Aliás, foi um palhaço que me alertou "Olha, quando o sinal fechar espera pra ver se nenhum carro carro vai ultrapassar no sinal vermelho, daí vc vai".

Alex disse...

Pois é, um amigo meu inglês que já esteve em vários países da europa e do oriente disse que o brasil é o país que ele já esteve em se pode cometer mais crimes de trânsito sem ser incomodado pelas autoridades.

Aqui existe essa noção distorcida que em países mais avançados as pessoas se portam melhor no trânsito apenas por terem acesso a uma educação superior, mas esquecem que na maioria desses países a chance de ser multado qdo se comete uma infração no trânsito é alta. Eu cansei de ouvir sempre que reclamo do trânsito delvagem que precisamos educar os motoristas, fazer campanhas etc. Aparentemente, ninguém que está atrás de um volante sabe pra que serve uma faixa de pedestre.

Só pra ilustrar, conheci um cara que foi multado na alemanha por andar de bike só com uma das mãos. Os policiais (muito educadamente) levaram ele para a delegacia onde ele teve que pagar a multa na hora, uns 20 euros. Alguém imagina isso aqui no brasil?

Fabio Salvador disse...

Pô, mas que idiota, esse cara do carro. E não se trata de uma questão de trânsito.

Como é que o sujeito vê alguém cair no chão, e não ajuda? Sei lá.

Eu já me irritei com gente obstruindo meu caminho (na estrada, na rua e também na calçada, quando ando a pé). Mas me irritei porque vi que a obstrução do caminho era proposital. Aì é de se roer de ódio.

Mas ver uma pessoa, ainda mais uma criança, se estabacar no chão e ficar apenas preocupado com o horário, é muita bundice mesmo!