terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

CRÍTICA: NA NATUREZA SELVAGEM / De selvagem basta a civilização

Embora tenha gostado bastante de “Na Natureza Selvagem”, eu não o colocaria na minha lista dos melhores de 2007. Faltou alguma coisa, e nem tenho certeza do que seja. Primeiro que eu não acho tão revolucionário um carinha se afastar de tudo e queimar dinheiro (literalmente!) pra se encontrar no Alasca. Segundo que nada que os flashbacks mostram de tão terrível que seus pais tenham feito justifica sua revolta. E, mesmo que tenha sido a pior infância do mundo, não dá pra passar a vida toda marcada por ela. Get it over with! Ainda assim, gostei da Catherine Keener, chorei na parte do Hal Holbrook, e sou fã do Sean Penn, que é uma das vozes mais anti-Bush nos EUA. Depois fiquei pensando: se eu tivesse que passar uma temporada no Alasca – tipo, se a alternativa fosse ir pro gelo ou a pena de morte imediata –, quantas latinhas de fudge (recheio pra bolo, uma delícia) eu teria que levar pra lá pra garantir minha sobrevivência? Acho que seria isso e latinhas de milho, porque peixe eu não como nem a pau, e atirar nos animaizinhos que vivem lá, e que têm muito mais direito de estar lá que eu, jamais. Teria que arrastar o maridão até o Alasca, porque sou péssima pra abrir latas.

Então perguntei pra ele o que ele levaria, e ele: “Uma passagem de volta pra civilização”. Depois de eu explicar que era pra levar algo pra comer, ele disse:

- Muitas barras de chocolate, mas com a Lolinha por perto, só se for chocolate com passas. Sucrilhos, barrinhas de cereal. Pode levar a TV? Ai, ai, Alasca! Não sei se a gente morreria de frio ou de fome antes.

- De fome não, amor, porque a gente levaria as latinhas.

- E seria só o abridor de latas quebrar, que a gente morreria de fome.

- Não, lindo, porque eu ficaria amiga dos ursos, como fiquei com os esquilos. Eles iam nos ajudar a abrir as latas.

- Amigo urso! Tem até uma expressão pra isso...

Emile Hirsch de camiseta, antes de chegar ao Alasca, certamente pensando no bolão do Oscar

2 comentários:

Daniel disse...

Esse filme ta dividido no que li, já li bons comentários e outros não tão favoráveis.

Voltando ao assunto do Tropa de Elite, não sei se leu a minha opinião a respeito do filme (eu, particularmente não daria o prêmio principal, mas como brasileiro fiquei contente sim) acabei de ler um artigo do ALon falando sobre o filme
http://blogdoalon.blogspot.com/2008/02/fora-do-cercadinho-1702.html

lola aronovich disse...

Acho que respondi ao seu comentario num dos dois posts sobre Tropa de Elite, Dan. Eh incrivel que tenha vencido o grande favorito, Sangue Negro!