terça-feira, 18 de julho de 2017

HOMENS TRANS SÃO MUITO DIFERENTES DE MULHERES LÉSBICAS BUTCH

Kayden Coleman, homem trans na Flórida, e sua filha

Destaco outro comentário que a pessoa que se autointitula Maria Caladora deixou no post "Não quero ser e nem me pareço com um homem". 

Primeiramente, acho sim muito importante falar sobre as destransições e por que elas ocorrem, pois transexualidade é uma questão de auto-percepção, uma coisa que vem de dentro pra fora e como uma pessoa se vê, e não de como ela é vista ou percebida, não uma coisa de fora pra dentro, não uma percepção que parte através de uma dica de algum amigo ou sugestão de um conhecido, pois é uma questão da pessoa com ela própria, uma questão de ódio inclusive, ódio à própria existência, à vida, rejeição ao corpo, ódio aos próprios genes inclusive. 
Disforia de gênero não é nenhum passeio no parque e não é uma questão de observação alheia. Não é um psiquiatra que vem e tem que te abrir os olhos e te dizer quem você é; é você mesmo(a) que tem que ter essa percepção, e é por isso que estão acontecendo alguns diagnósticos falsos e errôneos de transexualidade, porque existem pessoas que acham que podem dizer às outras quem elas são e quem devem ser, e inclusive o que devem fazer com a própria vida. Transgenerismo não pode funcionar e ser diagnosticado assim.
Novamente, a caixa de comentários tornou-se palco do ódio transfobico, permeado não apenas pela ideologia do pseudo feminismo 'radical' mas principalmente pelas pessoas cisgeneros que insistem que através de suas óticas cisgeneristas e absolutistas podem ditar quem as pessoas trans são ou deixam de ser nesse mundo, pois acreditam que o poder está com elas e numa lógica patriarcal insistem em exercer o controle sobre a personalidade e o corpo alheio através da prisão de gênero.
Primeiro homem trans a
aparecer na capa desta
revista LGBT
Engraçado que o patriarcado é tão forte, mas tão forte, que as mesmas pessoas que dizem combater noções de gênero são as mesmas que insistem em usar fortes marcadores e limites de gênero para ditar quem as pessoas transgêneros podem ser ou não. Ou seja, elas já estão tão cegadas pela ótica patriarcal e pela cultura de gênero, que caem em um círculo contraditório, onde o patriarcado e seus conceitos cisgeneristas limitados são utilizados firmemente como argumentos transfóbicos, por quem diz que vai aniquilar gêneros, se valendo de limites de gênero.
Radfems, não sejam essas pessoas:
reaças se escandalizaram com
um homem trans que deu à luz
nos EUA esta semana e apelaram
pra velha transfobia
Mais engraçado ainda é que, honestamente, até hoje não vi homens trans, nem mulheres trans, fazerem declarações lesbofóbicas, torcerem para que lésbicas se deem mal, para que lésbicas, independentemente do grau de "feminilidade", percam algum direito, passem por algum perrengue na vida, tenham o direito de ser quem são e ditar ao mundo quem são de alguma maneira tolhido, jamais desejam absolutamente nada de ruim a qualquer lésbica que seja, pelo contrário, costumam vociferar contra a homofobia tanto masculina quanto feminina e ainda sim são, sabe-se lá o porquê, odiadxs por boa parte das ditas lésbicas butch masculinizadas que se dizem radfem 
(faço questão de fazer esse detalhamento observatório pois boa parte das lésbicas ditas femininas que conheci acham absurdos os argumentos transfóbicos por parte das radfems; assim como não são obviamente todas as butch que têm interesse no discurso transfobico e nem se identificam como feministas, além do que existe também um pequeno grupo de radfems que não apoiam a transfobia e ridicularizam as terfs [feministas radicais que excluem pessoas trans]).
Enfim, realmente não entendo a razão de tanta transfobia de uma parte dos lgbt que também estão sujeitos ao ódio irracional. Todo o discurso sobre como não existe homem de vagina, além de transfobico, lotado de determinismo biológico e cisgenerista, é também muito ofensivo.
Uma linda lésbica butch fotografada
no lindo projeto da Meg
Existe uma tremenda desonestidade intelectual em confundir uma lésbica masculinizada com um homem trans, ou dizer que a linha que divide uma coisa da outra é tênue.
Primeiramente que uma mulher lésbica masculinizada é apenas uma fulana que não se submete e não se identifica com aquilo que a sociedade espera de uma mulher, não consegue se adaptar a aquilo que a sociedade patriarcal designou como feminino e por isso traz alguns "símbolos de masculinidade" para sua vida. 
Casal de lésbicas butch: elas
não querem ser homens nem
sofrem disforia de gênero
NO ENTANTO, essas mulheres NÃO sofrem de disforia de gênero, elas não sofrem por ter uma vagina e útero, elas não DETESTAM ter ovários, elas não se entristecem em menstruar, elas não sofrem em ter um nome feminino e serem chamadas por ela, ELAS JAMAIS desejariam ter barba na cara, cintura de homem, porte físico de homem, voz de padrão masculino, cabelo no peito, nome do tipo Roberto/José, rosto masculino ou olhar para a própria genitália e enxergar lá pênis e testículos, AO CONTRARIO dos homens trans, pra quem tudo isso é muito significativo, e SOFREM em ter um corpo designado como feminino e ODEIAM com todas as forças terem nascido no sexo feminino. Sim, isso acontece e se chama transexualidade.
A própria Cássia Eller, por muitos considerada masculina, e sem muito jeito pra ser "feminina" conforme os padrões da sociedade, se dizia feminina, ou seja, jamais que ela seria um homem trans, pois ela não tinha problema em ser uma mulher, em ser chamada de Cassia e ser reconhecida como tal, ao contrário do que aconteceria se ela tivesse sido um homem trans. Portanto, é de muito mau tom confundir uma coisa com outra.
Outro detalhe crucial para desmistificar o mito de que lésbicas masculinas e homens trans podem ser colocados no mesmo balaio é que ao contrário de mulheres lésbicas, nem todos os homens trans têm interesse em manter relações afetivas ou sexuais com mulheres exclusivamente.
"Just call me sir", "me chame
de senhor", diz camiseta
deste homem trans
Sim, muitos homens trans são bissexuais, outros assexuais, outros de fato só querem romance ou sexo se for com mulheres, e já vi um inclusive que se dizia gay. Sim, o coitado vivia tendo que justificar porque namorava com homens se também tinha se transformado em homem, já que seria mais fácil ter continuado como mulher para obter a atração dos homens e sofrer menos preconceito. No entanto, ele foi enfático em dizer que nunca se identificou como mulher, nunca gostou de ter aparência e corpo feminino, e no entanto nunca se apaixonou por mulheres, nunca quis nada com nenhuma delas e sempre foi muito sincero em relação aos seus sentimentos pelos homens e em todos os seus relacionamentos com homens.
Muitas radfems posicionam-se claramente contra as pessoas trans e seus direitos, dizendo que gênero não existe, mas é de se espantar que com esse pensamento elas tenham a coragem de se considerar feministas, pois como ser feminista sem antes reconhecer que existem papéis de gênero moldando nossas personalidades e nosso modo de se relacionar com o mundo e sem admitir que existe um GÊNERO que oprime o outro?
É também de se espantar que as que mais dizem não acreditar que gênero existe e que transexuais são mulheres são as primeiríssimas a terem uma ânsia de classificar as trans em alguma categoria, em algum rótulo, e também as primeiras a se sentirem no direito de inquirir as pessoas trans sobre o gênero e corpo delas.
Continuo vendo muitas feministas com o determinismo biológico e genético na ponta dos dedos para ditar o que é ou não uma mulher. Acho isso tão contraproducente, pois desde quando é possível dissociar a figura da mulher como conhecemos dos seus marcadores sociais, históricos e culturais para considerarmos apenas a biologia?
Ainda mais considerando que nossa vida hoje é basicamente 80% artificialidade?

145 comentários:

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

"a biologia é o q determina quem é judeu"?
Eu li isso mesmo? O_O

Anônimo disse...

Vcs forçam a barra, tem mulher lésbica q a gente olha e pensa q é homem, a pessoa tem o jeito masculino, n só roupas e esmaga o peito ate ficar dificil de ver e a gente tem q perceber em segundos q é mulher?
Vi um canal de uma bofinho (masculinizadas), q além do q eu falei, é toda musculosa, se vejo na rua sem saber de nada iria achar q é homem.

Q tal falar dos absurdos dos trans? Como a adolescente trans q disputou num esporte com outras meninas num colegio dos eua e obviamente ganhou, pq nem tratamento faz, tem força de homem. E as meninas tiveram q engolir caladas pra n serem acusadas de transfobia.
Li em algum lugar q com o tratamento hormonal elas ficam com força de mulher, mas n sei se é verdade.

Anônimo disse...

"a biologia é o q determina quem é judeu"?

sim, é óbvio, pergunte pra qualquer judeu

só é judeu quem nasce judeu, de uma mãe judia, mas eu poderia dar outros exemplos: negro, índio, branco, etc.

a mesma coisa com o sexo, mulher é um SEXO, logo, só é mulher quem nasce do sexo feminino

e lola, apagou meu comentário pq? eu só disse verdades, e ele ainda aparece pq o outro ali, quotou, kkkkk

vc não se cansa mesmo de dar palco pra esse mario "calador", nada do q eles diz faz sentido, e tanto, q nem vc é capaz de argumentar

Anônimo disse...

Anon 15:50

Nunca vi mais sábias palavras! Espero respostas convincentes.

Anônimo disse...

ativistas trans não estabelecem nenhum critério pra definir o q é "mulher", se eu perguntasse pra qualquer um deles o q é ser "mulher", eles não saberiam responder, mas ainda sim acham q podem dizer quem é ou que tipo de "mulher" é cada pessoa, mesmo nem eles sabendo o q de fato é uma "mulher"

por exemplo: se o alexandre frota viesse e dissesse q é "mulher", nós teríamos q aceitar, pq o q a vale é a "auto-identificação" ou aqueles 300 gêneros inventados pela teoria queer

sim, pq não basta não haver definição clara (por parte dos transativistas) sobre o q é ser "mulher", eles ainda querem nos forçar a compreender e conceder direitos civis à outras centenas de "gêneros" q eles ficam inventando a todo momento

a ciência, a biologia e a medicina (q é tudo o q realmente importa) estabeleceu critérios precisos pra se definir o q é ser mulher (ou homem), e todo mundo sabe quais são, isso se aprende no ensino fundamental, e nem seria necessário estudo pra isso de tão óbvio e observável q é, e é com eles q eu fico (assim como todo a sociedade, o estado, as leis e as empresas, ainda bem)

Ser mulher é: pertencer ao sexo feminino, ser a fêmea da espécie humana; essa definição é muito simples, muito óbvia, muito empírica e não dá margem pra erros ou relativizações, a humanidade inteira desde o seu surgimento entende o que é cada sexo, mas só o ativismo trans q não deve ter 50 anos no máximo pra questionar uma coisa q é tão sólida: o corpo humano, a anatomia humana, a fisiologia humana e os sexos humanos, que são o feminino e o masculino, e só

"Q tal falar dos absurdos dos trans? Como a adolescente trans q disputou num esporte com outras meninas num colegio dos eua e obviamente ganhou, pq nem tratamento faz, tem força de homem. E as meninas tiveram q engolir caladas pra n serem acusadas de transfobia" - pra vcs verem em q pé está essa diarreia mental chamada teoria queer e ideologia transgênero

Anônimo disse...

Quantos trans vcs conhecem? até parece que existem milhões por aí

Anônimo disse...

Haja paciência para ler os comentários!

Anônimo disse...

Esse assunto chatíssimo já deu tudo o que tinha que dar.

Feministas não podem ser generistas. Não é feminista reforçar "masculinidade" e "feminilidade" "corretas", pelo contrário, isso é uma arma da supremacia masculina. Dá base e reforço à opressão das mulheres.

Não é feminista dar apoio e lutar para que coisas e características consideradas "masculinas" sejam consideradas "corretamente" (de acordo com o patriarcado) apenas "coisas de homem" (portanto, se você tem gostos e características que o patriarcado considera arbitrariamente como "masculinas", você é homem!) e que coisas e características consideradas "femininas" sejam consideradas "corretamente" (também de acordo com o patriarcado) apenas "coisas de mulher" (portanto, se você tem gostos e características que o patriarcado considera arbitrariamente como "femininas", você é mulher!).

Esses conceitos existem para facilitar a opressão e exploração do sexo masculino sobre o sexo feminino, são fundamentalmente anti-feministas, conceitos masculinistas, patriarcais, conservadores e ultrapassados. Feministas nunca poderão aceitar isso e se conciliar com esses conceitos e ideias.

Anônimo disse...

"Eu li isso mesmo?" - Sim, foi isso mesmo o q vc leu; pq? algum problema? Disseram alguma mentira?

(Se concentrando apenas no fator ÉTNICO, não no religioso) uma pessoa judia é considera judia, pq ela nasceu judia, de uma mãe judia, isso é algo estritamente biológico, e o mesmo vale pra todas as outras raças e etnias: negros, pardos, nipônicos, árabes, brancos; o fator determinante de todas essas identidades é a biologia, a genética, a ciência e a medicina, não a auto-identificação, não a ideologia, não o achismo, não o "eu sou assim, pq eu quero"; mas engraçado, nós fêmeas somos o único grupo biológico q não pode afirmar q ser mulher é ser do sexo feminino (o q é fato), pois isso "chateia" o pessoal do sexo masculino q reivindica ser "mulher" - parece até piada: nós mulheres termos q abdicar de um materialismo real e comprovado, pq magoa os homens, agora me digam - desde quando isso é feminista?

Mas só pra constar, eu considero mulher aqueles trans q fizeram operação, por exemplo, a roberta close, pra mim é forçar a barra demais chamar aquela pessoa de "homem", agora qualquer outro "trans" q não se enquadre nisso é só travesti, não é mulher coisa nenhuma

Mas para os ativistas trans, especialmente os atuais, nem isso é o suficiente, eles querem forçar q qualquer um pode ser "mulher" e deve ser respeitado como tal apenas se a própria pessoa disser q é uma "mulher"; queria ver se fizessem isso em relação à raça negra, mas como é em relação ao feminino, vale tudo

agora eu pergunto: se eles não tem qualquer critério material pra estabelecer uma identidade feminina (e logo eles q nem pertencem ao sexo feminino), como eles podem se auto-proclamar "mulheres"? Ou exigir q os outros aceitem isso (quando claramente dá pra ver q um maxo barbado não é mulher mesmo ele dizendo q "é")? E pq, já q mulher pode ser qualquer um, até um alexandre frota, eles fazem tanta questão de serem identificados assim? Se ser mulher pra eles é uma identidade tão abstrata e fluida, qual a razão deles darem tanta importância à isso? Ainda mais agora q inventaram os tais gêneros não-binários (q não existem)

A ideologia transgênero e a teoria queer transformaram o conceito de gênero numa coisa completamente sem relevância, pq eles acham q o estado, as leis, a sociedade e as pessoas devem estar atentas a coisas q são tão indefinidas, incompreensíveis e pessoais? q importância é essa q eles dão à si mesmos? essa ideologia é puro narcisismo

Agora eu e todo o resto: as leis, o estado e a sociedade, só consideraremos o sexo, pq isso pelo menos é uma coisa concreta e facilmente identificável, e quem nos obrigou a isso foi o próprio ativismo trans, mas e aí, quem dirá q estamos errados? ou o transativismo vai tentar transformar até o sexo em uma coisa abstrata?

Anônimo disse...

E antes q venham falar em intersexualismo... pq quando são confrontados, o mais q ridículo ativismo trans adora usar esse arJumento

intersexualismo NÃO É UM SEXO, é um defeito genético ou congênito, uma mulher intersexo continua sendo uma mulher. Além de ser pura hipocrisia os transativistas se escorarem nisso, sendo q:

- eles negam qualquer princípio biológico, então eles querem falar de defeitos genéticos/congênitos, tais quais o intersexualismo, pq?
- 99,9% dos "trans" não possuem nenhum nível de intersexualismo, o organismo sexual original deles é, até antes da transição, perfeito e funcional
- 99,9% das pessoas q apresentam algum nível de intersexualidade não são trans

Isto é... transativistas usarem dessa falácia é o maior sofisma do mundo, só não é pior q falar em "cérebro feminino", pra começar, é mais uma vez incoerente, já q eles negam qualquer fator biológico, e segundo q não há nada comprovado, todos os cérebros são distintos um dos outros, o cérebro de uma mulher é diferente do cérebro de outra mulher, e assim por diante, essa análise óbvia não é o suficiente e nem válida pra dizer q existe diferenças cerebrais específicas (apenas) entre homens e mulheres, quando na verdade, o q existe são diferenças cerebrais específicas entre todas as pessoas; e mesmo se existisse alguma distinção clara entre cérebro feminino e masculino: não é, nunca foi e nem nunca será o cérebro o determinador do sexo de alguém, e ainda continuaria hipócrita os transativistas q não consideram nada biológico se firmarem nesse arJumento

E pra concluir, dois fatos curiosos:

- 80% ou mais das crianças q manifestam disforia de gênero, deixam de manifestar isso a partir do momento q entram na puberdade
- A expectativa de vida de um trans é muito baixa, pq, entre outros fatores, o principal é q: eles tomam quilos de hormônios altamente cancerígenos e vivem fazendo intervenções cirúrgicas e plásticas desnecessárias

Anônimo disse...

A partir de agora, eu não sou mais uma mulher, eu sou uma FÊMEA, como eu sempre fui, e sou assim, pq eu fui concebida assim, eu nasci assim, não escolhi ser assim e quero continuar sendo assim até morrer, pq eu amo ser uma FÊMEA, e uma das razões é pq a outra única opção é ser maxo, e maxo é uma desgraça, em todas as espécies vivas desse planeta, incluindo a humana, a FÊMEA é melhor q o maxo, então eu sou feliz por ser uma FÊMEA mesmo, graças a deus

E pq eu não quero ser mais uma mulher? Pq os maxos q reivindicam serem "mulheres", seus ativistas e simpatizantes, pegaram essa palavra e a esvaziaram completamente, mudaram totalmente o seu significado e pra uma coisa q ng é capaz de compreender, deus me livre, q façam bom proveito e q se chamem de "mulheres" o quanto quiserem, pq eu não sou mais essa p&rra

Eu sou uma FÊMEA, assim como até então, todas as mulheres tb eram, e só - essa identidade pelo menos ng NUNCA poderá ressignificar, nem os ativistas trans, é uma identidade 100% material, NATURAL, definida e objetiva, não deixa margem pra dúvidas, erros e interpretações ideológicas de ng. E de fato, o estado sempre considerou somente o nosso sexo, na certidão de nascimento e no RG de todo mundo consta apenas o sexo da pessoa, pq é só isso o q interessa, até a justiça sabe, e creio q é assim em todos os outros países do mundo tb

Na verdade, eu apenas passei a me identificar com algo da qual eu sempre fui, uma FÊMEA, e q é tb a única coisa q sempre importou pras leis desse mundo, nada mudou na verdade, a única coisa q eu não quero mais é esse rótulo vazio chamado "mulher"; transativistas vcs podem pegar essa m&rda e fazer o q quiserem com ela, fiquem aí com os 500 gêneros de vcs, pq o q eu sou é uma FÊMEA, e dessa identidade estritamente NATURAL vcs passam bem longe

Anônimo disse...

Uma vez me vestir de homem anos 30 no Carnaval junto com meus amigos gays com ternos anos 30.foi divertido e elegaelegante.


Catarina a grande

Anônimo disse...

Aquele momento em que não é possível diferenciar o discurso radfem do discurso masculinista.

Anônimo disse...

O q foi relatado nesse post a respeito do "o q é ser trans" denotou claramente q transexualismo é uma doença, mais especificamente, um transtorno mental

é por isso q transgenerismo está classificado no CID e no DSM, pq ninguém q odeie tanto o próprio organismo (sadio) assim, como o ativista expôs, pode ter uma mente saudável, é comparado à anorexia, q aliás, essas duas questões ficaram sem respostas dos ativistas trans até hj:

"A Elizabeth Taylor era branca, britânica e de ascendência nórdica, JAMAIS, sob hipótese alguma, poderia se "auto-identificar" como 'negra', mas ao que parece... para ser uma 'mulher', até um charlie sheen poderia ser, bastasse que ele se "auto-identificasse" assim
_________________________

Uma pessoa nascida do sexo masculino pode falar que é "mulher", mas uma pessoa branca não pode se considerar negra. Seguindo esta lóJica, uma pessoa anoréxica deveria ser considerada normal, pois se ela se vê e se sente gorda, quem somos nós pra falar o contrário?"

Todo mundo se cala quando esses dois simples questionamentos vêm à tona, é impressionante, creio q é pq ng é capaz de confrontar seus próprios discursos incoerentes

Anônimo disse...

Incoerência, a gente se vê por aqui.

Anônimo disse...

"transexualidade é uma questão de auto-percepção, uma coisa que vem de dentro pra fora e como uma pessoa se vê, e não de como ela é vista ou percebida"

Então se transexualidade é puramente auto-percepção pessoal individual, trans não pode ser uma categoria social, se é uma questão somente do indivíduo em relação apenas aos seus pensamentos e sentimentos internos e subjetivos. Não faz o menor sentido vocês espernearem, quererem porque querem reivindicar para indivíduos do sexo masculino, acesso a espaços exclusivos para pessoas do sexo feminino, inclusive espaços de maior privacidade e intimidade - como dormitórios, banheiros, vestiários, etc - pois querem exigir que todo mundo concorde com seus caprichos típicos de machinhos privilegiados e finja acreditar que, em primeiro lugar, machos podem ser/são mulheres e em segundo, que fêmeas podem ser/são homens. Mesmo que tudo isso prejudique ainda mais a segurança de pessoas do sexo feminino, que já não possuem muita nesse mundo. Pois é, a segurança do sexo feminino no mundo, ISSO é de interesse e preocupação do feminismo, não os sentimentos de pessoas do sexo masculino.

anon a disse...

Porque a insistência de chamar lésbicas butch de 'masculinizadas'? É porque elas não se depilam? Tem músculos? Cabelo curto? Vestem roupas confortáveis? Que mundo bizarro é esse do transativismo, em que uma mulher não aceitar caracteristicas que são usadas pelo patriarcado para a controlar faz dela 'masculinizada'?

Além de ser bastante óbvio o ponto de vista do post, é só ver como ele se refere a mulheres gender non-conforming versus mulheres '''femininas'''.

Sugiro dar uma lida sobre a pressão que lésbicas butch sofrem para transicionarem, e sobre o quanto homens trans estão se tornando mais comuns (e aceitos pela sociedade) que lésbicas butch (e o mesmo vale para gays '''afeminados''').

anon a disse...

"a segurança do sexo feminino no mundo, ISSO é de interesse e preocupação do feminismo, não os sentimentos de pessoas do sexo masculino" [2]

Anônimo disse...

Tudo isso só prova como o machismo nos fode, homens podem dizer o que é ser mulher, só porque se sentem uma, enquanto mulheres nascidas mulheres tem que calar a boca.
E pra aumentar a doideira, raramente vejo homens trans ( mulheres ) sendo defendidos no feminismo, só homem (mulher trans).
E n vejo casos de homens trans forçando a barra pra cima dos homens, só mulheres trans passando por cima de outras mulheres.

Anônimo disse...

Pessoas trans só espalham amor? Então os trans q pregam por ai q todos devem ficar con trans senão é transfobia, é amor puro...

Anônimo disse...

"Aquele momento em que não é possível diferenciar o discurso radfem do discurso masculinista."

Só fala que não é possível diferenciar porque é completamente idiota ou o cúmulo da desonestidade, mais provavelmente uma combinação dessas duas coisas.

Anônimo disse...

O surgimento de "1000 gêneros" indica o declínio de uma sociedade.

Pesquisem sobre isso.

Ocidente, assim como Roma, vai cair.

Anônimo disse...

Esse post é extremamente desonesto, falacioso, e todo construído com base em um machismo fundamental ao usar lésbicas ~butch~ e ~homens trans~, pessoas do sexo feminino, como 'argumento', como mola, trampolim impulsionador, para promover identidades, políticas, interesses e desejos de pessoas do sexo masculino, sejam eles ~trans~ ou não necessariamente...

Anônimo disse...

Usar MULHERES (outras mulheres no caso, mulheres de outra "categoria", não as do seu "próprio grupo") como propulsoras de identidades, políticas, interesses, privilégios, vantagens, vontades masculinas é de uma Misoginia GIGANTESCA.

Tentar cobrir isso através de chantagens ou de uma retórica apelativa, enfeitada com uma aparência superficial de bondade e altruísmo, ou mais rebuscada, ou sem nexo e confusa mesmo, não muda a realidade horrível desse fato.

Quem vai assumir a responsabilidade por essa conta de misoginia aí? Sei que o texto não é da autora do blog, mas ela é co responsável. Cadê a responsabilidade pelas próprias posições que defende e pelo que se publica, vai ter ou vai dar uma desculpa furada qualquer no melhor estilo "foi um acidente"? Deve ser "algo a mais" que veio "por engano" quando comprou o pacote e acabou ficando. Quem sabe? Vai que cola...

Anônimo disse...

"a biologia é o q determina quem é judeu"?
"Eu li isso mesmo? O_O"
_
Sim mascu você leu e esta corretíssimo,

Fernanda Minazi

Anônimo disse...

Esse Mário Calador não soube responder qual a razão da experiência de uma MULHER que não performa feminilidade (conceito esse criado por homens, patriarcal, de imposição de certas aparências e comportamentos) configurar transfobia em sua sábia e valiosa opinião, só que não.

Primeiramente porque o Sr. Mario não é trans e segundo que a expressão dele tem a fluência de um gerador de Lorem Ipsum (e tenho razões pra acreditar que é isso mesmo).

Anônimo disse...

É curioso como se tem dado espaço para doentes mentais ditarem como o hospício deve ser administrado.

Anônimo disse...

"A expectativa de vida de um trans é muito baixa, pq, entre outros fatores, o principal é q: "

São pessoas profundamente perturbadas, autofóbicas, altamente incidentes na criminalidade, alta prevalência de transtorno de personalidade paranoide e/ou narcisista, com evidente prejuízo nas funções cognitivas que permitem as pessoas tomarem decisões não destrutivas.

Mas não é pra chamar de doente não, é pra achar lindo.

Anônimo disse...

Que sono...

titia disse...

22:42 Roma não caiu por causa da vida sexual dos romanos, e não acredito que ainda estou tendo que repetir isso. Me diz, como vocês moralistas hipócritas conseguiram se formar no ensino fundamental e médio se faltavam a todas as aulas de História? O império romano caiu por causa das guerras interinas por poder e das invasões de outros povos - godos, vândalos, visigodos, hunos - que invadiam as terras do império. Roma foi sitiada e saqueada por esses povos três vezes enquanto, devido às disputas interinas por poder, nove (NOVE) imperadores sucederam-se durante os últimos 20 anos do Império. A queda do império romano não teve absolutamente NADA a ver com a suposta vida sexual "liberal" dos romanos. Teve a ver com o que leva qualquer regime político à decadência: disputas mesquinhas por poder, guerras interinas, egocentrismo e narcisismo políticos, má administração. O que as pessoas fazem com seus genitais influencia tanto a queda de um império quanto você influencia o governo dos Estados Unidos - ou seja, porra nenhuma, caso seja difícil demais pro seu cérebro de azeitona compreender.

"A história da sua ruína é simples e óbvia", concluiu Gibbons (Declínio e Queda do Império Romano). "E, em vez de perguntar por que foi o Império destruído, deveríamos antes surpreender-nos com o fato de ter subsistido por tanto tempo."

titia disse...

Ah, não esqueçamos o colapso econômico. A massiva inflação promovida pelos imperadores durante a crise do terceiro século destruiu a moeda corrente, anulando a prática do cálculo econômico a longo prazo e consequentemente a acumulação de capital, que somada ao controle estatal da maioria dos preços teve efeitos desastrosos. Então, Roma começou a ter uma queda pelas demais expansões. A falta de condições financeiras e a falta de escravos para uso de mão-de-obra em todo o império geraram tais quedas. Com seu sistema econômico destruído, a produção de armas e a manutenção de uma força militar defensiva se tornaram infinanciáveis, o que facilitou enormemente as invasões dos bárbaros.

Outra vertente que contribuiu para a sua queda foi a diversificação cultural que Roma se tornou após o contato com as colônias e com a naturalização dos bárbaros - que possibilitou à população insatisfeita duvidar da influência dos deuses nas decisões políticas, explicação que legitimava o poder do imperador.

O exército romano era uma força permanente, e não recrutada de acordo com as necessidades por algum tempo. Logo, para se manter um grande exército é preciso muito dinheiro e o Ocidente não o tinha, por causa do declínio econômico que se procedia desde o século III: apesar de ter espremido as províncias até levar à revolta dos camponeses, sobretudo na Península Ibérica e Gália, os imperadores do Ocidente não conseguiram preservar o seu Estado.

Os romanos morderam mais do que podiam mastigar. Quiseram demais e terminaram sem nada. A queda do império romano não teve nada a ver com o que eles faziam nem com quantos faziam na privacidade dos seus quartos. Inclusive, a Inglaterra puritana foi uma grande potência econômica e, do mesmo jeito que o império romano, caiu. Portugal do séc. XVIII, extremamente conservador, o último país do ocidente a deixar de usar "literata" como insulto para mulher, já foi a grande potência econômica do mundo e caiu. Todo império cai, criatura inculta. Todo, independentemente do que os cidadãos fazem das suas vidas sexuais, todo império/potência cai. É praticamente uma lei da natureza, portanto pare de usar pseudopolítica como desculpa pros seus preconceitos asquerosos, verme. Admita que é um babaca preconceituoso e pronto.


donadio disse...

É engraçado como os termos importados do inglês tendem a ser lidos como não ofensivos - mesmo quando o são no seu contexto original. Por que "butch" e não "sapatão"?

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

"a biologia é o q determina quem é judeu"?

sim, é óbvio, pergunte pra qualquer judeu

só é judeu quem nasce judeu, de uma mãe judia


Não é verdade. É judeu aquele que aceita a fé judaica ou, de um ponto de vista laico, aceita se incorporar à comunidade judaica e é aceito por ela. As conversões ao judaísmo existiram desde os tempos bíblicos e continuam a existir ainda hoje. São mais comuns por parte de mulheres que se casam com judeus e assim se tornam "mães judias" não por biologia, mas por convenção ou construção social. Povos de todas as origens foram convertidos ao longo dos séculos, razão pelas quais há judeus de tipo físico africano, nórdico, indígena ou oriental.

eu poderia dar outros exemplos: negro, índio, branco, etc.

Igualmente questão de convenção social. "Índio" não é aquele que tem "genes indígenas" ou "aparência indígena", mas quem se reconhece e é reconhecido como integrante de uma comunidade indígena, por mestiçado que seja. "Negro" não é definido por genes ou cor de pele, mas pelo que a sociedade decide que é negro, e pode variar de um país ou região para outra. Como todo mundo sabe, pessoas que no Brasil são consideradas "brancas", são "negras" do ponto de vista de um estadunidense.

a mesma coisa com o sexo, mulher é um SEXO, logo, só é mulher quem nasce do sexo feminino

O sexo é apenas um atributo biológico e um ser humano não se reduz a isso. O relevante do ponto de vista social é o gênero e este não é obrigatoriamente determinado pela biologia. Assim como "raça", é uma construção social flexível e depende das concepções de cada época e lugar.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Ah, não esqueçamos o colapso econômico. A massiva inflação promovida pelos imperadores durante a crise do terceiro século destruiu a moeda corrente, anulando a prática do cálculo econômico a longo prazo e consequentemente a acumulação de capital, que somada ao controle estatal da maioria dos preços teve efeitos desastrosos.

Cuidado com os anacronismos. O Império Romano não era uma sociedade capitalista e sim escravista. A elite não investia em máquinas e tecnologia, apenas comprava escravos e terras. A inflação era incômoda, mas "cálculo econômico a longo prazo" e "acumulação de capital" não existiam e "controle estatal de preços" era coisa precária e intermitente. O que destruiu a economia romana não foi a inflação ou o controle de preços, mas a ruptura das rotas comerciais pelas guerras civis e invasões bárbaras e o fechamento das grandes propriedades em feudos autossuficientes. Na Idade das Trevas quase não havia inflação e controles de preços (mal havia Estado) e nem por isso a economia floresceu.

Anônimo disse...

Não entendi.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Sobre os romanos, vale acrescentar que eles tiveram inflação e controles de preços não só na época da decadência, como também durante sua ascensão. A inflação e as desvalorizações da moeda foram constantes durante a conquista da Itália e as Guerras Púnicas, antes mesmo de Roma se tornar um império. Nos mais de mil anos de história romana (sem contar o Império Romano do Oriente), houve apenas um século de relativa estabilidade monetária, entre os imperadores Nero e de Marco Aurélio (ambos os quais promoveram desvalorizações e inflação).

Anônimo disse...

Dane-se as trans, enquanto se discute o problema de uma parcela mínima de pessoas, os verdadeiros problemas das mulheres são deixados de lado, mulheres espancadas, exploradas e estupradas não encontram espaço sequer para o desabafo, pq a pauta da mídia é toda voltada para um problema menor. E aquela mulher dos morros e baixadas sem saúde? E a trabalhadora em condição insalubre?Esse é um tema MENOR, e por isso a esquerda perde espaço, pois enquanto está discutindo transfobia e liberação da maconha, a trabalhadora encontra segurança e sororidade lá na igreja evangélica.

Anônimo disse...

Antonio Luiz M. C. Costa, vc sempre falando merda

Eu já tinha dito ali, q ETNICAMENTE, um judeu só é judeu por q NASCEU judeu, existem milhões de judeus asquenazis no mundo q não seguem o judaísmo, e mesmo assim eles não deixam de serem judeus, pq judeu é antes de qualquer coisa uma ETNIA, e para ser ETNICAMENTE um judeu (como eu tinha dito anteriormente), não há outro modo se não pela BIOLOGIA

"Igualmente questão de convenção social" - ERRADO, vc tirou isso da sua própria cabeça, né, só pode

Índio é aquele que tem genes indígenas e aparência indígena SIM, isso é ÓBVIO

Negro é definido por genes e pela cor de pele SIM

"mas pelo que a sociedade decide que é negro" - KKKKKKKKKKKKKKKKK UM BRANCO FALANDO UMA MERDA DESSAS KKKKKKKKK- FALA ISSO PRO MOVIMENTO NEGRO, MEU FILHO, ESPERE Q ASSIM COMO EU, ELES RIEM BASTANTE DA SUA CARA

E independente de não haver consenso sobre a definição de ser negro ou branco nesse planeta (o q é um problema pro movimento negro, pois isso atrapalha a compreensão sobre o ativismo) - Todas as definições em qualquer lugar do mundo, no brasil e nos eua, se pautam em fatores BIOLÓGICOS: de ascendência ou fenótipos

"O relevante do ponto de vista social é o gênero" - KKKKKKKK ERRADO, o relevante do ponto de vista social é o SEXO, o sexo é o q consta na Certidão de Nascimento, no RG e em qualquer documento oficial, o SEXO é o q conta pra separar banheiros, vestiários, dormitórios, ambientes exclusivos, etc, o SEXO é o q conta pro esporte e outras atividades; sendo assim, vc mentiu, pq O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL É O SEXO, todo munda sabe disso, todo mundo vê isso, e mais uma vez vc tirando conclusões da sua própria cabeça, pq a realidade não condiz em nada do q vc fala

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

existem milhões de judeus asquenazis no mundo q não seguem o judaísmo

Por isso eu disse que do ponto de vista laico, se trata simplesmente de querer pertencer à comunidade judaica e ser aceito por ela.

FALA ISSO PRO MOVIMENTO NEGRO, MEU FILHO

Exatamente. Não existe critério biológico claro. Quem define quem é negro é a comunidade. Pertencer a uma etnia é como um casamento: não basta sua vontade, é preciso que o(s) outro(s) interessados concordem.


o sexo é o q consta na Certidão de Nascimento, no RG e em qualquer documento oficial,

Muitos países, inclusive o nosso, já permitem alterar o "sexo" nos documentos das pessoas transexuais. Então estamos de acordo em que isso é uma convenção social?

Anônimo disse...

Anon 11:57
Que comentário agressivo. Nem sei quem é o comentarista Antonio Luiz. Se quer refutar as ideias dele, vá em frente. Mas não precisa mesmo desse tom, coisa de quem quer encerrar o debate com xingamentos.
Coisa pequena.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

segundo a lola, ela é um homem

O título do artigo é exatamente "Homens trans são muito diferentes de mulheres lésbicas butch". Como é que algumas pessoas conseguem ler exatamente o contrário do que está escrito?

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Dane-se as trans, enquanto se discute o problema de uma parcela mínima de pessoas, os verdadeiros problemas das mulheres são deixados de lado,

Imaginem alguém escrever "danem-se os índios" ou "danem-se os judeus", só porque são menos de 1% da população.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

só o ativismo trans q não deve ter 50 anos no máximo pra questionar uma coisa q é tão sólida

Tem em torno de 70 anos, mas é bom lembrar que os ativismos gay e feminista também não são milenares e também começaram por questionar ideias "sólidas" sobre saúde mental e papéis dos gêneros. Tudo que é sólido se desmancha no ar, já dizia um par de filósofos barbudos.

Anônimo disse...

Antonio Luiz M. C. Costa

VC NÃO ENTENDEU OU FINGE Q NÃO ENTENDEU, mas eu vou repetir até uma hora entrar na sua cabeça: um judeu asquenazi q não segue o judaísmo continua sendo um judeu, pq judeu é antes de qualquer coisa uma ETNIA, então se ele continua sendo etnicamente um judeu, é pq não é por outra razão se não pela biologia

"se trata simplesmente de querer pertencer à comunidade judaica e ser aceito por ela" - ISSO NÃO É VERDADE, pergunte pra qualquer judeu e ele vai desmentir vc, um judeu não-religioso só é judeu, pq ele é ETNICAMENTE judeu, por tanto, BIOLOGICAMENTE judeu

Quem determina quem é judeu (além da religião) é a biologia SIM

"Não existe critério biológico claro" - CLARO Q EXISTE, em qualquer comunidade desse planeta, a pessoa é considerada negra ou branca POR FATORES BIOLÓGICOS, tais quais: ASCENDÊNCIA OU FENÓTIPOS, pergunte pra qualquer ativista negro

"já permitem alterar o "sexo" nos documentos das pessoas transexuais" - apenas pq os ativistas trans forçaram muito a barra, e de qualquer forma, se eles são tranSEXUAIS, é pq trocaram de SEXO, isto é, O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL CONTINUA SENDO O SEXO, não sei o q vc quis tentar dizer com isso, mas só corroborou o meu ponto, e filho, eu só apontei aquilo pra desmentir vc: O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL É O SEXO, não o gênero, e parece q vc concordou; mas é claro, é uma coisa tão óbvia, só sendo burro pra achar o contrário

Antonio Luiz M. C. Costa, vc só se faz de muito "entendido", mas não entende absolutamente NADA, até agora não refutou e nem refutará 90% dos outros argumentos (além desse) deixados nessa caixa de comentários

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

isso tudo é vontade de se aparecer? é pra bancar o "sabichão"? ainda mais sobre um tema q não tem nada a ver com o assunto tratado no post

Se alguém usa o post para dar uma aula absurdamente errada sobre história romana (tenha ou não a ver com o assunto do post), usando ainda por cima argumentos neoliberais completamente anacrônicos, eu me sinto no dever de responder, sim.

Anônimo disse...

nossa Antonio Luiz M. C. Costa, vc REFRUTOU todo um argumento por causa de um pequeno trecho q vc pinçou, nossa, parabéns, vc é um jênio

e não use outros movimentos sociais como muleta, isso é desonesto, até pq todo mundo sabe q em termos de coerência e conquistas: Feminismo>>>>>>>>>>>>>>>>>transativismo

E só pra constar:

Sexo>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>~gênero~

Anônimo disse...

eu tenho quase certeza q é só vontade se aparecer mesmo, de bancar o s"abichão"

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

ele vai desmentir vc, um judeu não-religioso só é judeu, pq ele é ETNICAMENTE judeu, por tanto, BIOLOGICAMENTE judeu

Até um judeu asquenazi ateu concorda com que um homem ou mulher de qualquer origem pode se tornar judeu, caso queira se converter. Portanto, não há nada de biológico nisso. "Étnico" não é "biológico". Na ex-Iugoslávia, bósnios "muçulmanos", sérvios "ortodoxos" e croatas "católicos" se mataram aos milhares por diferenças étnicas, embora não haja nenhuma diferença biológica (ou sequer linguística) entre eles e a maioria deles sequer fossem religiosos.

se eles são tranSEXUAIS, é pq trocaram de SEXO, isto é, O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL CONTINUA SENDO O SEXO,

Esse "trocar de sexo" obviamente não se refere a trocar sexo biológico ou genital e sim social e convencional, o que estamos chamando, para maior clareza, de "gênero". Sequer é necessária uma cirurgia de transgenitalização. Confira em

http://www.stj.jus.br/sites/STJ/default/pt_BR/Comunica%C3%A7%C3%A3o/noticias/Not%C3%ADcias/Transexuais-t%C3%AAm-direito-%C3%A0-altera%C3%A7%C3%A3o-do-registro-civil-sem-realiza%C3%A7%C3%A3o-de-cirurgia

Anônimo disse...

As pessoas escrevem vários textos: grandes, belos e embasados textos, mas o Antonio Luiz M. C. Costa acha q REFRUTA pq faz comentários de duas linhas sobre trechos q ele mesmo pinça (e pra tirar do contexto ainda por cima)

arJumentação mais falaciosa q essa não há

Anônimo disse...

Sobre o assunto do post, acabei encontrando este texto, infelizmente em inglês, escrito por uma lésbica butch que transicionou e depois destransicionou.

https://crashchaoscats.wordpress.com/2013/08/09/socialized-trans/

Foi difícil escolher um trecho para destacar, mas lá vai:

"If trans dudes and butch, masculine and otherwise unconventional females are going to coexist we need to talk about this shit. If trans people are serious about supporting all people who get fucked over by gender then this needs to be addressed. The trans community needs to acknowledge that social forces like sexism can lead people to transition and that for some people being trans is a socially created condition and a harmful one at that. I’m tired of seeing any mention of social pressures to transition dismissed as transphobic. Not all trans people are guilty of this. I’ve met some trans folks who straight up said that they’re not sure they would have transitioned if society was different. When I was researching transition in my late teens/early twenties, I remember reading discussions on FtM online communities about whether transitioning was becoming a trend, whether it was cooler to be a FtM than a butch female and how social factors like sexism could influence people. Many expressed concern that people were rushing into transition or transitioning for the wrong reasons. Today though, it seems that having these conversations in the trans community has become less acceptable and un-PC. What was once considered worthy of serious discussion is now seen as “transphobic” and shut down.

Silence about these issues in the trans community is not the only problem though or even the main one. The root problem is this whole sexist genderfucked culture and the people who buy into it and reinforce it, the vast majority of whom are not trans. Most of the people who assumed I was trans were not trans themselves, many had not knowingly met a trans person before. Many non-trans folks who thought I was trans had very narrow ideas of what being trans was and only supported those trans identities that fell in line with their own assumptions of gender. When I was a teenager, people would tell me how they though my ex and his boyfriend, both of whom were FtM, weren’t really trans because they were both too feminine and “unmanly”. These people, who were mostly gay or bi, couldn’t understand trans fags at all. They told me their doubts because to them I was a “real” trans guy who could substantiate their judgments. At the time though, I was far from sure that I was actually trans. These folks assumed I was “really trans” because I was “masculine” and easily passed but questioned people who actually identified as trans because they didn’t conform to conventional manhood. This “trans” socialization then is often not so much about promoting any and all trans identities as using transsexuality to reinforce already established standards of gender. The core problem is that we’re living in a patriarchy and the ultimate task is to challenge it and the sex/gender order than sustains it."

Anônimo disse...

E sobre feminismo radical: sugiro que leiam o que dizem as feministas radicais sobre o feminismo radical (em seus blogs, twitter, etc). Procurem saber direto na fonte, e tirem suas próprias conclusões.

Deixo um link para começo de conversa. (acho até que não é só de feminismo radical)

https://traducoesfemininjas.wordpress.com/

Anônimo disse...

Antonio Luiz M. C. Costa, mas não é possível, vc se faz muito de desentendido

EU NÃO TÔ FALANDO DE RELIGIÃO

EU NÃO TÔ FALANDO DE ETNIA

Um judeu asquenazi mesmo se não for adepto do judaísmo continua sendo judeu por causa de sua ETNIA, etnia da qual ele ganhou BIOLOGICAMENTE através de sua mãe ou de seus pais

ENTENDA ISSO LOGO DE UMA VEZ

Quem determina quem é judeu (além da religião) é a biologia SIM

"sexo biológico" é uma REDUNDÂNCIA, todo sexo é biológico, no caso dos tranSEXUAIS, eles são pessoas q trocaram seu sexo original por um artificial, caso contrário, não haveria diferença entre tranSEXUAL e trans"gênero", a justiça reconhece a mudança SEXUAL dessas pessoas, vc está só corroborando aquilo q eu estou dizendo: O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL É O SEXO

Anônimo disse...

13:52 errata: onde eu escrevi "EU NÃO TÔ FALANDO DE ETNIA" - na vdd eu quis dizer q sim: EU TÔ FALANDO DE ETNIA

e parafraseando a comentarista das 13:04

Sexo>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>gênero

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

judeu asquenazi mesmo se não for adepto do judaísmo continua sendo judeu por causa de sua ETNIA, etnia da qual ele ganhou BIOLOGICAMENTE através de sua mãe

Um judeu asquenazi que não é adepto do judaísmo continua sendo judeu porque quer continuar a pertencer à comunidade e não porque ganhou "biologicamente" essa característica de uma mãe, que pode ter sido ser uma judia convertida e não "biológica". Ao longo da história, inúmeros judeus abandonaram a comunidade ao se converter a outra religião e seus descendentes nunca se identificaram como tais. Deixaram de ser judeus. Isso inclui, entre outros, a maioria dos portugueses e espanhóis, Lênin, Hitler...

a justiça reconhece a mudança SEXUAL dessas pessoas

A justiça não exige nenhuma mudança biológica para isso, nem mesmo um "sexo artificial". Confira o link que indiquei acima.

Anônimo disse...

WTF is Butch? Pq vcs não falam a verdade, em bom e velho Português: S-A-P-A-T-O-N-A! Sapatona, sim, pq? Vcs tem vergonha de serem sapatonas? Mulheres que se vestem e queriam ser homens, mas nunca serão.

Anônimo disse...

"continua sendo judeu porque quer continuar a pertencer à comunidade" - ISSO NÃO É VERDADE

Um judeu asquenazi que não é adepto do judaísmo continua sendo judeu porque ele nasceu de uma mãe ou de pais JUDEUS

Um judeu, mesmo q queira se afastar de sua "comunidade", SEMPRE SERÁ UM JUDEU

Lênin, Karl Marx, Einstein, Freud, etc. SEMPRE SERÃO JUDEUS, pergunte pra qualquer pessoa sabida e elas dirão q eles eram JUDEUS, independente deles terem feito parte de alguma "comunidade" ou não, eles SÃO ETNICAMENTE/BIOLOGICAMENTE JUDEUS, a etnia judaica constará PARA SEMPRE em sua genealogia, isso nunca será retirado, e é por todas essas razões q eu digo e repito:

Quem determina quem é judeu (além da religião) é a biologia SIM

A Justiça brasileira EXIGE q a mudança sexual seja COMPROVADA, o link q vc mesmo trouxe menciona isto, ninguém troca de sexo nos documentos de um dia pro outro e o próprio transativismo concorda ao separar tranSEXUAIS de trans"gênero", e vc apenas continua corroborando o meu ponto (fatídico): a de q O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL É O SEXO, era o SEXO, foi o SEXO, continua sendo o SEXO e sempre será o SEXO

"o relevante do ponto de vista social é o SEXO, o sexo é o q consta na Certidão de Nascimento, no RG e em qualquer documento oficial, o SEXO é o q conta pra separar banheiros, vestiários, dormitórios, ambientes exclusivos, etc, o SEXO é o q conta pro esporte e outras atividades; sendo assim, vc mentiu, pq O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL (e político, jurídico, científico, biológico, genético, medicinal, etc.) É O SEXO, todo munda sabe disso, todo mundo vê isso, e mais uma vez vc tirando conclusões da sua própria cabeça, pq a realidade não condiz em nada com o q vc fala"

"Por que "butch" e não "sapatão"?" - Pois é, FRESCURA PURA

E responder os outros milhares de argumentos bem embasados (sem pinçar trecho fora de contexto), vc não quer, né? Tente esses aqui:

"A Elizabeth Taylor era branca, britânica e de ascendência nórdica, JAMAIS, sob hipótese alguma, poderia se "auto-identificar" como 'negra', mas ao que parece... para ser uma 'mulher', até um charlie sheen poderia ser, bastasse que ele se "auto-identificasse" assim
_________________________

Uma pessoa nascida do sexo masculino pode falar que é "mulher", mas uma pessoa branca não pode se considerar negra. Seguindo esta lóJica, uma pessoa anoréxica deveria ser considerada normal, pois se ela se vê e se sente gorda, quem somos nós pra falar o contrário?"
_________________________

"Q tal falar dos absurdos dos trans? Como a adolescente trans q disputou num esporte com outras meninas num colegio dos eua e obviamente ganhou, pq nem tratamento faz, tem força de homem. E as meninas tiveram q engolir caladas pra n serem acusadas de transfobia"

E só pra (re)constar:

Sexo>>>>>>>>>>>>>>>>gênero

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

A Justiça brasileira EXIGE q a mudança sexual seja COMPROVADA, o link q vc mesmo trouxe menciona isto,

Transcrevo alguns trechos:

"Transexuais têm direito à alteração do registro civil sem realização de cirurgia
Independentemente da realização de cirurgia de adequação sexual, é possível a alteração do sexo constante no registro civil de transexual que comprove judicialmente a mudança de gênero. Nesses casos, a averbação deve ser realizada no assentamento de nascimento original com a indicação da determinação judicial, proibida a inclusão, ainda que sigilosa, da expressão “transexual”, do sexo biológico ou dos motivos das modificações registrais. (...)

Para julgamento do caso, o ministro resgatou conceitos essenciais como sexo, identidade de gênero e orientação sexual. Segundo o ministro, as pessoas caracterizadas como transexuais, via de regra, não aceitam o seu gênero, vivendo em desconexão psíquico-emocional com o seu sexo biológico e, de um modo geral, buscando formas de adequação a seu sexo psicológico. (...)

Acompanhando o voto do relator, a Quarta Turma concluiu que o chamado “sexo jurídico” – constante do registro civil com base em informação morfológica ou cromossômica – não poderia desconsiderar o aspecto psicossocial advindo da identidade de gênero autodefinida pelo indivíduo, “o qual, tendo em vista a ratio essendi dos registros públicos, é o critério que deve, na hipótese, reger as relações do indivíduo perante a sociedade”.(...)

“Ademais, impende relembrar que o princípio geral da presunção de boa-fé vigora no ordenamento jurídico. Assim, eventuais questões novas (sequer cogitáveis por ora) deverão ser sopesadas, futuramente, em cada caso concreto aportado ao Poder Judiciário, não podendo ser invocados receios ou medos fundados meramente em conjecturas dissociadas da realidade concreta”, concluiu o ministro ao acolher o recurso especial da mulher."

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkk, q desespero, agora vc só sabe dar CTRL C/CTRL V? Vai continuar fingindo q não lê os argumentos (factuais) até quando? Vai ignorar toda uma argumentação embasada pra pinçar trechos foras do contexto até q ano? Nada do q vc copiou e colou rebate os argumentos anteriores, continue tentando:

"continua sendo judeu porque quer continuar a pertencer à comunidade" - ISSO NÃO É VERDADE

Um judeu asquenazi que não é adepto do judaísmo continua sendo judeu porque ele nasceu de uma mãe ou de pais JUDEUS

Um judeu, mesmo q queira se afastar de sua "comunidade", SEMPRE SERÁ UM JUDEU

Lênin, Karl Marx, Einstein, Freud, etc. SEMPRE SERÃO JUDEUS, pergunte pra qualquer pessoa sabida e elas dirão q eles eram JUDEUS, independente deles terem feito parte de alguma "comunidade" ou não, eles SÃO ETNICAMENTE/BIOLOGICAMENTE JUDEUS, a etnia judaica constará PARA SEMPRE em sua genealogia, isso nunca será retirado, e é por todas essas razões q eu digo e repito:

Quem determina quem é judeu (além da religião) é a biologia SIM

A Justiça brasileira EXIGE q a mudança sexual seja COMPROVADA, o link q vc mesmo trouxe menciona isto, ninguém troca de sexo nos documentos de um dia pro outro e o próprio transativismo concorda ao separar tranSEXUAIS de trans"gênero", e vc apenas continua corroborando o meu ponto (fatídico): a de q O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL É O SEXO, era o SEXO, foi o SEXO, continua sendo o SEXO e sempre será o SEXO (nunca o gênero)

"o relevante do ponto de vista social é o SEXO, o sexo é o q consta na Certidão de Nascimento, no RG e em qualquer documento oficial, o SEXO é o q conta pra separar banheiros, vestiários, dormitórios, ambientes exclusivos, etc, o SEXO é o q conta pro esporte e outras atividades; sendo assim, vc mentiu, pq O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL (e político, jurídico, científico, biológico, genético, medicinal, etc.) É O SEXO, todo munda sabe disso, todo mundo vê isso, e mais uma vez vc tirando conclusões da sua própria cabeça, pq a realidade não condiz em nada com o q vc fala"

"Por que "butch" e não "sapatão"?" - Pois é, FRESCURA PURA

E responder os outros milhares de argumentos bem embasados (sem pinçar trecho fora de contexto), vc não quer, né? Tente esses aqui:

"A Elizabeth Taylor era branca, britânica e de ascendência nórdica, JAMAIS, sob hipótese alguma, poderia se "auto-identificar" como 'negra', mas ao que parece... para ser uma 'mulher', até um charlie sheen poderia ser, bastasse que ele se "auto-identificasse" assim"
_________________________

"Uma pessoa nascida do sexo masculino pode falar que é "mulher", mas uma pessoa branca não pode se considerar negra. Seguindo esta lóJica, uma pessoa anoréxica deveria ser considerada normal, pois se ela se vê e se sente gorda, quem somos nós pra falar o contrário?"
_________________________

"Q tal falar dos absurdos dos trans? Como a adolescente trans q disputou num esporte com outras meninas num colégio dos EUA e obviamente ganhou, pq nem tratamento faz, tem força de homem. E as meninas tiveram q engolir caladas pra não serem acusadas de "transfobia"

E só pra (re)constar:

Sexo>>>>>>>>>>>>>>>>gênero

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Lênin, Karl Marx, Einstein, Freud, etc. SEMPRE SERÃO JUDEUS,

Lênin sequer sabia que era descendente de judeus (isso foi descoberto pela irmã depois de sua morte). Muito menos Hitler. Einstein e Freud, apesar de não serem religiosos, se identificavam como judeus, porque queriam.

Anônimo disse...

Antonio Luiz M. C. Costa, vc é burro assim mesmo ou só se faz?

nos documentos como o RG: na parte do "SEXO", vai estar constando o sexo que o transexual adquiriu (independente do método q o "trans" utilizou pra adquirir esse sexo)

o "Sexo" continua no RG de qualquer pessoa, independente de ser o original ou não

E qualquer travesti sabe q para trocar o sexo no documento ele vai precisar se esforçar muito, não é só chegar no cartório e dizer: "eu me ~auto-identifico~ como mulher" e tendo toda a aparência e fenótipos masculinos de nascença, é um processo longo, árduo, difícil e burocrático (como deve ser), e não sei se vc leu, mas eu já tinha dito anteriormente q:

"eu considero mulher aqueles trans q fizeram operação, por exemplo, a roberta close, pra mim é forçar a barra demais chamar aquela pessoa de "homem", agora qualquer outro "trans" q não se enquadre nisso é só travesti, não é mulher coisa nenhuma"

É assim q a justiça brasileira pensa e age 'de facto' (pq 'de jure' é quase isso)

Por isso não se faça de besta, um senhor como vc nessa idade é muito feio pagar de desentendido

Anônimo disse...

"Lênin sequer ... bla bla bla"

Nada disso importa, eles eram judeus, pq nasceram JUDEUS, foi um fator BIOLÓGICO q os tornou judeus, é o q consta em suas genealogias

Ao menos vc já desistiu de vomitar q ser negro é "conceito social", pelo menos vc aprendeu q ser negro ou branco, em qualquer parte do mundo, se dá apenas por questões BIOLÓGICAS, tais quais a ascendência e os fenótipos

e mais uma vez: Vai continuar fingindo q não lê os argumentos (factuais) até quando? Vai ignorar toda uma argumentação embasada pra pinçar trechos foras do contexto até q ano?

Não adianta, nada do q vc diz é verdadeiro ou faz algum sentido, verborragia pura e falácia ad nauseam, igual o jeito q o mario "calador" costuma se comportar

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

nos documentos como o RG: na parte do "SEXO", vai estar constando o sexo que o transexual adquiriu (independente do método q o "trans" utilizou pra adquirir esse sexo)

o "Sexo" continua no RG de qualquer pessoa, independente de ser o original ou não

E qualquer travesti sabe q para trocar o sexo no documento ele vai precisar se esforçar muito, não é só chegar no cartório e dizer: "eu me ~auto-identifico~ como mulher" e tendo toda a aparência e fenótipos masculinos de nascença, é um processo longo, árduo, difícil e burocrático (como deve ser),


Não importa se é fácil ou difícil. O ponto é que se o transexual pode adquirir um sexo que não é o de nascença sem sequer precisar de uma cirurgia, é porque a justiça hoje reconhece que o sexo jurídico e social, que é o que chamamos de "gênero", não é obrigatoriamente identificado com o sexo biológico, nem o sexo genital. Se você, pessoalmente, reconhece ou não é apenas sua opinião.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Nada disso importa, eles eram judeus, pq nasceram JUDEUS, foi um fator BIOLÓGICO q os tornou judeus, é o q consta em suas genealogias

Se isso fosse verdade, a maioria dos portugueses, espanhóis, brasileiros e latino-americanos seriam "judeus", pois quantos não são descendentes de judeus convertidos a força cujas famílias esqueceram essa história há muitas gerações?

pelo menos vc aprendeu q ser negro ou branco, em qualquer parte do mundo, se dá apenas por questões BIOLÓGICAS,

De jeito nenhum. E no Brasil, em particular, "ser negro", no sentido atual, é uma construção social relativamente recente, produto de um movimento social e político consciente. Até há algumas décadas, a maioria dos negros não se identificava como tal e sim como "moreno" ou "mulato".

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

É por isso que 'transgenerismo' está classificado no CID e no DSM,

Lembrem-se que "homossexualismo" também estava classificado oficialmente como doença até 1975.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

"Por que "butch" e não "sapatão"?" - Pois é, FRESCURA PURA

Eu gostaria de sugerir à Lola um texto sobre isso. Pelo que entendo, "sapatão", tal como é usado hoje em português, pode se aplicar a qualquer lésbica, até a uma bissexual, enquanto "butch" é um estilo, não uma orientação sexual e contrasta com outros estilos encontrados no meio lésbico, como "femme", "tomboy" etc.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL (e político, jurídico, científico, biológico, genético, medicinal, etc.)

São pontos de vista diferentes e por isso mesmo convém usar os conceitos de sexo e gênero para não confundi-los. A mulher trans da decisão judicial acima citada é mulher do ponto de vista social e jurídico. Mas do ponto de vista genético e medicinal, continua a ter pênis, testículos e cromossomos XY e isso tem de ser levado em conta ao se prescreverem exames e medicações, por exemplo.

Anônimo disse...

15:18 - e o q q tem? ser canhoto tb era "doença", não é pq revisaram erros grotescos q justifica retirar "esquizofrenia" dos catálogos de distúrbios psiquiátricos

e eu já pedi pra vc não se escorar nos outros, isso é DESONESTO, e de qualquer forma, isso foi há mais de 40 anos, mas transgenerismo continua até hj, e sabe pq? pq como eu disse: "o 'transgenerismo' está classificado no CID e no DSM, porque ninguém que odeie tanto o próprio organismo (sadio) dessa forma (como o ativista escreveu) pode ter uma mente saudável; isso é comparado à anorexia"

15:16 - mas aí vc apelou, é biologicamente judeu se a mãe ou os pais forem judeus, não os tataravós, não se faça de besta

"De jeito nenhum" é o c%ralho, todos os países (incluindo o brasil) consideram q fulano é branco ou negro baseado em fatores biológicos, tais quais, ascendência e fenótipos

Eu vou precisar repetir esse fato até quando pra vc entender?

São como aqueles argumentos:

"A Elizabeth Taylor era branca, britânica e de ascendência nórdica, JAMAIS, sob hipótese alguma, poderia se "auto-identificar" como 'negra', mas ao que parece... para ser uma 'mulher', até um charlie sheen poderia ser, bastasse que ele se "auto-identificasse" assim
_________________________

Uma pessoa nascida do sexo masculino pode falar que é "mulher", mas uma pessoa branca não pode se considerar negra. Seguindo esta lóJica, uma pessoa anoréxica deveria ser considerada normal, pois se ela se vê e se sente gorda, quem somos nós pra falar o contrário?"

Anônimo disse...

"Que tal falar dos absurdos dos trans? Como o adolescente trans q disputou num esporte com outras meninas num colégio dos EUA e obviamente ganhou, pq nem tratamento faz, tem força de homem. E as meninas tiveram q engolir caladas pra não serem acusadas de "transfobia"
____________________

Hilla Kerner é ativista feminista e porta-voz do Abrigo e centro de apoio a mulheres estupradas de Vancouver.

Esse abrigo já foi processado por não aceitar homens que se identificam como mulheres em suas instalações.

Mulheres tem o DIREITO de se reunirem e terem espaços exclusivos para elas e essa lei baseada em "identidade de gênero" pode acabar com isso.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/05/canada-apresenta-projeto-de-lei-sobre-o-direito-dos-transgeneros.html
____________________

Assistam esse vídeo, é um discurso maravilhoso de uma feminista radical sobre uma lei que defende identidade de gênero no Canadá e acaba com direitos das mulheres, inclusive o direito das mulheres terem espaços exclusivamente para mulheres.

https://www.youtube.com/watch?v=872pMQ5VKegf
______________

Pq vc não fala disso lola?

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

, é biologicamente judeu se a mãe ou os pais forem judeus, não os tataravós,

Se B, que abandonou o judaísmo seja qual for a razão, é necessariamente judia porque a mãe A era judia (mesmo que convertida), então porque a neta C e a bisneta D etc. que também têm mães "judias" não são judias? Porque isso não é biológico.


para ser uma 'mulher', até um charlie sheen poderia ser, bastasse que ele se "auto-identificasse" assim

Obviamente, não é assim que acontece. Para que insistir nessa falácia?



Anônimo disse...

"Obviamente, não é assim que acontece." - vc q pensa q não é assim, é o q o transativismo e a teoria queer pregam

"Porque isso não é biológico" - o q não é biológico, criatura? se uma mãe judia tem um filho, ele será judeu, e se essa pessoa tiver um filho com outra mulher judia, será judeu tb, e assim por diante...

Isso é pura biologia

Vc só forçou a barra ao mencionar gerações passadas de centenas de anos atrás, quando o fato é q pra ser etnicamente judeu é necessário q a mãe seja judia religiosa e étnica, apenas isso, se essa mulher herdou esta etnia de seus muitos antepassados (ou não) é só um detalhe, não se faça de besta

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

A expectativa de vida de um trans é muito baixa, pq, entre outros fatores, o principal é q: eles tomam quilos de hormônios altamente cancerígenos sem nenhuma precisão

Isso é uma falsidade absurda. A principal causa da baixa expectativa de vida dos trans é a transfobia (causa de violência alheia e também de suicídios), não os hormônios.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

se essa mulher herdou esta etnia de seus muitos antepassados (ou não) é só um detalhe

Então não é um detalhe. Porque se a mulher não herdou a etnia e é considerada judia, então isso não é uma questão biológica e sim de convenção social. Que, aliás, pode depender de qual vertente do judaísmo estamos falando. Para o judaísmo caraíta, o importante é o pai, não a mãe. E para o judaísmo liberal, o importante é a educação e a autoidentificação.

Anônimo disse...

16:09 - não é o q dizem as pesquisas, esses hormônios altamente cancerígenos q eles tomam sem nenhuma necessidade desgraçam com o organismo deles sim, reduzem sua saúde/expectativa de vida

Anônimo disse...

16:16 - SEU BURRO

eu tô falando DOS FILHOS DESSA MULHER

OS FILHOS DESSA MULHER SÃO JUDEUS, PQ A MÃE É JUDIA, ISSO É BIOLOGIA

"Quem é judeu?

Resposta:

Nos últimos 3300 anos, a definição universal aceita por todos os judeus, sem exceção, é a da Halachá (Lei Tradicional da Torá):

Qualquer pessoa nascida de mãe judia é um judeu."

http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm

APRENDE

Anônimo disse...

Mulher = ser humano do sexo feminino

Ponto final

Anônimo disse...

"ativistas trans não estabelecem nenhum critério pra definir o q é "mulher", se eu perguntasse pra qualquer um deles o q é ser "mulher", eles não saberiam responder, mas ainda sim acham q podem dizer quem é ou que tipo de "mulher" é cada pessoa, mesmo nem eles sabendo o q de fato é uma "mulher"

por exemplo: se o alexandre frota viesse e dissesse q é "mulher", nós teríamos q aceitar, pq o q a vale é a "auto-identificação" ou aqueles 300 gêneros inventados pela teoria queer

sim, pq não basta não haver definição clara (por parte dos transativistas) sobre o q é ser "mulher", eles ainda querem nos forçar a compreender e conceder direitos civis à outras centenas de "gêneros" q eles ficam inventando a todo momento

a ciência, a biologia e a medicina (q é tudo o q realmente importa) estabeleceu critérios precisos pra se definir o q é ser mulher (ou homem), e todo mundo sabe quais são, isso se aprende no ensino fundamental, e nem seria necessário estudo pra isso de tão óbvio e observável q é, e é com eles q eu fico (assim como todo a sociedade, o estado, as leis e as empresas, ainda bem)

Ser mulher é: pertencer ao sexo feminino, ser a fêmea da espécie humana; essa definição é muito simples, muito óbvia, muito empírica e não dá margem pra erros ou relativizações, a humanidade inteira desde o seu surgimento entende o que é cada sexo, mas só o ativismo trans q não deve ter 50 anos no máximo pra questionar uma coisa q é tão sólida há milhares de anos: o corpo humano, a anatomia humana, a fisiologia humana e os sexos humanos, que são o feminino e o masculino, e só"

"Então se transexualidade é puramente auto-percepção pessoal individual, trans não pode ser uma categoria social, se é uma questão somente do indivíduo em relação apenas aos seus pensamentos e sentimentos internos e subjetivos. Não faz o menor sentido vocês espernearem, quererem porque querem reivindicar para indivíduos do sexo masculino, acesso a espaços exclusivos para pessoas do sexo feminino, inclusive espaços de maior privacidade e intimidade - como dormitórios, banheiros, vestiários, etc - pois querem exigir que todo mundo concorde com seus caprichos típicos de machinhos privilegiados e finja acreditar que, em primeiro lugar, machos podem ser/são mulheres e em segundo, que fêmeas podem ser/são homens. Mesmo que tudo isso prejudique ainda mais a segurança de pessoas do sexo feminino, que já não possuem muita nesse mundo. Pois é, a segurança do sexo feminino no mundo, ISSO é de interesse e preocupação do feminismo, não os sentimentos de pessoas do sexo masculino."

FALARAM TUDO

Anônimo disse...

"A partir de agora, eu não sou mais uma mulher, eu sou uma FÊMEA, como eu sempre fui, e sou assim, pq eu fui concebida assim, eu nasci assim, não escolhi ser assim e quero continuar sendo assim até morrer, pq eu amo ser uma FÊMEA, e uma das razões é pq a outra única opção é ser maxo, e maxo é uma desgraça, em todas as espécies vivas desse planeta, incluindo a humana, a FÊMEA é melhor q o maxo, então eu sou feliz por ser uma FÊMEA mesmo, graças a deus

E pq eu não quero ser mais uma mulher? Pq os maxos q reivindicam serem "mulheres", seus ativistas e simpatizantes, pegaram essa palavra e a esvaziaram completamente, mudaram totalmente o seu significado e pra uma coisa q ng é capaz de compreender, deus me livre, q façam bom proveito e q se chamem de "mulheres" o quanto quiserem, pq eu não sou mais essa p&rra

Eu sou uma FÊMEA, assim como até então, todas as mulheres tb eram, e só - essa identidade pelo menos ng NUNCA poderá ressignificar, nem os ativistas trans, é uma identidade 100% material, NATURAL, definida, concreta e objetiva, não deixa margem pra dúvidas, erros e interpretações ideológicas de ng. E de fato, o estado sempre considerou somente o nosso sexo, na certidão de nascimento e no RG de todo mundo consta apenas o sexo da pessoa, pq é só isso o q interessa, até a justiça sabe, e creio q é assim em todos os outros países do mundo tb

Na verdade, eu apenas passei a me identificar com algo da qual eu sempre fui, uma FÊMEA, e q é tb a única coisa q sempre importou pras leis desse mundo, nada mudou na verdade, a única coisa q eu não quero mais é esse rótulo vazio chamado "mulher"; transativistas vcs podem pegar essa m&rda e fazer o q quiserem com ela, fiquem aí com os 500 gêneros de vcs, pq o q eu sou é uma FÊMEA, e dessa identidade estritamente NATURAL vcs passam bem longe"

FALOU TUDO (2)

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

não é o q dizem as pesquisas,

É o que dizem as pesquisas, sim. Aqui está uma pesquisa real.

goo.gl/2Ze98Y

"Total mortality among transwomen was increased 51% (...)'mainly due to non-hormone related cases (p.605)', including suicide, HIV, substance abuse, and 'unknown case' (...) Total mortality and cause-specific mortality were not increased among the transmen"

Anônimo disse...

"o próprio transativismo concorda ao separar tranSEXUAIS de trans"gêneros", e vc apenas continua corroborando o meu ponto (fatídico): a de q O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL É O SEXO, era o SEXO, foi o SEXO, continua sendo o SEXO e sempre será o SEXO (nunca o gênero)

"o relevante do ponto de vista social é o SEXO, o sexo é o q consta na Certidão de Nascimento, no RG e em qualquer documento oficial, o SEXO é o q conta pra separar banheiros, vestiários, dormitórios, ambientes exclusivos, etc, o SEXO é o q conta pro esporte e outras atividades; sendo assim, vc mentiu, pq O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL (e político, jurídico, científico, biológico, genético, medicinal, etc.) É O SEXO"
___________

MATOU A PAU

e vc mesmo mencionou q a baixa expectativa de vida dos trans está relacionado ao fator: tomar hormônios altamente cancerígenos

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

eu tô falando DOS FILHOS DESSA MULHER

OS FILHOS DESSA MULHER SÃO JUDEUS, PQ A MÃE É JUDIA, ISSO É BIOLOGIA


Não, porque não é a biologia que define se a mãe é judia. Ivanka Trump se converteu ao judaísmo e por isso seus filhos são considerados judeus, embora Donald Trump e a mãe Ivana não o sejam.

Nos últimos 3300 anos, a definição universal aceita por todos os judeus, sem exceção, é a da Halachá

Essa é apenas uma posição, que não é realmente aceita por "todos" os judeus. E mesmo os judeus ortodoxos aceitam os convertidos como judeus.

Sobre as visões divergentes no judaísmo:
https://en.wikipedia.org/wiki/Matrilineality_in_Judaism

Anônimo disse...

Resultado parcial

Anônima 20 x Antonio Luiz M. C. Costa 0

e a pergunta q não quer calar:

"vai continuar fingindo q não lê os argumentos (factuais) até quando? Vai ignorar toda uma argumentação embasada pra pinçar trechos foras do contexto até q ano?"

Antonio Luiz M. C. Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antonio Luiz M. C. Costa disse...

a baixa expectativa de vida dos trans está relacionado ao fator: tomar hormônios

Traduzo o trecho que citei, já que aparentemente o inglês não foi entendido:

"A mortalidade total entre mulheres trans aumentou 51% (...) principalmente devido a casos NÃO relacionados a hormônios, incluindo suicídio, HIV, abuso de substâncias e 'causa desconhecida' (...) Mortalidade total e a mortalidade por causa específica não aumentaram entre os homens trans"

Anônimo disse...

17:01 - "não é a biologia que define se a mãe é judia" - MAS É A BIOLOGIA QUEM DEFINE QUE OS FILHOS DESSA MULHER SÃO JUDEUS, IGNORANTE

eu venho dizendo q: "Quem determina quem é judeu (além da religião) é a biologia SIM" - e uma organização judaica confirma, isso significa q a minha afirmação (baseada no q a própria organização diz) está CORRETA, vc não precisa vir com "opiniões divergentes" do wikipedia, me poupe

relembrando

"Quem é judeu?

Resposta:

Nos últimos 3300 anos, a definição universal aceita por todos os judeus, sem exceção, é a da Halachá (Lei Tradicional da Torá):

Qualquer pessoa nascida de mãe judia é um judeu."

http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm

Anônimo disse...

"----principalmente---- devido a casos não-relacionados a hormônios"

o artigo diz claramente q a baixa expectativa de vida dos trans também está relacionado aos hormônios q tomam, só está dizendo q "não" é o principal fator, mas o fator 'hormônio' está incluído

vc não sabe ler e interpretar texto, não?

Anônimo disse...

aparentemente quem não entendeu o inglês não foi vc

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

não é a biologia que define se a mãe é judia" - MAS É A BIOLOGIA QUEM DEFINE QUE OS FILHOS DESSA MULHER SÃO JUDEUS, IGNORANTE

Se a biologia não determina o judaísmo da mãe, também nada tem a ver com o do filho. Assim como "a biologia" não determina que alguém nasça rico ou pobre, ou tenha o sobrenome Silva ou Schmidt. É a convenção social que determina que a criança herde tal ou qual sobrenome e tais direitos de herança.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

o artigo diz claramente q a baixa expectativa de vida dos trans também está relacionado aos hormônios

O artigo diz que é um fator menor entre mulheres trans e irrelevante entre homens trans que, vale lembrar, são o tema do artigo no blog da Lola. Lembro também que a alegação original era:

entre outros fatores, o principal é q: eles tomam quilos de hormônios altamente cancerígenos

Ademais, se tivesse lido o artigo, veria que os riscos relacionados ao uso de hormônios têm mais a ver com doenças cardiovasculares e são considerados menores frente aos problemas psicológicos da disforia que ajudam a eliminar. Riscos, todos os tratamentos têm.

Anônimo disse...

"também nada tem a ver com o do filho" - É CLARO Q TEM A VER

se uma pessoa é judia etnicamente pq a mãe é judia, é pq essa pessoa herdou essa ETNIA biologicamente de sua mãe

a reposta está aqui, só cego pra não enxergar

"Quem é judeu?

Resposta:

Nos últimos 3300 anos, a definição universal aceita por todos os judeus, sem exceção, é a da Halachá (Lei Tradicional da Torá):

Qualquer pessoa ---NASCIDA--- de mãe judia é um judeu."

http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm

A condição para alguém ser judeu (fora a conversão), segundo a organização judaica, é a BIOLOGIA

"O artigo diz que '''é um fator'''..." - entendeu agora? o artigo diz q é um FATOR, independente de ser um fator "menor" ou maior, continua sendo um dos fatores pela baixa expectativa de vida dos trans: esses hormônios altamente cancerígenos q eles tomam

Anônimo disse...

A biologia/genética está envolvida no fato de um judeu (não-religioso) ser um judeu, até quando vc vai fingir q não entende isso?

"Isto que foi relatado (nesse post) à respeito do "o que é ser trans" denotou claramente que o transexualismo é uma doença, mais especificamente, um transtorno mental

É por isso que 'transgenerismo' está classificado no CID e no DSM, porque ninguém que odeie tanto o próprio organismo (sadio) dessa forma (como o ativista descreveu) pode ter uma mente saudável; isso é comparado à anorexia"

"A expectativa de vida de um trans é muito baixa, pq, entre outros fatores, o principal é q:"

São pessoas profundamente perturbadas, autofóbicas, altamente incidentes na criminalidade, alta prevalência de transtorno de personalidade paranoide e/ou narcisista, com evidente prejuízo nas funções cognitivas que permitem as pessoas tomarem decisões não destrutivas.

Mas não é pra chamar de doente não, é pra achar lindo."

FALARAM TUDO OUTRA VEZ

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

ninguém que odeie tanto o próprio organismo (sadio) dessa forma (como o ativista descreveu) pode ter uma mente saudável; isso é comparado à anorexia"

Então por que os homens trans não mostram nenhum aumento de mortalidade? Porque não é uma questão biológica e sim social. Os homens trans não enfrentam a mesma rejeição e violência que as mulheres trans.

Anônimo disse...

Judaísmo n é uma religião? É o mesmo q alguém falar q é cristão, é a religião, n a raça, nem a etnia da pessoa.
Do jeito q ta falando parece q judeus pertencem a outra raça de seres humanos. Ninguém é judeu pq nasceu de uma judia, só vai ser, se quiser seguir a religião. Por isso tem gente q se converte ao judaismo.
Se tivesse algo a ver com biologia, seria impossível alguém se converter.

Anônimo disse...

18:01 - tô nem aí pra isso, só estou expondo o motivo pelo qual transgenerismo é catalogado no DSM e no CID

Isso é um transtorno mental, os próprios trans admitem isso, o próprio mario "calador" descreveu esse comportamento nocivo e psiquiatricamente doentio

Apenas o sexo importa, pq o sexo é definido, concreto, objetivo, fixo, identificável, compreensível, real, material, natural, biológico, genético e saudável, não deixa sombra de dúvidas, variação, erros ou interpretações ideológicas quaisquer

"gênero" é o oposto disso tudo, e ainda gera esses distúrbios mentais

E não é "social", é individual mesmo, como a comentarista afirmou categoricamente:

"Então se transexualismo é puramente auto-percepção pessoal individual, trans não pode ser uma categoria social, se é uma questão somente do indivíduo em relação apenas aos seus pensamentos e sentimentos internos e subjetivos. Não faz o menor sentido vocês espernearem, quererem porque querem reivindicar para indivíduos do sexo masculino, acesso a espaços exclusivos para pessoas do sexo feminino, inclusive espaços de maior privacidade e intimidade - como dormitórios, banheiros, vestiários, etc - pois querem exigir que todo mundo concorde com seus caprichos típicos de machinhos privilegiados e finja acreditar que, em primeiro lugar, machos podem ser/são mulheres e em segundo, que fêmeas podem ser/são homens. Mesmo que tudo isso prejudique ainda mais a segurança de pessoas do sexo feminino, que já não possuem muita nesse mundo. Pois é, a segurança do sexo feminino no mundo, ISSO é de interesse e preocupação do feminismo, não os sentimentos de pessoas do sexo masculino."

Anônimo disse...

"A expectativa de vida de um trans é muito baixa, pq, entre outros fatores, o principal é q: "

São pessoas profundamente perturbadas, autofóbicas, altamente incidentes na criminalidade, alta prevalência de transtorno de personalidade paranoide e/ou narcisista, com evidente prejuízo nas funções cognitivas que permitem as pessoas tomarem decisões não destrutivas.

Mas não é pra chamar de doente não, é pra achar lindo.


pois é... enxergar a verdade hoje em dia é crime, é fobia!

Anônimo disse...

18:11 - de novo esse papo furado? quando eu disse q judaísmo não é religião? ou q judeus não-biológicos não podem ser judeus? o q eu tô dizendo é q a há milhões de judeus, por exemplo, os asquenazis, q mesmo não sendo religiosos continuam sendo judeus, pq eles nasceram de uma mãe judia, judeu é uma identidade étnica tb, não apenas religiosa, é por isso q há judeus não-adeptos do judaísmo q continuam sendo judeus, por causa da ETNIA q herdaram de suas mães/pais

"Quem é judeu?

Resposta:

Nos últimos 3300 anos, a definição universal aceita por todos os judeus, sem exceção, é a da Halachá (Lei Tradicional da Torá):

Qualquer pessoa ---NASCIDA--- de mãe judia é um judeu."

http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm

Quem diz isso são os próprios judeus: A condição para alguém ser judeu (fora a conversão), segundo a organização judaica, é a BIOLOGIA. A biologia/genética está envolvida no fato de um judeu (não-religioso) ser um judeu

Vc é muito burrinho, misturou alhos e bugalhos, igual ao mario "calador" e ao Antonio Luiz M. C. Costa

Anônimo disse...

Os homens trans não enfrentam a mesma rejeição e violência que as mulheres trans.


Claro, homens trans n forçam homens a aceitarem eles em seus banheiros, n forçam homens a disputarem esportes com eles, pq sabem q vão perder e seria injusto com eles mesmos. N acham absurdo homens falarem de seus problemas intimos só porque eles n tem pênis.
Já mulheres trans estão pouco se fudendo para os nossos direitos, coma a adolescente trans dos eua. Outras trans querendo impedir mulheres de falarem sobre menstruação, gravidez.
E pq n vemos isso? Pq por mais q a mulher se sinta homem , ela viveu como mulher e sabe a merda q é. Já a mulher trans q viveu como homem, acha q tudo gira a seu redor e fodam-se as mulheres.

Anônimo disse...

cada vez que o transativismo abre a boca pra falar, o feminismo radical deve ganhar umas cem novas aliadas kkkkkkkkkkkkkkk continuem falando queridas, o feminismo verdadeiro precisa muito de vocês ;)

Anônimo disse...

Ser negro é uma etnia, então posso me converter a negritude? Posso virar indigena? Essse povo judeu tá louco,

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

o sexo é definido, concreto, objetivo, fixo, identificável, compreensível, real, material, natural, biológico, genético e saudável, não deixa sombra de dúvidas, variação, erros ou interpretações ideológicas quaisquer

Na grande maioria dos casos o sexo e o gênero concordam e não causam ambiguidades ou dúvidas. Mas assim como o gênero, o sexo biológico não é sempre "definido, concreto, fixo, identificável etc.". Também está sujeito a indeterminações e contradições: há intersexuais de vários tipos, pessoas que nascem com genitais e corpo femininos e têm cromossomos XY, pessoas que nascem com genitais e corpo masculinos e têm cromossomos XX, pessoas com cromossomos X0, XXX, XXY e XYY... e por aí vai. Negar isso é querer eliminar da existência as pessoas que, por razões biológicas ou outras, não se enquadram na sua "interpretação ideológica" do que é sexo e gênero.

Anônimo disse...

É por coisas assim que o Bolsonazi vai ganhar. Porque por mais que a mídia tente enfiar na goela das pessoas, a verdade é que o povo não aceita esse tipo de coisa, não aceita doutrinação infantil, não aceita o PSOL fazendo diretório em escola de ensino médio, não aceitam tratar perturbados mentais profundos como pessoa sã que deve ser ouvida e considerada, mulheres de verdade estão se afastando do feminismo cada vez mais porque está claríssimo que não são mulheres que esse feminismo estranho de hoje em dia quer proteger (lembram do "somos todos verônica"?) e só a direita tem se posicionado firmemente em relação à entrada dos ideais do Islã em território nacional, o que é uma ameaça direta, concreta, real às mulheres brasileiras que já estão suficientemente vulnerabilizadas sem precisar de machismos importados de pessoas que não querem assimilar a cultura local e sim impor a sua no local, doa a quem doer, como já descobriram as mulheres suecas, francesas, inglesas e muito em breve as canadenses vão descobrir isso na prática também, além de nós. Mas quem liga pra mulher, não é mesmo? Nem o feminismo liga.

Quem se posicionar com firmeza contra todo esse cenário aí vai ganhar de lavada. E, infelizmente, só o Bolsonazi tem feito isso.

Parabéns a todos os envolvidos por essa grande obra que se avizinha.

Anônimo disse...

18:26 - pra início de conversa, se vc for a mesma anta das 18:11, então vc continua misturando alhos com bugalhos, vá a merda com a sua dissonância cognitiva e o seu cinismo porco

"posso me converter a negritude? Posso virar indigena?" - segundo o transativismo SIM, só não se esqueça de combinar com os ativistas negros, pergunte à eles o q eles acham disso

Antonio Luiz M. C. Costa - vc não dá uma a dentro, já comentaram sobre isso em 18:10:

'E antes q venham falar em intersexualismo... pq quando são confrontados, o mais q ridículo ativismo trans adora usar esse arJumento

intersexualismo NÃO É UM SEXO, é um defeito genético ou congênito, uma mulher intersexo continua sendo uma mulher. Além de ser pura hipocrisia os transativistas se escorarem nisso, sendo q:

- eles negam qualquer princípio biológico, então eles querem falar de defeitos genéticos/congênitos, tais quais o intersexualismo, pq?
- 99,9% dos "trans" não possuem nenhum nível de intersexualismo, o organismo sexual original deles é, até antes da transição, perfeito e funcional
- 99,9% das pessoas q apresentam algum nível de intersexualidade não são trans

Isto é... transativistas usarem dessa falácia é o maior sofisma do mundo, só não é pior q falar em "cérebro feminino", pra começar, é mais uma vez incoerente, já q eles negam qualquer fator biológico, e segundo q não há nada comprovado, todos os cérebros são distintos um dos outros, o cérebro de uma mulher é diferente do cérebro de outra mulher, e assim por diante, essa análise óbvia não é o suficiente e nem válida pra dizer q existe diferenças cerebrais específicas (apenas) entre homens e mulheres, quando na verdade, o q existe são diferenças cerebrais específicas entre todas as pessoas; e mesmo se existisse alguma distinção clara entre cérebro feminino e masculino: não é, nunca foi e nem nunca será o cérebro o determinador do sexo de alguém, e ainda continuaria hipócrita os transativistas q não consideram nada biológico se firmarem nesse arJumento'
__________

Não há um arJumento sequer seu q não seja refutado (refutado de verdade, sem pinçar trechos fora de contexto ao bel prazer) | Tenta outra

Anônimo disse...

Feminismo gosta muito é de macho. Qualquer mulher real que se posicione contra a escatologia psicológica que está acontecendo no mundo atual vira alemão no morro das feministas liberais. Então não é mulher que se protege. Nunca foi, na verdade.

Anônimo disse...

"interpretação ideológica" do que é sexo e gênero" - não existe nenhuma interpretação ideológica do que é sexo

a definição de sexo é científica, biológica, genética e medicinal, não há ideologia nenhuma nisso

só há ideologia no gênero mesmo, a ideologia transgênero, aquela dos 500 gêneros diferentes inventados, um pra cada dedo do corpo

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Ser negro é uma etnia, então posso me converter a negritude? Posso virar indigena?

Concretamente, milhões de pessoas mestiças "viraram negras" no Brasil à medida que o movimento negro ganhou popularidade e essa identidade se tornou motivo de orgulho. Idem com os indígenas, tanto aqui quanto nos EUA. E esses são os critérios estatisticamente aceitos, tanto pelo censo quanto pelos antropólogos.


Tanto para negros quanto para índios ou judeus, a etnia é uma questão de:

a) autodeclaração e consciência de sua identidade;
b) reconhecimento dessa identidade por parte do grupo.

Se você pode se converter à negritude ou a qualquer outro grupo, não depende apenas de você, mas dos critérios do grupo ao qual quer pertencer. Não é uma questão puramente subjetiva, mas social e intersubjetiva. Você não pode ser uma baronesa só porque quer, mas apenas se for reconhecida como tal por outros aristocratas, segundo seus critérios. O que não quer dizer que o "sangue azul" seja uma realidade biológica.



Antonio Luiz M. C. Costa disse...

uma mulher intersexo continua sendo uma mulher. Além de ser pura hipocrisia os transativistas se escorarem nisso, sendo q:

O que é uma "mulher intersexo"? Qual o sexo de uma pessoa com cromossomos XY nascida com genitais femininos? Ou de uma pessoa XX com genitais masculinos? Ou ambíguos? Se essas pessoas possuem uma identidade de gênero convencional, é porque lhes foi imposta ou a adotaram, não porque a biologia o determine.

Anônimo disse...

Esqueça tudo o q esse mentiroso falou, ele não tem base nenhuma pra afirmar isso, ELE MENTE. Tanto aqui com em qualquer lugar do mundo:

Tanto para negros quanto para índios ou judeus, a etnia é uma questão de:

Ascendência e fenótipos

"Quem é judeu?

Resposta:

Nos últimos 3300 anos, a definição universal aceita por todos os judeus, sem exceção, é a da Halachá (Lei Tradicional da Torá):

Qualquer pessoa ---NASCIDA--- de mãe judia é um judeu."

http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm

Quem diz isso são os próprios judeus: A condição para alguém ser judeu (fora a conversão), segundo a organização judaica, é a BIOLOGIA. A biologia/genética está envolvida no fato de um judeu (não-religioso) ser um judeu
_______

Esperar o q de alguém q acha q sabe o q é ser "mulher"- Não há um arJumento sequer seu q não seja refutado (refutado de verdade, sem pinçar trechos fora de contexto ao bel prazer) | Tenta outra

Anônimo disse...



""posso me converter a negritude? Posso virar indigena?" - segundo o transativismo SIM, só não se esqueça de combinar com os ativistas negros, pergunte à eles o q eles acham disso"

nãoooooooooooooooo, não pode não, o transativismo é frontalmente contra a transracialidade, ameaça e esculhamba e sabe o que é mais engraçado? Eles usam ARGUMENTOS BIOLÓGICOS pra explicar pq transgênero pode e transetnico não.

não respeito ninguém - NINGUÉM - que fala que existe cérebro feminino e menos ainda pênis feminino.

titia disse...

12:42 toda essa revolta só porque eu escrevi um comentário com mais que 140 caracteres, um comentário que você nem quis ler, aliás? Quer dizer que além das aulas de História, você também fugia das de literatura, português e redação? Não estou nem um pouco surpresa.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

toda essa revolta só porque eu escrevi um comentário com mais que 140 caracteres, um comentário que você nem quis ler, aliás?

Li e teria ficado 100% de acordo se você tivesse parado em "O que as pessoas fazem com seus genitais influencia tanto a queda de um império quanto você influencia o governo dos Estados Unidos". O problema é o resto. Inflação e controle de preços nada tiveram a ver com a decadência de Roma (até porque também existiam quando Roma estava em ascensão), isso é uma interpretação neoliberal e anacrônica. Muito menos a queda da civilização romana teve a ver com "diversificação cultural": isso é pior que neoliberal, é quase bolsonazi. O império foi culturalmente diverso desde que surgiu como império, assim como também tinha sido o império alexandrino. De resto, o colapso do Império Romano do Ocidente aconteceu mais de um século depois de o Império ter se convertido ao cristianismo, de ter reduzido a quase nada a tal "diversidade cultural" e de quase todos os romanos acreditarem em um Deus único.

Anônimo disse...

"mulheres de verdade estão se afastando do feminismo cada vez mais porque está claríssimo que não são mulheres que esse feminismo estranho de hoje em dia quer proteger (lembram do "somos todos verônica"?)"


Não é????

O MACHO, do tamanho de um guarda-roupa, forte pra caralho (tem foto que ele usava pra divulgar-se em sites de prostituição) arrebenta na porrada uma IDOSA DENTRO DE SUA PRÓPRIA CASA, começa a bater punheta dentro da cela da delegacia com seu pênis feminino, arranca com seus dentes femininos a orelha de um policial e foi por isso que quebraram a cara do cidadão e o que acontece? #somostodasveronica e Laura, a mulher idosa agredida que se foda

Charleston Alves Francisco, o "verônica", inclusive já está na rua por ter sido considerado inimputável pela justiça. Quem protegerá Laura? O feminismo?

É muito importante que se use o nome completo real dessas pessoas e não os nomes estrambólicos que adotam porque fica mais fácil pesquisar nos sites dos Tribunais de Justiça brasileiros quais crimes eles cometeram (e é por isso que fazem tanta questão de mudar o nome legalmente).


Anônimo disse...

"O que é uma "mulher intersexo"?" - é uma mulher q tem algum nível de intersexualidade cromossômica ou anatômica

Quem diz isso não sou eu, é a ciência e a medicina, mesmo q essa mulher possua esse defeito genético/congênito, ela continua sendo mulher

intersexualismo NÃO É UM SEXO, é um defeito genético ou congênito; agora vc vai querer ser, além de "antropólogo", médico tb?

Agora vamos supor q esses casos (fictícios) existam (se "existem", não é 0,0000000000000001% da humanidade, isto é, não deveria gerar preocupações em ng, tamanha a irrelevância e inexistência)

"Qual o sexo de uma pessoa com cromossomos XY nascida com genitais femininos?" - Mulher

"Ou de uma pessoa XX com genitais masculinos?"- Homem

"Ou ambíguos?" - o q é "ambíguo"? isso não existe, e de qualquer forma, se "existisse", dependeria da quantidade, a verdade mais pura e simples é q só existem apenas DOIS SEXOS HUMANOS: o masculino e o feminino, isso é o q a biologia determina, não há nenhum outro sexo além desses, essa pessoa (fictícia) "ambígua" (se "existisse"), seria omen ou mulher - do contrário, seria algum ser mágico do plano espiritual"

AAAAAARR DISSE TUDO

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Agora vamos supor q esses casos (fictícios) existam (se existem, não é 0,0000000000000001% da humanidade, isto é, não deveria gerar preocupações em ng, tamanha a irrelevância e inexistência)

É como dizer que ninguém deveria se preocupar com o Holocausto ou com o genocídio indígena porque afetaram apenas uma pequena fração da humanidade. De resto, a proporção real é bem maior que essa: algo mais próximo de 0,1%.

http://www.isna.org/faq/frequency

Anônimo disse...

19:31 - tá bom, velho, eu já respondi tudo o q eu tinha pra responder pra vc naquele comentário, vc ficou satisfeito? quer tirar mais alguma dúvida? já saquei a tua, mas c%guei pra vc q só sabe pinçar qualquer detalhe (naquele caso, obviamente figurado) pra tentar se passar de "sabichão" - vá dormir, vai, vc ficou o dia inteiro com conversa fiada (evidentemente sendo SURRADO por comentários anônimos o tempo todo) sem parar, dá um tempo, vai, não é possível q depois de tudo o já foi dito, exposto e explicado aqui, vc ainda tenha algum arJumento pra dar; o q o desemprego não faz, né

"próximo de 0,1%" - Hmmm, vc jura? não me diga! Pq eu acho uma quantidade RISÍVEL e IRRELEVANTE, os únicos sexos humanos q ainda existem, pq a biologia determinou assim, são o feminino e o masculixo, não é 0,1% de "especiais" congênitos q vai redefinir o q já está muito bem definido a respeito do q é ser mulher e omen, beijos

Anônimo disse...

19:07 - e qual a lógica de transativistas serem contra o transracialismo, se os conceitos senis são os mesmos?

donadio disse...

"só é judeu quem nasce judeu, de uma mãe judia, mas eu poderia dar outros exemplos: negro, índio, branco, etc."

Sei. E também obviamente, ser rainha da Inglaterra é uma condição biológica. Veja: só é rei da Inglaterra quem nasce filho de rei ou rainha da Inglaterra.

Bora descobrir o gene que torna alguém rei da Inglaterra?

****************

Lola, a fascistada aqui está ficando cada vez mais despudorada. Agora agridem diretamente os comentaristas que têm conteúdo. E, como bons fascistas, agridem o próprio fato de as pessoas terem conteúdo: segundo eles, o fato de alguém postar algo que faz sentido é sintoma de "vontade de aparecer".

Daqui a pouco só fascistas vão postar aqui, por que ninguém tem obrigação de se sujeitar aos xingamentos, que falta pouco para se tornarem ameaças. E quem perde é o debate que deveria haver aqui.

donadio disse...

"Qualquer pessoa ---NASCIDA--- de mãe judia é um judeu."

http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm

Quem diz isso são os próprios judeus: A condição para alguém ser judeu (fora a conversão), segundo a organização judaica, é a BIOLOGIA. A biologia/genética está envolvida no fato de um judeu (não-religioso) ser um judeu
"

Que genética estranha essa, que só passa da mãe para o filho. Veja que a regra poderia ser exatamente ao contrário: qualquer pessoa nascida de pai judeu ser um judeu. Por que não é assim? Porque a convenção social (entre os judeus) é a que é, e não a que poderia ser. Mas é uma convenção puramente social, não tem absolutamente nada de "genético".

Anônimo disse...

É depois homens reclamam de mulheres quererem ter espaços próprios para discussão... As mulheres focaram em debater sobre o assunto do post, enquanto os homens não estiveram nem aí em desvirtuar o debate (um debate que afeta principalmente mulheres, é claro...).

titia disse...

Ok, então, Luiz Antônio. Faz tempo que não estudo História antiga e confiei num site sobre História pra saber qual a causa da queda do império romano, essa parte eu realmente não me lembrava. Mas se tem algo que eu com certeza sei é que a vida sexual dos romanos não teve absolutamente nada a ver com a queda do império.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

O fato de o nascimento determinar direitos ou deveres por determinadas convenções sociais nada tem a ver com biologia. Filho de escrava eram escravos (mesmo que o pai biológico fosse o senhor). Descendentes de italianos nascidos no exterior têm direito à nacionalidade italiana. A qualquer momento, a Itália pode mudar suas leis e estabelecer que só as pessoas nascidas na Itália têm direito à nacionalidade. A Lei do Ventre Livre acabou com a escravidão de nascença.

Idem com os judeus. É uma convenção social, não biologia e não existiu desde sempre. Os judeus caraítas mantêm a linha paterna com o argumento de que era a regra observada na Torá (o Antigo Testamento dos cristãos). Como se trata de costume e não de lei, a mudança é mais complicada, mas já aconteceu no caso dos judeus liberais.

Idem com direitos de herança, inclusive monarquias e títulos de nobreza. A lei inglesa é que o trono ou o título são herdados apenas pelo filho primogênito ou, na falta de filhos homens, pela filha mais velha. Essa lei pode mudar, como mudou na Suécia, onde o filho ou filha mais velha, independentemente de gênero, passou a herdar o trono. E poderia ser como no Japão ou na França pré-revolucionária, onde nenhuma mulher pode herdar o trono, que na falta de filhos homens, passa ao parente masculino mais próximo. Não porque a "biologia" assim o determine, mas a lei ou o costume social.

donadio disse...

Lola, isto aqui é espaço para debate, ou é espaço para trolls da Jovem Pan virem aqui chamar os outros de "merda", "estrume", "burro", "porco"?

Do jeito que está, não demora muito e a caixa de comentários só será frequentada por mascus, fascistas, bolsominions e assemelhados. Por que ninguém merece o baixo nível, a gritaria, a falta de civilidade que estão imperando aqui.

Dá para pelo menos deletar os xingamentos das 12:58, 14:57, 15:45, 16:19 (19 de julho) e 1:40 (20 de julho)?

Anônimo disse...

"odiadxs por boa parte das ditas lésbicas butch masculinizadas que se dizem radfem "

Que triste que Lola apoie esse tipo de texto. Um dos mais preconceituosos que já li.

Com a falsa desculpa de que quer criticar preconceitos contra pessoas trans, vomita vários preconceitos e desinformações contra feministas, lésbicas... Um verdadeiro discurso de ódio mal disfarçado.

Lamentável demais.

Anônimo disse...

Homem trans, mulher trans, rad, radfem, terf, cis...

Como deve ser triste viver encaixando a si mesmo e aos outros em tantas caixinhas...

Anônimo disse...

Antonio Luiz M. C. Costa, vc é burro, apenas isso

A biologia está envolvida no fato de um judeu ser considerado judeu, não há nada q vc possa fazer pra mudar esse fato, todos esses exemplos q vc citou, tb envolvem biologia, se depois de tantos comentários explicando, vc ainda se faz de besta, o q é q eu vou fazer?

eu nunca disse q existe um "gene" judeu, eu disse q a biologia determina quem é judeu, segundo os próprios judeus, se vc acha isso "questionável", o problema não é meu

milhões de argumentos e vc batendo na tecla do "judeu", quando já está mais do q provado q o q eu disse estava certo, o analfabetismo é tanto, q não sabe ler e nem interpretar texto

"Quem é judeu?

Resposta:

Nos últimos 3300 anos, a definição universal aceita por todos os judeus, sem exceção, é a da Halachá (Lei Tradicional da Torá):

Qualquer pessoa ---NASCIDA--- de mãe judia é um judeu."

http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm

Quem diz isso são os próprios judeus: A condição para alguém ser judeu (fora a conversão), segundo a organização judaica, é a BIOLOGIA. A biologia/genética está envolvida no fato de um judeu (não-religioso) ser um judeu

Independente de "convenção" ou não, é fato q a BIOLOGIA está envolvida, é o q eu pontuei desde o início, se vc não faz nenhum esforço pra entender isso, q pena, tá pagando de idiota desde ontem

Anônimo disse...

O fato de o nascimento determinar direitos ou deveres por determinadas "convenções sociais" tem tudo a ver com biologia

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

As mulheres focaram em debater sobre o assunto do post, enquanto os homens não estiveram nem aí em desvirtuar o debate

O primeiro comentário do post, depois deletado, foi de uma mulher (supõe-se) argumentando que mulheres trans não eram mulheres pela comparação com a dos judeus supostamente "determinados pela biologia". Uma vez que esse argumento absurdo surgiu, era preciso discuti-lo.

Supondo que a analogia faça algum sentido, mostra o contrário do que pretendia. O fato de judeus ortodoxos considerarem que filho de mulher judia é judeu é uma convenção, não um fato biológico. E mesmo os judeus ortodoxos admitem que os não judeus podem se converter ao judaísmo. Portanto, se a analogia valesse, por que uma pessoa identificada como homem ao nascer não poderia vir a ser uma mulher?

O ponto é que o gênero, masculino ou feminino, também é uma convenção, influenciada, mas não determinada pelo sexo biológico e muitas vezes, o próprio sexo biológico é indeterminado: os genitais são masculinos, mas a genética é feminina. Ou os próprios genitais e a própria genética são ambíguas e o gênero acaba por ser uma decisão arbitrária do médico ou dos pais. Ou os genitais e a genética são aparentemente de um dado sexo biológico, mas algo que não sabemos com certeza se é genético ou não faz a pessoa querer se identificar com o gênero oposto, ou ter uma identificação ambígua. Qual o problema de admitir e aceitar tais exceções e lhes permitir existir?

Anônimo disse...

Feminino e Masculino, mulher e homem, são termos que tem sua origem, que se referem à biologia, aos sexos - fêmea e macho, uma realidade biológica, material, concreta, definida, definitiva, objetiva, compreensível, identificável, verificável.

As únicas e verdadeiras coisas de homem, as características masculinas, são receber um cromossomo X da mãe e um Y do pai; nascer com pênis, testículos, próstata, e produzir espermatozoides e desenvolver as características secundárias masculinas a partir da adolescência. E as coisas de mulher, as características femininas, são ter o último par de cromossomos XX, perfeitamente homólogos como todos os outros pares de cromossomos; nascer com vagina, útero, ovários, desenvolver as características secundárias femininas a partir da adolescência, ovular e menstruar até atingir a menopausa e ter a capacidade de engravidar e parir. Todo o resto é invenção, deturpação e distorção.

Anônimo disse...

Essas "convenções sociais" que tiram ou limitam os direitos das mulheres e impõem obrigações e deveres para as mulheres carregarem literalmente o mundo inteiro nas costas, tendo que servir, cuidar, alimentar, limpar, proteger, abrigar, acomodar, admirar, tranquilizar os machos de todas as maneiras possíveis - colocando as fêmeas como as "eternas mamães" e os machos como os eternos bebezões que precisam ser cuidados, protegidos, admirados e venerados - são deturpações e distorções da realidade biológica, invenções masculinas muito convenientes projetadas para beneficiar os machos às custas das fêmeas.

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

E as coisas de mulher, as características femininas, são ter o último par de cromossomos XX, perfeitamente homólogos como todos os outros pares de cromossomos; nascer com vagina, útero, ovários, desenvolver as características secundárias femininas a partir da adolescência, ovular e menstruar até atingir a menopausa e ter a capacidade de engravidar e parir. Todo o resto é invenção, deturpação e distorção.

E as mulheres que têm o último par de cromossomos XY (Síndrome de Morris), X0 (Síndrome de Turner), XXX (Trissomia X) ou mistos XX e XY (quimerismo)? Ou que, por diferentes motivos, não têm capacidade de engravidar e parir? São invenções ou deturpações?

E o que na sociedade humana não é invenção?

Anônimo disse...

E as mulheres que têm o último par de cromossomos XY (Síndrome de Morris), X0 (Síndrome de Turner), XXX (Trissomia X) ou mistos XX e XY (quimerismo)? Ou que, por diferentes motivos, não têm capacidade de engravidar e parir? São invenções ou deturpações?

Puta merda, querem pegar doenças q algumas mulheres tem e usar isso como muleta pra explicar q um homem pode ser mulher, pq tb n tem como parir.
Desistam, tá vergonhoso. Homens e mulheres n tem q fazer cirurgias e tomar remédios o resto da vida para parecer com homem / mulher .

Anônimo disse...

"As mulheres focaram em debater sobre o assunto do post, enquanto os homens não estiveram nem aí em desvirtuar o debate"

Pois é, tudo pq um certo senhor aparentemente desocupado, com tempo de sobra pra passar o dia inteiro (oooooooh, desemprego) falando besteira e ser continuamente surrado por comentaristas anônimos, na sua ânsia de querer bancar o sabichão, o "antropólogo", o "biólogo" e o "médico", não se conteve, e por causa de um único detalhe esmiuçado até não poder mais, criou uma grande celeuma e desvirtuação completa desse post, tudo pq ele deve ter algum problema mental, só pode, pra não entender q... independente de qualquer "~convenção~" (sic), a biologia é levada em conta para determinar quem é judeu, e negro, e índio, e nipônico, e etc. As características biológicas, tais quais: ascendência e fenótipos, são levadas em consideração para definir todas as raças e etnias desse planeta (o q dirá o sexo), mas esse senhor vai forçar em quanto puder uma irrealidade, vai pinçar frases fora do contexto se for necessário, vai fazer qualquer coisa pra continuar desvirtuando o foco central desse post, q é a ideologia transgênero e o quanto ela é prejudicial

O sexo ("sexo biológico" é uma redundância, pois todo sexo é biológico) não é um coisa "indeterminada" como esse çenhor diz, só na cabeça sequelada de um ativista trans o sexo pode ser uma coisa "indeterminada"; mais uma vez ele vai forçar uma proporção risível de -0,01% de pessoas por terem algum defeito genético/congênito pra sofismar, sendo q isso nem ao menos indica "indeterminação" e todo essa falácia foi categoricamente debulhada às 19:28. Novamente: isso é um DEFEITO genético e congênito, o sexo da pessoa continua sendo o mesmo

O sexo é algo completamente determinado, definido, concreto, objetivo, fixo, identificável, compreensível, lógico, tangível, real, material, natural, biológico, genético e saudável, não deixa sombra de dúvidas, variações, erros ou interpretações ideológicas quaisquer

O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL É O SEXO, era o SEXO, foi o SEXO, continua sendo o SEXO e sempre será o SEXO (nunca o gênero)

O sexo é o q consta na Certidão de Nascimento, no RG e em qualquer documento oficial, o SEXO é o q conta pra separar banheiros, vestiários, dormitórios, ambientes exclusivos, etc, o SEXO é o q conta pro esporte e outras atividades; sendo assim: O RELEVANTE DO PONTO DE VISTA SOCIAL (e político, jurídico, científico, biológico, genético, medicinal, etc.) É O SEXO. Até o transativismo concorda ao separar tranSEXUAIS de trans"gêneros"

Gênero, além de ser uma coisa essencialmente individualista, subjetiva, imaterial e ilógica, e por isso não merece atenção especial nenhuma por parte das leis ou da sociedade, causa sérios distúrbios mentais, como esses descritos pelo autor do post; transexualismo é um transtorno mental verificado até mesmo empiricamente, até os ativistas trans admitem isto

Não há nenhuma razão para q alguém do sexo masculino exija ser considerado "mulher", assim como não há nenhuma justificativa para q uma pessoa branca exija ser considerada "negra" (mas só no caso racial isto seria repelido, mas quando se trata de mulher, "vale tudo"). Pessoas do sexo masculino podem e devem continuar sendo do sexo masculino e vistas como pessoas do sexo masculino, não há nenhum razão, se não ideológica, pra dizer q essas pessoas com severos problemas de ordem psiquiátrica são "mulheres"; se ideologia é o q pauta esses conceitos evidentemente falsos, ng é obrigado a aceitar isto, ainda mais nós, mulheres, as maiores prejudicadas por essa ideologia danosa, eles q deixem de chilique ou vão se tratar, pq se não for frescura, é transtorno mental

E se depois disso tudo, houver quem ainda queira negar a realidade, aí é caso de tratamento mesmo, não posso fazer mais nada

Anônimo disse...

12:56

Pisa menos!

Anônimo disse...

A q ponto chegamos, a filha da Angelina Jolie de 11 anos vai tomar remédios pra virar menino...
Pesquisem sobre como surgiu esses tratamentos e cirurgias de mudanças dd sexo, veio tudo da mente de médicos pedofilos que usaram 2 meninos de cobaia e ferrou a vida deles e de suas famílias.

Anônimo disse...

"Puta merda, querem pegar doenças q algumas mulheres tem e usar isso como muleta pra explicar q um homem pode ser mulher, pq tb n tem como parir.
Desistam, tá vergonhoso. Homens e mulheres n tem q fazer cirurgias e tomar remédios o resto da vida para parecer com homem / mulher ."

Pois é, esse çenhor está num loop infinito, repetindo a mesma falácia já respondida DEZENAS de vezes, o maior troll q já existiu nesse blog, creindeuspais, sugiro o comentário das 18:10 e das 19:28 q debulham esse sofisma completamente

Eu já falei e repito: embora todos esses RARÍSSIMOS defeitos genéticos/congênitos, a pessoa continua pertencendo à um ÚNICO sexo, q é o feminino ou o masculino, só existem esses dois, é o q a biologia DETERMINA, não é menos q 1% de gente defeituosa q vai relativizar isso, meu pai do céu, pare de bancar o especialista em assuntos gerais, tá ficando uma coisa constrangedora, já tá uma vergonha um senhor nessa idade sem nada pra fazer da vida se debatendo e espumando o dia inteiro, PARE DE FALAR O Q VC NÃO SABE, vc não sabe de NADA, e quanto mais fala, mais evidente isso fica

Complexo de pombo enxadrista e falácia ad nauseam pra cima de mim não

C%ralho, leiam o tb comentário das 12:56 q ali já diz tudo

Anônimo disse...

Tem que falar o óbvio, só mulher engravida, só mulher tem útero e só mulher terá problemas ou nascerá sem o útero. E se acontecer continua sendo mulher.
Isso nunca vai acontecer com homem, pq n são eles que engravidam, nenhum nasceu com utero, nem hoje, nem nunca; no máximo terão problemas pra engravidar uma mulher.

Isso é biologia, o patriarcado n tem nada a ver com isso. Desistam de usar a biologia porque só surgem argumentoss em noção, como o do post do outro dia, cérebro feminino e masculino. ..
Só faltou inventar um tipo diferente de cérebro para os fluidos e aqueles q n se identificam com nada.

Anônimo disse...

a maioria dos casos de intersexualismo são tratáveis, não é possível q se escoraram num evento genético/congênito extremamente raro e removível pra tentarem relativizar o sexo, putz, tentem outra, pq essa é ruim, hein, a comentarista das 18:10 bem q previu, e quantas vezes será necessário repetir:

"intersexualismo NÃO É UM SEXO, é um defeito genético ou congênito, uma mulher intersexo continua sendo uma mulher. Além de ser pura hipocrisia os transativistas se escorarem nisso, sendo q:

- eles negam qualquer princípio biológico, então eles querem falar de defeitos genéticos/congênitos, tais quais o intersexualismo, pq?
- 99,9% dos "trans" não possuem nenhum nível de intersexualismo, o organismo sexual original deles é, até antes da transição, perfeito e funcional
- 99,9% das pessoas q apresentam algum nível de intersexualidade não são trans

Isto é... transativistas usarem dessa falácia é o maior sofisma do mundo, só não é pior q falar em "cérebro feminino", pra começar, é mais uma vez incoerente, já q eles negam qualquer fator biológico, e segundo q não há nada comprovado, todos os cérebros são distintos um dos outros, o cérebro de uma mulher é diferente do cérebro de outra mulher, e assim por diante, essa análise óbvia não é o suficiente e nem válida pra dizer q existe diferenças cerebrais específicas (apenas) entre homens e mulheres, quando na verdade, o q existe são diferenças cerebrais específicas entre todas as pessoas; e mesmo se existisse alguma distinção clara entre cérebro feminino e masculino: não é, nunca foi e nem nunca será o cérebro o determinador do sexo de alguém, e ainda continuaria hipócrita os transativistas q não consideram nada biológico se firmarem nesse arJumento"
_____________________

"O que é uma "mulher intersexo"?" - é uma mulher q tem algum nível de intersexualidade cromossômica ou anatômica

Quem diz isso não sou eu, é a ciência e a medicina, mesmo q essa mulher possua esse defeito genético/congênito, ela continua sendo mulher

intersexualismo NÃO É UM SEXO, é um defeito genético ou congênito; agora vc vai querer ser, além de "antropólogo", médico tb?

Agora vamos supor q esses casos (fictícios) existam (se "existem", não é 0,0000000000000001% da humanidade, isto é, não deveria gerar preocupações em ng, tamanha a irrelevância e inexistência)

"Qual o sexo de uma pessoa com cromossomos XY nascida com genitais femininos?" - Mulher

"Ou de uma pessoa XX com genitais masculinos?"- Homem

"Ou ambíguos?" - o q é "ambíguo"? isso não existe, e de qualquer forma, se "existisse", dependeria da quantidade, a verdade mais pura e simples é q só existem apenas DOIS SEXOS HUMANOS: o masculino e o feminino, isso é o q a biologia determina, não há nenhum outro sexo além desses, essa pessoa (fictícia) "ambígua" (se "existisse"), seria omen ou mulher - do contrário, seria algum ser mágico do plano espiritual"

Mila disse...

Olha, esse assunto é muito complicado porque depende muito de como cada um enxerga o gênero.
Recentemente vi um artigo de uma lésbica butch dizendo que a identidade trans confunde muitas delas. Algumas transicionaram e depois fizeram o caminho de volta exatamente porque perceberam que as opressões por ser uma mulher não desapareceram após a transição.
Acho válido ouvir esse lado.

Anônimo disse...

N existe transexualizacao completo. O dia q conseguirem mudar o dna completamente,e que homens trans possam engravidar mulheres e mulheres trans possam engravidar, isso será verdade.

Anônimo disse...

"N existe transexualizacao completo. O dia q conseguirem mudar o dna completamente,e que homens trans possam engravidar mulheres e mulheres trans possam engravidar, isso será verdade."

Sim, mas é ainda mais complicado do que reprodução apenas. O sistema nervoso de homens e mulheres são diferentes também, o dos homens ~ "pra variar" ~ é mais fraco, mais instável e mais facilmente perturbável, além dos machos serem menos competentes cerebralmente do que as fêmeas. Teriam que fazer cirurgias em todo o sistema nervoso, além de mudar todo o dna de todas as células e reconstruir perfeitamente todos os órgãos sexuais e reprodutores para que possa haver uma transexualização completa, o que está totalmente distante da realidade atual da "cirurgia de transexualização".

Resumindo: NUNCA SERÃO :)

Anônimo disse...

No dia que um trans menstruar, puder engravidar, produzir estrogênio, ter útero ovários e trompa de falópio, não ter o pomo de adão etc. Pode falar que fez transexualização

Anônimo disse...

Quantos comentários apagados, afff ¬¬

Por que será que não apaga os comentários idiotas e irrelevantes desse velho que tá fazendo hora extra na terra desvirtuando assuntos que importam às mulheres?

Anônimo disse...

não existe transsexual, existe travesti homem e travesti mulher

só que o termo é pejorativo, então inventaram isso de "na verdade sou homem", "na verdade sou mulher" pra tentar uma equiparação jurídica de direitos

até aí tá tudo muito bonito mas na hora em que começam a mudar de nome pra esconder passado criminoso, pra macho tentar entrar em cadeia feminina (tem inúmeros relatos de estupros nessas situações), pra garoto ficar balançando a rola fêmea dele em vestiário de garotas, pra atleta fracassado ganhar competições competindo contra mulheres, aí vemos qual é o problema dessa ideologiazinha de bosta ae.

o feminismo não é mto diferente do resto da vida; idolatra homens e esculhamba mulheres

Anônimo disse...

"E as mulheres que têm o último par de cromossomos XY (Síndrome de Morris), X0 (Síndrome de Turner), XXX (Trissomia X) ou mistos XX e XY (quimerismo)? Ou que, por diferentes motivos, não têm capacidade de engravidar e parir? São invenções ou deturpações?

E o que na sociedade humana não é invenção?"


Isso são DEFEITOS DE NASCENÇA ou melhor, DEFEITOS GENÉTICOS. Ou seja, HÁ ALGO DE ERRADO COM O DESENVOLVIMENTO FETAL DESSAS PESSOAS e elas geralmente são inférteis e possuem vários problemas ligados a essas síndromes/doenças.

Se um ser humano nascer com um par de pernas extra nós não dizemos "Oh, essa pessoa tem seis membros, vamos classificá-la como um inseto!"

É mais básico do que Pênis = Homem e Vagina = Mulher.

Se você tem cromossomo Y você é macho.

Se você, muito provavelmente, tem o último par de cromossomos XX você é fêmea.

X0 (Síndrome de Turner), XXX (Trissomia X), XXXX ou quantos X tiver, não mudam esses fatos, essas são fêmeas com problemas genéticos.

Não tem cromossomo Y mas nasceu com pênis? Desculpe, isso pode acontecer, raramente, mas acontece, só que você é mutante e tem problemas genéticos. Provavelmente o gene SRY - responsável pela diferenciação sexual - do cromossomo Y se translocou por acidente para o cromossomo X do espermatozoide do seu pai que fecundou o óvulo da sua mãe. Aqui está a explicação para isso: https://ghr.nlm.nih.gov/gene/SRY

Tem cromossomo Y mas nasceu com vagina? Desculpe, isso pode acontecer, raramente, mas acontece, só que você é mutante e tem problemas genéticos. Você pode ter síndrome de insensibilidade a androgenos, o gene SRY do seus cromossomos Y pode estar ausente ou serem defeituosos, etc. etc. etc.

Se uma pessoa nasce cega, é triste, eu sinto muito, mas ela não pode se identificar como um morcego, uma toupeira ou qualquer outra coisa, ela é apenas uma pessoa com problemas de visão.

Encarem os fatos e lidem com eles.

Anônimo disse...

Genes, cromossomos, células, etc. A concretude e objetividade da realidade biológica NÃO são invenções. A existência dos sexos biológicos (redundância) NÃO são invenções.

Anônimo disse...

Você é colunista da Carta Capital?

Anônimo disse...

Identidade de gênero não existe porque gênero é construção social, ou seja, é uma sequencia de características e comportamentos que a sociedade determinou e empurrou para as fêmeas e os machos se tornarem homens e mulheres através da socialização. Então se um macho gostar de algo voltado para as mulheres, ele não é trans, não é gay, não é nada, é apenas um macho que gosta de coisas convencionadas para mulheres.

Vale também acrescentar a pergunta: o que é ser mulher?

Lembrando que ser mulher não é usar batom, salto alto, nem vestido, isso é apenas performar o que foi caracterizado pela própria sociedade como algo feminino e pertencente a casta das mulheres.