segunda-feira, 19 de novembro de 2018

TIPO DE CALCINHA NÃO É CONSENTIMENTO, PROTESTAM IRLANDESAS

Assim que soube deste caso absurdo que gerou muitos protestos na Irlanda (o estuprador de uma jovem foi absolvido porque ela usava calcinha fio-dental), pedi a Andresa Ramos, doutora em Engenharia Química que mora na Irlanda há quatro anos, escrever um pouco sobre isso. Muito obrigada, Andresa!

No início da semana passada o julgamento de um caso de estupro ocorrido na cidade de Cork, no interior da Irlanda, veio à tona e ganhou os jornais do mundo todo. Um júri composto por 8 homens e 4 mulheres inocentou por unanimidade um homem de 27 anos acusado de estuprar uma adolescente de 17 anos, depois da advogada de defesa apresentar a calcinha da garota no tribunal como "prova".
Nas palavras da advogada, “A evidência exclui a possibilidade [da jovem] ter sido atraída pelo réu e estar aberta para conhecer alguém e estar com alguém? Você tem que olhar para o jeito que ela estava vestida. Ela estava vestindo uma calcinha fio dental com a frente de renda”.
Painel na Irlanda com vários tipos de calcinhas, nenhum deles do tipo "Ela estava pedindo"
Infelizmente ainda velha conhecida de todas nós, a culpabilização da vítima foi usada de maneira vil num julgamento. 
Em resposta, a chefe executiva do Dublin Rape Crisis Centre (Centro de Crise de Estupro de Dublin), Noeline Blackwell, foi a público criticar o uso desses “estereótipos do estupro” em julgamentos. Em seguida, o Movimento Feminista Socialista Rosa, conhecido na Irlanda pela sua luta pelos direitos das mulheres e pela recente atuação no movimento pela legalização do aborto, organizou um protesto na quarta-feira passada, no centro de Cork, a fim de manifestar indignação pelo argumento utilizado no julgamento. Os protestos também foram organizados em outras duas cidades, Dublin e Limerick, em solidariedade. 
Isto não é consentimento: uma bandeira contra culpar a vítima
Nas redes sociais, mulheres se organizaram em torno da hashtag #ThisIsNotConsent (Isto Não é Consentimento) e começaram a postar fotos de lingeries de diferentes tipos com o objetivo não só de manifestar sua revolta pelo ocorrido, mas também seu apoio e solidariedade às vítimas de violência, tão frequentemente desacreditadas. 
Cartum mostra mulher em loja tendo
que escolher modelo de calcinha:
"minha culpa" vs "culpa dele"
Além de esse caso ser um total absurdo por si só, não é um caso isolado na "ilha esmeralda" [como a Irlanda é conhecida]. Oito meses atrás ficou famoso em toda a ilha, e também gerou revolta e manifestações, o caso de quatro jogadores de rugby da Irlanda (cujo time engloba jogadores da República da Irlanda e da Irlanda do Norte) que foram inocentados das acusações de estupro depois que a defesa utilizou da mesma tática de culpabilização da vítima ao levar ao júri as roupas da vítima como evidencia. 
O caso foi lembrado no parlamento irlandês pela parlamentar Ruth Coppinger, que enfatizou que, além de tudo, casos como este corroboram para que outras vítimas se sintam inseguras e não denunciem abusos sofridos. 
Os jornais também lembraram que em 2001, na Escócia, uma menina também de 17 anos foi violentada por um rapaz de 15 e forçada a mostrar a lingerie que usava quando foi estuprada na frente do júri e ler uma frase que dizia “Little Devil” [pequena diaba]. O rapaz foi condenado, mas a menina não aguentou o sofrimento e tirou a própria vida.
"Acredite nela", pede cartaz de
protesto: nem mesmo uma
mulher nua está consentindo
Os protestos não ocorreram apenas nas redes sociais e nas cidades já citadas, como também tomaram Londres e Belfast. Nos protestos mulheres e homens carregavam cartazes e lingeries para lembrar que a culpa do estupro é sempre do estuprador, e que determinado tipo de roupa ou lingerie não pode ser visto como consentimento. 

8 comentários:

Anônimo disse...

Eu fico cada dia mais desiludida com a humanidade. Já estamos no século XXI e parece que as pessoas não evoluem nunca. Você é incrível Lola, já acompanho seu blog a anos e ele ajudou muito no meu processo de libertação desses valores machistas.

Cristiane Lira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiane Lira disse...

Atenção mulheres! Nada de sair por aí usando calcinha de renda ou fio dental sob as roupas! Isso é feio, indecente e obsceno.

Anônimo disse...

Não fique desiludida. A 'humanidade' da qual você fala não vale a sua desilusão nenhum puquinho. Tem muita coisa boa e muitas pessoas boas no mundo você pra ficar perdendo tempo se desiludindo com a 'humanidade' que anda de quatro patas.

Cristiane Lira disse...

E ainda há risco de ser acusada de fingir que foi estuprada.

Anônimo disse...

Estou chorando. Só isso mesmo.

Sandra

Anônimo disse...

E a gente com a vã ideia de que a Europa é mais tranquila que os países de 3º mundo.

titia disse...

Aí quando a mulherada opta por evitar macho como se fosse a peste, eles choram...