quarta-feira, 1 de agosto de 2018

NEM PRESA NEM MORTA

Esta semana começa uma grande mobilização pela descriminalização do aborto. Vamos usar a tag #NemPresaNemMorta e #LegalizeOAborto. É pela vida das mulheres!
Publico hoje com muito orgulho o texto da advogada feminista Rubia Abs da Cruz, do CLADEM Brasil (Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher). 

Esta semana terá início a audiência pública a respeito da ADPF 442 -- Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental -- ajuizada pelo PSOL com apoio do Instituto Anis. Seu foco é o questionamento dos artigos 124, 125 e 126 do Código Penal –- que tipificam o crime de aborto -– pois tais artigos ferem preceitos fundamentais da Constituição como o direito à saúde, à liberdade, à dignidade, ao planejamento familiar, à cidadania, que acabam por ser negados quando se impede ou se criminaliza o aborto. Assim como o crime de aborto não encontra respaldo nas Convenções Internacionais de Direitos Humanos ratificadas pelo Brasil.
Vivemos no país um contexto regressivo. Temos um Congresso extremamente conservador, onde a luta feminista tem se direcionado a conter retrocessos. Neste cenário, o movimento feminista apoiou o recente ingresso da ADPF 442.  
Este apoio tem respaldo no fato de que, do ponto de vista jurídico, verificam-se alguns avanços importantes no Supremo, como a ADPF 54, que possibilitou a interrupção da gravidez nos casos de feto anencéfalo e, especialmente, a decisão no Habeas Corpus –- HC 124.306, que conferiu interpretação conforme a Constituição aos artigos 124, 125 e 126 do Código Penal, para excluir de seu âmbito de incidência a interrupção voluntária da gravidez efetivada no primeiro trimestre, por compreender que a criminalização, nessa hipótese, viola diversos direitos fundamentais da mulher, mencionando também o princípio da proporcionalidade. Essas decisões trazem para a Corte Suprema a possibilidade de um debate racional, constitucional e humanitário a respeito de uma questão que é grave na sociedade. 
Sabemos que a criminalização do aborto é uma política de controle social do corpo da mulher, e que, no Brasil, esta criminalização afeta diretamente a saúde deste segmento da população, em especial as mulheres em condições de maior vulnerabilidade.
O momento é crucial e de impasse na batalha pelos direitos das mulheres. A ADPF 442 é uma ação jurídica, mas também política. Ela busca a descriminalização e garantia do direito à autonomia, gerando novas possibilidades para concretizar a história das mulheres, mas também é uma oportunidade de levar, com o debate que suscita, informação para a sociedade, disputando outros paradigmas e reflexões para além do bombardeio a que a sociedade está submetida com discursos preconceituosos ou de cunho religioso. 
CLADEM, a organização da qual faço parte, além de inúmeras outras organizações da sociedade civil e instituições públicas, jurídicas e de saúde, ingressaram com Amici Curiae (Amigo da Corte) para opinar durante o processo de julgamento da ADPF 442. Antes de iniciar o debate interno, a ministra relatora deste processo, Rosa Weber, agendou esta Audiência Pública que ocorre nos dias 3 e 6 de agosto. Nós que estamos no campo de defesa dos direitos das mulheres estaremos demonstrando outros caminhos possíveis relacionados ao aborto, para além das política de criminalização, e numa perspectiva democrática de condições muito melhores para a vida e saúde das mulheres. 
Organizações feministas estão desenvolvendo um amplo trabalho de comunicação e de organização do Festival Pela Vida das Mulheres -- #NemPresaNemMorta --, com eventos em várias cidades do país, e uma concentração grande em Brasília, entre os dias 3 a 6 de agosto.
Nossa luta pela vida das mulheres não iniciou com a ADPF 442 e nem se esgotará com ela. Entretanto, a importância está no debate jurídico-político instaurado na sociedade e na mais alta Corte de Justiça a partir desta ação. Atualizar e enriquecer o debate público, levar o tema à mídia é muito importante, pois abre caminhos e provoca vários atores a pensar na questão com melhores informações e argumentos. 
Nossa sociedade é desigual e precisamos de caminhos para acabar com esta política de criminalização que discrimina. São as mulheres pobres, em sua maioria negras, que sofrem com a falta de acesso a uma atenção de qualidade. Aquelas que têm melhores condições econômicas podem dispor com mais facilidade de medicações, clínicas e até viagens ao exterior onde o aborto é legalizado. 
Por outro lado, mesmo acreditando na evolução jurídica e política que se refletirá em toda a sociedade, neste processo de decisão do Supremo sobre a descriminalização do aborto, restará garantir, junto ao Executivo, a legalização do aborto através de políticas públicas de prevenção e de saúde. Esta não será uma tarefa fácil. 
O que vemos, na situação atual, é que mesmo onde o direito está garantido (no aborto por estupro, risco de vida da gestante e no caso de fetos anencéfalos) os obstáculos existem e são enormes.
Mas vivas nos queremos e para isso lutaremos!

38 comentários:

Cindy disse...

Onde posso encontrar dados sobre os crimes relacionados nos artigos da ADPF, Lola?

Anônimo disse...

Se uma mulher faz um aborto aos 8 meses, juridicamente devemos fazer o quê? nada? será possível ela alegar que o corpo pertence a ela?

Anônimo disse...

Caso vc chegue em uma tribo isolada na Amazônia e perguntar: como os bebês são feitos? Eu aposto que eles te falaram exatamente como o processo ocorre, aí vc fala para eles: lá onde eu moro na cidade tem pessoas que não sabem, elas engravidam sem querer ohhhh.
Portanto só engravida quem quer, qualquer pessoas sabe se como os bebês são feitos.

Deivison Da Costa disse...

1) a mulher só pode fazer o aborto se for em casos de estupros ou quando o embrião não for se transformar em forma humana por que o embrião não tem célebro então não vai sentir nenhuma dor.

2) agora matar criancinhas que já estão sendo formados sério que vocês feministas não pensão na dor e no sofrimento que o bebê vai sentir???

3) o homem também tem que aprender a guardar o pau dentro da c..eca se esses caras tivesse guardado o pau dentro da roupa não teria mulheres fazendo nenhum aborto

4) na minha opinião se a mulher for fazer aborto o pai do feto ( criança ) deve ser condenado a morte pra pagar a vida e o sofrimento da criança

5) às mulheres são seres deletérios ( decadentes ) por natureza isso já não me causa mais nenhum espanto se elas não tem nenhuma consciência do mal terrível que vai causar na criança então já mostra que elas não tem nada de amor maternal como diz a sociedade...

Anônimo disse...

Cansa sempre ler a mesma ladainha desses homens que não aguentam não terem mais influência sobre a vida é as decisões das mulheres, sempre esse papo furado de preocupação com o feto, aí elas não têm direito de fazer isso, mimimimmi
Todos sabem ou conhecem vários desses pais preocupados, são os primeiros a dar as costas pros próprios filhos, imagine as outras crianças.
Por isso vou repetir o que já coloquei em outro post sobre o mesmo assunto: Depois que nasce todas as pessoas/ instituições que ficam gritando contra o aborto deixam a criança pra lá, aos cuidados de ninguém. Então ninguém tem que se meter nas decisões das mulheres, simples assim.

Deivison Da Costa disse...

Quanto sofrimento os bebês vão sentir,na hora do aborto???
Se à mulher for fazer o aborto então o pai deve ser condenado a morte
Tipo ser queimado-vivo ou morrer por afogamento ou algo bem cruel
Por que isso tudo também é culpa desses caras...

Anônimo disse...

Muita mulher já está percebendo que não vale a pena ter filho desses caras, homem querendo cag. Regra sobre os direitos das mulheres ficou no passado, a Argentina recentemente provou isso. Quem for adulto pode lidar com fatos, quem é retardando continua vomitando suas sandices.



Anônimo disse...

"Caso vc chegue em uma tribo isolada na Amazônia e perguntar: como os bebês são feitos? Eu aposto que eles te falaram exatamente como o processo ocorre, aí vc fala para eles: lá onde eu moro na cidade tem pessoas que não sabem, elas engravidam sem querer ohhhh.
Portanto só engravida quem quer, qualquer pessoas sabe se como os bebês são feitos."

Fia, deixa eu te contar uma coisa. Aborto é pra isso mesmo, viu? É pra quem fez sexo e falhou método anti-concepcional, é até pra até pra quem fez sexo querendo engravidar e daí a vida mudou e não quer mais. Teu argumento não tem pé nem cabeça. Vai querer obrigar uma mulher a gestar e parir, é isso mesmo? Ela é obrigada? Deixa eu te contar: ela não deveria ser obrigada, não. Vc não deveria, eu não deveria.

Aborto é direito da mulher.
A mulher gera se ela quiser.
O Estado não deveria negar o direito à vida sexual e ao controle da capacidade reprodutiva de ninguém. Aborto faz parte disso.

Anônimo disse...

"Se uma mulher faz um aborto aos 8 meses, juridicamente devemos fazer o quê? nada? será possível ela alegar que o corpo pertence a ela?"

Que aborto aos 8 meses? Não tem ninguém pedindo isso não, ooô desinformadx.
Pq não existe aborto aos 8 meses. Aliás a contagem é em semanas, não em meses.
Aborto é para o início da gestação.


Anônimo disse...

"2) agora matar criancinhas que já estão sendo formados sério que vocês feministas não pensão na dor e no sofrimento que o bebê vai sentir???"

Eu penso na dor que minha língua portuguesa sofre com esse "pensão".

Não tem criancinha sendo formada, a criança só começa muito depois. Tem um embrião, que vc não dá a mínima quando ele é descartado na clínica de fertilização ou na pesquisa científica, ou quando ele é oriundo de estupro ou risco de vida da mãe.

Ou seja, vc já sabe que não tem ninguém matando nada. Se tivesse, tinha que levar os profissionais das clínicas de fertilização que descartam embrião presos por homicídio...

Anônimo disse...

Que mulher vai abortar com 8 meses? Com oito meses é no máximo um parto preamaturo, não aborto e nenhuma mulher fica esperando muito tempo grávida quando não quer continuar uma gravidez. Quem quer abortar faz isso o mais rapidamente possível depois que descobre que está grávida. Portanto abortar com 8 meses de gravidez nem existe e essa sua fala prova que você não entende nada do assunto e devia evitar comentar tanta estupidez.

Pare de trabalhar com suposições estapafúrdias e infundadas em uma tentativa patética de justificar a imposição dos seus desejos sádicos de controle dos corpos das mulheres e sonhos de impedimento de avanços sociais.

everton alves disse...

A descriminalização do aborto é uma questão de saúde pública. Quantas e quantas mulheres perdem suas vidas em procedimentos sem higiene, podendo ter hemorragias e complicações que muitas vezes a levam a óbito. Tomando medicamentos por conta própria ou de terceiros. Geralmente a grande maioria que perdem suas vidas são adolescentes e mulheres das classes mais baixas, que não tem condições de pagar um acompanhamento e fazer o procedimento numa clínica, como as mulheres mais abastadas da nossa sociedade patriarcal e evidentemente conservadora o fazem. Esse tema passa por vários prismas: aspectos morais e éticos, legais e religiosos. Mas, não passa pelo direito da mulher com o seu corpo e o seu poder de decisão de sua vida. As mulheres que tem que resolver essa questão, já basta nós homens decidirem arbitrariamente o seria melhor pra elas. As mulheres não são atrizes co-adjuvantes nessa história e sim protagonistas. #NemPresaNemMorta e #LegalizeoAborto

Anônimo disse...

não, mascu analfabeto, vc se enganou, não são as mulheres (sem crase, seu burro), são os homens, eles sim é quem são seres deletérios (decadentes) por natureza, panaca

Anônimo disse...

Que legalizem o aborto mesmo, acho melhor que parir contra a vontade ou como punição e depois descontar as frustrações nos filhos.

Anônimo disse...

Pelo meu entendimento o aborto deve ser descriminalizado sim, mas também regulamentado sendo-lhe permitida a realização do mesmo enquanto a viabilidade do feto, a qual atualmente se encontra antes das 21 semanas de gestação (3 a 4 meses de gestação).

Depois disso deveria sim ser considerado infanticídio (embora questões atenuantes como má formação fetal, doenças hereditárias, anencefalia, etc. possam estender o prazo do aborto e excluir o infanticídio)

Daní Montper disse...

Obrigada, Lola!! Vamos juntas nessa luta!

Anônimo disse...

alguma de voces acredita em amor? eu nao acredito nisso mais nao. acho que o mundo é superficial mesmo

Anônimo disse...

Se o aborto for descriminalizado, vem tarde para mim.

Duas mulheres tiveram filhos meus fora do casamento, e pago pensão até hoje.

Se na época fosse legalizado, hoje sobraria um dinheirinho.

O consolo é que, alguns homens poderão usufruírem disso no futuro.

Kasturba disse...

Concordo em parte com você.
Falei sobre isso em outro post. Também acho que deva ser regulamentado. Na minha opinião, "aborto" deve ser até as 21 semanas também.
Mas após esse período, não considero que a mulher deva ser obrigada a carregar a criança em seu útero (em momento nenhum mulher nenhuma deveria ser obrigada a servir de chocadeira). Acredito que ela ainda deva ter o direito de interromper a gestação, mas como o feto já é viável, não concordo com simplesmente matá-lo (o que eu também considero infanticídio). Nesse caso, acredito que o procedimento (antecipação do parto) deva ocorrer em um hospital dotado de UTI neo-natal, de forma que a criança retirada precocemente do útero pudesse ser assistida da melhor maneira possível.
De toda forma, esses seriam casos raríssimos. Uma mulher que não queira a gestação dificilmente esperaria esta estar tão avançada para interrompe-la.

Marina disse...

Deivison Da Costa, melhore cara. Lendo seu comentário só me lembrei disso:
"Você é uma pessoa horrível. Uma mistura do mal com o atraso, com pitadas de psicopatia".
Melhore, como ser humano msm!

Anônimo disse...

Queremos a discriminalização do aborto pela escolha da mulher. Se beneficia escroto como você que não bota camisinha no pinto imundo é só efeito secundário. Se não que pagar pensão bota camisinha antes de enfiar esse nojo em alguma vagina ou só se masturba.

Anônimo disse...

01:56 vc errou em trair e em não usar preservativo, afinal vc era o mais interessado em sobrar um dinheirinho, e outra, a legalização do aborto não é para obrigar mulher nenhuma a fazer aborto. Então, se vc continuar traindo a sua esposa e a sua amante não quiser abortar, vc vai ter de pagar pensão do mesmo jeito. Por isso, o melhor a fazer é deixar de ser um babaca e respeitar a sua esposa.

Anônimo disse...

Por mais que eu ache que o aborto tenha um lado sombrio e eugenista... Acho muito pior é botar filho no mundo sem ter as menores condições e isso não inclui apenas a situação financeira, deixando as crianças a toa nas ruas e ainda explorando as crianças, muitas vezes para comprar crack.

Anônimo disse...

Pelo menos você foi o primeiro que falou sobre guardar o pau na cueca. Uma luz no fim do túnel

titia disse...

"Ai mimimi, ai vidinha, ai criancinha, ai bebezinho, ai ele (nunca ela, veja bem) sofre ao ser abortado, ai a vadia não quer assumir as responsabilidades, ai vão abortar aos oito meses de gestação (nunca aconteceu na história da medicina, mas...) mimimi". A ladainha desses canalhas nunca muda, impressionante. Algum alienígena que nunca tenha estudado a Terra e pouse aqui de repente porque acabou o combustível da nave até poderia acreditar nas boas intenções desses cidadãos. Mas:

A pensão não querem pagar.

A certidão de nascimento não querem assinar.

No fim de semana não querem nem visitar, quanto mais levar pra casa e cuidar.

De madrugada não querem acordar.

Sair do trabalho pra levar pro médico não querem.

Trocar a fralda cagada não querem.

Lidar com a birra, a malcriação, as complicações, educar, ensinar a conviver não querem.

Usar camisinha não querem.

Fazer vasectomia não querem.

Deixar de transar com mulheres não querem.

Assumir RESPONSABILIDADE, qualquer uma - seja a de se prevenir pra gravidez não ocorrer, seja a de assumir paternidade - não querem.

Por favor, caras, deem-se as mãos e vão à merda juntos. Todo mundo aqui já sabe que vocês não ligam pras crianças, querem apenas punir mulheres por fazer sexo. Parem de chorar porque suas lágrimas de crocodilo não enganam ninguém.

Anônimo disse...

Se fazer no tempo certinho, eles não sofrem. Pode ficar despreocupado

Anônimo disse...

Não adianta sair por aí enfiando o pau nas mulheres e ainda sem usar camisinha, para depois dizer que o aborto serve para a conveniência dos trogloditas que não querem assumir as suas responsabilidades com a criança. Mesmo sem ser legalizado, tem muito troglodita por aí que posa de 'bom cristão' e de 'cidadão de bem' mandando namorada, amante e até a esposa para abortar e acha que com a legalização do aborto, as mulheres serão forçadas a abortar, pois elas não irão ser obrigadas a abortar por ninguém, e se elas quiserem ter o filho, o troglodita terá que arcar com as consequências e pagar a pensão, o que o mínimo. Não gostaram? Então trogloditas, só façam sexo para fins reprodutivos com suas esposas, ou celibato!

Anônimo disse...

Foi realmente animador saber que o propósito de criar um revestimento uterino tão espesso durante o período menstrual é para impedir a implantação de embriões em vez de encorajá-los, e que nosso útero está basicamente expulsando qualquer coisa que considere indigna durante o período em si, em vez de “punir” a gente por não estar grávida (que é como geralmente isso é enquadrado). É como se o seu corpo feminino estivesse mais preocupado com a proteção e a continuação de si mesmo, em vez de ser usado como um receptáculo procriador.

O fato de termos aceito a ideia de que nossos órgãos reprodutivos estão nos punindo por não estarmos continuamente grávidas é prova de quão profundamente a lavagem cerebral patriarcal convenceu as mulheres de que não somos nada além de reprodutoras para "seus" filhos.

Anônimo disse...

13:29, a maioria dos trogloditas já estão em celibato involuntário ou só tem sexo quando juntam dinheiro e pagam para estuprar mulheres...

Anônimo disse...

15:15, bom saber. Aprendi na escola por prof's de bio, que a menstruação era uma espécie de 'punição' da natureza, do sistema reprodutivo e fisiológico da mulher. Já ao saber que é o contrário, como uma espécie de defesa, me sinto melhor.

Anônimo disse...

Chega de tratar as mulheres como incubadoras ambulantes e puni-las por terem uma vida sexual. Enquanto esses brutamontes fazem sexo adoidados, traem esposas e namoradas, mantem o mercado degradante da prostituição, estupram (de forma velada ou explícita) e ninguém os julga, pelo contrário, falam que eles estão exercendo 'poder e papel de macho' ou até culpam suas vítimas. Quando esses brutamontes 'cristãos, honrados e bonzinhos' engravidam uma mulher devido a irresponsabilidade e violência deles, não assumem e desprezam a criança e como se tudo isso não bastasse, também querem que controlar o corpo das mulheres e suas gestações, seja para mante-las ou interrompe-las, de acordo exclusivamente com a conveniência desses brutamontes. Condenam a legalização do aborto e ofendem mulheres que abortam, mas mandam mulheres abortarem na surdina. Ah chega de hipocrisia seus misóginos cretinos, vcs não convencem mais ninguém.

Deivison Da Costa disse...

18:41
A menstruação além de ser muito nojento também é um castigo de Deus por causa do pecado de Eva e não tem nada de bonito não...

lola aronovich disse...

Disse o virjão q nunca viu menstruação de perto (nem de longe. Talvez em filme?)
Sua opinião é muito importante pras mulheres, Deivison.

Deivison Da Costa disse...

1) O sua lolixo ( lola+lixo )
É verdade eu sou virgem mesmo graças a Deus
Eu sou virgem por vontade própria porque se eu quiser perder a virgindade eu perco de forma simples e fácil

2) não eu ainda não vi um buraco ambulante ( vagina com pernas ) menstruar não

3) é melhor eu ver um homem com ejaculação precóce do que ver essa desgraça nojenta

4) eu vou estudar a anatomia do corpo humano um dia aí sim eu vou ver como é esse lixo menstruativo enquanto essa aula de anatomia humana não acontece eu estou de boa

5) loluxa ( lola+gorda ) só pra saber como você sabe se o cara é virgem ou não???
Será que além de trabalhar para a nom ( nova ordem mundial ) você também é uma bruxa (feiticeira )???

6) que bom que a minha opinião é muito importante pras aberrações vaginantes...

Anônimo disse...

Anônimo das 15:15

Corpo feminino fisiologicamente faz de tudo para não engravidar (somente 30% das concepções viram gravidez) incluindo a menstruação com o objetivo de eliminar os embriões já implantados, por que diferentemente de outros mamíferos que conseguem provocar o aborto e em seguida comer o feto para recuperar energia; a partir do momento em que a gravidez vinga e o corpo percebe que está em um ambiente propicio (alimentação está garantida e a mulher está bem nutrida e com saúde), acontecem algumas mudanças bem interessantes, como o fortalecimento do corpo feminino nos primeiros meses de gestação com o objetivo de criar um "estoque" de vigor físico para os passos seguintes.

Isso é tão verdade que se praticou algumas vezes algo chamado de "doping gravidico" onde atletas engravidavam próximo a competição e aproveitam o bônus físico dado pelos primeiros meses.

[Secretada pelos rins, a eritropoetina tem o traço característico da família dos hormônios peptídicos, ou seja, suas moléculas são formadas por dois ou mais aminoácidos — que, por sua vez, são a matéria-prima de qualquer proteína. Mas a particularidade dessa substância, no caso, é multiplicar a quantidade de glóbulos vermelhos, as células sangüíneas transportadoras de oxigênio. Assim, mais deste gás chega aos músculos, que passam a trabalhar como um motor com aditivo. Por isso mesmo, há um outro hormônio peptídico sendo usado como doping, embora seja mais raro: a gonadotrofina coriônica, que a mulher produz em grandes volumes durante a gravidez, quando o sangue precisa abastecer de oxigênio dois organismos ao mesmo tempo — o da mãe e o do filho.]
https://olimpiadas.uol.com.br/colunas/azmina/2016/08/18/como-a-medicina-transformou-menstruacao-e-gravidez-em-vantagem-para-atletas.htm
https://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/dicionario_olimpico31.htm

Então esse nojinho que o pessoas incutiram na cabeça dos outros sobre menstruação é pura coisa de virjão, e além disso você pode ficar feliz, por que nos primeiros dias do ciclo menstrual, você na verdade está mais forte que a maioria das pessoas.

E isso não sou eu que digo, mas a medicina esportiva.
https://olimpiadas.uol.com.br/colunas/azmina/2016/08/18/como-a-medicina-transformou-menstruacao-e-gravidez-em-vantagem-para-atletas.htm

Além disso quantas a gravidas?

Anônimo disse...

Acho triste quando um(a) advogado(a) fala que aborto em caso de estupro é um direito garantido em lei quando isso passa muito longe de ser verdade, como toda mulher que decide fazer um aborto legal fora dos grandes centros brasileiros descobre rapidamente.

Se não quisessem legalizar tudo, poderiam PELO MENOS colocar lá no código penal: NÃO É CRIME aborto em caso de estupro, risco de vida à gestante e anomalia fetal incompatível com a vida extra-uterina. O fato de SER UM CRIME, ainda que sem punição se praticado por médico(a), representa um ônus imenso para muitas mulheres sem acesso aos centros de atendimento às vítimas de violência sexual no país, que não são tantos assim e que inclusive entram em uma lista que, até pouco tempo atrás, era secreta "por motivos de segurança dos médicos".

titia disse...

Macho querendo falar de menstruação é a coisa mais hilária e ao mesmo tempo deprimente que já vi. Sai cada pérola que você espoca de rir... sério, já ouvi macho dizendo que menstruação não existe, o sangramento é causado porque a mulher se masturba e corta a vagina com a unha (cortezinho poderoso esse hein, que leva até cinco dias pra parar de sangrar). Já vi outro dizer que menstruação é coisa de mulher porca (deve achar que a gente pode enfiar o chuveirinho no útero e simplesmente "lavar" o sangue todo fora), e mais um dizendo q só menstrua quem quer porque AC sem interrupção tá aí pra isso (obviamente que ACs são a melhor coisa que inventaram pra saúde da mulher, né, pura coincidência que as mulheres que tomam sejam mais suscetíveis a trombose e AVC), enfim. Tá certo que homem nunca entendeu muito de mulher, mas esses caras de hoje em dia tão abusando do direito de ser burros. Em compensação o que eles sabem sobre anal e boquete poderia encher uma coletânea de Tolstói e matar Stephen Hawking de inveja.

Parem de fazer força pra gostar de mulher, caras. Sério, não tem necessidade disso. Vão procurar alguma coisa de que vocês gostem, pebolim, Playstation, leite com manga, colecionar carrinhos Hot Wheels, qualquer coisa.

titia disse...

Mas essa porra de menstruação ser castigo, seja divino, seja do corpo pela mulher não ter engravidado, nunca ouvi, nem mesmo dos professores mais conservadores que tive ou dos machistas mais babacas. Essa de menstruação ser pagamento a pecados já ouvi, mas como uma piada, que ao invés de pagar a 'dívida' toda de uma vez, como Adão (sabe-se lá como ele fez isso), Eva preferiu pagar em 'suaves prestações'. Pra mim não faz o menor sentido, mas vá lá, cada um sabe o que acha engraçado. E quanto a essa de 'castigo do corpo', nunca nem ouvi falar disso. O mais próximo que já ouvi de algo assim foi "O corpo vê que não houve fecundação e não precisa mais do revestimento, então ele vai jogar fora". Com certeza essa palhaçada de menstruação ser algum tipo de castigo é invenção de mascu desesperado de ver que a menstruação está sendo tratada de forma mais aberta e natural, e quer fazer com que a menstruação volte a ser um completo tabu.