domingo, 12 de novembro de 2017

18 A 1, MAIS UMA PROVA DO RETROCESSO

Reproduzo coluna publicada hoje na Folha (acima, clique para ampliar).
Mas não se deixem enganar com a fala de Rodrigo Maia: se não houver pressão nossa (participem dos protestos amanhã, em várias cidades), a PEC 181/15 (com potencial para proibir aborto em todos os casos no Brasil) pode ser aprovada SIM! Além do mais, ela está longe de ser a única proposta de alterar a Constituição para conter as palavrinhas mágicas "direito à vida desde a sua concepção". 
Prestem atenção para o tamanho do retrocesso: vinte anos atrás, uma revista conservadora tipo a Veja trazia a discussão sobre a legalização do aborto e colocava em sua capa mulheres que, como tantas brasileiras, assumiam já ter abortado.
Revista Veja, edição de 1997
Hoje uma delas, Elba Ramalho, ganha a vida sendo porta-voz contra o aborto e participando de "marchas pela vida". Hoje toda discussão sobre aborto parece ter sido criminalizada. Hoje qualquer reaça hipócrita chega pra você e te chama de "Assassina!" por você defender a legalização de um procedimento que é realizado em 74% dos países no mundo. Hoje a Câmara dos Deputados (deputados que deveriam representar a população, não só os mercados e igrejas que os elegem) decide que pode mandar no corpo de todas as mulheres e tirar direitos (abortar em caso de gravidez por estupro ou quando a gestante corre risco de morrer se prosseguir com gravidez) que já existem há seis décadas.
Estamos caminhando pra trás. Não faz muito tempo que lutávamos para que o aborto fosse seguro e legal -- legalizado, não criminalizado. Hoje lutamos para que mulheres que engravidam de estupro possam ter o direito de abortar sem serem presas. 

51 comentários:

Valéria Fernandes disse...

Erika Kokay é minha deputada federal. Como acompanho sua luta pelas minorias, dentre elas, nós, mulheres, não me arrependo do meu voto. Eu votei em uma mulher que foi a única a dizer não para a barbárie que os "homens de deus" (*um deles perdeu o pastorado por adultério e forçar a amante a um aborto*) querem impôr a todas nós. Votem em mulheres. Elejam mais mulheres, porque ainda que algumas acreditem-se parte da classe dos homens, a maioria, pelo menos em algum momento, vai mostrar solidariedade para com as outras mulheres. Não falo em adesão a nenhum projeto ideológico, mas de empatia pelas outras mulheres.

Não sei se poderei estar na manifestação amanhã. Tenho uma consulta bem às 16h e meu pé está lesionado. De qualquer forma, eu continuarei falando e escrevendo sobre o backlash que estamos vivendo, por mim, por todas as mulheres e pela minha filha que (*graças à Deus*) ainda é muito pequena para entender esse horror todo. Bom para nós duas. Como as coisas vão muito mal, talvez, em breve, nem isso possamos fazer.

Anônimo disse...

Vejam quem são os 18 HOMENS que disseram NÃO às MULHERES:

http://taisparanhos.blogspot.com.br/2017/11/quem-disse-nao-as-mulheres.html

Anônimo disse...

18 homens *eleitos* por *milhões*

E eles representam o povo sim, que em sua maioria é contra o aborto, e mesmo que não fosse o que tem de errado em um político representar os desejos de seus eleitores? Hipocrisia da esquerda "democrática"

Anônimo disse...

O fato de 74% dos países do mundo adotarem o procedimento não faz com que quem o pratica não seja assassino.

titia disse...

Não, 18:12 sua mula acéfala, quem pratica aborto não é assassino porque fetos não tem direitos de personalidade nem humanos. Só quem nasceu vivo os tem, e só quem nasceu vivo pode ser assassinado, resto de bosta mal cagada que não usa camisinha.

Anônimo disse...

Se homens, pq não engravidam, não têm direito à opinar, então mulheres de 50 anos, que também não engravidam, também não podem.

Anônimo disse...

Bem observado anon 21:00

Anônimo disse...

18:04h, 18:12h e 21:00h, faço de suas minhas palavras. Parabéns! 99% dos cidadãos Brasileiros também pensam assim! Mas esses 1% querem impor a vontade deles aos 99% restantes. NUNCA!

Anônimo disse...

20:50, vc deveria levar a boca com creolina e palha de aço, sua mal-educada.

Anônimo disse...

a diferença total e significativa, seus energúmenos imbecis é que mulheres com mais de 50 anos já puderam engravidar, sabem o que é menstruar e tudo mais e como toda mulher, é capaz de empatia, seus vermes patéticos desesperados para controlar as mulheres e seus úteros... é muita inveja desses machos escrotos babacas, muita vontade de se intrometer onde não devem e muita falta de noção, de semancol e de respeito.

pilantras nojentos!

Anônimo disse...

Lola, mulher, pq vc tá aceitando esses comentários inúteis e patéticos desses palhaços imbecis? Ninguém merece ler essas desgraças que não sabem ficar calados, sem soltar as várias bostas que é só o que vem desses parasitas.

Anônimo disse...

Muito bom, 21:00. Concordo.

Anônimo disse...

Não creio que isso um dia vá chegar a plenário. Temer e péssimo, mas, se há uma coisa boa no mandato dele, e que ele não prioriza a pauta de costumes e não vai gastar cartucho com o toma lá dá cá necessário para obter os 60% no congresso necessário para votar essa pec.

titia disse...

Ui, 21:32, magoou foi bostinha misógino? Faz o seguinte então, múmia ancestral da escrotice machista, arranca fora seus olhos pra não ter que ler os comentários, depois corta fora seus dedos pra não responder, então abre o seu crânio e limpa fora toda a merda que tem nele. Ah, aproveite e vá cagar regra na casa do caralho porque eu respondo a gente escrota que nem você do jeito que vocês merecem, seu merdinha chorão infantilóide. Agora vá pra porra e pare de poluir o blog.

Anônimo disse...

Dá-lhe, titia!!!!
Meteu na bunda do mascú!!!!

Cão do Mato disse...

Anônimo das 21:31, a solução para o problema é simples: se você é contra o aborto, NÃO ABORTE!

donadio disse...

Lembrando que a Érika, além de ser a única mulher, é também a única deputada de esquerda na comissão.

Se fosse a Geovânia de Sá, tinha sido 19 x 0.

http://www.geovaniadesa.com.br/noticias/7/geovania-de-sa-e-eleita-vice-presidente-da-frente-parlamentar-evangelica

Anônimo disse...

Fatos:
-Homens podem opinar sobre aborto
-Os deputados eleitos estão ali pra representar o povo
-Mulher que aborta está sim matando um futuro ser humano
-A legislação não é pra controlar o corpo da mulher e sim proteger a vida do futuro bebê

-Apesar de tudo isso o melhor para sociedade é a LEGALIZAÇÃO, não tem porque obrigar a mulher a ter um filho que ela não quer/não vai cuidar

Parem de hipocrisia, é matar sim e é melhor matar do que deixar a criança nascer pra ter uma vida merda em orfanato ou com uma mãe que não quer e não tem condições de criar.

Anônimo disse...

Qualquer pessoa sabe como se engravida, vc pode ir em uma tribo isolada e perguntar: como os bebês são feitos? eles vão te responder exatamente o certo.
Essa de "aiiinnn eu não tinha informação" não procede, portanto homens e mulheres devem assumir seus filhos e suas responsabilidades

Anônimo disse...

Sem entrar no mérito dessa discussão sobre aborto, uma coisa que me irrita é esse preconceito com orfanatos. Aqui mesmo no blog da Lola tem centenas de casos de filhxs que foram criados com a família e sofreram abusos: todos os tipos de família, com ou sem pai, tradicionais ou não, até de religiões bem raras como os mórmons. Mas não tem NENHUM relato de pessoa que viveu em abrigo ou orfanato e se sentiu abusada. Coincidência, acho que não.

Anônimo disse...

Crianças recém nascidas conseguem adoção instantaneamente.

Não há nenhuma razão para não deixar a criança nascerá e entregar para adoção.

Anônimo disse...

Enquanto a grande pauta do feminismo for se homem com transtorno mental deve ou não usar banheiro feminino essas coisas continuarão acontecendo.

Anônimo disse...

Vou tentar entender.

Voces são a favor do aborto irrestrito? Aborto feito contra uma vida que nada fez contra outrem? Que não teve a chance de defesa?

Mas não são a favor da pena de morte para um adulto que cometeu crimes abominaveis?

Andre Mattos

Anônimo disse...

Quem pratica aborto não eh assassino, fato.
O próprio código penal faz a distinção entre aborto e homicídio, caso não fizesse a pessoa que pratica aborto seria punida pelo tipo penal homicídio.

Mas nascituros são sim sujeitos de direitos e são sim protegidos por alguns direitos à personalidade, ainda que não nasçam com vida.

Alicia

Anônimo disse...

Que tal se tua mulher for estuprada e ficar grávida do estuprador? Tu vai criar o filho, hipócrita?

Anônimo disse...

Cria o filho do estuprador então, colega! Ou então morra numa gravidez de risco.

Anônimo disse...

Cria o filho do estuprador, babaca. Você não tem o direito de optar em porra nenhuma porque você não tem útero. E chora mais aí. 1 em cada 5 mulheres já praticaram aborto e não foi por estupro. Sempre foi proibido e as mulheres continuam abortando. Porque este poder é delas. Se ela quiser abortar ela aborta e não há bancada evangélica e fanáticos religiosos no mundo que possam impedir. Nada vai mudar no final. Porque quem tem o poder de decidir se o feto vive ou morre é quem o carrega no útero e não um bando de machinhos indignados que não querem aceitar a sua impotencia diante dessa realidade da natureza. Vocês nunca poderiam ser donos de nossos útero nem da nossa vontade, com lei ou sem lei. Aceitem a vossa vergonhosa impotência em impedir que as mulheres abortem quando querem abortar.

Anônimo disse...

Você igual ao anon 21:00 precisam fazer terapia psicanalítica pra escutar da inveja que tem das mulheres por causa do poder que elas tem de interromper a vida. Vocês precisam se curar da inveja do útero.

Anônimo disse...

Você tá meio desatualizado, colega. 64% do eleitorado são pró-aborto. E muitas mulheres que fazem aborto são católicas e evangélicas. Vá procurar um terapeuta para lidar com o fato de que você nada pode fazer para impedir que mulheres abortem. Chora mais. Nem uma lei pode parar a mulher que quer abortar porque nem uma lei pode tirar o útero de dentro do corpo dela.

Marcia disse...

Anônimo das 13:02 há sim: consentimento da gestante à gravidez. É cruel, é tortura fazer uma mulher gestar um filho que ela não quer, ainda mais quando é fruto de um estupro, tema tabu sobre o qual a vítima vai ser culpada e esculachada moralmente (afinal, se pariu a criança, não foi estupro... manteve a gravidez por que quis, e outras atrocidades do tipo).

É legítimo uma mulher estuprada querer levar a gravidez adiante? É.

É legítimo obrigar toda e qualquer mulher a fazê-lo? Não é.

Anônimo disse...

22:02, Acalme-se
Você ainda não percebeu que as mulheres vão continuar abortando? Essa tentativa patética de controlar as mulheres não vai dar em nada. O aborto é proibido hoje, por acaso alguma mulher deixou de abortar quando quis?
Eles não podem fazer absolutamente NADA para impedir isso. Porque esse poder feminino é natural. Eles são apenas meninos raivosos e chorosos com a impotência diante deste fato.

Anônimo disse...

Coitado... E então como você vai impedir as 1 em cada 5 mulheres que abortam contra a sua vontade anon, 22:09? Que abortam mesmo tendo lei proibitiva? Dói né? Dói não poder controlar o poder das mulheres em decidir se o feto vive ou morre? Eu fico tão feliz vendo esses machinhos desesperados chorando pq não podem comer o docinho.

Anônimo disse...

Sim. Pois as mulheres vão continuar abortando com lei proibitiva ou não.

Anônimo disse...

O embrião é um vida assim como um alface é uma vida e um ovo de galinha é uma vida. Mas ele apenas tem potencial para ser humano. Ele não é uma pessoa humana tal como a mulher que o carrega. A mulher tornou-se pessoa. É racional e tem o poder de decidir se o feto vive ou morre. A mulher adulta tem mais valor do que uma mera massa de células que talvez se torne humana, se for esta a vontade de quem a carrega no útero.

Anônimo disse...

Gostei do teu comentário porque você colocou os homens na questão. O problema é que os homi correm na hora de assumi. Além disso estupram mulheres que são obrigadas a ter um filho de um estuprador. Por essas e outras as mulheres vão continuar abortando quer os homens gostem disso quer não.

Anônimo disse...

E que respondam criminalmente pelo ato.

Anônimo disse...

André Mattos, eu não posso falar por todas as feministas, mas particularmente sou a favor da pena de morte para crimes hediondos, cruéis como aqueles com esquartejamento, tortura estupro da vítima. Onde houve extrema crueldade talvez até mesmo com mais de um criminoso envolvido. E sou a favor da pena de morte para esses casos devido a grande afronta feita a vida que foi dizimada nesses crimes. Também sou a favor do aborto irrestrito até o momenti em que o feto ainda não tem sistema nervoso formado e portanto não tem capacidade de ter qualquer sensação nem mesmo a dor e muito menos sabe de sua própria existência. Pois é contraditório ser a favor do aborto só em casos específicos, já que todos são vida. A outra opção, ser contra o aborto em qualquer caso, Tambem é cruel por obrigar a mãe a manter uma gravidez oriunda de estupro ou levar adiante uma gravidez que pode acabar com a vida dela mesma. O fato é que por mais que isto ofenda as pessoas, ainda mais as religiosas, um feto não tem o mesmo valor de uma pessoa adulta, consciente da própria existência e racional. Enfim um feto, que não tem sequer sistema nervoso, que é um conjunto de células, que assim como os vegetais e os animais são vida, não valem mais do que uma mulher humana adulta. E quando se criminalizar o aborto fazem o feto ser mais importante do que a mulher que o tem no seu útero e tem poder levar a gravidez adiante ou não. Uma gravidez não desejada e ainda mais resultado de estupro pode destruir a vida de uma mulher. É bem evidente que um feto não vale mais do que um uma pessoa humana que se você tivesse de escolher entre a vida de um feto é a do teu filho de 10 anos você provavelmente optaria pelo segundo.

Anônimo disse...

Respondem criminalmente nas raras vezes em que são descobertas. Mas elas fazem tão bem feito que dificilmente alguém descobre. E mesmo que respondendo criminalmente elas ainda assim preferem a punição criminal do que abrir mão do seu poder de interromper a gravidez. Anon 15:29, não há punição criminal que impeça uma mulher de fazer o aborto quando ela quer. Já percebeu uma coisa: se 1 em cada 5 mulheres fazem aborto é porque elas não estão com muuuuito medo da punição criminal não.
Eu não faria um aborto, a não ser que minha vida estivesse ameaçada, mas não faço julgamentos baseados em pieguismos religiosos. Isso tem que ser decidido com base na razão. A vida da mulher é mais valiosa do que a vida do feto.

Anônimo disse...

Ah, anon. E se você quer tanto assim que mulheres não abortem se a tua mulher passar pela desgraça de ser estuprada ( que isso nunca aconteça a ela) e ficar grávida então crie o filho do estuprador.

Anônimo disse...

Só se for personalidade jurídica porque se você estiver se referindo ao conjunto de características de comportamento que tornam cada pessoa única o feto não tem personalidade nenhuma.
Mas sujeito de direito que o feto é a mulher que tem uma personalidade de verdade!

Anônimo disse...

Personalidade jurídica?


Olha. Não estou entrando no mérito de quem eh mais ou menos gente, a mulher ou o feto.

O que estou dizendo eh simplesmente que o ordenamento jurídico protege tbm o nascituro (o que tá na barriga) e tbm o natimorto.

Eles não tem os mesmos direitos de personalisase conferidos a todos nós a partir de que se atesta o nascimento com vida, mas possui alguns sim.

Mesmo um natimorto ainda ter a direito à um nome e a uma sepultura. Esses são direitos da personalidade.

O nascituro tem assegurado ainda no ventre o direito à herança, a alimentos.

Então eh um erro falar que apenas seres humanos nascidos com vida tem direitos.

Aliás, em alguns países, até alguns direitos de personalidade foram conferidos a animais. São casos isolados, mas taí.

Agora quanto a personalidade de uma pessoa, realmente sou incapaz de opinar que um feto tenha uma. Acho que não... Mas isso não muda o fato de que ele merece ser protegido ainda sim. Um bebê recém nascido só mama, chora e suja fraldas. Isso não eh definição de personalidade, no entanto matar um bebê eh assassinato. Logo, esse critério não pode ser adotado...

Alicia

Anônimo disse...

Errado! Um bebê nascido que "mama, chora e usa fraldas" e sorri possui um sistema nervoso capaz de ter sensações, dor e de interagir com os outros. Ele não usa o corpo da mãe para "respirar". Já desenvolveu apego pela mãe. Matar esse bebê é assassinato. Ele não está ligado a própria mãe para fazer trocas respiratórias.Ela ou qualquer ser humano pode decidir matar o bebê, mas é assassinato. Um feto, que é uma massa de células, não é um pessoa humana. Não importa o que as leis digam sobre isso. E o critério que mais pode ser adotado é a mulher mandar a lei para pqp é decidir se aborta ou não. Coisa que aliás só elas fazem. Independentemente do que a lei diga. A lei foi criada por homens tentando mandar no corpo das mulheres. Ilógico ainda é alegar que não se pode abortar porque é assinar uma vida, mas ser a favor do "assassinato" quando o feto é resultante de estupro. Ué nesse caso deixou de ser vida? Ou inda permitir em casos de vida para mulher com o argumento de que se sacrifica uma vida (a do feto) em função da vida da mulher. Nesse caso teria-se que se concluir que a vida da mulher vale mais que a do feto. Mais de qualquer forma seria uma vida interrompida. Já obrigar uma mulher a levar a gravidez adiante tendo seu corpo violado é considerar que o feto é mais importante que ela.
A única verdade é que homens e mulheres não são iguais nessa questão: mulheres tem útero e por isso o poder de decisão independente da vontade dos homens ou das leis (que também são vontade dos homens).
Agora vamos imaginar a situação em que você tenha que decidir entre a vida de um bebê nascido que você já amamentou é um filho de 10 anos. Agora fica difícil decidir quem você salvaria não é mesmo? Mas se fosse entre um feto é qualquer uma das duas crianças já nascida as pessoas facilmente optariam pelas últimas.
Feto não é pessoa humana. É só a mulher pode decidir se ele vive ou morre. Quer os homens gostem disso quer não.

Anônimo disse...

"Aliás, em alguns países, até alguns direitos de personalidade foram conferidos a animais. São casos isolados, mas taí."

O próximo passo será considerar que a vida dos animais, assim como a do feto valem mais que as vidas das pessoas humanas. Rsrs

Anônimo disse...

A partir do momento em que o bebê nasce e começa a interagir com o a ambiente eles já começam a desenvolver uma personalidade. Bebê bem pequenos já se comportam bem diferentes um do outro. Até no modo como chora.

Anônimo disse...

Esse comentário do ano da 11:45 já apareceu aqui em outro Post. Igualzinho. Cuspido e escarrado.

Anônimo disse...

Do que vc está falando?? Que transtorno mental? Não vejo discussão sobre isso no feminismo...

Anônimo disse...

É uma radfem fazendo piada com as mulheres trans

Anônimo disse...

Eu não acho esse argumento que as mulheres vão abortar de quase jeito bom porque serve pra praticamente todo crime.

Já pensou se um abusador falasse isso: "não adianta proibir, os homens sempre estupraram as mulheres e sempre vão estuprar, com lei punitiva ou não."

mh disse...

Super proteção desses descabidos!
- Cortam o direito de não trabalhar em ambientes insalubres de grávidas e lactantes;
- eliminam milhões de crianças no Bolsa Família;
- retiram o subsídio para crianças com deficiência;
- horário de amamentação tem que ser negociado entre patrão e empregadas;
- MCMV reduzido para as categorias mais baixas;
- sucateamento do SUS;
- fim da Farmácia Popular;
- redução das verbas para educação;
e por aí vai...

Mas é o direito ao aborto em caso de estupro que ofende essa catrefa e "desprotege" a vida que ainda não é mais que um amontoado de células...

Anônimo disse...

Na hora do aborto, o transfeminismo é aliado ou inimigo?

Anônimo disse...

"É uma radfem fazendo piada com as mulheres trans"

Mais ou menos piada né? Porque vejamos: a população trans é de menos de meio por cento da população brasileira mas, por conta desse menos de meio por cento, uma série de ações afirmativas foram realizadas, legislação foi modificada e sequer a mudança cirúrgica de sexo é requerida para você ganhar uma nova identidade completa.

Mulher é metade da população brasileira e causas do nosso interesse não passam nem que a vaca tussa.

Tem alguma coisa nessa conta aí que não tá fechando, você não acha?