sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

O NATAL DE QUEM TEM UMA BELA VIDA

Isabel, depois de andar por toda a ceia, dormiu o sono das justinhas

Oi, pessoas queridas! Tudo bem com o natal de vocês?
Acho que hoje na internet o que mais tem é troll. Alguns já deixaram umas ofensas por aqui. Eu realmente fico imaginando quão miserável e solitário um cara tem que ser pra vir a um blog feminista em plena manhã de natal deixar um comentário xingando o meu marido (e eu, óbvio). Confesso que sinto um pouco de pena. Mas só um pouco, porque esses fracassados escolheram a vida triste e raivosa que levam. 
Bom, acho que este foi nosso quinto natal em Fortaleza e, como todos os outros, foi muito bom
Eu, Silvinho e minha mãe (Nelly) ficamos em casa, pra variar. Minha mãe preparou sua tradicional ceia natalina: torta de frango e Sacher Torte, o bolo com mais chocolate no mundo (ish, agora reparei que não tiramos foto do bolo!).
Infelizmente, minha mãe anunciou que esta foi a última torta de frango que ela faz na vida. Ela parou de comer frango e carne bovina este ano e, de fato, é injusto que ela tenha que preparar uma comida que nem vai comer. 
Mas a torta estava fantástica, especial mesmo. Aliás, está, porque voltamos a comer um pedaço no almoço e pro almoço de amanhã ainda sobrou um pedacinho. 
Manicotti no reveillon 2014
Já tem alguns anos que fizemos um acordo: minha mãe prepara a ceia de natal, e a gente faz o jantar do reveillon. Penei pra lembrar o que cozinhamos pro reveillon passado (manicotti de ricota e espinafre, que estava ótimo, mas pelo jeito não foi tão memorável). 
Nossa mesa, ontem
Pra este ano, estou pensando em fazer algum tipo de carne de porco (única carne, além de peixe, que minha mãe ainda come) com molho de mostarda. É que o maridão ganhou dos pais de uns alunos uma bela cesta de natal cheia de guloseimas, entre elas um pote de mostarda incrível. Nem sou tão fã assim de mostarda, mas dessa misturada com vinho, eu fiquei.
E, pra acompanhar, ou batatas amanteigadas ao forno, ou batatas assadas recheadas com queijo e champignon. Perguntei pra minha mãe e pro maridão (que logicamente vai ajudar a preparar tudo isso) se a escolha do cardápio estava adequada (com pavê de chocolate amargo pra sobremesa), mas eles estão muito "tanto faz" pro meu gosto.
Eu e o maridão viajamos por uns dias pra Beberibe, CE, antes do natal, e ele contou uma conversa divertida que teve com a minha mãe. 
Minha mãe disse pra ele que ele não precisava mais comprar presunto cru fatiado, porque ela já tinha encontrado um por um bom preço. Parece que os dois comparam preços dos supermercados diferentes que frequentam (eu não piso em supermercado há tempos; deixei a tarefa com um profissional -- o maridão --, que adora escavar promoções de produtos quase vencidos). 
Pra encurtar a conversa: Silvinho queria saber quanto minha mãe pagou pelo quilo de presunto cru. E ela: "O preço por quilo eu não faço a menor ideia, mas a bandeja custou onze reais".
Fico feliz que eles se deem tão bem. Aliás, tenho muito pra ser feliz na minha vida. Eu sei.
Um natal maravilhoso pra vocês também!
E uma lição de natal que vale pra vida

50 comentários:

Renata disse...

Feliz Natal, Lola!!

Julia disse...

Feliz natal, Lola!!

Anônimo disse...

Amei a tirinha! Feliz Natal.

Anônimo disse...

Feliz natal!

Mallagueta Pepper disse...

Tadinho do Anônimo 16:15... ele não percebe que só confirma o quanto a Lola está certa. Só mesmo alguém com muito ódio e recalque no coração pra sair xingando e agredindo alguém que nem conhece, especialmente no dia do natal. Quanta amargura, credo!

Anônimo disse...

Gente invejosa é certo isso. Só porque a Lola é linda, meiga e delicada e tem um marido que é um homem exemplar.

Anônimo disse...

Feliz Natal, Lola!

E passando aqui para prestar solidariedade aos channers (eu sei, é muito raro alguém se lembrar de vocês, podem agradecer), que passaram o natal sozinhos, amargurados e chorando em fóruns anônimos, horas depois de tramarem contra feministas e acharem que fazem parte de um grupo especial (dica: não fazem).

bjs.

Anônimo disse...

Hoje eu estava assistindo o Bem Estar da Globo quando começou a passar uma matéria sobre parto natural. O apresentador falou que isso era uma forma de empoderamento e anunciou a matéria. Minha mãe fez uma careta e disse: - Empoderamento? Odeio essa palavra.

Eu perguntou o motivo e ela disse "O PT que inventou isso".

Como lidar como uma mãe reaça e alienada? Eu tentei explicar que o PT não tinha nada a ver com isso e a própria matéria explicava a palavra mas ela continuou dizendo que era invenção do PT.

Estou decepcionada com minha mãe em pleno natal. É claro que já havia percebido que ela era reaça antes, por inclusive ter votado no Aécio, mas não sabia que a coisa já estava nesse nível.

Mallagueta Pepper disse...

Anônimo 17:50

O que fazer com mãe reaça? O máximo que dá pra pra fazer é tentar conversar numa boa sempre que aparecer uma oportunidade e mesmo assim tem que ter paciencia de Jó pq esse pessoal é extremamente apegado as suas crenças e convicções. Não costumam mudar de ideia nem quando vc prova o contrário por A + B.

Mas como eu sei que esse pessoal costuma ficar bem agressivo quando mostramos idéias contrárias, te aconselho a ficar calada e ir aguentando. Nem sempre dá pra ajudar todo mundo.

Anônimo disse...

Lola, ao comemorar o Natal vc está fundamentando uma religião patriarcal cia hetero branco cristã opressora

Anônimo disse...

18:28 porque episiotomia desnecessária, hormônios sintéticos que aumentam a dor e atrapalham o processo sendo aplicados porque o médico está com pressa, cesárea obrigatória com dia marcado-dia que, normalmente, não coincide com a época de maturidade do bebê e termina com um recém nascido prematuro passando meses na UTI neonatal é tudo pra melhorar a vida das mulheres, né?

É por isso que homem não devia se meter em ginecologia e obstetrícia. Nos comentários de blogs feministas e de ativistas pelo parto humanizado, eles são os salvadores da pátria, o supra sumo da preocupação e cuidado com as mulheres grávidas e as crianças. Na prática, cagam pro bem estar e pra vida da mulher e cagam ainda mais pro bebê. Só querem cagar regra na vida das mulheres mesmo.

Anônimo disse...

Quer dizer Sr um médico homem falar para uma paciente como procedimento terapêutico: faça tal coisa e Tomé tal remédio, a mulher empoderada deve dar as costas e falar que nenhum homem deve dizer o que ela pode ou não pode fazer da vida

Anônimo disse...

Lola, dou boas notícias de natal!

O Marcello e o Guerra largaram o batente. Como? Simples, surgiu na vida deles umas daquelas garotas legais, boazinhas, empáticas e cheias de atitude e os chamaram para sair.
O Guerra depois que conheceu a namorada dele, largou o grupo na hora, e inclusive foi a pobre garota que quis conversar com eles e explicar que o Guerra tava bem e ela estava cuidando bem dele, só para ser linxada. O Marcello no início ficou de frescura porque a guria(paixão de adolescência dele) era feminista, mas ao perceber que seus seguidores riam dele pelas costas, resolveu largar o movimento.

E é isso, os líderes sanctos abandonaram o movimento para se dedicar a amar suas namoradinhas.

Anônimo disse...

"O Marcello e o Guerra largaram o batente. Como? Simples, surgiu na vida deles umas daquelas garotas legais, boazinhas, empáticas e cheias de atitude e os chamaram para sair."

QUE??? Você quis dizer uma pobre coitada que acha que poder "mudar um homem por amor".
Espero que isso seja mentira, se não for alguém avisa essas criaturas pra elas saírem correndo.

Vicky_ disse...

Feliz Dia de Natal!
No outro post não pude dizer, mas foi lendo o seu blog que conhece e comecei a ouvir a obra do Chico Buarque, amei muito.
Sei que ele não é feminista, porém o mesmo admite que era machista e homofóbico(esquece a entrevista), além que melhorou seu comportamento ao longo da carreira. É de se entender a perseguição vinda dos inseguros.

lola disse...

Não é verdade, anon das 19:08, que Marcelo e Guerra "largaram o batente". Eles nunca vão largar, só vivem à base de medo e ódio. Pelo que sei, Gustavo Guerra foi internado em fevereiro. Saiu recentemente, mas está altamente medicado e só pode entrar na internet sob supervisão. Eu vi no chan agora em dezembro algumas fotos dele, postas por uma moça que está tentando ajudá-lo a largar os medicamentos. Essa moça é uma daquelas típicas anti-feministas que quer ser aceita por misóginos. Entrar num chan misógino é, além de pedir pra ser xingada e expulsa, não ter noção do perigo. Eu vi o que ela escreveu, algo como "provavelmente, quando o Guerra ficar bom, vai querer me pegar à força". Mas ela negou que eles tenham qualquer envolvimento amoroso, até porque ela pagou as passagens de Caxias do Sul para o Rio pro Guerra e pra mãe dele. Não preciso nem falar que Guerra foi execrado no chan por ter sido colocado no "friendzone por uma vadia". Até ameaça de morte rolou pra ele. Há vários processos contra ele, e ele está sendo supervisionado. Tão rápido ele não volta à vida do crime, espero, mas não é por causa de namorada não.
Sobre o Marcelo, ele pos no chan algumas mensagens que trocou com uma moça legal que tinha pena dele na escola, quando estudavam juntos. Ela é meio ingênua, porque fica dizendo "Não acredito que vc esteja fazendo isso", quando todo mundo sabe que é ele. Agora, ela pode ser ingênua, mas não é louca. Ela ter pena dele não significa que ela queira qualquer coisa com ele. Ele não abandononou "o movimento" coisa nenhuma. E nunca vai abandonar. Se abandonasse, iria se dedicar a quê?
Agora, o Emerson sim, aparentemente, deu uma sumida depois do Profissão Repórter. Primeiro ele foi despedido da empresa em que estava trabalhando como terceirizado nas Filipinas. Parece que um dos chefes de uma empresa perguntou: "O que esse racista está fazendo aqui?", e exigiu que Emerson fosse mandado embora. Aí ele voltou pro Brasil, mas antes foi pra Brasília pra disfarçar seu fracasso. O Profissão Repórter falou com vários familiares dele, e todos foram unânimes em dizer que ele tem sérios problemas, que ele é louco, obsessivo. Imagino (espero) que alguns devem ter tido uma conversa séria com ele pedindo para ele se controlar minimamente, talvez voltar a tomar medicação. Só sei que ele não está no chan nem fazendo aqueles vídeos ridículos e intermináveis dele.

Anônimo disse...

"Essa moça é uma daquelas típicas anti-feministas que quer ser aceita por misóginos. Entrar num chan misógino é, além de pedir pra ser xingada e expulsa, não ter noção do perigo. Eu vi o que ela escreveu, algo como "provavelmente, quando o Guerra ficar bom, vai querer me pegar à força".

Essa moça deveria tomar medicamentos ou fazer uma terapia também porque ela claramente tem probleminhas.

Anônimo disse...

É uma pena. Seria legal se eles pudessem se dedicar a fazer cafuné nas namoradinhas todo os dias o dia inteiro. Bem como cozinhar pra elas e talz.

Iara De Dupont disse...

Lola, eu sei que esses comentários agressivos são terríveis e cheios e energia ruim, mas você é um espirito superior, é só ver a herança do que você vai deixar no mundo e quem são esses coitados, um bando de espíritos baixos e infelizes, só estão aqui no planeta para atrasar a vida alheia, porque não tem nada para contribuir, e você ao contrário enche de luz a vida de muitas, inclusive da minha, porque nos trouxe a todas muito conhecimento para que possamos mudar nossas vidas e o mundo.
E olha, é a segunda vez que escuto falar desse bolo de chocolate, cadê a receita? Morro de vontade........
Feliz Natal, e por favor Lola, não esqueça o quanto você é importante e transforma a vida de todas! Beijos!

Anônimo disse...

Não, anon mimizento das 18:57. Qualquer pessoa de bom senso questiona um sistema de apoio à parturiente que claramente não funciona, que prejudica mais do que ajuda e que pouco se importa com o bem estar das mulheres (vide os procedimentos dispensáveis, a posição ginecológica que prejudica a circulação e dificulta o expulsivo) e menos ainda liga pro bem estar das crianças (vide o alto número de recém nascidos prematuros em UTIS porque os senhores doutores não querem fazer um parto normal, preferem marcar uma cesárea, pra gastar menos tempo e ganhar mais mesmo que resulte num bebê cujos pulmões não funcionam e vai passar meses num aparelho respiratório.

Vejamos as recomendações da OMS pro parto, por exemplo:

Presença obrigatória de acompanhante

Procedimentos desnecessários não devem ser feitos

A gestante deve ser amparada e apoiada com todo o respeito

A gestante deve se mover durante o trabalho de parto, pois o movimento ajuda o bebê a se encaixar na pelve

A gestante deve poder parir na posição que a deixar mais confortável; e a maioria delas não quer parir deitada. As melhores posições pro parto são de cócoras ou sentada, assim a gravidade ajuda a expulsar o bebê e não há rompimento do períneo

O médico ou obstetriz deve explicar à mulher tudo que vai ser feito com ela durante o processo


Agora veja como é no Brasil:

A mulher que não tiver educação e condições financeiras não tem direito ao acompanhante

Episiotomia é feita porque a mulher é obrigada a parir na posição errada; hormônios sintéticos são injetados pra apressar o parto por nenhum outro motivo além da falta de paciência do médico. Manobra de Kristeller (subir na barriga da mulher e empurrar com toda a força) causa queda do assoalho pélvico e também só existe porque a mulher é obrigada a parir na posição errada

A gestante sofre violência obstétrica; é "Cala a boca", "na hora de fazer não gritou, né", "abriu as pernas agora aguente, vadia", etc, etc.

A gestante é obrigada a ficar imóvel durante todo o trabalho de parto, o que não ajuda porra nenhuma no encaixe do bebê ou no expulsivo

A gestante é obrigada a parir deitada, posição que comprime vasos sanguíneos importantes, obriga a mulher a fazer força contra a gravidade, facilita rompimento do períneo e se inventarem de fazer a manobra de Kristeller (mais uma vez pela mulher estar parindo na posição errada), queda do assoalho pélvico

O médico faz a merda que quiser com a mulher e o bebê e se algo der errado a culpa vai cair nos ombros da mãe, e não no médico meia bosta que se lixa pra paciente e faz os procedimentos de qualquer jeito pra não perder o segundo tempo do jogo do Brasil

E mesmo com tudo isso errado você acha que as mulheres tem que se calar e aceitar que machistas ignorantes de bosta (homens e mulheres) façam todo tipo de barbeiragem com elas apenas porque eles usam um jaleco e um diploma? Você é médico e um daqueles que se lixa pros pacientes porque fez medicina só pra ganhar dinheiro, né?

nadiaschenker disse...

Obrigada,Lola! Feliz Natal!

fernanda melo disse...

Minha filha mais nova teve a clavicula quebrada ao nascer. A enfermeira e o medico forçaram a minha barriga com os cotovelos. O medico disse que eu nao tinha forca pra fazer a bebe sair. Ninguém me avisou sobre a fratura. A pediatra avisou cinco dias depois. Mas tratou de por panos quentes. O parto foi pelo sua por que meu plano tinha carência e eu nao podia pagar o parto que ia ser 3500 a 4000. Mas se fosse pelo plano ia ser cesarea. Então a gente fica entre a cruz e a espada. Parto normal digno é muito difícil de ter.

fernanda melo disse...

Ia ser cesarea pelo plano por que o medico que me acompanhava disse que não fazia parto normal

Anônimo disse...

Vc é obstetra?
Uma coisa que eu acho impressionante é que morriam mais crianças e mulheres antigamente pelo parto do que depois que a ciência desenvolveu medicamentos e procedimentos novos.
A violência obstetrícia deve ser combatida e punida, agora a posição ginecológica é necessária quando se manuseia um bisturi, essa posição também é feita em outros procedimentos médicos, como retirada de pedras nos rins pela uretra, inclusive em homens.
A imobilização dos braços também é necessária no uso do bisturi, feito também em homens, crianças, mulheres, pois pode haver reflexos do paciente e ele se machucar durante o procedimento cirúrgico.

Guidi Vieira disse...

Desejo para ti, o maridao e sua mãe toda a felicidade, hoje é sempre.
Obrigada por toda a sua persistência e coerência... Sou fã demais, deu para notar, acho. :)
Grande beijo.

Ezco Musaos disse...

Feliz Natal (atrasado) pra ti, Lola.

Desculpando o "quase off-topic": e esses trolls "preocupados" com feministas comemorarem o Natal, essa "tradição patriarcal opressora"... Francamente, o que interessa nessa data é a universal celebração do sentimento de estar junto das pessoas que vc gosta, do amor em seu sentido mais essencial. A conotação religiosa é outro aspecto.

Anônimo disse...

Natal é dia pra ganhar e dar presentes e comer muito. Na minha família ninguém lembra de Jesus nenhum. Então está tudo certo. Se tivesse pataquada de ir em missa, esperar meia noite pra dar os presente, rezar, eu ficava em casa assistindo Netflix ;)

Anônimo disse...

Realmente, muito burguesa, com uma torta e uma garrafa de bebida...
Depois do governo do PT até pobre tem condições de colocar mais comida na mesa do que isso.

Quanto a ajuda se a Lola precisar uma de nós estaremos prontas pra ajudar. De você mascus só precisamos mesmo que morram.

Anônimo disse...

23:05, você não entendeu?

A posição ginecológica é errada sim, já foi comprovado pela Organização Mundial da Saúde, órgão que se dedica APENAS a estudar procedimentos, medicamentos e tudo que for da área da saúde pra garantir o melhor pras pessoas que precisam de serviços de saúde. São anos, talvez décadas, de pesquisa sobre gravidez e parto dizendo que o jeito que se faz parto no Brasil é errado. ANOS DE PESQUISA E ESTUDO DA FUCKING ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE.

Amigo, a posição ginecológica só é conveniente pros médicos. Imagina, né, se o sr. doutor vai se dignar a se ajoelhar de hora em hora aos pés de uma mulher sentada ou de cócoras (que é como se faz na Holanda, na Inglaterra e em outros países com os melhores indicadores de saúde)? A posição ginecológica foi inventada SÓ pra conveniência dos médicos, porque pra mulher é péssima. A posição deitada comprime vasos sanguíneos importantes (você leu meu comentário?), obriga a fazer força contra a gravidade, dificulta o expulsivo e causa ruptura do períneo, vou repetir quantas vezes precisar. Inventaram a episiotomia porque a posição ginecológica retarda a saída do bebê, ou seja, os médicos inventaram uma cagada pra consertar (pra eles, somente) a cagada que fizeram instituindo a posição deitada.

E se as mulheres parissem nas posições certas, de cócoras ou sentada, em que nenhum vaso sanguíneo importante é comprimido e a gravidade ajuda a expulsar o bebê, NÃO HAVERIA ROMPIMENTO DO PERÍNEO NEM NECESSIDADE DE EPISIOTOMIA. Entendeu agora? Se os médicos brasileiros não fossem tão folgados e arrogantes as mulheres iriam parir na posição certa que agiliza o parto sem necessidade de usar bisturi nem hormônios sintéticos.

De novo, se as mulheres parissem na posição certa, não haveria necessidade de usar bisturi nem de imobilizar ninguém.

Anônimo disse...

Sempre haverá um caso em que será necessário o uso do bisturi, vc acha que todos os partos vão acontecer de forma natural.
É claro que no Brasil há uma cultura da cesárea, entretanto, como eu disse, haverá casos em que não será possível, não por escolha do médico ou da gestante, isso que essas militantes não entendem.
No caso da cesárea vai ser necessário imobilização sim, como em qualquer operação, e colocação em posição ginecológica.
Vejo muito extremismo, como o caso e gestantes medidas a naturebas que tem a cesárea indicada pelas condições da gravidez,mas não querem que a sociedade opressora mandem nos seus corpos, nesse caso a cesárea é uma necessidade,sem opções de escolha, coisas que radicais não compreendem.
Dentro dessa mesma perspectiva posso citar o caso da microcefalia, em que profissionais da saúde recomendaram não engravidar no momento, e uma antropóloga maluca disse que isso seria o Estado mandando nos úteros das mulheres da periferia.
Pode até não ser o zika vírus(é bem provável que seja), mas ALGUMA COISA, está provocando a microcefalia, a recomendação não foi dada para mulheres de determinada classe ou raça, é sim para todas, é foi uma recomendação, se alguém engravidar não acontecerá nada, mas com radicais é difícil, ou mesmo impossível dialogar

Anônimo disse...

Amigo, eu não estou falando que não haverá emergências. Eu sei que vão haver. Eu sei que nem todo parto vai ser natural. Eu apoio completamente que cirurgias sejam feitas quando é preciso, elas estão aí pra isso. Mas o fato de existirem casos em que é necessário fazer cirurgia não justifica os milhares de casos em que a cirurgia e esses procedimentos com bisturi não são necessários e são usados mesmo assim só porque o médico quer ganhar mais passando menos tempo com a paciente, ou porque vai chegar atrasado numa festa. Episiotomia é comprovadamente desnecessária se a mulher parir numa posição que favoreça o expulsivo com ajuda da gravidade, e os hormônios sintéticos na maioria dos casos são desnecessários também. Isso não é papo de natureba, filhote, isso é comprovado em pesquisas e estudos científicos pela Organização Mundial de Saúde. E é aplicado em países como Holanda e Inglaterra, e as taxas de sobrevivência das mulheres lá não estão menores apenas porque aboliram episiotomia e hormônios sintéticos e cirurgias só são feitas quando realmente necessárias.

Anônimo disse...

"isso que essas militantes não entendem"
" coisas que radicais não compreendem "

Acho tão eloquente esse tipo de afirmação! Chega a ser engraçado. Há uma intolerância tão grande em relação à voz das mulheres, às suas escolhas e opiniões, tem que vir um bostinha para "ensiná-las", pois, claro, "elas não entendem"! :) Aos homens pertence a voz da razão.
Meu senhor, ONDE leu ou ouviu militantes pelo parto humanizado serem contra ou "não entenderem" uma cesária por razões de saúde e não preferência do médico?
Mas é muita arrogância, minha deusa!

Anônimo disse...

Ah, sim, e a Organização Mundial da Saúde agora é natureba! hahahaha

Anônimo disse...

Lola comemorando um feriado de uma religião que não aceita mulheres como sacerdotisas, que é contra o aborto, que é contra a pirula, que possui uma bancada de fundamentalistas,que queimou mulheres como bruxas, que é a religião do colonizador opressor, a coerência mandou aquele abraço

Anônimo disse...

Lola veja essa palhaçada: https://www.facebook.com/SocialistaMorena/posts/999045603489276

Danilo Gentili pedindo explicações judiciais pra alguém pelo Twitter, tem muita moral o cara kkk

Anônimo disse...

Anon das 13:02 parto humanizado e natural não precisa ser em casa, pode ser no hospital. O hospital Queen Anne, na Inglaterra, faz todos os seus partos humanizados, sejam cesáreas ou normais. Essa maternidade tem em todos os quartos banheira, espaço e equipamentos como bolas de pilates pra que as pacientes se movimentem e relaxem, além de aparelhos e instrumentos médicos pra monitorar o parto. Existe até um programa de TV a cabo sobre essa maternidade chamado Um Bebê Por Minuto e você vê a diferença entre como os partos são feitos num país que se preocupa de verdade com gestantes e bebês e no Brasil. Algumas mulheres morrem fazendo parto normal e outras morrem fazendo cesárea. Cesárea não é infalível e a mulher que faz cesárea, além das complicações relativas à gravidez, pode morrer de complicações cirúrgicas ou de infecção, cesárea não é nem nunca foi mais segura que parto normal. Se é notícia que você quer, taí:

rondoniaempauta.com.br/nl/saude/mulher-morre-no-hospital-regional-após-cesárea

extra.globo.com/noticias/mundo/mae-morre-subitamente-em-hospital-dois-dias-após-dar-a-luz

Ah, e caso você não tenha se ligado, a enfermeira dessa reportagem que você citou morreu depois da cesárea, não do parto normal. Ela chegou no hospital em perfeito estado de saúde mesmo depois dessas 48h em trabalho de parto e morreu de complicações cirúrgicas-porque, surpresa, cesárea é uma cirurgia e cirurgias tem complicações. Veja aqui um trecho da reportagem do Estadão:

"Com base em seu conhecimento e acompanhamento médico durante o pré-natal, que evidenciou uma gestação sem intercorrências, aguardou a evolução para um parto natural. Assim, a Profa. Mariana entrou em trabalho de parto no sábado, dia 11 de julho, estando acompanhada por profissional capacitado durante todo o processo. Para continuidade do trabalho de parto, encaminhou-se ao hospital no início da noite do mesmo dia, chegando ao local em perfeito estado de saúde. Algumas horas depois, Mariana foi submetida à cesariana, tendo a oportunidade de pegar sua filha no colo e amamentá-la. Posteriormente, foi encaminhada ao quarto junto com sua filha e, poucas horas depois, iniciou um quadro de complicações, que resultou no trágico desfecho."

A Marina não morreu por tentar parto domiciliar e sim em decorrência de uma hemorragia após a cirurgia. Além disso, no texto diz que ela entrou em trabalho de parto as 11 da manhã e foi para o hospital à noite. Foram 12h ou menos e 12 horas de trabalho de parto é um tempo muito comum em mulheres que vão ter o primeiro filho. Essas 48h são um exagero e uma mentira simplesmente, e não mudam o fato de que ela morreu após uma cesárea.

E ainda estou esperando você falar como a cesárea desnecessária favorece os bebês que são tirados da barriga da mãe prematuramente e ficam meses na UTI neonatal porque os pulmões ainda não estavam maduros o suficiente pra cumprir sua função.

Anônimo disse...

Eu só não digo que o Gentili é doente porque isso seria tirar a responsabilidade dele de suas próprias presepadas e um desrespeito com as vítimas que ele já fez com sua metralhadora de ~pombas da paz~

fernanda melo disse...

Lola deu o que falar esse negocio de parto ein. Tem algum post sobre parto? Seria legal um post assim por aqui. Tive dois partos pelo sua um foi forceps e o outro foi normal porém a bebe teve a clavícula quebrada na hora do parto. Me pergunto ate hoje se tudo isso foi realmente necessário.

fernanda melo disse...

*SUS

Laura disse...

Mas eu não sei o que vem primeiro: São amargurados porque são mascus ou são mascus justamente por serem amargurados?

Marcia Baratto disse...

Laura queridona, é o tostines da vida medíocre esse aí, hein? rsrsrsrsrs. Lola, feliz natal atrasado! E uma receita de família usada aqui em casa para assar porco, que fica oh, uma delícia:

1 lata de cerveja
1 cebola grande
meio maço de cheiro verde (salsa e cebolinha, mas pode ser o mato verde que você mais gostar)
Duas colheres de sal grosso.
Bate tudo no lidiquificador, joga sobre a carne, embrulha no papel alumínio e manda para o forno. Depois de 1 hora, tira o papel alumínio, tira todo o líquido do molho e bate para sair o verde grudado. Aí prepara duas colheres de mostarda com mel (ou mostarda com molho de pimenta), salpica na carne e volta para o forno para dourar por mais 30 minutos.

Beijos e ótimo ano novo.

Anônimo disse...

Fernanda se você colocar "parto humanizado" ou só "Parto" mesmo no espaço de pesquisa lá no topo da página vão aparecer os posts sobre o assunto, tem vários aqui no blo.

lola aronovich disse...

Marcia querida, que receita ótima! Parece muito boa mesmo. Mas não é um desperdício se livrar de todo esse molho legal depois de uma hora de forno? Ou o molho entra mesmo na carne? Vi algumas outras receitas (sem cerveja, mais com suco de limão) que falam de deixar a carne marinando na geladeira por uma noite.
Outra dúvida que ainda tenho: será que faço com lombinho ou picanha suína? As duas carnes são muito boas, mas não sei se picanha suína é tão fácil de encontrar.


Fernanda, tem vários posts sobre isso aqui no blog. Procure por violência obstétrica. E, como a anon acima falou, tem as tags PARTO e GRAVIDEZ. Por exemplo: Em sua luta contra o resto do mundo, de que lado você está?
Violência obstétrica: a voz das brasileiras, que traz um excelente documentário sobre o tema.
Que eu saiba, o guest post mais recente publicado sobre o tema foi este: Ninguém está te obrigando a um parto normal.
Meu bloguinho está longe de ser especializado no assunto (há vários blogs incríveis que são, ligados ao ativismo materno), mas me orgulho de já ter publicado vários guest posts sobre violência obstétrica e parto humanizado e de ter sido uma das que ajudaram a lembrar que essas pautas também são feministas.

Rafael disse...

"E se as mulheres parissem nas posições certas, de cócoras ou sentada, em que nenhum vaso sanguíneo importante é comprimido e a gravidade ajuda a expulsar o bebê, NÃO HAVERIA ROMPIMENTO DO PERÍNEO NEM NECESSIDADE DE EPISIOTOMIA. Entendeu agora? Se os médicos brasileiros não fossem tão folgados e arrogantes as mulheres iriam parir na posição certa que agiliza o parto sem necessidade de usar bisturi nem hormônios sintéticos."

A militante aí de cima deveria ir explicar para a amiga da minha irmã porque ela teve a vagina e o ânus estourados no parto, mesmo ficando de cócoras, usando piscina, luz de vela, doula e tudo o mais que ela quis e planejou.

Como já disseram, o mau de determinados militantes é justamente o radicalismo.

Anônimo disse...

Esses trolls q ficam se passando por feministas só pra inventar coisa. Meu caro,é preciso separar o joio do trigo. Se um médico decente independente do sexo passar um remédio a mulher vai ter q tomar para melhorar. A questao é outra, só oq tem é medico fdp que fica com preguiça ou tem pressa pra fazer o parto e inventa de fazer cesárea na mulher...pondo a vida dela e do bebe em risco!

Anônimo disse...

Tomara q avisem mesmo

Anônimo disse...

(Viviane)
Olha, Rafael, vou ter de te dizer que o mal de várias pessoas, militantes ou não, é tomar um caso isolado como regra. É a famosa falácia de evidência anedótica, sabia? Recomendo fazer o que outrxs comentaristas aqui fizeram: buscar dados estatísticos.
Óbvio que quem passa pelo problema vai ter um trauma pelo resto da vida, mas políticas públicas não são definidas por casos isolados.

Marcia Baratto disse...

Lola queridona, o molho entra e tempera a carne, pode jogar fora sim. Ele também serve para deixar marinando de uma noite para outra (a carne fica ainda mais macia), vai do gosto da cozinheira. Pode acrescentar suco de limão na hora de assar, fica muito bom também.
Eu gosto muito de fazer pernil e costela com esse molho. Picanha suína pede muito menos tempo e eu sempre acabo deixando ela meio passada demais, prefiro picanha na grelha mesmo.

Rafael disse...

Viviane, o problema é justamente esse. Eu, ao ter uma discussão dessa em família (em um caso de gestação), fui atrás de estudos estatísticos a respeito. Li na fonte e fiquei surpreso de como blogs de militância materna em português distorcem completamente os resultados.

Ter um filho em casa não é mais seguro e não existe nenhum, absolutamente nenhum estudo sério, publicado em meios especializados e com revisão de pares que demonstre isso.

Anônimo disse...

(Viviane)
Bem, Rafael, nesse caso, me desculpe então. No seu primeiro comentário você falava de um caso isolado. E acho que eu e você tínhamos em mente duas coisas diferentes: eu falava de parto vaginal em geral; você falou de parto em casa. Aí eu tenho de concordar, embora ainda tenha a ressalva de que algumas mulheres escolhem ter o filho em casa por medo da violência obstétrica.